Você está na página 1de 56

INSTALAÇÕES D

ABNT NBR 5410: 2004 VERSÃO CORRIGIDA 2008


Instalações elétricas de baixa tensão

ABNT NBR 11301:1990


Cálculo da capacidade de condução de corrente de
cabos isolados em regime permanente (fator de
carga 100%) - Procedimento

ABNT NBR 13534:2008


Instalações elétricas de baixa tensão - Requisitos
específicos para instalação em estabelecimentos
assistenciais de saúde

ABNT NBR 14639:2014


Armazenamento de líquidos inflamáveis e
combustíveis — Posto revendedor veicular
(serviços) e ponto de abastecimento — Instalações
elétricas

ABNT NBR 13570:1996


Instalações elétricas em locais de afluência de
público - Requisitos específicos

INSTALAÇÕES ATMO
ATERRA

ABNT NBR 7117:2012


Medição da resistividade e determinação da
estratificação do solo

ABNT NBR 16527:2016


Aterramento para sistemas de distribuição

ABNT NBR 16254-1:2014


Materiais para sistemas de aterramento
Parte 1: Requisitos gerais

ABNT NBR 15751:2009 Emenda 1:2013


Sistemas de aterramento de subestações —
Requisitos

ABNT NBR 15749:2009


Medição de resistência de aterramento e de
potenciais na superfície do solo em sistemas de
aterramento

ABNT NBR 13571:1996


Haste de aterramento aço-cobreada e acessórios -
Especificação

ABNT NBR 16085:2012


Poços de visita e poços de inspeção para sistemas
enterrados — Requisitos e métodos de ensaio

INSTALAÇÕES D

ABNT NBR 14039:2005


Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a
36,2 kV

ILUMI
ABNT NBR ISO/CIE 8995-1:2013
[ ANTIGA NBR 5413 ]
Iluminação de ambientes de trabalho
Parte 1: Interior

ABNT NBR 5101:2012


Iluminação pública — Procedimento
SP

ABNT NBR 5419-1:2015


Proteção contra descargas atmosféricas
Parte 1: Princípios gerais

ABNT NBR 5419-2:2015


Proteção contra descargas atmosféricas
Parte 2: Gerenciamento de risco

ABNT NBR 5419-3:2015


Proteção contra descargas atmosféricas
Parte 3: Danos físicos a estruturas e perigos à vida

ABNT NBR 5419-4:2015


Proteção contra descargas atmosféricas
Parte 4: Sistemas elétricos e eletrônicos internos na
estrutura

SIMBO

ABNT NBR 5444:1989 CANCELADA


Símbolos gráficos para instalações elétricas prediais

CÓD

ABNT NBR IEC 62262:2015


Graus de proteção assegurados pelos invólucros de
equipamentos elétricos contra os impactos
mecânicos externos (código IK)

CÓD

ABNT NBR IEC 60529:2017


Graus de proteção providos por invólucros (Códigos
IP)

Vocab

ABNT NBR IEC 60050-826:1997 CANCELADA


[ANTIGA ABNT NBR 5473:1986]
Vocabulário eletrotécnico internacional
Capitulo 826: Instalações elétricas em edificações

Compatibilidade ele
ABNT NBR IEC 61000-4-2:2013
Compatibilidade eletromagnética (EMC)
Parte 4-2: Ensaios e técnicas de medição — Ensaio
de imunidade de descarga eletrostática

ABNT NBR IEC 61000-4-3:2014


Compatibilidade eletromagnética (EMC)
Parte 4-3: Ensaios e técnicas de medição — Ensaio
de imunidade a campos eletromagnéticos de
radiofrequências irradiados

ABNT NBR IEC 61000-4-4:2015


Compatibilidade eletromagnética (EMC)
Parte 4-4: Ensaios e técnicas de medição - Ensaio de
imunidade a transiente elétrico rápido/salva

ABNT NBR IEC 61000-4-5:2017


Compatibilidade eletromagnética (EMC)
Parte 4-5: Ensaios e técnicas de medição — Ensaio
de imunidade a surtos

ABNT NBR IEC 61000-4-6:2011


Compatibilidade eletromagnética (EMC)
Parte 4-6: Técnicas de medição e ensaio -
Imunidade à perturbação conduzida, induzida por
campos de radiofrequência

ABNT NBR IEC 61000-4-30:2011


Compatibilidade eletromagnética
Parte 4-30: Técnicas de medição e ensaio - Métodos
de medição de qualidade da energia

Trabalho em instalaçõ

ABNT NBR IEC 61318:2014


Trabalho em instalações elétricas energizadas —
Avaliação da conformidade aplicável a ferramentas,
dispositivos e equipamentos

VESTI
ABNT NBR IEC 61482-1-1:2017
Trabalhos em tensão — Vestimenta de proteção
contra riscos térmicos de um arco elétrico
Parte 1-1: Métodos de ensaio — Método 1:
Determinação da resistência ao arco elétrico (ATPV
ou EBT50) de materiais resistentes à chama para
vestimenta
ABNT NBR IEC 61482-1-2:2017
Trabalho em tensão - Vestimenta de proteção
contra riscos térmicos de um arco elétrico
Parte 1-2: Métodos de ensaio - Método 2:
Determinação de classe de proteção ao arco
elétrico de material e vestuário utilizando um arco
elétrico direcionado e restringido (box test)

ABNT NBR IEC 61482-2:2016


Trabalhos sob tensão — Vestimenta de proteção
contra os riscos térmicos de um arco elétrico
Parte 2: Requisitos

LU
ABNT NBR 16295:2014
Luvas de material isolante

BO
ABNT NBR 16603:2017 Versão Corrigida:2017 :
Equipamento de proteção individual - Calçado
isolante elétrico para trabalhos em instalações
elétricas de baixa tensão até 500 V em ambiente
seco - Requisitos e métodos de ensaios

MAN
ABNT NBR 10623:1989
Mangas isolantes de borracha - Especificação

Capacete de se
ABNT NBR 8221:2015
Capacete de segurança para uso ocupacional -
Especificação e métodos de ensaio

LUVA V
ABNT NBR 13712:1996
Luvas de proteção
SUBES

ABNT NBR 13231:2015


Proteção contra incêndio em subestações elétricas

ATMOSFERA EXPLOSIVA

ATERRAMENTO
INSTALAÇÕES DE BAIXA TENSÃO

Esta Norma estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão, a fim de garantir a seg
animais, o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens.

Esta Norma fixa as condições exigíveis para o cálculo da capacidade de condução de corrente de cabos isolados em regime
tensões alternadas, em tensões contínuas até 5kV, diretamente enterrados, em dutos, em canaletas ou em tubos de aço, b

Aplica-se o disposto na ABNT NBR 5410, com as seguintes exceções: Adicionar: Os requisitos específicos desta Norma aplic
elétricas em estabelecimentos assistenciais de saúde, visando garantir a segurança dos pacientes e dos profissionais de saú
utilização de um local médico for alterada, em particular com a introdução de procedimentos mais complexos, deve-se ade
existente à alteração promovida, de acordo com os requisitos desta Norma. Essa é uma questão ainda mais crítica se envol
intracardíacos e de sustentação de vida de pacientes. NOTA 2 Quando
pode ser utilizada em clínicas veterinárias. No
aplica a equipamentos eletromédicos. Para equipamentos eletromédicos, ver série de normas ABNT NBR IEC 60601.

Esta Norma estabelece os princípios gerais e requisitos adicionais necessários para instalações de materiais e equipamento
automação e de telecomunicação, utilizados em posto revendedor veicular e ponto de abastecimento interno de combustí

Esta Norma fixa os requesitos específicos exigíveis as instalações elétricas em locais de afluência de público, a fim de garan
adequado, a segurança de pessoas e de animais domésticos e a conservação dos bens.

INSTALAÇÕES ATMOSFERAS EXPLOSIVAS


ATERRAMENTO

Esta Norma estabelece os requisitos para medição da resistividade e determinação da estratificação do solo. Esta Norma fo
aplicação em projetos de aterramentos elétricos. A aplicabilidade desta Norma pode ter restrições em instalações de grand
necessários recursos de geofísica não abordados. Esta Norma não se aplica a estratifi cações oblíquas e verticais.

Esta Norma fornece diretrizes para a elaboração de projetos de aterramento de sistemas elétricos de distribuição, em tensõ

Esta parte da ABNT NBR 16254 estabelece os requisitos mínimos para os materiais utilizados em sistema de aterramento e
métodos de ensaios a serem realizados nesses materiais a fim de verificar a conformidade com os requisitos desta Norma e

Esta Norma especifica os requisitos para dimensionamento do sistema de aterramento de subestações de energia elétrica,
sujeitos a solicitações em freqüência industrial.

Esta Norma estabelece os critérios e métodos de medição de resistência de sistemas de aterramento e de potenciais na su
define as características gerais dos equipamentos que podem ser utilizados nas medições e os conceitos para avaliação dos

Esta Norma fixa os requisitos mínimos exigíveis para hastes de aterramento aço-cobreadas e seus acessórios, utilizados em
transmissão e distribuição de energia elétrica, em instalações elétricas industriais, comerciais, rurais, prediais e residenciais
telecomunicação e centro de processamento de dados e outros.

Esta Norma estabelece os requisitos mínimos exigíveis para a fabricação, controle da qualidade e aceitação de peças pré-m
execução de poços de visita e poços de inspeção para sistemas enterrados. Esta Norma estabelece também as característic
parâmetros de dosagem, características do acabamento, método de cura, dimensões e tolerâncias, bem como critérios par
parâmetros para aceitação de peças pré-moldadas de concreto destinadas a execução de poços de visita e poços de inspeç

INSTALAÇÕES DE ALTA TENSÃO

Esta Norma estabelece um sistema para o projeto e execução de instalações elétricas de média tensão, com tensão nomina
freqüência industrial, de modo a garantir segurança e continuidade de serviço.

ILUMINAÇÃO
Esta Norma especifica os requisitos de iluminação para locais de trabalho internos e os requisitos para que as pessoas dese
de maneira eficiente, com conforto e segurança durante todo o período de trabalho.

Esta Norma estabelece os requisitos para iluminação de vias públicas, propiciando se gurança aos tráfegos de pedestres e d

SPDA

Esta Parte da ABNT NBR 5419 estabelece os requisitos para a determinação de proteção contra descargas atmosféricas.

Esta Parte da ABNT NBR 5419 estabelece os requisitos para análise de risco em uma estrutura devido às descargas atmosfé

Esta Parte da ABNT NBR 5419 estabelece os requisitos para proteção de uma estrutura contra danos físicos por meio de um
Proteção contra Descargas Atmosféricas - e para proteção de seres vivos contra lesões causadas pelas tensões de toque e p
um SPDA.

Esta Parte da ABNT NBR 5419 fornece informações para o projeto, instalação, inspeção, manutenção e ensaio de sistemas d
eletrônicos (Medidas de Proteção contra Surtos ─ MPS) para reduzir o risco de danos permanentes internos à estrutura dev
eletromagnéticos de descargas atmosféricas (LEMP).

SIMBOLOGIA

A Norma foi cancelada sem substituição em: 10/11/2014. Atualmente o setor utiliza os símbolos do database das I EC 6041
use on equipment – 12-month subscription to online database comprising all graphical symbols
published in IEC 60417 e IEC 60617 – Graphical symbols for diagrams – 12- month subscription to online database comprisi
60617.

CÓDIGO IK

Esta Norma é aplicável à classificação dos graus de proteção assegurados pelos invólucros contra os impactos mecânicos ex
equipamentos elétricos com tensão nominal não superior a 72,5 kV.

CÓDIGO IP

Esta Norma é aplicada para a classificação dos graus de proteção providos aos invólucros dos equipamentos elétricos com
superior a 72,5 kV.

Vocabulário

Esta Norma define termos relacionados a instalações, permanentes ou temporárias, de utilização de energia elétrica, em e
residencial, comercial, industrial, em locais de afluência de público e outros locais equivalentes. Esta Norma foi cancelada d
sua equivalente na IEC.

Compatibilidade eletromagnética (EMC)


Esta parte da ABNT NBR IEC 61000 se refere aos requisitos de imunidade e aos métodos de ensaio para equipamento eletr
descargas de eletricidade estática, diretamente a partir de operadores em objetos adjacentes. Adicionalmente, esta Norma
ensaio relacionadas a diferentes ambientes e condições de instalação e estabelece procedimentos de ensaio.

Esta parte da ABNT NBR IEC 61000 é aplicável aos requisitos de imunidade de equipamentos elétricos e eletrônicos para a
irradiada. Ela estabelece níveis de ensaio e os procedimentos de ensaio necessários.

Esta parte da ABNT NBR IEC 61000 refere-se à imunidade de equipamentos elétricos e eletrônicos para transientes elétrico
Fornece requisitos de imunidade e procedimentos de ensaio relacionados a transientes elétricos rápidos/salvas. Além disso
níveis de ensaio e estabelece procedimentos.

Esta Parte da ABNT NBR IEC 61000 está relacionada com os requisitos de imunidade, métodos de ensaio e níveis de ensaio
equipamentos, com relação a surtos unidirecionais causados por sobretensões transitórias provenientes de manobras e de
definidos vários níveis de ensaio, que se relacionam a diferentes condições de ambiente e instalação. Estes requisitos foram
aplicáveis aos equipamentos elétricos e eletrônicos

Esta parte da ABNT NBR IEC 61000-4 está relacionada aos requisitos de imunidade conduzida de equipamento eletroeletrô
eletromagnéticas provenientes de transmissores intencionais de radiofrequência na faixa de 9 kHz a 80 MHz. Exclui-se o eq
no mínimo um cabo condutor (como de alimentação de energia, linha de sinal ou conexão de terra), através do qual campo
ser captados pelo equipamento.

Esta parte da ABNT NBR IEC 61000-4 define os métodos para medição e interpretação dos resultados de parâmetros da qu
em sistemas de alimentação em corrente alternada a 50/60 Hz

Trabalho em instalações elétricas energizadas

Esta Norma fornece elementos para avaliação da conformidade de produtos. Não são aceitáveis defeitos críticos em ferram
equipamentos para trabalho em instalações elétricas energizadas. Defeitos críticos são aqueles que resultam em falha ou e
funcionalidade, enquanto que defeitos toleráveis não reduzem significativamente sua funcionalidade.

EPI

VESTIMENTA
Esta Parte da ABNT NBR IEC 61482 especifica os métodos de ensaio para medir o valor de desempenho térmico de materia
utilização em vestuário, resistentes ao calor e à chama para trabalhadores expostos aos efeitos térmicos de arcos elétricos
vestuário utilizando estes materiais.
Esta Parte da IEC 61482 especifica procedimentos para ensaiar material e peça de vestuário destinada à utilização em vestu
chama por trabalhadores se houver risco de arco elétrico. Um arco elétrico direcionado e restringido em um circuito de en
classificar os materiais e vestuário em duas classes definidas de proteção ao arco elétrico.

Esta Parte da ABNT NBR IEC 61482 é aplicável às vestimentas de proteção utilizadas em trabalhos se existir um risco de arco

LUVAS
Esta Norma é aplicável a: luvas isolantes e luvas isolantes de proteção sem divisão para os quatro dedos, que são normalm
com luvas de proteção vestidas sobre as luvas isolantes para prover proteção mecânica; luvas isolantes e luvas isolantes de
os quatro dedos, utilizáveis sem as luvas de proteção.

BOTAS
Esta Norma estabelece os requisitos e os métodos de ensaio para calçados projetados como equipamento de proteção ind
isolação elétrica em instalações elétricas de baixa tensão até 500 V, em condições secas.

MANGOTE
Esta Norma fixa as condições mínimas exigíveis para as mangas isolantes de borracha para proteção contra choques elétric
eletricistas, quando em contato acidental com condutores ou equipamentos elétricos energizados.

Capacete de segurança classe B


Esta Norma estabelece tipos e classes de capacetes de segurança para uso ocupacional, fixa os requisitos mínimos quanto
de desempenho, e prescreve os ensaios para a avaliação dos referidos capacetes, os quais são destinados à proteção da ca
penetração e riscos elétricos no uso ocupacional.

LUVA VAQUETA
Esta Norma estabelece os princípios gerais para a padronização de luvas de proteção confeccionadas em couro ou tecido.
SUBESTAÇÕES

Esta Norma estabelece os requisitos mínimos exigíveis para proteção contra incêndio em subestações elétricas, de sistema
distribuição de energia. As subestações podem ser do tipo externa ou interna, convencional ou compacta.

FAMILIA 60079-10

norma IEEE81 e a NBR 7117/2012


x

x
x

x
x

x
ANÁLISE DOS FL

• Óleo Mineral: Os óleos minerais são obtidos a partir da refinação do petróleo, constituindo-se bas
Seu processo de obtenção inicia-se com a destilação do petróleo bruto, passando pela refinação par
compostos ácidos e insaturados por meio de agentes adsorventes, hidrogenação catalítica ou extraç
São classificados em dois tipos: parafínicos e naftênicos. Esta classificação diz respeito ao petróleo b
Para fins de manutenção e operação convencional em transformadores pode-se considerar igualmen

• Óleo Vegetal: É um fluido dielétrico a base de éster natural formulado de recursos naturais renová
Considerado um fluido de segurança, com excelentes qualidades de resistência ao fogo, cumprindo c
É biodegradável tanto em ambientes sólidos como aquáticos, provenientes de fonte renovável.

• Silicone: Esse líquido além de boas características de condução térmica satisfaz as exigências eletro
É compatível com os materiais de construção, suporta gradientes elevados de temperatura e apresen

• R-Temp: Sua função não é apenas a de transferir calor, atua também como fluido isolante (elétrico

ENSAIOS FIS

Tensão Interfacial (NBR-6234) - A tensão interfacial entre o óleo e a água detecta contaminantes po
Esta característica varia com rapidez durante os estágios iniciais de envelhecimento, mas tende a est
Uma rápida diminuição da tensão interfacial pode também ser uma indicação de problemas de com
enchimento com óleo.

ABNT NBR 6234:2015


Óleo mineral isolante - Determinação da tensão
interfacial de óleo-água pelo método do anel -
Método de ensaio

Acidez (NBR-14248) - Ensaio realizado conforme NBR-14248.


O índice de neutralização do óleo é a medida dos componentes ácidos presentes no óleo.
Os ácidos têm um impacto na degradação dos materiais celulósicos e podem também ser responsáv

ABNT NBR 14248:2009


Produtos de petróleo - Determinação do número de
acidez e de basicidade - Método do indicador

Fator de Perdas Dielétricas (NBR-12133) - Ensaio realizado conforme NBR-12133.


O fator de perdas dielétricas e resistividade são parâmetros muito sensíveis a presença de contamin
Valores altos do fator de dissipação dielétrica ou valores baixos de resistividade podem afetar prejud
ABNT NBR 12133:1991
Líquidos isolantes elétricos - Determinação do fator
de perdas dielétricas e da permissividade relativa
(constante dielétrica) - Método de ensaio

Cor (NBR-14483) - Ensaio realizado conforme NBR-14483.


A cor de um óleo isolante é determinada pela luz transmitida e é expressa por um valor numérico ba
Não é uma propriedade crítica, mas pode ser útil para a avaliação comparativa.
Um número de cor que aumenta rapidamente ou muito alto pode ser uma indicação de deterioraçã

ABNT NBR 14483:2015


Produtos de petróleo - Determinação da cor -
Método do colorímetro ASTM

Rigidez Dielétrica (NBR-6869 e NBR IEC-60156) - Ensaio realizado conforme NBR-6869 (método com
É uma medida da capacidade do óleo resistir a solicitação elétrica.
O ensaio objetiva verificar a pureza do produto e, por conseguinte, a qualidade dos processos de fab

ABNT NBR 6869:1989


Líquidos isolantes elétricos - Determinação da
rigidez dielétrica (eletrodos de disco)

ABNT NBR IEC 60156:2004


Líquidos isolantes - Determinação da rigidez
dielétrica à freqüência industrial - Método de
ensaio

Teor de Água (NBR-10710) - Ensaio realizado conforme NBR-10710.


O ensaio consiste na determinação, através de reações químicas, da quantidade de água presente na
Há duas causas para o aumento da água na isolação do transformador: a entrada de umidade prove

ABNT NBR 10710:2006


Líquido isolante elétrico - Determinação do teor de
água

Densidade (NBR-7148) - Ensaio realizado conforme NBR-7148.


A densidade é usada para identificação do tipo de óleo.
É a medida da quantidade de massa por volume dos materiais.

ABNT NBR 7148:2013 Versão Corrigida:2014


Petróleo e derivados de petróleo — Determinação
da massa específica, densidade relativa e °API —
Método do densímetro

Índice de Refração (NBR-5778) - Ensaio realizado conforme NBR-5778.


O índice de refração identifica a pureza das amostras.
ABNT NBR 5778:1977 [ CANCELADA ]
Determinação do índice de refração
ANÁLISE CROMATOGRÁF
Ensaio realizado conforme NBR-7070 (extração a vácuo) ou ASTM 3612-C (headspace).
Determina a concentração dos gases dissolvidos no óleo a fim de diagnosticar possíveis defeitos e/o
Avaliação e interpretação dos resultados pela NBR-7274 e quando necessário: Laborelec, Rogers Rati

ABNT NBR 7070:2006


Amostragem de gases e óleo mineral isolantes de
equipamentos elétricos e análise dos gases livres e
dissolvidos

ASTM D3612:2017
Standard Test Method for Analysis of Gases
Dissolved in Electrical Insulating Oil by Gas
Chromatography

ABNT NBR 7274:2012


Interpretação da análise dos gases de
transformadores em serviço

ENSAIO QUÍM
Viscosidade (NBR-10441) - Ensaio realizado conforme NBR-10441.
Viscosidade é a medida da força necessária para o escoamento de um líquido.
Está relacionada à velocidade de fluxo do líquido dielétrico e tem influência sobre a transferência de

ABNT NBR 10441:2014


Produtos de petróleo — Líquidos transparentes e
opacos — Determinação da viscosidade cinemática
e cálculo da viscosidade dinâmica

Estabilidade à oxidação (NBR-10504 e NBR-15362-ROBOT)


Ensaio realizado conforme NBR-10504 (Flowmeter - óleo não inibido) e NBR-15362 (RBOT - óleo inib
Estabilidade a oxidação é a capacidade do óleo mineral isolante de suportar a oxidação sob solicitaçã
A propriedade é definida como resistência a formação de compostos ácidos, borra e compostos que

ABNT NBR 10504:2010


Óleo mineral isolante – Determinação da
estabilidade à oxidação
ABNT NBR 15362:2006
Óleo mineral isolante inibido - Determinação da
estabilidade à oxidação pela bomba rotativa

Enxofre Corrosivo (NBR-10505) - Ensaio realizado conforma NBR-10505.


Na maioria dos casos, os óleos isolantes estão em contato contínuo com metais sujeitos a corrosão.
A presença de compostos corrosivos de enxofre é prejudicial, pois resulta na deterioração desses me
temperatura. A avaliação dessas impurezas indesejáveis, ainda que não seja em termos de valores q

ABNT NBR 10505:2017


Líquidos isolantes elétricos - Determinação de
enxofre corrosivo

Enxofre Total (NBR-15433) - Ensaio realizado conforme NBR-14533.


A qualidade de muitos produtos de petróleo está relacionada à quantidade de enxofre presente e o
quanto para a qualidade dos produtos. O método permite avaliar a especificações estabelecidas por

ABNT NBR 14533:2011


Petróleo e produtos de petróleo — Determinação
de enxofre por espectrometria de fluorescência de
raios X (energia dispersiva)

Teor de derivados de Furanos (NBR-15349) - Ensaio realizado conforme NBR-15349.


O método de análise especifica 2-furfural e seus derivados, resultantes da degradação da isolação ce
elétricos.Os compostos são analisados por cromatografia líquida de alto desempenho (HPLC).
Altas concentrações de 2-furfural, o composto de maior predominância, no óleo é uma indicação cla

ABNT NBR 15349:2006


Óleo mineral isolante - Determinação de 2-furfural
e seus derivados

Teor de DBDS (ASTM D4768-03) - Ensaio realizado por cromatografia gasosa.


Detecta a presença do teor de DBDS (Dibenzil Dissulfeto) no óleo isolante.
Óleos específicos dão origem ao enxofre corrosivo quando submetidos a altas temperaturas, associa
vida útil de equipamentos elétricos. No caso de não ser adotada nenhuma medida preventiva, a rea
equipamento à falha em algum momento de sua vida útil, ainda mais em regiões com ocorrência de

ASTM D4768:2011
Standard Test Method for Analysis of 2,6-
Ditertiary-Butyl Para-Cresol and 2,6-Ditertiary-Butyl
Phenol in Insulating Liquids by Gas
Chromatography
Teor de DBPC (NBR-12134 A) - Ensaio realizado conforme NBR-12134.
Método utilizado para determinação do teor de inibidor de oxidação DBPC (2-6 dibutil para cresol).
Os óleos inibidos tem um comportamento diferente da oxidação, comparados aos óleos não inibidos
No início o inibidor sintético é consumido com pouca formação de produtos de oxidação.
Isso é conhecido como período de indução. Após o inibidor ser consumido, a taxa de oxidação é det
O monitoramento do consumo de inibidor é feito através da medição do teor de DBPC.

ABNT NBR 12134:1991 [EM REVISÃO]


Óleo mineral isolante - Determinação do teor de
2,6-di-terciário-butil paracresol - Método de ensaio

Enxofre Total (ASTM-4148) - O Enxofre Total em Óleo mineral Isolante pelo método de fluorescência

ASTM D4148:2012
Standard Test Method for Analysis of
Phytoplankton in Surface Water by the Sedgwick-
Rafter Method

Grau de Polimerização do papel isolante (NBR IEC-60450) - Ensaio realizado conforme NBR IEC-6045
Método utilizado para a determinação do grau de polimerização (GP) viscosimétrico médio de mater
Pode ser aplicada a todos os materiais celulósicos para isolação elétrica, tais como aqueles usados n
O ensaio relaciona o envelhecimento do transformador diretamente a degradação do sistema isolan

ABNT NBR IEC 60450:2009


Medição do grau de polimerização
viscosimétrico médio de materiais celulósicos
novos e envelhecidos para isolação elétrica

Teor de PCB’s (NBR-13882) - Verifica a possibilidade ou não da existência de PCB em óleos isolantes
cromatografia. No caso de resultado negativo, tem-se a certeza de que o óleo não contém PCB. O en
reagente de sódio para transformar os orgânicos clorados em cloreto. O cloreto resultante é quantifi

ABNT NBR 13882:2008 Versão Corrigida:2013


líquidos isolantes elétricos - Determinação do teor
de bifenilas policloradas (PCB)

BTA/TTA (IEC-60666) - Ensaio realizado conforme IEC-60666.


Detecta o teor de passivadores TTA/BTA (Tolutriazol / Benzotriazol) no óleo isolante.
Tem a função de prevenir (equipamentos novos) ou interromper (equipamentos em serviço) a depos
O passivador apresenta grande afinidade pelo cobre, formando um composto (complexo) que perma
IEC 60666:2010
Detection and determination of specified additives
in mineral insulating oils

Ponto de Anilina (NBR-11343) - Indica o poder de solvência do óleo por matérias com as quais entra
de anilina é mais freqüente utilizado para fornecer uma estimativa do teor de hidrocarbonetos em m
condições de completa miscibilidade.

ABNT NBR 11343:2003 [ CANCELADA ]


Produtos de petróleo - Determinação do ponto de
anilina e do ponto de anilina misto

Ponto de Fluidez (NBR-11349) - Sendo a temperatura abaixo da qual o óleo deixa de escoar, esta car
também ajuda na identificação do tipo de óleo: parafínico ou naftênico.

ABNT NBR 11349:2009


Produto de petróleo - Determinação do ponto de
fluidez

Ponto de Fulgor e Combustão (NBR-11341) - Para a segurança dos equipamentos com relação à pos
Fulgor: Temperatura mínima em que um óleo á aquecido e libera vapores suficientes para se inflam
Combustão: Temperatura em que os vapores são liberados de modo acelerado permitindo a combus
hidrocarbonetos existentes no óleo avaliado. O ensaio de Ponto de Fulgor (Vaso Cleveland) consiste
produto. Com o aquecimento, os compostos voláteis presentes no óleo irão vaporizar até que inflam
Fulgor. Assim, podemos concluir que este ensaio é uma determinação indireta da quantidade de co
Ponto de Fulgor. É estipulado um valor mínimo como forma de garantir um teor máximo de voláteis

ABNT NBR 11341:2014 Versão Corrigida: 2015


Derivados de petróleo - Determinação dos pontos
de fulgor e de combustão em vaso aberto Cleveland

Cloretos e Sulfatos (NBR-5779) - Ensaio qualitativo empregado para acusar a presença ou não de clo

ABNT NBR 5779:1989


Óleos minerais isolantes - Determinação qualitativa
de cloretos e sulfatos inorgânicos

Compatibilidade (NBR-14274) - Ensaio empregado para avaliar se algum componente ou matéria-pr


com óleos isolantes.

ABNT NBR 14274:2013


Óleo mineral isolante — Determinação da
compatibilidade de materiais empregados em
equipamentos elétricos

Composição Carbônica (NBR-15363)


ABNT NBR 15363:2006
Óleo mineral isolante - Determinação da
composição carbônica

Índice de Refração (NBR-5778) - O objetivo é determinação do índice de refração de líquidos e o uso


Relaciona: composição química, contaminação.
Detecta: adição de hidrocarbonetos.
Indica: homogeneidade da composição para a mesma fração de destilação.
Influência no óleo: valor maior ao recomendado: há adição de aromáticos ou contaminantes; valor m

ABNT NBR 5778:1977 [ CANCELADA ]


Determinação do índice de refração

http://www.brastrafo.com.br/servicos

As capacidades térmicas dos transformadores são especificadas por meio das normas ANSI C37
transfo

IEEE Std C57.109-1993 - IEEE Guide for Liquid-


Immersed Transformers Through-Fault-Current
Duration

IEEE Std C37.91-2008 (Revision of IEEE Std C37.91-


2000) - IEEE Guide for Protecting Power
Transformers

TODAS AS NORMAS 5356 DE TRANSFORMADORES

FATOR K IEEE Std C.57.110


ANÁLISE DOS FLUIDOS ISOLANTES

tidos a partir da refinação do petróleo, constituindo-se basicamente de hidrocarbonetos.


destilação do petróleo bruto, passando pela refinação para remoção dos compostos não hidrocarbônicos por processos químicos e, em
de agentes adsorventes, hidrogenação catalítica ou extração por solventes.
os e naftênicos. Esta classificação diz respeito ao petróleo básico do qual foi refinado.
encional em transformadores pode-se considerar igualmente os dois tipos, sem necessidade de diferenciação.

ase de éster natural formulado de recursos naturais renováveis – sementes.


m excelentes qualidades de resistência ao fogo, cumprindo com os requisitos de um refrigerante dielétrico.
dos como aquáticos, provenientes de fonte renovável.

cterísticas de condução térmica satisfaz as exigências eletroisolantes.


ção, suporta gradientes elevados de temperatura e apresenta estabilidade química.

transferir calor, atua também como fluido isolante (elétrico) em transformadores.

ENSAIOS FISICO-QUIMICOS

interfacial entre o óleo e a água detecta contaminantes polares solúveis e produtos de oxidação.
nte os estágios iniciais de envelhecimento, mas tende a estabilizar quando a deterioração é ainda moderada.
ial pode também ser uma indicação de problemas de compatibilidade entre o óleo e alguns materiais do transformador ou de contam

Esta Norma especifica o método do anel para a determinação da tensão interfacial óleo-água, em óleo mineral isolante uti
elétricos. Este método de ensaio é frequentemente aplicado para óleos em serviço como uma indicação do grau de deterio

nforme NBR-14248.
dida dos componentes ácidos presentes no óleo.
o dos materiais celulósicos e podem também ser responsáveis pela corrosão de peças de metal de um transformador.

Esta Norma descreve o método para determinação de constituintes ácidos ou básicos em produtos de petróleo em geral, s
completamente solúveis em misturas de tolueno e álcool isopropílico. O método se aplica à determinação de ácidos e base
dissociação em meio aquoso sejam maiores que 10-9. Ácidos ou bases extremamente fracos cujas constantes de dissociaçã
não interferem. Sais reagem quando suas constantes de hidrólise são superiores a 10-9.

- Ensaio realizado conforme NBR-12133.


de são parâmetros muito sensíveis a presença de contaminantes polares solúveis, produtos de envelhecimento ou coloides no óleo.
rica ou valores baixos de resistividade podem afetar prejudicialmente o fator de potência e/ou a resistência de isolamento do equipam
Esta Norma prescreve o método para a determinação do fator de perdas dielétricas e da permissividade relativa de líquido
freqüência industrial.

rme NBR-14483.
pela luz transmitida e é expressa por um valor numérico baseado na comparação com uma série de padrões de cores.
ser útil para a avaliação comparativa.
ente ou muito alto pode ser uma indicação de deterioração ou contaminação do óleo.

Esta Norma especifica o método para determinação visual da cor de uma grande variedade de produtos de petróleo, como
isolantes, óleos para aquecimento, óleo diesel e parafinas

0156) - Ensaio realizado conforme NBR-6869 (método com eletrodo de disco) e NBR-IEC 60156 (método com eletrodo de calota).
stir a solicitação elétrica.
oduto e, por conseguinte, a qualidade dos processos de fabricação, transporte e manuseio.

Esta Norma prescreve o método para determinação da rigidez dielétrica de líquidos isolantes.

Esta Norma especifica o método para determinação da rigidez dielétrica à freqüência industrial. Uma amostra, contida em
submetida a um campo elétrico crescente, aplicado a uma taxa constante de elevação de tensão até que ocorra a disrupçã

ado conforme NBR-10710.


és de reações químicas, da quantidade de água presente na amostra de óleo sob análise.
na isolação do transformador: a entrada de umidade proveniente da atmosfera e a degradação da celulose e óleo.

Esta Norma especifica um método para a determinação do teor de água em líquidos isolantes elétricos, com reagente de K
coulometria.

conforme NBR-7148.
o tipo de óleo.
olume dos materiais.

Esta Norma estabelece o ensaio para a determinação da massa específica, densidade relativa ou °API de petróleo, de seus
desses com produtos não derivados de petróleo e que tenham uma pressão de vapor Reid menor ou igual 101,325 kPa.

ealizado conforme NBR-5778.


as amostras.

Esta Norma prescreve o método de ensaio para a determinação do índice de refração.


ANÁLISE CROMATOGRÁFICA DE GASES DISSOLVIDOS
ração a vácuo) ou ASTM 3612-C (headspace).
olvidos no óleo a fim de diagnosticar possíveis defeitos e/ou falhas elétricas iminentes de equipamentos elétricos.
pela NBR-7274 e quando necessário: Laborelec, Rogers Ratio, CEGB.

Esta Norma prescreve os métodos de amostragem de gases e óleo mineral isolante de equipamentos elétricos e análises do

1.1 This test method covers three procedures for extraction and measurement of gases dissolved in electrical insulating oil
(100 SUS) or less at 40°C (104°F), and the identification and determination of the individual component gases extracted. Ot
used to perform this analysis.
1.2 The individual component gases that may be identified and determined include:
Hydrogen—H2
Oxygen—O2
Nitrogen—N2
Carbon monoxide—CO
Carbon dioxide—CO2
Methane—CH4
Ethane—C2H6
Ethylene—C2H4
Acetylene—C2H2
Propane—C3H8

Esta Norma descreve como a concentração de gases livres ou dissolvidos pode ser interpretada para diagnosticar as condiç
elétricos em serviço e sugerir ações futuras.

ENSAIO QUÍMICOS ANALITICOS


do conforme NBR-10441.
ia para o escoamento de um líquido.
líquido dielétrico e tem influência sobre a transferência de calor e, consequentemente sobre a elevação de temperatura do equipamen

Esta Norma estabelece um procedimento específico para a determinação da viscosidade cinemática, ν, de produtos líquido
transparentes quanto opacos, pela medição do tempo de escoamento de um determinado volume de líquido que flui sob a
gravidade, através de um viscosímetro capilar de vidro calibrado.

BR-15362-ROBOT)
owmeter - óleo não inibido) e NBR-15362 (RBOT - óleo inibido).
o óleo mineral isolante de suportar a oxidação sob solicitação térmica e na presença de oxigênio e de um catalisador de cobre.
a a formação de compostos ácidos, borra e compostos que exercem influência no fator de perdas dielétricas sob determinadas condiçõ

Esta Norma prescreve o método para determinação da resistência de óleos minerais isolantes à oxidação, sob condições ac
envelhecimento. A estabilidade à oxidação é medida através da tendência à formação de borra, produtos ácidos e produto
este período de envelhecimento. O método é aplicado a óleos novos ou regenerados não inibidos. Sua aplicação a óleos em
estudo. Para óleos inibidos, deve ser utilizada a IEC 61125.
Esta Norma especifica um método para determinação à oxidação pela bomba rotativa de óleos minerais isolantes novos, co
paracresol e/ou 2,6-diterciário-butil fenol, através da medida do tempo de indução.

ealizado conforma NBR-10505.


stão em contato contínuo com metais sujeitos a corrosão.
nxofre é prejudicial, pois resulta na deterioração desses metais a uma extensão dependente da quantidade, do tipo do agente corrosivo
as indesejáveis, ainda que não seja em termos de valores quantitativos, é um meio de detectar a presença desses compostos e de recon

Esta Norma estabelece um método para determinação qualitativa de compostos corrosivos de enxofre (tanto orgânicos qua
líquidos isolantes elétricos novos e em serviço, isentos de passivadores, como, por exemplo, derivados de benzotriazol.

ado conforme NBR-14533.


eo está relacionada à quantidade de enxofre presente e o conhecimento da concentração de enxofre é importante tanto para o proces
método permite avaliar a especificações estabelecidas por regulamentações quanto a concentração de enxofre em produtos de petróle

Esta Norma descreve o método de determinação de enxofre total em petróleo e produtos de petróleo que são monofásico
ambiente, liquefeitos em aquecimento moderado ou solúveis em solventes de hidrocarbonetos. Estes produtos podem inc
misturas, querosene de aviação, querosene, nafta, óleo residual, óleo básico lubrifi cante, óleo hidráulico, gasolina sem chu
misturas com álcool e produtos de petróleo similares.

9) - Ensaio realizado conforme NBR-15349.


e seus derivados, resultantes da degradação da isolação celulósica e encontrados em amostras de óleo mineral isolante, provenientes
r cromatografia líquida de alto desempenho (HPLC).
osto de maior predominância, no óleo é uma indicação clara da degradação da celulose.

Esta Norma especifica os métodos de análise de 2-Furfural e seus derivados, resultantes da degradação da isolação celulós
amostras de óleo mineral isolante, provenientes de equipamentos elétricos.

realizado por cromatografia gasosa.


enzil Dissulfeto) no óleo isolante.
corrosivo quando submetidos a altas temperaturas, associadas a presença do aditivo denominado DBDS (Dibenzil Disulfeto), o qual é sa
aso de não ser adotada nenhuma medida preventiva, a reação do enxofre com o cobre, formando o sulfeto de cobre, com grande proba
de sua vida útil, ainda mais em regiões com ocorrência de altas temperaturas.

1.1 This test method covers the determination by gas chromatography of 2,6-ditertiary-butyl para-cresol and 2,6-ditertiary-
used insulating liquids at concentrations up to 0.5 %. It includes the determination in Type I and II insulating mineral oils as
D3487, but has also been used to measure these inhibitors in other insulating liquids, such as esters and high fire-point hyd
1.2 This standard does not purport to address all of the safety concerns, if any, associated with its use. It is the responsibilit
standard to establish appropriate safety and health practices and determine the applicability of regulatory limitations prior
lizado conforme NBR-12134.
eor de inibidor de oxidação DBPC (2-6 dibutil para cresol).
o diferente da oxidação, comparados aos óleos não inibidos.
com pouca formação de produtos de oxidação.
o. Após o inibidor ser consumido, a taxa de oxidação é determinada principalmente pela estabilidade do óleo básico.
r é feito através da medição do teor de DBPC.

Esta Norma prescreve o método para determinar o teor de 2,6-di-terciário-butil paracresol (DBPC) em óleos minerais isolan
medida da absorção de infravermelho à freqüência de estiramento dos grupamentos (O-H) estericamente impedidos por fe
intensidade da cor azul do complexo de molibdênio, através de um fotômetro fotoelétrico.

tal em Óleo mineral Isolante pelo método de fluorescência de raios-X por energia dispersiva com precisão e rapidez analítica.

1.1 This test method covers determining the density and taxonomic classification of phytoplankton. It is applicable both to
phytoplankton concentrations, provided the suspended-sediment concentration is low. The Sedgwick Rafter (S-R) method r
apparatus than does the inverted microscope method but gives less accurate results. The inherent inaccuracy in the Sedgw
the design of the counting chamber and cannot be circumvented by a different choice of optics. For this reason, the S-R me
of objective lenses having a working distance of approximately 1.6 mm or more. With 10× oculars the maximum overall ma
250×. High concentrations of suspended sediment can obscure the algal cells, and thus cause interference.
1.2 This test method is applicable to both freshwater and marine samples.
1.3 This standard does not purport to address all of the safety problems, if any, associated with its use. It is the responsibili
standard to establish appropriate safety and health practices and determine the applicability of regulatory limitations prior
precautionary information see Section 8.

(NBR IEC-60450) - Ensaio realizado conforme NBR IEC-60450.


grau de polimerização (GP) viscosimétrico médio de materiais celulósicos novos e envelhecidos para isolação elétrica.
ulósicos para isolação elétrica, tais como aqueles usados na fabricação de transformadores, cabos ou capacitores.
ransformador diretamente a degradação do sistema isolante, mais especificamente do sistema papel / óleo.

Esta Norma descreve um método normalizado para a determinação do grau de polimerização viscosimétrico médio de mat
envelhecidos para isolação elétrica. Pode ser aplicada a todos os materiais celulósicos para isolação elétrica, tais como aqu
de transformadores, cabos ou capacitores.

ossibilidade ou não da existência de PCB em óleos isolantes. No caso do resultado dar positivo (50ppm) necessita de confirmação pelo m
tivo, tem-se a certeza de que o óleo não contém PCB. O ensaio envolve etapas de extrair os orgânicos clorados a partir do óleo, e reag
gânicos clorados em cloreto. O cloreto resultante é quantificado no aparelho.

Esta Norma especifica o método para determinação do teor de bifenilas policloradas (PCB) em líquidos isolantes elétricos n

nforme IEC-60666.
Tolutriazol / Benzotriazol) no óleo isolante.
novos) ou interromper (equipamentos em serviço) a deposição de Cu2S.
pelo cobre, formando um composto (complexo) que permanece em sua superfície, impedindo ataque do enxofre corrosivo.
IEC 60666:2010 provides methods concerning the detection and determination of specified additives in unused and used m
detection methods may be applied to assess whether or not a mineral insulating oil contains an additive as specified by the
determination methods are used for the quantitative determination of additives known to be present or previously detecte
detection method. The main changes with respect to the previous edition are listed below:
- a change in the title from "Detection and determination of specified anti-oxidant additives in insulating oils";
- new Annexes B and C which provide methods for the determination of two additives different from the anti-oxidants.

poder de solvência do óleo por matérias com as quais entrará contato. Um baixo ponto de anilina indica maior solvência do produto, o q
fornecer uma estimativa do teor de hidrocarbonetos em misturas. É a menor temperatura na qual a mistura de amostra- anilina, em vo

Esta Norma descreve o método para a determinação do ponto de anilina de produtos de petróleo e solventes de hidrocarb

emperatura abaixo da qual o óleo deixa de escoar, esta característica deve ser compatível com a mínima temperatura em que o óleo va
óleo: parafínico ou naftênico.

Esta Norma prescreve o método para determinação do ponto de fluidez em produtos de petróleo.

1) - Para a segurança dos equipamentos com relação à possibilidade incêndios, deve-se assegurar um ponto de fulgor mínimo adequad
óleo á aquecido e libera vapores suficientes para se inflamar em presença de uma chama livre, não sendo estes vapores suficientes par
res são liberados de modo acelerado permitindo a combustão. São ensaios simples que informam sobre os extremos da faixa de peso
do. O ensaio de Ponto de Fulgor (Vaso Cleveland) consiste em aquecer o óleo isolante e, simultaneamente, expô-lo à ação de uma cham
tos voláteis presentes no óleo irão vaporizar até que inflamarão sob a ação da chama. A temperatura onde ocorre a chama (Flash) é tom
ensaio é uma determinação indireta da quantidade de compostos voláteis presentes na amostra de óleo. Quanto maior for o teor de v
ínimo como forma de garantir um teor máximo de voláteis.

Esta Norma descreve a determinação dos pontos de fulgor e de combustão em derivados de petróleo com o aparelho de v
manual ou automático.

ualitativo empregado para acusar a presença ou não de cloretos e/ou sulfatos como contaminantes no óleo.

Esta Norma prescreve o método para determinação qualitativa de cloretos e sulfatos inorgânicos em óleos minerais isolant

mpregado para avaliar se algum componente ou matéria-prima (papel, borracha, tintas, etc.) utilizada na construção de equipamentos e

Esta Norma estabelece o método de ensaio para a determinação da compatibilidade dos materiais empregados em equipa
mineral isolante, com ou sem adição de inibidor, de base parafínica ou naftênica, que, quando novos, atendam à especifi ca
isolante da Agência Nacional do Petróleo (ANP).
As normas relacionadas a seguir contêm disposições que, ao serem citadas neste texto, constituem prescrições para esta N
estavam em vigor no momento desta publicação. Como toda norma está sujeita a revisão, recomenda-se àqueles que reali
nesta que verifiquem a conveniência de se usarem as edições mais recentes das normas citadas a seguir. A ABNT possui a i
vigor em um dado momento.

vo é determinação do índice de refração de líquidos e o uso desta medida na identificação de líquidos puros e na determinação da pur
nação.

ara a mesma fração de destilação.


ndado: há adição de aromáticos ou contaminantes; valor menor ao recomendado: há presença de produto de baixo peso molecular ou

Esta Norma prescreve o método de ensaio para a determinação do índice de refração.

rmadores são especificadas por meio das normas ANSI C37.91-2000 e IEEE Std C57.109-1993, também conhecidas como curvas de dan
transformadores.

Description: Recommendations believed essential for the application of over current protective devices applied to limit the
transformers to short-circuit current are set forth. Transformer coordination curves are presented for four categories of tran
intent to imply overload capability

IEEE Std C37.91-2008 (Revision of IEEE Std C37.91-2000) - IEEE Guide for Protecting Power Transformers
Description: Revision of IEEE Std C37.91-2000. This guide is intended to provide protection engineers and 1 other readers w
protecting three-phase power transformers of more than 5 MVA rated capacity and operating at voltages exceeding 10 kV.
apply the techniques described in this guide for protecting transformers of less than 5 MVA ratings or operating at voltages
provides information to assist protection engineers in applying properly relays and other devices to protect transformers us
distribution systems. General philosophy, practical applications, and economic considerations involved in power transforme
Emphasis is placed on practical applications. Types of faults in transformers are described. Technical problems with the pro
the behavior of current transformers (CTs) during system faults, are discussed. Associated problems, such as fault clearing a
discussed as well.
NORMA: DATA

ALARME D
ABNT NBR 17240:2010
Sistemas de detecção e alarme de incêndio –
Projeto, instalação, comissionamento e
manutenção de sistemas de detecção e alarme de
incêndio – Requisitos

ABNT NBR ISO 7240-1:2017


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 1: Generalidades e definições

ABNT ISO/TS 7240-9:2017


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 9: Ensaios de fogo para detectores de
incêndio

ABNT NBR ISO 7240-13:2017


Sistemas de detecção e alarme de incêndio Parte
13: Avaliação da compatibilidade dos componentes
do sistema

ABNT NBR ISO 7240-20:2016


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 20: Detectores de fumaça por aspiração

ABNT NBR ISO 7240-25:2016


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 25: Componentes utilizando meios de
transmissão por rádio

ABNT NBR ISO 7240-23:2016


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 23: Dispositivos de alarme visual

ABNT NBR ISO 7240-7:2015


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 7: Detectores pontuais de fumaça utilizando
dispersão de luz ou ionização
ABNT NBR ISO 7240-3:2015
Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 3 - Dispositivos de alarme sonoro

ABNT NBR ISO 7240-5:2014


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 5: Detectores pontuais de temperatura

ABNT NBR ISO 7240-4:2013


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 4: Fontes de Alimentação

ABNT NBR ISO 7240-11:2012


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 11: Acionadores manuais

ABNT NBR ISO 7240-2:2012


Sistemas de detecção e alarme de incêndio
Parte 2: Equipamentos de controle e de indicação

DISJUNTORES
ABNT NBR NM 60898:2004
Disjuntores para proteção de sobrecorrentes para
instalações domésticas e similares (IEC 60898:1995,
MOD)

D
ABNT NBR IEC 61643-1:2007
Dispositivos de proteção contra surtos em baixa
tensão
Parte 1: Dispositivos de proteção conectados a
sistemas de distribuição de energia de baixa tensão
- Requisitos de desempenho e métodos de ensaio

CHUVEIRO
ABNT NBR 12483:2015
Chuveiros elétricos - Requisitos gerais

ABNT NBR 12090:2016


Chuveiros elétricos — Determinação da corrente de
fuga — Método de ensaio
ABNT NBR 12089:2015
Chuveiros elétricos - Determinação do consumo de
energia elétrica - Método de ensaio

TOM
60884-1
60309
14936
ABNT NBR 14136:2012 Versão Corrigida 4:2013

Plugues e tomadas para uso doméstico e análogo


até 20 A/250 V em corrente alternada -
Padronização
INTERR
ABNT NBR NM 60669-1:2004 , ERRATA 2005
Interruptores para instalação elétricas
fixas domésticas e análogas
Parte 1: Requisitos gerais (IEC 60669-1:2000, MOD)

ABNT NBR IEC 60669-2-1:2014


Interruptores para instalações elétricas fixas
domésticas e análogas
Parte 2-1: Requisitos particulares - Interruptores
eletrônicos

ABNT NBR IEC 60669-2-2:2014


Interruptores para instalações elétricas fixas
domésticas e análogas
Parte 2-2: Requisitos particulares — Interruptores
de comando à distância (telerruptores)

ABNT NBR IEC 60669-2-3:2014


Interruptores para instalações elétricas fixas
domésticas e análogas
Parte 2-3: Requisitos particulares — Interruptores
temporizados (minuterias)

ELETRODUT
ABNT NBR 15465:2008
Sistemas de eletrodutos plásticos para instalações
elétricas de baixa tensão - Requisitos de
desempenho (ROSCA NBR
NM ISSO 7-1:2000)

COND

ABNT NBR 15701:2016 Versão Corrigida:2016


Conduletes metálicos roscados e não roscados para
sistemas de eletrodutos
ELETRODUT

ABNT NBR 5598:2013


Eletroduto de aço-carbono e acessórios, com
revestimento protetor e rosca BSP — Requisitos
( ROSCA ISO 228-1:2000 )

ABNT NBR 5597:2013


Eletroduto de aço-carbono e acessórios, com
revestimento protetor e rosca NPT — Requisitos
(ROSCA ABNT NBR 12912:1993 Ver. Corrig.:1995 )

ABNT NBR 13057:2011


Eletroduto rígido de aço-carbono, com costura,
zincado eletroliticamente e com rosca ABNT NBR
8133 — Requisitos
(ROSCA ABNT NBR 8133)

ABNT NBR 5624:2011


Eletroduto rígido de aço-carbono, com costura, com
revestimento protetor e rosca ABNT NBR 8133 —
Requisitos (ROSCA
ABNT NBR 8133)

ELETRODUTO DE AÇO INOX


ABNT NBR 14334:2016
Alumínio na liga 6101 - Tubos estruturais para fins
elétricos - Requisitos

LEITOS E EL

ABNT NBR IEC 61537:2013


Encaminhamento de cabos — Sistemas de
eletrocalhas para cabos e sistemas de leitos para
cabos

CAN
ABNT NBR IEC 61084-1:2006
Sistemas de canaletas e condutos perfilados para
instalações elétricas
Parte 1: Requisito gerais

ABNT NBR IEC 61084-2-1:2006


Sistemas de canaletas e condutos perfilados para
instalações elétricas
Parte 2: Requisitos particulares - Seção 1: Sistemas
de canaletas e condutos perfilados previstos para
serem montados em paredes e tetos
ABNT NBR IEC 61084-2-2:2006
Sistemas de canaletas e condutos perfilados para
instalações elétricas
Parte 2-2: Requisitos particulares - Sistemas de
canaletas e condutos perfilados previstos para
serem instalados ou embutidos no piso

ABNT NBR IEC 61084-2-4:2006


Sistemas de canaletas e condutos perfilados para
instalações elétricas
Parte 2: Requisitos particulares - Seção 4: Colunas
de serviço

TORNEIRA
ABNT NBR 16305:2014
Aparelhos elétricos fixos de aquecimento
instantâneo de água — Requisitos de desempenho
e segurança

ABNT NBR 14011:2015


Aquecedores instantâneos de água e torneiras
elétricas - Requisitos gerais

VENTILADO
ABNT NBR 14532:2000 Emenda 1:2003
Segurança de aparelhos eletrodomésticos e
similares- Requisitos particulares para ventiladores
de teto

CAIXA DE
ABNT NBR IEC 60670-1:2014
Caixas e invólucros para acessórios elétricos para
instalações elétricas fixas domésticas e análogas
Parte 1: Requisitos gerais

ABNT NBR IEC 60670-23:2015


Caixas e invólucros para dispositivos elétricos para
instalações elétricas fixas para uso doméstico e
análogo
Parte 23: Requisitos específicos para caixas e
invólucros de piso

ABNT NBR IEC 60670-24:2015


Caixas e invólucros para dispositivos elétricos para
instalações elétricas fixas de uso doméstico e
análogo
Parte 24: Requisitos específicos para invólucros
para dispositivos de proteção e outros dispositivos
elétricos que dissipam potência
CAMP
ABNT NBR IEC 62080:2011
Dispositivo de sinalização sonora para uso
doméstico e análogo

D
ABNT NBR NM 61008-1:2005 , Errata 1:2007
Interruptores a corrente diferencial-residual para
usos domésticos e análogos sem dispositivo de
proteção contra sobrecorrentes (RCCB)
Parte 1: Regras gerais (IEC 61008-1:1996, MOD)

FOTOC
ABNT NBR 5123:2016 Versão Corrigida:2016
Relé fotocontrolador intercambiável e tomada para
iluminação — Especificação e ensaios

FITA IS
ABNT NBR NM 60454-1:2007
Fitas adesivas sensíveis à pressão para fins elétricos
Parte 1: Requisitos gerais (IEC 60454-1:1992, MOD)

ABNT NBR NM 60454-2:2007


Fitas adesivas sensíveis à pressão para fins elétricos
Parte 2: Métodos de ensaio (IEC 60454-2:1992,
MOD)

ABNT NBR NM 60454-3-1:2007


Fitas adesivas sensíveis à pressão para fins elétricos
Parte 3: Especificações para materiais individuais -
Folha 1: Filmes de PVC com adesivos sensíveis à
pressão (IEC 60454-3-1:1998, MOD)

CONT
ABNT NBR IEC 60947-1:2013
Dispositivo de manobra e comando de baixa tensão
Parte 1: Regras gerais

isola
ABNT NBR 5032:2014
Isoladores para linhas aéreas com tensões acima de
1 000 V — Isoladores de porcelana ou vidro para
sistemas de corrente alternada

DISPOSITIVOS DE MANIBRA

ABNT NBR 7282:2011


ABNT NBR 7571:2011
DESCRIÇÃO

ALARME DE INÊNDIO
Esta Norma especifica requisitos para projeto, instalação, comissionamento e manutenção de sistemas manuais e automáti
de incêndio em e ao redor de edifi cações, conforme as recomendações da ABNT ISO/TR 7240-14.

Esta Parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica um conjunto de diretrizes gerais e definições utilizadas para descrever o sistem
incêndio (SDAI), equipamentos instalados dentro e ao redor de edificações, e os ensaios e requisitos para estes equipamen
7240.

Esta Especificação Técnica descreve métodos de ensaio usando ensaios de fogo aos quais são submetidos os detectores de
calor e chama, como especificado em outras partes da ABNT NBR ISO 7240 para tais detectores.

Esta parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos para as avaliações de compatibilidade e de conectividade dos com
acordo com os requisitos da ISO 7240 ou com uma especificação do fabricante, onde não houver Norma Internacional ISO
NBR ISO 7240 inclui somente requisitos do sistema quando esses são necessários para a avaliação de compatibilidade.

Esta parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos, métodos de ensaio e critérios de desempenho para detectores d
para uso em sistemas de detecção e alarme de incêndio instalados em edificações.

Esta Parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica requisitos, métodos de ensaio e critérios de desempenho para componentes u
detecção e alarme de incêndio, instalados dentro e ao redor de edificações, que utilizam meios de transmissão por radiofre

Esta parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos, métodos de ensaio e critérios de desempenho para dispositivos
determinada instalação, com o objetivo de sinalizar um aviso visual de um incêndio entre o sistema de detecção e alarme d
dentro e nas proximidades das edificações.

Esta Parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica requisitos, métodos de ensaios e critérios de desempenho para detectores de
operam utilizando dispersão de luz, transmissão de luz ou ionização, para o uso em sistemas de alarme e detecção de incên
Esta Parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos, métodos de ensaio e critérios de desempenho para dispositivos
destinados a sinalizar um aviso sonoro de incêndio a partir de um sistema de detecção e alarme de incêndio para os ocupa
tem a pretensão de tratar apenas daqueles dispositivos que derivam sua alimentação de operação por meio de conexão el
externa tal como um sistema de alarme de incêndio.

Esta parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos, os métodos de ensaio e os critérios de desempenho para detect
temperatura para usar em sistemas de detecção e alarmes de incêndio para edificações (ver ISO 7240-1).

Esta parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos, métodos de ensaio e critérios de desempenho de fontes de alim
sistemas de detecção e alarme de incêndio instalados em edificações.

Esta parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos, métodos de ensaio e critérios de desempenho dos acionadores
detecção e alarme de incêndio no interior e no entorno de edificações (ver ABNT NBR ISO 7240-1). Ela leva em consideraçã
exteriores, a aparência e a operação dos acionadores manuais tanto para o tipo A “operação direta” quanto para o tipo B “
abrange aqueles que são chaves mecânicas simples, aqueles que são feitos sob medida com componentes eletrônicos simp
resistores e diodos), e aqueles que contêm componentes eletrônicos ativos e que operam com o equipamento de controle
identificar, por exemplo, um endereço ou local.

Esta parte da ABNT NBR ISO 7240 especifica os requisitos, métodos de ensaio e critérios de desempenho para equipament
(eci) para uso em sistemas de detecção e alarme de incêndio, instalados em edificações.

DISJUNTORES DOMÉSTICOS
Esta norma contém todos os requisitos necessários para assegurar conformidade das características de funcionamento exig
pelo ensaios de tipo.

DPS
Esta parte do ABNT NBR IEC 61643 é aplicável aos dispositivos para proteção de surto contra efeitos diretos e indiretos de d
outras sobretensões transitórias. Estes dispositivos são montados para serem conectados a circuitos de 50/60 Hz c.a. ou c.c
tensão nominal eficaz (r.m.s) até 1 000 V ou 1 500 V c.c. As características de desempenho, os métodos de ensaios e as cara
estabelecidos para estes dispositivos que contêm pelo menos um componente não linear destinado para limitar surtos de t
corrente.

CHUVEIRO ELÉTRICO
Esta Norma especifica os requisitos para os chuveiros elétricos cobertos pela ABNT NBR 16305, que são utilizados em edific
elétricas de baixa tensão e hidráulicas de água fria e quente tenham sido projetadas e executadas, respectivamente, confor
ABNT NBR 5626 e ABNT NBR 7198.

Esta Norma especifica um método para a determinação da corrente de fuga passível de circular através do corpo do usuári
utilizados em edificações.
Esta Norma especifica métodos para a determinação, na tensão nominal, do consumo mensal mínimo e consumo mensal m
para chuveiros elétricos utilizados em edificações.

TOMADAS

Esta Norma fixa as dimensões de plugues e tomadas de características nominais até 20 A/250 V em corrente alternada, par
para a ligação a sistemas de distribuição com tensões nominais compreendidas entre 100 V e 250 V em corrente alternada

INTERRUPTORES
Esta Norma aplica-se somente aos interruptores para corrente alternada, operados manualmente, para uso geral, de tensã
ultrapassando 440 V e de corrente nominal não ultrapassando 63 A, destinados às instalações elétricas fixas domésticas e a
ou exteriores.

Esta Norma é aplicável aos interruptores eletrônicos e aos elementos periféricos eletrônicos associados para as instalações
análogas, sejam interiores ou exteriores.

Esta parte da ABNT NBR IEC 60669 é aplicável aos interruptores eletromagnéticos de comando à distância (doravante cham
com tensão nominal que não exceda 440 V e corrente nominal que não exceda 63 A, destinada às instalações elétricas fixa
interiores ou exteriores.

Esta parte da ABNT NBR IEC 60669 é aplicável aos interruptores temporizados (de agora em diante chamados de “minuteri
não ultrapasse 440 V e de corrente nominal que não ultrapasse 63 A, destinados às instalações elétricas fixas, domésticas e
exteriores, comandadas manualmente e/ou à distância.

ELETRODUTOS PLÁTICO
Esta Norma fixa os requisitos de desempenho para eletrodutos plásticos rígidos (até DN 110) ou flexíveis (até DN 40), de se
estar embutidos, enterrados ou aparentes, a serem empregados em instalações elétricas de edificações alimentadas sob um
inferior a 1 000 V em corrente alternada, com freqüências inferiores a 400 Hz, ou a 1 500 V em corrente contínua. Os eletro
Norma também devem ser utilizados em linhas de sinal (telefonia, TV a cabo etc.).

CONDULETE

Esta Norma especifica as características construtivas e os requisitos de desempenho dos conduletes metálicos roscados e n
de eletrodutos utilizados em instalações aparentes abrigadas ou ao tempo, acoplados aos eletrodutos especificados nas AB
5598, ABNT NBR 5624, ABNT NBR 13057 e ABNT NBR 15465.
ELETRODUTOS METÁLICO

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para fabricação e fornecimento de eletrodutos de aço-carbono, fabricados de
longitudinal e seus acessórios (luvas, curvas e niples), com revestimento protetor, utilizados para proteção de condutores e
comunicação, transmissão de dados e similares. O revestimento protetor da superfície externa pode ser de zinco ou tinta, d
superfície interna, podendo ainda ser uma combinação de ambos os revestimentos.

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para fabricação e fornecimento de eletrodutos de aço-carbono, fabricados de
longitudinal, com revestimento protetor, utilizados para proteção de condutores elétricos, cabos de comunicação, transmis
revestimento protetor da superfície externa pode ser de zinco ou tinta, da mesma forma para a superfície interna, podendo
combinação de ambos os revestimentos.

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para encomenda, fabricação e fornecimento de eletrodutos rígidos de aço-ca
NBR 8133, fabricados de tubos com solda longitudinal, com revestimento protetor, que têm a finalidade de proteger os con

Esta Norma estabelece o s requisitos para encomenda, fabricação e fornecimento de eletrodutos rígidos de aço-carbono, c
revestimento protetor e rosca ABNT NBR 8133, fabricados de tubos com solda longitudinal, com revestimento protetor, que
proteger os condutores elétricos.

Eletroduto de aço inoxidável 304/L e 316/L na norma ASTM 312 NÃO EXISTE NORMA NACIONAL ROSCA B
Esta Norma especifica os requisitos para tubos estruturais de alumínio (schedule 40 e 80) na liga 6101, têmperas T6, T61, T
elétricos.

LEITOS E ELETROCALHAS

Esta Norma especifica os requisitos e os ensaios para sistemas de eletrocalhas para cabos e sistemas de leitos para cabos d
acomodação de cabos e possivelmente outros equipamentos elétricos em instalações de sistemas elétricos e/ou de comun
sistemas de eletrocalhas para cabos e sistemas de leitos para cabos podem ser utilizados para a divisão ou disposição dos c

CANALETA
Esta Norma especifca os requisitos para sistemas de canaletas e condutos perfilados destinados à acomodação dos condut
equipamento elétrico nas instalações elétricas e, se necessário, para sua separação.

Esta parte da ABNT NBR IEC 61084-2 especifica requisitos para sistemas de canaletas e condutos perfilados destinados a m
tetos. O sistema de canaletas e condutos perfilados acomodam e, onde necessário, separam condutores, cabos ou cordões
elétricos.
Esta parte da ABNT NBR IEC 61084 especifica requisitos para sistemas de canaletas e condutos perfilados destinados ao aco
necessário, à separação de condutores isolados, cabos ou cordões e/ou outros equipamentos elétricos nas instalações elét

Esta seção da ABNT NBR IEC 61084-2 especifica as regras para as colunas de serviço destinadas aos comprimentos dos con
flexíveis e/ou outros equipamentos elétricos e se necessário para sua separação. Ela especifica as regras para as colunas de
substituídas ou para montagem definitiva, em todas as direções, mostradas na figura 101.

TORNEIRA ELÉTRICA
Esta Norma especifica as condições de desempenho e segurança aplicadas a aparelhos elétricos fixos de aquecimento insta
doméstico ou similar, destinados ao aquecimento da água à temperatura abaixo do seu ponto de ebulição, cuja tensão nom
220 V, para aparelhos monofásicos, e 380 V para outros aparelhos.

Esta Norma especifica os requisitos mínimos para aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas, cobertos pela AB
em edificações cujas instalações elétricas de baixa tensão e hidráulicas de água fria e quente tenham sido projetadas e exe
conforme as ABNT NBR 5410, ABNT NBR 5626 e ABNT NBR 7198.

VENTILADORES DE TETO
Segurança de aparelhos eletrodomésticos e similares- Requisitos particulares para ventiladores de teto

CAIXA DE PASSAGEM
Esta parte da ABNT NBR IEC 60670 aplica-se às caixas, partes de invólucros e invólucros (daqui por diante denominados “ca
destinados aos acessórios elétricos com tensão nominal não superior a 1 000 V c.a. e 1 500 V c.c., destinados às instalaçõe
ou análogas, tanto internas quanto externas.

Esta Norma é aplicável às caixas e aos invólucros previstos para serem instalados em todos os tipos de piso e para proteger
cargas de até 1 000 N inclusive.

Esta Parte da ABNT NBR IEC 60670 aplica-se aos invólucros e às suas partes para dispositivos de proteção e outros dispositi
potência, destinados a serem utilizados com uma tensão nominal não superior a 400 V e uma corrente de carga total de sa
para instalações elétricas fixas para uso doméstico e análogo.
CAMPAINHA
Esta Norma aplica-se aos sinalizadores sonoros com um invólucro completo e aos sinalizadores sonoros previstos para sere
fornecidos com um invólucro, de acordo com a IEC 60670, para uso doméstico e análogo, com tensões nominais não super
alternada ou em corrente contínua e com uma potência nominal não superior a 100 VA. Nesses sinalizadores sonoros é tam
um indicador luminoso de potência nominal não superior a 10 VA.

DR
A presente Norma aplica-se aos interruptores a corrente diferencial-residual funcionalmente independentes ou funcionam
tensão de alimentção, para utilizações domésticas e análogoas.

FOTOCÉLULA
Esta Norma especifica os requisitos de construção e desempenho e os procedimentos de ensaios aplicáveis ao relé fotocon
tomada embutida, tomada externa, capa isolada e capa ligada, para uso ao tempo, e destinados ao comando de iluminaçã
tensão de corrente alternada de 60 Hz (60 Hz e/ou 50 Hz).

FITA ISOLANTE
A presente parte da NM 60454 trata dos requisitos gerais das fitas adesivas sensíveis à pressão para fins elétricos.

Esta parte da NM 60454 especifica métodos de ensaio para fitas adesivas sensíveis à pressão para fins elétricos.

Esta Folha da NM 604-3 contém os requisitos para fitas de filme de PVC com adesivos sensíveis à pressão. FITA ISOLANTE C

CONTATORA
Esta Norma aplica-se, quando requerida pela norma do produto pertinente, a dispositivos de manobra e comando daqui p
“equipamento” e destinado para ser conectado a circuitos onde a tensão nominal não exceda 1 000 V corrente alternada o
contínua.

isoladores
: Esta Norma aplica-se a isoladores de porcelana ou de vidro para linhas aéreas de sistemas elétricos de potência, em corre
sistemas de transporte à tração elétrica, com tensões nominais acima de 1 000 V e frequência abaixo de 100 Hz.

ABNT NBR IEC 60947-4-1:2018

FUSIVEIS
SECCIONADORAS
ABNT NBR 7285: 2016

CABO PVC

CARRETEL

ABNT NBR 15126:2010


Carretel para acondicionamento de fios e cabos
elétricos — Requisitos de desempenho

ABNT NBR 11137:2017


Carretel de madeira para acondicionamento de fios e
cabos elétricos — Dimensões e estruturas

Intemperismo artificial
ABNT NBR 9512:2016
Fios e cabos elétricos - Intemperismo artificial sob
condensação de água, temperatura e radiação
ultravioleta B, proveniente de lâmpadas fluorescentes

aeroportos
ABNT NBR 7732:2016
Cabos elétricos para auxílios luminosos em aeroportos,
na tensão de 3,6 kV/6 Kv

resistentes ao fogo.
ABNT NBR 10301:2014
Fios e cabos elétricos - Resistência ao fogo
ensaios
ABNT NBR 9311:2014
Cabos elétricos isolados - Classificação e designação

ABNT NBR 7307:2011


Fios e cabos elétricos – Ensaio de fragilização
ABNT NBR 6810:2010
Fios e cabos elétricos – Tração à ruptura em
componentes metálicos

ABNT NBR 7298:2010


Fios e cabos elétricos — Ensaio de descarga em
formato U

ABNT NBR 7577:2010


Fios e cabos elétricos – Ensaios de abrasão da
cobertura

ABNT NBR 7295:2010


Fios e cabos elétricos - Ensaio de capacitância e fator
de dissipação

ABNT NBR 7296:2010


Fios e cabos elétricos - Ensaio de impulso atmosférico

ABNT NBR 7294:2010


Fios e cabos elétricos - Ensaios de descargas parciais

ABNT NBR 7306:2010


Fios e cabos elétricos - Ensaio de permeabilidade em
cobertura APL

ABNT NBR 7300:2010


Fios e cabos elétricos – Ensaio de resistividade
volumétrica

ABNT NBR 7297:2010


Fios e cabos elétricos — Ensaio de aquecimento cíclico

ABNT NBR 7299:2010


Fios e cabos elétricos — Ensaio de resistividade
superficial

ABNT NBR 7301:2010


Fios e cabos elétricos — Ensaio de soldabilidade
ABNT NBR 7576:2010
Fios e cabos elétricos — Ensaios de propagação da
corrosão em capa de alumínio

ABNT NBR 7578:2010


Fios e cabos elétricos com proteção metálica — Ensaio
de tensão elétrica na cobertura
ABNT NBR 6243:2010
Choque térmico para fios e cabos elétricos
ABNT NBR 6881:2010
Fios e cabos elétricos de potência, controle e
intrumentação — Ensaio de tensão elétrica

ABNT NBR 10495:2010


Fios e cabos elétricos — Determinação da quantidade
de gás ácido halogenado emitida durante a combustão
de materiais poliméricos

ABNT NBR 6815:2010


Fios e cabos elétricos — Ensaio de determinação da
resistividade em componentes metálicos

ABNT NBR 10299:2011


Cabos elétricos em corrente alternada e a impulso –
Análise estatística da rigidez dielétrica

cálculo de corrente
ABNT NBR 15920:2011
Cabos elétricos — Cálculo da corrente nominal —
Condições de operação — Otimização econômica das
seções dos cabos de potência
Esta Norma especifica os requisitos para cabos de potência de um condutor ou multiplexados, isolados com
polietileno termofixo (XLPE), sem cobertura, para instalações fixas. Estes cabos não são resistentes à chama,
podendo ser utilizados em circuitos internos de instalações elétricas de baixa tensão somente quando
observadas as prescrições contidas na ABNT NBR 5410. São também utilizados em linhas de distribuição de
energia elétrica de concessionárias de energia, em tensões alternadas até 0,6 /1 kV.

247-3/2002

CARRETEL

Esta Norma especifica requisitos de desempenho para os carretéis, tipos C-1 a C-6 (conforme a Tabela 1), cujas
características dimensionais apresentadas foram extraídas da ABNT NBR 11137, submetidos a diferentes cargas

Esta Norma estabelece os requisitos construtivos para carretéis utilizados no acondicionamento de fios e cabos
elétricos e para estrutura de carretéis construídos totalmente em madeira, na forma de tábuas ou sarrafos.

Intemperismo artificial
Esta Norma estabelece um método para a determinação da resistência ao intemperismo articial dos
componentes de fios e cabos elétricos e seus acessórios.

aeroportos
Esta Norma estabelece os requisitos para aceitação e/ou recebimento de cabos elétricos unipolares com
condutor de cobre isolado com borracha etilenopropileno (EPR ou HEPR) ou polietileno reticulado (XLPE), com
cobertura, tensão de isolamento 3,6 kV/6 kV, para aplicação em auxílios luminosos em aeroportos.

resistentes ao fogo.
Esta Norma especifica um método de ensaio e os requisitos de resistência ao fogo para fios e cabos elétricos,
que sejam classificados como resistentes ao fogo.
ensaios
Esta Norma estabelece a classificação e designação por símbolos que representam as partes componentes do
cabo para cabos elétricos isolados.

Esta Norma estabelece o método de ensaio da fragilização dos compostos sem icondutores utilizados em fios e
cabos elétricos.
Esta Norma estabelece o método de ensaio de tração à ruptura de condutores para fins elétricos.

Esta Norma estabelece o método de descarga em amostra com formato U dos fios e cabos elétricos.

Esta Norma prescreve o método de abrasão da cobertura extrudada, para verifi car se ela pode suportar a
abrasão durante a instalação do cabo.

Esta Norma prescreve o método de determinação da capacitância e fator de dissipação (fator de potência) da
isolação dos fios e cabos elétricos.

Esta Norma prescreve o método de impulso atmosférico na isolação dos fios e cabos elétricos.

Esta Norma prescreve o método de ensaio de descarga parciais nos fios e cabos elétricos.

Esta Norma prescreve o método de ensaio de permeabilidade em cobertura APL dos fios e cabos elétricos.

Esta Norma prescreve o método de ensaio de resistividade volumétrica da blindagem semicondutora extudada
sobre o condutor ou sobre a isolação dos fios e cabos elétricos.

Esta Norma prescreve o método de aquecimento cíclico para fios e cabos elétricos.

Esta Norma estabelece o método para determinação da resistividade superficial da isolação dos fios e cabos
elétricos.

Esta Norma prescreve o método de soldabilidade (método do banho de sol da) nos fios de cobre estanhado
utilizados em fios e cabos telefônicos.
Esta Norma estabelece o método de propagação da corrosão da capa de alumínio, protegida com cobertura,
dos fios e cabos elétricos. Este ensaio é efetuado para verifi car se, na ocasião de dano local da cobertura, a
corrosão da superfície externa da capa de alumínio, surgida como conseqüência, permanece confi nada à área
danificada da cobertura.

Esta Norma estabelece o método de tensão na cobertura extrudada dos fios e cabos elé tricos com proteção
metálica
Esta Norma especifica os métodos para execução do ensaio de choque térmico para materiais isolantes e
coberturas protetoras extrudadas dos fios e cabos elétricos.
Esta Norma especifica o método para execução do ensaio de tensão elétrica contínu a ou alternada em fios e
cabos elétricos de potência, controle e instrumentação.

Esta Norma especifica o método de ensaio para a determinação da quantidade de gás ácido halogenado, que
não o ácido fluorídrico, emitida durante a combustão do elemento construtivo de fios e cabos, com base em
polímeros halogenados e componentes que contenham aditivos halogenados.

Esta Norma especifica o método de ensaio de determinação da resistividade de materiais para condutores
elétricos.

Esta Norma estabelece a análise estatística da rigidez dielétrica de cabos com isolação extrudada, para tensões
de isolamento V0/V = 8,7/15 kV e superiores, em corrente alternada e a impulso.

cálculo de corrente
Esta Norma trata da escolha econômica de seções de condutores com base em perdas por efeito joule. As
perdas devido à tensão não foram consideradas.
• NBR 10897 - Proteção contra Incêndio por Chuveiro Automático;
• NBR 10898 - Sistemas de Iluminação de Emergência;
• NBR 11742 - Porta Corta-fogo para Saída de Emergência;
• NBR 12615 - Sistema de Combate a Incêndio por Espuma.
• NBR 12692 - Inspeção, Manutenção e Recarga em Extintores de Incêndio;
• NBR 12693 - Sistemas de Proteção por Extintores de Incêndio;
• NBR 13434: Sinalização de Segurança contra Incêndio e Pânico - Formas, Dimensões e cores;
• NBR 13435: Sinalização de Segurança contra Incêndio e Pânico;
• NBR 13437: Símbolos Gráficos para Sinalização contra Incêndio e Pânico;
• NBR 13523 - Instalações Prediais de Gás Liquefeito de Petróleo;
• NBR 13714: Instalações Hidráulicas contra Incêndio, sob comando, por Hidrantes e Mangotinhos;
• NBR 13932- Instalações Internas de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) - Projeto e Execução;
• NBR 14039 - Instalações Elétricas de Alta Tensão
• NBR 14276: Programa de brigada de incêndio;
• NBR 14349: União para mangueira de incêndio - Requisitos e métodos de ensaio
• NBR 5410 - Sistema Elétrico.
• NBR 5419 - Sistema de Proteção Contra Descangas Atmosférias (Pára-raios.)
• NBR 9077 - Saídas de Emergência em Edificações;
• NBR 9441 - Sistemas de Detecção e Alarme de Incêndio;
• NR 23, da Portaria 3214 do Ministério do Trabalho: Proteção Contra Incêndio para Locais de Trabalho

Legislação de Segurança Contra Incêndio Estado do Rio de Janeiro - RJ

DECRETO Nº 897, DE 21 DE SETEMBRO DE 1976


REGULAMENTA o Decreto-lei no 247, de 21-7- 75, que dispõe sobre segurança contra incêndio e pânico.
DECRETA:

CÓDIGO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO


DECRETO Nº 35.671 DE 09 DE JUNHO DE 2004.
DISPÕE SOBRE A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO
NAS EDIFICAÇÕES CONSTRUIDAS ANTERIORMENTE À VIGÊNCIA DO DECRETO Nº 897, DE 21 DE SETEMBR
1976 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

DECRETO-LEI Nº 247, DE 21 DE JULHO DE 1975


Dispõe sobre a segurança contra incêndio e pânico. Art. 1º - Compete ao Corpo de Bombeiros do Estado do
de Janeiro, o estudo, o planejamento, a fiscalização e a execução das normas que disciplinam a segurança d
pessoas e dos seus bens, contra incêndio e pânico em todo o Estado do Rio de Janeiro, na forma do disposto
neste Decreto-Lei e em sua regulamentação.

LEI N° 938, DE 16 DE DEZEMBRO DE 1985


Dispõe sobre providências que garantam a segurança dos assistentes de espetáculos públicos e dá outras
providências.

LEI N° 1.535, DE 26 DE SETEMBRO DE 1 989


Dispõe sobre a obrigatoriedade de medidas que orientem os freqüentadores de recintos fechados no caso de
acidentes de porte, explosões, incêndio ou pânico no Estado do Rio de Janeiro, estabelece sanções e dá outr
providências.

Lei Nº 1866, de 08 de Outubro de 1991.


Proíbe o comércio de fogos de artifícios e artefatos pirotécnicos, e dá outras providências.
PORTARIA CBMERJ N° 383, 10 DE MARÇO DE 2005.
REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA RESOLUÇÃO SEDEC Nº 279, DE 11 DE JANEIRO DE 2005, E DÁ OUTRAS
PROVIDÊNCIAS.

Art. 2º - A inscrição dos candidatos a Bombeiro Profissional Civil (BPC) será realizada mediante...
RESOLUÇÃO Nº 136, DE 30 DE SETEMBRO DE 1993

Art. 1º - O preenchimento do Documento de Arrecadação de Emolumentos, por serviços prestados pelo Corp
Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, a partir de 02 de janeiro de 1994, passará a conter no seu verso, as
instruções para preenchimento contidas no anexo a esta Resolução...
RESOLUÇÃO SEDEC N° 279, DE 11 DE JANEIRO DE 2005.

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO E A HABILITAÇÃO DO BOMBEIRO PROFISSIONAL CIVIL, O DIMENSIONAMENT


BRIGADAS DE INCÊNDIO E ESTABELECE EXIGÊNCIAS COMPLEMENTARES PARA AS EDIFICAÇÕES LICENCIA
OU CONSTRUÍDAS EM DATA ANTERIOR À VIGÊNCIA DO
DECRETO N° 897, DE 21 DE SETEMBRO DE 1976, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

RESOLUÇÃO Nº 109, DE 21 DE JANEIRO DE 1993


Art. 1º - Ficam aprovadas as Normas Técnicas nº EMG BM/7 001 e 002/93, que definem a classificação quan
aos riscos de incêndio.
RESOLUÇÃO Nº 111, DE 09 DE FEVEREIRO DE 1993.

Define o órgão próprio do Corpo de Bombeiros do diretamente afetas as atribuições do controle e fiscalização
casas de diversões, estabelece sanções e dá outras providências.

RESOLUÇÃO Nº 125, DE 29 DE JUNHO DE 1993


Art. 1º - Fica aprovada a Norma Técnica nº EMG BM/7 006/93, que fixa os critérios e parâmetros a serem
observados na avaliação dos riscos de transmissão do fogo, em edificações distintas...
RESOLUÇÃO Nº 135, DE 16 DE SETEMBRO DE 1993
Art. 1º - Somente a Diretoria de Serviços Técnicos (DST) emitirá o Laudo de Exigências para os pontos de ve
ou depósitos de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), nos termos dos artigos 131 e 137 do COSCIP.

RESOLUÇÃO Nº 148, DE 25 DE MAIO DE 1994


Define normas de procedimento na análise dos projetos de edificações com cobertura do tipo
"duplex", construídas ou licenciadas posteriormente à vigência do Decreto nº 897/76- Código de
Segurança Contra Incêndio e Pânico (COSCIP).

RESOLUÇÃO SEDEC Nº 180, DE 16 DE MARÇO DE 1999


Aprova a Utilização das Tubulações de Cobre nas Instalações preventivas e dá outras providências.
RESOLUÇÃO SEDEC Nº 278, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2004.
DÁ NOVA REDAÇÃO A RESOLUÇÃO SEDEC Nº 112,DE 09 DE FEVEREIRO DE 1993. “Art. 1º - As atividades de
coordenação, controle, fiscalização e vistoria das casas de diversões, transferidas para esta Secretaria pelo
Decreto nº 16.695, de 12 de julho de 1991, serão exercidas pela Diretoria Geral de Diversões Públicas do Co
de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (DGDP/CBMERJ).

RESOLUÇÃO SEDEC N° 284, DE 25 DE ABRIL DE 2005.


INSTITUI NOVO MODELO DE DOCUMENTO DE ARRECADAÇÃO DE EMOLUMENTOS (DAEM) DO CBMERJ E DÁ
OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
NORMAS DA ABNT

Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) foi reconhecida como o único foro brasileiro de normalização, pela Resoluçã
o resultado de suas atividades (as normas técnicas) advém de um poder outorgado pelo Estado Brasileiro.

OBRIGATORIEDADE DA ART
LEI FEDERAL 6.496/77 -
regulamentada pelas resoluções 317/86, 394/95, decisão Normativa 064/99 entre out
RESOLUÇÃO Nº 317, DE 31 OUT 1986

SPDA
Lei 1587/89 estadual | Lei nº 1587, de 14 de dezembro de 1989 - proibido em todo o território do Estado do Rio de Janeiro a f
que utilizem substancias ou materiais radioativos como princípio de funcionamento
Resolução CNEN 04/89 Abril / 1989 - PARA RAIOS COM MATERIAL RADIOATIVO

LIMITES DO ELETROTÉCNICO
DECRETO Nº 90.922, DE 6 FEV 1985, os técnicos podem projetar, instalar e assinar projetos com até no máximo 800KVA, ou se
baixas tensões.
http://electricservice.com.br

COORDENAÇÃO E SELETIVIDADE

CURTO CIRCUITO

FLUXO DE CARGA

FLUXO HARMÔNICO E CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA

diagnóstico de campos elétrico e magnético

ESTUDO DE CONEXÃO – ONS & GD

LAUDO CRÉDITO DE ICMS

DETERMINAÇÃO DA POTÊNCIA entrais geradoras de energia


elétrica (PCH’s, UHE’s, UTE’s e UFV’s)

QEE
TODAS DE DIJUNTO TRANSFORMADOR SECCIONADORA E
FUSIVEL

IEC 60909 e IEC 61363

Atendimento das diretrizes da ICNIRP/OMSAtendimento da IEEE


C95.6Atendimento da Res. 398 da ANEEL

Resolução Normativa Nº 420 (Aneel).

IEEE- 519, IEC 61000-3-2, IEC 61000-3-4 e IEC 61000-3-6

Benefícios:Atendimento à recomendações IEEE 1159IEC 61000-2-2 e IEC 61000-4-30

Atendimento à IEEE 1159, IEC 61000-4-30 e EN 50160

Atendimento da IEC 61000-3-3


PROCEDIMENTO DE REDE - ONS

http://apps05.ons.org.br/procedimentorede/procedimento_rede/procedimento_rede.aspx

Manuais e procedimentos ANEEL

http://www.aneel.gov.br/manuais-e-procedimentos

prodist

Procedimentos de Distribuição de Energia Elétrica no Sistema Elétrico Nacional – PRODIST


http://www.aneel.gov.br/prodist

Procedimentos de Regulação Tarifária - PRORET


http://www.aneel.gov.br/informacoes-tecnicas/-/asset_publisher/CegkWaVJWF5E/content/procedimentos-de-regulacao-tarifaria
%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3Dcolumn-2%26p_p_col_pos%3D1%26

Você também pode gostar