Você está na página 1de 14

TERMO DE REFERÊNCIA

1- OBJETO
A presente contratação tem por objeto a prestação, dos serviços técnicos de
manutenção preventiva, corretiva, gerenciamento, tratamento e equalização
ativa automatizada de baterias, incluindo garantia on site e suporte técnico.

Nº Série Equipamento Fabricante Modelo Potência

64297 No-Break CM Conception S1 30Kva


Comandos
64298 No-Break CM Conception S1 30Kva
Comandos
64299 No-Break CM Conception S1 30Kva
Comandos
63605 No-Break CM Solution S1 3,0Kva
Comandos
63606 No-Break CM Solution S1 3,0Kva
Comandos
63607 No-Break CM Solution S1 3,0Kva
Comandos
63608 No-Break CM Solution S1 3,0Kva
Comandos

2 - HABILITAÇÃO TÉCNICA
2.1. O Proponente deverá apresentar a seguinte documentação:

2.2 Comprovação de que o PROPONENTE fornece ou forneceu bens e


serviços iguais ou similares ao objeto do presente edital. A comprovação será
feita por meio de apresentação de atestado(s) de capacidade técnica,
fornecido(s) por órgão(s) da administração pública ou entidade privada
devidamente assinado(s), carimbado(s) e em papel timbrado da empresa ou
órgão tomador, compatível com o objeto desta licitação.
2.3 Apresentação de comprovação de que PROPONENTE possui um Centro
de operações de monitoramento operando em regime 24 horas X 7 dias por
semana.
Esta comprovação deverá ser feita através de declaração da empresa e de
atestado de clientes fornecido por entidade pública ou privada que possua.

2.4 A equipe de tecnologia da Secretaria pode solicitar visita técnica nas


dependências do Centro de monitoramento com o objetivo de homologação do
ambiente;

2.5 Apresentação de, no mínimo, 01 (um) profissional pertencente ao quadro


permanente do PROPONENTE, com certificação técnica do fabricante dos
Nobreaks emitida pelo mesmo, indicando sua habilitação técnica na tecnologia
ofertada;

3 – DA MANUTENÇÃO CORRETIVA
3.1. A manutenção corretiva será realizada mediante a chamada efetuada
pela contratante, a qualquer hora do dia (24 horas), 7 (sete) dias por
semana e tem por finalidade corrigir falhas em qualquer unidade do(s)
equipamento(s).
3.2. Após o recebimento da chamada, a contratada tem um período de 4
(quatro) horas para início do serviço de manutenção, excluindo-se deste
período, o tempo gasto com a locomoção.
3.3. A contratada deverá elaborar a cada visita um check- list informando
status de condições de equipamento, ambiente e instalações.

4 - DA MANUTENÇÃO PREVENTIVA
4.1 A manutenção preventiva tem por finalidade conservar o(s)
equipamento(s) em condições de operação compreendendo a revisão,
conserto e substituição de peças defeituosas ou gastas pelo uso, mantendo
os equipamentos objeto do presente instrumento em boas condições de
funcionamento, mediante o emprego de técnicas e ferramentas adequadas
a cada caso específico, inclusive recomendações e ajustes às
especificações assim como a limpeza interna.
4.2 A contratada deverá anexar aos equipamentos, uma ficha de manutenção
para acompanhamento, por parte da contratante, das intervenções
realizadas.
4.3 Ao final de cada manutenção preventiva, a contratada deverá gerar um
relatório informando as condições do equipamento, ambiente, instalações e
recomendações técnicas, o qual será entregue à contratante.
4.4 A contratada efetuará manutenção preventiva mensalmente.
4.5 A manutenção preventiva será realizada conforme especificado abaixo:

Rotina de testes para manutenção preventiva e preditiva em UPS


1 Verificação e reaperto se necessário das conexões dos bornes de entrada,
saída e banco de baterias; conexões internas em trafos, placas, capacitores,
contatores, disjuntores, fusíveis e módulos de potência.
2 Verificação visual e através de equipamentos quanto ao aquecimento
excessivo dos itens: disjuntores, capacitores, conexões, trafos e módulos
de potência
3 Verificação do funcionamento dos ventiladores dos módulos de potência,
chave estática, retificadores, trafos, etc...,
4 Verificação do acionamento de disjuntores, contatores, contatos auxiliares
e relés
5 Medição da tensão das fontes e dos pontos de teste (conforme roteiro de
testes do fabricante).
6 Verificação das condições das placas quanto a aparência e conservação.
7 Verificação das condições dos fusíveis quanto a temperatura e mal contato.
8 Limpeza com soprador ou aspirador das partes interna e externa, limpeza
da parte externa.
9 Verificação dos riscos de queima por motivos externos /Avaliação do
ambiente onde encontra-se o equipamento.
10 Medições na chave estática: tensões de by pass e inversor.
11 Avaliação de capacidade do equipamento para a demanda existente.
12 Registro dos valores de tensão e correntes AC de entrada e saída no
relatório de atendimento.
13 Análise dos eventos registrados na NVRAM ( apenas dos equipamentos que
possuem).
14 Medição das tensões DC da saída do carregador e barramento
15 Medição da tensão DC de flutuação e tensão de ripple de cada bateria.
16 Limpeza, reaperto das conexões, eliminação de mal contato e oxidações
das interligações e identificação
de algum elemento apresentando vazamento da solução.

17 Verificar itens de monitoramento e atestar funcionalidade.

5 - REQUISITOS DE GERENCIAMENTO, TRATAMENTO E EQUALIZAÇÃO


ATIVA AUTOMATIZADA DE BATERIAS PARA OS NOBREAKS DE
30KVA

5.1 Deverá ser fornecida a solução de gerenciamento e equalização


ativa automatizada de baterias para todos nobreaks de 30KVA descritos no
objeto deste certame.

5.2 Cada equipamento deve possuir um sistema para gerenciamento individual


das baterias, sendo esta solução composta de dispositivos de Hardware e
interface de Software homologado pelo fabricante dos nobreaks.

5.3 Cada bateria deverá possuir um módulo processador individual de bateria,


que executará a função de coleta e processamento dos dados e identificando
a necessidade de equalizar individualmente cada bateria, mantendo a mesma
tensão de flutuação ou carga em todas as baterias que compõem o banco.
Com o sistema ativo, dentro de condições normais das baterias, a diferença
de tensão entre as baterias deverá ser de no máximo 0,05 VDC.

5.4 A faixa de atuação do Módulo de Bateria deverá ser 0,6 VDC a 5,0 VDC
Volts por elemento de bateria para bateria de 12 Volts. A faixa de temperatura
medida deverá ser de 0o C a 60 o C.

5.5 Cada módulo de bateria deve realizar simultaneamente medições individuais


de cada bateria:
5.6 Tensão VDC.

5.7 Temperatura e resistência interna.

5.8 Os módulos processadores e analizadores de bateria deverão ser


interligados a um Central gerenciadora através de um barramento isolado
de comunicação. Este módulo deverá realizar o controle de todos os
módulos de baterias e armazenar os dados das medições
individualmente de cada bateria que compõe o banco de baterias.

5.9 O módulo de bateria deve possuir sinalização através de indicadores de


status (LEDs) a respeito da sua operação e comunicação com Central
Gerenciadora devendo emitir alarme sonoro e alerta simultaniamente via
rede IP (trap SNMP ou e-mail) em caso de falha.

5.10 O Módulo de Bateria deve possuir circuito individual de proteção contra


sobrecarga nos seus cabos de medição e um sensor de temperatura para
medição da temperatura individual de cada bateria.

5.11 O Módulo Central deverá possuir interface centralizada tipo Web, para
configuração e gerenciamento remoto, onde deverão estar disponíveis as
informações armazenadas e o monitoramento online, em tempo real.

5.12 Na Central gerenciadora deve existir uma porta RJ45 com acesso através
de protocolo TCP/IP sendo acessível remotamente através de um
navegador Web Browser acessando um endereço IP. No Web browser
deve-se monitorar em tempo real as medições individuais de cada bateria
(tensão, temperatura e resistência interna) e o status da sua condição:
normal, em observação e alarme. Estas condições devem ser sinalizadas
(via trap SNMP ou e-mail) indicando a condição de operação da bateria
em tempo real.

5.13 A Central gerenciadora deve possuir portas seriais RS232 e RS485, porta
RJ45 e responder a diversos protocolos de comunicação em SNMP,
TCP/IP, UDP, Telnet, HTTP – Web.
5.14 A Central gerenciadora deve possuir um sistema de relógio interno, com
a possibilidade de sincronização automática com servidores de
sincronização de relógio, através de endereço IP.

5.15 Na situação de alarme, a Central gerenciadora deve enviar alertas para


o administrador do sistema, através de e-mails e traps SNMP.

5.16 A solução deve ser compatível com sistema operacional Windows 8 e


superiores e dispor de ferramenta para a análise dos dados históricos.
Deve disponibilizar a visualização de gráficos de carga e descarga das
baterias, sendo cada bateria com a sua curva individual de
comportamento em função do tempo, para os parâmetros de tensão,
equalização, temperatura e resistência interna.

5.17 A ferramenta de análise gráfica deve possibilitar identificar a bateria


individualmente no gráfico e permitir a exportação de dados para
planilhas em excel.

5.18 O acesso via Web browser deverá monitorar em tela única


simultaneamente várias instalações de bancos de baterias distintos com
o sistema de gerenciamento individual de cada bateria.

5.19 Cada sistema de gerenciamento deverá possuir a capacidade de


gerenciar no mínimo 300 baterias ligadas em série por cada endereço IP.

5.20 O sistema de instalação deverá ser modular com conectores de encaixe


plug-and-play. Os endereçamentos dos módulos devem ser
automatizados e de rápida configuração, e indexados independente da
conexão física e lógica entre os módulos.

5.21 A Central gerenciadora deve possuir memória interna não-volátil para


armazenar os dados. Os dados armazenados devem apresentar o
período dos últimos 18 meses de operação.

5.22 O sistema deverá garantir no mínimo atingir 100% da vida útil das
baterias especificado pelo fabricante de baterias comprovando a função
do sistema de equalização, que deve garantir que todas as baterias
estejam com a mesma tensão equilibrada, não havendo desta forma
diferenças de tensão que possam afetar e causar a degradação das
baterias.

5.23 Os produtos deverão ser entregues em sua versão mais atual.

5.24 Os equipamentos devem estar em produção e não devem constar de


quaisquer listas de descontinuação de vendas ou produção (EOL – End
of Life ou EOS – End of Sales).

6 - DAS EXCLUSÕES:
Os serviços técnicos contratados não incluem:
a) Serviços de manutenção à instalação elétrica externa ao equipamento;
b) Serviços de reforma e pintura;
c) reparos, consertos ou substituições resultantes de acidentes, transportes,
imperícia, mudança de localização do equipamento ou mau uso por parte de
terceiros;
d) reparos por avarias ocasionados por agentes da natureza, tais como: raios
e/ou descargas atmosféricas, inundações ou enchentes, etc.;
e) os serviços de reforma e pintura;
f) utilização indevida ou negligência aos procedimentos de uso normal
resultantes de desinformação ou omissão;
g) mão de obra para substituição integral ou parcial de baterias, placas,
transformadores, módulos eletrônicos ou quaisquer peças, caso as mesmas não
sejam adquiridas da contratada;
h) chamados de manutenção corretiva originados por problemas de baterias, não
adquiridas da contratada;
i) Reativação, desativação, acompanhamento, e ou qualquer outro atendimento
que não esteja relacionado a uma manutenção preventiva e ou corretiva a que
se refere este Memorial;
j) mão de obra para manutenção/ativação/atualização de Software.
7- LOCAL, DO INÍCIO E DAS CONDIÇÕES DE EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

7.1 O objeto deverá ser executado na SECRETARIA DE ESTADO DOS


DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA, na Av. Auro Soares de Moura
Andrade, 564, Portão 10, Barra Funda, São Paulo, SP, em conformidade com o
estabelecido neste Memorial Descritivo, correndo por conta da Contratada as
despesas de seguros, transporte, tributos, encargos trabalhistas e
previdenciários decorrentes da execução dos serviços.

7.2. A execução dos serviços deverá ter início após a data de assinatura do
contrato, com programação das manutenções preventivas dentro do prazo de
vigência do mesmo.

8 - DA VIGÊNCIA E PRORROGAÇÃO
8.1. A contratação será formalizada mediante celebração de termo de
contrato.
8.2. O contrato será celebrado com duração de 15 (quinze) meses, contados
da data de sua assinatura.
8.3. O prazo mencionado no subitem anterior poderá ser prorrogado por igual
(ais) e sucessivo(s) período(s), a critério da Administração, até o limite de
60 (sessenta) meses, nos termos e condições permitidos pela legislação
vigente.
8.4. A contratada poderá se opor à prorrogação de que trata o subitem
anterior, desde que o faça mediante documento escrito, recebido pela
Unidade contratante em até 90 (noventa) dias antes do vencimento do
contrato ou de cada uma das prorrogações do prazo de vigência.
8.5. As prorrogações de prazo de vigência serão formalizadas mediante
celebração dos respectivos termos de aditamento ao contrato,
respeitadas as condições prescritas na Lei federal nº 8.666/1993.
8.6. A não prorrogação do prazo de vigência contratual por conveniência da
Administração não gerará à contratada direito a qualquer espécie de
indenização.
8.7. Não obstante o prazo estipulado no subitem 8.2 deste item 8, a vigência
contratual nos exercícios subsequentes ao da assinatura do contrato
estará sujeita à condição resolutiva, consubstanciada na existência de
recursos aprovados nas respectivas Leis Orçamentárias de cada
exercício, para atender as respectivas despesas.
8.8. Ocorrendo a resolução do contrato, a contratada não terá direito a
qualquer espécie de indenização.

9 - OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA
9.1 Responsabilizar-se integral e exclusivamente pelos serviços contratados,
nos termos da legislação vigente, bem como pelo material necessário à sua
execução, assim como quaisquer taxas e emolumentos que recaiam sobre
o objeto;

9.2 Designar, por escrito, preposto (s) que tenha (m) poderes para resolução
de possíveis ocorrências;

9.3 Comunicar à contratante qualquer anormalidade de caráter urgente e


prestar os esclarecimentos julgados necessários;

9.4 Manter todas as condições de habilitação e qualificação técnica exigidas


para a realização do objeto, inclusive quanto às condições de regularidade
fiscal, relativas ao FGTS e INSS, bem como com relação às obrigações
trabalhistas;

9.5 Sujeitar-se à fiscalização, por parte da SEDPcD, no cumprimento e


execução dos serviços;
9.6 Após o recebimento da chamada, a contratada tem um período de 4
(quatro) horas para início do serviço de manutenção, excluindo-se deste
período, o tempo gasto com a locomoção.

9.7 Refazer ou corrigir no todo ou em parte, no prazo máximo de 48 (quarenta


e oito) horas, às suas expensas e sem ônus para a Contratante, os serviços
executados de modo a adequá-los às especificações deste Termo de
Referência, naquilo que vierem a ser recusados por se mostrarem em
desacordo;

9.8 Garantir, os serviços prestados em razão do Contrato, quanto ao


desempenho, funcionalidade e disponibilidade operacional;

9.9 Repor peças ou módulos eletrônicos defeituosos, as expensas da


contratante, bem como refazer ou reparar defeitos apresentados em
qualquer unidade dos equipamentos objeto do presente instrumento.

9.10 Cumprir as normas de segurança vigentes nas dependências da


contratante;

9.11 Ter todo o pessoal utilizado na manutenção dos equipamentos vinculado a


ela, devidamente identificados por crachás, responsabilizando-se por sua
remuneração e treinamento, assim como pelos respectivos encargos
trabalhistas e previdenciários e o cumprimento das exigências legais e
fiscais decorrentes da execução do contrato;

9.12 Comprovar a regularidade quanto ao cumprimento das obrigações


trabalhistas, previdenciárias e fiscais, decorrentes do Contrato
apresentando a qualquer tempo quando solicitado pela contratante;

9.13 Responsabilizar-se pela atuação de seus empregados, prepostos e/ou


colaboradores, quando da realização dos serviços ora contratados,
cabendo-lhe a supervisão, fiscalização, direção técnica e administrativa
dos mesmos;

9.14 Responsabilizar-se por acidentes que derem causa e possam ser vítimas
seus empregados, prepostos ou colaboradores por culpa própria.
10 - OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE
10.1 Designar Gestor para fiscalização e supervisão do contrato;
10.2 Dar ciência à contratada, por escrito, de qualquer fato relevante ao
cumprimento do contrato;
10.3 Fiscalizar o cumprimento das obrigações da contratada;
10.4 Recusar os serviços executados pela contratada em caso de não estarem
de acordo com as especificações constantes deste Termo de Referência;
10.5 Descontar do preço faturado o valor correspondente à parcela de execução
descumprida, no caso de inexecução pela contratada de quaisquer
parcelas do objeto do Contrato, seja por deficiência de pessoal, de material,
de ferramentas, de instrumentos, de equipamentos, ou por deficiência de
quaisquer condições de trabalho dos empregados em virtude da má
atuação da empresa, independentemente da aplicação das demais multas
previstas desde que comprovado entre as partes.
10.6 Efetuar o pagamento da Nota Fiscal apresentada pela contratada,
conforme o prazo e as condições estabelecidas no contrato;
10.7 Permitir que os técnicos designados pela contratada tenham pleno
acesso ao(s) equipamento(s) a fim de executar os serviços de manutenção,
objeto deste Memorial, na presença de pessoa autorizada pela contratante;
10.8 Fornecer e informar à contratada as normas de segurança e
procedimentos internos vigentes nas dependências da contratante, assim
como todos os dados e documentos necessários à realização dos serviços
contratados;
10.9 Definir e conservar o local onde estão posicionados os equipamento(s) nos
quais será realizada a prestação de serviços;
10.10 Adquirir as peças em que haja necessidade de substituição, após
apresentação de relatório por parte da contratada, indicando a efetiva
necessidade de reparação.
11 - DOS PAGAMENTOS E DO REAJUSTE DE PREÇOS
11.1 Para efeito de pagamento, a contratada encaminhará à SECRETARIA DE
ESTADO DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA, à Av. Auro
Soares de Moura Andrade, 564, Portão 10, Barra Funda, São Paulo, SP,
após cada período mensal de prestação dos serviços, a respectiva nota
fiscal/fatura, acompanhada do relatório dos serviços prestados no período
a que o pagamento se referir.
11.2 A discriminação dos valores dos insumos, especialmente os dos serviços,
deverá ser reproduzida na nota fiscal/fatura apresentada para efeito de
pagamento.
11.3 Os pagamentos serão efetuados mensalmente no prazo de 30 (trinta)
dias, contados da data de entrega da nota fiscal/fatura no protocolo do órgão
indicado no subitem 11.1 do item 11 supra e à vista do termo de recebimento
definitivo ou recibo.
11.4 As notas fiscais/faturas que apresentarem incorreções serão devolvidas à
contratada para as devidas correções. Nesse caso, o prazo de que trata o
subitem 11.3 do item 11 começará a fluir a partir da data de apresentação
da nota fiscal/fatura, sem incorreções.
11.5 Constitui condição para a realização dos pagamentos a inexistência de
registros em nome da Contratada no “Cadastro Informativo dos Créditos não
Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais do Estado de São Paulo – CADIN
ESTADUAL”, o qual deverá ser consultado por ocasião da realização de
cada pagamento.
11.6 Os pagamentos serão feitos mediante crédito aberto em conta corrente
em nome da Contratada no Banco do Brasil S/A.
11.7 Havendo atraso nos pagamentos, sobre o valor devido incidirá correção
monetária nos termos do artigo 74 da Lei estadual nº6.544/1989, bem como
juros moratórios, à razão de 0,5% (meio por cento) ao mês, calculados “pro
rata tempore” em relação ao atraso verificado.
11.8 Os preços unitários serão reajustados, na periodicidade anual, mediante
a aplicação da seguinte fórmula paramétrica:

Onde:

R = parcela de reajuste;

Po = preço inicial do contrato no mês de referência dos preços ou preço do


contrato no mês de aplicação do último reajuste;

IPC/IPCo = variação do IPC FIPE - Índice de Preço ao Consumidor, ocorrida


entre o mês de referência de preços, ou o mês do último reajuste aplicado, e o
mês de aplicação do reajuste;

11.9 A periodicidade anual, de que trata o subitem 11.8 deste item 11, será
contada a partir da data de apresentação da proposta.

12 - DAS CONDIÇÕES DE RECEBIMENTO DO OBJETO


12.1 O objeto, em cada uma de suas parcelas mensais, será recebido
provisoriamente, em até 05 (cinco) dias úteis, contados da data de
recepção pela Administração do relatório de execução dos serviços do mês
acompanhado da nota fiscal/fatura representativa da prestação dos
serviços.
12.2 Havendo rejeição dos serviços, no todo ou em parte, a contratada deverá
refazê-los no prazo estabelecido pela Administração, observando as
condições estabelecidas para a prestação.
12.3 Na impossibilidade de serem refeitos os serviços rejeitados, ou na hipótese
de não serem os mesmos executados, o valor respectivo será descontado
da importância mensal devida à contratada, sem prejuízo da aplicação das
sanções cabíveis desde que comprovado entre as partes.
12.4 O recebimento do objeto dar-se-á definitivamente no prazo de 05 (cinco)
dias úteis após o recebimento provisório, ou da data de conclusão das
correções efetuadas, uma vez verificada a execução satisfatória dos
serviços, mediante termo de recebimento definitivo, ou recibo, firmado pelo
servidor responsável.

13 - DAS SANÇÕES PARA O CASO DE INADIMPLEMENTO


13.1. Ficará impedida de licitar e contratar com a Administração direta e
indireta do Estado de São Paulo, pelo prazo de até 05 (cinco) anos, a pessoa
física ou jurídica, que praticar quaisquer atos previstos no artigo 7º da Lei
Federal nº 10.520, de 17 de julho de 2002, c.c. o artigo 15 da Resolução
CEGP10 de 19 de novembro de 2002.
13.2. A sanção de que trata o subitem anterior poderá ser aplicada juntamente
com as multas previstas na Resolução SEDPcD-04, de 25 de fevereiro de
2016, garantido o exercício de prévia e ampla defesa, e deverá ser registrada
no CAUFESP e no sítio www.esancoes.sp.gov.br.

São Paulo, 24 de outubro de 2017.

Rodrigo Veloso Arcediacono


Coordenador de Tecnologia da Informação