Você está na página 1de 1

Tipos Gerais de Meditação

Os cientistas costumam classificar a meditação pela maneira como os praticantes concentram a atenção em duas categorias: Atenção Focada, Monitoramento Aberto
e Autotranscendência Automática.

Meditação Atenção Focada

Focando a atenção em um único objeto durante toda a sessão de meditação. Este objeto pode ser a respiração, um mantra, uma visualização, uma parte do corpo, um objeto
externo ou uma emoção. Com o avanço do praticante, a sua capacidade para manter o fluxo da atenção no objeto escolhido fica mais forte, e as distrações tornam-se menos
comuns e mais rápidas. São desenvolvidas principalmente a profundidade e a firmeza da sua atenção.

Estes procedimentos dão lugar a atividade EEG tipo ondas beta-2 (20-30 Hz) /gamma (30-50 Hz), observadas em qualquer processo cognitivo ativo.

Meditação Monitoramento Aberto

Em vez de focar a atenção em qualquer objeto, mantém-se a mente aberta, monitorando todos os aspectos da nossa experiência, sem julgamento ou apego. Todas as
percepções, sejam elas internas (pensamentos, sentimentos, emoções, memórias, etc.) ou externas (som, cheiro, etc.), são reconhecidas e vistas apenas por aquilo que
são. É o processo de monitoramento não-reativo do conteúdo da experiência de momento a momento, sem julgamento. Durante a prática destes procedimentos, o cérebro
desenvolve atividade frontal de ondas theta (4-8 Hz), observada quando se reflete sobre conceitos mentais.

Meditação Autotranscendência Automática

Esta categoria inclui a Meditação Transcendental. É o estado onde a atenção não está focada em nada em particular, mas repousa sobre si mesmo – calmo, vazio, estável e
introvertido. Nós também podemos chamá-la de “consciência sem escolha” ou “Being Pure”. Este é realmente o verdadeiro propósito por trás de todos os tipos de meditação,
e não um tipo de meditação em si. Todas as técnicas tradicionais de meditação reconhecem que o objeto de foco, e até mesmo o processo de acompanhamento, é apen as
um meio para treinar a mente, de modo que o silêncio interior sem esforço e estados mais profundos de consciência possam ser descobertos. Eventualmente, tanto o objeto
de foco e o próprio processo é deixado para trás, e só resta o verdadeiro eu do praticante, como “presença pura”. Este tipo de meditação exige sempre uma formação prévia
para ser eficaz, mesmo que isso às vezes não seja expressamente falado.

Produz coerência frontal alfa 1 (8-10 Hz) que caracteriza um estado de alerta interna. Coerência mais alta significa que o córtex pré-frontal, o centro de controle executivo do
cérebro, está funcionando em uma forma integrada.