Você está na página 1de 3

4 tendências que vão guiar o mercado de serviços em 2017FAVORITO

EMPREENDEDORISMO › 4 TENDÊNCIAS QUE VÃO GUIAR O MERCADO DE SERVIÇOS EM


2017

Você conhece bem os efeitos da economia circular? Já ouviu falar nos chatbots? É adepto do
trabalho remoto? Se quiser aproveitar oportunidades no setor de serviços em 2017, é melhor
ir se familiarizando com tudo isso.

As tendências de negócios são como grandes ondas. Para vê-las se formando, é preciso olhar
para além do horizonte mais próximo, o que vem vindo logo ali na frente, no que algumas
pessoas chamam de futuro. Quanto antes puder enxergá-la, mais tempo você tem de se
preparar para surfar essa onda.

Curioso para saber quais são as previsões de 2017 para o setor de serviços? Force bem a vista
para enxergar logo à frente e você vai ver que algumas ondas já estão mais próximas do que
parece.

1. Novas relações de consumo sustentável

A sustentabilidade já deixou de ser tendência para se tornar regra do jogo há alguns anos.
Porém, fenômenos como a economia compartilhada e o consumo peer-to-peer redefiniram
radicalmente a relação dos consumidores com o uso dos produtos e a tolerância ao
desperdício. A mentalidade da posse foi substituída aos poucos pela do acesso.

Como o relatório da TrendWatching ilustra, o consumidor prefere pagar para ter acesso a um
serviço de streaming de música, como o Spotify, para usar um serviço de caronas, como o
Uber, ou ainda, pagar pelo uso de um espaço de coworking, como o Impact Hub. Além disso,
aplicativos como o Moda Livre indicam para o consumidor quais são as marcas que fazem uso
de trabalho escravo na produção têxtil.

Antigamente, as marcas mais mal vistas pelos consumidores estavam ligadas às indústrias de
cigarro, por exemplo, em que o produto estava no centro da discussão. Hoje, o modo como
algo é produzido, independentemente do setor, também ganha seus próprios holofotes.
Assim, aumenta-se a preocupação com o impacto ambiental e social de um negócio, com o
descarte do que é consumido e também com a eficiência energética da produção.

Um bom exemplo de organização que transformou essa tendência em core do negócio é a


Wise Waste, empresa de reciclagem de resíduos complexos como cápsulas de café e
embalagens metalizadas. Por meio do design circular, a startup oferece serviços para grandes
marcas como P&G, Natura e Nestlé. E os números falam por si só: de 2015 para 2016, a startup
dobrou de tamanho e espera crescer seis vezes no próximo ano.

2. Novas relações de trabalho

Se trabalho um dia já foi sinônimo de tortura, hoje é espaço de realização. A relação de cada
indivíduo com a própria carreira e o local onde trabalha mudaram radicalmente nos últimos
anos, especialmente com o aumento da presença dos millennials nas organizações. É por isso
que os empreendedores mais atentos — e seus times de Gente e Gestão — procuram serviços
e soluções que estejam alinhados com essa nova relação entre funcionários, empresas e
líderes.

Segundo o relatório da Deloitte que prevê disrupções para 2017, isso significa dar uma ênfase
maior em ferramentas colaborativas de gestão e comunicação, como Trello e o Slack, além de
repensar o modo como as organizações mensuram a performance, fazem a gestão dos planos
de carreira e incentivam o aprendizado individual contínuo do time.

A Qulture Rocks, por exemplo, é uma plataforma brasileira que une feedbacks instantâneos,
gestão de metas ágeis e avaliações de talentos para facilitar a gestão de talentos das
empresas. Francisco de Mello, fundador da startup, se inspirou nas práticas de empresas como
Google, AB InBev, Adobe, e General Electric para oferecer uma solução para o mercado que
ele mesmo sempre buscou: um sistema que ajude as empresas a criarem times de alta
performance.

Já a Pin People, também apostou nesse mercado para criar uma plataforma online que une
talentos e empresas pela combinação de afinidades, cultura, valores e propósito. Um
verdadeiro Tinder para recrutamento e seleção!

Esse universo de serviços para gestão e RH é um espaço de oportunidades infinitas! E se você


adicionar nessa conta a tendência ao trabalho remoto vai se deparar com um verdadeiro
oceano azul, em que a necessidade de novos negócios cresce na velocidade de transformação
dos ambientes de trabalho.

3. Novos usos de serviços de tecnologia

“Negócios voltados para tecnologia não deveriam servir apenas analistas de TI e pessoas que
sentam atrás de um computador o dia todo. Este ano, nós vemos uma grande onda de
inovação nas indústrias mais tradicionais onde os negócios ainda são geridos pelo papel.” Essa
é a previsão de Stacey Epstein, fundadora do aplicativo de mensagens Zinc. E que nós já vemos
indícios da formação dessa onda aqui no Brasil.

Exemplo dessa tendência é o crescimento de serviços de gestão financeira como o GuiaBolso e


de contabilidade online como a Contabilizei, ambos apoiados pela Endeavor desde o ano
passado. Um outro exemplo de empresa da rede Endeavor, o dr.consulta, faz uso da
tecnologia para automatizar o serviço de agendamento e confirmação de consultas e exames
pelo e-mail e SMS, otimizando o próprio serviço e melhorando a experiência dos
consumidores.

4. Novos serviços personalizados entregues em larga escala

A antiga abordagem de “um-tamanho-serve-todos” (one-size-fits-all) perde a força, quando os


consumidores passam a ser cada vez mais aversos a comunicações genéricas, serviços
padronizados e respostas protocolares. Mesmo que seu mercado seja pequeno, cada
consumidor deve sentir que as suas soluções se encaixam perfeitamente com o que ele busca.
Estreite o seu foco, contrate especialistas e dê aos consumidores aquilo que eles precisam – no
timing e na dose certas.

Mas, como manter a personalização sem perder escala?

Aproveite todo ponto de contato da sua marca para coletar dados sobre os seus
consumidores. Pode ser o aumento de interesse por um serviço que você oferece, uma
pesquisa de satisfação que entenda melhor a jornada de consumo ou até uma análise
aprofundada do perfil de clientes que você já atendeu, indo além do demográfico para as
motivações, estilo de vida e necessidades.

Para escalar o atendimento ao cliente, sem sobrecarregar o time, invista em chatbots que
respondem em tempo real aos consumidores, a qualquer hora do dia, de maneira inteligente.
Um outro exemplo de serviço oferecido sob medida, apesar da larga escala, são as
Descobertas da Semana do Spotify, o algoritmo de recomendações da Amazon e as sugestões
de séries do Netflix.

Parece muito distante da realidade da sua empresa? Comece a personalização dando


inteligência à sua base de e-mails: enriquecimento de leads, novas segmentações mais
apuradas e criação de Landing Pages com campos que te oferecem mais informações sobre o
consumidor são uma maneira simples de começar a colher dados e gerar comunicações
personalizadas.

No momento em que você acerta na entrega de soluções que combinam perfeitamente com a
necessidade do seu consumidor, a resposta dele é imediata: recomendar a sua empresa para a
própria rede de amigos e contatos.

Essas são algumas tendências que já despontam no horizonte do mercado de serviços nesse
ano que acabou de começar. O grande desafio para o empreendedor é saber para onde
canalizar os esforços. É se antecipar a certos movimentos para que, quando eles ganharem
força, você se fortaleça também.

Se você empreende no setor ou tem a intenção de se arriscar, acompanhe essas e outras


tendências para 2017 com apenas uma ideia em mente: como usar esses movimentos culturais
e sociais para criar serviços inovadores que encantem o consumidor?

Comece com uma ferramenta simples: o Job to be Done. E descubra qual é o trabalho que
você deseja executar para os seus consumidores, e que eles estão dispostos a pagar para ter.

Leia mais em Endeavor @ https://endeavor.org.br/4-tendencias-que-vao-guiar-o-mercado-de-


servicos-em-
2017/?utm_campaign=empreendedores_news_06022017&utm_medium=email&utm_source=
RD+Station