Você está na página 1de 37

Instituto Federal de Pernambuco - Campus Barreiros

Departamento de Desenvolvimento Educacional


Coordenação do Curso Superior de Tecnologia em
Agroecologia
Fundamentos de Solos

PROPRIEDADES QUÍMICAS DO SOLO

Prof. Rômulo Souza

Barreiros-PE
2014
Colóides

COLÓIDE: Compreende as partículas do solo menores que 1 µm que


são responsáveis pela atividade química do solo.

A fração coloidal do solo é bastante heterogênea, pois é constituída


de diferentes espécies de minerais e materiais orgânicos e, ainda, está
no solo em meio a partículas maiores, como silte e areia.
Superfície especifica; Cargas elétricas e Adsorção de íons

 É a medida da área da superfície das partículas por unidade de


peso (m2 g-1).

 A ASE de uma massa de partículas aumenta proporcionalmente


com a diminuição do diâmetro.

 As partículas coloidais apresentam alta superfície especifica;


 Quanto maior a ASE → maior será a reatividade das partículas do
solo.

Aresta Número de Superfície Fração do solo


(mm) partículas específica (m2/g) correspondente

10 1 0,0006 cascalho
Varia em função do
1 103 0,006 areia grossa tamanho e tipo de
0,1 106 0,06 areia fina minerais;
0,01 109 0,6 silte
0,001 1012 6,0 argila
 Em geral as partículas coloidais apresentam cargas elétricas
quando colocadas em um meio líquido polar.

 As cargas elétricas dos colóides podem ser negativas ou


positivas.

Origem das cargas NEGATIVAS dos colóides do solo

As cargas negativas existentes no solo podem ser classificadas em


cargas permanentes e cargas dependentes do pH.
 pH < 5,0 (predomínio de cargas positivas – atraem ânions)

 pH > 5,0 (predomínio de cargas negativas – atraem cátions)

Origem das cargas POSITIVAS dos colóides do solo

 Normalmente ocorrem em menor quantidade que as cargas


negativas, mas prestam importante função, de vez que são
responsáveis pela adsorção de ânions (muitos dos quais são
nutrientes).

 São sempre dependentes do pH, aumentando à medida em que


este diminui.

 Origem: Superfície de óxidos de Fe e Al;


IMPORTÂNCIA DAS CARGAS ELETRICAS

O solo funciona como um reservatório que estoca


nutrientes, liberando-os para a solução do solo em
pequenas quantidades, de onde as plantas podem absorvê-
los.

As cargas elétricas do solo (argilominerais e matéria


orgânica) são fundamentais para a sustentação do
crescimento e desenvolvimento das plantas porque são elas
as responsáveis pela retenção dos nutrientes essenciais no
solo.

Lixiviação
ADSORÇÃO: Fenômeno químico de ligação ou atração entre a carga
de um colóide e um íon da solução do solo e que resulta na sua
retenção.
Dessorção

+ Mg2+ Cl- Os fenômenos de adsorção e


PO43
+ - Na+ dessorção são comumente
Na+ 2+ - K+ chamados de fenômenos de
Ca Cl
+ 2+ troca (CTC e CTA)
PO43 Mg
-
Ca2+
+
Colóide do solo Adsorção Solução do solo

- Capacidade de troca de Cátions (CTC) – Cargas negativas


- Capacidade de troca de Ânions (CTA) – Cargas positivas
TIPOS DE ENERGIA DE LIGAÇÃO ENTRE COLÓIDES E ÍONS

ELETROSTÁTICAS X COVALENTES

Fatores que afetam a energia de ligação entre os colóides e o íons :

 Valência – Exceto H

 Raio de hidratação

 Concentração do íon na solução - o aumento da concentração de


um íon na solução do solo provocará maior adsorção do mesmo,
deslocando os demais adsorvidos que estejam em menor
concentração
 Seletividade do colóide
De maneira geral, temos a seguinte ordem:
CAPACIDADE DE TROCA DE CÁTIONS - CTC

Equilíbrio químico: Coloide – solução do solo

Mg2+
Mg2+ Mg2+ K+ Al3+
+ K+
Ca2+ K
K+ Al3+ Mg2+
K+ Coloide
Coloide K+ Ca2+
eletronegativo K+ K+ Mg2+ eletronegativo
Mg2+

Al3+ Ca2+ Ca2+


Mg2+
Al3+
CAPACIDADE DE TROCA DE ÂNIOS - CTA

Equilíbrio químico: Coloide – solução do solo

K+
+ Cl- Cl-
K+ Cl +
-
+NO3- - +
+ NO
+ K 3
NO3- +
+ Coloide
+ CO3 K Al3+ CO32- +
2-
Coloide
eletropositivo Ca2+ CO 2- eletropositivo
+ 2- 3
+
SO4
+ HCO3- SO 2-+4
PO43-
+ 2-
K+ +
SO4 Ca2+
Fatores que afetam a CTC do solo:

1) Quantidade e tipo de minerais de argila (1:1 e 2:1);


2) Área superficial especifica (ASE)
3) Presença de óxidos e hidróxidos de Fe e Al
4) Teor de matéria orgânica;
5) pH (cargas dependentes de pH)
PRINCÍPIOS BÁSICOS QUE CARACTERIZAM A CTC
- O fenômeno de troca é REVERSÍVEL;

- O fenômeno de troca é uma relação ESTEQUIOMÉTRICA, isto é,


obedece à lei dos equivalentes químicos;
ENTENDENDO A CTC DO SOLO e a unidade que a representa: cmolc kg-1

Desafio 01: Quantos kg de Ca2+ um solo argiloso com CTC de 1,7


cmolckg-1 seriam adsorvidos considerando uma área de 01 hectare e
uma profundidade de 40 cm e uma densidade do solo de 1,23 g cm-
3? Massa atômica do cálcio: 40,08g

Peso de solo= 10000m2 x 0,4m = 4000 m3 x 1,23= 4920 t = 4920000 kg

1 mol de Ca2+ 40,08 g


1 kg de solo 0,34 g
1 molc de Ca 40,08/2= 20,04 g
4920000 kg de solo X

X= 1672800 g = 1672,8 kg ou 1,67


1 mol de Ca 20,04 g t da Ca
0,017 molc de Ca X

X= 0,34 g
REAÇÃO DO SOLO
IMPORTÂNCIA

• Disponibilidade de elementos essenciais às plantas


• Problemas de toxidez de Al e Mn;
• Baixos teores de cátions de caráter básico, como Ca e Mg;
• Desenvolvimento de microrganismos do solo;
• Necessidade de calagem
CONCEITO ÁCIDO-BASE

De acordo com a definição de Brönsted-Lowry (1923), ÁCIDO


é uma espécie química que doa prótons

HA + H2O A- + H+ (H3O+)

Entende por BASE toda substância capaz de receber prótons da


água dando origem ao íon hidroxila

B + H2O BH+ + OH-

Os solos apresentam uma reação ÁCIDA, NEUTRA OU ALCALINA → pH


A fonte de acidez do solo deve-se a presença de “GRUPOS ÁCIDOS”
com diferentes capacidades de ceder prótons.
 ACIDEZ: Capacidade de uma substância liberar H+ na solução
do solo, sendo esta expresso em termos de pH

 1 
pH  log  
H 
Onde: (H+) = atividade de íons H+ em mol L-1. Concentração muito
baixa~atividade

Quanto MENOR o valor de pH, MAIOR a atividade de íons H+ e


maior é o caráter ácido da substância

Solos tropicais Lixiviação de


bases

Degradação
química do solo
Valor do pH define a acidez ou alcalinidade do solo
9,0
Forte
8,0 Média Alcalinidade
Fraca
7,0 Neutralidade
Fraca
6,0 Moderada
Média Acidez
5,0 Forte
Muito forte
4,0
Faixas de acidez e alcalinidade encontradas na maioria dos solos
agrícolas.
Fonte: Lopes, 1989
TIPOS DE ACIDEZ
1) ACIDEZ ATIVA
Medida da atividade dos íons H+ na solução do solo. É determinada
pela leitura de pH do solo.

 1 
pH  log  
H 

Considerando uma concentração de H+= 10-3 (0,001) mol L-1, qual


seria o pH?
pH = 3,0

Considerando uma concentração de H+= 10-2 (0,01) mol L-1, qual


seria o pH?
pH = 2,0
Determinação da acidez ativa

 O pH pode ser influenciado pelo manejo (irrigação, precipitação,


adubações, calagem). Dependem da época de amostragem;

 Para determinar a acidez ativa são utilizados métodos


potenciométricos com eletrodo específico;

Os métodos potenciométricos mais comuns são:

 água
 KCl 1 mol L-1
 CaC2 1 mol L-1
POTENCIÔMETROS DE BANCADA

POTENCIÔMETROS PORTÁTEIS

Fitas indicadoras
2) ACIDEZ POTENCIAL
 São os íons adsorvidos aos colóides do solo (ions H+ não
dissociados)

 Esta acidez é representada por H + Al;

ACIDEZ POTENCIAL = ACIDEZ TROCÁVEL + ACIDEZ NÃO TROCÁVEL

2.1 ACIDEZ TROCÁVEL

 Mede a quantidade de Al3+ (principalmente) e H+ retidos pelas


cargas negativas dos argilominerais e da matéria orgânica;

 Esta acidez é determinada por extração, com solução de KCl 1


mol L-1 a pH em torno de 5,5, visto que para valores de pH maior
que 5,6 ocorre a precipitação do Al3+
2.2 ACIDEZ NÃO TROCÁVEL
 Íons H+ ligados covalentemente que se dissociam de compostos
orgânicos, de grupos OH na superfície das argilas, e de alguns
polímeros de Alumínio e que não são facilmente deslocados para
a solução do solo
Acidez não trocável = acidez potencial - acidez trocável

 Acidez potencial: Extração com um sal tamponado a pH 7,0


PODER TAMPÃO

 A capacidade tampão é "resistência que os solos apresentam a


mudanças de pH". O poder tampão, também pode ser definido
como sendo a quantidade de base necessária para elevar em uma
unidade o pH do solo.

 É maior nos solos mais argilosos e com maiores teores de matéria


orgânica.
ORIGEM DA ACIDEZ DO SOLO
1) Chuva ácida;

2) Material de origem;

3) Remoção de bases :a remoção de cátions de caráter básico do solo


pela lixiviação, erosão, e pelas culturas, resulta no aumento de formas
trocáveis de H+ e de Al3+ no complexo sortivo (CTC efetiva).

O Al3+ na solução do solo sofre HIDRÓLISE, gerando acidez


complexo sortivo (CTC efetiva).
Al3+ + 2 H2O Al(OH)2++ H3O+
Al(OH)2+ + 2 H2O Al(OH)2++ H3O+
Al(OH)2+ + 2 H2O Al(OH)0 + H3O+

OBS importante: Em pH superior a 5,5, todo o Al3+ estará hidrolisado.


Pode-se dizer que cada mol de Al3+ produzirá três moles H3O+
4) Grupos ácidos da Matéria orgânica do solo
As moléculas orgânicas apresentam radicais ácidos de
superfície como é o caso dos grupos carboxílicos e fenólicos. Tais
grupos dissociam-se liberando prótons (H+) na solução do solo

R – OH + H2O R – O- + H3O+

R – COOH + H2O R – COO- + H3O+

5) Argilominerais silicatados e não silicatados

Os grupos estruturais Si-OH e Al-OH expostos nas superfícies dos


minerais de argila silicatada, assim como os grupos Al-OH e Fe-OH nos
oxihidróxidos de Fe e Al contribuem para a geração de acidez

Si ] OH + H2O Si ] O- + H3O+
Al ] OH + H2O Si ] O- + H3O+
6) Decomposição da matéria orgânica
A decomposição da matéria orgânica gera acidez de diversas formas,
através de reações de nitrificação, oxidação e geração de CO2. A
mineralização de compostos orgânicos libera compostos de N e S
que, ao sofrerem oxidação, podem liberar prótons na solução do
solo, de acordo com as reações:

A oxidação biológica de compostos orgânicos produz CO2, o qual


reage com água para formar ácido carbônico, que se dissocia e
acidifica o solo.
7) Fertilizantes minerais
A maior alteração do pH do solo é promovida pelos fertilizantes
nitrogenados amoniacais, ou por aqueles que resultam na formação
de amônio no solo, como é o caso da uréia.

O NH4+ pode, também, deslocar o Al3+ adsorvido, gerando acidez no


solo:
Argila] Al3+ + 3NH4+ ↔ Argila] (NH4+)3 + Al3+
Al3+ + 6H2O ↔ Al(OH)3 + 3H3O+

8) Absorção de nutrientes pelas plantas


Principais formas de alcalinidade no solo

 Cátions metálicos como K, Ca, Mg e Na predominando no


complexo de troca podem influenciar diretamente na
concentração de íons H+ (OH-):

Solo = Ca2++ 2 H2O ⇔ Solo = 2H++ Ca2++ 2OH-

 Quanto maior a participação de alcalinos e alcalinos-terrosos


(saturação de bases) no complexo de troca, maior será o pH do
solo.

 Uso excessivo de calcário


Influência do pH sobre a disponibilidade de nutrientes
EFEITOS NOCIVOS DA ACIDEZ

A elevada acidez de grande parte dos SOLOS TROPICAIS


condiciona uma alta atividade do Al na solução do solo,
DEFICIÊNCIA de Ca, Mg e P.

Principais sintomas de toxicidade do Al3+ podem ser observados no


sistema radicular:
- Raízes caracteristicamente curtas e grossas;
- Inibição do crescimento e coloração escura;
- Predisposição da planta injuriada a infecções por fungos;
- Inibição da divisão celular, com a conseqüente inibição do
alongamento celular
CORREÇÃO DA ACIDEZ DO SOLO

 Uso do CALCÁRIO
Consiste na aplicação no solo de materiais que neutralizam a
acidez, ou seja, uso de materiais de reação básica (OH-) e que tem
em comum Ca+ Mg = CALAGEM.

Fontes: CaCO3 (Calcário calcítico) MgCO3 (Calcário Magnesiano),


Ca,MgCO3 (Calcário dolomítico)

IMPORTANTE
A reação do calcário com o solo é relativamente lenta e depende,
basicamente, da disponibilidade de água. Por isso, recomenda-se que
sua aplicação no solo seja feita com alguma antecedência ao plantio,
de modo que, na época de estabelecimento das culturas, a acidez já
tenha sido, pelo menos, parcialmente corrigida.
VANTAGENS DA CALAGEM

 Corrigir a acidez do solo, pela neutralização do H+.


 Corrigir a toxidez do Al e de Mn
 Fornecer Ca e Mg para as plantas,
 Gerar cargas negativas no solo e, consequentemente, aumentar a
retenção de cátions (maior CTCefetiva);
 Aumenta a disponibilidade de P e Mo
 Aumenta a atividade microbiana - maior decomposição da
Matéria Orgânica;

g) Propiciar condições para melhor crescimento dos sistema


radicular e aumentar a absorção de água e nutrientes;
ÉPOCA E MODO DE APLICAÇÃO DO CALCÁRIO
- Aplicado dois a três meses antes do plantio
- Distribuído uniformemente sobre a superfície do solo
- Incorporado com arado e grade

Aplicação superficial

 Baixo custo
 Não há revolvimento do solo;
 Correção somente das camadas superficiais;

Incorporação

 ↑ área de contato solo/calcário


 Correção mais uniforme em profundidade;
 ↑ custo com operações
 Destruturação e ↑ risco de erosão
Muito obrigado pela atenção!!!