Você está na página 1de 21

Para Começar...

Antiga Benção Celta

Que o caminho venha ao teu encontro.


Que o vento sempre sopre às tuas costas
e a chuva caia suave sobre teus campos.
E até que voltemos a nos encontrar,
que Deus te sustente suavemente na palma de sua mão.

Que vivas todo o tempo que quiseres


e que sempre possas viver plenamente.
Lembra sempre de esquecer as coisas que te entristeceram,
porém nunca esqueças de lembrar aquelas que te alegraram.

Lembra sempre de esquecer os amigos que se revelaram falsos,


porém nunca esqueças de lembrar aqueles que permaneceram fiéis
Lembra sempre de esquecer os problemas que já passaram,
porém nunca esqueças de lembrar as bênçãos de cada dia.

Que o dia mais triste de teu futuro


não seja pior que o dia mais feliz de teu passado.
Que o teto nunca caia sobre ti
e que os amigos reunidos debaixo dele nunca partam.

Que sempre tenhas palavras cálidas em um anoitecer frio,


uma lua cheia em uma noite escura,
e que o caminho sempre se abra à tua porta.

Que vivas cem anos, com um ano extra para arrepender-te.


Que o Senhor te guarde em sua mão, e não aperte muito seus dedos.

Que teus vizinhos te respeitem, os problemas te abandonem,


os anjos te protejam, e o céu te acolha.
E que a sorte das colinas Celtas te abrace.

Que as bênçãos de São Patrício te contemplem.


Que teus bolsos estejam pesados e teu coração leve.

2 Toque de Fada
Que a boa sorte te persiga, e a cada dia e
cada noite tenhas muros contra o vento,
um teto para a chuva, bebidas junto ao fogo,
risadas que consolem aqueles a quem amas,
e que teu coração se preencha com tudo o que desejas.

Que Deus esteja contigo e te abençoe,


que vejas os filhos de teus filhos,
que o infortúnio te seja breve e te deixe rico de bênçãos.

Que não conheças nada além da felicidade, deste dia em diante.

3 Toque de Fada
O Mago, a Magia
e o Mundo Mágico
Essa pergunta é simplesmente impossível de responder, mas se pensarmos nas pinturas
existentes nas cavernas habitadas pelos homens primitivos, talvez possamos imaginar que,
essas pinturas, mais do que apenas um tipo de arte, fosse alguma indicação mágica.

Da mesma forma que até hoje usamos a magia simpática, aquela que usa um elemento que
representa o desejo de amor (um coração de papel) ou uma parte doente que precisa de cura
(uma perna de cera).

Os homens primitivos poderiam desenhar o seu objetivo de caça e isso somado ao pensamento e
à certeza de ter que levar comida para a comunidade, reunia necessidade e emoção, elementos
indispensáveis na magia.

E com a evolução das sociedades, ora a magia era algo comum, banal, usada ou não por todos,
até as barbaridades cometidas pela Inquisição, onde qualquer pessoa podia ser condenada, sem
nenhum critério formal ou sério e em julgamentos duvidosos.

325 – o Concílio Ecumênico de Niceia declara que o culto aos anjos fazia parte dos dogmas da
Igreja Católica.

343 – outro Concílio considera idolatria o culto aos anjos e o seu banimento.

743 – sínodo de Roma declara ser crime fazer oferendas a espíritos.

787 - Sínodo Ecumênico limitou o culto aos anjos a apenas 4: Uriel, Miguel, Rafael e Gabriel.

829 – o sínodo de Paris proclama que a Igreja não toleraria encantamentos e idolatria.

1100 a 1300 – o período que coincide com o gótico transforma mulheres simples em bruxas que
tem práticas diabólicas, desprezam o sagrado e realizam cerimônias pagãs.

1184 – o papa Lúcio III implanta a o chamado Tribunal do Santo Ofício, em Verona, Itália,
inspirado nas ideias de Santo Agostinho.

Até 1484, segundo consta, a Igreja Católica não tinha definições claras sobre a magia ou a
bruxaria.

O fato é que em países menos ligados à Igreja Católica, como os nórdicos e as Ilhas Britânicas, a
magia, de fato, nunca deixou de ser praticada. A própria Wicca, que é um apanhado de práticas
mágicas, surgiu no Reino Unido.

E pode-se ver que, conforme os costumes de cada época, ou até mesmo interesses
inconfessáveis, a Igreja fazia suas escolhas conforme suas próprias conveniências.

4 Toque de Fada
O Mago, a Magia
e o Mundo Mágico
O que é Bruxaria

Como as pessoas sempre tem medo do desconhecido, o curioso é que a maioria das histórias
infantis ou mesmo filmes adultos, apresentam uma bruxa velha, feia, de aparência grotesca, que
mora num lugar empoeirado e cheio de teias de aranha.

Isso gerou (e ainda gera) tremendo preconceito na sociedade, onde muitos raramente se
declaram bruxos. Mas, falando francamente, acredito que a bruxaria é uma forma de agir, não
parte de uma religião, nem outra religião à parte.

Na verdade, as várias práticas e tradições assumiram infinitas denominações e aplicações. O


Paganismo é uma palavra mais adequada, pois abrange todos os elementos, organizados ou
não, que deram frutos, originando as mais diversas formações mágicas, da bruxaria solitária,
passando pela wicca, até as fraternidades secretas ou esotéricas.

OU seja, ao explicar brevemente (bem brevemente) as origens da bruxaria, pretendo mais me


deter no aspecto de que você entenda de onde vem as nossas práticas, mais do que criar
definições e diferenças de A para B, o que pode até ser necessário em alguns momentos, mas
que não é o objetivo desta obra.

Minha formação wiccana, não me define, por exemplo. Eu posso ser católico e praticar magia
segundo a tradição wicanna. Eu posso ser umbandista e, dentro do possível, associar a crença
na umbanda a práticas wiccanas.

Ou seja, muitas pessoas, incluindo a mim, consideram a bruxaria, a magia, a wicca, a santeria, o
xamanismo... como parte da vida, não a vida de cada um de nós. Certamente, algumas práticas
são, até certo ponto, incompatíveis, como ser evangélico e wiccano ao mesmo tempo. Pode até
ser que exista, mas...

Por este motivo, o elemento fé não faz parte da nossa abordagem; uma vez que nos sentimos
parte de um todo maior e que permeia nossas vidas a todo o tempo inteiro, é desnecessário ter
fé, pois já é parte de nós.

Eu não preciso ter fé de que possuo 5 dedos na mão direita, isso já é parte de mim, eu não
preciso ter fé nisso ou olhar a todo instante para minhas mãos para ver se os 5 dedos ainda
estão lá.

Embora a fé não seja um elemento fundamental, tenho certeza que os iniciantes irão duvidar de
alguns fatos e até mesmo sentem-se incapazes de realizar ações simples. Quanto mais você
pratica e se liga a Deuses e Divindades, mais aumenta a sua confiança e poder pessoal; mais
você se torna livre. E Isso é indescritível.

A fé já não é necessária, pois ela comporta a dúvida. Você já tem certeza do que quer e plena
confiança no mundo mágico que o/a rodeia. A fé se torna desnecessária, mas a confiança
aumenta a cada dia.

5 Toque de Fada
O Mago, a Magia
e o Mundo Mágico
Origem da Palavra Bruxa /Bruxaria

A origem mais provável e defendida por linguistas é que uma palavra em latim ou romano (?)
teria evoluído até chegar a bruxa plussia > pluscia > bruscia > bruxa. Seria alguém que lida com
ervas e curas; como isso não era mal visto no Império Romano, era algo sem grandes
consequências.

Quais são os tipos de Bruxaria

Se levarmos em conta os vários povos que não sofreram com a Inquisição e passaram seus
conhecimentos de forma oral, certamente isso amplia de forma incrível os conhecimentos
mágicos.

Mesmo aqueles que tiveram com lidar com esta face terrível da Igreja, ainda assim muita
sabedoria resistiu, passada de boca a ouvidos atentos. Muitos foram exterminados, mas muitos
conseguiram escapar, inclusive através de “conversão” ao cristianismo, mantendo em segredo as
práticas da Arte.

Na América, os índios praticavam o que hoje se chama, genericamente, de xamanismo, cada um


com suas peculiaridades, mas sempre centrado na figura do xamã (o pajé entre os índios
brasileiros). E sabe-se que muitos conquistadores recorreram aos xamãs para curar suas dores,
mas isso ninguém conta.

Os povos africanos, até hoje, são divididos em uma quantidade incrível de etnias e cada uma
delas tinha (e tem) as suas práticas religiosas/mágicas específicas. Ao serem trazidos para a
América como escravos, trouxeram a energia das suas crenças, dando origem a diversos cultos.

O candomblé, por exemplo, é uma religião que não existe na África; a chegar ao Brasil e interagir,
os negros trocaram seus conhecimentos e, escondidos, criavam ali uma nova religião, unindo
diversos cultos africanos. O mesmo ocorreu no Caribe, que viu surgir a Santeria e o Vodu.

Já os povos asiáticos, principalmente os mais antigos, como chineses, japoneses e indianos,


mantiveram práticas religiosas milenares, a maioria delas muito anterior à criação da Igreja
Católica.

E os povos da Oceania, tanto das grandes ilhas como Austrália e Nova Zelândia, bem como as
pequenas ilhas, praticavam, e alguns praticam até hoje, rituais semelhantes aos dos xamãs
americanos. De alguma forma, eles devem ter tido algum tipo de contato entre Américas e
Oceania, muito anterior às grandes navegações.

Com isso, a variedade de crenças permanece viva até hoje, existindo algumas práticas religiosas
muito fechadas e que selecionam bastante seus membros. Enfim, tudo é magia, mas com
métodos diferentes, fontes de poder diferentes, deuses e divindades diferentes.
E por mais experiência que você tenha, sempre há alguma coisa a aprender, um povo a
conhecer, uma cerimônia diferente a acompanhar, ou seja, somos eternos aprendizes.

6 Toque de Fada
O Mago, a Magia
e o Mundo Mágico
A Bruxaria no século XX

O curioso é que até 1951 existia na Inglaterra uma lei que proibia a Bruxaria. Apesar disso,
pessoas mais esclarecidas como Aleister Crowley e Gerald Gardner já comentavam sobre o
assunto, tornando mais leve o ambiente e, finalmente abolindo esta lei em 1951.

Gardner, um homem de muita cultura e que passou parte da vida no Sri Lanka (na época,
Ceilão), certamente lá reuniu muita informação mágica com os nativos, além de, naturalmente,
em segredo, manter conversas com pessoas próximas, a respeito da Arte; uma dessas pessoas
foi Doreen Valiente.

Talvez como forma de protesto ou para afirmar que a magia estava mais viva do que nunca,
Gardner publica em 1954 um livro que reunia uma série de conhecimentos, com uma filosofia
específica e coletânea de muitas tradições.

De certa forma, ele condensou no papel muitas informações e práticas que só eram passadas de
boca a ouvidos, sem registro. Logicamente, muita coisa se perdeu, mas a essência da magia no
mundo atual começou ali, com Gerald Gardner.

E desta forma surgiram várias “tradições”, algumas delas muito válidas, outras totalmente
focadas na personalidade dos seus criadores.

Entre elas podemos citar as tradições:

Alexandrina – criada por Alex Sanders

Cabot – criada por Laurie Cabot

Celta – focada nas tradições e nos deuses e mitos celtas. Muitos afirmam que a base principal da
wicca concentra-se nesta tradição.

Cristã – alguns acham uma piada este tipo de bruxo, mas considero perfeitamente possível crer
nos mitos e santos católicos e praticar magia.

Diânica – grupos formados somente por mulheres, que cultuam a deusa Diana.

Egípcia – focada nos mitos e deuses egípcios.

Faery – fundada por Victor Anderson, é uma tradição que cultua o mundo das fadas.

Familiar – uma família que mantem suas próprias práticas, geralmente tendo um mais velho
como líder espiritual.

Gardneriana – a fundada por Gerald Gardner e que se espalhou principalmente por Europa e
Estados Unidos.

Greco-Romana – tradição que cultua os mitos e deuses gregos e romanos.


Solitária – por falta de um grupo responsável/confiável, muitas pessoas preferem seguir
“sozinhas”
7 no caminho
Toque mágico. Uma vez que somos recebidos pelos deuses e divindades, nunca
de Fada
mais estamos sozinhos. Entenda isso.
Xamanismo Wicca – é uma tradição que envolve wicca e xamanismo, criação de Selena Fox.
Wicca Verde – tradição que abrange as pessoas que mais valorizam os elementos naturais e
O Mago, a Magia
e o Mundo Mágico
Greco-Romana – tradição que cultua os mitos e deuses gregos e romanos.

Solitária – por falta de um grupo responsável/confiável, muitas pessoas preferem seguir


“sozinhas” no caminho mágico. Uma vez que somos recebidos pelos deuses e divindades, nunca
mais estamos sozinhos. Entenda isso.

Xamanismo Wicca – é uma tradição que envolve wicca e xamanismo, criação de Selena Fox.

Wicca Verde – tradição que abrange as pessoas que mais valorizam os elementos naturais e
muitos deles são fortes ativistas ambientais também.

Curiosidade – De onde vem o termo Wicca

O nome ficou mais popular a partir dos anos 1990, quando começaram a pipocar grupos em todo
o mundo. A queda do Muro de Berlim, simbolizou a liberdade, mesmo para os povos que não
viviam por ali.

Com isso, a vontade de aprender, conhecer, buscar informação, se tornou bastante comum em
todo o mundo, incluindo o Brasil.

A primeira vez que ouvi/vi esta palavra foi em 1995, quando a empresa onde eu trabalhava criou
um evento voltado para astrologia, numerologia, poder da mente. Um grupo de mulheres vestidas
de preto fez inscrição e na recepção, onde estávamos eu e minha colega, as recebemos com
curiosidade.

Uma delas portava uma agenda de capa preta escrito “Agenda Wicca”. Mas, o que era aquilo?
Perguntei para uma delas. Como acredito que fosse um círculo apenas de mulheres, ela deu uma
agenda para minha colega, como presente.

Ah, a participante respondeu para mim: “Wicca é... tudo o que está ao nosso redor”
Claro que eu e essa colega começamos a devorar o conteúdo da agenda. Ela eventualmente
levava para o trabalho e também me passava alguns segredinhos, kkk.

Sobre a palavra Wicca, uma das definições mais aceitas é que deriva de uma língua britânica
antiga Witta ou Witten, que significaria profeta ou mago. Pode ser originária de outras palavras,
como vitega, veitsga, weissager, com o mesmo significado. Essa mesma palavra daria origem a
witch, a palavra moderna que significa bruxo/a.

Por tanta liberdade, a wicca não é bem considerada como religião, mas como uma prática
religiosa que pode ser aplicada por aqueles que assim desejam. Por este motivo, católicos
praticantes de wicca crescem a cada dia. E eu não vejo problema algum.

De certa forma, fazer uma oração com fé, acender uma vela aos pés de um santo e acrescentar
um copo com água, torna esta devoção um ato mágico. Assim, ao meu ver, não importa o
julgamento alheio, mas sim a confiança de cada e a sua forma de devoção ao Divino.

8 Toque de Fada
O Mago, a Magia
e o Mundo Mágico
Daí, wiccano/a, bruxo/a, mago/a, magista, os nomes não importam. Se você estiver aberto/a para
aprender e praticar, seja bem-vindo ao mundo da magia. Vamos enxergar além.
Abençoado/a Seja!

Por Tânia Gori, bruxa paulistana:

“Devemos nos lembrar que, nos séculos passados, aqueles


que queimavam bruxas e heréticos estavam repetindo
exatamente o pecado que matou Jesus Cristo. A história cristã
seria muito diferente se os cristãos se recordassem de que foi
a motivação humana que os levou a matar o homem a quem
consideravam o seu salvador”.

9 Toque de Fada
Os Elementos e
os Elementais
De uma forma geral, todas as pessoas que pretendem ingressar no caminho mágico, sempre
estarão em contato com elementos/elementais. Por que?

Com os quatro elementos já presentes na natureza, estamos sempre em contato, desde


enquanto respiramos, de forma automática, até quando ligamos nossos chuveiros elétricos para
um delicioso banho ao retornar do trabalho e, após, vamos jantar deliciosos pratos preparados
com esmero.

Segundo a tradição mágica, além destes quatro elementos existe um quinto, aquele que permeia
tudo e todos e de onde também buscamos energia. Os nomes são vários: energia vital,
substância amorfa (sem forma), energia da vida, prana, éter e muitos mais.
Segundo consta na bíblia:

“... formou Deus o ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas


o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente.”

Seria este “fôlego da vida” o quinto elemento? A maioria dos místicos acredita que sim, pois o
éter permeia tudo e todos. Quer senti-lo? Junte as mãos como em prece e comece a esfrega-las.
Vá aumentando a velocidade e faça isso durante uns 2 minutos. Ao separar as mãos e tentas uni-
las novamente, você sentirá alguma energia diferente entre elas. Este é o éter.
Falaremos dele adiante e, por hora, vamos avaliar os outros quatro elementos:

Terra

É a nossa morada e, por isso mesmo, a afirmação bíblica “Do pó vieste e ao pó voltarás” é
perfeitamente lógica. Após nos alimentarmos do que cresce sobre a terra e tira dela seus
nutrientes, adquirimos força, vida e crescemos.

Após a nossa passagem, somos enterrados e nosso corpo devolve à Grande Mãe, parte daquilo
que dela retiramos. É um ciclo natural, que ocorre com todos os seres vivos, sejam humanos ou
animais de todas as espécies.

Por ser o elemento da mãe, confere estabilidade, força, energia, força de vontade. Favorece a
abundância, riqueza, fertilidade e prosperidade. Se nossa ligação com a terra é fraca, tendemos a
começar e ter cortes em nossos empreendimentos, ou a nunca avançar na vida.

Para a terra, todas as magias que envolvam força, prosperidade, dinheiro, fertilidade, negócios
em geral, prosperidade e para as pessoas que precisam “centrar-se”, ser menos dispersivas.
A terra é um elemento feminino, que absorve, é receptiva. Por isso, muitas pessoas que atuam
com oráculos, deixam sobre a terra para descarregar eventuais energias intrusas que podem ter
impregnado no material.

Pedras, cristais, pedaços de madeira, terra pura (não areia ok), ervas, plantas e grãos podem
representar a terra nas atividades mágicas.
Ar
10 Toque de
Os pensamentos, Fada a literatura, a comunicação, o movimento, a mudança breve e o
a intuição,
intelecto são os domínios principais do ar.
Sentir a leve brisa passando por nosso corpo, além de um exercício de grande relaxamento,
também pode ser uma prática simples para mandar embora o que não mais queremos. O ar é
Os Elementos e
os Elementais
Pedras, cristais, pedaços de madeira, terra pura (não areia ok), ervas, plantas e grãos podem
representar a terra nas atividades mágicas.

Ar

Os pensamentos, a intuição, a literatura, a comunicação, o movimento, a mudança breve e o


intelecto são os domínios principais do ar.

Sentir a leve brisa passando por nosso corpo, além de um exercício de grande relaxamento,
também pode ser uma prática simples para mandar embora o que não mais queremos. O ar é
movimento e também mudança breve, rápida. Por isso, cuidado ao lidar com ele.

As magias que envolvem melhoria da concentração, as artes, comunicação, necessidade de


divulgar algo e também de mudar bem rápido. Também pode ser usado para desenvolver a
intuição e faculdades psíquicas.

O ar é um elemento masculino, ativo, que propaga-se com rapidez. Daí a prática milenar da
defumação, usando ervas, sementes, pós, especiarias e até outros elementos. Queimados e
espalhados no ambiente, pelo ar, além de expulsar energias nocivas, purificam o ambiente.

Em magia, usamos a força do ar para aumentar a concentração ou propagar algo que queremos
muito, dentro dos domínios do ar, como a aprovação num concurso, por exemplo.
O ar geralmente é representado pelo incenso ou por folhas de árvores altas.

Água

É a regente do amor, das emoções, do subconsciente e das purificações. Sem água, não vejo
como existir magia, pois além de condutora, quando em movimento ela tem o poder de levar os
nossos desejos ou de limpar nosso corpo e espírito de elementos nocivos.

Não à toa, após um dia cansativo, o que mais queremos ao chegar em casa é tomar um banho
revigorante. Não apenas porque limpa o corpo, mas pela purificação da nossa energia.

A água é feminina, receptiva, moldável, concentra energia. Por isso, jamais beba água que ficou
parada num ambiente com muitas pessoas. Ela pode ter absorvido energias dos presentes,
algumas até mesmo enviadas intencionalmente por alguém.

Em magia, a água representa o prazer, alegria, fertilidade, cura, purificação, emoções em geral e
tudo aquilo que precisa de movimento. Para quem tem acesso, os melhores lugares para praticar
magia com água são os rios e as cachoeiras.

Com seu movimento de sempre seguir, podem levar pedidos ou carregar aquilo que não mais
queremos. Além do que a maioria das cachoeiras são cercadas por mata; ou seja, além da força
da água, você tem a terra e o ar envolvidos.

11 Toque de Fada
Os Elementos e
os Elementais
Se for acender uma vela para tornar o fogo presente, que ela tenha um tamanho que termine de
queimar antes de você ir embora. Isso evita incêndios e acidentes.

Já o mar é indicado para purificação; neste caso, procure lugares mais vazios, aonde existam
poucas energias nocivas sendo tratadas. Em 31 de dezembro, na praia de Copacabana, Rio de
Janeiro, imagine a quantidade de energias deletérias sendo tratadas pelo mar... Evite estes
lugares muito cheios, se você pretende fazer do banho de mar um ritual de purificação.

Os rituais, a forma mais comum de a água estar presente é através de um copo ou recipiente
transparente, se for de vidro, ou até mesmo se aceitam moringas de barro. Objetos de plástico
devem ser evitados.

Fogo

Não havia luz, dentro ou fora das cavernas, os animais selvagens eram sempre uma ameaça aos
grupos primitivos, a comida era consumida crua. Eis que Ele surge e, de repente, passa a ser o
senhor da luz, da defesa contra os animais, do preparo mais requintado dos pratos.

O fogo é masculino, expansivo, tende a alimentar-se continuamente (veja o caso das queimadas,
por exemplo), por isso, temos que ter cuidado ao lidar com esse elemento, principalmente
quando usamos velas, mantendo-as em locais seguros e, se possível, que estejamos sempre
perto para qualquer emergência.

Ele é construtor e ao mesmo tempo destruidor; é fascinante e perigoso ao mesmo tempo, mas é
indispensável, como a água, em qualquer ritual de magia. Seja através de uma lamparina, de
uma vela, fogueirinha ou fogueira ritual, o fogo é o elemento mais misterioso de todos.

Ao praticar magia focada no fogo, os resultados são rápidos, as mudanças são evidentes e, até
mesmo em alguns casos, podem ser assustadoras. Há que se ter controle pessoal para lidar
diretamente com este elemento, pois ele representa a mudança, transformação, criação e
destruição.

Na magia, o fogo é aplicado à cura, destruição de maus hábitos, limpeza energética pessoal e de
ambientes, melhorar a libido e tudo o que precise de energia forte e decidida para acontecer. Por
isso, antes de magiar com fogo, pense 50 vezes sobre o que você quer, pois pode conseguir...
As velas são a forma mais simples e prática de aplicar o fogo em algum ritual.

OS ELEMENTAIS

Já conhecemos os 4 elementos e essa classificação vem de longe. Mas, somente após os


estudos mais sérios da Alquimia, é que, além dos 4 elementos, foram classificados seres que
habitam estes elementos e tem funções muito específicas a executar na natureza.

12 Toque de Fada
Os Elementos e
os Elementais
Um suíço de nome Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim, mais conhecido
como Paracelso, foi um eminente alquimista e estudou com afinco os reinos da natureza e os
seus seres.

Ele dizia que os pequenos seres da natureza são mais sutis, porém tem um corpo que os
materializa para executar suas funções.

Foi assim que surgiram as definições que hoje conhecemos:

Água
Elementais: Ondinas
Governadas por: Niksa
Direção: Oeste
Símbolos: conchas, chuva, água, lagos, fontes, oceanos, poços, rios

Ar
Elementais: Silfos
Governadas por: Paralda
Direção: Leste
Símbolos: brisa, céu, árvores, flores, nuvens, vento, vibração, sino dos ventos

Fogo
Elementais: Salamandras
Governadas por: Djin
Direção: Norte
Símbolos: estrelas, sol, vulcões, relâmpagos

Terra
Elementais: Gnomos
Governadas por: Gob
Direção: Sul
Símbolos: pedras, rochas, montanhas, campos, plantações

OBSERVAÇÃO ESPECIAL
Eu escrevo e pratico magia no hemisfério sul. Ou seja, o nosso frio vem do Sul, da Antártida e o
nosso calor vem do Norte, do Equador. Por isso, o Fogo, é reverenciado ao Norte e a Terra ao
Sul.

Se você faz este curso e mora no hemisfério norte, é só trocar. O frio vem do Ártico (Norte) e o
calor vem do Equador (Sul); Água e Ar permanecem nas mesmas direções, independente do
hemisfério.

13 Toque de Fada
O Universo da Mente
e a Visualização Criativa
Muitas vezes é bem cômodo para nós procurarmos a solução dos nossos problemas nas outras
pessoas ou até mesmo na magia. Como ocidentais, é difícil acreditarmos que temos um poder
interno que está disponível para resolver quaisquer dificuldades que venham atrapalhando nossa
vida.

E digo mais, magia não é para qualquer momento ou para atividades banais. Quando
conversamos e pedimos ajudas a divindades, deuses, astros ou elementais, precisamos estar
baseados em muito respeito e, de verdade, ter um motivo REAL para mobilizá-los.

É mais fácil acreditar que todos os problemas são provenientes de algum feitiço, de castigo ou da
inveja alheia. Certamente estas energias existem e podem nos prejudicar seriamente, mas o
importante é estar envolvido por um escudo energético que pode rebater estas vibrações e,
acima de tudo, não se identificar com elas, mantendo o controle da vida nas próprias mãos.

Por isso, em qualquer época, magias para defesa e proteção são indicadas e DEVEM ser
praticadas. Se a sua energia não estiver boa, de forma alguma os seus rituais ou encantamentos
darão certo ou virão a trazer benefícios mais amplos.

“Cuide-se primeiro, depois deixe o Universo Mágico cuidar de você”

Ouvi isso apenas uma vez, e levo como base para a minha vida pessoal e mágica e nesta
caminhada aprendi dois conceitos curiosos, mas verdadeiros:

- Você só pode dar aquilo que tem.

- Você só pode pedir aquilo que já tem.

Curioso né? Mas imagine que você precise de dinheiro. Você acha que não tem, mas se a sua
mente já estiver carregada com a ideia de prosperidade, basta definir uma quantia (seja razoável
claro) e o dinheiro virá, sem sombra de dúvida.

Se uma pessoa doente pede a você uma prece, um encantamento, você só poderá ajudar se a
sua saúde estiver em dia, ao menos. Quer dizer, só pode mandar energia de cura, se você
estiver bem.

Como mago(a), o conhecimento das engrenagens que movem as pessoas é extremamente


importante para você, uma vez que terá muita responsabilidade sobre os seus desejos e
motivações, muitas vezes destrutivos.

Como somos seres imperfeitos, você pode sofrer uma grande agressão verbal no trabalho e, qual
o passo mais provável? Acertou, vingar-se da pessoa que te atingiu, usando a magia. Além de
infantil, está é uma prática perigosa, pois você nunca sabe como esta pessoa é/está
energeticamente. Se não chegar até ela, voltará para você, fatalmente.

14 Toque de Fada
O Universo da Mente
e a Visualização Criativa
Antes de qualquer ato, principalmente vingativo, pense umas 50 vezes sobre o que aconteceu.
Dê uma volta, beba um suco, aprecie o mar, enfim, PENSE!

Se puder resolver de forma civilizada com a pessoa em questão, melhor ainda. Mas, se não for
possível, deseje que ela encontre luz e discernimento. Os resultados costumam ser incríveis, ela
pode encontrar uma posição melhor na própria empresa (bem longe de você), pode ser
transferida, você pode ser promovido/a para outra unidade...

Se essa pessoa tiver que ser punida pelas leis universais ela fatalmente será; você não precisa,
nem deve, se envolver no karma alheio. Se ela te agrediu, pode ser um espírito ainda muito
atrasado e que precisa de luz. Não seja você a levar mais escuridão para os outros.

Por isso que é útil conhecer algumas das Leis Mentais, e de que forma você pode moldar o seu
pensamento e as ações. Ou seja, refletir o bastante antes de qualquer ato mágico mais
complexo. Bem como na vida como um todo; você colocou o pé na magia, a sua vida passa a ser
mágica. Lembre disso.

As Leis Mentais

Primeira Lei
É fundamental que se tenha Amor-próprio ou Autoestima. Quem não se ama não
magnetiza, não atrai o que deseja de bom para si e para a própria vida.

Segunda Lei
Compreensão. É o entendimento das situações e do perdão, pois a mágoa é o
veneno da alma e somente através da compreensão podemos nos livrar dela.

Terceira Lei
Policiamento. Permite anular pensamentos e padrões negativos. Quando
aprendemos a nos policiar, imediatamente invertemos o padrão negativo,
reparando justamente o contrario. Em vez de se criticar e se depreciar, a pessoa
passa a desejar sempre o melhor para si mesma e para os outros.

Quarta Lei
Desejo Objetivo. Significa querer algo intensamente, com muita emoção. Visualize,
deseje e veja seu desejo já realizado. Lembre: você só pedir ou dar o que você já
tem.

Quinta Lei
Ousadia. É preciso agir e ser audacioso em vez de simplesmente pensar. Para
ousar é necessário ter coragem, deixar a timidez de lado e entrar em ação, saindo
da toca.

15 Toque de Fada
O Universo da Mente
e a Visualização Criativa
Sexta Lei
Certeza. É muito forte quando é direcionada para objetivos bem definidos.

Sétima Lei
Silêncio. Evite entrar na sintonia das pessoas invejosas ou negativas, causando a
dúvida que pode quebrar a programação de sucesso e harmonia. Inclusive
interferindo fortemente na sua magia. Olho vivo!

Como Realizar de Verdade

Saibamos que o Universo é inteligente e realiza tudo o que desejamos, desde que estejamos
preparados para receber a dádiva. Por isso, se o que você precisa ainda não foi realizado, pode
não ser o momento para isto.

Portanto, continue agindo, ou faça uma reflexão dos seus propósitos, pois eles podem estar mal
organizados e gerando tensão excessiva.

Quando chegamos aos resultados, podemos avaliar o mecanismo dos nossos pensamentos, e
como foram planejadas nossas realizações. Se os resultados demoram a chegar, ou não se
realizam, pode ter acontecido uma das situações:

- pensamentos confusos ou contraditórios;

- falta de energia e concentração no processo;

- falta de preparo atual para receber o desejo.

Lembra de que escrevi há algum tempo que você só pode dar ou receber o que tem? É
exatamente isso. Quando o objetivo já está dentro de você, poderá dar ou receber com muito
mais facilidade.

Segundo o Bhagavad Gita, livro sagrado do Hinduísmo: “A crença faz o homem. Conforme
acredita, conforme é”. Assim:
- Mude a maneira de pensar;
- Examine as crenças;
- Mude as atitudes;
- Verifique as ações e sentimentos;
- Altere pontos de vista – podem ser muito rígidos;
- Enxergue adiante, depois das montanhas;
- Desafie hipóteses;
- Cresça sempre, para a frente e para cima.

16 Toque de Fada
O Universo da Mente
e a Visualização Criativa
O Poder das Visualizações

Para quem já está ou pretende ingressar no mundo mágico, saber visualizar é algo fundamental,
pois você precisar VER realizado o objetivo do seu trabalho. Mesmo que você nunca tenha feito
um trabalho sério de visualização, o momento é este.

Vamos aprender juntos?

Cientificamente comprovada como auxiliar em diversos processos humanos, incluindo a cura, a


visualização tem como objetivo despertar nosso subconsciente e ser uma forma de comunicação
com ele, utilizando o imenso potencial criador que está adormecido na maioria da população.

Já é consenso entre pesquisadores e alguns cientistas, mesmo os mais tradicionais, que todas as
manifestações físicas são criadas primeiro no plano superior – céu, astral, cósmico ou qualquer
outro nome. A nossa realidade material seria então reflexo dos nossos pensamentos,
principalmente aqueles que tem maior envolvimento de sons, imagens e movimento.

Como o subconsciente não distingue a realidade física daquela criada pelo consciente, você
pode imaginar uma situação de medo e terror, que logo o seu corpo reflete e fica arrepiado, os
batimentos cardíacos se aceleram e seu pulso também. Pense num filme de terror ou suspense
que tenha assistido e comprove por si mesmo(a) esta afirmação.

Da mesma forma, se a situação visualizada for de alegria, com todos os componentes e


sensações relembrados, é como se você estivesse revivendo este momento. Pense num instante
em algo que tenha feito muito bem a você e analise posteriormente o que sentiu ao relembrar a
cena.

Preste atenção que, nos casos citados, a emoção acompanha o pensamento.

De qualquer das formas, o cérebro trabalha em conjunto, transformando nossos pensamentos em


realidade, dentro de certas condições. Ao imaginar qualquer situação, o organismo passa a
secretar hormônios e/ou toxinas que correspondem à emoção colocada no pensamento.

O consciente é a parte do cérebro encarregada de pensar, raciocinar e planejar; o subconsciente


tem a função de obedecer e executar as funções programadas e as autônomas, como os
batimentos cardíacos e a respiração.

Se nossos pensamentos são destrutivos e mal-intencionados, certamente nossa vida poderá


adquirir esta condição.

Observe como algumas pessoas ficam deprimidas depois de conversar com indivíduos
destrutivos – sua mente acaba sendo hipnotizada e contaminada por vibrações nocivas. Por outro
lado, após conviver com uma pessoa alegre e otimista, mesmo que você esteja num dia ruim
tenderá a haver uma melhora no seu quadro geral, pois receberá influências benéficas. E isso
acontece o tempo todo.

17 Toque de Fada
Datas Especiais e o
Comportamento Mágico
Algumas datas, pelas mais variadas questões, exigem de nós uma postura diferenciada, seja por
respeito, seja pelo perigos ocultos ou até mesmo por determinações da tradição ou grupo que
você frequenta.

Como disse, eu sou um wiccano solitário, mas ao mesmo tempo amo a umbanda e a magia do
povo cigano. Neste ponto, as três tradições tem as mesmas restrições/recomendações a
respeito de certas datas e festividades. Por isso, transmito a você aquilo que pratico; pode ser
que você encontre em livros ou conversas outras formas de agir.

Quando não fazemos Magia?

Por uma questão de respeito, a maioria das tradições que conheço não fazem práticas mágicas,
nos dias Sexta-Feira da Paixão, em respeito ao sofrimento do Cristo em sua passagem pela
Terra. Em respeito aos mortos, o dia de Finados também não é data para realizar magias ou
rituais.

Quem é oraculista, principalmente quem usa o Baralho Cigano, costuma não abrir as cartas nem
nestes dias, nem na véspera e dia de Natal (24 e 25 de dezembro).

Logicamente, isso vai da crença de cada um, mas eu, ao menos respeito estas interdições. As
únicas exceções são algum tipo de emergência, quando praticamos cura, seja usando ervas,
plantas, chás ou pós.

Podemos comemorar o Natal?

Na verdade, segundo consta, a Igreja Católica se apropriou de várias festividades pagãs e deu-
lhes novos nomes. O Natal era comemorado na noite mais fria do ano, com o significado de
recolhimento, reserva de força, para enfrentar o período de dificuldades que viria pela frente.

Os povos europeus, comemoravam com fartos banquetes, até mesmo para dar energia e nutrição
num período frio. Não à toa, a ceia de Natal é composta de vários alimentos gordurosos,
calóricos e que em nada combinam com o nosso verão.

A Páscoa é outra apropriação católica de rituais pagãos. Era a colheita, a fartura, o renascimento
da vida.

Mas, para esclarecer, sendo wiccano ou mago eu posso ou devo comemorar estas datas?

A força do pensamento e a intenção possuem uma força muito grande. A princípio a


comemoração dos pagãos era para enfrentar um período de dificuldades e, para isso, os Deuses
estavam presentes ao banquete, bem como a alegria, a camaradagem, a amizade e o amor entre
as pessoas.

18 Toque de Fada
Datas Especiais e o
Comportamento Mágico
Se você quiser comemorar o Natal com este espírito (eu comemoro), não vejo problema algum
em fazer uma ceia com as pessoas que você ama e que te amam (não necessariamente
parentes) e manter a devoção à vida e, por que não, homenagear ao Mestre Jesus Cristo?

O mesmo se refere à Pascoa, ao Halloween, às Festas Juninas e aos dias dos Pais e das Mães.
Magos são livres! Entenda isso! Você pode participar das comemorações que quiser e ainda
colocar uma pitada de sua própria magia nelas, seja através de um prato, de uma decoração ou
mesmo de uma oração.

E o Carnaval?

A única ressalva que tenho é sobre o Carnaval. Não coloquei acima, juntamente com Sexta da
Paixão e Finados, pois não se trata de questão de respeito, mas de cuidado mesmo.

Eu sempre digo que as pessoas abrem os bolsos e bolsas com generosidade em algumas datas:
Carnaval, Dia das Mães, Dia dos Namorados e Natal. São os dias mais esperados pelo comércio,
exatamente por isso.

Porém, no Carnaval, além de abrir a carteira, as pessoas que gostam de brincar/pular, também
abrem seus instintos, como se aqueles fossem os últimos dias das suas vidas. Daí, excesso de
bebida, de libertinagem, de sexo inseguro, de drogas pesadas ocorre de norte a sul do país.

E como semelhante atrai semelhante, os espíritos trevosos estão soltos para aproveitar um
pouco deste período. Para você entender, eles precisam se alimentar de algum tipo de energia e
então grudam em grupos que bebem muito, ou que usam drogas pesadas e daí por diante.

Como as pessoas estão “abertas a tudo”, são presas fáceis destes predadores astrais. Não à toa,
muitas pessoas veem suas vidas tendo atrasos, problemas, doenças, perdas logo depois do
Carnaval. Não é mera coincidência.

Por isso, antes mesmo do Carnaval, na semana toda que o antecede, faça muitos rituais de
limpeza, defesa e proteção. Se você for sair, consagre um amuleto para proteção, faça orações,
peça proteção e defesa aos seus mentores.

Logicamente, se você vai cair na gandaia e praticar todos aqueles excessos listados, não precisa
fazer nada né. Tanta proteção e defesa, para fazer tudo o que atrair as trevas, é a mesma coisa
que enxugar gelo.

Eu mesmo às vezes saio, vejo como anda o movimento, não fico no meio da muvuca, desfilei
numa escola de samba, mas tomei todos os cuidados para que fossem momentos de diversão,
só isso. Até de assaltos escapei e tenho certeza que foi ajuda dos meus mentores.

E durante o Carnaval? Bem, oficialmente o feriado começa no sábado e se estende até quarta de
cinzas. Pelo menos no Rio de Janeiro, na quarta-feira já tem gente deixando a cidade, na quinta
o movimento é frenético e, na sexta, quase deserta, kkkkkk.

19 Toque de Fada
Datas Especiais e o
Comportamento Mágico
Neste período de Carnaval, vamos considerar de quinta a quinta da semana seguinte, guarde
seus objetos, mantenha-se protegido/a com orações, tome eventualmente um banho de limpeza
e a seguir um para energizar, mas não faça magia, nem participe de rituais. O “ambiente” estará
pesado.

Quase sempre, nesta época, os rituais são dedicados a energias nefastas, as mesmas que estão
soltas pela crosta terrestre, buscando vítimas para sugar-lhes as energias. A não ser que você
queira isso, fique quieto/a no seu canto.

E se tiver uma emergência? Mesma coisa. Quase sempre será algo relacionado à saúde, então
pode agir para a cura de quem precisa. Mas se possível, essa pessoa também deve tomar
banhos de limpeza e energização e não sair para Carnaval né. Lembra do enxugar gelo?

Todo cuidado nesta época é necessário. Meu pai dizia que todos os “bichos” estão soltos. E, por
isso, mais uma vez, cautela e canja de galinha.

20 Toque de Fada
SOBRE A
TOQUE DE FADA

A Toque de Fada é uma unidade de negócio do Clube de


Oportunidades, criada para favorecer o bem-estar, a qualidade de
vida e a espiritualidade.

Apresentamos cursos próprios e de parceiros, workshops, livros,


viagens especiais e um conteúdo sempre voltado ao melhor do
ser humano.

Conheça os nossos outros canais e acompanhe as nossas


atividades.

Que o Deus e a Deusa te abençoem abundantemente.

Toque de Fada