Você está na página 1de 14

CAMPUS MÉIER

CURSO DE DIREITO
TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

O Transconstitucionalismo sob o prisma da tutela dos direitos


fundamentais

FLÁVIO AUGUSTO BRAGA DE PINHO


108620523

RIO DE JANEIRO
NOVEMBRO - 2011
FLÁVIO AUGUSTO BRAGA DE PINHO

O TRANSCONSTITUCIONALISMO SOB O PRISMA DA TUTELA DOS


DIREITOS FUNDAMENTAIS

Projeto de Pesquisa apresentado à Prof a.


Beatris Gonçalves como requisito parcial
para elaboração da monografia de
conclusão do curso de graduação em
Direito.

UCAM – CAMPUS MÉIER


RIO DE JANEIRO
NOVEMBRO - 2011
SUMÁRIO

1- INTRODUÇÃO ................................................................................................... 3

1.1 Área de Pesquisa ......................................................................................... 3


1.2 Temática .......................................................................................................3
1.3 Delimitações ................................................................................................. 3
1.4 Problemática ................................................................................................ 3
1.5 Breve discussão do assunto ........................................................................ 4

2- OBJETIVOS ....................................................................................................... 5

2.1 Objetivo Geral ...............................................................................................5


2.2 Objetivos Específicos.....................................................................................5

3- HIPÓTESES .......................................................................................................6

4- JUSTIFICATIVA................................................................................................... 7

5- REVISÃO TEÓRICA............................................................................................ x

6- METODOLOGIA .................................................................................................. x

7- CRONOGRAMA................................................................................................... x

8- BIBLIOGRAFIA.................................................................................................... x

9- ANEXO................................................................................................................. x
3

1-INTRODUÇÃO

1.1 Área de Pesquisa

O projeto terá como foque a área do Direito Público, no ramo do Direito

Constitucional, bem como, parte da área de Direito Internacional Público, que trata dos

Direitos Humanos Universais.

1.2 Temática

O referido tema consiste no esclarecimento e destaque da importância do

diálogo entre as normas constitucionais e internacionais de forma que as instâncias

decisórias se comuniquem através das perspectivas alheias com o fito de proferirem

decisões que protejam os direitos fundamentais.

1.3 Delimitações

O tema do projeto está delimitado por assunto, e compatível basicamente com o

autor da tese “Transconstitucionalismo “ de Marcelo Neves como o que trata o referido

tema.

1.4 Problemática

A questão a ser solucionada é conhecer como as normas que protegem os

direitos humanos podem se comunicar, se harmonizar e se integrar mutuamente.

Outrossim, consiste a problemática do artigo científico a investigação da viabilidade de


4

normas pátrias diferentes, com ordens diversas, e culturas distintas, do diálogo sobre

questões constitucionais comuns que afetam ao mesmo tempo direitos de ambas as

ordens.

1.5 Breve discussão do assunto

O Transconstitucionalismo nasce das relações entre política e direito, sendo que

tais relações podem ser assumidas de diversas formas, e da própria necessidade de se

pensar o mundo em termos de coordenação de assertivas diversas e não um modelo

único.

Com a chamada “autonomia funcional do direito” originária do século XVIII,

aliada a nova percepção sobre as relações entre os subsistemas sociais da política e

do direito há de se optar por uma relativização da hierarquia das normas. Isto é, para

que se considere uma cooperação entre as normas, sugerindo uma coordenação, em

que se leva a uma superação da ideia tida como um dogma ao se tratar da supremacia

da constituição, conclui-se a necessidade dos juristas aplicarem as normas

constitucionais sob uma perspectiva que observe todas as relações sociais,

independentemente dos sentidos que as decisões judiciais possam ter nos outros

subsistemas sociais, especialmente no da política.

No sentido desse pensamento, fundamentado no que se denomina “teoria dos

sistemas”, o Transconstitucionalismo é uma tese que pode responder questões

complexas, de natureza constitucional, enfrentadas concomitantemente por diversas

ordens. Assim, tem-se a definição de Marcelo Neves (2009, p.1), “o

transconstitucionalismo é o entrelaçamento de ordens jurídicas diversas, tanto estatais

como transnacionais, internacionais e supranacionais, em torno dos mesmos problemas

de natureza constitucional.“
5

2- OBJETIVOS

2.1 Objetivo Geral

De forma sucinta, clara e objetiva, a presente pesquisa tem como escopo,

inseridos os teores elucidativo e motivacional, de buscar a aplicação na prática do

Transconstitucionalismo como provável solução dos conflitos entre instâncias decisórias

do mesmo nível hierárquico, especialmente entre nações, que tenham o compromisso

de garantirem direitos em comum, quais sejam, os direitos fundamentais.

2.2 Objetivos Específicos

 O presente trabalho visa identificar os principais elementos e


fundamentações da tese que baseará o artigo científico;
 Tem como foque também traçar as possíveis comunicações entre as
normas constitucionais e tratados internacionais, mediante suas instâncias decisórias,
que buscam a garantia dos direitos fundamentais, objetivo este em comum, isto é, uma
solução viável que visa a mesma finalidade entre as ordens, a proteção dos direitos dos
seres humanos;
 E ainda verificar casos que justificam a admissibilidade e importância de
se colocar esta tese em prática.
6

3- HIPÓTESES

A pesquisa tem por hipóteses principais:

 Sobre as fundamentações da tese, são diversas, encontrando não apenas


bons argumentos na obra de Marcelo Neves, mas também, na teoria da
interconstitucionalidade do célebre constitucionalista Canotilho, na teoria do
Estado Constitucional Cooperativo de Peter Häberle, entre outras.
 No que cinge à conexão entre as normas nacionais e supranacionais, ou
seja, o transconstitucionalismo entre direito estatal e direito supranacional, será
mostrado como são usados os diálogos inter-sistêmicos e a racionalidade
transversal.
 Na obra, há 98 casos que foram necessárias adequações recíprocas de
uma instância decisória a outra, em processos que não há imposição de uma
ordem sobre a outra, mas sim, a partir da comunicação entre estas, foram
gerados leques de variedades e opções de argumentações jurídicas sob
perspectivas alheias para decidirem melhor, protegendo direitos humanos.
.
7

4 - JUSTIFICATIVA

A presente análise enseja a importância do Transconstitucionalismo, dada a


notória dificuldade da extraordinária tese ser aplicada na prática, em razão de possível
insegurança jurídica ao se admitir decisões de outros tribunais, nacionais ou
internacionais. Todavia, convém registrar que é esta dificuldade que torna esta tese tão
importante para que seja observada, discutida e apreendida nas esferas sociais.
Dentro dos efeitos da teoria da ação comunicativa de Habermas, é dever das
instituições de ensino superior trazer problemas e soluções para que se coloque em
debate, posto à análise e à crítica da sociedade. Nesse sentido, não há qualquer dúvida
que a busca de diversos sistemas jurídicos existentes podendo contribuir positivamente
para o desenvolvimento de todos os sistemas é relevante.
Também registra-se que as contribuições da presente pesquisa proporciona não
apenas uma ampliação da formulação teórica do assunto proposto, ao inserir teorias de
outros juristas para fortalecer o embasamento desta tese, mas também de oferecer
uma solução brilhante que defende os direitos humanos e ao mesmo tempo critica a
mentalidade provinciana que um número considerável, mas desconhecido, de quem
tem o poder de decidir e julgar a fim de que se busque uma visão mais ampla de
conhecimento com aprendizagem a partir de outras perspectivas em um diálogo
multicultural.
Quanto à existência e acessibilidade de material mínimo para o estudo ora
proposto, não há qualquer preocupação. Além da tese defendida e publicada em livro
pelo autor já mencionado, há outros autores que defendem a mesma ideia, mas com
certas peculiaridades que serão dispostas, especialmente ao tratar da
“interjusfundamentalidade” de Canotilho.
8

E, por fim, o tema já alcança o nível público e notório na comunidade jurídica,


especialmente em razão de constitucionalistas geniais de renome internacional
defenderem a ideia da comunicação entre as normas nacionais e supranacionais, de tal
modo que os ministros do Supremo Tribunal Federal a utilizam quando inserem em
seus acórdãos decisões de Cortes Superiores de outros países, como da Alemanha,
por exemplo.
9

5 - REVISÃO TEÓRICA

(O QUE JÁ FOI ESCRITO SOBRE O TEMA?)

Pesquisa alguma parte hoje da estaca zero. Mesmo que exploratória, isto é, de
avaliação de uma situação concreta desconhecida em um dado local, alguém ou um
grupo, em algum lugar, já deve ter feito pesquisas iguais ou semelhantes, ou mesmo
complementares, de certos aspectos da pesquisa pretendida. Uma procura de tais
fontes, documentais ou bibliográficas, torna-se imprescindível para que não haja
duplicação de esforços.
A citação das principais conclusões a que outros autores chegaram permite
salientar a contribuição da pesquisa realizada, demonstrar contradições ou reafirmar
comportamentos e atitudes.

 A literatura indicada deverá ser condizente com o problema em estudo;


 Citar literatura relevante e atual sobre o assunto a ser pesquisado;
 Apontar os autores que serão consultados; demonstrar entendimento da
literatura existente sobre o tema;
 Quando necessário, motivar o confronto das teorias defendidas pelos autores
pertinentes;
 As citações literais deverão aparecer sempre entre aspas (com até 3 linhas).
Citações com mais de três linhas: utilizar fonte nº 11, alinhadas à direita (recuo
de 4 cm), espaçamento entre linhas: 1 cm (simples) e sem aspas;
10

 CUIDADO COM O PLÁGIO! Inserir as devidas referências bibliográficas após as


citações !!!

6- METODOLOGIA

(COMO FAZER?)

 Descrever sucintamente o tipo de pesquisa a ser abordada (bibliográfica,


documental, de campo, entre outros);
 Delimitação e descrição (se necessário) dos instrumentos e fontes escolhidos
para a coleta de dados: entrevistas, formulários, questionários, legislação, doutrina,
jurisprudência, entre outros;
 Indicar o procedimento para a coleta de dados, que deverá acompanhar o
tipo de pesquisa selecionado, isto é:

a) para pesquisa bibliográfica: indicar proposta de seleção das leituras


(seletiva, crítica ou reflexiva, analítica);
b) para pesquisa experimental; indicar o procedimento de testagem;
c) para a pesquisa descritiva: indicar o procedimento da observação:
entrevista, questionário, análise documental, entre outros.

 Listar bibliotecas visitadas até o momento da elaboração do projeto e outras a


serem visitadas durante a elaboração do trabalho final;
 Indicar outros recursos a serem utilizados: jornais, periódicos, Internet.
11

7- CRONOGRAMA

(EM QUANTO TEMPO FAZER?)

A elaboração do cronograma responde à pergunta quando? A pesquisa deve ser


dividida em partes, fazendo-se a previsão do tempo necessário para passar de uma
fase a outra. Não esquecer que há determinadas partes que podem ser executadas
simultaneamente, enquanto outras dependem das fases anteriores. Distribuir o tempo
total disponível para a realização da pesquisa, incluindo nesta divisão a sua
apresentação gráfica.

TRABALHO MONOGRÁFICO DE BACHARELADO - ANO


ETAPAS Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês Mês
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Escolha do tema X
Levantamento bibliográfico X X X X
Entrega do projeto X
Coleta de dados X X X X X
Análise dos dados X X X
Organização do roteiro X
Redação do trabalho X X X X X
Revisão e redação final X X
Entrega da monografia X
Defesa da monografia X

Obs.: O cronograma pode ser feito com a previsão de 12 a 18 meses, a cargo da instituição.
12

8-BIBLIOGRAFIA

(QUAL O MATERIAL BIBLIOGRÁFICO UTILIZADO?)

 A bibliografia utilizada no desenvolvimento do projeto de pesquisa (incluindo


aqueles que ainda serão consultados para sua pesquisa).
 A bibliografia básica (todo material coletado sobre o tema: livros, artigos,
monografias, material da Internet, etc.)
 As referências bibliográficas deverão ser feitas de acordo com as regras da
ABNT.
 As fontes, as obras e os sites consultados deverão ser separados por tópicos, de
acordo com sua natureza:

8.1 FONTES
8.2 OBRAS CONSULTADAS
8.3 SÍTIOS VIRTUAIS

 Na bibliografia final, listar em ordem alfabética todas as fontes consultadas,


independente de serem de tipos diferentes.
13

3cm

3cm.

2cm

9- ANEXO

Você pode anexar qualquer tipo de material (tabelas, lista de abreviações,


documentos ou parte de documentos, resultados de pesquisas), desde que não seja
meramente ilustrativo, devendo existir uma discussão prévia no corpo do texto e uma
nota remissiva.
Apenas como exemplo, neste anexo serão dadas algumas indicações para
apresentação gráfica do projeto monográfico.

 Utilizar papel branco, A4;


 Fonte ARIAL, estilo normal, tamanho 12;
 Citações com mais de três linhas, fonte tamanho 11, espaço simples, em parágrafo
independente, alinhamento esquerdo de 4 cm;
 Notas de rodapé, fonte tamanho 10, espaço simples;
 Todas as letras dos títulos dos capítulos devem ser escritas no canto esquerdo de
cada página, em negrito, maiúsculas, tamanho 12. Cada tópico deve começar em
folha nova;
 O espaçamento entre linhas deve ser de 1,5 cm. Nas referências bibliográficas, o
espaçamento entre uma obra e outra será o mesmo;
 O início de cada parágrafo deve ser recuado de 1,25 cm da margem esquerda.
 As margens das páginas devem ser: superior e esquerda de 3cm; inferior e direita
de 2cm;
 O recuo da borda da folha até o tópico deve ser de 8 cm;
 O número da página deve aparecer na borda superior direita, em algarismos
arábicos, inclusive na Bibliografia e Anexo(s), somente a partir da introdução,
embora todas sejam contadas, exceto a capa para efeito de numeração.

2cm