Você está na página 1de 2

fls.

204

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


COMARCA DE SÃO PAULO
FORO CENTRAL - FAZENDA PÚBLICA/ACIDENTES
10ª VARA DE FAZENDA PÚBLICA
Viaduto Dona Paulina, 80, 8º andar -, Centro - CEP 01501-020, Fone:
3242-2333r2031/, São Paulo-SP - E-mail: sp10faz@tjsp.jus.br
Horário de Atendimento ao Público: das 12h30min às19h00min

Para conferir o original, acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/pastadigital/pg/abrirConferenciaDocumento.do, informe o processo 1025025-09.2018.8.26.0053 e código 45A22E1.
DECISÃO

Processo Digital nº: 1025025-09.2018.8.26.0053


Classe - Assunto Ação Civil Pública - Minorias Étnicas
Requerente: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Requerido: Fazenda Pública do Estado de São Paulo

Juiz(a) de Direito: Dr(a). Olavo Zampol Júnior

Este documento é cópia do original, assinado digitalmente por OLAVO ZAMPOL JUNIOR, liberado nos autos em 23/05/2018 às 18:46 .
Trata-se de ação civil pública que o Ministério Público move contra a Fazenda
Pública do Estado de São Paulo, por onde busca ver anulados Editais de concursos, posto que neles
aponta vício quando deixam de fazer expressa previsão de ações afirmativas que favoreçam negros,
pardos e indígenas em igualdade de condições com os demais concorrentes, fazendo pedido liminar
no sentido de serem suspensos os certames.
Por primeiro, de se anotar que esta 10ª Vara da Fazenda Pública tem
competência para deste conhecer e julgar, posto que preventa por conexão.
O art. 55 do CPC aponta serem conexas duas ou mais ações quanto lhes for
comum o pedido OU a causa de pedir.
Sabidamente, a causa de pedir é o fato que dá origem à propositura da ação, no
caso, a ausência de previsão nos editais de concurso, de ações que promovam a igualdade de
oportunidades nos certames àqueles que antes se mencionou.
Sendo essa a mesma causa de pedir no processo 1024610-26.2018.8.26.0053,
que por ocasião da distribuição desta ainda estava em curso, posto que sua extinção sem resolução
de mérito ainda não tinha transitado em julgado, certa fica a existência da prevenção pela conexão.
Ainda que desse raciocínio se queira afastar, por ter desistido o autor do recurso
que poderia lá ser exercitado, antecipando assim o trânsito em julgado da sentença de extinção, há
outro motivo que determina a competência desta vara, ligada a causa objetivamente prevista no
inciso II do art. 286 do CPC, c.c. seu parágrafo único.
Ali se vê que, sendo extinto um processo sem resolução de mérito, se for
reiterado o pedido (inciso II) com ampliação objetiva do processo (parágrafo único), deverá ser a
nova ação distribuída por dependência àquela já julgada.
É a situação em apreço.
E não se diga que o pedido aqui deduzido seja outro, pois que idênticos seus
pedidos mediatos, expressamente em ambas as ações consignados: pretende o Ministério Público
obter tutela judicial de interesses difusos afetos a uma parcela da população à qual se está a negar a
aplicação de ações afirmativas por omissão legislativa.
Ainda que modificados os pedidos imediatos (lá buscava-se modificar o edital
com regulamentação legislativa; aqui anular os editais), não se pode dele, pedido, como um todo,
apartar aquela parcela que o compõe e representa o direito material invocado, perdendo
significância, nesta análise, a isolada prestação jurisdicional modificada (pedido imediato).
Fugir da distribuição por dependência, em afronta a expressas disposições
legais previstas para a espécie nega o princípio do Juiz Natural, ao qual devem as partes se
submeter.
fls. 205

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO


COMARCA DE SÃO PAULO
FORO CENTRAL - FAZENDA PÚBLICA/ACIDENTES
10ª VARA DE FAZENDA PÚBLICA
Viaduto Dona Paulina, 80, 8º andar -, Centro - CEP 01501-020, Fone:
3242-2333r2031/, São Paulo-SP - E-mail: sp10faz@tjsp.jus.br
Horário de Atendimento ao Público: das 12h30min às19h00min

Para conferir o original, acesse o site https://esaj.tjsp.jus.br/pastadigital/pg/abrirConferenciaDocumento.do, informe o processo 1025025-09.2018.8.26.0053 e código 45A22E1.
Tocante ao pedido liminar, fica indeferido.

Não há nesse momento presente o fumus boni juris.


A confessada omissão legislativa e os efeitos disso na realização dos certames,
diante de justificativas já conhecidas em torno dos motivos que a isso levam, já deixam o esboço
do que como contraditório aqui se terá, e só o conhecimento do mérito poderá definir a existência,
ou não, do direito invocado.
Quanto ao perigo de mora, é tênue.
Fala-se em evitar maiores dispêndios ao erário, que podem decorrer
naturalmente do avanço nas fases do concurso.
Se sopesados os prejuízos que no futuro, eventualmente, possa ter o Estado, em

Este documento é cópia do original, assinado digitalmente por OLAVO ZAMPOL JUNIOR, liberado nos autos em 23/05/2018 às 18:46 .
relação aos prejuízos que de imediato pode gerar a suspensão do certame, atingindo um sem
número de candidatos que estão se preparando para realizar a prova, com dispêndios das mais
variadas naturezas, materiais e imateriais, prefere-se, nesse momento, no cotejo das duas situações,
preservar os concorrentes, dentre os quais está inserida a população cuja proteção se quer dar
guarida, pois que da prova, igualmente, vão participar, sendo especulativo qualquer argumento de
que, pela omissão no edital, deixaram de se inscrever no certame aqueles que se beneficiariam,
eventualmente, da aplicação de qualquer ação promotora de igualdade na disputa.

Com essas considerações, tendo por ausentes os requisitos autorizadores da


liminar, fica ela indeferida.

Cite-se a ré

Intime-se.

São Paulo, 23 de maio de 2018.

DOCUMENTO ASSINADO DIGITALMENTE NOS TERMOS DA LEI 11.419/2006,


CONFORME IMPRESSÃO À MARGEM DIREITA