Você está na página 1de 39

___________________________________________________Profª.

Rosângela Adell________________________1

O QUE É UMA MONOGRAFIA (TCC)?

DEFINIÇÕES DOS TERMOS METODOLÓGICOS

Conforme Associação Brasileira de Normas Técnicas (2005a, p. 2-3) para efeito deste guia,
seguem as seguintes definições:

a) TCC – é um estudo sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo
e que obedece a rigorosa metodologia. Investiga determinado assunto não só em profundidade, mas em
todos os seus ângulos e aspectos, dependendo dos fins a que se destina (MARCONI; LAKATOS, 2003).
Deve ser feito sob a coordenação de um orientador.
O trabalho de conclusão de curso (TCC, eventualmente chamado trabalho de graduação
interdisciplinar (TGI) ou trabalho final de graduação e mais raramente projeto experimental) é um tipo de
trabalho acadêmico amplamente utilizado no ensino superior como forma efetuar uma avaliação final
dos graduandos que contemple a diversidade dos aspectos de sua formação universitária, no Brasil.
O escopo e o formato do TCC (assim como sua própria nomenclatura) variam entre os diversos
cursos e entre diferentes instituições, mas na estrutura curricular brasileira ele possui papel de destaque:
em cursos ligados às ciências, normalmente é um trabalho que envolve pesquisa experimental, em cursos
de caráter profissional, normalmente envolve: pesquisa bibliográfica e/ou empírica, a execução em si e
uma apresentação de um projeto perante uma banca examinadora entre 3 e 5 professores (não
necessariamente com Mestrado e/ou Doutorado). Deve conter um mínimo de 40 páginas ou laudas.
A Banca Examinadora formada para tal propósito não cria nenhuma expectativa de originalidade.
Portanto, pode ser uma compilação (e não cópia) de outros ensaios com uma finalidade, um fio condutor,
algo que forneça um roteiro, uma continuidade.
Professores orientadores recomendam que o tema escolhido seja um assunto o qual o aluno possua
afinidade. Ele vai passar talvez um ano ou mais escrevendo sobre um determinado assunto. Caso
contrário, será muito mais difícil para o aluno conviver com ele todo esse tempo.
O tema deve ser procurado através de perguntas. Uma grande dúvida deve ser o início de um
trabalho acadêmico. Algo que não foi respondido ainda. Alguma área do curso escolhido que ainda tenha
algo escondido dos cientistas.

b) A Monografia implica muito mais uma atividade de extração do que de produção de


conhecimento. Extração não significa mera compilação ou transcrição de texto, sem análise, sem crítica,
sem reflexão. A proposta acadêmica da dissertação monográfica nos cursos de graduação tem por
objetivo treinar o estudante nas atividades de leitura-estudo, análise de texto, crítica e discussão de ideias
e nas habilidades de síntese e comunicação. Serve assim para corrigir o hábito que o ensino fundamental e
médio, infelizmente, tem desenvolvido nos alunos: o da pesquisa, em sua pior deformação conceitual,
identificada como atividade de transcrição cega de textos superficialmente consultados e que resulta num
trabalho cuja apresentação material e quantidade de páginas predominam como critérios de elaboração
(SALOMON, 1993). O tamanho ou volume da Monografia deve ser de no mínimo 40 laudas (páginas)
contadas a partir da Folha de Rosto até a última (lauda) página, ou seja, contando todos os elementos pré-
textuais (exceto capa), textuais e pós-textuais, mesmo que contenham elementos (partes) chamados de
opcionais. Deve está sob a assistência de um orientador acadêmico e é defendida perante uma banca com
três professores podendo os mesmos ser apenas graduados, a exigência do título de mestre e doutor é
opcional nesta banca.
Os verbos devem ser utilizados na terceira pessoa do singular, evitando usar a terceira pessoa do
plural e nunca a primeira pessoa. Ex. Eu faço (nunca utilizar no trabalho); Tu fazes (nunca utilizar no
trabalho); Ele faz, canta, explora, etc (sempre utilizar). É sempre a pesquisa ou a monografia que pensa e
não EU.
c) Dissertação é um tipo de trabalho científico apresentado ao final do curso de pós-graduação
stricto sensu, visando obter o título de mestre. Requer defesa do trabalho. Tem caráter didático, pois se
constitui em um treinamento ou iniciativa à investigação. Como estudo teórico, de natureza reflexiva,
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________2

requer sistematização, ordenação e interpretação dos dados. Por ser um estudo formal, exige metodologia
própria do trabalho científico. Situa-se entre a monografia e a tese porque aborda temas em maior
extensão e profundidade do que aquela e é fruto de reflexão e de rigor científico, próprio desta última
(MARCONI; LAKATOS, 2003).
Nesse caso, é produção de aproximadamente 100 páginas, podendo variar um pouco o número. É
o trabalho final dos cursos de mestrado, elaborado depois de cursados os respectivos créditos e feita a
pesquisa correspondente; é desenvolvida sob assistência de um orientador acadêmico. É defendida
publicamente perante bancas de três ou mais doutores.

d) Tese - A tese apresenta o mais alto nível de pesquisa e requer não só exposição e explicação do
material coletado, mas também e, principalmente, análise e interpretação dos dados. É um tipo de trabalho
científico que levanta, coloca e soluciona problemas; argumenta e apresenta razões, baseadas na evidência
dos fatos, com o objetivo de provar se as hipótese levantadas são falsas ou verdadeiras. A tese pode ser
considerada como um teste de conhecimento para o candidato, que deve demonstrar capacidade de
imaginação, de criatividade e habilidade não só para relatar o trabalho, mas também para apresentar
soluções para determinado problema (MARCONI; LAKATOS, 2003). É um texto que se caracteriza pela
defesa de uma idéia, de um ponto de vista. Ou então pelo questionamento acerca de um determinado
assunto. O autor do texto dissertativo trabalha com argumentos, com fatos, com dados, que utiliza para
reforçar ou justificar o desenvolvimento de suas idéias.
A tese é documento essencial para a obtenção do grau de doutor, livre-docente ou professor
titular. Deve revelar a capacidade de seu autor em incrementar a área de estudo que foi alvo de suas
investigações, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. Seus itens basilares
são: revisão de literatura, metodologia utilizada, rigor na argumentação e apresentação de provas,
profundidade de idéias e avanço dos estudos na área. Um fator que caracteriza a tese é a originalidade. É
elaborada sob a coordenação de um orientador quando se trata de uma tese de doutoramento. Em geral, a
tese é produção de cerca de 200 páginas, podendo variar bastante esse número. É o trabalho final dos
cursos de doutorado e pós-doutorado, elaborado depois de cursados os respectivos créditos e feita a
pesquisa correspondente; nesses casos é desenvolvida sob assistência de um orientador acadêmico. É
trabalho autônomo de pesquisador sênior, quando se trata de livre-docência ou acesso à titularidade. É
defendida publicamente perante bancas de cinco ou mais doutores. A banca examinadora é composta por
5 doutores.

e) Projeto de pesquisa é o documento que possui as ideias principais de uma pesquisa que será
realizada, cada um de seus itens deve aparecer em sequência e sem mudança de folha a cada novo item. O
projeto de pesquisa é essencial para se obter bolsas de estudo, patrocínio a pesquisas, para o ingresso em
cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado ou doutorado) ou para informar o orientador do
“Trabalho de Conclusão de Curso” a respeito do que se pretende pesquisar, seja para monografia,
dissertação ou tese.

f) Lato sensu é uma expressão em latim que significa literalmente em sentido amplo. Designação
genérica que se dá aos cursos de pós-graduação que não são avaliados pelo MEC e pela CAPES
(Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Podem ser de especialização (mais de
360 horas/aulas) ou de aperfeiçoamento (menos de 360 horas/aula). Em geral, tem processo de seleção
mais flexível do que o de um mestrado e são voltados para o mercado de trabalho. Não há avaliação do
MEC desses cursos, mas, para serem oferecidos, a instituição precisa ser credenciada pelo ministério. Não
dão diplomas. Só certificados. Embora não forneçam um título de mestre ou de doutor, os cursos lato
sensu oferecidos por escolas de renome são valorizados no mercado de trabalho. Assim, pessoas com
atuação nas mais diversas áreas optam por um curso lato sensu, não só pela facilidade de cursá-lo,
enquanto prosseguem em sua atividade profissional, mas também porque, em geral, tais cursos tendem a
ser mais focados na aplicabilidade prática dos conceitos, melhorando assim sua atuação.

g) Stricto sensu é uma expressão em latim que significa literalmente em sentido estrito. Também
se refere ao nível de pós-graduação que titula o estudante como mestre e doutor em determinado campo
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________3

do conhecimento. Denota, neste último caso, um tema mais específico do que o lato sensu. Os cursos
“stricto sensu” objetivam a produção de dissertações e teses que formulem e comprovem teorias novas
para o entendimento de fatos e de suas relações. Os cursos “lato sensu” aplicam teorias existentes em
problemas novos. Curso reconhecido pelo MEC e classificado pela CAPES, podendo ser em nível de
Mestrado (duração média de 3 anos) ou Doutorado (duração média entre 3 e 5 anos), sempre com foco
acadêmico e ênfase nas atividades de ensino e pesquisa.

Título e partes do texto

A forma da subdivisão dos elementos textuais de um texto científico é tema de bastante


controvérsia. Assim, não é muito simples padronizar tais subdivisões, sobretudo considerando-se a
natureza eclética das diferentes áreas do conhecimento, incluindo as ciências humanas, exatas e
biológicas. O que se propõe neste texto é apenas uma padronização geral, cabendo a cada área estabelecer
critérios adicionais que contemplem as suas características e peculiaridades.
De acordo com a NBR 10719 da ABNT, o texto deve ser dividido em três seções básicas:
introdução, desenvolvimento e conclusões e/ou recomendações. Todavia, conforme mencionado
anteriormente, cada uma destas partes podem ser subdivididas de acordo com a natureza do trabalho.
O TÍTULO de um trabalho não é seu resumo. Assim, devem ser evitados títulos longos, os quais
devem ser objetivos e conter apenas as palavras essenciais, sem prejuízo da clareza e entendimento da
natureza do trabalho.

A INTRODUÇÃO deve ambientar o leitor ao contexto do trabalho. Deve conter, por exemplos,
fatos históricos importantes e trabalhos clássicos. A introdução deve fornecer as motivações contextuais
que levaram o autor a conduzir o trabalho. A caracterização do problema, as justificativas e as hipóteses
podem ser incluídas na introdução, ou destacadas à parte, quando for o caso. Autores podem ser citados,
mas não se trata de uma revisão, ou seja, apenas trabalhos de significativa relevância para a
caracterização do contexto devem ser citados. Usualmente, uma introdução não deve ter mais de 3 ou 4
páginas. Ao final da introdução deve ser apresentado o objetivo do trabalho, de maneira clara e direta. É
importante que o objetivo apresentado tenha uma relação direta com o texto exposto na introdução.

O DESENVOLVIMENTO varia muito conforme o tipo do trabalho. Em pesquisas experimentais


é comum subdividir essa parte em revisão da literatura, metodologia, resultados e discussão. Entretanto,
em pesquisas qualitativas, muitas vezes essa estrutura não se adéqua. De qualquer maneira, em qualquer
tipo de pesquisa, é importante apresentar os trabalhos realizados por outros pesquisadores. A redação
desta revisão da literatura normalmente é tema de grande dificuldade, sobretudo pelos que se iniciam no
universo da ciência. Face a essa dificuldade, muitos optam por apenas resumir os trabalhos lidos em um
ou dois parágrafos e apresentá-los em ordem cronológica. Deve-se evitar esse tipo de redação, pois além
de penoso e entediante, o texto escrito desta forma não apresenta de maneira eficiente o que já existe
publicado sobre o tema. O texto deve apresentar as diferentes correntes de pesquisadores que estudaram a
questão. O texto deve ser fluido e seus parágrafos devem possuir uma articulação entre si, isto é, os
parágrafos não devem ser simples menção de resultados de pesquisas, mas um parágrafo deve conter
ideias que evoluíram do parágrafo anterior e que preparam para o parágrafo seguinte. Apesar de ser mais
comum a apresentação dos trabalhos em ordem cronológica, esta não é uma regra, isto é, os trabalhos
mais antigos podem ser apresentados posteriormente, desde que a clareza e a lógica do texto justifiquem.
Para facilitar a redação, uma opção bastante usual é dividir a revisão da literatura em subcapítulos,
conforme os assuntos. É fundamental que a revisão da literatura possua consistência com o objetivo
proposto, isto é, os trabalhos apresentados devem ter relação direta com o tema do trabalho.
Quando pertinente, deve ser destacada em uma subdivisão a metodologia empregada, com rigor
de detalhes, de forma a permitir sua total repetição por outros autores. Deve-se evitar, assim, textos como
“a dosagem de hemoglobina foi feita segundo a técnica descrita por Coles em 1983”. O autor pode (e
deve) ser mencionado, mas isso não elimina que a técnica seja descrita detalhadamente. Para maior
clareza, o material e métodos poderá ser subdivido de acordo com as particularidades de cada área. Em
pesquisas qualitativas, a completa descrição das fontes documentais é imprescindível.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________4

Em pesquisas experimentais, convém destacar os resultados em um texto essencialmente


descritivo, isto é, ele deve apresentar de maneira objetiva os resultados encontrados. Não deve ser feito
nenhum comentário sobre os resultados encontrados. Reserve-os para a discussão. Os resultados devem
ser expostos na forma de texto e/ou tabelas. Deve-se evitar, todavia, apresentar os resultados apenas em
tabelas. Podem ser usados gráficos para ilustrar os resultados, mas eles não dispensam sua apresentação
na forma de texto e/ou tabelas. Deve-se checar para que todos os resultados tenham sido obtidos de
metodologias que tenham sido descritas, bem como verificar se todas as metodologias descritas possuem
resultados apresentados. Na discussão, deve-se ter em mente que não se trata apenas de uma discussão
dos resultados e sim uma discussão do trabalho como um todo. Assim, sempre que pertinente todas suas
etapas devem ser discutidas, isto é, o objetivo, a literatura, a metodologia e os resultados. Desta forma,
cabe sempre inicialmente uma discussão sobre a pertinência do trabalho em questão, isto é, deve-se
discutir se são pertinentes as motivações que levaram o autor a conduzir o trabalho. Em seguida, deve
discutir o porquê da metodologia empregada e se havia ou não alternativas. Os resultados devem ser
discutidos em duas etapas: em primeiro lugar deve-se dar uma explicação do autor para os resultados
encontrados e, em seguida, deve-se comparar os resultados encontrados com os disponíveis na literatura
com os respectivos comentários pertinentes. Por fim, faz-se um balanço geral do trabalho com eventuais
proposições de novos trabalhos para as novas questões que se apresentarem face aos resultados
encontrados. Para cada questão respondida por um trabalho devem surgir várias outras novas. É
importante que sejam discutidos apenas aspectos apresentados nos capítulos anteriores, isto é, não devem
ser apresentados fatos ou resultados novos nem tampouco devem ser citados autores que não tenham sido
previamente mencionados.
As CONCLUSÕES E/OU CONSIDERAÇÕES FINAIS devem apresentar, de maneira objetiva,
o desfecho do trabalho a partir dos resultados. É sempre importante apresentá-las de maneira relativa e
não absoluta. Por exemplo, deve-se evitar a redação do tipo “não houve influência do rádio na aculturação
dos povos indígenas...” e dar preferência a textos como “não foi possível demonstrar a influência do rádio
na aculturação dos povos indígenas...”. Devem-se colocar lado a lado os objetivos e as conclusões, isto é,
deve-se assegurar que não tenham sido citadas conclusões que não foram objetivo do trabalho.
Eventualmente e quando for o caso, pode-se escrever algo como “apesar de não ter sido objetivo deste
trabalho, os resultados demonstraram que...”.

NORMAS PARA REDAÇÃO DO TEXTO

Um dos aspectos mais importantes a serem considerados é a clareza e objetividade do texto.


Assim, não se deve tentar mostrar erudição ao redigir textos com a ordem das frases invertidas, ou com o
excessivo emprego de termos arcaicos e pedantes. A leitura do texto deve fluir agradavelmente, sem ser
enfadonho ao leitor. O autor deve ser claro, direto, conciso e objetivo. É óbvio que essa simplicidade não
deve comprometer a qualidade do texto, nem tampouco justifica o emprego de termos chulos, coloquiais
ou mesmo gramaticalmente pobres. Deve ser evitada a excessiva fragmentação do texto em parágrafos.
Deve-se ter em mente que um parágrafo nunca deve conter apenas uma frase. As frases, por sua vez, não
devem ser muito longas, sendo recomendável que ocupem não mais do que cinco linhas.
Cabe ao leitor a decisão sobre o impacto dos resultados do trabalho redigido. Deve-se evitar o uso
de termos muito enfáticos, como “sensacional” ou “espetacular”, ou superlativos, como “preciosíssimo”
ou “importantíssimo”. Da mesma forma, o uso de letras maiúsculas deve se restringir a nomes próprios.
Não se deve empregar maiúsculas com a finalidade de se destacar determinadas palavras. Se os resultados
do trabalho não forem realmente bons, não será uma redação tendenciosa que os tornará mais valiosos.
O texto deve sempre ser escrito na terceira pessoa do singular. Por mais pessoais que tenham sido
os resultados obtidos, não devem ser empregadas construções como “procuramos demonstrar que...” ou
“meus resultados anteriores sugerem que...”. Deve-se evitar também os:
a) Modismos - Devem ser evitados os modismos, que são expressões inexistentes no português,
ou mesmo existentes, mas usadas em sentido diferente ao original. São exemplos dos modismos: abrir as
comportas, administrar a vantagem, a nível de, chocante, conquistar o espaço, correr atrás do prejuízo,
deitar e rolar, em grande estilo, em termos de, em última análise, entrar em rota de colisão, extrapolar,
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________5

imperdível, junto a, pano de fundo, praticar preços ou juros, receber sinal verde, sentir firmeza e trocar
farpas.
b) Neologismos - Deve-se ter cautela com os neologismos, sobretudo quando já existe uma
palavra em português para a expressar um termo de outro idioma, por exemplo, deve-se evitar o texto foi
deletado quando é possível escrever o texto foi apagado. Quando houver a necessidade de empregar
termos em línguas estrangeiras, eles devem ser escritos em itálico. Por exemplo, “os indivíduos foram
submetidos a stress intenso...”, “os animais receberam água ad libitum...”, “ele foi considerado persona
non grata...”, etc.
c) Nomes comerciais - Nomes comerciais ou marcas não devem ser mencionadas no texto. Nele
deve ser citado apenas o nome técnico correspondente e a marca comercial deve ser citada em chamada
de rodapé. Por exemplo, não mencione “Fanta Uva”, use “refrigerante a base de uva”; use “dipirona” no
lugar de “Novalgina”, use “fotocópia” no lugar de “xerox”, use “lâmina de barbear” ao invés de “gillete”,
etc.
d) Siglas - As siglas empregadas deverão constar de um lista no pré-texto. Na primeira menção à
sigla, deve ser escrito o nome por extenso e nas vezes seguintes, apenas a sigla: As publicações do
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) reúnem todas estas informações. [...] O IBGE
divulga tais informações de várias formas...

Dicas de português

Acerca de. O mesmo que sobre, a respeito de (Poucos trabalhos foram encontrados acerca deste
assunto...). Note que se escreve junto. Quando escrito separadamente (a cerca de), equivale a
aproximadamente (As máquinas foram posicionadas a cerca de 50 cm da parede...).
Anexado, anexo. Use anexado para expressar ação: Os resultados foram anexados para melhor
compreensão.... Use anexo como adjetivo: Os resultados anexos mostram que....
A nível de. Modismo gramaticalmente incorreto. Nunca o use. Prefira em âmbito de ou no plano
de. O ideal, porém, é simplesmente suprimir e preferir, por exemplo, a pesquisa foi feita no campo... ao
invés de a pesquisa foi feita a nível de campo... ou a abordagem foi experimental... ao invés de a
abordagem foi a nível de experimento....
Em termos de. Modismo gramaticalmente incorreto. Não use.
Este, esse, aquele ou isto, isso, aquilo. Usa-se este ou isto para designar pessoa ou coisa próxima
a quem fala: Esta casa é minha. / Isto me pertence. Usa-se esse ou isso para designar pessoa ou coisa
afastada de quem fala e próxima a um interlocutor: Entregue-me essa arma. / Esse ano foi muito bom.
Usa-se aquele ou aquilo para designar pessoa ou coisa afastada de quem fala e de quem ouve: Você viu
aquilo? / Ninguém conhecia aquela técnica.
Etc. De acordo com o Acordo Ortográfico em vigor, apesar da expressão original (et cetera) conter
um “e”, etc. deve sempre ser precedido de vírgula: Havia cães, gatos, vacas, etc.
Nenhum, nem um. Nenhum é antônimo de algum: Não havia nenhuma referência sobre esta
técnica (Havia alguma referência...). Nem um deve ser empregado no sentido de nem um só, nem um
único ou nem um sequer: Estava tão cansado que não quis tomar nem um copo d'água (sequer).
Por que, por quê, porque, porquê. Usa-se por que basicamente nas perguntas: Por que a
máquina não funcionou? Também é usado para expressar motivo ou razão: Não se sabe por que (motivo)
a máquina não funcionou. Usa-se por quê nos mesmos casos anteriores, mas o termo fica no fim da
frase: A máquina não funcionou e não se sabe por quê. Usa-se porque quando equivale a pois: A
máquina não funcionou porque (pois) não estava bem regulada. Usa-se porquê como substantivo: Não
se sabe o porquê da máquina não ter funcionado.
Ratificar, retificar. Ratificar significa confirmar: Os resultados ratificaram a hipótese inicial.
Retificar significa corrigir: A técnica foi retificada de acordo com os autores internacionais.
Seção, secção, sessão, cessão. Seção significa divisão: Os indivíduos foram agrupados em duas
seções. Secção deve ser empregado no contexto de cortar: A secção dos membros foi feita com serras
elétricas. Sessão refere-se a uma reunião ou espetáculo: A sessão do Congresso começou tardiamente.
Cessão é o ato de ceder: Houve a cessão de glebas a todos agricultores.
Sendo que. Recurso gramatical pobre e indesejado. Não use.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________6

Zero. Torna invariável a palavra que o segue: A temperatura chegou a zero grau (e não “zero
graus”). / O experimento começou à zero hora (e não “zero horas”). No caso de valor decimal, assume-
se o plural: A temperatura chegou a 1,5 graus.
Lembre-se de consultar as novas regras ortográficas para se adaptar a elas.

APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS - NBR 14724:2005

A estrutura dos trabalhos acadêmicos obedece à uma ordem lógica de apresentação, que se divide em:
a) Elementos Pré-textuais - são os que antecedem o texto com informações que identificam o
trabalho.
CAPA (obrigatório)
LOMBADA (se necessário)
FOLHA DE ROSTO (obrigatório)
FICHA CATALOGRÁFICA (verso da folha de rosto)
ERRATA (se necessário)
FOLHA DE APROVAÇÃO (obrigatório)
DEDICATÓRIA (opcional)
AGRADECIMENTOS (opcional)
EPÍGRAFE (opcional)
RESUMO NA LÍNGUA PORTUGUESA (obrigatório)
RESUMO NA LÍNGUA ESTRANGEIRA
LISTA DE ILUSTRAÇÕES (opcional)
LISTA DE TABELAS (opcional)
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS (opcional)
LISTA DE SÍMBOLOS (opcional)
SUMÁRIO (obrigatório)

b) Elementos Textuais - Um trabalho acadêmico apresenta três partes fundamentais:


INTRODUÇÃO (obrigatório)
DESENVOLVIMENTO (obrigatório)
CONCLUSÃO (obrigatório)

c) Elementos Pós-textuais - Os elementos pós-textuais são:


REFERÊNCIAS (obrigatório)
GLOSSÁRIO (opcional)
APÊNDICE (S) (opcional)
ANEXO (S) (opcional)
ÍNDICES (S) (opcional)

A ESTRUTURA DA MONOGRAFIA (TCC)


___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________7

A estrutura de uma monografia (TCC) compreende as seguintes partes: 1º. Elementos pré-textuais;
2°. elementos textuais; 3°. elementos pós-textuais.

1º. ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

São os que antecedem o texto com informações que identificam o trabalho. Normalmente não são
paginados, mas contam como laudas no sumário, sempre a partir da folha de rosto, pois a capa nunca
conta como parte do trabalho. É como se a capa fosse o Nº zero e a folha de rosto a nº 1(1ª página real do
trabalho). São considerados elementos pré-textuais de trabalhos acadêmicos, nesta ordem:
Capa (obrigatório); Lombada (se necessário); Contracapa ou Folha de Rosto (obrigatório); Ficha
catalográfica (verso da folha de rosto - só em Dissertação/Tese); Errata (se necessário); Folha de
Aprovação (obrigatória – mas depende da Instituição); Dedicatória (opcional); Agradecimentos
(opcional); Epígrafe (opcional); Resumo em Língua Portuguesa (obrigatório); Resumo em Língua
Estrangeira (só em Dissertação/Tese); Lista de Ilustrações (opcional); Lista de tabelas (opcional); Lista
de abreviaturas e siglas (opcional); Lista de Símbolos (opcional); Sumário (obrigatório).

MODELO DE CAPA – É OBRIGATÓRIO - Margens - Superior e esq.: 3 cm; Inferior e direita: 2 cm

TCC OU MONOGRAFIA DISSERTAÇÃO OU TESES


3

FACULDADE DE BELEZA AMERICANA FACULDADE DE BELEZA AMERICANA

DO NORDESTE – FABEAN DO NORDESTE – FABEAN

CURSO DE BACHAREL EM TEOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM


PSICOPEDAGOGIA
3
NÍVEL MESTRADO (OU DOUTORADO)
NOME DO ALUNO

2 NOME DO ALUNO

TÍTULO:

SUBTÍTULO (SE HOUVER)


TÍTULO:

SUBTÍTULO (SE HOUVER)


LOCAL (CIDADE)

Ano
LOCAL (CIDADE)
2
Ano

A capa é a proteção física externa do trabalho. Sugere-se que as informações sejam dispostas
centralizadas, letras maiúsculas, sem emprego do ponto final, com espaçamento 1,5, Times Roman ou
Arial, Fonte 14 ou 16 (exceto o local e o ano – fonte 12 e espaçamento simples). Deve conter dados que
permitam a correta identificação do trabalho, na seguinte ordem:
- Instituição (Nome da Universidade, Área e Curso); Nome do autor; Título do trabalho – subtítulo, se
houver; Número de volumes (se houver mais de um, deve constar na capa a identificação do respectivo
volume); Local (cidade); Data (ano de depósito/ou da entrega).

OBSERVAÇÃO: A Associação Brasileira de Normas Técnicas não determina a disposição destes dados
na folha. Esta distribuição deve ser definida pelo professor ou pela Instituição, para uniformização dos
trabalhos acadêmicos. Sugere-se que o título deva ficar no meio da folha.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________8

MODELO DE LOMBADA PARA TCC

LOMBADA CAPA

NOME DO FACULDADE DE BELEZA AMERICANA


AUTOR
DO NORDESTE – FABEAN

AUTO RIA

TÍT UL O

DO T ÍT UL O DO T RAB AL H O (li n h a 16)


T RAB ALH O

LOCAL

Ano

Lombada ou dorso é a parte da capa que reúne as folhas do trabalho (coladas, costuradas ou mantidas juntas,
de outra maneira).
As informações devem ser impressas, conforme a NBR 12225:2004. O nome do autor deve ser impresso
longitudinalmente, do alto para o pé da lombada; o título do trabalho deve ser impresso da mesma forma que
a do nome do autor (elemento opcional).
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________9

MODELO DE FOLHA DE ROSTO – É OBRIGATÓRIO

Margens - Superior e esquerda: 3 cm; Inferior e direita: 2 cm

TCC OU MONOGRAFIA DISSERTAÇÃO OU TESE

NOME DO ALUNO (fonte 12 ou 14) NOME DO ALUNO

TÍTULO:

TÍTULO: (fonte 12 ou 14) Subtítulo (se houver)

Subtítulo (se houver)

Dissertação ou Tese apresentada como


requisito parcial para a obtenção título
(recuo de 8 cm da margem) Trabalho de de Mestre ou Doutor, pelo Programa de
Conclusão de Curso (ou Monografia) Pós-Graduação em XXXXX da
apresentado como requisito parcial para Faculdade de Beleza Americana do
a obtenção do título de XXX em Nordeste.
XXXX, pelo Curso de XXX da
Faculdade de Beleza Americana do
Nordeste (fonte 12)
Orientador:

Orientador: (fonte 12) Co-Orientador:

LOCAL (CIDADE)

LOCAL (CIDADE) (fonte 12) Ano

Ano

Anversoda folha de rosto - A folha de rosto deve conter os mesmos elementos da capa, sendo em fonte
12 ou 14 (nome e título) e 12 para as demais informações; ou pode ser tudo em fonte 12. Deve ter recuo
de 8 cm da margem esquerda em letra Arial ou Times, acrescidos de informações complementares,
necessárias à perfeita identificação do trabalho:
- Nome do autor;
- Título do trabalho – subtítulo, se houver;
- Número de volumes (se houver mais de um, deve constar na capa a identificação do respectivo volume);
- Natureza (tese, dissertação, trabalho de conclusão de curso) e objetivo (aprovação em disciplina, grau
pretendido e outros); nome da instituição a que é submetido;
- Nome do orientador, precedido da palavra “Orientador”;
- Co-orientador (se houver): precedido da palavra “Co-orientador”;
- Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado;
- Data (ano de depósito/ou da entrega).
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________10

VERSO DA FOLHA DE ROSTO

FICHA CATALOGRÁFICA - A Catalogação Internacional na Publicação - CIP (Ficha Catalográfica) deve


ser incluída no verso da folha de rosto. É obrigatória somente para dissertações e teses. A ficha catalográfica deve ser
elaborada por um bibliotecário, com registro no Conselho Regional de Biblioteconomia. Constitui-se de um conjunto de
informações bibliográficas, descritas de forma ordenada, seguindo o Código de Catalogação Anglo-Americano vigente.

Ficha Catalográfica

(Catalogação na Publicação: Bibliotecário Responsável - Número do Registro no CRB-10)

Cutter Sobrenome, nome


Título: subtítulo / por nome e sobrenome -- data.
000 f. (número de folhas do trabalho). : il. ; 30cm.
Dissertação (mestrado) ou Tese (doutorado) --
Faculdade de Beleza Americana do Nordeste, Programa de
Pós-Graduação em XX, data.

“Orientação: Prof. Dr. XXX, Nome da Unidade


Acadêmica”.
1. Assunto. 2. Assunto. I. Título.

Classificação conforme CDU

MODELO DE ERRATA - Apresenta-se, geralmente, em folha avulsa ou encartada, sendo anexada à obra,
depois de impressa. Consiste em uma lista de erros tipográficos ou de outra natureza, com as devidas correções e
indicações das folhas e linhas em que aparecem. Deve ser inserida logo após a folha de rosto.

REIS, Maria Souza. Procedimentos Cirúrgicos em Enfermagem do


Trabalho. 1988. 62 f. Monografia (Bacharelado em Enfermagem)
- Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ, 1988.

ERRATA

Folha Linha Onde se lê Leia-se

24 5 estatidica estatística
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________11

É OBRIGATÓRIO EM MONOGRAFIA (MAS DEPENDE DA ISNTITUIÇÃO).

FOLHA DE APROVAÇÃO Margens - Superior e esquerda: 3 cm; Inferior e direita: 2 cm

Maria José Reis

(centralizado) HISTÓRIA DE JESUS:


Do Nascimento até a Morte

(Recuo 8 cm) Monografia apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de
Bacharel em Teologia, pelo Seminário Caxiense do Norte - SECAN

Aprovada em _______/_______/________

BANCA EXAMINADORA

_________________________________________________________________________

Componente da Banca Examinadora- Instituição a que pertence

_________________________________________________________________________

Prof. João da Silva (Teólogo e Pedagogo) - SECAN

_________________________________________________________________________

Prof. Samuel de Freitas (Teólogo, Pedagogo e Psicólogo) - SECAN

Deve conter o nome do autor, do título e do subtítulo por extenso, natureza, objetivo, nome da instituição
a que é submetida, área de concentração, data de aprovação, nome e titulação dos membros componentes
da banca examinadora e suas assinaturas.

É um elemento obrigatório somente para Dissertações e Teses, mas há Instituições que pedem para ser
colocada na Monografia ou no TCC, nestes casos há a necessidade de apenas três professores que não
necessariamente precisam ter o título de mestre ou doutor.

Para Teses, a banca examinadora é composta por cinco membros; nesse caso, deve-se incluir mais duas
linhas na folha de aprovação. Deve ter recuo da margem esquerda de 8 cm para a natureza do trabalho e o
restante deve ser centralizado.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________12

É OPCIONAL
DEDICATÓRIA AGRADECIMENTOS

Existem situações na vida em que


é fundamental poder contar com o
apoio e a ajuda de algumas
pessoas.

Para a realização deste trabalho de


conclusão, pude contar com
várias. E a essas pessoas prestarei,
através de poucas palavras, os
mais sinceros agradecimentos:

Ao professor XXX, orientador


deste trabalho, pelas inesquecíveis
lições e por sua dedicação;
Dedico este trabalho ao meu
Senhor Jesus por sua graça, a A minha esposa e família, pela
minha esposa, aos meus compreensão nos momentos
familiares e a todos os cristãos difíceis, pelo amor a mim
que fizeram do Cristianismo uma dedicado e pelo companheirismo.
História para a Igreja.

Dedicatória
Elemento opcional, é uma homenagem que o autor presta às pessoas (uma ou mais) que colaboraram
com a pesquisa. Não se escreve a palavra Dedicatória no trabalho.

Agradecimentos
Os agradecimentos devem ser dirigidos a quem realmente contribuiu, de maneira relevante, à elaboração
do trabalho (empresas ou organizações que fizeram parte da pesquisa) ou pessoas (profissionais,
pesquisadores, orientador, bibliotecário, bolsistas e outros) que colaboraram efetivamente para sua
construção. Não se escreve a palavra Agradecimentos no trabalho.
Colocam-se os agradecimentos em ordem hierárquica de importância (elemento opcional). Não são
páginas numeradas, apesar de algumas Instituições solicitarem a paginação no rodapé centralizado em
algarismo romano minúsculo (v; vi...).
Segundo a NBR 14724 as Dedicatória e Agradecimentos são Opcionais. Os agradecimentos são dirigidos
apenas àqueles que contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho.
OBS.: Recomenda-se, dependendo da Instituição, utilizar a mesma fonte do corpo do trabalho, tamanho
12, podendo esta ser em itálico, alinhado a 6 cm da margem esquerda, espaçamento simples, digitado
acima da margem inferior, sem aspas. Outras Instituições preferem que a palavra AGRADECIMENTOS
apareça centralizada, em negrito, fonte 12 ou 14 e o texto disposto com recuo de parágrafo de 1,25 cm ou
mais, com fonte 12 e justificado, espaçamento 1,5.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________13

EPÍGRAFE (opcional) RESUMO (obrigatório)

RESUMO (fonte 12 ou 14)

O objetivo deste trabalho é analisar o surgimento do


Cristianismo e a História da Igreja durante o período helenístico
e Idade Média, dando prioridade do século V a.C. até 1517 d.C..
A Igreja primitiva foi primeiramente judia e existiu dentro do
judaísmo. Do ano 30 d.C. a aproximadamente 44 d.C., a Igreja
em Jerusalém manteve uma posição de liderança na comunidade
cristã primitiva. Houve um período de perseguições, primeiro
pelo Sinédrio, depois pelo Imperador. Passado os séculos
iniciais da era cristã, quando a Igreja pouco se desenvolveu e
foi muito perseguida, até ser reconhecida como religião oficial
do Império Romano. Por esta época, os reformadores de Cluny
intentaram corrigir os males dentro da própria Igreja Romana.
A recusa da parte da Igreja Romana em aceitar a reforma interna
tornou possível a Reforma.

"Ninguém abre um livro sem que aprenda alguma coisa".


Palavras-chave: História; Igreja; Cristianismo; Judaísmo;
Helenismo; Império romano.
(Anônimo)

Epígrafe - Deve ser colocada após o agradecimento. É a citação de um pensamento que, de certa forma, embasou ou
inspirou o trabalho. Deve ficar a margem diretita. Pode ocorrer, também, no início de cada capítulo ou partes principais. É
transcrita sem aspas e está deve seguir as mesmas normas da dedicatória e do agradecimento, podendo o texto ser alinhado a
direita. Não se escreve a palavra Epígrafe no trabalho.

Resumo em Português - Elemento obrigatório, para o qual a NBR 6028:2003 estabelece as seguintes definições: resumo:
indica os pontos relevantes do documento; resumo crítico: é redigido por especialistas; trata-se da análise crítica de um
documento. Também chamado de resenha, não está sujeito a limite de palavras; resumo indicativo: mostra somente os pontos
principais do documento, não apresenta dados qualitativos e quantitativos e não dispensa a consulta ao original; resumo
informativo: informa ao leitor: finalidades, metodologia, resultados e conclusões do documento e dispensa consulta ao
original; palavra-chave: palavra que representa o assunto do documento.

O resumo deve apresentar o objetivo, o método, os resultados e as conclusões do trabalho. Deve ser composto por frases
concisas, afirmativas. Recomenda-se o uso de parágrafo único. Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do
singular.

As palavras-chave devem figurar logo abaixo do resumo, antecedidas da expressão: Palavras-chave, separadas entre si por
ponto e finalizadas também por ponto (mínimo de 3 e máximo de 6). Não tem recuo de parágrafo. São aproximadamente 20
linhas.

O resumo deve conter: 150 a 500 palavras para os trabalhos acadêmicos (teses, dissertações, trabalhos de conclusão e
relatórios técnico-científicos); 100 a 250 palavras para os artigos de periódicos. A norma não especifica o espaçamento entre
linhas; sugere-se o espaçamento simples entre linhas, fonte 12, Times ou Arial, não escrever nada em itálico.

Resumo em Língua Estrangeira - Elemento obrigatório somente para dissertações e teses, digitado em folha separada (em
inglês, Abstract; em espanhol, Resumen; em francês, Résumé), seguido das palavras-chave. Segue as mesmas características
do resumo em português.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________14

Lista de Ilustrações ou de Figuras (opcional)

Deve ser elaborado de acordo com a ordem em que as ilustrações aparecem no texto (figuras,
quadros, gráficos, desenhos, fotografias, organogramas, gravuras e outros). Os itens da lista devem ser
identificados pela palavra designativa, conforme o tipo de ilustração e acompanhados do respectivo
número de página. A norma não menciona a colocação de listas de ilustrações em página separada e não
determina um número mínimo de ilustrações para que seja elaborada. Nesse caso, sugere-se que uma lista
seja estruturada para cada tipo de ilustração (figuras, quadros, gráficos, desenhos, fotografias,
organogramas, gravuras e outros), com a utilização de, no mínimo, três elementos.
As ilustrações usadas no texto tem a sua identificação sempre na parte inferior, precedida da
palavra designativa (gráficos, fotografias, mapas, quadros, plantas, organogramas e outros), seguida do
número de ordem de ocorrência no texto (em algarismos arábicos) e do respectivo título. Devem ser
incluídas próximo ao trecho a que se referem.

LISTA DE FIGURAS

FIGURA 1 - Organograma..............................................................14
FIGURA 2 - Fluxograma.................................................................16
FIGURA 3 - Fluxo da documentação..............................................20
FIGURA 4 - Fluxo de logística........................................................29
FIGURA 5 - Ciclo da transformação das organizações ..................35

Lista de Tabelas (opcional)

A lista de tabelas deve ser elaborada de acordo com a ordem em que aparecem no texto. Os itens
da lista devem ser acompanhados do respectivo número de página. A identificação da tabela no texto do
trabalho sempre é no topo da tabela; o título é precedido pela palavra “TABELA”, seguido do seu número
de ordem (em algarismos arábicos). A fonte deve situar-se logo abaixo da tabela. É obrigatória a
indicação da fonte, quando a tabela não for elaborada pelo autor.

LISTA DE TABELAS

TABELA 1 - Abastecimento de água segundo o Município - 2000 .. 14


TABELA 2 - Abastecimento de água – Rio Grande do Sul - 2000... 16
TABELA 3 - Abastecimento de água Região Urbana ...................... 20
TABELA 4 - Abastecimento de água Região Rural.......................... 39
TABELA 5 - Moradores por abastecimento de água........................ 41
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________15

Lista de Abreviaturas e Siglas (opcional)

Deve conter a relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras
ou expressões escritas por extenso. Indica-se a elaboração de lista própria para cada tipo. A primeira vez
em que a sigla aparece no texto deve ser escrita por extenso, seguida pela sigla, colocada entre parênteses.
Exemplo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS).

LISTA DE ABREVIATURAS

ampl. - ampliado, -a
atual. - atualizado, -a
aum. – aumentado, -a
bol. - boletim
cm - centímetro, -s
comp. - compilador
cf. - confira
coord. - coordenador
et al. - e outros
fasc. - fascículo
i.e. - isto é
N.T. - Novo Testamento
N. trad. - Nota de tradução, do tradutor
n. - número, -s
pt. - parte
reform. - reformulado, -a LISTA DE SIGLAS
rev. - revisado, -a
seg., segs. - seguinte, -s ABNT - Associação Brasileira de Normas
supl. - suplemento Técnicas
tab., tabs, - tabela, -s CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de
t. - tomo Pessoal de Nível Superior
CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento
Científico e Tecnológico
FAPERGS - Fundação de Amparo à Pesquisa do
Estado do Rio Grande do Sul
INPI - Instituto Nacional de Propriedade Industrial
IOF - Imposto sobre Operações Financeiras
ISO - International Organization for
Standartization
ONU - Organização das Nações Unidas

Lista de Símbolos (opcional)


___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________16

Deve ser elaborada conforme a ordem em que os símbolos aparecem no texto, acompanhadas do devido
significado.

LISTA DE SÍMBOLOS

@ - Arroba
% - Por cento
ºC - graus Celcius
Al - Alumínio
Ca – Cálcio
(R) - Repetitivo
(NR) – Não repetitivo

SUMÁRIO (Obrigatório)

Sumário (NBR 6027) – “Enumeração das principais divisões, seções e outras partes de um
documento, na mesma ordem em que a matéria nele se sucede”.

Regras de Apresentação do Sumário


A palavra sumário deve ser centralizada, escrita com letras maiúsculas, em negrito; O título de
cada seção deve ser digitado com o mesmo tipo de letra e formatação em que aparece no corpo do texto
(Arial ou Times). O espaçamento é de 1,5. Deve figurar como último elemento pré-textual; quando
houver mais de um volume, deve ser incluído completo em todos os volumes;
Os elementos pré-textuais NÃO DEVEM aparecer no sumário; Os indicativos das seções
(capítulos) e subseções (subcapítulos) com seus respectivos títulos, devem ser alinhados à esquerda e
deve-se usar a numeração progressiva. As seções devem ser numeradas em algarismos arábicos (1,2,3...),
da introdução até a conclusão; A indicação das páginas localiza-se à direita de cada seção e é inserido
apenas o número da página onde se inicia a indicação e sugere-se ser antecedidos por pontilhados.

Modelo com subdivisão até seção quinaria:

SUMÁRIO (fonte 12 ou 14)

1 INTRODUÇÃO.........................................................................................................................................................................5
2 CRIANÇAS ALFABETIZADAS.............................................................................................................................................7
2.1 CRIANÇAS EM FASE PRÉ-ESCOLAR ...............................................................................................................................8
2.1.1 Coro.....................................................................................................................................................................................8
2.1.2 Louvores ...........................................................................................................................................................................12
2.1.2.1 Regras de canto ...............................................................................................................................................................21
2.1.2.1.1 Parte do coro............................................. ...................................................................................................................42
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................................................................................50
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.....................................................................................................................................51

Caso o trabalho seja subdividido só até a seção terciária utilize este modelo de sumário:
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________17

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO.........................................................................................................................................................................5
2 APRESENTAÇÃO DE ANIMAIS NO CIRCO.....................................................................................................................7
2.1 Elefantes e Girafas.................................................................................................................................................................8
2.1.1 Copo......................................................................................................................................................................................8
2.1.2 Litro........ ............................................................................................................................................................................12
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................................................................................50
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.....................................................................................................................................51

OBSERVAÇÃO: Leia nos Elementos Textuais as instruções da “Numeração de Títulos e Subtítulos (a


numeração destes deve ser progressiva)”.
2°. ELEMENTOS TEXTUAIS

Parte do trabalho em que é exposto o conteúdo da monografia. Sua organização é determinada


pela natureza do trabalho. São considerados fundamentais os seguintes elementos, todos são obrigatórios,
todos são numerados e paginados (da introdução até as considerações finais):
Introdução: é a apresentação sucinta e objetiva do trabalho, fornecendo informações sobre sua
natureza, sua importância e sobre como foi elaborado: objetivo, métodos e procedimentos seguidos. Em
outras palavras, é a parte inicial do texto, onde devem constar a delimitação do assunto tratado, objetivos
da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho.
Lendo a introdução, o leitor deve sentir-se esclarecido a respeito do tema do trabalho como do
raciocínio a ser desenvolvido.
Deve conter no máximo 3 ou 4 páginas, sendo o ideal 1 ou 2 laudas (páginas). Deve ser escrito em
folha separada e paginada, com a palavra Introdução alinhada a esquerda, caixa alta e negrito antecedida
por numeração arábica.
Desenvolvimento: parte principal do texto, descrevendo com detalhes a pesquisa e como foi
desenvolvida. Não se escreve a palavra desenvolvimento no trabalho, mas se desenvolve as idéias em
tópicos ou seções.
Considerações Finais ou Conclusão: é a síntese dos resultados da monografia. Tem por
finalidade recapitular sinteticamente os resultados da pesquisa elaborada.
O autor poderá manifestar seu ponto de vista sobre os resultados obtidos, bem como sobre o seu
alcance, sugerindo novas abordagens a serem consideradas em trabalhos semelhantes. O autor deve
apresentar os resultados mais importantes e sua contribuição ao tema, aos objetivos e à hipótese
apresentada. Dê preferência a expressão Considerações Finais, pois a palavra Conclusão dá a ideia de fim,
o que não ocorre em um trabalho acadêmico, pois a Monografia pode virar Dissertação ou Tese.

Apresentação dos trabalhos acadêmicos

A seguir está descrito o padrão recomendado pela ABNT (NBR 14724), que foi elaborado para
facilitar a apresentação formal dos trabalhos acadêmicos.
Formato e margens

Os trabalhos devem ser digitados em papel branco A4 (210 mm x 297 mm), digitados em uma só
face da folha. Recomenda-se, para digitação, a utilização de fonte tamanho 12 para o texto e tamanho
menor (10) para citações de mais de três linhas, notas de rodapé, paginação e legendas das ilustrações e
tabelas. Deve-se observar que o texto deve ser alinhado e justificado, com recuo do parágrafo: a norma
NÃO especifica; sugere-se 1,25 cm. Com relação às margens, a folha deve apresentar margem de 3 cm à
esquerda e na parte superior, e de 2 cm à direita e na parte inferior.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________18

Paginação

Todas as folhas, a partir da folha de rosto, devem ser contadas seqüencialmente, mas, não
numeradas. A numeração é impressa a partir da introdução, em algarismos arábicos (1,2,3...) até a última
folha do trabalho, incluindo os apêndices, anexos e índice (elementos pós-textuais). O número da página
deve ser colocado no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior e 2 cm da lateral direita,
sendo em fonte menor (10) que o texto. Obs.: a página é numerada dos elementos pós-textuais, mas os
títulos não recebem numeração. Todos são centralizados, maiúsculo e negrito.
Espacejamento

Todo o texto deve ser digitado com espaço 1,5, exceto nas citações diretas separadas do texto
(quando com mais de três linhas), nas notas de rodapé, nas referências no final do trabalho e na ficha
catalográfica, estes podem ter espaço simples, sem aspas. As referências, ao final do trabalho, devem ser
separadas entre si por espaço simples. Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os
precede ou que os sucede por dois espaços 1,5.
Numeração de Títulos e Subtítulos (a numeração destes deve ser progressiva)

Para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho, deve-se adotar a numeração


progressiva para as seções do texto. Os títulos das seções primárias, por serem as principais divisões de
um texto, devem iniciar em folha distinta. Destacam-se gradativamente os títulos das seções, utilizando-se
os recursos de negrito, itálico ou grifo e redondo, caixa alta ou versal, e outro, conforme a NBR 6024, no
sumário e de forma idêntica, no texto. Na numeração das seções de um trabalho devem ser utilizados
algarismos arábicos, sem subdividir demasiadamente as seções, não ultrapassando a subdivisão quinária.
Não se utilizam ponto, hífen, travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou de seu título.
Há duas formas de subdivisões para os trabalhos acadêmicos, deve-se escolher qual irá utilizar:
1ª Divisão até 5 subcapítulos (subdivisão quinaria); ou 2ª Divisão em até 3 subcapítulos (subdivisão
terciária).

Exemplo de Divisão até 5 subcapítulos (subdivisão quinaria) – fonte 12


SEÇÃO SEÇÃO Seção Seção Seção
PRIMÁRIA SECUNDÁRIA Terciária Quaternária Quinária
Corresponde Divisão do texto de Divisão do Divisão do texto Divisão do
à principal uma seção primária texto de uma de uma seção texto de uma
divisão seção terciária seção
do texto secundária quaternária
Todo título Todo título com As letras As letras iniciais As letras
com letra letra maiúscula e iniciais do do título em iniciais do
maiúscula e sem negrito título em maiúscula e sem título em
negrito- fonte 12 maiúscula e negrito maiúscula e
negrito itálico
1 IMAGEM 1.1 ou 1.2 ou 1.3... 1.1.1 1.1.1.1 1.1.1.1.1 Imagem
2 2.1 IMAGEM 2.1.1 Imagem 2.1.1.1 Imagem 2.1.1.1.1
3 3.1 3.1.1 3.1.1.1 3.1.1.1.1
4 4.1 4.1.1 4.1.1.1 4.1.1.1.1
5 etc 5.1 5.1.1 5.1.1.1 5.1.1.1.1

Exemplo de Divisão em até 3 subcapítulos (subdivisão terciária) – fonte 12


SEÇÃO Seção Secundária Seção
PRIMÁRIA Terciária
Corresponde à principal Divisão Divisão do texto de uma seção Divisão do texto de uma
do texto primária Seção secundária
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________19

Todo título As letras iniciais do título em As letras iniciais do título em


com letra maiúscula e negrito maiúscula e sem negrito
maiúscula e
negrito
1 IMAGEM 1.1 ou 1.2 ou 1.3... 1.1.1 Imagem
2 2.1 Imagem 2.1.1
3 3.1 3.1.1
4 4.1 4.1.1
5 etc (pode ser até 5, 6, 7, 8, 9, 5.1 5.1.1
10 capítulos

TÍTULO DOS CAPÍTULOS/SEÇÕES - O indicativo numérico de uma seção precede seu título,
alinhado à esquerda, separado por um espaço de caractere (indicado por número arábico, a partir do 1
(um) e seguido de seu título). Capítulos são sempre iniciados em uma nova folha. São digitados em caixa
alta e negrito, pois são Fonte Primária (TUDO O QUE COMEÇAR POR 1, 2, 3, 4, E ASSIM POR
DIANTE). Ex. 1 INTRODUÇÃO - 2 O PAPEL DO PROFESSOR
TÍTULO DOS SUBCAPÍTULOS/SUBSEÇÕES - Ex. 1.1 OBJETIVOS. 2.1.1 ESCOLA
PÚBLICA. São indicados por número arábico; alinhamento de título das subseções à esquerda, separado
por um espaço de caractere; separados do texto que os precede ou que os sucede por dois espaços de 1,5
entrelinhas. Significa que podem ser escritos de forma seqüencial, não precisam iniciar numa folha
separada, pois fazem parte dos capítulos.
TÍTULO SEM INDICATIVO DE SEÇÃO (Títulos sem numeração - errata, agradecimentos,
listas de ilustrações, lista de abreviaturas e siglas, resumos, sumário, referências, glossário, apêndices,
anexos) devem ser digitados centralizados, em letras maiúsculas e em negrito. Os elementos Pré-textuais
e os elementos pós-textuais não devem ser numerados. Somente os textuais.
OBSERVAÇÃO: quando uma seção terminar próxima ao fim de uma página, coloca-se o título da
seção na página seguinte.
SEM TÍTULO – São palavras que não constam na página do trabalho, como folha de aprovação;
agradecimentos, dedicatória; epígrafe.

CITAÇÕES EM DOCUMENTOS - NBR 10520:2002

Conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (2002b, p. 1), “citação é a menção de uma
informação extraída de outra fonte”. A citação é usada para dar credibilidade ao trabalho científico,
fornecer informações a respeito dos trabalhos desenvolvidos na área da pesquisa e apresentar pontos de
vista semelhantes ou divergentes sobre o assunto de sua pesquisa. O autor do trabalho, ao iniciar a
redação do texto, deve escolher um padrão de apresentação das citações e segui-lo do início ao fim do
trabalho. As citações podem ser: diretas, indiretas ou citação de citação. Localização: As citações podem
aparecer no texto ou em notas de rodapé. OBS.: Lembrando que toda citação ou nota de rodapé devem
constar nas Referências. Não exagere em quantidade de citações.

1º. Citações Diretas

É a transcrição fiel de trechos da obra do autor consultado; a redação, a ortografia e a pontuação


são rigorosamente respeitadas. A data de publicação e a página da qual o texto foi extraído são
apresentadas dentro de parênteses.

Citações diretas com até três linhas: 1º. Quando o autor citado é parte do texto, seu sobrenome é
digitado com a primeira letra em caixa alta (letra maiúscula) e as demais em letras minúsculas. A citação
deve ser inserida entre “aspas duplas”, no texto. As aspas simples são utilizadas para indicar citação
dentro de citação.
Exemplo: Conforme Almeida (2005, p. 32), “o projeto de avaliação envolve planejamento,
pesquisa e mudança”.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________20

2°. Quando o autor não faz parte do texto, seu sobrenome é apresentado dentro de parênteses, em
letras maiúsculas, seguido do ano da publicação e da página da qual o texto foi extraído.
Exemplo: O propósito de avaliar o desempenho quer de um sistema organizacional, quer de
equipes de trabalho, necessita de alguma forma de medição que é um fator inerente ao "funcionamento"
dos mesmos, sendo assim, “o projeto de avaliação envolve planejamento, pesquisa e mudança”
(ALMEIDA, 2005, p. 32).

Citações Diretas com mais de três linhas - Quando apresentarem mais de três linhas, devem ser
destacadas do texto com recuo de 4 cm da margem esquerda, em espaço simples, sem parágrafo, com
uma letra menor do que a utilizada no texto (10) e sem aspas. Devem ser precedidas e antecedidas por
dois espaços de 1,5 entrelinhas. Não podem ficar no fim da página e nem no começo, devem ficar no
meio do texto. Veja os exemplos a seguir:

1º. Exemplo - O autor como parte do texto:


Conforme afirma Campello (2000, p. 55),

a pesquisa científica é um processo complexo, e durante sua execução o pesquisador assume


diversas funções: a de líder de equipe, a de captador de recursos, a de comunicador, dentre outras.
A função de comunicador é de fundamental importância nesse processo, pois o pesquisador precisa
estar constantemente atualizado em relação aos avanços de sua área mostrando o que ele próprio
está realizando, como forma de ter seu trabalho avaliado pelos seus pares e de garantir a prioridade
de suas descobertas.

2°. Exemplo - O autor não faz parte do texto:

A pesquisa científica é um processo complexo, e durante sua execução o pesquisador assume


diversas funções: a de líder de equipe, a de captador de recursos, a de comunicador, dentre outras.
A função de comunicador é de fundamental importância nesse processo, pois o pesquisador precisa
estar constantemente atualizado em relação aos avanços de sua área, inteirando-se do que outros
cientistas estão fazendo e, por outro lado, mostrando o que ele próprio está realizando, como forma
de ter seu trabalho avaliado pelos seus pares e de garantir a prioridade de suas descobertas
(CAMPELLO, 2000, p. 55).

2º. Citações Indiretas

Citação livre, indireta ou paráfrase é quando autor do trabalho, através de síntese pessoal,
reproduz fielmente as idéias de outro autor, sempre indicando a fonte da qual foi extraída a idéia.
Atenção: O autor deve deixar clara a fonte de onde retirou a idéia; o assunto abordado deve ser reescrito,
reorganizado, tomando cuidado para não ser confundido com plágio.
Quando o autor citado é parte do texto, seu sobrenome é digitado com a primeira letra em caixa
alta (letra maiúscula) e as demais em letras minúsculas. A data de publicação é apresentada dentro de
parênteses. Exemplos:
A biblioteca digital, segundo Márdero Arellano (1998), continua realizando as mesmas funções da
biblioteca tradicional.
De acordo com Marconi e Lakatos (2001), as fichas de apontamento são utilizadas para identificar
as obras consultadas.
Quando o autor não faz parte do texto, seu sobrenome é apresentado dentro de parênteses, em
letras maiúsculas, seguido do ano da publicação. Exemplos:
A biblioteca digital continua realizando as mesmas funções da biblioteca tradicional (MÁRDERO
ARELLANO,1998).
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________21

Com até três autores - As fichas de apontamento são utilizadas para identificar as obras
consultadas (MARCONI; LAKATOS; SILVA, 2001).

Citação Indireta de obra com mais de três autores


Em obras com mais de três autores, cita-se apenas o sobrenome do primeiro autor que aparece na
obra, seguido da expressão et al. (e outros).
Exemplo: autor como parte do texto: Aron et al. (1995) explicam que a economia, ainda que
numa sociedade primitiva, admite a produção, a circulação dos bens e o consumo.
Exemplo: autor não faz parte do texto: A economia, ainda que numa sociedade primitiva, admite
a produção, a circulação dos bens e o consumo (ARON et al,1995).

Citação Indireta de diferentes obras


Exemplo: autor como parte do texto: Através da consulta às obras de Campos (1994) e Martins
(1996), descobre-se que o termo “papel” tem sua origem etimológica no “papiro”.
Exemplo: autor não faz parte do texto: O termo “papel” tem sua origem etimológica no “papiro”
(CAMPOS, 1994; MARTINS, 1996).

Citação de entidades coletivas conhecidas por siglas


Deve-se citar o nome da entidade por extenso.
Exemplo: autor/ entidade como parte do texto: Segundo a Associação Brasileira de Normas
Técnicas (2002, p. 01) o objetivo da norma de citação é “[...] especificar as características exigíveis para a
apresentação de citações em documentos”.
Quando for necessário, supressões, interpolações, comentários, ênfases ou destaques, devem ser
indicadas da seguinte forma:
Supressões [...] São usadas para omitir ou suprimir, no início ou no final de uma citação, parte do
texto de um autor, conforme a conveniência.
Exemplo: autor/ entidade não faz parte do texto: O objetivo da norma de citação é “[...]
especificar as características exigíveis para a apresentação de citações em documentos” (ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002, p. 01).
Interpolações ou comentários: Empregam-se para completar, esclarecer ou comentar um texto,
nele intercalando palavras ou frases, quando necessárias à compreensão de algo dentro da citação,
aparecendo entre colchetes [ ].
Ênfase ou destaques: grifo ou negrito ou itálico. Servem para destacar uma ou mais palavras
dentro de uma citação, que no original NÃO estão em destaque. Indica-se essa alteração com a expressão
grifo nosso, entre parênteses, após a idealização da citação.
Caso o destaque seja do autor consultado, usa-se a expressão grifo do autor. Exemplos:
Para Naves e Kuramoto (2006, p. 24, grifo nosso) “os estudos sobre a leitura e a ação dos
leitores na contemporaneidade são abordados sob diversas perspectivas”.
“Tendo em vista os princípios presentes nessas abordagens consideram-se como sendo mapas
conceituais as representações de relações entre conceitos, ou entre palavras que substituem os
conceitos, através de diagramas [...]” (BELLUZZO, 2007, p. 75, grifo do autor).
Quando o texto citado for traduzido pelo autor, deve-se incluir, após a citação, a expressão:
tradução nossa. Exemplo: Cardozo enfrenta a questão ‘o que é um grande caso?’, afirmando que é uma
idéia falsa e paralisante considerar que os casos são grandes simplesmente, ou principalmente, em razão
de sua natureza. Os casos são grandes pelo que nós fazemos deles (SIMONIN, 2007, p.14, tradução
nossa).
Quando se tratar de dados obtidos por informação oral (palestras, debates, comunicações), indicar
entre parênteses a expressão: informação verbal, mencionando-se os dados disponíveis, em nota de
rodapé. Exemplo:
Novo guia para elaboração de trabalhos acadêmicos estará disponível on-line até o final do mês
janeiro (informação verbal)1.

____________
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________22

1 Informação coletada na reunião do Grupo de Processamento Técnico da Biblioteca da UFRJ, realizada no Rio de Janeiro, no
dia 26 de janeiro de 2009.

3º. Citação de Citação

É utilizada quando o autor não pode consultar o documento original, feita a reprodução da
informação já citada por outro autor. Vale lembrar que esse tipo de citação não deve compor em maior
número e é importante que o autor procure consultar a fonte original do documento.
No texto fora dos parênteses, deve ser citado o sobrenome do autor da obra citada (obra não
consultada), digitado com a primeira letra em caixa alta (letra maiúscula) e as demais, em letras
minúsculas, entre parênteses, o ano da obra do documento não consultado, seguido da expressão apud
SOBRENOME do autor da obra consultada, digitado com letras maiúsculas, data de publicação da obra
consultada apresentada. Se for citação direta, inclui-se a página de onde foi extraída a citação.
Exemplo - autor como parte do texto: De acordo com Feijó (1997 apud BELLUZZO, 2007, p. 74)
“a cultura contemporânea é cada vez mais visual, e isso fortalece todas as formas de comunicação que
têm base ou exploram a imagem”. Ou usa-se assim:
De acordo com Feijó1 “a cultura contemporânea é cada vez mais visual, e isso fortalece todas as
formas de comunicação que têm base ou exploram a imagem”.
___________
1 FEIJÓ, 1997 apud BELLUZZO, 2007, p. 74.

Exemplo - sem autor como parte do texto: “A cultura contemporânea é cada vez mais visual, e isso
fortalece todas as formas de comunicação que têm base ou exploram a imagem” (FEIJÓ, 1997 apud
BELLUZZO, 2007, p. 74).

4º. Notas de rodapé (Normalmente o computador já vem com este recurso)

São anotações colocadas ao pé de uma página de um livro, ou documento, adicionando comentário


de referência ou fonte, ou ambos, para parte do texto da matéria na mesma página. As notas de rodapé
devem ser evitadas sempre que possível, no entanto, quando apontadas no corpo do texto, devem ser
indicadas com números arábicos seqüenciais, imediatamente depois da frase a que digam respeito. As
notas devem ser apresentadas no rodapé da mesma página. As referências dos autores citados no texto
devem ser apresentadas no final do texto, não em notas de rodapé. Pode ser referencial ou explicativa.
Notas explicativas – São usadas para a apresentação de comentários, explanações ou traduções
que não podem ser incluídas no texto, por interromper a linha de pensamento.
Exemplo: O CFE adquiria um papel fiscalizador da implantação da reforma estrutural das
universidades nesse primeiro momento1.
_____________________
1 Na avaliação de José Carlos Rothen, a atuação do CFE, a partir de 1964, adquiriu forte importância, não apenas na
fiscalização da aplicação das normas legislativas, como, igualmente, na formulação das mesmas.

Notas de referência – são iguais a referência citada no final do trabalho, acrescida da página
utilizada. Deve indicar fontes consultadas ou remeter a outras partes da obra em que o assunto foi
abordado. É feita por algarismos arábicos, devendo ter numeração única e consecutiva para cada capitulo
ou parte. Não se inicia a numeração a cada página e sim, a cada capítulo ou parte.
Exemplo: De acordo com Feijó1 “a cultura contemporânea é cada vez mais visual, e isso fortalece
todas as formas de comunicação que têm base ou exploram a imagem”.
___________________
1 NAVES, Madalena Martins Lopes; KURAMOTO, Hélio (Org.). Organização da informação: princípios e tendências.
Brasília: Briquet de Lemos, 2006. 142 p.

Atenção: A primeira citação de uma obra, em nota de rodapé, deve aparecer completa, como o
exemplo acima.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________23

Mas, quando há, em uma mesma página, citações subseqüentes de uma mesma obra, estas podem
ser referenciadas, de forma abreviada, utilizando-se as seguintes expressões, abreviadas, de acordo com o
caso.
1º. Quando há obras diferentes do mesmo o termo Id. (Idem) substitui o nome do autor, Exemplo:
Nas notas de rodapé:
_____________________
1 VERGUEIRO, Waldomiro. Seleção de materiais de informação. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 1995. p. 20.
2 Id. Qualidade em serviços de informação. São Paulo: Arte e Ciência, 2002. 1989. p. 36.

2º. Usa-se Ibid. (Ibidem) - Para indicar que uma citação foi extraída da obra anterior, porém, de
página diferente. Exemplo: Nas notas de rodapé:
_____________________
1 FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Textos avançados e referência & informação. São Paulo: Polis, 1996. p. 34.
2 Ibid., p. 53.

3º. Informa-se que a citação foi extraída de outra página de uma obra, anteriormente citada, e que
houve intercalação de outras referências. Usa-se - op. cit. (Opus citatum, opere citato - obra citada).
Exemplo: Nas notas de rodapé:
_____________________
1 FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Textos avançados e referência & informação. São Paulo: Polis,
1996. p. 33.
2 VERGUEIRO, Waldomiro. Seleção de materiais de informação. Brasília, DF: Briquet de Lemos,
1995. p. 20.
3 FIGUEIREDO, op. cit., p. 35.

4º. Quando é impossível mencionar todas as páginas de onde foram extraídas as idéias do autor.
Usa-se passim. (Passim - aqui e ali, em diversas passagens ou páginas)

Exemplo: Nas notas de rodapé:


_____________________
1 CUNGI, Charly. Saber administrar o estresse na vida e no trabalho. São Paulo: Larousse Brasil, 2004. Passim.

5º. Remete ao trecho citado anteriormente. Usa-se loc. cit. (Loco citato - no lugar citado).
Exemplo: Nas notas de rodapé:
_____________________
1 FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Textos avançados e referência & informação. São Paulo: Polis, 1996. p. 33.
2 FIGUEIREDO, loc. cit.

6º. Usada para recomendar consulta a um trabalho ou notas. É a abreviatura latina que significa
"conferir" ou "comparar". Cf. (Confira, conforme). Exemplo: Nas notas de rodapé:
_____________________
1 Cf. CUNGI, 2004.

7º. Usada quando não se mencionam todas as páginas da obra, indicando-se a primeira página,
seguida da expressão et seq. (Sequentia – seguinte ou que se segue). Exemplo: Nas notas de rodapé:
_____________________
1 ALMEIDA, 2005, p. 78 et seq.

ATENÇÃO - A expressão apud (citado por, conforme, segundo) é a única que pode ser usada
tanto no texto do trabalho como na nota de rodapé. As outras só podem ser usadas nas notas de rodapé.

8º. A expressão sic significa: assim mesmo, isto é, estava assim no texto original. É usada para
explicar alguma estranheza quanto ao texto original. Exemplo:
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________24

[...] Extremôz continua sem história, silenciosa, pequenina, ignorada, sem lances heróicos que não
fossem os da fé e sem maiores trabalhos afora os da caridade e do rythmo (sic) moral que o jesuíta
imprimia como uma projecção (sic) de sua presença. Nesse ambiente, terra pobre, meia dúzia de
padres (não há informes sobre o número) famílias indígenas, trabalhadores ruraes (sic), raro
homem branco, vida primitiva e serena, pautada pela oração e pelo hábito das madrugadas e dos
somnos (sic) ao cahir (sic) da noite, o jesuíta juntou um thesouro (sic). Um grande thesouro (sic)
que inda (sic) faísca e deslumbra toda diversidade de gente2.

__________________________
1
CASCUDO, Luís da Câmara. As Lendas de Extremôz. Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do
Norte: 1935-1937, Natal, RN, v. 32-34, p. 89, 1940.

3º. ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

São os elementos que tem relação com o texto, mas que, para torná-lo menos denso e não
prejudicá-lo, costumam vir apresentados após a parte textual.
Dentre os elementos pós-textuais temos as Referências (obrigatório), o Glossário (opcional), o
Apêndice (opcional), o Anexo (opcional), o Índice (opcional). Nenhum é numerado, todos tem seus
títulos centralizados, negrito e letras maiúsculas.

Referências Bibliográficas (obrigatório)

Conjunto padronizado de elementos que permitem a identificação de um documento, no todo ou


em parte, nos diversos tipos de formato (livro, periódico, artigo de periódico, tese, CD-ROM, DVD,
filme, mapa, música, recursos eletrônicos, fotografia, documento on-line, ebooks, entre outros).
As referências bibliográficas das monografias devem seguir o padrão NBR 6023:2003. O título
deve ser centralizado porque não possui indicativo numérico. Devem ser digitadas em espaço simples e
separadas entre si, por dois espaços simples, preferencialmente, ordenadas em ordem alfabética, por
sobrenome de autor ou título. Podem ser também em ordem numérica.
Não há a necessidade de colocar separado os documentos tirados dos sites, é só incluí-lo junto
com as outras obras. A ordenação das referências dos documentos citados em um trabalho deve ser de
acordo com o sistema utilizado para citação no texto, conforme instruções da NBR 10520.
Sistema Alfabético - No sistema alfabético, as referências são reunidas no final do trabalho, do
artigo ou do capítulo, em uma única ordem alfabética, pelo sobrenome do autor ou título da obra (no caso
de obra sem autor). Os elementos essenciais são autor, título, edição, local, editora e data de publicação,
que devem constar, obrigatoriamente, na referência. Os elementos complementares não são obrigatórios,
mas, permitem identificar melhor o documento. Pode-se incluir: tradutor, revisor, ilustrador, descrição
física (número de páginas, volume, tomo ou capítulo), dimensão, série, notas especiais, ISBN ou ISSN.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: informação e documentação -


artigo em publicação periódica científica impressa - apresentação. Rio de Janeiro: ABNT, 2003a.

CRUZ, Anamaria da Costa; PEROTA, Maria Luiza Loures Rocha; MENDES, Maria Tereza Reis.
Elaboração de referências: (NBR 6023/2000). Rio de Janeiro: Interciência, 2000.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Normas de


apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 1993.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________25

Sistema Numérico - Se for utilizado o sistema numérico no texto, a lista de referências deve
seguir a mesma ordem numérica crescente. O sistema numérico NÃO pode ser usado concomitantemente
para notas de referência e notas explicativas, pois uma mesma obra pode aparecer várias vezes nas notas
de rodapé.

1 BELLUZZO, Regina Célia Baptista. Construção de mapas desenvolvendo competências em


informação e comunicação. 2. ed. rev. atual. Buaru, SP: Cá entre Nós, 2007. p. 23.

2 ALMEIDA, Maria Christina Barbosa de. Planejamento de bibliotecas e serviços de informação. 2.


ed. rev. ampl. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2005. p. 3.

MODELOS DE REFERÊNCIAS DE ACORDO COM O TIPO DE DOCUMENTO

1 Como citar uma Obra (elementos essenciais)


O título e o subtítulo devem ser reproduzidos tal como figuram no documento. O título é separado
do subtítulo por dois pontos. Destaca-se o título, utilizando-se negrito, itálico ou sublinhado; o subtítulo
nunca é destacado e deve ser escrito com letras minúsculas.

GATTAI, Zélia. Crônica de uma namorada: e de uma família paulista nos anos cinqüenta. Rio de
Janeiro: Record, 1995. 221 p.

1º. Autor pessoal


Indica(m)-se o(s) autor(es), pelo último sobrenome, em CAIXA ALTA (letras maiúsculas),
seguido(s) do(s) prenome(s) e outros sobrenomes. O sobrenome deverá ser separado dos outros nomes
por vírgula, seguido de espaço.

SOBRENOME, Nome (s) do (s) autor (es) (pessoa, entidade). ØTítulo. ØEdição. ØLocal de
publicação:ØEditora,ØData de publicação.
Obra com um (1) autor

VERISSIMO, Luís Fernando. O analista de Bagé. 93. ed. Porto Alegre: L&PM, 1992.

Na ordenação, obras do mesmo autor referenciadas sucessivamente na mesma página, podem ser
substituída (s), nas referências seguintes à primeira, por um traço sublinear (equivalente a seis espaços) e
ponto. Exemplo:

BECHARA, Evanildo. Lições de português pela análise sintática. 11. ed. Rio de Janeiro: Grifo, 1978.
287 p.

______. Ensino da gramática. Opressão? Liberdade? 7. ed. São Paulo: Ática, 1993. 77 p. (Coleção
princípios).

Na ordenação de obras do mesmo autor e mesmo título, referenciadas sucessivamente na mesma


página, porém, com edições diferentes, também podem ser substituída(s) por um traço sublinear
(equivalente a seis espaços) nas referências seguintes à primeira, da seguinte forma:
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________26

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. 8. ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

______. ______.10. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

Obra com dois (2) autores


Os nomes dos autores são separados por ponto-e-vírgula, seguido de espaço.

KRUGMAN, Paul R.; OBSTFELD, Maurice. International economics: theory and policy. 4th ed.
Reading: Addison-Wesley, 1997.

Obra com três (3) autores


Mencionam-se todos os autores na entrada, separados por ponto-e-vírgula, seguido de espaço.

KRUGMAN, Saul; WARD, Robert; KATZ, Samuel L. Doenças infecciosas em pediatria. 6. ed. Rio de
Janeiro: Atheneu, 1985.

Em obra com mais de três autores


Menciona-se APENAS o primeiro, acrescentando a expressão et al. (e outros).

ATKINSON, Rita L. et al. Introdução à psicologia de Hilgard. 13. ed. Porto Alegre: ARTMED, 2002.

Quando houver outros tipos de responsabilidade, como no caso de coletâneas de vários autores, o
autor referenciado é o responsável intelectual, organizador(es), coordenador(es), editor(es),
compilador(es). A palavra que caracteriza a responsabilidade deve ser escrita abreviada, no singular, entre
parênteses e somente com a inicial em letra maiúscula.

MELO, José Marques de; SATHLER, Luciano (Org.). Direitos à comunicação na sociedade da
informação. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2005.

MARCONDES, Eduardo; LIMA, Ilda Nogueira de (Coord.). Dietas em pediatria clínica. 2. ed. São
Paulo: Sarvier, 1981. 302 p. (Monografias médicas. Pediatria; 13).

2º. Autor Entidade (Órgãos governamentais, Empresas, Associações, Congressos)


As obras com responsabilidade de entidade (empresas, órgãos governamentais, associações,
congressos, seminários, entre outros) têm entrada pelo seu próprio nome, por extenso.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e


documentação: referências - elaboração. Rio de Janeiro, 2002.

3º. Autoria desconhecida


Em obras sem autoria, a entrada é feita pelo título; a primeira palavra deve ser escrita em letras
maiúsculas. Não deve ser usado o termo anônimo. Neste caso, o título não recebe destaque (negrito,
itálico ou sublinhado).

DICIONÁRIO de alemão-português. 1. ed. Porto: Porto, 2000. 959 p.

2 Em obras consultadas on-line (elementos essenciais)

SOBRENOME, Nome (s) do (s) autor (es) (pessoa, entidade). ØTítulo. ano e endereço eletrônico,
precedido da expressão Disponível em: apresentado entre os sinais < > e a data de acesso, precedida da
expressão Acesso em: dia mês ano. O mês deve ser abreviado.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________27

OBERVAÇÃO: Todo documento, jornal, revista, livro, etc que for retirado da internet segue as
normas habituais de formatação do documento acrescentando o seguinte: Disponível em: < endereço
eletrônico>. Acesso em: dia mês ano.

BACON, Francis. Nova Organização. 2002. Disponível em: <http://www.ebooksbrasil.


org/eLibris/norganum.html>. Acesso em: 7 jan. 2009.

3 Publicação Periódica como um Todo

TÍTULO DO PERIÓDICO:Øsubtítulo.ØLocal de publicação:ØEditora,Ødatas de início e de


encerramento se houver.

ACTA BIOLOGICA LEOPOLDENSIA. São Leopoldo: UNISINOS,1979-2006.

REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Rio de Janeiro: FGV,1967. Continuação de: Boletim do


Centro de Pesquisas Administrativas da EBAP.

4 Partes de Revista, Boletim (fascículo)

TÍTULO DA PUBLICAÇÃO.ØLocal de publicação:ØEditora,Ønumeração do ano e/ou volume,Ønúmero


do fascículo, Øinformações de períodos e Ødatas de sua publicação.

ISTO É DINHEIRO: revista semanal de negócios, economia, finanças & ecommerce. São Paulo: Três, v.
11, n. 587, dez. 2008.

5 Artigo e/ou Matéria de Revista, Boletim, etc.

Na descrição de artigos, não se inclui a Editora, somente o local de publicação.

Artigo com autoria

SOBRENOME, Nome (s) do(s) autor(es) (pessoa, entidade).ØTítulo do artigo: subtítulo.ØTítulo da


Publicação:Øsubtítulo,ØLocal de publicação,Ønúmero do volume,Ønúmero do fascículo,Øpáginas
inicial-final do artigo,Ømês(es) abreviado(s)Øano.

VIAL, Sandra Regina Martini; FORTES, Cristina Lazzarotto. Terra, direito e movimentos sociais.
Estudos Jurídicos (São Leopoldo), São Leopoldo, v. 37, n. 99, p. 97-123, 2004.

Artigo sem indicação de autoria

ØTítulo do artigo: subtítulo.ØTítulo da Publicação:Øsubtítulo,ØLocal de publicação,Ønúmero do


volume,Ønúmero do fascículo,Øpáginas inicial-final do artigo,Ømês(es) abreviado(s)Øano.

MAU hálito. Revista da APCD, São Paulo, v. 53, n. 1, p. 57, jan./fev. 1999.

6 Artigo e/ou Matéria de Revista, Boletim, etc em Meio Eletrônico

CD-ROM
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________28

SOBRENOME, Nome (s) do(s) autor(es) (pessoa, entidade).ØTítulo do artigo:Øsubtítulo.Título da


Publicação:Øsubtítulo,Ølocal de publicação,Ønúmero do volume,Ønúmero do fascículo,Øpáginas
inicial-final do artigo,Ømês(es) abreviado(s)Øano.ØCD-ROM

ARNAIZ SÁNCHEZ, Pilar. A educação inclusiva: um meio de construir escolas para todos no século
XXI. Inclusão: revista da educação especial. Brasília, ano 1, n. 1, p.7-18, out. 2005. 1 CD-ROM.

Acesso on-line

SOBRENOME, Nome (s) do autor(es) (pessoa, entidade).ØTítulo do artigo: subtítulo.ØTítulo da


Publicação:Øsubtítulo,ØLocal de publicação,Ønúmero do volume,Ønúmero do fascículo,Øpáginas
inicial-final do artigo,Ømês(es) abreviado(s)Øano. ØDisponível em: Ø<incluir o endereço
eletrônico>.ØAcesso em: diaØmêsØano.

NEIVA, Simone. Museu de Arte Contemporânea de Niterói: leveza moldada em concreto.


Arquiteturarevista, São Leopoldo, v. 4, n. 1, p. 66-69, jan./jun. 2008. Disponível em:
<http://www.arquiteturarevista.unisinos.br/pdf/43.pdf>. Acesso em: 06jan. 2009.

7 Artigo e/ou Matéria de Jornal

Artigo e/ou matéria com autoria

SOBRENOME, Nome (s) do autor(es).ØTítulo do artigo ou matéria: Øsubtítulo.ØTítulo do


Jornal,ØLocal de publicação,Ødata da publicação (diaØmêsØ (abreviado) Øano. ØCaderno, seção ou
parte do jornal,Øpaginação correspondente.

Quando não houver caderno, seção ou parte, a paginação do artigo ou matéria precede a data.
BRETANHA, Thais. Manhã de sol e tarde com chuva. Correio do Povo, Porto Alegre, ano 114, n. 101, p.
20, 9 jan. 2009.

Artigo e/ou matéria sem autoria

TÍTULO do artigo ou matéria:Øsubtítulo.ØTítulo do Jornal,ØLocal de publicação,Ødata da publicação


(diaØmêsØ(abreviado)Øano.ØCaderno, seção ou parte do jornal,Øpaginação correspondente.

Quando não houver caderno, seção ou parte, a paginação do artigo ou matéria precede a data.

POLÍCIA aponta esquema de grampo ilegal e prende nove: segundo investigações, quadrilha atuaria em
espionagem industrial e casos de infidelidade. Folha de São Paulo, São Paulo, ano 88, n. 29.135, 8 jan.
2009. Brasil, p. A4.

8 Artigo e/ou Matéria de Jornal em Meio Eletrônico

Artigo e/ou matéria em meio eletrônico com autoria

SOBRENOME, Nome (s) do autor(es).ØTítulo do artigo ou matéria: Øsubtítulo.ØTítulo do


Jornal,ØLocal de publicação,Ødata da publicação (diaØmêsØ(abreviado)Øano.ØCaderno, seção ou parte
do jornal correspondente. Disponível em:Ø<incluir o endereço eletrônico>.ØAcesso em: diaØmêsØano.

CALLAHAN, Gene. O que é ciência? Jornal Mineiro de Psiquiatria, Belo Horizonte,ano. 12, n. 28,
ago. 2008. Disponível em:<http://www.jmpsiquiatria.com.br/ciencia. html>. Acesso em: 21 jan. 2009.

Artigo e/ou matéria em meio eletrônico sem autoria


___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________29

TÍTULO do artigo ou matéria: Øsubtítulo.ØTítulo do Jornal,ØLocal de publicação,Ødata da publicação


(diaØmêsØ(abreviado)Øano.ØCaderno, seção ou parte do jornal correspondente. Disponível
em:Ø<incluir o endereço eletrônico>.ØAcesso em: diaØmêsØano.

OBAMA pede suspensão de julgamentos em Guantánamo. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, 21 jan.
2009. Disponível em:<http://jbonline.terra.com.br/editorias/cultura/>. Acesso em: 21 jan. 2009.

9 Evento como um Todo

Conjunto de documentos gerados a partir de trabalhos apresentados em Congressos, Encontros,


Seminários, Conferências.

NOME DO EVENTO,Ønúmero do evento em arábico (se houver),Øano do evento, ØLocal de realização


do evento.ØTítulo do documento (anais, atas, tópico temático, resumos, etc.).ØLocal depublicação:
ØEditora Ødata da publicação.
CONGRESSO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE, 2004. Cruz Alta.
CRIANÇAS. Cruz Alta: Universidade de Cruz Alta, 2004. 142 p.
10 Trabalho Apresentado em Evento

SOBRENOME DO AUTOR, Nome(s) do(s) autor(es).ØTítulo do trabalho.ØNOME DO EVENTO,


Ønúmero do evento em arábico (se houver),Øano do evento,ØLocal de realização do evento.ØTítulo do
documento (anais, atas, comunicações, proceedings, resumos, tópico temático, etc.).ØLocal de
publicação:ØEditora ,Ødata da publicação.Øpáginas inicial-final da parte referenciada.

BARRETO, A. R. Os trabalhadores do conhecimento: um novo profissional. In: SIMPÓSIO


INTERNACIONAL DE GESTÃO DO CONHECIMENTO/GESTÃO DE DOCUMENTOS, 4. 2001,
Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR/CITS, 2001. p. 199-218.

11 Evento como um Todo em Meio Eletrônico

NOME DO EVENTO,Ønúmero do evento em arábico (se houver),Øano do evento, ØLocal de realização


do evento.ØTítulo do documento (anais, atas, tópico temático, resumos, etc.).ØLocal de publicação:
ØEditora ,Ødata da publicação.

CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA - COBENGE, 36., 2008, São


Paulo. Anais eletrônicos. São Paulo: Instituto Mauá de Tecnologia, 2008. Disponível em:
<http://www.cobenge2008.com.br/>. Acesso em: 9 jan. 2009.

12 Patente

ENTIDADE RESPONSÁVEL E/OU AUTOR.Øtítulo.Ønúmero da patente e datas (do período de


registro).

INTERAÇÃO MARCAS E PATENTES S/C. Fabia Ferreira Aguiar (BR/SP).Processo para obtenção de
corante vermelho para maquiagem ecaracterização. PI0700574-1, 6 fev. 2007.

13 Patente em Meio Eletrônico

ENTIDADE RESPONSÁVEL E/OU AUTOR.Øtítulo.Ønúmero da patente e datas (do período de


registro). Disponível em: < endereço eletrônico>. Acesso em: dia mês ano.

YOUNG, Niguel David; READHll, Surrey. Eletronic TFT device manufacture. US EP 0797246 A1. 29
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________30

set. 1997. Disponível em: <http://www.ipr-village.info/portal/servlet/DIIDirect?CC=EP&PN=


797246&DT=HDDNb1oZMBsRohJiM.eQJ4oeMBo3UIMSflEOj.SY9lcDj1>. Acesso em: 15 jan. 2009.

14 Documento Jurídico (legislação)

Constituição, emendas constitucionais, lei complementar, lei ordinária, medida provisória,


decretos, normas emanadas de entidades públicas e privadas (ato normativo, portarias, resoluções, ordens
de serviço, circular, entre outros).

JURISDIÇÃO (País, Estado ou Município).Øtítulo.Ønumeração,Ødata e dados da publicação.

Ato Normativo
BRASIL. Tribunal Superior do Trabalho. Ato nº 801, de 23 de dezembro de 2008. Diário Oficial [da]
República Federativa do Brasil, Poder Judiciário, Brasília, DF, ano 146, n.1, p. 67, 2 jan. 2009. Seção
1, pt.1.

Código Civil
BRASIL. Código civil. São Paulo: Vértice, 2005. 638 p. (Legislação acadêmico-forense)

Constituição
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de
outubro de 1988. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990.

Decreto
BRASIL. Decreto-Lei n° 1.413, de 14 de agosto de 19 75. Dispõe sobre o controle da poluição do meio
ambiente provocada por atividades industriais. In: MORAES, Luis Carlos Silva de. Curso de direito
ambiental. São Paulo: Atlas, 2001. p.169-170.

Instrução Normativa
BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária.
Instrução normativa n º41, de dezembro de 2008. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil,
Poder Judiciário, Brasília, DF, ano 146, n. 1, p. 3-4, 2 jan. 2009. Seção 1, pt. 1.

Lei Ordinária
BRASIL. Presidência da República. Lei nº 7.746, de 30 de março de 1989. Dispõe sobre a composição e
instalação do Superior Tribunal de Justiça, cria o respectivo Quadro de Pessoal, disciplina o
funcionamento do Conselho da Justiça Federal e dá outras providências. In: ______. Superior Tribunal
de Justiça. STJ – Superior Tribunal de Justiça: regimento interno. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 1992. p.
83-90.

Medida Provisória
BRASIL. Medida provisória nº 581, de 12 de agosto de 1994. Dispões sobre os quadros de cargos de
Grupo-Direção e Assessoramento Superiores da Advocacia Geral da União. Diário Oficial [da]
República Federativa do Brasil, Brasília, DF, v. 132, n. 155, p. 12246, 15 ago. 1994. Seção 1, pt. 1.

Portaria
BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Portaria nº 322 de 16 de abril de 1998. Consulex: Leis
e Decisões, Brasília, v. 2, n. 18, jun. 1998.

Resolução
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________31

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Secretaria Executiva. Departamento de Gestão dos Fundos
de Investimentos. Resolução n º 37, de 29 de dezembro de 2008. Diário Oficial [da] República
Federativa do Brasil, Poder Judiciário, Brasília, DF, ano 146, n. 1, p. 32, 2 jan. 2009. Seção 1, pt. 1.

15 Imagem em Movimento (Inclui filmes, DVDs, videocassetes, entre outros)

TÍTULO.ØDiretor,ØProdutor.ØLocal:ØProdutora,Ødata eØespecificação do suporte físico.

PREVENÇÃO de incêndios: não há segunda chance. Curitiba: Coastal, 1997. 1 videocassete (20 min),
VHS, son., color.

DVD
O DIÁRIO de Bridget Jones. Direção: Sharon Maguire. Intérpretes. Renée Zellweger; Hugh Grant; Colin
Firth. [S.l.]: Universal Studios, 2005. 1 DVD (97min), son., color.

FITA DE VÍDEO – VHS


SHAKESPEARE apaixonado. Direção: John Madden. Intérpretes: Joseph Fiennes; Gwyneth Paltrow;
Geoffrey Rush; Judi Dench. [S.l.]: Universal Studios, 1998. 1 videocassete (122 min), VHS, son., color.
Glossário - Elemento opcional, é uma lista, em ordem alfabética, de palavras especiais, de sentido
pouco conhecido, obscuro, ou mesmo de uso muito restrito, acompanhadas de suas respectivas definições.
É como se fosse um dicionário no final da Monografia. O título Glossário deve ser escrito em letras
maiúsculas, centralizado, sem numeração e em negrito.

Apêndice - Elemento opcional, é o texto ou o


documento elaborado pelo próprio autor, com a finalidade de
complementar seu trabalho. O termo APÊNDICE deve ser
escrito em letras maiúsculas, centralizado, sem numeração e
em negrito. Identifica-se por letras maiúsculas consecutivas,
travessão e pelos respectivos títulos. Em caso de mais de um,
uma Lista de Apêndices deve ser elaborada. Não é anexo.
Exemplo:

Anexo(s) (opcional) - É um texto não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação,
comprovação e ilustração para a monografia, como cópias de artigos, manuais, folders, balancetes, etc. e
não precisam estar em conformidade com o modelo. É um elemento opcional e deve identificado por:
Palavra designativa (ANEXO) Letra maiúscula consecutiva, seguida de travessão - Título do Anexo, em
negrito, sem numeração e centralizado. Exemplo: ANEXO A - Balancete da Empresa A - 2009

Índice - Elemento opcional, devem ser elaborados conforme a NBR6034:2004 - Preparação de


índices de publicações. É uma enumeração detalhada dos assuntos, nomes de pessoas, nomes geográficos,
acontecimentos, etc., com a indicação de sua localização no texto e em ordem alfabética, não deve ser
confundida com o sumário (NBR 6037:2003). O índice pode ser de nomes e assuntos, de acontecimentos,
nomes geográficos, etc., já o sumário deve conter as principais divisões e subdivisões do documento
conforme aparece no texto. Exemplos:

ÍNDICE DE NOMES E ASSUNTOS SUMÁRIO


___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________32

1 INTRODUÇÃO ..................................................................................... 04
A 2 REVISÃO DE LITERATURA .............................................................. 07
Abelardo 19, 202 2.1 A utilização de dicas visuais no processo de ensino
Amor 125, 139 aprendizagem de habilidades motoras ...................................................... 08
2.2.1 Atenção seletiva .............................................................................. 10
B 2.2.2 A importância da atenção seletiva na aprendizagem de
Barth, Karl 20, 35, 79 habilidades motoras .................................................................................. 11
Boaventura 26, 203 2.2 Aspectos relacionados as implicações da surdez e filosofias
Bruno, Giordano 35, 185 educacionais ............................................................................................. 12
3 OBJETIVO ............................................................................................ 14
C 4 METODOLOGIA ................................................................................. 15
Calvino, João 12, 25, 230 4.1 Alunos ................................................................................................ 15
Creme 17, 156 4.2 Materiais ............................................................................................ 15
Cultua 36, 589 4.3 Tarefa ................................................................................................. 16
4.4 Delineamento e procedimentos .......................................................... 17
4.4.1 Viabilização da pesquisa ................................................................. 18
4.4.2 Instrumento ..................................................................................... 18
5 CRONOGRAMA .................................................................................. 19
REFERENCIAS ....................................................................................... 20

ANEXO – A - Estrutura Seqüencial da Monografia, Dissertação, Tese

Anexo(s) PÓS-TEXTO

Apêndice
Glossário

Referências

Conclusões
Corpo do Trabalho TEXTO

Introdução

Sumário
PRÉ-TEXTO
Lista de Símbolos

Lista de abreviaturas
e
siglas
Lista de tabelas
Lista de Ilustrações
(figuras
)
Resumo em Língua
estrangeir
a
Resumo na língua
vernácula
Epígrafe
Agradecimentos
Dedicatória
Dedicatória
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________33

Folha de Aprovação

Folha de rosto

Capa

PROJETO DE PESQUISA - NBR 15287: 2005


Esta norma estabelece os princípios gerais para apresentação de projeto de pesquisa
(ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2005b, p. 1). O termo projeto ou pré-projeto
antecede a elaboração da monografia, TCC, Dissertação e Tese . Mas, há Instituições que preferem usar o termo
Pré-projeto, na NBR 15287 está escrito “Projeto de pesquisa”. Possuem alguns itens básicos que devem ser
seguidos em sua elaboração (podendo haver variação de uma universidade para outra). A NBR 15287 não
determina quantas páginas o pré-projeto de pesquisa tem, mas sugere-se que não deverá ultrapassar 10
(dez) páginas, no mínimo de 3 páginas e deve estar relacionado obrigatoriamente a uma Linha de
Pesquisa específica do Programa do curso.

ESTRUTURA DO PROJETO
A estrutura de um Projeto de Pesquisa compreende:

CAPA (opcional), Mas recomendável.

FOLHA DE ROSTO (obrigatório)


Elementos Pré-textuais Obs.: Se exigido pela entidade, devem ser apresentados dados
curriculares do (s) autor (es) em folha(s) distinta(s) após a folha
São elaborados da mesma forma técnica que o TCC ou a de rosto.
Monografia. Não há folha de aprovação, dedicatória,
agradecimento ou resumo. LOMBADA (se necessário)

LISTA DE ILUSTRAÇÕES (opcional)

LISTA DE TABELAS (opcional)

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS (opcional)

LISTA DE SÍMBOLOS (opcional)

SUMÁRIO (obrigatório)
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________34

* TEMA/INTRODUÇÃO
*OBJETIVOS – GERAL E ESPECÍFICO
*JUSTIFICATIVA
*HIPÓTESE
*PROBLEMA
*REVISÃO DE LITERATURA – (REFERENCIAL TEÓRICO)
Elementos Textuais - Todos são obrigatórios. *METODOLOGIA
*RECURSOS E CRONOGRAMA

REFERÊNCIAS (obrigatório)
Elementos Pós-textuais GLOSSÁRIO (opcional)
APÊNDICE (S) (opcional)
ANEXO (S) (opcional)
São elaborados da mesma forma técnica que o TCC ou a ÍNDICES (S) (opcional)
Monografia.

1º. Elementos pré-textuais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Capa é um elemento opcional, e apresenta as


informações da seguinte forma: nome da entidade para
a qual é submetido o projeto, quando solicitado (fonte
12 ou 14, espaçamento 1,5); Nome do autor (fonte 12
NOME COMPLETO
ou 14, espaçamento 1,5); título, subtítulo (fonte 14,
espaçamento 1,5 - se houver); local onde deve ser
apresentado e ano de entrega do projeto (fonte 12,
espaçamento simples). Utilizar Arial ou Times,
centralizado, negrito e letras maiúsculas.
TITULO COMPLETO:

SUBTITULO (se houver)

Campinas

2007
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________35

Nome Completo do Autor

TITULO COMPLETO:

SUBTITULO (se houver) A Folha de rosto do projeto é um elemento


obrigatório. E as informações devem aparecer da
seguinte forma: nome do autor (1ª letra do nome
maiúscula, centralizada, negrito, fonte 12 ou 16); título
Projeto de pesquisa apresentado ao curso
de Pós-Graduação em Educação Física e subtítulo (caixa alta, centralizado, negrito, fonte 12
da Universidade Estadual de Campinas ou 18 - se houver subtítulo); tipo de projeto de pesquisa
e nome da entidade a que deve ser submetido (deve ser
alinhados do meio da mancha (folha) para a margem
direita, espaçamento simples, sem negrito, fonte 12);
local e ano (espaçamento simples, sem negrito, fonte
Orientador: 12, centralizado). O nome do orientador não é
obrigatório, mas sugestiona-se colocar.

Campinas

2007

Regras de Apresentação do Sumário

SUMÁRIO
A palavra sumário deve ser centralizada, escrita
com letras maiúsculas, em negrito; O título de cada seção 1 INTRODUÇÃO .................................................................2
deve ser digitado com o mesmo tipo de letra e formatação
em que aparece no corpo do texto (Arial ou Times). O 1.1 Tema...............................................................................
espaçamento é de 1,5. Deve figurar como último
elemento pré-textual; quando houver mais de um volume, 1.2 Problema.........................................................................
deve ser incluído completo em todos os volumes;
1.3 Hipóteses de Estudo..........................................................
Os elementos pré-textuais NÃO DEVEM
aparecer no sumário; Os indicativos das seções
1.4 Justificativa......................................................................
(capítulos) e subseções (subcapítulos) com seus
respectivos títulos, devem ser alinhados à esquerda e 2 OBJETIVOS....................................................................
deve-se usar a numeração progressiva. As seções devem
ser numeradas em algarism 2.1 Geral..............................................................................
os arábicos (1,2,3...), da introdução até a
conclusão; A indicação das páginas localiza-se à direita 2.2 Específicos......................................................................

de cada seção e é inserido apenas o número da página


3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA.......................................
onde se inicia a indicação e sugere-se ser antecedidos por
pontilhados. 4 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS........................

5 CRONOGRAMA...............................................................

REFERÊNCIAS................................................................
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________36

2º. Elementos textuais

Os elementos textuais devem ser constituídos de uma parte introdutória, na qual devem ser
expostos o tema do projeto, o problema a ser abordado, a(s) hipótese(s), quando couber(em), bem como
o(s) objetivo(s) a ser(em) atingido(s) e a(s) justificativa(s). É necessário que sejam indicados o referencial
teórico que o embasa, a metodologia a ser utilizada, assim como os recursos e o cronograma necessários à
sua consecução. Existem várias formas de organização dos elementos textuais, mas o conteúdo
normalmente sempre é o mesmo. Segue abaixo um modelo básico de pré-projeto ou projeto de pesquisa.

MODELO DE PRÉ-PROJETO DE PESQUISA

1 Introdução (Todo o conteúdo desta seção sugere-se ser em até 3/5 laudas)
1.1 Tema
Deve ser claro e objetivo, sintetizando do que se trata a pesquisa.
1.2 Delimitação do tema
Inicie seu trabalho, contextualizando, de forma sucinta, o tema de sua pesquisa dentro do
referencial teórico. É uma introdução do leitor ao tema. O último parágrafo será a formulação do
problema de pesquisa na forma de pergunta, que será abordado nos pormenores no próximo ponto. Ex.:
“Diante do objeto de pesquisa tal como aqui delimitado, tem-se como problema de pesquisa a seguinte
formulação: ...?”
1.3 Problema
A seguir afunile a visão macro do tema, para o problema a ser pesquisado. Concentre-se somente
no seu problema e identifique-o claramente. Delimite que aspectos ou elementos do problema você irá
tratar. Seja claro e preciso nesta parte. Lembre-se, a identificação e delimitação clara do problema é o
primeiro passo para aprovação do projeto e êxito na sua execução.
1.4 Hipóteses de Estudo (perguntas de pesquisa / pressupostos)
Depois de definido o seu problema de pesquisa este poderá ser desmembrado em hipóteses,
perguntas de pesquisa, pressupostos ou em indicadores. Estes irão determinar as relações entre as
variáveis que deram origem ao problema de pesquisa. Sugere-se ter 3 a 4 parágrafos.
1.5 Justificativa
Apresente neste parágrafo as justificativas técnicas, científicas e sociais da sua proposta. Arrole e
explicite argumentos que indiquem que sua pesquisa é significativa, importante ou relevante. Sugere-se
ser em até 2 laudas sobre a relevância deste trabalho para o conhecimento sobre seu objeto de estudo, em
outras palavras, PARA QUE será feita esta monografia.
2 OBJETIVOS (Todo o conteúdo desta seção sugere-se ser em até 1 lauda)
Aqui você indica, clara e exatamente, o que você quer fazer, que metas você quer alcançar com a
sua pesquisa. Sugere-se a definição de um objetivo geral e de até três objetivos específicos.
2.1 Objetivo geral
Um parágrafo na forma de tópico sobre O QUE será feito na monografia.
2.2 Objetivos específicos
Alguns parágrafos de desdobramento do objetivo geral, ressaltando enfoques a partir do objetivo
geral. Os objetivos sempre são verbos no indicativo relacionados à prática de pesquisa: analisar, verificar,
mostrar, etc;
3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Constitui item importante a ser considerado para a aprovação da proposta. Assim, deve-se fazer
uma boa revisão bibliográfica para saber o que já foi pesquisado. Caso um idéia tenha surgido de um
autor, deverá ser citado.Neste item o aluno apresentará um texto revisando ou explicitando o que
pesquisadores/autores expõem sobre a temática do projeto. Pode ser leis, documentos, etc.
4 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS (Material e Métodos)
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________37

Aqui você desenha sua pesquisa. Em outras palavras, indique como pretende executá-la. Isto é, se
for uma pesquisa qualitativa, de que maneira você pretende coletar e analisar os dados qualitativos
(observação/entrevistas,etc). Se for uma pesquisa quantitativa, de que maneira pretende coletar dados.
Apresente em linhas gerais o método a ser utilizado para a execução da pesquisa, demonstrando como
será feita a pesquisa e quais técnicas serão utilizadas (pesquisa bibliográfica, documental, entrevistas, etc.
5. CRONOGRAMA
O candidato deverá apresentar um plano de atividades desenvolvidas no pré-projeto.

Atividades mar abr mai jun jul ago set out nov
Elaboração do projeto d
X

Entrega do projeto 28/08/11

Pesquisa bibliográfica X
X

Coleta de Dados X
X

Apresentação e X
discussão dos dados X

Conclusão X

Entrega do TCC 20/11/11

Defesa da banca 28/11/11

3º. Elementos pós-textuais (OBRIGATÓRIO)


As referências devem ser digitadas em espaçamento simples, em ordem alfabética de autor
(sobrenome do autor) e separadas entre si por dois espaços simples. Devem ser alinhadas e sem recuo,
fonte (letra) Arial ou Times, tamanho 12, devem ser digitadas em espaço simples e separadas entre si, por
dois espaços simples.

Regras gerais de apresentação

Formato
Os textos devem ser apresentados em papel branco, formato A4 (21 cm x 29,7 cm), digitados ou
datilografados no anverso das folhas, impressos em cor preta, podendo utilizar outras cores somente para
as ilustrações. O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do projeto de pesquisa.
Recomenda-se, para digitação, a utilização de fonte tamanho 12 para todo o texto, excetuando-se
as citações de mais de três linhas, notas de rodapé, paginação e legendas das ilustrações e das tabelas, que
devem ser digitadas em tamanho menor e uniforme (recomenda-se 10 ou 11).
No caso de citações de mais de três linhas, deve-se observar, também, um recuo de 4 cm da
margem esquerda. Para textos datilografados, observa-se apenas o recuo. Mas, o recuo do parágrafo
sugere-se entre 1,25 e 2 cm

Margem
As folhas devem apresentar margem esquerda e superior de 3 cm; direita e inferior de 2 cm.

Espacejamento
Todo o texto deve ser digitado ou datilografado com espaço 1,5, entrelinhas, excetuando-se as
citações de mais de três linhas, notas de rodapé, referências, legendas das ilustrações e das tabelas, tipo de
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________38

projeto de pesquisa e nome da entidade, que devem ser digitados ou datilografados em espaço simples. As
referências ao final do projeto devem ser separadas entre si por dois espaços simples.
Os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede ou que os sucede por dois
espaços 1,5.
A folha de rosto do projeto é um elemento obrigatório, mas a capa não é obrigatório. E as
informações devem aparecer da seguinte forma: nome do autor; título e subtítulo (se houver subtítulo);
tipo de projeto de pesquisa e nome da entidade a que deve ser submetido deve ser alinhados do meio da
mancha (folha) para a margem direita; local e ano.

Notas de rodapé
As notas devem ser digitadas ou datilografadas dentro das margens, ficando separadas do texto por
um espaço simples e por filete de 3 cm, a partir da margem esquerda. Este recurso já vem no computador.

Indicativos de seção
O indicativo de seção é alinhado na margem esquerda, precedendo o título, dele separado por um
espaço e em algarismo arábico.
Títulos sem indicativo numérico
Os títulos sem indicativo numérico – lista de ilustrações, lista de abreviaturas e siglas, lista de
símbolos, sumário, referências, glossário, apêndice(s), anexo(s) e índice(s) – devem ser centralizados.

Numeração progressiva
Para evidenciar a sistematização do conteúdo do projeto, deve-se adotar a numeração progressiva
para as seções do texto. Os títulos das seções primárias, por serem as principais divisões de um texto,
devem iniciar em folha distinta. Destacam-se gradativamente os títulos das seções conforme a ABNT
NBR 6024.

Paginação
Todas as folhas do projeto, a partir da folha de rosto (lista de ilustrações, lista de abreviaturas e
siglas, lista de símbolos, sumário), devem ser contadas sequencialmente, mas não numeradas.
A numeração é colocada, a partir da primeira folha da parte textual, em algarismos arábicos, no
canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o último algarismo a 2 cm da borda
direita da folha. No caso de o projeto ser constituído de mais de um volume, deve ser mantida uma única
sequencia de numeração das folhas, do primeiro ao último volume. Mas, as referências, glossário,
apêndice(s), anexo(s) e índice(s), suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação
deve dar seguimento à do texto principal.
Citações
As citações devem ser apresentadas conforme a ABNT NBR 10520. Abreviaturas e siglas
Mencionada pela primeira vez no texto, a forma completa do nome precede a abreviatura ou a sigla
colocada entre parênteses. Exemplos: Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

Ilustrações
Qualquer que seja o seu tipo (desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas,
organogramas, plantas, quadros, retratos e outros), sua identificação, no texto, aparece na parte inferior,
precedida da palavra designativa, seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos
arábicos, do respectivo título e/ou legenda explicativa (de forma breve e clara dispensando consulta ao
texto), e da fonte. A ilustração deve ser inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere,
conforme o projeto gráfico.
Tabelas
As tabelas devem ser apresentadas conforme o IBGE. A identificação da tabela no texto do
trabalho sempre é no topo da tabela; o título é precedido pela palavra “TABELA”, seguido do seu número
de ordem (em algarismos arábicos). A fonte deve situar-se logo abaixo da tabela. É obrigatória a
indicação da fonte, quando a tabela não for elaborada pelo autor.
___________________________________________________Profª. Rosângela Adell________________________39

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6024: Informação e documentação:


numeração progressiva das seções de um documento escrito: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 3 p.

______. NBR 6027: Informação e documentação: sumário: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 2 p.

______. NBR 6028: Informação e documentação: resumo: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 2 p.

______. NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de


Janeiro, 2002. 7 p.

______. NBR 6023: Informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002. 24 p.

______. NBR 14724: Informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro:
2002. 6 p.

______. NBR 5892: Norma para datar. Rio de Janeiro, 1989. 2 p.

______. NBR 6032: Abreviação de títulos de periódicos e publicações seriadas. Rio de Janeiro, 1989. 14p

______. NBR 10522: Abreviação na descrição bibliográfica. Rio de Janeiro, 1988. 11 p.

______. NBR 5891: Regras de arredondamento na numeração decimal. Rio de Janeiro, 1977. 1 p.

BASTOS, CALEVERSON E Keller, Vicente. Aprendendo a aprender: uma introdução à metodologia


científica. Ed. Vozes, 12ª Ed, 1999.

DEMO, Pedro. Saber pensar. São Paulo, Cortez, 2001.

GIL, Antônio Carlos. Metodologia do Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 2007.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo, Atlas, 1985.

SALOMON, Délcio Vieira. Como fazer uma monografia. 8.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 20.ed. São Paulo:Cortez, 1996.

Você também pode gostar