Você está na página 1de 3

5 Passos para lidar com o choro das crianças no período de adaptação

escolar.

Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no


FacebookCompartilhar com o Pinterest

Hoje recebi um recadinho angustiado de uma professora


em relação à adaptação das crianças. Algumas choram
muito e outra gosta de morder os coleguinhas. Já
publicamos o artigo sobre Como lidar com as mordidas
em sala de aula? que pode ser visto clicando
acima Falando das mordidas vamos ao choro.
5 Passos para lidar com o choro das crianças no período de
adaptação escolar.

Primeiro : É preciso fazer um levantamento junto aos pais


de quais são as preferências da criança, o que a deixa
calma e se ela costuma usar o choro como forma de
expressão ou isso acontece apenas no ambiente escolar.
Saber também se a criança está lidando com uma situação
nova que pode causar-lhe insegurança é uma boa medida a
se tomar. Algumas crianças costumam alterar o
comportamento na hora de ir para escola por ansiedade ou
medo de ser abandonado devido a algum problema
familiar que vem enfentando e/ou presenciando. Ainda
pode ser que a mãe transmita para ele a ansiedade e a
sensação de que a escola não é um lugar seguro apenas na
expressão de seu rosto ou no acalanto de seus braços,
tornando- assim a criança extremamente dependente de
sua presença.

Segundo : Pedir o auxílio dos pais neste momento e


orientá-los em relação a insegurança que acabam passando
para a criança é crucial para inciar um bom trabalho.
Oriente-os também a chegar no horário e não atrasar para
pegar a criança, pois esta atitude pode passar a impressão
de que foi abandonada.
É fundamental , também, pedir que os pais conversem
com a criança mostrando uma imagem positiva da escola
falando-lhe como pode ser legal ter novos amigos para
brincar, músicas legais para ouvir e uma professora que
vai cuidar dele muito bem até a hora de voltar para casa.
Muito importante também é orientá-los sobre nunca levar
a criança de volta para casa ou ficar com cara de choro na
frente dela, e estimulá-la no dia a dia a expressar-se por
palavras, caso isso seja possível. Muitos pais e professores
acabam por castrar o desenvolvimento da criança
impedindo que ela aprenda a expressar-se por palavras
quando no primeiro choro entregá-lhe o tudo que supõe
que ela deseje a fim de vê-la sorrir novamente.

Terceiro: Torne a sala de aula um ambiente agradável


para a criança, com música suave livros e brinquedos ao
alcance das mãos. Erramos muito ao utilizar em tempo
integral músicas agitadas não oferencendo aos alunos a
opção de um momento de tranquilidade.
Quarto: Procure identificar o choro da criança. Ela pode
chorar por birra, por medo, por insegurança, por
irritabilidade, cansaço, sede . Identificando os tipos de
choro seu trabalho será facilitado fazendo com que ofereça
um atendimento especializado para a criança tendo em
vista suas fases de desenvolvimento e identificando sua
forma de expressão para ajudá-la ao longo do ano a
expressar-se também de outras maneiras.
Quinto: Procure não ser técnica demais ou emotiva
demais. Sempre que a criança chorar ajude-a de modo
eficaz nunca oferecendo-lhe algo em troca do silêncio ou
ficando irritada. Tenha paciência e ganhe-lhe a confiança.
Se for preciso um bom colo pode ajudar, desde que não
passe todo o período apenas com uma criança nos braços.
Lembre-se que há outros precisando de sua atenção. E, em
todo tempo esteja motivada e preparada para lidar com a
situação como verdadeiro profissional que é, acreditando
em seu potencial, conhecendo as fases de desenvolvimento
da criança e orientando os pais sobre as medidas a serem
tomadas para auxiliar seus filhos no período de adaptação
não esquecendo de frizar que este é apenas um período
pelo qual a criança poderá passar com tranquilidade e
"amadurecer" aprendendo a ser mais segura através de
experiências positivas ou permanecer extremamente
dependente dos pais e insegura por falta de seu auxílio .
Deixe claro que se a intenção é fazer o melhor pela
criança, esse melhor é deixar que aprenda brincando em
diversos ambientes, sendo um deles a escola.

Gi Barbosa Carvalho

Interesses relacionados