Você está na página 1de 1
ssinsiz018 ‘Advocacta-Geral da Unio - Imprimir Limite minimo de votagao para cargo proporcional evita distorgao de puxador de voto” Publicado em: 10/05/18 ‘A Advocacia-Geral da Unido (AGU) defender, no Supremo Tribunal Federal (STF), que a exigéncia de um limite minimo de votagao para eleigao de candidatos na disputa proporcional fortalece o processo eleitoral e evita distorgdes no resultado final por “puxadores de voto’ Em manifestagao encaminhada ao STF a pedido do ministro Luiz Fux, relator da ago direta de inconstitucionalidade (ADI) 5920, que questiona a nova exigéncia, a advogada-geral da Unio, ministra Grace Mendonga, destacou que a mudanca estabelece um equilibrio entre a votagao na legenda e a votagao no candidato. ‘Autor da ADI, 0 Partido Ecolégico Nacional (PEN) questiona a mudanca feita no artigo 108 do Cédigo Eleitoral peta Lei 13.165/15, que criou limite minimo de votagao individual de 10% do quociente eleitoral para que o candidato seja eleito na disputa por vaga no sistema proporcional. Segundo 0 PEN, essa exigéncia contrariaria a democracia representativa, a soberania popular e o sistema proporcional, além de tornar “sem sentido” o voto na legenda, uma vez que a somatéria dessa votacao nao mais garantira o preenchimento de vaga aos partidos au coligacées. Aprimoramento Na manifestagao, a advogada-geral ressalta que o novo critério aprimora o processo eleitoral ao impedir que candidatos com votacdes inexpressivas nos pleitos proporcionais sejam eleitos apenas pelo quociente partidério obtido pela legenda, Para Grace Mendonga, a alteragao foi feita justamente para corrigir “distorgao” no sistema eleitoral que permitia a eleigdo de candidato sem representatividade, apenas beneficiado pelos “puxadores de voto” ‘A advogada-geral defende ainda que a mudanga no artigo 108 do Cédigo Eleitoral foi “mera opoao legislativa’ para © candidato ser eleito “que nao vulnera as finalidades do sistema proporcional, em especial a participagao das mminorias nos cargos eletivos". Na visao da ministra, a mudanga impende que candidatos com votagées inexpressivas sojam eleitos apenas em fungao do quociente partidério obtido pela legenda, o que “desvirtua a vontade popular expressada por meio do sufragio" “Sendo assim, o artigo 108 do Cédigo Eleitoral, na redacao dada pela Lei n® 13.165/15, prestigia a vontade dos cleitores, pois estabelece um equilibrio entre a votagao na legenda e a votagao na pessoa do candidato, exigindo que este apresente um ntimero minimo de votos para ser eleito pelo sistema de representacao proporcional’, escreve a ministra na manifestagao. Ref.: ADI 5920 - STF Marco Antinossi hitpillwww.agu gov-bripagelcontentimpsmitid_conteudo/652009 uw