Você está na página 1de 43

MINI CURSO DE

QGIS
2018

POR JOELSON FERNANDES


SUMÁRIO

• APRESENTAÇÃO DO QGIS VERSÃO 2.18 LAS PALMAS


• INICIANDO A UTILIZAÇÃO DO QUANTUM GIS.
• CRIAÇÃO E EDIÇÃO DE LAYERS (CAMADAS).
• ELABORAÇÃO DOS MAPAS TEMÁTICOS DE DECLIVIDADE E DE USO DO SOLO
• CARREGANDO OS DADOS
• DOWNLOAD,TRATAMENTO E VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE
• IMAGENS SRTM PARA GERAÇÃO DE CURVAS DE NÍVEL E MAPAS DE DECLIVIDADE
• GERANDO O MAPA DE USO DO SOLO
• COMPOSITOR DE IMPRESSÃO.
• UTILIZANDO PADRÕES DE IMPRESSÃO
APRESENTAÇÃO DO QGIS VERSÃO 2.18 LAS PALMAS
O QGIS é um Sistema de Informações Geográficas (GIS) de código aberto que permite
que o usuário crie mapas e visualize várias formas de informações geográficas. Durante o
curso, você aprenderá tarefas como importar, pesquisar, editar, criar, visualizar, geoprocessar
e exportar dados.
O mini curso é um curso introdutório composto pelas ferramentas mais utilizada no
QGIS.
QGIS Browser: O Browser permite que você revise Você verá que existem
os detalhes gerais de um conjunto de dados (isto é, dois tipos de aplicativos
os parâmetros, metadados e atributos). QGIS, Desktop e Browser.

Q G I S B ROW S E R

Q G I S D E S K TO P

QGIS Desktop: O Desktop permite que você


revise os detalhes gerais dos conjuntos de dados,
mas também permite manipular e mapear vários
conjuntos de dados. Este é o que usaremos no
minicurso.
INICIANDO A UTILIZAÇÃO DO
QUANTUM GIS
INICIANDO A UTILIZAÇÃO DO QUANTUM GIS
Barra de menus Contém propriedades da área As diferentes áreas de trabalho
de trabalho, configurações, ferramentas,
são as seguintes:
plugins e outros detalhes relacionados ao
espaço de trabalho. BARRA DE MENUS

BARRA DE
F E R R A M E N TA S

TA B E L A D E
CONTEÚDO

Barra de ferramentas: Contém ferramentas ÁREA DE TRABALHO


usadas para importar, manipular e exportar
dados. Estes podem ser removidos ou N AV E G A D O R
adicionados conforme necessário.
Tabela de conteúdo As diferentes áreas de
Mostra a lista de camadas (ou conjuntos de
trabalho são as seguintes:
dados) na área de trabalho.
BARRA DE MENUS

B A R R A D E F E R R A M E N TA S

TA B E L A D E C O N T E Ú D O

ÁREA DE TRABALHO

N AV E G A D O R
Área de trabalho: Exibe os dados inseridos na
tabela de conteúdo.

Navegador: Faz a busca de arquivos na plataforma


do sistema do usuário.
ADICIONANDO CAMADAS VETORIAIS
C A M A DA V E TO R I A L
Lembre-se: as camadas vetoriais podem
descrever desde lagos até estradas, limites
de propriedades ou habitat de fauna. Ao
sobrepor essas camadas (por exemplo,
pontos, linhas e áreas), podemos fazer
perguntas importantes ao GIS, como:
• Quantos pontos de doença existem por
área do governo local?
• Até onde eu tenho que dirigir para chegar
a propriedade de um proprietário de
terras?
• Quais espécies estão concentradas em
torno de certas áreas úmidas nos últimos
12 meses?
Clique em "Adicionar camada de vetorial“ na barra de ferramentas do lado
esquerdo.

Em “ Tipo de fonte", clique em “buscar".

No Explorador de Arquivos (ou seja, suas pastas), clique na lista suspensa no canto
inferior direito. Isso fornece uma lista de todas as opções de formato disponíveis que
o QGIS pode ler.
Selecione "ESRI Shapefiles (*.shp *SHP)".
Abra o arquivo "MUNICIPIOS_PNUD".
Clique em “abrir” novamente.

A camada aparecerá no índice e sua representação visual na tela do mapa à direita.

No Explorador de Arquivos (ou seja, suas pastas), clique na lista suspensa no canto
inferior direito. Isso fornece uma lista de todas as opções de formato disponíveis que
o QGIS pode ler.
Nota: Shapefiles são os blocos de construção básicos para armazenar localização
geométrica e informações de atributos de características geográficas, que podem ser
representadas como pontos, linhas ou polígonos (áreas). Shapefiles podem incluir até
15 arquivos individuais sendo os mais comuns:
• .shp (geometrias)
• .dbf (atributos)
• .prj (projeção)
• .sbn / .sbx / .shx (índices espaciais)

Lembre-se: os metadados nos ajudam a entender de onde veio a camada, quando ela
foi criada e modificada, quais métodos foram usados para gerá-la, quem a criou (e
com quem conversar para obter mais informações). Também descreve a cobertura
geográfica e quaisquer limitações de uso que o autor dos dados precisa que você
esteja ciente.
ADICIONANDO CAMADAS RASTER
Lembre-se: as camadas rasters podem C A M A DA R A S T E R
representar elevação, imagens de satélite,
mapas georreferenciado, temperatura ou
modelagem hidrológica. As camadas rasters
são grades, onde cada célula tem um valor
para uma variável comum, como
profundidade para águas subterrâneas. Além
do valor óbvio de um pano de fundo para
um mapa, quando um SIG é usado para
sobrepor camadas rasters, várias perguntas
podem ser respondidas, como: Quanto de
vegetação nativa e habitat está sendo limpo
a cada ano?
Quão profundos os furos precisam ser para
alcançar um aquífero?
Imagens e rasters também podem ser adicionados ao seu espaço de trabalho se elas
forem georreferenciadas (o que significa que suas extensões são referenciadas a um
sistema de referencia no mundo espacial).

Clique no botão "Adicionar Raster" na barra de ferramentas do lado esquerdo.

Pan, Escala e Zoom.

Nota: A barra de ferramentas "Navegação do mapa" acima fornece as ferramentas


necessárias para se mover pela tela do mapa.
Passe o mouse sobre cada um dos botões para ver o que eles fazem.
ADICIONANDO COMPLEMENTOS
Podemos adicionar funcionalidade extra ao QGIS usando “complementos". Os
complementos são componentes importantes do QGIS software livre, escritos por
desenvolvedores e usuários do QGIS que desejam estender o produto principal. Esses
complementos são disponibilizados para todos os usuários através do gerenciador de
complementos.

• Um desses complementos permite que você visualize imagens on-line, como mapas do
Google e Open Street Maps, duas adições muito úteis ao seu espaço de trabalho.

Na aba "Instalado", revise quais complementos você já tem (você pode rever mais
detalhes sobre o complementos clicando nele.
Pesquise e selecione um complemento chamado "OpenLayers Plugin".
O SISTEMA DE REFERÊNCIA DE
COORDENADAS (SRC)
Um Sistema de Referência de Coordenadas SRC
é uma parte integrante dos dados espaciais
porque determina onde os dados estão
localizados no mundo espacial. É a estrutura
na qual um SIG pode comparar um
conjunto de dados espaciais (por exemplo,
zonas de paisagem do solo) a outro (por
exemplo, locais de vegetação). Criar ou
alterar dados no SRC errado pode torná-lo
corrompido, impreciso ou simplesmente
não sensível. SRC definidos incorretamente
são um dos principais fatores que levam a
conjuntos de dados corrompidos e a
resultados de análises equivocadas.
Lembre-se: Os dados espaciais podem ser SRC
representados em sistemas de coordenadas
geográficas ou projetadas. Um sistema
geográfico é baseado na aproximação da
Terra como uma esfera, enquanto um
sistema projetado tenta projetar partes da
Terra em um plano.
Para mostrar dados espaciais corretamente Sistemas de coordenadas geográficas
(Latitudes e Longitudes (graus))
em um mapa, ele deve ter coordenadas e o
sistema de coordenadas definido
corretamente. Assim, para a mesma
localização de um ponto no solo, os valores
de localização (por exemplo, coordenadas)
são muito diferentes quando referenciados
em diferentes SRCs. Sistemas de Coordenadas
Leste e Norte (metros)
Então, para o mesmo local, as coordenadas no Geografica Datum of Australia
(geográfico) e Map Grid of Australia - Zone 50 (projetadas) seriam:

Quando ativado, permite alocar


um SRC para o espaço de
trabalho. Isso significa que
qualquer camada em sua área
de trabalho que tenha um SRC
diferente definido ainda será
sobreposta corretamente
(presumindo que suas camadas
devem ser exibidas no mesmo
local, em primeiro lugar!).
Assim, é possível mostrar dados
do sistema de coordenadas
geográficas e dados projetados
no mesmo espaço de trabalho,
ou alterar temporariamente o
SRC do espaço de trabalho para
geoprocessamento e medição.
Por que isso é importante? ' O N T H E F LY '
Se suas análises e conclusões ambientais
são baseadas na área de algo, como área de
controle de reflorestamento vs. dinheiro
gasto, ou mudança na área afetada por
doença na plantação de café ao longo do
tempo então você precisa que seus cálculos
sejam precisos. Nesse caso, todas as
camadas de entrada devem estar no mesmo
SRC e projetadas em vez de geográficas. Se
você estiver mais interessado em sobrepor
camadas e interpretar visualmente, a opção
"on-the-fly" é muito mais eficiente do que
converter suas camadas de dados no
mesmo SRC.
IDENTIFICANDO DADOS VETORIAIS
A identificação de dados permite que você revise os atributos que foram salvos no
conjunto de dados de um recurso. Por exemplo, isso pode ser um limite de
propriedade, um parque, uma estrada, um limite da cidade e assim por diante.

• Clique na camada "Reservas Naturais" para ativá-lo.


• Clique na ferramenta "Identificar recursos" na barra de ferramentas superior.
• Na tela do mapa, clique na grande reserva localizada no canto superior direito dos dados.

O polígono deve ser destacado com uma cor diferente. Uma janela "Identificar
Resultados" aparecerá listando todos os Recursos e Valores associados a esse
polígono (dependendo das configurações, a ferramenta de informações também pode
aparecer no sumário).
VISUALIZAÇÃO DA TABEL A DE
AT R I B U T O S
• Clique com o botão direito do mouse na camada “Municípios".
• Clique em "Abrir Tabela de Atributos".
• Clique no ID da linha "6" e revise a tela do mapa. O estado do Amapa deve ser
destacado (se você não conseguir ver a tela do mapa, redimensione ou mova a
tabela de atributos até que ambos estejam visíveis).

O polígono deve ser destacado com uma cor diferente. Uma janela "Identificar
Resultados" aparecerá listando todos os Recursos e Valores associados a esse
polígono (dependendo das configurações, a ferramenta de informações também pode
aparecer no sumário).
SELECIONANDO DADOS
A ferramenta de seleção permite selecionar SELECIONAR FEIÇÕES
especificamente vários elementos no mapa.
• Para desmarcar os dados, clique em
“Desfazer seleção" na tabela de atributos
ou na barra de ferramentas superior na
área de trabalho.
MEDINDO ÁREAS, DISTÂNCIAS E
ÂNGULOS
A ferramenta "Medição" na barra de ferramentas superior permite medir distâncias,
áreas e ângulos em sua tela do mapa. Existem três opções:
• Medida de distância (linhas)
• Medida de área
• Medida de ângulos

Nota: A medição de dados dessa maneira é apenas uma estimativa muito grosseira. As
áreas exatas com base na forma podem ser calculadas usando uma expressão.
S I M B O L I Z A N D O E C AT E G O R I Z A N D O
DADOS
A simbologia é como os dados aparecem na tela do mapa e é um componente crítico da
boa criação de mapas, e geralmente o mais demorado para acertar.

Para mudar a simbologia:

• Clique duas vezes na camada “Municipios" no índice para exibir as propriedades das
camadas.
• Clique em "Estilo".
Também temos a capacidade de colorir nossos dados com base em valores de
campo na tabela de atributos.

• Abra a camada “Municípios" "Propriedades".


• Clique em "Estilo".
• Selecione a opção "Categorizado" como o tipo de símbolo.
• Selecione “REGIAO" como o valor "Coluna".
• Clique no botão "Classificar".
SELECIONANDO FEIÇÕES USANDO
UMA EXPRESSÃO
EXPRESSÕES
As expressões aritméticas utilizam os ARITMÉTICAS
valores dos atributos para gerar resultados
(números, textos, datas, etc.) e podem ser
utilizadas para calcular, por exemplo, área,
perímetro, densidade demográfica, entre
outros.
As expressões lógicas refletem uma
determinada condição e podem resultar em
verdadeiras (representadas pelo valor 1) ou
falsas (representadas pelo valor 0).
Para escrever uma expressão, o QGIS
fornece diversos operadores aritméticos,
relacionais e lógicos, além de funções
matemáticas, de conversão de manipulação
de strings, de manipulação de data e hora,
entre outras.
A seleção de feições, uma por uma, pode ser demorada. O QGIS oferece a opção de
selecionar vários recursos por meio de uma expressão.
• Primeiramente, limpe suas seleções de tabela de atributos clicando no botão
"Desmarcar tudo" (Ctrl + U)
• Clique no botão "Selecionar feições usando uma expressão". Isso abrirá a janela
"Selecionar por expressão".
• Exemplo 1: Selecione o estado do Tocantins.
Exemplo 2: Selecionar os municípios do estado de Minas Gerais.

Exemplo 3: Municípios com IDH superior a 75%.

Exemplo 4: Exemplo 4: Municípios com IDH superior a 75% em Minas Gerais.

( "NOME_UF" = 'MINAS GERAIS' ) AND ( "IDH_2000" >0.75 )


Exemplo 5: Selecionar municípios da região Sul e Norte.
Os serviços WMS (Web Map Service) e WFS
O S S E RV I Ç O S W M S
(Web Feature Service), são formatos criados
pela OGC – Open Geospatial Consortium
(Consórcio Geoespacial Aberto), uma
organização internacional sem fins lucrativos
para criação de padrões de compartilhamento
de dados espaciais. Estes padrões permitem que
órgãos governamentais, ONG’s, empresas,
entidades acadêmicas e de pesquisa possam
disponibilizar de maneira aberta seus dados
geoespaciais.
Com o QGIS, você pode se conectar aos
serviços WMS e WFS através do menu Camada
> Adicionar camada e selecionar a opção
WMS/WMTS ou WFS. Ao clicar em Novo, você
pode colar no campo URL um dos links
disponibilizados abaixo do seu interesse e, em
seguida, conectar-se e escolher a camada que
deseja adicionar.
Servidores WMS
ANA – Agência Nacional de Águas
CPRM – Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais – Mapa geológico 1:1.000.000
DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral – Processos minerários
IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
ICMBio – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
INCRA – Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária

Para criar uma conecção ao serviço de WMS, na barra de ferramentas clique em


camada – adicionar camada – MWS/WMTS. Clique em novo no campo nome
escreva “IBGE” no campo URL digite (http://mapas.mma.gov.br/cgi-
bin/mapserv?map=/opt/www/html/webservices/baseraster.map) Nesse caso teremos
aceso as cartas do IBGE.

Base de dados: http://forest-gis.com/download-de-shapefiles/


Primeiro algumas recomendações básicas de trabalho:

O nome de usuário do Windows não pode conter acentuações e evite espaços entre
palavras;
Não use a pasta 'Desktop' no Windows, porque sobrecarrega o Sistema (tudo que está
em seu desktop é carregado para a memória);
Não use acentuação em nomes de Pastas e evite caminhos muito longos (endereços de
pastas).
Organize seus arquivos numa Pasta de Trabalho (Workspace) e armazene Imagens
multibanda em pastas (facilita para fazer empilhamento das bandas e mosaicos das cenas).
Camada Vetorial
Primeiro vamos baixar a Carta Topográfica da Folha Bauru 1:50.000 no site do IBGE
(tudo deve começar com uma boa base cartográfica).
http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/mapas/GEBIS%20-%20RJ/SF-22-Z-B-I-4.jpg
https://www.ibge.gov.br/geociencias-novoportal/cartas-e-mapas/folhas-
topograficas/15809-folhas-da-carta-do-brasil.html?edicao=16041&t=downloads
Agora, de posse dos Vetores e das informações do Sistema de Referência Espacial (SRC)
onde temos SF.22 é de UTM zona 22S e no selo da Carta encontramos o Datum
Córrego Alegre referente à essa Carta.
Também devemos notar que as Unidades estão em Quilômetros (Km), por isso será
necessário criarmos um SRC Personalizado para poder adicionar esses Vetores no QGIS.
SRC Personalizado

O IBGE separa os Vetores por temas: Hidrografia (rios = linhas e reservatórios =


polígonos); Hipsometria (Curvas de Nível = linhas e Pontos Cotados = pontos);
Sistema Viário (rodovias e ferrovias = linhas, nesse caso a distinção é feita pelo
atributo na coluna Level).
O QGIS só reconhece / trabalha com Geometrias (Pontos, Linhas e Polígonos), não
reconhecendo o tipo Annotation (Texto) dos CADs. Para contornar isso, ele cria
Pontos onde os Textos eram ancorados e armazena o texto na Tabela de Atributos
(que podem ser exibidos posteriormente como Rótulos).