Você está na página 1de 14
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA

Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto

Profa. Dra. Thais A. Carrino

thais.carrino@gmail.com

Considerações sobre processos de transição eletrônica e vibração molecular

Parte 1

ESPECTROSCOPIA DE REFLETÂNCIA (Vantagem em relação à difratometria de raios-X) Difratograma 1,428 μm (DRX) CC-43
ESPECTROSCOPIA DE
REFLETÂNCIA (Vantagem em relação à difratometria de raios-X)
Difratograma
1,428 μm
(DRX)
CC-43
1,51 μm
Ca-alunita
1,480 μm
K-alunita
(micrometros)
Refletância

- Rapidez das análises

- Desnecessário destruir (cominuir) a amostra

- Rápida identificação de ampla gama de minerais (exceção de quartzo, feldspatos, opacos)

- Necessário destruir (cominuir) a amostra

- Identificação de minerais, incluindo aqueles que a espectroscopia de refletância não consegue reconhecer

Rapidez do método da espectroscopia de refletância diferença em atividades geológicas

de refletância diferença em atividades geológicas Minerais como caulinita, alunita, dickita, montmorilonita,

Minerais como caulinita, alunita, dickita, montmorilonita, nontronita etc distinção visual nula. Com a espectroscopia de refletância, a identificação torna-se quase automática

Revendo os processos geradores de feições de absorção de minerais – mais detalhe
Revendo os processos geradores de
feições de absorção de minerais –
mais detalhe
Processos de transição eletrônica

Processos de transição eletrônica

Processos de transição eletrônica
Processos de transição eletrônica
Processos de transição eletrônica
Processos de transição eletrônica
Processos de vibração molecular

Processos de vibração molecular

Processos de vibração molecular
Processos de vibração molecular
Processos de vibração molecular
Processos de vibração molecular

Para um simples elemento químico, há vários estados possíveis no qual ele pode existir. Cada estado é caracterizado por um nível de energia (JENSEN, 2009)

Os estados envolvem os tipos de ligações (iônica, covalente), o nível de energia de elétrons em orbitais mais distantes num átomo, etc (JENSEN, 2009)

Interação da REM com a matétria
Interação da REM com a matétria

Os estados e os níveis de energia são únicos para cada elemento e compostos

Um átomo ou molécula passa por uma transição de um estado a outro se for excitado numa certa frequência (ou comprimento de onda) da radiação eletromagnética

3 tipos básicos de transição (JENSEN , 2009):

eletrônica, vibracional e rotacional

Transição eletrônica deslocamento de um elétron num orbital mais externo para um mais próximo do
Transição eletrônica deslocamento de um elétron num orbital
mais externo para um mais próximo do núcleo
Processos que ocorrem em sólidos, líquidos e gases
Interação da REM com a matétria
Interação da REM com a matétria

Vibração ou transição

molecular resultam de mudanças na disposição relativa de átomos em moléculas

Ex.: distorções de ligações (estiramento ou encurtamento) de um estado de equilíbrio (fundamental) a outro

Processos

que

ocorrem

em

sólidos, líquidos e gases

Requer menor energia (=faixa do infravermelho de ondas curtas)

Fonte: www.redytemp.com
Fonte: www.redytemp.com

As ligações de uma molécula são como molas que vibram, com pesos a elas fixadas

Transição rotacional

restrito a gases

Transições podem ocorrer nas propriedades rotacionais de moléculas

Vibração molecular
Vibração molecular

Resultam de mudanças energéticas do estado estacionário (fundamental) de vibração das ligações das moléculas

Estado estacionário: determina os níveis de energia permitidos que um sistema terá

Processo quântico: um sistema (ex.: moléculas) se caracteriza por ocupar um nível particular de energia mínima ou estado estacionário, além de uma série de estados de energia mais elevada

Níveis energéticos são comparáveis com degraus de uma escada

A REM somente será absorvida se houver energia suficiente para proporcionar a transição de um degrau para outro de maior energia

(Meneses, 2001)

Vibração molecular
Vibração molecular

Transições moleculares: movimentos simples, ou modos vibracionais normais ou fundamentais

o número de vibrações que podem ocorrer e os tipos variam para cada material, e depende do

número de átomos existente, da sua geometria e da

força da ligação

(Meneses, 2001)

Em analogia com molas as vibrações moleculares que geram distensão e contração periódicas da ligação
Em analogia com molas as vibrações moleculares
que geram distensão e contração periódicas da
ligação química são as vibrações de estiramento

Fonte: www.redytemp.com

distensão e contração periódicas da ligação química são as vibrações de estiramento Fonte: www.redytemp.com
Vibração molecular Vibrações que geram dobramento periódico da molécula são chamas de vibrações deformacionais
Vibração molecular
Vibrações que geram dobramento periódico da
molécula são chamas de vibrações deformacionais
da molécula são chamas de vibrações deformacionais Fonte: www.redytemp.com Cada vibração do modo fundamental

Fonte: www.redytemp.com

Cada vibração do modo fundamental possui um número

quântico (ν) associado e uma frequência específica

Uma molécula pode ser descrita como uma série de osciladores harmônicos lineares

(Hunt, 1977; Meneses, 2001)

Vibração molecular Modos de vibração fundamental: são transições entre ν 1 = 0 e ν
Vibração molecular
Modos de vibração fundamental: são transições
entre ν 1 = 0 e ν 1 = 1

Feições espectrais de absorção que aparecem em comprimentos de onda maiores que 2600 nm

cada vibração possui um número quântico (ν) e uma frequência (ϒ) que, por sua vez, dependem da massa dos átomos, das forças interativas entre os átomos e o retículo cristalino como um todo

(Meneses, 2001)

Vibração molecular
Vibração molecular

Exemplo de feições vibracionais de molécula de água

Vibração molecular Exemplo de feições vibracionais de molécula de água
Vibração molecular
Vibração molecular

VIBRAÇÕES ADICIONAIS: são overtones (sobreposição) e combination tones (combinações) interesse ao SENSORIAMENTO REMOTO DO INFRAVERMELHO DE ONDAS CURTAS

Overtone: ocorre quando o modo fundamental é excitado com 2 ou mais quanta de energia,
Overtone: ocorre quando o modo fundamental é excitado
com 2 ou mais quanta de energia, produzindo banda dupla
ou uma banda de algum múltiplo integral do valor da
frequência fundamental (2 ν i , 3 ν i , 4 ν i , etc)
Combination tone: ocorre quando dois ou mais modos
fundamentais ou overtones se juntam num mesmo local
(ou próximo), gerando o somatório das vibrações (ν 2 + ν 3 ;
2ν 1 + ν 3 ; etc)
das vibrações (ν 2 + ν 3 ; 2ν 1 + ν 3 ; etc) (Hunt,

(Hunt, 1977; Meneses, 2001)

Feições de absorção: entre 1200 e 5000 nm

Espectro refletido: visível ao infravermelho de ondas curtas

SOL
SOL
Pico ~0,48 micrometros Pico ~9,66 micrometros
Pico ~0,48 micrometros
Pico ~9,66
micrometros

Espectro

emitido:

infravermelho

termal

TERRA

REFERÊNCIAS CITADAS

Hunt, G.R. 1977. Spectral signatures of particulate minerals, in the visible and near-infrared: Geophysics, v. 42, p. 501-513.

Jensen, J.R. 2009. Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. Tradução em português, São José dos Campos, Parentese Editora, 598p.

Meneses, P.R. 2001. Origem das feições espectrais. In: Meneses, P.R., Madeira Netto, J.R. (Orgs.). Sensoriamento remoto. Reflectância dos alvos naturais. Brasília, Editora da Universidade de Brasília, p. 43-60.