Você está na página 1de 3

Como jogar: Cada criança recebe um

tabuleiro e alguns dados. A professora


dita, uma a uma, palavras que os
alunos deverão encontrar em seu
tabuleiro. Ao encontrarem alguma,
devem marcá-las com os dados, como
se faz em um bingo. Nas turmas mais
adiantadas, os dados são trocados por
cartelas nas quais estão escritas
palavras em letra cursiva. Neste caso, a
criança lê a palavra que está na cartela
e a procura no tabuleiro, no qual ela
estará escrita em letra de forma. É um
jogo de fixação e identificação visual

Jogo de identificação de
Alfabetizar Brincando palavras e interpretação:
Escola adota jogos para ensinar

Simone Garrafiel

A lfabetizar é participar da fase mais importante e fascinante


da vida de uma criança: a descoberta da leitura e da escrita. Esta
descoberta deve ocorrer de maneira natural e prazerosa. É
necessário que se elaborem métodos criativos que estimulem a Montagem: escrever, em letra de
criança a buscar o conhecimento. Assim ocorre na Escola forma, em pedaços de cartolina,
Carolina Patrício, em São Conrado, onde o processo de palavras que pertençam a diversas
alfabetização parte do pressuposto de que brincar é a melhor categorias (animais, flores, brinquedos,
forma de aprender. etc).

“Costumo dizer para os meus alunos: ‘Vamos aprender a ler e a Como Jogar: mostrando as
escrever? OK! Mas não acabaram as brincadeiras!’. Então, “plaquinhas”, uma a uma, aos alunos, a
apresento-lhes uma sucessão de jogos que os auxiliam na professora lhes pede que identifiquem,
ampliação do vocabulário e na aquisição da escrita” - explica a por exemplo, quais palavras são nomes
professora Helena Carijó Chaffim. de animais. Para incrementar a
brincadeira, as crianças imitam o
Para os pequenos, os jogos são pura diversão e a brincadeira animal que acabam de identificar. Em
acaba virando uma aula inesquecível. “Pelo método, as crianças outro momento, a professora espalha as
aprendem sem que precisem escrever muitas vezes as palavras placas no chão e pede a cada aluno que
ou decorá-las para fazer um ditado. Elas passam a escrever procure palavras iguais. (ex: pegar
espontaneamente, e o resultado é muito bom” - argumenta todas as palavras “rosa”).
Helena. Segundo a professora, brincando com as palavras e seus
elementos silábicos, criando frases e realizando atividades de Jogo de formação de frases:
análise, síntese, substituição e acréscimo as crianças ganham
uma base sólida de conhecimentos e o processo de alfabetização
flui naturalmente.

Inicialmente, a professora Helena trabalha com o padrão silábico


consoante-vogal e as vogais, para que possam surgir palavras
simples, como “macaco”, “cavalo” ou “ema”. A partir daí, os
alunos passam a identificar as palavras e procurar outras que
tenham elementos silábicos semelhantes. “Fazemos jogos orais e
de interpretação quando as crianças ainda não dominam a escrita
e, à medida que evoluem neste sentido, partimos para exercícios
nos quais elas escrevem, com giz, no quadro-negro ou na quadra
de esportes, e com os dedinhos molhados, no papel e na areia,
por exemplo. Quando se lida com o lúdico, a aprendizagem fica
mais prazerosa” - garante a professora.
Montagem: faça várias cartelas em
Como usar os Jogos nas Classes de cores diferenciadas, contendo: os
substantivos, ações, conectivos e
Alfabetização. pontuação, separadamente. (ex:
substantivos em rosa, conectivos em
Jogo de formação de palavras: azul, etc).

Como jogar: a professora entrega a


uma dupla de alunos cartelas contendo
palavras, vogais e pontuação
embaralhadas. Em seguida, pede a ela
que forme as frases corretamente. Em
outro momento, pergunta-lhe se é
possível trocar elementos frasais com
as demais duplas. Assim, os alunos
treinam, de maneira lúdica, a
Montagem: cortar pequenos retângulos de cartolina e, com pilot comparação entre frases e entre
preto, escrever sílabas e vogais neles, em letra de forma. elementos que estruturam uma frase,
Plastificar o material para melhor conservação. sem preocupar-se com nomenclatura.
Em momento algum, a professora
Como jogar: cada aluno recebe diversos pedacinhos de cartolina comenta a divisão de cores dos
com sílabas e vogais. O jogo é embaralhado. Em seguida, a elementos. Ela deixa o aluno descobrir
professora dita, uma a uma, as palavras que os alunos deverão as diferenciações, instigando-o a
formar utilizando os conjuntos dados e pede a todos que digam, reparar as diferenças. Outra forma de
em voz alta, qual a palavra formada. Com este jogo, aprendem- brincar é fazer com que uma criança
se os elementos silábicos. Outra atividade que pode ser realizada monte a frase e a outra a leia em voz
é pedir às crianças que invertam as sílabas da palavra que foi alta.
composta e digam se ocorreu, ou não, a formação de uma outra
palavra. Exemplo: Formar a palavra “capa” e inverter as sílabas Jogo das Sílabas:
para formar a palavra “paca”.
Montagem: colar, em um pedaço de
“Bingo” Educativo: cartolina, um papel com uma sílaba, de
forma que fique fixada de um lado. Ao
lado desta sílaba, grampear diversos
papéis com outras sílabas que, unidas a
ela, formem palavras.

Como jogar: os alunos recebem as


cartelas com a sílaba fixa e as móveis.
O jogo consiste na leitura e no
reconhecimento das palavras. O
elemento fixo pode ser, por exemplo, a
sílaba “sa”. A partir daí, brinca-se com
os outros elementos que as crianças já
conhecem. Encontra-se o “ca”,
substituível por “pi”, “me”, e assim por
Montagem: cortar uma cartolina no formato de um tabuleiro de diante, formando-se as palavras “casa”,
xadrez e escrever, com letra de forma, em cada quadrado “pisa” e “mesa”, respectivamente. No
desenhado na cartolina, palavras que sejam do conhecimento das jogo, o professor pode mostrar aos
crianças. É necessário comprar dados ou montá-los em cartolina. alunos as cartelas, para que o grupo as
leia, ou dividir a turma em grupos,
. cada um trabalhando com sua cartela.
Os exemplos dados são apenas
sugestões de como utilizar os jogos.
Existem, porém, diversas formas de
jogá-los na escola. Basta usar a
criatividade . “Depois de cada jogo,
fazemos uma atividade de escrita e
ilustração, para complementar o estudo
e fazer com que os alunos aperfeiçoem
a escritura” - explica Chaffim.
Concomitantemente, a escola trabalha
com um livro-base, chamado “livro
muito especial”, elaborado de acordo
com o andamento do processo de
alfabetização, à medida que os alunos
conhecem frases e palavras. As
crianças lêem pequenos textos dos
livros e fazem exercícios de ilustração.
Apesar de todo o trabalho ser baseado
em jogos e brincadeiras, as crianças
não deixam de participar de atividades
de artes plásticas e recreação no pátio
da escola. “É importante que elas
tenham tempo de lazer. Não é porque
estão na classe de alfabetização que só
vamos fazê-las aprender a escrever, ler
e contar” - explica Helena. Os
resultados são satisfatórios, as crianças
adquirem vocabulário e, têm uma
certeza: é brincando que se aprende,
para nunca mais esquecer!

Escola Carolina Patrício


Professora Helena Chaffim Tel:
322 0021 / 322 1794

Índice edição 15