Você está na página 1de 6

Exercícios para a Clara

Termometria
1) (UERJ/2014) Observe na tabela os valores das temperaturas dos pontos críticos de fusão e de ebulição,
respectivamente, do gelo e da água, à pressão de 1 atm, nas escalas Celsius e Kelvin.

Considere que, no intervalo de temperatura entre os pontos críticos do gelo e da água, o mercúrio em um
termômetro apresenta uma dilatação linear. Nesse termômetro, o valor na escala Celsius correspondente à
temperatura de 313 K é igual a:
(A) 20 (B) 30 (C) 40 (D) 60

2) (UFRR/2014) Um termômetro na cidade de São João da Baliza registrou, no dia 30 de setembro de 2013, a
temperatura de 25°C às 09 horas da manhã e de 33ºC às 17 horas da tarde. Sabe-se que a medição do termômetro
nesse dia, entre às 7 e 19 horas, obedeceu exatamente a uma função afim da temperatura em graus °C em termos
das horas. A temperatura em São João da Baliza marcada no termômetro às 13 horas e 30 minutos era de:
( A ) 29°C. ( B ) 30°C. ( C ) 29,5°C. ( D ) 30.5°C. ( E ) 31,75°C.
3) Para medir a temperatura de um certo corpo, utilizou-se um termômetro graduado na escala Fahrenheit e o valor
obtido correspondeu a 4/5 da indicação de um termômetro graduado na escala Celsius, para o mesmo estado
térmico. Se a escala adotada tivesse sido a Kelvin, esta temperatura seria indicada por:
(A) 305 K (B) 273 K. (C) 241 K. (D) 32 K. (E) 25,6 K.

4) Num determinado dia, em São Paulo, a temperatura ambiente foi igual à de Londres. Sabendo que, nesse dia, a
temperatura de Londres foi 50ºF, a temperatura de São Paulo foi:
(A) 10 ºC. (B) 20 ºC. (C) 25 ºC. (D) 28 ºC. (E) 32 ºC.

5) A indicação de uma temperatura na escala Fahrenheit excede em 2 unidades o dobro da correspondente indicação
na escala Celsius. Esta temperatura é:
(A) 50 ºC. (B) 100 ºC. (C) 150 ºC. (D) 170 ºC. (E) 1300 ºC.

6) Comparando-se um termômetro graduado em uma escala X com outro graduado na escala Celsius, obteve-se: t1
= 20ºX ou 10ºC e t2 = 40ºX ou 70ºC. Esses dados nos permitem concluir que a temperatura da água em ebulição
ao nível do mar, em ºX, é:
(A) 50 (B) 60 (C) 70 (D) 80 (E) 110
7) Um termômetro mal graduado na escala Celsius, assinala 2 °C para a fusão da água e 107 °C para sua ebulição,
sob pressão normal. Sendo θE o valor lido no termômetro mal graduado e θC o valor correto da temperatura, a
função de correção do valor lido é:
a)

b)

c)

d)

e)

8) Uma escala termométrica “T” relaciona-se com a escala Celsius (C) conforme o gráfico abaixo. À pressão normal
quais são, respectivamente, os valores da temperatura de fusão do gelo e ebulição da água na escala T?

(A) 0 e 100 (B) 10 e 60 (C) 15,67 e 70,51 (D) 11,43 e 63,57 (E) – 20 e 100
9) (UFBA) As indicações para o ponto de fusão do gelo e de ebulição da água sob pressão normal de dois
termômetros, um na escala Celsius e outro na escala Fahrenheit, distam 20 cm, conforme a figura. A 5 cm do
ponto de fusão do gelo, os termômetros registram temperaturas iguais a:

10) Uma escala de temperatura arbitrária X está relacionada com a escala Celsius de acordo com o gráfico abaixo.

As temperaturas de fusão do gelo e de ebulição da água, sob pressão normal, na escala X valem, respectivamente:
(A) -100 e 50 (B) -100 e 0 (C) -50 e 50 (D) 100 e -100 (E) 100 e 50

Calorimetria
Calor Sensível, Calor Latente e Curvas de aquecimento
1) (UERJ/2017) Analise o gráfico a seguir, que indica a variação da capacidade térmica de um material (C) em função
da temperatura (θ). A quantidade de calor absorvida pelo material até a temperatura de 50 ºC, em calorias, é igual
a:

(A) 500 (B) 1500 (C) 2000 (D) 2200

2) Um bloco de cobre de 200 g sofre aquecimento de 25 ºC para 70 ºC. O calor específico do cobre é igual a 0,093
cal/g ºC. A quantidade de calor recebida pelo bloco e a capacidade térmica do mesmo é:
(A) 387 cal e 6,81 cal/ºC (B) 783 cal e 6,18 cal/ºC (C) 738 cal e 81,6 cal/ºC
(D) 873 cal e 16,8 cal/ºC (E) 837 cal e 18,6 cal/ºC

3) Qual a quantidade de calor absorvida para que 1L d'água congelado e à – 20° C vaporize e chegue a temperatura
de 130° C.
Dados: Calor latente de fusão da água: L = 80 cal/g; Calor latente de vaporização da água: L = 540 cal/g; Calor
específico do gelo: c = 0,5 cal/g.°C; Calor específico da água: c = 1 cal/g.°C; Calor específico da água: c = 0,48
cal/g.°C; Densidade da água: d = 1 g/cm³ ; 1 L =1 dm³ = 1000 cm³

4) Uma fonte calorífica fornece calor continuamente, à razão de 150 cal/s, a uma determinada massa de água. Se a
temperatura da água aumenta de 20º C para 60º C em 4 minutos, sendo o calor especifico sensível da água 1,0
cal/gº C, pode-se concluir que a massa de água aquecida, em gramas, é:
(A) 500 (B) 600 (C) 700 (D) 800 (E) 900

5) Um engenheiro testa materiais para serem usados na fabricação da carroceria de um automóvel. Entre outras
propriedades, é desejável a utilização de materiais com alto calor específico. Ele verifica que, para aumentar em
3ºC a temperatura de 32 g do material A, é necessário fornecer 24 cal de calor a esse material. Para obter Para
obter o mesmo aumento de temperatura em 40 g do material B, é preciso 24 cal. Já 50 g do material C necessitam
de 15 cal para sofrer o mesmo acréscimo de temperatura. Os calores específicos dos materiais A, B, C, são
respectivamente:
(A) cA = 0,25 cal/ g ºC: cB = 0,20 cal/g ºC; cC = 0,10 cal/g ºC
(B) cA = 0,20 cal/ g ºC; cB = 0,35 cal/g º C; cC = 0,15 cal/ g ºC
(C) cA = 0,30 cal/ g ºC; cB = 0,10 cal/ g ºC; cC = 0,20 cal/ g ºC
(D) cA = 0,35 cal/ g ºC; cB = 0,20 cal/ g ºC; cC = 0,10 cal/ g ºC
(E) cA = 0,10 cal/ g ºC; cB = 0,30 cal/ g ºC; cC = 0,25 cal/ g ºC

6) Uma fonte térmica fornece 55 cal/s com potência constante. Um corpo de massa 100 g absorve totalmente a
energia proveniente da fonte e tem temperatura variando em função do tempo, conforme o gráfico abaixo. A
capacidade térmica desse corpo e o calor específico da substância de que é constituído são, respectivamente,
iguais a:
(A) 2,2 cal/°C e 0,022 cal/g °C. (B) 2,2 cal/°C e 0,22 cal /g °C. (C) 2,2 cal/°C e 2,2 cal/g °C.
(D) 22 cal /°C e 0,22 cal/g °C. (E) 22 cal/°C e 0,022 cal/g °C.

7) Um bloco sólido, feito de material homogêneo, está à temperatura inicial T 0 = 10º C.O bloco passa a receber calor
de uma fonte térmica com potência constante. O gráfico representa a temperatura do sólido em função do tempo.

O calor específico sensível do sólido é de 0,80 cal/gºC. O calor específico latente de fusão, em cal/g, vale:

8) Uma pessoa consome diariamente 5 copos de 200 mL de água a uma temperatura de 16 °C por 30 dias e, por
vias metabólicas, o organismo deve manter a temperatura corporal a aproximadamente 36 °C. Nesse período,
supondo um caso ideal, para elevar a temperatura da água até a temperatura corporal, o total de energia
consumida pelo organismo, em kcal, será de aproximadamente
(A) 20 (B) 80 (C) 120 (D) 350 (E) 600

9) Um corpo, inicialmente líquido, de 50 g, sofre o processo calorimétrico representado graficamente abaixo.


Determine:

a) o calor latente da mudança de fase (vaporização) ocorrida;


b) a capacidade térmica do corpo antes e depois da mudança de fase;
c) o calor específico da substância nos estados líquido e de vapor.
10) O gráfico mostra a variação de temperatura em função do tempo de uma massa de água que está sendo aquecida
por uma fonte de calor cuja potência é 35 cal/s. Supondo que todo o calor gerado pela fonte seja absorvido pela
água, calcule a massa da água, em gramas, que foi aquecida.

Dado: calor específico da água: 1,0 cal/g °C

Gabarito: 1) B 2) E 3) 744,4 kcal 4) E 5) A 6) D 7) C 8) E 9) a) 58 cal/g b)15 cal/ºC;


3,3 cal/ºCc) 0,3 cal/gºC; 0,07 cal/gºC 10) 70 g

Equilíbrio Térmico e Calorímetros


1) Uma barra de cobre de massa 200 g é retirada do interior de um forno, onde estava em equilíbrio térmico, e
colocada dentro de um recipiente de capacidade térmica 46 cal/°C que contém 200 g de água a 20° C. A
temperatura final de equilíbrio é de 25° C. A temperatura do forno, em °C, é aproximadamente igual a:
Dado: cCu = 0,03 cal/g°C

2) Colocam-se 420 g de gelo a 0 °C num calorímetro com água a 30 °C. Após atingida a temperatura de equilíbrio
térmico, verifica-se que sobraram 20 g de gelo. Sendo de 80 cal/g o calor de fusão da água, é correto afirmar que
a temperatura final de equilíbrio térmico e a quantidade de calor ganho pelo gelo são, respectivamente:
Dados:
calor latente de fusão do gelo = 80 cal/g;
calor específico da água = 1,0 cal/g °C.
(A) 30 °C e 50 kcal. (B) 30 °C e 45 kcal. (C) 15 °C e 40 kcal. (D) 0 °C e 38 kcal. (E) 0 °C e 32 kcal.

3) Certa quantidade de gelo, à temperatura de – 7 ºC, contendo 500 g de água pura à temperatura de 40 ºC, sob
pressão normal, Após algum tempo, a temperatura de equilíbrio da mistura estabilizou-se em 30ºC. Considerando
que cgelo = 0,5 cal/g.ºC, cágua = 1,0 cal/g.ºC e Lgelo = 80 cal/g, a massa de gelo colocada no recipiente foi de,
aproximadamente:
(A) 54 g (B) 44 g (C) 34 g (D) 64 g (E) 74 g

4) No interior de um calorímetro, de capacidade térmica desprezível, há uma pedra de gelo de 1,0 kg a 0°C. A pedra
de gelo possui uma cavidade na qual se introduz uma amostra metálica de 400 g a 100°C. Quando se restabelece
o equilíbrio térmico, verifica-se que 100 g de gelo derreteram. O calor de fusão do gelo é 80 cal/g. Calcule o calor
específico do metal.

5) Colocam-se 50 g de gelo a 0°C em 100 g de água. Após certo tempo, verifica-se que existem 30 g de gelo boiando
na água e em equilíbrio térmico. Admitindo-se que não ocorreu troca de calor com o ambiente, que o calor
específico da água é 1,0 cal/g °C e que o calor latente de fusão do gelo é 80 cal/g,
a) qual a temperatura final da mistura?
b) qual a temperatura inicial da água?

6) Um calorímetro cuja capacidade térmica é igual a 20 cal/°C contém 300 g de água. A temperatura do sistema
calorímetro-água é de 40°C inicialmente. Adicionando-se à água 500 g de gelo fundente (0°C), qual será a massa
de gelo derretida até o estabelecimento do equilíbrio térmico? (Dados: calor específico da água = 1,0 cal/g °C;
calor de fusão do gelo = 80 cal/g.)
(A) 500 g (B) 300 g (C) 340 g (D) 150 g (E) 160 g

7) Em um calorímetro de capacidade térmica desprezível que contém 60g de gelo a 0º C, injeta-se vapor d'água a
100º C, ambos sob pressão normal. Quando se restabelece o equilíbrio térmico, há apenas 45 g de água no
calorímetro. O calor de fusão do gelo é 80cal/g, o calor de condensação do vapor d'agua é 540 cal/g e o calor
específico da água é 1,0 cal/gºC.
Calcule a massa do vapor d'água injetado.

8) No interior de um calorímetro de capacidade térmica desprezível, que contém óleo (c = 0,3 cal/ g ºC) a 30 ºC,
colocamos uma pedra de gelo (calor latente de fusão = 80 cal/g) de 40 g a 0º C. A massa de água (calor específico
= 1 cal/gºC ) a 70º C que devemos adicionar no calorímetro para estabelecer a temperatura inicial do óleo é de:
(A) 80 g (B) 90 g (C) 100 g (D) 110 g (E) 150 g
9) Numa garrafa térmica ideal, com 1,0 L de capacidade, são colocados 500 cm³ de leite, à temperatura ambiente
(20 °C), e 200 cm³ de café a 90 °C. Admitindo-se que as trocas de calor somente aconteçam entre o café e o leite
(cujas densidades e calores específicos podem ser considerados iguais), qual será a temperatura final de equilíbrio
térmico do sistema?

10) Num recipiente de capacidade térmica desprezível e termicamente isolado, são colocados 20 g de água a 60 °C
e 100 g de lascas de alumínio a 40 °C. O equilíbrio térmico ocorre à temperatura de 50 °C. Qual o valor do calor
específico sensível do alumínio? Dado: calor específico da água = 1 cal/g °C

11) Em um ritual místico, as pessoas aquecem a água de um caldeirão utilizando sete pedras. As pedras são
colocadas em uma fogueira e depois são lançadas no caldeirão com 0,70 L de água a 20 °C. Cada uma das pedras
tem, em média, 100 g de massa e se encontram a 300 °C no instante em que são lançadas no caldeirão. No
equilíbrio térmico, tem-se uma temperatura de 50 °C. Sendo o calor específico da água igual a 1,0 cal/g °C e
desprezando as perdas de calor para o ambiente e para o caldeirão, pode-se afirmar que o calor específico médio
das pedras em questão, em cal/g °C, é:
(A) 0,030. (B) 0,17. (C) 1,04. (D) 0,12. (E) 0,50.

Gabarito: 1) 230º C 2) E 3) B 4) 5) a) 0 ºC b) 16 ºC 6) E 7) 5 g 8) D 9) 40ºC


10) 0,20 cal/gºC 11) D 12) 80 ºC