Você está na página 1de 6

Posto de Gasolina o “Bode Expiatório” da VEZ !

Não mais Aturdido, muito menos Perplexo, nem Inconformado, nem Indignado,
mas, em total submissão à REALIDADE BRASILEIRA, me proponho, a, empiricamente,
tentar efetuar avaliações, sobre, o concreto, existente, notícia Vídeo “Cade apresenta
propostas para setor de combustíveis”, http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-
news/videos/v/cade-apresenta-propostas-para-setor-de-combustiveis/6770064/ , e a notícia vídeo
“Postos começam a diminuir preço do diesel na bomba” http://g1.globo.com/globo-
news/jornal-das-dez/videos/v/postos-comecam-a-diminuir-preco-do-diesel-na-bomba/6781045/
algo que de maneira irrefutável, inquestionável, REFLETE a concreta, AMORALIDADE,
consistente, e persistente, nos quatros Poderes Institucionais da “República de
Bananas”, presidida por um “Golpista Zé NINGUÉM”, alicerçada por um “Congresso
Golpista Ilegítimo”, abençoada por um “Judiciário que Persegue, e Protege,
Politicamente”, fiscalizada por um “Ministério Público Cego de um Olho, e Surdo de
um Ouvido” (por atuar em uma única direção), razão pela qual, o Brasil, se transformou,
apenas e tão somente, em um, “NADA”, que aí esta, o que explica que a Sociedade
Brasileira é PREJUDICADA, e ENVERGONHADA, diariamente, de tal forma, ser
possível, mesmo que injustamente, alcunhá-la como uma Sociedade de Ignorantes, e
uma Sociedade de Alienados, uma Sociedade de Bárbaros, quiçá uma Sociedade de
Cruéis.

Tal, parte da Premissa de que, em economia, Informação assimétrica é um


fenômeno que ocorre quando dois ou mais agentes econômicos estabelecem entre si
uma transação econômica com uma das partes envolvidas detendo por tal meio
informações qualitativa e/ou quantitativamente superiores aos da outra parte. Essa
assimetria gera o que se define na microeconomia como falhas de mercado. Nos manuais
de introdução à microeconomia, os fenômenos de informação assimétrica mais abordados
são: a seleção adversa, o risco moral e o herd behavior. https://pt.wikipedia.org/wiki/Informa
%C3%A7%C3%A3o_assim%C3%A9trica

Em poucas palavras, nos comportamos em conformidade com a nossa


possibilidade de perceber o mundo em que nos encontramos, mesmo, que
superficialmente, nos seja permitido, ou possível, alinhar informações,
aparentemente, desconexas, para desenharmos um quadro potencialmente, concreto,
e melhor, logo, nossas conclusões, e posturas, dependem do necessário esforço
para subjetivamente, juntando fatos percebidos, avaliarmos objetivamente o que ocorre
a nossa volta.
Numa analogia, somos todos “Atores”, no “Palco da Vida”, onde nossa
percepção do “cenário”, determinará nossa “atuação”, podendo ser melhor, ou pior.

Afinal, a política de preços da, atual INSIGNIFICANTE, Petrobrás S.A., batizada


pela AEPET – Associação de Engenheiros da Petrobrás como “AMERICA FIRST”,
“Estados Unidos PRIMEIRO”, por mim apresentada no documento documento Greve
Geral à MODA Brasileira, https://pt.scribd.com/document/380240104/Greve-GERAL-a-
MODA-Brasileira, não se restringe à Produção e ao Refino, uma vez que, o CADE esta
apresentando propostas que tornam incontroláveis os Preços até a BOMBA, com a
“desculpa tóxica e esfumaçante” de se obter quedas nos preços, quando então,
voltamos a chamar a atenção, para o fato, concreto, de que DERIVADOS de Petróleo
são os INSUMOS mais IMPORTANTES da Indústria Moderna, logo, esta política de
preços tem impactos SIGNIFICANTES nos custos DIRETOS de Produção da
Industrial Brasileira.

Outrossim, estamos vivenciando a transformação dos Varejistas em “BODES


EXPIATÓRIOS” da implementação desta “política de preços”, que de forma
INCONSTITUCIONAL, preserva a “liberdade de preços da Petrobrás S.A.”, em
detrimento do Povo Brasileiro, pela transferência de RECURSOS FINANCEIROS,
para as Multinacionais do Petróleo através da substituição da Produção Brasileira,
pela IMPORTAÇÃO descontrolada, bem como, IMPEDE que TODOS os integrantes do
Segmento Petróleo sejam beneficiados de forma “EQUÂNIME”, tendo em vista, que os
CORTES no Orçamento do Governo Brasileiro GARANTEM , UNICAMENTE, à
Petrobrás S.A. total autonomia na definição de preços, com a Responsabilidade
Institucional de COMPENSAÇÃO, logo, apenas as Multinacionais do Petróleo através
da, Atual INSIGNIFICANTE, Petrobrás S.A. terão seus ganhos “dolarizados” ou
“eurorizados”.

A “pecha” de “BODE EXPIATÓRIO”, atribuída aos Comerciantes Varejistas de


Combustíveis, acima citada, tem como premissa, a necessidade de SE INCLUIR na
“política de preços da, Atual INSIGNIFICANTE, Petrobrás S.A.”, conhecida, e
reconhecida, por Alguns como Eu, como “AMERICA FIRST”, “Estados Unidos Primeiro”,
TODA a Cadeira de Produção do segmento Petróleo, isto é, transferir às
Multinacionais do Petróleo a Prospecção, o Refino, a Distribuição, e o Mercado
Varejista, com o requinte de se eliminar postos de trabalho na ponta com a certeza de
“Postos SELF-SERVICE”.

Vale ressaltar que a atual INSIGNIFICANTE Petrobrás S.A., é fato, concreto,


significativo, tangível, e mensurável, pela Descapitalização PATRIMONIAL, pela qual foi
submetida, a título de recuperação financeira, uma vez que, por exemplo, após a
“VendaDoação” de seu Gasoduto, que necessariamente deveria ser RENTÁVEL, e por
isso, INDISPENSÁVEL, à própria RECUPERAÇÃO FINANCEIRA, não nos é possível,
se quer, imaginar, quanto Custa, HOJE, o seu Aluguel pelo contínuo uso.

Logo, quando falamos em Petrobrás S.A., podemos, e devemos, refletir sobre o


quão INSIGNIFICANTE é seu Patrimônio, se comparado, com Patrimônio existente
ANTES DE SEU DESMONTE, principalmente, quando a mesma representando a
República Federativa do Brasil, uma vez que, os Recursos Financeiros oriundos
tinham DESTINAÇÃO Institucional DEFINIDA, deixou de participar,
OBRIGATORIAMENTE, como PROPRIETÁRIA, de 30% de TODA Prospecção de
Petróleo da chamada “Camada Pré-Sal”.
Portanto, a menos que se reveja, urgentemente, a política “America First”, com a
imediata reversão do implícito DESMANTELAMENTO do Estado Brasileiro no
Segmento Petróleo, ora com implementação em curso, em momento algum, será
possível à República Federativa do Brasil, através, ou não, da Atual INSIGNIFICANTE
Petrobrás S.A., definir padrões razoáveis aos Interesses Brasileiros, de Preços de
Todo e qualquer Derivado de Petróleo, como o foi, em período recentíssimo, no qual,
por anos, o Barril de Petróleo esteve cotado na faixa superior à U$100.00, durante
alguns meses alcançando a cotação de U$120.00.

Quando então, chamo a atenção para o fato, concreto, de que Postos de


Gasolina que aumentação para R$9,99 o preço do Diesel, foram multados, lacrados, e
fechados, por ter tipificado ABUSO DE PODER ECONÔMICO, contudo, no CEASA do
Rio de Janeiro, por exemplo, o Saco de 50kg de Batata chegou a ser “negociado” a
bagatela de R$500,00, e nem por isso, foi considerado, foi tipificado, como ABUSO DE
PODER ECONÔMICO, logo, por que no Brasil qualquer aplicação da Lei de Mercado
“procura x oferta” por Postos de Gasolina é sempre rotulada como ABUSO DE PODER
ECONÔMICO, onde temos o CÚMULO DO ABSURDO, o fato, concreto, da Instituição
Banco Central do Brasil, que de TODAS as Instituições Brasileiras é a ÚNICA a deter
PODER IMPERIAL, com a atribuição Institucional de COIBIR o ABUSO DE PODER
ECONÔMICO no Sistema Financeiro Brasileiro, não reconhecer a situação de Juros
acima de 300% a.a., com SELEC na faixa de 7% a.a. e Inflação na faixa de 4% a.a, não
é, concretamente, TIPIFICÁVEL, como ABUSO DE PODER ECONÔMICO.

Pelo exposto, convoco Aqueles Cidadãos Brasileiros, que a REFLETIREM sobre a


questão, e a se posicionarem, de forma a rejeitar, a massificação midiática, de que os
ALGOZES pelo que aí está, são os Caminhoneiros e/ou os Comerciantes Varejistas
de Derivados de Petróleo, uma vez que, TUDO é natural consequência do
DESMONTE da República Federativa do Brasil, que HOJE, é mais uma Colônia
Extrativista Internacional, do que um País Soberano, onde, a essência do
extrativismo praticado é a extração do Sangue, a extração do Suor, e extração das
Lágrimas, de um POVO, que pelo menos AINDA, é Pacífico e Ordeiro.

Portanto, a cada novo dia, infelizMENTE, efetivaMENTE, é revigorada, a minha


crença, de que, a decisão proferida na ADI 2.649, voto da Min. Cármen Lúcia,
julgamento em 8-5-08, Plenário, DJE de 17-10-08, tem como autor(a) um(a) Ministro do
Supremo Tribunal Federal FANTASMA, e por isso, a citada decisão foi, apenas e tão
somente, assinada pela Ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha.

RealMENTE, a “República de Bananas”, onde o “CAOS” é Moral, é Ético, e, é


Profissional, nos apresenta, em meu empírico entendimento, a “certeza” da existência
de Autoridades Institucionais, em também meu empírico entendimento, Levianas, fica-
nos, quase impossível, admitir, que, algum dia, poderemos nos firmar, e afirmar, como
uma Sociedade Livre, Justa e Fraterna, o que nos obriga a reafirmar Ruy Barbosa
de Oliveira, o Águia de Haia.

Portanto, reafirmando Ruy Barbosa de Oliveira, o Águia de Haia, apenas


e tão somente, posso dizer: “TENHO VERGONHA DE MIM”.

https://www.youtube.com/watch?v=Lo1gPVsKp5E

Texto de Cleide Canton e Rui Barbosa por Rolando Boldrim.


Afinal, a Instituição Democrática Supremo Tribunal Federal, em seu site oficial, na
página “A Constituição e o Supremo”, nos assegura, a certeza, de que não basta o
Poder Institucional decidir, é imperioso que seja Legítimo, Justo, e Legal, uma vez
que, consta:
http://www.stf.jus.br/portal/constituicao/sumariobd.asp.
"Ninguém é obrigado a cumprir ordem ilegal, ou a ela se submeter, ainda que
emanada de autoridade judicial. Mais: é dever de cidadania opor-se à ordem ilegal;
caso contrário, nega-se o Estado de Direito." (HC 73.454, Rel. Min. Maurício Corrêa,
julgamento em 22-4-96, 2ª Turma, DJ de 7-6-96)
“Separação dos poderes. Possibilidade de análise de ato do Poder Executivo pelo
Poder Judiciário. (...) Cabe ao Poder Judiciário a análise da legalidade e
constitucionalidade dos atos dos três Poderes constitucionais, e, em vislumbrando
mácula no ato impugnado, afastar a sua aplicação.” (AI 640.272-AgR, Rel. Min.
Ricardo Lewandowski, julgamento em 2-10-09, 1ª Turma, DJ de 31-10-07). No mesmo
sentido: AI 746.260-AgR, Rel. Min. Cármen Lúcia, julgamento em 9-6-09, 1ª Turma, DJE
de 7-8-09.
“Devem ser postos em relevo os valores que norteiam a Constituição e que devem
servir de orientação para a correta interpretação e aplicação das normas constitucionais e
apreciação da subsunção, ou não, da Lei n. 8.899/94 a elas. Vale, assim, uma palavra,
ainda que brevíssima, ao Preâmbulo da Constituição, no qual se contém a explicitação
dos valores que dominam a obra constitucional de 1988 (...). Não apenas o Estado haverá
de ser convocado para formular as políticas públicas que podem conduzir ao bem-estar, à
igualdade e à justiça, mas a sociedade haverá de se organizar segundo aqueles
valores, a fim de que se firme como uma comunidade fraterna, pluralista e sem
preconceitos (...). E, referindo-se, expressamente, ao Preâmbulo da Constituição
brasileira de 1988, escolia José Afonso da Silva que ‘O Estado Democrático de Direito
destina-se a assegurar o exercício de determinados valores supremos. ‘Assegurar’,
tem, no contexto, função de garantia dogmático-constitucional; não, porém, de
garantia dos valores abstratamente considerados, mas do seu ‘exercício’. Este signo
desempenha, aí, função pragmática, porque, com o objetivo de ‘assegurar’, tem o efeito
imediato de prescrever ao Estado uma ação em favor da efetiva realização dos ditos
valores em direção (função diretiva) de destinatários das normas constitucionais que dão
a esses valores conteúdo específico’ (...). Na esteira destes valores supremos
explicitados no Preâmbulo da Constituição brasileira de 1988 é que se afirma, nas
normas constitucionais vigentes, o princípio jurídico da solidariedade.” (ADI 2.649,
voto da Min. Cármen Lúcia, julgamento em 8-5-08, Plenário, DJE de 17-10-08) como
também, os princípios da Segurança (inclusa a Jurídica), da Liberdade, da Justiça, da
Igualdade, que, efetivamente, permitirão, a Construção de uma Sociedade Livre, Justa
e Fraterna. (Plinio Marcos Moreira da Rocha).

“Enquanto os direitos de primeira geração (direitos civis e políticos) – que


compreendem as liberdades clássicas, negativas ou formais – realçam o princípio da
liberdade e os direitos de segunda geração (direitos econômicos, sociais e culturais) –
que se identifica com as liberdades positivas, reais ou concretas – acentuam o princípio
da igualdade, os direitos de terceira geração, que materializam poderes de titularidade
coletiva atribuídos genericamente a todas as formações sociais, consagram o princípio
da solidariedade e constituem um momento importante no processo de
desenvolvimento, expansão e reconhecimento dos direitos humanos, caracterizados,
enquanto valores fundamentais indisponíveis, nota de uma essencial inexauribilidade.”
(MS 22.164, Rel. Min. Celso de Mello, julgamento em 30-10-1995, Plenário, DJ de 17-11-
1995.)

Atenciosamente,
Dr. Plinio Marcos Moreira da Rocha
“Colando” (copiando) Grau de Doutor, com Doutorado em Direito de
“Merda” (inexistente), em Estabelecimento de “Merda” (inexistente),
reconhecido pelo Ministério de Estado da Educação de “Merda (que TUDO
assiste, duplo sentido), de um Estado de Direito de “Merda” (que TUDO
permite), conforme o documento “Resposta a Sérgio Rodas de um
Cinquentão com Índole de Jovem”, onde estamos utilizando do direito de
resposta, face a tendenciosa, e achincalhada, “avaliação” do documento
“Petição como Amicus curiae”, feita, e publicada, pelo “repórter” Sérgio
Rodas da Revista Consultor Jurídico.
https://pt.scribd.com/doc/282176485/Resposta-a-Sergio-Rodas-de-Um-
Cinquentao-Com-Indole-de-Jovem
http://www.conjur.com.br/2015-set-16/cinquentao-indole-jovem-participar-
julgamento-stf
https://pt.scribd.com/document/142382500/Porque-Sou -Doutor-Em-Direito-
de-Merda
Rua Gustavo Sampaio nº112 apto. 603 – LEME – Rio de Janeiro – RJ
CEP – 22.010-010
Tel. (Res) 2542-7710
Tel. (Cel) 9 8618-3350
Penso, não só Existo, Me Faço PRESENTE
Um Cinquentão com índole de um Jovem revolucionário apaixonado por TUDO que
se envolve, por isso, tem a Despreocupação Responsável em MUDAR Conceitos e
Valores.
A Despreocupação Responsável em MUDAR Conceitos e Valores
La leggerezza responsabile di MODIFICARE Concetti e Valori
Die Nachlässige verantwortlich zu ändern Konzepte und Werte
Descuidos a la Responsable de CAMBIAR conceptos y valores
De onzorgvuldige Verantwoordelijke VERANDERING van concepten en Waarden
The Responsible Easiness in CHANGING Concepts and Values
Le négligent responsable de changement Concepts et valeurs
‫إن إهمال المسؤولين إلى تغيير المفاهيم والقيم‬
不注意な変更概念と値に責任
Analista de Sistemas, presumivelmente único Cidadão Brasileiro COMUM, que
mesmo não tendo nível superior completo (interrompi o Curso de Executivo, com o
primeiro semestre completo em 1977), portanto, não sendo Advogado, nem
Bacharél, nem Estudante de Direito, teve suas práticas inscritas nas 6ª, e 7ª,
edições do Prêmio INNOVARE, ambas calcadas no CAOS JURÍDICO que tem
como premissa o PURO FAZER DE CONTAS, reconhecidas, e DEFERIDAS pelo
Conselho Julgador, conforme o documento INNOVARE Um Brasileiro COMUM No
Meio Juridico II,
http://pt.scribd.com/doc/46900172/INNOVARE-Um-Brasileiro-COMUM-No-Meio-Juridico-II