Você está na página 1de 36

unicípio de Macapá

DECRETO ^ 526/91 DE 27 DE NOVEMBR^ DE 1991v ANO VIII ^ N 331


Macapá - Amapá - 24 de Abril de 2013

PREFEITURA DE MACAPÁ
Clécio Luis Vllherta Vieira
LEI
Prefeito de Macapá,
Telma Adriana Nery Paiva,,",
Vlce-Prefeita de Macapá LEI COMPLEMENTAR N 122/2018-PMM
Raimundo Sérgio Moreira de Lemos
Secretário Municipal do Gabinete do Prefeito
Charles Willlam de Souza Rui Seco DISPÕE SOBRE O ESTATUTO
Comandante da Guarda Civil Municipal de Macapá
SECRETÁRIOS DOSSERVIDORES
Jorge da Silva Pires PÚBLICOS DO MUNICÍPIO
Secretário Especial da Governadorla - SEGOV
Dejalma Espirito Santo Ferreira Teixeira DEMACAPÁ,DAS
Secretário Especial de Coord. das Sub-Prefeituras
Paulo Jorge Viana de Brito% AUTAROUIASEDAS
Subprefeito da Subprefeitura da Zona Norte > FUNDAÇÕES PÚBLICAS E DÁ
José Diniz Silva de Sena
Secretário Mun. para Ass.Ext.-SEMAE (Int. e C^mulativamente) OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
Carlos Michel Miranda da Fonseca
Secretário Municipal de Administração - SEMAD
Jesus de Nazaré de Almeida Vidal 0PREFEITO MUNICIPAL DE MACAPÁ:
Secretário Municipal de Finanças - SEMFI
Paulo Sérgio Abreu Mendes Faço saber que a Câmara Municipal de
Secretário Municipal de Planejamento e Coord. Geral - SEMPLA Macapá, aprovou e eu sanciono a seguinte Lei
Sandra Maria Martins Cardoso Casemlro
Secretária Municipal de Educação - SEMED Complementar:
Alexsandra Yuriml Meguro Cascaes .'>•
Secretária Mun.de Assist.Soc.e do Trabalho-SEMAST-interina e cumula
tivamente TÍTULO I
Rodrigo dos Santos Carvalho
Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico - SEMDEC CAPÍTULO ÚNICO
Eidren Silva Lage DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
Secretário Municipal de Saúde - SEMSA
Emílio Roberto Escobar Art. 1o Esta Lei Complementar dispõe sobre
Secretário Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana - SEMOB
Augusto César Almeida da Silva o Estatuto dos servidores públicos do Município
Secretário Municipal de Manutenção Urbanística - SEMUR de Macapá, instituindo o Regime Jurídico dos
Katla Maria Tork Rodrigues
Secretária Municipal de Desenv. Urbano e Habitacional - SEMDUH Servidores Públicos do Município de Macapá,
Mizael Monteiro Lima
Secretário Esp. de llum. Pública - SEIP das autarquias e das fundações públicas.
Mareio Roberto Pimentel de Sousa - c^mulativamente Art. 2 Para os efeitos da presente Lei
Secretário Municipal de Meio Ambiente - SEMAM
Taisa Mara Morais Mendonça Complementar, considera-se:
Procuradora Geral do Município - PROGEM 1- servidor público: pessoa legalmente
Janusa Nogueira Rodrigues
Corregedora Geral do Municipio - CORGEM investida em cargo público;
Nalr Mota Dias II- cargo público: a unidade básica do
Controladora Geral do Municipio - COGEM
O Maykom Magalhães da Silva
Diretor-Presidente do Instituto Municipal de Politica de
Promoção da Igualdade Racial - IMPROIR
quadro de pessoal, criado por lei, com
denominação própria e remunerado pelos cofres
Herlaldo Teixeira Monteiro públicos, cujo provimento individualiza ao seu
Diretor-Presidente do Parque Zoobotânico Municipal - FPZM
DIRETORES DE EMPRESAS ocupante o conjunto de atribuições e
Marco Aurélio Souza Ramalho
Diretor Presidente da MacapaPrev responsabilidades que lhe são cometidas,
Monica Cristina da Silva Dias
Diretora Presidente da EMDESUR podendo ser:
André Luiz Alves de Lima a)efetivo: o de caráter permanente, provido
Diretor Prp^iH^ntp Ha rVTMar
mediante aprovação prévia em concurso
público de provas ou provas e títulos;
EXPEDIENTE
b)cargo em comissão: o de livre nomeação e
O D.O.M. poderá ser encontrado na Divisão de Imprensa exoneração, destina-se exclusivamente às
Oficial do Município, Departamento de Administração
Financeira da SEMAD-PMM. atribuições de direção, chefia e
REMESSAS DE MATÉRIAS assessoramento.
III- função de confiança: conjunto de
As matérias a serem publicadas no Diário Oficiai do
Município, somente serão aceitas se apresentadas das atribuições de direção, chefia, assessoramento
seguintes medidas: 8 cm de largura para 2 colunas, 17 cm ou assistência, a ser exercida exclusivamente
de largura para 1 coluna no caso de balanços, tabelas e
quadros. por servidores ocupantes de cargo efetivo
RECLAMAÇÕES integrante do quadro municipal mediante
designação da autoridade competente.
Deverão ser dirigidas por escrito, ao GAB da Secretaria
Municipal de Administração- SEMAD/PMM, até 8(oito) dias IV- plano de carreira: o conjunto de
apos a publicação. princípios e normas que disciplinam o ingresso,
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.02

bem como, regulam o desenvolvimento do assegurado o direito de candidatar-se ao


servidor na carreira, correlacionam as ingresso no serviço público para o exercício de
respectivas classes e cargos efetivos com os cargos, cujas atribuições sejam compatíveis
níveis de escolaridade e de remuneração dos com o respectivo grau de deficiência, para as
profissionais que os ocupam e estabelecem quais serão reservados até vinte por cento do
critérios para o seu desenvolvimento, através total das vagas oferecidas para o respectivo
de promoção e progressão, em razão da cargo, arredondado para número inteiro
natureza e do grau de complexidade exigida consecutivo, caso a fração seja igual ou
para o desempenho dos serviços públicos; superior à meio.
V- carreira: o conjunto de classes de cargos 1o Na hipótese das vagas oferecidas nos
de mesma profissão, natureza do trabalho ou termos do "caput" serem inferiores a cinco, a
atividade, em cada grupo ocupacional, critério da administração poderá ser fixado um
escalonadas segundo a responsabilidade e quantitativo para pessoas com deficiência.
complexidade inerentes à suas atribuições, e 2 O candidato que, no ato da inscrição, se
que indicam a trajetória do servidor, mediante declarar pessoa com deficiência, se
progressão e promoção, observados o tempo de classificado dentro do limite das vagas
serviço, a escolaridade e a qualificação reservadas, para efeitos de ordem de
profissional, regida por regras específicas de nomeação, figurará em lista específica e
ingresso, desenvolvimento, remuneração e integrará a listagem de classificação geral dos
avaliação de desempenho; candidatos ao cargo de sua opção, de acordo
com a nota alcançada.
VI- grupo ocupacional: conjunto de carreiras
3o O candidato que for pessoa com
ou cargos isolados, reunidas segundo a
deficiência convocado para nomeação e posse,
correlação e afinidades existentes entre elas,
será submetido à junta médica municipal que
quanto à natureza do trabalho e grau de
terá decisão terminativa sobre a sua
complexidade e conhecimentos aplicados em
qualificação como pessoa com deficiência,
atividades próprias;
VII- classe: a divisão básica da carreira, atestando o grau de deficiência capacitante ou
incapacitante para exercer as atividades do
integradas por ou referências, que agrupa os
cargos da mesma complexidade ou cargo reservado.
denominação, segundo o tempo de serviço, o Art. 6 O provimento de cargos públicos dar-
nível de escolaridade, de atribuições e se-á mediante ato da autoridade competente de

responsabilidades; cada Poder.


Art. 7 A investidura em cargo público
VIII- referência: nível integrante da faixa de
vencimento básico fixado para a classe, ocorrerá com a posse.
atribuída ao ocupante do cargo em decorrência Art. 8o São formas de provimento de cargo

de seu tempo de serviço na classe; público:


IX- tabela de vencimento: a escala de I- nomeação;
vencimentos básicos atribuídos ao servidor pelo II- promoção;
efetivo exercício do cargo, estruturada em III- reintegração;
classes e subdividas em referências; IV- reversão;
Art. 3o É proibida a prestação de serviços V- aproveitamento;
gratuitos, salvo os casos previstos em lei. VI- readaptação;
TÍTULO II VII- recondução.
DO PROVIMENTO, VACÂNCIA, REMOÇÃO, Seção II
REDISTRIBUIÇÃO E SUBSTITUIÇÃO. Do Concurso Público
CAPÍTULO I Art. 9 O concurso será de provas ou de
DO PROVIMENTO provas e títulos, de acordo com a natureza e a
Seção I complexidade do cargo, podendo ser realizado
Disposições Gerais em uma ou mais etapas, conforme dispuserem a
lei e o regulamento respectivo, condicionada a
Art. 4 São requisitos básicos para inscrição do candidato e ao pagamento do valor
investidura em cargo público: fixado no edital, quando indispensável ao seu
I- nacionalidade brasileira ou situação custeio, e ressalvadas as hipóteses de isenção
equivalente; nele expressamente previstas.
II- idade mínima de dezoito anos; Art. 10. O concurso público terá validade de
III- gozo dos direitos políticos; até dois anos, podendo ser prorrogado uma
IV- quitação das obrigações militares e única vez, por igual período.
eleitorais; 1 O prazo de validade do concurso e as
V- o nível de escolaridade exigido para o condições de sua realização serão fixados em
exercício do cargo; edital, que será publicado no Diário Oficial do
VI - aptidão física e mental. Município e em jornal diário de grande
Parágrafo único. As atribuições do cargo circulação, no prazo mínimo de vinte dias antes
podem justificar a exigência de outros da data de início das inscrições.
requisitos estabelecidos em lei. 2 Durante o prazo de validade previsto no
Art. 5 Às pessoas com deficiência é edital, os candidatos aprovados em concurso
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.03

anterior terão prioridade de convocação sobre posse no novo cargo será a data de retorno ao
novos concursados. serviço.
3 Poderá o edital do concurso público 4 Será tornado sem efeito o ato de
municipal, prever a reclassificação dos provimento se a posse não ocorrer no prazo
candidatos aprovados, por uma única vez, a previsto no 2 deste artigo.
critério da Administração, mediante 5a No ato da posse, o servidor apresentará
requerimento. declaração de bens e valores que constituem
Seção ill seu patrimônio e declaração quanto ao
Da Nomeação exercício ou não de outro cargo, emprego ou
Art. 11. A nomeação far-se-á: função pública.
I- em caráter efetivo, para os cargos 6 A posse poderá dar-se mediante
isolados ou de carreira, quando se tratar de procuração específica.
cargo cuja investidura dependa de aprovação Art. 14. São competentes para dar posse:
em concurso público; I- no âmbito do Poder Executivo:
II- em comissão, inclusive na condição de a)o Prefeito;
interino, para os cargos de livre nomeação e b)o Secretário Municipal de Administração,
exoneração declarados em lei. mediante delegação.
1 As funções de confiança serão II- no âmbito da Câmara Municipal, o
exercidas exclusivamente por servidores do Presidente.
Quadro Efetivo e pelo menos vinte por cento Art. 15. A posse dependerá da apresentação
dos cargos em comissão deverão ser ocupados dos documentos previstos em edital do
por servidores de carreira, nos termos do concurso ou no ato de nomeação, dentro do
disposto no art. 37, V, da Constituição Federal. prazo previsto no 2o do Art. 13 desta Lei, bem
2 O servidor ocupante de função de como de prévia inspeção médica oficial em que
confiança, cargo em comissão ou de natureza julgar o servidor apto fisica e mentalmente para
especial poderá ser nomeado para ter exercício, o exercício do cargo.
interinamente, em outro cargo ou função de Seção V
confiança, sem prejuízo das atribuições do que Do Exercício
atualmente ocupa, hipótese em que deverá Art. 16. Exercício é o efetivo desempenho
optar pela remuneração de um deles durante o das atribuições do cargo público ou da função
periodo da interinidade. de confiança.
Art. 12. A nomeação para cargo de carreira 1o É de quinze dias o prazo para o servidor
ou cargo isolado de provimento efetivo depende empossado em cargo público entrar em
de prévia habilitação em concurso público de exercício, contados da data da posse.
provas ou de provas e títulos, obedecidos a 2 O servidor será exonerado do cargo ou
ordem de classificação e o prazo de sua será tornado sem efeito o ato de designação
validade. para função de confiança, se não entrar em
Parágrafo único. Os demais requisitos para o exercício no prazo previsto no parágrafo
ingresso e o desenvolvimento do servidor na anterior.
carreira, mediante promoção, serão 3 A chefia imediata do servidor é a
estabelecidos pela lei que fixar as diretrizes do autoridade competente para dar-lhe exercício,
sistema de carreira na Administração Pública sendo o registro de freqüência a comprovação
Municipal e seus regulamentos. do ato.'
Seção IV 4 O início do exercício da função de
o Da Possse confiança coincidirá com a data de publicação
Art. 13. A posse dar-se-á pela assinatura do do ato de designação, salvo quando o servidor
respectivo termo pela autoridade competente e estiver em licença ou afastado por qualquer
pelo servidor, no qual deverão constar as outro motivo legal, hipótese em que recairá no
atribuições, os deveres, as responsabilidades e primeiro dia útil após o término do
os direitos inerentes ao cargo ocupado. impedimento.
1o Só haverá posse nos casos de 5 O servidor só terá direito a remuneração
provimento de cargo por nomeação. do cargo ou da função de confiança após a
2o A posse ocorrerá no prazo de trinta dias entrada em exercício.
contados da publicação do ato de provimento, Art. 17. O início, a suspensão, a interrupção
prorrogável por mais trinta dias, a requerimento e o reinicio do exercício serão registrados no
do interessado. assentamento individual do servidor.
3o Em se tratando de servidor público que Parágrafo único. O início do exercício e as
esteja, na data de publicação do ato de alterações que nele ocorrerem serão
provimento, em licença por motivo de comunicados ao órgão de pessoal pelo chefe
tratamento da própria saúde, acidente de imediato do servidor.
trabalho ou doença em pessoa da família, dé Art. 18. Ao entrar-em exercício, o servidor
serviço militar, júri e outros serviços apresentará ao setor competente os elementos
obrigatórios por lei ou afastado em razão de necessários ao seu assentamento individual.
férias, licença-prêmio, licença gestante ou Art. 19. A promoção não interrompe o tempo
maternidade, o termo inicial do prazo para de exercício, que é contado no novo
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.04

posicionamento na carreira a partir da data de homologação da autoridade competente a


publicação do ato que promover o servidor. avaliação especial do desempenho do servidor,
Art. 20. O servidor que deva ter exercício em realizada por Comissão instituída para essa
outra localidade com mudança de domicílio em finalidade, sem prejuízo da continuidade de
razão de ter sido removido, redistribuído, apuração dos fatores enumerados nos incisos I
requisitado ou cedido terá, sem prejuízo da a V do caput deste artigo.
remuneração, no mínimo, três e, no máximo, 2o A comissão de que trata o 1o será
cinco dias de prazo, contados da publicação do composta por três servidores estáveis do
ato, para a retomada do efetivo desempenho mesmo cargo ou de cargo de escolaridade
das atribuições do cargo, incluído nesse prazo o superior da mesma carreira do avaliado.
tempo necessário para o deslocamento para a 3o Não sendo possível a aplicação do
nova sede. disposto no 2, a composição da comissão
1o Na hipótese de o servidor encontrar-se deve ser definida, conforme o caso:
em licença ou afastado legalmente, o prazo a I- pelo Presidente da Câmara Municipal;
que se refere este artigo será contado a partir II- pelo Secretário Municipal ou titular de
do término do impedimento. cargo assemelhado ou equivalente a que o
2o É facultado ao servidor declinar dos avaliado esteja subordinado, incluídos os
prazos estabelecidos no caput sem receber servidores de autarquia, fundação e demais
qualquer retribuição pecuniária ou órgãos vinculados.
compensação por este ato. 4o Para proceder à avaliação especial, a
Seção VI comissão deve observar os seguintes
Da Duração do Trabalho procedimentos:
Art. 21. Os servidores cumprirão jornada de I- adotar, como subsídios para sua decisão,

O trabalho fixada em razão das atribuições


relacionadas aos respectivos cargos,
as avaliações feitas na forma do "caput",
incluídos eventuais pedidos de reconsideração,
respeitada a duração máxima do trabalho recursos e decisões sobre eles proferidas;
semanal de quarenta horas e observados os II- ouvir, separadamente, o avaliador e, em
limites mínimo e máximo de seis horas e oito seguida, o avaliado;
horas diárias, respectivamente. III- realizar, a pedido ou de ofício, as
1o O disposto neste artigo não se aplica a diligências que eventualmente emergirem das
duração de trabalho estabelecida em leis oitivas de que trata o inciso II;
especiais do Município. IV- aprovar ou reprovar o servidor no
2o Os servidores em atividades que, pela estágio probatório, por decisão fundamentada.
sua natureza, em razão do interesse público, 5 Será considerado aprovado no estágio
tenham que desenvolver serviços continuados, probatório o servidor que alcançar no mínimo
terão escala de revezamento (plantão), cinqüenta por cento do total dos pontos
regulamentada por ato do Chefe do Poder distribuídos nos critérios de avaliação, de
Executivo. acordo com a avaliação efetivada pelo superior
imediato do servidor.
3 Os intervalos de descanso não serão
6 Contra a reprovação no estágio
computados na duração do trabalho.
probatório cabe pedido de reconsideração ou
4o O ocupante de cargo em comissão ou
recurso, a serem processados na forma desta
função de confiança submete-se a regime de
integral dedicação ao serviço, observado o Lei Complementar, dirigido diretamente ^o

o disposto no Art. 147, podendo ser convocado


sempre que houver interesse da Administração.
Prefeito Municipal de Macapá ou ao Presidente
da Câmara Municipal, demonstrando os
Art. 22. Será assegurado a todo servidor um elementos da inconformidade por parte do
descanso semanal mínimo, o qual, salvo motivo servidor nos quinze dias subsequentes contados
de conveniência pública ou necessidade da ciência da decisão, o qual será apreciado
imperiosa do serviço, preferencialmente conclusivamente no prazo de trinta dias.
coincidir com o domingo. Art. 24. As autoridades de que trata o Art.
Seção VII 23, 3, são competentes para:
Do Estágio Probatório I- julgar, em única e última instância,
Art. 23. Ao entrar em exercício, o servidor qualquer recurso interposto na forma do Art. 23;
nomeado para cargo de provimento efetivo II- homologar o resultado da avaliação
ficará sujeito a estágio probatório por período especial feita pela comissão e, como
de trinta e seis meses, durante o qual a sua conseqüência, efetivar o servidor no cargo,
aptidão e capacidade serão objeto de avaliação quando ele for aprovado no estágio probatório.
para o desempenho do cargo, observados os Art. 25. O servidor reprovado no estágio
seguintes fatores: probatório deve ser, conforme o caso,
I- assiduidade; exonerado ou reconduzido ao cargo de origem.
II• disciplina; Art. 26. O servidor em estágio probatório
III- capacidade de iniciativa; poderá exercer cargo em comissão ou função
IV- produtividade; de confiança no âmbito do Município, sendo
V- responsabilidade. vedada nesse período a cedência do servidor a
1o Quatro meses antes de findo o período qualquer título.
do estágio probatório, será submetida à Art. 27. Ao servidor em estágio probatório
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.05

somente poderão ser concedidas as licenças servidor aposeniado:


previstas nos incisos I, II, III, IV, VIII e IX do Art. I- por invalidez, quando junta médica oficial
103, bem assim o afastamento para participar declarar insubsistentes os motivos da
de curso de formação decorrente de aprovação aposentadoria; ou
em concurso para outro cargo na Administração II- no interesse da administração, desde
Pública do Município. que concomitantemente:
Parágrafo único. O estágio probatório ficará a)tenha solicitado a reversão;
suspenso durante as licenças que trata o caput, b)a aposentadoria tenha sido voluntária;
bem como os afastamentos previstos nos Art. c)estável quando na atividade;
105 a Art. 107 e ainda na hipótese de d)aposentadoria tenha ocorrido nos cinco
participação em curso de formação, e será anos anteriores à solicitação;
retomado a partir do término do impedimento. e)haja cargo vago.
Seção VIII 1o A reversão far-se-á no mesmo cargo ou
Da Estabilidade no cargo resultante de sua transformação.
Art. 28. O servidor habilitado em concurso 2 No caso do inciso I do caput,
público e empossado em cargo efetivo adquirirá encontrando-se provido ou extinto o cargo, o
estabilidade no serviço público ao completar servidor exercerá suas atribuições como
três anos de efetivo exercício, desde que excedente de lotação, até a ocorrência de vaga.
aprovado no estágio probatório. 3o O servidor perceberá em substituição
Parágrafo único. O servidor público estável aos proventos da aposentadoria, a remuneração
só perderá o cargo: do cargo que voltar a exercer, inclusive com as
I- em virtude de sentença judicial transitada vantagens de natureza pessoal que percebia
em julgado; anteriormente à aposentadoria.
II- mediante processo administrativo em que 4 O servidor que trata o inciso II do caput
lhe seja assegurada ampla defesa; somente terá os proventos calculados com base
III- mediante procedimento de avaliação nas regras atuais se permanecer pelo menos
periódica de desempenho, na forma da lei cinco anos no cargo.
complementar, assegurada ampla defesa. Art. 32. A reversão, no interesse da
Seção IX administração nos termos do inciso II do caput
Da Readaptação do Art. 31, fica sujeita à existência de dotação
Art. 29. Readaptação é a investidura do orçamentária e financeira e observação aos
servidor em cargo de atribuições e dispositivos da Lei Complementar n 101, de 4
responsabilidade compatíveis com a limitação de maio de 2000 - Lei de Responsabilidade
que tenha sofrido em sua capacidade física ou Fiscal.
mental, verificada em inspeção médica. Art. 33. Não poderá reverter o aposentado
1o Se julgado incapaz para o serviço que já tiver completado setenta e cinco anos de
público, o readaptando será aposentado. idade.
2o A readaptação será efetivada em cargo Seção XII
de atribuições afins, respeitada a habilitação Da Disponibilidade e do Aproveitamento
exigida, nível de escolaridade e equivalência de Art. 34. Extinto o cargo ou declarada a sua
vencimentos e, na hipótese de inexistência de desnecessidade, o servidor estável ficará em
cargo vago, o servidor exercerá suas disponibilidade, com remuneração proporcional
atribuições como excedente, até a ocorrência ao tempo de serviço, até o seu adequado
da vaga. aproveitamento em outro cargo de atribuições e
Seção X vencimentos compatíveis com o anteriormente
Da Reintegração ocupado.
Parágrafo único. Será tornado sem efeito o
Art. 30. A reintegração é a reinvestidura do
aproveitamento e cassada a disponibilidade do
servidor estável no cargo anteriormente
servidor que não entrar em exercício dentro do
ocupado, ou no cargo resultante de sua
transformação, quando invalidada a sua prazo legal, salvo doença comprovada por junta
demissão por decisão administrativa ou judicial, médica oficial.
Art. 35. Havendo mais de um concorrente à
com ressarcimento de todas as vantagens.
Io Na hipótese de o cargo ter sido extinto, mesma vaga de cargo público, terá preferência
o servidor será aproveitado em outro cargo de o que contar mais tempo de disponibilidade e,
vencimentos e habilitação profissional em igualdade de condições, o de maior tempo
equivalentes ou ficará em disponibilidade de serviço público.
remunerada proporcionai ao tempo de serviço. Seção Xill
2 Havendo eventual ocupante do cargo, se Da Recondução
estável, será reconduzido ao cargo de origem, Art. 36. Recondução é o retorno do servidor
sem direito à indenização, aproveitado em outro estável ao cargo anteriormente ocupado e
cargo de vencimentos e habilitação profissional decorrerá de:
equivalentes ou posto em disponibilidade, com I- inabilitação em estágio probatório
remuneração proporcional ao tempo de serviço. relativo a outro cargo;
Seção XI II- reintegração do anterior ocupante.
Da Reversão Parágrafo único. Encontrando-se provido o
Art. 31. Reversão é o retorno à atividade de cargo de origem, o servidor será aproveitado em
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.06

outro, observado o disposto no art. 34.


Seção II
CAPÍTULO II
Da Remoção
DA VACÂNCIA DE CARGOS
Art. 42. Para fins do disposto nesta lei,
Art. 37. A vacância do cargo público
entende-se por modalidades de remoção:
decorrerá de:
I- de ofício, no interesse da Administração;
I• exoneração;
II- a pedido, a critério da Administração;
II- demissão;
III- a pedido, para outra localidade do
III- promoção;
Município, independentemente do interesse da
IV- readaptação;
Administração:
V- aposentadoria;
a)por motivo de saúde do servidor, cônjuge,
VI- posse em outro cargo inacumulável;
companheiro ou dependente que viva às suas
VII-falecimento.
expensas e conste do seu assentamento
Art. 38. A exoneração de cargo efetivo dar-
funcional, condicionada à comprovação por
se-á a pedido do servidor, ou de ofício.
junta médica oficial;
Parágrafo único. A exoneração de ofício dar-
b)para acompanhar cônjuge ou
se-á:
companheiro, também servidor público
I- quando não satisfeitas as condições do
municipal, que foi removido no interesse da
estágio probatório;
Administração, desde que exerça as atribuições
II- quando, tendo tomado posse, o servidor
do cargo efetivo.
não entrar em exercício no prazo estabelecido,
c)em virtude de processo seletivo
Art. 39. A exoneração de cargo em comissão
promovido, na hipótese em que o número de
e a dispensa de função de confiança dar-se-á:
interessados for superior ao número de vagas,
I- a juízo da autoridade competente;
de acordo com normas preestabelecidas pelo
O II- a pedido do próprio servidor.
CAPÍTULO III
órgão ou entidade em que aqueles estejam
lotados.
DA MOVIMENTAÇÃO
1 É vedada a remoção de ofício de
Seção I
servidor:
Disposições Gerais
I- regularmente matriculado em curso de
Art. 40. Movimentação é a mudança do local
formação, aperfeiçoamento, especialização
de trabalho do servidor sem alteração da sua
profissional que guarde correspondência com
situação funcional, nos termos e condições
as atribuições do cargo ocupado na respectiva
definidas em regulamento, obedecidas as
carreira;
seguintes definições:
II- a partir do registro da candidatura a
: I - lotação: unidade administrativa a qual o
cargo de direção ou representação sindical e,
servidor está designado para exercer as
se eleito, até um ano após o final do mandato;
atribuições do cargo que ocupa.
III- no período de gestação e até seis meses
II- localização: setor ou órgão, pertencente
após o parto.
à Unidade Administrativa, no qual o servidor
2 A remoção de ofício do servidor que se
encontra-se desenvolvendo as atribuições do
encontrar na situação prevista no 1 poderá
cargo que ocupa.
ocorrer se encerradas as atividades do órgão
III- remoção: deslocamento do servidor, a
público no local.
pedido ou de ofício, de uma unidade
Seção III
administrativa para outra, com ou sem
Da Redistribuição
alteração de domicílio, por ato da autoridade
Art. 43. Redistribuição é o deslocamento de
competente;
cargo de provimento efetivo, ocupado ou vago
IV• cessão: ato pelo qual o servidor é
no âmbito do quadro geral de pessoal, para
colocado temporariamente à disposição de
outro órgão ou entidade do mesmo Poder,
outro Ente público, inclusive de outro Poder,
observados os seguintes preceitos:
Município, Estado, Distrito Federal ou União.
I- interesse da administração;,
; 1o Em qualquer caso a movimentação
II- equivalência de vencimentos;
somente poderá ser feita respeitada a dotação
III- manutenção da essência das atribuições
de pessoal de cada unidade administrativa.
do cargo;
2 No caso de remoção ou cessão de
IV- vinculação entre os graus de
servidor municipal, o ônus decorrente das
responsabilidade e complexidade das
despesas de deslocamento e da remuneração
atividades;
do servidor, a critério do Chefe do Poder
V- mesmo nível de escolaridade,
Executivo ou do Poder Legislativo Municipal,
especialidade ou habilitação profissional;
será do órgão ou entidade cessionário ou
VI- compatibilidade entre as atribuições do
cedente.
cargo e as finalidades institucionais do órgão
Art. 41. O servidor movimentado deverá
ou entidade.
assumir, no prazo máximo de quinze dias, o
1o A redistribuição ocorrerá de ofício para
exercício na unidade para qual foi deslocado,
ajustamento de lotação e da força de trabalho
salvo quando em férias, ou afastamentos legais,
às necessidades dos serviços, inclusive nos
hipóteses em que o prazo correrá a partir do
casos de reorganização, extinção ou criação de
primeiro dia útil após o término do
órgão ou entidade. '
impedimento.
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 07

2 A redistribuição de cargos efetivos TÍTULO III


vagos se dará mediante ato do Prefeito após DOS DIREITOS E VANTAGENS
estudo conjunto entre os órgãos e entidades da CAPÍTULO I
Administração Pública Municipal envolvidos. DO VENCIMENTO E DA REMUNERAÇÃO
3 Nos casos de reorganização ou extinção Art. 50. Para os efeitos desta Lei, a
de órgão ou entidade, extinto o cargo ou retribuição pecuniária devida na administração
declarada sua desnecessidade no órgão ou pública direta, autárquica e fundacional de
entidade, o servidor estável que não for qualquer dos Poderes do Município compreende:
redistribuído será colocado em disponibilidade, I- vencimento básico: a retribuição
até seu aproveitamento na forma do Art. 34. pecuniária devida ao servidor pelo efetivo
4o O servidor que não for redistribuído ou exercício do cargo público, com valor fixado em
colocado em disponibilidade poderá ser mantido lei;
sob responsabilidade do órgão central de II- vencimentos: a soma do vencimento
pessoal, e ter exercício provisório, em outro básico com as vantagens permanentes relativas
órgão ou entidade, até seu adequado ao cargo público;
aproveitamento. III- remuneração: a soma do vencimento
Seção IV básico, acrescido das vantagens de caráter
Da Transferência permanente, os adicionais de caráter individual
Art. 44. Transferência é a movimentação do e demais vantagens, nestas compreendidas as
servidor ocupante de cargo de provimento relativas à natureza ou ao local de trabalho,
efetivo, para outro cargo de igual denominação sendo excluídas as parcelas de caráter
requisitos de provimento, e idênticas indenizatório ou eventual, entre elas:
atribuições, de outro órgão, mas no mesmo a)diárias;
Poder. b)ajuda de custo;
Art. 45. Caberá a transferência: c)adicional noturno;
I- a pedido do servidor; d)adicional de férias;
II- por permuta, a requerimento de ambos os e)horas extras;
servidores interessados. f)adicional de insaíubridade, periculosidade
Art. 46. A transferência será processada ou pelo exercício de atividade penosa, e risco
atendendo a conveniência do servidor desde de vida;
que no órgão pretendido exista cargo vago, de g)Jetons.
igual denominação. 1o Os vencimentos do cargo efetivo, nos
Art. 47. O servidor transferido somente termos do inciso II do "caput", são irredutíveis.
poderá renovar o pedido, após decorridos dois 2 A remuneração do servidor investido em
anos de efetivo exercício no cargo. função de confiança ou cargo em comissão será
Art. 48. Não será concedida a transferência: paga na forma prevista no Art. 78.
I- para cargos que tenham candidatos 3 A fixação dos padrões de vencimento e
aprovados em concurso, com prazo de validade dos demais componentes do sistema
não esgotado; remuneratório observará:
II- para órgãos da administração indireta ou I- a natureza, o grau de responsabilidade e a
fundacional cujo regime jurídico não seja o complexidade dos Cargos componentes de cada
estatutário; carreira;
III- do servidor em estágio probatório. II- os requisitos para investidura;
CAPÍTULO IV III- as peculiaridades dos Cargos.
ó DA SUBSTITUIÇÃO
Art. 49. Haverá substituição no impedimento
4 Nenhum servidor poderá perceber,
mensalmente, a titulo de remuneração,
legal e temporário do ocupante de cargo em importância superior à percebida como
comissão ou função confiança. subsídio, pelo Prefeito Municipal.
Io A substituição recairá sempre em Art. 51. O servidor perderá:
servidor titular de cargo efetivo público e I- a remuneração do dia em que faltar ao
dependerá da expedição de ato de autoridade serviço, sem motivo justificado;
competente. II- a parcela de remuneração diária,
2o O substituto assumirá cumulativamente, proporcional aos atrasos iguais ou superiores a
sem prejuízo do cargo que ocupa, o exercício do quinze minutos, ausências injustificadas
cargo em comissão ou função de confiança, nos ressalvadas as concessões de que trato o Art.
afastamentos, impedimentos legais ou 124, e saídas antecipadas, salvo na hipótese da
regulamentares do titular e na vacância do compensação de horário, até o • mês
cargo, hipóteses em que deverá optar pela subsequente ao da ocorrência, a ser
remuneração de um deles durante o respectivo estabelecida pela chefia imediata.
período. 1o As faltas justificadas decorrentes de caso
fortuito ou de força maior poderão ser
3o O substituto fará jus à retribuição pelo compensadas a critério da chefia imediato,
exercício do cargo em comissão ou função de sendo assim consideradas como efetivo
confiança, nos casos dos afastamentos ou exercício, na forma previsto em regulamento.
impedimentos legais do titular, pagos na
proporção dos dias de efetiva substituição.
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.08

2 O registro de comparecimento e controle indenizações, assim como os procedimentos


de horário de entrada e safda do servidor será para a sua concessão serão estabelecidos em
apurado preferencialmente por meio eletrônico regulamento.
ou outro meio determinado em regulamento. Subseção I
Art. 52. Salvo por imposição legal ou decisão Da Ajuda de Custo
judicial, nenhum desconto incidirá sobre a Art. 59. A ajuda de custo destina-se a
remuneração ou proventos. compensar as despesas de instalação do
Parágrafo único. Mediante autorização do servidor que, removido de ofício, passar a ter
servidor e observado o disposto no Art. 7o, VI, exercício em órgãos municipais da zona rural,
da Constituição Federal, a Administração com mudança de domicílio em caráter
Municipal promoverá consignação em folha de permanente, vedado o dupio pagamento de
pagamento a favor de terceiros, com reposição indenização, a qualquer tempo, no caso de o
de custos se for o caso, excetuadas as cônjuge ou companheiro que detenha também a
contribuições de natureza sindical, que serão condição de servidor, vier a ter exercício na
processadas gratuitamente. mesma sede.
Art. 53. As reposições e indenizações ao 1o À família do servidor que falecer na nova
Erário serão previamente comunicadas ao sede serão assegurados ajuda de custo e
servidor e descontadas em parcelas mensais transporte para a localidade de origem, dentro
em valores atualizados, cujo valor não exceda do prazo de um ano, contado da data do óbito.
dez por cento do vencimento básico. 2 A ajuda de custo corresponderá a um
1 A reposição será feita em uma única mês de remuneração do servidor.
parcela quando constatado pagamento indevido Art. 60. Não será concedida ajuda de custo
no mês anterior ao do processamento da folha. ao servidor que se afastar do cargo, ou
2o Na hipótese de valores recebidos em reassumi-lo, em virtude de mandato eletivo.
decorrência de cumprimento a decisão liminar, Art. 61. No afastamento previsto no inciso I
a tutela antecipada ou a sentença que venha a do Art. 119, a ajuda de custo será paga pelo
ser revogada ou rescindida, serão eles órgão cessionário.
atualizados até a data da reposição. Art. 62. O servidor ficará obrigado a restituir
Art. 54. O servidor em débito com o Erário a ajuda de custo quando, injustificadamente,
Municipal quando exonerado, demitido ou que não se apresentar na nova sede no prazo de
tiver sua aposentadoria ou disponibilidade trinta dias.
Art. 63. É vedada a concessão de ajuda de
cassada, terá o prazo de sessenta dias para
custo àquele que, sendo ou não servidor de
quitar o débito.
Parágrafo único. A não quitação do débito no outra entidade pública, for nomeado para cargo
prazo previsto no caput deste artigo implicará em comissão do Município, com mudança de
sua inscrição em dívida ativa municipal. domicílio, bem assim quando exonerado.
Art. 55. O vencimento, a remuneração e o Subseção II
provento não serão objeto de arresto, seqüestro Das Diárias
ou penhora, exceto nos casos de prestação de Art. 64. O servidor que, a serviço, afastar-se
alimentos resultantes de decisão judicial. da sede ou do local de trabalho em caráter

CAPÍTULO II eventual ou transitório para outro ponto do


DAS VANTAGENS território municipal, nacional ou para o exterior
Art. 56. Além do vencimento, poderão ser fará jus a passagens e diárias destinadas .a
pagas ao servidor as seguintes vantagens: indenizar as parcelas de despesas
n I- indenizações;
extraordinárias com pousada, alimentação e
locomoção, conforme dispuser em regulamento.
II- auxílios;
1 A diária será concedida por dia de
III- gratificações;
afastamento, sendo devida pela metade quando
IV- adicionais.
1o As indenizações não se incorporam ao o deslocamento não exigir pernoite fora da
vencimento ou provento para qualquer efeito. sede, ou quando o Município custear, por meio

2 As gratificações e os adicionais diverso, as despesas extraordinárias cobertas

incorporam-se ao vencimento ou proventos, nos por diárias.


casos e condições indicados em lei específica. 2 No caso em que o deslocamento da
Art. 57. As vantagens pecuniárias não serão sede constituir exigência permanente do cargo
computadas, nem acumuladas, para efeito de por período superior a trinta dias, o servidor não
concessão de quaisquer outros acréscimos fará jus a diárias.
pecuniários ulteriores, sob o mesmo título ou 3o As diárias deverão ser pagas antes do

idêntico fundamento. deslocamento do servidor.


Art. 65. O servidor que receber diárias e não
Seção I
se afastar da sede ou local do trabalho para
Das Indenizações
Art. 58. Constituem indenizações ao executar as atividades designadas, por
qualquer motivo, fica obrigado a restiiuí4as
servidor:
integralmente em única parcela, no prazo de
I- ajuda de custo;
II- diárias; cinco dias.
Parágrafo único. Na hipótese de o servidor
III- transporte.
Parágrafo único. Os valores das retornar à sede em prazo menor do que o
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 09
Macapá, 24.04.2018

previsto para o seu afastamento, deverá contribuição previdenciária ou de Fundo de

restituir as diárias recebidas em excesso, no Garantia por Tempo de Serviço;


III - não se configura como rendimento
prazo previsto no caput deste artigo.
Art. 66. É vedado conceder diárias com o tributável do servidor.
objetivo de remunerar outros encargos ou Subseção II
Do Auxílio-Alimentação
serviços.
Art. 70. Ato do Prefeito poderá conceder
Parágrafo único. Será responsabilizada a
mensalmente auxílio-alimentação, pago em
autoridade que infringir o disposto neste artigo.
pecúnia por dia trabalhado, destinado a custear
Subseção III
as despesas com refeições dos servidores da
Da Indenização de Transporte
Administração direta, Fundacional e Autárquica,
Art. 67. Conceder-se-á indenização de
conforme se dispuser o regulamento.
transporte ao servidor que realizar despesas
1" A concessão do auxílio-alimentação terá
com a utilização de meio próprio de locomoção
para a execução de serviços externos, por força caráter indenizatório.
2o O servidor que acumule cargo ou
das atribuições próprias do cargo, conforme
emprego na forma da Constituição fará jus a
dispuser o regulamento.
percepção de um único auxílio-alimentação,
Seção II
mediante opção.
Dos Auxílios
3 O auxílio-alimentação não será:
Art. 68. Serão concedidos aos servidores os
a)incorporado ao vencimento, remuneração,
seguintes auxílios:
provento ou pensão;
I- auxílio-transporte;
b)configurado como rendimento tributável e
II- auxílio-alimentação;
nem sofrerá incidência de contribuição para o
III- auxílio-deslocamento;
Plano de Seguridade Social do servidor público;
f] IV - auxilio pré-escolar.
c)caracterizado como salário-utilidade ou
Subseção I
prestação salarial in natura.
Do Auxíiio-Transporte
4o O auxílio-alimentação será custeado
Art. 69. O servidor fará jus ao auxílio-
com recursos do órgão ou entidade em que o
transporte em pecúnia, de caráter indenizatório,
servidor estiver em exercício, ressalvado o
destinado ao custeio parcial das despesas
direito de opção peio órgão ou entidade de
realizadas com transporte coletivo ou qualquer
outro meio, nos deslocamentos de sua origem.
5 O auxílio-alimentação é inacumulável
residência para o local de trabalho e vice-versa.
com outros de espécie semelhante, tais como
1 O valor mensal do auxílio-transporte
auxilio para a cesta básica ou vantagem
será apurado a partir da diferença entre as
pessoal originária de qualquer forma de auxílio
despesas realizadas com transporte coletivo e o
ou benefício alimentação.
desconto de seis por cento incidente sobre:
6o Considerar-se-á para o desconto do
i - o vencimento do cargo efetivo, ainda que
auxílio-alimentação, por dia não trabalhado, a
ocupante de cargo em comissão;
proporcionalidade de vinte e dois dias.
II- o vencimento do cargo em comissão,
7 Para os efeitos deste artigo, considera-
quando se tratar de servidor que não ocupe
se como dia trabalhado a participação do
cargo efetivo, ou, não havendo vencimento,
servidor em programa de treinamento
sobre a gratificação de representação.
regularmenteinstituídoconferências
2o O valor do auxílio-transporte será
congressos, treinamentos, ou outros eventos
descontado na proporção de um trinta avôs por
similares, sem deslocamento da sede.
dia de falta ao serviço, salvo no caso de faltas
8 As diárias sofrerão desconto
permitidas em lei.
correspondente ao auxílio-alimentação a que
3 O pagamento do auxílio-transporte será
fizer jus o servidor, exceto aquelas
suspenso nos seguintes casos:
eventualmente pagas em finais de semana e
I- férias;
feriados, observada a proporcionalidade
li - licença-capacitação;
prevista no 6o.
III- licença por motivo de doença em pessoa
Subseção III
da família;
Do Auxíiio-Deslocamento'
IV- licença médica superior a sessenta dias;
Art. 71. Será concedido auxílio-
V- licença à gestante, à adotante e à
deslocamento aos servidores públicos lotados e
paternidade;
em exercício nas localidades ou distritos que
VI- outras licenças não remuneradas.
não tenham sistema de transporte coletivo de
4o Os efeitos financeiros do auxílio-
transporte se darão partir da data da opção passageiros.
1" O valor mensal do auxílio deslocamento
expressa pelo servidor.
será estabelecido em regulamento, calculado
5o O auxílio-transporte, concedido nas
condições e limites definidos nesta Lei com base em quarenta e quatro deslocamentos.
2" O auxílio-deslocamento será pago em
Complementar, será custeado pelo Município, e:
folha de pagamento juntamente com a
I- não tem natureza salarial, nem se
remuneração do servidor.
incorpora à remuneração para quaisquer
3 O valor do auxílio-deslocamento será
efeitos;
descontado na proporção dos dias de falta ao
II- não constitui base de incidência de
serviço.
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.10
Macapá, 24.04.2018

outras gratificações e adicionais, respeitada a


4o O pagamento do auxílio-deslocamento
competência da cada Poder.
será suspenso nos seguintes casos: 2. Na remuneração dos servidores
I- férias; públicos do Município de Macapá ficam
II- licença-capacitação; excluídas do teto remuneratório constitucional
III- licença por motivo de doença em pessoa
previsto no artigo 37, inciso XI da Constituição
da família; Federal, as seguintes verbas de caráter
IV- licença médica superior a sessenta dias;
V- licença à gestante, à adotante e à indenizatório:
I- diárias e ajuda de custo para despesas de
paternidade;
transporte e mudança;
VI- outras licenças não remuneradas.
II- auxílios previstos em lei;
5o Os efeitos financeiros do auxílio-
III- indenizações de férias e de transporte;
deslocamento se darão partir da data do
IV- a parcela paga a título de assistência à
requerimento pelo servidor.
saúde suplementar;
Art. 72. É vedado o pagamento cumulativo
V- abono de permanência em serviço;
do auxílio-deslocamento e do auxílio-transporte.
VI- valor da iicença-prêmio convertida ou de
Parágrafo único. Cada servidor fará jus a um
sua indenização quando do falecimento ou
único auxílio-deslocamento mensal, ainda que
no caso de acumulação legal de cargos aposentadoria;
VII- devolução de valores tributários e/ou
públicos.
contribuições previdenciárias indevidamente
. Art. 73. O auxílio-deslocamento, concedido
nas condições e limites definidos nesta Lei descontados.'.
Art. 76. As verbas de férias pagas
Complementar, será custeado pelo Município, e:
adiantadamente serão somadas aos
I- não tem natureza salarial, nem se
rendimentos do mês de seu usufruto, para efeito
O incorpora ã remuneração para quaisquer
efeitos;
de cálculo do montante sujeito ao limite de

II- não constitui base de incidência de rendimentos.


1 Os valores percebidos a título de
contribuição previdenciária ou de Fundo de
adicional ou terço constitucional de férias não
Garantia por Tempo de Serviço;
serão somados a outros rendimentos, para fins
III- não se configura como rendimento
de incidência do teto constitucional, sobre eles
tributável do servidor.
incidindo limite correspondente a um terço do
Subseção IV
valor previsto no 4 do Art. 50.
Do Auxílio Pré-Escolar
2o No caso de acumulação de cargos ou
Art. 74. A assistência pré-escolar tem por
empregos públicos, o limite referido no 1
objetivo oferecer aos servidores, durante a
deste artigo apiicar-se-á à soma das verbas
jornada de trabalho, condições de atendimento
percebidas a título de adicional ou terço de
pré-escolar aos seus dependentes na faixa
etária compreendida desde o nascimento até o férias de todos os cargos ou empregos.
Art. 77. Os rendimentos percebidos a título
mês em que completarem seis anos de idade,
de gratificação natalina serão considerados
nos termos do regulamento.
separadamente dos rendimentos de outra
Parágrafo único. A assistência pré-escolar
espécie percebidos no mesmo mês, para fins de
para os servidores poderá ser prestada nas
observância do limite de remuneração de que
modalidades de assistência direta, através de
creches próprias, ou indireta, através de auxílio trata o Art. 50.
1 Na hipótese de antecipação do
pró-escolar, creditado em folha de pagamento
o com efeitos a partir da data do requerimento,
pagamento de parcela da gratificação natalina,
a verificação do cumprimento do limite de
observado o limite de custeio por beneficiário
rendimentos será feita quando do pagamento da
assistido, bem como as disponibilidades
última parcela, relativamente ao somatório de
orçamentárias.
Seção III todas.
2 No caso de acumulação de cargos,
Das Gratificações e Adicionais
empregos, aposentadorias ou pensões, o
Art. 75. Além do vencimento e das vantagens
somatório de todos os valores percebidos a
previstas nesta Lei Complementar, serão
título de gratificação natalina sujeitar-se-á ao
deferidos aos servidores as seguintes
limite de rendimentos.
gratificações e adicionais:
Subseção I
I- retribuição pelo exercício de cargo em
Da Retribuição Pelo Exercício de Cargo em
comissão ou função de confiança;
Comissão ou Função de Confiança
II- gratificação natalina;
Art. 78. Ao servidor ocupante de cargo
III- adicional pelo exercício de atividades
efetivo investido em cargo em comissão ou
insalubres, penosas ou perigosas;
designado para função de confiança é devida
IV- adicional pela prestação de serviço
retribuição pecuniária pelo seu exercício.
extraordinário;
1o O servidor terá a remuneração do cargo
V- adicional noturno;
efetivo acrescida da retribuição pecuniária
VI- adicional de férias;
relativa à função de confiança enquanto durar o
VII- adicional de interiorização.
1 Além das vantagens referidas no "caput" exercício da função.
2o O servidor municipal, ocupante de cargo
deste artigo, poderão ser instituídas, por lei,
Pág.11
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO

efetivo, no exercício de cargo em comissão, pericial expedido por dois profissionais


função de confiança ou cedido, fará jus a todas habilitados perante o Ministério do Trabalho.
as vantagens do cargo efetivo, como se em Art. 86. São consideradas atividades ou
operações perigosas aquelas que, por sua
exercício estivesse.
3 Lei específica estabelecerá o valor da natureza ou método de trabalho, impliquem o
retribuição dos cargos em comissão e das contato permanente com infiamáveis,
explosivos ou energia elétrica em condições de
funções de confiança.
Subseção II risco acentuado, na forma prevista em
Gratificação Natalina regulamento.
Art. 79. A gratificação natalina corresponde Parágrafo único. O adicional de
a um doze avôs da remuneração prevista no pericuiosidade corresponde ao percentual de
artigo Art. 50, a que o servidor fizer jus por mês vinte por cento, calculado sobre o vencimento
de exercício no respectivo ano. básico do cargo efetivo.
Parágrafo único. A fração igual ou superior a Art. 87. Haverá permanente controle da
quinze dias será considerada como mês atividade de servidores em operações ou locais
considerados insalubres ou perigosos.
integral.
Art. 80. A gratificação será paga até o dia Parágrafo único. A servidora gestante ou
vinte do mês de dezembro de cada ano. lactante será afastada, enquanto durar a
gestação e a lactação, das operações e locais
1o Entre os meses de janeiro e novembro
será paga, de uma só vez, como adiantamento previstos neste artigo, exercendo suas
atividades em local salubre e em serviço não
da gratificação, metade da remuneração
penoso e não perigoso.
recebida no mês anterior.
2o O adiantamento poderá ser pago por
Art. 88. Na concessão dos adicionais de
ocasião das férias de funcionário, desde que
insalubridade, de periculosidade e atividades
este o requeira no mês de janeiro
penosas, serão observadas as situações
correspondente. estabelecidas em legislação específica sobre
Art. 81. Em caso de exoneração do cargo
Medicina e Segurança do Trabalho.
efetivo ou cargo em comissão, de destituição
Art. 89. O adicional de atividade penosa será
da função de confiança, falecimento ou
devido aos servidores, na proporção de vinte
aposentadoria, a gratificação natalina será
por cento do vencimento, que exerçam
devida proporcionalmente aos meses de efetivo
atividades geradoras de desconforto físico ou
exercício no ano, calculada sobre a
psicológico, superior ao decorrente do trabalho
remuneração do mês da exoneração,
normal, e cujo exercício se dê em locais de
destituição, falecimento ou aposentadoria.
trabalho cujas condições não satisfaçam as
Art. 82. O ajuste da gratificação natalina
exigências psico-fisiológicas do servidor,
percebida pelo servidor, decorrente do Art. 80,
atinentes ao máximo de conforto, segurança e
caput, ou 3, para maior ou para menor,
desempenho eficiente.
ocorrerá no mês de dezembro, em uma única
Art. 90. Os locais de trabalho e os servidores
parcela. que operam com Raios X ou substâncias
Art. 83. A gratificação natalina não será
radioativas serão mantidos sob controle
considerada para cálculo de qualquer vantagem
permanente, de modo que as doses de radiação
pecuniária. íonizante não ultrapassem o nível máximo
Subseção III
previsto na legislação própria.
Dos Adicionais de Insalubridade,
1 Os servidores a que se refere este artigo
Periculosidade, Atividades Penosas e de Riscos
serão submetidos a exames médicos a cada
de Vida.
periodo de seis meses.
Art. 84. Os servidores que trabalhem com
2 A adicional de insalubridade por
habitualidade . em locais, atividades ou
trabalhos com Raios X ou substâncias
condições insalubres, ou em contato
radioativas será calculada com base no
permanente com substâncias tóxicas,
percentual de dez por cento do vencimento
radioativas ou com risco de vida, fazem jus a
um adicional sobre o vencimento básico do básico.
Art. 91. Os servidores investidos nos cargos
cargo efetivo. de Agente de Endemias, Agente Comunitário de
1 O servidor que fizer jus aos adicionais
Saúde e Agente de Vigilância em Saúde farão
de insalubridade e de periculosidade deverá
jus ao adicional de Insalubridade de grau médio.
optar por um deles. Art. 92. Será paga aos servidores adicional
2 O direito ao adicional de insalubridade,
de insalubridade de vinte por cento do
periculosidade ou penosidade cessa com a
vencimento básico pelo trabalho com coleta,
eliminação das condições ou dos riscos que
transporte e armazenamento de lixo domiciliar
deram causa a sua concessão, desde que
devidamente comprovada por laudo técnico. e hospitalar.
Art. 93. O servidor investido no cargo de
Art. 85. O adicional de insalubridade
vigilante, guarda municipal ou inspetor
corresponde aos percentuais de cinco, dez e
municipal fará jus a um adicional de trinta por
vinte por cento sobre o vencimento básico, de
cento calculado sobre o vencimento base do
acordo com os graus mínimo, médio e máximo,
cargo, a título de adicional de risco de vida.
respectivamente, estabelecidos no laudo
Pág.12
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO

Subseção IV respeitado o período aquisitivo de doze meses


Do Adicional Por Serviço Extraordinário de efetivo exercício, salvo as categorias que
Art. 94. A duração normal do trabalho poderá pela natureza da atividade exijam o gozo
ser acrescida de horas suplementares, em coletivo de férias.
número não excedente de duas horas por 2 É vedado levar à conta de férias
jornada, para atender necessidade excepcional qualquer falta ao serviço.
e temporária dos serviços públicos. 3o As férias poderão ser parceladas em até
1o O Prefeito, em caráter excepcional, duas etapas, desde que assim requeridas pelo
mediante prévia justificativa da unidade servidor, e no interesse da administração
administrativa interessada e comprovação da pública, não podendo uma das etapas ser
disponibilidade orçamentário-financeira, por inferior a dez dias.
tempo não superior a cento e oitenta dias, 4 É vedada a acumulação de férias, salvo
poderá acrescer o número de horas de que trata por absoluta necessidade do serviço e apenas
o caput deste artigo até o limite máximo de pelo prazo máximo de dois períodos.
quatro horas por jornada. Art. 100. O pagamento da remuneração das
2o Não serão ; descontados nem férias será efetuado no mês imediatamente
computados como jornada extraordinária as anterior ao respectivo período.
variações de horários de entrada e saída do 1 O servidor exonerado do cargo efetivo,
serviço não excedente de quinze minutos, ou em comissão, perceberá indenização relativa
observado o limite máximo de trinta minutos ao período das férias a que tiver direito e ao
diários. incompleto, na proporção de um doze avôs por
3o O serviço extraordinário será mês de efetivo exercício, ou fração superior a
remunerado com acréscimo de cinqüenta por quatorze dias.
cento em relação à hora normal de trabalho. 2 A indenização será calculada com base
Subseção V na remuneração do mês em que for publicado o
Do Adicional Noturno ato exoneratório.
3o Em caso de parcelamento, o servidor
Art. 95. O serviço noturno, prestado em receberá o adicional de férias quando da
horário compreendido entre vinte e duas horas
utilização do primeiro período.
de um dia e cinco horas do dia seguinte, terá o
valor hora acrescido de vinte e cinco por cento, Art. 101. O servidor que opera de forma
computando-se cada hora como cinqüenta e direta e permanente com Raios X ou
dois minutos e trinta segundos. substâncias radioativas gozará vinte dias
Parágrafo único. Em se tratando de serviço consecutivos de férias, por semestre de
extraordinário, o acréscimo incidirá sobre a atividade profissional, proibida, em qualquer
remuneração prevista no 3 do Art. 94. hipótese, a acumulação.
Subseção VI Parágrafo Único. O adicional de férias cios
Do Adicional de Férias servidores de que trata o caput deste artigo,
Art. 96. Independentemente de solicitação, será pago em única parcela no mês
será pago ao servidor, no mês imediatamente imediatamente anterior ao primeiro período do
anterior ao gozo das férias, um adicional gozo de férias.
correspondente a um terço da remuneração do Art. 102. As férias somente poderão ser
interrompidas por motivo de calamidade
período das férias.
Parágrafo único. No caso de o servidor pública, comoção interna, convocação para júri,
O exercer função de confiança ou ocupar cargo serviço militar ou eleitoral, ou por necessidade
do serviço declarada pelo Prefeito.
em comissão, a respectiva vantagem será
considerada no cálculo do adicional de que Parágrafo único. O restante do período
interrompido será gozado de uma só vez,
trata este artigo.
Subseção VII observado o disposto no Art. 99.
Do Adicional de Interiorização CAPÍTULO IV
Art. 97. Aos servidores municipais é devido DAS LICENÇAS
adicional de interiorização pelo exercício de Seção I
cargo ou função em unidade de trabalho na área Disposições Gerais
rural do Município, em percentual de vinte e Art. 103. Conceder-se-á ao servidor licença:
cinco por cento, incidente sobre o vencimento I- por motivo de doença em pessoa da

básico do cargo. família;


Art. 98. O adicional de interiorização não se II- por motivo de afastamento do cônjuge ou
incorpora à remuneração do servidor nem companheiro;
integra os proventos da aposentadoria. III- para o serviço militar;
CAPÍTULO III IV- para a atividade política;
DAS FÉRIAS V- da licença por assiduidade;
Art. 99. O servidor fará jus a trinta dias de VI- para tratar de interesses particulares;
férias anuais, que podem ser acumuladas, até o VII- para desempenho de mandato classista;
máximo de dois períodos, no caso de VIII- à gestante, à adotante e à paternidade;
necessidade do serviço, ressalvadas as IX- para tratamento de saúde.
hipóteses em que haja legislação específica. 1 A licença prevista no inciso I do caput
1 Para o gozo das férias sempre será será precedida de exame por médico ou junta
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.13

médica oficial. remuneração na forma e condições previstas na


2 É vedado o exercício de atividade legislação específica.
remunerada durante o período da licença Parágrafo único. Concluído o serviço militar,
prevista no inciso i do caput. o servidor terá até trinta dias, sem
Art. 104. A licença concedida dentro de remuneração, para reassumir o exercício do
sessenta dias do término de outra da mesma cargo.
espécie será considerada como prorrogação. Seção V
Seção II Da Licença Para Atividade Política
Da Licença Por Motivo de Doença em Pessoa da Art. 108. O servidor terá direito à licença
Família sem remuneração, durante o período que
Art. 105. Poderá ser concedida licença ao mediar entre a sua escolha em convenção
servidor por motivo de doença do cônjuge ou partidária, como candidato a cargo eletivo, e a
companheiro, dos pais, dos filhos, dos irmãos, véspera do registro de sua candidatura perante
do padrasto ou madrasta e enteado, ou a Justiça Eleitoral.
dependente que viva às suas expensas e conste 1 O servidor candidato a cargo eletivo que
do seu assentamento funcional, mediante exerça cargo em comissão, função de
comprovação por junta médica oficial. confiança, arrecadação ou fiscalização, dele
1 A licença somente será deferida se a será afastado, a partir do dia imediato ao do
assistência direta do servidor for indispensável registro de sua candidatura perante a Justiça
e não puder ser prestada simultaneamente com Eleitoral, até o décimo dia seguinte ao do pleito.
o exercício do cargo ou mediante compensação 2 A partir do registro da candidatura e até
de horário, conforme regulamento. o décimo dia seguinte ao da eleição, o servidor
2 A licença de que trata o caput deste fará jus à licença, assegurada a remuneração
artigo, incluídas as prorrogações, poderá ser do cargo de provimento efetivo, somente pelo
j concedida a cada período de doze meses nas período de três meses.
seguintes condições: Seção VI
I- por até sessenta dias, consecutivos ou Da Licença-Assiduidade
não, mantida a remuneração do servidor; e Art. 109. Após cada qüinqüênio de efetivo
II- por até noventa dias, consecutivos ou exercício, o servidor poderá afastar-se do
não, sem remuneração. exercício do cargo efetivo, com a respectiva
3o O início do interstício de doze meses remuneração, por até três meses.
será contado a partir da data do deferimento da 1 Os períodos de licença de que trata o
primeira licença concedida. caput não são acumuláveis.
4 A soma das licenças remuneradas e das 2 Não se concederá a licença ao servidor
licenças não remuneradas, incluídas as que no período aquisitivo:
respectivas prorrogações, concedidas em um I• sofrer penalidade disciplinar de
mesmo período de doze meses, observado o suspensão;
disposto no 3o, não poderá ultrapassar os II- afastar-se do cargo em virtude de:
limites estabelecidos nos incisos I e II do 2. a)licença para tratar de interesse
5o É vedado o exercício de atividade particular;
remunerada durante o período de licença b)condenação à pena privativa de liberdade
prevista no caput deste artigo. por sentença definitiva;
Seção III c)afastamento para acompanhar cônjuge ou
,Da Licença por Motivo de Afastamento do companheiro;'•>
^Cônjuge d)licença por motivo de doença em pessoa
Art. 106. Poderá ser concedida licença ao da família, sem remuneração.
servidor para acompanhar cônjuge ou 3 as faltas injustificadas ao serviço
companheiro que foi deslocado para outro ponto retardação a concessão da licença prevista no
do território nacional, para o exterior ou para o caput, na proporção de dois meses para cada
exercício de mandato eletivo dos Poderes falta.
Executivo e Legislativo. Seção VII
1" A licença será por prazo indeterminado Da Licença Para Tratar de Interesses
e sem remuneração. Particulares
2 A licença será concedida mediante Art. 110. A critério da Administração, poderá
requerimento do servidor, devidamente 'ser concedida ao servidor ocupante de cargo
instruído, devendo ser renovado a cada dois efetivo, desde que não esteja em estágio
anos, sob pena de cancelamento. probatório, licença para tratar de interesses
3 No deslocamento de servidor cujo particulares pelo prazo de até três anos
cônjuge ou companheiro também seja servidor consecutivos, sem remuneração, na forma do
público, poderá haver exercício provisório em regulamento.
órgão ou entidade da Administração, caso 1 O servidor deverá aguardar em exercício
exista, desde que para o exercício de atividade a publicação do ato concessório.
compatível com o seu cargo. 2 A licença poderá ser interrompida, a
Seção IV qualquer tempo, a pedido do servidor ou no
Da Licença Para Serviço Militar interesse do serviço e, na última hipótese, o
Art. 107. Ao servidor convocado para o servidor terá o prazo de até trinta dias para
serviço militar será concedida licença sem entrar em exercício.
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.14
Macapá, 24.04.2018

3 Somente será concedida nova licença paternidade de quinze dias consecutivos, a ser
após decorridos três anos do término da gozada no prazo de até dois dias do nascimento
anterior ou de sua prorrogação. da criança ou da data da adoção, sob pena de
Seção Vill perda do benefício.
Da Licença Para o Desempenho de Mandato Seção X
Classista Da Licença Para Tratamento da Saúde
Art. 111. É assegurado ao servidor o direito à Art. 116. Será concedida ao servidor licença
licença para o desempenho de mandato de para tratamento de saúde, a pedido ou de ofício,
direção de associação ou sindicato, pela Perícia Médica Oficial, sem prejuízo da
representativo da categoria dos servidores remuneração a que fizer jus.
municipais, observada a proporção de um Art. 117. Nos casos de licença médica acima
dirigente sindical ou associação para cem de quinze dias, deverá o servidor comparecer à
servidores filiados ao respectivo sindicato ou Perícia Médica do MACAPAPREV, para ser
associação, ou de acordo com o plano de submetido à perícia.
carreira de cada categoria. Art. 118. Findo o prazo da licença, o servidor
1 A licença será concedida com será submetido a nova inspeção médica, que
remuneração do cargo efetivo. concluirá pela volta ao serviço, pela
2 A licença terá duração igual à do prorrogação da licença ou pela aposentadoria.
mandato, podendo ser prorrogada no caso de Parágrafo único, A licença será concedida
reeleição. até o limite máximo de vinte e quatro meses.
3 Só haverá licença de servidor eleito CAPÍTULO V
para cargo de direção de associação ou DOS AFASTAMENTOS
sindicato de que trata este artigo, desde que Seção I
) registrados conforme legislação específica. Do Afastamento Para Servir a Outro Órgão ou

4 o servidor ocupante de cargo em Entidade


comissão ou função de confiança deverá ser Art. 119. O servidor poderá ser cedido para
dispensado do cargo ou função quando em gozo ter exercício em outro ente ou entidade do
da licença que trata este artigo. Poder do Município, dos Poderes da União, dos
Art, 112. As hipóteses, condições e formas Estados, do Distrito Federal ou de outro
para a licença de que trata o Art. 111 serão Município nas seguintes hipóteses:
disciplinadas em regulamento. I- para exercício de cargo em comissão ou
Seção IX função de confiança;
Da Licença à Gestante, à Adotante e à II- em casos de requisição prevista em lei
Paternidade específica.
Art. 113. Será concedida licença à servidora 1 Na hipótese do inciso I do caput, o ônus
gestante por cento e oitenta dias consecutivos, da remuneração, sendo a cessão para órgãos ou
sem prejuizo da remuneração. entidades da União, dos Estados, do Distrito
Federai ou de outros Municípios, o ônus da
1 A licença poderá ter início no primeiro
remuneração será do órgão ou entidade
dia do nono mês de gestação, salvo
cessionária, mantido o ônus para o cedente nos
antecipação por prescrição médica.
2" No caso de nascimento prematuro, a demais casos.
2 Na hipótese de o servidor cedido à
licença terá inicio a partir do parto.
3 No caso de natimorto, decorridos trinta empresa pública ou sociedade de economia
(j dias do evento, a servidora será submetida a mista, nos termos das respectivas normas,
exame médico, e se julgada apta, reassumirá o optar pela remuneração do cargo efetivo, a
entidade cessionária efetuará o reembolso das
exercício do cargo.
4 No caso de aborto atestado por médico despesas realizadas pelo órgão ou entidade de
oficial, a servidora terá direito a trinta dias de origem.
3o O Chefe do Executivo poderá determinar
repouso remunerado.
Art. 114. Ao servidor ou à servidora que o exercício de servidor em outro órgão ou
adotar ou obtiver guarda judicial de criança entidade do Município, para fins determinados e
será concedida licença, sem prejuízo da a prazo certo, não superior a dois anos, neste
caso o ônus da remuneração caberá ao órgão
remuneração, nos seguintes termos:
I- criança de até um ano de idade, serão cedente:
concedidos cento e oitenta dias de licença a)com a finalidade de promover a
composição equitativa da força de trabalho;
remunerada;
II- criança com mais de um ano, serão b)para atender necessidade de órgão ou
concedidos cento e vinte dias de licença entidade do Município que não tenha quadro
próprio de pessoal.
remunerada;
1 A licença somente produzirá seus 4o A cessão far-se-á mediante ato
efeitos mediante apresentação de termo publicado no Diário Oficial do Município.
Art, 120. O período de afastamento
judicial de guarda à adotante ou guardiã.
2 A licença terá início na data da adoção correspondente à cessão ou à requisição, nos
termos do Art. 119, é considerado para todos os
ou da guarda provisória.
Art. 115. Pelo nascimento ou adoção de efeitos legais, inclusive para promoção e

filhos, o servidor terá direito à licença progressão funcional.


DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.15
Macapá, 24.04.2018

Seção II 3 Caso o servidor venha a solicitar


Do Afastamento Para Exercício de Mandato exoneração do cargo ou aposentadoria, antes
Eletivo de cumprido o período de permanência previsto
Art. 121. Ao servidor investido em mandato no parágrafo anterior, deverá ressarcir o órgão
eletivo aplicam-se as seguintes disposições: ou entidade, dos gastos com seu
I- tratando-se de mandato federal, estadual aperfeiçoamento.
ou distrital, ficará afastado de seu cargo, 4 A ausência não excederá a quatro anos,
emprego ou função; e findo o estudo, somente decorrido igual
II- investido no mandato de Prefeito ou Vice- período, será permitida nova ausência.
Prefeito, será afastado do cargo, emprego ou 5o Caso o servidor não obtenha o título ou
função, sendo-lhe facultado optar pela sua grau que justificou seu afastamento no período
remuneração; concedido, deverá ressarcir o erário municipal,
III- investido no mandato de Vereador: nos termos do 3 deste artigo, ressalvada a
a)havendo compatibilidade de horário hipótese força maior ou de caso fortuito,
perceberá a remuneração do cargo efetivo, sem devidamente comprovada.
prejuízo da remuneração do cargo eletivo; 6 O afastamento de que trata o caput,
b)não havendo compatibilidade de horário, será concedido no máximo a dez servidores
será afastado do cargo, sendo-lhe facultado públicos no Poder Executivo, e no máximo cinco
optar pela sua remuneração. no Poder Legislativo, anualmente.
IV- em qualquer caso que exija o 7o Aplica-se o disposto neste artigo ao
afastamento para o exercício de mandato afastamento do servidor para participar em
eletivo, seu tempo de serviço será contado para programa de pós-graduação stricto sensu no
todos os efeitos legais, exceto para efeito de Município, desde que a participação não possa
promoção. ocorrer simultaneamente com o exercício do
1o No caso de afastamento do cargo, o cargo ou mediante compensação de horário.
servidor contribuirá para a seguridade social 8 O disposto neste artigo será
como se em exercício estivesse. disciplinado em regulamento.
2 O servidor investido em mandato eletivo Subseção II
não poderá ser removido ou redistribuído de Do afastamento para missão oficial
ofício para localidade diversa daquela onde Art. 123. O servidor efetivo poderá ausentar-
exerce o mandato. se do Município para missão oficial, com
Seção III autorização expressa do Prefeito, para executar
Do Afastamento Para Estudos ou Missão Fora atividade determinada, sem prejuízo da
do Município remuneração do cargo.
Subseção I 1o A ausência não excederá o tempo certo
Do Afastamento Para Estudos da atividade, e finda a missão, somente
Art. 122. O servidor ocupante de cargo decorrido igual período, será permitida nova
efetivo poderá ausentar-se do Município sem ausência.
prejuízo da remuneração, para participar de 2 As hipóteses, condições e formas para
programa de pós-graduação stricto sensu em autorização de que trata este artigo, inclusive
instituição de ensino superior no País, pelo no que se refere a outras vantagens de
período de duração do curso que não poderá remuneração do servidor, serão disciplinadas
ultrapassar quatro anos, obedecidos em regulamento.
cumulativamente os seguintes critérios: CAPÍTULO VI
I- o curso pretendido não seja oferecido no DAS CONCESSÕES
Art. 124. Sem qualquer prejuízo, o servidor
Município;
II- a área de estudos do curso seja poderá ausentar-se do serviço:
considerada de interesse relevante para I- por um dia, para doação de sangue;
administração municipal e guarde correlação II- pelo período comprovadamente
com as funções do cargo ocupado; necessárioparaalistamentoou
III- o servidor tenha, no mínimo, cinco anos recadastramento eleitoral, limitado, em

de serviço público municipal; qualquer caso, a dois dias;


IV- haja efetivo ^suficiente para o III- por oito dias consecutivos em razão de:
desempenho normal das atividades afetadas ao a)casamento;
b)falecimento do cônjuge, companheiro,
serviço público municipal.
1o Ao servidor beneficiado pelo disposto pais, madrasta ou padrasto, filhos, enteados,
neste artigo não será concedida nova ausência, menor sob guarda ou tutela e irmãos.
ou licença para tratar de interesses particulares Art. 125. Será concedido horário especial ao
antes de decorrido período igual ao do que se servidor estudante, quando comprovada a
afastou, ressalvada a hipótese de incompatibilidade entre o horário escolar e o da
ressarcimento da despesa havida com seu repartição, sem prejuízo do exercício do cargo.
1 Para efeito do disposto neste artigo,
afastamento.
2o Os servidores beneficiados pelo será exigida a compensação de horário no
afastamento previsto no caput deste artigo órgão ou entidade em que tiver exercício,
terão que permanecer no exercício de suas respeitada a duração semanal do trabalho.
funções após o seu retorno, por um período 2 O disposto neste artigo aplica-se
também aos servidores que estejam cursando
igual ao do afastamento concedido.
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.16
Macapá, 24.04.2018

estágio prático obrigatório, ou curso de pós- IV- dese&r.pi^rtao de mandato eletivo federal,
graduação não amparado pelo disposto no art. estadual, municipal ou do Distrito Federal,

Art. 122. exceto para promoção;


Art. 126. Também será concedido horário V- júri e outros serviços obrigatórios por lei;
especial, de até vinte e cinco por cento da VI- missão oficial ou estudo fora do
jornada normal de trabalho, ao servidor com Município, quando autorizado o afastamento;
deficiência, quando comprovada a necessidade VII- licença:**>
por junta médica oficial, independentemente de a)à gestante, à adotante e à paternidade;
compensação de horário. b)licença para tratamento da própria saúde
Parágrafo único. O disposto no caput deste até o limite máximo de vinte e quatro meses;
artigo é extensivo ao servidor que trabalhe em c)para o desempenho de mandato sindical,
regime integral que tenha cônjuge, exceto para efeito de promoção;
companheiro, filho, enteado ou dependente d)por motivo de acidente em serviço ou
econômico de qualquer idade, portador de doença profissional;
necessidades especiais, exigindo-se, porém, e)por convocação para o serviço militar;
neste caso, que o deficiente requeira cuidados f)para capacitação, conforme dispuser o
imprescindíveis comprovados por junta médica regulamento;
oficial, sendo a redução da jornada de trabalho VIII- deslocamento para a nova sede em
de cinqüenta por cento. caso de remoção que implique em mudança de
Art. 127. Ao servidor estudante que mudar domicilio;
de local de trabalho no interesse da IX- participação como atleta em
administração é assegurada, na localidade da competição desportiva municipal, do Estado do
nova residência ou na mais próxima, matricula Amapá, nacional ou convocação para integrar
em instituição de ensino municipal congênere, representação desportiva nacional, no país ou
em qualquer época, independentemente de no exterior, conforme disposto em lei

vaga. específica.
1o O disposto neste artigo estende-se ao X• afastamento para servir em organismo
cônjuge ou companheiro, aos filhos ou enteados internacional de que o Brasil participe ou com o
do servidor que estejam na sua companhia, bem qual coopere.
como aos menores sob sua guarda com Art. 131. Contar-se-á apenas para efeito de
autorização judicial. aposentadoria e disponibilidade:
2o O servidor regularmente matriculado em I- o tempo de serviço público prestado à
instituição de ensino superior localizado na União, Estados, Distrito Federal e outros
sede do Município não poderá ser removido para Municípios;
unidades administrativas localizadas nos II- a licença para tratamento de saúde de
distritos, salvo se a pedido. pessoal da família do servidor, com
CAPÍTULO VII remuneração, que exceder a trinta dias em
DO TEMPO DE SERVIÇO período de doze meses;
Art. 128. É contado para todos os efeitos o III- a licença para atividade política,
tempo de serviço público municipal, superior a três meses, conforme disposto nesta
independente do regime jurídico adotado, Lei;
inclusive o prestado a titulo de prazo IV- o tempo correspondente ao desempenho
determinado para atender à necessidade de mandato eletivo federal, estadual, municipal
temporária de excepcional interesse público. ou distrital, anterior ao ingresso no serviço
Art. 129. A apuração do tempo de serviço público municipal;
será feita em dias, que serão convertidos em V- o tempo de serviço relativo ao Tiro de
anos, considerando o ano como de trezentos e Guerra;'•-•
sessenta e cinco dias. VI- o tempo de licença para tratamento da
Parágrafo único. Para efeitos de própria saúde que exceder o prazo a que se
disponibilidade, feita a conversão de que trata o refere a alínea "b" do inciso VII do Art. 130.
caput deste artigo, os dias restantes até cento Parágrafo único. O tempo de serviço em
e oitenta não serão computados, arredondando- atividade privada, vinculada à Previdência

se para um ano quando excederem a esse Social será contado para efeito de

número. aposentadoria.
Art. 130. Além das ausências ao serviço Art. 132. É vedada a contagem cumulativa
previstas no Art. 124, são considerados como detempodeserviçoprestado
de efetivo exercício os afastamentos em virtude concomitantemente em mais de um cargo ou
função de órgãos ou entidades dos Poderes da
de:
I- férias; União, do Estado, do Distrito Federal e
II- exercício de cargo em comissão ou Município, Autarquia, Fundação Pública,
equivalente, em órgão ou entidade do próprio Sociedade de Economia Mista e Empresa
Município, da União, dos Estados, do Distrito Pública.
Federal e de outros Municípios; CAPÍTULO VIII
III- participação em programa de DO DIREITO DE PETIÇÃO
treinamento regularmente instituído ou em Art. 133. É assegurado ao servidor o direito
programa de pós-graduação stricto sensu no de requerer aos Poderes Públicos Municipais,
País, conforme'dispuser o regulamento; em defesa de direito ou interesse legítimo. '•'
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 17
Macapá, 24.04.2018

1o O requerimento será dirigido à Art. 141. A administração deverá rever seus


autoridade competente para decidi-lo e atos, a qualquer tempo, quanto eivados de
acompanhado da exposição dos fatos e das ilegalidade.
informações necessárias à apreciação do Art. 142. São fatais e improrrogáveis os
pedido, bem assim, quando possível, da prazos estabelecidos neste Capítulo, salvo
documentação comprobatória dos fatos motivo de força maior.
TÍTULO IV
alegados.
2 Cabe pedido de reconsideração à DO REGIME DISCIPLINAR
autoridade que houver expedido o ato ou CAPÍTULO I
proferido a primeira decisão, no prazo de oito DOS DEVERES
dias a contar da ciência do interessado, não Art. 143. São deveres do servidor:
podendo ser renovado. I- exercer com zelo e dedicação as
3o Cabe, desde que fundamentado, pedido atribuições cargo;
de reconsideração à autoridade que houver II- ser leal às instituições a que servir;
expedido o ato ou proferido a primeira decisão, III- observar as normas legais e
no prazo de oito dias a contar da ciência do regulamentares;
interessado, não podendo ser renovado. IV• cumprir as ordens superiores, exceto
4o O requerimento e o pedido de quando manifestamente ilegais;
reconsideração deverão ser decididos dentro de V- atender com presteza:
trinta dias, salvo quando outro prazo for fixado a)ao público em geral, prestando as
em lei ou versar sobre situação urgente que informações requeridas, ressalvadas as
exija decisão imediata, mesmo que protegidas por sigilo;
provisoriamente. b)à expedição de certidões requeridas para
defesa de direito ou esclarecimento de
Cs Art. 134. Caberá recurso:
I- do indeferimento do pedido de situações de interesse pessoal;
reconsideração; c)às requisições para a defesa da Fazenda
II- das decisões sobre os recursos Pública.
sucessivamente interpostos. VI- levar ao conhecimento da autoridade
1o O recurso será dirigido à autoridade superior as irregularidades de que tiver
imediatamente superior à que tiver expedido o conhecimento em razão das atribuições do
ato ou proferido a decisão, e, sucessivamente, cargo;
em escala ascendente, às demais autoridades. VII- zelar pela economia do material e
2o O recurso poderá ser recebido com conservação do patrimônio público;
efeito suspensivo, a juízo da autoridade VI li - guardar sigilo sobre assunto da
competente. repartição;
3 O prazo para interposição de recurso é IX- manter conduta compatível com a
de vinte dias, a contar da publicação ou da moralidade administrativa;
ciência pelo interessado da decisão recorrida. X- ser assíduo e pontual ao serviço;
4o Os pedidos de reconsideração ou os XI- tratar com urbanidade as pessoas;
recursos apresentados fora do prazo, não serão XII- representar contra ilegalidade, omissão,
apreciados. desvio de finalidade ou abuso de poder;
Art. 135. Em caso de provimento do pedido XIII- freqüentar e alcançar aproveitamento
de reconsideração ou de recurso, os efeitos da mínimo nos cursos destinados ao
decisão retroagirão à data do ato impugnado. aperfeiçoamento das atribuições do cargo;
Art. 136. As decisões do Prefeito proferidas XIV- atualizar seus dados cadastrais
em grau de recurso ou em pedido de anualmente, conforme determinação da
reconsideração encerram a instância administração municipal;
administrativa. XV- utilizar os equipamentos de proteção
Art. 137. O direito de requerer prescreve: individual e coletivo fornecidos pela
I- em cinco anos, quanto aos atos que administração municipal.
afetem interesse patrimonial e créditos 1 A representação de que trata o inciso
resultantes das relações de trabalho; XII do caput será encaminhada pela via
II- em cento e vinte dias, nos demais casos, hierárquica e apreciada pela autoridade
salvo quando outro prazo for fixado em lei. superior àquela contra a qual é formulada,
Parágrafo único. O prazo de prescrição será assegurando-se ao representando ampla defesa.
contado da data de publicação do ato 2 O não cornparecimento aos cursos de
impugnado, e não havendo publicação, da data aperfeiçoamento custeados pela administração,
previstos no inciso XIII do caput, implicará na
da ciência pelo interessado.
Art. 138. O pedido de reconsideração e a obrigação de ressarcimento das despesas pelo
interposição do recurso, quando cabíveis, servidor faltoso, nos termos do Art. 53 desta Lei
Complementar, sem prejuízo da sanção
interrompem a prescrição.
Art. 139. A prescrição é de ordem pública, disciplinar porventura aplicada.
não podendo ser relevada pela administração. CAPÍTULO II
Art. 140. Para o exercício do direito de DAS PROIBIÇÕES
petição, é assegurada vista do processo ou Art. 144. Ao servidor é proibido:
documento, na repartição, ao servidor ou a I - ausentar-se do serviço durante o
expediente, sem prévia autorização do chefe
procurador por ele constituído.
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.18

imediato; comportamento hostil que ofenda a sua


il - retirar, sem prévia anuência da
dignidade ou integridade física ou psíquica;
autoridade competente, qualquer documento ou
XXII• praticar ato contra expressa
objeto da repartição;
disposição de lei ou deixar de praticá-lo, em
III- recusar fé a documentos públicos;
descumprimento de dever funcional, em
IV- opor resistência injustificada ao
beneficio próprio ou alheio;
andamento de documento e processo ou
XXIII- firmar contratos com o Poder Público
execução de serviço;
Municipal, por si ou como representante de
V- promover manifestação de apreço ou
desapreço no recinto da repartição; outrem;
XXIV- exercer, mesmo fora das horas de
VI- cometer a pessoa estranha à repartição,
trabalho, emprego ou função em empresas,
fora dos casos previstos em lei, o desempenho
estabelecimentos ou instituições que tenham
de atribuição que seja de sua responsabilidade
relações com a administração pública;
ou de seu subordinado;
XXV- solicitar ou conceder diárias com
VII- coagir ou aliciar subordinados no
objetivo diverso do estabelecido nesta Lei
sentido de filiarem-se à associação profissional
Complementar, sem prejuízo das demais
ou sindical, ou a partido político;
VIII- recusar-se a atualizar seus dados cominações legais;
XXVI- deixar de comparecer no prazo, local
cadastrais quando determinado pela
e horário, quando oficialmente solicitado pela
administração municipal;
autoridadeadministrativamunicipal
IX- proceder de forma desidiosa;
X- valer-se do cargo ou função para lograr competente.
proveito pessoal ou de outrem, em detrimento
CAPÍTULO III
DA ACUMULAÇÃO
da dignidade da função pública;
Art. 145. Ressalvados os casos previstos na
XI- manter sob sua chefia imediata, em
Constituição Federal, é vedada a acumulação
cargo ou função de confiança, cônjuge,
remunerada de cargos públicos.
companheiro ou parente até o segundo grau
1o A proibição de acumular estende-se a
civii; cargos, empregos e funções em autarquias,
XII- participar de gerência ou administração
empresas e fundações públicas, sociedades de
de sociedade privada, personificada ou não
economia mista da União, do Distrito Federal,
personificada, ressalvada a participação nos
dos Estados e dos Municípios.
conselhos de administração e fiscal de
2o A acumulação de cargos, ainda que
empresas ou entidades em que o Município
lícita, fica condicionada à comprovação da
detenha, direta ou indiretamente, participação
compatibilidade de horários sendo vedado, em
no capital social ou em sociedade cooperativa
qualquer caso, a acumulação de cargos
constituída para prestar serviços a seus
públicos quando a soma das cargas horárias
membros, e exercer o comércio, exceto na
ultrapassar sessenta horas semanais.
qualidade de acionista, cotista ou comanditário,
3 Os plantões, tidos como regime especial
XIII- atuar, como procurador ou
de trabalho, serão regulamentados por ato do
intermediário, junto às repartições públicas
Chefe do Poder Executivo Municipal, que
municipais, salvo quando se tratar de benefícios
determinará e adequará tais plantões
previdenciários ou assistenciais de parentes
atendendo as especificidades de cada serviço
até o segundo grau, e de cônjuge ou
de saúde e as suas respectivas necessidades^
companheiro;
4 Considera-se acumulação proibida a
XIV- receber propina, comissão, presente ou
percepção de vencimento de cargo ou emprego
vantagem de qualquer espécie, em razão de
público efetivo com proventos da inatividade,
suas atribuições;
salvo quando os cargos de que decorram essas
XV• aceitar comissão, emprego ou pensão
remunerações forem acumuláveis na atividade.
de estado estrangeiro;
5o Para efeito de acumulação de cargos no
XVI- praticar usura sob qualquer de suas
âmbito do Município, considera-se como cargos
formas; técnicos aqueles que necessitem de
i XVII - utilizar pessoal ou recursos materiais
conhecimentos técnicos específicos para o
da repartição em serviços ou atividades
exercício das funções.
particulares;
Art. 146. O servidor não poderá, mesmo
XVIII- cometer a outro servidor atribuições
temporariamente, exercer com remuneração
estranhas ao cargo que ocupa, exceto em
mais de um cargo em comissão ou função de
situações de emergência e transitórias;
confiança, nem participar, remuneradamente,
XIX- exercer quaisquer atividades que
de dois ou mais órgãos municipais de
sejam incompatíveis com o exercício do cargo
deliberação coletiva.
ou função e com o horário de trabalho;
Art. 147. O servidor vinculado ao regime
XX- assediar sexualmente subordinado no
desta lei, que acumular licitamente dois cargos
ambiente de trabalho ou fora dele em razão do
efetivos, quando investido em cargo de
cargo, prevalecendo-se o agente da sua
provimento em comissão, ficará afastado de
condição de superior hierárquico;
ambos os cargos efetivos, salvo na hipótese em
XXI- assediar moralmente subordinado ou
que houver compatibilidade de horário e local
colega de trabalho, mantendo conduta abusiva
com o exercício de um deles, declarada pelas
caracterizada pela repetição prolongada de
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.19

autoridades máximas dos órgãos ou entidades Parágrafo únic^. O ato de imposição da


penalidade mencionará sempre o fundamento
envolvidas.
Art. 148. Verificada a acumulação ilícita de legal e a causa da sanção disciplinar.
cargos públicos, o servidor optará por um deles, Art. 158. A pena de repreensão será aplicada
no prazo improrrogável de dez dias, sob pena de por escrito, nos casos de violação de proibição
abertura de processo administrativo para constante do Art. 144, incisos I a IX, e de
apuração da infração disciplinar. inobservância de dever funcional previsto em
CAPÍTULO IV lei, regulamentação ou norma interna, que não
DAS RESPONSABILIDADES justifique imposição de penalidade mais grave.
Art. 149. O servidor responde civil, penal e Art. 159. A pena de suspensão será aplicada
administrativamente pelo exercido irregular de em caso de reincidência das faltas punidas com
suas atribuições. repreensão e de violação de proibição
Art. 150. A responsabilidade civil decorre de constante do Art. 144, incisos XI, XII, XV, XVI,
ato omissivo ou comissivo, doloso ou culposo, XVIII, XIX, XX, XXI, XXII, XXIII, XXIV, XXV, não
que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. podendo exceder de noventa dias.
1 A indenização de prejuízo dolosamente 1o Será punido com suspensão de até
causado ao erário somente será liquidada na quinze dias o servidor que, injustificadamente,
forma prevista no Art. 53, na falta de outros recusar-se a ser submetido a inspeção médica
bens que assegurem a execução do débito pela determinada pela autoridade competente,
via judicial. cessando os efeitos da penalidade uma vez
2o Tratando-se de dano causado a cumprida a determinação.
terceiros, responderá o servidor perante a 2 Será punido com suspensão de no
Fazenda Municipal, em ação regressiva. mínimo trinta dias, o superior hierárquico que,
3o A obrigação de reparar o dano estende- recebendo denúncia ou representação a
h se aos sucessores e contra eles será
executada, até o limite do valor da herança
respeito de irregularidade no serviço ou de falta
cometida por servidor, deixar de tomar as
recebida. providências necessárias à sua apuração.
Art. 151. A responsabilidade penal abrange 3o Quando houver conveniência para o
os crimes e contravenções imputadas ao serviço, a penalidade de suspensão poderá ser
servidor, nessa qualidade. convertida em multa, na base de cinqüenta por
' Art. 152. A responsabilidade civil e cento por dia da remuneração, ficando o
administrativa resulta de ato omissivo ou servidor obrigado a permanecer em serviço.
comissivo praticado no desempenho do cargo Art. 160. A pena de demissão será aplicada
ou função. nos seguintes casos:
Art. 153. As sanções civis, penais e I- crime contra a administração pública;
administrativas poderão cumular-se, sendo II- improbidade administrativa;
independentes entre si. III- abandono do cargo;
Art. 154. A responsabilidade administrativa IV- inassiduidade habitual;
do servidor será afastada no caso de absolvição V- incontinência pública e conduta
criminal que negue a existência do fato ou sua escandalosa na repartição;
autoria. VI- insubordinação grave em serviço;
Art. 155. Nenhum servidor poderá ser VII- ofensa física, em serviço, a servidor ou
responsabilizadocivil,penalou a particular, salvo em legítima defesa própria ou
administrativamente por dar ciência à de outrem;
autoridade superior ou, quando houver suspeita VIII- aplicação irregular de dinheiros
de envolvimento desta, a outra autoridade públicos;
competente para apuração de informação IX- revelação de segredo do qual se
concernente à prática de crimes ou apropriou em razão do cargo;
improbidade de que tenha conhecimento, ainda X- lesão aos cofres públicos e dilapidação
que em decorrência do exercício de cargo, do patrimônio municipal;
emprego ou função pública. XI• prática de ato de corrupção ativa ou
CAPÍTULO V passiva;
DAS PENALIDADES XII- acumulação ilegal de cargos, empregos
Art. 156. São penalidades disciplinares: ou funções públicas;
I- repreensão; XIII- transgressão dos incisos X, XIII, XIV,
II• suspensão; XVII do Art. 144.
III- demissão; 1o Configura abandono de cargo a ausência
IV- cassação de aposentadoria ou intencional do servidor ao serviço por mais de
disponibilidade; trinta dias consecutivos.
V- destituição do cargo em comissão ou 2 Entende-se por inassiduidade habitual a
função de confiança. falta ao serviço, sem causa justificada, por
Art. 157. Na aplicação das penalidades serão sessenta dias, intercaladamente, durante o
consideradas a natureza e a gravidade da período de doze meses.
infração cometida, os danos que dela provierem Art. 161. Será aplicada a pena de cassação
para o serviço público, as circunstâncias de aposentadoria ou disponibilidade do servidor
agravantes ou atenuantes e os antecedentes ou aposentado que tenha praticado falta punível
funcionais. com a demissão, quando em atividade.

*•'•?
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.20
Macapá, 24.04.2018

Art. 162. A destituição de cargo em efeitos retroativos.


comissão ou função de confiança será aplicada 2o O servidor não será considerado
reincidente,para quaisquer efeitos
nos casos de infração sujeita à penalidade de
discipiinares, após o decurso do prazo previsto
suspensão e demissão.
Parágrafo único. Constatada a hipótese de no caput deste artigo.
que trata este artigo, a exoneração efetuada 3 Considera-se reincidência a prática, no
nos termos do Art. 39 será convertida em período de três anos consecutivos, contados da
destituição de cargo em comissão. data da primeira transgressão, de mais de duas
Art. 163. As penalidades disciplinares serão transgressões disciplinares pelas quais o
funcionário tenha sido efetivamente punido.
aplicadas:
I- pelo Prefeito ou pelo Presidente da CAPÍTULO VI
Câmara Municipal, em cada Poder, quando se DO AFASTAMENTO PREVENTIVO
Art. 169. Como medida cautelar e a fim de
tratar de:
que o servidor não venha a influir na apuração
a)demissão;
b)cassação de aposentadoria ou da irregularidade, a autoridade instauradora do

disponibilidade; processo disciplinar poderá determinar o seu


c)destituição de cargo em comissão ou afastamento do exercício do cargo, pelo prazo
de até sessenta dias, sem prejuízo da
função de confiança;
d)suspensão superior a trinta dias. remuneração.
II- pelo Procurador Geral do Município ou Parágrafo único. O afastamento poderá ser
pelo Presidente da Câmara Municipal, em cada prorrogado por igual prazo, findo o qual
Poder, quando se tratar de suspensão de até 30 cessarão os seus efeitos, ainda que não
(trinta) dias ou repreensão. concluído o processo.
Art. 164. A ação disciplinar prescreverá: Art. 170. É assegurada a contagem de tempo
I- em cinco anos, quanto às infrações de serviço, para todos os efeitos, do período de
puníveis com demissão, cassação de afastamento preventivo, bem como a percepção
aposentadoria ou disponibilidade; da diferença de vencimentos e vantagens,
II- em três anos, quanto a suspensão por devidamente corrigidos, quando reconhecida a
mais de trinta dias; inocência do servidor ou quando a penalidade
III- em um ano, quanto a suspensão por imposta se limitar a pena de repreensão.
período igual ou inferior a trinta dias; TÍTULO V
IV- em cento e oitenta dias quanto a DO PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR
repreensão. CAPÍTULO I
1 O prazo de prescrição começa a correr DISPOSIÇÕES GERAIS
da data em que o fato se tornou conhecido. Art. 171. A autoridade que tiver ciência de
2o Aplica-se às infrações disciplinares irregularidade no serviço público tomará
capituladas também como crime os prazos de medidas necessárias à promoção de sua
prescrição previstos no Decreto-Lei n 2.848, de imediata apuração.
7 de dezembro de 1940 - Código Penal. Art. 172. As denúncias sobre irregularidades
3 A abertura de sindicância ou a serão objeto de apuração, desde que
instauração de processo disciplinar interrompe contenham a identificação e o endereço do
a prescrição, até a decisão final proferida por denunciante e sejam formuladas por escrito,
autoridade competente. mesmo que tomada a termo, confirmada a
4 Interrompido o curso da prescrição, o autenticidade.
prazo começará a correr a partir do dia que Parágrafo único. Quando o fato narrado não
cessar a interrupção. configurar evidente infração disciplinar ou
Art. 165. A aplicação das penas de demissão ilícito penai, a denúncia será arquivada, por
previstas nos incisos II, VIII, X e XI, do Art. 160 falta de objeto.
implicará na indisponibilidade dos bens e no Art. 173. A apuração das infrações será feita
ressarcimento ao erário municipal, sem prejuízo mediantesindicânciaouprocesso
de ação penal cabível. administrativo, assegurados o contraditório e a
Art. 166. A demissão por infringência ao ampla defesa.
disposto nos incisos X e XIV do Art. 144, Art. 174. Será instaurada sindicância quando
incompatibilizará o ex-servidor para nova a falta disciplinar, por sua natureza, possa
investidura em cargo ou função pública determinar as penas de repreensão e suspensão
municipal pelo prazo mínimo de cinco anos. de até trinta dias.
Art. 167. Deverão constar do assentamento Art. 175. Será obrigatório o processo
individual do servidor todas as penas que lhe administrativo quando a falta disciplinar, por
sua natureza, possa determinar as penas de
forem impostas.
Art. 168. As penalidades de repreensão e de suspensão por período superior a trinta dias,
suspensão terão seus registros cancelados, demissão, cassação de aposentadoria ou
após o decurso de três e cinco anos de efetivo disponibilidade e destituição do cargo em
exercício, respectivamente, se o servidor não comissão ou função comissionada.
houver, nesse período, praticado nova infração Art. 176. Os procedimentos disciplinares
punitivos no âmbito do Poder Executivo serão
disciplinar.
1 O cancelamento do registro da realizados pela Procuradoria Geral do Município
penalidade, na forma deste artigo, não surtirá - PROGEM e no âmbito do Poder Legislativo
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 21

pela Mesa Executiva da Câmara Municipal. Parágrafo único. Se a testemunha for


Parágrafo único. Constatada a omissão no servidor público, a expedição do mandado será
cumprimento da obrigação a que se refere o Art. imediatamente comunicada ao chefe da
175, o titular da PROGEM ou o Presidente da repartição onde serve, com a indicação do dia e
Câmara Municipal designarão a comissão de hora marcados para inquirição.
que trata o Art. 177. Art. 181. O depoimento será prestado
Art. 177. A sindicância e o processo oralmente e reduzido a termo, não sendo lícito à
disciplinar serão conduzidos por comissão testemunha trazê-lo por escrito.
composta de três servidores estáveis do quadro 1o As testemunhas serão inquiridas
municipal designados pela autoridade separadamente.
competente, que indicará, dentre eles, o seu 2 Na hipótese de depoimentos
presidente, que deverá ser ocupante de cargo contraditórios ou que se infirmem, proceder-se-
efetivo superior ou de mesmo nível, ou ter nível á à acareação entre os depoentes, se houver
de escolaridade igual ou superior ao do relevância para esclarecimento dos fatos, a
indiciado. juízo da comissão processante.
1 A comissão processante terá como Art. 182. Quando houver dúvida sobre a
secretário servidor designado pelo seu sanidade mental do acusado, a comissão
presidente, podendo a indicação recair em um proporá à autoridade competente que ele seja
de seus membros. submetido a exame por junta médica oficial, da
2 Não poderá participar da comissão de qual participe pelo menos um médico
sindicância ou do processo disciplinar: psiquiatra.
I- cônjuge, companheiro ou parente de 1o O incidente de sanidade mental será
membros da mesma comissão, consanguíneo ou processado em autos apartados e apensos ao
afim, em linha reta ou colateral, até o terceiro processo principal, após a expedição do laudo

grau. pericial.
II- cônjuge, companheiro ou parente do 2 A sindicância ou o processo disciplinar
indiciado, consanguíneo ou afim, em linha reta ficará suspenso, sem que corram quaisquer
ou colateral, até o terceiro grau. prazos, até o recebimento pela comissão do
3o É defeso ao membro da comissão laudo expedido pela junta médica, salvo quanto
processante exercer suas funções em às diligências e perícias que possam ser
procedimento disciplinar, quando houver atuado prejudicadas pelo adiamento e os demais atos
na sindicância ou no inquérito administrativo que independam do resultado do ex.ame médico.
relativo ao procedimento do exercício de 3o Se a junta médica concluir que o
pretensão punitiva, sendo designados outros acusado ou indiciado era, ao tempo da infração,
membros para esse fim. irresponsável nos termos do art. 26 do Código
4o Constatada a omissão no cumprimento Penal, o processo administrativo disciplinar
da obrigação a que se refere o caput deste será encerrado e arquivado os autos.
artigo, o titular da PROGEM ou o Presidente da 4 Continuando o estado de insanidade
Câmara Municipal designarão a comissão para mental do acusado, a autoridade instauradora
esse fim. adotará as providências necessárias para o
Art. 178. A comissão exercerá suas encaminhamento do mesmo ao serviço médico
atividades com independência e imparcialidade, para fins de exame para concessão de licença
assegurado o sigilo necessário à elucidação do para tratamento de saúde, por período não
fato ou exigido pelo interesse da administração. excedente a vinte e quatro meses.
1 As reuniões e as audiências das 5 Se a Junta Médica concluir que a
o 'comissões terão caráter reservado. doença mental sobreveio à infração, o processo
2o As reuniões da comissão serão continuará suspenso até que o servidor se
registradas em atas que deverão detalhar as restabeleça, quando então retomará o seu
deliberações adotadas. curso, ficando assegurada a faculdade de o
Art. 179. É assegurado ao servidor o direito acusado reinquirir as testemunhas que
de acompanhar a sindicância ou o processo porventura houverem prestado depoimento sem
disciplinar pessoalmente ou por intermédio de a sua presença.
procurador, arrolar e reinquirir testemunhas, Art. 183. Serão assegurados transporte e
produzir provas e eontraprovas e formular diárias:
quesitos, quando se tratar de prova pericial. I- ao servidor convocado para prestar
1o O presidente da comissão poderá esclarecimento ou depoimento fora da sede de
denegar pedidos considerados impertinentes, sua repartição, na condição de testemunha,
meramente protelatórios, ou de nenhum denunciado ou indiciado;
interesse para o esclarecimento dos fatos. II- aos membros da comissão e ao
2 Será indeferido o pedido de prova secretário, quando obrigados a se deslocarem
pericial, quando a comprovação do fato da sede dos trabalhos para a realização de
independer de conhecimento especial de perito. missão essencial ao esclarecimento dos fatos.
Art. 180. As testemunhas serão intimadas a Art. 184. Na hipótese de o relatório da
depor mediante mandado expedido pelo sindicância ou do processo disciplinar concluir
presidente da comissão, devendo uma via, com que a infração está capitulada como ilícito
o ciente do interessado, ser juntada aos autos. penal, a autoridade competente deverá
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 22

encaminhar cópia integral dos autos ao II - inquérito administrativo, que compreende


Ministério Público, ficando trasladado na instrução, indksiação, defesa e relatório;
repartição. III-julgamento.
CAPÍTULO II Art. 190. O prazo para a conclusão do
DA SINDICÂNCIA processo administrativo disciplinar não
Art. 185. A sindicância, de caráter excederá sessenta dias, contados da data de
contraditório, como meio sumário de publicação do ato que constituir a comissão,
verificação de infração disciplinar, se admitida a sua prorrogação por igual prazo,
desenvolverá da seguinte forma: quando as circunstâncias o exigirem.
I- instauração da Comissão Sindicante por Art. 191. O processo disciplinar poderá ser
ato do Procurador Geral do Município ou do suspenso, a pedido ou de ofício, por decisão da
PresidentedaCâmaraMunicipal, autoridade instauradora até a conclusão da
respectivamente; instrução do processo criminal ou civil
II- citação dp sindicado para interrogatório, conduzida pelo Poder Judiciário em primeira
oportunidade em que oferecerá defesa prévia, instância, quando imprescindível para o
na qual poderá arrolar testemunhas, e indicar resguardo do interesse público municipal.
as provas que pretender produzir; 1 A suspensão do processo se dará sem
III- oitiva de testemunhas da denúncia e da prejuízo da realização antecipada de perícias,
defesa, até o máximo de três para cada uma; diligências e coletas de outras provas.
IV- prazo de cinco dias para a apresentação 2o As provas do processo judicial poderão
de razões finais; ser utilizadas no processo administrativo
V- relatório da Comissão Sindicante, com disciplinar.
, sugestão sobre a solução que entender Seção I
) ^adequada; Do Inquérito
VI- julgamento pela autoridade competente, Art. 192. O inquérito administrativo
que proferirá decisão no prazo de quinze dias. obedecerá ao princípio do contraditório,
Art. 186. Verificada na fase de julgamento a assegurada ao acusado a ampla defesa, com a
existência de falta punível com penalidade mais utilização dos meios e recursos admitidos em
grave do que aquela prevista no Art. 174, o direito.
Procurador Geral, em despacho, determinará a Art. 193. Na fase do inquérito, a comissão
providência constante no Art. 175, expedindo a promoverá a tomada de depoimentos, oitivas de
respectiva portaria. testemunhas, acareações, investigações e
Art. 187. Da sindicância poderá resultar: diligências cabíveis, objetivando a coleta de
I- arquivamento do processo; prova, recorrendo, quando necessário,^^/ a
II- aplicação de penalidade de repreensão técnicos e peritos, de modo a permitir a
ou suspensão por período igual ou inferior a completa elucidação dos fatos, com a
trinta dias; observância ao disposto no Art. 181 desta Lei
III- instauração de processo disciplinar. Complementar.
1o A sindicância precederá ao processo Art. 194. Concluída a inquirição das
administrativo disciplinar no caso de não haver testemunhas a comissão promoverá o
elemento de convicção suficiente para a interrogatório do acusado.
imediata instauração do segundo procedimento. Parágrafo único. No caso de mais de um
2 O prazo para conclusão da sindicância acusado, cada um deles será ouvido
não excederá trinta dias, podendo ser separadamente e, sempre que divergirem em
prorrogado por igual período, a critério da suas declarações sobre fatos ou circunstâncias,
autoridade instauradora. será promovida a acareação entre eies.
3o Ocorrendo à situação prevista no 1 Art. 195. Tipificada a infração disciplinar,
deste artigo, os autos da sindicância integrarão será formulada a indiciação do servidor, com a
o processo administrativo disciplinar como especificação dos fatos a ele imputados e das
peça informativa. respectivas provas.
4 Aplica-se à sindicância, no que couber, 1o O indiciado será citado por mandado
as disposições do processo administrativo expedido pelo presidente da comissão para
disciplinar previstos nesta Lei Complementar. apresentar defesa escrita, no prazo de dez dias,
•* CAPÍTULO III assegurando-se lhe vista do processo* na
DO PROCESSO ADMINISTRATIVO repartição.
DISCIPLINAR 2 Havendo dois ou mais indiciados, o
Art. 188. O processo disciplinar é o prazo será comum e de vinte dias.
instrumentodestinadoaapurar 3 O prazo de defesa poderá ser prorrogado
responsabilidade de servidor por infração pelo dobro, para diligências indispensáveis.
praticada no exercício de suas atribuições, ou 4 No caso de recusa do indiciado em apor
que tenha relação com as atribuições do cargo o ciente na cópia da citação, o prazo para
em que se encontre investido. defesa contar-se-á da data declarada, em termo
Art. 189. O processo disciplinar se próprio, pelo membro da comissão que fez a
desenvolve nas seguintes fases: citação, com a assinatura de duas
I - instauração, com a publicação do ato que testemunhas.
constituir a comissão; Art. 196. O indiciado que mudar de
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 23

residência fica obrigado a comunicar à o registro do fato nos assentamentos


comissão o lugar onde poderá ser encontrado. individuais do servidor.
Art. 197. Achando-se o indiciado em lugar Parágrafo único. O julgamento fora do prazo
incerto e não sabido, será citado por edital, legal não implica nulidade do processo.
publicado no Diário Oficial do Município para Art. 205. O servidor que responder a
apresentar defesa. processo disciplinar só poderá ser exonerado a
Parágrafo único. Na hipótese deste artigo, o pedido, ou aposentado voluntariamente, após a
prazo para defesa será de quinze dias a partir conclusão do processo e o cumprimento da
da última publicação do editai. penalidade, acaso aplicada.
Art. 198. Considerar-se-á revel o indiciado Parágrafo único. Ocorrida a exoneração de
que, regularmente citado, não apresentar que trata o inciso I do parágrafo único do Art.
defesa no prazo legal. 38, o ato será convertido em demissão, se for o
1. A revelia será declarada, por termo, nos caso.
autos do processo e devolverá o prazo para a CAPÍTULO IV
defesa. DO PROCESSO POR ABANDONO DE CARGO
2. Para defender o indiciado revel, a Art. 206. No caso de abandono de cargo ou
autoridade instauradora do processo designará função, instaurado o processo e feita a citação
um servidor com formação em Direito e na forma prevista no Capitulo III, Seção I, deste
devidamente habilitado na Ordem dos Título, comparecendo o acusado e, tomadas as
Advogados do Brasil. suas declarações, terá ele o prazo de dez dias
Art. 199. Apreciada a defesa, a comissão para oferecer defesa ou requerer a produção da
elaborará relatório minucioso, onde resumirá as prova, que só poderá versar sobre força maior
peças principais dos autos e mencionará as ou coação ilegal.
provas em que se baseou para formar a sua Parágrafo único. Não comparecendo o
convicção. acusado, ou encontrando-se em lugar incerto e
1o. O relatório será sempre conclusivo não sabido, a comissão fará publicar no Diário
quanto à inocência ou à responsabilidade do Oficial do Município, pelo menos por duas
servidor. vezes, o edital de chamamento com intervalo de
2. Reconhecida a responsabilidade do até cinco dias.
servidor, a comissão indicará o dispositivo legal Art. 207. Simultaneamente com a publicação
ou regulamentar transgredido, bem como as dos editais a comissão deverá:
circunstâncias agravantes ou atenuantes. I- requisitar o histórico funcional e a folha
Art. 200. O processo disciplinar, com o de freqüência do acusado;
relatório da comissão, será remetido à II- diligenciar, a fim de localizar o acusado;
autoridade competente para julgamento. III- ouvir o chefe da unidade administrativa
Seção II ou órgão equivalente a qual pertencer o
Do Julgamento servidor;
Art. 201. No prazo de trinta dias, contados IV- solicitar aos órgãos competentes os
do recebimento do processo, a autoridade antecedentesmédicos,informando,
julgadora proferirá a sua decisão. especialmente, do estado mental do acusado
1o Havendo mais de um indiciado e faltoso, quando for o caso.' •
diversidade de sanções, o julgamento caberá ã Art. 208. Não atendidos os editais de citação
autoridade competente para a imposição da será o servidor declarado revel e ser-lhe-á
pena mais grave. nomeado um defensor na forma do 2 do Art.
2 Reconhecida pela comissão a inocência 198 desta Lei Complementar, prosseguindo-se o
do servidor, a autoridade instauradora do feito até final julgamento.
processo, determinará o seu arquivamento, CAPÍTULO V
salvo se flagrantemente contrária à prova dos DO PROCESSO POR ACÚMULO INDEVIDO DE
autos. CARGO PÚBLICO
Art. 202. O julgamento acatará o relatório da Art. 209. Findo o prazo previsto no Art. 148
comissão, salvo quando contrário às provas dos sem que o servidor tenha exercido o direito à
autos. opção, será adotado procedimento sumário para
Parágrafo único. Quando o relatório da sua apuração e regularização imediata, cujo
comissão contrariar as provas dos autos, a processo administrativo disciplinar se
autoridade julgadora poderá, motivadamente, desenvolverá nas seguintes fases:
agravar a penalidade proposta, abrandá-la ou I- instauração, com a publicação do ato que
isentar o servidor de responsabilidade. constituir a comissão, a ser composta por três
Art. 203. Verificada a ocorrência de vício servidores estáveis, e simultaneamente indicar
insanável, a autoridade que determinou a a autoria e a materialidade da transgressão
instauração do processo ou a autoridade objeto da apuração;
julgadora declarará a sua nulidade, total ou II- instrução sumária, que compreende
parcial, e ordenará, no mesmo ato, a indiciação, defesa e relatório;
constituição de outra comissão para III-julgamento.
instauração de novo processo. 1 A indicação da autoria de que trata o
Art. 204. Extinta a punibiiidade pela inciso I do caput dar-se-á pelo nome e matrícula
prescrição, a autoridade julgadora determinará do servidor e a materialidade pela descrição
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.24

dos cargos, empregos ou funções públicas em 2o No caso do incapacidade mental do


situação de acumulação ilegal, dos órgãos ou servidor, a revisão será requerida pelo
entidades de vinculação, das datas de ingresso, respectivo curador.
do horário ou trabalho e do correspondente Art. 211. No processo revisional, o ônus da
regime jurídico. prova cabe ao requerente.
2o A comissão lavrará, até três dias após a Art. 212. A simples alegação de injustiça da
publicação do ato que a constituiu, termo de penalidade não constitui fundamento para a
indiciação em que serão transcritas as revisão, que requer elementos novos, ainda não
informações de que trata o parágrafo anterior apreciados no processo originário.
bem como promoverá a citação pessoal do Art. 213. O requerimento de revisão do
servidor indiciado, ou por intermédio de sua processo será dirigido ao Prefeito ou Presidente
chefia imediata, para, no prazo de cinco dias, da Câmara Municipal, sendo-ihe facultado ouvir
apresentar defesa escrita, assegurando-se-lhe a Procuradoria Geral do Município, e caso
vista do processo na repartição, observado o autorize a revisão encaminhará o pedido ao
disposto nos Art. 197 e Art. 198. Órgão onde se originou o processo disciplinar.
3o Apresentada a defesa, a comissão Parágrafo único. Deferida a petição, a
elaborará relatório conclusivo quanto à autoridade competente providenciará a
inocência ou á responsabilidade do servidor, em constituição de comissão, na forma do Art. 188.
que resumirá as peças principais dos autos, Art. 214. A revisão correrá em apenso ao
opinará sobre a licitude da acumulação em processo originário.
exame, indicará o respectivo dispositivo legal e Parágrafo único. Na petição inicial, o
remeterá o processo à autoridade instauradora, requerente juntará as provas documentais,
para julgamento. pedirá dia e hora para a produção de novas
4o No prazo de dez dias, contados do provas e inquirição das testemunhas que
recebimento do processo, a autoridade arrolar.
julgadora, proferirá a sua decisão. Art. 215. A comissão revisora terá sessenta
5o A opção pelo servidor até o último dia dias para a conclusão dos trabalhos, podendo
de prazo para defesa configurará sua boa-fé, ser prorrogado por igual período.
hipótese em que se converterá Art. 216. Aplicam-se aos trabalhos da
automaticamente em pedido de exoneração do comissão revisora, no que couber, as normas e
outro cargo, e não sendo este municipal, procedimentos próprios da comissão do
obrigatória a apresentação do desligamento do processo disciplinar.
cargo ou emprego da outra entidade, no mesmo Art. 217. O julgamento da revisão,

prazo. independentemente da competência da punição


6o Caracterizada a acumulação ilegal e aplicada no processo originário, caberá ao
provada a má-fé, aplicar-se-á a pena de Prefeito ou Presidente da Câmara Municipal.
demissão, destituição ou cassação de Parágrafo único. O prazo para julgamento
aposentadoria ou disponibilidade em relação será de trinta dias, contados do recebimento do
aos cargos, empregos ou funções públicas em processo, no curso do qual a autoridade
regime de acumulação ilegal, hipótese em que julgadora poderá determinar diligências.
os órgãos ou entidades de vinculação serão Art. 218. Julgada procedente a revisão, será
comunicados. declarada sem efeito a penalidade aplicada,
7 O prazo para a conclusão do processo restabelecendo-se todos os direitos do servidor.
administrativo disciplinar submetido ao rito Parágrafo único. Da revisão do processo não
sumário não excederá trinta dias, contados da poderá resultar agravamento de penalidade.
data de publicação do ato que constituir a TÍTULO VI
comissão, admitida a sua prorrogação por até DA SEGURIDADE SOCIAL DO SERVIDOR
quinze dias, quando as circunstâncias o CAPÍTULO I
exigirem. DISPOSIÇÕES GERAIS
8 O procedimento sumário rege-se pelas Art. 219. O Município manterá Plano de
disposições deste artigo observando-se, no que Seguridade Social para o servidor e sua família.
lhe for aplicável, subsidiariamente, as Parágrafo único. O servidor ocupante de
disposições do Regime Disciplinar e do cargo em comissão que não seja,
Processo Administrativo Disciplinar previstos simultaneamente, ocupante de cargo efetivo do
nesta Lei Complementar. Município na administração pública direta,
CAPÍTULO VI autárquica e fundacional não terá direito aos
DA REVISÃO DO PROCESSO benefícios do Plano de Seguridade Social, com
Art. 210. O processo disciplinar poderá ser exceção da assistência à saúde.
revisto, a qualquer tempo, a pedido ou de ofício, Art. 220. O Piano de Seguridade Social visa a
quando se aduzirem fatos novos ou dar cobertura aos riscos a que estão sujeitos o
circunstâncias suscetíveis de justificar a servidor e sua família, e compreende um
inocência do punido ou a inadequação da conjunto de benefícios e ações que atendam às
penalidade aplicada. seguintes finalidades:
1o Em caso de falecimento, ausência ou I - garantir meios de subsistência nos
desaparecimento do servidor, qualquer pessoa eventos de doença, invaiidez, velhice, acidente
da família poderá requerer a revisão do em serviço, inatividade, falecimento e reclusão;
processo.
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.25

II- proteção à maternidade, ã adoção e à odontológica, í>si,oeiógiea e farmacêutica, terá


paternidade; como diretriz básica o implemento de ações
III- assistência à saúde. preventivas voit^tias para a promoção da saúde
Parágrafo único. Os benefícios serão e será prestada pelo Sistema Único de Saúde -
concedidos nos termos e condições definidos SÚS, diretamente pelo órgão ou entidade ao
em regulamento, observadas as disposições qual estiver vinculado o servidor, ou mediante
desta Lei. convênio ou contrato, ou ainda na forma de
Art. 221. Os benefícios do Plano de auxílio, mediante ressarcimento parcial do valor
Seguridade Social do servidor compreendem: despendido pelo servidor, ativo ou inativo, e
I - quanto ao servidor: seus dependentes ou pensionistas com planos
a)aposentadoria; ou seguros privados de assistência à saúde, na
b)salário-familia para o servidor de baixa forma estabelecida em regulamento.
renda; 1 Para os fins do disposto no caput deste
c)auxílio-doença; artigo, ficam o Município e suas entidades
d)assistência à saúde; autárquicas e fundacionais autorizadas a:
, II - quanto ao dependente: I- celebrar convênios exclusivamente para a
a)pensão por morte; prestação de serviços de assistência à saúde
b)auxílio-funeral; para os seus servidores ou empregados ativos,
c)auxílio- reclusão; aposentados, pensionistas, bem como para
d)assistência à saúde. seus respectivos grupos familiares definidos,
CAPITULO II com entidades de autogestão por elas
DO SALÁRIO-FAMILIA patrocinadas e que possuam autorização de
Art. 222. O salário-familia, devido ao servidor funcionamento do órgão regulador;
de baixa renda para subsistência e educação II- contratar, mediante licitação, operadoras
dos filhos sem economia própria, será de cinco de planos e seguros privados de assistência à
por cento em razão de dependente até os saúde que possuam autorização de
catorze anos, calculados sobre o menor funcionamento do órgão regulador.
vencimento básico da estrutura do Município. 2o O valor do ressarcimento de que trata o
Parágrafo único. Para os fins do disposto no caput fica limitado ao total despendido pelo
"caput" considera-se servidor de baixa renda o servidor ou pensionista civil com plano ou
que perceba remuneração mensal até o limite seguro privado de assistência à saúde.
fixado na Lei Federal, ou, na sua ausência, o TÍTULO VII
limite de que trata o art. 13 da Emenda DAS DISPOSIÇÕES GERAIS
Constitucional n 20, de 16 de dezembro de Art. 226. O Dia do Servidor Público será
1998, corrigidos pelos mesmos índices comemorado a vinte e oito de outubro.
aplicados aos benefícios do regime geral de Art. 227. Poderão ser instituídos, no âmbito
previdência social. do Município, regulados por Decreto, os
seguintes incentivos funcionais, além daqueles
Art. 223. Quando o pai e mãe forem
já previstos nos respectivos planos de carreira:
servidores públicos e viverem em comum, o
I- prêmios anuais pela apresentação e
salário-familia será pago a um deles; quando
execução de projetos, inventos ou trabalhos
separados, será pago a um e outro, de acordo
com a distribuição dos dependentes. que favoreçam o aumento de eficácia e a
Parágrafo único. Ao pai e à mãe equiparam- redução dos custos operacionais dos serviços
se o padrasto, a madrasta e, na falta destes, os públicos municipais;
representantes legais dos incapazes. II- concessão de medalhas, diplomas de
CAPÍTULO III honra ao mérito, condecoração e elogio.
DA PREVIDÊNCIAL SOCIAL Art. 228. Os prazos previstos nesta Lei
Art. 224. Os benefícios da Previdência Social Complementar serão contados em dias corridos,
serão concedidos nos termos e condições excluindo-se o dia do começo e incluindo-se o
definidas em lei própria do Município, do vencimento, ficando prorrogado para o
observadas às disposições constitucionais e da primeiro dia útil seguinte o prazo vencido em
legislação federal expressamente aplicáveis ao dia em que não haja expediente.
Município, em especial a Lei n 9.717, de 27 de Art. 229. A ciência de requerente ou
interessado que não seja servidor do município
novembro de 1998.
Parágrafo único. O Regime Próprio de referente à decisão proferida em processo
Previdência Social dos servidores municipais administrativo de pessoal, será feita por meio
não poderá conceder benefícios distintos dos de edital de notificação publicado no Diário
previstos no Regime Geral de Previdência Oficial do Município, se de outra forma for
Social, de que trata a Lei n 8.213, de 24 de frustrada a tentativa.
julho de 1991, salvo disposição em contrário da Parágrafo único. Decorridos quinze dias da
publicação do editai de notificação, considerar-
Constituição Federal.
CAPÍTULO IV se-á o requerente ou interessado ciente da
DA ASSISTÊNCIA A SAÚDE decisão proferida pelo município.
Art. 225. A assistência à saúde do servidor, Art. 230. Por motivo de crença religiosa ou
ativo ou inativo, e de seus dependentes de convicção filosófica ou política o servidor
compreende assistência médica, hospitalar, não poderá ser privado de quaisquer dos seus
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 26
Macapá, 24.04.2018

direitos, sofrer discriminação em sua vida alíneas "a", "b" e "d^; Art. 133 a Art. 156, incisos
funcional, nem se eximir do cumprimento de I, II e V; Art. 157 a Art. 218; Art. 226 a Art. 232;
seus deveres. Art. 234 e Art. 236 desta lei.
Art. 231. Ao servidor é assegurado, nos Art. 238. Os servidores não estáveis
termos da Constituição Federal, o direito à livre somente poderão ser exonerados, para atender
associação sindical e os seguintes direitos o previsto no 3o do Art. 169, da Constituição
entre outros, dela decorrentes: Federal e Lei complementar n 101, de 2000,
I- de ser representado pelo sindicato nos após a redução das despesas com cargos em
interesses difusos, coletivos e individuais comissão e funções de confiança e contratos
homogêneos, inclusive nos interesses administrativos, sendo obrigatoriamente,
meramente individuais quando outorgados precedido de ato normativo motivado do
poderes específicos, perante o Poder Judiciário Prefeito, Presidente da Câmara, que
e na esfera administrativa. especificará:
II• de inamovibilidade do dirigente sindical, I- a economia de recursos e o número
enquanto candidato e até um ano após o final correspondente de servidores a serem
do mandato, exceto se a pedido ou em exonerados;
conseqüência da extinção do órgão ou das II- a atividade funcional, o órgão ou a
atividades no local. unidade administrativa onde o servidor é lotado;
III- de descontar em folha, sem ônus para a III- o critério geral impessoal escolhido para
entidade sindical a que for filiado, o valor das identificação dos servidores a serem desligados
mensalidades e contribuições legais definidas dos respectivos cargos;
em assembléia geral. IV- O prazo para pagamento da indenização
1o O direito de descontar as mensalidades devida pela perda do cargo;

h e contribuições, sem ônus, é aplicável também


as associações dos servidores de qualquer dos
V - Os créditos orçamentários para
pagamento das indenizações.
1 Os cargos vagos em decorrência do
poderes.
2 O repasse das contribuições e disposto neste artigo serão extintos, ficando
mensalidades, descontados em folhas, serão proibida a criação de novos cargos nas mesmas
efetuados até o quinto dia do efetivo pagamento funções, órgãos ou unidades pelo prazo mínimo
da remuneração do servidor. de quatro anos.
Art. 232. Mediante autorização do servidor, 2o O prazo máximo para pagamento das
poderá haver consignação em folha de indenizações é de quatro meses.
pagamento a favor de terceiros, a critério da 3 O valor da indenização devida ao
administração e com reposição de custos, na servidor será calculado à razão de um mês de
forma definida em regulamento. remuneração por ano de efetivo exercício.
Art. 233. Os efeitos financeiros das Art. 239. A exoneração de servidores
gratificações previstas na legislação municipal estáveis, para atender o previsto no 4 do Art.
dar-se-ão a partir do mês subsequente ao 169, da Constituição Federal e Lei
pedido, salvo se o servidor comprovar os complementar n 101, de 2000, observará o
requisitos na data da posse, decisão judicial ou disposto na Lei Federal n 9.801, de 14 de junho
Já tiver implementado os requisitos na data da de 1999.
entrada em vigor desta lei, caso em que os Art. 240. O art. 32 da Lei Complementar n
efeitos financeiros se darão a partir da data da 065, de 31 de dezembro de 2009-PMM, passa a
comprovação ou verificação dos requisitos pela vigorar com as seguintes alterações:
administração municipal. "Art. 32
Art. 234. Os valores referentes a diferenças III - adicional de interiorização: devida pelo
salariais de exercício anteriores, quando de seu exercício de cargo em unidade de trabalho na
pagamento, serão corrigidos monetariamente. área rural do Município, em percentual de vinte
Art. 235. A remuneração dos servidores e cinco por cento, incidente sobre o vencimento
públicos será fixada por lei específica, básico do cargo.
assegurada a revisão geral e anual sem
distinção de índices para os ativos e inativos VII- adicional de insalubridade destinado
com direito a paridade. aos ocupantes do cargo de Auxiliar
Art. 236. Consideram-se da família do Educacional, que exerçam os serviços de
servidor, além do cônjuge e filhos, quaisquer higiene e limpeza das escolas, de acordo com
pessoas que vivam às suas expensas e constem laudo técnico expedido por profissionais
do seu assentamento individual. credenciados junto ao Ministério do Trabalho.
Parágrafo único. Equipara-se ao cônjuge a VIII- adicional de pós-graduação em nível de
companheira ou o companheiro, que comprove especialização lato sensu, mestrado ou
união estável como entidade familiar. doutorado, calculados sobre o vencimento
Art. 237. Aplica-se aos ocupantes básico do servidor, na proporção de dez, vinte e
exclusivamente de cargo em comissão o trinta por cento, respectivamente, e
disposto nos Art. 51 a Art. 55; Art. 59; Art. 62; inacumuláveis, desde que o curso seja
Art. 64 a Art. 66; Art. 69 e Art. 70; Art. 71, 1; compatível com o desempenho das funções do
Art. 79 e Art. 80, 2; Art. 81; Art. 83; Art. 95 e cargo ocupado.
Art. 98; Art. 102; Art. 108; Art. 113; Art. 115; Art. "(NR)
116; Art. 124; Art. 130, incisos I, III, V, VII Art. 241. O art. 29 da Lei Complementar n
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.27

53, de 12 de maio de 2008-PMM, passa a vigorar adicional de pós-graduação em nível de


com a seguinte redação: especialização lato sensu, mestrado ou
"Art. 29 É devido aos servidores titulares de doutorado, calculados sobre o vencimento
cargos da carreira de Auditor Fiscal e Fiscal de básico do servidor, na proporção de dez, vinte e
Tributos adicional de pós-graduação em nível de trinta por cento, respectivamente, e
especialização lato sensu, mestrado ou inacumuláveis, desde que o curso seja
doutorado, calculados sobre o vencimento compatível com o desempenho das funções do
básico do servidor, na proporção de dez, vinte e cargo ocupado.
trinta por cento, respectivamente, e 1o Para fins do disposto no "caput", o título
inacumuláveis, desde que o curso seja de pós-graduação deverá ter sido adquirido
compatível com o desempenho das funções do após o ingresso no quadro de servidores
cargo ocupado. efetivos do Município.
1 Para fins do disposto no "caput", o título 2 O adicional de pós-graduação será
de pós-graduação deverá ter sido adquirido concedido mediante requerimento do servidor
após o ingresso no quadro de servidores interessado acompanhado de cópia do diploma
efetivos do Município. ou certificado de conclusão de curso, e os
2 O adicional de pós-graduação será efeitos financeiros serão computados a partir
concedido mediante requerimento do servidor da data do requerimento.
interessado acompanhado de cópia do diploma 3o Caso o requerimento não atenda o
ou certificado de conclusão de curso, e os disposto no 2, os efeitos financeiros serão
efeitos financeiros serão computados a partir computados a partir da data em que forem
da data do requerimento. apresentados os documentos comprobatórios
3 Caso o requerimento não atenda o nele referidos.
disposto no 2, os efeitos financeiros serão 4 O adicional de pós-graduação incorpora-
computados a partir da data em que forem se aos proventos e será considerado para fins
apresentados os documentos comprobatórios de contribuição previdenciária."(NR)
nele referidos. Art. 244. Até que seja editada a Lei de que
4a O adicional de pós-graduação incorpora- trata o Art. 224, os benefícios da Previdência
se aos proventos e será considerado para fins Social do servidor público municipal titular de
de contribuição previdenciária."(NR) cargo efetivo serão concedidos nos termos dos
Art. 242. O art. 25 da Lei Complementar n art. 191 a 197 e 218 a 232 da Lei Complementar
105,de 12 de março de 2014-PMM, passa a n 014-PMM, de 2000, ressalvado o disposto na
vigorar com a seguinte redação: Constituição Federai e na Lei Federal n 10.887,
"Art. 25 É devido aos servidores titulares de de 18 de junho de 2004.
cargos de Analista e de Atividades de Art. 245. Para os fins desta Lei
Engenharia e Tecnólogo em Atividades de Complementar, considera-se sede o Distrito ou
Engenharia adicional de pós-graduação em nível Localidade do Município onde a repartição
de especialização lato sensu, mestrado ou estiver instalada e onde o servidor tiver lotação
doutorado, calculados sobre o vencimento ou exercício, em caráter permanente.
básico do servidor, na proporção de dez, vinte e Art. 246. O Prefeito baixará normas
trinta por cento, respectivamente, e regulamentadoras que se fizerem necessárias à
inacumuláveis, desde que o curso seja execução desta Lei Complementar, podendo
compatível com o desempenho das funções do fazer delegação específica aos Secretários
cargo ocupado. Municipais ou autoridades equiparadas.
1o Para fins do disposto no "caput", o título Art. 247. As despesas decorrentes desta Lei
de pós-graduação deverá ter sido adquirido Complementar correrão por conta de dotações
após o ingresso no quadro de servidores consignadas no orçamento municipal.
efetivos do Município. Art. 248. Ressalvado o disposto na
2o O adicional de pós-graduação será Constituição Federal, na Constituição do Estado
concedido mediante requerimento do servidor do Amapá e na Lei Orgânica do Município de
interessado acompanhado de cópia do diploma Macapá, ficam assegurados os benefícios,
ou certificado de conclusão de curso, e os direitos e vantagens, já concedidos por atos dos
efeitos financeiros serão computados a partir Poderes Executivo e Legislativo aos servidores
da data do requerimento. ativos e inativos em exercício ou em gozo de
3o Caso o requerimento não atenda o aposentadoria ou pensão na data da publicação
disposto no 2o, os efeitos financeiros serão desta Lei Complementar, com fundamento na
computados a partir da data em que forem legislação em vigor até a data da publicação
apresentados os documentos comprobatórios desta Lei Complementar, bem assim a
nele referidos. continuidade de sua concessão e incorporação
4 O adicionai de pós-graduação incorpora- às respectivas remunerações, com base nos
se aos proventos e será considerado para fins dispositivos da legislação municipal editada até
de contribuição previdenciária."(NR) a data da publicação desta Lei Complementar.
Art. 243. O art. 35 da Lei Complementar n Parágrafo único. Os servidores ativos e
106,de 19 de maio de 2014-PMM, passa a inativos referidos no "caput" poderão requerer a
vigorar com a seguinte redação: aplicação do disposto nesta Lei, em
"Art. 35 É devido aos servidores do quadro substituição aos direitos e vantagens
de pessoal efetivo do Município de Macapá assegurados nos termos do caput, vedada, em
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.28

qualquer situação, a percepção em duplicidade, DECRETO Nfi776/2018-PMM


sob o mesmo título ou fundamento, de direitos
Regulamentao
ou vantagens de qualquer natureza instituídos
SUPRIMENTODE
por esta Lei Complementar e os decorrentes FUNDOS previsto na Lei n
dos direitos assegurados no "caput". 2.078/2013.
Art. 249. Todos os direitos previstos na Lei O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE
MACAPÁ, no uso de suas atribuições legais que lhe
Municipal n 014/2000-PMM, Artigo 35, inciso I
são conferidas pelo Art. 222, Parágrafo único, inciso I,
da Lei Complementar n 106/2014-PMM e Artigos da Lei Orgânica do Município de Macapá, e;
22 e 23 da Lei Complementar n 065/2009-PMM Considerando, a necessidade de
continuarão a vigorar para os Servidores (Ativo assegurar o desempenho institucional das Unidades
Gestoras e Administrativas do Município de Macapá;
e inativos) que tiverem ingressado no quadro
Considerando a necessidade de se
Efetivo até a publicação da presente Lei
estabelecer normas que disciplinem a concessão, o
Complementar, ressalvado aqueles que optarem controle, a execução e a Prestação de Contas das
pela aplicação do disposto no Parágrafo único verbas disponibilizadas pelo SUPRIMENTO DE
do Artigo 248,. FUNDOS, instituído pela Lei 2.078/2013.
Art. 250. Ficam revogados:
DECRETA:
I- a Lei Complementar n 014, de 26 de
dezembro de 2000-PMM; CAPÍTULO I
II- o inciso I do art. 35 da Lei Complementar DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
n 106, de 19 de maio de 2014-PMM; Art. 1 O regime de adiantamento, sob
a forma de Suprimento de Fundos, previsto na Lei n
III-os A
2.078/2013 - PMM consiste na disponibiiização de
rts. 22 e 23 da Lei Complementar n 65, de recursos financeiros a servidor ou agente político
31 de dezembro de 2009-PMM municipal, sempre precedida de empenho onerando
Palácio LAURINOO DOS SANTOS BANHA, em dotação própria, para o fim de realizar despesas de
Macapá, 24 de Abril de 2018. pronto pagamento que não possam subordinar-se
ao processo normal de aplicação.

Art. 2 Considera-se motivo impeditivo


de realização da despesa por processo normal de
aplicação a necessidade de contratação de serviço
ou de aquisição de bem ou material, devidamente
especificado e justificado pelo responsável pelo
adiantamento, cujo pagamento não possa aguardar
os trâmites normais.
DECRETOS Art. 3 Poderá ser utilizado o regime
DECRETO Na 533/2018-PMM de adiantamento quando for exigido pronto
pagamento para atender despesas de pequeno vulto
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
com:
uso de suas atribuições legais que lhes são conferidas I- Manutenção de bens móveis;
pelo Art. 222, inciso I e XIV e seu Parágrafo Único no Inciso II- Conservação e adaptação de bens
I da Lei Orgânica do Município de Macapá-Prefeitura e, em imóveis;
conformidade com o Art. 15, inciso II da Lei Complementar III- Participação de servidores ou
n. 106/2014-PMM, e; agente político municipal em cursos ou congressos
Considerando o que consta nos termos do necessários ao desempenho de suas atribuições;
Parecer Jurídico n. 030/2016 - ASSEJUR/SEMDEC/PMM, IV- Aquisição de bens de consumo e
às fls. 07/09, devidamente homologado pela PROGEM/PMM permanentes cuja aquisição não pode ser
à fl. 38, bem como Ofício n 268/2016 - GAB/SEMAM/PMM, processada normalmente, dentro do limite
à fl. 02 do Processo n. 38.01.140/2016 - SEMDEC/PMM, estabelecido para despesas de pequeno vulto;
SIC (85160), datado de 04 de julho de 2016. V- Viagens temporárias de servidores
ou agentes políticos no interesse da Administração,
DECRETA: organização e realização de eventos científicos,
Art. 1 REMOVER para Secretaria Municipal de culturais e/ou esportivos, quando a Municipalidade
Meio Ambiente - SEMAM/PMM, à servidora municipal os patrocinar ou deles participar;
MARIA VALDETE BASTOS MOREIRA, matrícula VI- Caráter indispensável ao
n.6005926, ocupante da categoria funcional de andamento de medidas judiciais;
merendeira, classe B, Nível 14, lotada na Secretaria VII- Representação do Município;
Municipal de Desenvolvimento Econômico-SEMDEC/PMM. VIII- Natureza excepcional,
Art. 2 Determinar que a Secretaria Municipal de devidamente justificada e expressamente ratificada
Administração, através da Coordenadoria de Recursos pelo Secretário . da Unidade Orçamentaria
Humanos, adote os procedimentos administrativos correspondente, ou previamente autorizadas pelo
necessários ao cumprimento do presente Decreto. Prefeito, quando for o caso.

Art. 3 Este Decreto entra em vigor na data de Parágrafo único. Entende-se por
despesas de pequeno vulto aquelas cuja soma seja
sua publicação.
igual ou inferior a 5% (cinco por cento) do limite
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. estabelecido na alínea "a", do inciso II do art. 23, da Lei
n 8.666/93, com suas alterações subsequentes.
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
21 de MARÇO de 2018. Art. 4 O adiantamento não poderá
abranger período de realização da despesa superior
a 60 dias de duração.
Parágrafo únicp^ Nas hipóteses
previstas nos incisos III e V' dk-artigo 3^ deste
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.29

Decreto, considerar-se-á como período de realização gastos, não ss incluindo, entre esses, presentes de
da despesa aquele compreendido entre o 1 qualquer natureza, resultantes de relacionamento
(primeiro) dia previsto para a inscrição e o último dia social;
do evento, considerando inclusive a sua eventual III- Hospedagem, transporte e
prorrogação. alimentação de pessoas que representarem
oficialmente o Município ou de personalidades
Art. 5 Os processos de adiantamento recepcionadas pelos Chefe do Executivo, Secretários
fundamentados nos incisos III e V do artigo 3 deste Municipais ou equiparados, Secretários-Adjuntos,
Decreto poderão ser formalizados em nome de Subsecretários e Chefes de Gabinete, desde que
qualquer servidor ou agente político lotado no Órgão devidamente justificado o interesse público;
ou Unidade, que se responsabilizará pela prestação IV- Visitas oficiais de autoridades e
de contas, devendo os recursos ser disponibilizados audiências realizadas entre o Chefe do Poder
por intermédio de instituição financeira contratada Executivo e representantes da sociedade civil ou
ou conveniada com a Prefeitura para essa finalidade. personalidades convidadas, observados os
requisitos de existência de interesse público e
Parágrafo único. As despesas a serem razoabilidade dos gastos;
pagas com os adiantamentos a que se refere o V- Outras despesas de caráter
"caput" deste artigo poderão referir-se a mais de um eventual, necessárias ao atendimento das atividades
participante e a mais de um evento, desde que seja administrativas de ordem social, observando as
concluído no período de cobertura do adiantamento. limitações deste Decreto.

Art. 6 A aplicação de Suprimento de Art. 10. O adiantamento para atender a


Fundos concedida especificamente no mês de despesas de natureza excepcional, previsto no
dezembro terá prazo diferenciado. inciso VIII do artigo 3 da deste Decreto, poderá ser
efetuado em nome de servidor expressamente
Parágrafo único. O prazo de aplicação designado para essa finalidade pelo Titular da
de que trata do càput deste artigo será até 30 (trinta) Unidade Orçamentária."*
de dezembro.
Art. 7o As Unidades Orçamentárias ou 1 Não será exigida a ratificação de
Administrativas poderão organizar e realizar, que trata o inciso VIII do artigo 3o deste Decreto,
O mediante autorização do Secretário Municipal, ou
equiparado a que estiverem vinculadas, os eventos
quando a autorização da despesa for exarada pelos
Secretários Municipais ou equiparados.
científicos, culturais e/ou esportivos previstos no
inciso V do artigo 3 deste Decreto, quando relativos 2o A realização de despesas de
às suas atividades. natureza excepcional fica dispensada do
preenchimento de quaisquer requisitos, quando
Parágrafo único. Nos eventos a que se previamente autorizada pelo Prefeito.
refere o "caput" deste artigo poderão ser pagas
despesas com transporte, hospedagem e CAPÍTULO II
alimentação das pessoas convidadas para participar DA CONCESSÃO DO SUPRIMENTO DE FUNDOS
do evento.
Art. 11. Os procedimentos de análise,
'Art. 8o As despesas de caráter registro e controle de concessão de adiantamentos,
indispensável ao andamento de medidas judiciais, bem como a apreciação das respectivas prestações
previstas no inciso VI do artigo 3 deste Decreto, de contas, serão efetuados pela unidade
serão realizadas pela Unidade Orçamentária ou responsável pela execução orçamentária e financeira
Administrativa competente, consistindo o seu limite da estrutura organizacional de cada órgão, nos
mensal no equivalente a 95% (noventa e cinco por próprios processos em que os adiantamentos
cento) do valor estabelecido no inciso II do artigo 24 tenham sido concedidos, competindo ao seu titular à
da Lei Federai n 8.666, de 1993, com suas alterações deliberação, em primeira instância, sobre a
subsequentes, .multiplicado pelo número de aprovação das prestações de contas.
departamentos que promovem o andamento de
medidas judiciais. 1o Na hipótese de interposição de
recurso contra a decisão de primeira instância, a
Art. 9 Os adiantamentos para
deliberação caberá em Segunda Instância a
despesas com a representação do Município de que
o trata o inciso VII do artigo 3 deste Decreto, serão
formalizados em nome dos Secretários Municipais,
Controladoria Geral do Município de Macapá-
COGEM.
ouequiparados,Secretários-Adjuntos,
2 Na hipótese de ser a Controladoria
Subsecretários, Chefes de Gabinete, Chefe do
Geral do Município de Macapá órgão concedente do
Cerimonial ou Chefe do Gabinete Pessoal do
Suprimento de Fundos,^ a deliberação caberá em
Prefeito, do Vice-Prefeito, do Prefeito, ou
Segunda Instância ao Prefeito Municipal.
representante do Município de Macapá em Brasília,
mediante prévia justificativa dos gastos, onerando
Art. 12. A solicitação será autuada e
as dotações das Unidades Orçamentárias
protocolada seguindo diretamente ao Ordenador de
requisitantes.
Despesa para a competente autorização.
Parágrafo único. Consideram-se como
Art. 13. A autorização de adiantamento
de representação as despesas de natureza
deverá ser concedida mediante Portaria de concessão
protocolar, decorrentes das relações de ordem
social, no exercício das atividades administrativas, do ordenador de despesa.
quais sejam:
Art. 14. Autorizado e regularmente
constituído, o Suprimento de Fundos será empenhado,
1I - Solenidades e recepções, quando a
liquidado e pago com autorização expressa do
Prefeitura patrociná-las ou delas participar,
Ordenador de Despesa, devendo-se efetuar o
respeitado o interesse da Municipalidade; pagamento individualizado de cada despesa por meio
II - Aquisição de flores, placas
do Cartão de Pagamento do Governo Municipal.
comemorativas, troféus, medalhas, taças,
distintivos, materiais significativos de valores
Art. 15.ps adiantamentos de que trata
culturais ou históricos do Município de Macapá,
esse Decreto observarão o princípio da anualidade.
objetos representativos do Brasil, observados o
interess^ .úblico e a razoabilidade dos respectivos
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 30

CAPÍTULO III DECRETO N 779/2018 - PMM


DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
Art. 16. É vedado o fracionamento da
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
contratação de serviços e da aquisição de bens ou Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá
materiais com o objetivo de evitar procedimento e o disposto no Art. 9o da Lei Complementar n 085/2011-
licitatório, em qualquer de suas modalidades. PMM.de 28/12/2011.
s~- ~
1o Considera-se fracionamento a DECRETA:
utilização de suprimento de fundos para aquisição, por
uma mesma unidade gestora ou administrativa de bens Art. 12 Nomear SAYRO SÉRGIO BAIA DO
ou serviços mediante diversas compras, no decorrer de ESPIRITO SANTO para exercer o Cargo de Provimento em
60 (sessenta) dias, e para idêntico subelemento de Comissão de Chefe da Divisão de Parcelamento do Solo
despesa, cujo valor total supere os limites dos incisos I Urbano, Código CC-01, do Departamento de Controle
ou II do art 24 da Lei n 8.666 /1993. Urbano, que integra à Estrutura Administrativa da
Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e
2 O fracionamento da despesa não é Habitacional - SEMDUH/PMM.
caracterizado pela mesma classificação contábil em
qualquer dos niveis, mas por aquisições de mesma Art. 2 Este Decreto entra em vigor na data
natureza física e funcional. de sua publicação, com efeitos administrativos/financeiros
Art. 17. Não será permitido o a contar do dia 23 de abril de 2018.
adiantamento para:
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
I- atender despesas já realizadas;
II- atender despesas maiores do que as Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
quantias adiantadas; 20 de ABRIL de 2018.
III- servidor em alcance;
IV- responsáveis por 02 (dois)
adiantamentos;
V- aquisição de bens e de materiais
com o objetivo de formarestoque;
VI- material ou serviço que esteja S VILHENA VIEIRA
coberto por Ata de Registro de Preços em vigor no UNICÍPIO DE MACftPÁ
município à época da aquisição.

Parágrafo único. Entende-se por DECRETO N 790/2018 - PMM


despesas já realizadas somente aquelas executadas O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
após a conclusão do evento em razão do que foram
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
autorizadas, considerada a prorrogação, quando for o
Art. 222, inciso II da Lei Orgânica do Município de Macapá e
caso. o disposto no Art. 2, da Lei Complementar n 098/2012-
Art. 18. Não será concedido Suprimento
de Fundos após o dia 15 (quinze) de dezembro de PMM.de 09/04/2012.
cada exercício financeiro.
DECRETA:
Art. 19. Até o 26 (vigésimo sexto) dia Art. 1^ Exonerar RITA DE CÁSSIA
do mês de dezembro, todos os saldos de Suprimento
NASCIMENTO SEABRA do Cargo de Provimento em
de Fundos concedidos, serão recolhidos ao Tesouro
Comissão de Diretor do Departamento de Planejamento,
Municipal, exceto aqueles concedidos a partir do dia
Código CC-02, que integra à Estrutura Administrativa do
1o (primeiro) de dezembro.
Instituto Municipal de Turismo - MACAPATUR.
Art. 20. O servidor ou agente político
Art. 2 Este Decreto entra em vigor na
que não prestar contas do adiantamento ou não
data de sua publicação, com efeitos
providenciar sua regularização nos prazos fixados
administrativos/financeiros a contar do dia 23 de abril de
pela legislação ficará sujeito ã aplicação de medidas
o administrativas, civis e penais cabíveis. 2018.
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
Art. 21. Os recursos financeiros para
pagamento de despesas em Suprimento de Fundos
serão disponibilizados por intermédio de depósito em Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
conta bancária vinculada à administração municipal a
20 de ABRIL de 2018.
ser movimentada por meio de Cartão de Pagamento
do Governo Municipal.

Art. 22. A Controladoria Geral do


Município de Macapá - COGEM disciplinará, mediante
Portaria os procedimentos relativos aos
CLÉCIO LUÍS VILHENA VIEI
adiantamentos ora regulamentados. PREFEITO DD MUNICÍPIO DE MA

Art. 23. Este Decreto entrará em vigor DECRETO N 791/2018 - PMM


na data de sua publicação, revogando o Decreto n
4.515/2013-PMM. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá,
e o disposto no Art. 16, da Lei Complementar n 082/2011-
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá- PMM e no Art. 12, da Lei Complementar n 085/2011-PMM.
AP, 20 de ABRIL de 2018.
DECRETA:
Art. 1e Nomear RITA DE CÁSSIA
CLÊCIOLUÍS VILHENA VIEI NASCIMENTO SEABRA para exercer o Cargo de
PREFEITO qO MUNICÍPIO DE M Provimento em Comissão de Diretora Adjunta de Finanças,
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 31

código CC-05, que integra ã Estrutura Administrativa da DECRETO N 808/2018 - PMM


Fundação Municipal de Cultura de Macapá.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
Art. 2o Este Decreto entra em vigor na data uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
de sua publicação, com efeitos administrativos/financeiros Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá.
a contar do dia 23 de abril de 2018.
DECRETA:
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
Art. 1a Exonerar LIA SILVA MACHADO do
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, Cargo de Provimento em Comissão de Assessora Jurídica
20 de ABRIL de 2018. Setorial, código CC-03, que integra à Estrutura
Administrativa da Secretaria Municipal de Assistência
Social e do Trabalho - SEMAST/PMM.

Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar


VILHENA VI do dia 24 de abril de 2018.
NICÍPIO DE MACAPÁ
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.

DECRETO N Z25/2018 - PMM Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, 23


de ABRIL de 2018.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá
e o disposto no Art. 2, da Lei Complementar n 093/2012-
PMM, datada de 04/04/2012. CLÉClé LUÍS VILHENA VIEI
PREFEITO DO MUNICÍPIO DE M
DECRETA:

Art. 1S Exonerar JOSIANY FERREIRA SOUSA DECRETO N 809/2018 - PMM


do Cargo de Provimento em Comissão de Assessora
Técnico, Código CC-02, da Assessoria, que integra à O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
Estrutura Administrativa da Secretaria Municipal de Saúde uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
- SEMSA/PMM. Art. 222, inciso li, da Lei Orgânica do Município de Macapá.

Art. 2o Este Decreto entra em vigor na DECRETA:


data de sua publicação, com efeitos
administrativos/financeiros a contar do dia 23 de abril de Art. 1a Exonerar SUELY DO SOCORRO
2018. VIANA DE BRITO do Cargo de Provimento em Comissão de
Diretora do Departamento de Administração e Finanças,
código CC-02, que integra à Estrutura Administrativa da
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. Secretaria Municipal de Assistência Social e do Trabalho -
SEMAST/PMM.
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
23 de ABRIL de 2018. Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar
do dia 24 de abril de 2018.

REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.

Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,


PREFEITO DD MUNICÍPIO DE MA^APÁ 23 de ABRIL de 2018.

DECRETO N 796/2018 - PMM

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no


uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá
APÁ
e o disposto no inciso V, 1o, do Art. 32, da Lei
Complementar n 093/2012-PMM, datada de 04/04/2012.

DECRETA: DECRETO N 810/2018 - PMM


Art. 1S Nomear JOSIANY FERREIRA SOUSA
para exercer o Cargo de Provimento em Comissão de O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
Coordenadora de Saúde, Código CC-03, que integra à
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Estrutura Administrativa da Secretaria Municipal de Saúde
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá
-SEMSA/PMM. e o disposto no Art. 2, da Lei Complementar n 093/2012-
Art. 2 Este Decreto entra em vigor na
PMM, datada de 04/04/2012.
data de sua publicação, com efeitos
administrativos/financeiros a contar do dia 23 de abril de
DECRETA:
2018.
Art. 1a Exonerar MAYARA DA SILVA
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. MOUZINHO do Cargo de Provimento em Comissão
Assistente Administrativo, Código CC-01, que integra à
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, Estrutura Administrativa da Secretaria Municipal de Saúde
23 de ABRIL de 2018.
-SEMSA/PMM.

Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar


do dia 24 de abril de 2018.

CLECKp LUÍS VILHENA VIEIR REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.


PREFEITO 30 MUNICÍPIO DE MA
DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.32
Macapá, 24.04.2018

Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, DECRETA:


23 de ABRIL de 2018.
Art. 1a Nomear PETRY IRAN PONTES LEITE
JÚNIOR para exercer o Cargo de Provimento em Comissão
de Assessor Jurídica Setorial, código CC-03, que integra à
Estrutura Administrativa da Secretaria Municipal de
Assistência Social e do Trabalho - SEMAST/PMM.

Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar


do dia 24 de abril de 2018.
DECRETO N2 811/2018 - PMM
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, 23
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá de ABRIL de 2018.
e o disposto no Art. 2 da Lei Complementar n 080/2011-
PMM.
DECRETA:

Art. 1a Exonerar KATIA CILENE DE OLIVEIRA


-4—'
ALMEIDA do Cargo de Provimento em Comissão de VILHENA ViEIF^V
Gerente de Programas, código CC-01, que integra à NICÍPIO DE MACAPÁ
Estrutura Administrativa da Secretaria Municipal de Saúde
- SEMSA/PMM.
DECRETO N 815/2018 - PMM
Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
do dia 24 de abril de 2018.
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá.
r\ REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.

Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, DECRETA:


23 de ABRIL de 2018.
Art. 1a Nomear KAREN TATIANE BONIFÁCIO
PEREIRA para exercer o Cargo de Provimento em
Comissão de Diretora do Departamento de Administração e
Finanças, código CC-02, que integra à Estrutura
Administrativa da Secretaria Municipal de Assistência
ILHENA VIEI Social e do Trabalho - SEMAST/PMM.
ICÍPIO DE
Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar
do dia 24 de abril de 2018.
DECRETO N 813/2018 - PMM
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá, 23 de ABRIL de 2018.
Lei Complementar n. 033/2005, de 25 de janeiro de 2005,
alterada pela Lei Complementar n. 036/2006-PMM, de 05 de
junho de 2006, alterada pela Lei Complementar n
117/2017-PMM, de 24 de julho de 2017, Art. 3, inciso XI.

DECRETA: MUNIC
PREFEITO
Art. 1a Nomear LIA SILVA MACHADO para D E C R E T O N 811/2018 - PMM
exercer o Cargo de Provimento em Comissão de
Assessora Jurídico da Central de Compras e Licitações, O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ,
código CC-03, da Central de Compras e Licitações, que no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas
integra à Estrutura Administrativa da Secretaria Especial pelo Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de
da Govemadoria e Recursos Extraordinários do Município Macapá, Lei Complementar n. 033/2005, de 25 de janeiro
de Macapá. de 2005, alterada pela Lei Complementar n. 036/2006-PMM,
de 05 de junho de 2006, alterada pela Lei Complementar n
Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar 117/2017-PMM, de 24 de julho de 2017, Art 3o, e alterada
do dia 24 de abril de 2018. pele Lei Complementar 121/2018-PMM, e;

REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. CONSIDERANDO o disposto no art. 4 da Lei


Complementar n 121/2018-PMM, que criou e aumentou a
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, quantidade de cargos constantes no art. 3o da Lei
23 de ABRIL de 2018. Complementar n 117/2017-PMM, que dispõe sobre criação
de cargos na estrutura administrativa da na Central de
Compras e Licitações que ,é vinculada à Secretaria
Especial de Govemadoria e Recursos Extraordinários.

DECRETA:
CLECI
PREFEITO Art. 1a Nomear SUELY DO SOCORRO VIANA
DE BRITO para exercer o Cargo de Provimento em
Comissão de Gerente de Padronização Documental, código
DECRETO N 8J4/2018 - PMM CC-02, da Central de Compras e Licitações, que integra à
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no Estrutura Administrativa da Secretaria Especial da
Govemadoria e Recursos Extraordinários do Município de
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá. Macapá.
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág. 33

Art. 2 Este Decreto entra em vigor a contar Art. 1a Nomear KATIA CILENE DE OLIVEIRA
ALMEIDA para exercer o Cargo de Provimento em
do dia 24 de abril de 2018.
Comissão de Gerente de Padronização Documental, código
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. CC-02, da Central de Compras e Licitações, que integra à
Estrutura Administrativa da Secretaria Especial da
Governadoria e Recursos Extraordinários do Município de
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
23 de ABRIL de 2018. Macapá.

Art. 22 Este Decreto entra em vigor a contar


do dia 24 de abril de 2018.

REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.


AV
CAPÁ Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
23 de ABRIL de 2018.
DECRETO N 817/2018 - PMM

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ,


no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas
pelo Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de CLECIO LUÍS VILHENA VIEI^A
Macapá, Lei Complementar n. 033/2005, de 25 de janeiro PREFEITO [O MUNICÍPIO DE MACAPÁ
de 2005, alterada pela Lei Complementar n. 036/2006-PMM,
de 05 de junho de 2006, alterada pela Lei Complementar n
D E C R E T O N 820/2018 - PMM
117/2017-PMM, de 24 de julho de 2017, Art 3o, e alterada
pele Lei Complementar 121/2018-PMM, e; O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
CONSIDERANDO o disposto no art. 4 da Lei
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá.
Complementar n 121/2018-PMM, que criou e aumentou a
O quantidade de cargos constantes no art. 3 da Lei
Complementar n 117/2017-PMM, que dispõe sobre criação DECRETA:
de cargos na estrutura administrativa da na Central de
Art. 12 Exonerar JOSÉ MARCELO MIDONES
Compras e Licitações que é vinculada à Secretaria
SERRA ALVES do Cargo de Provimento em Comissão de
Especial de Governadoria e Recursos Extraordinários.
Assessor Jurídico Setorial, código CC-03, do Conselho
Tutelar Zona Norte, que integra à Estrutura Administrativa
DECRETA:
da Secretaria Municipal de Assistência Social e do
Art. 1S Nomear MAYARA DA SILVA Trabalho - SEMAST/PMM.
MOUZINHO para exercer o Cargo de Provimento em
Comissão de Gerente de Padronização Documentai, código Art. 22 Este Decreto entra em vigor 'a contar
CC-02, da Central de Compras e Licitações, que integra à do dia 25 de abril de 2018.
Estrutura Administrativa da Secretaria Especial da
Governadoria e Recursos Extraordinários do Município de REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
Macapá. Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
Art. 2 Este Decreto entra em vigor a contar 23 de ABRIL de 2018.
do dia 24 de abril de 2018.

REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.

Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, CLÉCIC LUÍS VILHENA VIEI
PREFEITO i>O MUNICÍPIO DE MA^APÁ
23 de ABRIL de 2018.

D E C R E T O N 821/2018 - PMM

o O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no


uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá
e o disposto no Art. 2 da Lei Complementar n 080/2011-
PMM.
DECRETA:
D E C R E T O N 818/2018 - PMM
Art. 12 Exonerar ANA CAROLINA MACIEL
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, NUNES do Cargo de Provimento em Comissão de Gerente
no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas de Programas, código CC-01, que integra à Estrutura
pelo Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Administrativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento
Macapá, Lei Complementar n. 033/2005, de 25 de janeiro Urbano e Habitacional - SEMDUH/PMM.
de 2005, alterada pela Lei Complementar n. 036/2006-PMM,
de 05 de junho de 2006, alterada pela Lei Complementar n Art. 22 Este Decreto entra em vigor a contar
117/2017-PMM, de 24 de julho de 2017, Art 3o, e alterada do dia 25 de abril de 2018.
pele Lei Complementar 121 /2018-PMM, e;
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
CONSIDERANDO o disposto no art. 4o da Lei
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
Complementar n 121/2018-PMM, que criou e aumentou a
quantidade de cargos constantes no art. 3 da Lei 23 de ABRIL de 2018.
Complementar n 117/2017-PMM, que dispõe sobre criação
de cargos na estrutura administrativa da na Central de
Compras e Licitações que é vinculada à Secretaria
Especial de Governadoria e Recursos Extraordinários.
vilhena viei
DECRETA: NICÍPIO DE M
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.34

DECRETO N 822/2018 - PMM Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar


do dia 24 de abril de 2018.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ,
no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
pelo Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de
Macapá. Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
23 de ABRIL de 2018.
DECRETA:

Art. 1a Exonerar RAFAELLA LEÃO MOURA


do Cargo de Provimento em Comissão de Assessora
Jurídica Setorial, código CC-03, que integra à Estrutura CLÉCÍO LUÍS VILHENA V
Administrativa da Secretaria Especial da Governadoria e PREFEITO fO MUNICÍPIO DE M^CAPÁ
Recursos Extraordinários do Município de Macapá.
DECRETO N 825/2018 - PMM
Art. 2 Este Decreto entra em vigor a contar
do dia 25 de abril de 2018. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá.
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
DECRETA:
23 de ABRIL de 2018.
Art. 1a Exonerar RENATO SOUZA LIMA do
Cargo de Provimento em Comissão de Chefe da Divisão de
Atividades Gerais, código CC-01, do Departamento de
Administração e Finanças, que integra à Estrutura
I Administrativa da Procuradoria Geral do Município de
Macapá - PROGEM/PMM.

Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar


DECRETO N 823/2018- PMM
do dia 25 de abril de 2018.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
e o disposto no Art. 3, da Lei Complementar n 085/2011-
23 de ABRIL de 2018.
PMM, de 28/12/2011.

DECRETA:

Art. 1a Exonerar HARIADNY CARMITA CLÉCIO LUÍS VILHENA VIEIF


GOMES DA SILVA do Cargo de Provimento em Comissão PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MAC
iAPA
de Assessora Jurídica Setorial, código CC-03, que integra à
Estrutura Administrativa da Secretaria Municipal de V
Planejamento e Coordenação Geral - SEMPLA/PMM.
DECRETO N 826/2018 - PMM
Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar
do dia 24 de abril de 2018. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
Art 222 inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá,
Lei Complementar n. 033/2005, de 25 de janeiro de 2005,
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, alterada pela Lei Complementar n. 036/2006-PMM, dfe 05 de
23 de ABRIL de 2018. junho de 2006, alterada pela Lei Complementar n 117/2017-
PMM, de 24 de julho de 2017, Art. 3, inciso XI.

DECRETA:
CLÉCld LUÍS VILHENA VIE Art. 1a Nomear JOSÉ MARCELO MIDONES
PREFEITO PO MUNICÍPIO DE
SERRA ALVES para exercer o Cargo de Provimento em
Comissão de Assessora Jurídica da Central de Compras e
DECRETO N 824/2018 - PMM Licitações, código CC-03, da Central de Compras e
Licitações, que integra à Estrutura Administrativa da
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no Secretaria Especial da Governadoria e Recursos
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo Extraordinários do Município de Macapá.
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá;
Art. 2a Este Decreto entra em vigor a contar
Considerando o que consta no Ofício n do dia 25 de abril de 2018.
098/2018 - GAB/CORGEM/PMM, datado de 23/04/2018, da
Corregedoria Geral do Município - CORGEM; e, REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.

:Considerando o que consta no Requerimento Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
do Servidor ERALDO DA SILVA TRINDADE JÚNIOR. 23 de ABRIL de 2018.

DECRETA:

Art. 1a Exonerar, a pedido, ERALDO DA


SILVA TRINDADE JÚNIOR do Cargo de Provimento em CLÉClO LUÍS VILHENA VIEÍRA
Comissão de Assessor Jurídico Setorial, código CC-03, que PREFEITOÍDO MUNICÍPIO DE MACAPÁ
integra à Estrutura Administrativa da Corregedoria Geral do
Município de Macapá-CORGEM/PMM.
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.35

Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,


DECRETO N 827/2018 - PMM
23 de ABRIL de 2018.
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá.

DECRETA: CLEC1Ç LUÍS VILHENA VIE


PREFEITO |)O MUNICÍPIO DE
Art. 1 Nomear RENATO SOUZA LIMA para
exercer o Cargo de Provimento em Comissão de Assessor
DECRETO N 830/2018 - PMM
Jurídico Setorial, código CC-03, do Conselho Tutelar Zona
Norte, que integra à Estrutura Administrativa da Secretaria O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
Municipal de Assistência Social e do Trabalho - uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
SEMAST/PMM. Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá.
Art. 2S Este Decreto entra em vigor a contar
DECRETA:
do dia 25 de abril de 2018.
Art. 1S Nomear HARIADNY CARMITA GOMES
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
DA SILVA para exercer o Cargo de Provimento em
Comissão de Assessora Jurídica Setorial, código CC-03,
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, que integra à Estrutura Administrativa da Corregedoria
23 de ABRIL de 2018. Geral do Município de Macapá-CORGEM/PMM.

Art. 2- Este Decreto entra em vigor a contar


do dia 24 de abril de 2018.

REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.


P A
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,
DECRETO N 828/2018 - PMM 23 de ABRIL de 2018.

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ,


no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas
pelo Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de
Macapá.
DECRETA:
PREFEITO f)O MUNICÍPIO DE MA^APÁ

Art. 12 Nomear ANA CAROLINA MACIEL DECRETO N 831/2018 - PMM


NUNES para exercer o Cargo de Provimento em Comissão
de Assessora Jurídica Setorial, código CC-03, que integra à O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no
Estrutura Administrativa da Secretaria Especial da uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Governadoria e Recursos Extraordinários do Município de Art. 222, inciso li da Lei Orgânica do Município de Macapá e
Macapá. de acordo com o que dispõe a Lei Complementar n
067/2009-PMM e o Art. 10 da Lei Complementar n 085/2011-
Art. 2 Este Decreto entra em vigor a contar PMM.
do dia 25 de abril de 2018. DECRETA:

REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE. Art. 1 Nomear OCINELMA ALENCAR


CASTRO para exercer o Cargo de Provimento em
Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP, Comissão de Zeladora, Código CC-01, da SubPrefeítura
23 de ABRIL de 2018. Zona Sul, que integra à Estrutura Administrativa da
Secretaria Especial de Coordenação das SubPrefeiturás.

o Art. 2- Este Decreto entra em vigor a contar


do dia 25 de abril de 2018.

PREFEITO DO MUNICÍPIO DEÁ REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.

Palácio LAURINDO DOS SANTOS BANHA, em Macapá-AP,


23 de ABRIL de 2018.
DECRETO N 829/2018 - PMM

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ, no


uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo
Art. 222, inciso II, da Lei Orgânica do Município de Macapá.
CLECK) LUÍS VILHENA VIEIR< i
DECRETA: PREFEITOj DO MUNICÍPIO DE MA^APÁ

Art. 1a Nomear RAFAELLA LEÃO MOURA


para exercer o Cargo de Provimento em Comissão de
Assessora Jurídica Setorial, código CC-03, que integra à
GABI J
Estrutura Administrativa da Procuradoria Geral do P O R T A R I A N 353/2018 - GABI/PMM
Município de Macapã - PROGEM/PMM.
O Secretário Municipal do Gabinete do
Art. 2- Este Decreto entra em vigor a contar Prefeito-GABI/PMM, usando de suas atribuições legais que
do dia 25 de abril de 2018. lhe são conferidas pelo Decreto n 576/2018-PMM e
considerando o disposto no Decreto N 536/2014-PMM,
REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE.
datado de 24 de março de 2014, e;
Macapá, 24.04.2018 DIÁRIO DO MUNICÍPIO Pág.36

Considerando o que consta nos termos do Gabinete do Secretário, em Macapá-AP, 23 de ABRIL de


Ofício n 0241/2018-PRES/EMDESUR/PMM, datado de 2018.
23/02/2018, sob o SIC 154356 da Empresa Municipal de
Desenvolvimento e Urbanização de Macapá.

RESOLVE: RAINfUNDO SÉRGIÇ^MOFÍEIRA DE LEMOS


SECRETÁRIO MUNICIPA]/DO GABINETE DO PREFEITO
Art. 1o AUTORIZAR a viagem da servidora Decreto n^ 576/2018-PMM
MONICA CRISTINA DA SILVA DIAS - Diretora-Presidente da
Empresa Municipal de Desenvolvimento e Urbanização de
Macapá - EMDESUR, que se deslocará de Macapá/AP, sede
SEGOV
de suas atividades, até a cidade de Brasília/DF, nos dias 25
e 26/04/2018, para participar de uma reunião na Caixa PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAPÁ
Econômica Federal, com o objetivo de discutir sobre os SECRETARIA ESPECIAL DA GOVERNADORIA E
débitos de Seguro Habitacional dos Conjuntos Buritizal I e RECURSOS EXTRAORDINÁRIOS
II. CENTRAL DE COMPRAS E LICITAÇÕES

Art. 2 Esta Portaria entra em vigor na data AVISO DE LICITAÇÃO


desuapublicação,comefeitos PREGÃO ELETRÔNICO - SRP N. 034/2018 - CCUSEGOV
administrativos/financeiros a contar do dia 25 de abril de
2018. PROCESSO ADMINISTRATIVO N 38.01.02/2018, SIC:
141247. A PRESENTE LICITAÇÃO TEM POR OBJETO A
DÊ-SE CIÊNCIA, REGISTRE-SE E PUBLIQUE-SE. CONTRATAÇÃO DE EMPRESAS ESPECIALIZADAS EM
SERVIÇOS EDUCACIONAIS E FORNECIMENTO DE
Gabinete do Secretário, em Macapá-AP, 23 de ABRIL de MATERIAIS COM DISTRIBUIÇÃO GRATUITA COM
2018.
OBJETIVO DE ATENDER AS METAS DO CONVÊNIO
819904/2015 PARA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DE
MULHERES NA CIDADE DE MACAPÁ-AP, CONFORME
CONSTANTE NO TERMO DE REFERÊNCIA E DEMAIS
ANEXOS DESTE EDITAL, EDITAL N 034/2018.
RAIMUNDO SÉRGK^Ma^ÜR^DE LEMOS ACOLHIMENTO DAS PROPOSTAS: NO ENDEREÇO
ELETRÔNICO. https://www.licitacoes-e.com.br, A PARTIR
SECRETÁRIO MUNICIPAL DO GABINETE DO PREFEITO DO DIA 24/04/2018, AS 11H:00MIN (HORÁRIO DE
Decreto n2 576/2018-PMM BRASÍLIA), ATÉ O DIA 08/05/2018 ABERTURA DAS
PROPOSTAS - ÀS 09H00MIN (HORÁRIO DE BRASÍLIA),
ABERTURA DA SEÇÃO DE LANCES: 08/05/2018 ÀS
PORTARIA N 354^2018-GABI/PMM
10HOOMIN (HORÁRIO DE BRASÍLIA), OBTENÇÃO DO
EDITAL: NO ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.licitacoes-
e.com.br NÚMERO DA LICITAÇÃO -716620
O Secretário Municipal do Gabinete do
INFORMAÇÕES:PELOe-mail:
Prefeito, usando de suas atribuições legais que lhe são
centraldecomprasmacapa(3)qmail.com.
conferidas pelo Decreto n 274/2013-PMM e o disposto no
Decreto N 2.110/2014-PMM, datado de 01 de outubro de d_Em, 23 de Abril de 2018.
2014, e;
FABRÍCIÒl&RÜNcTbE SOUZA BARATA
JE SOUZA Bi
Considerando o que consta nos termos do
Pregoeiro SEGOV/PMM
Ofício n 0241/2018-PRES/EMDESUR/PMM, datado de
23/02/2018, sob o SIC 154356 da Empresa Municipal de
Desenvolvimento e Urbanização de Macapá.

Considerando, ainda, a Portaria N PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAPÁ


353/2018-GABI/PMM, datada de 23/04/2018, que autoriza a SECRETARIA MUNICIPAL DA GOVERNADORIA É
viagem da servidora MONICA CRISTINA DA SILVA DIAS - RECURSOS EXTRAORDINÁRIOS
Diretora-Presidente da Empresa Municipal de AVISO DE LICITAÇÃO
Desenvolvimento e Urbanização de Macapá - EMDESUR. CONCORRÊNCIA N 001/2018- CCL/SEGOV
RESOLVE: PROCESSO:N31.01.283/17-DAF/SEMFI/PMM
Objeto: SERVIÇOS DE MODERNIZAÇÃO E
Art. 1o AUTORIZAR a designação da REESTRUTURAÇÃO PARA A GESTÃO TRIBUTÁRIA,
servidora REGILENE NOGUEIRA MARTINS - Assessora, da TERRITORIAL E FISCAL MUNICIPAL.
Secretaria Especial da Governadoria e Recursos Data Recebimento e Abertura de envelopes: 28/05/18.
Extraordinários do Município de Macapá - SEGOV, para Hora da Abertura: 10H00 (Hora Local)
responder, cumulativamente, pelo Cargo de Diretora- Local da Sessão: Saia de reuniões da CENTRAL DE
Presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento e COMPRAS í LICITAÇÕES-CCL/SEGOV, localizada na Av.
Urbanização de Macapá - EMDESUR/PMM, em Coriolano Jucá, n 66, Altos, Centro Macapá-AP. O Edital
substituição a titular que se deslocará de Macapá-AP, sede Completo poderá ser consultado ou adquirido na
de suas atividades, até a cidade de Brasília/DF, nos dias 25 Comissão Permanente de Licitações/SEGOV, localizada
e 26/04/2018, para participar de uma reunião na Caixa na Av. Coriolano Jucá, n 66, Altos, Centro Macapá-AP.
Econômica Federal, com o objetivo de discutir sobre os em dias úteis, de segunda a sexta feira, das 08:00hs às
débitos de Seguro Habitacional dos Conjuntos Buritizal I e 14:00h. O Edital poderá ser adquirido por meio
II. magnético (Pendrive); trazer carimbo de CNPJ.

Art. 2 Esta Portaria entra em vigor na data Made 2018.


desuapublicação,comefeitos
administrativos/financeiros a contar do dia 25 de abril de
2018. Presidente da CCL/SEGOV/PMM
Decr^to n 030/2018-PMM
DÊ-SE CIÊNCIA, REGISTRE-SE E PUBLIQUE-SE.