Você está na página 1de 8

CARACTERÍSTICAS DO DESENVOLVIMENTO CARACTERÍSTICAS DO DESENVOLVIMENTO

Multifatorial Individual
 Desenvolvimento ocorre como resultado de  Embora exista uma tendência nos padrões de
múltiplos fatores interagindo juntos. desenvolvimento, a mudança é única para cada pessoa.

A velocidade da mudança varia entre as pessoas

Mudanças ocorrem conforme as características


individuais e as condições ambientais
Fatores isolados não
causamdesenvolvimento

13 14

(PAYNE; ISAACS, 2007) (PAYNE; ISAACS, 2007)

CARACTERÍSTICAS DO DESENVOLVIMENTO CARACTERÍSTICAS DO DESENVOLVIMENTO


Continuidade Vs. Descontinuidade Continuidade Vs. Descontinuidade

 Continuidade:  Descontinuidade:
• Mudanças estruturais e organizacionais
• Alterações nos movimentos existentes • Emergência de novas formas de movimento
• Refinamento de habilidades • Dimensões qualitativas
• Dimensões quantitativas

COMPORTAMENTO MOTOR
DESAFÍOS DA ÁREA Teorias
 TEORIA:
 Entender o PROCESSO que leva a Uma teoria é um conjunto de princípios cientificamente
aceitáveis oferecido para explicar um fenômeno.
mudanças no comportamento;

 Propiciar, quando necessário,


INTERVENÇÃO e/ou ESTIMULAÇÃO
apropriada.
7 18

(SHUNK,2004)

3
NEUROPSICOMOTOR MOTOR
DESENVOLVIMENTO
TEORIAS DO
Teorias: Behaviorismo
 Escola do behaviorismo foi fundada por
John B. Watson (1878‐1968)

 Afirmava que o ambiente e seus efeitos associados eram os


únicos determinantes da aprendizagem
(GAZZANIGA; HEATHERTON,2005)

 Comportamento é entendido como probabilidade de


respostas desenvolvidas com o aumento de associações E‐R

20
TEORIA ESTÍMULO‐RESPOSTA (GUEDES,2001)

Teorias: Behaviorismo  Ivan Pavlov (1849‐1936):

 Condicionamento Clássico:
Quais os mecanismos básicos(processos)
responsáveis pela aprendizagem?
Quais os mecanismos básicos (processos)
responsáveis pela aprendizagem?

Condicionamento
Clássico

CONDICIONAMENTO
Condicionamento 21
Operante
(GAZZANIGA; HEATHERTON,2005)

TEORIAS DE APRENDIZAGEM E CONTROLE MOTOR


Behaviorismo
Condicionamento Operante

 Burrhus Frederic Skinner (1904‐1990):

Reforço:
Estímulo que ocorre após uma resposta e aumenta a
probabilidade desta resposta ser repetida.

ReforçoPositivo:
Aumento da probabilidade de um comportamento ser
repetido após a administração de um estímulo agradável.

23

4
STILL FACE

COMPORTAMENTO MOTOR
Teorias: Visão Maturacionista
 A perspectiva maturacionista emergiu por volta da década
de 1930.

 Teve em Arnold Gesell (1880‐1961) um de seus mais


importantes pesquisadores e defensores.

Por ter sido muito bemfundamentada,


influenciou muito e por muito tempo a
área de desenvolvimento.

45

COMPORTAMENTO MOTOR COMPORTAMENTO MOTOR


Teorias: Visão Maturacionista Teorias: Visão Maturacionista
 Os dois pilares da perspectiva maturacionista são:  Qual o papel o ambiente, aprendizagem e/ou treinamento
nestateoria?
Os fatores ambientais suportavam, inflectiam (modificavam
a orientação) e modificavam, mas não geravam as
Universalidade Intransitividade progressões do desenvolvimento.
Da mesma forma, Gesell até reconhecia que o treinamento
possuía alguma influência, mas de acordo com ele o
treinamento não transcendia a maturação.
Todos apresentam uma Não háalteração
sequência de aparecimento nesta sequência
dos padrões motores de
comportamento O sistema nervoso é o responsável por dominar,
47 48
integrar e elaborar o padrão comportamental.
(GESELL, 1933/1967; 1939) (GESELL, 1933/1967; 1939)

8
COMPORTAMENTO MOTOR COMPORTAMENTO MOTOR
Teorias: Visão Maturacionista Teorias: Visão Maturacionista
 Neste sentido...  Nem todos estavamtotalmente convencidos com as
explicações da teoria maturacionista...
O SN cresce de acordo com o seu próprio padrão
intrínseco e, portanto, estabelece a forma primária de Durante muitos anos ninguém foi capaz de nega‐la.
comportamento.
Estas formas não são determinadas por estimulação do
mundo. Talvez quem tenha chegado mais próximo disto na época
tenha sido Myrtle B. McGraw (1899‐1988).
Experiência não influencia estas formas.

... a arquitetura dos mecanismos deve ser um produto de


crescimentodeterminadopelos genes. Famoso estudo de Johnny e
49 0
Jimmy, que foi publicado em
(GESELL,1933/1967)
1935. (McGRAW, 1939)

COMPORTAMENTO MOTOR COMPORTAMENTO MOTOR


Teorias: Visão Maturacionista Teorias: Visão Maturacionista
 Estudo de Jimmy e Johnny (McGraw, 1939)  Estudo de Jimmy e Johnny (McGraw, 1939)
Estudo longitudinal
Após 22 meses, Jimmy realizou um período de 2,5 meses
Dois irmãos gêmeosidênticos foram observados de prática intensiva (mesmas atividades que Johnny
durante os primeiros 22 mesesdevida realizou anteriormente).
Bebês compareciam ao laboratório 5 dias por
semana, das 9h às 17h Resultados:
Neste período: Johnny era estimulado Embora McGraw tenha observado diferenças na personalidade
Jimmy permanecia em um e na atitude dos gêmeos, nenhuma diferença quantitativa
berço com poucos
brinquedos significativa foi encontrada nas tarefas motoras avaliadas.
52

(McGRAW,1939)
(McGRAW,1939)

COMPORTAMENTO MOTOR COMPORTAMENTO MOTOR


Teorias: Visão Maturacionista Teorias: Visão Maturacionista
 Estudo de Jimmy e Johnny (McGraw, 1939)  Diante do grande período em que a teoria maturacionista
foi soberana na área de desenvolvimento motor, não há
A grande oportunidade de derrubar a proposta como...
maturacionista contribuiu para fortalecer ainda mais
• Negar a competência com que esta proposta foi
esta proposta. construída e fundamentada pelos seus idealizadores
e/ou seguidores ao longo de vários anos de estudos.
(GESELL,1933/1967; 1939; McGRAW, 1932; 1939; SHIRLEY, 1931;
1967).

• Negligenciar ou desdenhar as contribuições, positivas


ou negativas, da teoria maturacionista para o
53 entendimento do desenvolvimento humano.

(McGRAW,1939) (THELEN; ADOLPH, 1994)

9
VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA
 THELEN; FISHER; RIDLEY‐JOHNSON  A partir deste e de outros estudos, a visão dinâmica
(1984):
passou a ganhar forma, culminando em uma proposta
DISCUSSÃO maisorganizadana década de 1990.

• A Resposta de passada é limitada pela força muscular.  Os principais pressupostos desta Visão Dinâmica serão
apresentados a seguir...

Isto argumenta contra a possibilidade de


que os bebês mais velhos são simplesmente
31
neurologicamente mais maduros
(THELEN; FISHER; RIDLEY‐JOHNSON, 1984)

VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA


PRINCÍPIOS PRINCÍPIOS

 Sistemas Dinâmicos  Complexidade


Sistemas que mudamao longo do tempo. Sistema que possui muitos elementos e no qual estes
elementos apresentam muitas relações .

33 34

(BARELA,1997; 2001; KELSO, 1995) (BARELA,1997; 2001 ; KELSO, 1995)

VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA


PRINCÍPIOS PRINCÍPIOS

 Multicausalidade  Sistema Abertos


O comportamento não é resultado de algum ou alguns
Sistemas que interagem com o ambiente em que estão
componentes, mas sim, da interação dinâmica de
inseridos.
todos os componentes.

Interação é caracterizada pela constante troca de energia


necessária para a realização de toda e qualquer ação.
35 36

(BARELA, 1997; 2001; 2006; ; KELSO, 1995; THELEN, 1995a) (BARELA, 1997; 2001 ; KELSO, 1995)

6
VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA
Princípios: Restrições Princípios: Restrições

Restrições do ORGANISMO Restrições do ORGANISMO

 Exemplos:  Exemplos: Proporção Corporal


PacientesHemiplégicos

Perda ou reduçãodo
controle de
Lado movimento no lado
não‐afetado contrário

Danos unilaterais nos


neurônios motores corticais
(GALLAHUE; OZMUN, 2005; HAYWOOD; GETCHELL, 2004)

VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA


Princípios: Restrições Princípios: Restrições

Restrições do ORGANISMO Restrições do AMBIENTE


Prematuridade e
 Exemplos: Baixo Peso  Fatores relacionados ao ambiente:

Desordens FÍSICAS e SÓCIO‐CULTURAIS


Alimentares • força da gravidade • esportesdominantes
• temperatura • padrõeslocomotores
• tipo de piso
(HUSBY et al.,2013;
LANGAAS et al., 1998;
MAGALHÃES et al., 2003)

45
Obesidade
6)
(GALLAHUE; OZMUN, 2005; GALLAHUE; OZMUN; GOODWAY, 2013)

VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA


Princípios: Restrições Princípios: Restrições

Restrições do AMBIENTE Restrições da TAREFA

 Exemplos: Ambiente Aquático  Fatores relacionados à tarefa:

Água altera o peso ESPECIFICIDADES DA TAREFA e IMPLEMENTOS NECESSÁRIOS


aparente dos bebês
(MUDANÇA DO • relação entre segmentos
AMBIENTE)
• padrão de movimento
• exigência na performance
Bebês conseguem
48
levantar a perna • precisão
(THELEN; FISHER; RIDLEY‐JOHNSON, 1984) (NEWELL, 1986)

8
VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA
Origem dos Movimentos Origem dos Movimentos

PERÍODO PRÉ‐ADAPTATIVO APENASMOTOR? NÃO

 Com base nos movimentos reflexos/reflexivos, os  Mas precisam refinar a relação entre...
movimentos começama ser realizados
o querealizam
 Principal objetivo: adquirir movimentos e controlados!
Percepção

Aprender a Aprender a “lidar”com


controlar a as forças atuandono
musculatura!!! corpo (gravidade, etc.) e as informações
Ação
sensoriais resultantes
Prática e repetição são cruciais!! (CLARK,1994;
dessa ação/meio
2007) (BARELA, 2006; CLARK,1994)

VISÃO DINÂMICA VISÃO DINÂMICA


Causa das Mudanças Causa das Mudanças  Descobrir novas configurações
entre as ações realizadas e as
ORGANISMO consequências sensoriais
MUDANÇAS NOCONJUNTO DE decorrentes destas ações
RESTRIÇÕES  Refinar estas configurações

 Constituiçãofísica COMPORTAMENTO
Ação
ORGANISMO  Desenvolvimento MOTOR
sensorial
Ciclos repetitivos entre
 Motivação
ação‐percepção …
 Intenção AMBIENTE TAREFA
COMPORTAMENTO
MOTOR Percepção
PRÁTICA deve ser utilizada para
explorar o mundoe aprender suas
(novas) propriedades.
AMBIENTE TAREFA (BARELA, 2006; CLARK,1994) (BARELA, 2006; CLARK,1994)

VISÃO DINÂMICA PERCEPÇÃO‐AÇÃO


Percepção‐Ação Quando é adquirida?

QUESTÕES: Quando a informação sensorial começa a


ser utilizada pelas crianças?
 Quando a relação percepção‐ação é adquirida?

 Ela pode ser alterada por meio de intervenção ou

experiência?

Se sim, isto também ocorre em populações especiais?

NASCIMENTO !!

2
EFEITO DA PRÁTICA QUAL O NOSSO PAPEL?
SERES ATIVOS
TAREFA ouPRÁTICA
é o motor propulsordo  Mudanças são decorrentes do aprendizado em utilizar
desenvolvimento... o “novo” conjunto de restrições

Ação

Provocando alterações internas fortalecendo … engajar apessoa nesse


aprendizado Percepção
estruturas responsáveis pelo relacionamento
realizar o movimento ereceber
entre a ação motora e asinformações sensoriais 31 informações sensoriais 32
decorrentes desta ação
(PELLEGRINI; BARELA, 1998)

ORGANISMO

QUAL O NOSSO PAPEL? QUAL O NOSSOPAPEL? COMPORTAMENTO


MOTOR

PROMOTOR DE ATIVIDADES MANIPULADOR DERESTRIÇÕES AMBIENTE TAREFA

 Criar oportunidades e condições para que o  Manipular fatores da tarefa e/ou do ambiente para
aluno/paciente vivencie e realize ações motoras (e favorecer/dificultar a realização da tarefa
sensoriais
Ação ... criar as condições IDEAIS parao
Ciclo Percepção‐Ação ciclo percepção‐ação
Ação
Percepção
Percepção
... ADAPTAR AS CONDIÇÕES ...
(PELLEGRINI; BARELA, 1998) (PELLEGRINI; BARELA, 1998)

Ação

QUAL O NOSSO PAPEL? QUAL O NOSSOPAPEL? Percepção

MOTIVADOR FORNECEDOR DE INFORMAÇÃO

 Motivação ou predisposição para realizar uma  Informação de como fazer


atividade é muito importante e deve ser entendida  Informação do que foifeito
como uma restrição ORGANISMO

QUAL A
COMPORTAMENTO Muitas informações INFORMAÇÃO
Ação MOTOR disponíveis...
RELEVANTE?
AMBIENTE TAREFA

Percepção
(PELLEGRINI; BARELA, 1998) (PELLEGRINI; BARELA, 1998)