Você está na página 1de 3

Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro

Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro

Gabarito - AP2 – Geometria Analı́tica II – 2017/1

Questão 1 (3,0 pontos): Considere os pontos A = (0, 0, 0), B = (1, 2, 0), C = (2, 3, 0) e
D = (−4, 7, 2).

(a) [1 pt] Calcule o volume do tetraedro ABCD.

(b) [1 pt] Dado um ponto P = (m, n, k), mostre que o volume do tetraedro ABCP depende
apenas de k.

(c) [1 pt] Determine todos os pontos P tais que o volume do tetraedro ABCP seja igual ao
volume do tetraedro ABCD.

SOLUÇÃO

−→ −→ −−→
(a) Considere os vetores AB = (1, 2, 0), AC = (2, 3, 0) e AD = (−4, 7, 2). O volume do
tetraedro é dado por

1 2 0
1 −→ −→ −−→ 1
1 1
VABCD = [AB, AC, AD] = 2 3 0 = | − 2| = .
6 6 6 3
−4 7 2

−→
(b) Colocando P no lugar de D no item anterior teremos AP = (m, n, k) e

1 2 0
1 −→ −→ −→ 1
1 |k|
VABCP = [AB, AC, AP ] = 2 3 0 = | − k| = .
6 6 6 6
m n k

Logo, o volume depende apenas de k.


|k|
(c) Se o ponto P tem coordenadas (m, n, k) então VABCP = , daı́ podemos afirmar que
6
|k| 1
VABCP = VABCD ⇐⇒ = ⇐⇒ | k | = 2.
6 3
Conclusão, são todos os pontos da forma (m, n, k) em que k = ±2. Dito de outra maneira
é a união dos planos {z = 2} ∪ {z = −2}

Questão 2 (3,0 pontos): Determine o valor de m de maneira que as retas



x = 2 + t

y−3
r : y = 1 + 2t ; `:3−x= =z−2
 m
z = 2t

2
Sejam, ao mesmo tempo, concorrentes [1 pt] e formem um ângulo cujo cosseno é igual a [2
3
pt].
SOLUÇÃO
Para que sejam concorrentes, basta que tenham um ponto em comum. Podemos investigar
substituindo as equações paramétricas de r nas identidades que definem `. Comparando a
primeira e a última expressões, teremos 3 − (2 + t) = (2t) − 2 ⇐⇒ 1 − t = 2t − 2 ⇐⇒ t = 1.
Esse valor de parâmetro em r nos leva ao ponto (3, 3, 2), que também verifica as identidades
das equações de `. Logo, esse ponto pertence às duas retas. Por outro lado, o ponto (2, 1, 0) ∈ r
mas não pertence à `, uma vez que não verifica as igualdades. Assim, as retas são concorrentes
qualquer que seja o valor de m ∈ R.

Para verificar o ângulo precisamos destacar os vetores direção das duas retas: O da reta r está
explı́cito na sua expressão →

u r = (1, 2, 2), mas para encontrar o da reta ` precisamos deixá-la
na sua forma canônica:
x−3 y−3 z−2
= =
−1 m 1


O que nos leva a u = (−1, m, 1).
`

O cosseno do ângulo θ entre r e ` é dado por

|h→

u r, →

u ` i| | − 1 + 2m + 2|
cos θ = | cos ∠(→

u r, →

u ` )| = →− →
− = √ √
k u r kk u ` k 9 2 + m2
2
Como queremos cos θ = , teremos
3
2 | 2m + 1 | √ 7
=√ √ ⇐⇒ 2 2 + m2 = | 2m + 1 | ⇐⇒ 4(2 + m2 ) = (2m + 1)2 ⇐⇒ m = .
3 9 2 + m2 4
7
Portanto, temos um único valor possı́vel para m = .
4
Questão 3 (2,0 pontos): Determine a equação e faça um esboço do paraboloide elı́ptico
com vértice no ponto (2, 1, 3), eixo paralelo ao eixo Ox e que passa pelos pontos P = (3, 4, 3)
e Q = (6, 1, 5).

SOLUÇÃO [Inspirada na quest~


ao 2 do EP14]

A equação do paraboloide deve ser da forma

(x − 2) = A(y − 1)2 + B(z − 3)2 .

Como P e Q pertencem ao paraboloide, então substituı́mos as coordenadas desses pontos na


equação e chegamos ao sistema:

(3 − 2) = A(4 − 1)2 + B(3 − 3)2 1
2 2 ⇐⇒ B = 1 e A = .
(6 − 2) = A(1 − 1) + B(5 − 3) 9
(y−1)2
Logo a equação é (x − 2) = 9
+ (z − 3)2 .

2
Questão 4 (2,0 pontos): Determine os valores de λ ∈ R, para o quais a equação quadrática
(λ2 − 2λ)x2 − λy 2 + (λ + 1)z 2 = 1
representa um hiperboloide
(a) de uma folha;
(b) de duas folhas.

SOLUÇÃO [Inspirada na quest~


ao 4 do EP15]

Estudando os sinais dos coeficientes A = λ2 − 2λ = λ(λ − 2), B = −λ e C = λ + 1, K = 1 da


equação
Ax2 + By 2 + Cz 2 = K,
temos

λ ∈ (−∞, −1) λ = −1 λ ∈ (−1, 0) λ = 0 λ ∈ (0, 2) λ = 2 λ ∈ (2, +∞)


A = λ(λ − 2) + + + 0 − 0 +
B = −λ + + + 0 − − −
C =λ+1 − 0 + + + 0 +
K=1 + + + + + + +
Assim, teremos
(a) um hiperboloide de uma folha quando apenas um dos sinais de A, B ou C for negativo
(pois K = 1 é sempre positivo), o que ocorre para λ ∈ (−∞, −1) ∪ (2, +∞);
(b) um hiperboloide de duas folhas quando exatamente dois dos sinais de A, B ou C, forem
negativos (pois que K = 1 é sempre positivo), o que ocorre para λ ∈ (0, 2).