Você está na página 1de 4

DIREITO CIVIL I - CCJ0006

Título

SEMANA 7

Descrição

Caso concreto

O Grupo Construções e Incorporações X S/A contraiu dívida de grande valor com o Engenheiro Eduardo Paranhos, mas não efetuou o pagamento estipulado no contrato, sem que tal conduta configurasse qualquer tipo de fraude. Após algumas tentativas frustradas de cobrança. Eduardo ajuizou ação e conseguiu decisão favorável, tendo a sentença transitado em julgado. No momento de indicar o bem que viria a ser penhorado para efetuar o pagamento, o Grupo Construções e Incorporações S/A indicou um imóvel de sua propriedade, mas o mesmo não foi aceito por Eduardo, que solicitou ao juiz a desconsideração da personalidade jurídica do Grupo Construções e Incorporações S/A para que os bens dos sócios respondessem pela dívida.

Considerando os fatos acima

descritos

e

tomando

por

base

a

disciplina

da

desconsideração

da

personalidade

jurídica,

responda

JUSTIFICADA

E

FUNDAMENTADAMENTE:

A) O que é a desconsideração da personalidade jurídica e em que hipóteses ela pode ser

utilizada?

B) É cabível, neste caso, a desconsideração pleiteada por Eduardo?

Questão de múltipla escolha 01

(Procurador do Trabalho/2015) Acerca das disposições sobre associações no Código Civil, assinale a alternativa INCORRETA:

a) Os associados devem ter direitos iguais, mas o estatuto poderá instituir categoria com

vantagem especial.

b) A exclusão de associado é feita de acordo com os estatutos, que é soberano para

estabelecer o procedimento que entender adequado.

c) Compete privativamente à assembleia geral, especialmente convocada para esse fim,

destituir os administradores.

d) Nenhum associado poderá ser impedido de exercer direito ou função que lhe tenha

sido legitimamente conferido, a não ser nos casos e pela forma previstos na lei ou no

estatuto.

Questão de múltipla escolha 02

Acerca das fundações, assinale a alternativa CORRETA:

a) As fundações somente podem ter como finalidade: assistência social; cultura, defesa e

conservação do patrimônio histórico e artístico; educação; saúde; segurança alimentar e nutricional; defesa, preservação e conservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; pesquisa científica, desenvolvimento de tecnologias alternativas, modernização de sistemas de gestão, produção e divulgação de informações

e conhecimentos técnicos e científicos; promoção da ética, da cidadania, da democracia e dos direitos humanos; atividades religiosas.

b) A alteração do estatuto de uma fundação deve ser precedida de manifestação do

Ministério Público, podendo tal manifestação ser suprida pelo juiz. Não há, porém, prazo estabelecido em lei para que o Ministério Público se pronuncie sobre a proposta de alteração.

c) A redação original do Código Civil determinava que as fundações localizadas no

Distrito Federal e em Territórios seriam veladas pelo Ministério Público Federal. No entanto, desde que esse dispositivo foi julgado inconstitucional pelo STF, pela falta de norma expressa aplica-se, por analogia ao que ocorre com as fundações situadas nos Estados, o entendimento de que o fiscal das fundações situadas no DF e nos Territórios é

o Ministério Público do DF e dos Territórios.

d) Para criar uma fundação, o seu instituidor fará, por instrumento particular, escritura

pública ou testamento, dotação especial de bens livres, especificando o fim a que se destina, e declarando, se quiser, a maneira de administrá-la.

e) Aqueles a quem o instituidor cometer a aplicação do patrimônio, em tendo ciência do

encargo, formularão logo, de acordo com as suas base, o estatuto da fundação projetada, independente de aprovação por autoridade e de homologação judicial.

Caso concreto

O Grupo Construções e Incorporações X S/A contraiu dívida de grande valor com o Engenheiro Eduardo Paranhos, mas não efetuou o pagamento estipulado no contrato, sem que tal conduta configurasse qualquer tipo de fraude. Após algumas tentativas frustradas de cobrança. Eduardo ajuizou ação e conseguiu decisão favorável, tendo a sentença transitado em julgado. No momento de indicar o bem que viria a ser penhorado para efetuar o pagamento, o Grupo Construções e Incorporações S/A indicou um imóvel de sua propriedade, mas o mesmo não foi aceito por Eduardo, que solicitou ao juiz a desconsideração da personalidade jurídica do Grupo Construções e Incorporações S/A para que os bens dos sócios respondessem pela dívida.

Considerando os fatos acima

descritos

e

tomando

por

base

a

disciplina

da

desconsideração

da

personalidade

jurídica,

responda

JUSTIFICADA

E

FUNDAMENTADAMENTE:

A) O que é a desconsideração da personalidade jurídica e em que hipóteses ela pode ser

utilizada?

B) É cabível, neste caso, a desconsideração pleiteada por Eduardo?

Questão de múltipla escolha 01

(Procurador do Trabalho/2015) Acerca das disposições sobre associações no Código Civil, assinale a alternativa INCORRETA:

a) Os associados devem ter direitos iguais, mas o estatuto poderá instituir categoria com

vantagem especial.

b) A exclusão de associado é feita de acordo com os estatutos, que é soberano para

estabelecer o procedimento que entender adequado.

c) Compete privativamente à assembleia geral, especialmente convocada para esse fim,

destituir os administradores.

d) Nenhum associado poderá ser impedido de exercer direito ou função que lhe tenha

sido legitimamente conferido, a não ser nos casos e pela forma previstos na lei ou no estatuto.

Questão de múltipla escolha 02

Acerca das fundações, assinale a alternativa CORRETA:

a) As fundações somente podem ter como finalidade: assistência social; cultura, defesa e

conservação do patrimônio histórico e artístico; educação; saúde; segurança alimentar e

nutricional; defesa, preservação e conservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento sustentável; pesquisa científica, desenvolvimento de tecnologias alternativas, modernização de sistemas de gestão, produção e divulgação de informações

e conhecimentos técnicos e científicos; promoção da ética, da cidadania, da democracia e dos direitos humanos; atividades religiosas.

b) A alteração do estatuto de uma fundação deve ser precedida de manifestação do Ministério Público, podendo tal manifestação ser suprida pelo juiz. Não há, porém, prazo estabelecido em lei para que o Ministério Público se pronuncie sobre a proposta de alteração.

c) A redação original do Código Civil determinava que as fundações localizadas no

Distrito Federal e em Territórios seriam veladas pelo Ministério Público Federal. No entanto, desde que esse dispositivo foi julgado inconstitucional pelo STF, pela falta de

norma expressa aplica-se, por analogia ao que ocorre com as fundações situadas nos Estados, o entendimento de que o fiscal das fundações situadas no DF e nos Territórios é

o Ministério Público do DF e dos Territórios.

d) Para criar uma fundação, o seu instituidor fará, por instrumento particular, escritura

pública ou testamento, dotação especial de bens livres, especificando o fim a que se destina, e declarando, se quiser, a maneira de administrá-la.

e) Aqueles a quem o instituidor cometer a aplicação do patrimônio, em tendo ciência do

encargo, formularão logo, de acordo com as suas base, o estatuto da fundação projetada, independente de aprovação por autoridade e de homologação judicial.

Desenvolvimento