Você está na página 1de 85

Manual do Operador

PowerCommand® 1.1 Controle

Portuguese (Brazilian) – Translation of the Original Instructions 10-2009 0908-0145-16 (Issue 3)


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

PREFÁCIO
O objetivo deste manual é disponibilizar ao Operador informações de qualidade e de âmbito geral relativas
à utilização e manutenção diária do grupo gerador. Consulte o manual específico do motor para obter
informações adicionais sobre o motor, o qual deverá ler igualmente antes de utilizar o grupo gerador.
Tem como objetivo orientar e fornecer assistência e é acompanhado por recomendações para
procedimentos corretos e em segurança. A Cummins Power Generation Limitada não pode aceitar qualquer
responsabilidade relativamente a problemas resultantes das seguintes recomendações constantes deste
manual.
As informações incluídas neste manual baseiam-se em informações disponíveis no momento do envio para
impressão. No seguimento da política de desenvolvimento e melhoramento contínuo da Cummins Power
Generation Limitada, as informações podem ser alteradas em qualquer momento sem aviso prévio. Por
conseguinte, os Operadores devem garantir que, antes de começarem a trabalhar, possuem as
informações mais recentes disponíveis.
Ficam os operadores informados de que é da sua responsabilidade a contratação de indivíduos
competentes para a realização das tarefas de instalação no interesse das boas práticas e da segurança.
Consulte o seu Distribuidor Autorizado para obter mais informações sobre a instalação. É essencial que
sejam tomadas todas as precauções relativas à aplicação, instalação e operação de qualquer motor diesel
devido à sua natureza potencialmente perigosa. Devem também ser consultados atentamente outros
documentos da Cummins Power Generation Limitada, particularmente o Manual de Saúde e Segurança
0908-0110-07(PO).
Caso necessite de mais assistência, contate: -

Cummins Power Generation Cummins Power Generation Cummins Power Generation


1400 73rd Avenue NE Columbus Avenue 10 Toh Guan Road #07-01
Minneapolis Manston Park TT International Tradepark
MN 55432 Manston Singapour 608838
USA Ramsgate
Kent CT12 5BF
Royaume-Uni

Tél.: +1 (763) 574-5000 Tél.: +44 (0) 1843 255000 Tél.: (65) 6417 2388
Fax: +1 (763) 574 -5298 Fax: +44 (0) 1843 255902 Fax: (65) 6417 2399

e-mail: pgamail@cummins.com e-mail: cpgk.uk@cummins.com e-mail: cpg.apmktg@cummins.com

Web: www.cumminspower.com Web: www.cumminspower.com Web: www.cumminspower.com

Cummins Power Generation Cummins Power Generation


35A/1/2, Erandawana Rua Jati, 310 - Cumbica
Pune 411 038 Guarulhos –SP
India Brazil
CEP: 07180-900

Tel.: (91 020) 6602 7525 Tel.: (55 11) 2186 4195
Fax: (91 020) 6602 8090 Fax: (55 11) 2186 4729

e-mail: cpgindia@cummins.com e-mail: falecom@cumminspower.com.br

Web: www.cumminspower.com Web: www.cumminspower.com


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

Publicações específicas do motor


AVISO: O manual do operador do motor inclui importantes informações adicionais sobre o
motor. Deverá ler essas informações em conjunto com o Manual do Comando
antes de tentar ligar o grupo gerador.
Deverá ler o manual específico do motor relevante em conjunto com este manual para uma
utilização e manutenção em segurança deste grupo gerador. O Manual do Operador do Motor –
Nível do Operador - será fornecido com o conjunto de documentos para o seu grupo gerador.

Publicações suplementares
As Publicações suplementares adequadas ao seu sistema também serão fornecidas. Sempre que
adequado, o (s) Manual (ais) de Instruções correspondentes adequados também serão fornecidos
com os acessórios que encomendar.
Título Publicação N.º
Bateria de acumuladores de chumbo e ácido 0908-0101-07(PO)
Informações sobre o radiador 0908-0107-07(PO)
Saúde e Segurança (Grupos geradores Diesel) 0908-0110-07(PO)

Caso necessite de mais informações detalhadas, estão disponíveis os manuais de operação,


manutenção e assistência do motor. Contate o seu distribuidor autorizado.

Índice Página iii


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

ÍNDICE
Seção Título Página

Plano de abreviaturas ........................................................................................................ i

1. Instruções preliminares e de segurança .............................................................. 1


1.1 Tipos de Alarmes, Avisos e Notas de Segurança utilizados neste Manual....................................1
1.2 Informação geral .............................................................................................................................1
1.3 Código de segurança das instalações do gerador..........................................................................1
1.3.1 Posicionamento do grupo gerador ...........................................................................................1
1.3.2 Alimentação CA e isolamento ..................................................................................................2
1.3.3 Derrame....................................................................................................................................2
1.3.4 Contenção de fluidos ................................................................................................................2
1.3.5 Precauções de escape .............................................................................................................2

2. Introdução ............................................................................................................... 3
2.1 Aspectos Gerais..............................................................................................................................3
2.2 Identificação do grupo gerador .......................................................................................................3
2.3 Serviços pós-venda.........................................................................................................................4
2.3.1 Manutenção ..............................................................................................................................4
2.3.2 Garantia ....................................................................................................................................4
2.3.3 Peças sobressalentes ..............................................................................................................4
2.3.4 Estrangeiro ...............................................................................................................................4
2.3.5 Documentação adicional ..........................................................................................................4

3. Resumo do sistema................................................................................................ 5
3.1 Carenagem SilentPower™ - Características principais ..................................................................5
3.2 Componentes do gerador – Grupo gerador típico ..........................................................................6
3.3 Potência nominal do gerador ..........................................................................................................7
3.4 Motor ...............................................................................................................................................7
3.4.1 Sistema de comutação de combustível (onde instalado).........................................................8
3.4.2 Carregador da bateria alimentado pela rede – instalado no grupo gerador (Opção) ..............8
3.4.3 Isolador de bateria (onde instalado) .........................................................................................9
3.4.4 Módulo de alarme (Opção).......................................................................................................9
3.4.5 Sensores...................................................................................................................................9
3.5 Alimentação CA e isolamento .......................................................................................................10
3.6 Aquecedores .................................................................................................................................10
3.6.1 Alimentação e isolamento do aquecedor ...............................................................................10
3.7 Carregador da bateria alimentado pela rede (Opção) ..................................................................10
3.7.1 Operação ................................................................................................................................10

4. Sistema de controle.............................................................................................. 11
4.1 Descrição do sistema de controle.................................................................................................11
4.1.1 Modos de operação ................................................................................................................12
4.2 Módulo de visualização - Painel dianteiro.....................................................................................14
4.2.1 Versão de visualização de texto ou símbolos ........................................................................15
4.2.2 LEDs Indicadores ...................................................................................................................16
4.2.3 Visor gráfico e Botões ............................................................................................................17
4.2.4 Predefinições ..........................................................................................................................18
4.3 Módulo de visualização – Mensagens do sistema........................................................................19
4.3.1 Mensagens de comunicação..................................................................................................19
4.3.2 Mensagens do evento ............................................................................................................20
4.3.3 Mensagens de falha ...............................................................................................................20
4.3.4 Confirmação de falha..............................................................................................................21
4.3.5 Mensagens de estado ............................................................................................................21

Índice Página i
Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

ÍNDICE
Seção Título Página

4.4 Módulo de visualização – Menus do Operador............................................................................ 22


4.5 Módulo de visualização – Modos de Funcionamento Auto e Manual.......................................... 25
4.5.1 Introduzir o código de acesso para alteração de modo......................................................... 25

5. Operação ............................................................................................................... 31
5.1 Segurança .................................................................................................................................... 31
5.2 Introdução..................................................................................................................................... 31
5.3 Manutenção.................................................................................................................................. 31
5.4 Recomendações de operação ..................................................................................................... 32
5.4.1 Rodagem ............................................................................................................................... 32
5.4.2 Operação sem carga ............................................................................................................. 32
5.4.3 Período de “exercício”............................................................................................................ 32
5.4.4 Temperaturas de funcionamento baixas ............................................................................... 32
5.4.5 Temperaturas de funcionamento elevadas ........................................................................... 32
5.4.6 Condições de funcionamento para purga, espera e potências contínuas nominais............. 33
5.4.7 Fatores de redução da capacidade ....................................................................................... 34
5.5 Operação do grupo gerador ......................................................................................................... 35
5.5.1 Sequência de operação ......................................................................................................... 36
5.6 Arranque....................................................................................................................................... 36
5.6.1 Verificações pré-arranque iniciais.......................................................................................... 37
5.6.2 Verificações pré-arranque do Operador ................................................................................ 38
5.6.3 Arranque no painel de visualização (Modo de Funcionamento Manual) .............................. 39
5.6.4 Arranque a partir de um local remoto (Modo Auto) ............................................................... 40
5.6.5 Arranque a frio com cargas ................................................................................................... 40
5.7 Parada ............................................................................................ Error! Bookmark not defined.
5.7.1 Parada no painel de visualização (Modo Manual)................................................................. 41
5.7.2 Parada a partir de local remoto (Modo Auto) ........................................................................ 41
5.7.3 Parada de Emergência (Código 1433 ou 1434) .................................................................... 41

6. Manutenção ........................................................................................................... 43
6.1 Aspectos Gerais ........................................................................................................................... 44
6.2 Bloquear o grupo gerador em inatividade .................................................................................... 47
6.2.1 Introdução .............................................................................................................................. 47
6.2.2 Imobilizar o equipamento para trabalhar em segurança ....................................................... 47
6.3 Procedimentos de manutenção diários ou de reabastecimento .................................................. 48
6.3.1 Informação geral .................................................................................................................... 48
6.3.2 Relatório de funcionamento do motor.................................................................................... 48
6.4 Sistema de refrigeração ............................................................................................................... 49
6.4.1 Nível de refrigerante – Verificação ........................................................................................ 49
6.4.2 Ventilador de refrigeração – Inspeção................................................................................... 50
6.4.3 Correia de transmissão – Inspeção ....................................................................................... 50
6.4.4 Radiador – Verificação........................................................................................................... 50
6.5 Óleo do motor............................................................................................................................... 51
6.5.1 Nível do óleo do motor – Verificação..................................................................................... 51
6.6 Sistema de combustível ............................................................................................................... 52
6.6.1 Nível de combustível.............................................................................................................. 52
6.6.2 Separadores de combustível/água – Drenar......................................................................... 52
6.7 Contenção de fluidos.................................................................................................................... 53
6.8 Tubos e linhas de combustível – Verificação............................................................................... 53
6.9 Sistema de escape....................................................................................................................... 53
6.10 Sistema elétrico CA...................................................................................................................... 54
6.11 Sistema elétrico CC...................................................................................................................... 54

Página ii Índice
Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

ÍNDICE
Seção Título Página

7. Resolução de problemas ..................................................................................... 55


7.1 Introdução .....................................................................................................................................55
7.2 Unidade de controle ......................................................................................................................55
7.3 Considerações de segurança .......................................................................................................56
7.4 Detecção de falhas .......................................................................................................................57
7.5 Indicadores de estado...................................................................................................................58
7.6 Códigos de falha/estado ...............................................................................................................59
7.6.1 Falhas de entrada do cliente ..................................................................................................69

Ilustrações
Figura Título Página
Figura 1 Placa de especificações típica do grupo gerador .............................................................3
Figura 2 Placa de especificações do grupo gerador blindado típica ..............................................3
Figura 3 Carenagem SilentPower™ típica......................................................................................5
Figura 4 Grupo gerador C50 típico..................................................................................................6
Figura 5 Componentes Típicos do Motor (B3.3) .............................................................................7
Figura 6 Painel dianteiro do módulo de alarme ..............................................................................9
Figura 7 Painel de sistema de comando típico .............................................................................11
Figura 8 Módulo de visualização – Painel dianteiro......................................................................14
Figura 9 Botões de controle ..........................................................................................................18
Figura 10 Mensagem A estabelecer comunicações .......................................................................19
Figura 11 Mensagem A restabelecer comunicações ......................................................................19
Figura 12 Mensagem do Evento .....................................................................................................20
Figura 13 Mensagens de falha – Versão de texto ..........................................................................20
Figura 14 Mensagens de falha – Versão de símbolos....................................................................20
Figura 15 Mensagem de Estado de Gravação de Dados ...............................................................21
Figura 16 Menus do Operador – Versão de Texto..........................................................................23
Figura 17 Menus do Operador – Versão de Símbolos....................................................................24
Figura 18 Menu Alterar Modo..........................................................................................................25
Figura 19 Selecionar o Modo Auto..................................................................................................27
Figura 20 Selecionar o modo de Funcionamento Manual ..............................................................29
Figura 21 Selecionar o modo Off ....................................................................................................30
Figura 22 Painel de visualização.....................................................................................................58

Tabelas
Tabela Título Página
Tabela 1 Símbolos .........................................................................................................................15
Tabela 2 Programa de Manutenção Periódica ..............................................................................45
Tabela 3 Códigos de falha .............................................................................................................60
Tabela 4 Procedimentos para resolução de problemas de códigos de falha ................................70

Índice Página iii


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

Esta página foi deixada intencionalmente em branco

Página iv Índice
Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

Plano de abreviaturas
CA Corrente Alternada MCB Disjuntor miniatura
ACB Disjuntor do ar comprimido MCCB Disjuntor de caixa moldada
ACH Aquecedores anti-condensação MF Falha do setor
ATS Interruptor de transferência automática MFSS Sensor de arranque principal
AVR Regulador de voltagem automático MR Restabelecimento do setor
MST Transformador de detecção do setor
BHP Potência efetiva dos travões MSU Unidade de detecção do setor
BMS Sistema de gestão do edifício MV Média voltagem
BST Transformador de detecção do
barramento
NEC Contato da terra neutra
CB Disjuntor
AAF Amps de arranque a frio PC PowerCommand®
CHP Calor e potência combinados PF Fator de potência
COP Potência contínua nominal PFC Controlador do fator de potência
CT Transformador de corrente PLC Controlador de Lógica Programável
PMG Gerador de imã permanente
dB(A) Unidade de nível de ruído PRP Potência principal nominal
DC Corrente contínua PSU Unidade de alimentação de corrente
INTERR Pacote em linha duplo Transformador de potencial / Transformador
PT/CT
UPÇÃO de corrente
DMC Comando digital principal
DMSU Unidade de espera de carga pedida QCC Controle de corrente em quadratura

EMCU Monitorização do motor e unidade RFI Interferência de radiofreqüência


controle
EMF Força eletromotriz RMS Raiz quadrada média
EPU Unidade de proteção do motor RPM Rotações por minuto
RTD Detector de temperatura da resistência
FSS Sensor primeiro arranque

GCP Painel de controle do gerador V Volts


Grupo Grupo gerador VAC Volts, Corrente alternada
gerador
GKWT Transdutor de kilowatts global VCB Disjuntor de vácuo
VCC Volts, Corrente Contínua
HMI Interface Homem/Máquina VF Sem voltagem
HV Alta voltagem VT Transformador de tensão

IC Circuito integrado
I/O Entrada / Saída

kVA Potência aparente


kVAR Potência reativa
kW Potência ativa / real
kWh Unidade de energia elétrica ou trabalho

LED Diodo emissor de luz


LTP Valor nominal de potência de tempo
limitado
LTA Pós-refrigeração de baixa temperatura
LV Baixa voltagem

Plano de abreviaturas Página i


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

Esta página foi deixada intencionalmente em branco

Página ii Plano de abreviaturas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

SEÇÃO 1 – INSTRUÇÕES PRELIMINARES E DE


SEGURANÇA
1. Instruções preliminares e de segurança
1.1 Tipos de Alarmes, Avisos e Notas de Segurança
utilizados neste Manual
Os seguintes tipos de segurança que podem ser encontrados ao longo deste manual indicam
condições potencialmente perigosas para o operador, para o pessoal de serviço e para o
equipamento.
ADVERTÊNCIA: ADVERTE PARA UM PERIGO QUE PODE RESULTAR EM GRAVES
FERIMENTOS OU MORTE.
Aviso: Avisa para um perigo ou para uma prática pouco segura que pode resultar em
danos no produto ou noutro equipamento.
Nota: Um pequeno texto que fornece informações que complementam o texto atual.

1.2 Informação geral


Este manual deve fazer parte do pacote de documentos fornecido pela Cummins Power
Generation Limitada juntamente com grupos geradores específicos. Caso este manual tenha sido
fornecido isoladamente, queira consultar outra documentação da Cummins Power Generation
Limitada, particularmente o Manual de Saúde e Segurança (0908-0110-07(PO)).
Nota: O Operador deve ler e compreender todas as informações de Saúde e
Segurança bem como todos As Advertências e Avisos que constam da
documentação e que sejam relevantes para o grupo gerador e a respectiva
operação e manutenção diária.

1.3 Código de segurança das instalações do gerador


Antes de utilizar o grupo gerador, leia os manuais e familiarize-se com os mesmos e o respectivo
equipamento. Uma operação segura e eficaz apenas poderá ser conseguida se o equipamento for
devidamente operado e conservado. São muitos os acidentes provocados pelo não cumprimento
das regras e precauções fundamentais.
ADVERTÊNCIA: UMA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO INCORRETAS PODEM PROVOCAR
GRAVES LESÕES OU MORTE E DANOS MATERIAIS DEVIDO A
INCÊNDIO, ELECTROCUSSÃO, AVARIA MECÂNICA OU ASFIXIA COM
GÁS DE ESCAPE. LEIA E CUMPRA TODAS AS PRECAUÇÕES DE
SEGURANÇA, ADVERTÊNCIAS E AVISOS CONSTANTES NESTE
MANUAL E NO MANUAL DE SAÚDE E SEGURANÇA 0908-0110-07(PO).

1.3.1 Posicionamento do grupo gerador


A área para posicionamento do grupo deve ser adequada e plana e a área imediatamente à volta
do grupo não deve integrar qualquer material inflamável.

Seção 1 – Instruções preliminares e de segurança Página 1


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

1.3.2 Alimentação CA e isolamento


É da exclusiva responsabilidade do cliente disponibilizar uma fonte de alimentação CA bem como
os meios necessários para isolar a entrada CA para a caixa de terminais. Consulte o diagrama de
elétrico fornecido com o grupo gerador.
Nota: É necessário um seccionador independente segundo a BS EN 12601:2001.
Nota: A alimentação CA deve ter a sobrecorrente e a proteção de falha de terra
corretas em conformidade com os códigos e regulamentações elétricas locais.
O seccionador não é fornecido juntamente com o grupo gerador e a Cummins Power Generation
Limitada não aceita qualquer responsabilidade pela disponibilização do meio de isolamento.

1.3.3 Derrame
Qualquer derrame que ocorra durante o abastecimento, o enchimento com óleo ou a mudança do
óleo deve ser limpo antes de ligar o grupo gerador.

1.3.4 Contenção de fluidos


Se a contenção de fluidos estiver integrada na estrutura base, deve ser inspecionada a intervalos
regulares. Todos os líquidos presentes devem ser drenados e eliminados em conformidade com
as regulamentações de saúde e segurança locais. (Consulte o manual de Saúde e Segurança
0908-0110-07(PO)). O não cumprimento desta indicação pode provocar derrames de líquidos que
podem contaminar a área circundante.
Qualquer outra área de contenção de fluidos também dever ser verificada e esvaziada, conforme
indicado acima.

1.3.5 Precauções de escape


ADVERTÊNCIA: O GÁS DE ESCAPE QUENTE PODE PROVOCAR QUEIMADURAS QUE
CONSTITUEM GRAVES LESÕES.
A saída de escape pode situar-se na parte de cima do grupo gerador, ou na parte de baixo;
certifique-se de que a saída de escape não fica obstruída. O pessoal que utilizar este
equipamento deve conhecer o posicionamento do escape.
ADVERTÊNCIA: O ISOLAMENTO CONTAMINADO CONSTITUI UM RISCO DE INCÊNDIO
QUE PODE PROVOCAR GRAVES LESÕES.
Os tubos de escape podem ter tampas de isolamento instaladas. Se estas tampas ficarem
contaminadas com combustível ou óleo, devem ser substituídas antes de se ligar o grupo gerador.
Para se minimizar o risco de incêndio, certifique-se de que cumpre os seguintes procedimentos:
• Certifique-se de que o motor arrefece totalmente antes de adicionar óleo ou drenar os filtros
de combustível.
• Limpe bem o tubo de escape.

Página 2 Seção 1– Instruções preliminares e de segurança


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

SEÇÃO 2 - INTRODUÇÃO
2. Introdução
2.1 Aspectos Gerais
Antes de tentar utilizar o gerador, o Operador deve ler todos os manuais fornecidos com o grupo
gerador e familiarizar-se com as Advertências e os Procedimentos de Operação.
Os geradores devem ser utilizados e mantidos de forma adequada se desejar usufruir de uma
operação segura e confiável. Este manual inclui um plano de manutenção e um guia de resolução
de problemas.

2.2 Identificação do grupo gerador


Todos os grupos geradores possuem uma Placa de especificações, conforme a ilustrada de
seguida. Disponibiliza informações exclusivas do grupo gerador.

Figura 1 Placa de especificações típica do grupo gerador

Figura 2 Placa de especificações do grupo gerador blindado típica

Seção 2 - Introdução Página 3


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

2.3 Serviços pós-venda


Oferecemos uma gama completa de serviços pós-venda conforme descrito de seguida:

2.3.1 Manutenção
ADVERTÊNCIA: UMA ASSISTÊNCIA OU SUBSTITUIÇÃO DE PEÇAS INCORRETA PODE
RESULTAR EM GRAVES FERIMENTOS, MORTE E/OU DANOS NO
EQUIPAMENTO. O PESSOAL DE SERVIÇO DEVE POSSUIR A FORMAÇÃO
ADEQUADA E EXPERIÊNCIA PARA PRESTAR ASSISTÊNCIA ELÉTRICA E/OU
MECÂNICA.
No caso dos clientes que desejem prestar assistência aos seus grupos geradores a intervalos
regulares, o seu distribuidor local oferece um contrato de manutenção completo. Estão abrangidos
todos os itens sujeitos a manutenção de rotina e inclui um relatório detalhado sobre o estado do grupo
gerador. Além disso, podemos prestar apoio telefônico 24 horas por dia, que permite uma assistência
de 365 dias por ano, se necessário. Temos disponíveis técnicos especializados que permitem manter
ótimos níveis de desempenho dos grupos geradores dos nossos clientes, e recomendamos que as
tarefas de manutenção sejam realizadas apenas por técnicos com formação adequada e experientes
indicados pelo seu distribuidor autorizado.

2.3.2 Garantia
Todos os grupos geradores possuem uma garantia de doze meses desde a data de comissionamento.
Também temos disponível uma garantia alargada. Em caso de avaria, é possível prestar assistência
habitualmente imediata por técnicos de serviço com formação na fábrica, com capacidade para realizar
todas as pequenas reparações no equipamento (e muitas de grande envergadura) no local.
Para mais detalhes sobre a garantia, contate o seu distribuidor autorizado.
Nota: Quaisquer danos provocados no grupo gerador em resultado direto de
funcionamento no modo Battle Short não serão abrangidos pela Garantia.
Nota: Serão rejeitadas as reivindicações de garantia para danos provocados em
quaisquer componentes caso seja utilizada a mistura de anticongelante incorreta
Queira contatar o seu distribuidor Cummins autorizado.

2.3.2.1 Limitações da Garantia


A Cummins Power Generation Limitada não é responsável pela reparação ou substituição do Produto
resultante do desgaste normal; acidente; uso incorreto; abuso; instalação incorreta; falta de
manutenção; modificações não autorizadas; armazenamento inadequado; negligência; combustível
inadequado ou contaminado; ou a utilização de peças que não cumpram as especificações da
Cummins Power Generation Limitada.

2.3.3 Peças sobressalentes


Temos disponível um departamento de peças sobressalentes completo para fazer face a qualquer
avaria de emergência e para o técnico que realiza a sua própria manutenção de rotina. Queira contatar
o seu distribuidor Cummins autorizado. Quando encomendar peças sobressalentes, indique os N.ºs da
Instalação, N.ºs de série e Refª das peças.

2.3.4 Estrangeiro
Agentes e representantes em quase 100 países oferecem serviços de instalação e pós-venda para o
equipamento fornecido. Podemos indicar-lhe o nome e o endereço do agente para a sua região.
Para mais detalhes sobre algum dos serviços acima, contate o seu distribuidor autorizado.

2.3.5 Documentação adicional


Caso necessite de informações adicionais e mais detalhadas relativas ao motor ou ao alternador,
queira contatar o seu distribuidor autorizado. Indique os N.ºs das Instalações e os N.ºs de Série.

Página 4 Seção 2– Introdução


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

SEÇÃO 3 – RESUMO DO SISTEMA


3. Resumo do sistema
O comando PowerCommand®1.1 consiste num quadro de comando com AVR integral e um
painel de visualização separado (HMI). Estas unidades encontram-se integradas na caixa de
comando, a qual se está instalada na estrutura base, na traseira do grupo gerador. Se necessário,
a unidade completa pode ser integrada numa carenagem SilentPower™.
O PowerCommand®1.1 também permite que se acrescente um segundo painel de visualização
remoto; um gráfico de barras; e um anunciador. Para mais informações, contate o seu distribuidor
autorizado.

3.1 Carenagem SilentPower™ - Características principais

Figura 3 Carenagem SilentPower™ típica

CHAVE
1. Painel de Controle 4. Porta com chave para segurança
2. Elevação num só ponto (até 125kVA) 5. Encaixe compatível com empilhadeira
3. Botão de parada de emergência externo

Seção 3 – Resumo do sistema Página 5


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

3.2 Componentes do gerador – Grupo gerador típico


Os componentes principais de um Grupo Gerador C50 típico são ilustrados de seguida e descritos
nesta seção. Consulte o manual do Operador, específico do motor, para obter informações
adicionais, específicas do grupo gerador.
Estão discriminadas várias opções apesar de poderem não estar disponíveis para todos os
modelos.

Figura 4 Grupo gerador C50 típico

CHAVE OPÇÕES
1. Radiador Bateria e tabuleiro
2. Motor Módulo alarme
3. Controlador PCC Carregador de baterias
4. Bateria Aquecedor do líquido de refrigeração do motor
5. Alternador Aquecedor do alternador
6. Estrutura base

Página 6 Seção 3– Resumo do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

3.3 Potência nominal do gerador


Para detalhes sobre a potência nominal do seu grupo gerador, consulte a Placa de especificações
respectiva. Consulte a Seção 5.4 para informações sobre o funcionamento a temperaturas ou
altitudes acima das indicadas na Placa de Especificações.

3.4 Motor
Para obter informações específicas sobre o motor, consulte o manual do motor relevante
fornecido com a documentação do grupo gerador.

Figura 5 Componentes Típicos do Motor (B3.3)

LEGENDA
1. Tampão do óleo
2. Correia da ventilador
3. Vareta do óleo

Seção 3 – Resumo do sistema Página 7


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

3.4.1 Sistema de comutação de combustível (onde instalado)


É disponibilizado um sistema de válvula de combustível de 3 vias para permitir que o grupo
gerador seja abastecido diretamente a partir de um depósito externo.
Sempre que o sistema incluir duas válvulas, é essencial que ambas as válvulas se encontrem na
mesma posição para evitar o seguinte:
• Derrame de combustível pelo respiro do depósito do grupo gerador quando o combustível é
extraído do depósito externo e o derrame devolvido para o depósito do grupo gerador.
• Falta de combustível quando o combustível é extraído do depósito do grupo gerador e o
derrame devolvido para o depósito externo.
ADVERTÊNCIA: NÃO TENTE ACIONAR O GRUPO GERADOR COM AS VÁLVULAS
REGULADAS PARA O ABASTECIMENTO DO DEPÓSITO EXTERNO E
COM OS TAMPÕES DE VEDAÇÃO INSTALADOS POIS PROVOCARÁ
DANOS NO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL DO MOTOR.
Nota: Consulte o seu distribuidor autorizado para determinar a pressão máxima de
combustível permitida na bomba de combustível do grupo gerador.

3.4.2 Carregador da bateria alimentado pela rede – instalado no grupo


gerador (Opção)
Está disponível um carregador da bateria bifásico opcional alimentado através da rede, que pode
ser montado no painel, no intuito de manter a bateria carregada quando o grupo gerador não
estiver em funcionamento.
Nota: É da exclusiva responsabilidade do Cliente disponibilizar a fonte de
alimentação bem como os meios de isolamento da alimentação para o
carregador.
A Cummins Power Generation Limitada não aceita qualquer responsabilidade
pela disponibilização dos meios de isolamento.
Nota: A alimentação CA deve ter a sobrecorrente e a proteção de falha de terra
corretas em conformidade com os códigos e regulamentações elétricas locais.

Página 8 Seção 3– Resumo do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

3.4.3 Isolador de bateria (onde instalado)


É fornecido um isolador de bateria que isola a alimentação negativa da bateria para o motor. Pode
ser utilizado para isolar a bateria no intuito de se evitar a drenagem da bateria durante períodos
prolongados de inatividade do grupo gerador ou quando não estiver disponível carregamento
estático da bateria.
ADVERTÊNCIA: O INTERRUPTOR ISOLADOR DA BATERIA NÃO DEVE SER UTILIZADO
ENQUANTO O GRUPO GERADOR ESTIVER EM FUNCIONAMENTO NEM
DEVE SER UTILIZADO PARA PARAR O GRUPO GERADOR.

3.4.4 Módulo de alarme (Opção)


O Módulo de alarme emite avisos audíveis. Um interruptor basculante disponibiliza os meios para
ligar ou desligar o dispositivo de alarme.

Módulo alarme

Alarme
Carregue
Buzina para silenciar
silenciada buzina

Figura 6 Painel dianteiro do módulo de alarme

3.4.5 Sensores
A medição de vários parâmetros do grupo gerador é feita por sensores, sendo os sinais
resultantes processados pelo quadro de controle.
Os sensores montados no motor permitem a monitorização dos seguintes sistemas:
• Pressão do Óleo Lubrificante
• Temp. do Sistema de refrigeração
• Áreas diversas

Seção 3 – Resumo do sistema Página 9


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

3.5 Alimentação CA e isolamento


É da exclusiva responsabilidade do cliente disponibilizar uma fonte de alimentação bem como os
meios necessários para isolar a entrada CA para a caixa de terminais. Consulte o diagrama
elétrico fornecido com o grupo gerador.
Nota: É necessário um seccionador independente segundo a BS EN 12601:2001.
Nota: A alimentação CA deve ter a sobrecorrente e a proteção de falha de terra
corretas em conformidade com os códigos e regulamentações elétricas locais.
ADVERTÊNCIA: O SECCIONADOR NÃO É FORNECIDO JUNTAMENTE COM O GRUPO
GERADOR E A CUMMINS POWER GENERATION LIMITADA NÃO ACEITA
QUALQUER RESPONSABILIDADE PELA DISPONIBILIZAÇÃO DO MEIO
DE ISOLAMENTO.

3.6 Aquecedores
Aviso: O(s) aquecedor (es) não deve (m) ser energizado (s) se o sistema de
refrigeração tiver sido drenado.

3.6.1 Alimentação e isolamento do aquecedor


É necessária uma alimentação do aquecedor para que os aquecedores do motor e do alternador
funcionem (se instalados). Consulte a Seção 3.5.
Nota: Este seccionador não é fornecido juntamente com o grupo gerador.
Nota: É da exclusiva responsabilidade do cliente disponibilizar uma fonte de
alimentação bem como os meios necessários para isolar a entrada CA para a
caixa de terminais. A Cummins Power Generation Limitada não aceita qualquer
responsabilidade pela disponibilização dos meios de isolamento.

3.7 Carregador da bateria alimentado pela rede (Opção)


Aviso: Isole o carregador antes de desligar a bateria.

3.7.1 Operação
A unidade mantém a bateria totalmente carregada sem sobrecarga. A unidade também fornece
um carregamento rápido, sempre que tal seja necessário, com uma corrente nunca superior à
saída nominal.
O circuito de controle eletrônico do carregador permite que o carregador fique em circuito durante
a colocação em marcha do motor e para funcionar em paralelo com o alternador de carga.
O carregador fornece corrente ao sistema de bateria quando a voltagem nos terminais da bateria
for igual à voltagem flutuante determinada, momento em que apenas existe uma corrente de
carga de compensação. Quando a bateria começa a ficar descarregada devido à existência de
uma carga e à queda de tensão no terminal, o carregador voltará a fornecer corrente para
restabelecer a tensão da bateria até à voltagem flutuante.

Página 10 Seção 3– Resumo do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

SEÇÃO 4 – SISTEMA DE CONTROLE


4. Sistema de controle
4.1 Descrição do sistema de controle
O sistema de controle é utilizado para ligar e parar o grupo gerador e proporciona capacidade
total de monitorização e proteção do grupo gerador numa situação autônoma (não paralela) a
partir do display do visor. Monitoriza a temperatura, a pressão do óleo e a rotação do motor bem
como medições de tensão e corrente. Em caso de falha, a unidade indicará o tipo de falha e
interromperá automaticamente o grupo gerador em caso de falha grave.
Todos os indicadores, botões de controle e visor gráfico situam-se na superfície do módulo de
visualização, conforme ilustrado na Figura 7.
Existem dois níveis de sinais de falha gerados pelo sistema de controle, da seguinte forma.
• Alarme: - indica uma falha do motor iminente ou não fatal. O comando fornece uma indicação
apenas para esta condição.
• Interrupção: - indica uma falha potencialmente fatal para o motor. O comando retira
imediatamente o motor de carga e interrompe-o automaticamente.
O sistema de controle standard é alimentado por uma bateria de 12 ou 24VCC O equipamento
auxiliar funciona com corrente alternada de baixa voltagem. Estas informações são armazenadas
numa memória não volátil e não serão eliminadas devido à perda de alimentação da bateria.

Figura 7 Painel de sistema de comando típico

LEGENDA:
1. Módulo de visualização
2. Módulo de alarme (Opção)
3. Botão de parada de emergência

Seção 4 – Sistema de controlo Página 11


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.1.1 Modos de operação


O PowerCommand®1.1 é acionado através dos botões Manual Run/Off/Auto existentes na
superfície do módulo de visualização.

4.1.1.1 Modo Off (desligado)


Quando estiver no modo Off (desligado), o comando não deixa o grupo gerador arrancar.
Consulte a Seção 4.5 – Modos Auto e Manual Run – para reiniciar o grupo gerador.
Se o grupo gerador estiver em funcionamento, no modo Funcionamento Manual ou Auto, e
pressionar o botão Off, será iniciada uma seqüência de interrupção normal.
Pressionar o botão de modo Off resulta na reposição de todas as falhas ativas.

4.1.1.2 Modo de funcionamento manual


Quando estiver no modo de Funcionamento Manual, o grupo gerador arranca e continua a
funcionar até o comando ser colocado no modo Off (desligado). Se pressionar o botão Off inicia
uma seqüência de interrupção normal que não inclui uma parada por atraso de tempo. Enquanto
estiver no modo de Funcionamento Manual, são ignorados todos os sinais de arranque remoto.

4.1.1.3 Modo Auto


Quando estiver no modo Auto, o comando permite que o grupo gerador seja ligado em qualquer
momento, apenas com um sinal remoto. Quando é recebido um sinal de arranque remoto, o grupo
gerador arranca depois de concluído um arranque com atraso de tempo (o atraso predefinido é de
zero segundos).
Quando todos os sinais de arranque remoto são removidos, o comando executa uma seqüência
de interrupção normal que inclui uma parada por atraso de tempo (o atraso predefinido é de zero
segundos).
Se o grupo gerador estiver a funcionar no modo Auto e pressionar o botão Off (desligado), o
comando pára imediatamente o grupo gerador e o comando passa para o modo Off.

4.1.1.4 Modo Inativo


O comando PowerCommand®1.1 entra num modo de baixo consumo de energia (Inativo) onde a
corrente necessária é inferior a 60 miliamps (CC) com níveis de tensão da bateria normais. O
modo Inativo é ativado automaticamente e o módulo de visualização desliga-se decorridos cinco
minutos de inatividade do teclado no modo Off ou Auto. Sai do modo Inativo caso carregue em
alguma tecla.
O comando não entrará no modo Inativo se houver quaisquer falhas de interrupção ativas não
confirmadas, se o comando estiver no modo Manual.
Nota: (O modo Inativo pode ser desativado, contate o seu distribuidor autorizado).

Página 12 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

4.1.1.5 Modo “Battle Short”


O objetivo do modo “Battle Short” é o cumprimento dos requisitos de códigos locais, onde
necessário. Para utilizar esta função, o software necessário deve ser instalado na fábrica quando
da aquisição do PowerCommand®1.1.
O modo “Battle Short” é um modo de operação do grupo gerador que impede que o grupo gerador
seja interrompido por praticamente todas as falhas de interrupção críticas selecionadas.
Aviso: Todas as falhas de interrupção, incluindo as ignoradas pelo modo “Battle Short”,
devem ser corrigidas imediatamente no intuito de garantir a segurança e o bem-
estar do operador e do grupo gerador.
ADVERTÊNCIA: A UTILIZAÇÃO DESTA FUNÇÃO PODE PROVOCAR UM INCÊNDIO OU UM
RISCO ELÉTRICO, PROVOCANDO GRAVES LESÕES OU MORTE E/OU
DANOS MATERIAIS E NO EQUIPAMENTO. A OPERAÇÃO DO GRUPO
GERADOR DEVE SER SUPERVISIONADA DURANTE O MODO “BATTLE
SHORT”.
Esta função deve ser utilizada apenas durante a operação temporária e supervisionada do grupo
gerador. As falhas ignoradas durante o modo “Battle Short” podem afetar o desempenho do grupo
gerador ou provocar danos permanentes no motor, no alternador ou no equipamento ligado.
Esta função deverá ser ativada apenas por pessoal de serviço experiente e com a formação
adequada. Esta função é desativada ao sair de fábrica.
Aviso: Se selecionar este modo de operação, a proteção de dispositivos de carga será
desativada. A Cummins Power Generation não será responsável por qualquer
reivindicação resultante da utilização deste modo.
O modo “Battle Short” é ligado ou desligado através de um interruptor externo ligado a uma das
duas entradas configuradas pelo cliente ou de um interruptor de software no módulo de
visualização.
Nota: A função “Battle Short” deve ser ativada ou desativada utilizando a ferramenta de
Serviço de PC.
Quando ativada, a entrada do interruptor “Battle Short” pode ser definida utilizando um menu de
Configuração. Para ativar o modo “Battle Short” utilizando o interruptor de software no módulo de
visualização, a função “Battle Short” deve estar definida para o Painel do Operador e ativada
utilizando a Ferramenta de Serviço de PC. (Por predefinição, está Inativa).
Quando o modo “Battle Short” é ativado, o indicador do estado de Alarme acende e é visualizado
o código de falha 1131 – “Battle Short” Ativo.
Quando o modo “Battle Short” está ativado e ocorre uma falha de interrupção ignorada, a luz de
interrupção permanece acesa apesar de o grupo gerador continuar a funcionar. É visualizado o
código de falha 1416 – Falha na parada. Se pressionar os botões ▲, ▼ ou ◄ para confirmar a
falha, a mensagem de falha desaparece do display, mas permanece no arquivo do Histórico de
Falhas com um asterisco (* indica uma falha ativa) enquanto o modo “Battle Short” estiver ativo.
A função “Battle Short” é interrompida e ocorre uma interrupção imediatamente se ocorrer
qualquer das seguintes falhas de interrupção graves:
• Sem sinal de velocidade (Perda de Detecção de Velocidade) Código de falha 121
• Sobrevelocidade Código de falha 234
• Parada de emergência local Código de falha 1433
• Parada de emergência remota Código de falha 1434
• Falha Excitação (Perda de detecção de tensão) Código de falha 2335
Ou
• A função “Battle Short” é desativada depois de ocorrer uma falha de interrupção ativa durante
o modo “Battle Short”. É então visualizado o código de falha 1123 – Interrupção após “Battle
Short”.

Seção 4 – Sistema de controlo Página 13


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.2 Módulo de visualização - Painel dianteiro


A Figura 8 ilustra as funções do painel dianteiro. Inclui seis LED indicadores, o visor gráfico e seis
botões utilizados para navegar nos menus e ajustar parâmetros.

Figura 8 Módulo de visualização – Painel dianteiro

LEGENDA:

1. LED Indicador – Não em Auto 7. Botão de Modo Desligado do Grupo Gerador

2. LED Indicador – Interrupção 8. Botão Display Anterior

3. LED Indicador – Alarme 9. Botões de seleção (quatro)


(para utilização com o Item 10)
4. LED Indicador – Arranque remoto 10. Barra de Menus (disponibilização para quatro símbolos)

5. LED Indicador – Auto 11. Visor gráfico LCD

6. LED Indicador – Funcionamento


Manual

Página 14 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

4.2.1 Versão de visualização de texto ou símbolos


Este visor gráfico pode ser definido para mostrar o texto (apenas em inglês) ou os símbolos para
mensagens de falha, alguns menus do Operador e o menu de Mudança de Modo. A Tabela 1 inclui
descrições dos símbolos utilizados habitualmente. São utilizadas combinações de símbolos para
visualizar algumas condições de falha. Também são utilizados símbolos especiais adicionais para
algumas falhas (consulte a Seção 7.6).
Durante o envio da fábrica, o visor está definido para símbolos. É necessário pessoal de serviço
qualificado para alterar a predefinição.

SÍMBOLO DESCRIÇÃO

Texto apresentado – Tradução


Apenas em inglês

Generator Warning Fault Falha de advertência do gerador

Generator Shutdown Fault Falha de desligamento do gerador

Coolant Temperature Temperatura do refrigerante

Oil Pressure Pressão de Óleo

Voltage Alternating Current (VAC) Voltagem em Corrente Alternada (VCA)

Voltage Direct Current (VDC) Voltagem em Corrente Contínua (VCC)

AC Current Corrente CA

Hz Frequency Freqüência

Battery Bateria

Out of Range Fora de parâmetros

High or Pre-High Alta ou pré-alta

Low or Pre-Low Baixa ou pré-baixa

Annunciator Anunciador

Over Speed Sobrevelocidade

Crank Fail Falha de arranque

Emergency Stop Parada de emergência

Tabela 1 Símbolos

Seção 4 – Sistema de controlo Página 15


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.2.2 LEDs Indicadores


A Figura 8 ilustra o painel dianteiro do Módulo de Visualização. Inclui seis LEDs indicadores, o
visor gráfico e seis botões utilizados para navegar nos menus e ajustar parâmetros.

Não em Auto
Esta luz vermelha acende-se quando o comando NÃO estiver em Auto.

Estado de Interrupção
Esta luz vermelha acende-se sempre que o comando detectar uma condição de desligamento.
Não é possível iniciar o grupo gerador quando esta lâmpada estiver acesa. Depois de a condição
ser corrigida, a luz pode ser reposta pressionando o botão Off.
Nota: Quando o modo “Battle Short" tiver sido ativado e ocorrer uma falha de interrupção
ignorada, a luz de Interrupção acende-se ainda que o grupo gerador continue a
funcionar.

Advertência
Esta luz amarela acende-se sempre que o comando detectar uma condição de Advertência. Esta
luz desliga-se automaticamente quando a condição de Advertência deixa de existir.

Arranque remoto
Esta luz verde indica que o comando recebe um sinal de Funcionamento Remoto.

Auto
Esta luz verde indica que o comando está no modo Auto. O modo Auto pode ser selecionado
pressionando o botão de seleção a partir de qualquer um dos menus do Operador
(consulte a Seção 4.5).

Funcionamento Manual
Esta luz verde indica que o comando está no modo Funcionamento Manual. O modo Manual pode

ser selecionado pressionando o botão de seleção a partir de qualquer um dos menus do


Operador (consulte a Seção 4.5).

Página 16 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

4.2.3 Visor gráfico e Botões


A Figura 8 ilustra o visor gráfico e os botões de seleção do menu relevantes.
O visor gráfico é utilizado para visualizar os menus do sistema operativo acionado por menus. A
Barra de Menus existente no fundo do visor indica as funções que estão disponíveis pressionando
os quatro botões de seleção. Consulte as árvores de menus mais adiante nesta seção.
Nota: Nas seguintes árvores de menus, os submenus são apresentados pela ordem em
que são visualizados quando percorrer para cima ▲, ou para baixo ▼.
Também são apresentadas mensagens do sistema (comunicação, acontecimento e falha) no
visor. Para mais informações, consulte a Seção 4.3.

4.2.3.1 Botões de seleção


São utilizados quatro botões mono estáveis (tecla de software) para percorrer os vários menus.
Estes botões de seleção estão ativos quando uma palavra ou um símbolo na Barra de Menus do
visor gráfico é ilustrado por cima do botão. Alguns submenus não incluem quaisquer botões
ativos.
A função dos quatro botões de seleção varia de menu para menu.
• Quando o símbolo é visualizado, o botão de seleção pode ser utilizado para mudar
para o modo Auto.

• Quando o símbolo é visualizado, o botão de seleção pode ser utilizado para mudar para o
modo Funcionamento Manual.
• Quando os triângulos para cima e para baixo (▲ e ▼) são visualizados, os botões de
seleção são utilizados para navegar entre uma série de submenus.
Nota: Quando visualizar uma falha, é possível limpá-la do painel dianteiro pressionando
os botões ▲ ou ▼. Limpar o painel dianteiro não repõe a falha.
• Quando é visualizado um símbolo ◄ , o botão de seleção pode ser utilizado para abortar o
modo Funcionamento Auto ou Manual e regressar ao menu Operador que foi visualizado
antes do modo Funcionamento Auto ou Manual ter sido selecionado.
• Quando o símbolo → é visualizado, o botão de seleção é utilizado para navegar para um
campo editável num menu.
• Quando os símbolos + e – são visualizados, os botões de seleção são utilizados para
aumentar ou reduzir um parâmetro ou um valor apresentado no display.
Quando alterar os valores, ao pressionar o botão adjacente ao símbolo + aumentará o valor
e, ao pressionar o botão adjacente ao símbolo – diminuirá o valor.
• Quando é visualizada uma caixa negra , o botão de seleção não tem qualquer função.

Seção 4 – Sistema de controlo Página 17


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.2.3.2 Botões de controle


A Figura 9 ilustra os seis botões de comando - quatro botões de seleção; um botão Menu Anterior;
um botão Off (desligar).

Figura 9 Botões de controle

CHAVE

1. Botão Menu Anterior


2. Botão Off

Botão do menu principal anterior ◄


Pressione este botão para visualizar o menu principal visualizado anteriormente.
Nota: Se pressionar o botão ▲ ou ▼ também limpa a falha do display do painel dianteiro.
Botão Off O (desligado)
Pressione este botão para colocar no modo Off (desligado). O modo Off desativará os modos
Auto ou Manual. Se pressionar o botão Off repõe o comando.
Se pressionar o botão Off durante o funcionamento do grupo gerador (arranque manual ou
remoto), o motor desligará imediatamente. Se possível, esta interrupção a quente sob carga deve
ser evitada para ajudar a prolongar a confiabilidade do grupo gerador.
Nota: A comutação para o modo Off pode ser limitada a pessoal autorizado. Se um painel
de controle estiver configurado com a função de código de acesso à alteração de
modo ativada, primeiro será necessário introduzir um código de acesso antes de
ser possível alterar o modo. Consulte a Seção 4.5.

4.2.4 Predefinições
O painel de controle pode visualizar unidades SAE ou Métricas e deve ser definido durante a
configuração inicial do grupo gerador. É necessário pessoal de serviço qualificado para alterar a
predefinição. Contate o seu distribuidor autorizado.

Página 18 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

4.3 Módulo de visualização – Mensagens do sistema


Surge uma mensagem pendente do sistema quando o evento que surge no visor se torna ativo.
Estas mensagens pendentes permanecem visualizadas até serem preenchidas por outras
mensagens pendentes ou até pressionar o botão de visualização ▼ ou ◄, ou o evento expirar.
Assim que pressionar o botão ▼ ou ◄, o menu anterior é visualizado novamente.

4.3.1 Mensagens de comunicação


As mensagens do sistema são visualizadas para o arranque inicial ou quando se verificar uma
conseqüente perda de comunicações. Os modos de Funcionamento Auto e Manual também
podem ser selecionados quando as mensagens de comunicação são visualizadas (para mais
informações, consulte a Seção 4.5).
Quando do arranque inicial, é visualizada a mensagem A estabelecer comunicações com o
comando (consulte a Figura 10). Este menu também visualiza o número e a versão do software
do display.

A estabelecer
comunicação com o
comando

Figura 10 Mensagem A estabelecer comunicações

Quando o visor detectar que já existe comunicação com o comando, os LEDs de Interrupção,
Alarme e Arranque Remoto apagam.
Caso as comunicações sejam perdidas, é visualizada a mensagem A restabelecer comunicações
com o comando (consulte a Figura 11) até as comunicações serem restabelecidas. De seguida,
os LEDs regressam ao estado determinado pelo comando.

A restabelecer
comunicação com o
comando

Figura 11 Mensagem A restabelecer comunicações

Nota: Se alguma mensagem de comunicação permanecer visualizada (não for possível


visualizar outros menus), é sinal de que as comunicações entre o painel de controle
e a lógica de controle foram perdidas. Para assistência, contate o seu distribuidor
autorizado.

Seção 4 – Sistema de controlo Página 19


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.3.2 Mensagens do evento


Quando os eventos predefinidos (Arranque ou Parada) são ativados, são visualizadas mensagens
do Evento indicando o tempo que resta até o evento ocorrer (consulte a Figura 12).

Evento = Arranque,
Tempo restante até ou
evento PARAGEM
#### segundos

Figura 12 Mensagem do Evento

4.3.3 Mensagens de falha


Uma mensagem de falha é
um indicador de uma
condição de Alarme ou Falha
Interrupção que também é Falha = ADVERTÊNCIA
Às: ###H ou
anunciada com uma luz Número da falha: ## INTERRUPÇÃO
indicadora. As mensagens de
falha em texto incluem o
número do código de falha,
uma curta descrição e a
altura em que a falha ocorreu
em “Controle de Tempo”.
(consulte a Figura 13).
A Tabela 3 fornece uma lista
dos códigos de falha, tipos de
falhas, mensagens visualizadas e descrições das falhas.

Figura 13 Mensagens de falha – Versão de texto

As mensagens de falha com símbolos incluem


EXEMPLO DE
o número do código de falha e símbolos que UMA FALHA DE
indicam o tipo de falha (consulte a Figura 14). ADVERTÊNCIA
ATRAVÉS DE
Nas versões de mensagens de falha com SÍMBOLO
símbolos, os símbolos

e ficam intermitentes.
EXEMPLO DE
Cinco das falhas mais recentes podem ser UMA FALHA DE
guardadas num arquivo e podem ser INTERRUPÇÃO
ATRAVÉS DE
visualizadas nos menus do Histórico de Falhas. SÍMBOLO

F
igura 14 Mensagens de falha – Versão de símbolos

Página 20 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

4.3.4 Confirmação de falha


As falhas de interrupção devem ser confirmadas depois da condição de falha ser corrigida. As
falhas de interrupção são confirmadas pressionando o botão Off, no painel de visualização.
Quando no modo Auto, as falhas de interrupção também podem ser confirmadas utilizando um
interruptor externo de reposição remota de falhas fornecido pelo cliente. Esta capacidade deve ser
ativada através da ferramenta InPower (a condição predefinida é desativada). Para repor a falha
utilizando o interruptor de reposição remota de falhas, o comando de arranque remoto deve ser
removido antes do interruptor de reposição remota de falhas ser ativado.
As falhas são removidas do visor quando forem limpas.
Nota: As falhas são limpas do visor do painel de controle pressionando os botões ▲ ou
▼.
Nota: As falhas são novamente anunciadas caso sejam detectadas outra vez depois de
serem confirmadas.

4.3.5 Mensagens de estado


As mensagens de falha para alguns eventos são visualizadas no painel de controle com um
número de código, mas não são indicadas com uma luz indicadora. As mensagens de estado em
texto incluem o código do evento, uma curta descrição e à hora a que o evento ocorreu. As
mensagens de estado com símbolos incluem o código do evento e símbolos que indicam o tipo de
evento que ocorreu.
Apenas para motores com controle total (“full authority”)
Nos motores Full Authority Electronic, o controlador do motor grava dados após cada utilização.
Durante este período, é visualizada a mensagem apresentada na Figura. Continua sendo possível
ligar o gerador enquanto Guardar Dados ECM estiver em curso.

GUARDAR
DADOS ECM em
curso

Figura 15 Mensagem de Estado de Gravação de Dados

Seção 4 – Sistema de controlo Página 21


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.4 Módulo de visualização – Menus do Operador


As Figuras 16 e 17 ilustram representações em bloco dos seguintes menus do Operador:
• Estado do motor
• Estado do alternador
• Tensão linha para linha
• Tensão linha para neutro
• Amperagem do alternador
Para navegar pelos menus do Operador, pressione os botões abaixo dos símbolos ▼ e ▲ no
visor gráfico.
Os menus do Operador podem ser utilizados para selecionar os modos de Funcionamento Auto
ou Manual (consulte a Seção 4.5).
Menu Estado do motor
Este menu indica a tensão da bateria de arranque do motor, a temperatura do refrigerante do
motor e as horas de funcionamento do motor.
Menu Estado do alternador
Este menu indica a carga do grupo gerador (em kVA), a freqüência (Hz) e a rotação do motor
(RPM).
Menu Tensão linha para linha do alternador
Este menu indica as tensões de linha para linha L1-L2, L2-L3 e L3-L1 apenas para aplicações
trifásicas.
Menu Tensão linha para neutro do alternador
Este menu indica as tensões linha para neutro L1, L2 e L3 apenas para configurações em
triângulo trifásicas. Nas configurações delta, este menu não é apresentado.
Menu Tensão monofásica do alternador
Este menu indica as tensões L1-N, L2-N e L1-L2 apenas para aplicações monofásicas.
Menu Amperagem do alternador
Para aplicações que incluem transformadores de corrente, este menu indica a amperagem de
detecção de corrente L1, L2 e L3.

Página 22 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

Figura 16 Menus do Operador – Versão de Texto

MENUS DO OPERADOR – Versão de texto


Bateria: ##.# VCC
Temp. motor: ###˚F
Pressão de Óleo: ##PSI
Horas motor: ###h

Potência: ####kVA
Freq.: ##.#Hz
Velocidade: #### RPM

APENAS
TRIFÁSICO
APENAS
MONOFÁSIC

APENAS
TRIFÁSICO EM
ESTRELA

AMPERAGEM DE
DETECÇÃO DE
CORRENTE

Seção 4 – Sistema de controlo Página 23


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

Figura 17 Menus do Operador – Versão de Símbolos

MENUS DO OPERADOR – Versão de símbolos

APENAS
TRIFÁSICO
APENAS
MONOFÁSIC

APENAS
TRIFÁSICO EM
ESTRELA

AMPERAGEM DE
DETECÇÃO DE
CORRENTE

Página 24 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

4.5 Módulo de visualização – Modos de Funcionamento Auto


e Manual
ADVERTÊNCIA: QUANDO ALTERAR MODOS, O GRUPO GERADOR PODE ARRANCAR OU PARAR
SEM AVISO PRÉVIO. CERTIFIQUE-SE DE QUE NÃO EXISTE QUALQUER PERIGO
PARA O PESSOAL OU PARA O EQUIPAMENTO, CASO O GRUPO GERADOR
ARRANQUE OU PARE QUANDO ALTERAR MODOS.
Os modos de Funcionamento Auto, Manual e Off podem ser selecionados da seguinte forma:
• A partir de qualquer um dos menus do Operador.
• Quando for visualizada a mensagem “A estabelecer comunicações com o comando”.
• Quando for visualizada a mensagem “A restabelecer comunicações com o comando”.
A comutação para o modo Auto, Manual Run ou Off pode ser limitada a pessoal autorizado. Se um painel de
controle estiver configurado com a função de código de acesso à alteração de modo ativada, primeiro será
necessário introduzir um código de acesso antes de ser possível alterar o modo.
Nota: A predefinição para mudar entre os modos de Funcionamento Auto, Manual e Off está
limitada a pessoal autorizado com um código de Acesso. É necessário pessoal de
serviço qualificado para alterar a predefinição. Para assistência, contate o seu
distribuidor autorizado.
O estado do interruptor de modo Auto ou Off é guardado numa memória não volátil quando é alterado.
Quando o painel de controle é ativado (após um período de inatividade ou a remoção da bateria) o estado do
interruptor é reposto para o estado guardado anteriormente.

4.5.1 Introduzir o código de acesso para alteração de modo


Os submenus Alteração de Modo destinam-se apenas a pessoal de serviço qualificado e a pessoal das instalações
e, por predefinição, requerem uma senha para . Se for necessária uma senha, surgirá o menu Alteração de Modo –
Código de Acesso quando tentar alternar entre os modos Auto, Funcionamento Manual e Off. As versões de texto e
símbolos do menu Alteração de Modo estão ilustradas na Figura 18.
Para introduzir o código de acesso para alteração de modo utilize os botões + e – para aumentar ou diminuir
os valores no campo relevante. Utilize o botão → para deslocar o cursor num campo. Os campos
selecionados serão realçados.
1. Com o caractere necessário realçado, pressione o botão por baixo dos símbolos + ou – até ser
visualizado o valor necessário.
2. Pressione o botão de seleção de seta → para passar para o seguinte caractere numérico.
3. Repita as etapas 1 e 2 até os três caracteres do Código de Acesso estarem corretos.
4. Depois de ter concluído a introdução da senha, pressione o botão de seleção de seta →.
Nota: Se introduzir uma senha incorreta, será visualizado novamente o menu do Operador que foi
visualizado antes do modo de Funcionamento Auto, Manual ou Off ser selecionado.
Figura 18 Menu Alterar Modo

Alteração de Modo
VERSÃO DE Código
TEXTO de Acesso:

VERSÃO DE
SÍMBOLO

Seção 4 – Sistema de controlo Página 25


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.5.1.1 Selecionar o Modo Auto


ADVERTÊNCIA: QUANDO ALTERAR MODOS, O GRUPO GERADOR PODE ARRANCAR OU
PARAR SEM AVISO PRÉVIO. CERTIFIQUE-SE DE QUE NÃO EXISTE
QUALQUER PERIGO PARA O PESSOAL OU PARA O EQUIPAMENTO,
CASO O GRUPO GERADOR ARRANQUE OU PARE QUANDO ALTERAR
MODOS.
Para mudar para o modo Auto (consulte a Figura 19).
1. Certifique-se de que é seguro antes de prosseguir e alterar o modo.
2. Pressione o botão Auto em qualquer um dos menus do Operador, ou nos menus “A
estabelecer/restabelecer comunicações com o comando”.
3. Se a função do código de acesso para mudança de modo estiver ativada, será visualizado o
menu Código de Acesso para Alteração de Modo. Introduza o código de acesso para
alteração de modo conforme descrito anteriormente (consultar seção 4.5.1).
4. Será então visualizado um menu com setas intermitentes por cima de um segundo símbolo
Auto.
5. Pressione este segundo botão Auto. O menu Operador que foi visualizado antes do
modo Auto ser selecionado é visualizado novamente, mas com o símbolo de Funcionamento
Auto escurecido e Manual visível.
Para desativar o modo Auto, pressione o botão Off.
O grupo gerador está agora pronto para receber um sinal de arranque remoto que iniciará o modo
de Funcionamento Auto.
ADVERTÊNCIA: CASO RECEBA UM SINAL DE ARRANQUE REMOTO, O GRUPO
GERADOR ARRANCARÁ AUTOMATICAMENTE. CERTIFIQUE-SE DE QUE
NÃO EXISTE QUALQUER PERIGO PARA O PESSOAL OU PARA O
EQUIPAMENTO, CASO O GRUPO GERADOR ARRANQUE SEM AVISO
PRÉVIO.

ADVERTÊNCIA: O MODO DE FUNCIONAMENTO MANUAL TAMBÉM PODE SER


SELECIONADO A PARTIR DO MODO AUTO. SE MUDAR PARA O MODO
DE FUNCIONAMENTO MANUAL PROVOCARÁ O ARRANQUE DO GRUPO
GERADOR.

Página 26 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

Figura 19 Selecionar o Modo Auto

ESTE MODO É
VISUALIZADO APENAS
SE A FUNÇÃO DE
CÓDIGO DE ACESSO A
ALTERAÇÃO DE MODO
ESTIVER ACTIVADA

SÃO VISUALIZADAS
SETAS
ALTERNADAS

MODO AUTO
SELECCIONADO

A definição começará no modo


auto quando for recebido um
sinal de arranque remoto

Seção 4 – Sistema de controlo Página 27


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.5.1.2 Selecionar o modo de Funcionamento Manual


ADVERTÊNCIA: QUANDO ALTERAR MODOS, O GRUPO GERADOR PODE ARRANCAR OU
PARAR SEM AVISO PRÉVIO. CERTIFIQUE-SE DE QUE NÃO EXISTE
QUALQUER PERIGO PARA O PESSOAL OU PARA O EQUIPAMENTO,
CASO O GRUPO GERADOR ARRANQUE OU PARE QUANDO ALTERAR
MODOS.
Para mudar para o modo de Funcionamento Manual (consulte a Figura 20).
1. Certifique-se de que é seguro antes de prosseguir e alterar o modo.

2. Pressione o botão de Funcionamento Manual em qualquer um dos menus do Operador ou


nos menus “A estabelecer/restabelecer comunicações com o comando”.
3. Se o menu Código de Acesso para Alteração de Modo estiver ativado, é visualizado o Código
de Acesso para Alteração de Modo. Introduza o código de acesso para alteração de modo
conforme descrito anteriormente (consultar seção 4.5.1).

4. É visualizado um menu com setas intermitentes por cima de um segundo símbolo .

5. Pressione o segundo botão de Funcionamento Manual para que o grupo gerador inicie a
seqüência de arranque Manual. O menu do Operador que foi visualizado antes do modo de
Funcionamento Manual ser selecionado é visualizado novamente, mas com o símbolo
escurecido.
Para desativar o modo Manual, pressione o botão Off.
Aviso: Certifique-se de que não existe perigo para o pessoal e para o equipamento
quando o grupo gerador arrancar.
Nota: O modo de funcionamento Auto também pode ser selecionado enquanto
estiver no modo Manual. Se mudar para o modo Auto pode fazer com que o
grupo gerador desligue.

4.5.1.3 Abortar a transição do modo de Funcionamento Auto ou Manual


Se o menu Código de Acesso para Mudança de Modo ou o menu que apresenta as setas
intermitentes por cima dos botões ou for visualizado, a transição para o modo de
Funcionamento Auto ou Manual é abortada quando:
• O botão ◄, ◄ ou Off é pressionado.
Ou
• Um botão de seleção não for pressionado dentro de dez segundos.
Se a transição para o modo de Funcionamento Auto ou Manual for abortada, o menu do Operador
que foi visualizado antes do modo de Funcionamento Auto ou Manual ter sido selecionado será
visualizado novamente.

Página 28 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

Figura 20 Selecionar o modo de Funcionamento Manual

ESTE MODO É
VISUALIZADO APENAS
SE A FUNÇÃO DE
CÓDIGO DE ACESSO A
ALTERAÇÃO DE MODO
ESTIVER ACTIVADA

SÃO VISUALIZADAS
SETAS ALTERNADAS

MODO DE
FUNCIONAMENTO
MANUAL SELECCIONADO
H

Seção 4 – Sistema de controlo Página 29


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

4.5.1.4 Selecionar o modo Off


ADVERTÊNCIA: QUANDO ALTERAR MODOS, O GRUPO GERADOR PODE PARAR SEM
AVISO PRÉVIO. CERTIFIQUE-SE DE QUE NÃO EXISTE QUALQUER
PERIGO PARA O PESSOAL OU PARA O EQUIPAMENTO, CASO O GRUPO
GERADOR PARE QUANDO ALTERAR MODOS.
Para mudar para o modo Off (consulte a Figura 21).
1. Certifique-se de que é seguro antes de parar o grupo gerador.
2. Pressione o botão Off em qualquer um dos menus do Operador ou nos menus “A
estabelecer/restabelecer comunicações com o comando”.
3. Se o Código de Acesso para Alteração de Modo estiver ativado, é visualizado o Código de
Acesso para Alteração de . Introduza o Código de Acesso para Alteração de Modo conforme
descrito atrás (consultar Seção 4.5.1).
4. Ao introduzir o último dígito correto, o display básico reaparecerá, e o grupo parará sem
qualquer atraso de tempo para parar. Consulte a Seção 5,7.
Aviso: Certifique-se de que não existe perigo para o pessoal ou para o equipamento
se o grupo gerador for parado.

BOTÃO OFF

ESTE MODO É
VISUALIZADO APENAS SE
A FUNÇÃO DE CÓDIGO
DE ACESSO A
ALTERAÇÃO DE MODO
ESTIVER ACTIVADA

Figura 21 Selecionar o modo Off

Página 30 Seção 4 – Sistema de controlo


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

SEÇÃO 5 – OPERAÇÃO DO SISTEMA


5. Operação
5.1 Segurança
As operações relativas ao grupo gerador devem ser levadas a cabo apenas por pessoal
qualificado e experiente. Antes de utilizar o sistema, o operador deve familiarizar-se com a Seção
1 deste manual – Instruções preliminares e de segurança, bem como com o Manual de Saúde e
Segurança (0908-0110-07(PO)). Cumpra sempre todas as ADVERTÊNCIAS e AVISOS.
ADVERTÊNCIA: ANTES DE UTILIZAR A MÁQUINA FAMILIARIZE-SE COM O
EQUIPAMENTO E COM O SEU FUNCIONAMENTO (INCLUINDO TODOS
OS COMANDOS, VÁLVULAS ACCIONADAS MANUALMENTE E
DISPOSITIVOS DE ALARME). APENAS PODERÁ CONSEGUIR UM
FUNCIONAMENTO SEGURO E EFICAZ SE A MÁQUINA FOR UTILIZADA
CORRETAMENTE.

ADVERTÊNCIA: O CONTATO COM COMPONENTES DE ALTA TENSÃO PODE PROVOCAR


GRAVES LESÕES OU A MORTE POR ELECTROCUSSÃO. NÃO ABRA
CAIXA DE SAÍDA DO GERADOR ENQUANTO O GRUPO GERADOR
ESTIVER EM FUNCIONAMENTO. LEIA E CUMPRA TODAS AS
ADVERTÊNCIAS E AVISOS QUE CONSTAM DOS MANUAIS DO GRUPO
GERADOR.
Aviso: A caixa de controle deve ser aberta apenas por pessoal técnico qualificado.
Existem presentes tensões que podem provocar choque elétrico, o qual
resultará em lesões. Mesmo com a alimentação interrompida, o
manuseamento inadequado dos componentes pode provocar uma descarga
eletrostática e danificar os componentes da placa de circuitos.

5.2 Introdução
Esta seção descreve o funcionamento do grupo gerador. O texto deve ser lido em conjunto com
as seções “resumo do sistema” e “sistema de controle” deste manual, juntamente com o manual
específico do motor do operador fornecido como parte da documentação. Este manual também
contém mais informações sobre o funcionamento e manutenção do grupo gerador e também
instruções específicas do equipamento que podem ser diferentes das do grupo gerador standard.
Todos os indicadores, interruptores / botões de comando e visor gráfico situam-se no Painel de
Comando, conforme ilustrado na Figura 7.

5.3 Manutenção
No sentido de garantir o máximo desempenho e confiabilidade do grupo gerador, é essencial que
determinados componentes sejam inspecionados periodicamente e, sempre que necessário, os
procedimentos de manutenção sejam efetuados conforme descrito na Seção 6 - Manutenção.

Seção 5 – Operação do sistema Página 31


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

5.4 Recomendações de operação


5.4.1 Rodagem
Consulte a seção de Manutenção deste manual. Não é aconselhada a utilização de óleos de
rodagem em motores Cummins novos ou reparados. Durante a fase de rodagem, utilize o mesmo
tipo de óleo que é utilizado em operação normal.

5.4.2 Operação sem carga


Os períodos de operação sem carga devem ser reduzidos ao mínimo. Se for necessário manter o
motor a funcionar durante longos períodos de tempo quando não é necessária qualquer saída
elétrica, o melhor desempenho do motor será conseguido ligando uma carga nominal de pelo
menos 30%, mas que não ultrapasse a carga nominal. Essa carga pode consistir em elemento do
aquecedor ou banco de carga.

5.4.3 Período de “exercício”


Os grupos geradores de Emergência contínua devem ter capacidade para passar de “arranque a
frio” para “operação total” numa questão de segundos. Tal pode acarretar um esforço importante
às peças do motor.
Um exercício regular mantém as peças do motor lubrificadas, impede a oxidação dos contatos
elétricos e, em termos gerais, ajuda a proporcionar um arranque confiável do motor.
Acione o grupo durante dez minutos no mínimo sem carga pelo menos uma vez por semana e
durante 30 minutos com carga pelo menos uma vez por mês para que o motor atinja as
temperaturas de funcionamento normais.

5.4.4 Temperaturas de funcionamento baixas


Utilize um aquecedor do líquido de refrigeração se estiver disponível uma fonte de alimentação
independente. O aquecedor opcional disponível da Cummins Power Generation Limitada ajudará
a proporcionar um arranque confiável em condições climáticas adversas. Certifique-se de que a
voltagem da fonte de alimentação independente é correta para a potência nominal do elemento do
aquecedor.

5.4.5 Temperaturas de funcionamento elevadas


Consulte a placa de especificações do grupo gerador para obter informações sobre a temperatura
ambiente de funcionamento máxima, se aplicável.

Página 32 Seção 5 – Operação do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

5.4.6 Condições de funcionamento para purga, espera e potências


contínuas nominais
Nota: Todos os grupos geradores fornecidos pela Empresa devem funcionar nas seguintes
condições.

5.4.6.1 Potência contínua nominal (COP) para aplicações de carga constante


A Potência contínua nominal é aplicável à rede paralela e outras aplicações de carga não variável para
fornecer potência continuamente para uma carga até 100% da potência contínua nominal durante um
número de horas ilimitado por ano entre os intervalos de manutenção indicados e sob as condições
ambientais indicadas. Toda a manutenção deve ser realizada conforme indicado nos manuais da Empresa.
Não está disponível qualquer capacidade de sobrecarga sustentada com esta potência nominal. Esta
potência nominal é aplicável para funcionamento de carga com base na rede. Nestas aplicações, os grupos
geradores são utilizados em paralelo com uma rede de alimentação e funcionam sob cargas constantes
durante períodos de tempo alargados.

5.4.6.2 Potência principal nominal


A potência principal nominal é a potência máxima disponível durante uma seqüência de carga variável que
pode ser aplicada durante um número de horas ilimitado por ano, entre os intervalos de manutenção
indicados e sob as condições ambientais indicadas. Toda a manutenção deve ser realizada conforme
indicado nos manuais da Empresa. As aplicações de potência principal enquadram-se numa das seguintes
categorias:
• Potência principal de tempo ilimitado (para aplicações de carga variável)
Está disponível potência principal para um número ilimitado de horas de funcionamento anuais em
aplicações de carga variável. A potência de saída média permitida em condições de carga variável não
deve ultrapassar uma média de 70% da potência principal nominal durante qualquer funcionamento de
250 horas. O tempo de funcionamento total à potência principal a 100% não deve ultrapassar às 500
horas por ano. Está disponível uma capacidade de sobrecarga de 10% durante um período de 1 hora
dentro de um período de funcionamento de 12 horas, em conformidade com a ISO 3046-3:2006. O
tempo de funcionamento total à potência de sobrecarga de 10% não deve ultrapassar às 25 horas por
ano.
• Potência principal de tempo de funcionamento limitado (para aplicações de carga constante)
Está disponível potência principal para um número limitado de horas numa aplicação de carga não
variável. Destina-se a utilização em situações onde forem acordadas indisponibilidades de alimentação,
como por exemplo redução da alimentação do setor. Os geradores podem ser utilizados em paralelo
com a rede pública até 750 horas por ano a níveis de potência que nunca devem ultrapassar a potência
principal nominal. Não está disponível qualquer capacidade de sobrecarga sustentada com esta
potência nominal. No entanto, o cliente deve estar consciente do fato da vida útil de qualquer gerador
ser reduzida em caso de uma operação constante com carga elevada. Toda a operação que ultrapasse
às 750 horas por ano com a potência principal nominal deve utilizar a Potência contínua nominal.

5.4.6.3 Potência nominal em espera (para aplicações de carga variável)


A potência nominal em espera é aplicável para fornecer potência de emergência durante uma interrupção da
potência da rede, entre os intervalos de manutenção indicados e sob as condições ambientais indicadas.
Toda a manutenção deve ser realizada conforme indicado nos manuais da Empresa. Não está disponível
qualquer capacidade de sobrecarga para esta potência nominal e o funcionamento em paralelo com a rede
não é permitida com a potência nominal em espera. Para as aplicações que necessitam de um
funcionamento paralelo sustentado, a potência principal nominal de tempo limitado ou a potência nominal
contínua deve ser utilizada conforme aplicável.
Esta potência nominal é aplicável às instalações servidas por uma rede de alimentação normal confiável. Os
geradores devem ter capacidade para um fator de carga médio máximo de 80% da potência nominal em
emergência com um máximo de 200 horas de funcionamento por ano, o que inclui menos de 25 horas por
ano à potência nominal em emergência. Nas instalações servidas por redes pouco confiáveis (onde as
indisponibilidades duram mais tempo ou são mais freqüentes), onde é provável que a operação ultrapasse
as 200 horas por ano, deve ser aplicada a potência nominal principal. A potência nominal em espera apenas
é aplicável para aplicações de emergência e em espera onde o grupo gerador sirva de sistema auxiliar para
a rede de alimentação normal. As indisponibilidades de potência negociadas não são consideradas
emergências.

Seção 5 – Operação do sistema Página 33


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

5.4.6.4 Notas aplicáveis a todas as potências nominais


As seguintes notas são aplicáveis a todas as potências nominais, a menos que de outra forma
acordado pelo Gestor de vendas regional da Empresa, por escrito:
• Quando determinar a saída de potência média real de uma seqüência de potência variável
em qualquer uma das potências nominais supracitadas, as potências inferiores a 30% da
potência de emergência em espera devem ser consideradas como 30% e o tempo em
inatividade não deve ser contabilizado.
• A carga variável é calculada de acordo com os métodos e as fórmulas indicadas em ISO
8528-1-2005.
• Todos os geradores trifásicos são adequados para um desfasamento do fator de potência de
0,8. Os geradores monofásicos são adequados para um fator de potência de 1,0.
• Todas as potencies nominais baseiam-se nas seguintes condições de referência:
a) Temperatura ambiente — 27°C
b) Altitude acima do nível do mar — 150 metros
c) Umidade relativa — 60%
d) A potência de saída pode ser sujeita a redução da capacidade normal se as condições
supracitadas forem ultrapassadas
• Se alguma das condições supracitadas não for cumprida, a vida útil do grupo gerador pode
ser reduzida.
• O funcionamento a curto prazo em paralelo com a rede apenas para fins de transferência de
carga é autorizado com todas as potências nominais.

5.4.7 Fatores de redução da capacidade


Para informações sobre os fatores de redução da capacidade aplicáveis em locais específicos,
queira contatar o seu distribuidor autorizado.

Página 34 Seção 5 – Operação do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

5.5 Operação do grupo gerador


O cuidado adequado do seu motor resultará numa vida útil mais longa, melhor desempenho e um
funcionamento mais econômico.
ADVERTÊNCIA: NÃO UTILIZE UM MOTOR DIESEL ONDE EXISTAM, OU POSSAM EXISTIR,
VAPORES COMBUSTÍVEIS. ESTES VAPORES PODEM SER ASPIRADOS
PELO SISTEMA DE ADMISSÃO DE AR E PROVOCAR A ACELERAÇÃO
DO MOTOR E A SOBREVELOCIDADE DO MESMO, PODENDO RESULTAR
NO RISCO DE INCÊNDIO OU EXPLOSÃO, E EM DANOS MATERIAIS
EXTENSOS. ESTÃO DISPONÍVEIS VÁRIOS DISPOSITIVOS DE
SEGURANÇA, TAIS COMO DISPOSITIVOS DE CORTE DE ADMISSÃO DE
AR, PARA MINIMIZAR O RISCO DE SOBREVELOCIDADE, NO QUAL UM
MOTOR, DEVIDO A UMA APLICAÇÃO, POSSA FUNCIONAR NUM
AMBIENTE COMBUSTÍVEL (DEVIDO A UM DERRAME DE COMBUSTÍVEL
OU A UMA FUGA DE GÁS, POR EXEMPLO). A CUMMINS ENGINE
COMPANY, INC. NÃO SABE COMO VAI UTILIZAR O SEU MOTOR. O
PROPRIETÁRIO E OPERADOR DO EQUIPAMENTO É, POR
CONSEGUINTE, RESPONSÁVEL PELO FUNCIONAMENTO SEGURO NUM
AMBIENTE HOSTIL. CONSULTE O SEU DISTRIBUIDOR AUTORIZADO
CUMMINS PARA OBTER MAIS INFORMAÇÕES.
Nota: A Cummins Power Generation Limitada recomenda a instalação de um
dispositivo de corte de admissão de ar ou dispositivo de segurança semelhante
para minimizar o risco de sobrevelocidade, em casos em que o motor seja
utilizado num ambiente combustível.

Aviso: Não coloque o motor em marcha lenta por períodos demasiado longos.
Períodos longos de marcha lenta (mais de dez minutos) podem danificar um
motor, uma vez que as temperaturas da câmara de combustão são tão baixas
que o combustível não será completamente queimado. Tal fará com que o
carbono obstrua os orifícios do injetor e os segmentos, e pode levar a que as
válvulas colem. Se a temperatura do líquido de refrigeração do motor descer
demasiado, (60°C [140°F]), o combustível bruto removerá o óleo de
lubrificação das paredes do cilindro e diluirá o óleo do cárter. Em tal caso, as
peças do motor com movimento não receberão a quantidade correta de
lubrificação.

Seção 5 – Operação do sistema Página 35


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

5.5.1 Seqüência de operação


O grupo gerador funciona no modo Automático utilizando um sinal de Arranque Remoto ou no
modo Manual através dos comandos do painel de controle do grupo gerador. São disponibilizados
LEDs no painel dianteiro do módulo de visualização para indicação do modo de funcionamento do
grupo gerador. O PowerCommand®1.1 inicia um sinal de arranque para o motor de arranque e
executará um arranque manual de seqüência automática, sob um sistema de proteção total do
motor combinado com uma capacidade de monitorização absoluta. Se for detectada uma falha
quando do Arranque, o motor é bloqueado impedindo o seu arranque.
A escolha do modo de Funcionamento Auto ou Manual é decidida por pessoal autorizado durante
a configuração inicial do grupo gerador. É necessário um código de acesso para mudar entre os
modos Auto, Manual ou Off e esta função pode ser autorizada ou recusada pelo pessoal
autorizado durante a configuração inicial do grupo gerador.

5.6 Arranque
Aviso: Deve existir um operador encarregue das operações, ou sob a supervisão de
algum responsável. Nunca se esqueça de que, depois de ligar o motor, os cabos e
o quadro de distribuição ficarão energizados, provavelmente pela primeira vez.
Além disso, o equipamento que não faça parte da instalação do grupo gerador
pode ficar sujeito a carga elétrica. Estas operações devem ser realizadas apenas
por pessoal autorizado e competente.

Aviso: Não utilize um interruptor de Parada de Emergência para interromper um motor, a


menos que se verifique uma falha grave. O interruptor de Parada de Emergência
não deve ser utilizado para uma interrupção normal, uma vez que isso impedirá a
operação de arrefecimento no qual o óleo lubrificante e o líquido de refrigeração do
motor dissipam o calor da câmara de combustão do motor e dos rolamentos de
uma forma segura.

Aviso: Limite o funcionamento sem carga a períodos curtos. Recomendamos uma carga
mínima de 30%. Esta carga ajudará a impedir a acumulação de depósitos de
carbono nos injetores, devido a combustível por queimar, e a reduzir o risco de
diluição do combustível no óleo lubrificante do motor. O motor deve ser desligado
logo que possível depois de confirmadas as funções adequadas.
Antes de tentar utilizar o grupo gerador, o operador deve ler todo o manual, juntamente com o
manual de saúde e segurança e o manual específico do motor fornecido como parte da
documentação fornecida com o grupo gerador. É essencial que o operador esteja completamente
familiarizado com o grupo gerador e o comando PowerCommand®1.1.
As seguintes subseções abrangem os sistemas utilizados para arrancar e parar o grupo gerador.
Antes de arrancar o grupo gerador, certifique-se de que os acessórios de escape e do
combustível estão devidamente apertados e posicionados e que foi realizada a manutenção
adequada e as verificações antes do arranque.
Durante o arranque, são efetuadas verificações automáticas relativamente à integridade de vários
sistemas de proteção. O PowerCommand®1.1 não permitirá que o grupo gerador prossiga a
seqüência de arranque, caso a integridade de um sensor possa estar em causa.
O grupo gerador pode ser configurado para um número de ciclos de arranque (um a sete) com
tempos programados para arranque e períodos de repouso para todos os modos de arranque
(manual/remoto). A predefinição é de três ciclos de arranque compostos por quinze segundos de
rotação e 30 segundos de descanso.
Nota: O número de ciclos de arranque bem como os tempos de rotação e descanso são
definidos no menu de Configuração. É necessário pessoal de serviço qualificado
para alterar a predefinição. Contate o seu distribuidor autorizado.

Página 36 Seção 5 – Operação do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

5.6.1 Verificações pré-arranque iniciais


ADVERTÊNCIA: A TENSÃO REPRESENTA PERIGOS ESPECIAIS DE GRAVES LESÕES OU
MORTE. MESMO APÓS A INTERRUPÇÃO DO GRUPO GERADOR,
CONTINUARÁ A VERIFICAR-SE O PERIGO DE CHOQUE ELÉTRICO,
PROVOCADO POR UMA TENSÃO INDUZIDA OU RESIDUAL NO INTERIOR
DO ALTERNADOR OU DOS CABOS. O PESSOAL DE SERVIÇO DEVE TER
A FORMAÇÃO/QUALIFICAÇÃO ADEQUADA PARA TRABALHAR COM
TENSÕES DE DISTRIBUIÇÃO.
Antes de proceder ao arranque, certifique-se de que o pessoal competente realizou as seguintes
verificações no sentido de garantir que a unidade está preparada para operação:
• Procedimento para ligar o grupo gerador à massa – Este procedimento deve ser cumprido
antes de efetuar os procedimentos de serviço ou inspeção que possam expor o pessoal a
condutores que geralmente estão energizados com tensões superiores a 600 volts. Contate o
seu distribuidor autorizado.
• Testes com ohmímetro e testes de isolamento – Estes testes devem ser realizados em todos
os grupos geradores antes do arranque inicial e depois de concluído o Procedimento de
ligação à massa do grupo gerador. A Cummins Power Generation Limitada recomenda a
realização de testes de isolamento nos grupos geradores de baixa tensão (menos de 600
volts). Estes testes destinam-se a verificar se os enrolamentos estão secos antes de utilizar o
grupo gerador e a desenvolver uma linha base para comparações com testes futuros.
Contate o seu distribuidor autorizado.
Aviso: Quando fizer um teste com ohmímetro a um alternador, se não proteger o
regulador de tensão, o comando e os diodos pode provocar danos
permanentes num ou mais componentes eletrônicos.
• Lubrificação – Verifique o nível do óleo lubrificante do motor e certifique-se de que o nível
correto é sempre mantido.
Nota: Os grupos geradores podem ser expedidos secos. Devem ser enchidos com o
tipo e a quantidade de óleo correta antes de serem utilizados. Certifique-se de
que verifica o nível do óleo antes do arranque inicial.
• Líquido de refrigeração – Verifique o nível do líquido de refrigeração do motor e certifique-se
de que o nível é sempre mantido no tanque de expansão do líquido de refrigeração. Encha o
sistema de refrigeração até ao fundo do bocal de enchimento do radiador ou do tanque de
expansão. Não proceda à verificação enquanto o motor estiver quente.
Aviso: É essencial que as recomendações da Cummins Power Generation Limitada
para o tipo e concentração corretos de anticongelante e inibidor DCA (Diesel
Chemical Additive - aditivo químico para motores a gasóleo) sejam cumpridas.
Serão rejeitadas as reivindicações de garantia para danos provocados caso
seja utilizada a mistura incorreta. Contate o seu distribuidor autorizado para
saber as especificações e concentração de anticongelante para as suas
condições de funcionamento.
Nota: Alguns radiadores estão equipados com dois bocais de enchimento, sendo
necessário proceder ao enchimento de ambos se o sistema de refrigeração
tiver sido drenado.
Aviso: Não tente remover a tampa de pressão do radiador enquanto o gerador estiver
em funcionamento, ou estiver parado, mas quente. Deixe sempre arrefecer
antes de remover a tampa.
Nota: Os grupos geradores podem ser expedidos secos. Devem ser enchidos com o
tipo e a quantidade de líquido de refrigeração correta antes de serem
utilizados. Certifique-se de que verifica o nível do líquido de refrigeração antes
do arranque inicial.

Seção 5 – Operação do sistema Página 37


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

5.6.2 Verificações pré-arranque do Operador


ADVERTÊNCIAS: OS GRUPOS GERADORES COM ENROLAMENTOS DE ALTA TENSÃO
ENTRE 601 E 15 000 VOLTS DEVEM SER SECOS ANTES DO
ARRANQUE. CASO OS ENROLAMENTOS NÃO ESTEJAM SECOS
ANTES DO ARRANQUE, PODE VERIFICAR-SE UMA FALHA GRAVE,
GRAVES LESÕES OU MORTE.
• Abastecimento de combustível – Certifique-se de que o depósito de combustível é
reabastecido até ao nível normal, de que o sistema de combustível é sangrado e de que
todas as válvulas necessárias para operação estão abertas. Certifique-se de que não
existem fugas e de que todos os acessórios estão bem apertados.
• Lubrificação – Verifique o nível do óleo lubrificante do motor e certifique-se de que o nível
correto é sempre mantido.
• Líquido de refrigeração – Verifique o nível do líquido de refrigeração do motor e certifique-se
de que o nível é sempre mantido no tanque de expansão do líquido de refrigeração. Encha o
sistema de refrigeração até ao fundo do bocal de enchimento do radiador ou do tanque de
expansão. Não proceda à verificação enquanto o motor estiver quente.
Nota: Alguns radiadores estão equipados com dois bocais de enchimento, sendo
necessário proceder ao enchimento de ambos se o sistema de refrigeração
tiver sido drenado.
Aviso: Não tente remover a tampa de pressão do radiador enquanto o gerador
estiver em funcionamento, ou estiver parado, mas quente. Deixe sempre
arrefecer antes de remover a tampa.
• Entrada / Saídas do ar de refrigeração – Certifique-se de que as entradas/saídas do ar de
refrigeração não estão obstruídas.
• Saída de escape – Certifique-se de que os componentes de escape estão fixos e não
empenados; que a saída de escape não está obstruída; que não existem materiais
combustíveis próximo do sistema e que não são descarregados gases pelas aberturas do
edifício. Certifique-se de que não existem fugas e de que todos os acessórios estão bem
apertados.
• Baterias – Certifique-se de que as baterias estão carregadas, que o eletrólito está no nível
correto e de que todas as ligações estão corretas.
• Alimentações CA auxiliares – Certifique-se de que todo o equipamento auxiliar está a receber
corrente da fonte de alimentação do cliente.
• Equipamento de parada de emergência/detecção de incêndios – Certifique-se de que todo o
equipamento relacionado está totalmente operacional.

Página 38 Seção 5 – Operação do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

5.6.3 Arranque no painel de visualização (Modo de Funcionamento


Manual)
ADVERTÊNCIA: CERTIFIQUE-SE DE QUE TODAS AS VERIFICAÇÕES DE PRÉ-ARRANQUE
SÃO REALIZADAS ANTES DE INICIAR O GRUPO GERADOR. NÃO TENTE
INICIAR O GERADOR SEM QUE SE VERIFIQUEM TODAS AS CONDIÇÕES
DE SEGURANÇA PARA O FAZER. AVISE TODAS AS PESSOAS QUE SE
ENCONTREM NA PROXIMIDADE DE QUE O GRUPO GERADOR ESTÁ
PRESTES A ARRANCAR.
Aviso: Deve existir um operador encarregue das operações, ou sob a supervisão de
algum responsável. Nunca se esqueça de que, depois de ligar o motor, os
cabos e o quadro de distribuição ficarão energizados, provavelmente pela
primeira vez. Além disso, o equipamento que não faça parte da instalação do
gerador pode ficar sujeito a carga elétrica. Estas operações devem ser
realizadas apenas por pessoal autorizado e competente.

Aviso: Não utilize um interruptor de Parada de Emergência para interromper um


motor, a menos que se verifique uma falha grave. O interruptor de Parada de
Emergência não deve ser utilizado para um interrupção normal, uma vez que
isso impedirá a operação de arrefecimento no qual o óleo lubrificante e o
refrigerante do motor dissipam o calor da câmara de combustão do motor e
dos rolamentos de uma forma segura.

Aviso: Limite o funcionamento sem carga a períodos curtos. Recomendamos uma


carga mínima de 30%. Esta carga ajudará a impedir a acumulação de
depósitos de carbono nos injetores, devido a combustível por queimar, e a
reduzir o risco de diluição do combustível no óleo lubrificante do motor. O
motor deve ser desligado logo que possível depois de verificadas as funções
adequadas.

Para arrancar o grupo gerador no modo de Funcionamento Manual, selecione o símbolo a partir
da barra de menus no painel dianteiro do módulo de visualização. Siga as instruções da Seção
4.5.1.2 (Selecionar o modo de Funcionamento Manual).
Nota: Todos os sinais de Arranque/Parada Remota são ignorados enquanto se
encontra no modo de Funcionamento Manual.
O PowerCommand®1.1 inicia um sinal de arranque para o motor de arranque e executará um
arranque manual de seqüência automática, sob um sistema de proteção total do motor combinado
com uma capacidade de monitorização absoluta. Isto ativará o sistema de controle do motor bem
como o procedimento de arranque. O motor de arranque começa a rodar o motor e, decorridos
alguns segundos, o motor arranca e o motor de arranque é desativado.
No modo de Funcionamento Manual, o comando não concluirá o Atraso de Tempo para Arrancar
nem o Atraso de Tempo para Parar.
O LED vermelho Não em Auto e o LED verde de Funcionamento Manual acendem-se.
Se o motor não arrancar, o motor de arranque desengatará decorrido um período de tempo
especificado e o comando indicará uma Interrupção devido a Falha de Arranque.
Aguarde pelo menos dois minutos para que o motor de arranque arrefeça e, de seguida, repita o
procedimento de arranque. Se o motor não funcionar à segunda tentativa, consulte a Seção 7-
Resolução de Problemas.

Seção 5 – Operação do sistema Página 39


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

5.6.4 Arranque a partir de um local remoto (Modo Auto)


ADVERTÊNCIA: CERTIFIQUE-SE DE QUE TODAS AS VERIFICAÇÕES DE PRÉ-ARRANQUE
SÃO REALIZADAS ANTES DE INICIAR O GRUPO GERADOR. NÃO TENTE
INICIAR O GERADOR SEM QUE SE VERIFIQUEM TODAS AS CONDIÇÕES
DE SEGURANÇA PARA O FAZER. AVISE TODAS AS PESSOAS QUE SE
ENCONTREM NA PROXIMIDADE DE QUE O GRUPO GERADOR ESTÁ
PRESTES A ARRANCAR.

Para arrancar o grupo gerador no modo de Funcionamento Auto, selecione o símbolo a


partir da barra de menus do painel dianteiro do módulo de visualização. Siga as instruções da
Seção 4.5.1.1 (Selecionar o modo Auto).
O LED verde Auto acende-se.
O PowerCommand®1.1 apenas iniciará a seqüência de arranque acima descrita após a recepção
de um sinal de arranque remoto e após um Atraso de Tempo para Arrancar.
O LED de Arranque Remoto acende-se.

5.6.5 Arranque a frio com cargas


ADVERTÊNCIA: CERTIFIQUE-SE DE QUE TODAS AS VERIFICAÇÕES DE PRÉ-ARRANQUE
SÃO REALIZADAS ANTES DE INICIAR O GRUPO GERADOR. NÃO TENTE
INICIAR O GERADOR SEM QUE SE VERIFIQUEM TODAS AS CONDIÇÕES
DE SEGURANÇA PARA O FAZER. AVISE TODAS AS PESSOAS QUE SE
ENCONTREM NA PROXIMIDADE DE QUE O GRUPO GERADOR ESTÁ
PRESTES A ARRANCAR.
Utilize um aquecedor do líquido de refrigeração se estiver disponível uma fonte de alimentação
independente. O aquecedor opcional disponível da Cummins Power Generation Limitada ajudará
a proporcionar um arranque confiável em condições climáticas adversas. Certifique-se de que a
voltagem da fonte de alimentação independente é correta para a potência nominal do elemento do
aquecedor.
A Cummins Power Generation Limitada recomenda que os grupos geradores diesel em espera
(sistemas seguros) sejam equipados com aquecedores do líquido de refrigeração da camisa de
água do motor no intuito de manter o líquido de refrigeração à temperatura mínima de 32°C (90°F)
e, na maioria das aplicações, aceitar a carga de emergência em dez segundos ou menos. Apesar
da maioria dos grupos geradores da Cummins Power Generation Limitada arrancar com
temperaturas inferiores a -32°C (-25°F), quando equipados com aquecedores do refrigerante da
camisa de água do motor, poderá demorar mais de dez segundos para aquecer o motor antes de
se poder aplicar uma carga quando as temperaturas ambiente forem inferiores a 4ºC (40°F).
No intuito de avisar o Operador quanto a um possível atraso na aceitação da carga, é fornecida a
mensagem Low Coolant Temp (Baixa temperatura refrigerante) (código 1435), juntamente com a
iluminação do LED de Alarme. A lógica de detecção de motor frio inicia uma advertência quando a
temperatura do líquido de refrigeração do motor descer abaixo dos 21ºC (70°F ). Nas aplicações
onde a temperatura ambiente desça abaixo dos 4°C (40°F), é possível que seja assinalado “um
motor frio” mesmo que os aquecedores do refrigerante estejam ligados e a funcionar
corretamente. Nestas condições, apesar do grupo gerador poder arrancar, poderá não conseguir
aceitar carga dentro de dez segundos. Quando esta condição ocorrer, verifique se os
aquecedores do refrigerante estão a funcionar corretamente. Se os aquecedores do refrigerante
estiverem a funcionar corretamente, poderão ser necessárias outras precauções para aquecer o
motor antes de aplicar uma carga.

Página 40 Seção 5 – Operação do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

5.7 Parada
Nota: O código de acesso pode ser necessário antes de iniciar a seqüência do botão Off. Consulte
a Seção 4.5

5.7.1 Parada no painel de visualização (Modo Manual)


O módulo não responderá a qualquer sinal de Parada Remota enquanto estiver no modo de Funcionamento
Manual. Quando estiver no modo de Funcionamento Manual, se pressionar o botão Off iniciará uma
seqüência de interrupção normal (Manual).
No modo de Funcionamento Manual, o comando não concluirá o Atraso de Tempo para a Parada.
Nota: Remova a carga e acione o grupo durante cinco minutos para reduzir o calor do motor antes
de pressionar o botão Off (desligar).

5.7.2 Parada a partir de local remoto (Modo Auto)


No modo Auto, o comando permite que o grupo gerador seja iniciado apenas com um Sinal de Arranque
Remoto.
Se o comando receber um Sinal de Parada Remota, o grupo gerador concluirá a seqüência de interrupção
normal que inclui um Atraso de Tempo para a Parada.
Se o grupo gerador estiver a funcionar no modo Auto e pressionar o botão Off, o comando pára
imediatamente o grupo gerador e o comando passa para o modo Off (desligado).

5.7.3 Parada de Emergência (Código 1433 ou 1434)


O Botão de Parada de Emergência Local situa-se na parte frontal do Painel de Controle. Trata-se de um
interruptor bloqueado mecanicamente que parará o motor incondicionalmente quando for pressionado,
ignorando qualquer atraso de tempo para parar. Pressione o botão para proceder à Parada de Emergência
do motor.
Nota : Se o motor não estiver em funcionamento, ao pressionar o botão impedirá o arranque do
motor, independentemente da fonte do sinal de arranque (Manual ou Auto - remoto).
Quando pressionar o botão de parada, o painel de visualização indicará a condição de Interrupção
acendendo o LED de Interrupção vermelho e visualizando a seguinte mensagem no visor gráfico LCD:
Número da falha: 1433
PARADA DE EMERGÊNCIA LOCAL
Um botão de parada de emergência remota pode ser incorporado na instalação. Se este botão de parada for
ativado, será visualizada a seguinte mensagem;
Número da falha: 1434
PARADA DE EMERGÊNCIA REMOTA
Para repor:
1. Puxe, ou rode e puxe o botão para fora.
2. Pressione o botão Off no Módulo de Visualização para confirmar esta ação.
3. Pressione o botão de Funcionamento Auto ou Manual, conforme explicado atrás. (Consulte a Seção
4.5)
Aviso: Não utilize um interruptor de Parada de Emergência para interromper um motor, a menos
que se verifique uma falha grave.
Nota: Certifique-se de que o comando de arranque remoto não está ativo, caso contrário, quando a
Parada de Emergência for reposta o grupo gerador pode começar a trabalhar.
Aviso: Certifique-se de que a causa da parada de emergência é totalmente investigada e corrigida
antes de tentar repor a parada de emergência e arrancar o grupo gerador.
Nota: Em grupos blindados, existe um botão de Parada de Emergência externo próximo da janela
de visualização do painel de controle.

Seção 5 – Operação do sistema Página 41


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

Esta página foi deixada intencionalmente em branco

Página 42 Seção 5 – Operação do sistema


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

SEÇÃO 6 – MANUTENÇÃO
6. Manutenção
Os trabalhos de manutenção, particularmente em áreas exíguas, devem ser realizados por uma
equipa de dois técnicos.
Leia, compreenda e cumpra todos os Avisos e Advertências desta seção bem como os incluídos
na Seção 1 – Instruções preliminares e de segurança e ainda os do Manual de Saúde e
Segurança (0908-0110-07(PO)). Consulte também o manual específico do motor fornecido como
parte da documentação do grupo gerador. Este manual também contém mais informações acerca
do funcionamento e manutenção do grupo gerador e também instruções específicas do
equipamento que podem ser diferentes das do grupo gerador standard.
Certifique-se de que está instalada uma iluminação e faseamento (se necessário) adequados.
Aviso: A manutenção deve ser realizada apenas por técnicos de manutenção
autorizados e qualificados, que estejam familiarizados com o equipamento e o
seu funcionamento.
ADVERTÊNCIA: DEPENDENDO DO SISTEMA DE CONTROLE INSTALADO, ESTA UNIDADE
PODE FUNCIONAR AUTOMATICAMENTE, PODENDO ARRANCAR SEM
AVISO PRÉVIO.
Aviso: Antes de realizar qualquer tarefa de manutenção, familiarize-se com o Código de
Segurança do Grupo Gerador indicado na Seção 1 deste manual bem como com
o Manual de Saúde e Segurança (0908-0110-07(PO)).

Aviso: Desligue sempre o carregador de baterias da alimentação CA antes de desligar


os cabos da bateria. O não cumprimento desta indicação pode resultar em picos
de tensão suficientemente fortes para danificar os circuitos de controle CC do
grupo gerador.
ADVERTÊNCIA: O ARRANQUE ACIDENTAL DO GRUPO GERADOR ENQUANTO ESTIVER A
REALIZAR AÇÕES DE MANUTENÇÃO PODE PROVOCAR GRAVES
LESÕES OU MORTE. IMPEÇA O ARRANQUE ACIDENTAL DESLIGANDO
OS CABOS DA BETERIA DE ARRANQUE (NEGATIVO [-] PRIMEIRO).

CERTIFIQUE-SE DE QUE A ÁREA DA BATERIA ESTÁ DEVIDAMENTE


VENTILADA ANTES DE PRESTAR ASSISTÊNCIA À BATERIA. A
FORMAÇÃO DE ARCO PODE PROVOCAR A IGNIÇÃO DO GÁS DE
HIDROGÉNIO EXPLOSIVO EXPELIDO PELAS BATERIAS, PROVOCANDO
GRAVES LESÕES. A FORMAÇÃO DE ARCO PODE OCORRER QUANDO OS
CABOS SÃO REMOVIDOS OU SUBSTITUÍDOS, OU QUANDO O CABO
NEGATIVO (-) DA BATERIA É LIGADO E UMA FERRAMENTA UTILIZADA
PARA LIGAR OU DESLIGAR O CABO POSITIVO (+) DA BATERIA TOCA NA
ESTRUTURA OU OUTRA PEÇA DE METAL LIGADA À MASSA DO GRUPO
GERADOR.

DEVEM SER UTILIZADAS FERRAMENTAS ISOLADAS QUANDO


TRABALHAR NA PROXIMIDADE DAS BATERIAS.
REMOVA SEMPRE PRIMEIRO O CABO NEGATIVO (-) E LIGUE-O EM
ÚLTIMO.

CERTIFIQUE-SE DE QUE O HIDROGÉNIO DA BATERIA, OS GASES DO


COMBUSTÍVEL DO MOTOR E OUTROS GASES EXPLOSIVOS SÃO
TOTALMENTE DISSIPADOS. ESTA RECOMENDAÇÃO É ESPECIALMENTE
IMPORTANTE SE A BATERIA TIVER SIDO LIGADA A UM CARREGADOR
DE BATERIAS.

Seção 6 – Manutenção Página 43


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

ADVERTÊNCIA: ANTES DE REALIZAR QUALQUER TRABALHO DE MANUTENÇÃO,


BLOQUEIE O DISPOSITIVO PARA TRABALHAR EM SEGURANÇA:
1. PRESSIONE O INTERRUPTOR DE MODO OFF NO PAINEL DE
CONTROLE DO GRUPO GERADOR.
2. COMO PRECAUÇÃO ADICIONAL, PRESSIONE O BOTÃO DE
PARADA DE EMERGÊNCIA E SEGURE-O POR 30
SEGUNDOS.
3. ISOLE TODAS AS FONTES DE ALIMENTAÇÃO PARA O
GRUPO GERADOR.
4. ISOLE O CARREGADOR DA BATERIA.
5. DESLIGUE A BATERIA.
6. REMOVA OS FIOS DO COMANDO DO MOTOR DE ARRANQUE.
7. DEVE SER INSTALADA EM LOCAL BEM VISÍVEL UMA PLACA
DE AVISO COM A INDICAÇÃO “MANUTENÇÃO EM CURSO”.

ADVERTÊNCIA: ALGUNS COMPONENTES INTERNOS DO PAINEL PODEM POSSUIR


TERMINAIS COM CORRENTE EXPOSTOS MESMO QUE O GRUPO
GERADOR NÃO ESTEJA EM FUNCIONAMENTO. ISOLE TODAS AS
FONTES DE ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA ANTES DE OBTER ACESSO AO
PAINEL DE CONTROLE.

6.1 Aspectos Gerais


Os procedimentos de manutenção descritos neste manual destinam-se apenas a assistência ao
nível do operador e devem ser realizados segundo o intervalo que ocorrer primeiro. Em cada
intervalo de manutenção programada, realize todas as verificações de manutenção anteriores
necessárias para a manutenção programada.
A Tabela 2 indica os intervalos de assistência recomendados para um grupo gerador em serviço
de Espera. Se o grupo gerador for sujeito a utilização à potência principal ou em condições de
funcionamento extremas, os intervalos de assistência devem ser reduzidos em conformidade.
Consulte o seu distribuidor autorizado.
Alguns dos fatores que podem influenciar o programa de manutenção são:
• Utilização em trabalho contínuo (potência principal)
• Temperaturas ambiente extremas
• Exposição aos elementos
• Exposição à água salgada
• Exposição a poeiras ou areia trazida pelo vento.
Consulte um distribuidor autorizado se o grupo gerador for sujeito a quaisquer condições de
operação extremas e determine um plano de manutenção adequado. Utilize o medidor de tempo
em funcionamento para manter um registro rigoroso de todo o serviço realizado para suporte da
garantia. Realize todo o serviço dentro do período indicado, ou ao fim de determinado número de
horas em funcionamento, o que ocorrer primeiro. Utilize a Tabela 2 para determinar a manutenção
necessária e consulte de seguida as seções seguintes para obter informações sobre os
procedimentos de serviço corretos.
Consulte também o manual do motor do operador fornecido com o grupo gerador.

Página 44 Seção 6 – Manutenção


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

Tabela 2 Programa de Manutenção Periódica

Diariamente ou Semanalmente ou Mensalmente ou Trimestralmente


ITENS DE MANUTENÇÃO após 8 horas após 50 horas7 após 100 horas7 ou após 250
horas ■5, 7
Realizar as tarefas de manutenção conforme especificado, utilizando períodos diários ou horários – o que ocorrer primeiro
Verificar: Nível do tanque de combustível ■
Linhas de combustível e tubos ■1
Contenção de fluidos da estrutura base,
drenar se necessário ■

Nível de óleo do motor ■1 ■6


Nível de refrigerante do(s) radiador(es)
(camisa de água e LTA) ■4
Desgaste e fissuras dos tubos flexíveis do radiador e dos tubos do
refrigerante ■1
Pás da ventilador de refrigeração ■
Todos os componentes de escape e ferragens (acessórios, grampos,
abraçadeiras, etc.) ■1
Correia de transmissão, estado e voltagem ■2
Indicador de obstrução do filtro de ar ■
Existência de fugas no sistema de admissão de ar ■
Ligações elétricas (ligações da bateria, motor de arranque e
alternador) ■
Controles de segurança e alarmes ■
Funcionamento do Botão de Parada de Emergência. ■
Drenar: Água do pré-filtro de combustível 3

Limpar: Matriz do radiador ■4
■1 – Verifique se existem fugas no sistema do óleo, combustível, refrigeração e escape. (Consulte as seções 6.8 e 6.9) Inspecione visual e auditivamente o sistema de escape com o grupo gerador em funcionamento.
■2 – Verifique se a correia apresenta sinais de desgaste ou escorregamento. Proceda à substituição caso se apresente rígida ou quebradiço.
■3 – Drene um copo, ou mais, de combustível para remover água e sedimentos.
■4 – Consulte a Seção 6.4 deste manual e o Manual de Informação do Radiador 0908-0107-07(PO) fornecido com o grupo gerador.
■5 – A realizar por um técnico de assistência. Consulte o seu distribuidor autorizado.
■6 – O óleo do motor e o filtro devem ser substituídos após o período inicial de rodagem de 50 horas. Contate o seu distribuidor autorizado.
■7 – Todas as verificações e inspeções de manutenção indicadas a intervalos de manutenção inferiores, devem ser realizadas agora

Seção 6 – Manutenção Página 45


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

Esta página foi deixada intencionalmente em branco

Página 46 Seção 6 – Manutenção


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

6.2 Bloquear o grupo gerador em inatividade


6.2.1 Introdução
Antes de realizar qualquer trabalho de manutenção, etc., o equipamento deve ser imobilizado.
Mesmo que a máquina seja colocada em inatividade pressionando o interruptor Off (Desligado) no
painel de controle, a máquina não pode ser considerada segura para trabalhar até o motor ser
devidamente imobilizado conforme detalhado nos seguintes procedimentos.
Aviso: Consulte também o manual específico do motor incluído na documentação
fornecida com o grupo gerador. Este manual contém instruções do
equipamento específicas que podem ser diferentes das do grupo gerador
standard.
ADVERTÊNCIA: ANTES DE LEVAR A CABO QUALQUER OPERAÇÃO DE MANUTENÇÃO,
ISOLE TODAS AS FONTES DE ALIMENTAÇÃO PARA O GRUPO
GERADOR E PAINÉIS DE CONTROLE. IMPEÇA O FUNCIONAMENTO DO
GERADOR DESLIGANDO A BATERIA DAS INSTALAÇÕES.
Aviso: Se o motor tiver estado em recentemente funcionamento, é possível que
existam gases explosivos (provocados durante o carregamento da bateria) na
proximidade das baterias. Certifique-se de que a área está bem ventilada antes
de desligar as baterias.

6.2.2 Imobilizar o equipamento para trabalhar em segurança


Nota: Primeiro, interrompa o motor, conforme descrito na Seção 5.7 - Parada.
Para imobilizar o motor:
1. Pressione o interruptor de modo Off no painel de visualização.
2. Pressione o botão de Parada de Emergência (e mantenha pressionado durante 30
segundos). Assim, impedirá o arranque do grupo gerador independentemente da fonte do
Sinal de Arranque, proporcionando assim um fator de segurança adicional para imobilização
do grupo gerador. (Consulte a Seção 5.7)
Nota: Quando pressionar o botão de parada, o painel de visualização indicará a condição
de Interrupção acendendo o LED de Interrupção vermelho e visualizando a
seguinte mensagem no visor gráfico LCD:
Número da falha: 1433
PARADA DE EMERGÊNCIA LOCAL
ou
Número da falha: 1434
PARADA DE EMERGÊNCIA REMOTA

Nota: Esta falha afetará a memória do Histórico de Falhas.


3. Como precaução adicional, ventile bem a casa das máquinas antes de desligar quaisquer
cabos.
4. Isole e bloqueie a alimentação para o aquecedor, se instalado.
5. Isole e bloqueie a alimentação para o carregador de baterias, se instalado.
6. Isole a alimentação de combustível para o motor.
7. Desligue as baterias de arranque e as baterias do sistema de controle (se separadas).
Desligue primeiro o cabo negativo (-).
8. Instale sinais de Advertência em todos os pontos acima mencionados para indicação de
Manutenção em curso – Instalações imobilizadas para trabalho em segurança.

Seção 6 – Manutenção Página 47


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

6.3 Procedimentos de manutenção diários ou de


reabastecimento
Monitorize com freqüência os níveis dos fluidos, a pressão do óleo e a temperatura do líquido de
refrigeração. Durante a operação, esteja atento aos problemas mecânicos que possam provocar
condições inseguras ou perigosas. As seguintes seções abrangem várias áreas que devem ser
inspecionadas com freqüência para se conseguir uma operação contínua e segura.

6.3.1 Informação geral


A manutenção preventiva começa pelo conhecimento
adquirido no dia-a-dia acerca do grupo gerador.
Desempenho
Antes de iniciar o grupo gerador verifique os níveis do óleo
e do refrigerante e procure:
• Fugas Som
• Partes soltas ou danificadas
• Correias gastas ou danificadas
Aspecto
• Qualquer alteração no aspecto do motor ou do grupo do motor
gerador.

6.3.2 Relatório de funcionamento do motor


O motor deve ser mantido em boa condição mecânica para o operador obter a maior satisfação
possível da sua utilização. Os relatórios de funcionamento são necessários para permitir a
realização de assistência programada ou de emergência.
A comparação e interpretação inteligente do relatório de funcionamento, juntamente com uma
ação de resposta prática elimina a maioria das falhas e das reparações de emergência.
A maioria dos problemas do motor são detectados prematuramente. Verifique se existem
alterações de desempenho, ruído, ou aspecto do motor que possam indicar necessidade de
assistência ou reparação. Algumas alterações do motor a ter em consideração e a reportar são as
seguintes:
• Baixa pressão de óleo lubrificante
• Potência baixa
• Temperatura anormal da água ou do óleo
• Ruído do motor invulgar
• Fumo excessivo
• Utilização excessiva de refrigerante,
combustível ou óleo lubrificante
• Quaisquer fugas de refrigerante, combustível ou
óleo lubrificante.
• Falha de ignição
• Vibração
• Fumo de escape excessivo.

Página 48 Seção 6 – Manutenção


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

6.4 Sistema de refrigeração


ADVERTÊNCIA: O CONTATO COM LÍQUIDO DE REFRIGERAÇÃO QUENTE PODE RESULTAR EM
GRAVES QUEIMADURAS. DEIXE O SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO ARREFECER
ANTES DE LIBERTAR A PRESSÃO E DE REMOVER A TAMPA DO RADIADOR DA
CAMISA DE ÁGUA OU A TAMPA DO TANQUE DE EXPANSÃO LTA.
Aviso: A perda de líquido de refrigeração pode contribuir para o sobreaquecimento do motor
sem proteção do dispositivo de interrupção e causar graves danos ao motor. Mantenha
o nível de líquido de refrigeração para o funcionamento adequado do sistema de parada
alta temperatura do motor.

6.4.1 Nível de refrigerante – Verificação


ADVERTÊNCIA: NÃO REMOVA A TAMPA DO RADIADOR DE UM MOTOR QUENTE: AGUARDE ATÉ
o o
A TEMPERATURA SER INFERIOR A 50 C (122 F) ANTES DE REMOVER A TAMPA
DE PRESSÃO. O NÃO CUMPRIMENTO DESTA INDICAÇÃO PODE RESULTAR EM
LESÕES PESSOAIS RESULTANTES DE VAPOR OU BORRIFOS DE
REFRIGERANTE AQUECIDO. REMOVA A TAMPA DE ENCHIMENTO LENTAMENTE
PARA LIBERTAR A PRESSÃO DO SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO.
Aviso: Evite o contato prolongado ou repetido da pele com anticongelante. Consulte o
manual de Saúde e Segurança 0908-0110-07(PO) para obter informações
sobre o manuseamento e eliminação de anticongelante.
Nota: Nunca utilize um aditivo vedante para travar fugas no sistema de refrigeração,
Tal pode resultar num bloqueio do sistema de refrigeração e no fluxo
inadequado do refrigerante, provocando o sobreaquecimento do motor.
O nível do refrigerante deve ser verificado diariamente. A concentração de refrigerante normal é
de 25% ou 50% de etileno glicol e água, esta concentração deve ser mantida. Serão rejeitadas as
reivindicações de garantia para danos provocados caso seja utilizada a mistura de anticongelante
incorreta. Contate o seu distribuidor autorizado para saber as especificações e concentração de
anticongelante para as suas condições de funcionamento. O anticongelante recomendado é
Fleetguard® Compleat ES que é um anticongelante com baixos níveis de silicato, ou equivalente.

Aviso: Não adicione líquido de refrigeração frio num motor quente. As peças fundidas do motor
podem ser danificadas. Deixe o motor arrefecer abaixo dos 50oC (122oF) antes de adicionar
refrigerante
Nota: Em aplicações que utilizem um sistema de recuperação do refrigerante, verifique se o
refrigerante está no nível adequado no tanque de recuperação de refrigerante, dependendo
da temperatura do motor.
Encha o sistema de refrigeração com refrigerante até ao fundo do bocal de enchimento do radiador ou no
o
tanque de expansão, com a temperatura do refrigerante nos 50°C (122 F) ou menos.
Nota: Alguns radiadores têm dois bocais de enchimento; ambos devem ser abastecidos. Consulte
os desenhos específicos do grupo gerador fornecidos com o grupo.

Seção 6 – Manutenção Página 49


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

6.4.2 Ventilador de refrigeração – Inspeção


ADVERTÊNCIA: A FALHA DAS PÁS DA VENTILADOR PODE RESULTAR EM LESÕES
PESSOAIS. NUNCA PUXE OU FORCE A VENTILADOR, TAL PODE
DANIFICAR A(S) PÁ(S) DA VENTILADOR E PROVOCAR A FALHA DA
MESMA.
Nota: Rode manualmente o cárter, utilizando uma chave de porcas na porca da polia
motora secundária

É necessário inspecionar a ventilador de


refrigeração diariamente. Verifique a
existência de fissuras, rebites soltos, e pás
dobradas ou soltas. Verifique a ventilador
para garantir que está bem montada.
Aperte quaisquer parafusos se necessário.
Contate o seu distribuidor autorizado se a
ventilador estiver danificada.

6.4.3 Correia de transmissão –


Inspeção
Inspecione visualmente a correia,
verificando a existência de fissuras
cruzadas. Pequenas fissuras transversais
(através da largura da correia) são
aceitáveis. Fissuras longitudinais (direção
do comprimento da correia) que se cruzem
com fissuras transversais NÃO são
aceitáveis. Contate o seu distribuidor
autorizado se a correia estiver gasta ou lhe
faltarem pedaços de material.

6.4.4 Radiador – Verificação


Verifique a existência de tubos danificados
e braçadeiras para tubos soltas e
danificadas.
Inspecione o exterior do radiador e
verifique se está obstruído. Durante a vida
útil do radiador, a acumulação de matéria
estranha pode obstruir o fluxo de ar que
atravessa os favos do radiador, reduzindo
a capacidade de refrigeração. Para garantir
a eficácia contínua do radiador, o núcleo
terá de ser limpo.
Consulte o Manual de Informações do
Radiador 0908-0107-07(PO) para obter
mais detalhes sobre a limpeza do radiador.

Página 50 Seção 6 – Manutenção


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

6.5 Óleo do motor


6.5.1 Nível do óleo do motor – Verificação
ADVERTÊNCIA: A PRESSÃO DO CÁRTER PODE EXPELIR ÓLEO QUENTE E PROVOCAR
GRAVES QUEIMADURAS. NÃO VERIFIQUE O ÓLEO ENQUANTO O
GRUPO GERADOR ESTIVER EM FUNCIONAMENTO.
Aviso: Não ligue o motor com o nível do óleo abaixo da marca de nível mínimo ou da
marca de nível máximo. O sobre enchimento pode provocar a formação de
espuma ou a gasificação do óleo enquanto que a operação com o nível abaixo
da marca de mínimo pode provocar a perda da pressão do óleo.

Aviso: O contato prolongado e repetido da pele com óleos do motor usados pode
provocar problemas cutâneos ou outras lesões corporais.
Consulte o Manual de Saúde e Segurança (0908-0110-07(PO)) fornecido com
o seu grupo gerador para conhecer as precauções necessárias para o
manuseamento e eliminação de óleo do motor usado.
Verifique o nível do óleo do motor durante os
períodos de inatividade do motor nos intervalos
especificados na Tabela de Manutenção 2.
Nunca utilize o motor com o nível do óleo abaixo da
marca de nível mínimo L (Low) ou da marca de
nível máximo H (High). Aguarde pelo menos quinze
minutos, após desligar o motor, antes de verificar o
nível do óleo. Isto dá tempo para que o óleo retorne
ao cárter do óleo.

Nota: Utilize óleo lubrificante multiviscosidade de alta qualidade 15W-40, como o


Cummins Premium Blue® ou equivalente. Contate o seu distribuidor autorizado
para saber qual o óleo lubrificante correto para as suas condições de
funcionamento.

Seção 6 – Manutenção Página 51


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

6.6 Sistema de combustível


ADVERTÊNCIA: A IGNIÇÃO DO COMBUSTÍVEL PODE PROVOCAR LESÕES GRAVES OU
MORTE DEVIDO A INCÊNDIO OU EXPLOSÃO. NÃO PERMITA A
APROXIMAÇÃO DE QUALQUER CHAMA, CIGARRO OU FONTE DE IGNIÇÃO
DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL. OU EM ÁREAS QUE PARTILHEM A
VENTILAÇÃO.

ADVERTÊNCIA: OS ATUADORES DO COMBUSTÍVEL DO MOTOR PODEM FUNCIONAR A


TENSÕES ATÉ 140 VOLTS CC.

ADVERTÊNCIA: NÃO MISTURE GASOLINA OU ÁLCOOL COM GASÓLEO ESTA MISTURA PODE
PROVOCAR UMA EXPLOSÃO.
Aviso: Devido às tolerâncias precisas dos sistemas de injeção de gasóleo, é extremamente
importante que o combustível seja mantido limpo e livre de sujidade ou água.
Sujidade ou água no sistema pode provocar danos graves tanto na bomba de
injeção como nos injetores.
Utilize combustível ASTM Nº. 2D com um índice de Cetano mínimo de 40. O gasóleo Nº. 2 proporciona
a melhor economia e desempenho na maioria das condições de funcionamento. Combustíveis com
índices de Cetano superiores a 40 são muitas vezes necessários em elevadas altitudes, ou
temperaturas ambiente muito baixas, para evitar falhas de ignição e fumo excessivo. Contate o seu
distribuidor autorizado para saber as suas condições de funcionamento.
Nota: Um gasóleo de acordo com a norma BS 2869:2006; (Fuelóleos para motores e
caldeiras agrícolas, domésticos e industriais), em conformidade com os requisitos e
métodos de teste dessa especificação seriam uma alternativa aceitável ao ASTM Nº.
2D.

6.6.1 Nível de combustível


Para evitar problemas de condensação, mantenha os depósitos de alimentação
de combustível o mais cheios possível, procedendo ao seu enchimento sempre
que utilizar o motor. A condensação (água) pode provocar o entupimento dos
filtros de combustível bem como possíveis problemas de congelamento. Para
além disso, a água misturada com o enxofre do combustível provoca formação
de ácido que pode corroer e danificar peças do motor.
Está integrado um depósito de combustível na estrutura base. O depósito está
equipado com um grande tampão de enchimento com filtro de malha grossa
integrado, fornecendo uma operação mínima de onze horas a uma carga nominal de 100%.

6.6.2 Separadores de combustível/água – Drenar


Drene a água e os sedimentos do separador diariamente.
Encontram-se montados no grupo separadores de combustível / água
para disponibilizar proteção para o sistema de injeção de combustível
do motor, nos casos onde não seja possível garantir uma alimentação
de combustível isento de água.
Rode a válvula no sentido contrário aos dos ponteiros do relógio,
quatro voltas completas, até a válvula baixar uma polegada. Drene a
água do cárter até ser possível ver combustível limpo.
Empurre a válvula para cima e rode-a no sentido dos ponteiros do
relógio para fechar a válvula de drenagem.
Aviso: Não aperte demasiado a válvula. Apertar demasiado pode danificar os filetes.

Nota: Se mais de 2 onças forem drenadas, é necessário o reabastecimento do filtro para


evitar a dificuldade no arranque.

Página 52 Seção 6 – Manutenção


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

6.7 Contenção de fluidos


A área de contenção de derrames da estrutura base (se aplicável) devem ser inspecionados em
intervalos regulares e todos os líquidos devem ser drenados e eliminados em conformidade com
as regulamentações locais para a saúde e a segurança. (Consulte também o manual de Saúde e
Segurança 0908-0110-07(PO)). O não cumprimento desta indicação pode provocar derrames de
líquidos que podem contaminar a área circundante.

CHAVE
1. Tampão de enchimento do óleo
2. Vareta do óleo
3. Área de contenção

Qualquer outra área de contenção de fluidos também dever ser verificada e esvaziada, conforme
indicado acima.

6.8 Tubos e linhas de combustível


– Verificação
Com o grupo gerador em funcionamento, verifique
se as linhas de alimentação, as linhas de retorno, os
filtros e os acessórios apresentam fugas. Verifique
se as seções flexíveis apresentam cortes, fendas e
abrasão, certificando-se de que não estão sujeitas a
fricção que possa provocar a quebra. Caso sejam
detectadas quaisquer fugas, interrompa o grupo
gerador (se possível), contate o seu distribuidor
autorizado e corrija as fugas imediatamente.

6.9 Sistema de escape


ADVERTÊNCIA: A INALAÇÃO DE GASES DE ESCAPE PODE RESULTAR EM LESÕES
PESSOAIS GRAVES OU NA MORTE. CERTIFIQUE-SE DE QUE OS GASES
DE ESCAPE FATAIS SÃO ENVIADOS PARA O EXTERIOR EM LOCAIS
AFASTADOS DAS JANELAS, PORTAS E OUTRAS ENTRADAS DOS
EDIFÍCIOS. NÃO DEIXE ACUMULAR EM ÁREAS HABITADAS.
Com o grupo gerador em funcionamento, inspecione visual e auditivamente todo o sistema de
escape incluindo o coletor de escape, o silencioso e o tubo de escape. Verifique se existem fugas
em todas as ligações, soldaduras, juntas de vedação e articulações, e certifique-se de que os
tubos de escape não estão a aquecer em demasia as áreas circundantes. Caso sejam detectadas
quaisquer fugas, interrompa o grupo gerador (se possível), contate o seu distribuidor autorizado e
corrija as fugas imediatamente.

Seção 6 – Manutenção Página 53


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

6.10 Sistema elétrico CA


Verifique os seguintes pontos enquanto o grupo gerador estiver em funcionamento:
• Freqüência: A freqüência do grupo gerador deve ser estável e o valor deve ser o equivalente
ao indicado na placa de especificações do grupo gerador (50Hz/1500RPM ou
60Hz/1800RPM).
• Voltagem CA: Sem carga, a (s) tensão (ões) de linha para linha devem ser equivalentes às
indicadas na placa de especificações do grupo gerador.
• Amperímetro CA: Sem carga, os valores de corrente devem ser zero. Com carga aplicada, a
corrente de cada linha deve ser idêntica.
• Luzes do painel: Quando o Painel de Operação é ligado primeiro à alimentação CC, o
sistema efetua uma verificação acendendo cada uma das luzes indicadoras alternadamente.

6.11 Sistema elétrico CC


Verifique se as ligações dos terminais da bateria estão limpas
e fixas. Ligações soltas ou com corrosão provocam
resistência, o que pode prejudicar o arranque. Se estiverem
soltos, limpe e ligue novamente os cabos da bateria. Desligue
sempre ambas as extremidades do cabo negativo da bateria.
Ligue novamente uma extremidade do cabo ao terminal
negativo da bateria e a outra extremidade à terra. Assim,
garantirá que qualquer formação de arco fique afastada da
bateria, reduzindo a possibilidade de ignição de gases
explosivos da bateria.
ADVERTÊNCIA: A IGNIÇÃO DE GASES EXPLOSIVOS DA BATERIA PODE PROVOCAR
GRAVES LESÕES. NÃO FUME ENQUANTO PRESTA ASSISTÊNCIA ÀS
BATERIAS.
Consulte a Publicação Suplementar 0908-0101-07(PO) para obter informações de limpeza e
precauções de segurança relativas à bateria.

Página 54 Seção 6 – Manutenção


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

SEÇÃO 7 – RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS


7. Resolução de problemas
7.1 Introdução
Esta seção disponibiliza as tabelas de códigos de falhas juntamente com as tabelas de códigos de
Advertência e Interrupção no intuito de ajudar na detecção e identificação das possíveis causas
de falhas no sistema do grupo gerador. Consulte também o manual específico do motor fornecido
como parte da documentação do grupo gerador. Este manual também contém mais informações
acerca do funcionamento e manutenção do grupo gerador e também instruções específicas do
equipamento que podem ser diferentes das do grupo gerador standard.

7.2 Unidade de controle


O sistema de comando do grupo gerador monitoriza continuamente os sensores do motor para
detecção de condições anormais, tais como baixa pressão do óleo e temperatura elevada do
refrigerante. Se alguma destas condições ocorrer, o comando acenderá uma luz de Advertência
amarela ou uma luz de Interrupção vermelha e visualizará uma mensagem no painel do visor
gráfico. Em caso de falha de interrupção do motor (LED de Interrupção vermelho), o comando
parará o motor imediatamente.
Esta seção apresenta uma lista dos códigos de falha/mensagens de Advertência e Interrupção
(Tabela 3), e sugere os procedimentos de resolução de problemas.
Nota: Os códigos de erro que não forem indicados na Tabela 3 obrigam a que a falha
seja corrigida por um representante de serviço autorizado. Para assistência,
contate um centro de serviço autorizado.

Seção 7 – Resolução de problemas Página 55


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

7.3 Considerações de segurança


Os trabalhos de detecção de falhas, particularmente em áreas exíguas, devem ser realizados por
uma equipa de dois técnicos. Leia, compreenda e cumpra todas as precauções de segurança
indicadas na Seção 1 – Instruções Preliminares e de Segurança – e observe todas as instruções e
precauções ao longo deste manual, do manual específico do motor e do Manual de Saúde e
Segurança (0908-0110-07(PO)).
A instalação de um grupo gerador pode ser concebida para arranque remoto. Quando proceder à
resolução de problemas num grupo gerador que tenha sido interrompido, certifique-se de que o
grupo não poderá arrancar acidentalmente. Consulte a Seção 6.2 – Bloquear o grupo gerador em
inatividade
ADVERTÊNCIA: O GRUPO GERADOR EM FUNCIONAMENTO GERA CORRENTES DE
ALTA TENSÃO. NÃO ABRA A CAIXA DE SAÍDA ENQUANTO O GRUPO
GERADOR ESTIVER EM FUNCIONAMENTO.

ADVERTÊNCIA: ALGUNS COMPONENTES INTERNOS DO PAINEL PODEM POSSUIR


TERMINAIS COM CORRENTE EXPOSTOS MESMO QUE O GRUPO
GERADOR NÃO ESTEJA EM FUNCIONAMENTO. ISOLE TODAS AS
FONTES DE ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA ANTES DE OBTER ACESSO AO
PAINEL DE CONTROLE.

ADVERTÊNCIA: O CONTATO COM COMPONENTES DE ALTA TENSÃO PODE PROVOCAR


GRAVES LESÕES OU MORTE POR ELETROCUSSÃO. MANTENHA AS
TAMPAS DA CAIXA DE SAÍDA NO DEVIDO LOCAL DURANTE A
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. OS TESTES E/OU AJUSTES DEVEM SER
REALIZADOS APENAS POR PESSOAL QUALIFICADO NA EXECUÇÃO DE
ASSISTÊNCIA ELÉTRICA.
Aviso: Desligue sempre o carregador de baterias da alimentação CA antes de
desligar os cabos da bateria. O não cumprimento desta indicação pode resultar
em picos de tensão suficientemente fortes para danificar os circuitos de
controle CC do grupo gerador.
ADVERTÊNCIA: VENTILE A ÁREA DA BATERIA ANTES DE TRABALHAR NA BATERIA OU
PRÓXIMO DA MESMA – USE ÓCULOS DE PROTEÇÃO – PARE O GRUPO
GERADOR E DESLIGUE O CARREGADOR ANTES DE DESLIGAR OS
CABOS DA BATERIA – DESLIGUE PRIMEIRO O CABO NEGATIVO (-) E
LIGUE-O EM ÚLTIMO.

ADVERTÊNCIA: A IGNIÇÃO DE GASES EXPLOSIVOS DA BATERIA PODEM PROVOCAR


GRAVES LESÕES OU A MORTE. A FORMAÇÃO DE ARCO VOLTAICO
NOS TERMINAIS DA BATERIA, LIGAR O INTERRUPTOR OU OUTRO
EQUIPAMENTO, CHAMAS, LUZES PILOTO E FAÍSCAS, PODEM
INFLAMAR O GÁS DA BATERIA. NÃO FUME NEM LIGUE-DESLIGUE A
LANTERNA AUXILIAR JUNTO DA BATERIA. DESCARREGUE A
ELECTRICIDADE ESTÁTICA DO CORPO ANTES DE TOCAR NAS
BATERIAS TOCANDO PRIMEIRO NUMA SUPERFÍCIE DE METAL LIGADA
À MASSA.

ADVERTÊNCIA: O ARRANQUE ACIDENTAL DO GRUPO GERADOR ENQUANTO ESTIVER


A REALIZAR AÇÕES DE MANUTENÇÃO PODE PROVOCAR GRAVES
LESÕES OU MORTE. IMPEÇA O ARRANQUE ACIDENTAL DESLIGANDO
OS CABOS DA BATERIA DE ARRANQUE (NEGATIVO [-] PRIMEIRO).

Página 56 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

7.4 Detecção de falhas


Caso ocorra uma condição de falha durante a operação, cumpra os procedimentos das seguintes
tabelas para localizar e corrigir o problema. Caso se verifique algum sintoma não descrito, contate
um Centro de Serviço autorizado para obter assistência.
Antes de iniciar qualquer detecção de falhas, certifique-se de que executa as seguintes
verificações básicas:
• Todos os interruptores e comandos se encontram nas posições corretas
• O nível do combustível é o correto
• O nível do óleo lubrificante é o correto
• O nível do líquido de refrigeração é o correto
• A matriz do radiador não apresenta obstruções
• A condição de carga da bateria é satisfatória e as ligações estão fixas
• As ligações elétricas do grupo gerador e do alternador estão fixas
• As ligações do painel estão fixas
• Os circuitos de proteção foram repostos
• Os fusíveis fundidos foram substituídos
• Os contatores ou disjuntores disparados foram repostos
ADVERTÊNCIA: MUITOS PROCEDIMENTOS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
REPRESENTAM PERIGOS QUE PODEM RESULTAR EM GRAVES
LESÕES OU MORTE. OS PROCEDIMENTOS DE SERVIÇO DEVEM SER
REALIZADOS APENAS POR PESSOAL DE SERVIÇO QUALIFICADO
COM CONHECIMENTOS DOS PERIGOS DE COMBUSTÍVEIS,
ELECTRICIDADE E DISPOSITIVOS MECÂNICOS.
REVEJA AS PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA DESCRITOS NA SEÇÃO 1
– INSTRUÇÕES PRELIMINARES E DE SEGURANÇA –DESTE MANUAL
BEM COMO O MANUAL DE SAÚDE E SEGURANÇA (0908-0110-07(PO)).

Seção 7 – Resolução de problemas Página 57


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

7.5 Indicadores de estado

Figura 22 Painel de visualização

Não em Auto
Esta luz vermelha acende-se quando o comando se encontra NÃO em Auto

Estado de Interrupção
Esta luz vermelha acende-se sempre que o comando detectar uma condição de Interrupção. Não
é possível iniciar o grupo gerador quando esta lâmpada estiver acesa. Depois de a condição ser
corrigida, a luz pode ser reposta pressionando o botão Off.
Nota: Quando o modo “Battle Short" tiver sido ativado e ocorrer uma falha de interrupção
ignorada, a luz de Interrupção acende-se ainda que o grupo gerador continue a
funcionar.

Advertência
Esta luz amarela acende-se sempre que o comando detectar uma condição de Advertência. Esta
luz desliga-se automaticamente quando a condição de Advertência deixa de existir.

Arranque remoto
Esta luz verde indica que o comando recebe um sinal de Funcionamento Remoto.

Auto
Esta luz verde indica que o comando está no modo Auto. O modo Auto pode ser selecionado
pressionando o botão de seleção a partir de qualquer um dos menus do Operador
(consulte a Seção 4.5).
Funcionamento Manual I
Esta luz verde indica que o comando está no modo de Funcionamento Manual. O modo Manual

pode ser selecionado pressionando o botão de seleção a partir de qualquer um dos menus do
Operador (consulte a Seção 4.5).

Página 58 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

7.6 Códigos de falha/estado


ADVERTÊNCIA: MUITOS TRABALHOS DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS SÃO PERIGOSOS E PODEM RESULTAR EM LESÕES
PESSOAIS OU MORTE. OS TRABALHOS DE ASSISTÊNCIAS APENAS DEVEM SER REALIZADOS POR TÉCNICOS
QUALIFICADOS COM CONHECIMENTO SOBRE OS PERIGOS RELACIONADOS COM COMBUSTÍVEIS, ELETRICIDADE
E MÁQUINAS.
O ARRANQUE ACIDENTAL DO GRUPO GERADOR ENQUANTO ESTIVER A REALIZAR AÇÕES DE MANUTENÇÃO
PODE PROVOCAR GRAVES LESÕES OU MORTE. IMPEÇA O ARRANQUE ACIDENTAL DESLIGANDO OS CABOS DA
BATERIA DE ARRANQUE (NEGATIVO [-] PRIMEIRO).
Os códigos de falha foram divididos em cinco categorias para o ajudarem a determinar qual a ação corretiva a tomar para conseguir o
funcionamento seguro do grupo gerador. Utilize a Tabela 3 para encontrar a categoria (CTG) e a descrição da falha para todos os códigos.
Nota: Os intervalos nos números dos códigos destinam-se aos códigos que não são aplicáveis a este grupo gerador. Alguns dos códigos
discriminados dependem das características e não serão visualizados por este comando.
Códigos de falha da categoria A:
Relacionados com falhas de Interrupção do motor ou do alternador que requerem reparação imediata por pessoal de serviço qualificado e
experiente (grupo gerador não operacional). O comando impede que o grupo seja reiniciado se uma falha de interrupção não tiver sido corrigida.
Códigos de falha da categoria B:
Consiste em falhas que podem influenciar o desempenho do grupo gerador ou provocar danos no motor, no alternador ou no equipamento
ligado. Realize a operação do grupo apenas quando estiver a alimentar cargas críticas e não puder ser interrompido. Requer reparação por
pessoal de serviço qualificado e experiente.
Códigos de falha da categoria C:
Consistem em falhas que não influenciam o desempenho do grupo gerador, mas que requerem reparação por pessoal de serviço qualificado e
experiente. Estes códigos indicam um problema relacionado com uma instalação elétrica ou chicote elétrico com defeito.
Estes códigos também podem indicar um sensor do motor com defeito, deixando o motor sem qualquer proteção. (Sem esta proteção, podem
ocorrer danos no motor sem que sejam detectados).
Aviso: A operação ininterrupta pode anular a garantia do grupo gerador se ocorrerem danos relacionados com esta condição de falha.
Códigos de falha da categoria D:
Consistem em falhas que podem ser reparadas pelo pessoal no local. Será necessária assistência por parte de pessoal de serviço qualificado e
experiente se o pessoal no local não conseguir resolver o problema depois de realizadas as ações corretivas sugeridas na Tabela 4.
Códigos de falha da categoria E:
Indica o estado operacional não crítico do grupo gerador, falhas externas ou entradas de falha do cliente. Estas falhas requerem reparação por
pessoal de serviço qualificado e experiente.
Seção 7– Resolução de problemas Página 59
Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

Tabela 3 Códigos de falha


CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO
VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
A 121 Desligamento SPEED SIGNAL LOST Indica que não foram detectados impulsos do captador magnético para
um atraso de Perda de Velocidade. Se um captador magnético estiver
121 desativado, esta falha não é ativada.
B 135 Advertência OIL PRESS SENSOR Indica que a saída do sensor da pressão do óleo está fora do limite, alta.
OOR HIGH
135
C 141 Advertência OIL PRESS SENSOR Indica que a saída do sensor da pressão do óleo está fora do limite,
OOR LOW baixa.
141
B 143** Advertência PRE-LOW OIL Indica que a pressão do óleo do motor está a aproximar-se de um nível
PRESSURE inaceitável.
143
C 144 Advertência COOLANT SENSOR Indica que a saída do sensor de temperatura do refrigerante está fora do
OOR LOW limite (OOR), baixo.
144
C 145 Advertência COOLANT SENSOR Indica que o sensor de temperatura do refrigerante está fora do limite
OOR HIGH (OOR), alto.
145
C 146** Advertência PRE-HIGH COOLANT Indica que o motor está a funcionar próximo da capacidade de
TEMP refrigeração do sistema. Um aumento da carga ou uma temperatura
146 ambiente mais elevada pode provocar uma interrupção por temp.
refrigerante elevada (código 151).
D 151** Desligamento HIGH COOLANT TEMP Indica que a temperatura do refrigerante do motor está acima do normal e
que atingiu o ponto de disparo de Interrupção.
151
C 153 Advertência INTAKE MANIFOLD Indica que o sensor de temperatura do coletor de admissão está fora do
TEMP OOR HIGH limite (OOR), alta.
153
C 154 Advertência INTAKE MANIFOLD Indica que o sensor de temperatura do coletor de admissão está fora do
TEMP OOR LOW limite (OOR), baixa.
154
D 155 Desligamento INTAKE MANIFOLD Indica que o sensor de temperatura do coletor de admissão está acima do
TEMP HIGH 155 normal e atingiu o ponto de disparo de interrupção.
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Página 60 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
C 195 Advertência COOLANT LEVEL Indica que um sensor no radiador detectou que o nível de refrigerante
OOR HIGH está fora do limite, alto
195
C 196 Advertência COOLANT LEVEL Indica que um sensor no radiador detectou que o nível de refrigerante
OOR LOW está fora do limite, baixo
196
D 197 Advertência COOLANT LEVEL LOW Indica que um sensor no radiador detectou que o nível de refrigerante
197 está abaixo do normal.

A 234** Desligamento OVERSPEED Indica que o motor ultrapassou a rotação de funcionamento normal. Os
limiares predefinidos são 1725 RPM (50Hz) ou 2075RPM (60Hz).
234
A 285 Desligamento ECM PGN TIMEOUT Falha Datalink. O comando PowerCommand®1.1 não responde ao
285 módulo de controle do motor.

A 286 Desligamento ECM CONFIGURABLE Indica um erro de configuração do módulo de comando do motor.
ERROR 286

D 359 Desligamento FAIL TO START O sistema falhou ao arrancar após um número definido de tentativas de
rotação. Indica um possível problema no sistema de combustível ou de
359 indução de ar (o motor roda, mas não arranca).
A 415** Desligamento LOW OIL PRESSURE Indica que a pressão do óleo do motor desceu a um nível abaixo do
415 normal e atingiu o ponto de disparo de interrupção.
C 421^ Desligamento OIL TEMP HIGH Indica que a temperatura do óleo do motor está acima do normal e atingiu
o ponto de disparo de interrupção. (opção de módulo E/S).
421
B 425^ Desligamento OIL TEMP OOR Indica que a saída de temperatura do óleo do motor está fora do limite
(OOR). Alta ou baixa. (opção de módulo E/S).
425
A 426 Desligamento DATA LINK ERROR Falha Datalink. Nenhuma comunicação entre o comando
PowerCommand®1.1 e o módulo de comando do motor.
426
A 427** Advertência CAN LINK LOST Falha Datalink. Indica que se perderam dados importantes entre o
427 comando PowerCommand®1.1 e o módulo de comando do motor.
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Seção 7– Resolução de problemas Página 61


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
D 441** Advertência LOW BATTERY Indica que a alimentação da bateria para o comando está a chegar a um
nível baixo, ponto onde a operação será imprevisível.
441
D 442** Advertência HIGH BATTERY Indica que a alimentação da bateria para o comando está a chegar a um
442 nível alto, ponto onde poderão ocorrer danos para o comando.

D 488^ Desligamento INTAKE MANIFOLD Indica que a temperatura do coletor de admissão está acima do normal e
TEMP HIGH 488 atingiu o ponto de disparo de interrupção. (opção de módulo E/S).
A 689 Desligamento ENGINE SPEED Indica uma condição de falha no circuito do sensor da cambota do motor.
ERRATIC 689
A 781 Desligamento CAN LINK LOST Falha Datalink. Nenhuma comunicação entre o comando
781 PowerCommand®1.1 e o módulo de comando do motor
D 1117 Advertência ECM POWER LOST Indica que a alimentação de tensão da bateria para o módulo de comando
1117 do motor se perdeu.

B 1123* Desligamento SHUTDOWN AFTER BS Ocorreu uma falha de interrupção enquanto o modo “Battle Short” estava
ativado.
1123
D 1131* Advertência BATTLE SHORT ACTIVE Indica que o comando se encontra no modo “Battle Short” – utilizado para
1131 ignorar diversas interrupções por falha para operação do grupo gerador
durante emergências.
C 1246 Advertência GENERIC ENGINE Código de falha do comando do motor não reconhecido pelo comando
FAULT 1246 PowerCommand®1.1.
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Página 62 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
E 1311 Configurável Customer Fault Input 1 A natureza da falha é uma seleção opcional do cliente.
1311
E 1312 Configurável Customer Fault Input 2 A natureza da falha é uma seleção opcional do cliente.
1312
E 1317 Configurável Customer Fault Input 3 A natureza da falha é uma seleção opcional do cliente.
1317
E 1318 Configurável Customer Fault Input 4 A natureza da falha é uma entrada opcional do grupo gerador.
1318
B 1416* Advertência FAIL TO SHUTDOWN Indica que está ativa uma falha de interrupção, mas está a ser ignorada
pelo “Battle Short”.
1416
A 1417 Desligamento FAILURE TO POWER Indica que o comando é ativado depois de tentar desligar.
DOWN 1417
D 1433 Desligamento LOCAL EMERGENCY Indica que uma parada de emergência local foi ativada.
STOP
1433
D 1434 Desligamento REMOTE EMERGENCY Indica que uma parada de emergência remota foi ativada.
STOP
1434
D 1435** Advertência LOW COOLANT TEMP Indica que a temperatura de refrigerante do motor é inferior ao limite
ajustado. Pode indicar que o aquecedor de refrigerante não está a
1435 funcionar ou não está a circular refrigerante.
D 1438 Desligamento FAIL TO CRANK O grupo gerador não conseguiu detectar rotação para duas tentativas de
arranque. Indica possível falha com o comando, detecção de velocidade
1438 ou sistema de arranque.
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Seção 7– Resolução de problemas Página 63


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
D 1442** Advertência WEAK BATTERY Indica que a tensão da bateria do grupo gerador encontra-se abaixo dos
1442 limiares durante a rodagem do motor.
A 1446** Desligamento HIGH AC VOLTAGE Indica que uma ou mais tensões de saída de CA ultrapassaram o limiar
por um período superior ao limite especificado. O limiar e os limites de
1446 tempo são 130% do valor nominal para zero segundos ou 110% do valor
nominal durante dez segundos.
A 1447** Desligamento LOW AC VOLTAGE Indica que a tensão de saída CA medida se encontra abaixo do limiar por
um período superior ao limite especificado. O limiar e os limites de tempo
1447 são 85% do valor nominal durante dez segundos.
A 1448** Desligamento UNDER FREQUENCY Indica que a freqüência do alternador é 6 Hertz inferior à freqüência
Hz nominal.
1448
A 1449** Desligamento OVER FREQUENCY Indica que a freqüência do alternador é 6 Hertz superior à freqüência
Hz nominal.
1449
A 1469** Desligamento SPEED HZ MATCH Indica que a velocidade do motor medida e a freqüência de saída CA do
alternador medida não coincidem.
1469
B 1471** Advertência HIGH AC CURRENT Indica que a corrente de saída do alternador (uma ou mais fases)
ultrapassou os limites de funcionamento seguro.
1471
A 1472** Desligamento HIGH AC CURRENT Indica que a corrente de saída do alternador (uma ou mais fases)
1472 ultrapassou a corrente nominal do alternador.

C 1845 Advertência WATER IN FUEL OOR Indica que a água do sensor de combustível está fora do limite (OOR),
HIGH alta.
1845
C 1846 Advertência WATER IN FUEL OOR Indica que a água do sensor de combustível está fora do limite (OOR),
LOW baixa.
1846
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Página 64 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
D 1852 Advertência WATER IN FUEL Indica que a água no combustível está acima do normal e atingiu o ponto
1852 de disparo de advertência.

E 1853 Configurável Annunciator Fault 2 A natureza da falha do anunciador é uma seleção opcional do cliente.
1853

E 1854 Configurável Annunciator Fault 3 A natureza da falha do anunciador é uma seleção opcional do cliente.
1854

E 1855 Configurável Annunciator Fault 1 A natureza da falha do anunciador é uma seleção opcional do cliente.
1855

E 1944 Advertência ANNUNCIATOR Indica uma falha de correspondência da configuração de uma das saídas
OUTPUT 1944 do relé do anunciador.
CONFIGURATION
ERROR
D 1965^ Advertência EXHAUST Indica que o sensor da temperatura de escape está fora de limite (OOR),
TEMPERATURE OOR 1965 alto ou baixo. (Aux 101 I/O opcional).

B 1992 Advertência ENGINE OVERSPEED Indica que o motor ultrapassou a rotação de funcionamento normal. Os
1992 limiares predefinidos são 1725 RPM (50Hz) ou 2075RPM (60Hz). (código
de falha ECM)
C 2224^ Advertência FUEL LEVEL OOR Indica que o sensor do nível de combustível está fora do limite (OOR),
2224 alto ou baixo. (Aux 101 I/O opcional).

A 2335 Desligamento EXCITATION FAULT Indica que ocorreu uma perda de detecção de tensão ou freqüência do
grupo gerador.
2335
C 2398^ Advertência AMBIENT Indica que o sensor da temperatura ambiente está fora de limite (OOR),
TEMPERATURE OOR 2398 alto ou baixo. (Aux 101 I/O opcional).

C 2542^ Advertência VOLTAGE BIAS OOR Indica que a saída do circuito de desvio de tensão está fora de limite
2542 (OOR), alto ou baixo. (Aux 101 I/O opcional).

A 2545 Desligamento KEYSWITCH RESET Indica uma falha do datalink. As comunicações são perdidas entre o
REQUIRED 2545 comando PowerCommand®1.1 e o módulo de comando do motor.
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Seção 7– Resolução de problemas Página 65


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
E 2619^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG A natureza do evento de Módulo Base I/O é uma seleção opcional do
INPUT 1 cliente. (Opção de Módulo Aux 101 I/O).
2619
Todas as funções de eventos podem ser programadas (utilizando a
ferramenta de assistência InPower ou acedendo ao menu Configurar), da
seguinte forma:
a) Alterar nome do visor utilizando até 32 caracteres
b) Selecionar entrada baixa ou alta.
E 2621^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG Ver código 2619
INPUT 2 2621
E 2622^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG Ver código 2619
INPUT 3 2622
E 2623^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG Ver código 2619
INPUT 4 2623
E 2624^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG Ver código 2619
INPUT 5 2624
E 2625^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG Ver código 2619
INPUT 6 2625
E 2626^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG Ver código 2619
INPUT 7 2626
E 2627^ Diagnóstico AUX 101 ANALOG Ver código 2619
INPUT 8 2627
E 2628^ Diagnóstico AUX 102 DIGITAL A natureza do evento de Módulo Aux I/O é uma seleção opcional do
INPUT 9 cliente. (Opção de Módulo Aux 102 I/O).
2628
Todas as funções de eventos podem ser programadas (utilizando a
ferramenta de assistência InPower ou acedendo ao menu Configurar), da
seguinte forma:
c) Alterar nome do visor utilizando até 32 caracteres
d) Selecionar entrada baixa ou alta.
E 2629^ Diagnóstico AUX 102 DIGITAL Ver código 2628
INPUT 10 2629
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Página 66 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
E 2631^ Diagnóstico AUX 102 DIGITAL Ver código 2628
INPUT 11 2631
E 2632^ Diagnóstico AUX 102 DIGITAL Ver código 2628
INPUT 12 2632
A 2676 Interrupção ALTERNATOR Indica que a freqüência de linha do alternador avaliada e a freqüência de
FREQUENCY CONFLICT excitação do alternador avaliada não correspondem.
2676
A 2677 Desligamento FAIL TO STOP O grupo gerador continua a funcionar depois de receber um comando de
parada do controlador.
2677
B 2678** Advertência CHARGER FAILURE Indica que o alternador de carregamento da bateria não atingiu uma gama
de tensão aceitável no período de tempo selecionado (a predefinição é
2678 120 segundos).
Este alarme também é visualizado se o alternador for do tipo que não é
compatível com a funcionalidade lógica do alternador de carregamento do
comando. Se tal ocorrer, este alarme pode ser desativado se a definição
de ativação do alternador de carregamento estiver definida em “No”.
C 2693^ Advertência SPEED BIAS OOR Indica que a saída do circuito de desvio da velocidade está fora do limite
2693 (OOR), alto ou baixo. (Opção de Módulo Aux 101 I/O).

C 2694^ Advertência ALTERNATOR RTD OOR Indica que o sensor do alternador RTD está fora do limite (OOR), alto ou
2694 baixo. (Opção de Módulo Aux 101 I/O).

A 2696^ Desligamento ALTERNATOR RTD Indica que a temperatura do alternador está acima do normal e atingiu o
TEMP HIGH ponto de disparo de interrupção. (opção de módulo E/S).
2696
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Seção 7– Resolução de problemas Página 67


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

CTG CÓDIGO LÂMPADA MENSAGEM/SÍMBOLOS VISUALIZADOS DESCRIÇÃO


VERSÃO DE TEXTO VERSÃO DE
SÍMBOLO
C 2729^ Advertência I/O MODULE LOST Indica uma ligação de dados intermitente entre o módulo I/O e quadro de
2729 controle. (Opção de Módulo Aux 101 I/O).

C 2731 Desligamento I/O MODULE LOST Indica que a ligação de dados entre o módulo I/O e o quadro de controle
foi perdida. (Opção de Módulo Aux 101 I/O).
2731
A 2897 Desligamento FACTORY BLOCK Indica que ocorreu um erro de software fatal no comando
CORRUPT PowerCommand®1.1.
2897
A 2898 Advertência PERIODIC/FAULT Indica que o arquivo de dados periódico ou o arquivo do histórico de
CORRUPT 2898 falhas está danificado.
Remova e aplique potência novamente no comando para eliminar a falha.
(Os dados do arquivo periódico / histórico de falhas serão perdidos após a
reposição do comando).
A 2899 Desligamento USER BLOCK Indica que ocorreu um erro de software fatal no comando
CORRUPT PowerCommand®1.1.
2899
A 2911 Desligamento TRIM BLOCK CORRUPT Indica que ocorreu um erro de software fatal no comando
PowerCommand®1.1.
2911
D 2964 Advertência INTAKE MANIFOLD Indica que o motor começou a sobre aquecer (temperatura do coletor de
TEMPERATURE HIGH 2964 admissão atingiu um nível inaceitável). Um aumento da carga ou da
temperatura ambiente pode provocar uma interrupção devido a
temperatura elevada do coletor de admissão (código 155).
A 2972** Desligamento FIELD OVERLOAD Indica que a tensão no terreno foi superior a 70V durante oito segundos.
2972
* Para mais informações sobre estes eventos, consulte a descrição do modo “Battle Short” na Seção 4.
** Todos os valores indicados na coluna Descrição para estas falhas são valores predefinidos.
^ Estas falhas apenas estão disponíveis se a sua instalação incluir o módulo I/O opcional (Kit 541-1291)

Página 68 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

7.6.1 Falhas de entrada do cliente


Dependendo das opções do cliente especificadas, as falhas de entrada do cliente podem indicar o seguinte:

TEXTO APRESENTADO TRADUÇÃO

Earth Fault Falha de terra

Low Fuel Baixo nível de combustível

High Fuel Nível de combustível alto


Temperatura do alternador
High Alternator Temperature
elevada

Dependendo do número de opções do cliente necessárias, é possível instalar um painel de visualização adjacente onde estas falhas serão
visualizadas.

Seção 7– Resolução de problemas Página 69


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

Tabela 4 Procedimentos para resolução de problemas de códigos de falha


AÇÃO CORRETIVA – *(EM CASO DE DÚVIDA, CONTATE O SEU TÉCNICO DE ASSISTÊNCIA
CÓDIGO DE FALHA
AUTORIZADO)
CÓDIGO: 143 Indica que a pressão de óleo desceu abaixo do ponto de disparo de alarme. Se o grupo gerador estiver a alimentar cargas
críticas e não for possível encerrá-lo, espere até ao seguinte período de interrupção e depois siga o procedimento do código de
LÂMPADA: Advertência falha 415.

MENSAGEM: PRE-LOW OIL PRESSURE

CÓDIGO: 146 Indica que o motor está a funcionar próximo da capacidade do sistema de refrigeração. Um aumento da carga ou da
temperatura ambiente pode provocar uma interrupção devido a temperatura elevada do refrigerante (151). Reveja a lista de
LÂMPADA: Advertência correção do código 151 para conhecer outras causas possíveis.

MENSAGEM: PRE-HIGH COOL TEMP


Idica que o motor sofreu sobreaquecimento (temperatura do refrigerante ultrapassou o ponto de disparo de interrupção). Deixe o motor arrefecer
CÓDIGO: 151 completamente antes de prosseguir com as seguintes verificações:
a) Verifique se existem fugas de refrigerante e proceda à reparação, se necessário. Verifique o nível de refrigerante e encha novamente, se for
LÂMPADA: Desligamento baixo
MENSAGEM: HIGH COOLANT TEMP b) Verifique se existem obstruções ao fluxo de ar de arrefecimento e corrija, conforme necessário.
c) Verifique a correia da ventilador e procenda à reparação ou reaperte, se necessário
d) Verifique a ventilador do ventilador e as bombas de circulação nas instalações do radiador remoto
e) Reponha o controle e reinicie depois de localizar e corrigir o problema.

CÓDIGO: 155 Indica que o motor sobreaqueceu (temperatura do coletor de admissão ultrapassou o ponto de disparo de interrupção). A causa
pode ser um aumento da carga ou da temperatura ambiente. Reveja a lista de correção do código 151 para conhecer outras
LÂMPADA: Desligamento causas possíveis.

MENSAGEM: INTAKE MANIFOLD TEMP HIGH


Indica que o nível de refrigerante é inferior ao nível do ponto de disparo. Se o grupo gerador estiver a alimentar cargas críticas e não for possível
CÓDIGO: 197 encerrá-lo, aguarde até ao seguinte período de interrupção. Se for possível parar o motor, deixe-o arrefecer totalmente antes de continuar:
a) Verifique se existem fugas de refrigerante e proceda à reparação, se necessário. Verifique o nível de refrigerante e encha novamente, se for
LÂMPADA: Advertência baixo
MENSAGEM: COOLANT LEVEL LOW b) Reponha o controle e reinicie depois de localizar e corrigir o problema.

Indica um possível problema no sistema de combustível ou de indução de ar. (O motor dá sinal mas não arranca). Deixe o motor arrefecer
CÓDIGO: 359 completamente antes de prosseguir com as seguintes verificações:
a) Verifique se o depósito do combustível está vazio, fugas de combustível ou linhas de combustível obstruídas e corrija, conforme necessário
LÂMPADA: Desligamento
b) Verifique se existe sujidade no filtro de combustível e substitua, se necessário
MENSAGEM: Fail to Start c) Verifique se existe sujidade ou uma obstrução no filtro de ar e substitua, se necessário
d) Reponha o comando e reinicie depois de corrigir o problema.
Indica que a pressão de óleo desceu abaixo do ponto de disparo de interrupção. Deixe o motor arrefecer completamente antes de prosseguir com as
CÓDIGO: 415 seguintes verificações:
a) Verifique o nível do óleo, as linhas e os filtros
LÂMPADA: Desligamento
b) Se o sistema do óleo estiver OK, mas o nível do óleo for baixo, encha novamente
MENSAGEM: LOW OIL PRESSURE c) Reponha o controle e reinicie depois de localizar e corrigir o problema.

Indica que a alimentação da bateria para o comando está a chegar a um nível baixo, ponto onde a operação será imprevisível. Se for possível parar o
CÓDIGO: 441 motor, deixe-o arrefecer totalmente antes de continuar:
a) Más ligações dos cabos da bateria. Limpar os terminais dos cabos da bateria e apertar todas as ligações.
LÂMPADA: Advertência b) Verifique o nível de flutuação de carga da bateria, se aplicável (aumente o nível de flutuação)
MENSAGEM: LOW BAT VOLTAGE c) Bateria sem carga ou com defeito Verifique o fusível do carregador da bateria
d) Carregue novamente ou substitua a bateria.

Página 70 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

AÇÃO CORRETIVA – *(EM CASO DE DÚVIDA, CONTATE O SEU TÉCNICO DE ASSISTÊNCIA


CÓDIGO DE FALHA
AUTORIZADO)
Indica que a alimentação da bateria para o comando está a chegar a um nível alto, ponto onde poderão ocorrer danos para o comando. Se for
CÓDIGO: 442 possível parar o motor, deixe-o arrefecer totalmente antes de continuar:
a) Más ligações dos cabos da bateria. Limpar os terminais dos cabos da bateria e apertar todas as ligações.
LÂMPADA: Advertência
b) Verifique o nível de flutuação de carga da bateria, se aplicável (reduza o nível de flutuação).
MENSAGEM: HIGH BAT VOLTAGE

CÓDIGO: 488 Indica que o motor sobreaqueceu (temperatura do coletor de admissão ultrapassou o ponto de disparo de interrupção). A causa
pode ser um aumento da carga ou da temperatura ambiente. Reveja a lista de correção do código 151 para conhecer outras
LÂMPADA: Desligamento causas possíveis.

MENSAGEM: INTAKE MANIFOLD TEMP HIGH


Indica que o “Interruptor de Chave” do ECM NÃO foi retirado durante 30 segundos antes de eliminar a alimentação da bateria para o ECM (retirando
CÓDIGO: 1117 o cabo da bateria).
Para repor:
LÂMPADA: Advertência
a) Pressione o botão Off e o botão de parada de emergência e aguarde 30 segundos
MENSAGEM: ECM POWER LOST b) Retire a parada de emergência e selecione o modo de operação (manual ou remoto).

CÓDIGO: 1131 Indica que o comando se encontra no modo “Battle Short” – utilizado para ignorar diversas interrupções por falha permitindo
assim a operação do grupo gerador durante emergências.
LÂMPADA: Advertência
MENSAGEM: BATTLE SHORT ACTIVE
A natureza da falha é uma seleção opcional do cliente. Exemplo de entradas: Combustível baixo tanque dia, Água no combustível, Falha de terra, etc.
CÓDIGO: 1311, 1312, 1317, 1318
Todas as funções de falha podem ser programadas (utilizando a ferramenta de assistência InPower ou acedendo ao menu Configurar), da seguinte
LÂMPADA: Configurável forma:
a) Nível de evento, alarme ou interrupção em caso de seleção de função = entrada de falha
MENSAGEM: CONFIGURABLE INPUT 1, 2, 3, 4 b) Alterar nome do visor utilizando até 32 caracteres

CÓDIGO: 1416 O grupo gerador continua a funcionar depois de receber um comando do controlador para parar. A função “Battle Short” está
ativada – utilizado para ignorar diversas interrupções por falha grave permitindo assim a operação do grupo gerador durante
LÂMPADA: Advertência emergências.

MENSAGEM: FAIL TO SHUTDOWN


Indica Parada de Emergência local ou remota. O estado de interrupção de Parada de Emergência pode ser reposto apenas no painel de controle
CÓDIGO: 1433/1434 local. Depois de localizar e corrigir o problema, reponha o botão de parada de emergência local/remoto da seguinte forma:
a) Desligue (inative) o botão de parada de emergência
LÂMPADA: Desligamento
b) Pressione o botão O (Off)
MENSAGEM: E-STOP - LOCAL c) Selecione o modo de operação desejado (manual ou remoto).
E-STOP - REMOTE

CÓDIGO: 1435 Indica que o aquecedor do refrigerante do motor não está a funcionar ou não está a circular refrigerante. Se for possível parar o
motor, deixe-o arrefecer totalmente antes de proceder às seguintes verificações:
LÂMPADA: Advertência a) Aquecedor do refrigerante não está ligado à fonte de alimentação.
Verifique se existe algum fusível fundido ou cabo do aquecedor desligado e corrija, conforme necessário
MENSAGEM: LOW COOLANT TEMP b) Verifique se existem possíveis fugas de refrigerante e proceda à reparação conforme necessário
Verifique se o refrigerante apresenta um baixo nível e encha, se necessário.

Grupo não funciona. Ocorre um alarme quando a temperatura do refrigerante do motor atinge os 21oC (70oF) ou menos.
NOTA: Em aplicações em que a temperatura ambiente desça abaixo dos 4oC (40oF), a mensagem “Temp. do refrigerante
baixo” pode surgir mesmo que os aquecedores do refrigerante esteja a funcionar.

Seção 7– Resolução de problemas Página 71


Publicação 0908-0145-16 Manual do Operador
Edição 3 – 10-2009 PowerCommand® 1.1

AÇÃO CORRETIVA – *(EM CASO DE DÚVIDA, CONTATE O SEU TÉCNICO DE ASSISTÊNCIA


CÓDIGO DE FALHA
AUTORIZADO)
CÓDIGO: 1438 Indica uma possível falha do comando, detecção de velocidade ou sistema de arranque.
Veja o código 441 para conhecer a ação corretiva.
LÂMPADA: Desligamento

MENSAGEM: FAIL TO CRANK

CÓDIGO: 1442 Indica que durante a rodagem do motor a tensão da bateria encontra-se no ponto de disparo de alarme de bateria fraca (ou
abaixo deste ponto) durante um período idêntico, ou superior, ao tempo definido para a bateria fraca.
LÂMPADA: Advertência Veja o código 441 para conhecer a medida corretiva

MENSAGEM: WEAK BATTERY

CÓDIGO: 1448 Indica que a freqüência do grupo gerador desceu abaixo dos 90% do valor nominal durante cerca de dez segundos Deixe o
motor arrefecer completamente antes de prosseguir com as seguintes verificações:
a) Verifique a alimentação de combustível
b) Verifique a alimentação de admissão de ar
LÂMPADA: Interrupção
c) Verifique a carga e corrija qualquer sobrecarga.
MENSAGEM: UNDER FREQUENCY

CÓDIGO: 1852 Indica que a água no combustível está acima do normal e atingiu o ponto de disparo de advertência. Se for possível parar o
motor, deixe-o arrefecer totalmente antes de proceder às seguintes verificações:
LÂMPADA: Advertência a) Verifique o combustível no depósito (local ou remoto)
b) Drene e reabasteça se necessário
MENSAGEM: WATER IN FUEL c) Esteja ciente de todas as questões de Saúde e Segurança e ambientais se drenar o depósito.

CÓDIGO: 2964 Indica que o motor está a funcionar próximo da capacidade do sistema. Um aumento da carga ou da temperatura ambiente
pode provocar uma interrupção devido a temperatura elevada do coletor de admissão (155). Se for possível parar o motor,
LÂMPADA: Advertência deixe-o arrefecer totalmente antes de proceder às seguintes verificações:
Reveja a lista de correção do código 151 para conhecer outras causas possíveis.
MENSAGEM: HIGH INTAKE MANIFOLD TEMP

Página 72 Seção 7– Resolução de problemas


Manual do Operador Publicação 0908-0145-16
PowerCommand® 1.1 Edição 3 – 10-2009

Esta página foi deixada intencionalmente em branco

Seção 7– Resolução de problemas Página 73


Cummins Power Generation Cummins Power Generation Cummins Power Generation
1400 73rd Avenue NE Columbus Avenue 10 Toh Guan Road #07-01
Minneapolis Manston Park TT International Tradepark
MN 55432 Manston Singapore 608838
USA Ramsgate
Kent CT12 5BF
United Kingdom

Tel:+1 (763) 574-5000 Tel:+44 (0) 1843 255000 Tel: (65) 6417 2388
Fax:+1 (763) 574-5298 Fax:+44 (0) 1843 255902 Fax:(65) 6417 2399

e-mail: pgamail@cummins.com e-mail: cpgk.uk@cummins.com e-mail: cpg.apmktg@cummins.com

Web: www.cumminspower.com Web: www.cumminspower.com Web: www.cumminspower.com

Cummins Power Generation Cummins Power Generation


35A/1/2, Erandawana Rua Jati, 310 - Cumbica
Pune 411 038 Guarulhos –SP
India Brazil
CEP: 07180-900

Tel.: (91 020) 3024 8600 Tel.: (55 11) 2186 4195
Fax: (91 020) 6602 8090 Fax: (55 11) 2186 4729

e-mail: e-mail:
cpgiservicesupport@cummins.com falecom@cumminspower.com.br

Web: www.cumminspower.com Web: www.cumminspower.com

®
Cummins , the “C” logo, and “Our energy working for you.”
are trademarks of Cummins Inc.
©2009 Cummins Power Generation, Inc. All rights reserved