Você está na página 1de 8

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CURSO: ENGENHARIA CIVIL

CLEUMAR ALVES
FERNANDO CÉSAR
FLÁVIO ALVES
JOÃO PAULO
MAYRA PEREIRA

PATOLOGIAS EM MARQUISES

TERESINA
2018
Ao senhor JOÃO MACEDO LIMA JÚNIOR professor mestre do centro
universitário UNINOVAFAPI.

O presente laudo serve como avaliação de disciplina de tópicos


integradores 9° período do curso de engenharia civil, no primeiro semestre de
2018.

Trata-se de avaliação de exemplos de lajes escolhidos no centro de


Teresina através de relatório fotográfico. Avaliando-se a integridade e
investigando possíveis patologias que comprometam a estrutura em sua
utilidade e resistência aos esforços envolvidos.

Laudo pericial do tipo relatório fotográfico.

LOCAL:

As duas marquises visitadas encontram-se no centro da cidade de


Teresina.

 Primeira marquise visitada: Rua David Caldas com Coelho Rodrigues;


 Segunda marquise visitada: Rua 13 de maio com Coelho Rodrigues.

LAJE 01 :

 Laje em concreto armado engastada na fachada principal;


 Rebocada e pintada;
 Disposição geral: a marquise apresenta-se sobre a calçada, segue por
toda fachada do edifício, o qual está locado na esquina dando formato
de um “L” a marquise;
 Seção retangular da marquise se prolonga ao redor do edifício;
 Suas dimensões podem ser estimadas pela calçada já que a marquise
se prolonga até o limite desta, o seu padrão é entorno de 1,50 m de
largura;
 Projeto e execução desconhecido.
LAJE 02:

A marquise dois apresenta características semelhantes à primeira


analisada:

 Laje em concreto armado engastada na fachada principal;

 Rebocada e pintada;

 Disposição geral: a marquise apresenta-se sobre a calçada, segue por


toda fachada do edifício, o qual está locado na esquina dando formato
de um “L” a marquise;

 Seção retangular da marquise se prolonga ao redor do edifício;

 Suas dimensões podem ser estimadas pela calçada já que a marquise


se prolonga até o limite desta, o seu padrão é entorno de 1,50 m de
largura;

 Projeto e execução desconhecido.

VISTORIA:

De acordo com a visita a LAJE 1 e LAJE 2 , pode-se destacar algumas


patologias que podem a vir a contribuir para perda do desempenho de
resistência da estrutura, chegando até mesmo a sua futura ruína.

LAJE 01:

 A mesma apresenta sinais de deterioração do revestimento com


exposição da armadura;
 Armadura segundo verificação visual sofrendo processo de corrosão;
 O reboco aparentemente feito com massará, pode indicar corrosão por
salitre;
 Algumas manchas que caracterizam infiltração foram verificada;
 Além de um possível sobrepeso pela fixação de elementos de
publicidade.
LAJE 02:

 A mesma apresenta sinais de deterioração do revestimento mais sem


exposição da armadura;
 Algumas manchas que caracterizam infiltração foram verificada;
 Observação de um possível sobrepeso causado pelo apoio de
equipamentos de ar condicionado.
 Além disso, os drenos dos equipamentos despejam a água diretamente
na laje o que pode acelerar o processo de infiltração.

PARECER TÉCNICO

LAJE 01:

A primeira laje visitada é a que se apresenta mais comprometida em


termos gerais, pois o processo de deterioração está visivelmente mais
avançado, com exposição da armadura o que pode acelerar o seu rompimento
ocasionado pela ruptura da armadura negativa, isso ocorre devido a oxidação e
redução do diâmetro das barras.
Deve-se fazer um estudo mais aprofundado do grau de
comprometimento das armaduras para se indicar uma possível solução ou até
mesmo se condenar o uso da estrutura. Mais de forma preliminar caso seja
possível à recuperação da estrutura alguns procedimentos podem ser
adotados, citados abaixo:
 Retirada do reboco comprometido ou feito de massará;
 Retirada de pedaços de concreto soltos próximo as armaduras;
 Limpeza da armadura com produto próprio para ferrugem;
 Pintura antiferrugem;
 Recobrimento da ferragem com argamassa em traço forte;
 Retirada dos sobrepesos.

LAJE 02:

A segunda marquise apresenta indícios de infiltração, manchas


escurecidas típicas de escoamento de água. O reboco está se deteriorando em
diversos pontos da estrutura inclusive nas extremidades da marquise onde
costuma acumular água.

A infiltração ocasiona a formação de ferrugem e o desgaste da


armadura, a estrutura em marquise necessita de uma atenção especial devido
à solicitação estrema na armadura negativa, devido o apoio ser feito apenas
pelo engaste. As marquises são projetadas com previsão de um carregamento
estipulado, a utilização da marquise pra outros fins, no caso apoio de
equipamentos de ar condicionado sobrecarrega a estrutura acentuando uma
possível ruptura ou deformação.

Algumas medidas devem tomadas em termos de prevenção de


acidentes e para marquise em questão:

 Retirada do reboco solto;


 Verificação da integridade da estrutura de concreto em baixo do
reboco;
 Impermeabilização da marquise;
 Reposição do reboco solto;
 Retirada dos equipamentos de ar condicionado.
FOTOGRAFIAS:

MARQUISE 01:

(Foto 01) Painel com propaganda apoiada na laje.

(Foto 02) Manchas de infiltração.

(Foto 03) Ferragens expostas.


(Foto 04) Reboco tipo massará.

(Foto 05) Ferragem enferrujada.


MARQUISE 02:

(Foto 05) Reboco soltando.

(Foto 06) Equipamentos sobre marquise.