Você está na página 1de 14

Alfabetização

e Letramento
Material Teórico
A Escrita: Surgimento e Evolução

Responsável pelo Conteúdo:


Profa Me. Denise Jarcovis Pianheri

Revisão Textual:
Profa. Dra. Selma Ap. Cesarin
A Escrita: Surgimento e Evolução

• Introdução
• A Língua Portuguesa

OBJETIVO DE APRENDIZADO
· Nesta Unidade, o nosso tema será: “A escrita: surgimento e evolução”,
na qual apresentaremos um panorama simplificado de como surgiu
a escrita e das mudanças pelas quais ela passou, o que é importante
para entendermos o processo de aprendizagem. Abordaremos alguns
tipos de sistema de escrita e algumas características significativas
para o nosso estudo.

ORIENTAÇÕES
Nesta Unidade da Disciplina “Alfabetização e Letramento”, iremos enfatizar
a importância da escrita no processo de aprendizagem. O tema é: “A escrita:
surgimento e evolução”.

Para que nossos objetivos possam ser alcançados, pedimos a colaboração de


vocês nas leituras, reflexões e participação das atividades propostas.
UNIDADE A Escrita: Surgimento e Evolução

Contextualização
Para começarmos a Unidade, que tal refletirmos um pouco:
A linguagem é inseparável do homem, segue-o em todos os seus atos.
É o instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento,
seus sentimentos, suas emoções, seus esforços, sua vontade, seus atos.
Instrumento ao qual ele influencia, e é influenciado, a base mais profunda
da sociedade humana (HJELMSLEV, apud SERGIO, 2010.)

Após a leitura da citação, reflita sobre a importância da linguagem em sua


vida, mais especificamente, qual a importância da escrita. Pense a respeito de
como a utilizamos, de porque a utilizamos e quais as vantagens ao sabermos nos
comunicar adequadamente em várias situações com as quais nos deparamos em
nosso dia a dia.

Essa reflexão é importante para começarmos a pensar a respeito do tema


desta Unidade.

6
Introdução
Nesta Unidade, estudaremos a respeito do surgimento e da evolução da escrita,
mas para melhor compreendermos quando falamos de Alfabetização e Letramento,
ainda surgem dúvidas a respeito de conceitos e definições,

A complexidade dos termos é natural, devido às várias mudanças e


transformações de ideias e práticas pedagógicas que vêm surgindo há algum tempo,
podemos até afirmar que essas mudanças vem ocorrendo há algumas décadas.

Sabemos que os conteúdos que as crianças aprendem na Escola não se fazem


apenas por memorização. Hoje, vivemos em uma Sociedade que requer mais;
exige-se aprender a interpretar, a questionar, a escrever textos e a compreendê-los,
ou seja, a refletir sobre a sua própria escrita.

É claro que há a necessidade da memorização das letras e sílabas para se poder


ter condições de escrever, mas hoje se espera muito mais do educando e a reflexão
sobre o funcionamento da linguagem é parte integrante de um bom desenvolvimento
da aprendizagem da criança.

Percebemos que há um desafio para o educador, como declara Maria Fernandes:


O desafio do educador é organizar as atividades de sala de aula a partir
dos estudos e pesquisas atuais na área da linguagem, possibilitando uma
aprendizagem da língua oral e escrita de acordo com as características da
época que está vivendo (FERNANDES, 2008).

Para tentarmos superar o desafio proposto pela autora Maria Fernandes, iremos
começar pela história da escrita, ou seja, seu surgimento e sua evolução, para
iniciarmos a compreensão do processo da língua escrita.

Há conhecimento de que o homem passou a fazer


os seus registros há milhares de anos e que foi na
antiga Mesopotâmia, localizada no Oriente Médio e
considerada o berço das civilizações.

Então, continuando, nessa região é que foram


encontrados os primeiros indícios do surgimento
da escrita, mas não podemos afirmar que a escrita
surgiu apenas em uma civilização porque há registros
de outros povos como os egípcios e os chineses, que
também desenvolveram seus sistemas de escrita. Fonte: iStock/Getty Images

Assim, podemos perceber que os povos primitivos tiveram a necessidade de


registrar seus acontecimentos e seus feitos, como se verifica nas marcas que foram
e ainda são encontradas em inúmeras cavernas, com representações variadas por
meio de traços e imagens.

7
7
UNIDADE A Escrita: Surgimento e Evolução

O sistema de escrita mais antigo de que se tem registro foi criado na Suméria,
aproximadamente 4.000 anos a.C., em que foram encontradas peças feitas
de argila com sinais que são chamados de pictográficos, ou seja, sinais que são
baseados em desenhos que representam coisas reais.
Com o tempo, esse sistema foi evoluindo, dando-se a ele o nome de sistema
cuneiforme.
Por que cuneiforme?
A palavra cuneiforme origina-se do próprio objeto que os homens da época
utilizavam para escrever, que é chamado de cunha.
Nesse sistema, cada palavra era representada especificamente por um signo.
Como dito anteriormente, não foram apenas os sumérios que desenvolveram
um sistema de escrita; os egípcios, bem próximos à época dos sumérios, também
criaram seu sistema, conhecido como hieróglifo.
Era uma escrita considerada sagrada, pois somente os sacerdotes e os membros
da realeza conheciam os sinais. Por esse motivo, a escrita do hieróglifo também
era considerada uma arte.
Algo bastante interessante a respeito desse sistema é que com os vários
estudos e pesquisas em torno dele, descobriu-se que os hieróglifos representavam
também sons e, mais tarde, depois dessas descobertas, foi possível decifrar os
sinais representados.
Com as informações anteriores, temos uma ideia de como a escrita surgiu e
podemos afirmar que com o tempo começou a haver transformações e mudanças
nesses sistemas de escrita.

Os avanços de cada sociedade vão surgindo


e com isso aparecem também as necessidades
de os povos irem se adaptando e fazendo com
que mudanças ocorram e, assim, desenvolvam-
se outros meios de escrita, o que irá facilitar a
vida dessas sociedades.

Fonte: Wikimedia Commons

Para melhor compreendermos, vamos definir alguns sistemas de escrita:


·· Sistema logográfico – È um sistema que representa uma palavra; esse
sistema não representa os sons. Algo interessante para salientarmos é que
a China utiliza-se dele até hoje. Outros povos também fizeram uso dele,
mas não até os dias atuais. Alguns exemplos de sinais logográficos que
utilizamos em nossos dias são:

$ que representa o “dinheiro”;

@ que significa “em”;

8
· Sistema ideográfico – É um sistema que representa palavras completas
ou, podemos até dizer, que representa uma ideia, ou seja, são imagens que
para compreendermos precisamos de conhecimento cultural e contextual.
Por exemplo, uma placa de trânsito é uma linguagem ideográfica.
· Sistema silábico – É um sistema que, no Brasil, por exemplo, é
representado na combinação de sons de consoantes e vogais, que formam
uma sílaba. Agora, no Japão, no sistema silábico, cada sinal realizado
representa uma sílaba;
· Sistema alfabético – É um sistema que conhecemos e utilizamos no
Brasil. Nesse sistema, cada letra corresponde a um som individual.

Esses são alguns tipos de sistema de escrita; existem outros, como o Sistema
Braile, utilizado por deficientes visuais, no qual a leitura é feita por pontos em
relevo, que representam as letras; mas os sistemas citados são suficientes para
percebermos a importância do desenvolvimento da escrita.

No processo de aprendizagem da escrita, as crianças, num primeiro momento,


começam a entender as ideias por meio das representações feitas por desenhos ou
figuras; com o tempo, vão descobrindo as letras e seus significados e começam a
fazer as combinações, criando, aos poucos, as palavras, as frases e os textos que
irão representar o mundo no qual elas vivem.

É claro que esse movimento não acontece num período curto; isso irá depender
de um longo processo que a criança inicia com seus rabiscos; com o tempo, parte
para suas combinações aleatórias e depois com junções mais elaboradas, dando-se
aos poucos a oportunidade de conhecer realmente o mundo letrado.

A Língua Portuguesa
Vamos conhecer um pouco da nossa Língua!

A nossa Língua Portuguesa é falada por aproximadamente mais de 200 milhões


de falantes nativos. É considerada a sexta língua materna mais falada no mundo.

Existem vários países que falam a Língua Portuguesa além do Brasil. Também
falam a nossa Língua: Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Angola,
Guiné-Bissau, Cabo-Verde e Timor-Leste.

A Língua Portuguesa originou-se do Latim, mas, como toda Língua, sofreu


influência dos povos e foi modificando-se em cada região em que era imposta.

Com as grandes viagens feitas pelo povo português, aproximadamente entre os


séculos XIV e XVI, a Língua Portuguesa foi sendo influenciada por várias expressões
das línguas originadas de diferentes regiões.

9
9
UNIDADE A Escrita: Surgimento e Evolução

Pode-se perceber essas influências na Língua Portuguesa falada no Brasil. No


início da colonização, a Língua sofreu influência do Tupi; com o passar do tempo e
as mudanças ocorridas pela escravidão, isto é, com os negros sendo trazidos como
escravos da África, a língua também recebeu a contribuição da influência africana.

E as influências não pararam, pois ocorreram mais tarde as invasões de outros


povos em terras brasileiras, como os holandeses e os franceses e aos poucos a
língua foi se enriquecendo com os novos vocábulos.

Também recebemos influências por meio dos imigrantes que se estabeleceram


em algumas regiões específicas do país.

Para visualizar, veja alguns exemplos que foram incorporados à língua portuguesa
do Brasil, citados por Maria Fernandes (2008, p. 15):
·· tupi: Iracema, Copacabana, Ubatuba, tatu, arara, maracujá, andiroba,
mandioca, pipoca etc.
·· línguas africanas: fubá, moleque, samba, acarajé, caçula;
·· francês: paletó, boné, batom, crepe, matinê;
·· alemão: gás, níquel;
·· italiano: macarrão, piano, partitura, bandido;
·· espanhol: bolero, castanhola;
·· japonês: camicase, sushi, sashimi;
·· inglês: hambúrguer, deletar, show, sanduíche.

Um ponto bem interessante em relação à Língua Portuguesa no Brasil é que


além das variadas influências dos diferentes povos, há uma variação interna da
língua. Isto é, há mudanças na língua nas diversas regiões do país em relação, por
exemplo, ao vocabulário e à pronúncia. E essa variedade nas regiões ocorre por
diversos fatores como geográficos, socioeconômicos e de faixa etária, entre outros.

Por esse motivo observamos e percebemos as diferentes falas das pessoas nas
variadas regiões de nosso país.

10
Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

Vídeos
História da Escrita - do papiro ao computador - parte 1
Para aprofundar seus conhecimentos assista ao vídeo disponível no link a seguir, que
conta a história da escrita, desde o papiro até o computador
https://youtu.be/r7yeiRtc1fA

11
11
UNIDADE A Escrita: Surgimento e Evolução

Referências
FERNANDES, Maria. Os segredos da alfabetização. São Paulo: Cortez, 2008.

FERREIRO, Emilia; TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da língua escrita. Porto


Alegre: Artes Médicas, 1990.

SERGIO, Ricardo. Os Sistemas de Escritas. 2010. Disponível em: <http://www.


recantodasletras.com.br/gramatica/370335>. Acesso em: 12 jan. 2013.

12