Você está na página 1de 2

História e Cultura das Artes 3

Ricardo Alexandre Santos Almeida Nº 2576

21-05-2018
Século XX/Contemporaneidade

 Composição sonoridades / timbres


Tipo de composição que faz valer de todos os tipos e sons existentes e tenta alargar o espectro
sonoro com posicional – Edgard Varese – Hipperprism – (Uso de software de alteração de sons como
Audicity onde podem utilizar técnicas com adicionar harmónicos a um som, ou retirar elementos a
um som como por exemplo um tam-tam).

 Musica Compromisso
Dá resposta à necessidade social do século XX e XXI. Serve para exorcizar a consciência da sociedade
sobre algo horroroso (guerras e pragas) e controlar a estabilidade emocional. Music for Prague –
Karel Husa (Retratar as invasões russas à Checoslováquia)

 Música Linguagem – S.F.M – RAI


Explorada por Luciano Berio, concentra-se na fonética e vai-se representar ao máximo nas suas
sequenzas onde algumas delas são para voz que ele dedicou às suas namoradas. Luciano Berio –
Sequenza para voz nº3.

 Música Espacial
Já era praticada desde o renascimento e foi explorada com coros antifonais no Barroco. Mas ganha
consciência no século XXI devido ao desenvolvimento tecnológico. No ano de 1891, Adler começa a
desenvolver o seu sistema estereofónico e a partir de aí vai-se realizar uma corrida da parte dos
compositores para a utilização do fenómeno de reflexão sonora e desenvolvem-se sistemas com
mais canais como o octafónico (sistemas multifonais).

 Música Intuitiva
Dentro de um parâmetro simples, é influenciado pelo extremo oriente onde os formatos permitem
que os músicos produzam sons para criar as suas obras. Cada um dos performers contribuem para o
som da obra. John Cage contribui muito para isto

 Ópera
Género mais representativo da música ocorrida à teatralidade, neste século a televisão torna-se o
maior difusor desta. Owen Wingrave – Ópera para televisão

 Teatro Musical
Surge em 1960 e usa o arsenal de todas as artes (cénicas, fílmicas…) para representar as suas
performances.
 Música Minimal
Surge em 1960 e acompanha o “minimal art” que se basea no jugenstill e no traço gráfico. As artes
performativas absorvem esta estética. Steve Reich - Pendulum

 Pós-modernismo – Novas Simplicidades


Quando há muita liberdade há necessidade de recuperar as ideias anteriores.