Você está na página 1de 9

TÉCNICA DE ELABORAÇÃO DA PETIÇÃO INICIAL - NOVO CPC

Para obter êxito na elaboração da peça processual o primordial é ler a


questão e identificar o que ela requer de você. Assim:
- Se a questão requer que você PROPONHA UMA AÇÃO para solucionar o
problema do seu cliente, a única forma de se propor toda e qualquer ação é por meio
da PETIÇÃO INICIAL, cuja técnica de elaboração está expressamente prevista no art. 319
NCPC);
- Se, por outro, lado, a questão requer que você DEFENDA seu cliente em uma
ação contra ele proposta, a forma usual de fazê-lo é através da CONTESTAÇÃO,
lembrando que esta não é a única forma de defesa, havendo também a reconvenção,
as exceções (de incompetência do juízo, suspeição e impedimento do juiz) e, no
processo de execução, os embargos e a impugnação.
- Por fim, se a questão requer que você RECORRA de uma decisão judicial, é
preciso identificar que tipo de decisão foi proferida. Tratando-se de
decisão interlocutória, caberá AGRAVO (por instrumento). Tratando-se de sentença, o
recurso oponível será a APELAÇÃO. Lembre-se também da possibilidade de interposição
dos embargos de declaração e do recurso inominado contra sentença proferida no
Juizado Especial.

→ Se você identificou que a questão requer que você PROPONHAUMA AÇÃO lembre-
se que, independente de qual seja a questão de mérito (indenização, possessória,
negatória de paternidade, monitória, etc) a forma de fazê-lo é através da PETIÇÃO
INICIAL, seguindo passo a passo os requisitos do art. 319 do NCPC) . Vejamos como
interpretar estes requisitos na hora da prova:

Art. 319 do NCPC: “A petição inicial indicará”

I. “O JUIZO A QUE É DIRIGIDA”

- Perceba que o Novo CPC corrige a impropriedade constante na redação do Código


anterior: não se trata da indicação do JUIZ (pessoa), mas sim do JUÍZO (órgão) a quem a
petição inicial deve ser endereçada.

- Escreva: Ao Juízo de Direito da ___ Vara __________ da Comarca


de ________________.

Ou Escreva: Ao Juízo de Direito de Uma das Varas Cíveis da Comarca


de ________________.

- o primeiro espaço normalmente vem em branco, pois, somente após a distribuição é


possível conhecer a Vara específica que irá analisar o processo. Somente no caso de
distribuição por dependência a outro processo conexo haverá indicação da Vara
específica.

- o segundo espaço deverá ser preenchido conforme a competência material. Tratando-


se de uma prova cível, tanto poderá ser competente a Vara Cível, como a de Família, de
Sucessões, da Infância e Juventude, Juizado Especial, conforme a situação.
- o terceiro e último espaço deverá ser preenchido conforme a competência territorial.
A regra geral é o domicílio do réu, mas existem foros específicos como, por exemplo, os
constantes do art. 53 do NCPC)
- Havendo dúvida, consulte os artigos arts. 42 e seguintes do NCPC) que tratam do tema
“competência”.

NOVO CPC, art. 319,


II - os nomes, os prenomes, o estado civil, a existência de união estável, a
profissão, o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas ou no Cadastro
Nacional da Pessoa Jurídica, o endereço eletrônico, o domicílio e a residência do autor
e do réu;

- O novo CPC trouxe 3 inovações no tocante à qualificação das partes:


- Primeiro, acrescentou a necessidade de informar se a parte vive em união estável;
- Segundo, estabeleceu a necessidade de informar o CPF/CNPJ da parte;
- Por fim, dispôs sobre a necessidade de informar o endereço eletrônico (e-mail) da
parte;
- Vale ressaltar que, quando estes dados não forem conhecidos, basta fornecer tal
informação, constando, por exemplo: "CPF ignorado", "e-mail
desconhecido", requerendo ao juiz que tome as providências necessárias para obtê-lo.
O intuito de fornecer estes dados é facilitar a identificação e localização da parte
(e não dificultar seu acesso à Justiça), como se vê dos parágrafos do art. 319 do NCPC:
§ 1o Caso não disponha das informações previstas no inciso II, poderá o autor, na
petição inicial, requerer ao juiz diligências necessárias a sua obtenção.
§ 2o A petição inicial não será indeferida se, a despeito da falta de informações a
que se refere o inciso II, for possível a citação do réu.
§ 3o A petição inicial não será indeferida pelo não atendimento ao disposto no
inciso II deste artigo se a obtenção de tais informações tornar impossível ou
excessivamente oneroso o acesso à justiça.

- Trata-se da QUALIFICAÇÃO DAS PARTES. Retire do texto os dados sobre as partes, não
colocando dados que possam sugerir tentativa de identificação de sua parte, o que pode
conduzir à invalidação da peça.
- Escreva sempre conforme o texto. Veja um exemplo:
Fulano de Tal, brasileiro, solteiro, professor, "CPF ignorado", "e-mail
desconhecido, residente e domiciliado na Rua ___, nº ___, bairro ___, cidade ___,
Estado _____,
- Obs. 1: Se uma das partes (autor ou réu) da ação é menor de idade ou incapaz,
deverá ser devidamente representado (menor de 16) ou assistido (maior de 16 e menor
de 18) pelo seu representante legal, conforme seja,
respectivamente, absoluta ou relativamente incapaz. Exemplo: Fulaninho de Tal,
brasileiro, menor absolutamente incapaz, neste ato representado por sua genitora
Fulana de Tal, brasileira, solteira, professora, residente e domiciliada na Rua __, nº __,
bairro ___, cidade ___, Estado_____,
- Obs. 2: A parte não fala diretamente nos autos, mas sim, através de seu
advogado, pois, somente este detém o jus postulandi. Importante lembrar que o art.
39 do CPC exige que o advogado indique na petição inicial o seu endereço profissional.
Assim, em complementação, teríamos: Fulaninho de Tal, brasileiro, menor
absolutamente incapaz, neste ato representado por sua genitora Fulana de Tal,
brasileira, solteira, professora, residente e domiciliada na Rua X, nº X, bairro X, cidade X,
Estado X, via de seu advogado que ao final assina (procuração anexa), estabelecido
profissionalmente na Rua __, nº __, bairro __, cidade __, Estado __, onde recebe
intimações, vem respeitosamente perante Vossa Excelência propor a presente:
- Obs. 3: “ações” são “propostas”, “promovidas”, “ajuizadas”. Evite usar o termo
“impetrar”, utilizado mandado de segurança e habeas corpus, dentre outros.
- Obs. 4: na sequência, indique o NOME DA AÇÃO. Para isso, lembre-se que nem
todas as ações têm um nome expressamente descrito na lei. O Título IV do CPC trata das
ações que tramitam por Procedimentos Especiais. Ali estão descritas, por exemplo, a
Consignação em Pagamento, as Ações Possessórias e a Monitória, dentre outras. No
Título III há previsão das cautelares específicas como o Arresto e o Sequestro, dentre
outros. Há também legislação especial tratando de determinadas ações como, por
exemplo, a Lei de Locação (Lei n. 8.245/91).
- coloque o nome da ação na linha abaixo, centralizada, e, em seguida qualifique o
réu. Exemplo:
AÇÃO DE XXXXXXXX

em desfavor de Beltrano de Tal, brasileiro, solteiro, engenheiro, residente e


domiciliado na Rua ____, nº _____, bairro _____, cidade_____, Estado____, demais
dados da qualificação ignorados, mediante os fatos e fundamentos a seguir expostos:

- Obs. 5: caso uma das partes seja pessoa jurídica, a qualificação deverá ser feita
da seguinte forma: Exemplo: Empresa Tal, pessoa jurídica de direito privado,
devidamente inscrita no CNPJ sob o n. ____, com sede na cidade de ____ , na Rua___,
n.____, bairro, demais dados da qualificação ignorados, na pessoa de seu
representante legal,

III. “O FATO E OS FUNDAMENTOS JURÍDICOS DO PEDIDO” Inciso que permanece igual


no NCPC, art. 319, III)
- Na exposição dos fatos você deverá “recontar”, com suas palavras, a situação descrita
pela questão, tomando o cuidado de não se desviar do tema, pois isto pode dar
margem ao cabimento de outras ações ou pedidos, o que pode acarretar perda de
pontos e, dependendo do caso, na invalidação total da peça.
- Na narrativa dos fatos devem ser observados os critérios de lógica, clareza e
coerência. Respeite o padrão de linguagem formal e esteja atento às regras
gramaticais.
- Apenas na qualificação das partes é feito menção aos seus nomes próprios. No
decorrer da peça refira-se a elas como “Autor e Réu” ou “Requerente e Requerido”.
- A fundamentação da peça diz respeito à adequação dos fatos expostos às normas
jurídicas pertinentes. É neste tópico que é feita a citação de artigos e trechos
doutrinários e jurisprudenciais.
- Lembre-se que não é suficiente lançar aleatoriamente o texto do artigo, sendo
necessário estabelecer uma conexão entre com os fatos expostos anteriormente. Por
exemplo: “Conforme exposto, o Autor promove a presente ação contra o Réu com o
objetivo de ___________. Sua pretensão encontra respaldo no art. ___ do _____ que
diz que_______________”

IV. “O PEDIDO COM SUAS ESPECIFICAÇÕES”Inciso que permanece igual no NCPC, art.
319, III)
- Para formular o pedido, introduza o assunto com a frase: “Diante do exposto, requer
a Vossa Excelência:”

- Inicialmente, observe se é cabível, no caso, a formulação de algum requerimento em


caráter de urgência (LIMINAR). Se for cabível, formule-o em primeiro lugar. Veja
o exemplo:
“a) que seja deferido, em caráter liminar, ....” (lembre-se de especificar exatamente o
que você pretende obter com o pedido liminar, por exemplo, a “guarda provisória do
menor”, “a retirada do nome do Autor dos cadastros restritivos de crédito”, etc. )

- Depois, formule o requerimento de CITAÇÃO DO RÉU. Observe oexemplo:


“b) a citação do Réu para apresentar sua defesa no prazo legal sob pena de sujeitar-
se aos efeitos da revelia e da confissão”. (lembre-se, porém, que a revelia não produz
efeitos quando se trata de direito indisponível).

- ATENÇÃO! O inciso VII do art. 282 do CPC/73 não foi reproduzido pelo art. 319 do
NOVO CPC, não sendo mais necessário constar na petição inicial o requerimento para
citação do réu. Esclareça-se que, por óbvio, o réu será citado para tomar conhecimento
da ação e, caso queira, se defender. Apenas não se exige mais que este requerimento
seja um requisito da petição inicial capaz de gerar seu indeferimento, como ocorria no
CPC/73)

- Em seguida, faça o requerimento de INTIMAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO para


intervir no feito, se for o caso. Para saber se é ou não o caso de sua intervenção, observe
o disposto no art. 82 do CPC. (Atual art. 178 do NCPC). Veja o exemplo:
“c) a intimação do Ilustre Representante do Ministério Público para intervir no
processo”

- Posteriormente, faça o requerimento de concessão da JUSTIÇA GRATUITA, caso o


problema indique sua necessidade. Observe o exemplo:
“A concessão dos benefícios da Justiça Gratuita, nos termos do art. 5º, LXXIV da
Constituição Federal e da Lei 1.060/50, por ser pobre no sentido legal, não podendo
arcar com o pagamento das despesas do processo sem prejuízo do próprio sustento”.

- Por fim, formule o pedido de PROCEDÊNCIA, lembrando-se de especificar a sua


pretensão. Veja:
“d) a procedência do pedido a fim de que.....” (por exemplo: o Réu seja condenado a
pagar ao Autor a importância de R$50.000,00; o Réu seja condenado a indenizar o Autor
pelos danos causados no valor de R$50.000,00; o Autor seja definitivamente reintegrado
na posse do imóvel; seja concedida ao Autor a guarda de seu filho menor...; etc.)

- Concluindo, faça o requerimento de condenação do Réu no pagamento da verba


de SUCUMBÊNCIA. Veja:
“e) a condenação do Réu na pagamento das custas processuais e honorários
advocatícios de sucumbência”

O NOVO CPC acrescentou novidade no art. VII do art. 319, estabelecendo que a
petição inicial deverá indicar: "a opção do autor pela realização ou não de audiência
de conciliação ou de mediação".

"f) que seja designada audiência de conciliação/mediação para tentativa de


composição amigável entre as partes (ou, que não seja designada audiência de
conciliação/mediação tendo em vista a impossibilidade/falta de interesse do autor na
composição amigável da lide")

Esclareça-se que a referida audiência somente não será designada se ambos, autor e
réu, manifestarem o não interesse em sua realização.

VI. “AS PROVAS”


- Concluídos os pedidos, elabore o tópico em que serão apresentadas as provas que o
Autor pretende produzir para provar suas alegações em Juízo. Veja o exemplo:
“Provará o alegado pelos meios de prova em Direito admitidas, especialmente,
documental, testemunhal, pericial e depoimento pessoal do Réu”.

VII. “O VALOR DA CAUSA”


- O último item a ser incluído na petição é o valor da causa. Perceba que, na descrição
dos passos de elaboração da petição inicial feita no art. 319 NCPC devemos acompanhar
a sequência nos incisos I a IV (I. Juiz Juízo no NCPC a que é dirigida; II. Qualificação das
partes; III. Exposição dos Fatos e Fundamentos; IV. Pedidos) e, posteriormente, inverter
esta sequência nos incisos V a VII (VII. Citação do Réu item suprimido pelo NCPC; VI.
Provas e V. Valor da Causa). Item VII acrescentado pelo NCPC: interesse ou não na
designação de audiência de conciliação/mediação.
- na aposição do valor da causa devem ser consideradas as regras contidas nos
artigos 291/292 NCPC

- Veja o exemplo: “Dá-se à causa o valor de R$..........”

ENCERRAMENTO:
- Finaliza a sua petição inicial indicando local, data, nome do advogado enúmero de sua
inscrição na
OAB. Veja:

Termos em que,
Pede deferimento.
Uberlândia, __ de ___ de ______.

Nome do Advogado
Número da OAB

ROL DE TESTEMUNHAS:
- O NCPC aboliu o rito sumário. Não há mais divisão do procedimento comum em
ordinário e sumário.
- Sendo imprescindível, o local de colocar o rol é ao final da petição inicial, após a
assinatura do advogado.
- Lembre-se que o mesmo se aplica aos quesitos (perguntas) para o perito.
Ao Juízo de Direito da __ Vara Cível (ou de Família, etc.) da Comarca de Uberlândia-MG. (ou
outra cidade, se for o caso)

(10 espaços)

(Nome – Ex. “Fulano de Tal”), (nacionalidade – Ex. brasileiro), (estado civil - Ex.
solteiro), convivente em união estável (se for o caso. NCPC),(profissão – Ex.
professor), portador do CPF/CNPJ nº XXXX (NCPC), endereço eletrônico
xxxx@XXX.com.br (NCPC), (endereço – Ex. residente e domiciliado nesta cidade na
Rua__, n. ___, bairro ___, cidade ____, Estado ____), via de seu advogado (procuração em
anexo) que ao final assina, com endereço profissional nesta cidade, na Rua ___, n. ___,
bairro ____, cidade ___, Estado ____ vem respeitosamente perante V. Exa. propor a
presente:

AÇÃO DE________

Em desfavor de (Nome – Ex. “Beltrano de Tal”), (nacionalidade – Ex. brasileiro),


(estado civil - Ex. solteiro),convivente em união estável (se for o caso. NCPC), (profissão
– Ex. professor), portador do CPF/CNPJ nº XXXX (NCPC), endereço eletrônico
xxxx@XXX.com.br (NCPC), (endereço – Ex. residente e domiciliado nesta cidade na
Rua__, n. ___, bairro ___, cidade ____, Estado ____), mediante os fatos e fundamentos a
seguir expostos:

Preliminarmente
Do Pedido de Justiça Gratuita (Lei 1060/50 e arts 98 e seguintes NCPC)
Prioridade na Tramitação do Processo (se for idoso)

Dos Fatos:
O Autor promove a presente ação em face do Réu, com o intuito de ........ tendo em vista que
.................
Ocorre que......
Sendo assim, é necessário que.....

Dos Fundamentos
Conforme exposto, o Autor promove a presente ação contra o Réu com o objetivo de ........
Sua pretensão encontra respaldo no art. ___ do _____ que diz que ...............

Da Tutela de Urgência (art. 300 do NCPC)

Dos Pedidos

Diante do exposto, requer a Vossa Excelência:


a) a concessão, em caráter LIMINAR, de ........ (se for o caso);
b) a CITAÇÃO do Réu para oferecer resposta no prazo legal, sob pena de sujeitar-se aos efeitos
da revelia e da confissão; (item retirado pelo NCPC)
c) a intimação do Ilustre Representante do MINISTÉRIO PÚBLICO para acompanhar o
processo; (se for o caso)
d) a concessão dos benefícios da JUSTIÇA GRATUITA, nos termos do art. 5º, LXXIV da
Constituição Federal e da Lei 1.060/50 e 98 CPC, por ser pobre no sentido legal, não podendo
arcar com o pagamento das despesas do processo sem prejuízo do próprio sustento
e ) a PROCEDÊNCIA do pedido a fim de que ........;
"f) que seja designada audiência de conciliação/mediação para tentativa de composição
amigável entre as partes (ou, que não seja designada audiência de conciliação/mediação
tendo em vista a impossibilidade/falta de interesse do autor na composição amigável da
lide" (NCPC)

Provará o alegado pelos meios de prova em Direito admitidas, especialmente


documental, testemunhal, pericial e depoimento pessoal.
Dá-se à causa o valor de R$.............

Termos em que,
Pede deferimento.
Uberlândia, __ de ______ de ________.

Nome do Advogado
Número da OAB

- Perceba, portanto, que, ainda que você não saiba de imediato qual a peça processual cabível,
é possível elaborar a petição inicial integralmente, observando o passo a passo descrito pelo
próprio CPC/73 em seu art. 282 (Atual art. 319 NCPC)

- No mais, mantenha a tranquilidade e veja algumas DICAS PARA TENTAR IDENTIFICAR A


AÇÃO cabível:
1) Se o problema se refere à DISPUTA sobre um bem IMÓVEL:
- AÇÃO REIVINDICATÓRIA: se a intenção é discutir a propriedade (quem é dono)
- AÇÃO DE IMISSÃO NA POSSE: Atenção! Apesar do nome, não é ação possessória! É ação
do proprietário que nunca teve a posse, para ter a posse do imóvel (Ex. pessoa que adquiriu o
imóvel no “leilão” da CEF)
- AÇÕES POSSESSÓRIAS: se a intenção é discutir a posse (reintegração → se houve perda
da posse; manutenção → se está sendo perturbado na posse e interdito proibitório → se está
sendo ameaçado na posse)
- outras ações correlacionadas: AÇÃO DE NUNCIAÇÃO DE OBRA NOVA (para impedir
prosseguimento de obra em andamento – dentro de um ano e um dia)- foi abolida pelo NCPC,
AÇÃO DE DANO INFECTO (quando há “receio” da ocorrência de dano. Ex. não foi colocado
tela de proteção na construção e há risco de cair entulho no imóvel vizinho. Atenção! Se o dano
já ocorreu, a ação será de indenização) e AÇÃO DEMOLITÓRIA (para desfazimento de
irregularidade na construção quando já ultrapassado um ano e um dia. Ex. fechar janela aberta
em local não permitido).
2) Se o problema se refere à necessidade de ser RESSARCIDO/REPARADO de
um DANO causado:
- AÇÃO DE INDENIZAÇÃO ou de REPARAÇÃO DE DANOS (materiais, morais, estéticos,
lucros cessantes);
- verifique o RITO. Acidente de trânsito → Sumário (art. 275, II, CPC) Atenção! O NCPC
aboliu o rito sumário.
3) Se o problema se refere à necessidade de RECEBIMENTO DE uma DÍVIDA:
- AÇÃO DE COBRANÇA ou AÇÃO MONITÓRIA (se houver prova escrita que não seja título
executivo);
- verifique o RITO. Valor até 40 salários mínimos → Juizado Especial; valor até 60 salários
mínimos → procedimento sumário No NCPC não há mais rito sumário.; Ação Monitória → rito
especial – Art. 700 NCPC).
- Atenção! Se o documento possui eficácia de título executivo e, não está prescrito, a ação será
de EXECUÇÃO.
4) O problema se refere a PENSÃO ALIMENTÍCIA. Possibilidades:
- pedido, por quem necessita: AÇÃO DE ALIMENTOS (contém pedido liminar de fixação
de alimentos provisórios)
- oferta, por quem está obrigado ao pagamento: AÇÃO DE OFERTA DE ALIMENTOS
- necessidade de aumentar ou diminuir o valor pago a título de alimentos:
AÇÃO REVISIONAL DE ALIMENTOS (contém pedido liminar de revisão dos alimentos)
- necessidade de encerrar o pagamento da pensão alimentícia; AÇÃO DE EXONERAÇÃO DE
ALIMENTOS (contém pedido liminar de exoneração dos alimentos)
5) O problema se refere à RECUSA DO CREDOR EM RECEBER quantia ou coisa que lhe
é devida:
AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO – atenção! O rito é especial (veja o Art. 539
NCPC) e, se for especificamente referente a aluguel há previsão expressa → Lei do Inquilinato
(Lei 8.245/91).
6) O problema se refere à PATERNIDADE:
- para pleitear o reconhecimento da paternidade: AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DE
PATERNIDADE (pode ser cumulada com pedido de ALIMENTOS)
- para reconhecer o filho: AÇÃO DE RECONHECIMENTO DA PATERNIDADE (pode ser
cumulada com a oferta de alimentos e regulamentação de visitas)
- para negar a paternidade: AÇÃO NEGATÓRIA DE PATERNIDADE (pode ser cumulada com
exoneração de alimentos)
7) O problema se refere a um INCAPAZ:
- sendo maior de idade e havendo necessidade de colocá-lo sob cuidado e supervisão de
alguém → AÇÃO DE INTERDIÇÃO (contém pedido liminar de nomeação de curador provisório)
- sendo menor de idade e havendo intenção de:
a) tornarem-se pais do menor → ADOÇÃO (que deverá ser cumulada com a DESTITUIÇÃO
DO PODER FAMILIAR, se for o caso. Atenção ao procedimento → verifique o Estatuto da
Criança e Adolescente);
b) tomar conta e gerir patrimônio do menor porque seus pais faleceram (sem, contudo,
desejarem assumir o lugar destes) → TUTELA;
c) cuidar de menor, regularizando a posse sobre este → AÇÃO DE GUARDA DE MENOR
(contém pedido liminar de nomeação de guardião provisório);
d) exercer direito de visitas → AÇÃO DE REGULAMENTAÇÃO DE VISITAS.
8) Se a questão se refere a OBRIGAR ALGUÉM A FAZER ALGUMA COISA:
- AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER (contém pedido liminar para que a providência seja
tomada, sob pena de cominação de multa diária. Ex. compelir o plano de saúde a autorizar a
cirurgia do paciente).
9) A questão se refere a um CONTRATO:
- A pretensão é modifica-lo: AÇÃO DE REVISÃO DE CONTRATO;
- A pretensão é extingui-lo: AÇÃO DE RESCISÃO DE CONTRATO;
- Para devolução de parcelas pagas (Ex. desistência de consórcio) → AÇÃO
DE RESTITUIÇÃO DE PARCELAS PAGAS;
- Para devolução de parcelas pagas indevidamente → AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO;
- Para negar que uma dívida seja devida → AÇÃO DE DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE
DÉBITO.
10) Se a questão deseja romper VÍNCULO CONJUGAL:
- havendo CASAMENTO → DIVÓRCIO;
- havendo UNIÃO ESTÁVEL → AÇÃO DE RECONHECIMENTO C/C DISSOLUÇÃO DE
UNIÃO ESTÁVEL.

E NÃO SE ESQUEÇA DO MAIS IMPORTANTE! INDEPENDENTE DE QUAL SEJA A AÇÃO,


SE É PARA PROPOR, A FORMA DE FAZÊ-LO É ATRAVÉS DA PETIÇÃO INICIAL – ART.
319/NCPC.