Você está na página 1de 7

Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais — maio 2008

Do ritmo musical para o ritmo lingüístico, a partir da análise


de uma Cantiga de Santa Maria de Afonso X
Gladis Massini-Cagliari
UNESP
gladis@fclar.unesp.br

Resumo: Estudo do ritmo lingüístico em Português Arcaico, período trovadoresco, com base na
abstração da estrutura prosódica de um período passado da língua a partir da análise do ritmo
musical das cantigas religiosas escritas em galego-português. A exemplificação é feita a partir
da Cantiga de Santa Maria 35, atribuída a Afonso X, rei de Castela (1121-1284).

Palavras-chave: ritmo lingüístico, prosódia, Cantigas de Santa Maria

1. Introdução, objetivos e apenas em registros escritos. No


fundamentação teórica entanto, estudos mais recentes (entre
eles, Halle & Keyser, 1971, para o
Este trabalho objetiva apresentar inglês, e Massini-Cagliari, 1995, 1999,
um estudo do ritmo lingüístico em 2005, para o Português Arcaico – de
Português Arcaico, período agora em diante, PA) têm mostrado que
trovadoresco, com base na abstração da a escolha de textos poéticos para se
estrutura prosódica de um período estudar fenômenos prosódicos (e, em
passado da língua a partir da análise do especial, o ritmo) de uma língua,
ritmo musical das cantigas religiosas inclusive e principalmente em seus
escritas em galego-português. Para estágios passados, já se provou
exemplificar a adequação da adequada e eficaz, sobretudo quando se
metodologia aqui proposta, considera-se toma a descrição em um nível “mais
a Cantiga de Santa Maria 35, O que a abstrato” (fonológico e não fonético).
Santa Maria der algo ou prometer, de Massini-Cagliari (1995, 1999)
Afonso X (1121-1284). As Cantigas de foi a primeira a elaborar um estudo do
Santa Maria (de agora em diante, CSM) acento lexical do PA, ao propor uma
são uma coleção de 420 cantigas metodologia que enfoca os itens lexicais
religiosas em louvor da Virgem Maria, em posição de rima, proeminência
com notação musical, mandadas principal do verso, para estabelecer os
compilar pelo Rei Sábio de Castela na padrões acentuais do PA – período da
segunda metade do século XIII, que língua para o qual não sobreviveram
sobreviveram em quatro códices: o de registros orais. No entanto, a
Toledo (To), o menor e o mais antigo; o metodologia adotada nesses trabalhos,
códice rico de El Escorial (T), o mais mesmo abrindo novos horizontes para
rico em conteúdo artístico, que forma estudos de fenômenos prosódicos como
um conjunto (os chamados códices das silabação, sândi e acento lexical,
histórias) com o manuscrito de Florença mostrou-se limitada para a
(F); e o mais completo, o códice dos determinação do padrão prosódico de
músicos – El Escorial (E) (cf. itens lexicais que não aparecem em
Parkinson, 1998, p. 180). posição de rima. Por exemplo, há
Por muito tempo, acreditou-se padrões acentuais que são apontados
ser impossível o estudo do ritmo como existentes pelos estudiosos desde
lingüístico de períodos passados da a tradição filológica oitocentista, mas
língua, porque esses sobreviveram que nunca comparecem no corpus em
Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais — maio 2008

posição de rima. É o caso das A idéia que subjaz a esta


proparoxítonas. No entanto, há metodologia é a de que as
controvérsias quanto à existência desse proeminências musicais combinam
padrão no período arcaico da língua preferencialmente com proeminências
portuguesa. Os poucos autores que nos níveis poético e lingüístico. Desta
tratam do assunto concordam em forma, a divisão dos compassos
relação ao fato de que o PA possuía musicais das cantigas e a localização
uma grande quantidade de palavras dos tempos fortes das batidas musicais
paroxítonas e oxítonas, mas discordam podem auxiliar, por exemplo, na
quanto à existência de proparoxítonas. determinação de proeminência principal
de palavras que não tenham ocorrido em
2. Método posição de rima no corpus (a sílaba que
ocorre em posição de proeminência
Na presente análise, faz-se musical tem muito mais chance de ser
indispensável uma interface com a tônica do que a que não ocorre); ou na
Música, já que as poesias medievais determinação do status prosódico (átono
galego-portuguesas eram cantigas, isto ou tônico) de clíticos (que geralmente
é, peças poético-musicais feitas para não ocorrem em posição tônica final de
serem cantadas. O objetivo principal é verso). O estudo-piloto de Costa (2008,
extrair elementos da notação musical (a em preparação), em direção à sua tese
partir da interpretação da notação da de Doutorado sobre o assunto, feito a
época e da transcrição para uma notação partir da análise de uma amostra de
musical moderna que faz Anglés, 1943) cinco CSM, mostrou que, de um total de
que possam se constituir em argumentos 178 palavras contidas na amostra, o
para a realização fonética das cantigas acento lexical coincidia com a posição
quanto à sua estrutura silábica e ao seu de proeminência musical em 139 casos
ritmo lingüístico. Neste sentido, a (78,09%, portanto).
estrutura musical pode providenciar A coincidência entre sílabas
pistas para a análise de processos tônicas e proeminências musicais pode
lingüísticos, a partir da observação de ser exemplificada a partir da análise da
“acertos” e “desacertos” entre as interpretação que Anglés (1943: 43) faz
proeminências musicais e lingüísticas, da notação musical do refrão da CSM35
que fornecem pistas para os limites de (figura 1), cantiga registrada em To92,
ocorrência do acento secundário, para a T35 e E35. A figura 2 traz a lição de
silabação e para a identificação do E35 para o refrão e a primeira estrofe
acento lexical de palavras das quais se dessa cantiga, versão na qual se baseia
desconhece a posição do acento principalmente a interpretação de
primário ou acerca das quais se tem Anglés (1943).
alguma dúvida quanto à pauta acentual.

3. Resultados: análise da CSM 35

Este trabalho objetiva mostrar


que uma análise em paralelo do texto
poético e da notação musical das
cantigas trovadorescas se constitui em
um instrumento auxiliar importante para
a análise lingüística do acento e do
ritmo (lingüísticos) do PA.
Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais — maio 2008

A CSM 35 é uma longa cantiga


de 134 versos (na edição de Mettmann,
1986, p. 144-149), divididos em 26
estrofes. Para a análise quantitativa, o
refrão foi considerado apenas uma vez,
já que o texto que o acompanha se
repete 27 vezes. A tabela 1, adiante, faz
um resumo da relação entre
proeminência musical e pauta prosódica
das palavras que caem nessa posição,
com relação à notação da CSM35.
A partir da divisão em
compassos proposta por Anglés (1943),
pode-se verificar uma tendência de
sílabas proeminentes no nível
lingüístico caírem em posição de
proeminência musical: a tabela 1 mostra
que, somados os casos em que sílabas
tônicas de polissílabos e monossílabos
tônicos caem no início do compasso
(acento musical), tem-se um total de
58.3% de coincidência entre
proeminências. No entanto, o exemplo
Figura 1. Interpretação de Anglés (1943: 43) da mostra que há a possibilidade de sílabas
música da CSM35. com outra pauta prosódica, átonas
finais, pretônicas ou monossílabos
átonos (clíticos), caírem na posição
proeminente em nível musical.

Tabela 1. Pauta prosódica das sílabas em posição inicial do compasso musical – CSM35.

Pauta prosódica da sílaba em posição inicial do quantidade de unidades de tempo


compasso musical (≅ compassos)
tônica 337 (38.6%)
monossílabo tônico 172 (19.7%)
monossílabo átono (clítico) 148 (16.9%)
pretônica 110 (12.6%)
átona final 107 (12.2%)
TOTAL 874 (100%)
Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais — maio 2008

Figura 2. Refrão e primeira estrofe da CSM35, em E35 (Anglés, 1964: fólios 57v-58r).

finais tônicas das palavras prometer e


Na CSM35, em 19.7% dos casos toller, no refrão. Nesta cantiga
a proeminência cai sobre monossílabos específica, inclusive, em posição de
considerados tônicos (ca, que, der, é, fez, final de constituinte prodósico (por
quen, mui, seus, greu, etc.); no entanto, cesura ou final de verso), só ocorrem em
em 16.9% a proeminência musical posição de proeminência musical
principal do compasso recai sobre tônicas de polissílabos e monossílabos
monossílabos normalmente considerados intrinsecamente tônicos. A observação
átonos: artigos definidos, artigos de fatos desta natureza mostra que a
indefinidos masculinos (un(s)), notação musical pode também servir
preposições – de (e contrações com o para dirimir dúvidas quanto à
artigo: do(s) da(s)) e en (e contrações delimitação de constituintes prosódicos
com o artigo: no(s), na(s)) -, conjunções em posição final e interna de verso.
(se, e), pronomes clíticos (o(s), a(s), Nesta cantiga em particular,
lle(s), u), advérbios (y). Esta é uma pista também é possível encontrar sílabas
de que, naquela época, os clíticos talvez átonas finais de palavras ocupando a
pudessem assumir proeminência, mesmo posição de proeminência musical (em
a principal, em certos versos – o que os 12.2% dos casos, cf. tabela 1). Com
torna de geralmente subordinados, mas exceção de apenas 6 casos (entre 107),
não completamente átonos, a as sílabas átonas de final de palavra só
prosodicamente independentes, portanto, ocorrem em posições nas quais as
não tão “clíticos”. sílabas tônicas ou pretônicas adjacentes
O alongamento é uma marca aparecem alongadas (têm duração maior
recorrente de limite de constituinte ou corresponde a uma quantidade maior
musical e prosódico: vejam-se as figuras de figuras musicais), em comparação
musicais correspondentes às sílabas com a figura correspondente à àtona
Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais — maio 2008

final – o que, no nível da duração, de manutenção do ritmo poético/musical


mantém a relação de proeminência e da quantidade de sílabas poéticas
original entre essas sílabas: como necessária à constituição do verso, a
exemplo, vejam-se as figuras musicais pronúncia dessa palavra, neste contexto
equivalente às sílabas: ta, de Santa específico, pode ser reliquías.
(refrão); me, de ome (primeiro verso da A mesma alteração de
primeira estrofe); no de inferno (segundo posicionamento da proeminência
verso da 15ª estrofe). principal com vistas à manutenção da
rima pode ser verificada oitava estrofe
desta cantiga, em que as palavras
(também de origem latina) Colistanus e
Brutus rimam com chus (um
monossílabo tônico):
Figura 3. Notação musical correspondente à
palavra inferno (CSM35, segundo verso da 15ª Dun mercador que avia | per nome
estrofe) Colistanus,
que os levass' a Bretanna, | a que
As 6 exceções referidas pobrou rei Brutus;
anteriormente dão conta de 5 casos em e entrou y tanta gente | que non
que a átona final tem duração igual a das cabian y chus,
sílabas tônicas e/ou pretônicas adjacentes de mui ricos mercadores | que
(exemplo: sílaba do de querendo levavan grand' aver.
(terceiro verso da 23ª estrofe: querendo O que a Santa Maria der algo ou
vingar sa Madre, | fez com' aquel que prometer...
aduz) e de um caso em que recai na
posição de proeminência do compasso a A observação da notação musical
sílaba qui da palavra reliquias (terceiro pode também trazer contribuições para a
verso da segunda estrofe). Com relação a solução de dúvidas quanto à posição do
este caso específico, deve ser feita uma acento primário em palavras específicas,
observação importante. A palavra com relação às quais se tem dúvida
reliquias tem apenas uma ocorrência quanto à pauta acentual (por exemplo, se
nesta cantiga, variando com relica(s), paroxítona ou proparoxítona). A notação
que, por sua vez, aparece dez vezes. musical da cantiga CSM35 traz
Como reliquias aparece internamente ao evidências a favor da consideração da
verso, em posição logo anterior à cesura, existência de proparoxítonas em PA,
em conformidade com o que acontece uma vez que, na palavra crerigos
em outras CSM, o poeta pode ter (quarto verso, segunda estrofe), a sílaba
subordinado a estrutura lingüística da que coincide com a posição de acento
palavra às necessidades da rima e da musical é a antepenúltima.
métrica, recorrendo a um termo latino
antigo já em desuso na época, alterando-
lhe a posição do acento, entretanto. Essa
alteração na posição do acento de
palavra pode ser sustentada ao constatar
que a sílaba qui de reliquias é a única
das 26 sílabas nessa posição
(considerando-se que são 26 estrofes Figura 4. Notação musical correspondente à
cantadas com a mesma melodia) que não palavra crerigos (CSM35, quarto verso da 2ª
é uma tônica primária. Ora, este fato nos estrofe)
leva a pensar que, por razões estilísticas
Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais — maio 2008

Além da determinação de a realização fonética das cantigas,


proeminências principais em caso de quanto à sua estrutura silábica e ao seu
dúvida, observação da notação musical ritmo lingüístico (no que diz respeito à
pode também fornecer pistas da ocorrência de acentos secundários, à
localização de proeminências identificação do padrão prosódico de
secundárias ou rítmicas. Em outras palavras específicas e à delimitação de
palavras, em palavras longas, com mais constituintes prosódicos mais altos).
de uma sílaba pretônica, a notação Desta forma, a observação da notação
musical pode indicar qual delas era musical pode ser considerada uma fonte
realizada com maior proeminência. secundária de informações relativas à
Nesta cantiga 35, evidências neste prosódia de línguas “mortas”, um
sentido são fartas, uma vez que o instrumento auxiliar confiável, que pode
posicionamento de sílabas pretônicas ser aproveitado para confirmar ou
como proeminência musical pode gerar infirmar hipóteses levantadas com base
uma onda rítmica, que produz/marca nas fontes primárias (registros escritos
proeminências lingüísticas secundárias. das cantigas) e dirimir dúvidas.
Como exemplo, podem ser citadas as
realizações das palavras feramente 5. Subáreas de conhecimento
(terceiro verso da terceira estrofe),
mercadores (primeiro verso da 22ª Lingüística Histórica; Letras,
estrofe) e Emperadriz (primeiro verso da Lingüística e Artes; Língua Portuguesa
24ª estrofe), cuja notação correspondente
favorece a interpretação de um acento 6. Referências
secundário sobre as sílabas fe, mer e pe,
respectivamente – o que favorece a ANGLÉS, H. La Música de las
interpretação do ritmo de base da língua Cantigas de Santa María del Rey
como trocaico. Alfonso el Sabio. – Facsímil,
transcripción y estudio critico por
Higinio Anglés. Barcelona: Diputación
Provincial de Barcelona; Biblioteca
Central; Publicaciones de la Sección de
Música, 1943. Volume II –
Transcripción Musical.
Figura 5. Notação musical correspondente à ANGLÉS, H. La Música de las
palavra Emperadriz (CSM35, primeiro verso da Cantigas de Santa María del Rey
24ª estrofe) Alfonso el Sabio. – Facsímil,
transcripción y estudio critico por
4. Conclusões Higinio Anglés. Barcelona: Diputación
Provincial de Barcelona; Biblioteca
A partir da aplicação de uma Central; Publicaciones de la Sección de
metodologia totalmente nova à análise Música, 1964. Volume I: Facímil del
da CSM100 de Afonso X, foi possível Códice j.b.2 de El Escorial.
mostrar que a interface Música-
Lingüística pode trazer contribuições COSTA, D. S. A relação entre o ritmo
para a análise lingüística da prosódia de musical e o ritmo lingüístico nas
línguas do passado, das quais não se tem Cantigas de Santa Maria. Tese de
registros orais. Os exemplos focalizados Doutorado (em preparação). Araraquara,
mostram que é possível extrair FCL/UNESP.
elementos da notação musical que HALLE, M.; KEYSER, S. J. English
podem se constituir em argumentos para Stress: its form, its growth, and its
Anais do SIMCAM4 – IV Simpósio de Cognição e Artes Musicais — maio 2008

role in verse. New York: Harper &


Row, 1971.
MASSINI-CAGLIARI, G. Cantigas de
amigo: do ritmo poético ao lingüístico.
Um estudo do percurso histórico da
acentuação em Português. Tese de
doutorado. Campinas, UNICAMP, 1995.
MASSINI-CAGLIARI, G. Do poético
ao lingüístico no ritmo dos trovadores:
três momentos da história do acento.
Araraquara: FCL, Laboratório Editorial,
UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica,
1999.
MASSINI-CAGLIARI, G. A música da
fala dos trovadores: Estudos de
prosódia do Português Arcaico, a partir
das cantigas profanas e religiosas.
Araraquara: Faculdade de Ciências e
Letras, 2005. Tese de Livre-Docência.
METTMANN, W. (Ed.). Cantigas de
Santa María (cantigas 1 a 100):
Alfonso X, el Sabio. Madrid: Castalia,
1986.
PARKINSON, S. As Cantigas de Santa
Maria: estado das cuestións textuais.
Anuario de estudios literarios galegos
(1998): 179-2