Você está na página 1de 3

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO

CECÍLIA MARIA DA SILVA COSTA - PROTOCOLO: 1664611

Fichamento de leitura

História Social da Literatura Portuguesa, pp. 9-48, de Abdala Júnior e


Paschoalin.

Primeiro período: Trovadorismo (1189 ou 1198-1434)


Portugal: de Dona Tareja a Afonso Henriques.

 Independência portuguesa: luta gradativa contra os reinos da Península


Ibérica.
 Afonso VI, do reino de Leão, conquista tênue unidade política entre
esses reinos e realiza o casamento das filhas com Raimundo de
Borgonha e seu respectivo primo, Henrique de Borgonha.

Afonso VI

Raimundo de Urraca D. Tareja (filha D. Henrique de


Borgonha (filha legítima) ilegítima) Borgonha
!

Posse doadas para os genros:

 Raimundo de Borgonha: Região da Galícia;


 Henrique de Borgonha: Condado Portucalense.

Após a morte de Afonso VI:

 Disputa entre a Galícia e o rei de Aragão pela Península Ibérica;


 Condado Portucalense afasta-se da guarda de reinos maiores, por
revolta de Afonso Henriques1, que não aceitava domínio da região.
 Participação ativa do povo para o afastamento do Condado Portucalense
da posição de servidão das regiões cristãs.
 Conferência de Samora: em 1143 é firmado um acordo de paz.
 Afonso Henrique é reconhecido como rei pelo papa em 1179.

1
Filho de D. Tereja
D. Afonso III
 Portugal expulsa os sarracenos e Portugal torna-se um país
independente.

Portugal: Estrutura Social

 Feudalismo:
i) Grupos sociais fechados = Pouca mobilidade social
ii) Ligação de dependência: Senhor e servo/ Senhor e vassalo

Servos: trabalho para manter o feudo.

Nobreza: defender a sociedade.

Igreja: orar pela sociedade.

iii) Hierarquia de instância autônomas: direito de terra reservado aos


nobres, gerando em cada região um governo descentralizado.

 Portugal do século XI a XIV:

Coutos= Terras "Os senhores eram a autoridade absoluta e só


da igreja prestavam obediência ao rei - que detinha os
direitos de justiça suprema. [...] Vivia [nessas
propriedades] uma população composta
Honras= Terras
principalmente de servos." (Abdala, pg.10)
da nobreza

Moradores:
(1) Servos, escravos mulçumanos, artesãos, trabalhadores rurais;
(2) Infanções, nobres de alta linhagem, e os fidalgos;
(3) Alto clero e baixo clero;
(4) Os senhores.

 Terras do clero e dos senhores era isenta de impostos.


 Reconquista da terra Ibérica: trouxe aos homens que trabalhavam na
terra a possibilidade de uma promoção social.

Teocentrismo: Regime dessa organização social que tem Deus como absoluto,
capaz de determinar o destino servil de um homem ou a mudança de seu
destino.
 Divino como resposta para todas as ocasiões = consequência de um
mundo cientificamente ignorante.

Reflexo: "frequência à missas e a outras cerimônias da Igreja, nas


abstinências e jejuns, nas peregrinações ou romarias. As igrejas eram
lotadas todas as manhãs. Havia santuários na cidade e no campo"
(Abdala, pg.11)

 Mudanças no século XIII:


1) Modificação nas práticas religiosas = homem/natureza e homem/Deus
como busca de santificação da vida cotidiana.

 Ensino:
1) Igreja: Ensinava os mistérios da fé, as orações e missa.
2) Local: As catedrais, escolas episcopais, conventos e mosteiros.
3) Conteúdo: A gramática do latim, ler e escrever.

Há entretanto, empecilhos sobre a língua: Portugal do século XII não


falava latim. Logo, as gramáticas portuguesas.

 Língua: Português se tornou língua oficial no reinado de D. Dinis (1279-


1325)
Passou a ser ensinada nas escolas só no final da Idade Média.

Interesses relacionados