Você está na página 1de 55

PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)

PROFESSOR TERROR

Português p/ Polícia Federal


(teoria e questões comentadas)

Aula 2
Concordância verbal e nominal

Olá, pessoal!
Trabalhamos na aula passada os termos básicos da oração, para que
pudéssemos entender a relação de concordâncias verbal e nominal e regências
verbal e nominal. Além disso, reconhecemos alguns termos e orações
importantes para entendermos a pontuação.
Vimos, então, que a oração é constituída de termos essenciais. Esses
termos são o sujeito e o predicado. Na realidade, quem é essencial mesmo
na construção da oração é o verbo, sem o qual não há predicado, tampouco
oração, como vimos na nossa aula demonstrativa. Como são a base da oração,
não podem ser separados por vírgula.
O tema desta aula é a concordância, por isso vamos reconhecer o
sujeito:
Sujeito: É o termo da oração do qual se declara alguma coisa. Ele possui
um núcleo (palavra de valor substantivo) e geralmente algumas palavras de
valor adjetivo que servem para caracterizá-lo. Veja a oração abaixo.
As primeiras viagens de Joaquim foram excelentes.

sujeito Predicado nominal

O verbo de ligação “foram” e o predicativo “excelentes” flexionaram-se


no plural porque o substantivo “viagens” está no plural. Esse substantivo, por
ser a palavra principal dentro do sujeito e não ser antecedido de preposição,
possui a função sintática de núcleo do sujeito. Ele leva o verbo “foram” a
concordar com ele (concordância verbal) e o predicativo também
(concordância nominal). Além disso, dentro do sujeito, há palavras que servem
para caracterizá-lo: “As”, “primeiras” e “de Joaquim”. Essas palavras têm o
nome de adjunto adnominal, cujo papel é caracterizar o núcleo e se flexionar
de acordo com ele (concordância nominal). Note que, dentro do sujeito,
apenas a expressão “de Joaquim” não sofreu flexão, isso porque é uma
locução; assim a preposição (de) e o sentido impedem essa flexão. Veja as
funções sintáticas.
Concordância nominal
Concordância nominal

As primeiras viagens de Joaquim foram excelentes.


Adj Adn Adj Adn núcleo Adj Adn verbo de predicativo
ligação

sujeito Predicado nominal

Concordância verbal

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 1


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Assim, é importante saber diferenciar os tipos de sujeito, para se saber
como flexionar o verbo. O sujeito das orações pode ser determinado,
indeterminado e há ainda as orações formadas sem sujeito (sujeito
inexistente).
Determinado
É o sujeito que se pode identificar com precisão a partir da concordância
verbal ou do contexto. Pode dividir-se em:
Simples: constituído de apenas um núcleo (palavra de valor substantivo).
Uma boa Constituição é desejada por todos.
Adj Adn Adj Adn núcleo
sujeito simples predicado

Alguns políticos se corrompem.


Adj Adn núcleo
sujeito simples predicado

No primeiro exemplo, a locução verbal “é desejada” concorda com o


núcleo “Constituição”, que é um substantivo no singular. No segundo exemplo,
o verbo “corrompem” concorda com o núcleo “políticos”, que é um substantivo
no plural.
Tome cuidado quando o sujeito for extenso, pois o verbo fica distante do
núcleo do sujeito e algumas vezes pode haver confusão na flexão do verbo.
Veja:
O valor das mensalidades dos cursos preparatórios para a carreira
jurídica subiu muito no último semestre.
Perceba que o verbo “subiu” se flexionou corretamente no singular, por
concordar com o núcleo do sujeito “valor”, que é um substantivo no singular.
Questão 1: TRT - RJ / 2008 / nível superior
Julgue o fragmento de texto apresentado no item abaixo quanto à
concordância verbal.
De acordo com o respectivo estatuto, a proteção à criança e ao adolescente
não constituem obrigação exclusiva da família.
Comentário: A concordância verbal correta deve ser “constitui”, porque o
núcleo do seu sujeito é “proteção”, que está no singular e se encontra distante
do verbo. O que se encontra composto é apenas o complemento nominal (à
criança e ao adolescente).
Gabarito: E

Questão 2: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Julgue o fragmento de texto apresentado no item abaixo quanto à
concordância verbal.
A legislação ambiental prevê que o uso de água para o consumo humano e
para a irrigação de culturas de subsistência são prioritários em situações de
escassez.
Comentário: A concordância correta do verbo e do adjetivo deve ser “é
prioritário” tendo em vista que se refere ao núcleo do sujeito “uso” (singular),
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 2
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
o qual está distante do verbo. Não confunda! O que se encontra composto é
apenas o adjunto adnominal (para o consumo humano e para a irrigação de
culturas de subsistência).
Gabarito: E

Questão 3: TJ - BA / 2005 / nível superior


Julgue a frase quanto à correção gramatical:
A multiplicidade de manifestações de insurgência contra toda e qualquer
disposição judicial, com invocação das garantias constitucionais de ampla
defesa e devido processo, fazem com que o exame do mérito das causas seja
adiado quase que indefinidamente.
Comentário: Perceba que o verbo “fazem” deve se flexionar no singular faz
para que concorde com o núcleo do seu sujeito “multiplicidade”.
Gabarito: E

Questão 4: TRE - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: De certo modo, a participação dos indígenas na
disputa por vagas nos Poderes Legislativo e Executivo é apresentada no
mesmo tom de estranheza com que o jornalismo brasileiro descreve
xinguanos paramentados com sandálias havaianas e calções adidas.
A forma verbal “é” está flexionada no singular porque concorda com o nome
“disputa”.
Comentário: O sujeito da locução verbal “é apresentada” possui como núcleo
o substantivo singular e feminino “participação”. Por concordar com esse
substantivo, a locução verbal da voz passiva se encontra no singular e
feminino.
Gabarito: E

Questão 5: PC - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Recentemente, a Coreia do Norte, mais uma vez,
atacou seus irmãos do Sul. Mesmo 65 anos depois do fim da Segunda Guerra
Mundial e do rateio do mundo entre comunistas e capitalistas, os coreanos
seguem presos aos dogmas de seus governos. O bombardeio ordenado por
Pyongyang atingiu uma ilha do país vizinho, matou duas pessoas e feriu pelo
menos dezoito. A justificativa do Norte foram manobras supostamente feitas
pelos sulistas em águas sob sua jurisdição.
O núcleo do sujeito das formas verbais “matou” (linha 5) e “feriu” (linha 5) é
“Pyongyang” (linha 5).
Comentário: Os verbos “atingiu”, “matou” e “feriu” encontram-se em orações
coordenadas aditivas, cujo sujeito é “O bombardeio”, por isso esses verbos
encontram-se no singular. O vocábulo “Pyongyang” é termo preposicionado,
logo ele não pode ser o sujeito desses verbos.
Resposta: E
Assim, é importantíssimo verificar qual é o núcleo do sujeito, para saber
a flexão do verbo. Se o núcleo do sujeito estiver no singular, o verbo se
flexionará no singular; se estiver no plural, verbo no plural. Mas não se pode
dizer que será sempre assim. Pode haver concordâncias diferentes,
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 3
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
dependendo da intenção do autor, do valor semântico ou até da ênfase. Dessa
forma, é necessário aprendermos a concordância verbal com base no sujeito
simples.
I - A concordância verbal com o sujeito simples:
a) O verbo concorda com o sujeito simples em pessoa e número.
Os brasileiros necessitam de bons políticos.
De paz necessitam as pessoas.
b) O substantivo coletivo representa um grupo de espécies, transmitindo
implicitamente ideia de plural, mas, como é substantivo singular, o verbo
flexiona-se no singular, concordando com a palavra escrita, não com a ideia.
O pessoal já saiu. A multidão entrou no circo.
Observe que, quando o verbo se distanciar do substantivo coletivo, ele
poderá se flexionar no plural concordando com a ideia de quantidade. Isso é
chamado de silepse de número. É estranho, mas pode ocorrer em alguns
textos de autores renomados:
A turma concordava nos pontos essenciais, discordavam apenas nos pormenores.
concordância verbal literal concordância verbal siléptica

Os concursos evitam a concordância siléptica. Se a quiserem,


especificarão pelo contexto ou no próprio pedido da questão. Então, cuidado!
Esta frase pura e simplesmente sendo cobrada quanto à concordância está fora
dos padrões gramaticais; mas, por outro lado, se a banca contextualizar,
indicando que, mesmo o verbo estando no singular, poderia ser flexionado no
plural para concordar com a ideia de pluralidade, aí, sim, poderíamos marcar
como correta.
c) As expressões partitivas a maior parte, grande parte, a maioria,
grande número, acompanhadas de adjunto adnominal no plural, fazem o
verbo concordar com o núcleo do sujeito ou com o especificador (adjunto
adnominal). Veja a construção abaixo:
Adj Adn

A maior parte dos constituintes se retirou.

Essa é a concordância literal, pois o substantivo “parte” é o núcleo do


sujeito. Porém, percebemos que esse vocábulo não possui a carga semântica
(sentido) principal dentro do sujeito, pois o vocábulo “constituintes” denota
mais clareza sobre o ser de quem se está falando. Por essa possibilidade de
interpretação, vários autores começaram a concordar com o adjunto
adnominal, para enfatizá-lo. Veja:
A maior parte dos constituintes se retiraram.
Obs.: Os termos sublinhados apenas mostram didaticamente com quem o
verbo concorda. Não significa que serão sempre o núcleo do sujeito.
Veja outros exemplos:
Grande parte dos torcedores aplaudiu a jogada.
Grande parte dos torcedores aplaudiram a jogada.
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 4
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
A maioria dos constituintes votou.
A maioria dos constituintes votaram.
d) O mesmo ocorre com o substantivo coletivo com especificador no plural
(adjunto adnominal). Isso pode levar o verbo ao singular ou ao plural. Veja:
Um bando de ladrões invadiu a festa.
Um bando de ladrões invadiram a festa.
e) Com a expressão mais de + numeral, o verbo concorda com o numeral
Mais de um candidato prometeu melhorar o país.
Mais de duas pessoas vieram à festa.
Porém, se o verbo contiver pronome de reciprocidade, concordará no plural:
Mais de um sócio se insultaram. (um ao outro)
Também ocorrerá concordância no plural se houver repetição desta expressão:
Mais de um candidato, mais de um representante faltaram à reunião.
f) Expressões que denotam quantidade aproximada perto de, cerca de,
mais de, menos de, somadas a núcleo do sujeito no plural levam o verbo ao
plural:
Perto de quinhentos presos fugiram.
Cerca de trezentas pessoas ganharam o prêmio.
Mais de mil vozes pediam justiça.
Menos de duas pessoas fizeram isto.
g) Substantivos só usados no plural fazem com que a concordância dependa
da presença ou não de artigo.
Sem artigo - verbo no singular
Férias faz bem.
Estados Unidos cresceu 0,8 % economicamente neste ano.
Minas Gerais produz muito leite.
Precedidos de artigo plural - verbo no plural
As férias fazem bem.
Os Estados Unidos cresceram 0,8 % economicamente neste ano.
As Minas Gerais produzem muito leite.
No tocante a nome de lugar, isso tem uma razão semântica. Quando se
insere o artigo nessa situação, quer-se enfatizar a origem do nome, por
exemplo, “Estados Unidos” (apenas uma nação), “Minas Gerais” (apenas um
estado); mas “Os Estados Unidos” (os vários estados, unidos por uma só
Constituição); “As Minas Gerais” (as várias minas de extração existentes na
região).
h) quando o sujeito é número percentual, deve-se observar a posição do
número percentual em relação ao verbo:
Obs.: Os termos sublinhados apenas mostram didaticamente com quem o
verbo concorda. Não significa que serão sempre o núcleo do sujeito.
Verbo concorda com termo posposto ao número:
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 5
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
80% da população tinha mais de 18 anos.
Dez por cento dos sócios saíram da empresa.
É rara a construção, mas é aceita a concordância também com o numeral:
80% da população tinham mais de 18 anos.
Um por cento dos sócios saiu da empresa.
Verbo concorda com o número quando estiver anteposto a ele:
Perderam-se 40% da lavoura.
Verbo no plural, se o número vier determinado por artigo ou pronome no
plural:
Os 87% da produção perderam-se.
Aqueles 30% do lucro obtido desapareceram.
Verbo concorda com o número quando esse estiver sem o termo posposto:
1% chegou mais tarde.
2% fizeram a margem consignável.
i) Quando o sujeito for número fracionário, o verbo concorda com o
numerador:
1/4 da turma faltou ontem.
3/5 dos candidatos foram reprovados.
j) A expressão “Cada um de” enfatiza a parte separada de um todo, por
isso, na função de sujeito, leva o verbo ao singular:
Cada um dos candidatos poderá requerer recurso apenas uma vez.
Questão 6: TRE - ES / 2011 / nível médio
Fragmento de texto: A primeira é a do mandato livre e independente, isto é,
os representantes, ao serem eleitos, não têm nenhuma obrigação,
necessariamente, para com as reivindicações e os interesses de seus eleitores.
A forma verbal “têm” concorda com o núcleo nominal “representantes”,
flexionado no plural, o que torna obrigatório o emprego do acento circunflexo
nessa forma verbal.
Comentário: Deve-se perceber que o verbo “têm” encontra-se no plural, por
concordar com “representantes”, utilizando para isso o acento circunflexo
diferencial.
Gabarito: C

Questão 7: TRE - RS / 2005 / nível médio


Julgue o trecho subsequente quanto à correção gramatical:
Existe outras peças que chamam a atenção...
Comentário: O problema nesta questão é a concordância do verbo existir,
que é intransitivo e possui o sujeito “outras peças” que se encontra no plural.
Logo, o verbo deveria estar no plural (Existem).
Gabarito: E

Questão 8: TRE - RS / 2005 / nível médio


Julgue o trecho subsequente quanto à correção gramatical:
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 6
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Nesse ano, ocorreram votação eletrônica nas capitais e em 31
municípios com mais de 200 mil eleitores.
Comentário: O problema nesta questão é a concordância do verbo
“ocorreram”, que é intransitivo e possui o sujeito “votação eletrônica”, que se
encontra no singular. Assim, o verbo deve se flexionar no singular.
Gabarito: E

Questão 9: Tribunal de Justiça - BA / 2005 / nível superior


Fragmento do texto: Não há dúvida de que, no início do século XXI, os
Estados Unidos da América chegaram mais perto do que nunca da
possibilidade de constituição de um “império mundial”.
Como o primeiro período do texto apresenta ideia relativa a um único país, o
emprego do verbo “chegar” no singular — chegou — estaria de acordo com
as exigências de concordância da norma escrita culta, sem necessidade de
outras alterações no texto.
Comentário: O sujeito do verbo “chegaram” é “os Estados Unidos da
América”. Esse verbo deve se flexionar no plural, pois o substantivo próprio
plural “Estados Unidos da América” foi determinado pelo artigo “os”. A
questão está errada por dizer que o verbo poderia ficar no singular, sem
necessidade de outras alterações. Para que ele fique no singular, a adaptação
seria a retirada do artigo “os”.
Gabarito: E

Questão 10: SEGER - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: Uma pesquisa anual sobre gastos do consumidor indica
que dois terços dos norte-americanos estão reduzindo o padrão e comprando
produtos mais baratos.
A flexão de plural em “estão” é exigida pela concordância com “dois terços”;
se os dados fossem alterados e se referissem a um terço dos norte-
americanos, seria correto flexionar o verbo estar no singular, fazendo-se a
concordância com o numeral e escrevendo-se está.
Comentário: A concordância com numerais fracionários na função de sujeito
exige que o verbo concorde com o núcleo (numerador: um terço, dois terços),
por isso a flexão do verbo no singular, com a expressão “um terço”.
...dois terços dos norte-americanos estão reduzindo o padrão...
...um terço dos norte-americanos está reduzindo o padrão...
Gabarito: C

Questão 11: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Em uma época em que a taxa de analfabetismo
alcançava 99% da população, só um entre cem brasileiros era elegível.
Caso a referida taxa de analfabetismo fosse de 98% da população, o trecho
“Em uma época em que a taxa de analfabetismo alcançava 99% da
população, só um entre cem brasileiros era elegível” deveria ser corretamente
reescrito da seguinte forma: Em uma época em que a taxa de analfabetismo
alcançava 98% da população, só dois entre cem brasileiros seria elegível.
Comentário: A banca queria apenas que o candidato observasse que agora o
sujeito tem núcleo plural: dois. Isso leva o verbo e o adjetivo para o plural:
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 7
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
seriam elegíveis.
Gabarito: E

Questão 12: Polícia Federal / 2004 / Agente Administrativo


Fragmento do texto: Não se pode negar que o advento dos regimes liberais
em 1989-90, em todos os grandes Estados da América do Sul, criou uma
ilusão de modernidade.
Preservam-se a coerência textual e a correção gramatical com a substituição
do termo “o advento”, por as vindas ou por as chegadas.
Comentário: Semanticamente caberia essa substituição, porém há de se
observar que “o advento” é sujeito de “criou”. Se for substituído por termo no
plural, logicamente o verbo deverá também se flexionar no plural. Como a
sugestão da substituição foi somente no sujeito, o verbo ficaria com
incorreção gramatical.
Gabarito: E

Questão 13: Oficial de Chancelaria - MRE / 2008 / nível superior


Fragmento do texto: Sei que não falta gente que, insistindo em considerar-
me como meio literato, meio empregado diplomático de cortesias (como
dizem) fingem não saber tudo quanto eu, politicamente, além do grande
serviço desta História, tenho trabalhado em favor de Vossa Majestade
Imperial e do Império.
Sem se contrariar a correção gramatical, a forma verbal “fingem” poderia ser
substituída pela forma finge.
Comentário: Como vimos na letra (b) da concordância verbal com sujeito
simples, o verbo “fingem” encontra-se no plural por concordância siléptica,
pois retoma o substantivo de valor coletivo “gente”. A concordância enfatiza o
sentido de pluralidade. Não é de uso corrente, mas pode acontecer. Perceba
que a banca quer trazer o verbo para a concordância literal, mais usual; por
isso é correta a flexão no singular. Alguns candidatos julgaram à época da
prova que a questão estaria errada, porque, por paralelismo, o verbo “dizem”
também deveria flexionar-se no singular para acompanhar estilisticamente o
verbo fingir. Isso poderia até ocorrer, entendendo-se também para esse
verbo o sujeito subentendido “gente”. Mas não se pode ser categórico
afirmando a sua flexão obrigatória no singular; pois a expressão intercalada
“como dizem” pode não se referir ao vocábulo “gente”; mas expressar
indeterminação do seu sujeito, flexionando-se na terceira pessoa do plural.
Essa concordância será vista adiante.
Resposta: C

Questão 14: ABIN / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Da combinação entre velocidade, persistência,
relevância, precisão e flexibilidade surge a noção contemporânea de agilidade,
transformada em principal característica de nosso tempo.
A forma verbal “surge” poderia, sem prejuízo gramatical para o texto, ser
flexionada no plural, para concordar com “velocidade, persistência, relevância,
precisão e flexibilidade”.
Comentário: Perceba que o verbo “surge” é transitivo indireto e seu sujeito é
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 8
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
“a noção de agilidade”; por isso não deve flexionar-se no plural. O termo “Da
combinação entre velocidade, persistência, relevância, precisão e flexibilidade”
é o objeto indireto desse verbo.
Gabarito: E
Sujeito determinado composto: formado por mais de um núcleo:

Manuel e Cristina pretendem casar-se.


núcleo conjunção núcleo predicado
aditiva

Deve-se notar que normalmente o verbo concorda no plural, tendo em vista


haver dois ou mais núcleos, mas nem sempre ocorrerá assim, por isso é
importante listar a seguir a concordância verbal com base no sujeito composto.
II - A concordância verbal com o sujeito composto:
a) Quando o sujeito composto estiver posposto ao verbo, este poderá
concordar com todos os núcleos (concordância literal) ou com o mais próximo
(concordância atrativa):
Discutiram muito o chefe e o funcionário.
Discutiu muito o chefe e o funcionário.
Se houver ideia de reciprocidade, verbo vai para o plural:
Estimam-se o chefe e o funcionário.
Quando o verbo “ser” está acompanhado de substantivo no plural, o verbo
também se pluraliza:
Foram vencedores Pedro e Paulo.
b) Quando o sujeito composto for constituído por núcleos sinônimos, o
verbo flexiona-se no singular ou plural. Então a concordância dependerá
bastante da ênfase:
O rancor e o ódio cegou o amante.
O desalento e a tristeza abalaram-me.
Cabe aqui observar que não é simplesmente dizer que a concordância no
singular ou plural é facultativa. Ela depende da intenção do autor. Com isso se
observa que o autor normalmente flexiona o verbo no singular para enfatizar a
proximidade de sentido dos substantivos que formam o sujeito composto.

Questão 15: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Desse grupo, sairiam mais tarde 33 senadores, 28
ministros de Estado, dezoito presidentes de província, sete membros do
primeiro conselho de Estado e quatro regentes do Império.
A forma verbal “sairiam” antepõe-se ao sujeito da oração, que corresponde a
um sujeito composto.
Comentário: A banca quis que o candidato notasse que o verbo “sairiam” é
intransitivo e a expressão “33 senadores, 28 ministros de Estado, dezoito
presidentes de província, sete membros do primeiro conselho de Estado e
quatro regentes do Império” é realmente o seu sujeito composto.
Gabarito: C

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 9


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 16: Cia de Saneamento Básico-ES / 2006 / nível superior
Fragmento do texto: É sabido que, em se tratando de crimes que envolvam
computadores como meio, a coleta, a manipulação e o exame de provas sem
os devidos cuidados podem ocasionar a falta de integridade da prova.
Se, no trecho “a coleta, a manipulação e o exame de provas sem os devidos
cuidados podem ocasionar a falta de integridade da prova”, a forma verbal
pode substituísse “podem”, a construção do período permaneceria correta,
porque os núcleos do sujeito podem ser interpretados como um conjunto.
Comentário: Pode-se observar que, no excerto “a coleta, a manipulação, e
o exame de provas (...) podem ocasionar a falta de integridade da prova”, os
substantivos negritados acima compõem o sujeito, levando o verbo para o
plural. Mas podemos perceber que esses vocábulos fazem parte de um mesmo
campo semântico. No caso, eles são procedimentos que necessitam de
cuidado. Tanto faz se é a coleta, ou a manipulação, ou o exame; qualquer um
deles necessita de cuidado. Eles fazem parte de uma noção única (conjunto de
procedimentos); por isso a banca enfatiza na questão que “os núcleos do
sujeito podem ser interpretados como um conjunto”, quer dizer, mesmo
campo semântico, mesma ideia: procedimento. Com isso, pode-se querer
enfatizar essa noção de conjunto, fazendo o verbo concordar no singular.
Gabarito: C

Sujeito determinado oculto ou desinencial: é o que ocorre quando a


terminação verbal (primeiras e segundas pessoas e a terceira do imperativo)
dispensa o uso do pronome pessoal correspondente:
Estou muito feliz. (eu) Estás muito feliz. (tu)
Para o teu carro. (tu no imperativo) Pare o seu carro. (você no imperativo)
Voltaremos logo! (nós) Voltastes logo! (vós)
Sujeito determinado elíptico: aquele que mantém o verbo na 3ª pessoa
do discurso e obrigatoriamente necessita do contexto para permitir saber de
quem se trata.
Os alunos ficaram descontentes com a atitude do professor. Deixaram de ir à
aula no dia seguinte.
Percebe-se que o sujeito do verbo “ficaram” está determinado pela
escrita no texto, porém o sujeito da locução verbal “deixaram de ir” está
implícito no contexto, por omissão, para que não haja repetição da palavra
“alunos”. Por esse motivo, temos o sujeito elíptico, que significa omissão. Ele
depende exclusivamente do contexto, sem ele não há sujeito elíptico, mas sim,
sujeito indeterminado.
Algumas gramáticas admitem a elipse fazendo parte do sujeito oculto.
Para essas gramáticas, o sujeito oculto (ou desinencial) é mais amplo, não
necessita possuir verbo na primeira ou segunda pessoas, mas também admite
a terceira. Basta que não haja literalmente a palavra no texto, mas esteja
facilmente subentendida.
Questão 17: Agente de Polícia Civil - ES / 2009 / nível médio
Fragmento do texto: Muitos pais querem saber que atitudes tomar quando o
filho se desentende com amigos ou colegas, quando chega em casa com
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 10
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
marcas de briga, quando tem o costume de dirigir palavrões aos outros etc.
Se, no primeiro parágrafo, “o filho” estivesse no plural, as concordâncias
corretas dos verbos que têm essa expressão como sujeito seriam se
desentendem, chegam, têm.
Comentário: Note que há três orações subordinadas adverbiais temporais
coordenadas entre si, todas com a mesma referência de sujeito “o filho”. Não
houve a determinação explícita desse sujeito em cada oração para evitar a
repetição viciosa. Mas o contexto nos mostra que todos os verbos possuem o
mesmo referente, mesmo sujeito. Por isso, ao se flexionar o filho no plural (os
filhos), os outros verbos flexionar-se-ão na terceira pessoa do plural.
Gabarito: C

Questão 18: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: É o caso de Maria Sônia, de 75 anos de idade.
Costarriquenha radicada no Brasil desde os 20 anos — com passagens por Rio,
Natal e Avaré – SP — ela aposentou-se 22 com 60 anos. Ganha, com isso,
cerca de R$ 1,2 mil. Com a morte do marido, alguns anos depois, passou a
acumular o benefício da pensão (cerca de R$ 1 mil). Entretanto, não parou 25
de trabalhar. Empresária, está à frente de uma pousada no bairro do Paraíso,
a quatro quadras de sua casa — aumentando sua renda mensal em cerca de
R$ 4 mil. “Chego 28 a trabalhar até 11 horas por dia”, afirma, com ar
vitorioso. “Você tem a idade que você sente.”
Os sujeitos das formas verbais “aposentou”, “Ganha”, “passou”, “parou” e
“está” possuem o mesmo referente.
Comentário: Este é o caso do sujeito elíptico. Imagine se o autor tivesse que
explicitar o sujeito “Maria Sônia” para cada verbo. O texto ficaria cansativo,
concorda?! Por motivo de economia vocabular, evitando a repetição viciosa,
optou por omitir, pois o contexto o determina naturalmente.
Gabarito: C

Questão 19: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Convocada por D. Pedro em junho de 1822, a
constituinte só seria instalada um ano mais tarde, no dia 3 de maio de 1823,
mas acabaria dissolvida seis meses depois, em 12 de novembro.
Nas duas orações deste parágrafo do texto em que o sujeito está elíptico, a
referência é o termo “a constituinte”, tal como expressa a concordância, em
número e gênero, desse termo com os particípios a ele relacionados.
Comentário: Veja a estrutura:
Convocada por D. Pedro em junho de 1822, a constituinte só seria instalada
um ano mais tarde, no dia 3 de maio de 1823, mas acabaria dissolvida seis
meses depois, em 12 de novembro.
O particípio “Convocada” encontra-se flexionado no singular e feminino
por se referir à expressão “a constituinte”, o verbo “acabaria” está flexionado
no singular também por se referir à mesma expressão. Assim, a locução
verbal “seria instalada” possui sujeito determinado simples “a constituinte” e
os verbos “Convocada” e “acabaria” possuem sujeito elíptico, pois o sujeito
não está expresso literalmente naquela oração, mas está facilmente

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 11


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
subentendido pelo contexto.
Gabarito: C
Sujeito Indeterminado
Quando não se quer ou não se pode identificar claramente a quem o
predicado da oração se refere. Há dois casos:
a) Com o verbo na terceira pessoa do plural sem o sujeito escrito no texto:
Falaram bem de você.
Colocaram o anúncio.
Alugaram o apartamento.
Observe que não há referência a outra palavra como o verbo do sujeito elíptico
faz.
b) Com o índice de indeterminação do sujeito se e verbo no singular:
Precisa -se de ajudantes.
VTI IIS objeto indireto

Os verbos transitivos indiretos, intransitivos e de ligação, quando


acrescidos da partícula “se”, terão sujeito indeterminado e devem ficar
sempre no singular:
Trata-se de casos delicadíssimos. (verbo transitivo indireto)
Vive-se melhor fora das cidades grandes. (verbo intransitivo)
É-se muito pretensioso na adolescência. (verbo de ligação)
Normalmente o índice de indeterminação do sujeito é explorado de duas
formas pela banca CESPE. Tomemos por base a oração:
“Trata-se de assunto polêmico.”
a) é perguntado se o vocábulo “se” indetermina o sujeito. (Sim!)
b) é perguntado se o verbo “trata” encontra-se no singular, tendo
em vista o vocábulo “assunto”. (Não, pois o vocábulo “assunto” é núcleo do objeto
indireto, e verbo concorda com sujeito e não com complemento verbal. O verbo
flexiona-se no singular por causa da presença do índice de indeterminação do sujeito
– IIS).
Questão 20: Delegado de Polícia – PB / 2009 / nível superior
Fragmento do texto: Podemos nos questionar a serviço de quem está o
poder. Quem são os excluídos pelo poder? O poder simbólico é uma forma
transformada ou mascarada de outras formas de poder, notadamente o poder
econômico e o político; todavia não se trata simplesmente de uma dominação
estritamente consciente, maniqueísta ou intencional.
A forma verbal “trata” está flexionada no singular para concordar com o
sujeito da oração, “uma dominação”; se este estivesse no plural,
dominações, a forma verbal deveria ser tratam.
Comentário: O verbo “trata” é transitivo indireto, o termo “de uma
dominação estritamente consciente, maniqueísta ou intencional” é objeto
indireto e o pronome “se” é o índice de indeterminação do sujeito; por isso o
verbo fica obrigatoriamente no singular.
Gabarito: E
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 12
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR

Questão 21: Oficial de Chancelaria – MRE / 2008 / nível superior


Fragmento do texto: “A interpretação da nossa realidade com esquemas
alheios só contribui para tornar-nos cada vez mais desconhecidos, cada vez
menos livres, cada vez mais solitários.” Fomos “descobertos” ou reinventados
pelos colonizadores, que impuseram o sentido que mais lhes convinha à nossa
história. “Insistem em medir-nos com o metro que se medem a si mesmos” e
assim se consideram “civilizados” e a nós, “bárbaros”. “Insistem em medir-nos
com o metro que se medem a si mesmos” e assim se consideram
“civilizados” e a nós, “bárbaros”.
Seria correta a substituição da forma verbal ‘Insistem’ por Insiste-se, dado
que tanto a partícula se quanto a flexão do verbo na terceira pessoa do plural
são procedimentos legítimos de indeterminação do sujeito.
Comentário: A banca quis induzir o candidato a pensar que o verbo
“Insistem” está na terceira pessoa do plural por indeterminação do sujeito. Na
realidade, não só esse, mas também os verbos “impuseram”, “medem” e
“consideram” estão no plural por concordar com o vocábulo “colonizadores”.
Assim esse é um caso de sujeito elíptico para o verbo “Insistem”, logo não se
pode indeterminá-lo, inserindo o “se”, tendo em vista o contexto com outros
verbos.
Gabarito: E

Questão 22: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Os participantes da COP-16 bem poderiam, para
avançar, inspirar-se na última reunião sobre biodiversidade, em outubro, em
Nagoia, Japão.
Em “inspirar-se”, a partícula “se” indica que o sujeito da oração é
indeterminado.
Comentário: A banca quis induzir o candidato a pensar que o “se” fosse o
índice de indeterminação do sujeito. Isso é errado, pois o sujeito está
determinado na oração: “Os participantes da COP-16”. A locução verbal
pronominal “poderiam inspirar-se” está no plural por concordar com esse
sujeito. Esse pronome “se” é apassivador e será visto adiante.
Gabarito: E

Questão 23: TCE-PE – 2004 –Auditor das Contas Públicas


Fragmento do texto: O filósofo Aristóteles considerava a “raça helênica”
superior aos outros povos. Mas até o Iluminismo, no século XVIII, a
humanidade não recorreu a teses raciais para justificar a escravidão —
tratava-se de uma decorrência natural das conquistas militares.
A flexão de singular em “tratava-se” (l.4) indica ser a “escravidão” (l.3)
“decorrência natural das conquistas militares” (l.4); se tal decorrência fossem
“teses raciais” (l.3), o verbo seria flexionado no plural: tratavam-se.
Comentário: A banca está querendo enrolar você!!! Questão simples e você
não tem que tentar interpretar nada!!!
Basta perceber que o verbo “tratava” é transitivo indireto, e o pronome
“se” é o índice de indeterminação do sujeito, forçando o verbo à terceira
pessoa do singular, independentemente da flexão do seu objeto indireto.
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 13
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Assim:
tratava-se de uma decorrência natural das conquistas militares ou
VTI + IIS + objeto indireto

tratava-se de teses raciais


VTI + IIS + objeto indireto
Gabarito: E
Oração sem sujeito (sujeito inexistente):
Oração sem sujeito é aquela que tem apenas o predicado, isto é, o verbo
é impessoal. É importante saber quando uma oração não possui sujeito, tendo
em vista que o verbo deve se flexionar na terceira pessoa do singular. Os
casos mais importantes ocorrem com:
I - Verbos que exprimem fenômenos da natureza:
Venta muito naquela cidade. Amanhã não choverá.
Nevava bastante. Trovejou pouco no último mês.
No entanto, quando esses verbos estão empregados de forma figurada,
naturalmente recebem sujeito determinado; assim, o verbo concorda com ele:
Choveram recursos contra a última questão da prova. (“recursos” é sujeito)
Ventaram opiniões na reunião. (“opiniões” é sujeito)
Trovejaram palavrões contra o deputado. (“palavrões” é sujeito)
II - Verbo haver significando existir, ocorrer:
Havia muitas pessoas na sala. Há vários problemas na empresa.
Deve-se ter cuidado quando esse verbo for o principal numa locução
verbal. Seu verbo auxiliar não poderá se flexionar. Veja:
Deve haver vários problemas na empresa. (“vários problemas” é apenas um complemento do verbo)
Tem havido vários problemas na empresa. (“vários problemas” é apenas um complemento do verbo)
Está havendo vários problemas na empresa. (“vários problemas” é apenas um complemento do verbo)
Mas, quando se substitui o verbo “haver” por seus sinônimos “existir” ou
“ocorrer”, passa-se a sujeito determinado simples. Veja:
Existem vários problemas na empresa.(“vários problemas” passa a sujeito determinado simples)
Devem existir vários problemas na empresa.(“vários problemas” passa a sujeito determinado simples)
Têm ocorrido vários problemas na empresa.(“vários problemas” passa a sujeito determinado simples)
Estão ocorrendo vários problemas na empresa.(“vários problemas” passa a sujeito determinado simples)
III - Verbos haver e fazer indicando tempo decorrido ou fenômeno natural:
Já faz meses que não viajo com ele. (É apenas a oração sublinhada que não possui sujeito)
Há três anos não vejo minha família. (É apenas a oração sublinhada que não possui sujeito)
Há quatro dias que não a vejo. (É apenas a oração sublinhada que não possui sujeito)
Faz muito frio na Europa.
IV- Verbos ser, estar e ir (este, quando seguido de para) na indicação de
tempo.
São três horas. Hoje são dez de setembro. Hoje está muito frio.
Já vai para 4 anos que não leio esse jornal. (É apenas a oração sublinhada que não possui sujeito)

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 14


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 24: TRT - RJ / 2008 / nível superior
Julgue o fragmento de texto apresentado no item abaixo quanto à
concordância verbal.
Na redação da peça exordial, deve haver indicações precisas quanto à
identificação das partes bem como do representante daquele que figurará no
polo ativo da eventual ação.
Comentário: Está correta, basta lembrar que a locução verbal “deve haver”
não possui sujeito porque o verbo principal (haver) está no sentido de
“existir”, então é impessoal e deve permanecer no singular.
Gabarito: C

Questão 25: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: A companhia, que há quinze anos vende seus produtos
no Brasil por meio de importadoras, decidiu no ano passado abrir uma filial no
país.
A correção gramatical do texto seria mantida se o vocábulo “há” fosse
substituído por a.
Comentário: O verbo “há” transmite valor de tempo decorrido, podendo ser
substituído apenas pelo verbo “faz”, que transmite igual sentido.
Gabarito: E

Questão 26: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Está correta a concordância em: Os que defendem os direitos dos
trabalhadores afirmam que devem haver, em nosso país, leis que disponham
sobre as novas formas de trabalho autônomo e coíbam o estabelecimento de
relações informais de trabalho por aqueles que detém poder de oferecer
empregos.
Comentário: A locução verbal “devem haver” não possui sujeito, por isso
deve se flexionar no singular: deve haver. Além disso, a forma verbal
“detém” deve ficar no plural, pois se refere a “aqueles”, que se encontra no
plural. Portanto, o correto seria detêm.
Gabarito: E

Questão 27: TRT- RJ / 2008 / nível superior


Está correta a concordância em: Fazem bem mais de 50 anos que foi
promulgado, após muitas reivindicações dos trabalhadores, a CLT, mas ainda
se observa, no Brasil, que muitas empresas resistem a cumprir seus deveres
como empregadores de trabalhadores assalariados.
Comentário: Primeiro há de se observar que o verbo “fazem” deve se
flexionar no singular, por não possuir sujeito (sentido de tempo decorrido).
Ademais, a locução verbal “foi promulgado” deve se flexionar no feminino por
concordar com o sujeito feminino “a CLT”.
Gabarito: E

Questão 28: Delegado de Polícia - PB / 2009 / nível superior


Está gramaticalmente correta a frase:
Estávamos enganados: não só o mito da democracia racial a muito vem sendo

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 15


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
questionado, como não eramos, de forma alguma, imunes aos grandes fluxos
migratórios e as questões de ordem cultural envolvendo essa dinâmica da
população.
Comentário: Corrigindo, ficaria: Estávamos enganados: não só o mito da
democracia racial há muito vem sendo questionado, como não éramos, de
forma alguma, imunes aos grandes fluxos migratórios e às questões de ordem
cultural envolvendo essa dinâmica da população.
O verbo “há” transmite valor de tempo decorrido, “éramos” recebe
acento gráfico por ser proparoxítona e “aos grandes fluxos migratórios e às
questões de ordem cultural” é complemento nominal de “imunes”. Note que a
preposição “a” é exigida pelo adjetivo “imunes” e há artigo admitido pelo
substantivo feminino plural “questões”, pois o vocábulo “as” está no plural,
por isso o acento indicativo de crase é obrigatório.
Gabarito: E

Questão 29: TCE - TO / 2009 / nível médio


Fragmento do texto: A fuga repetia-se, entretanto. Casos houve, ainda que
raros, em que o escravo de contrabando, apenas comprado no Valongo,
deitava a correr, sem conhecer as ruas da cidade.
No trecho “Casos houve, ainda que raros”, a forma verbal “houve” é
substituível por houveram, sem prejuízo para a correção gramatical e para o
sentido original do texto.
Comentário: O verbo “houve”, neste contexto, é impessoal, não possui
sujeito, por isso deve se flexionar no singular obrigatoriamente.
Gabarito: E

Questão 30: Detran - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Por um lado, congestionamentos crônicos, queda da
mobilidade e da acessibilidade, degradação das condições ambientais e altos
índices de acidentes de trânsito já constituem problemas graves em muitas
cidades brasileiras.
A ideia de que existem vários “problemas graves em muitas cidades
brasileiras” poderia ser expressa, sem prejuízo para o sentido, a coerência e a
correção do texto, por meio da inserção da forma verbal há antes de
“congestionamentos”.
Comentário: Note que o sujeito de “constituem” é composto:
“congestionamentos crônicos, queda da mobilidade e da acessibilidade,
degradação das condições ambientais e altos índices de acidentes de trânsito”.
Assim, não se pode inserir o verbo “há” nesse sujeito, pois o termo
composto continuaria a ser o sujeito do verbo “constituem” e também
passaria a ser o objeto direto do verbo “há”. Isso traria uma incoerência
gramatical. Basta inserirmos o verbo “há” como pedido na questão e lermos a
frase inteira para percebermos a incoerência.
Gabarito: E

Questão 31: Detran - ES / 2011 / nível médio


A forma verbal “constituem” está flexionada na terceira pessoa do plural para
concordar com “problemas graves”.
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 16
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Comentário: A expressão “problemas graves” é o objeto direto do verbo
transitivo direto “constituem”. Por isso, o verbo não concorda com essa
expressão, mas com o seu sujeito composto “congestionamentos crônicos,
queda da mobilidade e da acessibilidade, degradação das condições
ambientais e altos índices de acidentes de trânsito”.
Gabarito: E

Questão 32: TCE-TO – 2009 –Superior


Fragmento do texto: Antes tivera uma chapelaria, e as mulheres haviam
deixado de usar chapéus.
No trecho “e as mulheres haviam deixado de usar chapéus”, manteria a
correção gramatical e o sentido do texto a substituição de “haviam deixado”
por havia deixado.
Comentário: A banca inseriu o verbo “havia” no singular para enrolar o
candidato a confundir com o verbo “haver” no sentido de “existir”.
Mas note que a estrutura verbal “haviam deixado” é transitiva indireta, o
sujeito é a expressão “as mulheres” e o objeto indireto é a oração subordinada
substantiva “de usar chapéus”.
Nesta estrutura, o verbo “haviam” é apenas auxiliar e a transitividade é
determinada pelo verbo principal “deixado”. Por isso, não se pode flexionar
esta estrutura no singular.
Gabarito: E

Questão 33: TCE-AC – 2008 – Analista de Controle Externo


Fragmento do texto: Há de haver alguma; tudo depende das circunstâncias,
regra que tanto serve para o estilo como para a vida; palavra puxa palavra,
uma idéia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução;
alguns dizem mesmo que assim é que a natureza compôs as suas espécies.
(...)
Na expressão “Há de haver”, verifica-se o emprego impessoal do verbo haver
na forma “Há”.
Comentário: O verbo “Há” está flexionado no singular, porque o verbo
principal “haver” é impessoal, transitivo direto e não possui sujeito.
Assim, nesta locução verbal, apenas o verbo principal (“haver”) é
impessoal, o primeiro (“Há”) cumpre a concordância que o outro determina.
Se você teve dúvida, basta trocar o verbo “haver” pelo verbo de mesmo
sentido: existir. Para isso, vou inserir um substantivo plural:
Há de haver notícias. (“notícias” é o objeto direto.)
Hão de existir notícias. (“notícias” é o sujeito.)
Gabarito: E
Vimos os tipos de sujeito e a concordância verbal voltada a eles. Agora,
vamos tratar de algumas concordâncias peculiares, as quais se dirigem a um
sujeito simples.
Concordância do verbo de ligação “ser” com predicativo de valor
substantivo

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 17


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
a) Se esse verbo estiver entre dois núcleos das classes a seguir, em ordem,
concordará, preferencialmente, com a classe que tiver prioridade,
independente de função sintática:
Pronome pessoal > substantivo próprio de pessoa > substantivo concreto >
substantivo abstrato > pronome indefinido, demonstrativo ou interrogativo
Tu és Maria. Maria és tu.
Tu és minhas alegrias. Minhas alegrias és tu.
Maria é minhas alegrias. Minhas alegrias é Maria.
As terras são a riqueza. A riqueza são as terras.
Emoções são tudo. Tudo são emoções.

Às vezes, pode-se subverter a regra por motivo de ênfase:


"Tudo é flores no presente" (Gonçalves Dias)
b) Se o sujeito indica peso, medida, quantidade + é pouco, é muito, é
bastante, é suficiente, é tanto, o verbo ser fica no singular:
Três mil reais é pouco pelo serviço.
Dez quilômetros já é bastante para um dia.
Questão 34: PC - ES / 2011 / nível médio
Fragmento de texto: Recentemente, a Coreia do Norte, mais uma vez,
atacou seus irmãos do Sul. Mesmo 65 anos depois do fim da Segunda Guerra
Mundial e do rateio do mundo entre comunistas e capitalistas, os coreanos
seguem presos aos dogmas de seus governos. O bombardeio ordenado por
Pyongyang atingiu uma ilha do país vizinho, matou duas pessoas e feriu pelo
menos dezoito. A justificativa do Norte foram manobras supostamente feitas
pelos sulistas em águas sob sua jurisdição.
A forma verbal “foram” (linha 6) exemplifica um caso em que o verbo está no
plural porque concorda com o predicativo.
Comentário: O vocábulo “foram” é um verbo de ligação. Seu sujeito é “A
justificativa do Norte” e seu predicativo é “manobras”. A regra é a seguinte:
quando o sujeito e o predicativo forem substantivos, o que estiver no plural
força o verbo a se flexionar no plural. Por isso, nesta frase foi o predicativo
“manobras” que forçou a concordância no plural. Esta concordância é a
natural, mas se encontra, vez por outra, por motivo de ênfase, o verbo
concordando no singular, mas aí é o autor que enfatiza o termo singular,
portanto vale a intenção no discurso.
Gabarito: C
A concordância utilizando o pronome apassivador “se”:
Vimos que o pronome “se”, com o verbo transitivo indireto (VTI),
intransitivo (VI) e de ligação (VL), tem o nome de índice de indeterminação do
sujeito (IIS). Com isso o verbo fica flexionado obrigatoriamente na terceira
pessoa do singular.
Agora, veremos o pronome “se” com o verbo transitivo direto (VTD) ou
com o verbo transitivo direto e indireto (VTDI). Esse “se” é chamado de
pronome apassivador. Isso força a seguinte estrutura:

VTD + se + sujeito paciente


Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 18
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
É natural você fazer a seguinte pergunta: se o verbo é transitivo direto,
onde está o objeto direto?
Bom, como dissemos que esse pronome “se” é o apassivador (P Ap),
então temos voz passiva sintética. Na voz passiva, não existe objeto direto. O
termo que seria o objeto direto passou a ser o sujeito paciente. Isso será visto
adiante na transposição de voz verbal.
Por enquanto, tenha em mente a estrutura anterior. Isso ocorre em
muitas questões de concordância verbal. Veja como:

Aluga-se casa. Alugam-se casas.


VTD +PAp+ sujeito paciente VTD + PAp + sujeito paciente

O verbo “aluga” é transitivo direto. Assim, o pronome “se” é apassivador


e o termo posterior “casa” é o sujeito paciente. Toda vez que tivermos esta
estrutura passiva sintética, troque-a pela analítica (casa é alugada), para ter
certeza de que realmente há voz passiva. Veja no segundo exemplo que o
sujeito ficou no plural (“casas”), por isso o verbo também se flexionou no
plural: “Alugam”. Transpondo para a analítica (casas são alugadas),
confirmamos que temos voz passiva.
O pronome apassivador não ocorre só com o verbo transitivo direto
(VTD). Ele também ocorre com o verbo transitivo direto e indireto (VTDI):

VTDI + se + OI + sujeito paciente


Veja a aplicação:
Enviaram-se ao gerente pedidos de aumento.
VTDI + PAp + OI + sujeito paciente

Para termos certeza de que há pronome apassivador, basta


transformarmos para a voz passiva analítica:
Pedidos de aumento foram enviados ao gerente.
Essas construções podem ser estruturadas também com locução verbal.
Para isso, basta observar a transitividade do verbo principal (sempre o último).
Veja:
Deve-se alugar casa. Devem-se alugar casas.
P Ap + VTD + sujeito paciente P Ap + VTD + sujeito paciente

Estão-se enviando ao gerente pedidos de aumento.


P Ap + VTDI + OI + sujeito paciente

As vozes verbais ativa e passiva


Vimos anteriormente os tipos de sujeito, para entendermos a
concordância.
A partir de agora, precisamos entender os tipos básicos de vozes verbais
(ativa e passiva) para aprofundarmos nesta concordância, além de
entendermos a transposição das vozes verbais e reconhecer o pronome
apassivador “se”.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 19


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
As vozes verbais ativa e passiva
A voz verbal baseia-se no sujeito. Quando o sujeito é agente, a voz é
chamada de ATIVA. Quando o sujeito sofre a ação, ou seja, é paciente; a voz
é chamada de PASSIVA.
A estrutura da voz ativa é basicamente a das seis frases inseridas no
início da aula de sintaxe, quando falamos sobre os tipos básicos de predicação
(verbal e nominal):
VTD + OD; VTI + OI; VTDI + OD + OI; VI; VL + predicativo.

Predicado verbal Predicado nominal

Admite-se a transposição para voz passiva quando há VTD ou VTDI:

Veja o esquema abaixo:

Voz ativa (sujeito agente)


O candidato realizou a prova.
VTD
sujeito agente OD (paciente)

Voz passiva (sujeito paciente)


A prova foi realizada pelo candidato.
VTD
sujeito paciente agente da passiva

Você percebeu que o sujeito da voz ativa é agente (“O candidato”).


Quando este termo agente passa para a voz passiva, automaticamente muda o
nome para agente da passiva (“pelo candidato”).
Quando temos a voz ativa, o objeto direto (“a prova”) é o termo paciente
(sofre a ação que o sujeito realiza). Ao passarmos para a voz passiva, este
termo paciente passa a ter a função de sujeito paciente (“A prova”).
Para transpormos da voz ativa para a passiva, devemos inserir o verbo
“ser”, no mesmo tempo que o verbo original. Por isso “realizou” transformou-
se em “foi realizada”.
Veja agora a transposição com outros tempos verbais. Perceba a
inserção do verbo “ser” no mesmo tempo do verbo original:
O candidato realiza a prova. O candidato realizava a prova.

A prova é realizada pelo candidato. A prova era realizada pelo candidato.

Simples, não é?
Bom, e quando temos o sujeito indeterminado? Naturalmente o agente da
passiva também será indeterminado. Veja:

Voz ativa (sujeito agente)


Realizaram a prova.
VTD
sujeito indeterminado
OD (paciente)
agente
Voz passiva (sujeito paciente)
A prova foi realizada.
VTD
sujeito paciente agente da passiva indeterminado

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 20


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Mudando os tempos, teríamos:
O candidato Realizam a prova. O candidato Realizavam a prova.

A prova é realizada. A prova era realizada.

Quando houver uma locução verbal na voz ativa, basta inserir o verbo
“ser” na mesma forma nominal do verbo principal, para que este verbo
principal fique no particípio. Veja:
O candidato tem realizado a prova.

A prova tem sido realizada pelo candidato.

O candidato está realizando a prova.

A prova está sendo realizada pelo candidato.

O candidato vai realizar a prova.

A prova vai ser realizada pelo candidato.


Indeterminado o sujeito agente, teríamos:
O candidato Têm realizado a prova.

A prova tem sido realizada.

O candidato Estão realizando a prova.

A prova está sendo realizada.

O candidato Vão realizar a prova.

A prova vai ser realizada.


Nós conhecemos anteriormente o pronome apassivador “se”. Ele ocorre
quando há os esquemas : VTD + se + sujeito paciente
VTDI + se + OI + sujeito paciente
Agora vamos juntar essas vozes verbais para ficar mais claro. Veja:
Voz ativa
(sujeito agente) Realizaram a prova.
VTD
sujeito indeterminado OD (paciente)
agente
Voz passiva analítica
(sujeito paciente) A prova foi realizada.
VTD
sujeito paciente agente da passiva indeterminado

Voz passiva sintética:


(sujeito paciente) Realizou-se a prova.
VTD P Ap sujeito
paciente

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 21


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 35: TCE-TO – 2009 –Superior
Fragmento do texto: É fácil, hoje em dia, confundir as limitações crescentes
impostas ao Estado-nação com a construção de um espaço de livre circulação
dos indivíduos, promovido pelo movimento desembaraçado de mercadorias e
capitais.
O trecho “Esse horror não pode ser aplacado pela sociabilidade do mercado”
admite, sem prejuízo para a correção gramatical do texto, a seguinte reescrita:
A sociabilidade do mercado não pode aplacar esse horror.
Comentário: Note a mudança simples de voz passiva analítica em voz ativa. A
locução verbal “pode ser aplacado” concorda com seu sujeito paciente “Esse
horror”. Essa expressão passa a ser o objeto direto na voz ativa. O agente da
passiva é a expressão “pela sociabilidade do mercado” e esse termo passa a
sujeito agente na voz ativa.
Como a locução verbal da voz passiva possui o verbo auxiliar “pode” no
presente do indicativo, este continua no mesmo tempo verbal e devemos
excluir o verbo “ser” desta locução, para que o verbo principal possa voltar à
sua forma infinitiva “aplacar”, na voz ativa. Veja:
Voz passiva: Esse horror não pode ser aplacado pela sociabilidade...
(sujeito paciente) (agente da passiva)

Voz ativa: A sociabilidade(...) não pode aplacar esse horror.


(sujeito agente) VTD (OD)
Gabarito: C

Questão 36: TCE-AC – 2008 – Analista de Controle Externo


Fragmento do texto: Há de haver alguma; tudo depende das circunstâncias,
regra que tanto serve para o estilo como para a vida; palavra puxa palavra,
uma idéia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução;
alguns dizem mesmo que assim é que a natureza compôs as suas espécies.
(...)
No trecho “assim se faz um livro”, a expressão “um livro” exerce a função de
sujeito.
Comentário: O verbo “faz” é transitivo direto e o pronome “se” é apassivador.
Assim, a expressão “um livro” é o sujeito paciente.
Gabarito: C

Questão 37: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Em novembro de 2003, o presidente da República
assinou o Decreto n.º 4.877, que estabelece, em seu artigo 2.º: “Consideram-
se remanescentes das comunidades dos quilombos, para os fins deste
decreto, os grupos étnico-raciais, segundo critérios de autoatribuição, com
trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com
presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão
histórica sofrida.”
Prejudica-se a correção gramatical do período ao se substituir ‘Consideram-se’
(linhas 2, 3) por São considerados.
Comentário: A substituição de “Consideram-se” (estrutura da voz passiva
sintética) por São considerados (estrutura da voz passiva analítica) está
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 22
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
correta; pois o sujeito paciente é “os grupos étnico-raciais”, que mantém o
verbo no plural. O erro na afirmativa está em dizer que isso prejudica a
correção gramatical.
Gabarito: E

Questão 38: Agente educacional - ES / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Já é tempo de ser tomada firme decisão política,
envolvendo permanente esforço de conscientização da coletividade no tocante
a um item tão importante ao presente e ao futuro da qualidade de vida
citadina, como é o caso do trato adequado com o lixo urbano.
Prejudica-se a correção gramatical do período ao se substituir “ser tomada”
por se tomar.
Comentário: A expressão “ser tomada firme decisão política” encontra-se na
voz passiva analítica, em que “firme decisão política” é o sujeito paciente e
“ser tomada” é locução verbal passiva. Ao se transformar em voz passiva
sintética, basta inserir o pronome apassivador se e o verbo principal volta a
sua forma nominal infinitiva (a qual estava no verbo auxiliar “ser”), resultando
em: Já é tempo de se tomar firme decisão política. A questão está errada
por afirmar que essa troca prejudica a correção gramatical.
Gabarito: E

Questão 39: TRE - RS / 2006 / nível médio


Fragmento do texto:
Em 19 de junho de 1822, foi publicada a primeira lei eleitoral elaborada
no Brasil, por determinação de D. Pedro I. Essa lei tinha como objetivo
regulamentar a eleição de uma assembleia geral constituinte e legislativa, a
ser composta de deputados das províncias do Brasil.
As eleições para a assembleia constituinte realizaram-se após a
Proclamação da Independência e, em 25 de março de 1824, D. Pedro I
outorgou ao povo brasileiro sua primeira Constituição política.
As estruturas “foi publicada” e “realizaram-se” estão na voz passiva e
correspondem, respectivamente, a publicou-se e foram realizadas.
Comentário: A estrutura “foi publicada a primeira lei eleitoral” está na voz
passiva analítica, podendo ser substituída pela voz passiva sintética “publicou-
se a primeira lei eleitoral” (perceba que agora há o pronome apassivador).
estrutura “As eleições (...) realizaram-se” está na voz passiva sintética,
podendo ser substituída pela voz passiva analítica “As eleições foram
realizadas”. (o sujeito dessas orações foi incluído para melhor visualização
da construção e percepção da concordância.)
Gabarito: C

Questão 40: INCA / 2010 / nível superior


Fragmento do texto: O regime trabalhista, ao adotar estratégias de proteção
à saúde do trabalhador, institui mecanismos de monitoração dos indivíduos,
visando a evitar ou identificar precocemente os agravos à sua saúde, quando
produzidos ou desencadeados pelo exercício do trabalho.
Para se realçar “mecanismos de monitoração”, em vez de “regime
trabalhista”, poderia ser usada a voz passiva, escrevendo-se são instituídos
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 23
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
em vez de “institui”, sem que a coerência entre os argumentos e a correção
gramatical do texto fossem prejudicadas.
Comentário: O erro foi não informar a mudança do sujeito agente “O regime
trabalhista” para agente da passiva pelo regime trabalhista, além da
necessidade de reordenação da frase, por adequação contextual. Por isso
haveria incoerência e prejuízo gramatical.
Resposta: E

Questão 41: Cia de Saneamento Básico - ES / 2006 / nível Superior


Fragmento do texto: É sabido que, em se tratando de crimes que envolvam
computadores como meio, a coleta, a manipulação e o exame de provas sem
os devidos cuidados podem ocasionar a falta de integridade da prova.
A substituição de “É sabido” por Sabe-se não prejudica o sentido do período.
Comentário: A oração “É sabido” está na voz passiva analítica. Seu sujeito é
toda a oração posterior “que (...) a coleta, a manipulação e o exame de
provas sem os devidos cuidados podem ocasionar a falta de integridade da
prova”. Pode-se transformar essa voz passiva analítica em sintética, bastando
identificar a estrutura da voz passiva sintética:
VTD + SE (pronome apassivador) + sujeito paciente.
Assim, o verbo transitivo direto “sabido” deixa de ficar no particípio e se
flexiona no mesmo tempo e modo que o verbo “É” (presente do indicativo),
resultando a forma sabe. Deve haver a inserção do pronome apassivador e
toda a oração posterior continuará sendo sujeito paciente. Veja: Sabe-se
“que (...) a coleta, a manipulação e o exame de provas sem os devidos
cuidados podem ocasionar a falta de integridade da prova”.
Resposta: C

Concordância com o pronome relativo “que”


Você viu na aula passada que o pronome relativo inicia uma oração
subordinada adjetiva e serve para retomar um substantivo anterior. Ele pode
cumprir várias funções sintáticas e a que nos interessa nesta aula é a de
sujeito:
Conversei com o fundador da instituição que cuida de crianças carentes.
A oração grifada possui o verbo “cuida”, o qual é transitivo indireto. Seu
objeto indireto é “de crianças carentes”. Assim o termo que falta é o sujeito.
Perceba que o pronome relativo “que” retoma o substantivo “instituição”.
Assim, quando lemos “que”, entendemos “instituição” e então teremos: “a
instituição cuida de crianças carentes”. Veja:
objeto indireto
sujeito VTI
Conversei com o fundador da instituição que cuida de crianças carentes.
objeto indireto
sujeito VTI
Conversei com o fundador da instituição. A instituição cuida de crianças carentes.
É fácil achar o pronome relativo “que”: basta substituí-lo pelos também
pronomes relativos “o qual, a qual, os quais, as quais”.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 24


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Concordância com o pronome relativo “o qual” e suas variações
Este pronome também inicia uma oração subordinada adjetiva.

Algumas leis que estão em vigor no país deverão ser revistas.

Algumas leis as quais estão em vigor no país deverão ser revistas.

Note que “Algumas leis” é o sujeito da locução verbal “deverão ser


revistas” e o pronome relativo “que” (ou “as quais”) é o sujeito do verbo
“estão”. Quando se lê “que” ou “os quais”, devemos entender o substantivo
“leis”: leis estão em vigor no país.
Questão 42: TRE - ES / 2011 / nível médio
Fragmento de texto: A Constituição brasileira (art. 45, caput) determina
que a representação dos estados na Câmara dos Deputados seja proporcional
à população. Entretanto, a seguir, estabelece piso e teto dessa representação
(oito e setenta deputados, respectivamente), que implicam a negação dessa
proporcionalidade.
Na linha 4, o anafórico “que” poderia ser substituído por o que, sem prejuízo
da coesão textual e da correção gramatical do período.
Comentário: O pronome relativo “que” está na função de sujeito e retoma as
expressões “piso e teto”, por isso o verbo “implicam” está no plural. Ao se
substituir esse pronome pela expressão “o que”, o pronome demonstrativo “o”
retomaria a expressão “estabelece piso e teto dessa representação (oito e
setenta deputados, respectivamente)”. O pronome relativo “que” continuaria
na função de sujeito, mas agora retomaria apenas o pronome “o”, que está no
singular. Assim o verbo “implicam” obrigatoriamente deveria se flexionar no
singular (implica).
Gabarito: E

Questão 43: TRE - ES / 2011 / nível médio


Empregando-se a voz ativa e mantendo-se os tempos verbais empregados, o
trecho “O local das reuniões era a antiga cadeia pública, que, em 1808, havia
sido remodelada pelo vice-rei conde dos Arcos” seria, corretamente, reescrito
da seguinte forma: O local das reuniões era a antiga cadeia pública, que, em
1808, o vice-rei conde dos Arcos remodelou.
Comentário: Perceba a estrutura abaixo:
“...antiga cadeia pública que havia sido remodelada pelo vice-rei...”

sujeito paciente agente da passiva

O pronome relativo “que” está na função de sujeito e a locução verbal


“havia sido remodelada” está na voz passiva analítica e recebeu o verbo “ser”
no particípio. Ademais, “pelo vice-rei” cumpre a função de agente da passiva.
Para transpor para a voz ativa, o agente da passiva passa a sujeito agente e o
sujeito paciente torna-se objeto direto. Além disso, a locução verbal deve
perder o verbo “sido”. Assim, teríamos a construção:
O vice-rei havia remodelado a antiga cadeia pública.
Como a estrutura “antiga cadeia pública” foi retomada pelo pronome
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 25
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
relativo “que”, cabe a esta estrutura o seguinte:
“...antiga cadeia pública que havia remodelado o vice-rei...”

OD sujeito agente
Gabarito: E

Questão 44: Detran - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: O Estado, o setor privado, os indivíduos, os processos
migratórios, o valor da terra urbana e a dinâmica da economia são fatores que
interagem de forma complexa, “produzindo” o meio urbano em que vivemos,
e, desse modo, gerando as necessidades de deslocamento das pessoas e dos
bens.
O trecho “são fatores que” poderia ser suprimido sem prejuízo da correção
gramatical e das relações semânticas do período, pois se manteria a
concordância da forma verbal “interagem” com o termo que exerce a função
de sujeito.
Comentário: Veja o esquema abaixo e os comentários.

O Estado, o setor privado, os indivíduos, os processos migratórios, o valor da


terra urbana e a dinâmica da economia são fatores que interagem de forma
complexa...
A oração “que interagem de forma complexa” é subordinada adjetiva
restritiva. Ela é iniciada pelo pronome relativo “que”, na função de sujeito, o
qual retoma “fatores”; por isso o verbo “interagem” se encontra flexionado no
plural. Perceba que a oração principal é formada pelo sujeito composto “O
Estado, o setor privado, os indivíduos, os processos migratórios, o valor da
terra urbana e a dinâmica da economia”, verbo de ligação “são” e predicativo
“fatores”. Sabendo-se que este predicativo caracteriza o sujeito e está ligado
pelo verbo de ligação “são”; entende-se que o valor semântico do sujeito é o
mesmo do predicativo (“O Estado, o setor privado, os indivíduos, os processos
migratórios, o valor da terra urbana e a dinâmica da economia” = “fatores”).
Assim, a retirada da expressão “são fatores que” mudaria a relação
sintática, pois o verbo “interagem” não concordaria mais com o pronome
relativo “que”, o qual retoma “fatores”, mas com o seu sinônimo contextual (o
sujeito composto); mas se preservaria a coerência, o valor semântico e a
correção gramatical. Veja:
O Estado, o setor privado, os indivíduos, os processos migratórios, o valor da
terra urbana e a dinâmica da economia interagem de forma complexa...
Gabarito: C

Questão 45: Detran - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Contraposto aos sucessivos recordes de
congestionamentos nas grandes cidades brasileiras, esse resultado expõe as
fragilidades de um modelo de desenvolvimento e urbanização que privilegia o
transporte motorizado individual, prejudica a mobilidade e até a produtividade
das pessoas.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 26


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
O trecho “o transporte motorizado individual” poderia, sem prejuízo à
coerência da argumentação, ser substituído por os transportes motorizados
individuais; contudo, para se preservar a correção gramatical do texto, seria
necessário flexionar a forma verbal “prejudica” na terceira pessoa do plural,
escrevendo-se prejudicam.
Comentário: A banca queria levar o candidato a confundir o termo “o
transporte motorizado individual” como sendo sujeito, por isso a flexão deste
termo levaria à flexão do verbo; porém este termo não é sujeito. Os verbos
“privilegia” e “prejudica” fazem parte de orações coordenadas assindéticas
aditivas. O sujeito desses dois verbos é o pronome relativo “que”, o qual
retoma a expressão “um modelo de desenvolvimento e urbanização”, por isso
estão flexionados no singular. A expressão “o transporte motorizado
individual” é apenas objeto direto do verbo “privilegia” e a flexão da expressão
no plural não produzirá a flexão do verbo “prejudica”. Se ainda há dúvida,
perceba que há uma vírgula entre a expressão “o transporte motorizado
individual” e o verbo “prejudica”. Esse é mais um motivo para não se poder
entender essa expressão como sujeito.
Gabarito: E

Questão 46: TRE - RS / 2006 / nível médio


Fragmento do texto: O primeiro código eleitoral a viger no Brasil chamava-
se Ordenações do Reino, as quais foram elaboradas em Portugal no fim da
Idade Média e utilizadas até 1828.
A substituição da estrutura “as quais foram elaboradas (...) e utilizadas” por o
qual foi elaborado (...) e utilizado altera as relações de concordância sem
provocar prejuízo para a coerência e a correção gramatical do período.
Comentário As expressões “O primeiro código eleitoral a viger no Brasil” e
“Ordenações do Reino” são sinônimas contextuais por causa do vocábulo
“chamava-se”, o qual mostra que o nome desse primeiro código é Ordenações
do Reino. Logo, “as quais foram elaboradas (...) e utilizadas...” concordam
com “Ordenações do Reino”, mas poderiam se flexionar no singular e
masculino para concordar com “O primeiro código eleitoral a viger no Brasil”.
Por isso há a possibilidade da substituição:
O primeiro código eleitoral a viger no Brasil chamava-se Ordenações
do Reino, as quais foram elaboradas em Portugal no fim da Idade Média e
utilizadas até 1828.
O primeiro código eleitoral a viger no Brasil chamava-se
Ordenações do Reino, o qual foi elaborado em Portugal no fim da Idade
Média e utilizado até 1828.
Resposta: C

Questão 47: Cia de Saneamento Básico - ES / 2006 / nível superior


Fragmento do texto: Sem o trabalho dos peritos, a investigação policial fica
restrita à coleta de depoimentos e ao concurso de informantes, o que limita
suas possibilidades e torna perigosamente decisivos os interrogatórios dos
suspeitos.
As formas verbais “limita” e “torna” referem-se a “coleta de depoimentos e ao
concurso de informantes”.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 27


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Comentário: As formas verbais “limita” e “torna” estão no singular porque
seu sujeito é o pronome relativo “que”, o qual retoma o pronome
demonstrativo “o”, que se encontra no singular. Note que esse pronome
demonstrativo retoma toda a informação anterior e não apenas “coleta de
depoimentos e ao concurso de informantes”. Por isso o referente está errado.
Resposta: E

Questão 48: TRE - MA / 2006 / nível superior


Fragmento do texto: Ser cidadão, perdoem-me os que cultuam o direito, é
ser como o Estado, é ser um indivíduo dotado de direitos que lhe permitem
não só se defrontar com o Estado, mas afrontar o Estado.
O sujeito gramatical da oração expressa pela forma verbal “perdoem” está
elíptico.
Comentário: o sujeito gramatical de “perdoem” é o pronome demonstrativo
reduzido “os” (sujeito determinado simples).

“...perdoem-me os que cultuam o direito...”


oração principal + oração subordinada adjetiva
perdoem: verbo transitivo indireto que: sujeito
me: objeto indireto cultuam: verbo transitivo direto
os: sujeito o direito: objeto direto
Resposta: E

Questão 49: TRE - MA / 2006 / nível superior


Fragmento do texto: O indivíduo completo é aquele que tem a capacidade
de entender o mundo, a sua situação no mundo e que, se ainda não é
cidadão, sabe o que poderiam ser os seus direitos.
Caso a locução verbal “poderiam ser” estivesse no singular, haveria
concordância do verbo auxiliar com o sujeito da oração, expresso na forma
pronominal “o”, que a antecede.
Comentário: A estrutura “poderiam ser” é uma locução verbal de ligação,
pois o verbo principal é “ser”. Vê-se que a concordância do verbo “ser” é
bastante atípica. Esse verbo, quando se encontra entre termos substantivos,
concorda com o mais “enfático” (de maior peso nocional), não importando ser
sujeito ou predicativo. Veja:
Pedro sou eu. Eu sou Pedro.
(O termo de maior peso nocional é o pronome pessoal do caso reto “eu”, na
primeira frase é predicativo e, na segunda, é sujeito).
A cama são tábuas retorcidas.
(Entre substantivos comuns, o de maior peso é o plural, podendo também,
dependendo do contexto, ser o singular.)
Nem tudo são rosas.
(Entre pronome indefinido ou demonstrativo e substantivo no plural, o último
é o de maior peso, podendo, vez ou outra, flexionar-se no singular.)
No excerto “... sabe o que poderiam ser os seus direitos.”, “os seus
direitos” é o predicativo, e “que” é o pronome relativo na função de sujeito
que retomou o pronome demonstrativo “o”. O que está errado na alternativa
não é a flexão do verbo “ser”, pois já vimos que essa flexão é admissível, mas
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 28
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
dizer que “o” é sujeito. Na realidade, ele é apenas objeto direto do verbo
“sabe”.
“... sabe o que poderiam ser os seus direitos.”
oração principal + oração subordinada adjetiva
sabe: verbo transitivo direto que: sujeito
o: objeto direto poderiam ser: locução verbal de ligação
os seus direitos: predicativo
Resposta: E

Questão 50: TCE-ES – 2004–Controlador de Recursos Públicos


Fragmento do texto: Nossa identidade contemporânea nos remete para os
centros do capitalismo, permeada que está pela globalização liberal — pelo
grau maior ou menor em que conseguimos induzir os sintomas desse
fenômeno, como shopping centers, televisão a cabo, celulares —, mais do que
por sua inserção internacional, que nos faz ter um destino similar ao do resto
do continente ao qual estamos geográfica e historicamente integrados.
O emprego do singular em “faz” (l. 5) deve-se ao respeito às regras de
concordância com “Nossa identidade” (l.1).
Comentário: Na realidade, o sujeito do verbo “faz” é o pronome relativo
“que”, o qual retoma a expressão “inserção internacional”.
Gabarito: E

Questão 51: TCE-TO – 2009 –Superior


No trecho “Um dia ele me disse que era uma pena”, o pronome “que” exerce a
função sintática de sujeito da oração.
Comentário: A banca quis confundir o candidato induzindo-o a pensar que o
“que” fosse o pronome relativo. Mas veja que o verbo “disse” é transitivo
direto e indireto, o pronome “me” é o objeto indireto e a oração “que era uma
pena” é subordinada substantiva objetiva direta (ele me disse ISSO).
Assim, esse “que” é uma conjunção integrante, e não possui função
sintática.
Gabarito: E
A concordância com verbo no infinitivo
O verbo no infinitivo pode ser considerado impessoal ou pessoal.
Logicamente sabemos que um infinitivo de uma locução verbal não se
flexiona: Começamos a caminhar, devo trabalhar, voltou a comemorar.
Este não gera dúvida, por isso, nossa ênfase aqui recai ao infinitivo dentro de
uma oração reduzida.
As regras que você verá abaixo não podem ser entendidas de maneira
categórica, elas nos apontam as possibilidades de flexão. Na prova, o que vai
fazer com que você acerte a questão é o contexto e o bom senso.
1) O infinitivo impessoal é aquele que não se flexiona, por não ter um
sujeito, ou, mesmo o tendo, não se quer realçá-lo na oração, por não estar
explícito. Isso ocorre por alguns motivos e vamos citar os mais importantes
para nossa prova. Veja:
a) quando o verbo assume valor substantivo:

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 29


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Estudar é importante! (estudo é importante).
Pensar é um princípio do ser humano. (o pensamento é um princípio do ser
humano)
b) quando possui valor geral, isto é, não se refere explicitamente a um
termo do período:
Em 2001, os Estados Unidos e o mundo viveram situações difíceis de
esquecer.
Os viajantes foram obrigados a ficar à espera de outro avião.
Acusaram-nos de praticar atos suspeitos.
Todos estão dispostos a colaborar.
c) quando o infinitivo é empregado numa oração reduzida que
complementa um verbo auxiliar causativo deixar, mandar, fazer) ou sensitivo
(ver, sentir, ouvir, perceber) e tem como sujeito um pronome oblíquo:
Faça-os ficar. Não os vi entrar. Deixaram-nos sair.

2) O infinitivo pessoal é aquele que necessita enfatizar o agente da ação por


motivo de clareza ou para evitar ambiguidade. Assim o encontramos em
orações com sujeito explícito ou diferente do sujeito da oração anterior:
Com sujeito explícito:
Suponho serem eles os responsáveis.
Note que o verbo “suponho” é a oração principal e “serem eles os
responsáveis” é uma oração subordinada substantiva objetiva direta reduzida
de infinitivo, cujo sujeito (“eles”) está em destaque. Por isso, a concordância
do infinitivo no plural é obrigatória.
Com sujeito implícito:
Esqueci-me da solicitação de entregares a carta, quando chegares ao
escritório.
Perceba que o infinitivo “chegares” possui sujeito diferente do da oração
anterior (eu me esqueci). Isso ocorre por motivo de ênfase ao agente da ação
e evitar a ambiguidade.
Veja outros casos:
É hora de vocês estudarem. (“É hora” não tem sujeito/ “estudarem”
possui sujeito “vocês”)
Ouvi chamarem Lúcia. (eu ouvi / “chamarem” possui sujeito
indeterminado)
Questão 52: TCE-AC – 2008 – Analista de Controle Externo
Fragmento do texto: Em geral, cinco fatores estão atuando, em escala
mundial, nessa crise: o aumento da produção subsidiada de biocombustíveis; o
incremento dos custos com a alta do petróleo, que chega a US$ 114 o barril, e
dos fertilizantes; o aumento do consumo em países como China, Índia e Brasil;
a seca e a quebra de safras em vários países; e a crise norte-americana, que
levou investidores a apostar no aumento dos preços de alimentos em fundos
de hedge.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 30


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
No trecho “que levou investidores a apostar no aumento dos preços de
alimentos em fundos de hedge”, a substituição de “apostar” por apostarem
manteria a correção gramatical do texto.
Comentário: O verbo “apostar” faz parte da oração “a apostar no aumento
dos preços de alimentos em fundos de hedge”, que é subordinada substantiva
objetiva indireta. Dentro desta oração, esse verbo está flexionado no infinitivo
impessoal, pois o autor optou por enfatizar a ação verbal, e não o agente da
ação.
Mas, se o autor quiser enfatizar o agente, pode flexionar esse verbo de
acordo com a palavra “investidores”, o qual passa a ser considerado sujeito
elíptico, aquele que não está escrito junto ao verbo, mas é facilmente
subentendido na frase.
Assim, a substituição está correta.
Gabarito: C

Questão 53: TCE-PE – 2004 –Auditor das Contas Públicas


Fragmento do texto: A situação confusa e complexa dos habitantes do Brasil
durante os dois primeiros séculos do período colonial propiciava aos que
empunhavam a pena abordar, com firmeza e presunção, as questões relativas
à identidade colonial da região, à hierarquia fidalga dos poderosos e à
liderança político-econômica subalterna à metrópole.
A substituição da forma verbal “abordar” (l.3) pela correspondente no plural
abordarem configura transgressão à norma culta escrita formal.
Comentário: O verbo “propiciava” é transitivo direto e indireto, o objeto
indireto é o termo “aos”, o qual é seguido da oração subordinada adjetiva
restritiva “que empunhavam a pena”. O objeto direto desse verbo é a oração
subordinada substantiva objetiva direta “abordar (...) as questões relativas...”.
O verbo “abordar” está sendo utilizado nessa oração de forma impessoal,
isto é, o autor preferiu enfatizar a ação, e não o seu agente.
Mas, ao substituirmos a forma impessoal “abordar” pela pessoal
“abordarem” significa que esse verbo passou a enfatizar agora o agente da
ação, o qual se encontra elíptico no texto. Neste caso, o verbo no plural irá se
referir ao vocábulo “os”, que faz subentender “habitantes do Brasil”.
Por isso, pode haver a substituição, pois não há incorreção.
Gabarito: E
A concordância nominal
Como vimos na aula passada e no início desta, a concordância nominal
se baseia na flexão do adjunto adnominal de acordo com o núcleo e do
predicativo de acordo com o termo a que ele se refere.
Questão 54: TCE - TO / 2009 / nível médio
Fragmento do texto: Não consigo escrever. Dinheiro e propriedades, que
me dão sempre desejos violentos de mortandade e outras destruições, as
duas colunas mal impressas, caixilho, Dr. Gouveia, Moisés, homem da luz,
negociantes, políticos, diretor e secretário, tudo se move na minha cabeça,
como um bando de vermes em cima de uma coisa amarela, gorda e mole que
é, reparando-se bem, a cara balofa de Julião Tavares muito aumentada.
Os termos “amarela”, “gorda”, “mole”, “bem” e “balofa” qualificam os nomes
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 31
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
aos quais se referem.
Comentário: Os adjetivos que qualificam o substantivo “coisa” são
“amarela”, “gorda”, “mole”. O adjetivo que qualifica “cara” é “balofa”. No
entanto, “bem” não é adjetivo, pois não qualifica um substantivo, nem pode
se flexionar, como os adjetivos podem. Ele, neste contexto, está modificando
o verbo “reparando-se”.
Gabarito: E
A concordância nominal às vezes suscita dúvidas quando há apenas um
adjunto adnominal e dois ou mais núcleos. Veja:
a) O adjunto adnominal anteposto concorda com o núcleo mais próximo.

Fotografei robustas mangueiras e abacateiros.


VTD adjunto núcleo 1 e núcleo 2
adnominal
objeto direto

Fotografei robustos abacateiros e mangueiras.


VTD adjunto núcleo 1 e núcleo 2
adnominal
objeto direto

Mas, se o adjunto adnominal estiver depois do núcleo, além da


possibilidade de concordar com o mais próximo, ele pode concordar com os
dois termos, ficando no plural, indo para o masculino se um dos substantivos
for masculino.

Fotografei abacateiros e mangueiras robustos.


VTD núcleo 1 e núcleo 2 adjunto adnominal
objeto direto

Fotografei abacateiros e mangueiras robustas.


VTD núcleo 1 e núcleo 2 adjunto adnominal
objeto direto

Observação: Um adjetivo anteposto em referência a nomes de pessoas deve


estar sempre no plural (As simpáticas Joana e Marta agradaram a todos.).
b) Quando um núcleo determinado por artigo é modificado por adjunto
adnominal composto, podem ser usadas as seguintes construções:
Estudo a cultura brasileira e a portuguesa.
Estudo as culturas brasileira e portuguesa.
Os dedos indicador e médio estavam feridos.
O dedo indicador e o médio estavam feridos.
A construção “Estudo a cultura brasileira e portuguesa”, embora
provoque incerteza, é aceita por alguns gramáticos.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 32


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
c) Numerais ordinais também possuem valor adjetivo; por isso, quando
eles estão na função de ajunto adnominal composto e se referem a um único
núcleo, podem ser usadas as seguintes construções:
Falei com os moradores do primeiro e segundo andar.
Falei com os moradores do primeiro e segundo andares.
d) Adjetivos regidos pela preposição “de”, que se referem a pronomes
indefinidos, ficam normalmente no masculino singular, podendo surgir
concordância atrativa:
Sua vida não tem nada de sedutor. (ou de sedutora)
Os edifícios da cidade nada têm de elegante (ou de elegantes).
e) Os vocábulos mesmo, próprio são adjetivos ou pronomes adjetivos.
Por serem adjuntos adnominais, devem concordar com o substantivo a que se
referem:
As alunas mesmas resolveram a questão.
Os próprios alunos resolveram a questão.
Cuidado: mesmo, quando equivale a “até”, “inclusive”, é palavra denotativa;
sendo, então, invariável.
Mesmo eles ficaram chateados. (Até eles ficaram chateados.)
f) Os vocábulos meio, bastante, quando se referem a um substantivo,
são numeral e pronome indefinido (todos de valor adjetivo), respectivamente,
devendo concordar com o núcleo por serem adjuntos adnominais.
Tomou meia garrafa de vinho. (= metade – numeral – flexiona-se)
Ela estava meio aborrecida. (= um pouco – advérbio – não se flexiona)
Bastantes alunos foram à reunião. (= muitos – pronome indefinido adjetivo – flexiona-se)
Portanto, na frase “A prova será meio-dia e meia.”, nada de falar “meio-
dia e meio”, porque os vocábulos “meio” e “meia” são numerais de valores
adjetivos. O primeiro concorda com “dia” (meio-dia) e o segundo concorda
com o substantivo “hora”, que se encontra subentendido (meia hora).
Quando funcionarem como advérbios, permanecerão invariáveis. O
vocábulo "menos" é sempre invariável. Portanto, não existe a palavra “menas”.
Eles falaram bastante. (= muito – advérbio – não se flexiona)
Eram alunas bastante simpáticas. (= muito – advérbio – não se flexiona)
Havia menos pessoas vindo de casa. (pronome indefinido invariável)

g) Os vocábulos muito, pouco, longe, caro, barato podem ter valores


adjetivos (adjunto adnominal) ou adverbiais. Somente os de valor adjetivo se
flexionam de acordo com o substantivo a que se referem.
Compraram livros caros. (adjetivo caracterizando substantivo)
Os livros custaram caro. (advérbio modificando verbo)
Poucas pessoas tinham muitos livros. (pronomes indefinidos determinando substantivos)
Leram pouco as moças muito vivas. (advérbios modificando verbo e adjetivo, respectivamente)
Andavam por longes terras. (adjetivo caracterizando substantivo)
Eles moram longe da cidade. (advérbio modificando verbo)
Eram mercadorias baratas. (adjetivo caracterizando substantivo)
Pagaram barato aqueles livros. (advérbio modificando verbo)
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 33
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
h) O artigo e o numeral, antes dos substantivos milhar, milhão, bilhão,
trilhão, devem concordar no masculino:
Dois milhões de pessoas já assistiram ao espetáculo.
Os dois milhares de pessoas que moram aqui desocuparão por motivo de
segurança.
Onde exatamente se cunham os bilhões de moedas que circulam no Brasil?

Questão 55: MPOG / 2008 / nível superior


Fragmento do texto: Fazem parte dessa infraestrutura, entre outros, o
sistema bancário, hoteleiro, de telecomunicação, bem como aeroportos,
segurança.
Mantendo-se a correção gramatical e o sentido da sentença, no trecho “o
sistema bancário, hoteleiro, de telecomunicação”, a expressão sublinhada
poderia receber a flexão de plural: os sistemas.
Comentário: Esse é o caso da concordância em que o núcleo, que se
encontra precedido de artigo e possui adjuntos adnominais enumerados, pode
se flexionar no plural.
Gabarito: C

Questão 56: Agente Polícia Federal / 2000 / nível superior


Fragmento do texto: Graças a essa especialização e priorização, foi possível
obter-se o elevado nível do potencial-de-liberdade que o final do século XX
oferece à humanidade.
De acordo com as regras de concordância nominal, o emprego do pronome
demonstrativo “essa” no singular indica que tal termo se refere apenas ao
substantivo “especialização” e não a “priorização”.
Comentário: A regra de concordância nominal prevê que o adjunto
adnominal que antecede núcleos compostos concorde com o mais próximo.
Mas isso não quer dizer que a determinação, caracterização, seja apenas com
o núcleo com quem concorda. Como no contexto em que está, o pronome
“esse” determina tanto “especialização”, quanto “priorização”. Por questões de
posicionamento, houve apenas ênfase ao primeiro dos núcleos.
Gabarito: E

Questão 57: Detran - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: O modelo de desenvolvimento centrado no transporte
rodoviário provocou um desbalanceamento no transporte de pessoas e
mercadorias no país, com consequências negativas relevantes nos campos
energético e ambiental.
As especificações expressas por “energético” e “ambiental” justificam o
emprego do substantivo “campos”, no plural.
Comentário: Esse é o caso da concordância nominal de um substantivo com
dois adjetivos, caracterizando-o. Cada “campo” é restrito por um adjunto
adnominal específico, entendendo-se dois “campos” distintos.
Gabarito: C

Questão 58: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Julgue os fragmentos de texto apresentados nos itens abaixo quanto à
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 34
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
concordância.
Se a palavra “brasileiros” fosse utilizada no feminino plural, no trecho “hoje há
32 milhões de brasileiros” deveria ser reescrito da seguinte forma: hoje há
trinta e duas milhões de brasileiras.
Comentário: O substantivo milhão apenas se flexiona em número (singular,
plural). Não admite flexão em gênero, bem como seus determinantes (artigos,
numerais adjetivos, etc). Assim, a reescrita do excerto seria: hoje há trinta
e dois milhões de brasileiras.
Cabe aqui uma nota: o fato de se substituir “brasileiros” por “brasileiras” não
obriga o numeral escrito em algarismos (32) ser escrito por extenso (trinta e
dois). A banca apenas “jogou” com essa possibilidade. A norma prevê
estilisticamente que se deve priorizar o numeral por extenso quando há
apenas uma palavra, como “mil”, “três”, “duzentos”, “cem” etc. e, quando há
mais de uma palavra, o ideal seria o uso dos algarismos, como “32”, “210”,
“1001”, “323”, etc”. Naturalmente não há imposição, isso é estilístico e
depende da intenção comunicativa; pois há documentos que preveem só
algarismos, ou só por extenso, ou ambos.
Resposta: E
Vamos trabalhar agora a concordância nominal com base no predicativo;
mas, para isso, devemos entender em que estruturas essa função sintática
aparece.
Já foi visto anteriormente que o predicativo é palavra que transmite
qualidade ou estado ao sujeito, mas ele também pode caracterizar os objetos
direto ou indireto. Assim, vejamos quais são os tipos de predicado.
I - Predicado verbal: formado por um verbo que não seja de ligação; o
núcleo do predicado é o verbo.
Lúcia fez os trabalhos. Lúcia gosta dos trabalhos.
VTD + OD VTI + OI
sujeito predicado verbal sujeito predicado verbal
(o núcleo é o verbo) (o núcleo é o verbo)

Lúcia entregou os trabalhos a eles. Lúcia viajou.


VTD + OD + OI VI
sujeito predicado verbal sujeito predicado verbal
(o núcleo é o verbo) (o núcleo é o verbo)

II - Predicado nominal: formado por um verbo de ligação e um predicativo


do sujeito; o núcleo do predicado é o predicativo:
Lúcia é estudante.
VL + predicativo
sujeito predicado nominal
(o núcleo é o predicativo)

III - Predicado verbo-nominal: formado por um verbo que não seja de


ligação mais um predicativo (do sujeito ou do objeto).
O povo aclamou-o herói.
VTD + OD predicativo do objeto
sujeito predicado verbo-nominal

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 35


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Já que vimos os tipos de predicados, podemos confirmar os tipos de
predicativos:
I - Predicativo do sujeito

Eu sou o professor da turma.


sujeito VL predicativo do sujeito
predicado nominal

II - Predicativo do objeto direto


Carlos chamou -a heroína.
sujeito VTD OD Predicativo
do OD
predicado verbo-nominal

III - Predicativo do objeto indireto


Carlos chamou -lhe heroína.
sujeito VTI OI Predicativo
do OI
predicado nominal

Foi visto na concordância verbal que, se o verbo estiver anteposto ao


sujeito composto, pode ele concordar com o núcleo mais próximo ou com a
totalidade. Se este for verbo de ligação, o predicativo seguirá a mesma
concordância:

São calamitosos a pobreza e o desamparo.


VL predicativo
predicado nominal sujeito composto

É calamitosa a pobreza e o desamparo.


VL predicativo
predicado nominal sujeito composto

A concordância do predicativo do objeto não depende exclusivamente do


verbo, mas da ênfase no texto.

Julguei insensatas sua atitude e suas palavras.


VTD Predicativo
do OD
predicado verbo-nominal objeto direto composto

Julguei insensata sua atitude e suas palavras.


VTD Predicativo
do OD
predicado verbo- objeto direto composto
nominal
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 36
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Os vocábulos anexo, incluso são adjetivos, devendo concordar com o
núcleo do sujeito:
A sindicância segue anexa ao ofício.
VI predicativo do complemento
sujeito nominal
sujeito predicado verbo-nominal

Seguem inclusos às caixas os documentos.


VI predicativo do complemento
sujeito nominal
predicado verbo-nominal sujeito

O vocábulo obrigado, apesar de não cumprir papel de predicativo, cabe


nesta estrutura. Ele também é adjetivo e concorda com o termo a que se
refere:
Muito obrigada, disse a moça!
As expressões é bom, é proibido, é necessário, formadas pelo verbo
ser seguido de adjetivo, não variam se o sujeito não vier determinado; caso
contrário, a concordância será obrigatória.
Água é bom. A água é boa.
Bebida é proibido para menores. As bebidas são proibidas para menores.
Chuva é necessário. Aquela chuva foi necessária.
O vocábulo “só”, no sentido de sozinho, é adjetivo e se flexiona. O
mesmo vocábulo, no sentido de somente, apenas, possui valor adverbial, por
isso não se flexiona.
Os rapazes ficaram sós na festa. Vieram só os rapazes.
Elas estavam a sós na imensidão do mar. Só elas não vieram.
A expressão "a sós" tem o sentido de sozinhos.
Os pronomes de tratamento de gênero feminino levam o particípio e o
adjetivo a se flexionarem no feminino. Mas estes vocábulos podem se flexionar
no masculino quando o pronome de tratamento se referir a uma pessoa do
sexo masculino. Isso é chamado de concordância siléptica.
Vossa Excelência será entrevistada por uma equipe muito profissional.
Vossa Majestade, o rei, mostrou-se generoso.
Vossa Excelência é injusto.
Questão 59: Agente da Polícia Federal / 2000 / nível superior
Fragmento do texto: E quais as condições objetivas para tornar sustentável
esse movimento de democratização crescente?
Se o substantivo “movimento” estivesse empregado no plural, também os
adjetivos “sustentável” e “crescente” precisariam estar no plural.
Comentário: Essa é a concordância do predicativo “sustentável” com o objeto
direto “esse movimento de democratização crescente”.
Mas há um problema: não se pode ter certeza se o adjetivo “crescente”
é o adjunto adnominal de “movimento” ou “democratização”.
Entendendo-o como caracterizador de “movimentos”, esse adjetivo
deveria se flexionar no plural:
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 37
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
E quais as condições objetivas para tornar sustentáveis esses crescentes
movimentos de democratização?
Entendendo-o como caracterizador de “democratização”, esse adjetivo
deveria se flexionar no singular:
E quais as condições objetivas para tornar sustentáveis esses movimentos de
crescente democratização?
Como não se pode afirmar categoricamente que este adjetivo
caracteriza “movimentos”, sua flexão no plural não seria obrigatória, como
afirma a questão.
Além disso, a questão não mencionou o vocábulo “esse”, que também
deveria se flexionar no plural.
Gabarito: E

Questão 60: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Está correta a concordância em: Grande parte dos grandes empresários
relutou em considerar ilegal ou informal, apesar das evidências em contrário,
as relações de trabalho que eles mantêm com os chamados novos autônomos.
Comentário: O verbo “relutou” está corretamente flexionado no singular,
mas também poderia estar no plural, pois seu sujeito possui expressão
partitiva. Mas o erro está no predicativo do objeto direto “ilegal ou informal”,
que deveria se flexionar no plural (ilegais ou informais) por concordar com
o objeto direto “as relações de trabalho”.
Gabarito: E

Questão 61: SEGER - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: Assim, a busca por cortes em gastos públicos será
ainda mais urgente.
Seriam mantidas a coerência entre os argumentos e a correção gramatical do
texto, ainda que se perdesse a ideia de busca, caso se optasse por escrever
os cortes no lugar de “a busca por cortes”.
Comentário: A expressão “a busca” é o sujeito do predicado nominal “será
ainda mais urgente”. Com a substituição de “a busca por cortes” por os
cortes, o verbo e o adjetivo deveriam se flexionar na terceira pessoa do
plural: serão ainda mais urgentes.
Gabarito: E

Questão 62: TRE - ES / 2011 / nível médio


Julgue a frase abaixo com referência à correção gramatical.
Reforçado por 1,6 milhão de assinaturas colhidas em todo o país, tendo
o eleitorado de Minas liderado a participação popular, a Lei da Ficha Limpa
tornou-se o marco de um novo posicionamento da sociedade em relação da
moralização da administração pública.
Comentário: Primeiramente, há um problema de concordância nominal, pois
o particípio “Reforçado” se refere à “Lei da Ficha Limpa”; assim deve-se
substituí-lo por “Reforçada”. Além disso, a locução prepositiva corretamente
empregada é “em relação a”, substituindo-se a preposição “da” pela crase “à”.
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 38
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Reforçada por 1,6 milhão de assinaturas colhidas em todo o país, tendo o
eleitorado de Minas liderado a participação popular, a Lei da Ficha Limpa
tornou-se o marco de um novo posicionamento da sociedade em relação à
moralização da administração pública.
Resposta: E

Questão 63: TCE-TO – 2009 –Superior


Fragmento do texto: É fácil, hoje em dia, confundir as limitações crescentes
impostas ao Estado-nação com a construção de um espaço de livre circulação
dos indivíduos, promovido pelo movimento desembaraçado de mercadorias e
capitais.
No trecho “promovido pelo movimento desembaraçado de mercadorias e
capitais”, manteria a correção gramatical e o sentido original do texto a
substituição de “promovido” por promovidos.
Comentário: O particípio “promovido” está se referindo a “um espaço de livre
circulação dos indivíduos”. Este espaço é “promovido pelo movimento
desembaraçado de mercadorias e capitais”.
O contexto não permite a flexão desse particípio no plural, pois esse
vocábulo não se refere a “indivíduos”, pois não são os indivíduos que são
promovidos por esse movimento.
Gabarito: E

Questão 64: TCE-PE – 2004 –Auditor das Contas Públicas


Fragmento do texto: Não é possível pensar sem lembrar — e são os livros
que ainda preservam a maior parte da nossa herança cultural. Finalmente, e
este motivo está relacionado ao anterior, eu diria que uma democracia
depende de pessoas capazes de pensar por si próprias. E ninguém faz isso sem
ler.
Na linha 4, mantém-se a coerência textual com o emprego do coletivo gente
em lugar de “pessoas”, mas será obrigatória a substituição do plural nos
adjetivos “capazes” e “próprias” para que seja preservada a correção
gramatical.
Comentário: Para resolver a questão, basta realizarmos as substituições
pedidas, ler a frase novamente e verificar se houve alguma incoerência ou
incorreção gramatical. Compare:
“...eu diria que uma democracia depende de pessoas capazes de pensar
por si próprias.”
“...eu diria que uma democracia depende de gente capaz de pensar por
si própria.”
Note que os adjetivos “capazes” e “próprias” fazem referência ao
substantivo “pessoas” e de acordo com ele se flexiona. São adjuntos
adnominais dos núcleos “pessoas” e “si”, respectivamente.
Com a substituição por substantivo singular, naturalmente os referentes
adjetivos se flexionam também no singular.
Gabarito: C

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 39


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 65: TCE-PE – 2004 –Analista de Sistema
Fragmento do texto: Pesquisas baseadas nesse tipo de definição estimam
que uma fração entre um terço e metade da população brasileira possa ser
considerada pobre. Essa é uma definição “forte”; e estimativas subjetivas de
linhas de pobreza demonstram que boa parte da população brasileira ainda
consideraria insuficientes as rendas de famílias que se encontram em níveis
superiores aos usados como linha de pobreza nessas pesquisas.
Considerando que a flexão de singular preserva a coerência textual na
substituição de “as rendas” (l.5) pelo seu correspondente singular, seria
também preservada a correção gramatical com essa substituição.
Comentário: A expressão plural “as rendas” pode ter o mesmo sentido de seu
singular (“a renda”). Esse singular seria empregado de forma generalizada. O
problema dessa substituição na frase desse texto é que o verbo “consideraria”
é transitivo direto, o termo “as rendas” é o objeto direto e “insuficientes” é o
predicativo do objeto direto. Assim, a substituição para o singular leva aquele
adjetivo também para o singular. Compare:
“...boa parte da população brasileira ainda consideraria insuficientes as
rendas de famílias...”
“...boa parte da população brasileira ainda consideraria insuficiente a renda
de famílias...”
Gabarito: E
QUESTÕES CUMULATIVAS DE REVISÃO
Questão 66: TRE - PA / 2007 / nível superior
Fragmento do texto: A justiça eleitoral mineira mantém o projeto Justiça
Eleitoral na Escola, voltado para crianças e adolescentes, com o objetivo de
contribuir para a conscientização acerca da importância do voto e de suas
consequências no campo da participação democrática e da construção da
cidadania.
A passagem “acerca da importância do voto e de suas consequências”
completa o sentido de “objetivo”.
Comentário: A expressão “acerca da importância do voto e de suas
consequências” não completa o sentido do substantivo “objetivo”; na
realidade, ela se liga ao substantivo “conscientização”.
Gabarito: E

Questão 67: INCA / 2010 / nível médio


O emprego de vírgula após “anos”, em “Nos próximos anos, a questão da
melhoria da qualidade do ensino deve ser uma obrigação dos governantes”,
justifica-se por isolar termo adverbial, com noção de tempo, deslocado do
final para o começo do período.
Comentário: Note que “Nos próximos anos” é adjunto adverbial de tempo e
está antecipado em sua oração; por isso ocorre vírgula.
Gabarito: C

Questão 68: Agente educacional - ES / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: O Cinema Novo, a partir de 1954, inspirou-se no

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 40


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Neorrealismo da Itália e na Nouvelle Vague da França.
O emprego de vírgula logo após “Novo” justifica-se por isolar aposto
explicativo.
Comentário: Não há aposto explicativo, é o adjunto adverbial de tempo “a
partir de 1954”, o qual se encontra intercalado, que impõe o uso de vírgulas.
Gabarito: E

Questão 69: TRT - RJ / 2008 / nível médio


Fragmento do texto: Em outra frente, a Campanha Global de Ação contra a
Pobreza — uma aliança internacional de sindicatos, grupos comunitários,
religiosos e organizações que trabalham pelo fim das desigualdades — anuncia
a mobilização anual do movimento Levante-se e Faça a Sua Parte, uma
ação mundial no dia Internacional pela Erradicação da Pobreza.
O emprego de vírgula logo após “frente” justifica-se por isolar adjunto
adverbial anteposto.
Comentário: O adjunto adverbial “Em outra frente” encontra-se antecipado,
por isso está separado por vírgula.
Gabarito: C

Questão 70: TRT - RJ / 2008 / nível médio


Fragmento do texto: No momento em que as Nações Unidas promovem
reunião de alto nível para revitalizar os Objetivos de Desenvolvimento do
Milênio e a nação mais poderosa do mundo busca o caminho para enfrentar a
bancarrota de meia dúzia de empresas com US$ 900 bilhões, milhares de
organizações não-governamentais estão lançando a campanha Em Meu
Nome, que é destinada a mobilizar a cidadania contra a pobreza.
Sem prejuízo para a correção gramatical e para o sentido original do texto, o
termo “com US$ 900 bilhões” poderia ocupar, entre vírgulas, a posição
imediatamente após a preposição “para”(linha 3).
Comentário: Apenas houve o deslocamento do adjunto adverbial de meio (ou
quantidade) “com US$ 900 bilhões”, o qual se encontra no final da oração e
passa a ficar intercalado após a preposição que inicia sua oração. Veja:
...para enfrentar a bancarrota de meia dúzia de empresas com US$ 900 bilhões...
...para, com US$ 900 bilhões, enfrentar a bancarrota de meia dúzia de empresas...
Gabarito: C

Questão 71: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Entre os integrantes dos BRICs, o Brasil é o que tem,
de longe, o maior mercado de azeite: o consumo deverá atingir 50.000
toneladas em 2010. Como o país tem forte influência espanhola, italiana e
portuguesa (os mais importantes produtores mundiais), o hábito de usar o
óleo em pizzas e saladas é mais comum do que nos outros do grupo — e as
empresas do ramo praticamente não mudam suas táticas de venda no
mercado brasileiro.
A conjunção “Como” introduz oração que expressa um fato que está em
conformidade com a ideia apresentada no período que a antecede.
Comentário: Esse vocábulo transmite valor de causa em relação à oração
que a sucede. Veja:
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 41
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Já que (Porque, Uma vez que) o país tem forte influência espanhola,
italiana e portuguesa (os mais importantes produtores mundiais), o hábito de
usar o óleo em pizzas e saladas é mais comum do que nos outros do grupo...
Gabarito: E

Questão 72: Agente educacional - ES / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Apesar de as esculturas de Aleijadinho, do século
XVIII, terem fisionomia mestiça, esse era um artista barroco, com influência
europeia.
Caso se substitua “Apesar de” por Embora, é necessário também substituir
“terem” por tenham, de forma a assegurar a correção gramatical do período.
Comentário: A locução prepositiva “Apesar de” inicia oração subordinada
adverbial concessiva reduzida de infinitivo. Já a conjunção Embora possui o
mesmo valor semântico de concessão, mas exige verbo conjugado em modo e
tempo verbal, para que a oração seja desenvolvida.
Gabarito: C

O que devo tomar nota como mais importante?

• A localização do sujeito como fundamento para a concordância verbal.


• Saber, pelo contexto, identificar o substantivo retomado pelo pronome
relativo na função de sujeito, pois isso é fundamental para saber a
concordância verbal e nominal.
• O índice de indeterminação do sujeito (“se”) só ocorre com verbos de
ligação, transitivo indireto e intransitivo. Esses verbos permanecem na
terceira pessoa do singular.
• O pronome relativo “que” pode ser substituído por “o qual” e suas
variações.
• O pronome apassivador ocorre com o verbo transitivo direto e com o
transitivo direto e indireto. Isso faz com que o sujeito seja paciente e o
verbo se flexione de acordo ele.

Até nosso próximo encontro!


Grande abraço.
Terror

Lista de questões

Questão 1: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Julgue o fragmento de texto apresentado no item abaixo quanto à
concordância verbal.
De acordo com o respectivo estatuto, a proteção à criança e ao adolescente
não constituem obrigação exclusiva da família.

Questão 2: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Julgue o fragmento de texto apresentado no item abaixo quanto à
concordância verbal.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 42


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
A legislação ambiental prevê que o uso de água para o consumo humano e
para a irrigação de culturas de subsistência são prioritários em situações de
escassez.

Questão 3: TJ - BA / 2005 / nível superior


Julgue a frase quanto à correção gramatical:
A multiplicidade de manifestações de insurgência contra toda e qualquer
disposição judicial, com invocação das garantias constitucionais de ampla
defesa e devido processo, fazem com que o exame do mérito das causas seja
adiado quase que indefinidamente.

Questão 4: TRE - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: De certo modo, a participação dos indígenas na
disputa por vagas nos Poderes Legislativo e Executivo é apresentada no
mesmo tom de estranheza com que o jornalismo brasileiro descreve
xinguanos paramentados com sandálias havaianas e calções adidas.
A forma verbal “é” está flexionada no singular porque concorda com o nome
“disputa”.

Questão 5: PC - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Recentemente, a Coreia do Norte, mais uma vez,
atacou seus irmãos do Sul. Mesmo 65 anos depois do fim da Segunda Guerra
Mundial e do rateio do mundo entre comunistas e capitalistas, os coreanos
seguem presos aos dogmas de seus governos. O bombardeio ordenado por
Pyongyang atingiu uma ilha do país vizinho, matou duas pessoas e feriu pelo
menos dezoito. A justificativa do Norte foram manobras supostamente feitas
pelos sulistas em águas sob sua jurisdição.
O núcleo do sujeito das formas verbais “matou” (linha 5) e “feriu” (linha 5) é
“Pyongyang” (linha 5).

Questão 6: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: A primeira é a do mandato livre e independente, isto é,
os representantes, ao serem eleitos, não têm nenhuma obrigação,
necessariamente, para com as reivindicações e os interesses de seus eleitores.
A forma verbal “têm” concorda com o núcleo nominal “representantes”,
flexionado no plural, o que torna obrigatório o emprego do acento circunflexo
nessa forma verbal.

Questão 7: TRE - RS / 2005 / nível médio


Julgue o trecho subsequente quanto à correção gramatical:
Existe outras peças que chamam a atenção...

Questão 8: TRE - RS / 2005 / nível médio


Julgue o trecho subsequente quanto à correção gramatical:
Nesse ano, ocorreram votação eletrônica nas capitais e em 31
municípios com mais de 200 mil eleitores.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 43


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 9: Tribunal de Justiça - BA / 2005 / nível superior
Fragmento do texto: Não há dúvida de que, no início do século XXI, os
Estados Unidos da América chegaram mais perto do que nunca da
possibilidade de constituição de um “império mundial”.
Como o primeiro período do texto apresenta ideia relativa a um único país, o
emprego do verbo “chegar” no singular — chegou — estaria de acordo com
as exigências de concordância da norma escrita culta, sem necessidade de
outras alterações no texto.

Questão 10: SEGER - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: Uma pesquisa anual sobre gastos do consumidor indica
que dois terços dos norte-americanos estão reduzindo o padrão e comprando
produtos mais baratos.
A flexão de plural em “estão” é exigida pela concordância com “dois terços”;
se os dados fossem alterados e se referissem a um terço dos norte-
americanos, seria correto flexionar o verbo estar no singular, fazendo-se a
concordância com o numeral e escrevendo-se está.

Questão 11: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Em uma época em que a taxa de analfabetismo
alcançava 99% da população, só um entre cem brasileiros era elegível.
Caso a referida taxa de analfabetismo fosse de 98% da população, o trecho
“Em uma época em que a taxa de analfabetismo alcançava 99% da
população, só um entre cem brasileiros era elegível” deveria ser corretamente
reescrito da seguinte forma: Em uma época em que a taxa de analfabetismo
alcançava 98% da população, só dois entre cem brasileiros seria elegível.

Questão 12: Polícia Federal / 2004 / Agente Administrativo


Fragmento do texto: Não se pode negar que o advento dos regimes liberais
em 1989-90, em todos os grandes Estados da América do Sul, criou uma
ilusão de modernidade.
Preservam-se a coerência textual e a correção gramatical com a substituição
do termo “o advento”, por as vindas ou por as chegadas.

Questão 13: Oficial de Chancelaria - MRE / 2008 / nível superior


Fragmento do texto: Sei que não falta gente que, insistindo em considerar-
me como meio literato, meio empregado diplomático de cortesias (como
dizem) fingem não saber tudo quanto eu, politicamente, além do grande
serviço desta História, tenho trabalhado em favor de Vossa Majestade
Imperial e do Império.
Sem se contrariar a correção gramatical, a forma verbal “fingem” poderia ser
substituída pela forma finge.

Questão 14: ABIN / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Da combinação entre velocidade, persistência,
relevância, precisão e flexibilidade surge a noção contemporânea de agilidade,
transformada em principal característica de nosso tempo.
A forma verbal “surge” poderia, sem prejuízo gramatical para o texto, ser
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 44
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
flexionada no plural, para concordar com “velocidade, persistência, relevância,
precisão e flexibilidade”.

Questão 15: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Desse grupo, sairiam mais tarde 33 senadores, 28
ministros de Estado, dezoito presidentes de província, sete membros do
primeiro conselho de Estado e quatro regentes do Império.
A forma verbal “sairiam” antepõe-se ao sujeito da oração, que corresponde a
um sujeito composto.

Questão 16: Cia de Saneamento Básico-ES / 2006 / nível superior


Fragmento do texto: É sabido que, em se tratando de crimes que envolvam
computadores como meio, a coleta, a manipulação e o exame de provas sem
os devidos cuidados podem ocasionar a falta de integridade da prova.
Se, no trecho “a coleta, a manipulação e o exame de provas sem os devidos
cuidados podem ocasionar a falta de integridade da prova”, a forma verbal
pode substituísse “podem”, a construção do período permaneceria correta,
porque os núcleos do sujeito podem ser interpretados como um conjunto.

Questão 17: Agente de Polícia Civil - ES / 2009 / nível médio


Fragmento do texto: Muitos pais querem saber que atitudes tomar quando o
filho se desentende com amigos ou colegas, quando chega em casa com
marcas de briga, quando tem o costume de dirigir palavrões aos outros etc.
Se, no primeiro parágrafo, “o filho” estivesse no plural, as concordâncias
corretas dos verbos que têm essa expressão como sujeito seriam se
desentendem, chegam, têm.

Questão 18: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: É o caso de Maria Sônia, de 75 anos de idade.
Costarriquenha radicada no Brasil desde os 20 anos — com passagens por Rio,
Natal e Avaré – SP — ela aposentou-se 22 com 60 anos. Ganha, com isso,
cerca de R$ 1,2 mil. Com a morte do marido, alguns anos depois, passou a
acumular o benefício da pensão (cerca de R$ 1 mil). Entretanto, não parou 25
de trabalhar. Empresária, está à frente de uma pousada no bairro do Paraíso,
a quatro quadras de sua casa — aumentando sua renda mensal em cerca de
R$ 4 mil. “Chego 28 a trabalhar até 11 horas por dia”, afirma, com ar
vitorioso. “Você tem a idade que você sente.”
Os sujeitos das formas verbais “aposentou”, “Ganha”, “passou”, “parou” e
“está” possuem o mesmo referente.

Questão 19: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Convocada por D. Pedro em junho de 1822, a
constituinte só seria instalada um ano mais tarde, no dia 3 de maio de 1823,
mas acabaria dissolvida seis meses depois, em 12 de novembro.
Nas duas orações deste parágrafo do texto em que o sujeito está elíptico, a
referência é o termo “a constituinte”, tal como expressa a concordância, em
número e gênero, desse termo com os particípios a ele relacionados.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 45


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 20: Delegado de Polícia – PB / 2009 / nível superior
Fragmento do texto: Podemos nos questionar a serviço de quem está o
poder. Quem são os excluídos pelo poder? O poder simbólico é uma forma
transformada ou mascarada de outras formas de poder, notadamente o poder
econômico e o político; todavia não se trata simplesmente de uma dominação
estritamente consciente, maniqueísta ou intencional.
A forma verbal “trata” está flexionada no singular para concordar com o
sujeito da oração, “uma dominação”; se este estivesse no plural,
dominações, a forma verbal deveria ser tratam.

Questão 21: Oficial de Chancelaria – MRE / 2008 / nível superior


Fragmento do texto: “A interpretação da nossa realidade com esquemas
alheios só contribui para tornar-nos cada vez mais desconhecidos, cada vez
menos livres, cada vez mais solitários.” Fomos “descobertos” ou reinventados
pelos colonizadores, que impuseram o sentido que mais lhes convinha à nossa
história. “Insistem em medir-nos com o metro que se medem a si mesmos” e
assim se consideram “civilizados” e a nós, “bárbaros”. “Insistem em medir-nos
com o metro que se medem a si mesmos” e assim se consideram
“civilizados” e a nós, “bárbaros”.
Seria correta a substituição da forma verbal ‘Insistem’ por Insiste-se, dado
que tanto a partícula se quanto a flexão do verbo na terceira pessoa do plural
são procedimentos legítimos de indeterminação do sujeito.

Questão 22: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Os participantes da COP-16 bem poderiam, para
avançar, inspirar-se na última reunião sobre biodiversidade, em outubro, em
Nagoia, Japão.
Em “inspirar-se”, a partícula “se” indica que o sujeito da oração é
indeterminado.

Questão 23: TCE-PE – 2004 –Auditor das Contas Públicas


Fragmento do texto: O filósofo Aristóteles considerava a “raça helênica”
superior aos outros povos. Mas até o Iluminismo, no século XVIII, a
humanidade não recorreu a teses raciais para justificar a escravidão —
tratava-se de uma decorrência natural das conquistas militares.
A flexão de singular em “tratava-se” (l.4) indica ser a “escravidão” (l.3)
“decorrência natural das conquistas militares” (l.4); se tal decorrência fossem
“teses raciais” (l.3), o verbo seria flexionado no plural: tratavam-se.

Questão 24: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Julgue o fragmento de texto apresentado no item abaixo quanto à
concordância verbal.
Na redação da peça exordial, deve haver indicações precisas quanto à
identificação das partes bem como do representante daquele que figurará no
polo ativo da eventual ação.

Questão 25: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: A companhia, que há quinze anos vende seus produtos
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 46
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
no Brasil por meio de importadoras, decidiu no ano passado abrir uma filial no
país.
A correção gramatical do texto seria mantida se o vocábulo “há” fosse
substituído por a.

Questão 26: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Está correta a concordância em: Os que defendem os direitos dos
trabalhadores afirmam que devem haver, em nosso país, leis que disponham
sobre as novas formas de trabalho autônomo e coíbam o estabelecimento de
relações informais de trabalho por aqueles que detém poder de oferecer
empregos.

Questão 27: TRT- RJ / 2008 / nível superior


Está correta a concordância em: Fazem bem mais de 50 anos que foi
promulgado, após muitas reivindicações dos trabalhadores, a CLT, mas ainda
se observa, no Brasil, que muitas empresas resistem a cumprir seus deveres
como empregadores de trabalhadores assalariados.

Questão 28: Delegado de Polícia - PB / 2009 / nível superior


Está gramaticalmente correta a frase:
Estávamos enganados: não só o mito da democracia racial a muito vem sendo
questionado, como não eramos, de forma alguma, imunes aos grandes fluxos
migratórios e as questões de ordem cultural envolvendo essa dinâmica da
população.

Questão 29: TCE - TO / 2009 / nível médio


Fragmento do texto: A fuga repetia-se, entretanto. Casos houve, ainda que
raros, em que o escravo de contrabando, apenas comprado no Valongo,
deitava a correr, sem conhecer as ruas da cidade.
No trecho “Casos houve, ainda que raros”, a forma verbal “houve” é
substituível por houveram, sem prejuízo para a correção gramatical e para o
sentido original do texto.

Questão 30: Detran - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Por um lado, congestionamentos crônicos, queda da
mobilidade e da acessibilidade, degradação das condições ambientais e altos
índices de acidentes de trânsito já constituem problemas graves em muitas
cidades brasileiras.
A ideia de que existem vários “problemas graves em muitas cidades
brasileiras” poderia ser expressa, sem prejuízo para o sentido, a coerência e a
correção do texto, por meio da inserção da forma verbal há antes de
“congestionamentos”.

Questão 31: Detran - ES / 2011 / nível médio


A forma verbal “constituem” está flexionada na terceira pessoa do plural para
concordar com “problemas graves”.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 47


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 32: TCE-TO – 2009 –Superior
Fragmento do texto: Antes tivera uma chapelaria, e as mulheres haviam
deixado de usar chapéus.
No trecho “e as mulheres haviam deixado de usar chapéus”, manteria a
correção gramatical e o sentido do texto a substituição de “haviam deixado”
por havia deixado.

Questão 33: TCE-AC – 2008 – Analista de Controle Externo


Fragmento do texto: Há de haver alguma; tudo depende das circunstâncias,
regra que tanto serve para o estilo como para a vida; palavra puxa palavra,
uma idéia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução;
alguns dizem mesmo que assim é que a natureza compôs as suas espécies.
(...)
Na expressão “Há de haver”, verifica-se o emprego impessoal do verbo haver
na forma “Há”.

Questão 34: PC - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Recentemente, a Coreia do Norte, mais uma vez,
atacou seus irmãos do Sul. Mesmo 65 anos depois do fim da Segunda Guerra
Mundial e do rateio do mundo entre comunistas e capitalistas, os coreanos
seguem presos aos dogmas de seus governos. O bombardeio ordenado por
Pyongyang atingiu uma ilha do país vizinho, matou duas pessoas e feriu pelo
menos dezoito. A justificativa do Norte foram manobras supostamente feitas
pelos sulistas em águas sob sua jurisdição.
A forma verbal “foram” (linha 6) exemplifica um caso em que o verbo está no
plural porque concorda com o predicativo.

Questão 35: TCE-TO – 2009 –Superior


Fragmento do texto: É fácil, hoje em dia, confundir as limitações crescentes
impostas ao Estado-nação com a construção de um espaço de livre circulação
dos indivíduos, promovido pelo movimento desembaraçado de mercadorias e
capitais.
O trecho “Esse horror não pode ser aplacado pela sociabilidade do mercado”
admite, sem prejuízo para a correção gramatical do texto, a seguinte reescrita:
A sociabilidade do mercado não pode aplacar esse horror.

Questão 36: TCE-AC – 2008 – Analista de Controle Externo


Fragmento do texto: Há de haver alguma; tudo depende das circunstâncias,
regra que tanto serve para o estilo como para a vida; palavra puxa palavra,
uma idéia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução;
alguns dizem mesmo que assim é que a natureza compôs as suas espécies.
(...)
No trecho “assim se faz um livro”, a expressão “um livro” exerce a função de
sujeito.

Questão 37: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Em novembro de 2003, o presidente da República
assinou o Decreto n.º 4.877, que estabelece, em seu artigo 2.º: “Consideram-
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 48
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
se remanescentes das comunidades dos quilombos, para os fins deste
decreto, os grupos étnico-raciais, segundo critérios de autoatribuição, com
trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com
presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão
histórica sofrida.”
Prejudica-se a correção gramatical do período ao se substituir ‘Consideram-se’
(linhas 2, 3) por São considerados.

Questão 38: Agente educacional - ES / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Já é tempo de ser tomada firme decisão política,
envolvendo permanente esforço de conscientização da coletividade no tocante
a um item tão importante ao presente e ao futuro da qualidade de vida
citadina, como é o caso do trato adequado com o lixo urbano.
Prejudica-se a correção gramatical do período ao se substituir “ser tomada”
por se tomar.

Questão 39: TRE - RS / 2006 / nível médio


Fragmento do texto:
Em 19 de junho de 1822, foi publicada a primeira lei eleitoral elaborada
no Brasil, por determinação de D. Pedro I. Essa lei tinha como objetivo
regulamentar a eleição de uma assembleia geral constituinte e legislativa, a
ser composta de deputados das províncias do Brasil.
As eleições para a assembleia constituinte realizaram-se após a
Proclamação da Independência e, em 25 de março de 1824, D. Pedro I
outorgou ao povo brasileiro sua primeira Constituição política.
As estruturas “foi publicada” e “realizaram-se” estão na voz passiva e
correspondem, respectivamente, a publicou-se e foram realizadas.

Questão 40: INCA / 2010 / nível superior


Fragmento do texto: O regime trabalhista, ao adotar estratégias de proteção
à saúde do trabalhador, institui mecanismos de monitoração dos indivíduos,
visando a evitar ou identificar precocemente os agravos à sua saúde, quando
produzidos ou desencadeados pelo exercício do trabalho.
Para se realçar “mecanismos de monitoração”, em vez de “regime
trabalhista”, poderia ser usada a voz passiva, escrevendo-se são instituídos
em vez de “institui”, sem que a coerência entre os argumentos e a correção
gramatical do texto fossem prejudicadas.

Questão 41: Cia de Saneamento Básico - ES / 2006 / nível Superior


Fragmento do texto: É sabido que, em se tratando de crimes que envolvam
computadores como meio, a coleta, a manipulação e o exame de provas sem
os devidos cuidados podem ocasionar a falta de integridade da prova.
A substituição de “É sabido” por Sabe-se não prejudica o sentido do período.

Questão 42: TRE - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: A Constituição brasileira (art. 45, caput) determina
que a representação dos estados na Câmara dos Deputados seja proporcional
à população. Entretanto, a seguir, estabelece piso e teto dessa representação
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 49
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
(oito e setenta deputados, respectivamente), que implicam a negação dessa
proporcionalidade.
Na linha 4, o anafórico “que” poderia ser substituído por o que, sem prejuízo
da coesão textual e da correção gramatical do período.

Questão 43: TRE - ES / 2011 / nível médio


Empregando-se a voz ativa e mantendo-se os tempos verbais empregados, o
trecho “O local das reuniões era a antiga cadeia pública, que, em 1808, havia
sido remodelada pelo vice-rei conde dos Arcos” seria, corretamente, reescrito
da seguinte forma: O local das reuniões era a antiga cadeia pública, que, em
1808, o vice-rei conde dos Arcos remodelou.

Questão 44: Detran - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: O Estado, o setor privado, os indivíduos, os processos
migratórios, o valor da terra urbana e a dinâmica da economia são fatores que
interagem de forma complexa, “produzindo” o meio urbano em que vivemos,
e, desse modo, gerando as necessidades de deslocamento das pessoas e dos
bens.
O trecho “são fatores que” poderia ser suprimido sem prejuízo da correção
gramatical e das relações semânticas do período, pois se manteria a
concordância da forma verbal “interagem” com o termo que exerce a função
de sujeito.

Questão 45: Detran - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: Contraposto aos sucessivos recordes de
congestionamentos nas grandes cidades brasileiras, esse resultado expõe as
fragilidades de um modelo de desenvolvimento e urbanização que privilegia o
transporte motorizado individual, prejudica a mobilidade e até a produtividade
das pessoas.
O trecho “o transporte motorizado individual” poderia, sem prejuízo à
coerência da argumentação, ser substituído por os transportes motorizados
individuais; contudo, para se preservar a correção gramatical do texto, seria
necessário flexionar a forma verbal “prejudica” na terceira pessoa do plural,
escrevendo-se prejudicam.

Questão 46: TRE - RS / 2006 / nível médio


Fragmento do texto: O primeiro código eleitoral a viger no Brasil chamava-
se Ordenações do Reino, as quais foram elaboradas em Portugal no fim da
Idade Média e utilizadas até 1828.
A substituição da estrutura “as quais foram elaboradas (...) e utilizadas” por o
qual foi elaborado (...) e utilizado altera as relações de concordância sem
provocar prejuízo para a coerência e a correção gramatical do período.

Questão 47: Cia de Saneamento Básico - ES / 2006 / nível superior


Fragmento do texto: Sem o trabalho dos peritos, a investigação policial fica
restrita à coleta de depoimentos e ao concurso de informantes, o que limita
suas possibilidades e torna perigosamente decisivos os interrogatórios dos
suspeitos.
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 50
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
As formas verbais “limita” e “torna” referem-se a “coleta de depoimentos e ao
concurso de informantes”.

Questão 48: TRE - MA / 2006 / nível superior


Fragmento do texto: Ser cidadão, perdoem-me os que cultuam o direito, é
ser como o Estado, é ser um indivíduo dotado de direitos que lhe permitem
não só se defrontar com o Estado, mas afrontar o Estado.
O sujeito gramatical da oração expressa pela forma verbal “perdoem” está
elíptico.

Questão 49: TRE - MA / 2006 / nível superior


Fragmento do texto: O indivíduo completo é aquele que tem a capacidade
de entender o mundo, a sua situação no mundo e que, se ainda não é
cidadão, sabe o que poderiam ser os seus direitos.
Caso a locução verbal “poderiam ser” estivesse no singular, haveria
concordância do verbo auxiliar com o sujeito da oração, expresso na forma
pronominal “o”, que a antecede.

Questão 50: TCE-ES – 2004–Controlador de Recursos Públicos


Fragmento do texto: Nossa identidade contemporânea nos remete para os
centros do capitalismo, permeada que está pela globalização liberal — pelo
grau maior ou menor em que conseguimos induzir os sintomas desse
fenômeno, como shopping centers, televisão a cabo, celulares —, mais do que
por sua inserção internacional, que nos faz ter um destino similar ao do resto
do continente ao qual estamos geográfica e historicamente integrados.
O emprego do singular em “faz” (l. 5) deve-se ao respeito às regras de
concordância com “Nossa identidade” (l.1).

Questão 51: TCE-TO – 2009 –Superior


No trecho “Um dia ele me disse que era uma pena”, o pronome “que” exerce a
função sintática de sujeito da oração.

Questão 52: TCE-AC – 2008 – Analista de Controle Externo


Fragmento do texto: Em geral, cinco fatores estão atuando, em escala
mundial, nessa crise: o aumento da produção subsidiada de biocombustíveis; o
incremento dos custos com a alta do petróleo, que chega a US$ 114 o barril, e
dos fertilizantes; o aumento do consumo em países como China, Índia e Brasil;
a seca e a quebra de safras em vários países; e a crise norte-americana, que
levou investidores a apostar no aumento dos preços de alimentos em fundos
de hedge.
No trecho “que levou investidores a apostar no aumento dos preços de
alimentos em fundos de hedge”, a substituição de “apostar” por apostarem
manteria a correção gramatical do texto.

Questão 53: TCE-PE – 2004 –Auditor das Contas Públicas


Fragmento do texto: A situação confusa e complexa dos habitantes do Brasil
durante os dois primeiros séculos do período colonial propiciava aos que
empunhavam a pena abordar, com firmeza e presunção, as questões relativas
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 51
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
à identidade colonial da região, à hierarquia fidalga dos poderosos e à
liderança político-econômica subalterna à metrópole.
A substituição da forma verbal “abordar” (l.3) pela correspondente no plural
abordarem configura transgressão à norma culta escrita formal.

Questão 54: TCE - TO / 2009 / nível médio


Fragmento do texto: Não consigo escrever. Dinheiro e propriedades, que
me dão sempre desejos violentos de mortandade e outras destruições, as
duas colunas mal impressas, caixilho, Dr. Gouveia, Moisés, homem da luz,
negociantes, políticos, diretor e secretário, tudo se move na minha cabeça,
como um bando de vermes em cima de uma coisa amarela, gorda e mole que
é, reparando-se bem, a cara balofa de Julião Tavares muito aumentada.
Os termos “amarela”, “gorda”, “mole”, “bem” e “balofa” qualificam os nomes
aos quais se referem.

Questão 55: MPOG / 2008 / nível superior


Fragmento do texto: Fazem parte dessa infraestrutura, entre outros, o
sistema bancário, hoteleiro, de telecomunicação, bem como aeroportos,
segurança.
Mantendo-se a correção gramatical e o sentido da sentença, no trecho “o
sistema bancário, hoteleiro, de telecomunicação”, a expressão sublinhada
poderia receber a flexão de plural: os sistemas.

Questão 56: Agente Polícia Federal / 2000 / nível superior


Fragmento do texto: Graças a essa especialização e priorização, foi possível
obter-se o elevado nível do potencial-de-liberdade que o final do século XX
oferece à humanidade.
De acordo com as regras de concordância nominal, o emprego do pronome
demonstrativo “essa” no singular indica que tal termo se refere apenas ao
substantivo “especialização” e não a “priorização”.

Questão 57: Detran - ES / 2011 / nível médio


Fragmento de texto: O modelo de desenvolvimento centrado no transporte
rodoviário provocou um desbalanceamento no transporte de pessoas e
mercadorias no país, com consequências negativas relevantes nos campos
energético e ambiental.
As especificações expressas por “energético” e “ambiental” justificam o
emprego do substantivo “campos”, no plural.

Questão 58: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Julgue os fragmentos de texto apresentados nos itens abaixo quanto à
concordância.
Se a palavra “brasileiros” fosse utilizada no feminino plural, no trecho “hoje há
32 milhões de brasileiros” deveria ser reescrito da seguinte forma: hoje há
trinta e duas milhões de brasileiras.

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 52


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
Questão 59: Agente da Polícia Federal / 2000 / nível superior
Fragmento do texto: E quais as condições objetivas para tornar sustentável
esse movimento de democratização crescente?
Se o substantivo “movimento” estivesse empregado no plural, também os
adjetivos “sustentável” e “crescente” precisariam estar no plural.

Questão 60: TRT - RJ / 2008 / nível superior


Está correta a concordância em: Grande parte dos grandes empresários
relutou em considerar ilegal ou informal, apesar das evidências em contrário,
as relações de trabalho que eles mantêm com os chamados novos autônomos.

Questão 61: SEGER - ES / 2011 / nível superior


Fragmento de texto: Assim, a busca por cortes em gastos públicos será
ainda mais urgente.
Seriam mantidas a coerência entre os argumentos e a correção gramatical do
texto, ainda que se perdesse a ideia de busca, caso se optasse por escrever
os cortes no lugar de “a busca por cortes”.

Questão 62: TRE - ES / 2011 / nível médio


Julgue a frase abaixo com referência à correção gramatical.
Reforçado por 1,6 milhão de assinaturas colhidas em todo o país, tendo
o eleitorado de Minas liderado a participação popular, a Lei da Ficha Limpa
tornou-se o marco de um novo posicionamento da sociedade em relação da
moralização da administração pública.

Questão 63: TCE-TO – 2009 –Superior


Fragmento do texto: É fácil, hoje em dia, confundir as limitações crescentes
impostas ao Estado-nação com a construção de um espaço de livre circulação
dos indivíduos, promovido pelo movimento desembaraçado de mercadorias e
capitais.
No trecho “promovido pelo movimento desembaraçado de mercadorias e
capitais”, manteria a correção gramatical e o sentido original do texto a
substituição de “promovido” por promovidos.

Questão 64: TCE-PE – 2004 –Auditor das Contas Públicas


Fragmento do texto: Não é possível pensar sem lembrar — e são os livros
que ainda preservam a maior parte da nossa herança cultural. Finalmente, e
este motivo está relacionado ao anterior, eu diria que uma democracia
depende de pessoas capazes de pensar por si próprias. E ninguém faz isso sem
ler.
Na linha 4, mantém-se a coerência textual com o emprego do coletivo gente
em lugar de “pessoas”, mas será obrigatória a substituição do plural nos
adjetivos “capazes” e “próprias” para que seja preservada a correção
gramatical.

Questão 65: TCE-PE – 2004 –Analista de Sistema


Fragmento do texto: Pesquisas baseadas nesse tipo de definição estimam

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 53


PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
que uma fração entre um terço e metade da população brasileira possa ser
considerada pobre. Essa é uma definição “forte”; e estimativas subjetivas de
linhas de pobreza demonstram que boa parte da população brasileira ainda
consideraria insuficientes as rendas de famílias que se encontram em níveis
superiores aos usados como linha de pobreza nessas pesquisas.
Considerando que a flexão de singular preserva a coerência textual na
substituição de “as rendas” (l.5) pelo seu correspondente singular, seria
também preservada a correção gramatical com essa substituição.

Questão 66: TRE - PA / 2007 / nível superior


Fragmento do texto: A justiça eleitoral mineira mantém o projeto Justiça
Eleitoral na Escola, voltado para crianças e adolescentes, com o objetivo de
contribuir para a conscientização acerca da importância do voto e de suas
consequências no campo da participação democrática e da construção da
cidadania.
A passagem “acerca da importância do voto e de suas consequências”
completa o sentido de “objetivo”.

Questão 67: INCA / 2010 / nível médio


O emprego de vírgula após “anos”, em “Nos próximos anos, a questão da
melhoria da qualidade do ensino deve ser uma obrigação dos governantes”,
justifica-se por isolar termo adverbial, com noção de tempo, deslocado do
final para o começo do período.

Questão 68: Agente educacional - ES / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: O Cinema Novo, a partir de 1954, inspirou-se no
Neorrealismo da Itália e na Nouvelle Vague da França.
O emprego de vírgula logo após “Novo” justifica-se por isolar aposto
explicativo.

Questão 69: TRT - RJ / 2008 / nível médio


Fragmento do texto: Em outra frente, a Campanha Global de Ação contra a
Pobreza — uma aliança internacional de sindicatos, grupos comunitários,
religiosos e organizações que trabalham pelo fim das desigualdades — anuncia
a mobilização anual do movimento Levante-se e Faça a Sua Parte, uma
ação mundial no dia Internacional pela Erradicação da Pobreza.
O emprego de vírgula logo após “frente” justifica-se por isolar adjunto
adverbial anteposto.

Questão 70: TRT - RJ / 2008 / nível médio


Fragmento do texto: No momento em que as Nações Unidas promovem
reunião de alto nível para revitalizar os Objetivos de Desenvolvimento do
Milênio e a nação mais poderosa do mundo busca o caminho para enfrentar a
bancarrota de meia dúzia de empresas com US$ 900 bilhões, milhares de
organizações não-governamentais estão lançando a campanha Em Meu
Nome, que é destinada a mobilizar a cidadania contra a pobreza.
Sem prejuízo para a correção gramatical e para o sentido original do texto, o
termo “com US$ 900 bilhões” poderia ocupar, entre vírgulas, a posição
Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 54
PORTUGUÊS P/ POLÍCIA FEDERAL - (TEORIA E QUESTÕES COMENTADAS)
PROFESSOR TERROR
imediatamente após a preposição “para”(linha 3).

Questão 71: Caixa Econômica Federal / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Entre os integrantes dos BRICs, o Brasil é o que tem,
de longe, o maior mercado de azeite: o consumo deverá atingir 50.000
toneladas em 2010. Como o país tem forte influência espanhola, italiana e
portuguesa (os mais importantes produtores mundiais), o hábito de usar o
óleo em pizzas e saladas é mais comum do que nos outros do grupo — e as
empresas do ramo praticamente não mudam suas táticas de venda no
mercado brasileiro.
A conjunção “Como” introduz oração que expressa um fato que está em
conformidade com a ideia apresentada no período que a antecede.

Questão 72: Agente educacional - ES / 2010 / nível médio


Fragmento do texto: Apesar de as esculturas de Aleijadinho, do século
XVIII, terem fisionomia mestiça, esse era um artista barroco, com influência
europeia.
Caso se substitua “Apesar de” por Embora, é necessário também substituir
“terem” por tenham, de forma a assegurar a correção gramatical do período.

GABARITO

1. E 2. E 3. E 4. E 5. E
6. C 7. E 8. E 9. E 10. C
11. E 12. E 13. C 14. E 15. C
16. C 17. C 18. C 19. C 20. E
21. E 22. E 23. E 24. C 25. E
26. E 27. E 28. E 29. E 30. E
31. E 32. E 33. E 34. C 35. C
36. C 37. E 38. E 39. C 40. E
41. C 42. E 43. E 44. C 45. E
46. C 47. E 48. E 49. E 50. E
51. E 52. C 53. E 54. E 55. C
56. E 57. C 58. E 59. E 60. E
61. E 62. E 63. E 64. C 65. E
66. E 67. C 68. E 69. C 70. C
71. E 72. C

Prof. Décio Terror www.pontodosconcursos.com.br 55