Você está na página 1de 42

Apostila de Educação Física – 8ª série Prof.

Bisarri

ALIMENTO E NUTRIENTE

No dia-a-dia das pessoas, boa parte do tempo e gasto em função de cultivo, busca e preparo de
alimento.
Precisamos de alimentos, porque neles encontramos tudo aquilo de que nosso corpo necessita
para obtenção de energia e de materiais de construção de novas células ou de reparo de componentes
celulares, para regulação de funções e prevenção contra várias doenças.
Entende-se por alimento todo material nutritivo, isto é, aquele que fornece substâncias para
manter o organismo com vida. Tais substâncias, denominadas nutrientes, podem ser classificadas quanto à
composição química e quanto á função que desempenham no organismo.

NUTRIENTES QUANTO Á COMPOSIÇÃO QUÍMICA

Quanto à composição química, os nutrientes são classificados em carboidratos, lipídios,


proteínas, água, sais minerais e vitaminas.

Carboidratos
As moléculas dos carboidratos, também denominados açúcares, são formadas por átomos de
carbono, hidrogênio e oxigênio. São exemplos: o amido, a celulose, a sacarose, a maltose, a frutose , a
glicose e outros tipos de açúcar. As unidades formadoras dos carboidratos são os açucares simples ,
denominados monossacarídeos. A união de dois monossacarídeos forma um tipo de carboidrato
denominado dissacarídeo, a união de muitos monossacarídeos forma um outro tipo de carboidrato,
denominado polissacarídeo.
O amiduo e a celulose são polisacarideos; a sacarose, a frutose e maltose são dissacarídeos; a
glicose é um monossacarídeo.
Nosso organismo utilizar os carboidratos na forma monossacarideo. Por isso, a glicose, quando
ingerida, não sofre transformação no tubo digestivo. Passa direto ao sangue e deste ás células. Os demais
tipos de carboidratos, quando ingeridos, devem antes ser transformados em monossacarideos para serem
aproveitados pelo organismo. Essa transformação acontece na disgestão.

Lipídios
Os lipídios forman compostos que, à temperatura ambiente, podem ser sólidos ou líquidos.
Compreendem as gorduras e os óleos.
Os alimentos que possuem lipídios podem Ter origem animal ou vegetal. Exemplos de alimentos
ricos em lipídios e de origem vegetal: óleo de soja, óleo de girassol, azeite de oliva e outros óleos
vegetais.
Em cada molécula de lipídio, os elementos químicos carbono, hidrogênio e oxigênio combinam-
se para formar dois grupos de compostos: ácidos graxos e glicerol.
Molécula de lipídio = ácidos graxos + glicerol.

Proteínas
As moléculas de proteínas são formadas de 100 a muitos milhares de pequenas unidades
denominadas aminoácidos.
Existem apenas cerca de 20 aminoácidos diferentes que podem ser encontrados nas proteínas,
porém eles podem agrupar-se como as letras de um alfabeto, numa grande variedade de combinações e
seqüências, formando as diferentes proteínas de um organismo.
A união de dois aminoácidos forma um composto denominado dipeptídio. Mais de dez
aminoácidos ligados formam um polipeptídio. A partir dos polipeptídios chega-se as proteínas.
As proteínas e os lipídios são formados moléculas grandes. Para serem aproveitados pelo
organismo devem antes ser transformados em substâncias mais simples, na digestão. As proteínas são
transformadas em aminoácidos e os lipídios em ácidos graxos e glicerol.

1
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Água e sais minerais


Para que as diferentes misturas de alimentos ingeridos possam ser transformadas e aproveitadas,
é indispensável a presença da água. Podemos considerar essa substância como o alimento mais
importante, pois a vida das células dependem da água. Sem água não há vida. Para se avaliar o papel que
a água exercem em nosso organismo basta recordar que 65% de nossa massa corporal é representada por
essa substância.
A água entra e sai das células e está presente também nos vasos sangüíneos e tecidos de
sustentação do organismo.
Além de água nosso organismo necessita de sais minerais, como sódio, ferro, cálcio, fósforo,
idodo. Todos eles tem funções especificas no organismo, que os obtêm através de alimentos, como carne,
leite, ovos, cereais, verduras, peixe etc.

Vitaminas
As vitaminas são substâncias encontradas em alimentos naturais, como leite, ovos, carne, frutas
e verduras.
Muitas reações químicas que se processam no organismo dependem delas. Na sua falta, essas
reações químicas se processam com lentidão e podem até ficar bloqueadas, acarretando distúrbios mais ou
menos graves.
As vitaminas formam dois grupos: as lipossoluveis e hidrossoluveis. As vitaminas lipossoloveis
designadas A, E, D, e K, espalham-se pela gordura dos organismo. As vitaminas hidrossoluveis,
designadas C, B1, B2, B3, B6 e B12, circulam com a água do organismo. Quando tomadas em excesso, as
vitaminais lipossoluveis acumulam-se e as hidrossoluveisj são eliminadas pela urina.

NUTRIENTES QUANTO A FUNÇÃO

De acordo com sua função no organismo, os nutrientes podem ser classificados em plásticos ou
de construção, energéticos ou de combustão e reguladores.

Nutrientes plásticos
São assim denominados os nutrientes que colaboram na formação e no desenvolvimento do
corpo e na reconstituição de tecidos. A esse grupo pertencem as proteínas, vários sais minerais, certos
tipos de gordura e água.
As proteínas, como nutrientes plásticos, fazem parte da pele, dos músculos, dos ossos, do
sangue, dos cabelos, enfim, de todos os nossos órgãos.
Dentro do nosso corpo as proteínas se desgastam e se decompõem em subprodutos; por isso
devem ser substituídas. Não podem faltar em nossa dieta alimentar diária.
Para suprir o organismo de proteínas, é preciso comer alimentos que contenham essas
substâncias. As principais fontes de proteínas são: carne, ovos, soja, peixe, feijão, pão de trigo integral,
queijo e leite.
Nosso organismo além de proteínas com função plástica ou estrutural, possuem proteínas com
função catalisadora ou em enzimática, capazes de modificar a velocidade das reações químicas no interior
das células e fora dela. Essas proteínas, denominadas enzimas, reduzem a quantidade de energia
necessária para as células desempenharem suas funções. Esse fato é importante, pois as reações químicas
ocorrem em nosso organismo sem que haja variação de temperatura.
É importante ressaltar que as enzimas não se alteram nas reações químicas que provocam e
atuam em concentração baixa.
Entre os sais minerais, como nutrientes plásticos, destacam-se o cálcio e o fósforo. Ambos
fazem parte dos ossos e dentes.

Nutrientes energéticos
Os nutrientes energéticos fornecem energia para nosso organismo. A esse grupo pertencem os
carboidratos e os lipídios: pão, massas em geral, batata, milho, mandioca, arroz e doces em geral são
alimentos ricos em carboidratos.

2
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

As pessoas que comem alimentos ricos em carboidratos, em excesso, e não gastam tudo o que
ingerem ( por falta de exercícios físicos ou vida sedentária) transformam o que sobra em gordura. Essa
gordura fica armazenada ao redor dos órgãos e embaixo da pele.
Na falta de carboidratos, o organismo usa a gordura armazenada para conseguir energia, e a
pessoa emagrece.
As gorduras são fontes concentradas de energia para o organismo. Liberam mais que o dobro de
energia que a mesma massa de proteínas ou carboidratos.

Nutrientes reguladores
Os nutrientes reguladores entram em pequena quantidade na alimentação diária. Deles, porém,
dependem o bom funcionamento do organismo e a conservação da saúde. A esse grupo pertencem as
vitaminas e os sais minerais.
É indispensável a presença de vitaminas na dieta alimentar, pois elas não se sintetizadas pelo
organismo. A carência total de uma vitamina é denominada avitaminose, que se traduz por vários sinais e
sintomas facilmente identificáveis: entretanto, os problemas fisiológicos encontrados com maior
freqüência são devidos hipovitaminose, ou seja insuficiência de uma vitamina.
Diversos os fatores que podem determinar uma carência vitamínica. Entre outros , podemos citar
alimentação deficiente forma de preparação dos alimentos e incapacidade de aproveitamento das
vitaminas como conseqüências de certos estados patológicos.
É sabido, por exemplo que certas vitaminas são roubadas no fogão de nossa casa enquanto os
alimentos são preparados. Assim, verduras cozidas 40% menos vitaminas do complexo B e 70% menos
vitaminas C do que verduras cruas. Uma "dica" é usar o mínimo de água possível para prepara-las, por
que, por serem solúveis nessa substância, essas vitaminas sempre escapam do alimento durante o
cozimento. Você já aprendeu que muitas reações químicas que ocorrem no organismo dependem da
presença de vitaminas. È o caso das reações químicas que promovem a transformação dos alimentos no
sistema digestivo. Nessas reações as vitaminas servem para que o organismo aproveite os alimentos.

CADA UM NA SUA

O FUMANTE NA SUA

Boca - Das pessoas que morrem com câncer de boca, faringe, laringe e esôfago, 30% são fumantes. A
cada ano, o fumo mata 3,5 milhões de pessoas no mundo todo. No Brasil, o cigarro é responsável por 80
mil mortes.

Cérebro - O estreitamento dos vasos aumenta a pressão arterial, dificultando a circulação e aumentando
em até dez vezes o risco de derrame.

Coração - O risco de infarto aumenta em até quatro vezes para o fumente.

Mãos - Sujas

Pulmão - 90% das mortes por câncer de pulmão são causadas pelo cigarro.

Ossos - O fumo intensifica o processo de osteoporose, pois reduz o tecido ósseo.

O NÃO FUMANTE NA SUA

Independência química - O fumante é dependente de uma droga: a nicotina, e seu vício já é considerado
como uma doença epidêmica que precisa ser tratada.

3
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Mais tempo de vida - Está comprovado: as chances de um não fumante morrer, vítima de câncer, infarto
e outras doenças degenerativas, é cerca de 100% menor do que o fumante.

A vida com mais sabor - Não fumar significa sentir o sabor verdadeiro dos alimentos. As 4.720
substâncias químicas contidas na fumaça do cigarro não entopem apenas o pulmão e as artérias. Elas
danificam as papilas gustativas.

Resistência física - A oxigenação do sangue é normal, permitindo ao não fumante ativo um melhor
desempenho nos esportes e outras atividades físicas.

Economia - Um fumante que durante vinte anos, fumou uma carteira de cigarro por dia, consumiu 146
mil cigarros, 7.300 carteiras, e gastou cerca de sete mil reais com um cigarro barato.

Mente lúcida - Os não fumantes conseguem utilizar melhor o seu potencial de raciocínio, já que o
monóxido de carbono produzido na queima do cigarro obstrui a hemoglobina, molécula responsável pelo
transporte de oxigênio ao cérebro. Sem oxigenação suficiente, o rendimento é inferior.

Sete miligramas de alcatrão, 0,6 mg de nicotina e 8 mg de monóxido de carbono. Essa fórmula faz parte
de uma das diversas propagadas ao cigarro que aparecem nas revistas e outdoors espalhados por todo o
país. A eficiência preventiva do Ministério da Saúde é discutível, considerando-se até mesmo o espaço
reservado para ela. Mas, tudo bem, CADA UM NA SUA.

CAPO EI RA

CARACTERÍSTICAS DA CAPOEIRA

18 - Capoeira como Educação Psicomotora:


A Capoeira como educação psicomotora tem características fundamentais, tendo o movimento
como um dos principais fatores nesta concepção, favorecendo o desenvolvimento geral da criança por
uma intima relação com os elementos psicomotores, que são relacionados por Ferreira apud Santos
(1.990, pág. 40), e estão assim distribuídos:
 Esquema Corporal: conhecimento do próprio corpo, proprioceptividade, lateralidade e expressão;
 Motricidade Ampla: coordenação dinâmica geral, equilíbrio (estático, dinâmico, recuperado, freio
inibitório e relaxação);
 Motrocidade Fina: lingual, ocular e manual-digital;
 Percepção Sensorial: visual, auditiva e termotátil;
 Percepção Espacial: posição relação e, adequação espacial, direção e constância de percepção;
 Percepção Temporal: noções básicas, seqüências de ações, velocidade, duração e ritmo;
 Percepção Análise-Sintese: semelhança, diferença, composição, recomposição e reprodução;
 Percepção Figura-Fundo: visual, auditiva e tátil.

19 - Origens Folclóricas:
Sendo eminentemente nacional, a Capoeira vem sendo transmitida e transformada desde a colonização
portuguesa aqui no Brasil, s/ que no entanto se saiba consistentemente, quem foi seu primeiro criador;
sendo hoje, à partir do aspecto folclórico, praticada como defesa pessoal, arte, dança, esporte e cultura.

20 - Instrumentos musicais:
São os instrumentos musicais, os responsáveis pela harmonia e o ritmo de uma roda de capoeira,
conferindo-lhe especial beleza, nas suas evoluções e gingados, caracterizando e diferenciando capoeira
sobre maneira, das demais artes marciais de luta.
4
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

 Berimibau - Atualmente o principal instrumento da capoeira é o berimbau, o qual, num jogo de


capoeira pode funcionar sozinho, sem os demais instrumentos. É um arco musical monocórdio feito de
madeira específica, pois qualquer madeira não serve, ligados pelas duas pontas por um fio de aço,
numa das pontas há uma cabaça que não deve ser usada de modo algum verde, quanto mais seca
melhor. Faz-se uma abertura na parte que liga com o caule e parte inferior, dois furos, por onde deve
passar um cordão para ligá-lo ao arco de madeira e o fio de aço. Toma-se um dobrão (moeda antiga),
um ;pedacinho de pau, um caxixi e o instrumento para se tocar.
 Caxixi - Cestinho cilíndrico de aproximadamente 10 centímetros de altura, com fundo de pedaço de
cabaça e a extremidade superior fechado e com uma alça onde é presa a mão que segura a baqueta. No
interior do caxixi são colocadas “contas de lágrimas”, conchinhas ou grãos de milho.
 Ganzá ( reco-reco) - O ganzá ou reco-reco, conhecido na Bahia, é feito de gomo de bambu, com
sulcos transversais sobre o qual se passeia uma haste de metal. Utilizando apenas para o
acompanhamento da roda de capoeira, muito embora não seja muito comum no dias de hoje.
 Pandeiro - No Brasil, o pandeiro entrou por via portuguesa e já na primeira procissão que se realizou
no Brasil, que foi a de Corpus Christi, na Bahia a 13 de junho de 1549, ele se fez presente, pois era
hábito em Portugal, e mais tarde no Brasil, o uso desse instrumento ao lado de muitíssimos outros. A
partir daí o pandeiro foi aculturado e aproveitado pelo negro em seus folguedos. Na Capoeira, o
pandeiro serve p/ marcar o berimbau e o toque varia de acordo com o ritmo puxado pelo primeiro,
ficando o pandeiro sempre posicionado, tradicionalmente do lado esquerdo do berimbau.
 Atabaque - Chegou no Brasil, trazidos por mãos portuguesas, para serem usados em festas e
procissões religiosas, em circunstâncias idênticas ao pandeiro, atualmente, o atabaque voltou a
transpor as portas dos templos católicos, através das missas elaboradas em nossos dias, com
acompanhamento de instrumentos musicais locais. O atabaque serve para marcar o berimbau e o
pandeiro, variando de acordo com o toque e o ritmo puxado pelo berimbau, fazendo com que sua
batida tradicional marque a batida do pandeiro. Quando o atabaque maarca o berimbau, o toquae é
chamado de Ije-xá. Seu posicionamento na roda é do lado direito do berimbau.
 Agogô - Instrumento musical de percussão de ferro, entra no Brasil por via africana e é incorporado ao
folclore negro. O termo agogô pertence a língua nagô, que quer dizer “sino”. É bastante usado em
folguedos populares mas, sua maior atuação esta inserida nas cerimônias religiosas afro-brasileiras,
sobretudo para se saudar os orixás, com cantigas de composição em língua nagô.

21 - Passos característicos:
Au - movimento de entrada
Agulha - movimento de entrada com parada
Quexada - circundação da perna de dentro para fora
Ginga - movimento de expectativa ou resguarda

22 - Golpes de Defesa:
Corcorinha - agachamento com mão protegendo o rosto
Rasteira - passagem do pé de fora para dentro
Meia Lua de Frente - movimento de fora para dentro
Meia Lua de Compasso - descer num meio giro e soltar a outra perna
Chapéu de Couro - apoio das mãos no chão
Martelo - chute lateral com o dorso do pé
Martelo Giratório - chute lateral com giro
Parafuso Voador - movimento de parafuso no ar

23 - Faixas:
Cores da bandeira brasileira

24 - Entrada na roda :
Capoeirista deve observar que a entrada a roda deve ser necessariamente pelo pé do berimbau. Esta
entrada pode ser feita c/ melhor lhe convier, desde que cumprimente o companheiro no inicio do jogo.
5
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

É muito comum para os Capoeiristas ao entrarem na roda, se benzerem (fazer o sinal da cruz), entretanto
não é obrigatório. O Capoeirista que assim proceder, esta pedindo proteção a uma força superior, para
evitar e livrá-lo de possíveis acidentes.

25 - Cumprimento na Capoeira
O aperto de mão no início e fim do jogo, significa: Os Capoeiristas vão jogar e o que acontecer durante o
jogo, deve ficar esquecido após o mesmo. No jogo de compra-compra, o Capoeirista que sai, não
cumprimenta o companheiro que ficou, neste caso, existe uma invasão do jogo e no cumprimento final
dos Capoeiristas, que finalizam a roda, estarão cumprimentando os demais que tomaram parte no jogo.

26 - Jogo
 Jogo de Angola: É um jogo normal de Capoeira, que os praticantes observam os fundamentos e
Tradições, de forma que se mantenha os rituais para a prática da Capoeira. O jogo de Angola , tanto
pode ser feito num ritmo lento, como em ritmo rápido, dependendo para tanto, do toque puxado pelo
berimbau, observando-se que o ritmo no toque de Angola é lento, mas no toque de São Bento Grande
de Angola o ritmo é mais rápido, o que faz com que haja confusão por alguns praticantes que pensam
estarem jogando em regional. Vale lembrar que o jogo de Angola é originário dele e a partir dele é que
foram criados outros tipos de jogos e estilos de Capoeira.
 Jogo de Regional: Jogo em cima em baixo, sempre em ritmo rápido, sendo muito comum ser
identificado como jogo que se joga em pé, onde os Capoeirista não vão ao chão, sendo este um dos
maiores equívocos que se comete em uma roda de capoeira. Mestre Bimba quando criou as suas oito
seqüências de aprendizado, ensina que o Capoeirista deve ir em cima e em baixo. Neste jogo, o
Capoeirista pode usar os recursos dos golpes ligados e dos balões de cintura desprezada, sendo
portanto mais viril, haja visto que Mestre Bimba se notabilizou pela fama de jogar uma capoeira
pesada, mais objetiva, onde predominava o jogo de dentro.
 Jogo de Compra-Compra: Ocorre quando um Capoeirista faz a entrada na roda individualmente,
tirando um dos companheiros e continuando o jogo com o que ficou na roda. Para “comprar” o jogo,
deve-se esperar um espaço de tempo, evitando-se comprar de forma desordenada, deixando que o
companheiro mostre o seu jogo. Ao perceber que vai haver um desentendimento no jogo,
imediatamente compre o jogo e evite uma possível confusão na roda, observando no entanto que o
tempo ideal para o jogo de compra-compra seja de um minuto.
 Outros Jogos: Jogo de Dupla; Jogo de Dentro; Jogo de Fora; Jogo de Balão; Jogo de Faca; Jogo de
Facão; Jogo de Navalha; Jogo de Apanha Laranja no Chão; Jogo de IÚNA; Jogo de Mestre.

COMENTÁRIOS SOBRE AS QUALIDADES FÍSICAS DA CAPOEIRA

Flexibilidade:
Os dois componentes realmente importantes na flexibilidade são a elasticidade muscular e a mobilidade
articular, sendo que estes não trabalham separadamente e um depende do outro.
Na Capoeira, a flexibilidade e o alongamento tornan-se imprescindíveis porque estão presentes
praticamente em todos os movimentos e golpes. Estas qualidades físicas devem ser desenvolvidas e
treinadas, principalmente nas crianças o que possibilitará um melhor aprendizado, a noção de limites do
próprio corpo e uma melhor conciência corporal, evitando possível acidentes musculares e articulares.

Força:
Hoje está comprovada, através de pesquisas e resultados, a grande importância da força nos esportes.
Podemos definí-la como a capacidade de exercer tensão muscular contra uma determinada resistência,
envolvendo fatores mecânicos e fisiológicos, que determinam a força para um movimento particular.
Na Capoeira, o emprego da força rápida (potência), é bastante utilizado nos golpes de ataque e contra-
ataque, saltos e esquivas. A resistência de força, tem um emprego puramente anaeróbico e a força
máxima, praticamente não existe, uma vez que não é necessária.
Para escolares, o importante é o emprego da força geral, para atuar no desenvolvimento integral e
multilateral, utilizando-se o peso do próprio corpo, as atividades naturais e bolas de mendicinibol.
6
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Agilidade:
Na Capoeira Especificamente, merece muito destaque, pois durante o jogo, através da variação de
movimentos, os capoeirinhas mostram, desenvolvem e criam situações de agilidade, para se defender,
atacar, esquivar, fintar e até gingar.
Definida como a qualidade de rápida e efetivamente à direção de um movimento executado com destreza
e velocidade, os exercícios de agilidade, tem correlação direta com a flexibilidade, potência muscular,
equilíbrio, desenvoltura e poder de decisão. O seu treinamento é recomendado em todas as faixas etárias,
e para escolares deve ser ministrado, dando ênfase nos jogos,
Esta atividade é assimilada facilmente, devido à sua dinâmica, motivação e por conseqüência dos
desafios que oferece, sendo também de grande valia para o futuro atlético.

Velocidade:
Qualidade física preponderante de vários esportes, o fator velocidade na Capoeira, Especificamente, é
muito importante, principalmente para ser usado nos golpes, esquivas, ataques de defesas, sendo que a
velocidade de reação, através do estímulo visual, é a mais intensamente desenvolvida. A rapidez dos
golpes, na Capoeira, exige também do oponente uma velocidade de reação bastante eficaz, aprimorando
desta forma, o reflexo. Sendo a Capoeira uma atividade eminentemente de movimentos acíclicos, torna-se
importante a solicitação do praticante, na execução de movimentos variados dos segmentos em todas as
direções, acompanhados de um alto grau de coordenação.

Equilíbrio:
É uma qualidade física conseguida pela combinação de ações musculares, que tem por propósito sustentar
o corpo, sobre uma base, contra a lei da gravidade.
Qualidade muito trabalhada na Capoeira, tanto no treinamento quanto na prática propriamente dita, é
muito rica, principalmente por ser, na grande maioria das vezes de equilíbrio recuperado, partindo das
mais variadas posições e planos, proporcionando desta maneira, equilíbrio e segurança ao participante.

Coordenação:
Qualidade que permite combinar a ação de diversos grupos musculares, para a realização de movimentos
com o máximo de eficiência e economia, tem aspectos importantes no desenvolvimento da performance,
pois exerce influência da qualidades físicas já descritas, exercendo sobre o jogo os seguintes efeitos:
melhoria técnica, menor gasto energético, melhoria da performance, maior eficiência, melhor recuperação
no período de repouso.
Com a prática da Capoeira, pode-se melhorar e desenvolver a coordenação, principalmente por ser um
jogo onde os oponentes se utilizam na destreza e criatividade sem uma seqüência determinada, exigindo
reflexos aprimorados e movimentos coordenados.

DANÇA

A EXPRESSÃO DAS DANÇAS ATRAVÉS DOS TEMPOS


( Final do Séc. XIX e inicio do Séc. XX )

VALSA

Nome de uma dança em compasso ternário de movimento lento, alegreto ou alegro. A valsa é, geralmente,
uma dança rodada de pares enlaçados, em voga nos salões do Séc. XIX. Quanto a música, tem dois
estilos: Valsa Lenta e Valsa Vienense, rápida como Strauss. Existem valsas ainda que não são
composições destinadas à danças e que desta dança tem apenas o ritmo - são peças instrumentais de forma
livre e segundo alguns autores, teve sua origem na dança alemã “Lanler”. A dança valsa é muito popular
na Alemanha e Áustria.

7
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

TANGO

Dança de origem africana que levada provavelmente pelos escravos negros, apostou à América e foi na
Argentina que a dança alcançou a maior voga. O tango chegou a Buenos Aires por volta de 1.900, sob
provável influência da “habanera” e da “milonga”. O tango é compasso lento (2/4), passos balançados ou
arrastados, rico em figuras e seu ritmo é langoroso, nostálgico, dolente e essencialmente sensual.
Seu nome deriva de uma dança negra, muito em voga na América Central - o Tangano. Quando os negros
se estabeleceram na Argentina e Uruguai, o Tangano foi conhecido e com influência de danças européias,
depois, adquiriu características de ritmos que originaram o tango Argentino.

CHARLESTON

1920 à 1930 - Foi a dança que marcou época das melindrosa e das danças saltitantes, do ritmo vivo e
bem marcado. Os instrumentos utilizados nesta época era o bombardino, o banjo e a tuba. O Charleston é
correspondente à dança alegre da juventude que malgrado ser muito censurado, conseguiu sucesso. É uma
dança de negros americanos que esteve muito na moda na Europa, no começo do Séc. XX. Começou a se
popularizar nos teatros e logo começou a participar dos bailes em sociedades acompanhadas de Jazz-
Band. A famosa bailarina negra Josefine Baker, foi quem deu ao Charleston uma projeção internacional.

BOLERO

Dança espanhola (segundo alguns historicamente, foi criada pelo bailarino Cereso em 1780). Esta dança
esteve muito em voga no Séc. XIX. É de compasso 3 / 4 e a execução dos seus movimentos se fazem
deslizando seus pés. É dançado com semelhança dos movimentos da Rumba, sendo entretanto mais lento.
O quarto passo (que se conserva levemente apoiado) inicia sempre o passo seguinte.

CAN-CAN

Dança moderna francesa, considerada imoral e esteve em voga no Séc. XIX, e que ressurgiu em 1930. Foi
desenvolvida também na Espanha e é dançada apenas por mulheres.

FOX-TROT

1930 à 1940 - dança originária da América do Norte, onde faz parte do folclore negro. É uma dança
moderna, rítmica e sincopada de compasso quaternário, criada pelo mestre de dança Harry.

FOX-RITIMADO

Dança desenvolvida nos palcos e cabarés.

SWING

Dança derivada do Fox-Trot, seguindo portanto os mesmos passos, no mesmo compasso quaternário,
distinguindo-se principalmente por ser executada com mais rapidez. Tem sua origem da música Jazz e
surgiu em 1935, quando os jovens aderiram ao balanço do Swing tocadas nas rádios, pelos sons das
bandas.
Desenvolvimento: o Swing é dançado por passos para frente e para traz, ligando-se com passos laterais e
círculos sendo este, com meio pé somente.

ROCK’N ROLL

1940 à 1950 - a mais popular dança moderna doa americanos jovens. Assemelha-se a uma ginastica
contorcionista de compasso quaternário. É de difícil coordenação, mais muito excitante. Elvis Presley, foi
8
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

a maior expressão do Rock’n Roll, com suas guitarras elétricas, as baterias jazísticas, dando uma
sonoridade inédita, por tanto foi a década dos cantores com músicas gritadas (resultado da vida agitada).
Elvis, com sua ginga e o pélvis no seu visual, como aparecia na TV americana, foi considerado como um
forte fator de desagregação da família americana e em janeiro de 1957, sua imagem foi proibida de
aparecer inteiramente, podendo aparecer somente da cintura para cima. Mais tarde vieram os Rolling-
Stones, James Dean, Bill Haly, Little Richard, Jimmy Hendrix e os Beatles, que revolucionaram o Iê, iê,
iê.
Os passos característicos eram o giro, o colo, passe por baixo, saltos e as entrelaçadas nos ombros.

TWIST

1950 `a 1960 - dança derivada do Rock’n Roll, criada pelos jovens americanos em 1956. Época das
lambretas e cadilaques.
Características dos movimentos: deslizar dos pés e acentuação lateral dos quadris.

DISCOTECA

1960 à 1970 - teve a sua projeção com John Travolta.


Características: nuvens de fumaça, faixas de raio laser traçando mirabolantes desenhos no espaço,
torrentes de bolhas de sabão sobre as pistas de dança, soar estridente de sirenes, músicas ensurdecedoras,
sons muito altos, luzes estroboscópicas, etc..

DANÇA JAZZ

1980 - descrever dança jazz é observar além da música e o movimento, a qualidade do movimento, se é
primitivo, moderno ou balé. Para definir dança jazz, temos que definir movimentos de jazz, e para
descrever quaisquer movimentos com palavras, não é tarefa fácil.
Apresenta uma natureza diversificada e complexa, diversas formas de dança tem alimentado o jazz,
fazendo dele, uma tão rica modalidade de dança: dança folclórica africana (primitiva), balé, dança
moderna, dança de shows, dança de teatro, dança social e movimentos orientais indianos.

DEPRESSÃO
O QUE É E QUAIS AS CAUSAS DA DEPRESSÃO ?

Ao contrário do que muita gente imagina, ela é uma doença e, como qualquer outra, precisa ser
tratada. Está ligada a disfunção química que afetam a concentração no cérebro dos chamados
neurotransmissores (substâncias que fazem a comunicação entre as células nervosas). Esse desequilíbrio
acaba impedindo o funcionamento adequado do sistema límbico, parte da massa cinzenta responsável por
sensações como a de bem-estar. Vários fatores podem provocar o problema, mas sabe-se que indivíduos
com histórico do distúrbio na família têm maior probabilidade de desenvolvê-lo. Assim como aqueles que
abusam do álcool, das drogas ou utilizam certos medicamentos, remédios para pressão alta ou inibidores
de apetite, por exemplo. Problemas psicológicos e sociais, na maioria dos casos, são conseqüência e não a
causa da depressão.

COMO FUNCIONAM OS ANTIDEPRESSIVOS ?

Vários medicamentos estão no mercado e cada um tem uma ação específica. Nos anos de 1950
surgiram os inibidores da monaminoxidase, enzima do cérebro que atua na quebra de neurotransmissores
e, por isso, altera o volume dessas substâncias, “Tais remédios impedem o trabalho da enzima”, explica o
psiquiatra Mauro Aranha de Lima, da Santa Casa de São Paulo. Já em 1958 chegaram os remédios à base
de imipramina, substância que regula os níveis de serotonina e noradrenalina. Só na década de 1080
9
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

vieram as drogas com a fluoxitina como principal estrela, entre elas o Prozac. “Todos levam praticamente
ao mesmo resultado”, diz Aranha. “O que muda são os efeitos colaterais.” De qualquer forma, aliados à
psicoterapia, os antidepressivos ainda são a única maneira de tratar o problema.

QUE TRANSTORNOS FÍSICOS SÃO CAUSADOS PELA DEPRESSÃO?

A lista é extensa. Canseira, sensação de peso no ombro, pressão no peito, taquicardia, dores de
cabeça e problema no estômago são alguns dos sintomas físicos relatados por quem esta deprimido.
“Tudo isso pode ocorrer porque a doença interfere em neurotransmissores que têm outras funções além de
regular o humor,” suspeita Maria Cristina Lombardo, psiquiatra do Hospital das Clínicas de São Paulo.

OS EXERCÍCIOS AUXILIAN NO TRATAMENTO?

Sem dúvida. “Os exercícios podem ajudar a desviar o pensamento de problemas e facilitar a
interação com outras pessoas,” observa Maria Cristina. Além disso, praticar atividade física incrementa a
produção de endorfinas, substâncias fabricadas pelo cérebro que são consideradas as grandes responsáveis
pela sensação de prazer.

QUAIS OS PRINCIPAIS SINTOMAS DA DEPRESSÃO?

São muitos os sinais que caracterizam esse mal. Eles variam conforme a intensidade da doença
(leve, moderada ou grave), a duração (aguda ou crônica) e pelos aspectos clínicos. A depressão psicótica,
com alucinação, irá se manifestar de forma diferente da bipolar, uma mistura de euforia e tristeza. “De
forma geral o indivíduo sente angústia e dasânimo”, afirma Ricardo Alberto Moreno, psiquiatra da
Universidade de São Paulo.

QUAL A DIFERENÇA DE DEPRESSÃO E TRISTEZA?

A tristeza e um sentimento que faz parte da vida de todo mundo, assim como a alegria e o medo. e
motivado por aspectos externos, como a perda de um parente. Apesar disso, não interfere no cotidiano da
pessoa, impedindo-a de fazer tarefas básicas. Seus sintomas são passageiros e jamais leva o indivíduo a
pensar em suicídio ou coisa parecida. “Já o deprimido reage às situações estressantes com sofrimento
maior e prolongado, desproporcionando ao estímulo!”, cometa Ricardo Moreno. “A depressão se instala
na vida do indivíduo sem que ele queira ou tenha controle”.

POR QUE ACONTECE A DEPRESSÃO PÓS-PARTO?

Problemas que se manifesta de três a cinco dias após o nascimento do bebê, essa depressão ocorre
devido a alteração hormonais que explodem depois do parto. Na gestação o corpo feminino produz mais
progesterona e parte dela fica concentrada na placenta. Com a sua retirada, há uma queda brusca dos
níveis de hormônios, o que afeta a fabricação de serotonina. Daí surgem a irritação, cansaço e o choro
fácil. “Em duas semanas a maioria volta ao estado normal sem remédios”, diz Marcelo Feijó de Mello,
psiquiatra do Hospital do Servidor de São Paulo.

EXISTE ALGUM COMPONENTE CENÉTICO QUE TORNE ALGUMAS PESSOAS


MAIS PREDISPOSTAS A TER DEPRESSÃO?

De fato, alguns grupos possuem mais propensão a desenvolver o distúrbio. As mulheres, por
exemplo, por causa das constantes mudanças hormonais pelas quais passa, têm maior probabilidade de
sofrer crises depressivas. “Para cada homem com a doença no mundo há duas pacientes do sexo feminino
enfrentando o problema”, compara o psiquiatra Mauro Aranha. O mesmo acontece com os idosos. Eles
estão mais expostos a males degenerativos do cérebro que, somados à exclusão social, podem levar à
depressão.

10
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

COMO A FAMÍLIA PODE AJUDAR UMA PESSOA COM DEPRESSÃO?

É comum a família classificar o comportamento do deprimido como chantagem emocional.


Agindo assim só agrava o quadro. “É preciso entender que a depressão é uma doença”, alerta o
psiquiatra Feijó. Os mais próximos devem encorajar o paciente a realizar atividades que o façam
encontrar outras pessoas, como caminhar ao ar livre.

QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DA DEPRESSÃO INFANTIL?

Calcula-se que entre 2% e 3% das crianças sofrem do mal. Mas a maioria dos casos ele não é
detectado. “Os pais não notam o problema, pois nessa faixa etária a doença não causa mudança de
humor”, diz Maria Cristina. Os sinais mais recorrentes são queda no rendimento escolar, insônia,
maior ou menor apetite, agressividade e isolamento.

“A depressão atinge 19 % da população mundial e suas conseqüências podem ser desastrosas. Muitas
pessoas que sofrem desse mal chegam a perder o emprego ou a abandonar os estudos.
Não raro, comprometem a relação familiar”.

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS


São as doenças que uma pessoa transmite a outra através da relação sexual. As mais comuns são a
gonorréia, a sífilis e a AIDS.
Embora a AIDS seja chamada de doença, na verdade trata-se de uma síndrome. A palavra síndrome
caracteriza um conjunto de sinais e de sintomas que podem ser produzidos por mais de uma causa.
Veremos isso mais adiante.

Como evitar?
Há duas maneiras principais de evitar essas doenças:
 Limitar o número de parceiros, quando uma pessoa tem relações sexuais com várias pessoas, suas
chances de adquirir uma doença aumentam, pois há maior probabilidade de algum dos parceiros estar
contaminado;
 Usar camisinha sempre, em todas as relações sexuais, a camisinha evita o contato direto entre o pênis
e a vagina, impedindo que a doença seja transmitida através dos órgãos sexuais do homem ou da
mulher.

Essas doenças são curáveis?


A gonorréia e a sífilis, sim. Seu tratamento é feito com antibióticos, remédios que matam as bactérias
causadoras dessas doenças.
A AIDS, porém, ainda não tem cura. Ela é mortal. A única maneira de se proteger é saber tudo sobre ela
para poder evitar o contágio.

Gonorréia: quais são os sintomas?


O homem com gonorréia sente dor e ardência quando urina, e elimina gotas de pus pela uretra. Pode
aparecer íngua na virilha. As mulheres não apresentam sintomas no início. Depois, pode aparecer dor no
abdome. A mulher pode ficar estéril se a doença não for tratada.

O que fazer?
Quando aparecem esses sintomas, é preciso avisar o parceiro, deixar de Ter relações sexuais e ir logo ao
médico.
O tratamento é fácil, mas só um médico pode orientar. Remédio caseiro não adianta. Vergonha de ir ao
médico é bobagem: só piora as coisas.

11
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Como os sintomas não são claros nas mulheres, elas dificilmente desconfiam quando estão doentes. Por
isso, é importantíssimo ir ao ginecologista uma vez por ano.
O parceiro de uma pessoa que está com gonorréia (ou qualquer outra doença sexualmente transmissível)
também deve procurar um médico para ver se pegou a doença e fazer o tratamento adequado.

Sífilis: é uma doença grave?


É muito grave, se não for tratada corretamente. Pode causar problemas sérios, como cegueira, paralisia,
distúrbios mentais e até levar à morte. Por isso, a sífilis precisa ser tratada com acompanhamento médico
e exames de laboratório, para evitar que avance no organismo.
Como todas as outras doenças sexualmente transmissíveis, a contaminação se dá principalmente pela
relação sexual. Gestante com sífilis também passa a doença para o bebê, que geralmente nasce com
graves deficiências físicas e mentais.

Quais os sintomas da sífilis?


A sífilis manifesta-se inicialmente por uma feridinha nos órgãos sexuais, que pode nem ser percebida e
sara sozinha, mesmo sem tratamento. Mas o micróbio continua no organismo. Em seguida, aparecem
manchas avermelhadas no corpo, que também desaparecem sozinhas. A fase mais grave da doença ocorre
quando o micróbio atinge o sistema nervoso e os órgãos internos, levando o paciente a Ter febre alta,
perda de cabelo, rachaduras nos pés e nas mãos, gânglios inchados, etc.

AIDS: o que é?
AIDS é a sigla da expressão inglesa que significa síndrome da imunodeficiência adquirida. É causada por
um grupo de vírus, chamados HIV, que invadem certas células, alguns tipos de glóbulos brancos do
sangue, responsáveis pelas defesas do organismo contra as doenças.
O HIV multiplica-se dentro destas células e acaba por comprometer a atividade do sistema imunológico
(sistema de defesa do organismo) da pessoa. O organismo da aidético fica incapaz de se defender contra
infecções, como a pneumonia, a meningite, as infecções intestinais. Cada vez mais fraco, o doente acaba
morrendo de umas dessas doenças que seu corpo não consegue combater.
Os primeiros casos de AIDS apareceram em 1979, nos Estados Unidos. Atualmente, os países com maior
número de aidéticos são os Estados Unidos, o Brasil, a Uganda e a França.

Como é transmitida a AIDS?


A AIDS passa de uma pessoa para outra através de esperma, sangue e secreção vaginal de pessoas
contaminadas com o vírus.
 Portanto, pode-se pegar AIDS:
 Tendo relação sexual com pessoa contaminada; o homem ou a mulher contaminadas podem passar o
vírus da AIDS para outra pessoa;
 Recebendo sangue contaminado através de transfusões;
 Usando seringas e agulhas de injeção contaminadas; mesmo alicates de manicure podem transmitir o
vírus, se o instrumento foi usado em pessoa contaminada.
 Mães aidéticas podem passar a doença para a criança durante a gravidez, na hora do parto ou pela
amamentação.

Como evitar a AIDS?


Agora que você já sabe como a doença é transmitida, fica fácil entender como pode ser evitada:
 A transmissão por via sexual pode ser prevenida com o uso da camisinha em todas as relações sexuais
e tendo-se menor número possível de parceiros sexuais.
 Quanto maior o número de parceiros, maior a chance de contaminação. Pessoas portadoras do vírus,
mesmo que ainda não tenham manifestado os sintomas da doença, podem contaminar seus parceiros.
 sangue usado em transfusões dever ser rigorosamente controlado. O governo deve exigir que os
bancos de sangue façam testes em todo o sangue, antes de distribuí-lo.
 Só se deve tomar injeção com seringas e agulhas descartáveis novas ou com seringas e agulhas
esterilizadas. Isso porque quando duas pessoas usam a mesma seringa e agulha o sangue delas se
12
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

mistura. Se uma estiver contaminada, a outra pega o vírus. É por isso que há muitos casos de AIDS
entre viciados em drogas injetáveis, pois vários deles fazem uso comum das seringas e agulhas.
 Agulhas de acupuntura, de furar orelhas ou de fazer tatuagens também precisam ser cuidadosamente
esterilizadas. Isso vale para instrumentos utilizados por barbeiros e manicures (lâminas, alicates, etc.).
Como esses instrumentos podem entrar em contato com sangue de pessoas contaminadas, precisam
ser adequadamente esterilizados antes do uso. Portanto, quando se vai à manicure, ao pedicure ou
barbeiro é bom levar o próprio alicate e lâmina.

Picadas de insetos transmitem AIDS?


Não existe nenhum estudo que comprove isso. Também não se pega AIDS em apertos de mão, abraços,
beijos no rosto, espirros, piscinas, vasos sanitários, toalhas, copos ou qualquer outro objeto. Basta que
esses objetos sejam normalmente limpos.

Conviver com doentes de AIDS é perigoso?


A convivência social ou familiar com aidéticos não apresenta perigo nenhum, desde que se tomem os
cuidados higiênicos normais.
As pessoas que tratam dos doentes precisam usar luvas, para evitar contato com sangue ou outros líquidos
do corpo do doente.
Mas é totalmente errado deixar de visitar um doente ou abandonar um colega que está com AIDS. O
aidético precisa de carinho e amizade para aliviar seu sofrimento. É uma desumanidade abandonar uma
pessoa porque ficou doente.

Como uma pessoa sabe que esta com AIDS?


Uma pessoa pode estar contaminada e não apresentar sintomas. O vírus HIV pode permanecer no
organismo sem se manifestar por um período de seis meses a dez anos ou mais. Nesse período, a pessoa
pode transmitir a doença.
Os principais sintomas que caracterizam a síndrome da AIDS são febre, diarréia constante,
emagrecimento, herpes, “sapinho”, gânglios inflamados pelo corpo, manchas roxas na pele que não
desaparecem com o tempo, cansaço, falta de ar e tosse.
Uma pessoa com alguns desses sintomas deve procurar em médico. Não é possível a uma pessoa saber
por si mesma se está com AIDS, pois esses sinais também podem indicar outras doenças. O diagnóstico
definitivo é feito apenas pelo médico, através de testes de laboratório e exame clínico do paciente.

Existe remédio contra a AIDS?


Até o momento não há nenhum medicamento que destrua o vírus da AIDS. Por isso, o tratamento médico
resume-se a cuidar das infecções que o paciente contrai pela falta de defesa de seu organismo. Os
medicamentos usados apenas prolongam a vida do doente e melhoram seu estado geral. A cura definitiva
da AIDS ainda não existe.

Existe vacina contra a AIDS?


Infelizmente, ainda não. Em diversos países, principalmente nos Estados Unidos e na França, estão sendo
feitas pesquisas para descobrir uma vacina que imunize as pessoas contra o vírus HIV. Mas ela ainda não
foi obtida.
Enquanto a vacina não vem, só é possível prevenir a contaminação através das medidas já explicadas. É
bom lembrar: qualquer pessoa pode pegar AIDS. É preciso tomar todos os cuidados possíveis.

DOR CIÁTICA
Diagnóstico e tratamento de uma das manifestações dolorosas mais agudas e desgastantes.

13
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Dentre os problemas mais comuns que afetam a coluna estão as dores que seguem o trajeto do
nervo chamado ciático. Esse nervo tem seu início na coluna lombar, na região da quinta vértebra lombar e
primeira sacra, estende-se pelos membros inferiores até os pés. Embora o problema esteja localizado
apenas na coluna, a dor se propaga ao longo desse nervo sem que haja nenhuma lesão em todo o seu
trajeto.
As principais causas das dores são as seguintes: Hérnia de disco, Osteoartrose, Dores reumáticas.
As dores lombares chamadas lombociatalgia, ou somente ciática, são dores fortes e incômodas
que podem se manifestar de forma aguda ou crônica e associadas a movimentos bruscos da coluna
vertebral. Nos casos crônicos, mesmo em repouso, pode haver manifestações dolorosas, cujo início
sempre é na região lombar e se estende para os membros inferiores. No caso das dores crônicas, a dor é
menos intensa que na fase aguda; porém, é mais desgastante para o paciente.
Conforme a localização do problema na coluna, a dor segue dois caminhos: quando a origem é
na quinta lombar, ela irradia-se da coluna para a parte externa da coxa, parte anterior da perna, atravessa
o pé e termina no artelho. Quando o problema é localizado na primeira vértebra sacra, a dor segue em
direção à parte posterior da perna e termina no dedo mínimo do pé.
É importante saber a real origem das dores ciáticas. A maioria dos problemas que afetam a
coluna diz respeito às dores atrozes, mais especificamente as das apófises articulares posteriores e dos
processos degenerativos dos discos intervertebrais. A diferenciação somente é possível fazer através de
exames radiológicos, tomografia ou ressonância magnética. Em alguns casos, os nervos afetados podem
também ser os da função motora e, nesse caso, a pessoa sente perda de força no membro afetado, além da
dor. Esse já é um sintoma razoavelmente sério e necessário de cuidados mais intensivos.

CAUSAS PREDISPONENTES

Outras causas possíveis de dores ciáticas podem ter sua origem em dores reumáticas
inflamatórias, espondilite anquilosaste e tumores benignos ou malignos. Esses últimos são, felizmente,
bem menos freqüentes.
No caso das degenerações dos discos vertebrais, as causas mais freqüentes são atribuídas a
aumento de peso, que passa a exercer muita pressão sobre os discos, diminuição da circulação no local,
devido a uma dieta rica em gordura, além do uso de cigarro e vida sedentária. O levantamento de peso de
maneira inadequada também pode ser fator desencadeante de uma dor aguda.

O QUE FAZER

Em caso de dor aguda, faça repouso, mas de curta duração. Existe ainda a tendência de condenar
à inatividade uma pessoa acometida de ciática até que se restabeleça. Embora o conselho pareça lógico,
inatividade prolongada somente tende a enfraquecer a musculatura e a dificultar a recuperação. Atividade
moderada e precoce, acompanhada de movimentos que fortaleçam a musculatura deve ser assumida tão
logo quanto possível. É importante acrescentar que a manutenção do tratamento para dores ciáticas
envolve atividade física e estilo de vida. Muitos pacientes percebem a volta das manifestações dolorosas
quando abandonam o hábito de se exercitarem regularmente.
Para amenizar as dores, podem ser usados medicamentos. Os mais comuns são os
antiinflamatórios e a aspirina. Em geral, esses são suficientes e não são necessários remédios mais fortes.
Nas primeiras 48 horas, podem ser usadas compressas geladas na região lombar. Após esse período, estão
indicadas as compressas quentes.
Adote um estilo de vida saudável. Dados epidemiológicos têm demonstrado que a incidência de
dores na região lombar e com irradiação os fumantes do que entre os que não fumam, ou deixaram o
vício. A razão disso é que o cigarro diminui a circulação do sangue nos discos vertebrais, submetendo-os
a uma degeneração precoce. Parar de fumar, ao mesmo tempo que freia o processo progressivo de
degeneração, ajuda na recuperação, devido à melhora na circulação local.
Faça exercícios com peso, levantando-os com cautela e jamais com a coluna curvada sobre o
peso. Qualquer levantamento de peso deve ser feito com a coluna em posição vertical, e simultaneamente
14
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

com o flexionar das pernas. Evite também permanecer sentado por longos períodos. Interrompa essa
inércia fazendo alongamentos e caminhadas de curta duração.
Caso o seu peso esteja acima do limite, trate de reduzi-lo. O excesso de peso é uma sobrecarga
para os discos vertebrais. Isso é especialmente importante naquelas pessoas que têm um volume de
gordura na região abdominal.
No passado, era muito comum apelar-se rapidamente para a cirurgia, principalmente nos casos
comprovados de hérnia de disco. Atualmente, com a adoção das medidas aqui mencionadas, e praticadas
com perseverança, é possível reduzir a necessidade de cirurgias, em boa parte dos casos. Para todos os
efeitos, um exame com os recursos modernos de tomografia ou ressonância magnética, permite avaliar
melhor a evolução da doença e indicar com mais precisão o momento de cuidados mais agressivos.

ENTENDENDO O ESPORTE ATRAVÉS DE SUA HISTÓRIA


As origens do esporte estão intimamente ligadas à luta do homem pela sobrevivência. Em alguns
aspectos desta luta os atos de correr, saltar, lançar objetos à distância, caçar e nadar encontram-se os
fundamentos das primeiras competições esportivas.
Inúmeros documentos provam que essas competições já eram praticadas pelas mais antigas
civilizações.
Em todas essas épocas e lugares, o homem tem seguido essa quase instintiva tendência de medir a
sua força e capacidade física, enfrentando outros homens, animais e obstáculos naturais ou artificiais em
troca de vitória, que são prêmios, medalhas, fama e dinheiro.
Ao analisarmos cada momento histórico da existência humana dentro de suas características quanto
a organização social, conhecimentos, sistemas de governo, condições de sobrevivência veremos que o
esporte e as atividades físicas em geral, estão diretamente ligadas as características históricas de cada
época.
Assim poderemos passar a conhecer e entender melhor os motivos da prática esportiva de nossos
tempos estarem nos moldes que conhecemos.
O período que se convencionou pré-histórico evidenciou que todas as atividades humanas
dependiam do movimento.
Ao analisar a cultura primitiva em qualquer de suas dimensões (econômicas, política e social),
vemos que os nossos irmãos da caverna dependiam de sua força, velocidade e resistência para
sobreviverem.
Realizavam longas caminhadas e no seu percurso, lutavam, corriam, saltavam, nadavam e
arremessavam objetos. A caça e pesca eram a base de sua economia.
Uma das atividades físicas mais significativas foi a dança, através da qual exibiam suas qualidades
físicas, expressavam seus sentimentos num caráter ritualístico, onde havia demonstrações de alegria e
tristeza (nascimentos e funerais).
Em Roma para manter a grande massa de desocupados que vivia nas cidades quieta, sem revoltas,
as autoridades distribuíam alimentos, periodicamente, e promoviam inúmeros espetáculos públicos. Era
preciso alimentá-lo e diverti-los. Pão e Circo era a fórmula considerada infalível para manter a massa
popular sob controle.
Tendo por objetivo abrigar uma grande multidão é que os romanos construíram o Coliseu, um local
para cerca de 80 mil espectadores.
Cansados de assistir às apresentações de atletas e palhaços, os romanos desenvolveram um gosto
atípico pelas lutas violentas.
Estes combates sanguinários tornaram-se bastante populares dentre os romanos, que lotavam o
Coliseu e muitos outros anfiteatros imensos para vibrar durante os combates. Esses espetáculos incluíam
lutas de gladiadores entre si (os que usavam o gládio – espécie de espada), de origem etrusca, e de
homens contra animais, como por exemplo leões.
Após a queda do Império Romano, as práticas desportivas sofreram enorme decadência. Durante a
Idade Média verificou-se uma acentuada diferenciação entre as atividades das classes altas e baixas, pois
com o passar dos anos o cristianismo, que cada vez mais se firmava no império romano, passou a
15
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

combater os jogos olímpicos por não ver com bons olhos o culto aos esportes pagãos e também não
tolerava a adoração ao fogo sagrado, que a cada quatro anos era aceso em Olímpia. O golpe de
misericórdia nas olimpíadas antigas foi dado por Santo Arborizo, bispo de Milão, que em 1393 levou o
Imperador Teodózio a proibir a realização desses jogos desejando o apoio da Igreja marcando o fim dos
Jogos Olímpicos da Antigüidade.
Os passatempos preferidos eram as caçadas. Nas noites de inverno, era comum ouvir os trovadores
e os jograis tocarem e cantarem. Durante a primavera, havia desfiles com bandeiras.
A principal ocupação da nobreza era a guerra. Os nobres travavam guerras constantes entre si, a
qualquer pretexto, muitas vezes para aprisionar o outro e conseguir o resgate que os vassalos dele tinham
que pagar.
A guerra era tão importante para a nobreza feudal, que uma de suas distrações preferidas eram os
torneios, espetáculos de luta que reproduziam os combates. Embora as armas fossem preparadas para se
tornarem inofensivas, sem ponta e sem corte, era comum a morte dos combatentes.
No Renascimento a Educação Física volta a ser desfrutada apenas pela minoria, ou seja, a burguesia
ascendente, a corte e somente para o ensino superior. Nessa época, pensadores como Da Vinci escreveram
estudos sobre os movimentos e articulações.
A Educação Física Inglesa do século XIX não foi muito influenciada pela filosofia nacionalista,
tendo um desenvolvimento diferenciado em relação ao restante da Europa. A disciplina e o treinamento
físico impostos ao povo nos países continentais, visando a defesa nacional, não se fizeram necessários na
Inglaterra, pois sua posição geográfica isolada e sua poderosa Marinha livraram-na de invasões
estrangeiras. Por isso sua maior contribuição não foi no campo da ginástica, mas no esporte.
Sob o influxo das idéias nacionalista muito em divulgação na Alemanha naquela época, essas
entidades desviam-se do objetivo inicial. A ginástica pouco a pouco passa a servir para finalidades
militares. Aliás, era comum então ver os jovens alemães, exibindo orgulhosamente o rosto cicatrizes
adquiridas durante a prática de esgrima (esporte muito popular naqueles dias).
Com a Revolução Industrial e crescente aglomeração populacional nas cidades, propiciou o
interesse pelas atividades físicas devido aos movimentos repetitivos da linha de produção nas fábricas e as
facilidades das cidades que levava as pessoas ao sedentarismo. A existência de uma população estável
possibilitou a formação de equipes e a organização de competições, seguindo regras determinadas,
regidas por órgãos locais ou nacionais (federações, comissões).

ATIVIDADE:
Os alunos divididos em grupos, deverão debater sobre o momento histórico atual e sua relação com
o esporte, observando seus aspectos sociais, econômicos e políticos, e elaborar um texto que expresse as
idéias do grupo tanto nos aspectos negativos como positivos.

O MODISMO
Todos sabem o que é moda: “Adesão de grande número da população por determinados usos e
costumes”. Por exemplo: vestimentas, palavreados, gestos, etc. Uma das fortes características da moda, é
que ela é passageira. Poucos dos lançamentos da moda tem força suficiente para permanecer por si só.
Na maioria das vezes nós aderimos a moda, nos sujeitamos até a grandes sacrifícios para
acompanhar os lançamentos.
Nas aulas de atividades físicas, na escola, no clube ou academias poderíamos utilizar artigos mais
baratos que aqueles que a moda impõe, mesmo porque não necessitamos de tênis “de marca”, relógios
que agüentam várias atmosferas e a prova d’água, roupas coloridas ou lançadas para Ginástica Aeróbica,
etc.
Na realidade a roupa é o grande símbolo da moda e leva grande parcela do nosso salário, devido
aos constantes lançamentos que o modismo impõe.

16
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

A MODA ENVOLVE CONSUMISMO

O comércio gira em torno do consumo, ou seja, ele necessita que a população compre seus produtos
e faz de tudo para que isso aconteça. O modismo é a maior arma para a exploração, pois dele o comércio
se aproveita para rotular altos preços em mercadorias que não valem o que se paga.
O fato é que se as pessoas não compram o produto, o proprietário não mais empregará o vendedor,
nem tão pouco dará lucro para o empresário que fabrica a mercadoria, que por sua vez não mais oferecerá
emprego a população.
Na verdade tudo isso é bom e necessário. Esse processo é fundamental para o nosso país, o que é
ruim neste conceito é que os responsáveis pelo sistema se aproveitam desta situação, “o modismo”, para
explorar o consumidor com preços caríssimos e explorar seus funcionários com baixos salários enquanto
para si reserva enormes lucros.
Esse processo chama-se exploração, fruto do capitalismo, que ultraja a ética moral, princípios
humanos e a justa política social.

A TELEVISÃO COMO GRANDE COLABORADORA

A televisão se utiliza de suas imagens, produz efeitos especiais (paisagens, músicas, vozes, corpos e
rostos bonitos) com objetivo de influenciar psicologicamente o telespectador, manipulando-o ao consumo
desenfreado.

VALORES DE OUTROS TEMPOS

É importante considerar os valores de outros tempos, que foram moda, marcaram época e muitas
vezes renovaram pensamentos e concepções. Esses fatos passados, vividos por nossos avós, podem ser de
grande valia, por isso devemos analisar a nossa história procurando dela extrair as benesses que
fatalmente nos será de grande utilidade.

A CORPOLATRIA

Idolatria do corpo que criou características físicas como padrões de beleza, a saber:
Corpo Esbelto;
 Peso condizente com a altura;
 Abdomem bem trabalhado;
 Bronzeado;
 Músculos delineados;
 Etc..

Para alcançar o padrão de beleza exigido pela sociedade, outras exigências se fazem necessárias:
 Alimentos específicos (integrais, diet e light);
 Remédios (vitaminas, moderadores de apetite, anabólicos e esteróides);
 Produtos de beleza (cosméticos de toda natureza).

NÃO SE INFLUENCIAR PELO MODISMO

Devemos opor uma resistência ao modismo. Quem sabe haveremos de ser esclarecidos e autênticos,
a ponto de mudarmos nossa conduta, evitando assim o tão perigoso “mergulho na onda traiçoeira” que é o
modismo da forma como vem sendo conduzido.

17
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

PROBLEMAS DE SAÚDE
De modo geral, os adolescentes gozam boa saúde e suas doenças não têm grande significado.
As mais freqüentes afecções encontradas são: o acne, defeitos de refração, obesidade, cáries
dentárias. Sem dúvida, muitas outras doenças podem ser observadas nessa idade, embora não sejam
exclusivas desse período de vida. Podem-se ainda constatar doenças orgânicas do coração, diabete,
epilepsia, anormalidades músculo-esqueléticas, tuberculose, distúrbio de audição, micoses. Muitas vezes
são encontradas palpitações, vertigens, dificuldades respiratórias, dor precordial, que surgem após
exercícios moderados, principalmente nos adolescentes com instabilidade emocional. As afecções
cardíacas são geralmente congênitas ou seqüela de reumatismo, devendo ser bem investigadas para evitar
danos maiores ao coração.
É freqüente o número de acidentes na adolescência, relacionados com a intensa modalidade e
afoiteza dos jovens. A maior prevalência é dos acidentes com automóveis, motos e bicicletas.
Devido a seu rápido desenvolvimento físico, é relativamente comum se observarem estados de
desnutrição. As faltas às aulas, muito comuns, podem ser devidas a infecções respiratórias tipo bronquite,
perturbações gastrointestinais, cefaléias ou dismenorréias, sendo esta perturbações muito freqüentes no
período pós-bubertário.
Tem-se registrado ultimamente um grande aumento de incidência de doenças sexualmente
transmissíveis (DST) especialmente a AIDS, sífilis, gonorréia, cancro mole, info granuloma venéreo,
uretrites não gonocócicas, tricomoníase, condiloma acuminado, gerpes genital e candidiase. Embora as
alterações de saúde dos adolescentes não tenham maior gravidade, é importante que se submetam a
exames médicos periódicos, preferivelmente sem os pais a fim de que tenham liberdade para falar
francamente acerca de seus problemas. Mesmo que não haja qualquer alteração de saúde, compete ao
médico verificar se o crescimento físico e o desenvolvimento do jovem estão se processando
normalmente.
Em ambos os sexos há um grande interesse na verificação do normalidade de suas características
físicas individuais. As moças nessa idade se preocupam com seus atributos de beleza e os rapazes com o
seu desenvolvimento muscular e corporal.

NECESSIDADES NUTRICIONAIS
A nutrição na adolescência merece sempre a maior atenção, bastando lembrar que nesta fase o
indivíduo adquire aproximadamente 50% de seu peso final e 20 a 25% da sua estatura definitiva. Assim,
as necessidades protéico-calóricas para os adolescentes são maiores do que em qualquer outra fase da
vida, exceto os primeiros de gravides e lactação. Como resultado deste aumento, o adolescente é
altamente sensível às restrições alimentares.
A influência da alimentação sobre o crescimento é de enorme interesse, não só para prevenir certas
desordens patogênicas, como para orientar com respeito ao tratamento dos desvios e acidentes desta fase.
O desequilíbrio entre a atividade física e a ingesta pode levar à desnutrição ou à obesidade. Não
existe fórmula para se chegar ao equilíbrio individual; seguimos a média populacional tentando oferecer:
Proteínas: considerando o crescimento nesta época, as dietas baseadas na mistura arroz e feijão
deverão ser complementadas por outros alimentos de origem animal mesmo que em pequenas
quantidades, para obtenção dos aminoácidos necessários à síntese protéica.
Minerais e Cálcio: relaciona-se ao aumento de massa esquelética. Estudos mostram que a
quantidade insuficiente do Cálcio ou o excesso de Fósforo podem levar à osteoporose em idades
posteriores.
Ferro: é importante para a expansão da massa muscular e volume sangüíneo. A carne e os alimentos
ricos em ácido ascórbico aumentam a absorção de ferro dos outros alimentos. O uso de panela de ferro
para o cozimento dos alimentos também favorece a absorção de maiores quantidades de ferro que ficam
impregnadas no alimento ingerido.

18
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Vitaminas: podem e devem ser administradas como complementação à dieta alimentar do


adolescente, de acordo com a sua necessidade (Vit. Complexo B – C – D – E).
Na abordagem nutricional do adolescente, o profissional deve levar em conta a singularidade desta
faixa etária. A atitude deve ser basicamente de troca, existindo autoridades sem autoritarismo. Num país
como o Brasil, o distúrbio nutricional ocupa lugar de destaque entre os problemas de adolescência,
devendo sempre merecer preocupação e abordagem freqüentes.

EMOTIVIDADE NA ADOLESCÊNCIA
Este período de vida se caracteriza por uma acentuada emotividade, particularmente no final da
adolescência.
Muitas são as causas que predispõe à emotividade, quase sempre devida a fatores ambientais e
sociais. Entre essas citam-se relações desfavoráveis com a família, restrições à proteção paterna,
frustrações quanto a situações que deva enfrentar, pressões sociais, adaptações a novos ambientes
(sociais, familiares, religiosos) e principalmente problemas relacionados com a incerteza do futuro.
Como conseqüência sobrevem medo, timidez, inveja, tédio, agressividade, enfim uma série de
condições que ameaçam ou parecem ameaçar o bem-estar do adolescente, sua segurança, seus desejos e
planos. Essas emoções vão exercer influência sobre suas atitudes, valores e a própria conduta, podendo
até ocasionar o aparecimento de doença física ou perturbações de ordem mental evidenciadas por insônia,
perda do apetite, falta de eficiência, depressão ou irritabilidade e agressividade.
E é nestas condições que o indivíduo se torna mais vulnerável à aproximação e uso das drogas,
podendo tornar-se um viciado a dependente.
Personalidade: é a qualidade da conduta total do indivíduo, expressa pelos hábitos do pensamento e
expressão, atitudes e interesses, maneira de atuar e filosofia pessoal de vida do indivíduo. E é na
adolescência que também ocorrem fortes alterações quantitativas e qualitativas da personalidade
estabelecido na infância.
No desenvolvimento da personalidade do adolescente influem certos fatores, como o físico, em
particular sua estatura e atrativo pessoal, o estado de saúde, especialmente quando resulta em desnutrição
ou deficiência vitamínica, dando em conseqüência mau humor, irritabilidade, aumento de tensão,
emotividade e timidez.
O vestuário desempenha um papel importante na vida do adolescente, adaptando-o ou não ao meio.
Quando bem vestidos se sentem confiantes, felizes, com espírito alegre, sucedendo o contrário quando
admitem que as roupas não são adequadas tornando-os preocupados e nervosos.
As relações sociais têm também grande influência na personalidade, salientando-se o papel
desempenhado pelo grupo social a que pertence a família ou seus companheiros e até mesmo seus
professores. Se o ambiente familiar é favorável e satisfaz as necessidades do jovem em desenvolvimento,
o indivíduo será de uma personalidade sã e equilibrada.
As preocupações que os adultos experimentam são acerca da atitude e conduta dos adolescentes
com respeito ao uso de droga, fumo, álcool, conduta sexual e rebelião frente ao convencional.

O ADOLESCENTE E A ESCOLA
A escola onde os jovens passam grande parte de sua vida pode influir fortemente nas atitudes, na
formação e na ordenação dos valores humanos, sendo por vezes mais importantes que o lar. O professor
deve ter personalidade sadia, atitudes e sentimentos nobres, ser autêntico e constituir um exemplo para
seus alunos; cabe-lhe informar aos jovens a responsabilidade que têm como cidadãos fazendo-os
compreender o mundo em que vivem. Tem de mostrar-lhes que são responsáveis pela direção da própria
vida, valorizando sempre a família.
Há uma idade em que os jovens são muito críticos, expressando desagrado em relação a tudo e a
todos. É desagrado com respeito ao professor, ao programa escolar, aos regulamentos da escola, à
19
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

disciplina, à sala de aula, ao uniforme, enfim há sempre um motivo para descontentamento. É preciso
então agir com paciência, com habilidade junto a esses adolescentes para que se possa contornar certas
situações e diagnosticar o problema.
A escola proporciona à juventude variados sentimentos como satisfação, prazer, frustração, derrota,
a ponto de muitos abandonarem os estudos. Mas como o estudo é uma necessidade para abrir
possibilidades de um bom emprego, não são poucos os que, passada a fase de adolescência, voltam a
estudar, por vezes, com muito mais dificuldades.
Das causas de ansiedade nos adolescentes, a mais comum é o fracasso na escola. Estes pode
produzir uma gama de sintomas, situações agressivas e mesmo perturbações digestivas. O estudo é uma
atividade perturbadora que lhes traz ansiedade, como os exames que lhes causam medo, o que pode
resultar do fato de não desejarem desapontar nem os pais nem os professores.
À medida que o indivíduo se desenvolve na adolescência, a partir mesmo dos dez anos de idade,
aumenta o sentido de individualidade. A educação contribui de várias maneiras para desenvolver a
identidade do indivíduo na sociedade. Importante é a tarefa do professor, que deve procurar compreender
os alunos, familiarizando-se com a conduta e os modos característicos de aprender de cada idade da vida
do estudante. Ele tende a adequar seu trabalho ao nível evolutivo dos seus alunos, mantendo sempre viva
a curiosidade, que é característica dessa idade. De um modo geral, os alunos preferem os professores que
saibam ensinar e manter a disciplina, ao mesmo tempo que são compreensivos para ajudá-los nas tarefas
cotidianas.
Para o educador a idade da adolescência requer muita sagacidade e presença de espírito. Cada
adolescente é um caso distinto, com maneiras próprias de se expandir e como tal deve ser tratado. Não é
suficiente levar em conta a idade do indivíduo, mas é preciso encarar as diferenças do meio onde vive e a
diversidade de seu caráter. Por isso há necessidade de uma atitude compreensiva por parte do educador,
única maneira de poder auxiliar no problema educacional dos adolescentes.

EDUCAÇÃO SEXUAL
Em muitas ocasiões, os adolescentes vêm à consulta com queixas vagas; o que existe na realidade,
são dúvidas e apreensões na área de sexualidade, ser ou não ser virgem, querer ou não transar, namoro,
masturbação, homossexualidade, gravidez, contracepção, doenças, ser normal ou não. Devemos
aproveitar a oportunidade da consulta para promover “educação sexual”.
Para termos uma bom andamento é importante termos em mente que nosso papel de entrevistador
não é critico ou conselheiro.
Para podermos abordar estas questões com os adolescentes, temos que garantir a confidencialidade,
a certeza que nada será revelado a seus pais ou outros indivíduos de seu círculo de convivência.
Muitos meninos e também seus pais aparecem com a preocupação do tamanho pênis. Nesse caso é
importante termos conhecimento das patologias para podermos excluí-las e assegurar que o adolescente é
absolutamente normal ou encaminhá-lo para a devida assistência.
A masturbação é em nossa cultura, muito mais fonte de culpa que de prazer, culpa esta que resulta
em grande parte da condenação do prazer sem finalidade de reprodução. Segundo a crendice popular está
relacionado com o aparecimento de acne, pelos nas mãos, ginecomastia, impotência, esterilidade no
futuro. Já a masturbação feminina pode levar à loucura e frigidez. Transar ou não com o namorado? As
meninas muitas vezes chegam dizendo que seus namorados querem transar e elas não sabem se aceitam.
Isso ocorre da educação diferenciada entre os sexos, ou seja, a questão não está na existência do desejo
físico, mas sim na repressão da sociedade: sexo é coisa de homem e amor é coisa de mulher o que vai
resultar no fato de que as mulheres aprendem a negar o desejo sexual. A decisão de assumir uma vida
sexual implica a resolução do conflito-desejo sexual versos sentimento de culpa. O não saber ou não ter
meios de evitar a gravidez é um fato que também os preocupa, principalmente as meninas embora
também exista o tabu virgindade.
Embora não se conheça nenhuma função fisiológica do hímen, e sendo sua importância somente
cultural e psíquica, as meninas têm a preocupação de provar que são virgens na sua primeira relação
sexual e principalmente nas meninas de classes socioeconômicas mais baixas, a posse do hímen as faz
20
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

possuidoras de um bom “dote” do casamento, valorizado pelos homens. Gravidez e contracepção são
outras questões que merecem ser abordadas, pois na maioria das vezes não é planejada, ficando as
mesmas sujeitas a todas as intercorrências e ônus do problema, estando incluso aí o aborto.
Observa-se que, embora orientadas, muitas adolescentes retornam grávidas sem que tenham
desejado a gravidez conscientemente ou desejam inconscientemente este filho o que lhes dá certa
ascensão social pois tornam-se mães.
De modo geral os meninos são excluídos da orientação sobre concepção. E um trabalho importante
conscientizá-lo de suas responsabilidades como pais, e deste modo, fazê-los se sentir também
participantes na escolha do melhor método contraceptivo. Devemos propiciar ao adolescente o
conhecimento dos diferentes métodos com as respectivas vantagens.
Se o adolescente mantém uma vida sexual ativa está exposto às DST, principalmente a AIDS. A
dificuldade na obtenção do tratamento, a vergonha, a culpa além da não comunicação ao parceiro,
promovem a disseminação da doença.
Devemos ajudar o adolescente a descobrir o que o sexo significa para ele. Na adolescência a
sexualidade emerge e pode ser uma experiência muito positiva. Eles ficarão tranqüilos se souberem que
sua escolha de atividade sexual não é incomum e não causa frigidez, impotência, demência ginecomastia,
etc.
Adolescentes homossexuais, principalmente os de sexo masculino, requerem uma história mais
detalhada devido à maior suscetibilidade a DST e outras encontradas na população heterossexual como
hepatite B, gonorréia oral ou faringea, amebiase ou giardíase. O risco de adquirir as doenças deve ser
sempre abordado.
A educação sexual para os jovens não deve se limitar à simples informação biológica, mas cabe
esclarecer o que significa a maturação do ser humano, homem ou mulher, inclusive a procura de
felicidade mútua. A educação sexual deve, por conseguinte, favorecer o desenvolvimento harmonioso.
A verdade porém é que grande número de pais, médicos, professores e orientadores não dão
nenhuma instrução aos jovens a respeito do assunto, o que é um grande mal que se avoluma no dia-a-
dia, tornando-se um grande problema médico-social.

PEQUENO DICIONÁRIO DO CORPO FEMININO


Ânus: abertura do canal onde são eliminadas as fezes.
Bacia: conjunto de ossos em forma de bacia, que serve de apoio para a espinha e forma as juntas
dos quadris.
Ciclo Menstrual: tempo durante o qual ocorrem mudanças fisiológicas internas no corpo da mulher,
que culminam na menstruação. Esse tempo é aproximadamente 28 dias para a maioria das mulheres.
Hímen: um anel de pele elástica que se encontra na entrada da vagina. Esta pele tem dobras
flexíveis e uma abertura pela qual sai o fluxo menstrual.
Menopausa: quando as mulheres deixam de ficar menstruadas. Este fato ocorre geralmente entre os
45 e 55 anos.
Menstruação ou Fluxo Menstrual: pequena perda periódica de sangue que se forma dentro do útero.
Acontece desde a puberdade até a menopausa, sempre que o óvulo não é fecundado.
Órgãos Feminino de Reprodução: os órgãos de reprodução da mulher consistem em dois ovários,
duas trompas, o útero e a vagina.
Ovários: duas glândulas do tamanho aproximado de uma noz, localizadas uma de cada lado da parte
inferior do abdômen. A partir da puberdade, os ovários começam a produzir hormônios que determinam o
amadurecimento dos óvulos e dos caracteres sexuais externos da mulher.
Ovulação: liberação do óvulo pelo ovário. Ocorre no espaço de tempo entre duas menstruações
consecutivas.
Óvulo: célula reprodutora feminina.
Período Menstrual: é o tempo em que a menstruação é expelida pelo útero, através da vagina, e que
varia de 2 a 8 dias.

21
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Puberdade: fase em que os órgãos de reprodução começam a entrar em atividade. Nessa fase,
ocorrem o desenvolvimento dos seios e o alongamento dos quadris. A puberdade é o período da transição
entre a infância e a juventude, quando o corpo da mulher se prepara para a maternidade.
Reto: parte terminal do intestino delgado onde se formam as fezes.
Trompas: dois canais ocos que conduzem o óvulo do ovário até o interior do útero.
Uretra: canal que conduz a urina da bexiga ao exterior do corpo.
Útero: órgão oco e elástico com o formata de uma pêra, onde se desenvolve o feto durante a
gravidez. Periodicamente, o tecido que reveste internamente o útero aumenta em espessura, devido à
atuação dos hormônios sobre os vazos sangüíneos. Se a gravidez não ocorre, esses vasos sangüíneos se
rompem e o sangue é expelido pela abertura do útero, ocorrendo então o que se chama menstruação.
Vagina: canal muscular elástico e curvo, localizado entre a uretra e o reto, ligando o útero com o
exterior do corpo. Seu comprimento pode variar de 10 a 13 cm, sendo estreito na entrada, alargando-se
ligeiramente na parte mais profunda, onde é praticamente invisível por falta de nervos sensitivos.
Vulva: a parte externa da vagina, onde se encontram os grandes lábios.

PEQUENO DICIONÁRIO DO CORPO MASCULINO


Bacia: conjunto de ossos em forma de bacia, que serve de apoio para a espinha e forma as juntas
dos quadris.
Bolsa Escrotal: bolso de pele fina e enrugada que fica suspensa atrás do pênis. Dentro da bolsa
escrotal ficam os testículos em número de dois.
Canal Deferente: canal bem fino que sai de cada testículo e que serve para conduzir os
espermatozóides até a próstata.
Coito: é o ato sexual, a penetração do pênis na vagina.
Ejaculação: é a libertação ou saída do esperma através do orifício uretral localizado na ponta do
pênis.
Epidídimo: pequeno corpo oblongo, localizado na parte superior do testículo; conduto formando
pela reunião dos canais seminíferos.
Espermatozóide: célula reprodutora masculina.
Esperma: líquido branco e leitoso produzido na próstata que jorra quando o homem ejacula e onde
se misturam os espermatozóides.
Ereção: retilinização com o aumento do pênis que se torna endurecido possibilitando a penetração
vaginal e a ejaculação.
Glande: onde se abre o orifício uretral possibilitando a saída da urina e espermatozóides.
Prepúcio: pele fina que recobre o pênis e forma uma prega que recobre a glande.
Puberdade: fase em que os órgãos de reprodução começam a entrar em atividade. Nesta fase
ocorrem o desenvolvimento da musculatura do tórax, aumento do tamanho dos testículos, bolsa escrotal e
do pênis e aparecimento de barba e pêlos no tórax, axilas e região genital, é período de transição entre a
infância e a juventude.
Órgão Masculinos de Reprodução: os órgãos de reprodução nos homens consistem em dois
testículos, dois canais diferentes, próstata e pênis.
Pênis: órgão de reprodução masculino, de tamanho variável; também chamado de membro que é
cheio de vasos sangüíneos e espaços vazios ou corpos cavernosos que se enchem de sangue provocando a
ereção. É formado por corpo e cabeça.
Próstata: glândula que se localiza no baixo ventre e que produz grande parte do sêmen.
Testículos: duas bolas do tamanho de ovos pequenos dentro dos quais se formam os
espermatozóides.
Uretra: canal que libera tanto a urina como o esperma para o exterior do corpo.

22
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

ESTRESSE, O TEMPERO DA VIDA....

O QUE É O ESTRESSE?
É uma reação espontânea, com características emocionais e/ou físicas, que ocorre quando nos deparamos
com qualquer situação que nos confunda, aborreça, amedronte ou nos faça extremamente infelizes.

COMO O ESTRESSE ATUA NO ORGANISMO?


O estresse provoca um desgaste orgânico maior do que o normal, forçando o organismo a utilizar uma
reserva chamada energia adaptativa. Esta reserva, contudo, é limitada. O consumo constante e intenso
dessa energia poderá zerar a reserva, causando um desgaste físico e mental.
Na essência, a reação de estresse é uma mobilização das defesas do corpo, a fim de responder a alguma
circunstância ambiental. Representa um mecanismo bioquímico de sobrevivência que foi aperfeiçoado no
decurso do processo evolutivo do organismo, permitindo aos seres humanos lutar ou fugir em situação
adversas.

FASES DO ESTRESSE
Alerta! Quando se percebe uma ameaça ou perigo, o organismo entra imediatamente em estado de alerta,
e se prepara para a ação de lutar ou fugir.
Resistência
Caracteriza-se pelo esforço que a pessoa faz para manter seu equilíbrio interno frente às reações
provocadas pelo estressor.
- Sensação generalizada de desgaste;
- Dificuldade com a memória (esquecimento de coisas banais).
Exaustão
Ocorre quando termina a reserva de energia adaptativa. É o estado mais grave do estresse, em que surgem
diversas doenças e que necessita de cuidados médicos especializados.

SINTOMAS DO ESTRESSE

 mãos suadas;
 respiração rápida;
 coração acelerado;
 acidez no estômago;
 diarréia;
 falta de apetite;
 dor de cabeça;
 bruxismo (ranger os dentes durante o sono);
 irritabilidade;
 insônia;
 pouca concentração;
 esquecimento do coisas óbvias:
 aumento compulsivo de álcool, fumo ou cafezinho;
 desinteresse por quaisquer atividades;
 falta de segurança nas decisões, sobrecarga de trabalho voluntário, falta de ritmo;
 sensação de estar doente, sem que realmente haja qualquer distúrbio físico, entre outros.

COMO O ESTRESSE PODE MANIFESTAR

NO INDÍVIDUO
 elevação da pressão arterial;
 problemas dermatológicos, estomacais e cardíacos;

23
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

 insegurança, ansiedade e depressão;


 sensação de estar doente;
 morte precose.

NO TRABALHO

 obsenteísmo;
 mudanças inexplicáveis na eficiência;
 desempenho irregular;
 introversão exagerada;
 insatisfação;
 impaciência;
 instabilidade emocional;
 erros sérios.

AS GRANDES DOENÇAS CAUSADAS PELO ESTRESSE

Quando os sintomas se manifestam com grande intensidade, está na hora de prestar atenção séria ao
estado da pessoa. Ela pode estar a caminho de um colapso mental ou de uma doença grave, que, na
maioria dos casos, pode ser evitada se forem levados em conta sinais de alarme.
No momento, parece evidente que certas doenças endêmicas da sociedade moderna, tanto mentais como
físicas, estão de certa maneira vinculada ao estresse.

 Distúrbios Mentais
 Ansiedade
 Depressão

DISTÚRBIOS FÍSICOS

A reação de estresse é positivamente um fator que contribui para muitas enfermidades orgânicas que
atacam o homem moderno, particularmente as doenças cardiovasculares.
Arteriosclerose

 Derrame
 Angina Pectoris
 Angina Cardíaco
 Hipertensão
 Úlceras
 Diabetes
 Dores de Cabeça
 Enxaqueca

DISTÚRBIOS DO SISTEMA IMUNOLÓGICO

O corpo humano é equipado com um sistema defensivo complexo. Qualquer invasor é prontamente
identificado e combatido por meio de uma notável estratégia de atacar e devorar.
Quando o sistema está defeituoso, ou deixa de agir com bastante rapidez, pode ocorrer uma ampla
variedade de doenças.

24
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Infecções, viroses, alergias, gripes e resfriados são conseqüências comuns, e o fato de pessoas debilitadas
serem especialmente suscetíveis a tais inimigos levou cientistas a postular que o estresse pode ser fator
importante do desencadeamento dessas doenças.
Pergunta retoricamente Hans Seyle: “ Se um micróbio está em nós ou ao nosso redor o tempo todo e não
provoca doença alguma antes de sermos submetidos ao estresse, qual é a causa de nossa doença - o
micróbio ou o estresse? ”

FORMA DE CONTROLE NATURAL DO ESTRESSE

1. Mantenha hábitos alimentares saudáveis (maior proteção orgânica e resistência imunológica);


2. Pratique atividades físicas regulares e adequadas ao estilo de vida (faça alongamentos na cama, ao
acordar e ao deitar no final do dia. Caminhadas fortalecem o organismo e liberam tensões. Práticas
desportivas recreativas divertem e estimulam a alegria de viver);
3. Reserve um espaço diário para você ( garanta o seu direito de lazer. Procure um hobby para manifestar
o seu talento);
4. Aprenda técnicas de relaxamento e meditação ( existem métodos científicos que asseguram bons
resultados para compensação física e emocional):
5. Recorra às terapias adequadas quando a situação fugir do seu controle ( em determinadas ocasiões da
vida, a ajuda de profissionais é a melhor opção para superar dificuldades. Se você estiver com
problemas emocionais que estejam interferindo na sua saúde e bem-estar, converse com outra pessoa
procurando uma solução apropriada).

FRATURAS

Alguns ossos do esqueleto podem sofrer traumatismo por ocasião de acidentes envolvendo, por
exemplo, colisão de veículos, ou simples quedas. Os traumatismos consistem em fraturas ósseas, que
podem ser complexas ou simples.
Na fratura complexa, osso se quebra em toda a sua espessura em duas ou mais partes; na fratura
simples, o osso não se quebra em toda a sua espessura, mas apresenta apenas uma rachadura, que se
denomina fissura. Quando o osso se quebra totalmente, conservando inteiros os tecidos que o envolvem,
dizemos que a fratura é fechada. Se os tecidos forem rompidos de modo a deixar o osso exposto, a fratura
é considerada aberta ou exposta.
O osso fratura recompõe-se formação de um calo ósseo com formação de novo tecido ósseo. O
tempo de reconstituição de um osso fraturado, após ser recolocado na posição correta e devidamente
imobilizado, do seu tamanho, da localização da fratura e da idade do indivíduo.

LUXAÇÕES

Os ligamentos que envolvem uma articulação prendem os ossos firmemente uns no outros,
impedindo que eles se movimentem excessivamente. Entretanto, um movimento brusco e forte pode
romper esses ligamentos, fazendo com que os ossos saiam do lugar. Nesse caso, a articulação sofre um
deslocamento ou luxação.
As articulações do ombro, tornozelo, cotovelo, quadril e mandíbula são as mais sujeitas a
luxações.

IMPORTÂNCIA DOS EXERCÍCIOS MUSCULARES

25
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

O músculo que trabalha se desenvolve e se fortifica e o que não trabalha se atrofia aos poucos.
Por isso os exercícios musculares desenvolvidos com a prática de esporte tornam-se indispensáveis para
manter os músculos fortes e em boa forma. Dependendo da idade, do sexo e estado de saúde da pessoa,
cabe ao médico orientar sobre os exercícios físicos que ela pode e deve fazer.
Entre outros benefícios, os exercícios musculares:
 Ativam a circulação: os músculos, quando em ação, recebem quatro vezes mais sangue do que em
repouso;
 Ampliam os movimentos respiratórios: quanto mais um músculo trabalha, mais oxigênio consome: as
inspirações, mais rápidas e mais amplas, favorecem o desenvolvimento da capacidade torácica;
 Aumentam o apetite;
 Proporcionam boa disposição;
 Estimulam a atividade do coração.

FADIGA MUSCULAR E CÃIBRAS

Para funcionarem, os músculos "queimam" glicogênio (polissacarídeo sintetizado no organismo,


a partir da glicose), usando para isso o oxigênio trazido pelo sangue. A energia liberada é usada para
realizar trabalho mecânico.
A decomposição da glicose forma dióxido de carbono, eliminado na respiração, e água, que
chega aos rins e daí à bexiga.
Durante a realização de exercícios físicos intensos, a circulação sangüínea não consegue
fornecer oxigênio em quantidade suficiente para promover a "queima" do glicogênio. Entra em cena,
então, um processo de combustão em oxigênio, que resulta na formação de ácido lático. Este se acumula
nos músculos e provoca cãibras e fadiga.
Se você pratica algum esporte (basquete, futebol, vôlei, natação, handebol, etc.), lembre-se de
que o importante não é apenas ser campeão, mas também ser um esportista dotado de qualidades físicas e
morais. Entre essas qualidades, a prática do esporte deve desenvolver em você grande espírito de equipe e
de solidariedade.

L.E.R. D.O.R.T.
LESÕES POR ESFORÇOS REPETITIVOS - DISTÚRBIOS
OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO

CONHEÇA-OS E PREVINA-SE
L.E.R. ou Lesões por Esforços Repetitivos é o nome dado pelos especialistas a sintomas dolorosos que
acometem tendões, músculos, nervos, ligamentos e outras estruturas responsáveis pelos movimentos dos
membros superiores, costas e região do pescoço, ombros inferiores. Quando as lesões constituem doença
ocupacional, recebem o nome de D.O. R.T. Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho, de
acordo com a Norma Técnica do INSS em vigor desde o segundo semestre de 1997. Portanto, D. O . R. T.
é a sigla que define as lesões especialmente vinculadas ao trabalho.

Como o próprio nome diz, trata-se de um conjunto de doenças que atingem as pessoas que
desenvolvem atividades que requerem movimentos repetitivos, dentro ou fora do trabalho. Na maior parte
das vezes, um quadro de D. O. R.T. é resultado de uma descompensação entre a capacidade de
movimentação da musculatura e a execução de esforços "finos", rápidos e constantes.
Segundo especialistas, os D.O.R.T. estão relacionados a lesões por traumas acumulativos. As
doenças mais comuns dentro de uma ampla lista de quadros clínicos são: tenossinovites, tendinites,
bursites, cervicalgias, dorsalgias e lombalgias.
26
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Apesar de se tratar de um problema ocupacional bastante sério os D.O.R.T. são doenças


benignas e totalmente curáveis, quando diagnosticadas precocemente e tratadas rapidamente. Por isso, ao
primeiro sintoma de desconforto, procure um médico e faça o tratamento corretamente.

SINTOMAS
Os sintomas do D.O.R.T. começam devagar. No início, as pessoas dizem sentir cansaço
excessivo seguido da sensação de desconforto na região afetada, após a jornada de trabalho. Nesta fase,
um período de repouso resolve o problema. Depois de algum tempo, esses sintomas pioram e aparece a
dor, que ainda pode ser aliviada com o descanso.
A evolução da doença traz dor mais acentuada, que persiste mesmo em períodos de repouso,
inchaço, formigamento e sensação de choque também aparecem. O quadro vai piorando até que a pessoa
não possa mais executar suas atividades profissionais ou domésticas. Dor intensa perda da força e do
controle de movimentos caracterizam essa fase.

CAUSAS
Uma série de fatores podem levar uma pessoa a apresentar sintomas de D.O.R.T. ambiente de trabalho,
atividades domésticas ou esportivas e características individuais.

Influência do local de trabalho


Uma série de fatores ligados ao local de trabalho - onde, na maioria da vezes, as pessoas passam a maior
parte do tempo - contribuem fortemente para o aparecimento de D.O.R.T.
 Mesas, cadeiras, máquinas, bancadas e equipamentos em desacordo com a estrutura do corpo humano
ou que induzem à má postura;
 Maus hábitos posturais, que , mantidos por tempo prolongado, freqüentemente resultam em
anormalidades permanentes de postura;
 Falta de organização do trabalho, ausência de pausas para descanso, excesso de horas extras,
inexistência de rodízio de tarefas e busca desenfreada por elevação da produtividade.

Influência das características individuais


As pessoas podem ser mais ou menos predispostas a apresentar esse tipo de lesão. Doenças pré-existentes,
sexo, idade e vícios de postura também são considerados. Já os fatores psicológicos, como stress e
ansiedade causados por pressões decorrentes da competitividade, medos, depressão e conflitos de
relacionamento podem contribuir de forma intensa como fator predisponente, desencadeante ou agravante
de D.O.R.T.

Influência de atividades extra-profissionais


Movimentos repetitivos e excessivos realizados em atividades como lavar roupa, fazer tricô, tocar
teclado, jogar tênis, pebolim, squash ou videogame contribuem ou agravam sintomas de D.O.R.T.

QUANTO ANTES TRATAR MELHOR


Quanto mais cedo os D.O.R.T. forem diagnosticados, maiores as chances de sucesso do
tratamento. No início do surgimento do desconforto existe uma pequena lesão, apenas um quadro
doloroso que, após o devido repouso, conduzirá à cura do processo. O afastamento do agente causal e a
reorganização do trabalho são de suma importância para a recuperação.
No entanto, deve-se considerar que cada caso é um caso. Com base nessa regra, alguns
especialista têm recomendado técnicas de relaxamento, ginástica laboral compensatória.
Durante todo o tratamento, devem ser realizadas revisões periódicas para eventual reorientação
da conduta terapêutica.

PROFISSÕES PERIGOSAS
É inegável que o avanço tecnológico trouxe grandes vantagens para os processos
industriais.

27
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Também não se pode deixe de valorizar as modernas técnicas de sistemas administrativos. No


entanto nenhuma dessas evoluções eliminou do mundo do trabalho a ocorrência dos D.O.R.T. Se em
algumas atividades a tecnologia resultou em mais conforto para o trabalhador em outras ela foi causa do
aparecimento dessas lesões porque intensificou a velocidade dos movimentos , exigindo muito mais das
estruturas do organismo, ao ponto de extrapolar sua capacidade natural.
É o caso por exemplo dos digitadores. Alias, essa função foi e ainda é responsável por um
verdadeiro “boom” de casos de D.O.R.T. No entanto, ela não ficou sozinha com esse troféu. Hoje, são
conhecidas ocorrências de D.O.R.T. até em costureiras. Muitas outras profissões favorecem o
aparecimento das lesões. Só para citar alguns exemplos podemos relacionar: técnico de contabilidade,
operador de caixa, etiquetador de preços, datilógrafo, ajudante de laboratório, controlador de qualidade,
faxineiro, dentista, etc.

LEGISLAÇÃO É ESCASSA
A norma regulamentadora NR17 é a principal lei trabalhista utilizada nos casos de D.O.R.T.
Desde que surgiu em 1990, já passou por diversas alterações e ainda merece correções, mas trata-se da
única regra que estabelece parâmetros de conforto ambiental no trabalho.
No geral, a NR 17 condiciona a aplicação melhorias do posto de trabalho sob o ponto de vista da
analise ergonômica. Inclui também aspectos avançados de organização do trabalho, bem como conceitos
corretos quanto ao mobiliário.
De modo geral pode-se dizer que ela não apresenta recomendações completas, havendo
inclusive, algumas inadequações, pois universaliza os ambientes de trabalho.

HISTÓRIA ANTIGA
Ao contrário do que muitos pensam ao associar os D.O.R.T. ao advento do computador, não é de hoje
que as doenças dessa natureza agridem o homem.
Há 200 anos o médico italiano Bernardino Ramazzini já as descrevia como a “doença dos
escribas e notários”. Em 1971, D. Ferguson mostrou que, 516 telegrafistas de Sidney , Melbourne e
Brisbane, 14% apresentavam cãibra ocupacional e 5% tinham mialgia.
K. Maeda, do Japão mostrou em 1977, que a cérvico-braquialgia ocupacional havia aumentado,
de 1970 a 1975, numa razão de 605 % e, ainda, que um quinto dos trabalhadores em linhas de montagem
apresentavam de duas a cinco vezes mais problemas espáduas, braços e mãos do que os trabalhadores de
outras seções.

CUIDADO, VOCE PODE ESTAR NA MIRA


Sexo e idade têm grande influência no aparecimento de D.O.RT. No Brasil, não existem
estatísticas que mostram com profundidade a situação dessas doenças a nível nacional. Mas sabe-se que
ocorre maior incidência em pessoas do sexo feminino e em trabalhadores com idade entre 20 e 45 anos.
Pesquisa realizada entre os anos de 1987 e 1988 pelo Grupo Médico Pericial do Trabalho do
INPS, de Belo Horizonte (MG), registrou a incidência de D.O.R.T. em 71% das mulheres examinadas,
contra 29% dos homens. Em 1989, os resultados foram estatisticamente similares, com 76% e 24%,
respectivamente.
Os especialistas explicam essa diferença pelo fato de as mulheres terem constituição muscular
mais delicada e sofrerem reflexos de fatores de ordem hormonal. Além disso, elas são maioria nas
atividades que exigem movimentos apurados e de precisão. A dupla jornada – na empresa e em casa –
também é apontada como causa de maior incidência de D.O.R.T. em mulheres.
Outro fator que predispõe ao D.O.R.T. refere-se à idade. Na cidade de Belo Horizonte, em 55
casos estudados em amostragem aleatória entre 227 ocorrências nos anos de 1987/88, encontrou-se maior
incidência de D.O.R.T. em pessoas cuja idade variava entre 30 a 39 anos, com 54,5%, seguindo-se a faixa
dos 20 aos 29 anos, com 36,3%. Os dois grupos representavam 90,8%, com média de 35 anos. Em 1989,
a média de idade ficou em 32 anos.

PREVINIR NUNCA É DEMAIS

28
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Como em qualquer doença, a melhor atitude em relação ao D.O.R.T. é a prevenção.

No trabalho, as principais medidas com essa finalidade são:


 a reestruturação da organização do trabalho visando à diminuição da sobrecarga muscular,
mecanizando ou automatizando processos reduzindo ritmo e exigências de tempo ou diversificando
tarefas,
 instituição de exercícios de aquecimento e alongamento no inicio da jornada e pausas regulares
para exercícios de fortalecimento e relaxamento,
 adequação de mobiliário, máquinas, equipamentos e ferramentas às características do trabalhador,
de modo a reduzir a intensidade dos esforços e corrigir posturas desfavoráveis,
 adequação da temperatura ambiente aos limites do conforto, evitando-se o trabalho em lugares
com baixas temperaturas.
Especialistas recomendam que a cada 50minutos de atividades haja uma parada de 10minutos de
descanso. Essa conduta não significa que o trabalhador não faça nada nesse período, mas sim que ele
mude de atividade, daí a importância do revezamento de tarefas nas áreas onde ocorre movimento
repetitivos. Antes do inicio do trabalho devem ser feitos exercícios de aquecimento especialmente
dirigidos à musculatura e estruturas que mais serão solicitadas.
Caso o funcionário já apresente os primeiros sintomas de D.O.R.T. , a empresa deve oferecer
acompanhamento especializado. Após férias ou ausência prolongada, o trabalhador deve retornar
gradualmente as atividades que exigem esforços repetitivos.
Os portadores de D.O.R.T. reorientados quanto à execução de tarefas domesticas e pratica de
esportes, porque muitas atividades que habitualmente não trazem grandes conseqüências podem agravar o
quadro de quem apresenta lesões. O inverso também é verdadeiro ou seja quando houver
comprometimento do organismo em razão tarefas domésticas, deve-se readequar as atividades
profissionais.

MÚSCULOS
O tempo todo, nossos músculos estão trabalhando: quando levantamos da cama, quando colocamos
a mochila nas costas, quando corremos atrás do ônibus, quando pulamos, quando chutamos uma bola. Ao
se contraírem e relaxarem, os músculos botam nosso corpo em movimento! Para entender melhor como
eles funcionam, vamos fazer uma comparação com um carro!
O que um automóvel precisa para andar? Combustível, em primeiro lugar. Além disso: um motor,
pneus e uma carroceria. Com o corpo humano é a mesma coisa. Quer dizer, quase. Afinal, ninguém bebe
gasolina, nem tem uma carroceria no lugar das costas!
O motor em nosso corpo são os músculos. O combustível para este motor é a energia que
conseguimos a partir dos alimentos que comemos. Usando essa energia, os músculos entram em
funcionamento. Os ossos, então, fazem o papel dos pneus e da carroceria, pois dão suporte aos músculos.

FUNCIONAMENTO DOS MÚSCULOS


Observando um pedaço de carne de boi, percebe-se que ele é formado por inúmero fios, que estão
arrumados paralelamente. Trata-se de fibras musculares! Elas são células longas e finas. Dentro de cada
uma existe um conjunto de fibras menores chamadas miofibrilas. Estas só podem ser vistas com a ajuda
de um microscópio! Mas as células musculares, por serem grandes e longas, podem ser vistas a olho nu,
como se vê no pedaço de carne.
As miofibrilas são formadas de regiões claras e escuras intercaladas. As claras são finas e as
escuras, grossas. Quando o músculo está relaxado, estas regiões só se tocam nas suas extremidades. Na
hora da contração, elas se misturam, encostando-se em toda sua extensão.

29
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Para entender, imagine dois baralhos; um com cartas azuis outro com cartas vermelhas. Para
embaralhar, antes de misturar as cartas, você coloca um baralho sobre o outro, certo? Assim estão as
regiões claras e escuras das miofibrilas, antes da contração muscular. Quando você abaixa o baralho de
cima e mistura as cartas, as azuis e vermelhas passam a se encostar por inteiro, tal como acontece nas
miofibrilas. Desta forma, na hora da contração, o músculo fica mais curto e volumoso. Para ver um
exemplo, não precisa nem de microscópio! Basta ver o seu muque: ao dobrar o braço, você contrai os
músculos, deixando-os mais volumosos!

EMBARALHANDO OS MÚSCULOS
Para misturar as cartas, você usa as duas mãos. Mas o que o corpo usa para embaralhar as
miofibrilas e, assim, contrair os músculos? É nesta hora que se precisa de uma substância chamada ATP
( adenosina trifosfato). Ela é produzida a partir dos alimentos que ingerimos e serve como uma reserva
energética: quando o corpo necessita realizar certos trabalhos, ele usa a energia contida na ATP. Portando,
alimentar-se mal significa ter pouca energia para se movimentar!
A contração muscular é uma das muitas situações em que o corpo precisa recorrer à ATP. São os
filamentos escuros e grossos que puxam os claros e finos, a partir da energia liberada por esta substância.
Mas se a gente tem ATP o tempo inteiro no corpo, por que os músculos não ficam se contraindo
sem parar? A resposta pode ser dada se usarmos novamente o exemplo do carro. O automóvel também
tem gasolina o tempo inteiro e nem por isso fica ligado o dia todo! Para que ele ligue ou desligue, o
motorista usa uma chave, que é inserida na ignição (espécie de fechadura para este comando). No caso
dos músculos, a chave é o nosso cérebro. É ele que envia mensagens ordenando a contração.
Enquanto os músculos dos braços e das pernas são controlados por nós por meio do cérebro, há
outros que não dependem da nossa vontade. Eles tem contração involuntária! O melhor exemplo é o
músculo do coração! Ninguém precisa ficar mandando ele se contrair, pois ele já faz isso naturalmente!

DOR DE ATLETA
Jogar bola a tarde inteira, dar uma volta de duas horas na bicicleta, correr alguns quilômetros... Se
você não estiver acostumado a fazer isso, o resultado é um só: dores musculares! Ao realizarmos
exercícios longos, o corpo necessita de muita ATP para manter os músculos em funcionamento. O corpo,
então, produz uma substância chamada ácido lático, cuja junção é ajudar na produção de ATP, para que
não falte energia no corpo! É o excesso deste ácido no músculo que causa as dores. Para evitar passar por
isso novamente, basta um pouco de bom senso! Jogar bola três horas seguidas, se você não está
acostumado a jogar nem meia hora, com certeza será bem doloroso! O melhor é fazer exercícios leves e
regulares. Isso sim é bom para os músculos e para a sua saúde de uma maneira geral!

O SISTEMA SANGUÍNEO E SEU FUNCIONAMENTO

O coração, intrincado e elegante, não passa de um músculo (o único que não se cansa). Com um
sistema próprio de controle, válvulas e acionamento, faz o sangue percorrer, em menos de um minuto,
veias, artérias e capilares, finíssimas ramificações, com um décimo de fio de cabelo de espessura.
Como uma bomba hidráulica, o coração faz o sangue circular e distribuir oxigênio, elemento vital
para as reações celulares. O sangue chamado venoso, pobre em oxigênio, que já percorreu o corpo, chega
ao coração pela veia cava superior e inferior e penetra no átrio direito. Aí fica um conjunto de nervos
conhecido como nódulo sinoatrial, que produz os estímulos elétricos para o coração bater.

30
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Do átrio direito, o sangue com pouco oxigênio passa para uma cavidade maior, o ventrículo direito.
Nesse instante, fecha-se a válvula tricúspide, que separa as duas cavidades, e o ventrículo direito bombeia
o sangue para os pulmões, por meio das artérias pulmonares. Nos pulmões, o sangue é reabastecido com o
oxigênio que vem do esquerdo. Quando ele se contrai, o sangue passa pela válvula mitral e chega ao
ventrículo esquerdo.
Com alta pressão, o sangue sai do coração pela aorta, uma artéria de grosso calibre (quase 1
polegada de diâmetro), e dali se espalha, por meio de vasos cada vez mais finos, para a cabeça, braços,
tronco e pernas. Da aorta saem também as coronárias, duas artérias que se ramificam em vasos menores e
abastecem de oxigênio o miocárdio, o músculos do coração. Todo o ciclo é repetido em média 70 vezes
por minuto, mas, sob impactos emocionais ou exercícios físicos, que exigem muito oxigênio, o coração
pode bater até 185 vezes por minuto.

O REMÉDIO É CONFIAR

"Não fiquem preocupados com o dia de amanhã... Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades."
Síndrome da pressa é um fenômeno que tem provocado significativas alterações no estado
emocional de muita gente. Depressão, variação de humor, agressividade e crises de choro são alguns dos
sintomas. Não é uma doença, mas um comportamento que pode desencadear enfermidades, segundo
especialistas. Ataca pessoas que só sabem agir sob pressão, real ou imaginária, para resolver tudo o mais
rápido possível.
Pesquisa realizada pela psicóloga Marilda Lipp, da Pontifícia Universidade de Campinas, e
divulgada pela revista ÈPOCA ( 18/10/99), mostrou que de 80 pacientes com esse comportamento, 90%
sofriam de hipertensão. Outro estudo realizado com 60 pessoas revelou que 90% tinham algum problema
de pele. Uma terceira pesquisa revelou que a maioria dos doentes portadores de úlcera e distúrbios
cardíacos tinha síndrome da pressa.
A existência de tal fenômeno, respalda pelos números das pesquisas, apenas comprova que a
vida moderna tende a nos tornar ansiosos e hiperativos. Passamos a agir na correria, temendo que as
coisas não funcionem como desejaríamos; ou nos incapacitamos para manter a atenção fixa em algum
foco por muito tempo. Em ambos os casos, a saúde mental é abalada. Um tratamento especializado torna-
se indispensável, mas nada substitui a mudança no estilo de vida, que deve caracterizar-se pela confiança
na providência divina.
Conhecedor da natureza humana, Jesus Cristo sabia que ela é inclinada ao cultivo da
preocupação. E querendo poupar os seres humanos do desgaste emocional e sofrimento desnecessários,
prescreveu uma receita infantil: " Por isso Eu digo a vocês: não se preocupem com a comida e com a
bebida que precisam para viverem nem com a roupa que precisam para vestirem. Afinal, será que a vida
não é mais importante do que a comida?" (Mateus 6:25, BLH).
Jesus não está recomendando aqui o ascetismo, muito menos exalta a inércia. Não afirma que um
pobre é mais aceitável diante de Deus do que um rico. O que Ele faz é advertir contra o hábito de nutrir
exagerada preocupação pelas coisas materiais, de render-se alguém ao consumismo do que é supérfluo.
Seu conselho vai contra a idéia de se querer conquistar tudo ao mesmo tempo e a qualquer preço,
mimando assim as forças vitais. Ao contrário disso, a confiança em Deus, certeza de que Ele conhece e
supre as nossas necessidades, gera segurança e paz de espírito.
" Não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias
preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades".
A preocupação e a ansiedade não acrescentam dias à nossa existência, mas certamente podem
diminuí-los, segundo as pesquisas nos permitem concluir. Em razão disso, é bom prestarmos atenção ao
seguinte conselho de Jesus Cristo: "Portanto, ponham em primeiro lugar nas suas vidas o Reino de Deus e
aquilo que Deus quer, e Ele lhes dará todas as outras coisas". Precisamos aprender a colocar cada coisa
em seu devido lugar, estabelecer prioridades em nossa vida. Do ensino de Cristo, concluímos que se
dermos o primeiro lugar ao que é realmente importante na vida, aquilo que é menor valor será dado a
cada um segundo a sua necessidade.

31
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

O melhor remédio para a preocupação e a ansiedade é a confiança em Deus. Ele cuida de nós.
Conhece as nossas carências e sabe o que é melhor para nós. Se confiarmos a Ele nossos planos, ideais e
sonhos, dando-lhe o primeiro lugar, veremos a taça de nossa vida transbordar de bens.
PRIMEIROS SOCORROS

Atendimento e cuidados imediatos, de urgência, prestados a qualquer pessoa que sofreu acidente,
enfermidade súbita ou se encontra em outra situação de emergência médica. Primeiros Socorros
adequados podem salvar a vida de uma pessoa, sobretudo quando ela apresenta hemorragia intensa, parou
de respirar, foi envenenada ou teve uma síncope ou parada cardíaca (interrupção momentânea dos
batimentos do coração). Os primeiros socorros podem ainda, evitar que se manifestem complicações
médicas adicionais resultantes de ferimentos ou de doenças.
O tratamento de emergência deve ser continuado até que seja acessível auxílio médico
especializado. Os primeiros socorros também abrangem a reanimação da vítima, o alívio de suas dores,
assim como a sua remoção, se necessário, para um hospital ou clínica de emergência.

REGRAS GERAIS PARA PRIMEIROS SOCORROS

A pessoa habilitada precisa analisar a situação com rapidez e decidir se tem condições de ajudar o
paciente ou vítima. Se decidir tratá-lo, deve começar imediatamente, todavia, se estiver confusa ou
insegura sobre si mesma, não deve tentar fazer nenhum tratamento. Em muitos casos, um tratamento
errôneo acarreta mais danos do que se não tivesse sido feito nada. Para a obtenção de auxílio médico de
urgência, convém telefonar para um hospital, solicitando a presença de uma equipe médica de
emergência; em determinadas circunstância, pode haver necessidade de chamar o corpo de bombeiros ou
radiopatrulha. As regras gerais adotar em qualquer situação que exija primeiros socorros incluem as
seguintes:
1 - fornecimento de atendimento urgente nas situações de emergência que põem em risco vida da vítima;
2 - exame da vítima para verificar se houve alguma lesão decorrente de traumatismo;
3 - tratamento enérgico em caso de estado de choque ou colapso periférico;
4 - requisição de auxílio médico imediato.

CUIDADOS DE EMERGÊRCIA

Certas emergências médicas exigem cuidados imediatos para que seja salva a vida da vítima. Se
esta apresenta hemorragia intensa, se foi envenenada ou se parou de respirar, o tratamento tem que ser
feito imediatamente. Um retardo de poucos minutos pode ser fatal nesses casos.
Deve-se evitar a movimentação de uma vítima que pode ter sofrido fratura óssea, lesões do pescoço
ou da coluna vertebral, a menos que tal movimentação seja absolutamente imprescindível para evitar
problemas adicionais. Se a pessoa está deitada, deve ser conservada nessa posição. É preciso impedir que
se levante e tente andar jamais deverá ser dado alimento sólido ou líquido a uma pessoa que, talvez, tenha
que ser submetida a uma intervenção cirúrgica.
Quando a vítima está inconsciente, a sua cabeça deve ser virada para um dos lados, para evitar que
sufoque em conseqüência de sangue, saliva ou vômitos engolido. Contudo, não se deve movimentar, em
hipótese alguma, a cabeça de uma pessoa (do pescoço) ou uma lesão traumática da coluna vertebral, pois
o deslocamento do paciente pode causar compressão da medula espinhal, com resultados desastrosos.
Nunca deverá ser introduzido líquido na boca de uma pessoa inconsciente. É preciso certificar-se de que a
vítima esta com as vias aéreas obstruídas. As vias aéreas superiores são constituídas pelo nariz, pela
laringe e pela traquéia, aos quais se acrescentam a boca e a faringe por onde o ar também passa. Todas
essas passagens têm que permanecer desobstruídas, para que a vítima possa respirar.

EXAME DA VÍTIMA

Para verificar se houve lesões traumáticas só deve ser efetuado depois de tratadas todas as situações
de emergência que ameaçam a vida da pessoa. A vítima pode também sofrer de diabetes, doenças do
32
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

coração ou de alguma outra enfermidade capaz de agravar-se repentinamente. Muitas ;pessoas com
problemas médicos dessa ordem carregam consigo cartões ou etiquetas de identificação clínica. Tais
cartões ou etiquetas apresentam instruções especiais para cuidados médicos, que devem ser requeridos
rigorosamente por quem acode a vítima.
É preciso afrouxar as roupas da vítima, para aumentar seu conforto, mas ela deve ser movimentada
o menos possível. Se necessário, convém abrigar a pessoa do sol ou cobri-la para evitar que se resfrie. A
pessoa que socorre deve manter-se calma e tranqüilizar a vítima. As pessoas que estiverem presenciando o
atendimento, solicita-se que se mantenham afastadas.

DEFINIÇÕES
Anatomia: estuda a descrição do corpo humano e o modo como suas diversas partes estão relacionadas.
Fisiologia: estuda a função do organismo vivo, ou de suas partes.
Esterialização: processo pelo qual todas as formas de vidas microbianas são destruídas. A palavra estéril
indica a completa ausência de micróbios.
Desinfecção: é a forma pela qual procuramos dar proteção à pele e mucosas, afastando os agentes
infecciosos situados fora do organismo, mediante aplicação direta de meios físicos ou químicos.
Os produtos químicos mais usados são: metiolate, mercurio cromo, lisoforme, iodo e outros.
OBS: Sempre que houver ferimento, é necessário fazer no local uma limpeza muito bem feita, para
impedir a proliferação microbiana, afastando os gemes causadores de doenças.
Antes de colocar o produto químico para proteger o ferimento, é necessário ter havido uma limpeza
mecânica do mesmo com água corrente e sabão.

SINAIS VITAIS

Temperatura: é o resultado do equilíbrio entre o calor produzido e o calor eliminado pelo corpo. Indica o
calor do organismo; quando este equilíbrio perturbado, observam-se alterações.
A temperatura normal varia entre 36 à 37 e é medida através do termômetro clínico.
Técnica: lavar as mãos, observar a fila de mercúrio marca 35 C, colocá-lo na axila ( que deve estar seca),
o paciente deve ficar com o braço encostado ao tórax. Deixar por 3 minutos, lavar o termômetro com
água e sabão depois de anotada a temperatura guarda-lo no seu próprio estojo. Podendo ser também
medida por via bucal ou retal.
Pulso: é expansão (elevação) ou retração( queda) alternada de uma artéria, pela onda de sangue forçada
através da mesma pela contração do ventrículo esquerdo.
OBS. A observação do pulso nos dá importantes informações sobre o funcionamento do coração.
Artérias de pulso melhor palpado: radial, carótida, temporal e femural, que podem ser pressionadas de
encontro ao osso.
Técnica: Coloca-se os dedos médio e indicador sobre as artérias e conta-se por minuto.
OBS. Não se usa o polegar, pois neste há uma artéria onde pode se confundir os batimentos.
Pulso Normal: lactente (125 à 130); criança (100 à 120); mulher (80); homem(70) e velho (60).

HEMORRAGIA

É a perda sangüínea conseqüente ao rompimento de um ou mais vasos.

Tipos de Hemorragia:
 Venosa - devido à lesão de uma veia. A saída de sangue ocorre de forma uniforme. Caracterizada por
sangue escuro, jato lento e continuo.
 Arterial - devido a lesão de uma artéria. Pode-se determinar a hemorragia como arterial, quando o
sangue é vermelho e ocorre em jatos fortes e ritmados com os batimentos cardíacos, mas isto nem
sempre é evidenciável, principalmente em lesões arteriais profundas.

33
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Classificação:
 Interna - quando o sangramento decorre do rompimento de um vaso sangüíneo dentro do corpo, sem
que haja solução de continuidade da pele. Pode haver exteriorização do sangue através de cavidades
naturais do corpo, como boca, reto, ouvido, etc..
 Externa - o local do sangramento é visível através da solução de continuidade da pele e tecidos.

Sinais e Sintomas:
Dependendo da gravidade da hemorragia a vítima pode apresentar: palidez intensa, mucosa descorada,
pulso rápido e fino ( taquisfiguimia), respiração rápida e superficial, vertigens, náuseas e vômitos,
sudorese fria, sensação de sede, desmaio.

Medidas de primeiros socorros:


a) hemorragia externa
 avaliar a gravidade da hemorragia. Deitar a vítima, se necessário.
 afrouxar as vestes ou retirar o excesso;
 manter a área afetada mais elevada em relação ao resto do corpo;
 cobrir a vítima para evitar resfriamento;
 estancar a hemorragia;
 oferecer líquidos ( exceto alcoólico) se não houver suspeita de traumatismo abdominal.

Compressão direta: coloca-se uma gaze estéril ou pano limpo seco diretamente sobre o ferimento,
pressionando bem com a mão ou com uma atadura (curativo compressivo).

Torniquete: aplicável quando a hemorragia se localiza nos braços ou pernas.

b) hemorragia interna
Pode-se manifestar de forma súbita ou insidiosa, detectada na sua maioria através dos sinais e sintomas
que o paciente apresenta.
A conduta de emergência visa principalmente manter equilibradas até que se efetue o tratamento.

c) hemorragia específicas
 hemorragia nasal (epistaxe)
- colocar a vítima sentada;
- inclinar a cabeça para trás;
- colocar bolsa de gelo ou compressas frias sobre o nariz;
- pressionar a face lateral da narina que está sangrando contra o septo nasal
- se com estas medidas, não cessar a hemorragia, deve-se procurar auxílio médico.

 hemorragia dos pulmões (hemoptise)


- colocar a vítima em repouso no leito;
- mantê-la calma, orientando-a a não falar;
- procurar auxílio médico imediatamente.

 hemorragia do estômago (hemotêmese)


- colocar a vítima em decúbito dorsal sem travesseiro;
- jejum absoluto;
- colocar bolsa de gelo na região epigástrica;
- procurar auxílio médico imediatamente.

 hemorragia genital (metrorragia)


- repousar a vítima com os membros inferiores mais elevados;
34
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

- colocar bolsa de gelo na região supra púbica;


- fazer tamponamento;
- procurar auxílio médico imediatamente.

Choque

O choque é resultante da incapacidade de o organismo fazer circular adequadamente o sangue.


Qualquer doença séria ou traumatismo grave posem ser responsáveis pelo estado de choque. Quando a
pessoa de encontra em estado de choque, o sangue deixa de suprir a proporção apropriada de oxigênio e
de outros nutrientes dos tecidos aos centros encefálicos 9em particular, cérebro, cerebelo e bulbo) e a
outros órgãos do corpo. As formas mais graves de choque podem acarretar a morte.
A pessoa em estado de choque pode mostrar-se ansiosa e amedrontada, tonta, fraca e com sede
intensa. Em alguns casos, a vítima sente náuseas ou mesmo chega a vomitar. A pele está pálida e úmida e
a pessoa queixa-se de frio. O pulso é rápido e fraco, enquanto a respiração é rápida e superficial, ou,
contrário, profunda, lenta e irregular. Uma pessoa que tenha sofrido um traumatismo grave deve obter
tratamento do estado de choque, mesmo que os sinais e sintomas aqui descritos não se achem presentes.
Tal tratamento ajudará, muitas vezes, a evitar que o choque ocorra, o que viria a agravar o seu quadro
clínico.
Para tratar o estado de choque, a vítima deve, antes de mais nada, ser deitada de costas, com as
pernas levemente erguidas e a cabeça em posição mais baixa. Se tal posição ocasiona dificuldade de
respirar, tem que ser colocada em posição reclinada. Além disso, é preciso mantê-la aquecida, cobrindo-a
e pondo sob o seu corpo lençóis ou cobertores finos.

Choque elétrico

Abalo violento que o organismo sente quando recebe uma descarga elétrica.
Retirar ou desligar a corrente, se for retirar, faça-o com galhos secos ou com panos secos e isolantes.
Manter a vítima aquecida e deitada confortavelmente, até chegar o socorro médico.

QUEIMADURAS

Os primeiros socorros em caso de queimadura depende da gravidade ou da extensão das lesões. De


acordo com a sua profundidade, as queimaduras são classificadas em:
 As queimaduras de primeiro grau produzem vermelhidão na camada externa da pele.
 As queimaduras de segundo grau lesam camadas cutâneas mais profundas. Estas queimaduras dão à
pele afetada vermelhidão ou aspecto mosqueado e causam a formação de bolhas.
 As queimaduras de terceiro grau destroem os tecidos da camada mais profunda da pele. Estas lesões
têm aspecto carbonizado.
No tratamento inicial das queimaduras de primeiro e segundo graus, mergulha-se a área afetada em água
fria, afim de aliviar a dor. A seguir, seca-se cuidadosamente com material absorvente e aplica-se um
curativo esterilizado.
As queimaduras de terceiro grau devem ser cobertas imediatamente por um curativo esterilizado seco e
espesso. Estas lesões não devem ser mergulhadas na água. As queimaduras extensas podem ser protegidas
por lençóis ou toalhas limpas, ou por envoltórios ou sacos plásticos. Os envoltórios ou sacos plásticos
nunca deverão ser colocados diretamente sobre a superfície queimada. Os pedaços de roupa grudados à
superfície queimada não devem ser puxados nem arrancados, a não ser no ambiente esterilizado de uma
sala cirúrgica.

MORDEDURAS E PICADAS DE ANIMAIS


35
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Podem resultar em infecções e doenças graves se deixadas sem tratamento. A áreas afetada é lavada
meticulosamente com água e sabão. Enxágua-se a ferida, cobrindo-a depois com um curativo de gaze.
Chama-se um médico. Se possível, o animal responsável deve ser mantido sob observação por um
veterinário, afim de determinar se não é portador de raiva.

ASFIXIA (SUFOCAÇÃO)

Quando a vítima for uma criança de peito, segure-a pelos tornozelos, com a cabeça para baixo. Depois de
abrir-lhe a boca, a língua deve ser puxada ;para a frente e o que estiver obstruindo deve ser eliminado. Se
a vítima for de mais idade, a cabeça deve ser mantida para baixo, limpe-lhe a garganta, puxando a língua,
e em todos os casos comece com uma respiração boca a boca, se a vítima tiver dificuldade de respirar
depois de eliminada a obstrução.
Se o que obstruir a traquéia não for totalmente retirado, mesmo que os sintomas desapareçam, deve ser
consultado um médico, pois há perigo de uma infecção pulmonar, se um corpo estranho penetrar nos
pulmões.

ASFIXIA JUNTO ÀS REFEIÇÕES

Quando alguém sofre de um colapso enquanto de alimenta, existe a probalidade de ser um ataque do
coração ou de ter-se asfixiado, engasgando com um pedaço grande de comida (geralmente carne). Para ter
certeza que não se trata de um ataque cardíaco, pergunte ao paciente se consegue falar. Se ele balançar a
cabeça negativamente, isto que dizer que tem algo preso em sua garganta tapando-lhe a traquéia. Ele
ficará consciente por apenas alguns minutos. Deve haver rapidez. A vítima deve ser colocada de lado e
deve-se-lhe dar uma rápida pancada entre os omoplatas (parte superior das costas). Abra bem a boca da
pessoa e enfie-lhe o dedo médio e o indicador na garganta, retirando para fora o alimento que está
tapando a entrada de ar. Para facilitar a introdução dos dedos na garganta, use uma colher para baixar a
língua.

ATAQUES CARDÍACOS (ENFARTES)

O que se observa no paciente que está com enfarte é uma grande falta de ar, uma dor no meio do peito,
que é as vezes irradiado para o pescoço ou braços, ou as vezes para a parte superior do abdome. Pode
apresentar bastante suor e de repente perder a consciência.
A ambulância deve ser logo chamada. Se o paciente apresentar respiração difícil, não deve ser forçado a
se deitar, e sim deve ser ajudado a permanecer numa posição que lhe seja mais confortável. O cinto, o
colarinho e todas as roupas apertadas devem ser afrouxadas. Se a ambulância foi providenciada, não tente
levantá-lo ou transportá-lo. Não lhe deve ser dado nada para beber. O socorrista deve permanecer calmo e
procurar tranqüilizar a vítima.
Mentalmente deve recordar os passos da reanimação cardiopulmonar (RCP), se por ventura o paciente
perder o pulso e parar de respirar.

DEGLUTIÇÃO DE OBJETOS

Quando os objetos forem redondos, como botões, moedas ou balas de gude, passam geralmente sem
problemas pelo intestino e são eliminados. Não devem ser administrado laxantes ou alimentos volumosos,
continuando-se com a dieta habitual. Quando houver dor, um médico deve ser consultado. Durante alguns
dias as fezes devem ser examinadas até aparecer o objeto que foi engolido.
Quando forem objetos pontiagudos, como grampos de cabelo, alfinetes de segurança ou ossos, se tornam
mais perigosos e as vezes são necessários instrumentos especiais para localizá-los e removê-los,
necessitando-se para isto a intervenção de um médico.

DESMAIOS

36
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

O paciente deve ser deitado de costas com a cabeça baixa, certificando-se de que suas vias aéreas estão
livres e de que está respirando normalmente. Suas roupas apertadas devem ser soltas. Aplicar panos frios
e dar-lhe amônia ou álcool para cheirar.
Se demorar para acordar, mantenha-o coberto e aquecido, levando-o a um hospital.
Normalmente, os desmaios ocorrem devido ao cansaço, fome, distúrbio emocional súbito, um ambiente
mal ventilado, etc... Normalmente sua respiração e pulso são fracos, o rosto está pálido e apresenta suor
na testa. Quando estiver tonto, deve ser deitado de costas.

CONVULSÕES

Num ataque convulsivo, o paciente fica com os lábios azulados, seus olhos viram para cima, a cabeça se
inclina para trás e seu corpo é sacudido por espasmos incontroláveis.
A fim de auxiliar no escoamento da saliva, que se torna abundante, a vítima deve ser deitada ao chão e
virar-lhe a cabeça para o lado. Afastar objetos em que possa se machucar, coloque-lhe um pano enrolado
ente os dentes para evitar com que ela morda a língua. Se houver febre, devem ser feitas compressas de
água fria ou álcool no peito, abdome, na testa. Ao desaparecerem os espasmos, certifique-se de que as
vias aéreas estão livres. Então a vítima deve ser levada a um médico.

FURÚNCULOS E TERÇÓIS

Não se deve espremer nem tentar puncionar um furúnculo, pois poderá agravar a infecção. Devem ser
aplicadas compressas úmidas quentes várias vezes ao dia. Quando se romper, não deve ser espremido. O
pus deve ser limpado com um chumaço de algodão esterilizado, molhado em soro fisiológico e depois
coberto com gaze esterilizada. Os tersóis são também pequenos furúnculos que se formam nas pálpebras e
o tratamento deve ser o mesmo. Quando houverem muitos furúnculos ou tersóis que são persistentes e
doloridos, procure um médico, para tratamento especializado.

INSOLAÇÃO

A insolação é causada pelo excesso de sol, e seus sintomas são: fraqueza, irritabilidade, tonturas, náuseas,
pele seca e quente, ausência de suor, temperatura alta ( em torno de 40 graus centigrados) e, em alguns
casos, inconsciência. Deitar a pessoa na sombra e atirar baldes de água sobre ela, ou envolver-lhe a
cabeça com toalhas úmidas e frias e o corpo com lençóis úmidos e frios. Dar-lhe bebidas frias não
estimulantes. Massagear as pernas das pessoa, começando pelos tornozelos e indo em direção ao tronco,
para ativar a circulação. Leve a pessoa ao hospital.
Se a insolação for leve, com dor de cabeça, fadiga assentuada, tontura, pele fria e viscosa e possível
desmaio, coloque a pessoa em um lugar fresco, cobrindo-lhe a cabeça com toalhas frias e úmidas. A cada
15 minutos, dê-lhe 3 ou 4 copos de água fria, cada um contendo meia colherinha de sal ou suco de laranja,
para manter a hidratação

CONTUSÕES

Quando os tecidos do organismo sofrem uma lesão por um golpe ou choque contra um corpo resistente
sem que exista ferimento na pele.

As principais espécies de contusões:


Equimose - mancha roxeada, no tecido celular, causa por uma pequena quantidade de sangue infiltrada no
tecido.
Hematoma - rompimento de um vaso de maior calibre, causando derramamento de sangue entre dois
planos de tecido.

Medidas de Primeiros Socorros:

37
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Logo após uma contusão, deve ser colocado uma bolsa de gelo ou compressas frias, com uma pequena
toalha molhada em água gelada torcida em cima da contusão, isso deverá diminuir a dor, o inchaço e a
hemorragia interna. Quando a dor persistir a pessoa deve ser levado ao médico.

LUXAÇÕES

É o deslocamento completo ou parcial de duas superfícies articulares.


Não movimente a articulação lesionada; para aliviar a dor e o inchaço, aplique uma bolsa de gelo no
local. Se a pessoa puder se locomover com segurança, porque a lesão foi na mão, no braço, no ombro, no
queixo, leve a um hospital, o mais rápido possível, já se a luxação for no quadril, chame uma ambulância.

FRATURAS ÓSSEAS

É toda solução de continuidade súbita e violenta de um osso. Ela pode ser fechada quando não houver
rompimento da pele, ou aberta (fratura exposta) quando a pele sofre solução de continuidade no local da
lesão óssea.
As fraturas são mais comuns ao nível dos membros, podendo ser múltiplas ou únicas.

Os Primeiros Socorros a um Paciente:


Tentar não mover o ferido do lugar;
Nas fraturas expostas e presença de hemorragia, o sangue deve ser estaqueado, mas jamais tente colocar o
osso no lugar e nem limpar a ferida;
Fratura de braço ou de mão, deve-se fazer uma tala com jornal ou revista cabo de vassoura ou tábuas,
fazendo com que o membro fique imobilizado.
Fratura de membros inferiores, imobilizar com talas, devendo-se chamar uma ambulância.

FERIDAS

É um traumatismo produzida por um corte, sobre a superfície de um corpo. Sendo este produzi por algo
ponteagudo ou cortante, atingindo órgãos como o coração, poderá ser fatal. Se a lesão for nas mãos, pode
acarretar paralisias definitivas, com o rompimento de tendões e nervos. As feridas devem ser mantidas
limpas, para se evitar infecções tetanicas.

ENTORSES OU DISTORSÃO

Primeiramente a posição da articulação que foi destroncada deve ser poição confortável. Bolsas de gelo
ou compressas geladas devem ser postas sobre a área para aliviar a dor e o inchaço. Quando forem graves,
a pessoa deve ser levada a um médico para verificar se não há fratura.

CUIDANDO DE SUA SAÚDE MENTAL


Saúde mental significa ter pensamentos e sentimentos positivos sobre você mesmo. É tradicional o
provérbio de que “o bom humor afasta as doenças”, ou “aquele que ri, vive mais”. Isto significa que a
mente tem uma relação direta ou indireta com o corpo. Assim, a medida que “alimentamos” bem nossa
saúde mental ( com emoções positivas, poucos aborrecimentos, bons pensamentos, etc. ), melhor será a
nossa saúde física.
A ciência médica está descobrindo, pouco a pouco, que problemas com a saúde mental
freqüentemente apresentam causas físicas.
Estes problemas podem ocorrer quando situações ambientais externas muito sérias, como
agressividade entre as pessoas, medo de ser assaltado ou assassinado, perdas muito grandes, como a
morte de um ente querido, o rompimento com um grande amor ou a perda do emprego, etc.,
desencadeiam reações químicas anormais no cérebro.
38
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

De fato, já é admitido que alterações mentais como o stress, depressão, medo, ansiedade, raiva, etc.,
podem provocar vários problemas orgânicos, como úlceras gástricas e intestinais, doenças da pele,
diabete e até câncer. Estas são as chamadas doenças psicossomáticas (do termo psique – mente e soma –
corpo), ou seja, distúrbios físicos causados por transtornos psicológicos e sociais. Um número altíssimo
destas doenças, aproximadamente 50%, acometem a humanidade.
Algumas pessoas são mais susceptíveis a este tipo de problema do que outras, entretanto, ninguém
está imune à doença mental. De acordo com uma definição legal estabelecida pela Lei de Higiene Mental
de Nova York, em 1992, a doença mental é uma “condição mental que é manifestada por um distúrbio no
comportamento, sentimento, pensamento, ou julgamento de tal forma extenso, que a pessoa requer
tratamento e reabilitação”.

A conexão corpo-mente-doença.
Há mais de 60 anos, pesquisadores vem investigando como as emoções afetam o organismo.
Descobriu-se que, em uma situação de stress, por exemplo, o confronto com um assaltante, o organismo
passa por profundas modificações internas e externas: aumenta a freqüência cardíaca e respiratória, as
pupilas e as artérias se dilatam, aumenta a descarga de adrenalina, etc., felizmente, estas alterações duram
apenas alguns minutos, pois são mecanismos de defesa observados no homem e em muitos animais para
fugirem ou lutarem, e assim sobreviverem do atacante. No caso de uma situação crônica de distúrbio
emocional, essas reações se perpetuam causando numerosos transtornos no organismo como úlceras e
entupimento das artérias. Estas são as chamadas reações de stress.
Uma das funções do cérebro é produzir substâncias que mantém saudável o corpo e o
comportamento. Algumas destas substâncias são as gamaglobulinas, que fortificam o nosso sistema
imunológico, o interferon, que combate infecções e vírus, e as endorfinas, que são grandes liberadoras de
dor. A produção destas substâncias dependem em parte de nossos pensamentos e sentimentos.
Pensamentos negativos podem perturbar a saúde mental. Pesquisas científicas investigando o corpo
e a mente estão fazendo descobertas notáveis sobre como as emoções e os pensamentos afetam a nossa
saúde. Estudos mostraram que pessoas pessimistas apresentam taxas de doenças significativamente
maiores que as pessoas normais.
Como os problemas de saúde mental têm causas físicas e mentais, é necessário procurar resolvê-los
tanto pelo auto-cuidado como pelo cuidado de um especialista na área, como um psicólogo ou psiquiatra.
O objetivo deste duplo cuidado é reduzir o stress e restaurar o equilíbrio químico no cérebro.

O auto-cuidado caminhada ou converse com um amigo;


 Se sua auto-estima estiver baixa, reconstrua-a, e reafirme o seu valor como pessoa.

Quando procurar ajuda profissional;


 Se os sintomas se tornarem numerosos ou muito freqüentes, e você não for capaz de saná-los
com o auto-cuidado;
 Se os sentimentos negativos que você está sentindo, por exemplo, os de perda, estiverem
exacerbados, ou seja, exagerados e não passam com o tempo;
 Se você estiver pensando freqüentemente em suicídio.

O cérebro e a mente são entidades muito poderosas e, evidências científicas estão agora sustentando
a idéia de que aquilo que você pensa e sente tem grande influência sobre a sua saúde ou doença. Portanto,
saiba cuidar bem de sua saúde física e mental para que você se mantenha como um indivíduo feliz,
integro e produtivo.

ARTROSE VERTEBRAL
Definição: estado de progressiva deteriorização da articulação vertebral, caracterizando por erosão
da cartilagem articular e neoformação óssea nas bordas articulares (osteófitos).

39
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Etiopatogenia: há muitos anos atrás achava-se que a artrose era unicamente uma doença senil, isto
é, o indivíduo obrigatoriamente apresentaria essa doença a partir de certa idade e de forma mais ou menos
severa. Segundo este conceito a artrose não representaria um processo mórgido, mais ao contrário, um
processo fisiológico evolutivo de ser humano.
Através de estudos em autópsias descobriu-se que as primeiras alterações da artrose representam
um envelhecimento sistêmico das cartilagens.
Descobriu-se também através desses estudos que este processo pode ocorrer já a partir da terceira
idade.
Alguns autores empregam o termo “envelhecimento da articulação” e expõem dois aspectos
fundamentais da doença: a perda da capacidade de auto-duplicação dos condrócitos e alterações físico-
químicas da matriz da cartilagem que surge independente das funções celulares.
Já outros autores consideram a ação de estresses mecânicos sobre a articulação como fatores
causadores da artrose. Eles consideram as juntas como rolamentos, e explicam seu desgaste pela
deficiência da lubrificação (líquido sinovial).

Patologia: as primeiras alterações osteoartríticas consistem no aparecimento de irregularedades


(osteófitos) ou perda das camadas da superfície articular da cartilagem articular e fissuras nas zona
tangencial.
Durante o processo evolutivo haverá uma crescente erosão da superfície e um aprofundamento das
superfícies verticais (fibrilação), até atingirem a zona calcificada. Radiologicamente o osso subjacente
revelará uma hipertrofia.
No estágio final do processo a cartilagem desaparece quase completamente da superfície articular e
a lâmina terminal óssea permanece em contato direto com o osso ou com a cartilagem da superfície da
junta adjacente.
A artrose pode em algumas oportunidades produzir algias interescapsulares, dores pseudopleurais,
algias dorsais em cinta, dores episgástricas, pseudovesiculares e pseudo apendiculares.
Ao Raio-X, observa-se pinçamento discal principalmente anterior em várias alturas, explicando a
cifose e osteofitose.
Pode acometer um grupo de articulações devido a sua permanente mobilidade e degeneração das
cartilagens articulares e neoformação óssea.

Alterações Osteoartríticas (Doença articular degenerativa)

Quadro Clínico:

1. Os sintomas de artrite são comuns em doenças degenerativas de disco ou em articulações


continuamente expostas a trauma.
2. Podem se desenvolver osteófitos e invadir o canal espinhal e forame intervertebral, causando assim
sinais neurológicos.
3. A articulação em degeneração é vulnerável a compressão de faceta, torção e
inflamação, como é qualquer articulação artrítica.
4. Em alguns pacientes, o movimento alivia os sintomas; em outros, o movimento irrita as articulações e
os sintomas dolorosos aumentam.

Manejo durante o período de dor aumentada:

1. Para reduzir a tensão, exercícios de relaxamento.


2. Para aumentar a mobilidade use técnicas de amplitude de movimento e contração-relaxamento dentro
da tolerância dos pacientes.
3. Ensine ao paciente medidas preventivas e posturas para aliviar as sobrecargas mecânicas.

40
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

4. Se o movimento agrava os sintomas, reduza o movimento com suporte passivo (colar cervical, colete
dorsal ou lombar para diminuir o sintoma levando em conta a altura em que se encontram os
osteófitos, e os pontos de dor), e aumente a força muscular começando com exercícios isométricos.
5. Precauções: devido ao estreitamento do forame e canal espinhal, deve ser evitada inclinação para trás
e inclinação para com rotação, já que esses movimentos estreitam ainda mais o forame.

ARTRITE REUMATÓIDE
A Artrite Reumatóide (AR) é uma doença inflamatória crônica sistêmica que afeta as articulações e
outros órgãos. A causa é desconhecida e não possui nenhum teste diagnóstico específico.
O American College of Rheumatology, recentemente revisou os critérios diagnósticos da doença
para dar uniformidade em sua investigação eepidemiologia e são eles:
 Rigidez articular matinal com duração maior ou igual a 1 hora;
 Edema (inchaço) de 3 ou mais articulações;
 Edema das articulações das mãos (dedos), interfalangeanas, e/ou pulsos metacarpofalangeanas;
 Edema simétrico (bilateral) dos tecidos moles periarticulares;
 Presença de nódulos subcutâneos;
 Fator reumatóide no sangue positivo;
 Erosões articulares e/ou periarticulares com diminuição da densidade óssea, nas mãos ou pulsos,
observadas em exames radiológicos.

O critério para o diagnóstico é a observação contínua por 6 semanas ou mais e 4 dos 7 critérios
estarem presentes.
Seu aparecimento ocorre entre a 4 e 6 décadas de vida (exceto a forma juvenil). As mulheres são
mais freqüentemente acometidas que os homens ( 2 a 3 vezes mais).
Sua etiologia (causa) permanece desconhecida e os pesquisadores tentam 3 pontos de investigação
que são promissores:
1. Fatores genéticos;
2. Anormalidades autoimunes;
3. Uma infecção microbiana aguda ou crônica.

Os achados clínicos podem variar. As articulações das mãos, pulsos, joelhos, pés e tornozelos,
pescoço, cotovelos, ombros, quadris, esterno-claviculares, têmporo-mandibulares e cricoaritenóide (na
frente do pescoço) podem ser acometidas (dor, inchaço e inflamação com destruição progressiva
articular). Outros órgãos ou tecidos como a pele, tecido subcutâneo, unhas, músculos, rins, coração,
pulmão, sistema nervoso, olhos e sangue podem apresentar alterações. A chamada Síndrome de Felty
(aumento do baço, dos gânglios linfáticos e queda dos glóbulos brancos em paciente com a forma crônica
da AR) também pode ocorrer.
Laboratorialmente a anemia é um achado comum, assim como o nível de ferro sangüíneo. O fator
reumatóide no sangue é positivo em cerca de 80% dos casos e anticorpos antinucleares, detectados por
imunofluorescência em geral em baixa titulagem são encontrados em 30 à 40% dos casos.
O tratamento tem como objetivos: aliviar a dor, reduzir a inflamação, minimizar os efeitos
colaterais indesejáveis, preservar a força e a massa muscular (atrofias são freqüentes) assim como a
função da articulação e o retorno ao estilo de vida normal do paciente o mais rapidamente possível.
O programa inicial básico que deve ser proposto para a grande maioria dos pacientes é: repouso
adequado, terapêutica antiinflamatória e medidas físicas (fisioterápicas) para manter a função articular e a
massa muscular. Geralmente a hospitalização é desnecessária. Os exercícios, mesmo passivos (feitos com
ajuda) devem ser mantidos assim como a terapia com calor (que causa dilatação dos vasos sangüíneos,
com aumento do fluxo de sangue para a área e maior velocidade na remoção das substâncias metabólicas
indesejáveis).

41
Apostila de Educação Física – 8ª série Prof. Bisarri

Os antiinflamatórios não esteróides são a base do tratamento e dentre eles podemos usar o ácido
acetil salicílico, ibuprofeno, naproxeno, tolmetim, indometacina, sulindac, piroxicam, diclofenaco e
outros. O ácido acetil salicílico geralmente é mais efetiva que os outros, mas pela necessidade de altas
dosagens os outros podem ser melhor tolerados.
Os efeitos colaterais destas drogas podem tornar-se um problema terapêutico e os mais comuns são:
irritação gastrointestinal, reações na pele, aumento do tempo de coagulação sangüíneo, toxicidade
hepática reversível e comprometimento da função dos rins.
Se os medicamentos acima falham podemos usar os antimaláricos, sais de ouro, penicilamina e o
metotrexate.
O antimalárico mais usado é a hidroxicloroquina que pode causar lesões retinianas e o
acompanhamento oftalmológico se faz necessário.
Os sais de ouro produzem remissão do quadro em muitos casos tendo como efeitos colaterais a
lesão renal e da medula óssea, também devendo ser monitorizado o uso da droga.
A penicilamina é também usada e pode produzir melhora e até remissão mas, como os sais de ouro,
seus efeitos demoram a ocorrer e os mesmos cuidados acima mencionados devem ser feitos. Pode ainda
induzir outras doenças autoimunes como a Miastenia Gravis, o Lupus Eritematoso e a Síndrome de
Goodpasture.
As drogas imunosupressoras como a azatioprina, o metotrexate, a ciclofosfamida e o clorambucil
são usados nos casos graves de AR. O mais efetivo no tratamento é o metotrexate, mas possui inúmeros
efeitos colaterais.
O uso dos chamados corticóides possuem efeitos consideráveis na AR, mas devem ser evitados
rotineiramente e a longo prazo, devido a suas complicações. São indicados no fracasso da terapêutica
conservadora, lesões articulares severas, presença de importantes manifestações sistêmicas (outros
órgãos) e existência de alterações oculares. Quando usados devem ser prescritos na menor dose possível,
mas em alguns casos grandes doses são necessárias (neuropatia, cardite, pleurite, etc.). Podem causar
aumento excessivo de peso, face de lua cheia, acne, manchas arroxeadas pelo corpo (equimoses),
hirsutismo, diabetes, úlcera péptica, osteoporose, catarata, miopatia, distúrbios mentais e aumento do
número de infecções oportunísticas. O sal mais indicado e a prednisona.

42