Você está na página 1de 7
Universidade de Estadual de Maringá Departamento de Engenharia Mecânica – DEM Exercício de Elementos Finitos:

Universidade de Estadual de Maringá Departamento de Engenharia Mecânica DEM

Exercício de Elementos Finitos: Elementos de Teliça

Disciplina: Métodos Numéricos para Engenharia

Docente: Prof. Flávio Clareth Colman

Discentes: Paulo Henrique Moreira

R.A.: 59504

Guilherme Augusto Mantovani

R.A.: 53589

Guilherme Henrique Zotto Johansen

R.A.: 51178

Maringá

Novembro/2011

EX. 5 - Determine as forças e as tensões axiais em cada barra da treliça mostrada na figura (Figura 1) utilizando o MEF. Admita que o módulo de elasticidade transversal é 10 4 psi e que todas as seções transversais são circulares com diâmetro de 2 in. Compare os resultados com as soluções exatas obtidas do diagrama de corpo livre.

com as soluções exatas obtidas do diagrama de corpo livre. Figura 1 – Diagrama de corpo

Figura 1 Diagrama de corpo livre para a treliça plana, localização das seções para o método exato e identificação das barras para cálculo das forças internas.

Como passo inicial para a análise exata do problema, toma-se toda a treliça como corpo livre a fim de encontrar as reações de apoio Rx, R1y e R2y fazendo uso das equações de equilíbrio.

→ ∑

O método das seções foi escolhido para a análise da treliça assumindo que forças de tração são positivas e de compressão são negativas como convenção de sinal. Todas as reações internas a serem determinadas foram assumidas como sendo positivas e o sinal obtido do balanço de forças aplicado aos subsequentes.

Seccionando a treliça na posição A-A, como indicado na Figura 2, e tomando o corpo livre a esquerda, pode-se escrever o balanço de forças:

livre a esquerda, pode-se escrever o balanço de forças: Figura 2 – Diagrama de corpo livre

Figura 2 Diagrama de corpo livre tomando a parte esquerda da seção A-A como corpo rígido.

→ ∑

Dando sequência, traçando o diagrama de corpo livre para o corpo rígido à direita da seção B-B pode-se obter pelas equações de equilíbrio:

seção B-B pode-se obter pelas equações de equilíbrio: Figura 3 – Diagrama de corpo livre tomando

Figura 3 Diagrama de corpo livre tomando a parte direita da seção B-B como corpo rígido.

→ ∑

Escrevendo o balanço de força para o corpo rígido obtido a partir da seção C-C segue:

para o corpo rígido obtido a partir da seção C-C segue: Figura 4 – Diagrama de

Figura 4 Diagrama de corpo livre tomando a parte superior da seção C-C como corpo rígido.

→ ∑

Utilizando o corpo rígido à esquerda da seção D-D obtém-se:

o corpo rígido à esquerda da seção D-D obtém-se: Figura 5 – Diagrama de corpo livre

Figura 5 Diagrama de corpo livre tomando a parte à direita da seção D-D como corpo rígido.

→ ∑

E finalmente para a seção E-E:

E finalmente para a seção E-E: Figura 6 – Diagrama de corpo livre tomando a parte

Figura 6 Diagrama de corpo livre tomando a parte inferior da seção E-E como corpo rígido.

→ ∑

Tendo as forças que agem em cada barra as tensões sob à qual estão submetidas podem ser obtidaa simplesmente dividindo o resultado obtido pela área de seção transversal dada no enunciado do problema. Os resultados das tensões calculadas é apresentado na Tabela 1.

Tabela 1 Tensões teóricas

Barra

Tensão (psi)

1

-159,155

2

254,65

3

0

4

-254,65

5

159,15

6

254,65

7

286,48

8

-477,465

9

381,97

A fim de comparar os resultados obtidos, a geometria foi modelada e simulada no software ABAQUS em sua versão 6.10. A Figura 7 mostra uma plotagem de tensões obtida no software juntamente com as condições de contorno aplicadas à geometria e a numeração dos elementos utilizada pelo software.

e a numeração dos elementos utilizada pelo software. Figura 7 – Diagrama de corpo livre tomando

Figura 7 Diagrama de corpo livre tomando a parte inferior da seção E-E como corpo rígido.

A Tabela 2 apresenta os resultados obtidos pela simulação:

Tabela 2 Resultados obtidos implementando o problema no software ABAQUS

ELEMENTO**

TENSÃO MÉDIA* (psi)

1

-254,647

2

286,478

3

381,971

4

-477,464

5

-159,155

6

254,647

7

0

8

159,155

9

254,647

* A tensão é tomada como média ao longo do elemento e tendo como referencial o centroide da geometria analisada. ** A numeração dos elementos utilizada pelo ABAQUS difere da numeração utilizada nos cálculos teóricos

Comparando a equivalência dos dados apresentada na Tabela 3, vê-se que os resultados da simulação foram bastante satisfatórios e os pequenos desvios se devem à distribuição de tensão que o software calcula considerando-o deformável e não idealmente rígido como suposto nos cálculos teóricos.

Tabela 3 Equivalência dos resultados obtidos pelos cálculos e simulação

BARRA

TENSÃO CALCULADA (psi)

ELEMENTO

TENSÃO MÉDIA (psi)

4

-254,65

1

-254,647

7

286,48

2

286,478

9

381,97

3

381,971

8

-477,465

4

-477,464

1

-159,155

5

-159,155

2

254,65

6

254,647

3

0

7

0

5

159,15

8

159,155

6

254,65

9

254,647