Você está na página 1de 29

Dr.

Gustavo Condi
15/02/2018
Cirurgia Geral PUC-SP
Cirurgia Geral Avançada HSPE-SP
Preceptor do Serviço de Cirurgia Geral HMSJ
Preparação
Triagem
Avaliação primária
Reanimação + medidas
Consideração sobre transferência
Avaliação secundária + medidas
Monitoração e reavaliação contínuas
Tratamento definitivo
Preparação
Manutenção de vias aéreas
Controle de sangramentos
Imobilização
Transporte para centro de
referência
Triagem
Múltiplas vítimas
Catástrofes
 Airway maintenance with cervical
spine protection
 Breathing and ventilation
 Circulation with hemorrhage control
 Disability: neurological status
 Exposure/Environmental control:
completely undress the patient, but
prevent hypothermia

É possível fazer essa avaliação em 10 segundos?


 Airway maintenance with cervical spine
protection
 Breathing and ventilation
 Circulation with hemorrhage control
 Disability: neurological status
 Exposure/Environmental control: completely
undress the patient, but prevent hypothermia

“The prioritized sequence is based on the degree of


life threat so that the abnormality that poses the
greatest threat to life is addressed first.”
 Airway maintenance with cervical spine
protection
 Breathing and ventilation
 Circulation with hemorrhage control
 Disability: neurological status
 Exposure/Environmental control: completely
undress the patient, but prevent hypothermia

“Passar para a avaliação do item seguinte APENAS


quando resolvido o distúrbio do item atual.”
 A: vias aéreas
 Verificar permeabilidade
 Chin-lift: elevação do mento
 Jaw-thrust: anteriorização da mandíbula
 A: vias aéreas e controle da coluna
cervical
 Permeabilidade
 Chin-lift: elevação do mento
 Jaw-thrust: anteriorização da mandíbula
 A: vias aéreas e controle da coluna cervical
 Permeabilidade
 Chin-lift: elevação do mento
 Jaw-thrust: anteriorização da mandíbula
 Movimentos da coluna cervical
 Rx perfil coluna cervical: 15% de lesões
não identificadas
 A: vias aéreas e controle da coluna
cervical
 Armadilhas
 Luz do laringoscópio
 Rompimento do cuff
 Trauma de laringe
 Se existe dúvida em se manter a
integridade das vias aéreas,
realizar a IOT!
Distensão
jugular
 B: Respiração e Ventilação

Posição
da
traquéia
 B: Respiração e Ventilação
 ATENÇÃO
 Pneumotórax hipertensivo
 Tórax instável com contusão pulmonar
 Hemotórax maciço
 Pneumotórax aberto
 Hemo/pneumotórax
 Fratura de arcos costais
 Contusão pulmonar isolada
 Utilização de oximetria de pulso
 B: Respiração e Ventilação
 Armadilhas
 Ventilação x pneumotórax
 Rx tórax na sala de emergência
 C: Circulação e controle de hemorragia

1. Afastado pneumotórax?

2. “INSTABILIDADE É DECORRENTE DE CHOQUE


HIPOVOLÊMICO, ATÉ PROVA EM CONTRÁRIO.”
C: Circulação e controle de
hemorragia

Nível de consciência
Coloração da pele
Frequência/localização do
pulso
Angioembolização
Estabilização pélvica
Cirurgia
Reanimação agressiva de volume não
substitui o controle da hemorragia.”
Armadilhas
Hipoglicemia
 D: Estado neurológico Álcool
Narcóticos
Outras drogas

 Escala de Coma de Glasgow


 Estado pupilar e reações
 Sinais de lateralização
 Nível de lesão de coluna vertebral
 D: Estado neurológico

 Escala de Coma de Glasgow


 E: Exposição e controle do ambiente

 Despir por completo


 Controle de temperatura
 Fluidos aquecidos
 ECG: todos pacientes?
 SNG?
 Aspiração
 Sangramentos
 Lesão placa cribiforme
 SVD?
 Sangue no meato uretral
 Equimose perineal
 Próstata heterolocada ou impalpável
Avaliação inicial

Avaliação secundária
Head-to-toe evaluation

Allergies
Medications currently used
Past illnesses/Pregnancy
Last meal
Events/Environment related to the injury
CESPE-UNB: Um paciente, com vinte e dois anos de idade, vítima de
acidente automobilístico foi atendido pelo SAMU com trauma torácico
fechado. Durante o exame clínico cardiovascular foi constatada
importante hipotensão arterial, além de taquicardia, aumento da pressão
venosa central (turgência jugular), hipofonese de bulhas cardíacas e pulso
paradoxal.

A principal hipótese diagnóstica desse caso em tela é de:

A síndrome de Tietze.
B síndrome da veia cava superior.
C pericardite inflamatória aguda.
D infarto do miocárdio (parede anterior do ventrículo esquerdo).
E tamponamento cardíaco.
UNIFESP: Menino de 14 anos de idade sofre trauma em epigástrio em acidente com
bicicleta.
Chega à sala de emergência queixando-se de dor abdominal, frequência respiratória de
20ipm, pressão arterial de 110 x 65mmHg e frequência cardíaca de 105 bpm, escala de
coma de Glasgow 15, pupilas isocóricas e foto reagentes, discreta equimose em
epigástrio. Realizado Ultrassom na sala de emergência que não evidenciou liquido na
cavidade abdominal. Tomografia revela hematoma intramural em terceira porção
duodenal que se estende até o inicio da quarta porção, sem evidencias de enfisema
retroperitoneal.

Com relação a esta lesão duodenal diagnosticada assinale a alternativa com a conduta
inicial mais adequada.

(A) Jejum oral e observação


(B) Jejum oral, hidratação, sondagem gástrica e observação
(C) Observação e dieta liquida
(D) Laparotomia e gastrojejunostomia
(E) Laparotomia, gastrojejunostomia com exclusão pilórica
UNIFESP: Durante um assalto um jovem de 22 anos de idade sofre um
ferimento por arma branca em região cervical. Na sala de emergência
apresenta confusão mental, agitação, murmúrio vesicular simétrico com
roncos bilateralmente, FR 28ipm e Sat O2 92%, hematêmese e sangramento
ativo pelo ferimento de 4cm localizado no terço médio do músculo
esternocleidomastoideo esquerdo. Pressão arterial 70 x 40mmHg e FC 148
bpm. Escolha dentre as alternativas abaixo quais medidas devem ser tomadas
no atendimento inicial:

(A) reposição volêmica com cristaloide e reavaliação


(B) traqueostomia de urgência, reposição volêmica com cristaloide,
compressão e tomografia cervical
(C) intubação naso-traqueal, compressão e tomografia
(D) reposição volêmica com cristaloide e sangue, solicitar endoscopia
digestiva alta, esofagograma e broncoscopia
(E) Intubação traqueal, reposição volêmica com sangue e cristaloide,
compressão local e exploração em centro cirúrgico