Você está na página 1de 8

Segunda Prova de Fı́sica I, Turma MAA+MAI

8h-10h, 30 de novembro de 2011

A vista da prova será feita na 2a feira 5/12/2011,


na sala de aula no horário de 8h-8h30.

Primeira Questão
No sistema de coordenadas utilizado, um carro de massa m = 1, 0 × 103 kg está se movendo ao longo
da parte negativo do eixo Ox com velocidade v = 72, 0 km/h rumo ao cruzamento O com o eixo
Oy. Um caminhão com massa M = 2, 0 × 103 kg estava se deslocando ao longo do eixo negativo
Oy na direção do cruzamento com velocidade V = 54, 0 km/h. Ele chega junto com o carro em O,
onde eles sofrem uma colisão. Depois os dois veı́culos se engavetam e continuam a se mover, durante
alguns segundos, como um corpo só.
Em termos desses dados, determine
(a) (1,0) : a velocidade do centro de massa do sistema dos dois veı́culos, antes da colisão;
(b) (1,0) : o ângulo que a velocidade do conjunto faz com o eixo Ox logo depois da colisão;
(c) (0,5) : a diferença entre a energia cinética do sistema depois e antes da colisão.

1
Solução da primeira questão
A massa total dos dois carros é Mtot = m + M = 3, 0 × 103 kg. Observe
que 36 km/h = 10 m/s.
(a) (1,0) :
−→ 1  
V CM = m v î + M V ĵ
Mtot
Um vetor é dado pelos seus componentes :
20 30
VCM,x = m/s ; VCM,y = m/s (1)
3 3
ou, também, pelo seu módulo e pelo ângulo que ele faz com o eixo Ox
:
−→ 10 √ 3
| V CM | = 13 m/s ≈ 12, 02 m/s ; tan θ = (2)
3 2
(b) (1,0) : É o ângulo θ calculada acima.
−→
(c) (0,5) : Temos | V CM |2 = (1300)/9 (m/s)2
1 −→
Kf = (M + m) | V CM |2
2
13
= × 105 J (3)
6
1 1
Ki = m v2 + M V 2
2 2
17
= × 105 J (4)
4
25
∆K = Kf − Ki = − × 105 J ≈ − 2, 08 × 105 J (5)
12

2
Segunda Questão
Na figura o cilı́ndro C e a polia P, fixados ao teto, giram sem atrito em torno dos eixos horizontais
fixos que passam pelos seus centros. Uma corda leve é enrolada em volta do cilı́ndro, passa sobre a
polia e está amarrada por sua extremidade livre a um bloco B de massa MB . Não há deslizamento
entre a a corda e a superfı́cie da polia. O cilı́ndro uniforme tem massa de MC e raio RC . A polia é
um disco uniforme de massa MP e raio RP . O bloco está libertado do repouso e cai à medida que
a corda se desenrola do cilı́ndro. Em termos dos dados acima e da aceleração da gravidade g,
(a) (1,2) : escreva as equações dinâmicas do movimento do cilı́ndro C, da polia P e do bloco B.
(b) (0,8) : calcule as tensões T1 na parte CP da corda, e T2 na parte vertical PB da corda;
(c) (0,5) : determine a velocidade do bloco após ele ter caı́do de uma altura h.
Dados :
O momento de inércia em relação ao eixo de simetria de um cilı́ndro (ou disco) de massa M e raio
R é dado por I = (1/2) M R2 .

3
Solução da segunda questão
Escolhemos uma orientação coerente dos movimentos angulares e lin-
eares de modo que :
(a) (1,2) : as equações dinâmicas são :
IC αC = RC T1
IP αP = −RP T1 + RP T2
MB a B = MB g − T2 (6)
(b) (0,8) : Com de vı́nculo entre a rotação e a translação : RC αC =
RP αP = aB , obtemos :
1
MC a B = T1
2
1
MP aB = −T1 + T2
2
MB a B = MB g − T2 (7)
que resolvemos sem muito esforço obtendo a aceleração :
MB
aB = g (8)
MB + (1/2)MC + (1/2)MP
e as tensões
(1/2)MC
T1 = MB g (9)
MB + (1/2)MC + (1/2)MP
(1/2)MC + (1/2)MP
T2 = MB g (10)
MB + (1/2)MC + (1/2)MP
(c) (0,5) : Com aceleração constante, podemos usar a fórmula de
Torricelli :
v
q u
MB
v = 2 aB h = 2gh (11)
u
t
MB + (1/2)MC + (1/2)MP
Obviamente a lei de conservação da energia conduz ao mesmo resultado.

4
Terçeira Questão
Um carretel de massa M, raio interno r, raio externo R e momento de inércia IC em relação a seu
eixo de simetria passando pelo centro de massa, é puxado por um fio enrolado em seu eixo central,

de modo a rolar sem deslizar sobre um a mesa horizontal, através de uma força F que faz um ângulo
θ com a horizontal, como a figura mostra.

(a)(0,5) : Que condição deve ser satisfeita pelo módulo da força, F := | F |, para o contato com a
mesa estar preservado?
(b)(1,0) : Supondo a condição acima realizada, calcule a aceleração do centro de massa do carretel.
(c)(1,0) : Para qual valor do ângulo o carretel fica parado ?

5
Solução da terceira questão

(a)(0,5) : Escrevemos a força aplicada como F= F cos θ î + F sin θ ĵ

e a força de atrito como Fat = − fat î, onde temos que calcular fat .
O movimento vertical do carretel com contato no plano horiziontal é
descrito por : M ay = N + F sin θ − M g. O contato é mantido, i.e.
aY = 0, se a reação normal for positiva : N = M g − F sin θ > 0 ou
F sin θ < M g (12)
(b)(1,0) : As equações dinâmicas de translação do centro de massa e
de rotação em torno do centro de massa, são
M a = F cos θ − fat
I α = −F r + fat R (13)
Com o vı́nculo a = R α, obtemos :
F (cos θ − r/R)
a= (14)
M + I/R2
(c)(1,0) : A aceleração se anula quando o ângulo for
θ = Arccos(r/R) (15)

6
Quarta Questão
Uma ponte levadiça homogênea de comprimento L = 10, 0 m e largura L0 = 3, 0 m está presa à
estrada por uma dobradiça livre de atrito no bordo L0 , e ela pode ser levantada por um cabo atado
ao bordo oposto. A ponte está em repouso, suspensa de um ângulo θ = π/3 rad acima do plano
horizontal, quando o cabo se rompe. Seja g = 9, 8 m/s2 .
(a) (1,0) : Determine a aceleração angular α da ponte no instante em que o cabo se rompe.
(b) (0,5) : É possı́vel usar a equação ω = ω0 + α t para calcular a velocidade angular ω em um
instante posterior? Justifique !
(c) (1,0) : Calcule a velocidade angular da ponte quando ela fica na horizontal.
Dados e Dicas :
O momento de inércia de uma placa retangular de lados L e L0 , fina e homogênea, em relação a um
eixo ao longo da borda L0 é dado por I = (1/3) M L2 .

7
Solução da quarta questão
(a) (1,0) : A equação dinâmica é
L 3 g cos θ rad
Iα = Mg cos θ ; α= = 0, 735 2 (16)
2 2L s
(b) (0,5) : Não é possı́vel usar a equação ω = ω0 + α t pois α não é
constante e a equação dinâmica acima é de fato uma equação diferencial
:
d2 θ L
I 2 = M g cos θ
dt 2
(c) (1,0) : Usamos a conservação da energia. Inicialmente não há
energia cinética Kin = 0 e a energia potencial gravitacional é Uin =
M g (L/2) sin θ em relação à posição horizontal da ponte. No estado
final temos Ufin = 0 e Kfin = (1/2) I ω2 . Igualando Uin = Kfin ,
obtemos :
3 g sin θ
ω2 = = 2, 55 (rad/s)2 ; ω = 1, 59 rad/s (17)
L