Você está na página 1de 302

Emma Eb * +*

Samira A. I
Emma Ebertein O. F. Lima
Samira A. lunes

1 .. ESCREVER...
Sobre as autoras:
E m m a E b e r le in O. F. L im a , P ro fe s so ra de P ortuguês para estran g eiro s em S ã o P au lo. C o -au to ra de:
A ven id a B r a s il - C u rso b á sic o de P ortugu ês para estran g eiro s (E .P .U .) ¡"P ortugu ês V ia B ra sil -
C u rso av ançad o p ara estran geiros (E .P .U .); F alai’... L er... E scre v e r... P ortu gu ês - U m C u rso para
E s tra n g e iro s (E .P .U .); In g lê s - T e le c u rs o d e S e g u n d o G rau (F u n d a ç ã o R o b e rto M a rin h o ).
D ireto ra da P o ly g lo t - C u rsos de P ortu gu ês p ara estran g eiro s em S ã o P au lo.

S a m ir a A b i r a d l u n e s , D o u to ra em lín g u a e literatu ra fra n ce sa p ela U n iv ersid ad e d e S ã o P au lo (U S P ).


P ro fesso ra do D ep artam en to de L etras M o dern as da U S P - C u rso de F ra n c ê s ; P ro fe sso ra do
C urso de esp ecia liz a çã o em tradução francês-português/ portu guês-francês. C o-au tora de: Avenida
B ra sil - C urso b á sico de Português para estrangeiros (E .P .U .); Português V ia B ra sil - C urso avançado
para estran g eiro s (E .P .U .); F a la r.,. L er... E scre v e r... P ortugu ês - U m C u rso p ara E stra n g eiro s
(E .P .U .),

C a p a : V irg ín ia F em a n d es L im a de A ssis (A b so lu ta C riação V isu al)


D i a g r a m a ç ã o : D ep artam ento G rá fico E.P.U./ E líe n e de Jesu s B iz e rra
D e s e n h o s : G ilb erto de A ssis
P e s q u i s a f o t o g r á f i c a : L a lo de A lm eid a

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Lima, Emma Eberlein O. F,


Falar... Ler... Escrever... português.
Um curso para estrangeiros / Emma Eberlein O. F.
Lima, Samira A. lunes. São Paulo: EPU, 1999.

ISBN 85-12-54310-8

1.Português - Estudo e ensino - Estudantes


estrangeiros I. lunes, Samira A. II. Título.

99-3342 CDD-469.824

índices para catálogo sistem ático:

1.Português para estrangeiros 469.824

2“- edição revista, 5 “•reimpressão , 2 006

ISBN 978-85-12-54310-9
ISBN 85-12-54310-8

© E .P .U . - Ed itora P ed ag ó gica e U n iv ersitária L td a., S ã o Paulo, 1 9 9 9 . Todos os direitos reservad os. A reprodução d esta obra, no todo ou em parte, por qualquer
m eio , sem autori zação ex p ressa e por es c rito da E d ito ra, su jeitará o in frator, nos term os da L e i n2 6 .8 9 5 , de 1 7 - 1 2 - 19 8 0 , à penalid ad e prev ista nos artigos 1 8 4
e 186 do C ó d ig o P en al, a sab e r: re clu são de um a qu atro anos.
E . P. U. - T e le fo n e ( 0 + + 11) 3 1 6 8 - 6 0 7 7 - F a x . (0 + + 1 1 ) 3 0 7 8 - 5 8 0 3
E - M a il: v e n d a s@ ep u .co m .b r S ite n a I n te r n e t: http://www .epu.com .br
R . Jo a q u im F lo ria n o , 7 2 - 6 “ andar - sa la s 65/68 - 0 4 5 3 4 - 0 0 0 S ã o Pau lo - S P
Im presso no B ra sil Printed in B razil
P re fa c io ................................................................................ IX U N ID A D E 3
No restaurante.................................................................... 21
UNIDADE I Numa lanchonete ..............................................................21
Como v a i? ............................................................................01 E x e r c íc io ......................................................................22
Você é de São P a u lo ? .......................................................01 -3.1- Verbo poder - Presente simples
Muito p razer........................................................................01 do indicativo................................................................ 22
-1 .1 - O senhor é engenheiro? Sou, s i m ..................02 E x e r c íc io s ................................................................... 22
-1 .2 - em- de/ do-da-dos-das/ no-na-nos-nas 02 -3 .2 - Verbo morar - Futuro imediato
E x e r c íc io s ................................................................... 02 do in d icativo............................................ 23
O n d e ? ........................................................ 03 E x e r c íc io s ................................................................... 23
-1 .3 - os, dos, nos, as, das, n a s.................................... 04 -3 .3 - Palavras interrogativas.......................................24
E x e r c íc io ......................................................................04 E x e r c íc io s ................................................................... 24
-1 .4 - Verbos ser/ morar/ estar - -3 .4 - Ser/estar - D iferen ça s........................................25
Presente simples in d icativ o................................. 05 E x e r c íc io ..................................................................... 25
E x e r c íc io s ................................................................... 05 -3 .5 - Usos especiais de S E R .......................................25
Texto narrativo - No aeroporto..................................... 07 E x ercício s com ser, esta r e
E x e r c íc io s ................................................................ 08 p a la v r a s in te r r o g a tiv a s .......................................2 6
-3.6- Expressões com: estar c o m .............................. 27
UNIDADE 2 E x e r c íc io ......................................................................27
A c id a d e ............................................................................... 09 Um rapaz cabeludo........................................................ 27
Pedindo uma in fo m ia ç ã o ............................................... 09 -3.7- Antes de/ depois d e .............................................28
-2 .1 - um/uma................................................................. 10 E x e r c íc io s ................................................................... 28
- 2 .2 - Verbo ir - Presente simples do indicativo.. 10 Um baile a fan tasia........................................................28
E x e r c íc io s ................................................................. 10 -3.8- P lu ral........................................................................29
-2.3- ir de / ir a ............................................................... 11 E x e r c íc io s ................................................................... 29
E x e r c íc io s ................................................................. 11 Texto narrativo - Um almoço bem b ra sile iro 30
-2.4- este aqui/ esse aí, aquele ali, l á ..................... 12 E x erc íc io s - C a rd á p io s b r a s ile ir o s ................. 30
E x e r c íc io ................................................................... 12 E x erc íc io s - C a r d á p io s ....... 32
-2.5- neste(s), nesta(s), naquele(s), n aq u ela(s)... 12
E x e r c íc io s ................................................................ 12 U N ID A D E 4
-2 .6 - gostar d e .............................................. 13 Procurando um apartam ento ...... 33
E x ercíc io s - g o s ta r d e le (s ) - d ela (s), Um negócio da C hin a.......................................................33
d e ( ■ infinitivo), d e (g en érico), d o(s) - -4 .1 - Verbo morar/ vender - Pretérito
d a(s), g o s ta r d e s t e ( s ) / d e s í a ( s ) .......................... 14 perfeito do indicativo ............................................... 34
-2 .7 - Verbo ter - Presente simples do indicativo 14 E x e r c íc io s ................................................................... 34
E x e r c íc io s ................................................................. 15 -4.2- A gente = n ó s ........................................................35
-2 .8 - meu(s) - minha(s)/ nosso(s) - n o s s a (s ) 16 E x e r c íc io ................................................................... 35
Que a z a r !.................... 16 -4 .3 - Verbo 1er - Presente simples e pretérito
perfeito do in d ica tiv o ............................................... 35
E x e r c íc io ................................................................... 16
E x e r c íc io s ................................................................... 36
Ao tele fo n e........................................................................ 16
-4 .4 - Verbo querer - Presente simples
-2 .9 - Verbo vender - Presente simples
do indicativo................................................................ 36
do in d icativo.................................................................16
E x e r c íc io ......................................................................36
E x e r c id o s - c o m p r a r / v e n d e r ........................... 17
-4.5- Verbo preferir - Presente simples do
-2 .1 0 - Verbo morar/atender - Presente
in d icativo.......................................................................37
contínuo do in d icativo............................................ 18 E x e r c íc io s ................................................................... 37
E x ercíc io s - N a p r a ç a .......................................... 18 Um lugar agradável.......................................................... 38
Texto namativo - Uma cidade pequena.................... 19 E x ercíc io s - O d ia d a m u d a n ç a ...........................38
E x e r c íc io s ....... 19 -4 .6 - Preposições e locuções prepositivas
- A cada imagem correspondem duas fr a s e s 20 de lu g ar.............................................................. 39
E x e r c íc io s ................................................................... 39

III
-4 .7 - Num bairro resid en cia l..................................... 41 - Vocabulário = qualidades e esta d o s......................... 67
E x e r c íc io ..................................................................... 41 -6 .1 - Verbos ver/ querer/ poder - Presente
Onde estão e le s ? ................................................................ 41 simples e pretérito perfeito do indicativo ....... 68
-4.8- P o sse ssiv o s........................................................... 41 E x e r c íc io s ........................................... 68
E x e r c íc io s co m m eu -n osso/seu (s) - -6 .2 - Pronomes pessoais (1) me/ n o s .......................70
su a(s) / d ele(s)- d e l a ( s ) .......................................... 42 E x e r c íc io .................................................................... 70
E x er cíc io s - D iferen ça en tre s e u - d e l e 43 -6.3- Pronomes pessoais (2) o-a/os-as ........ 70
E x e r c íc io s - rev isã o g e r a l .................................... 44 E x e r c íc io s ................................................................... 70
-4 .9 - Precisar/ Precisar d e .......................... 44 -6 .4 - Pronomes pessoais (3) lo-la/ lo s -la s 71
E x e r c íc io ...................... 44 E x e r c íc io ................................................................... 72
Texto narrativo - Onde m o ra r? .................... 45 -6.5- Pronomes pessoais (4) você(s)
E x e r c íc io s ...................................................................45 - no-na/ nos-nas ......................................................... 72
E x e r c íc io ......................................................................72
LM D A 0E 5 -6 .6 - Pronomes pessoais (5) - Quadro g e r a l 73
No jo m a le ir o ...................................................................... 47 Você está doente? Expressões com: estar co m 73
Assim não dá! .................................................................... 47 E x e r c íc io s ................................................................... 73
-5 .1 - Verbo abrir - Presente simples e -6 .7 - Mostre! Im perativo............................................. 74
pretérito perfeito do ind icativo..............................48 -6 .8 - Imperativo irregular: verbos ser/ estar/ ir .. 75
E x e r c íc io s ...................................................................48 E x e r c íc io s ................................................................. 75
E x er cíc io s - v erb o s em - a r / - e r f - i r .................49 -6 .9 - C ra s e ........................................................................ 77
-5 .2 - por/ pelo(s)/ p e la (s)............................................. 50 E x e r c íc io ................................................................... 77
E x e r c íc io s ................................................................. 50 -6.10- N ão...(n em ) ... n e m ............................... 77
-5 .3 - Números card in ais.............................................. 51 E x e r c íc io .................................................................... 77
Um, dois, feijão com arroz.............................................51 -6.11- A gravata - Linguagem popular.
E x e r c íc io s ................................................................. 51 Linguagem cometa ...... 78
-5 .4 - Meses do ano/ dias da semana/ estações E x e r c íc io ............................................ 78
do ano — Ontem/ de manhã/ boje/ de tarde - Texto narrativo - B ra sília ............................................... 79
à tarde/ amanha/ de noite - à n o ite .......................52 E x e r c íc io s ................................................................. 80
E x e r c íc io s ................................................................... 52
-5 .5 - Verbos ser/estar/ter/ir - Pretérito UNIDADE 7
perfeito do in d ica tiv o .................................... 54 Fazendo co m p ra s.............................................................. 81
E x e r c íc io s ............................................ 54 Alguma coisa mais sim p les...........................................81
Na estação .......................................................................55 E x e r c íc io .................................................................... 81
-5 .6 - Que horas s ã o ? ..................................................... 55 -7.1- Verbos fazer/ pôr/ dizer/ dar - Presente
E x e r cíc io - Q ue b o r a s s ã o ? .................................55 simples e prétériío perfeito do indicativo 82
-5 .7 - A que horas? .........................................................56 E x e r c íc io s ................................................................. 83
E x e r cíc io - A q u e h o r a s ? .................................... 56 A prazo ou a vista? ...........................................................85
-5.8- As seis da m a n h ã .................................................56 E x e r c íc io s ................................................................... 85
E x e r c íc io s .................... 56 -7 .2 - Pronomes pessoais me/ nos/ lhe/ lh e s 86
-5 .9 - Das 8 às 1 0 .............................................................57 E x e r c íc io s .......................... 86
E x e r c íc io ......................................................................57 -7.3- o deia/ a dele/ os dele/ as d e le s .......................86
Fazendo co m p ra s .............................................. 57 -7 .4 - todo o / toda a / todos os / todas a s 86
-5 .1 0 - Roupas femininas / Roupas masculinas, E x e r c íc io .................................................................. 87
roupa social, acessórios, na p r a ia ......................... 58 Propaganda/ Seis meses depois........................ 87
E x e r c íc io s ................................................................... 60 -7.5- Verbo trazer - Presente simples e
- 5 . i l - H á -d a q u i a ........................................................61 pretérito perfeito do in d icativo.............................. 88
E x e r c íc io ................................................................... 61 E x e r c íc io s ................................................................. 88
-5 .1 2 - Masculino e F em in in o ...................... 61 -7.6- Levar - trazer........................... 89
-5 .1 3 - C o re s ........................ 62 E x e r c íc io .................................................................... 89
E x er cíc io s - M a scu lin o -fem in in o/ -7.7- E x p ressõ es............................................................. 89
s in g u la r -p lu r a l...................................................... 62 E x e r c íc io .................................................................. 89
Texto narrativo - Rios do B r a s il..................................64 E x ercíc io s - rev isã o d e v e r b o s ........................... 90
E x e r c íc io ................................................................... 64 Texto narrativo - São P au lo............................................90
E x e r c íc io s ................................................................. 91
UNIDADE 6 Música - São Paulo da garoa...................... 92
Retrato falado ......................................................... 65
Meu tipo ideal - O corpo h u m an o .............................. 66 UNIDADES
E x e r c íc io s ................................................................. 66 Falando de televisão...................................................... 93

IV
Não é mais como era antigam ente........................... 93 U N ID A D E 10
-8 .N Verbos morar / vender / abrir / ter / D. Pedro II dormiu a q u i........................................... 123
ser/ pôr / Imperfeito do indicativo........................ 94 Na portaria do h o t e l..................................................... 123
-8 .2 - Imperfeito - S itu açõ es........................................ 94 -1 0.1- algum/ alguma/ alguns/ algumas/
E x e r c íc io s ................................................................... 95 alguém - Pronomes indefinidos ( 1) ................. 123
-8 .3 - C om p arativ o .......................................... 98 E x e r c íc io ................................................................. 124
E x e r c íc io s ................................................................... 99 -1 0 .2 - nenhum/ nenhuma/ ninguém -
Os quindins de la iá ......................................................... 100 Pronomes indefinidos ( 2 ) ....................... 124
-8 .4 - Expressão andar = e s ta r .......................... 101 E x e r c íc io ................................................. 124
E x e r c íc io .................................................................. 101 -1 0.3- Verbos morar/ vender/ abrir/ ser/ ter/
-8.5- Verbos vir/ saber - Presente simples, - Futuro do presente do indicativo......................125
pretéritos perfeito e imperfeito -1 0,4- Verbos fazer/ trazer/ dizer - Futuro do
do indicativo.......................................... presente
101 do indicativo........................................... 125
E x e r c íc io ................................................................. 102 E x e r c íc io s ............................................................... 125
-8 .6 - Eu sabia que você estava a q u i.................... 102 -1 0 .5 - Verbo dormir- Presente simples,
E x e r c íc io ................................................................. 102 pretéritos perfeito e imperfeito,
-8.7- Diferença entre saber e co n h ecer................ 102 futuro do presente do indicativo....................... 127
E x e r c íc io .................................................................. 103 -1 0 .6 - Verbo subir - Presente simples,
-8 .8 - Pronomes pessoais mim/ pretéritos perfeito e imperfeito,
com igo/conosco ............................................ 103 futuro do presente do ind................. 127
E x er cíc io s - rev isã o d e p r o n o m e s .................... 103 E x e r c íc io ....................................... 127
Texto narrativo - Usos e costumes Bahia - Era um carro novinho em fo lh a ............................... 128
Ceará - Rio Grande do S u l ........................... 105 - 1 0 .7 - D im inutivo...................................................... 128
E x e r c íc io s ............................................................... 106 E x e r c íc io s ............................................................... 129
-1 0 .8 - Fazer e haver - Verbos impessoais
U N ID A D E 9 indicando tem p o ..................................................... 131
Bons tempos aq u eles.................................................... 107 E x e r c íc io ................................................................. 131
Vamos para a p ra ia ....................................................... 107 -10.9- Verbo dever - Sentidos de suposição
-9 .1 - Verbo sentir- Presente simples, pretéritos e o b rig a ç ã o .................................................... 131
perfeito e imperfeito do in d icativ o.................... 108 E x e r c íc io s .............................. 131
E x e r c íc io s .......................................................... 108Canção Popular - “Teresinha de Jesus” ................... 133
-9 .2 - Verbos pronominais - Presente - 1 0 .1 0 - Números ordinais................. 133
simples do indicativo .......................................... 109 E x e r c íc io s ............................................................... 134
E x ercíc io s - A d e c i s ã o ...................................... 109 Texto narrativo - Um pouco de nossa história .... 135
-9 .3 - Quadro geral dos pronomes p essoais 111 E x e r c íc io ................................................................. 136
Dinheiro c u r to ................................................................. 112
-9.4- Superlativo ( 1 ) .................................................. 112 U N ID A D E l i
E x e r c íc io ................................................................... 112 Progresso é p ro g resso ................................................. 137
-9 .5 - Superlativo ( 2 ) .................................................. 112 - l l . l - Pronomes indefinidos (3) cada/ vários/
E x e r c íc io s ................................................................ 113 várias/outro/outra/outros/outras/qualquer .. 137
-9 .6 - Verbos ouvir/ pedir - Presente simples, E x e r c íc io ................................................................. 137
pretéritos perfeito e imperfeito do ind 114 -11.2- Verbo sair - Presente simples, pretéritos
E x e r c íc io ................................................................... 114 perfeito e imperfeito, futuro simples do ind 138
-9 ,7 - Acabar d e ............................................ 115E x e r c íc io ................................................................. 138
E x e r c íc io .................................................................. 115 Contexto - B orá - a cidade que prefere
-9 .8 - Mal seguido de v erb o...................................... 115 não c r e s c e r................................................. 139
E x e r c íc io ................................................................. 115 E x e r c íc io s ............................................................... 140
-9 .9 - Precisar = ter de/ ter q u e ................................ 116 -11.3- Verbos morar / comprar/ vender/ partir
E x e r c íc io s ................................................................ 116 - Modo Indicativo Mais-que-perfeito
- Sinais de trânsito......................................................... 117 composto (fonna com posta)............................... 140
E x e r c íc io ................................................................... 117 -11.4- Participios regulares e irregulares 141
- Sinais de estra d a .......................................................... 118 E x e r c íc io s .............................................. 141
E x e r c íc io ................................................................. I I 8 -11.5- Família de p alav ras........................................ 142
Texto narrativo (1) - A v itória-régia..........................120 E x e r c íc io ................................................................. 142
E x e r c íc io ................................................... Intervalo
120 - Irene no céu - Manuel B a n d eira 143
Texto narrativo (2) - A criação da n o it e ................. 121 E x e r c íc io ................................................................. 143
E x e r c íc io .................................................................. 122 Texto narrativo: Pedras preciosas
brasileiras ( 1 ) ............................................................. 143

V
E x e r c íc io s ............................................................... 144 E x e r c íc io s ............................................................... 171
Os caminhos dos bandeirantes .............................. 144 -1 3 .5 - Outros advérbios........................................... 172
E x e r c íc io s ............................................................... 173
U N ID A D E 12 Intervalo - Expressões com: m orrer d e e f a z e r .. 173
Viajando em fim de sem an a ................................ 145 E x e r c íc io ................................................................. 174
Correio sentim ental........................................................ 146 Texto narrativo - Tietê - o rio que foge do m a r... 174
-1 2 .1 - Modo subjuntivo - Presente- E x e r c íc io ................................................................. 176
formação regular - Verbos morar/ vender/
abrir/ dizer/ poder/ ped ir...................................... 147 U N ID A D E 14
E x e r c íc io s .............................................................. 147 Agência de v ia g e n s...................................................... 177
-1 2 ,2 - Subjuntivo - Emprego (1) com -1 4 .1 - Modo subjuntivo - Imperfeito
verbos e expressões de desejo, dúvida e - formação - Verbos morar/ vender/
sen tim en to................................................................1 4 8 abrir/ poder/ dizer/ p ed ir................................. 177
E x e r c íc io s .............................................................. 149 E x e r c íc io ................................................................. 178
-1 2 .3 - Subjuntivo presente- -14.2- Modo Subjuntivo - E m p reg o ................... 178
mudanças ortográficas.......................................... 150 E x e r c íc io s ............................................................... 179
E x e r c íc io s ............................................................... 150 Contexto - A forra do p e ã o ............................... 182
C ontexto-A s o g r a ......................................... 152 E x e r c íc io s ................................... 182
E x e r c íc io s ......................... 152 -14.3- Expressões com o verbo d a r ..................... 184
-1 2 .4 - Modo indicativo - Mais-que-perfeito E x e r c íc io s ........... 185
(forma simples) - morar/ vender/ a b rir 153 -14.4- Modo indicativo - Futuro do pretérito -
-1 2 .5 - Form ação - Perfeito - Verbos morar/ vender/ ser/ abrir/
M ais-que-perfeito.................................................. 153 fazer/ dizer/ trazer................................................... 186
E x e r c íc io s .............................................................. 154 E x e r c íc io ...................................................... 186
-1 2 .6 - Pronomes relativos - I.Pronomes relativos -1 4 .5 - Ordens e pedidos........................................... 187
invariáveis: que, quem, o n d e.............................. 154 E x e r c íc io s ............................................................... 187
E x e r c íc io ................................................................. 155 -14.6- Fam ília de palavras...................................... 189
-1 2 .7 - Pronome relativo invariável: qu em 156 Intervalo - Expressões id io m áticas......................... 189
E x e r c íc io s ........................................ 156 Texto Narrativo - Os índios do B r a s il.................... 191
-1 2 .8 - Pronome relativo invariável: o n d e 157 E x e r c íc io ................................................. 192
E x e r c íc io ................................................................. 157
-1 2 .9 - II- Pronomes relativos variáveis: o qual, U N ID A D E 15
a qual, os quais, as quais, cujo, cuja, De papo pro a r ................................................................ 193
cujos, c u ja s ............................................................... 158 -15.1- Orações con d icion ais .......................... 194
E x e r c íc io s ............................................................... 158 E x e r c íc io s ............................................................... 194
-1 2 .1 0 - Pronomes relativos variáveis: -15.2- Verbos irregulares - Verbos em - ear
cujo,cuja, cujos, c u ja s ........................................... 160 - Verbo passear - Presente simples do
E x e r c íc io s ............................................................... 160 indicativo e presente do subjuntivo................. 196
Intervalo - Trem das onze - Música de E x e r c íc io ................................................................. 196
Adoniran B a rb o s a ..................................................... 161 -15.3- Verbos em -iar - Verbo odiar - Presente
E x e r c íc io s ............................................................... 161 simples do indicativo e presente
Texto narrativo - Pedras preciosas brasileiras (2 )... 162 do subjuntivo ................................................. 197
E x e r c íc io ................................................................. 162 E x e r c íc io ................................................................. 197
-15.4- Verbos em -uir - Verbos construir e
UNIDADE 1J distribuir - Presente simples do indicativo .... 197
Fim de semana perd id o................................................. 163 E x e r c íc io ................................................................. 198
-1 3 .1 - Modo subjuntivo - Presente - Formas -15.5- Verbos seguir/ valer/ caber/ medir/
irregulares: ser/ estar/ haver/ dar/ perder - Modo indicativo - Presente sim p les. 198
saber/ ir/ querer/..................................................... 163 E x e r c íc io ................................................................. 199
-1 3 .2 - Subjuntivo - Emprego ( 2 ) ...... 164 Contexto-O gato e a barata-M illôr Fernandes .... 200
-expressões impessoais/conjunções..................... 164 E x e r c íc io s .................................................................201
-palavra indefinida e pronome re la tiv o 165 E x ercíc io s Im p era tiv o - R e v is ã o .......................202
E x e r c íc io s ............................................................... 165 -15.6- Família de palavras.........................................20 4
-1 3 .3 - Por que é que? Por que?/ E x e r c íc io ................................................................... 204
O que é que?/ O que? ........................................... 168 Intervalo - M úsica; A banda - letra e
E x e r c íc io s ............................................................... 168 música de Chico Buarque de Holanda.................. 205
Contexto - A outra noite / Rubem B ra g a ............... 169 E x e r c íc io s ............................................................206
E x e r c íc io s ............................................................... 170 M úsica : A felicidade- Tom Jobím
- 1 3 .4 - Advérbios em: - mente - fo rm a ç ã o 171 e Vinícius de M o ra is ................... 207

VI
E x e r c íc io s .................................................................208 E x e r c íc io s ...............................................................241
Texto narrativo - O carnaval ...................................209 -1 7 .8 - Fam ília de p alavras........................................246
E x e r c íc io ................................................................. 210 E x e r c íc io .......................................................246
Intervalo - M úsica - Asa Branca -
U N ID A D E 16 Luís Gonzaga e Humberto T e ix e ira ..................... 247
Para você que vai se casar... Cinco anos depois.. 211 E x e r c íc io ................................................................. 248
-1 6 .1 - Modo Subjuntivo - Futuro - Verbos M úsica- Garota deTpanema- Antônio Carlos
regulares - morar/ vender/ a b rir.......................... 212 Jobim/ Vinícius de M oraes.......................................248
Form ação - Em prego............................ 212 E x e r c íc io ................................................................... 249
E x e r c íc io s .................................................................213 Texto narrativo - Riquezas do Brasil:
-1 6 .2 - Colocação do pronome á to n o .................... 216 o café ( 2 ) ...... 249
-1 6 .3 - Observações ................................ 217 E x e r c íc io .................... 250
E x e r c íc io s ............... 217
Contexto - Natal - Rubem B r a g a .............................. 218 U N ID A D E 18
E x e r c íc io s ............................................. 219 Como? Fale rnais a l t o ! ..................................................251
-1 6 .4 - Prefixo des - ...................... 221 -1 8 .1 - Discurso indireto I. Reprodução
-1 6 .5 - P rep o siçõ e s.......................... 221 p osterior.................................................................... 251
E x e r c íc io s .......................... 221 E x e r c íc io s .................................................................252
E x ercíc io s - L o c u ç õ e s p r e p o s it iv a s 223 II. Reprodução im ed iata......................................... 254
-1 6 .6 - Contração das preposições com E x e r c íc io s ...................... 254
outras palavras.......................................................... 224 As aventuras da família Brasil/ L.F. Veríssimo . 257
-1 6 .7 - C r a s e ...................... 224 -1 8 .2 - Voz passiva. I. Voz passiva com se r 257
E x e r c íc io ......................................................225 E x e r c íc io ................................................................... 258
-1 6 .8 - Crase nas locuções a d v erb ia is................... 225 -1 8 .3 - Verbos abundantes - Participios com
E x e r c íc io ................................................................. 225 duas form as.................................................................... 258
-1 6 .9 - Frutas e árvores............................................... 226 E x e r c íc io ................................................................... 258
E x e r c íc io s - F ru ta s b r a s ile ir a s v en d id as II. Voz passiva com os verbos auxiliares:
n a f e i r a liv r e ................ 227 poder/ precisar/ dever/ ter que/ ter d e 259
Intervalo - Procissão /A escada - E x e r c íc io s .................................................................259
M illôr Fernandes................................................... ....2 2 8 -18.4- III. Voz passiva com s e ................................ 260
E x e r c íc io s .................................................................228 E x e r c íc io s .................................................................260
Texto Narrativo - Riquezas do Brasil: Contexto: Segurança - Luís Fernando
o pau - brasil e o açúcar ( 1 ) ..................................... 229 V e ríssim o ................... 263
E x e r c íc io .................. 230 E x erc íc io s ...."............................................................264
-18.5- Infinitivo p e s s o a l ................................ 265
U N ID A D E 17 E m p rego ............................................................266
D esastre.............................................................................. 231 E x e r c íc io s .................................................................2 66
-1 7 .1 - Tempos compostos do indicativo: -18.6- Oração infinitiva pessoal = oração
Perfeito composto/ mais-que- perfeito conjuntiva + indicativo ou subjuntivo 267
composto/ futuro do presente composto / -1 8 .7 - Regência verbal -1 . Verbos seguidos
futuro do pretérito com p o sto............................... 231 de infinitivo (sem p reposição).............................267
-1 7 .2 - Emprego - Perfeito co m p o sto .................... 232 - II. Verbos seguidos de preposição
E x e r c íc io s .................................................................232 + in fin itivo ................................. 268
E x e r c íc io s - Futuro d o p res. c o m p o s t o 234 - Ï1I. Verbos seguidos de preposição
E x er cíc io s - Futuro d o pret. c o m p o s t o 235 + substantivos .............................................269
Contexto - Sua melhor viagem de - IV. Adjetivos seguidos de preposição
férias com eça em c a s a ............................................... 236 + in fin itivo ..................................................................269
E x e r c íc io s .................................................................236 - V. Adjetivos seguidos de preposição +
-1 7 .3 - Nenhuma dificuldade = dificuldade substantivo..................................................................269
a lg u m a ...................... 237 E x e r c íc io s .................................................................270
E x e r c íc io ................................................................. 237 Intervalo - P ro v érb io s .................................... 272
-1 7 .4 - D e ix a r ................................................................ 237 E x e r c íc io s .................................................................272
E x e r c íc io ................................................................... 238 -1 8 -8 - S ím iles................................................................... 273
-1 7 .5 - Deixar d e ............................................................238 E x e r c íc io s .................................................................274
E x e r c íc io s .................................................................239 - Texto narrativo - A imigração e o
-1 7 .6 - Tempos compostos do Subjuntivo: povoamento do sul do B r a s i l...................... 275
perfeito / mais-que-perfeito/ E x e r c íc io s .................................................................275
futuro composto - Verbo m o ra r...........................240 Apêndice gramatical/ Conjugação v e rb a l 276
-1 7 .7 - E m prego.............................................................240 Lista de p a la v ra s.............................................................289

VII
Créditos
FOTO pg. 195 P elé, quando jo g a d o r no San tos Futebol Clube. A cervo
Ú ltim a Hora / Folha Im agem ,
pg. 5 M useu de Arte de Pampulha/ B elo Horizonte - M G.
Vailton Silva Santos / Folha Im agem. Praia de Ipanema. pg. 196 Cartão Itaucard - Itaú.
M arluce B albin o /A cervo R IO T U R . Cristo Redentor. pg. 2 0 7 B and a do C olég io Progresso, G uarulhos, SP.
M arluce B albino. G al Oppido /A cervo R IO T U R . pg. 2 0 9 D esfile de Carnaval 98. U nidos do Peruche. Eduardo
pg. 13 M aceió. Carla Aranha / F olh a Im agem , Knapp / Folha Im agem . Sam bódrom o. M arluce
pg. 14/243 A eronave Airbus da TA M . B alb in o. A cervo da R IO T U R S.A .
pg. 2 0 Palácio da A lvorada, B rasília, DF. R oberto Jaym e / pg. 2 1 0 Sambódromo. M arluce Balbino. Acervo da R IO T U R S.A .
F olha Im agem . pg. 2 1 9 Rubem Braga. A lexandre Sassak i / A bril Im agens,
pg. 2 8 V ista da Praia da B o a V iagem e da cidade de R ecife. pg. 2 2 9 Fazenda B ocain a, B arra M ansa, R J. Foto cedida por
C leo Velleda / Folha Im agem , A lain Costílhes.
pg. 37 Foto do cartaz "O Pagador de prom essas" cedida pela pg. 2 4 7 Seca. Lalo de A lm eida / Folha Im agem ,
CUNEARTE. Cartaz M orte e Vida Severina. Cedido pg. 2 4 8 V iníciu s de M oraes. Reprodução Folha Im agem .
pela A P E T E S P , SP. Tom Jobim . Sérgio C astro / F olh a Im agem ,
pg. 38 M A SP , Parque Trianon, C olég io D ante A lighieri. Jo ão pg. 2 4 9 Avenida Paulista. Cedido pelo Fundo de P esquisas do
Bittar/ Folha Im agem , M useu Paulista. U niversidade de São Paulo.
pg. 4 5 Vale do Anhangabaú. G reg Salibian / F olh a Im agem , Avenida Paulista nos dias atuais. Adi L eite / Folha
pg. 58 Roupas fem ininas. R icardo M eirelles. Im agem .
pg. 59 Roupas m asculinas / Roupa so cial / A cessório s / Na pg. 2 5 0 C afezal. A cervo da Cia. Iguaçu de C afé Solúvel,
praia. R icard o M eirelles. C o m élio Procópio, PR.
pg. 63 B airro do M orum bi, SP. C leo Velleda / F olh a Im agem , pg. 2 6 3 Luís Fernando Veríssim o. M arisa Canduro / Folha
pg. 6 4 Pantanal, Fazenda C aim à e Bonito. C esar Itibere, Folha im agem .
Im agem . pg. 2 7 5 im igrantes italianos no R io G rande do Sul. Leonid
pg. 67 C ientista. Ed V iggiani / A gência Tem po de Fotografia. Stieü aev / A bril Im agens,
L oira. L alo de A lm eida. Operário. Ed V iggiani / pg. 17/ 31 / 81 / 137 / 2 2 7 / 2 6 0 C leod enir Fernandes.
A gência Tem po de Fotografia, MÚSICA
pg. 9 2 São Paulo da garoa (Ê H ...S Ã O P A U L O ) de M urilo
pg. 7 9 Esplanada dos M inistérios, Catedral e C ongresso
N acional, B rasília, DF. R icard o Stu ckert / Abril A lvarenga (A lvarenga) e D ieses dos A njo s G aia
Im agens. (R a n ch inho). Copyright em 1 0 .0 2 .4 4 by M angione,
pg. 80 1 : Ópera de A ram e, C uritiba, P R . Edson Franco / Folha F ilh os & Cia. Ltda.
Im agem . pg. 161 T rem das O nze de Adoniran B arbosa. Copyright 1964
2 : O linda. Lalo de A lm eida. Irm ãos V itales S.A . Indústria e C om ércio - São Paulo -
3: Prédio da A lfândega em M anaus. Raim undo Jo sé R io de Janeiro - B rasil. Todos os direitos reservados
Santos Trindade. A cervo da F U M T U R . para todos os países,
4 : Porto de San tos, SP. R ég is F ilh o /Abril Im agens. pg. 2 0 5 A B and a (Letra e m úsica de C h ico B uarque). Copyright
5: Cataratas de Foz-do-Iguaçu, P R .. Ed V iggiani / by Editora M ú sica B rasileira M oderna Ltda.
A gência Tem po de Fotografia. pg. 2 0 7 A felicid ade (Tom Jo b im e V inicius de M oraes).
6: G ram ado, R S . L u ciana C avalini. F olh a Im agem . Copyright by Editora M u sical Arapuã Ltda.
7: Cidade de M ontes C laros, M G . F olh a Im agem . pg. 247/248 A sa B ran ca de L uís Gonzaga/Humberto T eixeira.
8: C alçadão, R J. / R io Tur. Copyright by E ditora e Im portadora M usical Fenn ata
pg. 8 7 Casas C D H U -C om panhia de D esenvolvim ento do B rasil Ltda.
H abitacional e U rbano-Secretaria da H abitação. Z aca pg. 2 4 8 G arota de Ipanema de V iníciu s de M oraes - A ntonio
Feitosa. Carlos Jobim . C opyright by Jo b im M usic Ltda.
pg. 9 1 M onum ento dos B and eirantes, S ão Paulo, SP / Ed
V iggiani. Pátio do C olég io, São Paulo, SP. A ntônio
TEXTO
pg. 143 Irene no céu de M anuel Band eira extraído do livro
F eito sa / Ed. Viggiani. E strela da Vida Inteira. © A n to n io M anuel Band eira R.
pg. 105 Salvador, E levad or L acerd a e vista da cidade baiana, C ardoso, Jo sé Cláudio B andeira R . C ardoso, Carlos
B A . Icapiú, C E . Ed V iggian i / A gência Tem po de A lberto B and eira R . C ardoso, M aria H elena C . de
Fotografia. G aúchos - Vacaria, R S . Ed V iggian i / Souza B andeira e M arco Cordeiro de Souza Bandeira.
A gência Tem po de Fotografia, Publicado por Editora N ova Fronteira S.A .
pg. 125 Cataratas do Iguaçu. Ed Viggiani / A gência Tem po de pg. 152 Adaptado de “ A So g ra” de Sebastião Nery - F olha de
F otografia. São P a u lo - 0 2 .1 2 .7 9 .
pg. 135 Independência ou M orte, óleo de Pedro A m érico (1 8 4 3 - pg. 169 A outra noite de Rubem B rag a extraído de A l de ti,
1905). (R G .8 4 6 ). A cerv o do M useu Paulista da Copacabana. 16a ed ição, 1997. R oberto Seljan Braga.
U niversidade de São Paulo. Fotógrafo: Jo sé R osael. Distribuidora R ecord de Serv iços de Im prensa,
pg. 136 A cervo do M useu Im perial, instituto do Patrim ônio pg. 2 0 0 O gato e a barata de M illôr Fernandes extraído de
H istórico e A rtístico N acional. M inistério da Cultura, Fábulas Fabulosas. Editorial N órdica Ltda.
pg. 139 B orá. C arlos de A lm eida. Unital Press. pg.218/219 N atal de Rubem B rag a extraído de A B orboleta
pg. 143 M anual Bandeira/ F olh a Im agem . A m arela. R oberto Seljan Braga. Distribuidora R ecord
C olar e anel de ouro, brilhantes e esm eralda. H, Stem/ de Serv iços de Im prensa, 1980.
Divulgação, pg. 2 2 8 Procissão e A Escada de M illô r Fernandes. Editorial
pg. 156 Fotos: C asam ento relig io so e civil, N órdica Ltda.
pg. 162 Pedras sem i-p reciosas. A ntônio R odrigues /A bril pg. 255 U m certo capitão R odrigo de E rico V eríssim o extraído
Im agens. da obra O Tem po e o Vento, Copyright (c) 1987 by
pg. 175 N ascente do R io T ietê, Salesóp o lis, SP/ Ed. V iggiani. M afalda Volpe V eríssim o, C larissa V eríssim o Ja ffe e
R io T ietê, São Paulo, SP/ Ed. Viggiani. L uis Fernando Veríssim o. Editora G lobo S.A .
R io T ietê, Pereira B arreto, SP desaguando no Rio pg. 2 5 7 Aventuras da F am ília B rasil. L u ís Fernando Veríssim o,
Paraná / Ed. Viggiani. pg. 2 6 3 A segurança de L u ís Fernando V eríssim o extraído da
pg. 191 índios P ataxós. Lalo de A lm eida / F olh a Im agem R evista V eja de 2 7 ,0 3 .8 5 . Editora A bril S.A .
G ravação do film e Quarup, X in gú , 88. Ari Lago/A bril
Im agens

VEIE
PREFÁCIO
E ste livro, co m o títu lo d e F a l a r ...L e r ... E s c r e v e r ... B r a s i l s ã o t r a n s m it id o s a t r a v é s de t e x t o s
P o rtu g u ês, Um C u rso p a r a E s t r a n g e ir o s , é n arrativos.
r e e la b o r a ç ã o da o b ra F a la n d o ...L e n d o ... A s n o ç õ e s g r a m a tic a is a p a re c e m de m a n e ira
E s c r e v e n d o ... P o r tu g u ê s , Um C u r s o p a r a co n creta, c o n c isa , inserid as no corp o dos tex to s
E s t r a n g e ir o s . p r in c ip a is de ca d a u n id a d e ou so b fo rm a de
N ão se tra ta so m e n te de um a o b ra re v isa d a e p equ enos d iálo g o s, v iv o s e rápidos. A p rogressão
atualizada. E v id en tem en te, passad o tanto tem po é a tiv a , p o rq u e o b e d e c e , n ã o só ao n ív e l de
ap ós seu la n ç a m e n to , u m tra b a lh o c r ític o se dificuldade, m as tam bém à u rgên cia e necessid ad e
im punha: su bstitu ir tex to s, quer au tên ticos, quer do p ro b lem a g ram atical. O v erb o e sua reg ê n cia
de c ria çã o que se rev elaram fora de in teresse ou são d esen v olv id os lenta, firm e e con stan tem en te.
fo r a de é p o c a , e lim in a r ou m o d ific a r alg u n s O livro apresenta o segu in te eix o o rg an izacio n al:
e x e rc íc io s c u jo resultado não fo i o esperado, criar Unidades de 1 a 10 - I o d i á l o g o , introduzindo
outros m ais em con form id ad e co m os novos textos v ocabu lário e itens gram aticais; textos rápidos com
e n ov as situ a çõ es e a cresce n ta r itens g ram aticais introdução de novos itens de gram ática; 2 od iá lo g o ,
q u e, p o r a lg u m a ra z ã o , não a p a re ce ra m n a I a c o m n o v o v o c a b u lá r i o e n o v a s e s tr u t u r a s
ed ição . G rand es m o d ific a ç õ e s foram feita s, a fim g ra m a tica is; T exto n a r r a t iv o , de ca rá ter h istó rico
de atu alizar e de co m p leta r a obra, e c iv iliz a c io n a l. E s s a s dez p rim eira s u nid ad es
M as, m esm o diante das m o d ifica çõ es, gostaríam os giram em to m o de centros de in teresse esp ecífico s.
de salien tar que m an tivem os o o b jetiv o m aio r e a Unidades de l í a 18 - I o d i á l o g o , introduzindo
c o n c e p ç ã o do tr a b a lh o : tr a t a -s e d e um liv r o v o cab u lário , itens g ram aticais; C o n t e x t o , sem p re
elaborad o co m a in ten ção de p ro p o rcio n ar a um um texto au tên tico, co m novo v ocab u lário e novas
p ú b lico estran geiro um m étod o ativ o, situ acio n al estru turas g ra m a tica is; I n t e r v a lo , agin d o co m o
para a aprendizagem da língua portuguesa, visando u m a pausa, co m p ro v érb io s, p o e sias, ca n çõ e s que
à co m p reen são e exp ressão oral e e s crita em n ív el in stru em de fo rm a m ais p ra z e ro sa , p ois estão ,
de lin gu agem co lo q u ia l correta. E le é d estin ad o 'ap aren tem en te, m en os en g ajad o s c o m a ev o lu ção
a a d u lto s e ta m b ém a a d o le s c e n te s a p artir de g r a m a tic a l; T ex to n a r r a t i v o , c o n tin u a n d o sua
13 anos a p r o x im a d a m e n te , de q u a lq u e r fu n ção h istó ric a e c iv iliz a c io n a l c o m o fito de
n a c io n a lid a d e . c o m p o r u m q u a d ro de h á b i t o s e c o s t u m e s
So b esse ponto de v ista, os tex to s e os e x e rc íc io s b rasileiro s. A s unidades de 11 a i 8, em b o ra v isem
foram criad o s ou se lecio n a d o s de acord o co m a um v o cab u lário e a situ açõ es de in teresse que
centros de interesse de ordem fam iliar, p rofission al c o m p le t e m os d as p r im e ir a s u n id a d e s , n ã o
e so cia l para p o ssib ilita rem a ssim ila çã o rápida e p ossu em , esp e c ifica m e n te , cen tros determ inados.
p re cisa d a s estruturas apresentadas. O vocabu lário, M an tiv em o s o grande núm ero de e x e rc íc io s em
e s s e n c ia lm e n te a tiv o , a p re s e n ta , ig u a lm e n te , cad a unidade, p o is o su ce ss o da I a ed içã o nos
exp ressões le x ic a is que perm item m an ter diálogos m o s tr o u q u e e le s f u n c io n a m c o m o a p o io à
ligados aos centros de interesse im ediato do aluno. aprendizagem e ao trabalho do professor. E le s têm
A sp e c to s cu ltu ra is h is tó r ic o s e g e o g r á fic o s do dois o b je tiv o s: fix a r as estruturas g ram aticais e

IX
d esen v o lv er as ex p ressõ es oral e e scrita de form a T a m b é m , p ara o L iv r o d e E x e r c íc io s e x is te m
d irig id a e esp o n tâ n ea . O s d iá lo g o s e os te x to s cassetes e C D s * co m g rav ação de todos os tex to s,
e n co n tra m -se gravados em ca ssetes e C D s * . além de esp aço s e lacu n as para o trabalh o p essoal
O utro grand e en riq u ecim en to d esse m étodo fo i a do aluno.
criação de um L iv ro de E x e rc íc io s que acom panha, A ssim , en ten dem os que esse m étod o é com p leto
passo a p asso, as unidades do L iv ro -T e x to . P ara em si até o n ív el in term ed iário. L ev an d o o aluno
cad a um a d elas, o livro de E x e rc íc io s co n tém um a to ta lm e n te p rin c ip ia n te a fa la r, 1er e e s c r e v e r
u n id a d e e la b o r a d a so b d o is a s p e c t o s , a s s im flu en tem en te P ortuguês, ca p acita-o , tam bém , a dar
d en om in ad os: O u v ir e F a la r - L e r e E sc re v e r. continuidade a seu aprendizado em nív el avançado.

A s autoras

vendido separadamente

Este símbolo indica o texto gravado no CD ou K7.


UNIDADC 1
Como voi?
— B o m dia!
— B o m dia! C o m o vai o senhor?
— B e m , obrigad o. E o senh or?
— B em . obrigado. Sen te-se, por favor. O senhor é
o novo engenheiro?
— Sou, sim.
— C om o é seu nom e?
— T om ás L im a.
— De onde o senhor é?
— E u sou de O uro P reto, m as m oro em S ã o Paulo.
— Onde o senhor m ora? N o cen tro da cid ad e?
— N ão, m oro na A venida Paulista. A qui estão
m eus d ocu m entos.
— Ó tim o. O senhor co m e ça hoje m esm o. B oa
sorte!

Você é de São Poulo? Muito prazer


— O i! Diretor:
— O i! — S e u O liv eira , este é T om ás L im a , o novo
— V ocê é a secretária d este d ep artam en to? en genheiro.
— Sou. Sr. O liv e ira :
— C om o v o c ê se ch am a? • — M uito prazer.
— M arin a. Tomás Lima:
— M u ito prazer.
O senhor é engenheiro? 1. O se n h o r é diretor?

m Sou, sim . I Não, nâo sou. Sou.

2. O sen h or o médico'.' 3 , 0 sen h or é professor'? 4, A senhora é professora ?

S o il N ão, Sou,

A senh ora .j direi' ■i ,i ' 6. A senhora é brasileira? 7 \b e é é estu d an te.

N ão. _________ N ã o ,____ Sou,

S, Você é secretária? 9 Você é engenheiro? 10. V ocê ê italiana?


N ão. ______ Não- Sim ,

em + Ü = no
em + a = na P A IS E S C ID A D E S RUAS,
em + os= nos o B ra sil S ã o Paulo A V E N I D A S ..
em + as= nas a C h in a P equim a av en id a do
o Jap ão T ó q u io O uro
a F ra n ça Paris a rua da
de
a A lem an h a B e rlim C o n so la çã o
de + 0 = do
de + a = da
E xceção: E xceção:
de + os= dos
P ortu gal o R io de Ja n e iro
de + as­ d as

A. Onde o senhor mora?

M o ro no B ra sil.
M oro em S ã o Paulo.
M oro n a av en id a S ã o Jo ã o .

1. O nde o sen h or m ora? ( B r a s ília ) ........................

2. O nde o senh or m ora? (S ã o P a u l o ) ...................

3. O nde o sen h or m ora? ( I t á l ia ) .............................

4 . O nde a sen h ora m ora? ( A le m a n h a )................

5. O nde a senhora m o ra ? ( B o s t o n ) .......................

6. O nde v o c ê m ora? ( P e r u ) ................................

7. O nde v o cê m ora? (ru a da L u z ) ..........................

8. O nde v o c ê m ora? (av en id a B r a s i l ) ..................

9. O nde a senhora m ora? (av en id a T irad en tes)

10. O nde o sen h or m ora? (R io de J a n e i r o ) .........

11. O nde v o c ê m ora? (P o r tu g a l) ................


f

B. De onde o senhor é? Onde?


S o u de S ã o Paulo.
So u do Jap ão.
— Tèresa. onde — Esíão no ar­
S o u d a A rgentina. esíão os livros? mário do escritório.

1. D e onde o sen h or é? (P a ris)

2. D e onde o sen h or é ? (L o n d res)

3. D e onde o senhor é ? (N o v a Y ork )

— E onde estão as — Estão no carro.


4. D e onde a senh ora é ? (B e rlim )
chaves da porta?

5. D e onde a sen h ora é ? (T ó q u io )

6. D e onde v o c ê é? (E sp an h a)

7. D e onde o senhor é ? (M é x ic o )

— E onde estão as — Estão na


chaves do carro? gaveta da mesa,
8. D e onde a senhora é? (F ra n ça )

9. D e onde v o c ê é? (C an ad á)

10. D e onde o senh or é? (R o m a )

11. D e onde v o c ê é ? (P ortu g al)


— E onde está a — Está no bo so
carteira? do paletó.

12. D e onde a sen h ora é ? (R io de Ja n e iro )

— E onde estão — Adivinhe!


meus óculos?
os, dos, nos.
as, das, nas.
O s pianos dos en g en h eiros estão n a s g av etas. A s ch av es d as portas estão n as gavetas.

Onde estão os livros dos professores? Estão no armário da sala.

i. a s ec r e t á r ia ) .......;....................... . :. .■2 v . f f -,7 2 :.v.................

a sala/o p r e s i d e n t e ) ................ .'.......

os S iv ro s ) .................. ?

os arm ários/os e s tu d a n te s ) .......................................

o p r o f e s s o r ) .............................................................. ?

a sala/o d ir e to r ) ................................................................

as chaves/as p o r t a s ) .......................................................
as gavetas/as s e c r e tá r ia s ) ........................

o dinheiro/a f ir m a ) .........................................

o cofre/o b a n c o ) ......................... .................................

6 . os carros/as p r o fe s s o r a s )..............................................
o estacíonam ento/a e s c o l a ) ..................................... .

7. o c l i e n t e ) .............................................................................. A ?

o con su ltó rio/o m é d ic o ) ...............................................

8. os docum entos/os e n g e n h e ir o s )...............................

as gavetas/as m e s a s ) ......................................................

9. o paletó/o m é d ic o ) ..........................................................
o armário/o c o n s u lto r io ) ............................. ...............

10. as chaves/o c a r r o ) ................ ..........................................


o armário/a sala) ............................................................

11 . os planos/a n ov a f á b r ic a ) ................................
a gaveta/o e n g e n h e ir o )..................................................

12. os óculos/o p r o fe s s o r ) ...................................

o bolso/o p a i e t ó ) ..............................................................

quat'ro
Modo indicativo — Presente sim ples

SER Presente simples MORAR — Presente simples


Lu sou Nós somos Eu moro Nús moramos
Você Vocês Voué Vocês
Ele Eles são Ele mora Eles m oram
Elu ► 4 Elus ) Elu E las

ESTA R — Presente simples Vocês m oram aqui no Rio?


Eu estou Nós estamos — V o cês m oram aqui no R io ?
Você Vocês — N ão . S o m o s m in e iro s e m o ra m o s em B e l o
Ele ; está Eles estão
Elu Elas >
H orizon te. E sta m o s aqui em férias.

Foto: M usju ¿k Arte de Pampulha, Befo Horizonte/ MG. Foto: Praia de Ipanema/ RJ. Foi o: Estátua do Cristo Redentor/ RJ.

A. Vocês são mineiros?


Somos, sim. Mas nossos amigos são paulistas.
2. E l a ________
1. N o sso s am ig os
m u ito bon ita.
am erican o s.
i e ■
3. E l e __________ o
10. E stes en gen h eiros d ireto r da firm a?
fra n ceses.
SOU _________ , sim .

9. O R io de Ja n eiro
um a cid ad e são 4. E le não
n o sso am igo.
m uito bonita.

somos 5. E sta f ir m a __
8. E u b ra sileira e
ele fran cês. b rasileira.

7. C a rlo s 6 . V o c ê s ___ as n ov as se cretá -


e J o s é ____________ a m igo s. rias? , sim .

c in c o
B. Você m ora em São Paulo? Moro, sim.

1. (c o m e ç a r) V ocê o cu rso 8. (en trar) N ós no escritório do


am anhã. Eu h o je. en gen h eiro.
2. (m orar) A senhora aqui? 9. (en trar) A secretária n a sala
. sim . do en gen h eiro.
3. (m orar) E u não em 10. (co m e ç a r) L ie o cu rso h o je
apartam ento. E v o cê? m esm o ? N ão, n ã o __________________
4. (m orar) Nossoí amigos na 11. (entrar/falar) O e n g e n h e ir o _________________
E spanha. no escritório e __________________co m o diretor.
5. (falar) E le ____________ in glês e alem ão e 12. (m orar/falar) N ós no B ra s il e
e l a ______________espanhol. __________ português.
6. (m orar) V ocês n ã o _____ ________ no B ra s il? 13. (perguntar) O d ir e t o i________________ o n om e
__________________ , sim . do novo en gen h eiro.
7. (fa la r) O s e n h o r ________ fra n cês, m as eu 14. (m orar/falar) M eu s f ilh o s _______________ em
não Lon d res e _________________ in glês.

C. Onde você está? Eu estou aqui


1. E u ______________no aeroporto. 8. V o c ê ______ _ no co n su ltó rio ?

2. L u í s ___________ em S ã o P a u lo ? _________ , sim . 9. Nós _ _ na praia e e l e s ___________

3. O s e n g e n h e ir o s ______________no escritó rio ? na montanha.


N ão, n ã o _____________ . 10. H elena _ em N ov a Y o rk , m as

4 . O m éd ico _ ______________ no h o sp ital? N ão, ’ i cresa c A n a _ em Paris.

n ã o _________ 11. E u ______ aqui.


5. O dinheiro _____________ no cofre. 1 2 .O s planos _ _________na firm a.

6. V o c ê s ____ na fá b rica ? 13. N ó s ______ _ em S ã o P au lo, no hotel.

7. O livro no arm ário ? N ão, não 1 4 .A ch av e na porta? , sim.

D. Onde está o d ire to r? Está na fábrica.


1 ? E stá no b anco.

2......... ? E stá na praia.

3.............................................................................................................? Estou aqui.

4................................................................. ? E stam o s aqui na sala.

5.............................................................................................................? E stá no co n su ltó rio .

E. O dinheiro está no banco? Não, não está. Está na firma,


1 ? N ão, não está. E stá no Jap ão .

2................. ? N ão, não estam os. E s Lamo s n a fáb rica.

3. ...... ? N ão, não está. E s tá no co n su ltó rio .

4. ............................. ? N ão. tião estão. E stã o no escritó rio .

5 .............................................................................................................. ? N ão, não está. E stá na gav eta da m esa.


Texto narrativo

No aeroporto

E stam o s no A ero p orto do R io de Jan eiro . G o stam o s m uito desta cidade.


O R io de Ja n e iro é u m a cidade bon ita, co m
m uitas p raias e m ontanhas.

N osso s am igos. Paulo e L u isa, são ca rio ca s e m oram aqui. E le é en gen h eiro e ela é
secretária de urna firm a de im p o rtação e exp o rtação .

in ó s so m o s p au listas e m oram os em São Paulo, uma cid ad e industrial.


A. A cada imagem corresponde uma frase. Qual é?

/ O s documentos Nós estamos Ela entra no Eles moram O filme


estão na bolsa. na sala de escritório às 8 Adivinhe! na praia. começa às
televisão. horas. horas.

B. Complete o diálogo. Use você.

T om ás: ........................................................................... L u ís: M o ro na rua A ugusta. E v o cê ?

L u ís: B o m dia! Tom ás: ............................ .........................................

T o m ás: ........................................................................... L u ís: Eu gosto m uito d essa m a.

L u ís: B e m , obrigad o. E v o cê? Tom ás: ..................................................................

T o m ás: .................... ...................................................... L u ís: N ão, não sou. So u m éd ico . E v o cê ?

L u ís: D e onde v o cê é? T o m ás: .............................................................

T o m ás: ................................................................ .......... L u ís: O novo en gen h eiro da firm a?

L u ís: S o u de P orto A íeg re. T om ás: ......................................................................

T o m ás: ........................................................................... L u ís: B o a sorte!

oito
A cidade
Paulo: Vejaî E sta é a p an e eel ha da eidade.
i m t - t i k m i
Aqui nés ta ca lca d a , é o Correio.
1® N aq u ela calçada ali é a P refeitu ra.
Là, n aquela esquina, é o cinema.
Jo ã o : — E stes p rédios são antigos. G o sto
deles. E v o cê ? V ocê tam bém gosta?
Paulo: — sim. Há tuna estação
G o sto,
nova no su bú rbio. Ela
rod oviária
tem quatro andares e è moderna.
Jo ã o : O aeroporto desta cid ad e tam b ém é
m oderno?
Paulo: — É , sim. Tem cin co anos.
Paulo: — Venha comigo. Vou mostrai' a
cidade para você.
Jo ã o : — Para onde v am os p rim eiro ?
Paulo: — Vamos para o centro, de ônibus. Há
um pon 10 de ônibus ali na esquina.
Jo ã o : — D e ônibus não. T em o s tem po.
V am os a pé. G o sto de andar. E
v o cê ?
Paulo: — Eu também gosto.

Pedindo uma informação

— D rua informação, por favor.


— P o is não.
— Há um ponto de ôn ib u s nesta esq u in a ?
- N ão. N esta esqu in a não. O ponto de
ônibus é ali, n aq u ela calçad a.
— Obrigado.

nove
Há um cofre e uma mesa nesta sala.
U m en gen h eiro. U m a secretária.

1. H á _____________ ch av e e ______________ docu m en to na gaveta.

2 . T e m o s ______________am igo em T ó q u io . E le t e m ______________fáb rica.

3. N esta avenid a h á _____________ hotel e ______________ cin em a.

4 . M eu m éd ico t e m _____________ co n su ltó rio m oderno.

5. N este escritó rio há arm ário e m esa.

Modo indicativo -
Presente simples
Presente sim ples
vou Nós vam os

A. Para onde vamos?


Vamos para o centro.
1. (B ra s ília ) P ara onde vam< ............................

2 . (aero p o rlo ) Para on d e \ a m o s ? .................

3. (E sta ç ã o R o d o v iá ria ) Para onde ele v a i? ...

4 . (ponto do ô n ib u s) Para onde v o c ê v a i? ...

5. (F ra n ça ) Para on d e A n tô n io v a i ? .

6. (P a ris) P ara onde a senh ora v a i? .............

7. (fá b ric a ) Para onde em- \ãc ....

8. (B e lo H orizon te) Para onde v o cê v a i ? ........

9 . (C aiiad i) P ara onde v am o s? ........

10. (av. da B a n d eira s) Para onde voi : s .

1 !. (consult* irio) P ara onde os m éd ico s vari ..

12. (S â o P au lo) P ara onde P au lo e L u isa v ão?

13. (h o tel) Para onde Luisa v a i ? ............. .

14. (c o rre io ) P ara onde v o cè s v ã o ? .......................

15. (ru a 7 de setem b ro ) Para onde o sen h or v a i ? .


¡M '
£DaxtTMçdi)ricifi

B. Complete com ir.

J o ã o , m eu m arid o . _ para o e s c r itó rio e eu _________ para o b a n co . M eu s filh o s

para a e sco la . \o m eio -d ia nós para casa. H o je , Jo ã o n ã o ______________para


Fmdv P

0 escritó rio . E le e eu para o R io de Ja n eiro .

1U dez
de bicicleta
de ônibus

de carro

de metrô
aviao

Eu vou de ô nibus para a cidade

(tá x i) E u vou d e tá & i para o centro.

(c a iro ) N ó s ______________________________p ara a fáb rica.

(av iã o ) E u ____________________________ para o C anad á. i ff l t

(av iã o ) Pauio e L u i s a ______________________ para o R io .

(n a v io ) V o cês n ã o ________________________para os E stad os U nidos.

(m etrô ) O s fu n c io n á rio s ____________________________ p ara o escrito rio

(a pe) N ó s ______________________ para a esco la.

(ô n ib u s) V o c ê para o escrito rio .

(trem ) L u ís n ã o _____________________________ para casa.

(b ic ic le ta ) O s m e n in o s para a esco ia.

B. Com o vam os para o centro?


Vamos de ônibus.

? V am os de avião

? E le vai a pé.

? Vou de m etrô.

? E le v ai de navio

? V am os de táx i

? E le s vão de carro

? E la vai a pé.

? E la s v ão de ônibus

onze
Este aquí, esse aí, aquele ali, lá.

Estes carros aqui são modernos. Esses documentos aí são importantes?


Aquelas praias lá são bonitas.

1. escritó rio s ali no prédio têm m uita ativ id ad e.!


2. b a n co é m uito an tigo aqui na cid ade. J
3- ponto de ônibus ali na esq u in a é novo.
4. ó cu lo s aí são de L au ra?

5. casa lá na esqu in a é bonita,

6- salas aqui têm m uitas m esas,

7. ch av es aí n a m esa são de L ú cia ?

8- c o fre s ali têm m uito dinheiro,

9. fá b rica lá no subúrbio é m uito grande,

10. in fo rm a çã o aqui no liv ro é im portante.

Neste(s), nesta(s)
Naquele(s), naquela(s)
ein •7 este = neste H á um a secretária neste escritó rio .
eut 4- estes nestes H á m u itos en g en h eiros n estes prédios aqui.
em _k_ esta - nesta H á u m a ch av e n e sta g av eta aqui.
em 41 vstns nestas H á m uitas casas n e sta s praias.
em + aquele =■ naquele H á d ocu m en tos im portantes n aq u ele c o fre ali.
em H" aqueles = n aqueles H á m uitos p rédios an tigos lá n a q u e la a ia .
cm + aquela naquela
m i 4- nquelas - naquelas
A. (ponto de ônibus/esquina) Há um ponto de ônibus nesta esquina aqui.
1. (médico/consultório)....................................................... ...........................................................................

2. (a erop o rto/c idade)........................................................................................................................................


3. (posto de gasolina/esquina)..................................................... ................. ..............................................

4. (muitos livros/anuários).................................................................................. ..........................................

B. (consuitórios/prédios/ali) Há consultórios naqueles prédios ali.


1. (quinze dólares/gaveta/lá).................................................................................................................... .
2. (farmácia/calçada/ali).................................................................................................................................

3. (muitos turistas/montanhas/lá).................................................................................................................

4. (dentistâs/consultórios/alí)................................................................. ...................................................
Meu carro é antigo.

yostur
de

A. Estes prédios são antigos. G osto


deles.
Esta casa é moderna. G osto dela.
Meu carro é velho.
1. E stas ca sa s são an tigas. G o s t o .............................

2 . E sta cid ad e é a n tig a ....................................................

3. E ste aeroporto é m o d ern o ........................................

4 . A q u elas m esas são m o d ern a s.................................

5. A q u e la carteira é n o v a ...............................................

6. M eu carro não é v e lh o ................. .............................

7. M in h as am igas são sim p á tica s..............................

8. M in h a c a sa é g r a n d e . ..............................................
B. Vamos a pé. G osto de andar.
9. M eu carro é a n tig o .................................. ...................

10. M eu s livros são a n tig o s................... ...................... 1. E le gosta m orar no centro,

2. E la gosta m orar em São Paulo.


Vocês gostam das praias brasileiras? 3. N ós gostam o s ir a pé.
Escreva sobre elas.
4 . V o cês n ã o ____ __________ falar inglês.

5. V ocê falar.

6. E u não _ m orar n a praia.

7. M eu s am igos m orar

em B e lo H orizonte.

8 . M inha f ilh a ________ v isitar m useus,

9. M eu m arido m ostrar a

cid ad e para os am igos.

10. V o c ê __________________ __ c e rv e ja ?

11. E u livros antigos.

12. N ó s . _ casas antigas.

13. E les _ cid ad es grandes.

14. E la casas m odernas.


Maceió/ HA.

15. M eu s filh o s ________ prédios


F Ali:

m odernos.

treze 13
C. Gosto do aeroporto de Paris. Gosto da parte velha da cidade.

1. E u ____________________m u ito _____________a m ig o s m eu filh o .

Eia gosta de... 2 . M eu s a m ig o s ___________________ m u ito ____________ c a sa nova. Ele ná0 9 °sla de...

3. V ocê g o s ta ___________ p la n o s ______________ n o v o diretor?

4. N ós g o s ta m o s __________ p r é d io _____________ C o rreio .

5. E ste d iretor não g o s t a ___________ secretária.

6. E le s g o s ta m _________ film es fran ceses.

7. G o s ta m o s ____________ casa da praia.

8. E la g o s ta ___________ca sa da M ô n ica.

9. E la n ã o __________________aeroporto novo.

10. E u g o s t o ______________livro de português.

11. V o cês g o s ta m praias b ra sileira s?

12. E stes en g en h eiros n ã o ___________________ m eus planos.

13. N ós n ã o ________________________ p r é d io _____________ P refeitu ra.

14. M eu a m ig o m u ito p raias do R io .

15. O s p a u lis ta s __________________ m u it o ______________ m etrô. E le é m uito rápido.

D. O aeroporto desta cidade é antigo.

1. E le s g o s ta m ______________prédio ali.

2. E u g o sto do d ir e to r ______________ firm a.

3. M in h a am iga g o s ta ____________ livro ali.

4 . A s p r a ia s ______________região são fam osas.

5. A s c a lç a d a s ______________cid ad e são velh as.

6. A s p o r ta s salas ali estão abertas.

7. A c h a v e ______________gav eta aqui está na m esa.

8. O s c lie n t e s firm a são am erican o s.

9. O s d o c u m e n to s______________en gen h eiro estão na gaveta.

10. G o stam o s da s e c r e tá r ia ____________ en gen h eiro aqui.

]
Modo in dicativo TER — Presente simples
— Presente sim ples
Eu tenho Nós temos
Você K Você* N.
EU* • > tem Eles têm j

Lh. V Elas 7
q u atorze ou cato rze
A. Eu tenho dinheiro no banco.

1. L u ís e T eresa quatro filh o s. 8. O sen h or sorte.


2. V ocê tem p o? 9. N ós um am igo em R e cife .
3. N ão, eu não tem po. 10. V ocês _ livros n ov os no arm ário.
4 . O B ra sil m uitas cid ad es a n tiaas. 1 1 . 0 R io de Jan eiro m uitos turistas.
5. E sta c id a d e ______ m uitos prédios 1 2 . A sen h ora d in h eiro?

m od ernos. 13. N ão , eu não dinheiro. cheque.


6. A q u e le prédio ali oito andares. 14. N ós am ig o s em P orto A legre.

7. E sta s m ontanhas _ m uitas casas 15. M eu filh o quatro anos.

b on itas.

B. Você tem dinheiro? Não, não tenho dinheiro. Tenho cartão de crédito.

1. E le tem um a ca sa ? (a p a rta m e n to )................................................................................................ .......................

2. E le s têm sorte? ( a z a r ) ................................................................................................................................................

3. N ós tem os dinheiro no b a n c o ? (d in h eiro n a f ir m a ) ............................................................. ......................

4 . V ocês têm a ch a v e do carro? (ch a v e da c a s a ) ................................................................................

5. O m éd ico tem c a sa na m on tan h a? (ca sa n a p r a ia ) ......... ...........................................................

6. O s arm ário s têm d ocu m en to s? ( liv r o s ) ..............................................................................................................

7. B r a s ília tem préd ios a n tig o s? (p réd ios m o d e r n o s ) ................................................. ...................................

8. A E sta ç ã o R o d o v iá ria tem h e n s ? (ô n ib u s )............................................................................................ ..........

C. A cada imagem corresponde uma frase. Qual é?

1. Eu tenho azar.
2. Ele tem muita sorte.
3. Ele não tem dinheiro.
4. Nós temos muitos filhos.
5. Vocês não têm tempo hoje.
6. Ela tem 15 anos.

qu in ze
Que azor!
— Ai ! Ai! Minha — Ai! Meu pé! — Que azar! — Não foi
cabeça! Desculpe! nada.

(nós) Nossa casa não é grande.

1. ( n ó s ) ____________ filh o s não estão aqui.


— Onde está nosso Está na oficina. — Bem ... É que...
2. ( e u ) ____________ m ulher gosta de andar. Por quê?
carro?
3. ( n ó s ) __________ trabalh o é interessan te.

4. ( e u ) ___________ apartam ento é grande.

5. ( n ó s ) ___________ am ig o s têm p roblem as.

6. ( e u ) ____________ am igo s m oram em

Salvad or.

7. ( e u ) ___________ m arido e ___________ filha

v ão para c a sa a pé.

8. ( n ó s ) ____________secretárias trabalham bem .


9. ( e u ) _____________ filh as vão de ônibus para a esco la.

10. ( n ó s ) ______________cid ad e é pequ en a, m as tem m uitos parques. parques são

bon itos.

fío telefone

— A lô !
— De onde fala?
— C om pan h ia B ra sile ira de P apéis.
— - O senhoi T eixeira está?
— N ão, não está. H o je ele está
trabalhand o no escritó rio de São
Paulo.
— E o doutor Nunes está?
— E stá , sim . M a s está atendendo um
clien te agora.
— A gora de m anhã?
— É . E le sem p re atende os c lien te s de m anhã.
— Está bem. Telefono m ais tarde. A té logo.
— A té logo.

Modo in dicativo
— Presente sim ples

d e zesseis
A. (atender) Eu atendo meus clientes de manhã.

1. (aten d er) A se cretá ria o tele fo n e,

2 . (aten d er) N ós sem pre o diretor.

3. (escre v e r) E l e __________________pouco.

4 . (aten d er) E la______________a porta.

5. (c o m e r) T o m á s ______________m uito. Eu atendo meus


clientes de manhã.
6. (co m e r) T om ás e A n tô n io _____________ m uito.

7. (v en d er) M inh a f ir m a ______________prédios.


Ela atende a porta.
8. (aprend er) V o c ê ______________in glês na e sco la ?

9. (b eb e r) N ós n ã o _______________ ce rv e ja de m anhã.

10. (aprend er) V ocês n ã o ____________________ja p o n ê s na

es co la ?

11. (v en d er) Eu n ã o _____ minha casa. Gosto muito dela.

12. (aprend er) E u ______ P ortuguês na esco la.

13. (resp on d er) E le s não m inhas

perguntas.

14. (receb er) P a u lo _____ cartas de seus am igo s.


Æ ■ H B
bu aprendo portugués na esuula.

B. (comprar/vender) Nós com pram os e vendem os casas e apartamentos.

1. (m orar/trabalhar) Jo ã o em S ã o P au lo, m as en Sam o s,

2 . (m orar/trabalhar) N ós no cen tro, m as no su bú rbio

3. (m orar/trabalhar)E les n este prédio e n aquela fáb rica


4. (m orar/trabalhar)Eu aqui e lá
5. i ci>nu í/beber) Luís pizza e cerv eia.
ò. (com er/beber) N ós p izza e vinho.
7. ( comer/beber \( > senh or p izza e água?
S. ( c o m p ra r \cfldei ) Nó e carros anti s.
9. (atender/m osuat « A . , rei árias o tele fo n e e o e scritó rio
paia <is v h cn lcs.

n i (andar co iti c i tLu nui to e pouco.


1 1. i andai t om er ) Você m uilo e pouco.
. dar) O s m éd icos m uito e pouco.
13. (andar mostrar) N os e a cidade para os turistas.
14. (comprar/vender) A senhora e liv ros an tig os.

15. (beber/com er/andar) M eu am igo m u ito, m uito e pouco.

d e z e sse te 17
A. Ele está atendendo um diente agora.
í . (trabalhar) A g o ra o m éd ico n ã o __________________ n aq u ele h ospital.

2 . (com er/beber) A g o ra n ó s _____________________ p izza e ____________________ cerv eja .

3 . (m ostrar) H o je e l e _____________________________ a cid ad e para os am igos.

4 . (aten d er) E u ______________________________________o te le fo n e agora.

5. (aten d er) E l a a porta agora.

6. (aprend er) V o cê português agora.

7. (trabalh ar) E le s n ã o _____ _ m uito agora.

8. (escre v e r) V ocês n ã o _ _ agora.

9. (aten d er) N ós n ã o _______ estes clien tes h o je.

10. (aprend er) Eu n ã o _ __ alem ão agora.

Na praça
B. O que eles estão fazendo agora? Use os verbos beber, escrever, andar,
trabalhar, comprar, vender, conversar e correr.
O o p e r á r io ................................................ ..........................

O g u ard a .

rç G uarda O perário
P au lo e J o ã o .

O pipoqueiro

D ona M a ria .

L au ra.

F á b io

O cach o rro

C ach orro

d ezoito
Texto norrotivo — Umo ddodc pequeno

E sta m o s visitan do uma p eq u en a cid ad e bra­


sileira. E la fic a no in terior de M in as G erais.
O cen tro da cid ad e é a p raça da ig reja . N esta
praça h á lo ja s, um a farm ácia, um cin em a, um
ou d ois b an co s, um bar e um a padaria. À n o i­
te, os m o ç o s e as m o ças vão à p raça para en ­
con trar os am igo s e co n v ersar co m eles.
A s c a sa s são an tigas. H á ca sa s m odernas na
parte nova da cidade.
A vid a aqui é m uito calm a.

A. Complete com o vocabulário do texto.

1. O uro P reto fic a n o __________________________ de M in as G erais.

2. A ____________________________ da ig reja é o ______________________________ da cidade,

3. H á d o is _________________________________ nesta cidade.

4 . O s m o ç o s e a s ________________________________ v ão à praça p a r a ________________________ os am igos.

5. A ________________________ , os m o ço s vão ao bar para __________________________ com o s am igo s.

6. N a _______________________ da cid ad e as casas s ã o __________________________ .

7. G o s t o vid a d esta cidade.

B. Descreva uma pequena cidade de seu país. Considere a cidade e os


hábitos da população.

C. Coloque em ordem.

— É a li na esqu in a, n aquela calçad a.


— V am os de ônibu s para o cen tro?
— H á, sim . M a s tam bém há prédios n o v o s. V o cê tem d in h eiro?
— N ão, v am os a pé. G o sto de andar.
— N ão , não tenho. O nde é o b a n co ?
— E u tam bém . H á m u itos prédios an tigos no cen tro ?

d e z en o v e
D. A cada imagem correspondem duas frases. Quais são?

A porta Aqueles
Nesta praç Brasília é Este ônibus O Presiden A vida aqui
deste Que azar! prédios
há uma uma cidade Ai! Meu pé: vai para o te mora é muito
restaurante Desculpe! são muito
farmácia. moderna centro. aqui. calma.
está aberta altos.
ill
1*111
■'
M.ill'll
i'
.1,..

v in te
UNIDADC 3
No restaurante

Jo s é : — V o cê está co m p ressa?
Luís: — Nao. Por qué?
Jo s é : — P orqu e quero a lm o ça r agora.
E sto u com fom e.
L u ís; — Fu lunihém
Jo s é : — H á um b om restau rante aqui perto.
L u is: — B o a idéiaí C o m o vam os até lá?
Jo s é : — A pé, é cla ro !
L u ís: — Q uanta g e n te ! O n d e v am os sentar?
Jo s é : — H á urna m esa liv re ali no canto.
Jo s é : — O que v o c ê vai ped ir?
L u is: — T alv ez uma salad a de leg u m es e d epois
carn e co m batatas. E v o c ê ?
Jo s é : — A m esm a co isa . V ou tom ar tam bém
um a cerv eja . E sto u co m sede.
L u ís: — Já podem os pedir a sob rem esa. Q u e tal
um so rv ete? i luje está quente.
Jo s é : — A g o ra o ca fez in h o .
Luis: — Garçon, a conta, por favor. E ste restau­
rante ruto é caro.
Garçon: — Desculpe, senhor, mas a
gor jeta não está incluída.
L ilis : : J l. i ¡n smo.
Jo s é : ■ O troco está certo ? E n tã o pod em os ir.

Numa lanchonete
— E sto u m uito cansado.
V am os entrar n aquela lan ch on ete.
Vou p ed ir um su co. E v o cê ?

— Eu estou com fome e com sede.


Vou lomar um refrigerante e comer um bauru.
v in te e um
Responda
1. P o r qu e Jo s é e L u ís q u erem a lm o ça r a g o r a ? ...................................................

2 . E le s têm te m p o ? .............................................................................................................

3. P o r que e les vão a pé ao re s ta u r a n te ? .................................................................

4 . H á m uita gen te no restau rante, m as ainda há urna m esa livre. O nde?

5. O que eles vão ped ir? D e sc re v a o alm o ço to d o .............................................

6. Jo s é v a i tom ar um a cerv eja . P o r q u é ? .......................

7, P or que eles v ão pedir so rvete com o so b rem esa?

M odo indicativo PODER — Presénte simples


— Presente sim ples
Eu posso Nós podemos
A. Complete com poder.
E s tá ch ov en d o. V am os fica r em casa.
O que p od em os fa z er?

1. N ó s _______ a ssistir à telev isão .

2 . E l e s _______ _ 1er o jo rn a l.

3. E u ________ escre v e r para m eus am igos.

4. O F e lip e _ _ _________ tele fo n a r para os am igos.

5. A L u i s a ___ estudar para o teste de am anhã.

6 . V o c ê ______ OUVir Seu C D novo. Você não pode chegar


. atrasado!
7. A s crian ças __________jo g a r cartas.

8. Eu ___

9. N ó s _______

10. V ocês

B. Responda.
N o trabalh o: V o cê pod e co n v ersa r? — Posso.
N o trabalho: V ocê pod e d orm ir? — Não, não posso. Seu chefe pode
chegar atrasado.

1. V o cê pode ch eg a r m ais ta r d e ? ...................................................

2. V ocê pode tom ar c e r v e ja ? ...........................................................

3 . V ocês podem fu m a r? ......................................................................

4 . Seu c h e fe pode sa ir m a is c e d o ? ...................................

5. V ocês podem d iscu tir co m o c h e f e ? .......................................

6. A s secretárias pod em ir p ara c a s a n a hora do a lm o ço ?

7 . S eu s co le g a s pod em usar sua m e s a ? ......................................

22 v in te e d ois
Modo indicativo MORAR — Faturo imediato
— Futuro im ediato
Eu vou inorar Nós vamos morar

A. O que você vai tom ar?


Vou tom ar uma cerveja.

1. O que v o c ê vai c o m e r ? ......................................

2 . O que v o c ê s vão to m a r ? ....................................

3. O que ele v a i ped ir ao g a r ç o n ? ......................

4 . O que v am os fa z er d epois do a lm o ç o ? .....

5. C om o so b rem esa, o que e la vai o fe re c e r?

6. O que v am os t o m a r ? ...........................................

B. Você vai tom ar café? Não, vou tomar chá.

1.......................................................................... ? V am os, sim . V am os fa la r c o m a secretária.

2........................................................................................................ ? N ão , vou ja n ta r às 7 horas.

3........................................................................................................ ? Vou, sim . Vou tom ar ce rv e ja .

4........................................................................................................? N ão, v am os com p rar urna casa,

5. ............................................................................................. ? N ão, e le vai fica r em casa.

6 .................................................................................... ? N ão, cie s vão tom ar sopa.

C. Relacione.

/ a co n ta porque está sem dinheiro,


( ja n ta r i
E le \ vou /

p ro blem as na firm a porque não gostam do ch efe,

E la s (n ã o ) vai

d ev agar porqu e não estou com pressa,

Eu vam os i
Y - ------ para m im porque não tem meu en d ereço ,
( p agar )

N ós (n ão) vão
so b rem esa porqu e não go stam de d oce.
ter

E la >
m ais larde porque não estam os co m fom e.
( andar

v in te e trê s 23
Palavras Como? Por que?
Interrogativas
Quanto/a/os/as?
Quem?
?
Qua\ Qu,
0?

A. Complete. o.
<?:>
O
1. é e le ? — E le é R o b e rto , m eu am igo,

2. ele m o ra? — E m S ã o Paulo,

3- ele está aqui no R io ? — P orq u e ele está em férias,

4. ele vai fa z er h o je ? — E le vai v isita r o C o rco v ad o ,

5. e le vai ao C o rco v ad o ? — D e carro,

6 .. cu sta a v isita ao C o rco v ad o ? — N ada. E grátis,

7. am igo s ele tem no R io ? — M u ito s. E le tem m u itos am igo s aqui.

8. ele vai v o ltar para S ã o P au lo? — N o dom ingo,

9. é a p ro fissão d ele? — E le é advogado.

>A6'íxO
cfp
.O ^ x# V*o
B. Entrevistando um artista. Faça as perguntas.

1. ? M eu n om e é B etin h o E strela.

2. ? Eu canto m ú sica caip ira.

3. ? E u estou aqui em S ã o P au lo porqu e vou

fazer um show.

4. N o Teatro Tu piniqu im .

5. N o sábado que vem .


6. M u itas, M u itas p esso as vão v er m eu

show . E u sou m uito popular aqui.

7. ? E u vou ganhar 2 .0 0 0 dólares.

8. ? M eu show vai ser m uito b on ito.

L u zes, e feito s esp ecia is ...

9. ? T in in h a M a ra v ilh a v ai can tar c o m i­

go. N ós sem pre trabalh am o s ju n to s.


10. ? Vou can tar as m ú sicas do m eu

ú ltim o d isco.

C. Entreviste seu colega e seu professor.

v in te e qu atro
S er qualidade permanente E star qualidade temporaria
Ela é bonita. Ela esrá bonita hoje.
O Saara é quente. Hoje está quente.

O café está frió.

O Saara é um deserto.

Complete com ser ou estar.


1. H o je ____________ quente. 1 1 . 0 B ra s il um país m uito grande,

2. E le __________ in telig en te. 12. E le m é d ic o e ___________ n o

3. E l e ________ am ericano. h osp ital agora.

4. N ó s co n ten tes agora. 13. O A la sca frío. A S ib eria tam bém

5. N o sso s a m ig o s ___________ na sala.

6. N ós b ra sileiro s. 14. E le c o z in h e ir o e no

7. A Su íça um país bon ito, restau rante agora.

8. E u aqui agora, 15. E l e s ___________ estran geiros. E l e s ___________ no

9. O s cop o s na m e sa e B ra s il para trabalhar.

____________ de cristal.

10. O n d e __________ seu c a rro ? N a g arag em ?

Usos especiais de Ser

* - — * r mm « p ■ » p p — m «v ^ % p -■ m p » « p

** *\ t * tem uo' \ * v\ * * * * parhdo


* '* *+_expres-'
"impes-»»
* posse r
» * cronolo- • * *\ protissao » * carao
b t * * \ relimao >** *V \político tf * «tsoes *
p ,
»
* gico ,*
* fc
t 1
mjm. * * H_Hi # * —J S í
s s0í,lí> ,
* *1 *

E ste carro é
A gora é
prim avera.
E le é E le é diretor E le s são É importante
do R o b erto . jo rn a lista . da firm a. so cia lista s. lalar inglês.
H oje é dia 4.

v in te e c in c o
A. Complete.
Ronaldo Ronaldo
Ronaldo especia­ feliz
_ _ _ _ _ na lista em hoje. Ronaldo
praia porque informática. meu
verão. irmão.
Ronaldo Ronaldo
muito pro­
prático. e testante.

Ronaldo Ronaldo
aqui. de
Ronaldo Curitiba.
Ronaldo com
meu Ronaldo
chefe. Ronaldo, este com os amigos no
livro não fome porque já bar.
meu! 2
seu? horas.

B. Complete a pergunta e a resposta com ser ou estar.


1. V o c ê p ro fesso r ? N ão, e u aluno.

2 . V ocê garçon ? N ão, e u ___________ cozin h eiro.

3. E la s _ c o m fo m e? N ão, elas não co m fom e.


4 . O s cop o s na m esa ? S im , eles n a m esa.
5. M arian a, v o c ê __________com sono? S im , _ co m sono.
6. E l e g arço n ? , e a g o r a ____ no restaurante. As taças estão na mesa.
7. V ocês e s tra n g e ir o s ? ____ .. e . aqui para trabalhar.
8. O Sr. F a g u n d e s ______ co m e rc ia n te ? N ão , ele professor.
9. L u ís e Jo s é , v o c ê s ___________ a m erican o s? N ão, nós in g leses.
10. O carro na g arag em ? N ão, n ã o __________

C. Onde está Mariana? Ela está em casa.


Qk

1. ? E le s são fo tó g rafo s.

2. ? E le s estão no clu be.

3 -, ? N ós so m o s b rasileiros.

4. ? E u estou em c a sa à noite.

5. ? Porque estam os com sede.

6. ? E la é a secretária do presidente.'

26 v m te e s e is
«
7. ? Eu estou n erv oso porque tenho m uitos problem as.

8. ? E le está no dentista.

9. ? E u v ou bem .

Expressões

I Eu estou com fom e. ] | Eu estou com frio. | Eu estou com sedê^

Ele está com fome. O que ele var fazer? Ele vai almoçar.

1. E le está c o m sede.

2. E le está c o m fom e. ? „

3. E le s estão co m calor. ?

4 . E le s estão co m frio. ?

5. E la está co m sono. ?

6. V o cês estão co m pressa. ?

7. E le está c o m dor de c a b e ç a . ?

Um rapaz cabeludo

— Q u e horror! Q uando v o cê v ai co rtar o ca b e lo ?

— D ep o is d o jan tar.

— D ep o is do ja n ta r? D ep o is do ja n ta r o b arb eiro está fech ad o.

— Ail! É mesmo! Enlão vou antes do jlintur.


v in te e sete
a n te s d e (d o , d a , d os, d a s) d ep o is de (d o , d a , d o s, d as)
Eu vou sair antes do alm o ço . E le vai sair do restau rante depois de p agar a conta..
E le s vão pensar an tes de talar. E le s vão ch eg ar d epois das cin co horas.

A. Responda. Use: depois de, do(s), da(s).


(o a lm o ço ) Q uando v o c ê to m a c a fez in h o ? D epois do alm o ço .

1. (o c a fé da m anhã) Q uando v o c ê v a i ao

e s c r it ó r io ? ...............................................................

/í. ■i.v.
2. (o ja n ta r) Q uando v am os ao cin em a ?

dc
e da cidade
tti
3 . (a au la de P ortu gu ês) Q uando v o c ê v ai v oltar

Uu tk>a j 7
para c a s a ? ..............................................................................

F-oio: i isia ou Prata


4 . (a ca b a r m eu trabalh o) Q uando v o c ê v ai sair

do e s c r it ó r io ? ......................................................................

5. (os feriad o s) Q uando v o c ê v ai fa la r com seu

c h e f e ? .......................................................................................

6. (c o n h e c e r S ã o P au lo) Q uando ele vai a R e c i f e ? ....................

B. Responda. Use: antes de, do(s), da(s).


(o a lm o ço ) Q uando v o c ê tom a ap eritiv o? A n te s do a lm o ço .

1. (o m eio -d ia ) Q uando v o c ê vai ao b a n c o ? ...........

2. (o c a fé da m anhã) Q uando e le vai v i a ja r ? ......................

3. (três horas) Q uando v ai acab ar a r e u n iã o ? .......

4. (ir ao b arb eiro ) Q uando v o cê vai ao C o r r e io ? ........

5. (sa ir do escritó rio ) Q uando eu posso fa la r co m v o c ê ?

6. (ch eg a r ao escritó rio ) Q uando v o cê com p ra o jo rn a l?

Um boile a fantasio

— N o ssa ! O lh e ali no can to ! Q u an ta gen te esqu isita!


— É m esm o. O lh e! H á um ch in ê s, dois ja p o n e se s, dois
esp anh óis e três alem ães.
-— O ch in ês é m eu irm ão.
— N ão go sto das m ulh eres. E stà o m uito teias.
— O s h om en s estão en graçad os.
— E o ca b elu d o ? É hom em o u m ulher?
— É m eu m arido.

v in te e o ito
P lu ral
V ogal — a a c a sa as casas azul azuis
Vogal — e o pente o s pentes — il fácil fáceis
Vogal — i o táxi os táxis difícil difíceis
V ogal — o o m arido os m aridos gentil gentis
Vogal — » o urubu os urubus infantil infantis
— ao o irm ao os trm aos — m o h om em os hom ens
a esta çã o as estações — r a cor as co re s
a lem ã o alem ães — s 0 lápis os lápis
C o n s o a n te s 0 ônibus os ônibus
— 1 o
o
anim al
papel
o s anim ais
os papeis 0
inglês
m es
ingleses
os m eses

espanhol espanhóis — z 0 rapaz os rapazes

A. Dé o plural.
a c a sa — as o papel azu l —

o táxi e o trem — os o pão —

o ôn ibu s in g lês — o cão —

o m ês m ais curto — a o rg an ização —

a fa c a — a m ão —

o garfo — o irm ão e a irm ã —

a c o lh e r — a esta çã o —

o rapaz fe liz — o av ião —

a lição fá c il — o pão alem ão —

a m ulh er gen til — a ex p ressão — '

o dia útil — o ja rd im e a garagem —

o atlas fra n cés —

B. Passe para o plural. Puxa! Este barril é grande.

1. E ste barril é gran d e.....................................................................

2. M eu am ig o é in g lé s.....................................................................

3. A sop a está fr ia ..............................................................................

4 . O dia está quente. .....................................................................

5. M in h a m ão está fr ia ....................................................................

6. E ste apartam ento é b o m , m as a garag em é pequena.

7. A q u e le h otel é co n fo rtá v e l...............................................

8. N o sso p ro fesso r é e sp a n h o l............................................

9. O canal de telev isã o tem propaganda co m ercia l.

10. N o sso d iretor é ja p o n ê s ..................................................

v in te e n ove
F

Texto narrativo — Um almoço bem brasileiro

H o je o Sr. e a Sra. C lay to n vão a lm o ça r na ca sa da fa m ília A ndrade. M arian a A ndrade vai preparar um
cardápio b em b ra sileiro p ara seus con vidados.
C om o ap eritiv o, v ai o fe re c e r a trad icio n al "caip irin h a" e, co m o entrada, um a sopa de m ilh o verde. O
prato p rin cip al v ai ser fran g o assad o co m farofa. C o m o so b rem esa, os con v id ad os v ão co m er d o ces e
frutas.
Tudo j á está preparado. A cam p ain h a está tocan d o. L u ís A ndrade v ai re c e b e r seus am igos.

A. Responda.

1. O que o Sr. e a Sra. C lay to n v ão fazer h o je ?

2 . P o r que M a ria n a v ai o fe re c e r "ca ip irin h a" para seus con v id ad os ?

3. V ocê c o n h e c e "c a ip irin h a "? V o cê g o sta de "c a ip irin h a "?

4. D e screv a o card ápio de M arian a.

5. A cam p ain h a está tocan d o. O que L u ís A ndrade vai fazer?

B. Com os elementos na página ao lado, prepare dois cardápios típicos do


Brasil.

Cardápio 1
A peril ivo:

E ntrada:

Prato p rin cip al:

B eb id a :

So b rem esa:

f , fina Intente :

O U trinta
a rro z fe ijã o b a ta ta frita ca n ja

Cor Jo pío 2
A p eritiv o:
salada de tomate

E ntrada:

P rato p rin cip al:

cafezinho
B eb id a :

S o b rem esa :
queijo com
goiabada

P. fin alm en te

«
guaraña

couve

iaranja

feijoada

farofa
molho de
feijoada

trinta e u m 31
C. Prepare um cardápio típico de seu país. Convide seu amigo e explique como
vai ser o jantar.

Cordópio
Aperitivo'..............

E n trad a:...............

Prato principal:

Sobremesa:....
B e b id a :....... ■■■
............

E , fin alm en te

D. Risque o que é diferente. Explique por quê.

1. almoçar jantar ( oferecer tomar conter


baile navio avião carro V
trem )
o aperitivo a cerveja a água o médico a.......
caipirinha
......................J

porta quente janela sala canto i

os legumes a gorjeta os pães


5.
L
o bife
j l a comida j j

6. talvez banco restaurante escritório aeroporto


7 ( a pé à noite I de táxi de ônibus de trem
antes de sempre de m a n h ã
r
grande mais tarde
interior cabeludo feio bonito alto
com frio com amigos; com sono com s ede com pressa

trin ta e dois
UNIDAD* 4
Procurando um
apartamento

Andró: — Estou procurando

um apartam en to perto do

cen tro.

Jo rg e : — P ara alu gar?

A n d ré:— - N ào. Para com prar.

O n tem vendí m in h a casa.

Q u ero um apartam ento com três quartos, uma b oa sala,

co zin h a, dois b an h eiros, área de se rv iço e duas garagens.

Jo rg e : — N ão é fá cil en con trar apartam ento grande no

centro.

A n d ré:— É verdade. O ntem com p rei um jo r n a l, li os

an ú n cio s, m as não ach ei nada in teressan te.

Jo rg e : — N ad a?

A n d ré :— Nada. T o d os os apartam entos gran d es que estão

á venda fica m lo n g e do cen tro.

Jo rg e : — V ocê p refere m esm o m orar no cen tro ?

A n d ré:— Prefiro. É m ais prático.

Um negócio do China

— V am os co m p rar um terreno em U batu ba.

- É gran de?

— E. T em 1 ,0 0 0 m 2 e fic a b em perto da praia.

— P u xa! É caro, não é?

— Q ue nada! O preço é ótim o.

A gente v ai fa z er um n eg ó cio da C hin a!


É um negócio da China,
você não acha?
—- É! Á s vezes a g en te tem sorte.

trin ta e tres 33

i
M odo in dicativo — Pretérito perfeito

MORAR Pretérito perfeito VENDER — Pretérito perfeito


En morei Nós moramos Eu vendi Nós vendemos
Vncf [- Voeis f- V(lié j Vucí.s I
mor mi Eles moraram Elo vendeu Elos venderam
El:» V I his p Elas W

1
A. Ontem e u r , ____

1. (com p rar) V o cê o jo m a í on tem ?

2 . (com p rar) O n tem nós um carro.

3. (com p rar) O n tem eu um livro para v o cê.

4 . (m ostrar) A senh ora já a cid ad e para eles? Trânsito mata sete em SC


5. (g ostar) O senh or do film e ? É b o m , não é?

6. (co m p ra r) N o m ês p assad o, eles um a ca sa bon ita.

7. (ach a r-g o sta r) V o c ê s ________________ o show in teressan te? V ocês

8. (a ca b a r-a ju d a r)E u n ã o ______________ _ o trabalh o porque ela não _

9. (to m a r) N o d om ingo passad o, ele _____________________ aperitivo co m os am igos.

10. (and ar) O ntem e u _________________ sete q u ilôm etro s, m as e l a s __________________doze.

BRASÍLIA

V E N D O
Cn -4 Estilo Colonial, QL 22, 2
B. Ontem eu vendi minha casa. ¡vimontos. S. superior: d 4
qis.. í suiíe-banh (reversível),
escril.. roup, ia. varanda d
vista p/o Lagn. Térreo: 3 sis.,
copa, coz., pipe., chur. ele
1. (respond er) V ocê j á a carta? Tr.. 35-2525

Centro
2, (escre v e r) E le s já para v o cê ? R. 7 de Abril, ót., sU 94 m* de
frente, d divisórias, 4 ambs.,
3. (aprender) O nd e v o cê s in glês? copa e 2 banhs. Uso imediato.
Oir. propr. F.: 25*2798.

4. (v en d er) Eu m eu carro ontem .


ALUGUEL gg
5. (vend er) N ós n ossos m óv eis.
V. DIVA H
6. (v en d er) A senh ora já 0 apartam ento? Urgente, d \ amplo dorm,. sL
ampla, cozinha, ban h .T a.
serv., gar. a parte. Tratar na
7. (vender) 0 jo m a le ir o j á todos os jo rn a is. \
Ware Imóveis. F: 2778-3499.

8. (co m er- b eber) Eu pizza e v in h o.

9. (escrev er-resp o n d er) E la para m im , m as eu não

10. (en ten d er-resp on d er) V o cê a pergunta, m as não . P o r quê?

34 trin ta e qu atro
C. Ontem eu escrevi uma carta.

1. (re c e b e r) O n tem e u ________________ m eu salário. E v o c ê ? V ocê ta m b é m ________________ ?

2 . (escre v e r) O n tem n ó s __________________para eles. E v o cês? V o cês ta m b é m _______________ ?

3. (resp on d er) E u __________________a carta. P or que v o c ê n ã o __________________ ?

4 . (b eb er) N a festa, ela cham panhe. E ele? 0 que ele ?

5. (c o m e r) E le s tudo. E elas? P or que elas não ?

6. (b eb e r) N a fe sta de ontem , eu , m as v o cê não . V ocê n un ca b eb e

7. (en co n tra r-co n v ersar) O n tem L u ís C arlo s e co m ele.

8. (perg un tar-respond er) Eu . Por que v o c ê não 7

9. (a lm o ça r) O ntem nós no restau rante do clu be.

E v o c ê s? O nde v o cês ?

10. (co n v ersa r-b eb er) N a festa , eu m uito e pouco.

Nós vamos fazer


um negócio da Ch nal

A gente = nós
A gente vai fazer = Nósvamos fazer
um negócio da China! um negócio du China!

Substitua a gente por nós.

1. A g en te aqui em c a sa gosta m uito de v o cê. E v o c ê ? V ocê g o sta da gen te?

2 . N o sso c h e fe é m uito d ifíc il. A gen te não gosta de trabalh ar co m ele.

3. N o ano qu e vem , a g en te v a i com p rar um apartam ento. A gen te p refere m orar perto do centro.

4 . A gen te p recisa aprender Portugu ês p ara v iv er bem no B ra sil.

Modo indicativo
— Presente sim ples — Pretérito perfeito
LER — Presente simples LER — Pretérito perfeito
Eu leio Nós temos Eu li Nós lemos
Voei Voces Você \ \m
EH- Eles lêem file J leu Eles ) 1erum
EJti Elas ► _________ Elu / Elus

trin ta e c in c o 35
A. Eu nunca leio o jornal. E você. Você lê ?

1. E u sem pre_ à n o ite. E v o c ê ? V o cê

2 . E le s _ a V eja . E u tam bém

3. S ó ele _a se çã o de esportes. E la não

4. N ós n un ca _ o jo m a í de m anhã.

E la s ta m b ém não N in g u ém tem tem po

5. N o d om ingo, a gente_ __________o jo r n a l inteiro

Eu não sei se ela s tam bém

B. Eu li a reportagem. Todo mundo leu.


Ela ieu, mas não entendeu.
1. E u não o artigo. V o cê

2 . E la m as não entendeu.

3 . A gen te _ no jo r n a l que v ai ch o v er am anhã,

4 . E les m uito nas férias. C hoveu o tem po todo.

5. V o cês o con trato ?

N ão, n ós não

M odo in dicativo — Presente sim ples


Ele quer abrir o guarda-chuva.

QKEREK — Presente simples


Eu quero Nús queremos

O que você quer?


Casa ou apartamento?
O que vocês querem?

36 trinta e seis
Nós morar num lugar diferente.
Eu com p rar um apartam ento perto do cen tro porqu e é m ais p rático , m as m inha

m ulher m orar num a casa. A s c r ia n ç a s __________________u m a ca sa co m p iscin a, o

que v ai ser im p o ssív el. H elena ___________________ m orar longe do cen tro por cau sa da p o lu ição .

A g en te não sab e o que a g en te _

Modo indicativo — Presente sim ples


PAGADOR
! P R E F E R IR — Presente sim ples
PRO M ESSJ
Eu prefiro Nós preferimos

A. O que você prefere?

— O que v o c ê p refere? C h á ou c a fé ?

— Eu

— E ela ? O que ela REALCE PRODUÇÕES ARTÍSTICAS

— E la jAptesenta:
— E e le s? V oce sabe o que eles

,, E VIDA
— E le s

— O que v o cê s p referem ? C in em a ou teatro?

— N ós

— E ela s? O qu e elas p referem ?


/E V E R IN A
Poum j Muskqí am Jaaa C aòni cAl 9M o tfBiB
Dfrtçfld: C.nern Ferreira
— E la s ________________________ . E v o cê ?

— E u ? Eu LOCAL : ____________________________________
DATA : _______/______ /______ HORA:_______
Resuivas pelo telefone:
(011) 8713-1183 1BIP 866-4666 ■Cid. 1107368

B. Ele quer ficar em casa, mas eu prefiro sair.

1. (q u erer-p referir) E la _ com p rar um carro grande, m as ele um

carro pequ eno.

2. (q u erer-p referir) M eu s a m ig o s __________ v iajar, m as eu fic a r em casa.

3. (p referir-q u erer) E l e _______________ i r a pé, m as e u _________________ ir de ônibus.

4 . (q u erer-p referír) N o verão, e l e s ________________ ir à praia, m as n ó s _________________ir às montanhas.

5. (p referir-q u erer) Q uando está ch ov en d o, eu fic a r em ca sa , m as ele sem pre

ir ao cin em a.
trin ta c se te 37
Um lugar agradável

A ndré: — O ntem com prei u m apartam ento.

Jo rg e : — N o cen tro?

A ndré; — N ão. N um bairro

residencial, não m uito longe do

cen tro.
Jo rg e : — V o cê m udou de id éia?

A ndré: — M udei. E estou contente.

Jo rg e : — O nde fic a seu

apartam ento?

A ndré: — No Jard im Paulista, perto

de uni grande parque,

Jo rg e : — P erto de um grande

parque?

A ndré: — É. E m frente do parque

ba um m useu fam oso.


Jo rg e . — E atrás?

A ndré: — A trás do parque há um

grande co lég io . Foto: ' ÍASP. Avenida Pauiisia. P, v Trumou, Colégio Dante Alighieri/ SP.

Jo rg e : — Q u e b o m ! E quanto custou o aparta­

m en to? pegar
.André: -- ■ U m absurdo! M as valeu a pena. Vou comer comiLçai' chover
m udar am anhã. levar preparar chegar
beber conversar aceitar
oferecer
Com plete com o Pretérito perfeito.

O dia da mudança

N o dia da m ud ança, n ã o ____________________ . O c a m in h ã o às 8 horas da m anhã. O s

h o m e n s_____________________ em n ossa c a s a ,____________________ os m ó v eis um a um e__________________

tudo para o cam in h ão: m esa s, cad eiras, so fás, poltron as, cam as, arm ários ... E l e s _____________________

m uito. A o m eio -d ia , e u __________________________u m lan ch e para eles.

E l e s __________________. T e re sa , m in h a m u l h e r ,________; sa n d u ích es e su co . T o d o m undo

, ______________________ e ________________________ . À u m a h o r a , o t r a b a lh o

outra vez.

(Tinta e oito
Preposições de lugar

perto de longe <k ao Jado de


na frente de ¡atrás de ein voJta de
dentro de fora de entre

A. Observe o desenho e faça a frase.

4. 5.

trin ta e nove
B. Responda.

1. Q uais são os m óv eis da saia de estar?

2 . O nde está o so fá ?

3. O nde está a m esin h a?

4 . O nde está a tele v isã o ?

5. O nd e está a estan te?

6. Q u ais são os m ó v eis da sala de ja n ía r?

7. O nde estão as cad eiras?

8. O nd e está o tapete?

9. O nd e está o v a so ?

10. O nde estão as flo res?

11. E o quadro? O nde está o quadro?

C. Desenhe a planta de um quarto. Distribua nela os móveis abaixo e depois


explique a posição deles.

cam a

o c r ia d o -
mudo cô m o d a

qu aren ta
Num bairro residencial

N um b a ir ro resid en cia l, não m uito lo n g e do centro,


num bairro - em um bairro

Substitua

1. E le m ora em u m a c a sa antiga.

2. E u en co n trei a in fo rm ação em u m livro de esco la.

3. A p o líc ia achou os d ocu m en to s em u m a s c a ix a s v elh as.

4. E le guardou o d in h eiro em uns b a n co s estran geiros.

5. C o m p rei o so fá em u m a lo ja perto daqui

Onde estão eles?

— R o b erto , onde está seu

irm ão?

— E stá na p raça com os am ig os

dele.

— E sua irm ã?

— E stá na lan ch on ete com os

am igos dela. Por quê?

— P reciso fa la r co m eles.

Possessivos

qu aren ta e ura
A. Complete com meu(s), m inha(s), nosso(s), nossa(s).

1. Q uero co n v ersa r c o m ______________ p ro fesso r de português.

2. Q u erem os co n v ersar co m _ p ro fesso r de in glês.

3. V am os sair com filhos.

4. G o sta m o s de sair com am igos.

5. O n tem , fa la m o s co m _ filh a por tele fo n e.

6. M o ro neste bairro c o m ______ fam ília. G o sto do b airro.

7, E sto u falan d o c o m ______________ m ulher.

8 Vou g u a rd a r __________ d ocu m en tos no co fre.

9 V enha co m ig o ! Q uero m o s tr a r ____________ apartam ento para v o cê.

10 . ____________ am ig as querem fa la r com ig o.

B. Complete com seu(s), sua(s).

1. M aria, onde e s t á _________ irm ão?

H elen a, onde fic a _ ca sa ?

V ocê vai sair com m arido?

O nde v o c ê c o m p ro u __ liv ro ?

O nd e v o c ê c o m p r o u __ liv ro s?

A nd ré, quero co n h ecer _ irm ã.


N O V O
A n d ré, quero co n h e ce r irm as.
DICIONÁRIO
8. M aria e A ndré, onde e s t á ______ carro?

9. V ocês m o stra ra m ___________ d ocu m en to s?


AURELIO
da L rtig rín Ib itu g u e m

C. Complete com dele(s), dela(s).

1. (ela ) O nde estão os ócu lo s

2 . (ela ) O a p a rta m e n to _______ é con fortáv el.

3. (e le ) N ão g o sto da c id a d e ____

4 . (e le ) V ocê c o n h ece os irm ãos Editora Nora Fronteira

5. (ela s) O p a i __________ é alem ão.

6. (ele/ela) A f a m ília ___________ _ é grande. A fa m ília tam bém é.

7. (eles/ela) A m ã e ________ não está aqui. E la está n a E uropa co m a a m ig a _____________

8. (eles/elas) O escritó rio é no cen tro. O e s c r itó r io ______________é no subúrbio

9. (ela/ele) O s ir m ã o s ____ _trabalham aqui. O s irm ãos tam bém .

10. (ela/ele) V ocê q u er o livro ou o livro

42 q u aren ta e d o is
D. Leia a mão de seu (sua) colega. E. Trabalhe com fotos de parentes ou
Diga a ele (ela) o que vai acontecer amigos. Fale sobre as pessoas.
no futuro. Comece assim: E sta é m in h a am iga ... E la m ora em ...
Seu futuro vai ser ótim o. Seu c h e fe v a i ...
A casa dela ... A fa m ília d ela ...
(chefe - namorado/a - marido/esposa - filhos - (o trabalho, os planos, os problem as...)
casa - férias ...)

F. O armário tem mais de 100 anos. As portas do armário são muito grandes.
O armário tem mais le 100 anos. As portas dele são muito grandes.

1. Vou com p rar a cas:; O pa\ o da ca s a é boi a.

2 . Vou preparar um ja n ta r e s p o >al A ueix» m ostrar o cardápio do ja n tar,

3. N ão quero estas cad eiras. A q u a ln ade das cad eira > não é boa.

4 . M eus irm ãos m oram na Europa. A vida de meus irm ãos é m uito diferen 1 m inha.

5. E stes quartos são m u iio cla ro s. A s ja n e la s dos quartos são grandes.

qu aren ta e três
G. João, onde está seu irmão? Meu irmão está em casa.

1. L u isa , onde tr a b a lh a ___________ir m ã ? ___________ irm ã trabalh a no b anco ,

2 . (e le ) O nde está a f i l h a ? A f i l h a ___________ está aqui.

3. (n ó s) G o sta m o s d e ___________ am igos,


4 . (e le s ) M a ria n a e L u ís vão para a Europa. O s f il h o s ___________ vão fic a r no B ra sil.

5. (ele/ela) N ão quero as c h a v e s . Q uero as c h a v e s __________ .

6. A n d ré, v o cê v e n d e u ca sa ? N ão, não v e n d i_________ casa. V e n d i_________

apartam ento.

7. C ristin a, v o cê q u e r b o lsa e __________ ó cu lo s agora?

8. (e le ) E le está con v ersan d o co m o p a i ______________ .

9. (ela ) E le está con v ersan d o co m a m ã e ______________ .

10. (e la ) V o cê co n h ece a c a s a ______________ ?

11. (e le , n ós) E le vendeu a b ic ic l e t a ___________________ e c o m p ro u _________________ carro.

12. (ela/ele) T eresa quer v isita r as a m ig a s _________ , m as T om ás p refere v isitar os a m ig o s _____

13. (e le s) A n a e P au lo v en d eram a fá b r ic a ________________ .

14. (e la ) O s produtos desta fá b ric a são ótim o s. A s m á q u in a s são m uito m odernas.

15. (e le ) O bairro é m uito bom . A s r u a s ______________ são m uito lim pas.

Precisar
# Preciso fnhir com eles.
^ [Preciso de dinheiro.
Ela precisa viajar,

Ele precisa cortar o cabelo.


O senhor precisa de gasolina.
Complete.

1. V ou ao b a n co porque p r e c is o ......................

2. E la vai ao su perm ercad o porqu e p re cisa

3. V am os à padaria porque p re c is a m o s ........

4 . Vou ao posto de g a so lin a p o r q u e ......

5. El.e v ai ao b arbeiro p o r q u e ...!.......................

6. E la v ai à E sta çã o R o d o v iá ria p o r q u e ......

7. V ou tele fo n a r para ele p o r q u e .....................


8. V am os e scre v e r para ela p o r q u e ................

9. Vou vend er m inha c a s a ...................................

10. E le s vão de av ião porque

44 q u aren ta e qu atro
Texto narrativo

Onde morar?

V iv er no centro de São P au lo está


fic a n d o ca d a v e z m a is d if íc il,
quase im p o ssív el. A v id a é m uito
agitad a e os apartam entos estão
cada vez m ais caros.

S e v o c ê quer v iv er com co n fo rto ,


num a boa casa ou num
apartam ento grande e com m uita
lu z , v o c ê p r e c is a m o r a r n u m
bairro.

D ep o is de v ários anos de d esen v olv im en to industrial, S ã o P au lo é h o je u m a grande cidad e. O s an tigos


b airros resid en cia is perto do cen tro são ag ora bairros c o m ercia is. P o r isso , a fa m ília que p refere m orar
num a c a sa co n fo rtá v el, num lugar tran qü ilo, p re cisa procu rar n ov os b airros, cada v ez m ais distantes.
Isto sem pre a co n tece nas grandes cid ad es.

A. Responda.

1. P o r que é d ifícil m orar no cen tro de São P au lo ?

2 . O nde p od em os v iv er co m m ais co n fo rto ?

3. O que a co n teceu com os b airros resid en ciais perto do cen tro?

4 . V ocê p refere m orar no cen tro ou num bairro resid en cial m ais d istante? P o r quê?

B. Reescreva os anúncios por extenso.


i P I N H E I R O S i
1 A L U G O I C C l i ii N D I A
I P A R T . A p to , 2 q ts. 1 d j A L G . C A S A 3 q ts., sl., ftflflAA DA TIJUCA
i suite, gar., 8°- andar. i coz., banh., laje, grade, c/
A L G . C A S A 4 qts., sl.,
fon e, próx. C entro.
c o z ., b a n h ., te le fo n e ,
Cel. F.: 56-3782
piscina, vista para o mar.

ALUGA-SE T. 70 -70 70

Á G U A S L IN D A S
PINHEIROS VENDO L U Z 1Â N 1A
2 d orm s. c/ gar. e te l., F a c e n o rte ,
Bela casa 2 pav., QI-25 salão,
ensolarado., Rua tranqüila. Ótimo liv., s/ lavabo, 3 suites (hidro/closet). 3 V E N D E
jan t., 2 gdes. dorms. c/arms. embutidos, qts.. arms., qto. p/ babá, copa, P A R T I C U L A R
2 banhs., lav., copa-coz., área serv. e gar., coz., belojar. inverno, sauna, wise., A pto , 3 qts. c/ suite,
churrasqueira, excelente. reform ., gar., 1o' andar.
Ch. c/ o zelador.,
Plantão hoje 94-9Ü55 s/ fiador. T.7906-9696.

quarenta e cinco
C. Observe a planta deste apartamento.

BANHO 03
TERRAÇO

SUlTE 01

SUÍTE 03
BANHO 01
ESTAR

C IR CU LAÇ ÃO
HALL
SOCIAL

SUÍTE 02
JANTAR
QUARTO
DA
EMPREGADA ELEVADOR
LAVABO \S O C IA L y
BANHO 02

Agora responda.
COZINHA
1. Q u ais são as d ep end ências da
área so c ia l, área de se rv iço , área íntim a?
2. E s te apartam ento é b om para que tipo de
fa m ília ? E x p liq u e. ELBMCCR
v S E R V IÇ O /
P ara que tipo de fa m ília e le não é m uito
b o m ? E xp liq u e.
3. V ocê gosta d este ap artam en to? P o r quê?
H A LL
SER V IÇ O VA2J0
4 . F a ç a um a lista do que v o cê con sid era
vantagens e d esvantagens de m orar em um a
c a sa ou em um apartam ento.

CASA APARTAMENTO
VANTAGENS DESVANTAGENS VANTAGENS DESVANTAGENS

5. V ocê g o sta de m orar num a casa ou p refere m orar num apartam en to? E x p liq u e por quê.

46 quarenta e seis
UNIDAD* 5
No jornoleiro

E le : — V am os p assar no jo m a le iro . A ssim


p osso com p rar o jo r n a l e trocar o
dinheiro para o ônibus,
— O E stad o , por favor.
Jo m aleiro : — Já acabou. Eu abri a banca há m eia
hora, m as já vendi quase tudo. O
senhor não quer A F o lh a? A inda
tenho um pouco.
E le : — A F o lh a ? E stá bem . P o r fav or, o
ônibus E sta ç õ e s , núm ero 6 9 , passa
por aqui?
Jornaleiro: — P o r aqui nào. Passa pela rua ao
lado.
E le ; — O brigado.

M ais tarde, em casa:

E le : — Su san a, na p ágina 15 há um artigo


m uito in teressan te so bre o C h ico
M ota.
Susana: — Eu já li. E le estev e aqui há 15 dias.
Foi um su cesso . N o sáb ad o, ele
can tou p ara 5 0 .0 0 0 pessoas no E s ­
tádio do Pacaem bu.
E le : — E u não sab ia, Q ue pen a! P erd em os
a ch a n ce de ver o C h ico .
Susana: — N ào se preocupe. Ele vai voltarem
abril.

Rssim não dá!

— Há dez anos estou tentando v e r a M arina M oreno. A g o ra é a


m inha ch an ce! P or favor, duas entradas para o show da M arina
M oreno no sábado.
— Sin to m uito, n ão ten ho m ais.
— C o m o assim ?
— A s entradas para o sh ow de sábad o já acabaram .
— N ossa! Então para o show de 6 a feira.
— T am b ém j á vendi tod as. T en h o alg u m as entradas para 5a feira. Pou cas.
— M as que absurdo! A ssim não dá!
— P o is é,

q u a ren ta e se te
M odo indicativo —
Presente sim ples Pretérito perfeito
ABRIU — Presente simples ABRIR — Pretérito perfeito
Eu abro Nós abrimos Eu abri Nós abrimos
VlHíê l\ Vocês |\ \ (Klê k Voces i i
1 ir abre Eles > abrem Ele abriu Eles ahriram
Ela 1 lus l Ela ! Elas V

A. Eu abro a porta.

1. (a b rir) E sta l o j a _____ sem p re às 9 h oras,

2, (a b rir) O d ir e to r _____ o co fre do b an co .

3. (a b rir) O s b a n c o s ____ às 10 horas.

4. (partir) M eu t r e m ___ _ d esta estação .

5. (d iscu tir) N ós sem pre _________ co m ele.

6. (a ssistir) E u _________ à telev isão toda noite.


O banco só abre às 10.
7. (d ecid ir) O s d iretores _______________ tudo n a reu nião.

8. (partir) O s ônibu s para o R io não

desta estação.

9. (a ssistir) E le s e m p r e ____ a film e s pela telev isão .

1 0 . (d ivid ir) E l e _____________ o alu gu el da casa co m seu irm ão.

B. Eu abri a banca há meia hora.

1. (ab rir) E u não esta ja n e la ontem .

2 . (partir) O a v iã o __ h á 15 m inu tos.

3. (a ssistir) V o c ê ___ à tele v isão on tem ?

4. (d ecid ir) V o cês j á _________ o que v ão

fa z er?

5. (ab rir) N ó s _______ o co fre na sem an a

passada.

6. (partir) E l e s ______ para a Europa

no ano passado.

7. (a ssistir) H á 15 dias eu a um

film e so bre a B a h ia .

8. (ab rir) N o ssa f ir m a ____ um a lo ja

n ov a no m ês passado.

48 quarenta e oito
r

E a ouïra roa a, onda está?

C. Complete.

1.(d iscu tir) O n tem n ó s ______

a B ah ia.

2. (d iscu tir) E stam o s sem pre

so bre dinheiro.
D. Complete com o Presente
3. (d ivid ir) V o u o dinheiro contínuo.
co m m eus só cio s.

4. (d esistir) N o sso s am ig o s não v ã o __________ 1. (p artir) Q ue pena! N o sso t r e m .........................

___________ de seus planos. ...................................................................... j

5. (p referir) V o c ê ________________ ch á ou ca fé? 2 . (a ssistir) S ilê n c io ! E u ........................ .

6. (p referir) E le s e m p re ___________________ v ia ja r ao film e.

de avião. 3. (aprender) A gora e u ...............................................

7. (telefo n a r) N o m ês p assad o, e l e _____________ português.

de Lond res. 4 . (d esistir) O lh e! E l e .......................................... !

8. (esq u ecer) E u s e m p r e ______________________ o Q u e pena!

núm ero do tele fo n e dele. 5. (in sistir) N ó s ..............................................................

9. (m ud ar) A m an h ã v a m o s ________________ de ............................................................................em ficar.

casa. 6. (d iscu tir) Jo ã o e A n t ô n io ....................................

10. (receb er) E ste artista n u n c a _________________ ...........................................................os n ov os planos.

o s jo rn a lista s. 7. (m ostrar) V enha! E l e ..............................................

................................................ a casa para o s am igos.

8. (fa z er) M eu irm ão m ais v e l h o .........................

um curso de in glês em Londres.

9. (tro car) V enha aju d ar! E l e s ................................


Café ou chá?
........................................... o pneu do carro.

10. (ab rir) O lh e! E l e s ....................................... ..........

a porta do co fre!

q u a ren ta e n ov e 49
por

por + o - pelo por + os ^ pelos


por + u = pela por + as = pelas

A. O ônibus passa por aqui?

1. O ônibu s p ara o R io p a s s a ____________ A p arecid a?


RIODEJAHEIRU
2. E s te ôn ibu s p a s s a ____________ cen tro ?

Sï> 3. V am os para o c e n t r o ___________ ponte n ov a! É m ais rápido.

4 . E le n ão s a iu ___________ porta da fren te. E le s a iu ____________ um a ja n e la .

5. E ste ônibu s v ai para a m inha c id a d e ______________p raias, m as o trem vai

___________ m o n ta n h a s.______________ praias é m ais bonito.

6. R e c e b i seu presen te co rreio .


m ais ced o...
7. A n o tícia c h e g o u ___ jornais.
8. V o cê vai p a s s a r _____ lá? P o sso ir co m v o cê ?

B. Observe a ilustração.

V o cê está no tá x i e quer ir ao shopping cen ter, m as o m o torista n ão co n h e ce o cam in h o. E x p liq u e a


ele co m o ir. C o m e c e assim :

— O sen h or p recisa p assar p elo B a n c o do B ra s il, depois p elo ...


Números
0 — zero 15 quinze 6 0 — sessen ta 7 0 0 — setecen to s
1 — um , u m a 16 - d ezesseis 7 0 — seten ta (setecen ta s)
2 — d ois, duas 17 d ezessete 8 0 — oitenta 8 0 0 — oíto cen to s
3 — três 18 ■d ezoito 9 0 — n ov en ta (o ito ce n ta s)
4 — quatro 19 d ezen ove 100 — cem 9 0 0 — n o v ecen to s
5 — c in c o 20 ■vinte 101 — cen to e um (n o v ecen ta s)
6 — se is 21 ■ v in te e um (um a) 2 0 0 — duzentos (du- 1 .0 0 0 — m il
7 — sete 22 - vinte e dois (duas) zen tas) 2 .0 0 0 — dois m il, duas
8 — oito 23 ■ ■v in te e três 3 0 0 — trezen tos (tre­ m il (duas m il p essoas)
9 — nove 2 4 ■ •v in te e quatro zen tas) 1 .0 0 0 .0 0 0 — um
10 — dez 4 0 0 — qu atrocentos m ilh ão
1 1 — on ze 3 0 ■ •trinta (q u atrocen tas) 2 .0 0 0 .0 0 0 — dois
12 — doze 31 ■ trin ta e nm (um a) 5 0 0 — quinhentos m ilh õ es (d ois m ilhões
13 — treze (qu inh en tas) de p esso as)
14 — q u atorze ou 40 quarenta 6 0 0 — se iscen to s
catorze 50 cin qü enta (seisce n ta s)

\ C<ynp. I B-wko
i
016 I 341 S &5 2 1 6 1 5262&9I 3 1 " í w « l 1 i 5 5
* e ^ >
<=A/oi/ev/4 e (Á/f'ofacfes <?
* ¿
, MKOITjfcJIA.
S.PAÏAJ&smp
rt.ín x o t.
$M>R*AO
JOSÉOWLQSCA$WA
CPf 116*7*00-31 A
' 41027 = a » S ? 7 G&‘ 3 - 55 £ ? O fil 2 t)*
A c°

A. Escreva por extenso.


A c » V -

2- 100- 1030 -

8- 113 -

12 - 1979 -

15 - 55 5 -

16- 2210-

17- 614 -

18 - 15346 -

27 - 792 -

56-

67- 811 - 1 .0 0 0 .0 0 0 -

76- 919 - 2 .0 0 0 .0 1 0 -

85 -

cinqüenta e um
B. Observe: 2 casas = duas casas.

Leía; 22 amigas 232 vezes 800 portas 2.000 palavras


41 livros 471 carros 1001 dias 2.000 problemas
82 casas 522 páginas 1001 noites 1.351.000 pessoas

DEZEMBRO JANEIRO FEVEREIRO


f f D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S Meses do ano
1 2 3 4 5 I 2 1 2 3 4 5 6
6 7 B 9 10 11 12 3 4 5 6 7 8 9 7 8 9 10 II 12 13
1. JANEIRO
13 14 15 16 17 18 19 10 11 12 13 14 15 16 14 15 16 17 18 19 20
20 21 22 23 24 25 26 17 18 19 20 21 22 23 21 22 23 24 25 26 27
2. FEVEREIRO
11 28 29 30 31 %x25 26 27 28 29 30 28 29 3. MARÇO
4. ABRIL
OUTONO MARÇO ABRIL MAIO 5. MAIO
D S T Q Q S S D S T Q Q S S
1 2 1 2 3 4 5 6 7
6. JUNHO
3 4 56 7 8 9 S 9 10 II 12 13 9 7. JULHO
10 U 1213 14 15 16 15 16 17 18 19 20 21 8. AGOSTO
17 18 1920 21 22 23 22 23 24 25 26 27 28 9. SETEMBRO
24 25 2627 28 29 30 29 30 31 10. OUTUBRO
INVÇRNO JUNHO JULHO AGOSTO 11. NOVEMBRO
D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S 12. DEZEMBRO
12 3 4 1 2 I 2 3 4 5 6
5 6 7 8 9 10 II 3 4 5 6 7 8 9 7 8 9 10 II 12 13
12 13 14 15 16 17 )S 10 II 12 13 14 15 16 14 15 16 17 18 19 20
Dias da semana
19 20 21 22 23 24 25 17 18 19 20 21 22 23 21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31
dom ingo, seg u n d a-feira, terça-
26 27 28 29 30 VÍX 25 26 27 28 29 30
feira, q u arta-feira, q u in ta-feira,
PfllMlWERfi SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO se x ta -fe ira , sábado.
D S TQQ S S D S T Q QS S D S T Q Q S S
1 2 3 I 2 3 4 5 6 I 2 3
4 5 6 7 8 9 10 7 8 9 10 II 12 13 4 S 6 7 8 9 10 Estações do ano
11 12 13 14 15 16 17 14 15 16 17 18 19 20 11 12 13 14 15 16 17
IS 19 20 21 22 23 24 21 22 23 24 25 26 27 18 19 20 21 22 23 24 prim avera, verão,
25 26 2728 29 30 28 29 30 31 25 26 27 28 29 30 ou tono, inverno.

( Dia 25 A í Dia 26 ''N í 2/ "\ í Dia 28 ^ í Dia 29


Q anteontem J ontem J ___ Q______ hoje______ J amanhã J \ depois-de-amanhã/'

A. Responda.

1. — Q u e dia é h o je ? — H o je é ............................... , d ia .............. .........d e........................... d e.............................

A g o ra é .................................................. (d ia da sem ana /dia do mês/mês/ano/estação do ano)


2. — E m que dia v o cê n asceu ? — E u n a sci no dia .................................................................... ...............................

3. Q uando é o N a t a l ? ...................................................................................................................................................................

4 . Q uando vam os ter um fe r ia d o ? ..........................................................................................................................................

5. Q ual é o m aio r feriad o do seu p a í s ? ..................................................................................................................

6. Q uando vão c o m e ç a r suas f é r i a s ? .........................................................................................................................

52 cin q ü en ta e dois
B. Observe a data e responda.

— Q u e dia é h o je ?
6a f. 3 de n ov em bro d ia fa êd - de- M ù vem hfiù .

2 a f., 15 de ja n e i r o ..................................................................................................

Sáb ad o, I o de a b r i l ..................................................................................................................

4 a f., 2 de ju l h o ......................... ................................................................................................

3 a f., 19 de ju n h o ......................................................................................................................

5 a f., 2 3 de n o v e m b r o ....................................... ........................... .........................................

Sáb ad o, l ° d e m a r ç o ............................................ ................................................................

5 a f., 3 0 de o u tu b ro ................................................................................ .................................

6 a f., 14 de m a i o .......................................................................................................................

D o m in g o , 2 5 de fe v e r e ir o ...................................................................................................

3a f., 2 7 de agosto

C. Esta é sua agenda de trabalho. Responda.

1. O que v o cê v ai fa z er am an hã de m an hã?

2. O nde v o c ê estev e on tem de tard e? P o r quê?

3. Q uando v o c ê en con trou o arquiteto que está

fazen d o a n ova d eco ração do e s c r itó r io ? ............

4. O que v o cê v ai fa z er am anhã de tard e?

5. O que v o c ê vai fazer h o je à tarde? E à n o ite?

D. Organize sua agenda desta semana e descreva suas atividades.

cin q ü en ta e três
Modo in dicativo — Pretérito perfeito

SER — Pretérito perfeito ! S I AR — Pretérito perfeito


Eu fui Nós Eh estKe Nós estivemos

TER — Pretérito perfeito IR * P r e té r ito p e r fe ito


1
i
j
tive Nòs tivemos En fu i Nós f u ñ ió » 1
!
- - V
:

* O b s e rv e q u e a fo rm a é a m e sm a do v e rb o ser.

A. Complete com ser no Pretérito B. Complete com estar no Pretérito


perfeito. perfeito.

t. O film e de o n te m ___________ interessante. 1. E u ___________ no C anad á em 1 9 9 8 .

2 . E u ___________ presid en te do clu b e no ano 2 . O s f r a n c e s e s ________________ no R io em 1555.

passad o. 3. O s h o la n d eses_________________em P ernam buco

3. N ós _ bons am igos. em 1630.

4 . E la s am ig as de esco la. 4 . A rainha da In g laterra no B ra sil

5. V o cê am igo d ele? em 1 9 6 8 .

5 . — V ocês j á ___________ na C hin a?

— Já . N ós lá em 1998.

C. Complete com te r no Pretérito


perfeito.
D. Complete com ir no Pretérito
1. N ós m uito trabalh o na
perfeito.
sem an a passada.

2. C a r lo s ________ p ro blem as no escritó rio . 1. N ó s ______________para a E u rop a co m eles.

3. E u n ã o _______ _ aula ontem . 2 . M eu s irm ãos n ã o _______________ para a esco la

4 . V ocês tem po para a ca b a r o on tem .

trabalh o? 3. — P au la, v o c ê j á à B a h ia ?

5. E le s _ um a reu nião h o je de 4 . — N ão, eu n u n c a . E v o cê ?

m anha. 5. E l e ao cin em a co m am igo s.

54 cin q ü en ta e qu atro
E. Complete com o Pretérito perfeito de ser — te r — ir — estar.

Janeiro_ um m ês b o m para m im . Nós_ um feriad o long o.

Eu para o R io co m am igos. N ós _no Pão de A çú ca r

e em outros lu gares b o n ito s. Q uero v oltar p ara lá nas férias de ju lh o .

No estação

— A que h oras parte o trem para o su bú rbio?

— A.s quinze para as oito,

— Q ue h oras são agora, p o r fav or?

— Agora são 5 para as oito.


— Q u e pen a! O trem j á partiu.

Que horas são?


ti O 8 :0 5 São oito e cin co . O 1 2 :0 0 É m eio-d ia.
S ã o oito horas.
f
8:00 J O 8 :1 5 S ã o oito e quinze. '':24:0o É m eia-n o ite.

O 8 :3 0 São oito e m eia. Q ia o É u m a hora.


S ã o oito horas em ponto
O 8 :4 0 S ã o v in te p ara as n ove. ( _ i 0 1 :1 0 É um a e dez.

C j as nove.

Que horas são?

1. Q ue horas são? 2. Q ue h oras sã o ? 3. Q ue horas são? 4. Q u e h oras sã o ? 5. Q ue horas são?

6. Q ue h oras sã o ? 7. Q ue h oras sã o ? 8. Q ue h oras sã o ? 9. Q u e h oras sã o ? 10. Q ue h oras são ?

cin q ü en ta e c in c o
A que horas?

à 1 hora A que horas você janta?


Janto ás sete horas.
às duas horas
ao meio-dia
à meia-noite

1. (1 9 :0 0 ) A que horas v o c ê ja n ta ? à i.

2 . ( 1 9 :4 5 ) A que h oras v o cê v ai ao cin em a?

3. ( 1 4 :1 5 ) A que horas ele vai à e s co la ?

4. ( 1 9 :3 0 ) A que h oras eles v ão en con trar os am igo s?

5. ( 1 4 :5 0 ) A que horas ele ab re o co n su ltó rio ?

6. ( 1 7 :3 5 ) A que horas o av ião vai partir?


7. (2 3 :3 0 ) A que horas v ai ch eg a r o trem ?

8 . ( 1 :4 5 ) A que horas ele foi para casa?


9. ( 1 6 :1 5 ) A que horas v o c ê en con trou Jo s é ?

10. (1 3 :0 0 ) A que horas v o cê s a lm o çam ?

O acidente foi às cinco


Às seis da manhã. horas da m anhã.

— A que h oras ele vai telefo n ar?

— À s seis.

— À s seis da m an hã?!

— N ão. À s seis da tarde.

A. A que horas você chegou? À s três da manhã.

1. — A que horas foi o a cid en te? ( 5 :0 0 ) .................— .............................

2. — A que horas ele saiu? ( 1 4 :0 0 ) — .............................

3. — A que horas a fe sta a ca b o u ? ( 2 :0 0 ) — .............. ..............

4. — A que horas parte o a v iã o ? ( 3 0 :0 0 ) — .............................

5 . — A que horas ele vai tele fo n a r? ( 2 2 :3 0 )

6. — A que horas v o cê s ch eg aram ? ( 1 7 :3 0 ) ....... — ..............................

56 cin q ü en ta e seis
B. A que horas ele chegou? Ele chegou às 7 horas.

1 ? — E le partiu às 7 :2 0 .

2................... ? E le p refere partir às 5 :2 5 .

3.............................................................................................. ? A reu nião co m eço u às 2 :4 0 .

4.............................................................................................. ? N ó s ch eg am o s à m eia-n o ite.

5..................... ? E u p refiro partir às 5 da m anhã.

6.......................................................................... ? A reu nião acab o u às 10 da noite.

7.............................................................................................. ? A festa v ai co m e ç a r às 9 :3 0 em ponto.

8.............................................................................................. ? V am os ch eg a r a V ien a às 6 :4 5 da m anhã.

9.............................................................................................. ? M eu s am igo s ch eg aram às 6 horas da tarde.

10 ? V o cê vai ch eg ar a Lon d res ao m eio-d ia em ponto.

Das 8 às 10.

— A que horas é a aula? — É das 8 às 10 da manha.

1. (tra b a lh a r/ 8 :0 0 -1 2 :0 0 ) E le t r a b a lh a .......................................................................

2 . (e stu d a r/ 1 3 :0 0 -1 7 :0 0 ) E l e s ....................................................... .................................

3. (fic a r na lo ja / 9 :0 0 -1 8 :0 0 ) E l a s ..................................................................................

4. (a ssistir à te le v is ã o / 2 0 :0 0 -2 3 :0 0 ) O ntem e u ................................................ .

5. (a lm o ça r/ l2 :0 0 - 1 3 :0 0 ) E m ca sa , a g e n t e ........................ ....................................

6. (jan ta r/ l9 :3 0 - 2 0 :3 0 ) A g e n t e ................................................ ...............................

7. (s e r / 7 :0 0 -1 0 :0 0 ) N o h o tel, o c a fé da m a n h a ...................................

8. (esta r liv r e / 1 2 :0 0 -1 4 :0 0 ) E u ......................................................................................

9 . (esperar/1 6 :0 0 - 1 7 :3 0 ) O n tem e u .................... ................................................... .

Fazendo compras
— V a m o s d e p re ssa ! Q u ero
com p rar um vestid o para a festa
de h o je à n o ite e as lo ja s vão
fe ch a r daqui a m eia hora.
— E sta lo ja é n ova. V eja! O
vestido amarelo é muito
elegante.
— Vou pedir à vend ed ora para
m e m ostrar aquela blusa branca.
E la co m b in a co m a m inha saia
preta.

cin q ü en ta e sete 57
Roupos femininos Conjunto
azul,
Blusa Casaco
Biaiser biaiser
vermelha marfim
xsdrez vermelho

Vestid'
pink

Conjunto
de biaiser
e saia
(marfim)
Camiseta
Colete
amarela
bege, \
camiseta
branca e Chapéu
saia vestido
listrada jeans
Calça e tênis
Vestido
vermelht comprida
azul
marinho

\ Blusa
florida,
short e Saia
sandália preta,
sandália
preta Camiseta,
saia jeans
e sandália

Vestido
Saia e blusa
Camiseta preto,
marrom,
listrada e bolsa e
biaiser verde
/ c a lç a sapato
escuro
, preto
jeans

Conjunto
pêssego

Conjunto
marfim, bolsa
e sapato Conjunto
creme cinza

cin q ü en ta e o ito
Roupas masculinas fío upo socio!

Camiseta Temo
Jaqueta / branca cinza
calça

Camisa
creme Gravata

^Bermuda
jeans calça .Vestido
cinza Branco

Meia branca
e tênis preto

Rcessórios

Camisola, pijama de cetim

Cintos

cin q ü en ta e n o v e
r
A, Responda.

1. O que v o c ê usa quando vai trabalh ar?

2. O que v o cê usa quando fic a em c a sa no d om in go ?

3. O que v o cê usa quando v ai a u m a festa m uito ch iq u e?

4 . O que v o c ê está usando agora?

5. V o cê ach a que há d iferen ça entre o m odo de v estir dos b ra sileiro s e o das p esso a s de seu p aís?

E x p liq u e.

sessenta
Há — daqui a

E le ch eg o u du B ra sil há 3 se m a n a s ,
lile e stá em S ão P a u lo Itá 10 d ias.

Ele vai partir para O Rio ihn/ni a 3 dias.


— Não
vão
abrir a
Complete. porta?

1. (5 0 m in u tos) E le está esperand o lá fora .. li.v.. : : : l'ï'iv.'i'iv ' ?;.. /.v'' v-; : f/. ' V: v.

2. (1 0 m in u tos) E le v ai ab rir a l o j a .........................................................................

3. (u m a h ora) E le abriu a l o j a ......................................................................

4. (três dias) E u estiv e no R i o ..................................................................................

5. (q u in ze anos) E le trabalh a no b a n c o .................................................................

6. (m u itos an os) E le entrou na f i r m a .....................................................................

7. (um a sem an a) V o cês estã o a q u i ..........................................................................

8. (2 0 m inu tos) O avião vai ch eg a r a q u i ................... ..............................

9. (6 m ese s) E le s vão fa la r P ortugu ês m uito b e m ...........................................

10. (4 0 m in u tos) E u pedi a s o b r e m e s a .....................................................................

1 1. (um ano) E le estuda P ortugu ês ..........................................................................

12. (m eia hora) N ós v am os ja n t a r .......................................................................... .

M asculino e Fem inino

o am igo — a am iga o artista fam o so — a artista fam o sa

o p ro fe sso r inglês — a p ro fesso ra in g lesa o h om em com u m — a m u lh er com u m

o aluno in telig en te — a alu na in telig en te o b otão sim p les — a so lu ção sim p les

o b an co alem ão — a indústria alem ã o am igo esp an h ol — a a m ig a esp anh ola

o bairro industrial — a carta c o m e rc ia l u m apartam ento b o m — u m a c a s a b oa

o trabalh o d ifícil — a liçã o d ifíc il u m plano m au — u m a id éia m á

o m o ço fe liz — a m o ça feliz

S e m p re fe m in in o : a v ia g e m , a p aisag em , a rep o rtag em , a cid a d e , a id ad e

S e m p re m a s c u lin o : o cin e m a , o sistem a, o p o e m a , o id iom a, o sin tom a,

o te le g r a m a , o p r o g r a m a , o so fá, o cra ch á , o guaraná.

A t e n ç ã o : um d ia b o n ito , um m apa n ov o, o clim a frio


&

se sse n ta e um
vermelho azul
vermelha azul
marrom cinza
marrom cinza

A. Passe para o feminino.

1. M eu irm ão é um p ro fesso r an tig o .................................................................................................................................


2 . (cid ad e) M eu país é m uito gran d e.................................................................................................................................
3. (c a sa ) O apartam ento do m eu v izin h o é sim p les e c o n fo rtá v e l......................................................................
4. (revista/fotografías) E ste jo r n a l tem artigo s m uito in teressan te s.......................................... .......................
5. M e u dentista é co m p eten te.................................... .......................................................... ...............................................
6. (fo lh a s) O s papéis verd es estã o n a m e sa ....................................................................................................................
7. M eu pai é um h om em c a lm o ........................... ...............................................................................................................
8. (n o v ela ) E s te film e fo i b o m ............................................... ....................... ............................................... ....................
9. E s te can to r é um h om em b o m e a m á v e l......................................................... ..........................................................
10. (b lu sa -b o lsa ) E la com prou u m v estid o co r-d e-ro sa e um ca sa co c in z a ...................................................
11. (c a sa ) E le s p referem um apartam ento p eq u en o, num bairro c o m u m .......................................................
12. E ste sen h or é eleg an te e conservador. .....................................................................................................................
13. M eu am igo é m uito o tim ista .........................................................................................................................................
14. (m ú sica ) O film e é triste..................................................................................................................................................
15. O m arid o de m in h a filh a é um h o m em d ifíc il ........................................................................................
16. (rev ista) O livro azul está no escritó rio do doutor.............................................................................................
17. O sen h or j á falou c o m o d ireto r c o m e r c i a l? ........................................................................................................
18. (a en trev ista) O livro d este e scrito r fran cês é lo n g o, m as in teressa n te....................................................
19. (estrad a) E ste rio é long o, estreito e e scu ro ...........................................................................................................
2 0 . (lín g u a ) O id io m a alem ão n ão é f á c il........................................................................................................................

B. Complete.

1. (ca ro ) C op os de crista l s ã o ____________ .

2 . (pequ en o/con fortável) M in h a c a s a é , m a s _________________________.

3. (fa m o so ) A s p raias do R io s ã o _____________________________ .

4 . (antigo/m oderno) E ste hotel é ________________________ . P refiro h o t é is _______________________ .

5. (alem ão/m oderno) M u itas c id a d e s _____________ s ã o _________________.

6. (m au) E sta id éia não é ______________ !

7. (espanhoí/francês/am ericano) G o sto de m ú s ic a ________________, v e s tid o s ________________e carros

8. (sim ples/sim ples) M a ria é u m a m u lh e r ______________e m ora num a p a rta m e n to __________________

9. (branco/azul/am arelo/cinza) C o m p rei duas b lu s a s ____________, um v e s t i d o _____________ , duas

s a i a s ___________________ e um c h a p é u _____________________ .

10. (verde/bom ) E sta s banan as e s t ã o ____________, m as as laran jas e s t ã o _________________ .

11. (azul/m arrom ) H o je quero com p rar duas s a i a s ______________ e u m a b lu s a _________________.

se sse n ta e d o is
Folo:Bahro do Morumbi'SP

12. (resid encial/ tranqü ilo) V aleu a pen a com p rar

o apartam ento num b a ir r o ______________________ .

A v id a aqui é m u ito _________________________ .

13. (industrial/ japonês) E sta firm a_____________


tem um a diretora

14. (com u m / feliz) V o cê ach a que a m u lh er

______________________ é ______________________ ?

15. (bom /bom /grande) E ste apartam ento é


__________________ , m as esta c a sa não é

________________, porque é m uito

____________________ para nós.

16. (longo/interessante/bom ) E le escrev e u um a

c a r t a _______________________ e
, c o m n o tícia s m u it o ______

17. (antigo/m odcm o/industrial/bonito) Sa lv a d o r é u m a cidade B ra s ília é um a

cid ad e Sã o P au lo é um a cidade e o R io é um a cidade

18. (frio/quente) N ão g osto de s o p a s ___ e so b rem esas

19. (d ifícil/ in teressante) M eu trabalh o é , m as

2 0 . (velho/novo) M in h as b o lsa s e s t ã o __ P re ciso com p rar um a b o lsa

C. uma viagem lonaa D. este artista espanhol

1, telefo n em a C dia
j
2, ch efe j 2. oportunidade

3. diretora D 3 .. idéia

C
?
4. so fá 4. m apa

5. dentista C 5. lim ão

6. opin ião

confor­
tável

ic a ro j

se s s e n ta e três
Texto narrativo —
Rios do Brasil
D u ran te esta sem an a, às 11 horas da n o ite, o
can al 9 está passan do d ocu m en tários so bre os
rios do B ra s il. A n teon tem tiv em o s um film e
so bre o rio A m azon as. F o i m uito in teressan te.
O film e m o stro u a fa m o s a “p o r o r o c a ” , o
en con tro das águas d este rio co m as águas do
mar.
O film e de on tem fo i so bre a co n stru ção da
u sin a h id relétrica de Itaipu, no rio P aran á, na
fron teira do B r a s il co m o Paraguai.
O film e de am an h ã vai ser so b re o rio S ã o
F r a n c i s c o , u m g ra n d ,e r io , in t e ir a m e n t e
b ra sileiro .

Responda.

1. V ocê gosta de a ssistir a d ocu m en tários na tele v isão ? P o r quê?


2 . N o seu p aís, a telev isã o é ex clu siv am en te co m e rcia l ou tam bém ed u cativa?
3. A telev isã o ap resen ta program as d iferen tes: m ú sica, en trev istas, film es, d ocu m en tários, jo rn a l,
n ov elas, etc. Q u e program a v o c ê p re fe re? P o r quê?
4 . O que v o cê sabe so bre o rio A m azo n as?
5. O que é a “p o ro ro ca ”?
6. O B ra s il pode con stru ir m u itas usinas h id relétricas. P o r q u ê?
7. O rio São F ra n c is co é ch am ad o “rio da unidade n a cio n a l” . P or quê?
8. F a le so bre os rios do seu país.
9 . C o m que p aíses o B ra sil tem fron teiras?
10. E o seu país?

Caima e BonUo
FÕeêt fVnr-tnniT/- /are'Mito

se sse n ta e quatro
UNIDADC 6
fletroto FalocJo

1° Policial:

A lô ! A lô ! Todos os carros! A ssaltaram a ca sa


de jó ia s L eã o de O uro.
O suspeito c um hom em b ran co , de m ais ou
m enos 3 0 an os, alto e gord o, co m c a b e lo e
o lh o s castan h o s.
C uidad o! file está arm ado e é p erig oso!

M a is tarde, n a D e le g a cia de P o lícia.

211 Policial: A senhora pode descrever o la­


drão?
Testemunha; P osso. E u o vi de perto. E le não é
loiro. É m oreno. O rosto d ele é
redondo e a testa ...
2° Policial: U m m om ento. Vam os fazer o
retrato.
Testemunha: A testa é alta. O s olh o s são gran ­
des. Eu pude v ê -lo s m uito bem
quando e le m e em purrou. E as
so b ran celh as são b em grossas.
2° P o lic ia l: E o nariz. É assim ?
Testemunha: É com prido e fin o. T en h o certeza.
2o Policial: E o queixo?
Testemunha: A ch o que é quadrado.
2 UP ol ic ial : Assim?
Testemunha: A ssim m esm o.
211 Policial: E as orelhas? São assim?
Testemunha: N ão sei, N ão m e lem bro, m as o
c a b e lo é cresp o.
2" Policial: Assim?
Testemunha: A ssim m esm o.
A g o ra, d e ix e -m e v er o retrato.
M eu D eu s! É este o h om em . É ele
m esm o , sem tirar n em pôr.

sesse n ta e c in c o 6!
Meu tipo ideal

— G o sta ria de c o n h e c e r um h om em de 25 an os, alto, de


ca b e lo s pretos e liso s e de olh o s azuis.
— Tipo esportista ou intelectual?
— E sp o rtista, claro .
Ah! Eu, ao contrário, sempre quis conhecer um rapaz de
tipo intelectual, magro e de voz suave. Sonho com ele
todas as noites.

O corpo humano
__ a cabeça
a testa a orelha
a sobrancelha - os olhos jïfL a boca
a bochecha — o nariz 11 os lábios
o ombro bigode o pescoço
aNbarbí
as costas
os dedosr
o cotovelo—U a m ao da mão
a cintura
o umbigo a barriga

o pe o calcanhar
os dedos do pé
O GORDO O MAGRO

A. Descreva o Magro. Estas palavras vão ajudar você.

a m g pe­ e
1 ba**0 a ' 'gordo r que­ s largo -------------------------
no
t g a — t
o r h
e r
o d d¡ s e
f e r q > loiro
(cabelo) i « t
liso n grosso e e 0
crespo i r moreno
castanho t d
preto velho 0 0 curto
loiro jovem, longo, comprido
ruivo moço
re- pontudo
branco
_ don- qua­ oval
preto do drado
sessenta e seis
B. Descreva estas pessoas.

1) E íe é cien tista , é ... 2 ) E la é lo ira e tem ... 3 ) E le é op erário , é ...

Olhe as figuras novamente. Como você acha que essas pessoas são?
Estas palavras vão ajudar você.

1)2) 3) 1)2)3) 1)2)3) 1)2)3) 1)2)3)


simpático bem-humorado desembaraçado otimista esperto
antipático mal humorado tímido pessimista ingênuo
inteligente comunicativo moderno desonesto fácil
bobo aberto antiquado honesto difícil
esportivo reservado ativo interessante risonho
intelectual fechado preguiçoso chato sério

s e s s e n ta e se te
Chi! Você vat viajar com ele?! C. Descreva seu vizinho, seu melhor
Ele é uma pessoa muito difícil!
Você vai ver.
amigo, seu chefe ...

Modo indicativo

VER — Presente <sI f F . R F . R — Perfeito


tu vejo Nus vemos Eu quis Nós quisemos
\ u cís Vocf V Veeti
Ele-. \ êcm Eli ; quis Eles quiseram
Ehis t> Ela F. lu s

PODER — Perfeito

Nós vimos Eu pude Nós pudemos


V o cti \ Vueifc
V.ln virum Ele pode Eles puderam
> Fia E lis

A. Eu sempre vejo meu amigo no B. Eu nunca vi neve.


escritório.
1. V ocês j á __________ nev e?
1. Ele sem pre M arian a na praia. -— N ão, nunca
2. E les nunca Luis. 2. V o cê _ o acid en te na aven ida?
; . A os d om ingo s nós n o sso s am igos — , sim . F o i h orrív el.
4 V ocês o diretor aos sáb ad os? 3. Eu n u n c a _________ Jo ã o cantando.
õ. L uisa \na todos os d ias na esco la. 4 . O n tem , e les m , na lo ja , m as eu
6. Eu nunca 1cresa cantando. não o s ____________
7. V o e i sem pre L ú cia no b anco. 5. A n teon tem , e l a ______________o d iretor da
8. Eu sem pre Eduardo, m as ele firm a jan tan d o no clu b e.
n unca m e 6. — V ocê o ladrão corren d o ?

— _____ , sim .

sessen ta e oiro
C. Eu vejo Amélia todos os sábados. Ontem eu vi Amélia.

1. O ntem nós sua irm ã na cidade.


2. A o s sáb ad os eles um film e no cin em a e aos dom ingos telev isão.
3. N a sem an a que v em e l e s ____________
__________ os am igos.
4. N ão gosto d e ______________acid en tes.
5. V o cê q u e r _________ este film e in g lês? N ão, prefiro o film e fran cês.
6. A n teon tem , eles o ladrão correndo.
7. E la a fa m ília am anhã.
8. O que é que v o c ê _________ ag o ra? um a m ulher. E la está abrindo a b o lsa.
9. Eu s e m p r e ______________guardas andando p ela cidade.

10. V o cê j á _____________ um e lefa n te? J á ______________ , sim . N o circo .

D. Ele sempre quis conhecer o Japão.

1. M eu s am ig os _______________ m e ajudar.

2. O la d rã o _ a ssaltar esta m ulher.

3. N ós v er este film e ontem .

4. Por que v ocê entrar neste restaurante?

5. Sá b a d o passad o eles __________________ falar co m ig o .

6. Eu ir lá porque é m ais tranqüilo.

7. N ós _ fica r em c a sa para v er o jo g o .

8. Eu sem pre _________ c o n h e c e r a Europa.

9. M eu vizin h o ___________ dar um a festa para a filh a dele.

10. F ra n c is c o , por que seu irm ão n ã o _______________ fica r c o m v o cê ?

E. iodos puderam ver o jogo pela televisão.

1. O s jo g a d o re s n ã o ___ viajar. A empregada quis ir ao


supermercado bem cedo.
2. P or que e la n ã o _____ a ssistir ao film e?

3. N ó s _________________ v er o film e até o fim .

4. E l a __________________v er m uito b em o rosto do ladrão.

5. A em p regad a n ã o ______________ir ao su perm ercad o bem ced o.

6 . O n tem , o d iretor n ã o ____________________ atend er os clien tes.

7. N a te rça -fe ira passad a ele não __________________ ch eg ar cedo.

8. E u n ã o ______________________re co n h e ce r o ladrão p elas fo to g rafias.

9. F ra n c isco , por que v o cê n ã o ______________________falar co m o diretor on tem ?

10. O ntem , eu v er o film e de C arlito s. F o i ótim o !

sesse n ta e n ove
F. Ontem, eu quis ir ao cinema, mas não pude. Meu dinheiro acabou.

1. Na semana passada, n ó s ________________ falar com ele, mas n ã o ________________ porque ele saiu
mais cedo.
2. Os turistas___________________ conhecer esta igreja antiga, mas n ã o entrar. A
igreja fechou às 5 horas.
3. Ontem, os alunos________________ sair mais cedo, mas n ã o _____________ . O diretor não permitiu.
4. Ontem, nós n ã o _______________________ sair de casa. Ficamos para ver o jog o pela televisão.
5. Ontem, e le s __________________ ver o jogo, masn ã o _______________porque não encontraram mais
entradas.

Pronom es pessoais (1) (nós) Ele não nos viu na rua.

1. (nós)
Ele nunca_________ viu aqui.
2. (eu)Vocês nunca podem _________ajudar.
3. (eu)Meus vizinhos sem pre___________ visitam.
4. (eu)Estou muito cansada. Você pode ajudar?
5. (eu)Preciso sair agora. Pedro está esperando.
6. (eu)Francisco, v o c ê ________ esperou muito tempo?
7. (nós)
Nossos am igos__________ convidaram para
uma festa.
8. (eu) Meus am igos convidaram para uma
festa.
9.(nós) Nós convidamos sempre nossos vizinhos para
jantar. Eles n ã o ________ convidam nunca.
10. (nós) Por que vocês n ã o _______ avisaram?

Pronom es pessoais (2)

A. Eu vi os rapazes. Eu os vi.

1. Mário não fechou as janelas.

2. Ela prepara o ja n ta r em 10 minutos.

3. Lúcia ajudou C arm em no trabalho?

seten ta
4. Eu vejo Cláudia e Anita mais tarde. B. (você) Teresa, eu sempre â vejo na
biblioteca.

5. Ana viu o filme. Teresa, eu sempre a 1. (Lúcia) M á rio _______ viu na estação de
vejo na biblioteca.
metrô.
6. Vocês viram os rapazes? 2. (Lúcia e José) Ele _____ conheceu em

Campos do Jordão.
7. Nós vimos os animais no circo. 3. (cartas) Ele ______ recebeu antes do almoço.

4. (você) Felipe, n ã o vejo mais no restau­


8. Ele comprou a casa ontem. rante.

5. (você) Marina, n ó s _____ atendemos depois.


9. Ele vende livros nesta loja. 6. (vocês) Adriana e Rafael, n ó s ______

.......................................................................................... esperamos amanhã para o jantar.

C. Completar.

— Ontem, meu marido e eu fomos ao tea­


tro. Na sala de espera vimos nossos colegas de
TEATRO CULTURA ARTÍSTICA
escritório mas eles n ã o __________________ viram.

Comprei o programa e li os nomes dos atores. Meu

marido também leu.

Pronom es pessoais (3)


Não tenho a chave
da porta. Não
posso abri-la.

Eu pude ver o ladrão.


Eu p li ti t vê-lo.
Eu pude ver a fotografia.
Eu pude vê-la.
Eu pude ver os ladrões.
Eu pude vê-los.
Fu pude ver as fotografias.
Eu pude fê-las.

seten ta e um
Quero fazer o trabalho. Quero fazè-lo.

1. Quero ver o diretor. Q u e ro ....................................................


2. Quero conhecer a nova diretora. Q uero............................

3. Amanhã vamos visitar nossos am igos.................................

4. Que bom! Vamos comprar esta bela ca sa..........................

5. O diretor não quis atender o cliente.....................................

6. Vou preparar o aperitivo .................................... ..........

7. Amanhã vamos atravessar o rio A m azonas.......................

8. Quero aprender esta m úsica....................... ...........................

9. Vou encontrar meus amigos no restaurante.......................


10. Não posso abrir a p o rta ............... ...........................................

11. (vender) Esta casa é muito grande para nós. Querem os.

12. (comer) Que belas la ra n ja s! Vamos ..................................


13. (comprar) Gostei deste relógio. Vou....................................

14. (esperar) Meus amigos chegam hoje. V am os...................


15. (conhecer) Brasília é uma cidade moderna. Q uero........

Pronom es pessoais (4) O vinho, beheram-no coco?!

Eles v ir a m o la d rã o . E le s v ira m -n o ,
Eles v ira m a fo to g ra fia . Eles v ira m -n a .
Eles v ira m os ladrões. Eles v ira m -n o s .
Eles v ira m as fo to g rafias. Eles viram -nos.

Vncê Vocês
Ele -no. -na Eles -nos. - nus
Ela Elas

As secretárias escrevem as cartas. As secretárias escrevem-nas.

1. Vocês ajudam as cria n ça s......................... ............................................................................


2. Os vizinhos viram os la d rõ e s. .........................................................................................
3. As crianças comeram os doces.............. ...............................................................................
4. Os vizinhos chamaram a polícia ...........................................................................
5. Os alunos abrem o livro..........................................................................................................
6. Meus filhos compraram os livros..........................................................................................
7. Os convidados tomaram o vinho todo................................................................................
8. Meus irmãos compraram as en trad as........................... ................ ...................................
9. Os diretores aprovaram o plan o....................................... ...................................................
10. Os rapazes acompanharam as m oças até em casa............... ........................................

72 sete n ta e dois
P ro n o m e s p e s s o a is (5) N o ssa ! V ocê e s ta m o rre n d o ?

Eu v¡ o ladrão. Lu o vi.
lio me N6s lios

Você está doente?


— Nossa, seu rosto está vermelho! Você está doente?
— Não se Não estou me sentindo bem. Estou com dor de
il
cabeça, dor de garganta e dor Não
nas costas, falar,
posso
nem andar,
— Acho que você está com febre.
— Vou á farmácia comprar um remédio para gripe,
— Acho melhor você ir ao médico.

estar com dor de euheçu


estar com dor de ouvido Acho o.ue estou resfriado.
estar com dor de dente
estar com dor de garganta
estar com dor de estômago
estar com dor de barriga
estar com dor nas pernas
estar com dor nas cosías
estar com tosse
estar com gripe
estar com lebre
estar com enjôo
estar resfriado, resfriada

A. Hoje vou ao dentista porque estou com dor de dente.

1. Sua testa está muito quente. V o cê................................................ ...............................................................


2. Desculpe, mas hoje não posso falai? E stou ....................................................................................... .
3. Tomei chuva ontem e h o je .................................................................... Atchim!
4. Nossa! A reunião foi longa e difícil. E stou .................................................................................... ..........
5 ..............................................................................................................................................porque comi demais.
6. Não posso ouvir bem o cantor porque João, ao meu la d o .......................... ............................. .
7. Não quero comer nada. Por favor, não posso nem pensar em comida. E u .....................................
8. Você falou demais e ag o ra ...................................................................... ........................................................
9. Esta cama não é boa. Estou sem pre................................... ....................... .......... ......................................
10. Você está resfriada e com febre também. Acho que v o cê..................................................................

setenta e três 73
B. Simulando.

1. Você trabalha muito, está cansado e quer ter alguns dias de folga. Explique a seu chefe como
você se sente.
Seu Osório, e u .......................................................................... ........... ...................................................................

2. Você está no consultório de seu médico. Explique a ele como você se sente.
(Você trabalha muitas horas por dia, não faz exercício físico, fuma demais, não come direito e passa
muito tempo com seus amigos no bar).
Doutor, eu estou sempre c o m ..................................................................................................................... ..........

Mostre!

— A senhora viu o ladrão.


Agora veja
estes retratos.
Qual destes homens é o
ladrão? Mostre!
Não sei. não.
— Não te n h a medo. Nós
vamos protegê-la.

M odo im perativo
MOSTRAR
r if nuis trn —

mostre (você) não mostre (soeê)


mostremos (nôs) não musiremos (nós)
mostrem (Micês) não mustrem (vocês}
VENDER TER
Eu vcntfo — Venda! > a)
(-cr — Tu tenho — Tenha!
afirmativo negativo afirmativo negativo
venda (você) não venda (você) tenha (você) não tenha (você)
vendamos (nós) nào vendamos (nós) tenhamos (nós) nau tenhamos (nós)
vendam (vocês) não vendam (vocês) tenham (m çêsi não tenham (vocês)
ABRIR VER
Eu aliro — A b ra! (-ir—> a) Eli vejo — Veja!

afirmativo negativo afirmativo negativo

abra (você) não abra (você) veja (você) n ã o seja (você)


abramos (nós) nào ah ramos (nós) vejam os (nós) nào vejam os mós)
abram ( i océs ) não abram (\ ucês j vejam (vocês) não v e ja m (vocês)

s ete n ta e qu atro
A lgum as form as irregulares de A. Seu problema e a solução.
Im perativo
Você está com dor de barriga? . V : . A ;
SER Você está com dor de dente?..................................
(Seja!)

afirmativo negativo
Você está com dor nas costas?
seja (você) não seja (você)
sejamos (nós) não sejamos inòs)
sejam (vücès) não sejam ívocês) Dor de garganta? Você está com dor de garganta?

ESTAR Dor de cabeça? Você está com dor de cabeça?


(Esteja! )
afirmativo negativo
esteja (você) não esteja (você ) Você está com dor nos pés?

estejamos [nós) não estejamos ( nós i


estejam ( vocês) não ¿stei ini f vocês) Você está com gripe?

IR Você está com tosse?


(Vá!)

afirmativo negativo
vá (você) não vã (você) Você está com enjôo? Coitado!
vamos (nós) náo vamos (nós)
■ ■ t\ocès| não \ ¡Vi i vocês) Você está resfriado?

B. Na aula de ginástica.
Meninos e meninas, m antenham sua forma fisica!

(abrir-fechar)_____________ e _____________ as mãos com m o v im e n - Olhem para mim!

tos firmes!
(abaixar)___________________ os braços!
(levantar)___________________ os braços acima da cabeça!

(fazer) ____________ novamente o movimento com as mãos!

(abrir-fechar)_________________e _________________ os braços!

Mais depressa! Vamos! Mais um pouco!


(dobrar) A gora__________________o joelho direito!
(levantar) os braços até a altura dos

ombros!
(esticar) A gora___________________ a perna!

(dobrar-esticar) Agora, rápido,_____________


a perna. Vamos!
s ete n ta e c in c o
r

(fazer) A gora________________ o mesmo movimento com a pema esquerda!

Primeiro (dobrar)__________________ o joelho! Vamos, coragem!


(correr) A gora____________________ !

(controlar)______________________ a respiração!

(ser) N ão ___________________ preguiçosos!


Vamos! Ótimo! Agora, chega. Excelente!

(ir - estar) A gora,_______________para casa!

-— ______________________ aqui amanhã à mesma hora!

C. (você) Há muitos ladrões na rua. Tenha cuidado!

1. (você) Você trabalha demais e está muito m agro. mais e _______________ menos!

2. (vocês) Não há bons programas na televisão. N ã o _________________ muita televisão!

3. (nós) Nosso carro está muito v elh o ._________________ um carro novo!


4. (você) Não quero comprar nada. N ão , por favor.

5. (vocês) A reunião é às o ito ._________________ pontuais!


6. (vocês) Já é tarde. ____________ dormir!

t 0- sete n ta e seis
Y Crase

Vou ao médico, a + O = ao
Vou à farmacia. a+a =à
Ela escreve aos amigos, a + os - aos
Ela escreve às amigas, a + as = às

Vamos ao médico e à farmácia.

1. Primeiro vam os banco e, depois, prefeitura e biblioteca.


2. Mostrei meus p lan os diretor e secretária.
3. Ontem à noite ofereci um coquetel colegas de meu marido e esposas.
4. Vamos ao aeroporto receber nossos amigos. Eles estão voltando de uma longa viagem. Eles
foram M é x ico ,_______ Estados U nidos,_______ Berm udas,_______ Espanha,_______
França, Alemanha, Grécia e
5. No ano que vem, vam os Europa. Queremos i r ______S u íç a ,___ Zurique. Depois
vam os Itália,_______ Roma. Queremos ir tam bém Áustria, Viena e, se
possível, Bruxelas, na Bélgica.

Não... (nem) ... nem

Hoje eu vou tocar piano e cantar.


Hoje eu uão vou locar piano nem cantar.
Hoje eu não vou nem loca piano nem cantar.

Gosto de cinema e de teatro.


Não gosto nem de cinema nem de teatro, ou Não gosto de cinema nem de teatro.

1. Você nunca compra chocolate e frutas para eles........................................ ...............................................

2. Eles gostam de carne e de peixe............................... .....................................................................................

3. Ontem saímos com Pedro e com T eresa.............................. ........................................................................

4. O ladrão é alto e m oreno....................................................................................... ............................................

5. Eles querem leite e chocolate......................................................................................................................... .

6. Esta casa é velha e feia............................................................................. .........................................................


7. Esta casa é grande e antiga................................................................................................................................

8. Eles sempre viajam de avião ou de carro....................................................................................................

9. Meus filhos sempre comem doces e frutas...................................... .................................................... ......

10. Ontem assisti ao jo g o e ao film e............................................................................................................. .

seten ta e se te 77
R graveto

Linguagem popular Linguagem correta

— Chico, tem muita gravata bonita nesta loja. — Francisco, há muitas gravatas bonitas nesta
Você não qué comprá pra usá lá no escritório? loja. Você não quer comprar uma para usá-la no
Não tá caro, não. escritório? Não está caro, não.
— Vou comprá. Zé, mas é pra mostrá pros amigo — Vou com p rá-la, Jo sé, m as é para m ostrá-la
nu baile do sábado. para os am igos no baile do sábado,
— Você vai no baile? — Você vai ao baile?
•— C laro . Z é! Você tam bém não vai? — Claro, José! Você também não vai?

Passe para a linguagem correta.

Ontem eu fui no consultório do Dr. Fagundes. No consultório dele tem sempre um monte de gente. Ele
disse que eu tou bem. Só minhas costa não tão em ordem. Depois de falá com o doutor, eu fui na
farmácia, comprei o remédio, voltei pra casa e tomei bem depressa. Uh! Que negócio horrível!

seten ta e o ito
Texto narrativo

Brasilia

Brasilia é a capital do Brasil desde 1960. Construida em menos de 5 anos, ela está situada no coração
do Brasil, pats enorme, para tomar a sede do govemo federal mais acessível a todos os brasileiros.
A mudança do govemo federal do Rio de Janeiro, a antiga capital brasileira, para Brasília não foi fácil.
Ninguém queria deixar a bela cidade do Pão de Açúcar e do Corcovado para ir viver no Planalto
Centrai, numa cidade nova, isolada, sem mar, sem praia. Nem os funcionários públicos, nem os
políticos...
No entanto, Brasília é agora, sem dúvida, o centro das decisões políticas do país.
Brasília é uma cidade diferente. Sua construção obedeceu a um plano-piloto. A base deste plano são
dois eixos que se cruzam: o Eixo Rodoviário, no sentido norte-sul e o Eixo Monumental, no sentido
leste-oeste. À noite, com suas luzes acesas, a cidade, vista do alto, parece um grande avião.
Os edifícios principais de Brasília têm linhas de grande beleza e são sempre uma surpresa para o
turista. A Praça dos Três Poderes é o cartão postal da cidade. Nela, estão os edifícios do Congresso
Nacional, do Supremo Tribunal Federal e o Palácio da Alvorada, o local onde reside e trabalha o
Presidente da República. Há muitos outros edifícios de rara beleza em Brasília, como a catedral que,
de longe, parece duas mãos postas em oração e o Palácio dos Arcos, sede do Ministério das Relações
Exteriores— lindo, com seu jardim aquático.
■Brasília é o resultado do trabalho combinado de três grandes artistas brasileiros: o urbanista Lúcio
Costa, o arquiteto Oscar Niemeyer e o paisagista Burle Marx.
Nada se compara a Brasília e ela, por sua vez, não se integra a mais nada. É uma cidade única, diferen­
te de todas as outras cidades do mundo. De todas. Realmente, Brasília é Brasília.

loto. iih< <:/io/DF.

s e te n ta e n o v e
A. Responda.
1. Por que a capital do Brasil mudou do Rio de Janeiro para Brasilia?
2. Compare a situação geográfica de Brasilia com a do Rio de Janeiro.
3. Por que, à noite, Brasilia parece um grande avião?
4. Fale sobre o Palácio da Alvorada, a Catedral e o Palácio dos Arcos.
5. Brasília é criação de três artistas. Fale sobre eles.
6. Brasília é única. Você concorda?

B. examine as fotos e identifique o local em que foram tiradas.

[.;,] Porto de
Santos, em
São Paulo.

[...] Cataratas de
Foz-do-
Iguaçu, no
Paraná.
11
[...] Gramado,
Rio Grande
do Sul.

I Cidade de
Montes
f lir i Claros, em
Minas
Gerais.
_ !»

Prédio da
Alfândega,
em Manaus.

[...] Centro
histórico de
Olinda, PE.

[...] Ópera de
Arame, em
Curitiba, no
Paraná.

[...] Calçadão
numa das
praias do
Rio de
Janeiro.

o iten ta
UNIDflDC 7
Fazendo compras

Sílvia: Quanta gente na loja! Parece que todo


mundo resolveu fa z er compras hoje !
D, Vera: Venha, Sílvia. Vam os a(é a seção de
utilidades dom ésticas. Q uero ver uma
nova máquina de lavar roupa. A minha
quebrou e não tem m ais conserto.
Vendedor: A senhora já viu os novos modelos da
máquina “Alvorada”? Ela faz tudo:
lava e seca a roupa muito bem. Vou
lhe dar um folheto.
D. Vera: M a s todas as m áq u in as m o d e rn a s
fazem isso.
Vendedor: A senhora diz isto porque não conhece
a nossa. Ela é muito mais econômica.
A senhora põe um monte de roupa na
máquina. E agora veja: só um pouco
de sabão em pó.
D. V era: E verdade. É bem eco n ô m ica. \i tem
g aran tia?
Vendedor: Claro. Damos garantia de um ano.
I ). Vera: Vou p en sar um pouquinho. O brigada,

liquidificador

Rfgumo coisa mais simples ferro

— Gostaria de ver um aparelho de som.


— Temos as melhores marcas. Nacionais e
importados. Aqui estão os últimos modelos.
torradeira
Veja, que beleza! ventilador forninho

mi
— São muito caros. Gostaria de comprar r
alguma coisa mais simples. O senhor não tem
outros?
I a
televisão
aparelho de som
Você quer comprar vários aparelhos
e letro -d o m é stico s. Sim ule uma
conversa com um vendedor de loja.
Faça perguntas, peça folheto etc.

o ite n ta e um 81
Modo in dicativo
FAZER — Presente simples FAZER — Pretérito perfeito
Eu la ç o Nós íu/euifis Eu fiz
tlz Nrts lizemos
\ ue£ VíHííü ViiCÍ V W ésK
Ele faï Kits fazem Ele fe/ Fies fizeram
Elu i» Llus Fin ¡ E lu s V

PÔR — Presente simples PÔR — PrûtéfitQ perfeito


Fu nrmlirt
poulie Nós pomos Eu rvni
[ills Mós posemos
\mé Voefit Você
ici k Você* I
Ele põe E les põem Ele pôs Eles puseram
Fin > Elas > El i / Elas I
y. p ..
DIZER — Presente simples D IZER — Pretérito perfeito
Io ttíffo Mós dizemos Eu disse Mós dissemos
Vocé f Voeis i i V n< Vocta
Vucís
Lie diz Eles d izem ! n. disse Fl.Hl
Eles _ disseram
Elu V Elus ! ! EL. V Elas /

DAR Presente simples D A R — P re té rito p e rfe ito

Eti dou Nós damos i Eu dei Nós demos

Você h \óeès V o ei Vntís k


Ele dá Ik s dão j Ele deu Eles dem m
Ela v Elas í Ela V Lias f

Àt &
fl®
FAZER ¿V \\u AV-A •A
r JF
y a'

«iP
POR i& « /
o*

DIZER ^ gÿT 44A ^

o iten ta e dois
A. Eu faço café para meus amigos. Gosto de fazer compras com meu marido.
Ele não é nada económico.

1. Eles n ã o favores, mas e u _____________ . ^


2. Eu n ã o _________ isto. E você? V o cê ________________ ?
3. Nós n ã o ________________ viagens longas.
E eles? E le s _________ ?
4. E le s ____________compras aos sábados.
E vocês? Quando v o cê s_______________ ?
5. E la ____________ o trabalho em casa, mas todo mundo
_____________ na fábrica.
6. A gente_____________ cursos interessantes.
E ele? Eu acho que ele n ã o ______________ .
7. E la s tudo rápido, mas ele n ã o __________ .
E l e ____________ tudo devagar. Eu também.

B. Eu fiz tudo em meia hora.


Todo mundo faz tudo certo, menos eie.
1. Eu não _ isso. Quem Lie taz tuoo erracio.

2. E u _____ tudo direito, mas ele n ã o ____


3. E la _____ _ um almoço muito gostoso.
4. Nós não ____________compras. Alguém
5. Você não seu trabalho. Ninguém ___
6. Vocês j á _ as malas? Eu ainda não

7. Meus am igos_________________ uma longa viagem,


mas a gente n ã o _________ .
8. Todo m undo__________ tudo certo, menos ele.
Ele tudo errado.

C. Ela dá presentes para os amigos.

1. Aqui a gente_________informações, mas lá ninguém


Damos aula de Português
7 $ em São Paulo.
2. N ó s _______ explicações para o diretor.
POIVÔLOT
Eles também _
3. V o cês______ informações por telefone
mas ela n ã o __
4. Eu n ã o _____ gorjeta.
E você? Você _ ?

5. Q u em _____ aula de Português?


V o cê ________ ?
6. Todo mundo __________descontos, mas eu não

o iten ta e tres
D Ele me deu um beijo.
" Que beijinho doce...
1. Ontem n ó s uma festa. Foi ótima. que ele deu"

2. Eu gostei muito do livro que vocês m e _______________.


3. O que v o c ê ________ _ para ela? Eu n ã o ______________ nada.
4. A g en te_____________ bom-dia para ela, mas ela não respondeu.

5. Todo mundo _ gorjeta, por isso eu tam bém __

6. Quem lh e __ permissão para entrar? Ninguém

7. Eles j á _____ o novo endereço, mas não o número do telefone.'

E. Ele põe a carta no Correio.

1. Você _ açúcar no café, mas eu n ã o _________ .

2. Ele _ seus documentos no cofre. E vocês? Onde v o cê s_________ ?

3. Nós _ paletó e gravata para trabalhar. Todo m undo_________ .

4. Quem _ a mesa na sua casa? - N inguém _________ . Ninguém almoça em casa.

5. A gente dinheiro no banco todos os meses. E ele? Ele também

6. Eles as cartas no Correio, mas ela não . Ela só manda fax.

F. Eu pus a mesa para o jantar.

1. Eu não sei qu em ______ a mesa. Alguém

2. Q uem _________isso aqui? Foi você? Você

3. Eu não nada na gaveta. Vocês

4. Ontem nós um anúncio no jornal.

5. Eles todo o dinheiro no banco.

A gente tam bém ____ Eu pus o carro no estacionamento, mas eles


puseram na garagem.
6. Todo m undo_____ jeans para ir ao churrasco.

N inguém __________ bermudas.

7. E l e __________o carro no estacionamento, mas


e le s _____________________na garagem.

G. Ele sempre diz a verdade.

1. Nós não nada. E você? Você

2. Eles sempre a verdade. E vocês? Vocês também

3. A gente só _ a verdade, mas e la s __________ mentiras.

4. Ela sempre _ que trabalha demais.

84 o ite n ta e quatro
5. Eu sem pre s ira, mas ele não. Ele sempre não.
6. Todo m undo__________ até-Iogo quando sai.
N inguém até-logo quando chega.

Eu sempre digo sim,


mas ele não. Ele
H. Ele disse a verdade. sempre diz não.

1. O que v o c ê s ________________ ? Nósn ã o ________________


nada.
- Vamos, repita o que você disse!
2. O que e la ____________? Você sabe o que e la ____________ 1

3. A gen te____________ “obrigado” e e le s ______________ “de

nada”.

4. Todo m undo_____________a mesma coisa.


Ninguém _________ nada diferente.

5. Q uem _________________ isso? A lguém ___________ ?


6. Eu quero saber o que e le _______________ .

7. O que v o c ê ______________ ?

Eu?! Eu não nada.

ñ prazo ou a vista?

— Este é o carro do ano! Observe suas linhas mo­


dernas e seu motor potente e silencioso.
— É bonito. E parece bom. Quanto custa?
— Bem, é um carro de luxo. Uma jóia! Mas te­
mos planos especiais de pagamento. Com uma pe­
quena entrada e o saldo em 60 prestações, este
carro é seu. Um ótimo negócio.
— Mas ou só quero saber o preço. Quanto custa tt
vista?
— Um momento, preciso consultar a nossa tabela.

Você quer comprar uma casa na praia, um apartamento na cidade, uma bicicleta.
Converse com o vendedor. Discuta as formas de pagamento e escolha a mais
interessante.

Pt a no tie
pagar a vista pagamento
com desconto entrada
pagar a prazo saldo em
com juros prestações
o iten ta e c in c o
Vou lhe dar um folheto. Vou dar um folheto para você.
Eu me (para mim) Nós nos (para nós)
Voce lhe (para você, Você 111 es (para vocês,
Ele, Ela para ele, para ela) Ele, Ela para eles, para elas)
Posso mandar-
A. Dei um folheto para ele. Dei-lhe um folheto. lhe um folheto?

1. Ele viu o diretor e deu- um folheto.

2. Você não tomou o café q u e_______ preparei.

3. Ele entrou na loja e o vendedor________ mostrou as novas máquinas.

4. Convidei os Vieira e ofereci- um jantar.

5. Ele não gostou do presente que e u _____ dei.

6. Não tenho noticias de Mário. V ou_________telefonar.


7. Vocês não responderam a carta que e u _________escrevi.

8. E u _________fiz um favor mas você não me disse obrigado.


Ele me mostrou
sua casa nova.
B. Complete.
1. (nós) E le _________mostrou sua casa nova.

2. (nós) Não fomos à festa porque vocês n ã o _______ disseram a data.

3. (eu) Escrevi para ele, mas ele n ã o _______ respondeu.


4. (eu) Você pode_______ explicar o problema?

5. (eu) O diretor não_________deu outra chance.

Preciso comprar outra tnáquina. Nossa casa é antiga. Nossas férias sâo em setembro.
7*3 A m inha não tem mais conserto. A dele também. As dele
também.

Meu livro é velho. i.i. amigos ■■


■'.•■alegres
O dele também. Us dele também.
Meu livro está na mesa. E o seu (livro), onde está?
1. (eu/você)_________casa é grande. E .............. ..................................
2. (eu/você)________ irmãs moram na Holanda. E .............................

3. (eu/você)________ pai trabalha na Ford. E ......................................

4. (eu/você)________ livros estão no armário. E ..................................

5. (eu/ele)________ amigo vai almoçar aqui. E .....................................

todo o — , toda a todos os — , todas as — ludo. todo — , Ioda


7-4

Ele trabalha todo o dia. Todas as cidades grandes Vou comprar tudo. Ele telefona lodo d ia .
(o dia todo) téni problemas.

o iten ta e seis
Complete. Todas estas casas tem portas e janelas.

1. Nós conhecemos alunos da escola.

2 . _____________ casas têm portas e janelas.

3. Ela mandou____ pelo Correio.


4. Ele telefo n a____ _ dia, menos sábado.

5. Diga ___________ o que você sabe.

6. Encontrei em ordem.
7. família tem seus problemas.
Comt tudo. Quero mais!
8. As crianças comeram

9. A empregada limpa casa, dia.

10. Ele tornou sopa, mas não comeu mais nada.

11. Ele vai para a Europa ano e passa dois meses lá.

12. Este ônibus passa por ruas da pequena cidade. L~


13. Ele trabalhou semana, mas no domingo foi para a praia.

14. manhã é a mesma coisa: acordo atrasado e saio correndo para o trabalho.

15. Ele vem aq u i_____________ dia, mas não fica com igo______ dia. Depois do almoço ele

vai embora.

Propagando

— Você sempre fala pelos cotovelos, mas hoje está quieta. O que aconteceu9
— ada,
— Vamos, conte-me tudo. Você brigou com seu namorado?
— Briguei. E ele a g ora tem outra nam orada. Isto sem pre aco n tece com igo.
— !_, eu sei. Você sempre está com dor-de-cotovelo. Você já experimentou “Maravilha”, a nova pasta
de dente?
— Não. Por quê?
— “Maravilha” faz milagres: perfuma o hálito e traz alegria para seu sorriso. Experimente “Maravilha”.

Seis meses depois


- Vejam! “ M aravilh a" trou xe-m e a felicidade. U se. v o cê tam bém , "Maravilha”. Ela esté à venda nas
boas íaim áeias de >cli bairro.
Modo indicativo

T R A Z E R — Presente simples TRAZER - Pretérito perfeito


Eu tra g o Nós trazem os Eu tro u x e ós trouxem os

IW trouxe
EHi ►
E eu
A. Eie traz boas noticias. nunca recatua

1. Todos os dias ele a filha aqui.


2. Nem sempre os jo m á is __________ a verdade.

3. O padeiro__________pão e o leiteiro________ leite.


4. E o jornaleiro? O jo m a le iro __________ o jornal.

5. Q u em _________ cartas? O carteiro, claro.

6. Os programas de televisão__________ muita propaganda.

7. Eu sem pre__________ o livro de Português para a aula.


8. Fique sentado. Eu lh e __________ o café aqui.

9. Vocês sem pre__________ seus amigos aqui?

10. Nós sem pre______________________ tudo. Eles nunca___

B. O telegrama trouxe boas notícias. É duro ser máquina.


Ninguém me emende.

1. Fomos ao supermercado e tudo o que


você pediu.

2. Quem _ isto para cá?


3. Ela cafezinho para as visitas.
4. Ninguém nada aqui para nós?
5. V o cêjá__ as cadeiras aqui para a sala?
6. Por que vocês não ___________ Mariana para cá?
7. Eles os documentos aqui para o

advogado.
8. Eu não posso pagar a conta porque não
dinheiro.

9. Estamos aqui preocupados. V o cês_____


mais notícias?

10. Esta máquina até agora só n o s ________ problemas.


Precisamos vendê-la.

88 o ite n ta e o ito
— Como você Levar — trazer
chegou aqui?
[V — Como você chegou aqui?
— O Carlos me trouxe.
— R como você vai voltar para lá?
— O Álvaro vai me levar.

Levar ou trazer?

1. — O gravador não está aqui em casa. Acho que o Felipe o para a escola. Ele tem
d e __________________-lo de volta. Preciso muito dele.
2. — Dona Liana, sua televisão está quebrada. V o u _______ _-la para a oficina. Lá é mais
fácil consertar.
— E quando o senhor v a i___________________ -la de volta?
3. — Alô, meu bem. Estou aqui no escritório. V ou ____________ um amigo para jantar conosco aí
em casa.
— Tudo bem, Afonso, m a s__________________bebida. Talvez uma garrafa de vinho.

Expressões
falar pelos cotovelos Ela não pára de falar.
[ Ja fala pelos eotovt los.
estar com dor-de-coíovelo O Raimundo está com dor-de-eotovelo.
O colega dele foi promovido e ele não.
não ter pé nem cabeça À história que ele contou não tem pé uem cabeça.
Ninguém entendeu nada.
sei o braço direito Ria mc ajuda muito.
Lia é meu braço direito.
Relacione as expressões com as ilustrações.

Ela é meu
braço direito,

Mas esse
quadro não tem
pé nem cabeça!

Estou com
clor-de-cotovelo.
Que raiva!

: t us ' i
pelos cotovelos!

o iten ta e n o v e 89
Verbos — revisão

A. Complete.

1. (fazer-pôr-dizer) Todas as manhãs, e u ____________c a fé ,_____________ a mesa e ____________


bom-dia para as crianças.
2. (ver) Ele sempre m e ______ na rua, mas eu nunca o ____________ . Não sei por quê.
3. (poder-dar) Ontem, nós n ã o __________ dar a informação ao cliente, mas nossa colega

4. (estar-querer-poder-ser) E le s _____________ aqui ontem e ____________ falar comigo. Eu não


____________atendê-los._____________ pena.
5. (ir-fazer-trazer-dar) Ontem e le s ao supermercado,___________ compras,
____________tudo para casa e ____________ tudo para mim. Vou fazer um grande jantar.
6. (trazer) Aos domingos, eu sem pre vinho para nosso almoço e e la __________
a sobremesa. Uma delícia!

B. — Você vai dar gorjeta? — Não, eu já dei.

1. — Você va : fazer compras?


— Não, eu j á _______________ . Eu sem pre__________ _ compras de manhã,
2. — Vocês vão ver o show?
— Não, j á . Nós sem pre__________ os shows no primeiro dia.
3. — Vocês vão pôr a mesa?
— Não, j á . Nós sem pre_________ a mesa bem cedo.
4. — Eles vão dizer obrigado?
— Não, j á _______________ . Eles são muito educados

Texto narrativo

São Paulo

São Paulo, a capital do Estado de São Paulo, é a maior cidade do Brasil.


São Paulo foi fundada por padres jesuítas, que vieram ao Brasil para catequizar os índios. Para alcançar
tribos afastadas, os jesuítas deixaram o litoral e subiram a Serra do Mar, chegando ao planalto de
Piratininga, a 700 metros acima do nivel do mar. At, no dia 25 de janeiro de 1554, fundaram um
pequeno colégio, o início de uma aldeia.
A posição da pequena aldeia não era favorável para seu desenvolvimento, pois a floresta fechada e a
Serra do Mar a separavam do litoral, onde se desenvolvia a vida da colônia. Durante três séculos, a
aldeia de São Paulo de Piratininga pouco cresceu. A partir do século X IX , no entanto, por cansa do
trabalho de seus habitantes, brasileiros e imigrantes europeus, a aldeia começou a progredir rapidamente.
Um dos fatores desse progresso intenso foi a grande produção de ce fé. São Paulo deve a este produto
grande parle de seu desenvolvimento. A nqueza que c ¡c trouxe fez, depois nascer a industria paulista.

novenia
Hoje São Paulo é o maior centro industrial brasileiro. Nele tudo se produz. É, também, o grande centro
financeiro do país. Uma das maiores cidades do mundo, nela vivem e trabalham pessoas de todas as
regiões do país e do globo. Por isso, São Paulo, a pequenina aldeia no planalto de Piratíninga, é hoje
uma cidade de mil faces, feias e bonitas. Uma cidade surpreendente.

Folo: fóünHMUíiU dos j£tinfitainmtar. São rcriife SP

Foto: Páiio do Colégio. Sao Paulo. SP

A. Complete o quadro com as informações encontradas no texto. Escreva


frases completas.

A História de Séculos X V I a X IX . Séculos X IX e X X . Hoje em dia,


São Paulo. -------------------------------------------------------------------------------
Século XVI São
Paulo loi fundadapor
jesuítas. 1 les
construíram um
pequeno colégio para
catequizar osíndios.

noventa e um
B. Responda.
1. Por que os jesuítas fundaram o colégio longe do litoral?
2. Por que só no século X IX São Paulo começou a crescer?
3. Como o imigrante europeu participou do desenvolvimento de São Paulo?
4. Como começou a industria paulista?
5. São Paulo é uma cidade de grandes contrastes. Por quê?

Soo Poulo do garoa

Letra/Música de Murilo Alvarenga/ Dieses dos Anjos Gaia


(da dupla Alvarenga e Ranchinho)

Ê, ê, ê São Paulo, São Paulo das noites frias


Ê São Paulo, Ao cair da madrugada,
São Paulo da garoa, Das campinas verdejantes
São Paulo, que terra boa! Cobertas pela geada.

92 n o v e n ta e dois
Falando de televisão
E le — J á são 10 horas. A m élia ainda está dorm indo?
Ela — A inda O ntem ela ficou acordada até tarde,
vendo um fit m e p olicial. O film e era muito bom.
E le — V ocê tam bém viu o film e?
E la — N ào. A ntigam ente eu gostava desses film es e
não saía de ca sa só para vê-los. l-loje em dia não
tenho m ais p aciên cia para isso. Prefiro 1er um bom
livro.
E le — Para mim, a televisão é interessante. À noite,
quando a gente está cansado, nada melhor que uma
poltrona e um bom programa de televisão. Por faiar
nisso, onde está o jornal? Quero saber o que vai
passar hoje.
E la —- A cho que está co m o A ntônio. Q uando eu entrei
na sala, ele o estava lendo.

Noo é mais como era antigamente.

Hoje em cíia.,.

— Ainda bfcra que você chegou. Eu já ia telefonai' para sua casa. Por que você não veio trabalhar
ontem?
— É que eu estava cansado.
— Mas isso nào é m otivo! A ntigam ente v ocê nunca faltava,
— É verdade, mas depois que mudamos de chefe, tudo ficou diferente. Não é mais como era
antigamente. Ando muito desanimado. Estou até pensando em procurar outro emprego.
— É, eu ia sugerir isso pura você.
n o v e n ta e três 9:
M odo indicativo — Im perfeito

M O R A R — Im p e rfe ito V E N D E R — Im p e rfe ito

I ALiRIR — Imperfeito TER — Im pe i'feito


Eh a h riu Nó* abríamos Eu tin Ji a Nós

S E R — Imperfeito POR I m perfeito

Lu era Niïs eram os Eu punha Nós pünha mus


Vwí Voces
Ik Eira
I fa ► Kkiv ►
Im perfeito — Situações
', An tig ïm ente su Fu nava muito. 2. Ontom eu fui á cidade, o. Ela eslavo dormindo,
Hoja em tíia rjm o me .os. O tránsito eslava urn horror. quando ele eheqou.

4. hnquanto ele vis televisão, !.. Eu ¡a protestar, mas 6. Ontem, toda ve?, ene o telefone
ele cantava. nao uva chance. tocavíi, eu pensava que era vocé.

n ov en ta e quatro
A. Antigamente eu fum ava muito.
1. (comprar) Antigamente e u _____________________ tudo nesta loja.
2. (fumar) Antigamente ele n à o ____________________ muito.
3. (estudar) Antigamente nós tod os______________________ nesta escola.
4. (escrever) Antigamente d o s _____________________ para nós toda semana.
5. (comer) Antigamente e le _______ ________ muito pouco.
6. (receber/responder) Amigamente nós muitas c.'nas e nunca a s .
7. {discutir) Antigamente e le _____________ com todo mundo.
8. (Ir) Antigamente a g en te _____ à escola a pé.
0. ( no, [ilignmente a g e n te ________daqu' até a cidade em 10 minutos.
I ti. (ser) í e _______ __________um bom aluno quando criança
I I. (sen N ó s _________ bons amigos quando crianças.
I 2. (sender) Am ¡gánente a cidade _ ___mais bonita, porque mais arvores.
13. (pôr) Antes eles ________________ paletó e gravata para trabalhar.
14. (fazer/pôr/lavar) Antes e la ________________ c a fé ,__________________a mesa e a
louça. Agora ela r\ào hi •. mais nada
15 (ser/ir/ter) Quando nós ___________ crian ças, a pé para a escola porque
nossa família n ã o _________ __carro.

B. Ontem o trânsito estava um horror.


1. (estar) Ontem chegamos cedo ao escritório. As portas ainda_________________ fechadas.
2. (estar) Ontem eu não fui trabalhar porque________________ com febre.
3. (estar/ser/ter) O carro q u e ________________ na nossa garagem antigo e
_________________ quatro portas. Ele nào está mais lá.
4 . (estar/estar/haver) Entrei na saía. E la _________________ escura porque as janelas
fechadas. Nào mr.miém lá.
5. (estar/poder) Ontem n ó s ___________ ____ muito nervosos e quase n ã o _____________ [nlar.
1em os problc a i, vocè s; he.
6. fhaver) No escritório onte u com srsanios o dia inteiro. N ào ________________ nada para lazer.
por isso saímos mais cedo.

C, F.la estava dorm indo cuando ele chegou

1. (almoçar/tocar) Nós quando o telefone__________________ -


2. (ver/apagar) Eles _ _ televisão quando a lu z ................................ ■
3. (pôr/começar) E l e o carro na larag/rn quando a chover.
4. (entrar/conversar) Quando o c h e fe na sala, c i e ____________corn a secretaria.
5. i sair/roubar) Quáftdo e l a _____________ da loja. o ladrão suabolsa.
õ. (pensat/aparecer) E u _______________________ nela quando e la _____________ na minha frente.

n o v e n ta e c in c o 95
7. (ler/chamar) E u _______ o jornal quando ele me __ .
8. (chegar/sair) A g e n t e _________________________ quandov o c ê s ________________
9. (apagar/pôr) Quando a lu z_______________,e u pondo a mesa para o jantar.
10. (pôr/quebrar) A n a pondo a mesa quando os copos. Que barulhão!

D. Enquanto ele estava vendo televisão, ela estava cantando.

1. (trabalhar/dormir) Que absurdo ! Enquanto a gente voce


2. (ler/ver) Ontem, enquanto e l a _____________________ ele televisão. Eles não
conversaram.
3. (ir/ir) Nós não nos encontramos porque enquanto eu _para o Rio ela
__________para Curitiba.
4. (falar/pensar) Enquanto e l a __________________________________________
ele em seus problemas.
5. (trabalhar/economizar/perder/gastar) Ela ficou brava com ele porque enquanto ela
e ele tempo e
dinheiro em bobagens.
6. (fazer/pôr/conversar) Enquanto eu o chá e ela a mesa,
nós

E. Eu ia protestar, mas não tive chance.

1. (reclamar) Ele _ mas mudou de idéia.


2. (atravessar) Ele a rua quando viu o amigo.
3. (dizer) E l e ____ alguma coisa, mas mudou de ideia. Eie ia atravessar
4. (ser) A fe sta ______________ a rua quando viu
um sucesso, mas ninguém apareceu.
o amigo.
5. (trazer) E u ________________ flores para você, mas a loja estava fechada.
6. (comprar) N ó s ____________ a casa, mas achamos o preço muito alto.
7. (ir) Depois do trabalho, nós ________________ ao cinema, mas não deu certo.
8. (pagar) E la _______________ a conta do restaurante, mas a gente não permitiu.

F. Ontem, toda vez que o telefone tocava, eu pensava que era você.

1. (telefonar/estar) Ontem, toda vez que eu _____________para você, o telefon e______


ocupado.
2. (ouvir/pensar) Ontem, sempre que ele __ aquela música, nela.
3. (olhar/sorrir) Na festa, sempre que e le __ _ para ela, ela _
4. (falar/interromper) Fiquei furioso na reunião de ontem porque toda vez que eu
ele m e _________________.
5. (diminuir/morrer) Tivemos problemas com o carro ontem. Sempre que e u ____
velocidade, e le ___________

96 n ov en ta e seis
G. Leia este texto.

■v casa toda fica às escuras.


Eles estão na sala vendo televisão,
A empregada
quando a luz se apaga.
que está
pondo a mes:-
para o jantar,

pára o serviço e vai para a Naturalmente eles va o


cozinha. perder o final A "¡le o.

O programa que estão vendo é


muito interessante: uma historia de
Sherlock Holmes. O filme pára
quando o detetive está reunindo
provas para mostrá-las à polícia.

Agora escreva novamente o texto, começando assim:


"Ontem eles estavam na sala.............................................................................

H. Conte esta história. Comece assim: "Ontem...

n o v e n ta e sete
C om parativo

Mariana é mais alta (do) que Paulo.


Mariana é menos alta (do) que Pedro.
Mariana é tão alta quanto João.

Paulo Mariana j ~ Pedro

Cláudia trabalha
tanto quanto José.

Marina temtantos
filhosquanto Pedro.

BOM M€lHOR(DO) QU€ GftRNDC MfllOR (DO ) QUC


MRU PIOfí(DO) QU€ P ÍQ U ÍN O M€NOR(DO) ÇUC

n o v e n ta e o ito
A. Complete. O jantar no restaurante é mais
caro do que o lanche aqui na
lanchonete.
1. (caro) O jantar no restaurante é

do que o lanche na lanchonete.

2. (longo) A viagem do Brasil para o Japão é


______________________________ a viagem do Brasil

para os Estados Unidos.

3. (velho) A cídade de Londres é

Brasilia.

4. (tranqüilo/agitado) Antigamente a gente tinha


uma v id a_______________________ e
___________________________ agora.

5. (grande) Os problemas de uma cidade grande são os problemas de

uma cidade pequena.

6. (bom) Este restaurante é ótimo. Ele é ___________ quanto o restaurante

Grande César de Roma.


7. (mau) Seu trabalho não está bom. Ele e s tá _______ o meu.

8. (mau) Não falo bem nem inglês nem francês. Meu inglês é quanto

meu francês.

9. (bom) Os cairos americanos s ã o _________________________ os carros europeus?

10. (econômico) Os carros grandes são _ os caiTos pequenos.

11. (quente) O Saara é ________________ o Rio.


12. (bom) João e Pedro sâo bons professores. João é um professor Pedro.
13. (longo) Janeiro é um m ê s _______________________ fevereiro.
Desculpe, mas eu não
14. (longo/quente) Julho é _____________________quanto tenho tanto tempo quanto
VOCé.
dezembro, mas é __________________ .

EU Ele tem tantos amigos quanto eu.


I . Eu não tenho tempo quanto você.
2. Nós não temos paciência quanto vocês.
3. Ele te m _______ problemas quanto ela.
4. Eu ftz perguntas quanto você.
5. Eu não vejo _ filmes quanto vocês.
6. Ele vai ganhar______ ____________ nós.

7. Eles sabem _ _____ ______________nós. Ninguém sabe


nada sobre o novo chefe.

n o v en ta e nove
Os quindins de Iciió

—Quem vem amanhã para o seu — Só alguns colegas cía escola. — Li essa receita ontem mesmo.
aniversário? Quero fazer quindins, mas não sei Mas onde está? Ah! achei. Está
como. aqui. Ouça:

fteceita do Quindim
Ingredientes
1 coco ralado
1/2 kg de açúcar
125 g de manteiga
60 g de farinha de trigo
6 gemas

Como fazer?
■É muito fácil. Em uma tigela bem funda:
1 ) Junte o eoeo com o açúcar.
2) Acresc ule a manteiga c a farinha de trigo.
Bata bem.
3) Adicione as gemas.
4) Ponha em forminhas untadas com
manteiga e leve ao forno não muito quente.
5 ) Quando pronto, tire o doce ainda quente das
forminhas.

Ótimo! Posso fazer os quindins sozinha.


Leio a receita com atenção e uào há perigo
dc errar. Você pode comprar o coco para
mim?
Eu ando tão ocupada.,

100 cem
Ele anda contente
\
\
Nosso diretor anda contente (está contente)
porque estamos fazendo bons negocios.

Substitua estar por andar.


m ¿l w l .
1. A cidade está calma porque há muitos guardas na m a |jj

2. Nós estávamos preocupados porque tínhamos problemas.

3, Estas crianças estão contentes porque logo vão ter ferias.

4. A situação não está boa. Temos problemas.

5. Os programas de televisão não estão interessantes.

6. Meu filho não está bem. Não sei por quê.

Modo indicativo

V IR — Presente sim ples

Eu venho Nós

V ik6 [V Voces
Ele I ^ vem Eles
Eíli V EllLS

V I R — P re té rito p erfe ito S A B E R — P re té rito p erfeito

Eu v im Nós viem os Eu soube Nós soubemos

\ ncc K Vhcb K
Ele I : veio Eles v ie ra m
i
Ela V Elas [/
!

V I R — P re té rito im p e rfe ito S A B E R — P re té rito im p e rfe ito

Eu v in h a Nós vínham os Eu sabia Nós sabíam os

Vorê N Vocês K Voe* N V o «ri f \


Èk- v in h a Eles . v in h a m g j ) sa b ia Eles
Ela 1 / Elas V E la s V

ce n to e um
I
Ele sempre vem aqui.
1. Eu sem pre________________ aqui para conversar com meus amigos.

2. O mem e ie ________________ sozinho, mas gerai men te e le _________________ com ela.

3. Antigamente ninguém aqui porque era perigoso.


4. No dom ingo passado e u ________________ . Por que vocês não ?

5. N ó s _________________ aqui todo domingo. For que vocês n à o _________________.

P. Anios cu aqui tod '■dia. Agora eu n à o mais.


7. Antigamente n ó s _______ ___________ ver Melena toda seman í, Eles tam bém

Mas agora é diferente. Ontem só n ó s_______________ . Ninguém m ais

8. A gente quando a gente pode. Onteni a gente nào póde. Dost ulpi 1

En sabia que você estava aqui.


Eu soube que você estava aqui, (alguém me contou)

Eu sei o que está acontecendo.

1. E u _______ ontem que você vai viajar.

2. Quando crianças, nós n ã o ________________ falar inglês. Agora

3. V o cês onde está o Rodrigo?

4. Nós não que você estava precisando de a ttda. Desculpe!

5. Ele _________ na semana passada que a situação é complicada.


6. Ela nunca________________ o que está acontecendo porque não lê jornal.

7. V o cês que eles vão se casar?


8. Amigamente ninguém __________ o endereço dele. Agora todo mundo

9. E le s ontem que a situação está melhor.

10. Estou nervoso. N ã o _______________ o que fazer. Por favor, me ajude.

SABER CONHECER
(er uma informação conhecer uma pessoa
— Eu sei que ele mora no Rio. — Eu conheço Marcos,
ter uma habilidade conhecer um Iugar
— Eu sei falar
inglês. - E “ não conheço a índia.
- Eu sei jogar tênis. conhecer uma situação ou um objeto
- Eu conheço esse problema,
— Eu conheco esse carro.

102 ce n í o e dois
Saber ou conhecer?

1. N inguém ________________ o que eu penso.


2. Eu n ã o ____________ jogar golfe, mas e u __

____________ muitas pessoas q u e ____________

3. Q uero________________ outros países.

4. V o cê________________ quanto custou isto?


5. E u ________________ um homem q u e______

___________ falar 20 línguas.

6. Eu este carro. Eu

_______ que ele é muito bom.


7. E u ________________ quem ele é, mas não o
________________ pessoalmente.

8. N ó s________________ a família dele, mas não

onde moram.

Mim - C om igo - C onosco

Ele deu o livro para niiin. (Ele me deu o livro).


João trouxe o livro para mini. (para você, para ele, para nós, para eles)
João gosta de mini. (de você, dele, de nós, deles)
João só pensa em m im . (em você, nela, em nós
João faz tudo p o r m im . (por você, por ele ...)
João não vai lá sem mim. (sem você, sem ele ...)

com (eu) João vai trabalhar com igo, (com você, com ele)
(nós) João vai ficar conosco. (com vocês, com eles)

Eu sempre penso neles. Entre


A. (você) Ele gosta de você. os cíois, meu coração balança.

1. (nós) Você gosta d e ___________ .


2, (eles) Eu sempre penso (em)
3. (eu) Ele deu o caderno e os livros para

4. (eu) Vocês não têm cartas para_______

5. (eu/eu) Ele não quer falar (com) porque não gosta muito de

6. (você) Eu tenho uma notícia para


7. (nós/elas) Ele não quer jantar (com) Ele prefere jantar com

cento e três
8. (ele/eu) Eu não gosto (d e )____________porque ele não gosta d e ____________ .

9. (nós) Eles trabalharam muito tempo (co m )____________ .

10. (eu/eu) Eles telefonaram p ara____________e disseram que querem falar (com) '_______.

11. (eu/eu/eíe) Ele sempre pensa e m ________________ porque precisa d e . Eu nunca


penso (e m )____________ .

12. (eu) Venha (c o m )____________. Quero mostrar-lhe a cidade.

13. (nós/nós) Ele não quer sair (co m )____________ porque não gosta mais d e ____________ .
14. eu/eu) Minha amiga saiu (c o m )____________ e comprou um presente p ara ____________ .

15. (vocês/vocês/eu) S e m eu não posso ir. Eu preciso d e ____________ . Por favor,


venham (co m )____________.

B. Pronomes — revisão.

I . A lice, ligue para amanhã.


Q u ero________ contar uma novidade.

2. Vimos Pedro saindo do hotel e corremos para cumprimentá-_


Ele tam bém __________viu e sorriu p ara__________.

3. Eles não gostam desta cidade, mas visitaram- com seus amigos.
4. Não vejo Ricardo há muito tempo.

Vou telefonar-________ hoje à noite e convidá-_ para vir à minha festa.


Vou telefonar.

5. Amélia, vou visitá-_ amanhã.


Quero mostrar-______ o que eu fiz nas férias.
6. Eu gosto muito de você, mas não sei se você gosta de _

Eu penso sempre em você. Gostei muito do livro. Vou


lê-lo outra vez.
Quando é que você pensa e m ____________?

7. Onde está André? Eu não consigo encontrá-_


Preciso muito falar com

8. Gostei muito do livro. Vou lê- outra vez.


9. Meu amigo, venha. Quero m ostrar-_ minha casa
10. Mariana, eu gosto d e ____________.
E você? Você gosta d e ____________?

11. Vamos à praia amanhã. Você não quer ir

12. Fui ao shopping sozinho porque Adriana não quis ir

104 ce n to e qu atro
Texto narrativo

Usos e costumes —
Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul

O Brasil, como os países da Europa e os outros países da


América, tem usos e costumes diferentes para cada região
do seu grande território.

“— Você já foi à Bahia, nego?


Não? Então, vá!”

A música tem razão, A Bahia é um dos estados mais


interessantes do Brasil. Seus habitantes guardam ainda
tradições de religião, comidas e costumes da época da
escravidão negra. A capital, Salvador, tem 365 igrejas
(segundo a tradição popular). Seus habitantes misturam
o culto católico com cultos africanos, como o candomblé.
A festa de Iemanjá, rainha do mar, atrai milhares de pessoas e é um lindo espetáculo. A comida também
é bem característica: acarajé, vatapá, cuscuz, tudo feito com azeite de dendê. E os doces? A famosa
cocada e os deliciosos quindins, muito famosos, são feitos com coco.

Ao norte da Bahia fica o Ceará.

“Olê, mulé rendeira,


Olê, mulé rendá.
Tu m !ensina a fazer renda,
Que eu t ’ensino a namorar”.

Como são lindas as rendas do Ceará, as praias


do Ceará, com jangadas e jangadeiros no mar!
Os habitantes do Ceará comem muita carne seca
com farinha e têm um sotaque diferente dos
brasileiros do sul.
O Ceará apresenta vários tipos característicos. O
jangadeiro é o pescador corajoso, que sai no seu
"barco a vela, muito frágil, sem saber se vai voltar.
O cangaceiro, uma mistura de bandido e de
homem valente e violento, vivia antigamente no
sertão do Ceará.

No extremo sul do país fica o estado do Rio


Grande do Sul, cuja capital é Porto Alegre.

“Vou m ’embora, vou m ’embora,


Prenda minha,
Tenho muito que fazer.”

ce n to e c in c o
Seus habitantes, os gaúchos, são gente forte, alegre e orgulhosa, que aprendeu a defender suas terras
nas violentas lutas de fronteira. Os pampas são a paisagem característica desse estado.
Nos invenios, sempre rigorosos, os gaúchos usam o poncho, uma longa capa feita de lã de carneiro.
Durante o ano todo, não dispensam nem o chimarrão, um tipo de chá muito amargo, nem o churrasco,
carne assada no espeto, sua comida típica.

A. Responda a estas perguntas.

1. Por que o Brasil tem muitos usos e costumes diferentes?


2. Por que a Bahia tem influência africana em suas comidas e em sua religião?
3. Qual a festa de tradição africana mais conhecida?
4. Se você já provou comida baiana, o que achou dela?
5. Você gosta de pratos exóticos? Por quê?
6. Quais são os tipos característicos do Ceará? O que sabe sobre eles?
7. Qual o prato típico do cearense?
8. Quem são os gaúchos? O que sabe sobre eles?
9. O que é o poncho? Por que os gaúchos o usam? -N.
10. Qual a comida típica do gaúcho?

B. Escreva o nome de cada um dos Estados brasileiros destacados e de suá


capital.

c e n to e s e is
UNIDADC 9
Sons tempos aqueles...

Senhor — Veja. moço! Aquele homem está quase


dormindo e nào está vendo que o sinal
está fechado. Ele vai bater naquela
bicicleta!
Moço —- Ah! que sorte! Ele desviou dela na
hora H!
Senhor — Ainda bem. É perigosissimo dirigir
quando a gente eslà muito cansado ou não
se sente bem.
Moço — De fato, o senhor tem razão. E o
trânsito, numa cidade tão grande quanto
esta, deixa qualquer pessoa maluca. Há
carros dem ais, gente dem ais, sinais
demais ... e muita indisciplina.
Senhor — Você nào se lembra, mas eu nie lembro
com saudade dos tempos em que esta
cidade era pequena. Bons tempos
aqueles... Mal posso acreditar que ela
cresceu tanto.
Moço — O senhor tem razão. O senhor gosta
de dirigir?
S en h o r - Só em estradinhas do interior. Aqui
nao. Fu me stnto mal com toda esta
confusão. Prefiro andar de ônibus.

Vamos para a praia

— O tempo tem andado péssimo.


Não chove há semanas eestá muito
abafado.
— É , e ain d a por cim a esta
poluição.
— Neste rim de semana vou para a
praia. Lá tem que estar melhor.
— Boa idéia. Eu também vou. Lá
eu me sinto bem. Os dias são muito
claros e o céu é limpíssimo. Aqui,
mal posso respirar.

c e n to c se te 107
Modo in dicativo

SEN I IR — Fretériln perfeito


Eu senti Nós sentimos

f . r ¡ni i-ni: Como sentir: ferir (eu fíro, você fere)


vestir (eu visto, você veste)
sentía Nós sentíamos servir (eu sirvo, você serve)
V ocê K \ nefs repetir (eu repito, você repete)
Ele sentia Eles senliar divertir (eu divirto, você diverte)
Ela 1/ Elas mentir (eu minto, você mente)

Hm! Esta tudo tao bc m !


A. Numa festa informai para seus amigos.

— O que você veste?

— E u ................................................................................

— O que você serve?

— E u ................................................................................

— Como você diverte os seus amigos?

— E u ................................................................................

— O que você prefere: receber seus amigos em


casa ou num restaurante?
— E u ................................................................................

B. Num dia duro de inverno.


Sirva-se. por favor.

— O que você serve O que você sente?


para suas visitas? ■E u ....................................................................... .
— E u ............................ O que você veste?

■Eu............................................................................

■O que você prefere: ficar em casa ou sair?

E u ....................................................... ....................
■Como você se diverte?

Eu m e .....................................................................

ce n to e o ito
C. Complete no Presente. Garçom, náo vai nos servir ?

1. (divertir) Ele anda nervoso. Nada o u


2. (preferir) O que vocês ? Chá ou café?
3. (servir) O que v o c ê __ como sobremesa no verão?
4. (divertir) V o cê _______ seus amigos com suas histórias.
5. (divertir) E u _________ meus amigos com minhas piadas,
6. (mentir) Vocês muito. Não acredito mais em vocês.
7. (preferir) Eles visitar o Rio em julho. Não é tão quente.
8. (servir) Eu sempre ____________ cafezinho para meus amigos, quando eles vêm me visitar
9. (servir) Você acha que este garçom ________________ bem? Nós já estamos aqui há meia hora!.
10. (servir) Este livro n ã o ____ para nossos alunos. É muito antigo.
11. (servir) Estas blusas ainda ___________ para você. Use-as mais um pouco.
12. (mentir) Eu nunca_______ mas e le _______________o tempo todo.
13. (vestir) E u _______________ roupas quentes quando está muito fido.
14. (mentir) Cuidado com eles! Eles sempre
15. (divertir) No circo, o p alh aço__________ as crianças.
16. (preferir) N ó s _______________ esperar por João aqui.
17. (preferir) E u ________________ chá, por favor. E você?
18. (vestir) Os gaúchos poncho no inverno.
19. (servir) E u ________ sorvete.
20 .(divertir) Cinema e teatro nunca me

Verbos pronom inais


— Por que você está cansada?
— Porque até agora eu só trabalhei. Lu não
V E ST IR -SE — Presente do indicativo
rne sentei nem um m inuto! Eu m e m ato pior Eu me visto Nós nos vestimos
v o cês!
Vocc N Você* [v
— Não se queixe! Amanhã é domingo! Ele A se veste Eles & se vestem
Elu V Elus V

A. Conjugue em todas as pessoas.


LEVANTAR-SE — SENTAR-SE — QUEIXAR-SE —
Pretérito imperfeito Presente do indicativo Pretérito perfeito do
do indicativo indicativo

ce n to e n o v e
B. Relacione.

Ele me às ó horas,

Eu com aquela faca Eu me sinto linda.

N inguém 110 espelho

Nós no sofá

Voce nos bem aqui. Por que?

Eles muito na festa,

Ela no banheiro.

Os verbos pronominais em português podem ter sentido reflexivo e recíproco.


Ex.; Eu me olho no espelho, (reflexivo)
Eles se conhecem há muito tempo, (recíproco)

fí decisão
Ela então se decidiu. Levantou-se, vestiu-se e saiu. No elevador encontrou um vizinho. Cumprimentaram-se,

conversaram um pouco e, na rua, Qespediram-se. Ela virou a esquina e dirigiu-se para o escritório do noivo.

C. Sublinhe os verbos pronominais do texto e classifique-os (reflexivos ou


recíprocos).
Ela então se decidiu. Levantou-se, vestiu-se e saiu. No elevador encontrou um vizinho.
Cumprimentaram-se, conversaram um pouco e, na rua, despediram-se. Ela virou a esquina
e dirigiu-se para o escritório do noivo.
D. Complete as frases com os seguintes verbos, no tempo adequado.

1. Teresa, o avião já vai partir. Precisam os_______________ agora mesmo.


z j u e s t i r - s e i- * 2. Na festa tod os____________________________ alegremente.
3. Se não , ele mora nesta casa.

4. A gente sem pre____________________ com as mulheres.

5. Quando ela passou, todos os rapazes para vê-la.

6. Quando cheguei a Londres,________ ao hotel.

7. As crianças estavam atrasadas, por isto e la s _________________________


depressa e comeram para a escola.

8. O almoço estava pronto, mas a empregada não estava em casa. Por isso

nós m esm os_____________________________.

9. Quando a gente está cansado, a gente não bem.


/ fseroir-se^ \ 10. A festa vai ser animada. As
Ela se acha o máximo!
moças e os rapazes v ã o _______
S s m ir a ^ muito.

: 1. Aquele homem não estava


¿ Ü v iia r -s e ^ c _____________ bem. Ele pegou um

n/ 1 cumpri-
*■—I manrar sa
r?
I \
I— ^
táxi e foi para casa.
12. Ela gosta de Antônio e de

Pedro, mas n ã o _____________

por nenhum deles.

Q uadro geral dos Pronom es pessoais

S U J E IT O COM PLEM ENTOS

Direto Indireto Reflexivo reciproco


Eu me m e. m im , comigo nie

Você o. a
Ele (-!« .- Ia) lhe se
E la -n a )

Nós nos nos, conosco nos

Voces os. as
Eles (-lo s .- Ias) lhes se
Elas ( - nos, -n as)

ce n to e o n ze
Dinheiro curto ...
Vi Marina ontem. Ela acabou de chegar da Europa. Voltou impressionadíssima com os preços de lá.
Os hotéis são caríssimos. Ela mal pôde fazer compras e por isso não pôde trazer o relógio que lhe pedi.
Ela queria ficar nos melhores hotéis e comer nos restaurantes mais famosos. É claro que não foi
possível. Você também tem de ouvir Marina contar suas histórias.

Superlativo (1) bom o m iih o r de


m au , ru im o p io r de
Este hotel é moderno.
Este hotel é o mais
modemo cidade. da g ran d e o m a io r dc
Estas cidades são famosas. pequeno o m e n tir de
Estas cidades são as mais
famosas Europa. da

Transforme as frases usando o superlativo.

1. Comprei um carro caro.

2. Ela mora numa casa confortável.

3. Esta fábrica vende aviões velozes.

4. Ontem vimos um filme interessante.


5. A sala dele é clara.

6. Fizemos uma viagem curta.

7. Ela mora num bom apartamento.

8. Fabricamos máquinas grandes.

9. Eles fizeram um mau negócio.


10. Ela abriu uma loja pequena.

Superlativo (2)

Este hotel é m o derno.


Estas cidades são famosas.
Este hotel é m o tto m od ern o .
Estas cidades são m u ito famosas.
Este hotel c m oderm ssim ii.
Estas cidades são fam osíssim as.

am ável a m a b ilís im o
m au . r u im péssimo
bo m ó tim o __
a g ra d á v e I a g r a d a b ilís im o
fácil fa d lim n
d ifíc il d ific ílim o

ce n to e d o ze
A. Transforme as frases conforme o modelo.
Esta sala é clara. Esta sala é muito clara. Esta sala é claríssima.

1. Ele comprou um apartamento velho.............................................. .......

2. O irmão dela é alto......................................................................................


3. O tempo em São Paulo é instável ............ ................................

4. Esta bicicleta é barata. .........................................................................

5. É difícil dirigir em São Paulo..................................................................

6. Ela acha fácil dirigir em Nova York......................................................

7. Nosso diretor é um homem ocupado.....................................................

8. Ele éjovem , mas é responsável..................................... .........................


9. O que aconteceu com Tomás? Ele está gordo....................................

10. O carro está conservado e o preço é bom ............................... .............

11. Pobre homem! Ele estáruim ................................................... ................

12. Não gosto desta rua. Ela é e scu ra. ...................................... ...... ..........

13. Vou a pé para o escritório. Moro perto do centro..............................

14. Neste restaurante, os garçons são ruins, mas o cozinheiro é bom.

B. Escolha duas ilustrações e, para cada uma, faça um texto de propaganda,


empregando o superlativo.

////
C O S M É T IC O S

ce n to e treze
M odo indicativo

OUVJR — Presente simples PEDIR — Presente simple;


!
ouço ouvimos Eu peço Nós pedimos
!
Et» Nós
|
Voté K Vocês K [ \ oeê K Vocês
Ele <>ine Eles nim-iu Ele pede Klei y pedem
Ela V Elus l ' 1 Ia rias

o u \ IR — Pretérito perfeito ! PEDIR — Pretérito perfeito


Eu ouvi Nós ouvimos Eu pedi Nós pedimos
\ uct VueÊs K i \ me \ m es '
Ele ouviu Eles : um iram 1h 1 pediu Ejes pediram j
Ela Elas t i
1

OUVIR — Pretérito imperfeito PED I R — Pretérito imperfeito


Eu ouvia Nfe ouvíamos ! Eu pedia Nós pedíamos
\ oeê Você» K. \ ocí 1
Ele ouvia Eles I ouviam Ele pedia Eles \ pediam
Ela V Elas V l Ela / Elas V

Complete com os verbos nos tempos adequados.


Psíu! Não façam barulho.
Ele quer ouvir rádio.

1. (ouvir) Eu rádio todas as manhãs, mas ele não

2. (ouvir) Não façam barulho! Ele está seu programa


preferido.

3. (fazer) Ela não vai sair agora porque e s tá ____________ um


bolo.

4. (pedir) Ontem e le ____________um livro emprestado.


5. (pedir) Amanhã e le s ____________ férias ao chefe.

6. (fazer) No ano passado, ele m e ____________ muitos favores.


7. (pedir) Você sem pre________ sorvete de sobremesa, mas eu
Vou fazer um
salada de frutas.
quindim muito bom.
8. (fazer/fazer) No ano passado, eu ginástica duas vezes por semana.
Agora n ã o ________ mais.
9. (fazer/fazer/pedir) V o cê _________ bons negócios com esta fábrica
japonesa?
— Não, n ã o ____________. Eu sempre __ __

folhetos, mas nunca os recebo.

10. (fazer) As baianas___________ quindins muito bons.

114 ce n to e q u atorze
11. (pedir) Quando como neste restaurante, sem pre o prato do dia.

12. (pedir) N ó s __________________ o número do telefone dele, mas ele não deu.

13. (ouvir/ouvir) Antes nós muita música clássica; agora não mais

porque não temos tempo.


14. (ouvir/pedir) O público o concerto em silêncio e depois bis.

15. (ouvir/ouvir) Quando eu morava numa casa, _ a chuva bater no telhado; agora que

moro em apartamento n ã o ____________ mais.

Acabo de lembrar:
Não temos mais vinho. acabar de
— Por que você está nervosa?
— Porque acabo de (acabei de) ver um acidente.

Complete com acabar de .

1. (quebrar) Sinto muito, mas não vamos mais tomar vinho no


jantar. E u __________________________________ a última garrafa.

2. (contratar) Temos uma nova secretária.___________________________ -la.

3.(telefonar) Julieta não está em casa. E u ______ para lá.

4. (sair) Querem falar com o sr. Morais, mas ele

5. (receber) Hoje vamos jantar fora. E u ________ meu salário.

6. (ver) Marina não está em casa. E u ___________ -la na porta do cinema,

7. (fazer) Ele está contente porque_____________ um ótimo negócio.

(comprar) Eles estão sem dinheiro porque uma casa.

9. (sair) Vou comprar o último disco desta cantora. Ele

10. (limpar) A casa está limpa. E u ___________________ -la.

mal + verbo
Ele está com dor de garganta e mal pode falar.
Não vou conversar com ele porque mal o conheço.

Complete com mal + verbo.

1 Eu trabalho muito e J dUllyhlT

2. Ele está com sono e .......................................................................


3. Por causa da dor de cabeça e l a ....................................................

4. Ela estava com dor na mão e .......................................................

ce n to e q u in z e
5. Porque minha amiga estava com pressa e u ............. Meu salário é muito
baixo. Mal posso viver
6. Não é possível! E u ........................................................... com eie.
7. Por causa do sol e l e ........................................................ o farol fechado.
8. Meu salário é muito b a ix o ............................................. com ele.
9. Não vou convidar meu vizinho para a festa porque
10. Não me lembro do rosto dele. E u ........................ .......

precisar = 1er que = ter de


precisa
Você (em que ajudar o Paulo.
tem de

A. Responda a estas perguntas.

1. O que você precisa fazer h o je ? G&iÍ<&.


2. O que eles precisam comprar? Eles p recisam .............................. ............................................................
3. A que horas você precisa almoçar? E u ........................................................................................................
4. Por que ele precisa s a ir ? ...................................................................... .............................................
5. Com quem você precisa f a la r ? ......................................................................................................................

B. Retome o exercício A, substituindo precisar por ter de ou te r que,

1. O que você precisa fazer hoje? ............. ..............................


2. O que eles precisam comprar? E le s .....................................................................................................
3. A que horas você precisa almoçar? E u ..................................... ............................................... .................
4. Por que ele precisa s a ir ? .................. ...............................................................................................................
5. Com quem você precisa falar? .............................. .................................................................................

C. Complete estas frases.

1. Não posso ajudá-la porque tenho qu e....................................... ..................................................................


2. Ele não veio à festa porque teve de ................................................... ..................................................
3. O médico não vai nos atender hoje porque vai ter qu e.........................................................................
4. Para ser engenheiro v o c ê ........................................................................................................................
5. Para marcar uma entrevista com aquele artista a g en te........................................................ ........... .
6. A g en te ............................ para dirigir em São Paulo.
7. Para levantar cedo a g e n te ............................................................................ ........................................................
8. A g en te ........................................... «................. para ser elegante.
9. Para abrir uma fírm anos .................................................................................................................. .............
10. Para falar com o Papa v o cê. ................................... ..............................................................................

c e a to e d e z e sse is
Sinais de Trânsito
Mão única Direção a seguir Contramão
Esta rua é mão única. Vamos sempre reto! Esta rua é contramão.
Esta rua dá mão. Vamos sempre em Você está na contramão
frente! Você não pode entrar na
Não podemos virar à contramão.
direita.
Não podemos virar à
esquerda.

Permitido estacionar Proibido estacionar Duas mãos


Esta rua é de duas mãos.
Ela tem mão dupla.

Homens trabalhando Proibido ultrapassar Proibido conversão


Esta rua está em Não podemos virar
obras. à esquerda

Você está dirigindo seu carro em direção ao banco. Você está na Av. 13 de
Maio, perto do supermercado. Observe a figura e responda a estas perguntas.

1. Onde fica o b a n c o ? ............................................


2. Em que rua você vai virar para chegar ao
banco?

3. Por que você não pode virar na rua


Tiradentes?

4. Que tipo de rua é a rua Dom Pedro I?

5. E a Avenida 21 de A b r il? ................


6. A rua Marechal Deodoro dá mão. Se você
pegar esta rua, você pode ir ató o fim ? Por
quê?

7. Depois de resolver seus negócios no banco,


você vai ao barbeiro. Que caminho você tem
que fazer?

8. Por que você tem de fazer um trajeto tão


comprido?

c e n to e d e z essete
Sinais de estrada Placas de advertência

Depressão na pista

Declive Aclive Ponte


Acentuado Acentuado Móvel

Região sujeita a ventos

Pista escorregadia
Mão Dupla Área com Projeção de
Adiante desmoronamento cascalho

Ponte estreita

XA Restaurante/ Posto de Gasolina/

cv Borracheiro/ Telefone Ciclistas Maquinária


agrícola
Passagem de
Pedestre

Pare som pre foi a da pista


Cuidado Animais Pass, de Nível
animais Selvagens sem barreira

U se luz b aixa ao cruzar


com outro veiculo Curva perigosa Não u ltrap asse na cu rva

Coloque as legendas adequadas.

ce n to e d ezoito
r

. 1

ce n to e d ezen o v e 119
Texto narrativo — Duas lendas indígenos.
1. fi vitória-regia

A vitória-régia é uma bela flor aquática, típica do rio Amazonas. Os índios contam uma lenda para
explicar seu aparecimento.
Naia era uma indiazinha bem bonita e pensava, como todos de sua tribo, que a Lua era um moço de
prata. Do casamento das índias virgens com este moço, nasciam as estrelinhas do céu.
Naia apaixonou-se pela Lua e, para aproximar-se dela, subiu montes e montanhas. Mas, mesmo
chegando ao topo das mais altas montanhas e erguendo os braços, não conseguia alcançá-la. A Lua
ficava sempre muito longe, no céu infinito.
Naia desistiu de buscar o moço de prata e ficou triste.
Uma bela noite, porém, aproximou-se do grande rio. O que viu? Dentro dele, bem lá no fundo, estava
a Lua. Naia não teve a menor dúvida. O moço de prata, noivo das virgens, lá estava, chamando-a. num
convite de amor.
A jovem lançou-se às águas do rio-mar, num mergulho ansioso. Foi-se afundando, mais e mais, até
desaparecer para sempre.
A Lua sentiu-se responsável pelo trágico acidente e achou que a indiazinha merecia ser recompensada
e viver para sempre. Num gesto de gratidão, transformou-lhe o corpo numa flor diferente, bela e
majestosa: a vitória-régia.

Responda.

1. Quem era Naia?


2. Por que Naia queria alcançar a Lua?
3. Por que Naia desistiu da idéia?
4. Explique como Naia morreu.
5. Como surgiu a vitória-régia?
6. A vitória-régia é uma flor típica do rio Amazonas. O que mais você sabe sobre ela?

c e n to e v in te
2. R criação da noîte

No princípio, era só o dia. A Cobra Grande guardava a noite no fundo do rio.


Um dia sua filha se casou e disse ao marido:
— Quero muito ver a noite.
O marido respondeu:
— A noite não existe. Há somente o dia.
— A noite existe, sim. Meu pai a guarda no fundo do rio.
O marido, então, mandou guerreiros à casa da Cobra Grande em busca da noite.
Quando chegaram lá, a Cobra Grande entregou-lhes um coco de tucumã e avisou:
— Tenham muito cuidado com este coco. Se ele se abrir, o mundo todo ficará escuro e tudo se perderá.

Os guerreiros prometeram tomar cuidado, mas, na viagem de volta, ouviram ruídos estranhos vindos
de dentro do coco. Era o ruído de sapos e grilos, de corujas e morcegos, de todos os seres que se
movimentam à noite. Cheios de curiosidade, os guerreiros abriram o coco....
Imediatamente, o mundo escureceu. A filha da Cobra Grande entendeu o que tinha acontecido:
— Soltaram a noite! — disse, furiosa.
E o marido, espantado:
■'— O que vamos fazer? Tudo vai-se perder.

c e n to e v in te e um
— Não tenha medo! Com este meu fio de
cabelo, vou separar o dia e a noite.
E arrancou um fio de seus cabelos.
Logo o céu se tomou vermelho e a madrugada
começou ...
Assim nasceu a noite.
Mas quando, finalmente, os guerreiros chegaram
à aldeia, a filha da Cobra Grande os castigou pela
d e so b ed iê n cia , tran sfo rm an d o -o s todos em
macacos. E os m acacos, assustados, começaram a
pular pela mata, de árvore em árvore, de galho em
galho. Quando, porém, a noite chegou, com medo,
eles se recolheram, muito quietos, à espera do dia.

Responda.
1. Por que os guerreiros foram à casa da Cobra
Grande?
2. Por que os guerreiros desobedeceram ao aviso
da Cobra Grande?
3. Explique como apareceram os macacos.
4. Conte lendas de seu país.

ce n to e v in te e d ois
UNIDflDC 10
D. Pedro II dormiu aqui

Guia Sinto muito, mas sempre trago os turistas para este


hotel. Até agora ninguém se queixou.
Turista P ois serei o prim eiro! Veja! Este hotel é horroroso.
E vai de m al a pior. É tão velho que está caindo aos
p edaços. E stá m uito mal cuidado. E não oferece
nenhum con forto.
Guia Mas é o hotel mais tradicional de nossa cidade.
D.Pedro II dormiu aqui há 160 anos atrás!
Turista Pois é ... E desde aquele dia nunca m ais ninguém
fez nada para co n serv á-lo ,
Guia Não adianta discutir. Não posso alterar o programa da agência de turismo.
Turista Pois aqui eu n ã fico de jeito nenhum. A lguém m e indicará um hotel pequeno e bem
limpinho. num a ruazinha tranqüila. O senhor tem algum a sugestão?

No portaria do hotel

— Há algum a carta para m im ?


— Não, nenhuma.
— A lgu ém veio me p rocu rar?
m ym ....... m m — Não, ninguém.
'O d
— O senhor tem certeza de que não há nenhum recad o ?
— Tenho, senhor. Não há nenhum recado, nenhum
da
a-.’£ telefonema e nenhuma carta. Não há nada para o
senhor.
Pronom es in de finid o s (1)
O senhor tem alguma sugestão?
algum amigo alguns amigos alguém
alguma amiga algumas amigas Alguém vai nos ajudar.
ce n to c v in te c três 123
Complete com algum , alguma, alguns, algum as, alguém.

1. Quando morreu, ele deixou_______________dinheiro e casas para os filhos,


2 . ___________ dia vou ao Canadá. Estou com saudade de amigos que tenho lá.
3. Veja! luzes estão acesas. Há em casa agora.
4. Eu trouxe jornais e ________
___________ revistas para você.
5. Ela precisa de informações sobre aquele candidato,
6. Nâo sei o que fazer. Você tem idéia?
7. Preciso encontrar___________ em casa.
8. Por favor, pode me ajudar?
9 . _________ viu o que aconteceu lá na esquina?
10. ____________ tem livros para emprestar?
11 . _________ me disse que esta firma vai de mal a pior.

12. E verdade. bancos e ________ fábricas já nâo querem fazer negócio com ela. Veja nossa
casa! Há
13 . ______________ telefonou para você, mas não deixou o nome. aíguém lá
dentro.
14. Você conhece lá do banco? Preciso de um empréstimo.
15. O ônibus levou _ crianças e _______________professores ao museu.

Pronom es indefinidos (2)


Este hotel não oferece nenhum conforto.
n enhum amigo ninguém - nada Até agora ninguém se queixou.
nenhuma amiga Até agora ninguém fez nada.

Complete com nenhum, nenhuma, ninguém , nada.

1. Você tem algum amigo aqui? Não,


2 . _________________ amigo quer me ajudar. Acho que gosta de mim.
3. — Alguém me telefonou? — Não,

4. — Meu Deus! Quantos copos você quebrou?

— Não quebrei_________________ copo. Quebrei alguns pratos.


5. Ele não te v e _________________ problema, por isso não f e z _____ pergunta.
6. Telefonei para lá, mas não h avia em casa.

7. — Você pode me emprestar algum dinheiro?


— Não, de jeito________________ ,
8. — O que você disse? — _________________.

9. João não é meu amigo. Ele não f e z _ para me ajudar.


10. Todos queriam ajudar, mas na hora H _ apareceu.

124 ccn to c v in te c quatro


M odo indicativo — Futuro do presente

MORAR Futuro do presente VENDER Futuro do presente


ku morara Nds moraremos Eu venderei Nos venderemos
\ iKÚ Viteés Vurf Vuccs -,
lite morará Fies morarão v en d e rá Etes venderão
Ela
ABRIR
► lilas

Futuro do presente

"i r r Elus
SER — Futuro do presente
Eu abrirei nós abriremos Nós seremos
Vote Vocês
lile abrirá liles
Ëltl ► Íí Ih s

Formação:
forma-se o Futuro do presente
a partir do Infinitivo

Observe.
FAZER — Futuro do presente
En farei Nós
Você
Ele fará
Elu

A. Leía o texto.

Ontem nosso guia nos mostrou as Cataratas do


Iguaçu. Saímos do hotel logo depois do café da
manhã. O ônibus já estava nos esperando. Cinco
minutos depois, ele partiu. Todos
nós estáv am o s co n ten te s. O
ônibus seguiu pela estrada até a
fronteira com a Argentina. Lá
descemos do ônibus e tomamos
um barco pequeno. Não dissemos
uma p alav ra, nem fiz e m o s
barulho durante a viagem de
barco, porque tudo nos parecia
perigoso: estávamos muito perto
das cataratas.
Foi bom chegar à Argentina. A
tarde, o ônibus nos trouxe de
volta para o hotel. Estávam os
muito cansados, mas felizes.

cc n to e v in te c c in c o
r
Agora passe os verbos do texto para o Futuro do presente. Comece assim:
"Amanhã nosso guia...

v_

B. Substitua o Futuro imediato pelo Futuro do presente.

1. N o ano que v em v o u trabalh ar m en os e d escan sar m ais.

2, E le s d isseram que vão com p rar e v en d er carros u sados.

3. N ós v am os partir às 9 de S ã o Paulo e às 11 v am os ch eg ar à B a h ia .

4. O qu e v o cê vai fa z er? V ocê v ai m e trazer ainda m ais p ro b lem as?

5. A n a M a ria v a i d izer ao c h e fe qu e p re cisa ganhar um ordenado m elhor. O que e le v ai lhe dizer?

6. E sta s suas id éias vão nos trazer p ro blem as.

C. Formule as perguntas. Use o Futuro do presente.

1. (p assar) O nde v o cê s passarão suas féria s? E m C am pos do Jordão.

2 . ( a b r ir ) .................................................................................. ? À s dez horas em ponto.

3. ( a ju d a r ) .......................... ? N inguém .

4. (fa z e r) ..................................................... ? N ada.

5. ( i r ) ............................................... ? D e n avio.

6. (b e b e r ) .............................................................. ? U m guaraná.
7. ( t r a z e r ) ? N enhum .

8. ( d i z e r ) ............................................. ? N ão.

9. (c o m p r a r ) ? N o Sh oppin g L este.

10. (ped ir) ? G o iab ad a co m q u e ijo .

cc n to c v in te c seis
Modo in dicativo

DORMIR — Presente simples DORMIR — Pretérito perfeito


Eu durmo Nòs dormimos Eu dormi Nós dormimos
Vucêb W êsi
Ele J> dorme Ele* / dormem ik dormiu Eli» | dormiram
: Via* 1

DOUJVIIR — Pretérito imp er feito DORM IR— Euluro do presente


Eu dormia Nés dormíamos Eu dormirei Nós dormiremos
\ V’g cb
: Ele > dormia Eli» i dormirá g ’.nnirüu
. ElU
Como dormir: cobrir, tossir, engolir

Modo indicativo
!
!

SUB IB — Presente simples SUBIR — Pretérito perfeîtij


ILu subo Nós subimos
&

Eu
£
I

Você k Vocês Você S (n és


. sobe Etes sumram
1

VU- Ele stlbiu Eles


Elu / Elus Lia E li*

SUBi [R — Pretérito imper rei to SUBIR — Enturo do preseï ute


Eu subia Nós subíamos E» subirei Nós subiremos
\ ocí \ VVil:és Vol i
Ele subía Eles stibium Ele subirá ,! ^ / subirSo
11 1lu y Ek-s Elu Elus

Como subir: íugir, sumir, consumir, sacudir, acudir


Complete.

1. (d orm ir) B o a - n o i t e !___________________ bem !

2. (d orm ir) V o c ê s ___________________ bem no

v erão ?

3. (d orm ir) A n tig am en te a g e n t e ______________

__________ m ais.

4 . (su bir) O s p r e ç o s ___________________ sem pre.

5. (d orm ir) Q uando estou can sad o, eu

________________ a noite inteira.

E v o cê ? V o c ê ________________ ?

co n to c v in te c s c tc 121
6 . (su bir) Eu n ã o _______________ a escada. Eu tom o o elevador. E v o c ê ? V o c ê _______________

7. (su bir) Q uando eu queria fa la r co m ele, e u __________________ até o 15° andar.


8. (co b rir) À n oite, ela sem p re s e _______________ porque diz que sente frio.

M as eu não m e
Ei, você al! Não suma!
9. (fu g ir) Todo m u n d o ___ ________ d ele porque ele é p erigoso.

M as eu n ã o ________________ Eu não tenho m edo dele.

10. (co n su m ir) A s p essoas _ m ais no fim do ano.

E u ta m b é m _________________
11. (su bir) A s águas do rio _ quando ch o v e m uito.

12. (fu g ir) N ã o _____________


13. ( c o b r ir -s e )______________ ! E stá frio.

14. (su m ir) N ã o ____________ ! Q uero falar co m v o cês,

V ocês s e m p r e _______________ quando p re ciso de v o cês.

15. (fu g ir) O ntem o s ladrões ____________ . E le s s e m p r e ____

Foi aqui mesmo. Mal


posso acreditar.

€ra um corro novinho em folho!


— D ro g a! R ou b aram m eu carro!
— Você deve estar enganado.
— N ão, não estou. E u o esta cio n ei a li, pertinho daquela
árvore e ag ora não está m ais lá.
— Calma! Vamos ver este negócio. A que horas foi isso?
— A gorin h a m esm o. N ão faz n em d ez m inutos.
— Mas que coisa! Nào é possível! Você tem certeza?
— Tenho. F o i aqui m esm o . M a l p osso acreditar.
— Com o era o carro?
— E ra n ov in h o em folha. O que é que a gen te faz agora?
— A gente tem de ir ã polícia. É a primeira coisa que a gente deve fazer. Nào há outro remédio.

D im inutivo

O diminutivo é muito usado no português do Brasil. Ele serve para indicar:


a. objetos pequenos: Comprei uma casinha na praia.
b. carinho: Venha cá. filhinha!
c. ênfase: Ele mora pertinho daqui, (bem perto)
d. desprezo: Que filminho monótono!
e. muitas vezes é usado
como forma típica da
língua, sem função
definida: Ele ficou um bom tempinho lá.

cc n to o v in te c o ito
G eralm en te a term in ação do U sa -se /.mho, z in h a para os segu intes ca so s:
dim inu tivo é in h o , in h a :
a. palavras terminadas cni pai - paizinho
e sco la — e s c o lin h a sílaba tônica: boa - b o a z in h a
ca sa — c a s in h a c a fé - c a fe z in h o c. palavras ten das em
m en in o — m en in in h o
m u lh er - m u lh erzin h a som nasai:
papel - p a p elzin h o bom - b o n zin h o
rapaz — rap azin h o
b. palavras terminadas em mãe - mãezinha
duas vogais: irm ão - irtn ào zin lio

Tome o seu
A. Passe para o diminutivo, ertinho. : Ihínho!

objeto pequeno
1. U m cop o pequeno é u m ........................

2. U m anel pequeno é u m .........................

3. Um chapéu pequ eno é u m ...................

4. U m a m ão pequ ena é u m a .....................

5. U m nariz pequeno é u m .........................

6. U m a p raça pequena é u m a ...................

carinho
1. U m a r u a pequena e tranqü ila é um a

2. E stou procurando um a c a s a pequ en a ebon ita. So n h o com um a _ _ _______________ assim .

3. Ir ao cin em a em dia de ch u v a é um b o m p r o g r a m a . É um ____________________bom .

4 . V ocê está fazen d o c a fé , não está? Sen ti o c h e ir o . Q u e ____ ______________ bom !

5. E le é um b o m rapaz. G o sto d ele. E le é m u ito ____ . G o sto dela tam bém . E la

tam bém é m u ito ____________________.

6. A gen te g o sta m uito de n osso c h e f e . É u m _________________ 100%

Você leu este livro iodinho?


ê n fa s e

1. F a le b a i x o , por fav or! F a le bem __ _______________ .

2 . E le s m oram m uito p e r t o d a q u i,_______________________ .

3. Eu li o livro in te ir o . E u li o li v r o ________________________.

4 . G o ste i do livro todo, do c o m e ç o até o f i m .

É ótim o d o até o _____________________.

5. T rab alh e d ir e it o . F a ç a tu d o ___________________________!

6. T om o c a fé com m uito p o u c o açúcar.

S ó u m _________________ , p o r fav or!

cc n to c v in te e n o v e
desprezo

1. U m f i l m e de m á qualidade é u m __________________

2. lim a m u lh e r d esagrad ável é u m a _________________

3. U m a r e v is ta de m á qualidade é u m a ______________

4. U m h o m e m ch ato é u m __________________________ .

5. U m c h e f e d ifícil é u m __________________________ .

Tenha calma! É só um minutinho.


sem ftmção definida
1. E sp e re um m in u to , p or favor.

S ó u m __________________________ .

2 . E sto u ocupado agora. V enha fa la r co m ig o em outra hora\

N u m a ___________________ m ais fá cil.

3. Vou em b o ra agora. C i a i d _________________________ .

c o t? ex p ressã o
<=j°
ti p i c a
B. Classifique os diminutivos:
■Q d a lín g u a

1. Você já leu o ¡ornalzinho da escola?


2. Ela deixa tudo limpinho. i

! 3. Ela está tão bonitínha hoje! 1


4. Nào gosto desta mulherzinha.
5. 0 solzinho está gostoso hoje.

6. Quero só um pouquinho de chá.


7, A ceita um cafezinho?
8. Ele tem uma vidinha calm a.
1
I - .
1
9. Nossa! Que livrinho ruim! I

10. Joâozinho, agora você vai ficar sentadinho aí.


: 11. Eía faz uma comidinha gostosa. j I

12. O ladrão entrou na casa devagarinho. L "1

C. Substitua as palavras grifadas por seu diminutivo. Explique sua função.

1. A em pregad a j á term in ou o se rv iço , s il. Q SéíZ .fáfó: & íf í\ ;. :L; :d h ...........................................

2. A s co n tas estão c o m p le t a m e n t e c e r t a s .................. ...............................................................................................

3 . M a ria é b o n i t a , m as um p ou co b o b a .....................................................................................................................
4 . G o ste i destas roupas. Vou com p rar todas. S ã o m u ito b a r a t a s ..................................................................

5. C uide b em da b ic ic le ta . E la é m u ito n o v a ................ .................................................. .......................................

6. G o sto do c a fé b e m d o c e ....................................................................................................................................
7 . N ão co m a estas bananas h o je ! E la s ainda estão m u ito v e r d e s ...................... ...........................................

ce n to e trinta
8. E le fo i até a c a sa d ele e v oltou m u ito r á p id o porqu e m ora m u ito p e r t o daqui.

9. D e testo este h o t e l. É caro, m as não é co n fo rtáv el.

10. E le não é um bom escritor, m as os liv r o s dele fazem su cesso.

F a z u m t e m p ã o ... Não faz ncm dez m inutos!


Eu trabalho aqui há dez anos.
Substitua o verbo grifado.
Faça outras modificações, se necessário.
1. E stiv e m o s em B ru x e la s h á cin c o anos.

Faz um tempão que a gente


2 . H á dois m eses eu não o v ejo . se conhece-

3. L ú c ia e A nd ré se separaram h á alguns anos.

4 . H á dois dias ele saiu do hosp ital e j á está trabalhando.

5. H á quanto tem po nós nos co n h ecem o s?

6. N ã o sei exatam en te. Já h á m uito, m uito tem po.

V erb o d e v e r

Suposição V ocê deve estar enganado.


O b rig ação, dever: Você deve fazer seu trabalho sozinho. Eles devem estar nervosos.

A. Complete com dever. Suposição ou obrigação?

E le trabalh ou m uito h o je . & l e cleo eed ta A .c a *iA G tiú -, fd u p & tiçâ & J

1. E le s estão em d ificu ld ad e. N ó s aju d á-lo s. (_________________ )

2 . J á são duas horas e v o c ê ainda não alm oçou.

V o c ê ______________________estar com fom e. (_____________________ )

3. E le p re cisa fa la r co m v o c ê . V o c ê esp erá-lo . (__________________ )

4 . Todo m u n d o ___________________ resp eitar as leis._(__________________ )

5. E le está m uito nervoso. E l e ___________________ ter p roblem as. (__________________ )

ce n to e trinta e um 131
B. Complete as frases. Use d e v e r.

1. (ca n sa d o ) Vera, v o c ê trabalhou o dia todo sem parar. V o c ê .................................estar

2. (co n ten te) E le s receb eram o p rim eiro prêm io. E l e s ............................................ ..............

3. (d oen te) H o je está quente, m as eles estão co m frio. E l e s ...............................................

4 . (a n tig o ) E stes quadros são m uito caros. E l e s ........................................................................

5. (rico ) Q ue c a sa en orm e! E la é linda! O s d o n o s ....................................................................

6. (ric o ) E le s ganharam o p rim eiro prêm io da loteria. E l e s .................................................

7. (estran g eiro) E stas p essoas não entendem o que d izem os. E l a s ................ .................

8. (fe liz ) A festa d eles foi um su cesso . E l e s ..................................................................................

C. 1. O que uma boa secretária deve fazer?

E la d e v e & £ }< & ? & :...........

E la d e v e ........................................................................

E la d e v e ........................................................................

E la d e v e ........................................................................

E ía d e v e ............................ ...........................................

E la d e v e ........................................................................

2. O que uma cidade deve oferecer para ser urna boa cidade? (6 frases)

ce n to e trinta e dois
3. O que a gente deve fazer para ser feliz?
r

Canção popular
“T erez in h a de Je sú s O primeiro fo i seu pai,
D e urna queda fo i ao O segundo seu irm ão,
ch ão , acud iram três O t e r c e ir o foi aquele
ca v a lh eiro s, todos três, A quem T ereza
m ão. deu a m ã o .”

O rdinais

r , I a, r \ i as 6" sexto ... 90° nonagésimo ...


primeiro, a, os, as V sétim o... 40" quadragésimo ... 100" centésimo ...
2° segundo ... 8° oitavo ... 50" qüinquagésim o.. 1 000" m ilésim o...
3° terceiro ... 9Ünono ... 60" sexagésim o... 1 000 000 "
4° quarto... 10° décim o., 70" septuagésimo ... milionésimo...
5o quinto ... 20a vigésimo 80" octagésimo ...

cento e trinta e três


A. Leia o texto em voz alta.

Um passeio pelo Brasil

P rep arem -se! V am os co n h ecer o B ra sil


em 3 0 dias. S a irem o s de São Paulo e
n ossa I a e sca la será o R io de Ja n eiro .
L á passarem os o 1°, o 2°, o 3° e o 4°
dias. N o 5° dia partirem os para Salv ad or,
onde fica re m o s 4 dias, o 6°, o 7°, o 8° e o 9°. N o
10° d ia estarem o s em M anau s. N o 15° dia, n o sso destino
será o P antan al M ato g ro ssen se. N o 2 1 ° dia, ch eg arem o s a
B ra sília . L á n osso grupo se d ivid irá para pontos d iferen tes do
N ord este. N o 2 9 ° dia, nos reu n irem os n ov am en te em N atal,
c ap ital do R io G rand e do N orte. E n cerrarem o s n ossa v iag em no
3 0 ° dia, todos feliz es sob o sol do N ord este, rum o a S ã o P aulo.

B. Escreva por extenso.

1. (1 °) A s p e s s o a s da fila d ev em

apresen tar seus d ocu m en tos agora.


2. (3 a/26°) A n tigam en te ele trab alh av a n a _____________________________ porta

d este corredor. D ep o is m ud ou-se para o ______________________________ andar.

3. (1 0 0 ° ) E stá é a ________________________________ vez que lhe d igo isto.

4 . ( 5 7 2 a) V á até o ____________________________________ sinal e v ire na Pela milésima vez, não!

_________________________________________ esqu ina!

5 .( 1 6 ° ) E la m ora n o ________________________________ andar.

6. (1 0 0 0 °) P e l a v ez, não!

C. Diga de outra forma.

— R o u b aram m eu c a rro ........................... ...........................................

— C alm a! V am os v e r este n eg o cio

— Eu esta cio n ei m eu carro ag orin h a m esm o , pertinho d aquela árvore

— N ão fa z n em d ez m in u to s................ .......................

— N ão há outro rem éd io ................................................

— M eu carro era novin h o em fo lh a ..........................

— V o cê tem c ertez a ? V o cê deve estar enganado

— A g e n te tem de ir à p o líc ia ........ ............

134 ce n to e trin ta e quatro


Fofo: Quadro "A Independência do Brasil”. Pedro Américo. Museu Paulista.

Texto narrativo

Um pouco de nossa história


O B ra s il não é um p aís m uito an tig o , m as m uita c o is a j á aco n teceu aqui desde que os portu gueses
ch eg aram em 1 5 0 0 . D u ran te 3 0 0 an os, d epois de sua d esco b erta, o B ra s il p ou co se d esenv olveu . M as,
em fin s de 1 8 0 7 , D . Jo ã o V I, o rei de Portugal, e sua fa m ília aband onaram L is b o a , fugin do dos
e x é rc ito s de N ap oleão e in sta la ra m -se no R io de Ja n e iro . C om a fa m ília rea l, v eio a co rte portuguesa.
C o m a ch egad a de 1 5 .0 0 0 p esso a s, a v id a da p acata cidad e do R io , co m seus 6 0 .0 0 0 h abitan tes,
m etad e d eles escra v o s, m udou co m p letam en te. D a n oite para o dia, o p aís co m eço u a progredir.
E m 1 8 2 1 , D . Jo ã o V I v oltou para P ortu gal, m as d eixo u em seu lu gar seu filh o D. P ed ro, o p rín cip e
h erd eiro, p ara d efen d er os in teresses de P ortugal no B ra s il. F o i um erro! A q u i, desde os 9 anos de
idade, D . Pedro se n tia -se um b rasileiro .
C riado em liberdade, sem pre em con tato co m os b rasileiros, ele com preendia o d esejo de independência
do país.
N o dia 7 de setem b ro de 1 8 2 2 , D . P ed ro, contrariando as in ten ções de P ortu gal, p ro clam ou , ele m esm o ,
a n o ssa ind ep en d ência. Isso a co n teceu em S ã o P au lo. D . Pedro aí estava para a calm ar os p atrio tas, que
e x ig ia m a in d ep en d ência. A s m argen s do riach o Ip iran ga, o p rín cip e receb eu um a carta de seu pai.
S ab en d o das a g ita ç õ e s p o lític a s pela in d ep en d ên cia e saben d o das ten d ên cias de seu filh o , D . Jo ã o V I
ord enava a D. P ed ro v o lta r p ara P ortu gal. Irritad o, D . P edro arran cou do ch ap éu as fitas co m as co res
portu guesas e, erguendo a espada, gritou: “ In d ep en d ên cia ou M o rte !”
D . P ed ro fo i, en tão, aclam ad o I o Im p erad or do B ra sil. A lgun s an os depois, co in a m orte do pai, D .
Ped ro I v oltou a seu p aís de orig em c o m o D. P ed ro IV, rei de P ortugal.

cento e trinta e cinco


Responda.
t . A co lo n iz a çã o do B ra s il fo i rápida?
2 . P en se um pouco e responda. P o r que o B ra s il progrediu co m a vin d a da co rte portuguesa?
3. T ente im ag in ar o s p ro blem as que a ch eg ad a da F a m ilia R eal e da corte portu guesa cau saram à
cid ad e do R io de Ja n eiro .
4 . P o r que D. Pedro não acom p an h ou o pai quando este v oltou a Portugal em 1 8 2 1 ?
5. P or que D . P ed ro se sen tia, tam bém , b rasileiro ?
6. Q ual era o a m b ien te p o lític o no B ra sil por v o lta de I 8 2 1 ?
7 . P o r que n o ssa in d ep en d ên cia fo i p ro clam ad a em S ã o Paulo e não no R io de Ja n e iro ?
8. A h istó ria de seu país é m uito an tig a? C o n te um ep isód io interessan te.
9 . D e screv a o quadro de Pedro A m é ric o , que ilustra este texto.

Falo: F a c h a d a d û M u s e u hnperíúf e m Pewõpolis! RJ.

ce n to e trin ta e seis /
UNIDADC 11
Progresso c progresso
— V ocê está lou co! C on stru ir aqui na
A v en id a P a u lista ? Isto n u n ca vai ser
p o ssív el.

— P o r que não?
— Porque é caro d em ais, ora essa! C ad a

Foto: Casa daí Rasas na Avenida Pau/isia/SP.


c e n tím e tr o v a le o u ro . E d e p o is , o n d e
v am os ach ar u m a c a sa à vend a, por aqui?
— V eja. por exem p lo, aquela, na esquina.
Lu soube que os p ro p rie tá rio s q u erem
vendê-Ja. Û ponto é ideal.
— M a s , p o r q u e q u e r e m v e n d ê - la ?
Q u a lq u e r u m g o s ta ria de te r u m a c a s a
co m o esta.
— Problem as de fam ília ... O prim eiro
d o n o f a l e c e u há um a n o e d e ix o u
herdeiros. E les tinham resolvid o alugar a casa. m as depois desistiram e agora decidiram vendê-la.
— É u m a boa oportunidade e não d evem os p erd ê-la. Para falar a verdade, eu já tin h a pensado n isso.
S ó faltav a co rag em ...
— D eve h aver vários interessados. Vamos ver se con segu im os fech ar o negócio antes dos outros.
— T om ara! M as olhe! Q u e c a sa b on ita! Q u e pena d em o li-la!
— De tato é m uito bonita. M as o que é que se vai fazer? Progresso é progresso.
— M esm o assim é u m a pena!

Pronom es indefinidos (3)


C a d a cen tím etro v ale ouro
C om p lete com : c a d a , v á rio s ,
C a d a um a d estas salas tem duas ja n e la s . v á ria s , o u tr o , o u tra , o u tro s ,
C a d a aluno receb erá um livro outras, qualquer.

E le d eixou v á r io s herd eiros


F iz v á r io s n eg ó cio s co m ele. 1 . ________________alu no receb eu um livro.
V á r i a s p essoas estav am in teressad as no n eg ó cio . 2 . ____________dia d estes ele vai aparecer.

V am os fe c h a r o n eg ó cio antes dos o u t r o s . 3. N ão g ostei desta blusa. Q uero v e r _____


V olte o u tr o dia.
N ão g ostei desta ca sa . V am os procu rar o u t r a .
4 . Já li todas estas rev istas. V ou com prar

Q u a l q u e r um g ostaria de ter um a c a sa co m o esta.


Q u a l q u e r dia destes vou v isitá -la .
5. N ão desan im e! T e n t e __________vez.
Q u a l q u e r co isa serve.

ce n to e trin ta e sete
6. E le deu um p resen te p a i a ______________ crian ça.

7 . O d en tista tem urna fich a d e ________________ clien te.


— É meu! É meu!
8. E ste livro não serve. O sen h or não t e m ____________

9. P reciso fatar co m ele, m as e le não está.

V o lta r e i____________________dia.

10. Q ue jo rn a l v o cê quer? O “ E sta d o ” ou a “F o lh a ” ?

T an to f a z . __________________ um serve.

11. T e lefo n ei para e l e ______________________ v e z e s, m as

o en co n trei em ca sa .

12. E ste é um trabalh o m uito f á c i l . ___________________ p esso a

pode fazêrio.

1 3 .0 que v o c ê quer co m er? Tanto f a z . ____________________

co isa .

14. T e n h o ______________________am ig o s n a Europa. — Ninguém vai atender?

15. J á fo m o s a c a sa d eles vezes.

Modo indicativo

SAIR Presente simples Pretérito perfeito


Eu saio Nós saímos sai Nós
Você
Ele sai saem saiu
Ela

SAIR — Pretérito imperfeito SAIR — Puturo do presente


Eu saía Nós saíamos Eu sairei Nós sairemos
Vmêk VocêsK Vocí
Ele )> saiu Eles \ saiam Ele sairá sairao
Ela V Elus V Elu
Como sair: cair, trair, distrair, atrair, subtrair etc.
Complete com o verbo no tempo adequado.
(sair) E u só ¿/aqui am anhã.

1. (sa ir) N ã o _______________________ on tem porqu e estav a chovendo.


2. (atrair) O a ç ú c a r ________________________ as form igas.

3. (ca ir) C uidado co m os b u raco s. V o cê p o d e _____________________________ .

4. (su btrair) E le errou o p ro b lem a p o r q u e ______________________em v ez de somar,

5. (sa ir) Q uando eu era cria n ça , n ã o ______________________m uito de casa.

6. (sa ir) A m an h ã, q u erem os ir ao c in e m a , m as n ã o ________________ co m ch uva.

138 cen to e trin ta e o ito


7. (sair) P o r favor, a que horas as c r ia n ç a s ____________________ da e sco la ?
— C a í!...
8. (trair) E u n u n c a ____________________ m eus am ig o s, m as e l e ___________________ .
9. (d istrair) P o r favor, não m e _________________ ! E stou

trabalhand o. ~ Com° é bom f dar na


calçaaaaad...
10. (ca ir) N o ano p assad o, o N a ta l______________num a 4 a

feira.

11. (atrair) V itrin a s b o n itas s e m p r e ________________ os fre ­

g u eses.
12. (sair) E u n u n c a ___________________ sozinha,

13. (c a ir) E l e ________________ e q u ebrou a p em a.

14. (d istrair) E u m e __________________vendo tele v isão . E le s

s e ______________ouvindo m ú sica.

15. (distrair-se/cair) A s ca lçad as aqui são m uito irregulares.


S e a g e n t e ________________, a g e n t e _____________ .

Contexto

Boro —
o cidade que prefere não
crescer
B o rá , lo ca liz a d a a 4 5 0 q u ilô m e tro s de S ã o
P au lo, tem 7 3 2 h abitan tes. C e rc a de 8 0 % de
seus m orad ores v iv e do trabalh o v o lan te nas
reg iõ es v izin h as. S ã o b ó ia s-fria s. “E um a p op u lação p ob re” , re co n h e c e o p re fe ito , um h om em de 53
an os, filh o de lav rad ores, que não co n seg u iu estudar além da quarta sé rie do p rim eiro grau. M as,
segundo e le , a p ob reza de seus h abitan tes não im pede que a pequ en a cidade desfrute de b e n e fíc io s que
pod em cau sar in v e ja aos grand es cen tro s de d esen v olv im en to : lá não há m en in o s de rua, n em pedintes
e m uito m en o s fav elas.
O a sfalto co b re 9 8 % das p o u cas v ias p ú b licas e a água tratada e o esg oto ch eg am a todas as resid ên cias.
T rês m éd ico s e d ois d entistas con tratad os p ela P refeitu ra atendem toda a p op u lação e o ín d ice de
crim in alid ad e é zero. O ú ltim o h o m icíd io a co n teceu há m ais de 5 0 anos e a cad eia p ú b lica , constru ída
depois, até agora não re ce b e u nenhum preso. A P refeitu ra arrecad a pou co dinheiro da p op u lação , m as
m esm o assim co n seg u e p agar as co n tas da fa rm á cia da m aio ria dos m orad ores e m an tém um a horta,
distribu in d o, duas v ezes por sem an a, legu m es, verduras e frutas entre os h abitan tes da cidade.
A P refeitu ra m an tém , tam bém , u m a fro ta de quatro ônibu s e se is peruas para o transporte de estudantes
da zon a rural para a ú n ica e s co la da cid ad e, lo calizad a n a zon a urbana, e que atende alu n os do p rim eiro
grau. O s que dependem de c o lé g io s de outras cid ad es tam bém têm con d u ção grátis da P refeitu ra.
N ão há trabalh o em B o r á , p ois as lavou ras de c a fé estão em ex tin çã o . P o r isso , a P refeitu ra transporta
os b ó ia s-fria s para cid ad es v izin h as, onde trab alh am no corte de can a e na co lh e ita da laran ja.
U m dos orgu lhos do p refeito é o fu n cion am en to da P refeitu ra. O núm ero de fu n cio n ário s é adequado
às n ecessid a d es da ad m in istração .

ce n to e trinta e nove
J á hou ve tem po em que B o rá ch eg ou a o fe re c e r terren os para fa m ília s in teressad as em se m udar para
lá. M as a situ ação m udou: “N ão ad ian ta nada trazer fa m ílias para cá se aqui não há em p reg o ” , — diz
o p refeito. “ E m lu gar de b u sca r novos m oradores, que poderão trazer n ov os p ro b lem as, p referim o s
aju d ar n o sso s m orad ores para que eles não d eixem a cidade em bu sca dos grandes cen tro s” .

A. Complete com números.

B o rá , que fic a a ______________ km de S ã o P au lo, t e m ________________ h a b ita n te s .__________________ % de

su as ru as são a sfa lta d a s e _______________ % de su as c a s a s re c e b e m ág u a tratad a e têm e s g o to .

____________________ d en tistas e m éd ico s cuid am da saúde da pop u lação.

___________________ peruas e _____________________ ônibus levam as crian ças para a e s co la lo ca l e os jo v e n s

para e sco la s de cid ad es vizinhas.

B. Complete.

A m aio r parte da p op u lação de B o r á é form ada por lavradores sem em p rego fix o . E le s s ã o _________

___________ . A população é pobre, m as todos v iv em bem . A P refeitura, além de pagar m éd ico s e dentistas,

paga ta m b é m __________________ . N a área de alim en tação , a P refeitu ra m an tém u m a ___________________,

que fo rn ece verduras e legum es para a pop ulação,

C. Discuta.

1. Qual é o futuro de B o rá ?
2 . V ocê ach a que o P refeito está fazend o um bom g ov ern o? P or quê?

D. Relacione.


* f-
fria rural 1 f i / _ 1
1
na fruteira de a çú car ' j
■ *

de ca fé na cad eia
__________________________________ 1
Modo indicativo — M ais-que-perfeito com posto
(comprar)
Eu não comprei o jo m a l,

MOK AK — Muis-que-perleito do indicativo porque ele já tinha comprado.


(vender)
Eu tinha morado N ó s tínhamos morado Ele veio de ônibus, porque tinha vendido
o can o.
(p artir)
Q uand o eu ch e g u e i, e ie s já tinham
partido.

c e n to e qu aren ta
P articipio

Participios regulares Participios irregulares


andar — andado ganhar — ganho ver — visto
falar — falado gastar — gasto abrir — aberto
comer — comido pagar — pago cobrir — coberto
beber — bebido dizer — dito vir — vindo
decidir — decidido. fazer — feito pôr — posto
insistir — insistido escrever — escrito

A. Complete com o Mais-que-perfeito.


(d iscu tir) E u estav a n erv o so , porque eu tinha discutido co m m eu ch efe.

1. (pen sar) E le queria p assar as férias nas m ontanhas. E la j á _____________________ n isso.

2 . (reso lv er) E u j á _________________________ sair quando ela telefo n o u ,

3. (partir) O av ião j á _________________________ quando ch eg am o s ao aeroporto.

4 . (com p rar) E la gostou d aquele apartam ento, m as v o c ê j á ______________________um a casa.

5. (ir) Q uando o p ro fe sso r ch eg o u , os alu n os j á _________________________em bora.

6. (v en d er) N ós fom os para o R io de ônibus p o r q u e n osso carro.

B. Complete com o Mais-que-perfeito. Depois termine a frase.


(e scre v e r) E le estav a fe liz p orqu e ela lh e tinha e s c r ito , p o r is s o esta v a ca n ta n d o .

1. (v er) E le n u n c a _________________________ m ulher tão bon ita, p or i s s o _____________________

2 . (fa la r) E le s j á _______________ _ _ co m o diretor, por is s o _____________________________ .


3. (p erm itir) O s fu n cio n á rio s estav am b ravo s porqu e o diretor n ã o a festa. P o r

i s s o ________________________________ .
4. (v en d er) N ós q u eríam os com p rar aqu ela casa, m as ele já a P o r isso

5. (d ecid ir) A s cria n ça s q u eriam ir à p raia, m as os p a i s ir às m ontanhas. Por

i s s o _______________________________ .
6 . (d izer) N inguém acred itou , m as e l e ____________________ a verdade. P o r i s s o ______________________ .

7. (fa z er) N ó s n u n c a _____________ aq u ele trabalh o, por is s o ___________________________ .


8. (a b rir) A sala estav a g elad a porqu e e l e _______________________ todas as portas e ja n e la s , P o r isso

9. (g a sta r) N ão pude com p rar as entradas de teatro , eu j á todo o m eu dinheiro.

P o r i s s o _________ .
10. (gan h ar) E l a _______________________ um ca iro n ovo, por i s s o _____________________________ .
1. (escrever/responder) E le recla m o u porque ele j á três cartas e ela não

. P o r i s s o _________________________________________.

ce n to e qu aren ta e um 141
12. (v ir) E le tev e d ificu ld ad e em ach ar m in h a casa porque n u n c a _______________________________ aqui,

p or i s s o ________________________________ .

13. (pôr) N o esta cio n a m en to , ele fic o u n erv oso porque não sab ia o n d e ________________________ seu

carro, m a s ___________________________________.

14. (p agar) E le d esco b riu que n ã o __________________ a co n ta da luz, p or i s s o __________________________ .

15. (trabalhar/com er/dorm ir) E le s estav am m uito can sad os p o r q u e ____________________________ m uito,

____________________ p ou co e ____________________________m al, p o r i s s o ______

C. Por que ele estava contente?


Porque ele tinha
Porque, no escritório, ele tinha recebido uma boa notícia quebrado o vaso.

P or que ele estav a d esan im ad o?

P orq u e, no escritó rio , o c h e fe d ele t i n h a .......................................................

P o r que ela foi p ro m o vid a?

P orqu e e la t in h a ...................................................................................................................

P or que a m ãe fic o u b rav a co m o m en in o ?

P o r que ele t in h a ............................................................................ .....................................

Família de palavras — Com plete o quadro.

VERBO SUBSTANTIVO VERBO SUBSTANTIVO

í . partir a partida 14. assin ar

2 . ch eg a r 15. v o ar

3. a saída 16. o au m ento

4 . em pregar 17. a reso lu ção

5. trabalhar 18. e sco lh e r

6. a parada 19, repor

7. p ro ib ir 2 0 . d efen d er

8. a p erm issão 21. a abertura

9 . propor 2 2 . co b rir

10. pintar 23 . a perda

11. d iscu tir 24. o p reju ízo

12. a preferên cia 25. su gerir

1 3 . re c e b e r

ce n to e qu aren ta e dois
Intervalo — Irene no céu L j
M a n u el B a n d e ir a Æi

Iren e prêta
Iren e b o a I
Iren e sem pre de b om hum or

Im ag in o Iren e entrando no céu:


— L ic e n ç a , m eu b ra n co !
E S ã o P ed ro b o n ach ão * :
— E n tre, Irene. V ocê n ão p re cisa p ed ir licen ça . 'y jÆ Î \ j

* bonachão. b on ach on a: pessoa que c simples, bem-humorada, afável, calma.

Responda.

1. P or que Iren e não p re cisa pedir lic e n ç a para


entrar?
2 . A lin gu agem de Iren e é típ ica de que tipo de
p esso a ? N o c a so , quem é o b ra n co ?
3. Iren e é rev oltad a co n tra sua situ a çã o ? C o m o m M
sab em o s?
Foto: Manuel Bandeira.

Texto narrativo —
Pedras preciosas brasileiras (1)
Q uando u m a b e la esm erald a b rilh a nas v itrin as de u m a jo a lh e ria , quase nin gu ém im agin a a fascin a n te
v ia g em que ela faz para ch eg a r até lá. Tudo c o m e ç a nos garim p os da B a h ia ou de M in a s G e rais, onde
a esm erald a surge em estado bruto. A í, só os olhos de um té cn ico exp erien te podem v er o seu verdadeiro
valor. D o s garim p os, ela seg u e para as o ficin a s de lap id ação. L apidad a, ela c o m e ç a a m ostrar todo o
seu b rilh o , a su a b e le z a . F in a lm e n te , nas m ão s de um o u riv e s, e la se
tran sform a em jó ia . D a s m ãos do o u n v es ela vai para as do jo a lh e iro , que
a c o lo c a em sua vitrina. E aí, e la atrai os olh ares dos que p assam e é
adm irada.
A esm erald a, um a das pedras b ra sileira s m ais v alio sas, está ligada
a um trág ico episód io da h istó ria do B ra sil.
N os tem p os do B ra s il-c o lô n ia , F e m ã o D ia s P ais, um pau lista
m uito respeitad o e estim ad o, não só peto povo da V ila de
S ã o P au lo , m as ta m b ém p elo próprio rei de P ortu gal,
partiu de S ã o P au lo em d ireção à reg iã o das M in as
G era is. A cred itan d o que h avia u m a m on tanh a feita
só de esm e ra ld a s no sertão do B r a s il, e le tin h a
co n v en cid o o rei de P ortu gal a cu stear a e x p e d ição , a bandeira, e
tin h a ju n ta d o um grand e n úm ero de h om en s para aco m p an h ário na
m issão . A band eira vagou p elo sertão durante v ários anos. M u ito s band eiran tes
m orreram , outros fica ra m p elo cam in h o. H ou ve trág ico co n fro n to en tre F e m ã o
D ia s e um a parte de seu grupo que q u eria desistir. N o fim , depois de m uitas
d ificu ld ad es e so frim en to , perto do R io das V elhas, F e m ã o D ia s, en v elh ecid o ,
fraco e am argurado, en con trou ped ras verd es que ju lg o u serem esm erald as. M as

ce n to e q u aren ta e três 143


não eram - eram apenas turm alinas de p ou co valor. F e m a o D ias
m orreu ali m esm o , de feb re, n a ilu são de tê-las encontrado.

A. Responda.
1. P o r que a esm erald a atrai?
2. D ê a tra jetó ria d esta pedra do estado bruto até transform ar-
se em jó ia .
3. O que fa z um g arim p eiro ? E um lap idario? E um ou riv es?
E um jo a lh e ir o ?
4 . P o r que só um té cn ico exp erien te p erceb e o v alo r da
pedra bruta?
5. A esm erald a tam b ém o (a) atrai? P o r quê?
6. Q u em fo i F e m ã o D ia s? Q ual era seu so n h o?
7. E ste sonho fo i realizad o?

B. Baseando-se na trajetória da esmeralda,


descreva a transformação que acontece com o
ouro até chegar às vitrinas de uma joalheria.

Os caminhos
dos
bandeirantes

As Bandeiras eram expedições


organizadas para penetrar no
interior do Brasil, inicialmente
com o objetivo de apresar índios e
escravizá-los e, depois, de
localizar minas de metais e pedras
preciosas.
Chamavam-se Bandeiras por
causa do "costume tupiniquim de
levantar uma bandeira em sinal de
guerra".

O b jetiv o das band eiras


A p resam en te de índ ios
P ro sp ecçã o de m inas

ce n to e qu aren ta e quatro
UNIDODC 12
Viajando em fim de semana

I. Num sobado

— B o m dia, senhor. O que v ai h o je ?


— Este ni indo para Mal iaia. Quero que você
faça um a boa revisão no carro.
— O sen h or quer que eu v e ja os pneu s,
e x am in e a b a teria , o ó leo e e n ch a o tanque,
não é?
— É,
— O senh or p refere que eu p onha g aso lin a
azu l?
Nao, a comum mesmo, Quanto tempo
vai levar?
— U n s vinte m inu tos, no m áxim o.
— Tomara que eu chegue lá com dia claro.
O luitel onde vou me hospedar fie a longe
do centro.

II. No sobado seguinte

— B o m dia, senhor. O que m anda h o je ?


C1 m esm o du rom pre. Vou a Itatiaia de
n ovo. O q u e v o cê ach a do tem po?
— D uvido que ch o v a h o je à tarde. T alvez
fa ç a um p ou co de frio.
— É, é possível que faça frio.

111. Quinze dias depois


— O lá , tudo b em ?
- Tudo bem . O m esm o de sem p re?
— N ão, h o je não. S ó g a so lin a . N âo vou a
Itatiaia esta sem ana,
— É pena que o sen h or não vá. O tem po está
b om !
— P o is é. Q u e pena q u e a g e n te p r e c is e
trabalhar num sábado tão honiro!

ce n to e qu aren ta e c in co
Correio sentimental

sçr i f df df df
QRio de Janeiro, 13 dejuldo Je...
IRio de Janeiro, 8 Jejuldo Je ...
QueriJa GanJinda, d /
Querida Canjinda,
òsta é a sepunda carta pue ííie
ôstou apaixonada por um rapaz,mas
df escrevo. Galuez você não tenda df
acdo (jrue ele não posta Je mim. JoJos os
sádaJos ele oem ao posto Je pasolina,
onJe tradaldo como caixa, e sempre
peJe ao einprepada pue eneJa o tanpue,
examine a Jater¿a, veja ospneus e
(d recediJo a primeira. Gomo ide
disse antes, estou apaixonaJa por
um rapaz, mas duoido pue efe me
ame.
áParafa far a verdade, nem estou
df
uerijipue o ¿feo.
Genio conversar corn ale, mas não
df certa de pue ele me veja, puando dd
consigo, &le está sempre com muita uaipapar a conta. Jaluez nem
pressa e nem olha para mim. Que Jeoo
fazer?
df mesmo me ouqa. ôfe so conversa
com o emprepado pue o atende, df
(áspero pue uoeê me responJa lopo. õstou muito,muito triste. Que
Desesperada Ja Gapitaf
df Jeoojazer? (PorJavor, pepo-fie
pue me responJa Jesta vez.
df
pd Desesperada Ja Capital -¡fd /
n r f ' C T f
.

id d df df df

£ã& Paule, J¿2 de jddíko- de...


M inka cada PbeAeáfmada da Gapítai
I2ue -pena cjue vece dão- fodJa aed a cjue é ólsme: edite deft amoe nâe
tem jfidUiMt. 2 ne petna <^ue mee Jeja toa iAufemia!
Jlameule cfue mee edleje, cefádpíieanâa áua tuda.
PbeAÍAfta deále maça! Gi<fueça-de dele! P&d que mee nae 4e
ItdtedeAda pele- dapeuj, <fue tdakalka com mee aí fie pede? Gaíaef
ele lhe Piapa a jjelieidade cem cjjue mee eálá áxmUande.
Gcmdimka

146 c e n to e q u aren ta e s e is
M odo su b ju n tivo — Formação
Presente (1) —
Form ação regular O presente do subjuntivo formarse a
partir da 1a pessoa do singular do
presente do indicativo.

MORAR (Eu moro/ Que eu more) DIZER (Eu digo/ Que eu diga)
— Presente do subjuntivo — Presente do subjuntivo
Que eu more Q“« «ós moremos Que cu diga Que nós digamos
Que você Que vocês Que vocé|\ Que vocêsK
Que ele more Que eles morem Que ele ) diga Que eles ) digam
Que ela Que elas Que ela [/ Que elas /
VENDER (Eu vendo/ Que eu venda) PODER (Eu posso/ Que eu possa)
— Presente do subjuntivo — Presente do subjuntivo
Que en venda Que nós vendamos Que eu possa Que nós possamos
Que você ¡\ Que vocês Que você |\ Que vocêsp.
Que ele ) venda O06 e*es vendam Que e!e ^ possa Que eles \ possam
Que eta [ / Que elas Que ela [ / Que elas [/
ABRIR (Eu abro/ Que eu abra) PEDIR (Eu peço/ Que eu peça)
— Presente do subjuntivo
Que eu abra Que nos abramos Que eu peça Que nós peçumos
Que vocêjN. Que voces Que voeê Que voces j*
Que ele ) abra Quedes ) abram Que ele ) peça Que eles peçam
Que ela V Que elas i Que ela / Que elas

A. D ê a 1 a pessoa do singular do Presente do indicativo e do Presente do


subjuntivo.

Presente do Presente do Presente do Presente do


indicativo subjuntivo indicativo subjuntivo
l.t e r - e u .................. ......... Q u e e u ... 11. su bir-eu ................. ........ Q u e e u ...
2. morar- e u ............. ......... Q u e e u ... 12. vender - e u ............. ........ Q u e e u ...
3. fa z er-eu .............. ......... Q u e e u ... 13. v ir-eu ..................... ........ Q ue e u ...
4. v er-eu .................. ......... Q u e e u ... 14. comprar- e u .......... ........ Q u e e u ...
5. pedir-e u .............. ......... Q u e e u ... 15. Ie r-e u ....................
6 .d iz e r-e u .............. ......... Q u e e u ... lô.trazer-eu ...............
7. partir-eu.............. ......... Q u e e u ... 17.p ôr-eu ...................
8.o u v ir-eu .............. ......... Q u e e u ... 18. preferir- e u ............
9 .s a ir -e u ................. ......... Q u e e u ... 19. servir-eu.............. ........ Q ue e u ...
10. dorm ir-eu............ ......... Q u e e u ... 20. desistir- e u .............

ce n to e q u a ren ta e se te
B. Complete com o Presente do subjuntivo.

1. ou vir — Q ue nós .................................. .................... 9. fazer — Q u e v o c ê s ...................................................

2 . trazer — Q ue e l e ................................... ..................... 10. pôr — Q ue e l e ..... ........... ...........................................

3. p artir — Q ue v o c ê .................................................... 11. ter — Q ue n ó s ..............................................................

4 . p ed ir — Q ue o s e n h o r......................... .................... 12. d esistir — Q ue e l e s .................................... ..............

5. m orar — Q u e e l a s ................................. .................... 13. v en d er — Q ue as s e n h o r a s ..................................

6. d izer — Q u e n ó s .................................... ...... ............. 14. v ir — Q u e nós ...........................................................

7. su bir — Q ue n ó s .................................... .................... 15. v er — Q ue e l e s ...........................................................

8. sair — Q ue e l a ................ ........................................... 16. ch ov er — Q u e ....................................... ......................

Em prego (1)
/^Tomara q p a c h o v i '
J -■ ' ■ . .. - í :

õ ú
Prefiro que você a ú
esqueça o caso.
Duvido que
aceite o

Caro amigo,
Desejo que
J venha amanhã.

O subjuntivo é introduzido por verbos de: desejo, ordem, dúvida e sentimento.

a. Desejo - Ordem b. Dúvida c. Sentimento

Desejo que Nào estou Estou contente que


Quero que certo que Estou triste que
Proíbo que Nào tenho Receio que
Espero que ejes certeza que Tenho medo que
Evijo que v en h a m Dlivulu que , l. amento que
chova
Prefiro que Nào acho v.»ne
&Tn. 1 T *■ '
Sinto que
Peço que Não penso que Que pena que
Tomara que Não acredito que É pena que
Oxalá Talvez
ce n to e qu aren ta e o ito
A. Complete com o Presente do subjuntivo. — Vá em trente, querido!
Ta!ve¿ seja nosso dia de sorte.

1. (andar) Q uero que e l e ______________ m ais depressa.

2 . (ven d er) D e se ja m o s que v o c ê s ____ _________ logo a casa.

3. (partir) P refiro que e l e s ____________ sem d izer até-lo g o .

4 . (fa z er) P e ç o que v o cês n ã o ________ ____________ barulho.

5. (trazer) O qu e o sen h or quer que eu ?

6. (ter) T alv ez v o c ê s __________________ sorte.

7. (poder) T om ara que v o c ê s _________ v ir no sábado.

8. (trazer) D u vid o que estas cartas _ b o as n o tícias.

9 . (m udar) N ão ach o que eles de idéia,

10. (d izer) N ã o pen so que ele sem pre _ a verdade.


— Tornara
11. (g o star) Sin to que v o c ê n ã o ________________________ de m eus am igos. rjue efa < ão se
12. (pod er) L a m en to que e les n ã o _______ _ esperar.
esqueça do- mim.

13. (sa ir) Tenh o m edo que e l e ___________ tarde.

14. (ter) Q ue pena que nós n ã o __________ _ tem po.

15. (acord ar) Tenho m edo que e l e _______ tarde.

16. (en trar) O diretor ex ig e que n ó s _____ n a hora.

17. (repetir) N ão acred ito que e l e s ______ o erro.

18. (v ir) E sp ero que n o sso s a m ig o s _____ nos receber.

19. (d esistir) R e c e io que a s e n h o r a ______ de seus planos.

2 0 . (lem b ra r-se) D u vid o qu e e l a _________ _ do co m p ro m isso .

B. Complete com o Presente do subjuntivo.

1. (d izer) D u vid o que e l e ___________________ a verdade.


Tersho medo que ele
2 . (en ten d er) E sp ero que v o cês m e _________ não diga a verdade.

3. (sair) E sp ero que e l e s _____________________ já .

4. (v ir) N ão qu erem os que v o c ê s ___________ am anhã.

5. (fa z er) C om o v o cê quer que a g e n t e _____ _____________isto ?

6 . (en co n trar) T om ara que eu a s ____________ em casa.

7. (esp erar) P e ç o -lh e s que m e _______________ até as 10

8 . (ou vir) Sin to que v o cê não m e ___________

9. (d esco b rir) T alv ez um d ia n ó s ____________ o que acon teceu ,

10. (com er/dorm ir) A m ãe quer que o m en in o tudo e bem .

ce n to e q u a ren ta e n o v e
A tenção! M udanças ortográficas. Chiiii! Tenho medo que o
guarda comece a multar.

ficar — teu fico)


chegar (eu. chego 1
conseguir* — [eu consigo 1
com eçar — leu começo)
esquecer —- (eu esqueço)
dirigir (eu dirijo!

* conseguir - conjuga-se como vestir: eu visto, ele veste / eu consigo, ele consegue

A. Faça frases.

1. p agar a co n ta — ■ Â k . í& .

2 . fic a r em c a sa — E le q u er qu e e l a .......................................................

3. co m e ç a r o trabalh o — E le q u er qu e n ó s ................................ .................

4 . pegar o ôn ibu s — E le duvida que v o c ê ................ ...............

5 . v e rific a r o ó leo — E le e x ig e que o r a p a z ................. ..............................

6 . ch eg a r às duas — E le p refere que n ó s ......................................................

7 . fic a r co n ten te — E le p refere qu e v o c ê s .......................................

8. d irig ir d ev ag ar — E le está pedindo qu e v o c ê ...............................

9. alu gar a c a sa — E le re c e ia que os p ro p rie tá rio s...................................

10. esq u ecer o que a co n te ce u — E le duvida que n ó s .............................

B. Faça frases.
! . perder.© i¡e:u ' Talvez z T rió ; Ed :T. k há.
2. nâo fatar Coinigo — TdWez
m bm ] ........................................
r r n F in
3. fazer bam lhp ^ T M

4 . ter azar — Talvez.............. •* .......

5. d esistir da ideia .~ Toman» j ... ■jiit i. ...fl

6 . nào ch o v er hoje à noite forma u t|m ...........

7. d em u r a noite loua - TójriflTB que...........................................................


L U
8. p o r o dinheiro no banco. - - 3ah ez ...............................

9. nào servir - Q ue pena que ..

i Ü. ganhar pouco - Que pena que..................

150 cento e d e q u e i ta
11. trabalhar o dia inteiro — Q ue pen a que

12. não co n h e ce r Su sana — Q ue pena que

13. pod er vir — Q ue b om que

ii __
14. ter am igo s aqui — Q ue b om que

15. não gostar da gente — É p en a que ....

16. ter idéias m alu cas — É pen a que

C. É o primeiro dia de trabalho de sua nova secretária. Diga o que você quer
que ela faça.

1. E u quero que v o c ê ........................................................................... ...................................................................................

2 . É im portante q u e ........................................................................................................... .......................................................

3. P refiro q u e ...............................................................................................................................................................................

4 . Tod os nós aqui no escritó rio esp eram os q u e .................................................................................... .....................

5. N ão perm ito q u e ........................................................................................... .......................................................... ............

D. Você está conversando com um bom amigo seu. Você está lhe contando
seus problemas no trabalho.

A s co isa s vão m a l no escritó rio .

D u v id o que m eu ch efe

N ão acred ito q u e ..........

T a lv e z .................................

N ão estou certo que ....

T o m ara q u e .....................

E. Um grande amigo seu vai mudar-se para outro


país a trabalho. Você está triste com essa partida,*’ ■- — É pena que lá nâo faça sol.
mas, contente com o progresso profissional de
amigo. Converse com ele e expiique-lhe como v
está se sentindo.

É pena q u e .....

E sto u con ten te que

T enh o m edo q u e ....

É bom q u e ................

ce n to e cin q ü en ta e um
Contexto — fl sogro
ELe m orav a no R io e era fu n cion ário p ú b lico estadual.
C asad o co m um a m in eira, lev a v a um a vid in h a quieta
e sossegad a.
U m d ia , no e n ta n to , a lg o a c o n te c e u . S u a s o g ra
p re cisa v a ir a M in a s v er um a fazen d in h a que o m arido
tin h a d e ix a d o . A fa z e n d a , c u ja s t e r r a s e s ta v a m
aband onad as, fic a v a no T riân g u lo M in e iro . F o ram os
três, de V olk s, ele, a m u lh er e a sogra. N a fazenda, a
v e lh a te v e u m a s ín c o p e fu lm in a n te . L e v a r a m -n a
c o r r e n d o p a ra U b e r a b a . T in h a m o rrid o m e s m o .
E n terrar, on d e? A li? O so g ro esta v a no túm u lo da
fa m ília , no C aju .
O je ito era voltar lo g o para o R io , para fazer o enterro.
V oltaram .
A so g ra deitada no fundo do carro, co b erta co m um a
m an tilh a de renda, a m ulher ch orand o b aix in h o , entre
o d esco n so lo e a co m p reen são , e ele, a noite inteira,
firm e no v olan te, com en d o asfalto . N ão parava para
nada. S ó um a vez, por causa da g aso lin a, m as arrancou
lo g o . L á a tr á s , b a la n ç a n d o , o c a d á v e r m iú d o da
velhinha.
D ep o is de Ju iz de F o ra , j á m adrugada, a fo m e apertou.
N o p rim e iro p o s to , sa íra m um in sta n te p a ra ir ao
banh eiro e c o m e r sand u íche. A ch a v e fic o u no carro.
E ra um m inuto só e a so g ra estav a a li, em b ora m orta,
vig ilan te. Q uando v oltaram , o p io r tinha aco n tecid o . O
carro não estav a onde ele o tin h a d eixado. A lg u ém o
tin h a le v a d o . P o líc ia , a m ig o s , a n ú n c io e m jo r n a l.
T entaram tudo.
A té h o je, n em carro, n em sogra.
'ti/i/n
(A d a p iá d o d e “ A s o g r a " ■ S e b a t f i ã o N c r y - F o llín d e S ã o P a u lo - 2 / 12 / 79)

Com preensão
A. Escolha a alternativa correta.

1. N a fazen d a, a v elh a tev e um a sín co p e fulm in an te.


L ev a ra m -n a corrend o para U b eraba. T in h a m orrido
m esm o.

1 a. A so gra m orreu em U beraba,


b. A sogra foi corrend o para U b eraba.
r~~ c . A so g ra m orreu na fazend a.
d. A sogra m orreu a cam in h o de U b erab a.

ce n to e cin q ü en ta e dois
2. D ep o is de Ju iz de F o ra , j á de m adrugada, a fo m e apertou. N o prim eiro p osto , saíram um instante
para ir ao b anh eiro e c o m e r san d u ích e.

1 a. P araram no p rim eiro posto que en con traram depois que saíram de U b eraba,
i — 1 b. P araram porque j á era m adrugada,
nt— ~ c. E le s tin h am ja n ta d o em Ju iz de F o ra.
d. E ste fo i o p rim eiro p osto em que pararam depois de Ju iz de F ora.

B. Responda.
1. O que v o cê sab e so bre a so g ra e tod a a sua fa m ília ?
2 . O que v o cê sab e so bre a fazen d in h a da fa m ília ?
3 . O que a co n teceu co m o carro e o cad áv er da so gra? Inven te outro final para a h istória.

M odo in d ica tivo — M ais-que-perfeito (forma sim ples)

O carro não estav a onde e le o t in h a d e ix a d o . M O R A R — Mbüs-qufr-perfeJto simple*

O carro n ão estav a onde ele o d e ix a r a . Eu morara nós moráramos

Eles
i.

V ENDI R — Mais-que-perfeito simples A BR IR — M ais-que-per feito simples

l'u vendera Nós vendera mos Eh abrira. Nós a b r ír a m o s


V ocí k Vocfci N Você
venderam Eie abrira
Z l>vcm,cr" vendera
r Kl»

Form ação

O m a is-q u e-p erfe ito é form ad o a partir da 3 a pessoa do plural do perfeito.


E x . E le s m oraram - eu m orara.

A form a sim ples do m a is-q u e-p erfeito é m uito pouco usada oralm ente. S e u uso se restringe,
quase e x clu siv a m en te, a tex to s escrito s, m a s, n eles, é corren te.

P erfeito M a is-q u e-p erfeito


Eles pagaran] Eles tiveram Eu pagara Eu tivera
Eles venderam Eles foram i.ir) Eu vendem Eu furu (ir)
Eles insistiram Eles tro u xeram | tu insistira Eu trouxera
Eles forum iscr) Eles puseram Eu fo ra tscr) Eu p o stra
Eles estiveram Eles fizeram ]\H estivem Eu
1
ce n to ecin q ü en ta e três
A. Dê o Mais-que-perfeito, forma simples.

1. a lm o ça r (e le s a lm o ça ra m ) — Eu

2 . cuid ar (eles cuid aram ) — V ocê .................

3. c o m e r............................................................................... — N ó s .......................

4 . p e r c e b e r ........................................................................ — E l e s .....................

5. in s i s t ir ................... ........................................... ............. — V o c ê s ..................

6. d e s is tir............................................................................ — N ó s .......................

7. s a b e r .............................................................. ................. — E u ..........................

8. d a r .................................................................................... — E l a ........................

9. v e r ..................................................................................... — N ó s .......................

10. v i r ................................................................................... — E l a ........................

B. Passe o Mais-que-perfeito forma simples, para a forma composta.

1. E u j á j a n t a r a quando ele te le fo n o u .........................................................................................................

2. E la j á a b r i r a a p orta quando e le to co u a cam p ain h a ............................................... ...................... .

3. Q uando a n o tícia ch eg ou , nós j á p a r t í r a m o s .......................................................................................

4 . Q uando eu n a sci, m eu avô j á m o r r e r a ...................................................................................................

5. O ladrão ainda não f o r a em b ora, quando a p o lícia ch e g o u ........................... ............................

6. Q uando o elev ad o r ch eg ou , e la ainda não se d e s p e d i r a da a m ig a ...................

7. Eu estav a n erv oso porque nada d e r a c e rto ............................................................................. ............

8. N ós estáv am o s preocupad os porque ele ain d a não t e l e f o n a r a .................................................

9. E le estav a con ten te porqu e e n c o n t r a r a M a n a n a ...............................................................................

10. E le s estavam co m fo m e porque não c o m e r a m n ad a ....................................................

Pronom es relativos Queremos saber onde está a


mala que contém as jóias.

O s p ronom es relativ o s pod em ser v ariáv eis


e in v ariáv eis.

I. Pronomes relativos invariáveis:


que, quem, onde.

Ela foi ver a fazendinha que


o marido finha deixado.

O homem que está na sala quer falar com você

ce n to e cin q ü en ta e qu atro
Una as frases empregando o pronome relativo que.

1. V o cê nos deu livros. L e m o s os liv r o s................................................................................ ........

2. A rev ista é cara. E u com p rei a r e v is ta . A rev ista que e u ..................................................

3. A m o ç a trabalha no posto. G o sto dela. G o sto da m o ç a .................................................

4 . E le não receb eu a carta. E u lhe escre v i a c a r t a . E le não receb eu a carta que eu

5. O reló g io era de seu pai. E le perdeu o r e ló g io . O reló g io que e l e .............................

6. O carro era v elh o. E le s vend eram o c a r r o . O c a r r o q u e e l e s .......................................

7. O s papéis são im portantes. N ós tem os e s t e s p a p é i s .........................................................

8. A s c r i a n ç a s vieram aqui. E la s fizeram m uito barulho ..............................................

9. A fazen d a é m uito grande. E le herdou a f a z e n d a ................................................................

10. N ào co n h eço o rapaz. E la am a e s t e r a p a z ...............................................................................

11. T em o s m uitos parentes. N em co n h e c e m o s o s p a r . m es.

12. V im o s o film e. V ocê tinha recom end ad o o filme.

13.T em o s um novo v izin h o. E l e v eio dos E .U .A .

14. O s r a p a z e s trabalham nesta firm a. E le s são estran geiros.

15. R e ce b e m o s m uitas cartas. E la s v êm do exterior.

16. Eu plantei e s t a árvore. E la cresce u d ep ressa.........................................................................

— Vocè viu o carro que ele comprou?

— Onde está o rapaz que


trabalha aqui?

As crianças, que sao mal


criadas, fazem muito barulho.

c e n to e cin q ü en ta e cin co
Refere-se a pessoa e vem sempre precedido de preposição:
de, co m , por, para, contra, a etc.
A moça com quem falei O senhor viu o garoto
estava nervosa. com quem eu vim?

A. Complete com a preposição + quem.


(fa la r co m ) O rapaz c o m q u e m fa lei estava ocupado.

m
1. (trabalh ar co m ) O diretor trabalh o nunca está con ten te.

2 . (sa ir co m ) O r a p a z ______ saí ontem é um grande am igo m eu.

3. (p en sar em ) E ste é o r a p a z ________ eu sem pre p enso.

4 . (d ar para/a) N ão co n h eço a p esso a ___________ v o cê deu n o sso en d ereço.

5. (re c e b e r d c) P reo cu p o -m e co m m eu am igo não receb o n o tícias há m uito

tem po.

B. Una as frases empregando o pronome relativo quem.


O rapaz é am erican o . T rab alh o c o m e s t e r a p a z .
O rapaz c o m q u e m trabalh o é am ericano.

1. E u não sei o n om e do h om em . E u en tregu ei o p acote para ele.

E u não sei o nom e do h om em p a r a q u e m eu en tregu ei o pacote.

2. O rapaz não gosta de m im . Eu gosto do r a p a z .

O rapaz de quem e u ................................ .................................................................

3. O s tio s são rico s. E ia m o ra c o m e le s .

O s tios c o m ............................................................... ...................................................

4. A m o ça estava ocupada. E la pediu um a in fo rm ação para a m o ç a .

5. O s am ig o s são a ten cio so s. E screv em o s sem p re para e le s .

6. Jo ã o e M aria ca sa m -se h o je. D e seja m o s m uitas felicid ad es a e le s .

7. N o sso s tios ch eg arão no m ês que vem . E n v iam o s um a carta a e le s .

8. N osso s com p an h eiro s de v ia g em v êm nos v isitar n esta P áscoa. D em o s n osso en d ereço a e le s .

9. N o sso s ad v ersários são fortes. Jo g a m o s sem pre co n tra e le s .

10. A so brin h a é m a l agrad ecid a. E le s d eixaram toda a fortu na para e la .

c e n to e cin q ü en ta e s e is
11. A m o ç a é advogada. E le se casou com e la .

12. A so g ra nunca está con ten te. E le faz tudo para

e l a .......................................................................................

13. Pedro é n osso v izin h o. M eu filh o sem pre b rin ca

com e le.

14. O jo m a le ir o é m uito en graçad o. E u co n v erso sem pre co m e le .

15. A te le fo n ista estav a nervosa. F a le i co m e l a h o je de m anhã.

<Q nd¿> _ ____


O hotel onde vou me
hospedar fica longe do centro.

Una as frases com o pronome relativo onde.


A casa é velha. Vou m orar n a c a s a . A ca sa o n d e vou m orar é velha.

1. Tenho u m p ro blem a: eu d eixei m eu carro no estacio n am en to .

I
O estacio n am en to está fech ad o a g o ra .......................................................

2. A firm a é m uito grande. E u trabalh o n a firm a.

3. A rua é estreita e escu ra. E la m o ra n essa rua.

4. Q ue ch ato ! Perdi m in h a b o ls a no cin em a. O cin em a fica do outro lado da cidade.

5. Q u e b o m ! A cid ad e é calm a. M o ra m o s n esta cidade.

6. O escritó rio é grande e cla ro . T rab alh o n esse escritó rio .

7. A fá b ric a era m od em a. O in cên d io co m eço u n essa fáb rica.

8. O h otel fic a nas m ontanhas. N ós sem p re p assam os as féria s de ju lh o n esse hotel.

9. O livro estav a no velh o arm ário da sala. O docu m en to foi achado no livro.
10. O co lég io é m uito antigo. E stu d ei n esse co lé g io .

11. E ie ainda se lem b ra do lugar. E le co n h eceu sua esp osa n esse lugar.

12. E u j á arrum ei a sala. Vai haver um a reu nião n essa sala.

13. E la pôs as ca ix a s no arm ário. E u guardei todas as fo to g rafias nas caix as.

14. E le q u er abrir um restau ran te no bairro. N esse bairro há m uitas lo ja s fin as.

15. A P refeitu ra d em oliu o prédio. E le m orav a no prédio.

II. Pronom es relativos variáveis.

o qual quais cujo cujos


a qual as quais cuja cujas

Os pronomes relativos invariáveis: que, quem, onde podem ser substituídos


por o qual, a qual, os quais, as quais.

que
O s con trato s
OS CjUcLIS
r- ele assin ou são im portantes.

com quem .
A p esso a „om a j fa le i deu -m e a m lo rm açao .

onde
O prédio „ eu m oro tem 6 andares.
^ em que
no qual

A. Substitua, que, quem, onde, p o ro qual, a qual, os quais, as quais.


O livro d e q u e fa lo receb eu um prêm io. O livro d o q u a l falo receb eu um prêm io.

1. A estrad a por que p assei estava d eserta ..........................................................................................................

2. O p ro blem a em que pen so n oite e dia não tem so lu ção .

3. E sp eram o s a resp osta de que depende o futuro da firm a.

ce n to e cin q ü en ta e oito
Afína!, onde está o posto do
qual o guarda faiou?

4 . A s am igas co m quem m oro não são m uito com p reen siv as.

5. G o sto m uito do m eu v izin h o de apartam ento, co m quem sem pre con v erso.

6. O b airro onde ele m ora tem v árias lo ja s im portantes.

7. Tenh o algu ns am ig o s em P ortu gal em quem pen so sem pre.

8. Tenh o algu ns am ig o s n o s E .U .A . c o m qu em m antenho corresp on d ên cia.

9. E sp e ro um a carta de P au lo para quem pedi ajuda.

10. A q u i estão os alunos de quem lhe falei.

B. Complete com as formas variáveis do pronome: o qual, os quais ...


(sa ir co m ) O s am igo s c o m o s q u a is sem p re saím o s são alegres.

1. (in sistir em ) O a s s u n to ________________________________ sem p re in sisto é im portante.

2. (fa la r co m ) M eu v iz in h o ,____________________________falo m uito, é sem p re am áv el co m ig o .

3. (g ostar de) N o sso s p r o fe s s o r e s ,__________________________ g ostam o s m uito, são todos b rasileiro s.

4 . (m ostrar para) O s tu r is ta s _________________________ ele m ostrou a cidade partiram h o je de m anhã.

5. (e sc re v e r para/a) M in h a s ir m ã s ,__________________________escrev o sem p re, m oram em Portugal.

6. (en trar por) A p o r ta ______________________________ eu entrei está fech ad a agora.

ce n to e cin q ü en ta e n ov e 159
Cujo, cuja, cujos, cujas indicam posse.

A fazen d a, cujas terras estavam aband onadas, fic a v a no T riân gu lo M in eiro.

c u jo dono v iv e na Europa
n co so c u ja d on a está na Europa
está
c u jo s quartos estão v azio s abandonada.
c u j a s ja n e la s v o c ê vê daqui

Mas esie livro eslá


A. Complete. todo rasgado!
Jo ã o , c u ja c a s a é g r a n d e , tem m u itos filhos.

1. O livro, c u ja s , é m uito antigo.

2. N ão posso assin ar os con trato s c u ja s ______________

3 . N ão pagu em as co n tas c u jo ________________________

4 . O turista, c u jo ________________________________ , teve pro blem as no aeroporto.

5. M in h a vizin h a, cu jo s , está m uito preocupada,

6. O ad vogad o, c u j a ___ aju d ou -n os m uito.

B. Una as frases empregando os pronomes relativos cujo, cuja ...


A lo ja está sem p re ch eia. O s p r e ç o s d a l o j a são m uito bons.
A lo ja c u jo s p reço s são m uito b on s está sem p re ch eia.

1. O caiTo estava estacio n ad o ali há v ários dias. A p la ca do carro era de Porto A legre.

2. O prédio fic a v a n a rua p rincip al. O s m orad ores do prédio reclam av am do barulho.

3. O aluno saiu m ais ced o. O s livros do alu no ficaram na classe.

4. E sta sala é a m elh o r do ed ifício . A s ja n e la s da sala são grandes.

5. M eu am igo m ud ou-se para o R io de Jan eiro . A esp osa de m eu am igo é cario ca.

6. A orquestra não se apresentou ontem . O m aestro fico u doente.

cento e sessenta
Intervalo

Trem das Onze


A d o n ir a n B a r b o s a

N ão p o sso fic a r
N em m ais um m inu to c o m v o cê
Sin to m uito, am or,
M as não pod e ser
M o ro em Ja ç a n ã
S e eu perder e sse trem
Q u e sai ag ora às onze horas
Só am anhã de m anhã

N ão p osso f i c a r ...

E além d isso, m ulher,


T em outras co isa s
M in h a m ãe não d o n n e
E n q u an to eu não ch eg ar
S o u filh o ú nico
T en h o m in h a ca sa pra olh ar

Eu não p osso fic a r ...

A. Ouça a fita.
B.Use sua imaginação.
1. D e screv a o rap az .....................................................................................

2. C om o é sua m ã e ? ....................................................................................

3 . Q ue id éia v o cê fa z do bairro em que ele m ora? Ju stifiq u e.

C. Explique.
1. S ó am an hã de m anhã.

2. T enh o m inha ca sa pra olhar.

D. Ouça a fita novamente e cante junto.

cento e sessenta e um
Á* Texto narrativo
Pedras Preciosos Brasileiras (2)
N o B r a s il há, p raticam en te, tod as as c la sse s de pedras e
m eta is p re c io so s: o u ro , p rata, p la tin a , á
m a r in h a s , a m e t is t a s , e s m e r a ld a s ,
top ázios, turm alinas.
À s v e z e s , as p ed ras são
e x tr a íd a s de p r o fu n d e z a s
c o n s i d e r á v e i s , às v e z e s
en co n tra m -se n os leito s dos
r io s . Só raras vezes
ap arecem na s u p e r fíc ie da te rra , com o
co n seq ü ên cia da ero são do solo.
E s ta s riq u e z a s r e p re s e n ta ra m , d u ra n te m u ito te m p o , p a p e l
im portante na h istó ria do país. G ru pos de h om en s c o ra jo so s - os b and eiran tes - form aram ex p ed içõ es
fa m o sa s, as “b an d eiras” , que saíam em b u sca de ouro e de pedras p recio sas. O s ban d eiran tes, com
suas ex p e d içõ es, au m entaram o território do B ra s il, fundaram cid ad es e co lo n izaram o in terior do
país.
N o sé cu lo X V I I I , o ouro fe z progredir a região de M in a s G erais. V ila R ic a , atual
O uro Preto, d esen v olveu -se rapidam ente. H oje considerada C idade M onu m ento
In tern acio n al p ela U N E S C O , essa cidad e, a m ais im portante das cidades
h istó ricas de M in a s, é u m a jó i a do b arro co b rasileiro . E m 1 7 2 0 , em
outra região de M in as G erais, fo ram en con trad os d iam antes e o
p ovoado que aí surgiu ch am o u -se D iam an tin a.
V á r i a s p e d r a s , in t e r n a c i o n a l m e n t e f a m o s a s , s ã o
o rig in á ria s de D ia m a n tin a : “ S ta r o f th e S o u th ” ,
“ E n g lish D re sd en ” , “ S ta r o f M in a s ” , “ P resid en te
V argas” .
Pedras p re cio sas são en con trad as em quase todo o
território b rasileiro , p rin cip alm en te n o s estad os de
M inas G erais, B a h ia , C eará, R io G rande do Su l, M ato
G ro sso e G o iás.
N o B ra sil, ningu ém possui m in as em propriedade.
Segundo a lei, a riqu eza m in eral é propriedade ou
p atrim ô nio p ú blico e, para a ex tração das pedras por
em presas particu lares, o govern o ou torga licen ça s.

Responda.
1. N o so lo do B ra s il há grande v aried ad e de m etais e pedras p reciosas. C ite alguns tipos.
2. O ouro e as pedras p recio sa s estão ligad os à exp an são do território b ra sileiro e à sua co lo n iz a çã o .
E x p liq u e.
3. C o n te tudo o que v o cê sab e so bre os band eiran tes. (V o cê se lem bra de F e m ã o D ia s? )
4. O que v o c ê sab e so bre as cid ad es h istó ricas de M in a s? V ocê sabe alg o so bre o h erói T irad en tes?
5. A qu em p erten cem as riq u ezas m in erais do B ra s il? O que é p re ciso para ex p lo rá -la s?
6. S e u país tem riqu ezas m in erais? S e tem , co m o se faz sua ex p lo ra çã o ?
7. V o cê g o sta das pedras b ra sileira s? F a le um p ou co sobre o assunto, (su as p re fe rên cia s, o v alor
d elas em seu país etc.)

cen to e se sse n ta e dois


UNIDflDC 13
fim de semana perdido.
— l 'o r que é que v o cè está tào b rav o ? O
que foi que a co n teceu desta v ez?
A fin a l, h oje é 6 a feira ...
— P o r isso m esm o. N ão há fim
de sem an a sem chuva. É
sem p re a m esm a co isa : um a
b e le z a durante a sem ana, m as fim
de sem an a ... chuva, n eb lin a, garoa, frio
... O lh e p ela ja n e la !
— Eu sei. M as o que é que se vai fazer? Para que
a gen te ap ro v eite bem o fim de sem ana, é
n ecessá rio que haja altern ativ as: um cin em in h a,
teatro, um b ate-p ap o co m am igo s num barzinho.
— N ão adianta. F im de sem an a tem que ser com
so l, praia, p iscin a , ch u rrasco ao ar livre ...
— A ch o q u e en tão não tem je ito .
— N ão tem je it o m esm o. M ais um fim de
sem an a perdido. Q ue absurdo!

Modo su b ju n tiv o — Presente

Há 7 verbos de conjugação irregular no Presente do su bju n tivo .

— D u vid o que e le s e j a — E la quer que nós — R e c e io que nào h a ja


um b om fu n cion ário. e s t e ja m o s aqui às 8. lugar para todo m undo.

ser estar haver


■ Espero que efe s a ib a o que
— P e ç o -lh e que não esíá fazendo

dê g orjetas. E sp ero que v o cê s a i b a


o que está fazendo.
— P e ç o -lh e s que não
dêem g o rjetas. saber

dar
T alvez ele q u e ir a ■^LL
E le duvida que eu vá lá. fica r aqui.

ir querer

ce n to e se sse n ta e três
Em prego (2)

E m h o r n nâo nos v eja m o s É p o s s í v e l que a reu n ião Vou ch egar m ais ced o p a r u
m uito, so m o s b oas am igas. se ja às 10 horas. (¡tu- p o ssam o s ir ao cin em a.

É u t e f h o r que ele ch eg u e P reciso de a t g u é m q u e m e V am os em bora u n ie s q u e


ced o. com p reen d a. c o m e c e a chover.

O subjuntivo é introduzido por expressões impessoais, por certas conjunções e palavras


indefinidas mais pronome relativo.

a. Expressões impessoais

É p o ssiv el que ! n ecessário que


F. im p o ssív el que F m elh o r que
É p ro váv el que ele vá É d ifícil que ele vá
h a co n selh á v el que C o n v ém que
E im pai tante que B asta que

b. Conjunções
Estas conjunções introduzem sempre o presente ou imperfeito* do subjuntivo.

para que —a fim de que caso


embora SCIU UUO “ o imperfeito do subjuntivo será
contanto que - desde que ate que estudado na Unidade 14.

a não ser que antes que


mesmo que

— E la fala d ev ag ar para que (a fim de q u e) todos a


entendam .
— E m b o ra se ja rico , ele trabalh a m uito.
— Vou aju d ar v o cê con tanto que (d esd e qu e) v o cê m e
aju d e depois.
— V am os à praia a não ser que v o c ê queira fic a r em
casa.
— N ão v am os d esistir da id éia, m esm o que isto nos dê
m uito trabalh o.
— T e le fo n e para m im ca so v o cê não p ossa vir.
— N ão vou assin ar o con trato sem que eu saib a o que
está escrito.
— V am os esperar até que ele v á em bora.
tíTiDO!.-; tenha muito dinheiro
— F a ç a alg u m a c o is a antes que s e ja tarde dem ais.
vive morrendo de trabalhar.

ce n to e sessen ta e quatro
c. Palavra indefinida + pronome relativo

saib a ^ es‘
Estou procurando uma secretária que qugira trabalhar no sábado.

SeJ s

^ 5 ,
a ,}0s
e,
* * * * *
A. Complete as frases.
(ter cuid ad o) É m elh o r que v o cê t e n h a c u id a d o .

1. (d ar um a e x p lic a ç ã o ) É m elh o r que v o c ê m e ............................................................................... .......................

2 . (ou vir co m a ten ção ) E m elh o r que e le s m e ............................. ............................................................................

3. (ir em b o ra) É p rovável que e l e ......................... ................................................................................................... .

4 . (sa b er a resp osta) É p ro v áv el que v o c ê s ................................................................................................................

5. (se r p a cie n te) É a co n selh á v el que n ó s ......................................................................................................

6. (estar aqui b em ced o ) E a co n selh á v el que am an hã v o cê ................................................................... .

7 . (p agar à v ista) E n ecessá rio qu e v o c ê s ........................ ...........................................................................................

8. (sab er a verdade) E im portante que todo m u n d o ........................................ .....................................................

9. (h av er outra c h a n ce co m o esta ) É d ifíc il q u e ..................................................... ......................................... .

10. (ter bon s a m ig o s) P a ra que v o cê se ja fe liz , b asta que v o c ê ................: ...................... .................. ..............

11. (1er as in stru çõ es) B a s ta que v o c ê .................. para fazer um bom trabalho.

12. (d izer tudo o que sa b e) Para que v o cê não ten h a p ro b lem as, co n v ém q u e ..........................................

B. Complete as frases.
Vocês estão

1. (ou vir) F a lo alto para que todo m undo m e .....................................................................

2 . (v er) F a ç o gesto s para que todo m undo m e ....................................................................

3. (sab er) N ão fa ç a nada sem que e u ......................................................................................

4. (v ir) V ocê terá um b om lugar desde q u e .................... ced o.

5. (h av er) V am os esperar até q u e ........................................ algu ém para nos atender.

6 . (p referir) E m b o ra e u ............................................. a b lu sa am arela, vou lev ar a azul.

7. (querer) T e le fo n e -m e ca so v o c ê ............................. . m ais in fo rm açõ es.

8. (v estir) M esm o que eu m e ..............................d epressa, ch eg arem o s tarde.

9. (com p reen d er) R ep ito a e x p lic a ç ã o a fim de que os alunos m e .......

cento e sessenta e cinco


10. (aju d ar) Vou term in ar o trabalh o m esm o que n ingu ém m e .......................

11. (fic a r) Vou abrir o gu ard a-chu va antes que e u ...........................todo m olhado. ^ *

12. (querer) V ou serv ir-lh es ch á, a não ser que v o c ê s .......................................... ca fé. ' s

13. (ser) P od em os com p rar a c a sa a não ser q u e ..................................cara dem ais.

14. (g o sta r) Vou co n v ersa r co m e les em b o ra eu n ã o ........................................ deles.

15. (fa z er) E le co n co rd a em trabalh ar c o n o sc o con tanto que n ó s ............................... o que ele quer.

Vou abrir o guarda-chuva antes


que eu fique todo molhado.

C. Faça frases.

ten ham os m ais luz n a sala.

v o c ê perm ita.

ela c re s ça dem ais.

s e ja fácil.

v o c ê não queira.

con tanto que ela m e dê som bra.

antes que ele m e pague p elo serv iço .

desde que v o cês protestem .

sem que ch eg u e o inverno.

a não ser que se ja m uito d ifícil.


Vou cortar esta árvore

D. Eu estou enganado? Impossível! É impossível que eu esteja enganado.

1. E u estou errada? Im p o s s ív e l! .....................................................................................................................................

2. E le p re cisa sab er a verdade! E m elh o r.....................................................................................................................

3. V ocê sab e m eu n o m e? É provável que n ã o ............................................................................................................

4 . Eu vou em b ora agora. É n e c e ss á rio ...........................................................................................................................

5 . E la quer m esm o trabalh ar? B a s ta is s o ......................................................................................................................

6. E le d eve pedir re cib o . C o n v é m que ele fa ç a is so ...............................................................................................

7. H á erros em n o sso trabalh o? É bem p o s s ív e l. .................................................... ..............................................

8. E la p recisa estar aqui às 10. C o n v ém que ela fa ça is to ...................................................................................

9. P o r favor, dê um a olhad a em m eu trabalh o. B a s ta is so ............................................................. .....................

10. E le p recisa 1er o reg u lam en to de novo. E m elhor que ele fa ça is s o ........................................................

ç e n to e sessen ta e s e is
E. Você está conversando com um corretor de imóveis. Você está explicando a
ele o tipo de casa que você quer comprar. Fale sobre o bairro, as distâncias,
sobre a casa em si.

Eu quero um a c a sa grande, e m b o r a m inha fa m ília se ja pequena.


É im portante que a sala seja bem grande. t-

. 1
É uma sala bem
B a s ta que ........................................................................................ grande. Não acha?

M esm o que ..

P ara q u e ........

A não ser que

F. (ajudar) Eu vou achar alguém que me ajude.

1. (ser) E u vou co m p rar um livro q u e ___________________interessan te.

2 . (h aver) V am os à praia num d om ingo em q u e ___________________ sol.

3. (sab er) E u não co n h eço ningu ém q u e falar b em dez línguas.

4 . (e x p lic a r) O aluno p re cisa de um p ro fesso r que l h e ___________________ o uso dos verbos.

5. (esta r) S ó vou con tratar um fu n cio n á rio cu jo s d o c u m e n to s ___________________ em ordem .

6 . (querer) E stou procu rand o um a am iga q u e ir co m ig o à e x p o siçã o .

G. Complete livremente.

a. C om quem v o cê quer ca sa r?
E sto u procurando a lg u é m q u e g o s t e d e m im .

E sto u procurando a lg u é m c o m q u e m e u ........................................................................................................

Q uero en con trar um a p esso a q u e .......................................................................................................................

b. Q ue livro v o c ê quer 1er?

Eu quero 1er um livro que

c. F a le so b re a c a sa ou apartam ento de seus sonh os.

E u quero m orar num a casa q u e ....................................

d. D e screv a o que v o cê con sid era um em prego ideal.

Eu p reciso de um em p reg o em que e u ........................

ce n to e s e s s e n ta e se te
Por que é que ... Por que ... ? O que é que ... O que ...?

Por que é que você está tão bravo? o que é que você quer?
Por que você está tão bravo? O que você quer?

A. Diga de outra forma.

1, 0 qu e é que v o c ê está v end o? 1 ........................................................ ?

2 . D o que é que v o cê está falan d o ? 2 .............................................................. ?

3. P o r que é que v o c ê está aquí? 3 .............................................................. 9

4 . O nd e é que v o c ê trabalh a? 4 . . .. . . . . . . ................................................ ?

5. Q u em foi que v o c ê v iu ? * 5 .............................................................. 9

6. 0 que fo i que v o c ê fez ? 6 ........................................................... 9

7 . Q uando fo i que a co n teceu ? 7 ............................................................... 9

* Com o verbo no p e rfe ito , as duas formas são usadas.

Quem fo/que vocé viu? Quem é que voce viu7

Eu vi a faxineira limpando a sala. Eu vi as crianças saindo da eseoía.

168 cento e sessenta e oito


B. Diga de outra forma.

1. O nde v o c ê m ora?...............................................I ................................................................................ ?

2. Q uanto v o c ê quer ganhar? 2 ........................ ?

3. P ara quem V ocê trabalh a? 3 ........................ ?

4. P o r que v o c ê está b rava? 4 ................................................ ?

5. Q u em ch eg o u ? 5 ............................................... ?

6. Q u em d isse isso ? 6 ............................................................................................................... ?

7. O qu e v o cê d isse? 7 ........ ?

8. Q uando ele v ai c o m e ç a r? 8 ......... ?

9. A té quando vou esp erar? 9 ............................................................................................................... ?

10. Q uando v o c ê v em ?........................................ 1 0 .................................................................... ?

11. Q uanto v o c ê deu?........................................... 1 1 ............................................................................................................... ?

12. Q uando e la n a sceu ?.......................................1 2 ............. ?

13. O nd e v o c ê v a i?................................................ 1 3 ..................... ?

14. O nd e v o c ê fo i?.................................................1 4 ................................................. ?

1 5 .0 qu e v o c ê ped iu?..................................... 1 5 ................................................................................................................ ?

Contexto

fl outro noite

O utro dia fui a São Paulo e resolv i v o ltar à noite,


u m a n o ite de v en to sul e ch uva, tanto lá co m o
aqui. Q uando v in h a p ara ca sa de tá x i, en con trei
u m am ig o e o trou xe até C o p a ca b a n a , e co n tei
a ele que lá em c im a , a lém das n u v en s, estav a
u m luar lindo, de lua c h e ia ; e que as nuvens
fe ia s que co b ria m a cid ad e eram vistas de cim a,
e n lu a ra d a s, c o lc h õ e s d e so n h o , a lv a s , u m a
p a is a g e m irr e a l. D e p o is q u e o m e u a m ig o
d esceu do carro, o c h o fe r aproveitou um sinal
fech a d o p ara v o lta r-se p ara m im :
— O sen h o r v a i d escu lp ar, eu e sta v a aqui a
ou vir sua co n v ersa. M a s, tem m esm o lu ar lá
em cim a ?
C o n firm ei:
— S im , a cim a da n o ssa noite preta, en lam açad a
e torpe h avia um a o u tra — pura, p erfeita e linda.
— M as que c o isa ...
E le ch eg o u a pôr a c a b e ç a fora do carro para

cen to e sesse n ta e nove


olh ar o céu fech ad o de chuva. D ep o is con tin u ou guiando m ais lentam ente. N ão sei se sonh ava em ser
av iad or ou p en sav a em outra coisa.
— O ra, sim senh or ...
E , quando saltei e pagu ei a corrid a, ele m e d isse u m a boa noite e um “m uito obrigad o ao sen h or” , tão
sin cero s, tão v eem en tes, co m o se eu lhe tiv esse feito um p resen te de rei.

R u bem B ra g a

A. Responda.
1. O autor escrev e u esta crô n ic a no R io ou em São P au lo ?
2 . E le escrev eu a c rô n ic a em ca sa ?
3. "...T a n to lá co m o aqui". L á se refere a que cid ad e? E aqui?

B. Certo ou errado?
c e
1. E sta v a ch ov en d o no R io .___________________ 1í 1r i— i
. R^Em São_EaiilQ,_QJ:empo.também esta.va feio. •! i.
3. E m C o p acab an a, apesar da ch u v a , h av ia luar. -|__ J

5. A cid ad e, v ista de cim a, estav a linda.


i
_ 6 . A p aisag em p a r e c ia irreal porque o autor estav a sonhando.

7 . O ch o fe r co n v erso u co m os dois p a s s a g e ir o s ......... □


8. Q uando o sinal fech o u , o am igo d esceu do ca iro . -—
9 . Q uando o ch o fe r c o m e ç o u a co n v ersar, o carro estava parado.

10. A con v ersa d eixou o m otorista m ais feliz. ______________

C. Leia o texto novamente e continue a explicação.

O autor d isse que h av ia dois m undos b em d iferen tes: o m undo a cim a das nuvens e o outro, a cid ad e,
a b aix o delas.

O m undo a c i m a ...

170 ce n to e seten ta
D. Explique.

1. n o ite p r e t a .............

2 . noite en lam açad a

3. luar

4 . nuvens e n lu a ra d a s.............................................................................. ■- j — 4 •

5. p aisagem ir r e a l.....................................................................................................................................................................

6. sinal f e c h a d o ........................................ ............... ................................................................................................................

7. céu fe c h a d o ........................................................... ....... ........................................................................................................

8. a corrid a de t á x i ................................................................ .................................................................................................

E. Dê sinônimos.

1 . n u v e n s C llv c ts ...................................................................................................................... ; Saltei do carro.

2. sin al f e c h a d o ............................................................................................

3. v o lt a r - s e

4. tem m e s m o luar ...?

5. continuou g u ia n d o

6. le n t a m e n t e ................

7. s a l t e i do c a r r o ........

A dvérbios em: -mente.

Formação

adj. m asc. adj. fem . + m en te = ad v é rb io

len to len ta le n ta m e n te
longo longa lo n g a m e n te
silen cioso silenciosa silen cio sam en te
feliz f e l ií felizm en te

A. Aqui estão alguns adjetivos. Dê os advérbios em -mente.

1. largo — .. 5. fá c il —

2 . rápido — 6. b rev e —

3. correto — 7. d ifícil

4 . calm o —

ce n to e sete n ta e um
B. Substitua pelos advérbios em -mente.

1. co m in teresse — 8. co m p a c iê n cia

2 . co m aten ção — ......................... 9 . co m facilid ad e

3. co m fo rç a — 10. co m d elicad eza

4 . c o m b rutalid ad e — .............................................. 11. co m v io lê n c ia

5. co m eco n o m ia — ............................................. 12. co m cuidado

6. co m p reg u iça — ........................................... 13. c o m p r e s s a

7. c o m honestid ad e — ..................... ....................

C. Relacione os antônimos. D. Relacione os sinônimos.

sem querer secretamente por acaso manualmente

com naturalidade totalmente de imediato de propósito

por obrigação espontaneamente intencionalmente casualmente

às claras sofisticadamente de repente prontamente

em parte, parcialmente de propósito a mão subitamente

E. Faça frases.

(a n u a lm e n te )...........

(m e n s a lm e n te ).......

(q u in z e n a lm e n te )..

(se m a n a lm e n te ).....

(d ia ria m e n te )...........

(s e m e stra lm e n te )...

O utros advérbios.

C om o e le fa la ?

E le fa la bem
m al
dem ais
m uito
bastante
pou co
alto
b a ix o
rápido

ce n to e sete n ta e dois
A. Complete com os advérbios: bem, mal, alto, baixo, m uito, pouco, bastante.

Ele está magro. 1. F iq u e q u ieto! V ocê f a l a .............................................................................................................................


Eu acho que
não come bem. 2 . E le está m agro. E le co m e m u it o ............................................................................................... ...........

3. E le não entend e o que a gen te diz. E le ouve m u it o ....................................................................

4 . A g ora c h eg a ! V o cê j á tra b a lh o u ...........................................................................................................

5. E stam o s preocu p ad os. E la está no hosp ital e está m u ito ....................................... ..................

6. N ão c o n sig o ou v i-lo. F a le um p ou co m a i s ......................................................................... ...........

7. N ão p recisa gritar. E u ou ço m u i t o ......................................................................................................

8. F a le m a is ...................... , por favor. V o cê está gritando.

9. C oitad a! E la ganha m uito ....................................., em b ora t r a b a lh e ...........................................

Fale mais baixo, por


Ele come bastante.
favor. Você está gritando

B. Bom ou bem?
Mau ou mal?

1. E le é m eu can to r preferid o. E le é um cantor. U m can to r sem pre can ta

2 . N in gu ém gosta da co m id a que e la faz. U m a co zin h eira sem p re cozin h a

3. Q u e bom ! E la vai ser p rom ovid a. E la é um a fu n cio n ária e sem p re trabalh a__________ .

4. N ão gosto deste professor. E le en sin a m uito _ _ . E le é u m __________________professor.

Intervalo
Expressões

morrer de Maria, m o rri de ra iva .

raiv a - Q uando vi P au lo co m M a ria , m o r r i d e ra iv a .


frio - F e c h e a ja n e la . E sto u m o r r e n d o d e f r i o .
ca lo r - A b ra a ja n e la . E sto u m o r r e n d o d e c a l o r .
m ed o - E sto u m o r r e n d o d e m e d o do exam e,
fo m e - O ja n ta r está p ro nto? E sto u m o r r e n d o d e f o m e .?
sede - V am os tom ar um refrig era n te? E stou m o r r e n d o d e s e d e .
v on tad e - Q ue c a lo r ! E stou m o r r e n d o d e v o n t a d e dc tom ar um sorvete,
in v eja - M o r r i d e in v e ja quando vi o b rilh an te que ela com prou,
dor de c a b e ç a , de dente etc. - N ão p osso sair h oje. E stou m o r r e n d o d e d o r d e ca b e ça ,
rir - E le m o r r e u d e r i r quando lhe co n tei a piada.

ce n to e sete n ta e três 173


fazer
fr io , c a lo r , so l co m p ras um p a g a m e n to seguro a s u n h a s, a b a r b a
u m a v ia g e m um exam e u m d is c u rs o a n o s, a n iv e r s á rio a cam a
u m fa v o r um ch eq u e e rr o s a s m a la s o ja n t a r
u m n e g ó c io

F a z e r q u es tã o d e F a ç o questão de que v o cê s ven ham ja n ta r com ig o.


F a z e r b em , m a l a a lg u é m C a fé m e faz m al.
O ar das m ontanhas vai lh e fazer bem .
F a z e r d e co n ta E le fe z de co n ta que não m e viu.

O dia da viagem

C o n te co m o fo i o d ia daquela v iag em . U se , da lista acim a, o m aio r núm ero de ex p ressõ es p o ssív el.

C o m ece assim ; E u ia fa z er u m a grande v iagem .


F in a lm en te ch eg ou o dia!
T in h a feito sol no dia anterior, m as ag ora estav a fazendo frio!

E u m e lev an tei c e d o ........................................................................................ .........................................................................

Texto narrativo
Tietê — O rio que foge do mar

O T ie tê n a sce reg ato , n a sce d oce e lim p o, m orre su jo na m etróp o le e rev iv e depois, nas próprias águas.
O rio T ie tê é um rio in teiram ente pau lista. N a sce em S a ie só p o lis, na S e rra do M ar, cru za todo o estado
de S ã o Paulo e d eságua no rio P aran á, no lim ite co m o M ato G ro sso do Su l. Q u em sai de São Paulo
lev a pouco m ais de duas horas para ch eg ar ao lo cal da n ascen te, num a an tiga fazen d a da reg ião , a 18
qu ilôm etro s do cen tro urbano de S a iesó p o lis. A li, u m a p la ca de b ro n ze, cravada p ró xim a a um filete
de águ a, apresenta esta in sc riç ã o : “A qu i n a sce o T ietê. So cied a d e G e o g rá fic a B ra sile ira . 1 5 5 4 -1 9 5 4 ,
São P a u lo .”
D esse file te até o rio P araná, onde deságua, o T ie tê p erco rre c e rc a de 1 .1 0 0 qu ilôm etro s.
A o n a sce r entre duas pedras, tem um a vazão de apenas 7 0 0 litros de água por hora. A os p o u cos vai
fican d o volu m oso , à m ed id a qu e re ce b e a ad esão de uns 3 0 p equ enos aflu en tes.
E m São P au lo, no in íc io do sé cu lo X X , o rio T ietê era um lu gar onde m u lh eres lav av am rou pas, onde
se realizav am reg atas e grandes p esca rias. B e m antes d isso, ele fo i o rio dos B an d eiran tes, que o
p erco rriam em b u sca do ouro, fundando n ov os p ov oam en tos. P ara eles, era a v ia de a cesso às m in as de
ouro em M ato G ro sso , nos idos de 1 7 2 0 . E m sua m arch a, os bandeirantes usavam can o as, escav ad as
em um ú n ico tron co de peroba, que m ed iam 17 m etros de com p rim en to , por quase 2 m etros de largura
e que pod iam transportar até 6 0 ton elad as de carga. E le s v en ciam os ob stácu lo s a pé, carregan d o as
can oas e v oltav am a c o lo c á -la s na água, quando a n av eg ação de novo se tom av a p o ssív e l. E m 1 6 2 8 , o
b and eiran te A n tôn io R a p o so T av ares partiu em d ireção ao sul, em ex p ed ição às m issõ es esp anh olas de
G uaira. O rio se ch am ava, en tão, A n h em bi.

ce n to e seten ta e quatro
O p o e ta M á r io de A n d ra d e
assim o d efin iu:

“Rio que entras pela


terra
E que me afastas do
m ar...”
E s s e rio “ao c o n trá rio ” , que
n ão corre para o m ar, co m o a
m aio ria dos ríos b rasileiro s, fo i
durante m uito tem po a ú n ica
estrad a para o interior. A p esar
dos acid en tes g eo g rá fico s que
im p e d ia m su a tr a v e s s ia em
vários pontos, a viagem p or ele
era ainda a m ais rápida.
O T ie t ê d e s liz a tr a n q ü ilo e
b e lo , em d ire ç ã o a M o jí das
C ru z e s . E m m u ito s b a ir r o s
d esta re g iã o , co m o o do R io
A cim a , m orad ores usam suas
ág u as p ara b e b e r e fa z e r
com id a.
N o cen tro de M o ji das C ruzes,
o T ietê ainda está v iv o. M a s, à
m e d id a q u e se a p ro x im a da
C a p it a l, se u le it o p a s s a a
re c e b e r carg a m uito m aio r de
d e t r it o s d o m é s tic o s e
industriais. O n ív el de polu ição
ch eg a ao ponto m áxim o depois
da c o n flu ê n c ia co m o rio
Tam an d uateí, p ró xim o à ponte
das B a n d e ir a s , no c e n tro de
S ã o P au lo, quando re c e b e os
r e s íd u o s de m ilh a r e s de
fáb ricas e esg otos não tratados.
A prova de m a jo r cap acid ad e
de reab ilita çã o do n o vem dele
p r ó p r io . S a in d o a 200
q u i lô m e t r o s d a C a p i t a l , a
recu p eração das águas c o m e ç a
na cidade que leva seu n om e, a
c id a d e de T ie tê . A s p e s so a s
p o d e m a í n ad ar, p a s s e a r de
barco e os p e ix e s v o ltam a se
reproduzir. D e B arra B o n ita até
a fo z , as ág u as do T ie tê sã o
con sid erad as lim pas, m esm o receb en d o os esg o to s de en gen h os e curtu m es. A recu p eração é ajudada
pelo relev o, co m u m grande núm ero de quedas d ’águ a e corred eiras que au m entam a o x ig en ação das
águas.
T o m ar o rio in teiram en te lim po não é d ifíc il, apenas cu sta dinheiro criar n ov as redes co leto ras de
esg oto e novas e sta çõ e s de tratam ento.

Responda.
1. P o r que d izem o s que o T ie tê é
um rio in teiram en te p au lista?
2. E x p liq u e a exp ressão : "U m rio
ao co n trário ".
3. O T ie tê é aflu en te de qual rio?
4 . O nd e fic a o rio P aran á?
5. P o r que o rio T ietê era tão
Pereira Barreto
im portante no p assad o?
6. C om o os bandeirantes
n avegavam no rio ?
7. C om o eram as can oas dos
b an d eiran tes?
8. P or que o T ie tê é tão poluído,
ao p assar pelo cen tro de S ã o
P au lo?
9. H o je , qual é a im p o rtân cia do
T ie tê ?
10. O que v o cê sab e de B arra

Barra Bonita
B o n ita ?

São Paulo

Salesópolis

Moji das Cru2 es

176 ce n to e seten ta e seis


UNIDflDC 14
Agência de viagens
E le — D e sisti de v ia ja r para a E uropa.
ELa — N o ssa! Por qtiê? V oce sem p re quis fazer esta viagem!
E le — P ois é! H o je de m anhã estiv e na a g en cia de v iag en s e nada
deu certo lá.
Ela — C o m o assim ?
E le — P ara com eçar, eles queriam que eu pagasse tudo adiantado.
Q uando eu lh es d isse que não tin h a c o n d içõ e s de p ag ar a
v ia g e m à v is ta , to r c e r a m o n a riz e e x ig ir a m q u e eu
arranjasse dois avalistas. D ep ois, em bora avalista não fo sse
p ro blem a, não g o stei n em do plano de p agam en to n em da
o rg an ização da firm a. A ssim não dá!
E la — V ocê tem razào. Q uando a gente nâo está con ten te, nâo
d ev e m esm o insistir. Por que v o c ê nào vai ao m eu agon te
■ d e v ia g en s?

Modo su b ju n tivo — Im perfeito


MORAR — Imperfeito POD E R — Imperfeito
(eles moraram) mora + sse (eles puderam) pude + sse
Se eu morasse Se nós morássemos Se eu pudesse Se nós pudéssemos

VENDER — Imperfeito DIZER — imperfeito


(eles venderam) vende + sse (eles disseram) disse + sse
Se eu vendesse Se nós vendêssem os Se eu dissesse Se nós disséssem os

ABRIR — Imperfeito PEDIR — Imperfeito


(eles abriram) abri + sse (eles pediram) pedi +■sse
Se eu abrisse Se nós abríssemos Se eu pedisse Se nós pedíssemos
Se você
Se ele abrisse Sc
Se ela______________ M

Formação:
O im p erfeito do su bju n tiv o fo rm a -se a partir da 3 a p esso a do plural do p erfeito do indicativo.

ce n to e seten ta e sele 177


Dê o perfeito do indicativo e o imperfeito do subjuntivo nas pessoas indicadas.

Perfeito do indicativo Imperfeito do subjuntivo

1. gostai- — Eles S e eu

2. comer -— Eles S e ele

3. dormir — Eles S e a gente

4 . fazer — Eles S e nós

5 .p ô r — Eles S e n ós

6. ter — Eles S e n ós

7. ser — Eles S e eles

8. pedir — Eles S e eles

9. dizer — Eles S e eles

10. ir — Eles S e eu

11. trazer — Eles S e nós

12. ver — Eles S e nós

13. vir — Eles S e ela

14. saber — Eles S e eles

15. querer — Eles S e a g en te

Em prego
Ele queria quu eu o ajudasse.
1 Idei que você fizesse o irabaiho. Foi melhor que eli desistisse.

Emprega-se o impeifeito do subjuntivo nos mesmos casos do presente do subjuntivo


(com verbos de ordem, desejo, dúvida, sentimento, expressões impessoais, certas
conjunções e estruturas com palavras indefinidas seguidas de pronome relativo).
Estando o verbo da oração principal 110 pretérito (imperfeito, perfeito, mais-que-
perfeito e futuro do pretérito*), o verbo da oração dependente estará no imperfeito
do subjuntivo.

* O fuluro do p retérito será abordado à página ! 86.

ee n to e sete n ta e oito
A. Complete com o imperfeito do subjuntivo.
(perd er) T iv e m edo de qu e v o c ê p e r d e s s e a hora

1. (fu m ar) E íe nos pediu que não

2. (sa ir) E le não d eixo u que e les _

3. (v oltar) T iv e m edo de que v o c ê não

4 . (pôr) E la n ão quis que nós__________ a m esa.


Ele não deixou que eles saíssem.
5. (ab rir) D uvid ei que v o c ê ___________ _ o co fre.

6. (fic a r ) E la p referia que t o d o s _______ _ quietos.

7. (dar) E u q u eria que v o c ê ___________ u m a olhada. I ----


8. (escu ta r) F iq u e i triste que eles n ão m e

2/Tf
!=*§

9. (v ir) E ra im portante que ela tam bém _

10. (estu d ar) E u p roibi que as c r ia n ç a s ___ na sala.


J
11. (and ar) E la m andou que e u ____________ m ais depressa.

12. (ch eg a r) N ós fiz e m o s q uestão de que eles na hora


Eu proibi que as crianças
13. (ter) E le q u eria com p rar um carro q u e ____ 4 portas, estudassem na sala.

14 (co n seg u ir) F iz e m o s tudo para que e l e ____ o em prego.

5. (ser) N ão p erd em os a calm a, em b ora a situ ação d ifícil.

B. Passe o verbo principal para o perfeito do indicativo. Depois faça as


modificações necessárias.
E la duvida que n ós p ossam os ajudar. E la duvidou que nós p u d éssem os ajudar.

1. E la quer que eu f i q u e ..........................................

2 . D uvido que v o cê v en h a.......................................

3. F a ç o questão de que v o c ê s m e escu tem . ...

4 . E le pede um a b ebid a que não se ja gelada.

5. E x ig im o s que ela nos o u ç a ................ ...............

6 . É im portante que ele p agu e a c o n ta ..............

7. E le d ese ja que ela s e ja fe liz ...............................

8. Sin to que ele não s e ja fe liz ................................

9. É m elh o r que v o cê v en h a ...................................

10. E sp ero que v o c ê m e co m p re en d a...................

11. E la so rri, em b o ra ten h a p ro b lem a s................

12. F a z em o s tudo para qu e v o c ê se ja fe liz ........

13. D u v id am os que v o cê saib a fa z ê -lo ................

14. E le quer alg u ém que o a ju d e .............................


Ela quer que eu fique,
15. E la sai sem que a v e ja m o s .................................

cento e seten ta e nove 179


C . P a s s e o v e r b o p rin c ip a l p a r a o im p e r fe ito d o in d ic a tiv o . F a ç a , d e p o is , a s
m o d ific a ç õ e s n e c e s s á r ia s .

E la duvida que eu fa ça tudo s o z i n h o . ......................................................... .............. .................................................

1. É p ro váv el que e le fiq u e ................................................................................................................................................

2. É m elh o r que v o c ê esp ere .............................................................................................................................................

3. Q u erem os que v o c ê leia a ca rta ............................................................ .....................................................................

4 . N âo tem os c ertez a de que e le se ja h o n e sto ................... .......................................................................................

5. E u esp ero que v o c ê v en h a................................................................................... ....................................................

6. É im portante que v o cê leia is so ..................................................................................................................................

7. G o sto d c v o cê, em b ora v o c ê não g o ste de m im ............................................................... .............. ..................

8. E le leva um a vida c o n fo rtá v el, em bora gan h e p o u c o ....................................................................................

9. Eu e \plico d evagar para que v o c ê en ten d a ..............................................................................................

10. N ào \ou. nu sm o q u e v o c ê s m e p e ç a m . ........................................................... ........................

11. E u sei ipre vou em b ora antes que eles c h eg u em ...............................................................................................

12. A m ãe can ta para que a cria n ça durm a.................................................................................................... ...............

13 E ie p re cisa de alg u ém que o co m p reen d a................................................................................. .............................

14. B a sta que ele d ig a um a p a la v ra........................................................................................................ .........................

15. E u não co n h eço n in gu ém que q ueira trabalhar aos d o m in g o s................................... ...............................

D. Ontem ela não quis falar comipo. Por


j a jve2 ela. edúvedde ccw ãada n aqu ela b&ia.

T a lv e z ...............................................................................................
T a lv e z ........................................................................................... .

T a lv e z ........................................................................................ .

T a lv e z ,................................... ..........................................................

T a lv e z .

Talvez ela estivesse


cansada naquela hora.

E. Complete com o verbo no tempo adequado.


(aju d ar) E u não quero que v o c ê m e ajude.

.. (d izer) D u v id ei qu e ele sim .

2. (am ar) Sin to que ela n ão tne

3. (poder) E sp e ra v a que e l e s __ vir.

4. (poder) E sp ero que e l e s ____ vir.

ce n to e o iten ta
5. (ter) É m elh o r que v o c ê s ________________ p aciên cia.

6. (d izer) E la fech ou a p orta antes qu e n ó s ___________ _ "a té -lo g o ".

7. (ter) E u sonh av a co m um apartam ento q u e ________ v ista para o mar.

8. (pod er) E le trabalhou m ais na 6 a feira para que _ fic a r em ca sa no sábado.


Ele quer uma esposa
9. (esp erar) N ão quero que v o cê m e __________________ _ • que saiba cozinhar bem.

10. (fa la r) E la não d eixo u que e l e ______________________

11. (p erm itir) D uvido que e l e __________________________

12. (sa b er) E le quer u m a esp o sa q u e ________________ cozin h ar bem .

13. (esq u ecer) T enh o m edo de qu e v o cê m e __________________ .

14. (esq u ecer) T iv e m edo de que e l e ___________________ meu nom e.

15. (querer) V ocê p re cisa aju d ar m esm o que n ã o __________________

F. Complete as sentenças.
N ão quero que v o cê s a ia agora.
Faço questão que jante conosco

1. F a ç o q uestão de q u e .........

2. N ão quero q u e ....................................

3. E le s duvidaram q u e ........................

4 . E le s d isseram que t a lv e z .

5. E la diz que ta lv e z ................... .

6. E le s v ieram para que n ós ........

7. R e c e io q u e ...........................................

8. E sp eráv am o s q u e .............................

9. E ra p ro váv el q u e ...............................

10. C on vém q u e .............................

11. F iq u e c o n o sc o m esm o q u e .........

12. E pena q u e ...........................................

13. F ic o aqui, con tanto q u e ................

14. P refiro que ........................................

15. E le p re cisa de um m e câ n ico que

16. T o m ara q u e ..........................................

17. F o i pen a q u e .......................................

18. N ão ach o que ...................................

19. N ão p en so q u e ...................................

2 0 . N ão en co n trei n in g u ém q u e ........

ce n to e o iten ta e um
Contexto — A forra do peão1
0 baiano Cícero Alves da Silva, 26 anos, é um brasileiro,
desses que se vêem em qualquer ponto de ônibus. Há
quatro anos viajou para São Paulo com uma mala de couro
para tentar mudar de vida. Não conseguiu emprego fixo
nem teto para morar. Trabalhando como pedreiro, quando
tinha serviço dormia em galpão de obra. Desempregado,
residia de favor na casa de amigos. Todos os domingos,
Cícero passava em frente de um bar na Vila Madalena,
um dos pontos mais animados de São Paulo, e admirava
a alegria dos fregueses. Na madrugada de segunda-feira,
dia 10, o pedreiro Cícero tomou coragem e resolveu ir à forra2.
Depois que todos tinham ido embora, arrombou o bar com um pedaço de ferro. Ao entrar, foi direto à
cozinha. Ele tinha trabalhado como garçom e não teve dificuldade para preparar o cardápio de sua
refeição, No freezer, escolheu dois pedaços de frango, descongelados sob água corrente de uma torneira.
Para acompanhar, preparou um molho de pimentão e farofa. Meticuloso, depois de passar o frango na
frigideira elétrica, atrumou a mesa para um jantar farto e solitário. No barril de chope, serviu-se à
vontade. Foram - conta de bêbado - cerca de trinta canecas. De sobremesa, sorvete de morango. Uma
lata inteira. O pedreiro tentou ouvir um CD de Jorge Ben Jor, mas não conseguiu. Não sabia como
ligar o aparelho de som da casa.
“— Esqueci da vida, — conta ele. Não lembrei nem que Deus existia.” De estômago cheio e cérebro
carregado, Cícero teve uma idéia. Numa sacola, separou um videocassete, um toca-discos a laser,
vinte e dois Cds, nove fitas de vídeo e alguns alto-falantes para levar embora. Todo mundo acha que
ia revender as mercadorias por uns trocados, mas ele garante que era para consumo próprio. Quando
amanhecia, pegou no sono. Era segunda-feira e ele sabia que o bar não abre nesse dia, Mas, para azar
dele, a proprietária e sua sócia resolveram aparecer no bar no final da tarde. O
pedreiro acordou com o barulho da porta de ferro se abrindo.
Assustado, pulou o muro e correu. As duas proprietárias gritaram por socorro.
Um borracheiro das vizinhanças agarrou o pedreiro na rua e segurou-o até que
ele fosse preso. Atrás das grades, Cícero responde agora a um inquérito por
tentativa de furto e, condenado, pode pegar quatro anos de prisão. Na polícia,
tomou-se uma atração. Todos os dias é chamado para tirar fotografias algemado
e contar sua história. Nascido em Heliopolis, a 255 quilômetros de Salvador,
certa ocasião quase perdeu a vida numa enxurrada. Outra vez, numa bebedeira,
dormiu na carrocería de um caminhão basculante e acordou no momento em
que, coberto de terra, foi despejado numa obra. No passado, sua biografia
renderia teses sociológicas sobre pobres migrantes destruídos pela cidade
grande. No presente, é uma história banal, uma história que, de tão banal,
talvez queira dizer alguma coisa.

! - peàù de obra - trabalhador sem qualificação que faz serviros braço is na construção civil
1 - ir à jorra - viugar-se

A, Responda.
1. Como era a vida de Cícero em sua cidade natal? Quais foram suas maiores dificuldades em São
Paulo?
2. Embora não fosse homem violento, Cícero “resolveu ir à forra”. Por quê? Explique.
3. Descreva o cardápio do jantar que Cícero preparou.
4. Embora estivesse sozinho, Cícero passou momentos agradáveis preparando sua refeição e,

182 ce n to e o iten ta e dois


3. Descreva o cardápio do jantar que Cícero preparou.
4. Embora estivesse sozinho, Cícero passou momentos agradáveis preparando sua refeição e,
depois, jantando. Indique no texto as passagens que mostram essa satisfação.
5. Qual foi o azar de Cícero na segunda-feira? Foi a primeira vez na vida que Cícero teve azar?
6 . Por que todo mundo quer ouvir Cícero contar sua história? Por que fazem questão de tirar fotos
de Cícero com algemas? Dê sua opinião,
7. Você tem idéia do motivo por que Cícero concorda em ser fotografado todo dia com algemas?

B. Indique no texto, a passagem que diz que

1. às vezes, Cícero morava na casa de amigos sem pagar.

2 . ele entrou no bar com violência.


3. ele tomou chope quanto quis.

4. depois do jantar, eíe se esqueceu de todos os seus problemas.

5. provavelmente Cícero ia vender os objetos que estava levando do bar, mas não ia conseguir
muito dinheiro com a venda.

6 . as proprietárias do bar pediram ajuda.

C. O que é? Como é? Para que serve? Explique cada um dos itens abaixo.
E x.: sacola - é um tipo de saco com alça, feito geralmente de tecido ou de plástico, que serve para
transportar uma quantidade reduzida de objetos, alimentos etc.

1 . g a lp ã o ................. .......................................................... ...................................................................... ..................


2 . torneira.....................................................................................................................................................................
3. farofa................................................................................... .................................................... ................................
4. frigideira....................................................................... ........................................................................................

5. b a rril............................................... ...................................... ................... ...... .......................................................

6 . c a n e c a ............................................................................................................................................. ........................
7. caminhão basculante.................................................................................... ............................................. .........

D. Complete com verbos do texto.

1. Ele não estava contente, por isso decidiu______________________ de vida.

2. Ele não tinha dinheiro, por is s o ______________________ de favor na casa de amigos.


3. Ela v a i______________________ a mesa para o jantar.

4. Por favor, o aparelho de som. Quero ouvir um pouco de música.


5. O discurso era longo e ele estava cansado, por is s o ______________________ no sono.
6 . No jog o de ontem, os meninos ________________ o muro para pegar a bola no jardim do vizinho.
7. Na viagem, e le ______________________ muitas fotografias.

c e n to e o ite n ta e tres 183


l. Ele gosta d e __________________ para os amigos a historia do dia em que quase
____________ a vida lutando com jacarés.
9. Por favor,_____________________ a água na pia. Não precisamos mais dela.

10. Não entendo esta palavra. O q u e ______________________ isso?

Expressões com o verbo dar


1 . dar para (ser possível) 5. dar bom-dia
Não dá para comprar esta casa. É muito cara. Ele me deu boa-noite
quando me viu.

2 . dar para (localização) 6. dar certo/errado (ter um determinado resultado)


A janela da sala dá para o lago. Esta porta dá A viagem deu certo , mas a reunião deu errado.
para a cozinha.

3. dar para (ter talento) 7. dar um susto (causar, aplicar)


Não dou para. matemática, dou para línguas. Ela me deu um tapa. (Eu levei um tapa)

4. dar (ser suficiente) 8 . dar-se bem/mal com (relacionar-se)


Este dinheiro dá? Dá. Eu me dou bem com todo mundo. Não tenho
problemas com ninguém.

ce n to e o iten ta e quatro
A. Considerando a lista da página anterior, numere as frases abaixo de acordo
com seu sentido.

[_______ ] — Desculpe, não deu para telefonar.


[_______ ] — Ele me deu um pontapé.

[_______ ] — Dou-lhe parabéns pelo seu aniversário.

[_______ ] — Quando está muito quente não dá para trabalhar direito.


[_______ ] — A porta do restaurante dá para o parque.

[_______ ] — Um quilo de açúcar não vai dar para fazer os doces.


I"_______ ] — É pena, mas eu não dou para música.

[_______ ] — Tudo deu errado porque não planejamos direito a viagem.


[_______ ] — Elas se dão muito bem. São grandes amigas.

B. Eles estavam contentes porque o piano tinha sido um


sucesso.
Eles estavam contentes porque o plano tinha dado certo.

1. Eles estavam desanimados porque o projeto foi um fracasso.

2. Ele é tão engraçado que não é possível ficar triste a seu lado.

3. Este dinheiro só é suficiente para comprar um apartamento pequeno.

4. Desta saia a gente vê a praia.

5. Estamos todos contentes porque nossa idéia teve bom resultado.

6 . Ela gosta da irmã e vive bem com ela.

7. Vamos, diga, bom-dia para ele!

8. Ele não tem talento para negócios, por isso a empresa não teve bom
resultado.

9. Você acha que a gente pode comprar o carro com este dinheiro? Este
dinheiro é suficiente?

10. Vendo tanta coisa errada, não é possível ficar quieto.


M odo in dicativo
— Futuro do pretérito

Formação:
Forma-se o futuro do pretérito a partir do infinitivo.

M O R \R F u tu ro du p re té rito

Eu m o r a ria Nós m o ra ría m o s


Você Vocês
Ele m o ra ria Eles m o ra ria m
F.la V Elas
.1 arvofz
•íuiVjiutw
V E N D E R — F u tu ro do p re té rito

Eu v e n d e ria Nós v enderíam o s


Você s Vocês
Ele v e n d eria Fies v e n d e ria m
Ela Elas
OBSERVE.

V B R IR — F u tu ro do p re té rito F A Z E R — F u tu ro do p re té rito

Lu a b r ir ía Nos a b riría m o s E li ffa


a rria
ia Nó.s fa ría m o s
VíM'C Vocês Noce Voces i
Ele a b r ir ía El* a b r iria m Ele fa ria Eles fa ria m
Lia Lias Ela Elas !

S E R — F u tu ro do p re té rito D I Z E R — F u tu ro do p re té rito

Eu seria Nós seriam os Eu d iria Nós d iría m o s

Você S. Vocês V Você j\ Vocês K


Ele seria Eles seriam Ele d iria Eles d iria m
FJm Elas Ela V E las V

T R A Z E R — F u tu ro do p re té rito

i- 1j ! If 1 Eu tr a r ia Nós tra ría m o s


in '
Você Votes
u _ ' Í Ele b tr a r ia Eles \ tra ria m
r'/ /
Ela Elas /
i

(permitir) Eu perm itiria sua entrada, mas agora não dá para abrir a porta.

1. (explicar) Eu lhe o problema, mas agora não dá. Não tenho tempo.
2. (dar) Ele lh e ____ estas informações, mas hoje não dá. Ele não veio trabalhar.
3. (gostar) E la ____ de viajar, mas o salário dela não dá.

4. (abrir) E u ______ o cofre para você, mas não dá. Não tenho a chave.
5. (ficar) E le ______ _ rico com esse projeto, mas ele não dá para negócios.

186 ce n to e o ite n ta e s e is
Ordens e pedidos

Esperem-me lá fora.
Ajude-me!
Você poderia me ajudar, por favor?
Será que você poderia me ajudar, por favor?

A. Observe o quadro acima e faça o mesmo.


Mostre-me seus
documentos!
1. Mostre-me seus documentos!

2. Acabe logo este trabalho!

3. Esperem-me lá fora.

façarri barulho.

4. Por favor, passe-me o açúcar.

5. Traga-me o café e a conta, por favor.

6 . Não faça barulho.

Traga-me o café &


a conta, por lavor.
7. Diga-me que horas são.

8 . O chefe não está. Passe mais tarde.

9. Estou com calor. Abra a janela.

10. Estamos atrasados. Ande mais depressa.

ce n to e o iten ta e sete
B. A partir das ilustrações, dê a ordem e, depois, transforme-a em pedido.

cento e oitenta e oito


Família de palavras
VERBO SUBSTANTIVO ADJETIVO

1 . rir a risada risonho


2 . mentir
3. difícil
4. enriquecer

5. a pobreza

6. triste
7. a fraqueza

8. a ignorância

9. obrigatório
10. o conselho

11 . interessar
12 . alegre
13. cansar

14. ausentar-se

15. morrer

16. vivo
17. o hábito

18. a correção

Intervalo

Expressões idiom áticas

estar, ficar dc cara amarrada. — poros pingos nos IE Ir por ¡jguii ¡ibui\o

Ele ficou de cara amarrada porque Esta historia está muito mal contada. Nossos planos falharam. Foi tudo por
cheguei tarde.
Vamos pôr os pingos nos ii. água abaixo.

cento e oitenta e nove


— estar, ficar de pe runs para o a r — pisai em qvos

A casa ficou de pernas para o ar depois da festa. Ele é tão complicado que a gente pisa em ovos quando fala
com ele.

— (um) *abacaiP’ — bater pnpo

Que “abacaxi”! Como vamos resolver isso? Ela adora bater papo com os amigos no telefone.

— es lar, ficar de orelha em pé

Ele anda desconfiado e por isso está sempre de Depois que começou a sair com ele, ela não presta atenção
orelha em pé. em mais nada. Vive com a cabeça nas nuvens. (= no ar)

cento e noventa
Os índios do Brasil

Quando, era 1500, Pedro Álvares Cabral, desco­


bridor do Brasil, chegou às praias do que agora é a
Bahia, havia 5 milhões de índios na área que, depois,
se transformou no Brasil. Hoje, há 270.000 índios,
pouco mais de 5% da população original. Várias
foram as causas desta redução: mortes por doenças contagiosas (sarampo, tuberculose, varíola e gripe),
por assassinatos, por suicídios, por confmamento e guerras tribais.
Na época do descobrimento do Brasil, existiam quase 1200 línguas indígenas. Hoje são 170, faladas
por 206 grupos.
No momento, a situação do índio brasileiro é crítica, mas já foi pior., No final dos anos 50, havia, no
máximo, 100.000 índios. A partir dos anos 60, no entanto, o governo organizou reservas para proteger
o índio e sua cultura. Hoje, essas reservas ocupam quase 11% do território brasileiro, uma área igual
à área ocupada pela França e pela Inglaterra juntas. Apesar disso, muitos povos indígenas continuam
desaparecendo.
Qual o futuro dos índios brasileiros? O futuro deles depende do governo. Só a ação do governo vai
impedir sua morte e a destruição de sua cultura. A febre do ouro, a exploração da madeira, a criação de
fazendas extensas para a criação de gado e o desenvolvimento de cidades próximas às reservas são as
maiores ameaças aos índios.
Na busca do ouro, os garimpeiros invadem as reservas indígenas, perturbam seu habitat (a floresta, os
rios) e sua cultura. Grupos inteiros de índios morrem por doenças como gripe. Em áreas da floresta,
onde não há ouro ou onde o ouro acabou, chegam grandes companhias que cortam árvores por causa
do valor comercial de sua madeira. Outros grupos comerciais cortam árvores para formar pastagens
para criação de gado. Em todos esses casos, as áreas indígenas são invadidas e choques armados com
os índios acontecem.
Hoje há, pelo menos, 60 grupos indígenas ocultos na floresta. São os índios arredios. Temos pouca ou
nenhuma informação sobre eles. Eles vivem completamente isolados, exatamente como viviam há
500 anos. Nenhum desses grupos tem contato com outro grupo indígena, resistindo com violência à
invasão de suas terras. Quando perdem a luta, afastam-se para pontos ainda mais inacessíveis. As
tentativas de aproximação são sempre perigosas. Como já aconteceu várias vezes, os índios podem
atacar de repente. Flechas e bordunas são sua resposta à tentativa de conversa do homem branco.
Como há 206 grupos diferentes de índios e 170 línguas indígenas, não se pode falar de uma cultura

ce n to e n o v e n ta e um
indígena, mas de diferentes culturas indígenas. Mas, apesar das grandes diferenças, entre eles há um
ponto em comum. Enquanto nós organizamos nosso mundo e nossa vida em diferentes esferas
(economia, política, educação, religião, etc), na vida do indio todas as esferas estão ligadas. Assim, por
exemplo, o corte de uma árvore tem implicações religiosas, sociais, políticas, econômicas, etc.
O índio respeita a floresta. A posse da terra é coletiva e é determinada pelo seu uso.
Os índios vivem em aldeamentos, geralmente de 30 a 100 pessoas. Há aide amentos maiores, com 400
ou 500 pessoas.
Na produção, há trabalho masculino e feminino. O homem caça, pesca e colhe o que foi plantado. A
mulher cuida da plantação e cozinha. A produção, como vemos, depende do trabalho da família, mas
depois é distribuída na comunidade.
Ao contrário de nós, que queremos entender a realidade através da ciência, os índios explicam o sol, a
chuva, o dia, a noite, a morte através de mitos.
Os rituais — festas com músicas, danças, bebidas, pintura corporal e trajes específicos — marcam
momentos importantes na vida das pessoas e da comunidade e colocam o índio em contato com os
seres de seus mitos, com o espírito de seus mortos e com os seres sobrenaturais que vivem nos rios e na
floresta.
A política atual do governo brasileiro defende a proteção do índio e a preservação de sua cultura. Ele
deve viver como sempre viveu. O homem civilizado pode aproximar-se dele, mas deve respeitar sua
cultura, tão diferente da nossa.

Influência indígena no português do Brasil

1. N o m es de lu g a re s ou re g iõ e s: Ibirapuera, Ipiranga, Morumbi, Jabaquara, Anhangabaú, Itaparica,


Embu, Itapecerica, Cotia, Pírituba, Cantareira, Maracatins, Aracaju.
2 . N om es de p e sso a s: Iara, Araci, Jaci, Jacira, Ubirajara.
3 . N o m es de p la n ta s e f r u ta s : abacaxi, maracujá, mandioca, ipê, jacarandá.
4 . N o m es de a n im a is: tatu, jacaré, piranha, urubu, tamanduá.

Responda.
1. Número de ín d io s.............................................................. ............... ........... ...................................................

em 1500 ....................................................... .................................. ............................................................................

nos anos 5 0 ..................................... ....................................... ............................... ....................................... ........


hoje em d i a ..................................................................................................................................................................

Por que o número de índios é maior hoje do que nos anos 5 0 ? ..................................................................

2. Número de íínguas indígenas...........................................................................................................................

em 1500 .......................................................................................................................................................................
hoje em d i a ........................................................................................................................ ................................. .

3. Extensão das terras indígenas................... ...................... ........... ....................................................................


4. Apesar da criação das reservas e da proteção dada ao índio pelo governo federal, o futuro dos
índios e de sua cultura ainda é incerto. Por quê?
5. Para você refletir antes de responder:
Nas reservas, poucos índios ocupam vastíssimo território, muitas vezes rico em ouro e madeira de
lei. Você considera a criação das reservas medida realista ou não? Comente.

cento e noventa e dois


UNIDADC 1 5

Porque está
errado. 0
homem
precisa de
L ambições.

juntaria dinheiro, faria


um ofício ... e iria trabalhar na cidade.
meu pé de meia,

Depois eu não perderia tempo.


Trabalharia dia e noite,

construída uma ca¿a. teria alguns filhos, um belo automóvel, ... empregados .

eu tiraria umas férias e iria passear


num lugarzínho bem sossegado, sem
barulho, sem correria.

Dopoís de alguns
anos, quando eu já
estivesse r ic o ,...

cento e noventa e três


Orações co nd icio n ais Se eu eetivesse em férias,
dormiria até às 10.

Eu não fariq isso st fosse você.


Se eu estivesse era férias, dormiria até às 10.

A. Complete com os verbos nos tempos adequados.


(poder/vir) Se eles pudessem, viriam aqui.

1. (falar/ouvir) Se v o c ê __________________mais alto, ele a ___________

2. (estar/ajudar) Se e la __________________aqui conosco, ela n o s _____

3. (gostar/conhecer) Você com certeza__________________ dele se o __


4. (receber/ficar) Se e u ________________ uma carta h o je ,_______________muito contente.

5. (gastar/ter) Se e le s __________________m en os,________________ mais dinheiro no banco.


6 . (dormir/trabalhar) Se e le __________________m a is,__________________ melhor,
7. (viajar/permitir) E u para a Europa este ano se

meus negócios o ________________________ .


8 . (gostar/aceitar) E le __________________ de dançar com ela se e la __________________.
9. (ficar/receber) N ó s mais tranqüilos s e __________________notícias de nossos

filhos.
10. (ser/ter) Minha v id a_______________mais fácil se e u _______________um salário maior.

B. Faça frases. Comece com se.

1 . (ter t e m p o / e s t u d a r ) . ........................................

2 . (ter dinheiro/comprar)................................................................................................................................
3. (poder/jantar)..................................................................................................................................................

4. (estar frio/ficar em c a s a ).............................................................................................................................

5. (estar feliz/sorrir)...........................................................................................................................................
6 . (ir ao médico/sarar)................................................................. .....................................................................
7. (ser verão/ir à praia)........................................................... .........................................................................

8 . (querer/ajudar)..................................................... ..........................................................................................
9. (ler/gostar).......................................................................................................................................................

10. (trabalhar/ficar rico )..................................................................................................... .............................

C. Faça frases. Não comece com se.


(ter dinheiro/trabalhar mais) Ele teria mais dinheiro se trab alh asse mais.

1 . ficar em casa / estar frio .................................................................................................................................


2 . morar em apartamento / poder e sco lh e r...................................................................................................
194 ce n to e n o v e n ta e qu atro
3. sorrir/estar con ten te...................................
4. gostar deste livro/ 1er.................................

5. ficar rico / trabalhar direito.....................

6 . resolver problemas/ ouvir os am igos....


7. ficar doente/comer mal e dormir pouco

D. Responda.

1 . O que você faria se fosse milionário?


Se eu............................................ ,e u ...................................................

2 . O que você faria se fosse um grande jogador de futebol?

Foto: Pclc , guando jogo dor no Hmc dc Futebol Santos.


3. O que você faria se ganhasse um grande prêmio na loteria?

4. Se você pudesse criar e organizar uma cidade, como seria ela?

5. Se você ficasse sabendo que o mundo iria acabar amanhã,

o que você faria nestas últimas horas?

E. Converse com seu colega. Formule perguntas. Seu colega as responderá.


(Você sozinho em casa — fazer/ladrão entrar )
Imagine você sozinho em casa!
O que você faria se, de repente, um ladrão entrasse no seu quarto?

1. Uma festa em sua casa. — > dizer/vi zinho reclamar do baru lh o........................................................

2. Fazendo acampamento numa noite de muito frio. — > como


j* _¡£ i r-_i'
acender o fogo/não ter fósforos 'V .-*■„( »•
.................................................................................................................................. t" ’ U . H ’
3. À noite, numa cidade estranha. — > onde dormir/
hotéis estar fechados....................... ...................................................................

4. Num helicóptero, só você e o p ilo to .—■> fazer/o piloto ^ \


morrer de repente................................................................................................. X

5. À noite, numa estrada deserta. —-> fazer/acabar a gasolina ^ ^ ~Jm ~

ce n to c n ov en ta c c in co 195
Verbos irregulares

Verbos em -ear

Passear, pentear, semear, bloquear, frear, recear... são irregulares no presente


do indicativo e do subjuntivo

P A S S E A R — P re s e n te do in d ica tiv o

Eu p asseio NÓS p a sse a m o s

P A S S E A R — P re s e n te do su b ju n tiv o

Que eu passeie q u e nós passeemos

Ela sempre se
penteia de manhã.

Complete com o verbo no tempo adequado.


(passear) Antigamente nós p a s s e á v a m o s mais.

1. (pentear-se) Eu sempre pela manhã,

2. (pentear-se) Ela proibiu que eu _ ali.


3. (passear) Não quero que você _ a noite.
4. (frear) Ontem e u ______________ rápido, por isso nào bati.
Se eu n ã o __________________, o desastre seria grave.

5. (passear) Quando éramos crian ças,_______________ sempre

pela praia com nossos pais.


.a
6. (recear/bloquear) E u ________________ que a polícia % >

a ma e que nao possamos passar. V ,* tf


íre a r'
7. (passear/recear) Ontem foi domingo, mas ninguém
________________ na praia por causa do frio. E u ______
que este verão não seja muito bom.

8 . (semear) “Q uem ________________ ventos colhe tempestades”.


9. (pentear-se) O professor não permite que n ó s ________________
na sala.

10. (semear) No ano que vem e le s ________________ outros tipos de


legumes.

cento e noventa e seis


Verbos em -iar
A maioria dos verbos em -iar é regular (copiar*, pronunciar*, renunciar*,
presenciar ...)■ Há, porém, alguns irregulares no Presente do indicativo e do
subjuntivo. Odiar é um deles.
O D IA R - P re s e n te d o in d ica tiv o O D IA R - P re s e n te do su b ju n tiv o

Eu tidcio Nos o d iam o s Q u e eu odetc Nós od iem os


V n cí Voeëî.
) odeíe Eles rfiffjiíi.rn
UOClITÍll
E las

* E u co p io , ele co p ia * E u p ro n u n c io , ele p ro n u n c ia * E n re n u n c io , ele ren u n cia


(a c ó p ia ) (n p ro n ú n c ia ) (a re n ú n c ia )

Complete com o verbo no tempo adequado


r*- * Na escola,^
antigamente, as crianças v
Eu o amo, embora ___________páginas e páginas.
Eu odeio vocês! Todo mundo___________
ele me
copiar. J^ _ j

(odiar) >Pi ar/ocfj


(odiar)

Vou dizer-lhe o É necessário que Todo mundo aqui


que penso. Não v o c ê s ______________
palavras claramente.
nmguem,

(pronunciar)" '' (odiar)

Verbos em -uir
A maioria dos verbos em -uir é regular (atribuir, retribuir, substituir, poiuír etc.)
com exceção de construir e destruir.
Modo indicativo — Presente sim ples
C O N S T R U IR — Presente simples D E S T R U IR — Presente simples

En const run Nós co n stru im os En d is tru o Nós destruim os


Voeí k \ neis K \t ÚL'Í
(U’L* \ m is '
Ele const róJ Fris c m m ro c m Ele
Ele O I d esiro t* Eluj des tro e m
Elu V Elas V . Lias*>
* Modificação na 3a pessoa do singular (i ao ínvés de e).

cento e noventa e seto


Complete com o verbo no tempo adequado. Engenheiros constroem edifícios.
Dinamites destroem edifícios.
(construir) Que tipo de casa sua firma constrói?

1. (construir) Engenheiros _ edifícios.


2. (destruir) D inam ites____ edifícios.
3. (substituir) As máquinas os opéranos.
4. (construir) Duvido que e le s ____________ _ uma casa maior,
5. (poluir/destruir) As indústrias__________ o ambiente
e __________________ a tranqüilidade da população.
6 . (destruir/construir/reconstruir) Há alguns dias uma grande
tem pestade__________________ a ponte que nós tínhamos
___________________ . Agora precisam os____________________ -la.
7. (construir/distribuir) O governo________ casas e
alimentos para a população.

M odo in dicativo — Presente sim ples.


Verbos seguir, valer, caber, medir, p e rd e r

Você
Ele
E la 1/

Perder
alg u m a cüisu — Perdi meu guarda-chuva.
Preciso comprar ■miro.
a aula — Não posso perder esta aula.
o ônibus, o avião — Por causa do 1rânsiio
perdi o avião.
a chance — Não perca esta chance!
* C o rn o v e s tir , s e r v ir e t c .
p e rd e r tem po — Vócê está perde lo ter po.
(visto, veste - sirvo, serve etc.). C o in o seguir
Trabalhe!
tam b ém : conseguir, perseguir, prosseguir
o sono Perdi o sono e dormi pouco. Estoi. * * Conto saber, trazer no Preteria Perfeito
cansado. (soube, rmuse, coube )
a h o ra — Para não perder mais a hora. *** Com o pedir, ottvii
comprei um desperta or, (eu peço, ele pede/eu ouço, ele ouve)

c e n to e n ov en ta e o ito
Complete com o verbo no tempo adequado.
(medir) Quanto você mede?

[. (medir) Eu 1,60 m e ele 1,70 m.


2. (medir) Ele não quer que você a sala. Ele já ontem.
3. (valer) Este carro está muito maltratado. Já não mais nada.
4. (valer) Gosto do meu carro, embora ele n ã o __ grande coisa.
5. (valer) Se minha c a s a _____ mais, eu a trocaria por um apartamento.
6 . (caber) Eu n ã o ____________ em seu carro. Está muito cheio.

7. (caber) Para que sua m a la__ ____________ no armário, precisaremos tirar as caixas.
8 . (caber) Para que os adultos _ _______________ no sofá, as crianças sentarão no chão.
9. (perder) Preciso trabalhar. Já _________________ muito tempo conversando com vocês.
10. (perder) Se fosse mais cedo para a cama, n ã o __________________ a hora no dia seguinte.

11. (perder) Se e u __________________o ônibus das 7 horas, com certeza perderia a reunião.

12. (perder) E u _____________________ o sono quando estou preocupado.


13. (perder) Vou dar-lhe um mapa para que você não s e _______________________.

14. (seguir) E u ____________pela praia e meu cachorro sempre atrás de mim.


15. (segu ir)____________________ aquele homem!

16. (conseguir) Veja! Eu não acabar este desenho. João também não

Talvez você
17. (conseguir) Seria bom se v o c ê ____________________ duas entradas para o show.
18. (conseguir) Ele estava aborrecido porque não tinha um aumento de salário.
19. (conseguir) Ele está sempre muito ocupado,

mas talvez nós falar com Se fosse mais cedo para a cama, não
perderia a hora no dia seguinte.
ele.

20. (conseguir) Ele duvidou que nós

_____________________acabar o trabalho em três


dias. Mas nós conseguimos!
Gosto do meu carro embora
eie não seja grande coisa.

ce n to e n o v e n ta e n ov e
Contexto

O goto e o borato

A baratinha velha subiu pelo pé do copo que, ainda com um pouco de vinho, tinha sido largado a um
canto da cozinha, desceu pela parte de dentro e começou a lambiscar o vinho. Dada a pequena distância
que nas baratas vai da boca ao cérebro, o álcool lhe subiu logo. Bêbada, a baratinha caiu dentro do
copo. Debateu-se, bebeu mais vinho, ficou mais tonta, debatendo-se mais, bebeu mais, tonteou mais e
já estava quase morrendo quando deparou com o carão do gato doméstico que som a de sua aflição do
alto do copo.
— Gatinho, meu gatinho, pediu ela - me salva (1), me salva. M e salva que assim que eu sair daqui eu
deixo você me engolir inteirinha, como você gosta. M e salva.
— Você deixa mesmo eu engolir você? - disse o gato.
— Me saaalva! - implorou a baratinha. Eu prometo.
O gato, então, virou o copo com uma pata, o líquido escorreu e com ele
a baratinha que, assim que se viu no chão, saiu correndo para o buraco
mais perto, onde caiu na gargalhada.
— Que é isso? - perguntou o gato. Você não vai sair daí e cumprir sua
promessa? Você disse que deixaria eu comer você inteirinha.
— Ah, ah, ah, - riu então a barata, sem poder
se conter. E você é tão imbecil a ponto de
acreditar na promessa de uma barata velha e
bêbada?

Millôr Fernandes. Fábulas Fabulosas.

(1) Me salva! Linguagem popular.


Forma correta: Salve-me!

200 du zentos
A. Enumere as ações da baratinha
1. Primeiro ela subiu pelo pé do copo.
2. Depois ela desceu pela parte de dentro etc.

B. Enumere as ações do gato.


1. Primeiro ele olhou para dentro do copo e sorriu da aflição da

2 . Depois ...

C. Responda.
1. A baratinha caiu logo dentro do copo?
2. Por que ela ficou logo tonta?
3. A baratinha ia morrendo sem reagir?
4. Por que o gato, animal tão esperto, foi enganado pela baratinha?
5. Você acha que a baratinha estava mesmo muito bêbada quando falou com o gato? Por quê?

D. Relacione as palavras à direita E. Relacione os sinônimos.


com a idéia associada a elas à
esquerda.
bêbado álcool largar pedir com desespero
■ *
debater-se ( alegria ^ tonto comer, beber um
deparar comida (J a m b is c a r ? pouquinho
engolir implorar abandonar

1 gargalhada pensamento (_ deixar _) bobo


pata ^ luta imbecil J) permitir
escorrer surpresa
contuso
cérebro líquido

F. Relacione as expressões.

cumprir (dentro do buraco )

sair a trabalhar

cair • uma promessa

( começar em alguém

cair f ( comendo

ac redi tai­ na gargalhada

du zen tos e um
im perativo (revisão) Felipe, não tussa durante o concerto porque
incomoda o público e o pianista.

A. Diga ao Felipe para...

1. abrir a porta porque ... Felipe, por favor, abra


a porta porque a sala está abafada.

2 . não perder a hora senão

3. ouvir o que você está dizendo para que

4. sentir-se à vontade pois

5. descobrir o que aconteceu senão

6. ficar em casa porque.

7. medir a mesa senão ..

8 . não odiar matemática pois

9. não mentir senão

10. repetir a informação pois

11 . não fugir senão

12. não tossir durante o concerto porque

13. pedir mais ingressos para a palestra pois

14. vir mais cedo senão

d u zen to s e dois
B. Leia atentamente o bilhete de Sofia para suas filhas Ângela e Beatriz.

AucjeJa e heatái^,:
V&u. paMan, o dia jpna. Pdiou, lhei, lemhumdo o <^ue veceí têm pana hoje. PnimePio-, vocêí
^anão duad, tiçõ&i- e 4Ó depoid. ânincaAãa. com dmoi- amkjod,. /¡d* on^e e meia uocêd, aJm&çanão- e
à uma kona ¿não pana o- coiépio.. Voeêd- ^icanãú- cdeutai, e uão- cÂepanãe atnadaáad,. Pana ¿¿to
mcêd, vão- uediíe-de e iaúi com aetiecedeneia e pwã& uma kíuéa limpa. Voceó, deãão compoA-
tadad- dunaeãe aÁ auIaA, e ¿eoão toáod. od. demneA peoeded-,
Q kexpcm A o d o c o l& jie , d e cp ú éeA em , u eem - teU a id ã o -.

Até o jantan,, Qeijod,.


Mamãe

Agora, reescreva o bilhete, colocando os verbos no imperativo.

C. Você vai viajar. Escreva dois bilhetes.

* O primeiro será para sua secretária. Explique-lhe o que ela deve fazer durante sua ausência
(rotinas do escritório).
• 0 segundo bilhete será para sua empregada. Explique-lhe o que deve fazer. Considere a segurança
da casa, os cuidados com o jardim e com o cachorro,
•Use sempre o imperativo.

D. Baseando-se no texto “O gato e a barata", ponha as orações abaixo no


imperativo.

1. (subir/descer/lambiscar) — Baratinha,_________________ pelo pé do co p o ,____________ pela parte

de dentro e ______________________ o vinho.

2. (salvar) — G atinho,_____________________ -me,


3. (sair) — Que é isso, baratinha. já daí.

4. (ser) — Gatinho, n ã o ______________________ tão imbecil.


5. (acreditar) — Gatinho, n ã o ______________________ em barata velha e bêbada.

duzentos e tics
Familia de palavras

Complete os quadros.

S U B S T A N T IV O A D J E T IV O A D V E R B IO

1. a fo rç a fo rte fo rte m e n te

2 a d ú v id a

3. \ e rd a d e iro

4. a saúde

5. tím id o

6. feliz

7. largo

8 a a ltu r a

9. bobo

10. in telig en tem en te

1 1 . a ansiedade

12. económ ico

13. o cuidado

14. o perigo

15. o silencio

S U B S T A N T IV O A D J E T IV O VERBO

1. a s u je ira

m entiroso

3 p e r m itir

4. p ro ib id o p ro ib ir

5. c o n fu n d ir

6. v iv e r

7. preo cupado

S. a lim p eza

9. p ro m e te r

10, o cansaço

du zen tos e qu atro


t

Intervalo

R Rondo
Letra e música de Chico Buarque

Estava à toa na vida


o meu amor me chamou,
Pra ver a banda passar
cantando coisas de amor

A minha gente sofrida


despediu-se da dor
Pra ver a banda passar
cantando coisas de amor

O homem sério que contava dinheiro, parou


O faroleiro que contava vantagem, parou
A namorada que contava as estrelas,
parou para ver, ouvir e dar passagem

A moça triste que vivia calada sorriu


A rosa triste que vivia fechada se abriu
E a meninada toda se assanhou
Pra ver a banda passar cantando coisas de amor.

A minha gente sofrida


despediu-se da dor
Pra ver a banda passar
cantando coisas de amor

O velho fraco se esqueceu do cansaço e pensou


Que ainda era moço pra sair no terraço e dançou
A moça feia debruçou na janela
Pensando que a banda tocava pra ela

A marcha alegre se espalhou na avenida e insistiu


A lua cheia que vivia escondida surgiu
Minha cidade toda se enfeitou

Pra ver a banda passar


Cantando coisas de amor

d u zen to s e c in c o
Mas para meu desencanto
O que era doce acabou
Tudo tomou seu lugar
Depois que a banda passou

E cada qual no seu canto


E em cada canto uma dor
Depois da banda passar
Cantando coisas de amor

A. Vocabulário.

1. R e la cio n e .

estar a toa estar sempre quieto

(^despedir-se de dizer até logo, adeus

viver calado aparecer

C surgir________ J estar desocupado

desencanto desilusão

2. C o m p le te .

a. meninada - grupo de meninos b. encanto - desencanto

____________ - grupo de crianças ilusão - __

papelada - __________________ emprego -

ocupado -

B. Compreensão. vieninada - Papeiada

1. E x p liq u e .

— O que era doce acabou.

— E a meninada toda se assanhou.

— O faroleiro que contava vantagem, parou.

—E cada qual no seu canto.

— (Eu) Estava à toa na vida/O meu amor me chamou.

du zen tos e seis


2. Ouça a música novamente e responda.

1 . C o m o e s ta v a a cid a d e a n te s de a b a n d a p a s s a r ? C o n s id e re a p o p u la ç ã o .
o homem s é r io .....................................
a namorada.......................................... ..
a m oça triste..........................................
a rosa triste.............................................
a lua c h e ia ..............................................

2 . D u ra n te a p a s s a g e m d a b a n d a , o q u e a c o n te c e u ?

com as pessoas em g eral...................

com o homem sério

com a namorada

com a moça triste

com a rosa triste

com a meninada

com o velho fr a c o ................................................................................... ,..........


com a lua c h e ia ............................................................................. .........................
com a moça f e ia .......................................... .....................................................................

3. D epois q u e a b a n d a p a sso u e foi e m b o ra , o q u e a co n te ce u na c id a d e ?

A felicidade
(Tom Jobim e Vinícius de Moraes)

Tristeza não tem fim


Felicidade sim

A felicidade é como a pluma


que o vento vai levando pelo ar

voa tão leve, mas tem a vida breve


Precisa que haja vento sem parar
A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval

du zen tos e sete


A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira

Pra tudo se acabar na quarta-feira

A felicidade é como a gota de orvalho


Numa pétala de flor
Brilha tranqüila depois de leve oscila
- —'E cai como uma lágrima de amor

A minha felicidade está sonhando


Nos olhos da minha namorada
É como esta noite passando, passando
Em busca da madrugada
Fale baixo por favor
Pra que ela acorde alegre com o dia
Oferecendo beijos de amor.

A. Compreensão. Indique a passagem da música que diz que

1. a felicidade é frágil, imprevisível e dura pouco.

2 . para que não acabe, a felicidade precisa de atenção e cuidados.

3. o pobre tem trabalho para conquistar a felicidade, mas ela dura pouco.

4. a felicidade chega, fica um pouco e depois acaba.

5. a espera pela felicidade é uma espera ansiosa e solitária.

B, Segundo a música,

Tristeza não tem fim/felicidade sim. Os dois primeiros versos de A Felicidade poderiam resumir o

tema de A Bandai Explique....................................................................................................................... ...........

du zen tos e o ito


Texto narrativo

O carnaval

A m aior fe s ta p op u lar
brasileira e a mais conhecida
m u n d ialm en te é, sem
dúvida, o carnaval. .
O ficialm en te, o carnaval
dura três dias: dom ingo,
segunda-feira e terça-feira.
Na realidade, porém, a festa
com eçajá na noite de sábado
e só termina na manhã de 4 a
feira de Cinzas.

Alegria ou ilusão?
“A gente trabalha
o ano inteiro,
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia de rei,
De pirata ou jardineira,
E tudo se acabar
na 4a-feira”.

A tradição dessa festa vem


desde os tempos da guerra
do Paraguai. No começo era
o entrudo, festa de origem
eu ro p éia. F a z e n d e iro s,
peões, brancos e pretos brincavam nas ruas, jogando água, farinha de trigo e polvilho uns nos outros.
Com o tempo, por causa dos excessos, o entrudo foi proibido em algumas cidades. Acabado o entrudo,
apareceram os bailes de salão. O primeiro realizou-se no Rio de Janeiro, em 1840. O povo, no entanto,
sem o entrudo, inventou outras formas de mostrar sua alegria nas ruas. Em 1846 surgiu “o cordão do
** Zé Pereira” — um grupo de pessoas que saíam pelas ruas da cidade, com bumbos e tambores, fazendo
um barulho ensurdecedor. Depois, muito depois, apareceram os corsos — um enorme desfile de carros,
muitos com capotas de lona abaixadas, levando foliões fantasiados, muito confete, serpentina e alegria.
Os corsos ficaram famosos em todo o país e mesmo cidades pequenas do interior costumavam fazê-
los.
Várias cidades brasileiras mantêm hoje, por tradição, um carnaval de rua com características bem
próprias. Em Salvador, na Bahia, por exemplo, o Trio Elétrico, um caminhão muito iluminado e lento,
tocando músicas carnavalescas num volume de som infernal, é seguido pela multidão que, com ou
sem fantasia, dança e brinca na maior confusão, Em Recife, capital de Pernambuco, pelas ruas multidões
dançam o frevo — música de ritmo muito agitado e alegre.
Os desfiles das escolas de samba são certamente o que há de mais espetacular nos festejos carnava­
lescos. Embora haja desfiles em várias cidades brasileiras, o Rio de Janeiro é, sem sombra de dúvida,

du zen tos e n ov e 209


o grande cenário. As escolas de samba cariocas nasceram no morro. A primeira surgiu em 1929.
Nessas escolas, compositores, instrumentistas e dançarinos uniam-se para desfilar. As mulheres saíam
vestidas de baiana e os homens com roupa colorida, camisa listrada e chapéu de palha, a indumentária
típica do malandro carioca.
Só em 1952 as escolas começaram a organizar-se realmente. Hoje, o samba desce o morro e “pede
passagem” para entrar na avenida. O espetáculo é quase indescritível. Ao som da batucada, milhares
de pessoas, de todas as idades, operários, comerciáxios, velhas cozinheiras, arrumadeiras, estudantes,
costureiras, desocupados, sambando, invadem a cidade, transformados em reis, rainhas, índios, generais,
damas antigas, numa grande festa colorida de cetim, plumas e lantejoulas. E o mundo de sonho e
fantasia, que, depois de um ano de dura preparação, desfila sob os aplausos do público. E cada uma
das escolas espera ansiosamente ganhar o prêmio.
O Rio pára nesses três dias para viver o carnaval. Na quarta-feira tudo é apenas uma lembrança. Os
operários voltam para as suas máquinas, as cozinheiras para seu fogão, os comerciários para seu
balcão. Mas, enquanto esperam o resultado do julgamento, já pensam no desfile do próximo ano.

Responda.
1. Qual a ligação do entrudo com o carnaval?
2. O entrudo desapareceu naturalmente? Explique.
3. O entrudo - uma manifestação popular de rua foi substituído por outras formas de festa de rua. O
texto cita duas que já não mais existem. Quais são?
4. Aponte três manifestações de carnaval de rua dos dias de hoje.
5. Por que se diz que as escolas de samba nasceram do povo?
6 . Pense nos desfiles das escolas de samba cariocas. Responda: o que é o carnaval? Alegria ou
ilusão? Discuta.

Polo: Sambódromo na quarta-feira de etnias,. kscrw Riotur.

duzentos e dez
UNIDAD* 1 6
Poro você que voi se casar. Cinco anos depois...

Nauhaté, / 0 de mateo... Alonianápolid, 2 0 de eu i d :. ...

Mintui quenida antiqa Sauta, 2 ne tida- Sudona.

Quatd» hem quatdada aquela cotta- que noce me


Aqut vão aLjaa i cea-lelùM- paia mcè- que vai- .e
mandou há- tanto tempo Cia è minha Siltlia. minha
caAoA den-t/io em hteue. Seja paciente cam. -leu-
Aãlum dòd 5 v , Mandam-.!. Si- S-empte achei que.
matido e aprenda a ouvái e a não difet nada. {£
lequindo oí con-le-Utol que você me deu, eu Ictia
timkoá não d itei naá a do quo ctiàá ptohlem aí.j
jfilif. Mal- acontece, -eu não lei pot què, que meu
uí-ie iu a l kaJúlidadãi. pata auilequii dele, a que
calamento não eitá dando cette. 0 A m olde não é
você quet i r , ele ¡. -.eis ■.■■.■ ei '
acontecendo, 2uando ele cheqat em cala, e-multo, o matidc- , .e eu-lonhata. Imaqine, ele nãoqoita
de leleuilão e odeia p d etol Suando eltou ca*tlada.
ilutado, leja aqtadável, conveüe, -lottia, não
di-latla, S e ele quitei la it com você, villa lua c: i e -pata a- cofà • %et ;$ um chá pata mim!

te upa mati ¿entila pata que ele le Unía jedif. Nunca laimoi à■noite-potque, d if ele, qodta depcat
Cnquanto ele eltivet ai-liltindo ao pdebol- pela ■lojiahocomiqo, ouvindo nuidica. dbinheito, Sudona,
teúm-lão, não a petlutle-, mal, lempte. que pit não é ptoldema: desde o ¿meta de nodto calamento,
póóéiad, ofeteça-l-he um ca^efinho, um luce, tenho uma conta tio Itanco ló pata mint. Pollo ¡¡ofet,
talue-fLiicoiíiu/i*-í... oque qui i- v iem. ¿o t ?plkaçõe-i a núpjuémi Ganu*
Aconteça o que aconteced, ¡ique lem pte a leu lado. le ií-lo não halla lie, o Am oldo pede minhaopü-niãs
Gtmjie nele. Actedile lem pte em. tudo » que ele lolite tuda e acha impodante ludo o que eu diqo.
lh e dciletr. A l um , q . VUda amtqa-, Uaaetá Cu não o et deudo ...
ttanqiuUda.de em leu la i e - ‘ t tá um matido Não aqüento m ail! iòiqam o que dilietem , vou me
le lif. C você, elfjaiü áed-ii iãa au-.’ cette$a ¡epa ïoji deie. Amanhã tne-imo. depoii que ele lait
m conitatá a lua felicidade. Sea lo tte! pata o t aiuzlho, al • . :■ ¿u.’uzi matad, eakni-
donatei edict cala, Vou pata a cala de mamãe. Não
Idm aòtaço cheio de- am içate, pando mail me iujeitat a nivel com um homem que
não me tiata como edpoia! 2 u e deUluião1
da Su dana.
Sauta

d u zen to s e o n z e
Modo su b ju n tivo — Futuro

M O R A R — F u tu r o do su b ju n tiv o V E N D E R — F u tu ro do su b ju n tiv o

Quando tu inorar Quando mis itiontrmns Quando cu vender Quando nós vendermos
On ¡indo varé Quando vocês Quando você Quando vocês i
Quuudo tílir morar Quando des morarem Quando de vender Quando des |) venderem
Quundn elu Quuudo das Quando da Quando das

A B R I R — F u tu ro do su b ju n tiv o
Form ação
Quando eu abrir Quando nós abrirmos

Forma-se o futuro do subjuntivo a partir da Quando loco k K


3a pessoa do plural do perfeito do indicativo. Quando ele \ alu ir Quuudo cies ) abrirem
Eles tiveram — Quando eu tiver. Quando tia |r Quando cias /

Em prego

a. Depois das conjunções quando , enquanto, togo que , assim que , depois que,
se, como, sempre que, a medida que, conforme, indicando ação no futuro.
Im p o rta n te : Quando estas conjunções introduzem verbos
que indicam ação 110 presente ou no pretérito, usa-se o Indicativo.

Quando eu venho aqui, eu sempre 0 vejo. Quando eu vim aqui, eu 0 vi.


Quando eu vinha aqui, eu sempre o via. Quando eu vier aqui, eu 0 verei.

C O R R I
quando quiser,
enquanto puder,
logo que (assim que) puder.
Mandarei o dinheiro
E n v ia re i o depois que eu receber meu salário, como for possível.
d in h e iro se tiver tempo.
como (= conforme) puder,
sempre que for possível,
à medida que for recebendo.

b. Em orações relativas.
Receberei tudo o que vocês
quiserem me enviar.

quem vier.
aquele que vier.
todos os que vierem.
R eceberei tudo quanto eles mandarem.
tudo 0 que eles mandarem,
onde você quiser.
0 que vocês mandarem
c. Em orações do tipo:

aconteça o que acontecer,


haja o que houver,
F icarem os
aqui
digam o que disserem,
pensem o que pensarem,
venha quem vier.

A. (beber) Eles beberam Quando você beber.

1 .(beber) Eles Quando eu


2. (conseguir) Eles Quando você
3. (sair) Eles Quando nós
4. (pôr) Eles Quando eles
5. (dizer) Eles Quando vocês
6 . (ir) Eles Quando nós
7. (vir) Eles Quando eu
8 . (ver) Eles Quando eu

9. (acabar) Eles Quando nós


10, (fazer) Eles Quando elas

B. (poder) Ele vai telefonar quando puder.

í. (entrar) Não gosto dele. Vou sair da sala quando e le _______________ .

2. (poder) A situação é difícil, mas agüentaremos enquanto_______________ .

3. (estar) O aluno não falará enquanto o professor_______________ explicando a matéria.


4. (ser) O menino disse que será médico quando________________ grande. Levarei sua bagagem
como puder.
5. (saber) Telefonarei para você s e ________________ de alguma novidade.

6 . (chegar) João trocará de roupa assim qu e________________ em casa.


7. (vender) Teremos mais lucro à medida q u e ________________ mais.

8 . (estar) Venham visitar-me sempre q u e ________________ livres.


9. (caber) Levarei sua bagagem se e la _____________ no carro.

10. (querer) Se D eu s , tudo dará certo.


11. (dar) Sairei logo que o professor________________ 1
12. (ter) Avisaremos quando________________ notícias.
13. (querer) Faça co m o _______________ .
14. (fazer/chover) S e ____________ calor ficaremos na praia, s e ______________ ficaremos em casa.

d u zen to s e trez e 2
15. (fazer) Conforme o trabalho que nós ___________, ganharemos muito dinheiro.

16. (fechar) Depois que n ó s ____________ as janelas, trancaremos todas as portas,

17. (estar) Enquanto o sin al____________ vermelho, não poderemos passar.

18. (ver) Lembrarei o que aconteceu sempre q u e____________ José. Enquanto o sinal estiver vermelho,
não poderemos passar.
19. (vir) Quando n ó s ;, traremos um presente.

20. (pedir) Ajude-os, quando e le s ____ auxílio.

21. (poder) Pense em nós sempre que

C. Complete com o Futuro do subjuntivo.

1. (dar) Aquele que informações sobre meu cachorro será bem gratificado.

2. (querer) Todos os que _ fazer o curso deverão deixar seu nome na secretaria.

3. (chegar) Q u em ________ primeiro escolherá o melhor Quem chegar primeiro


escolherá o melhor lugar.
lugar.
4. (estar) Levante a mão quem _ contra.

5. (estar) Fique sentado quem _ de acordo,

6 . (dizer) Tudo quanto vocês _ será

gravado.
7. (pagar) Todos os q u e ______ em dia terão um

desconto de 10%.
8 . (poder) O barco está afundando!
Salve-se quem _______________ .
9. (mandar) Prometo que faremos tudo o que

v o c ê s ________________________ .
10. (trazer) Receberemos bem todas as
O barco está a .mdando!
pessoas que e le s _____________________ . Salve-se quem puder!

D. Complete as sentenças com expressões deste tipo:


“Aconteça o que acontecer...”

1 . (ser) quem diga que nâo estou.

2 . (doer) a quem , diremos toda a verdade.

3. (haver) _ o que _ , continuaremos bons amigos.

4. (dar) _ quanto nunca pagará sua dívida,

5. (ir) aonde ele sempre será reconhecido.

d u zen to s e q u atorze
6. (fazer) Não adianta, Jo ã o .____________ oq u e _________________ , você não resolverá o problema.
7. (estar) Eu o encontrarei algum d ia ,________________ onde_________________ .

8 . (ch over)______________ quanto , o calor não diminuirá.


9. (ser) Diga-me a verdade, ela q u al____________ .

10. (dizer) Vocês não me farão mudar de idéia, _ o q u e _______________ .


11. (custar) Você me ouvirá_______________o q u e _______________ .

E. Complete o texto.

( d
0

Q uerido A rnaldo

0 Sinto m ulto, meu estas ¿ umas car too dn despedidas. Não posso m ais
con tin u ar a, sem Lado porajun oju tu ro sert ip u al Ostodos os d ias sjuc
pousam osju n tos at¿ aporc. R ecelo qu e, k a jc o ajun kountr, u ocl kâ 0
muÁes de>atitudes. ( cu star ) o aun t
codo continuarás mn tratan do com o ses em fosse apen as umas gran de
n
iim lpos suou, não sure esposas. M ar acred ite, ( estar)
ondes eus o am arei do m esm o m odo.
(ir ) (Mrosondes , U m rd codscom lao,
no coraotio. E em v oltarei correndo, (acon tecer)
0
o ojucs ses cods ntes ¿julser d o coitos.
B aste cham ar.

Suco Lauras

V )
d u zen to s e qu in ze
JÁ EXPLIQUEI TUDO.

C olocação do pronom e átono


(me, te, se, lhe, o, a, nos, vos, se, Ihes, os, as)

1. R e g r a g e r a l: o p ro n o m e á to n o é co lo ca d o depois do v e rb o :
Conte-me tudo.

2. O p ro n o m e á to n o v ir á antes do v e rb o q u a n d o , an te s dele, a p a r e c e r :

a . p a la v r a n e g a tiv a : não, nunca, ninguém, nada, nem eíc.


N in g u ém me viu.
N a d a me fará mudar de idéia.

b . p ro n o m e s in d efin id o s: tudo, vários, pouco, muito etc.


A lg u é m me disse que você estava aqui.
T u d o se esquece.
Que Deus te acompanhe e
que o diabo te carregue!
c . p ro n o m e s re la tiv o s : que, quem, onde, o qual, cujo etc.
A pessoa q u e nos atendeu estava ...

d. co n ju n ç õ e s s u b o rd in a tiv a s : embora, para que, quando, se etc.:


Vou esperar a té q u e você me diga o que aconteceu.

e. c e r to s a d v é rb io s : sempre J á , bem, aqui, mais etc.


J á lhe expliquei tudo.

f. o ra ç õ e s q u e in d ica m d e se jo , do tip o : Deus me livre!


Deus te acompanhe!
O diabo te carregue!

g. o ra ç õ e s in ic ia d a s p o r p a la v r a in te r r o g a tiv a ou e x c la m a i iv a:
Q u em lhe disse isso? C o m o eles se amam!
C o m o você se chama? Q u a n to tempo me custou este trabalho!

3. O p ro n o m e á to n o p od e v ir no meio do v e rb o q u a n d o o v e rb o e stiv e r no fu tu ro do p re s e n te
ou no fu tu ro d o p r e té r ito . N u n c a se c o lo c a o p ro n o m e áto n o dep ois d estes tem p o s.

Dar-lhe-ei notícias. Dir-lhe-ia tudo se pudesse.

d u zen to s e d e z e sse is
Observações

— Na linguagem formal, não se com eça oração com o pronome átono.


— A colocação do pronome átono no meio do verbo é exclusiva da linguagem formal escrita.
— No Brasil, é generalizada a tendência de se colocar o pronome átono antes do verbo:
Eu me chamo Maria.
Mariana nos visitou.

A. Coloque o pronome átono e explique.


(lhe) Não lhe disse nada. (por causa da palavra negativa não)

1. (lhe) Não telefonei ontem......................... ................................ .

2.(me) Diga o que sabe......................................................................

3. (as) Dei para meu melhor am igo...............................................

4. (se/lhe) Nunca esqueça do que dissem os. ....... ....................


5. (se) Alguém sentou na minha cadeira......................................

ó. (me) Quando chamaram, já era tarde.......................................

7. (lhe) Daria tudo para que dissesse a verdade.........................


8 . (lhe/me) Tudo daria para que dissesse a verdade.................
9. (lhes) Farei alguns favores..........................................................

10. (lhes) Não farei nenhum favor....................................................


11. (nos/nos) Embora conte muita coisa, ele não conta tudo...

12. (lhe/me) Peço que ouça.................................................................

R e c o r d e (C o n s u lte a U n id a d e 6 ).

Quebraram esta cadeira — > Quebraram-na.


Preciso pagar a conta — Preciso pagá-/a.
Quebraram-na.
A p ren d a.
Bebem os o vinho — Bebemo-/o.
Mandamos- a carta —> Mandamo-/o.

B. Substitua as palavras indicadas por um pronome e coloque*o corretamente


na frase.

1. Infelizmente não podemos ajudar nosso amigo ...........................................................................................

2. Fiz tudo para destruir as suspeitas. ...........................................................................................................

3. Veremos nosso filho alegre.................................................................................................................................

d u zen to s e d e z e sse te
Levá-la-ei comigo.
4. Levarei a mala com igo.,M & H Í c f ó c G k ..

5. Deixaremos os documentos na gaveta.................

6 . Escreveremos a carta amanhã...............................


7. Não mandaremos estas notícias hoje...................

8 . Você sabia que recusei a o ferta ? .........................


9. Se levarmos as crianças , não teremos sossego.

10. Conte tudo para nós.............................. ................

11. Tudo será negado aos nossos inimigos.............


12. Nada posso dizer a você. ...................................

13. Queremos as informações agora.........................

[4. Vimos os rapazes comendo..................................

15. Escutamos a mesma música três vezes.............

16. Os convidados beberam toda a cerveja ............

17. Vocês deram os bilhetes a Jo ã o ? ........................

18. Consegui trocar a blusa. .....................................

19. Quero 1er o relatório mais uma vez...................


20. Precisamos completar o exercício agora..........

Contexto

Notai

É noite de Natal, e estou sozinho na casa de um amigo, que foi para a fazenda. Mais tarde talvez saia.
Mas vou me deixando ficar sozinho, numa confortável melancolia, na casa quieta e cômoda. Dou
alguns telefonemas, abraço à distância alguns amigos. Essas poucas vozes, de homem e mulher, que
respondem alegremente à minha, são quentes, e me fazem bem. “Feliz Natal, muitas felicidades!”;
dizemos essas coisas simples com afetuoso calor;
dizemos e creio que sentimos; e como sentimos,
merecemos. Feliz Natal!
Desembrulho a garrafa que um amigo teve a
lembrança de me mandar ontem; vou lá dentro,
abro a geladeira, preparo um uísque, e venho me
sentar no jard in zin h o, perto das folhagen s
úmidas. Sinto-me bem, oferecendo-me este copo,
na casa silenciosa, nessa noite de rua quieta. Este
jardinzinho tem o encanto sábio e agreste da dona
de casa que o formou. É um espaço folhudo e
florido de cores, que parece respirar; tem a vida
misteriosa das moitas perdidas, um gosto de roça,
uma alegria meio caipira de verdes, vermelhos e amarelos.
Penso, sem saudade nem mágoa, no ano que passou. Há nele uma sombra dolorosa; evoco-a neste
momento, sozinho, com uma espécie de religiosa emoção. Há também, no fundo da paisagem escura
e desarrumada desse ano, uma clara mancha de sol. Bebo silenciosamente a essas imagens da morte e
da vida; dentro de mim elas são irmãs. Penso em outras pessoas. Sinto uma grande ternura pelas
pessoas; sou um homem sozinho, numa noite quieta, junto de folhagens úmidas bebendo gravemente
em honra de muitas pessoas. De repente um carro começa a buzinar com força, junto ao meu portão.
Talvez seja algum amigo que venha me desejar Feliz Natal ou convidar para ir a algum lugar. Hesito
ainda um instante; ninguém pode pensar que eu esteja em casa a esta hora. Mas a buzina é insistente.
Levanto-me com certo alvoroço, olho a rua, e som o; é um caminhão de lixo. Está tão carregado, que
nem se pode fechar: tão carregado como se trouxesse todo o lixo do ano que passou, todo o lixo da
vida que se vai vivendo. Bonito presente de Natal! O motorista buzina ainda algumas vezes, olhando
uma janela do sobrado vizinho. Lembro-me de ter visto naquela janela uma jovem mulata de vermelho
sempre a cantarolar e a espiar a rua. É certamente ela quem procura o motorista retardatário: mas a
janela permanece fechada e escura. Ele movimenta com violência seu grande carro negro e sujo; parte
com ruído, estremecendo a ma.
Volto à minha paz, e ao meu uísque. Mas a frustração do lixeiro e a minha também quebraram o
encanto solitário da noite de Natal. Fecho a casa e saio devagar; vou humildemente filar uma fatia de
presunto e de alegria na casa de uma família amiga.

(Rubem Braga, A Borboleta Amarela)

A. Responda.
1. Por que o Natal é uma “noite de rua quieta”?
2. Por que ele foi até a geladeira?
’ 3. No final, o autor e o lixeiro ficaram frustrados. Qual foi a frustração do autor? E a do lixeiro?

B. Escolha a melhor alternativa.

1. No início o a u to r não sai porque

. Ia) não tem nenhuma intenção de sair


Foto: Rubem Braga

□ b) está com preguiça e a casa é confortável

Lie) a casa é quieta e cômoda e a ma está vazia


i d) se sente bem assim sozinho na casa quieta e cômoda

du zen to s c d ezen o v e
2. O a u to r le v a n ta -s e c o m a lv o ro ç o p o rq u e

Q a ) alguém está buzinando junto ao portão

r b) a idéia de que um amigo venha visitá-lo o alegra

c) quer ver o caminhão de lixo tão carregado

I d) quer espiar a mulata que está sempre cantarolando

3. Bon ito presente de N atal! O autor

a) acha que o presente é realmente bonito

lb ) imagina que o caminhão, simbolicamente, vai levar embora todas


as tristezas do ano e, por isso, se alegra
[ c) está ironizando

d) agradece o presente

C. Descubra no texto as passagens que afirmam que

1. o ano que está chegando ao fim foi um ano difícil para o autor.
2 . a lembrança dos acontecimentos do ano não entristece o autor.
3. o caminhão de lixo está atrasado.
4. a mulata é pessoa alegre.
5. por um momento o caminhão destrói o sossego da rua.
6 . durante o ano, um fato alegre, prova ■.cimente um nascime ¡ito, trouxe felicidade para o autor.
7. o caminhão de lixo está completamente cheio
8 . para o autor, o caminhão destruiu a emoçào daquela noite de Natal.
9. o autor brinda diversas pessoas.
10. a mulata não está em casa.
l l . o autor está er a paz com o mundo.

D. Explique.

1. ... abraço à distância alguns am igos ............................... ............................................................

2 . É um espaço folhudo e florido de cores....................................................... ..................................... .


3. ca ip ira ...................................................... ....................................... ....................................................... ..........

4. ... uma alegria meio caipira de verdes, vermelhos e amarelos. ...................................................... .

5. Essas poucas vozes ... são quentes................................................................................ ...........................


6 . Vou lá dentro ................................................. ................ .......... ............................................... .........

7. vou ... filar uma fatia de presunto e de alegria ................................................................................

220 d u zen to s e v in te
Se desarrumou Prefixo des.
então arrume!
Desembrulho a garrafa que um amigo teve a lembrança de me
mandar.

(arrumar) Se desarrum ou o quarto, então arrum e!

1. (embrulhar) S e __________________, então__________________ !

2. (amarrar) S e , então___________________!
Embrulhar — Desembrulhar 3 . (fazer) S e ________________________, então
4. (aparecer) S e , então

5. (cobrir) S e ,en tão______

6 . (pentear) S e __________________ , então____


7. (montar) S e __________________ , então_____

Preposições
1. Penso sem saudade, nem mágoa ...
2. Sou um homem sozinho ...junto de folhagens úmidas

3 ... numa confortável melancolia, na casa quieta.

a. Preposições simples Outras preposições

Segundo = co n fo rm e
d u ra n te
exceto etc.

O navio partiu sob uma A C o m p le te ,


chuva forte de confetes. ^
O navio partiu sem mim.

1. O navio partiu

a tripulação completa.
mim.

muita demora,

uma chuva de confetes.


Lisboa.

duzentos e vinte e um
2. Os convidados estão chegando

___________________________ pé-
automóvel,

avião,
atraso,

ontem,

forte chuva.

3. Ele ficará aqui


amanhã.

3 semanas, o contrato.

mim.
toda a família.

trabalhar.

silêncio.

minha vontade.

a família.

B. Complete com uma preposição simples.

1. Ele falou todos.


2. Não venho aqu i___ os 10 anos.
3. Só vamos ja n ta r___ o cinema.
4. O prisioneiro fugiu _ a noite.
5. O réu apresentou-se____ 0 júri.
6 . Todos chegaram na hora, ele.
7. Comprei este presente__ _ Mário,
8 . O ator deixou o p a lco __ aplausos.
9. Infelizmente nada pudemos fa z er___________ ele.
10. Temos que ag ir__________________ o regulamento.
11. Não posso comprar este livro, estou _ dinheiro,
12. Nossos atletas receberam a medalha _ ouro.
13. Há muitos buracos na rua. A nd e_____ cuidado.
14. Ela merece o prêmio: estudou______ muita dificuldade e lutou ________ muitos
obstáculos.
15. Margarida, só a aceitarem os________ uma condição: não converse no telefone
seus amigos.

222 du zen tos e v in te e dois


b. Locuções prepositivas

Complete com uma das locuções prepositivas dadas.


lad o de
a ir a v é s de 1. Ele passou (os) carros para chegar mais depressa.
a p e s a r de
além de 2 . ____________ sair, fechou as janelas e apagou as luzes.
a finí de 3. o nosso regulamento, ninguém pode ficar com as
a n te s de
chaves das salas.
a tr á s de
ju n to a 4. Já procurei por toda a parte, (a) mesa,
ju n to de
(os) armários, (o) telefone, mas não
lon ge de
p e r to de acho o caderno de endereços.
d ep ois de 5. Tudo deve estar pronto___ _______________ (o) convidado chegar.
em vez de
em c im a de 6 . Não gostei do jantar porque,_______________________ vinho ou cerveja,
e m b a ix o de serviram água.
em lu g a r de
7 . ___________________________ (a) minha dor de cabeça, vou sair com você.
p o r c a u s a de
de aco rd o com 8 . Ele gastou uma fortuna com a fe s ta :_______________________ vinho, havia
p o r t r á s de ...
também champanhe.

9. Eles brigaram ____ dinheiro.

10. Ontem ela passou mim e nem me cumprimentou.

Ele gastou uma fortuna com a festa: além Ontem ela passou por mim e
de vinho, havia também champagne. nem me cumprimentou.

duzentos e vinte e três


C ontração das preposições com outras palavras

a , + 0 = tu* de H- o - do
¿ t Hf" ús — ¿L' de + eie = ¿¿é/ê
¿¿e + e r £ e = d e it e ,

de + aquele = dufuele
de + Utô = ¿¿¿râ>
¿¿ê +■ - diicuii em + ò -ttô
em + ene = nene
em + am —mutt
em + tujuele - nja^uele
por + o = pelo

Crase le escreve aos amigos


e ás amigas

Vou ao banco e depois à escola.

A crase é a co n tração da p rep osição a

introduzida pelo verbo mais o artigo definido

feminino que antecede o substantivo.

Quando não há preposição ou o artigo, não há crase.

(ii aï Ele vai a a escola - Elo vai à escola.


(escrever a) F le escreve a as amigas = Ele escreve às amigas
(dizer a) Fie disse isio a alguém Ele disse sto a alguém.
(entender) Ek emenden a explicação -
Ele entendeu a ©xplicaç
(escrever a) 1 le escre\eu ¡i elas —
Lie escreveu a elas.

224 du zen tos e v in te e quatro


Craseie se necessário. Ele começou a conversar enquanto
nos dirigíamos á porta de saída.

1. Dei o livro a menina.

2. Dei o livro a urna menina.

3. Ele foi a festa do amigo ontem.

4. Ele sempre vai a festas.


5. Ninguém entregou nada a ela.

6 . Mostre a casa a pessoas amigas!


7. Não tenho nada a dizer a vocês, só a Mônica.

8 . Ele se referiu a alguém, talvez apessoa com quem ele trat


9. Ele começou a conversar enquanto nos dirigíamos a porta de saída.

10. Ele explicou os problemas as alunas, mas nada disse a diretora.

II. Há crase nas locuções adverbiais form adas com substantivos fem ininos

TEMPO: MODO: LUGAR:

à tarde
às claras
à noite à margem do rio
às escondidas Ele
Ele vinha às sete E le saiu à direim do presidente
às pressas esta v a
à hora certa à porta, à janela
à francesa
às vezes

Craseie se necessário.

1. Gosto de sair a noite. A noite, nesta época do


ano, é muito agradável.

-■* 2. Ele estava a espera do amigo que chegaria as 8 .


3. Eles conversaram a beira da piscina antes de ir a

sauna.
4. As vezes fico triste com ele. Em todas as vezes
que estive em casa dele, não consegui conversar

com ele.
5. Minha sala fica a esquerda do elevador. A direita

é a sala do meu chefe.


6 . Comprei um barco a motor e um carro a álcool.

duzentos e vinte e cinco


Frutas c árvores

A árvore da laranja A árvore da maçã A árvore do caju A árvore da manga


e a faranjeim c a macieira eo ea

A árvore da pêra é a A árvore do pêssego é o A árvore da banana é a A árvore da goiaba é a

A árvore da ameixa é a A árvore do coco é o A árvore do mamão é A árvore do abacate é o

o mamoeiro

A árvore da uva é a
parreira

A árvore do figo é a

A árvore do limão é o imociro A árvore da jabuticaba é a

226 d u zen to s e v in te e seis


Frutos brasileiros vendidos no feiro livre

Maracujá
Carambola
ftbacoxi
Rbacate

d u zen to s e v in te e se te
sete 227
Intervalo A €scodo
O moço entra apressado
Procissão
Pra ver a namorada
E é da seguinte forma
Era um homem bem vestido
Foi beber no botequim
Bebeu muito, bebeu tanto

*m
As casas passavam em volta
Mas iá em cima está o pai
Numa procissão sem fim
Da pequena que ele adora
As coisas todas rodando
E por isso pela escada

¿ ja ® *
uirssy

m ele

embora.
v * (M illôr Fernandes)

Preste atenção à forma como estão escritos os poemas e responda. Explique


sua resposta.

1. ^rocissão — Certo ou errado? B. A Escada. Certo ou errado?


Pinte a taça. Pinte a seta.
a. O moço subiu a escada de dois em dois degraus.
a. Havia uma escada na e r r a d o
frente do botequim. A
□ S-rroiOlo b. Quando chegou ao alto da escada, ele
percorreu um corredor.
b. O homem saiu do bar f c A t ^ > e r r a c l o
andando com passos r -h < o
regulares. *C5o r ?
to Ls•' t J rtr a d *o
c. Ele começou a descida em pé.
^ ^ ^ m ^ > e r r a c l o
c. O homem estava com
soluço provavelmente por d. Ele desceu a escada aos trambolhões, degrau
causa da bebida. s a x poi degrau. _ p > -e r r o c io

d. Quando o homem chegou


à ma, a m a era plana. A e. Quando o moço chegou à ma, saiu andando.

d ; <ï=;' r I -
e. As casas e as coisas f. Ele foi embora com passo firme.
rodavam em volta dele. 4 ,
i n P
■r Í “CT2>

d u zen to s e vinte e oito


Texto narrativo

Riquezas do Brasil: o pau-brasil e o açúcar (1 )


Desde seu descobrimento, o Brasil explorou suas riquezas naturais e viveu grandes épocas graças à
sua agricultura.
A primeira riqueza natural a ser explorada foi o pau-brasil — um tipo de árvore assim chamado porque
de sua madeira se extraía uma tinta vermelha como brasa, muito utilizada na Europa quinhentista para
a produção de tecidos vermelhos, de alto preço. O Brasil possuía esta árvore em abundância - por isso
ficou conhecido como Terra do Brasil, nome que substituiu Terra de Santa Cruz. Atraídos pelo pau-
brasil, para cá vieram os europeus, principalmente espanhóis e franceses. Com a ajuda dos índios, os
europeus desenvolveram uma exploração sistemática do pau-brasil e, em poucas décadas, devastaram
a Mata Atlântica, embora esta cobrisse nossa costa do norte ao sul.
A segunda riqueza brasileira foi o açúcar. Sua produção deu início ao processo de colonização do
Brasil, primeiramente no litoral da região nordestina, onde se estendiam as vastas temas dos engenhos
— as fazendas que cultivavam a cana e produziam o açúcar. As condições de solo e clima, a presença
de matas das quais se extraíam madeiras para as construções e a fornalha, e de cursos d’água que
funcionavam como vias de transporte, faziam dessa região a região ideal para a atividade açucareira.
O cultivo da cana nos engenhos estabeleceu uma organização social rígida e bem característica. Havia
a casa-grande, a residência do senhor de engenho e de sua família, Era uma construção resistente, de
onde o senhor de engenho governava a propriedade. O Brasil possui ainda magníficos exemplos dessas
construções. A capela era o local onde se reuniam as pessoas para as cerimônias religiosas; missas,
batizados, casamentos e funerais.
A senzala, a habitação dos escravos, em geral constituía-se numa única peça, onde se amontoavam
todos, sem distinção de idade e de sexo. A casa do engenho, local onde se produzia o açúcar, era
formada pela moenda, pelas fornalhas e caldeiras e pela casa de purgar (limpar o açúcar).
Os empregados assalariados eram poucos.
Faziam parte da propriedade, ainda, o canavial, as áreas da mata e uma pequena área para a plantação
de gêneros como a mandioca, o milho e o feijão.
Os escravos, que viviam nas senzalas, trabalhavam desde o nascer do sol até a noite, tanto no cultivo
da cana como na fabricação do açúcar. O negro, na verdade, foi o grande elemento que sustentou a
economia açucareira nordestina por mais de 300 anos. O jesuíta Antonil deixou-nos um testemunho
de seu trabalho;
“Os escravos são as mãos e os pés do senhor do engenho.”
Por causa dessa vida difícil e dura, o negro cometia suicídios e empreendia fugas para a floresta, onde
formava os quilombos (aglomerações de negros fugitivos).

Responda.

1. Por que acabou a exploração do pau-brasil?


2. Por que o Nordeste brasileiro foi grande produtor de açúcar?
3. Quais são as partes de um engenho de açúcar típico (casa grande etc.)
4. Explique a organização do engenho (organização social e de trabalho).
5. Não se pode falar da produção de açúcar sem considerar a presença do negro escravo. Explique.
Fale sobre a qualidade de vida desse elemento no engenho.

d u zen to s e trin ta
UNIDADC 17
A batida parece que foi feia. Mas
talvez você tenha tido sorte .

Desastre!
— Meu Deus! O que foi que aconteceu?
— U m desastre! Bati o carro.
— Mas como?
— Na hora l-L, o freio falhou.
— Alguém se machucou?
— N ão, ninguém . F oi só o susto. M as m eu carro
Ultimamente tenho tido
acabou. problemas no escritório... deixei
— Ninguém? Ainda bem! Então não se aborreça. de pagar o seguro do carro.

A gente, que anda o dia inteiro de cano, para cima


e para baixo, está sujeito a essas coisas. A batida
parece que foi feia, mas talvez você tenha tido sorte.
Poderia ter sido pior. E o seu seguro, naturalmente,
vai pagar o prejuízo ...
— É ai que está o problem a. Sem pre tive seguro.
M a s u ltim a m e n te te n h o tid o p r o b le m a s no
escritório . P ou cos clientes, pouco dinheiro, v ocê
sabe co m o é. Por isso deixei de p agar o seguro.
A nos e anos pagando e nenhum acidente. A g o r a ...
— Que situação! Garanto que se você tivesse pago
o seguro direitinho, você não teria batido. É sempre
assim.
— É, eu sei. A z a r meu!

Tempos com postos do indicativo

M O R A R — P e rfe ito com posto A B R I R — F u tu ro do presente com posto

j Eu lenho morado Vós temus mu ratio Eli terei abc rio Nó* teremos aberto
Y oíêti
lera aberto Mes I) n-rib) aberto
Mas

V E N D E R — M a is -q u e -p e rfe ito com posto P A R T IR — F u tu ro do p re té rito composto

Eu linha vendido Nós tlnhanto» vendido Eu teria partido Nós teríamos partido
W |t \ o rh
linha vendido Eles
Has

d u zen to s e trin ta c um 231


Em prego

— Tenho tido problemas ultimamente.


O P e rfe ito C o m p o s to e x p re s s a u n ta a ç ã o q u e se iniciou
n o p a s s a d o e co n tin u a no p re se n te .

Eu já tinha parado de pagar o seguro quando bati o carro.


M a is -Q u e P e rfe íto -C o m p o s to (consulte a unidade 11).

— Quando ele chegar, já terei saído.


O F u tu r o do P re s e n te C o m p o s to e x p re s s a u m a a ç ã o
te r m in a d a em alg u m p o n to do fu tu ro .

— Eu também teria desistido.


O F u tu r o do P r e té r ito C o m p o s to in d ica u m a a ç ã o q u e p o d e ria te r a c o n te c id o no p a ssa d o .

Perfeito com posto (tenho falado)

A. Responda à pergunta. Complete sua resposta livrem ente,


(viajar muito) O que você tem feito ultimamente?
U ltim a m e n te eu te n h o v ia ja d o m u ito , p o r isso h oje q u e ro f ic a r em c a s a .
ou... p o r isso n ã o te n h o visto m eu s co le g a s. ou ...

1. (trabalhar muito) Ultimamente e u ................................................................................................................


2 . (ficar em c a s a ) ........................................................................................................... ................................. .......
3. (dormir até tard e) ....................................................................................................................................

4. (descansar)..........................................................................................................................................................
5. (ir ao cinem a).............................. ...... ................. ................................................................................. .............

6 . (não fazer n ad a) ...........................................................................................................................................

7. (gastar muito dinheiro).....................................................................................................................................

8. (não vir a q u i)....................................................................................................................................... ..............


9. (não telefo n ar)...................................................................................................................................................

10 . (comer fo ra ).................................................................................... ..................................................................

B. Responda à pergunta. Complete sua resposta livremente.


(trabalhar) O que vocês têm feito desde que chegaram?
D esd e q u e c h e g a m o s , nós só te m o s tr a b a lh a d o p o rq u e n osso tr a b a lh o está a tr a s a d o ,
ou... e n ã o te m o s tid o te m p o p a r a m ais n a d a ou ...

1 . (só estar doente)...................................................................................................................... ............


2 . (só ter problem as)..................................................................................................... ....................... .
3. (só falar em v ocês)............................................................................. ...............................................
4. (só escrever c a rta s )............................................................................................................................
5. (só comer e dormir)

6 . (só ouvir bobagens)


7. (só ficar em c a sa )....

8 . (só ch o v er)...............
9. (só fazer fr io )...........

10 . (não fazer s o l) .......

C. Perfeito simples ou perfeito composto? (falei — tenho falado)


O rapaz está feliz porque tem feitc
1. (vir) Ontem nós aqui mas não havia ninguém. bons negócios ultimamente.

2. (vir) Ultimamente Manoel ______________ aqui duas vezes por semana.

3. (perder) E u ______________ muito tempo com você desde que você chegou.

4. (fazer) Depois que ________ fortuna, ele não trabalhou mais.

5. (fazer) O rapaz está feliz porque _____________________ bons negócios ultimamente.

6 . (ter) Desde o início do mês, eles _____________________ reuniões diariamente porque


estão preparando um grande projeto.

7. (perder) E l e ______________________ o relógio no cinema.

8 . (telefonar) Desculpe, eu n ã o _____________________porque estava muito ocupado.


9. (fazer) E le s ________________________ muita economia ultimamente porque querem comprar uma

casa maior.

10. (ver) Eu não o nas nossas festas ultimamente. Por onde ele anda?

D. Ela está muito nervosa. Ela tem tid o problemas no escritório ultimamente.

Ela íem estado Ela está mais magra.


multo ocupada.

Ela está sem dinheiro.

Ela está pensando em viajar.

Ela vai receber um aumento de salário.

Ela vai se casar no mês que vem.

duzentos e trinta e três


E. Fale sobre estes últimos meses. O que você tem feito ultimamente.

Você precisa devolver


Eu tenho ... o livro no dia 18.

Futuro do presente com posto (terei falado)

A. Você vai estar livre às 11?


(a reunião — acabar)
Vou. Até lá, a reunião já terá acabado.

1. Você precisa devolver o livro no dia 18.

(1er) Sem problem a, ...................................................................


2. Você vai estar livre às 6?

(terminar meu trabalho). Vou. Até lá, eu j á ............................

3. Você pode me dar uma resposta até 5a feira?

(falar com os diretores) Posso. Até 5a fe ir a ,...........................

4. Vamos jantar fora? Lá pelas 8 horas?


(dar a última aula) Ótimo! Até lá, eu j á ............................... .

5. O que você acha? Vamos fechar o negócio na 4a feira?

(advogado - 1er o contrato) C la ro !................................ ...........

B. Pense em você daqui a 5 anos. O que você terá feito até lá?
Ca- lenel

C. Complete.

1. (conhecer) Até o fim do ano e u _____________________ todps os estados brasileiros.

2. (receber) Até amanhã e le ___________________________ as informações que pediu.


3. (fazer) Até o fim da semana e la _______________________________ todo o trabalho.

4. (recuperar) Daqui a dois anos n ó s _______________________________ nosso capital.

5. (ver) Até o fim do dia n ó s____________________ todos os documentos.

6 . (aprender) Até o fim do curso e le s ________________________ todos os verbos.

234 duzentos e trinta e quatro


7. (conseguir) Daqui a um ano e u _____ o que desejo.
8 . (gastar) Até o dia 15 e la ____________ todo o
Até o ftm do curso ele terá
seu salário. aprendido todos os verbos.

9. (vir) Até o fim do mês e le s _________


aqui dez vezes.

10. (chegar) Amanhã a estas horas ele já lá.


11. (1er) Daqui a dois dias e u ___________

livro todo.

12. (pôr) Até 2a feira e u ________________ tudo em ordem.

Futuro do pretérito com posto (teria falado)


V

A. (achar) Sem você, eu não teria achado o caminho.

1 . (chegar) Sem você, eu n ã o _______ até aqui.


2. (ficar) Com um bom contrato, nós ricos.
.3. (ser) Com ela, e le _______________ mais feliz.
4. (fazer) Com mais tempo, e u _____ _ um trabalho melhor.
5. (conseguir) Com paciência, Joana fazê-lo.
6 . (abrir) Com medo, eu n ã o _______ aquela porta.
7. (sair) Dependendo de mim, ela n ã o _______ da firma.
8 . (convencer) Com diplomacia, você o _____
9. (sarar) Com tratamento adequado, Jorge já
10. (obedecer) Sem ameaças, eles não m e ____
11. (perder) Sem nossa ajuda, todos v o c ê s ____ essa oportunidade.
C-om mais tempo, teria
12. (sair) Com chuva, ninguém ______________ feito um trabalho melhor.
13. (ver) Sem óculos, eu n ã o _________________ nada.
14. (viajar) Com mais dinheiro, n ó s _____ mais tempo.
15. (descobrir) Acho que, com jeito, você a verdade.

B. Responda.
1. Ontem foi domingo e você ficou em casa porque estava chovendo. Mas, com um belo dia de sol,
o que você teria feito? (Dê 5 ações)

du zen to s e trinta e cin co


2. Pense na sua família, no seu trabalho, no tipo de vida que você leva. Você está contente com
tudo? No passado, o que você teria feito de forma diferente?

Contexto

SUA MELHOR VIAGEM DE FÉRIAS COMEÇA EM CASA


Não tenha medo de sair por este vasto Brasil, rística, os guias de viagem são sofisticados e
não tenha surpresas desagradáveis, não perca detalhados, porque há uma relação direta entre
tempo com atrações secundárias, não gaste di­ planejar e aproveitar a viagem, válida sobre­
nheiro em voltas inúteis: planeje sua viagem tudo neste país de grandes distâncias. Se não
de férias. planejar, você não terá tempo para aproveitar
Planejar a viagem é tão importante quanto vi­ as melhores atrações, gastará excessivamente
ajar. Suponha que você tenha entrado em fé­ com combustível, e desperdiçará a vantagem
rias e, logo na manhã seguinte, sai a esmo. única da diversidade de lugares. Planejando,
Como não planejou, no meio do engarrafa­ você poderá optar pelo tipo de praia a seu gos­
mento você se descobre acompanhando a to. Ou taívez prefira uma estância hidromineral
multidão que vai sempre ao mesmo lugar, ao com clima de tipo europeu ou a excitação da
mesmo tempo, por uma estrada que não é a floresta, do rio caudaloso. E possível que você
melhor. deixe de conhecei n n igar ruara\jIlioso por­
Cansado . ¡hnr-et.'.. . você se hospeda na­ que lhe disseram que o avesso er.i 1>pior pos­
quele Cud caríssimo dc que lhe falou um sível e que não hu\ ia hotel algun
amigo, para logo descobrii que nem sempre Planejando, você saberá que a estrada foi as­
os preços indicam qualidade. E assim, de en­ faltada e- q il um ho el fe i construído - t •ida-
gano em engano, voce \oha para casa para dezinha t ■ nu - mudanças rápidas são fre-
descobi r que tie vou de aproveitar o melhor [üentes. no turismo 1u i-üeiro. É, portanto, fun­
da viagem damental que você se prepare paru sua viu
Nada do que você leu é exagero. Se você gem. Assim, quando suas térias úverem che­
ivesse planejado todt>s os passos da ¡agem, gado ao fim, você voltara : anquilo c refeito
com certeza não tena tido nenhuma dificul­ ao trabalho.
dade. N' is pai se s de m< lhor infra-estrutura tu­

A. Diga de outra forma.

1. Não tenha medo de sair...................

2. Não tema surpresas...........................

3. Não perca tempo................................


4.Não gaste dinheiro..............................
5.Planeje sua viagem .............................
6 . Prepare sua viagem com cuidado.

236 d u zen to s e trin ta e seis


B. Explique.

1. atrações secundárias..................................................................
2 . voltas inúteis............................................................ ...... .............
3. desperdiçar a vantagem única da diversidade de lugares

4. o acesso era o pior possível........................................

5. de engano em engano...................................................

6 . válida sobretudo neste país de grandes distâncias

nenhuma dificuldade - dificuldade alguma

Transforme as orações.

1. Você não teve nenhuma dificuldade ..................................................................................


2. Ele não convidou nenhum amigo...................................................................................................

3. Nós nâo tivemos nenhuma chance no concurso........................................................................

4. Meus parentes não me mandaram nenhuma notícia.................................................................

5. Fiz tudo sem nenhuma ajuda............................... ...........................................................................

6 . Nenhum sócio teve lucro neste negócio.......................................................................................


7. Hoje não atenderei nenhum cliente...............................................................................................

8 . Nenhum jornal deu a notícia............................................................................................................


9. Nenhuma resposta está certa...........................................................................................................

10. Nenhum plano deu certo.............. ..................................................................................................

D e ix a r

1. E s ta m ú s ic a m e d e ix a tris te (m e to rn a tris te )

2. E le d eixou o e m p re g o . (E le saiu do e m p re g o )

3 . E le n ão m e d eixo u fa la r. (E le n ã o p e rm itiu q u e eu falasse)

4 . D ei\e tu d o co m o e stá . (N ão m e x a em n a d a .)

d u zen to s e trin ta e sete


Faça uma frase para cada figura, usando o verbo deixar.

Deixar de
1. Você deixou de aproveitar o melhor da viageru (Você não aproveitou.)
2. Não dei\e de ir à festa (Vá à fesla!)
3. Ele deixou de luntar (Fie parou de fumar.)

Ï d u zentos e trinta e oito


A. Explique o sentido.

deixar — deixar de
‘i I I;!
1. N ão d eixe de a ssistir ao film e ..............................
C f t lA ÍÍÇ M ; M W tf ÇA W A I I Wí A f i
2. S e v o cê q u iser ter saúde, d eix e de fum ar.......
/ trn T O -ip n rw rro rnv rtrc
3. E le não d eixo u nin gu ém entrar........................................................................................................................

4 . E le não m e d eixa f a l a r ......................................................................................... ..............................................

5. N âo d eix e de m e te le fo n a r !...............................................................................................................................
f Vml \ \ ; f '•'!]. h i 1! i \\(\i\(h
6. D e ix e o rapaz ir e m b o ra .......................................... I h'./'.l ( ;■ ■ x. i..1,! ( f . ! t i\ i x

7. E le d eixo u a sala quando eu e n trei.............................................................................................................................

8. D e ix e o livro em c im a da m esa, por fa v o r . v.ü..,.u..

9 . N âo d eixe dé falar1co m ele. E im p o r ta n te ..X . . I . ...........................................................


I f Kf|/', ; I ' I ' y if ú ,/ 1. : 1 /', i '* • 1 1(; ' - ' d /'. ./•,(>, I ; ! I ;./ 1. I ! I 11
10. D e ix e de fa la r so bre seus p ro b lem as! P en se em outra c o i s a ! ...................................................................

B. É a primeira vez que seu amigo vai fazer uma viagem internacional. Dê-lhe
conselhos. Substitua as palavras sublinhadas por formas do verbo deixar e
deixar de.
r Cabo Aballm \

0 •
C edta iu a a/Umeiba iüaaem àdebuoeUmaí. Pebnuta-m e âab-Ute a b fu n i
c&uàelhoi. A/ãa la ia do hotel iem ie u i docum ented. Não od ¿abatte em
LiüO/i aíaum . Quídado com deu diuheibe. A Íínaua cÁÍbauka mãe- ¡a^ed
¿mee pean, co u S ío . mad não penca a calm a. A nneveite tudo o one o a a ti
SC -
lhe ojeneceb. V iaja i é íem pne am a (¡bonde m pebiêucia.
Oane de faaJtalkab um ou doib M ai anted da poiUda-. A idim uoce íebd
¿empo de tom ai ad ultim ad pb&aàdêuciad com alpum a tiam ^üilidade.
M aude noticiad.
~ C r~

M eu almoço.

0 A-elipe

V J
duzentos e trinta e n ove
T e m p o s c o m p o s to s d o s u b ju n tiv o

M O RAR- - Perfeito
Que eu tenha morado Que nós tenhamos morado
Que voei Que vocês
Que ele ^ tenha murado Que eles ^ tenham morado
Que ela Que elas
MORAR — Mais-que-perfeito
Sc eu tivesse morado Se nós tivéssemos morado
Se você \ Se vocês K "3 Ê Ê
Se ele / tivesse morado Se eles / tivessem morado
„S'e ela / Se elas r

MORAR — Futuro composto


Quando eu tiver morado Quando nós tivermos morado
Quando vocêjv Quando vocês
Quando ele 7 tiver morado Quando eles \) tiverem morado 1
Quando ela V Quando elas r i

Emprego

O s tem pos com p ostos do su bju n tiv o in d icam a çõ e s term inadas,


E le s sao u sad os nas m esm as co n d içõ e s dos tem pos sim p les do su bjun tivo.
E x em p lo :

D uvido que e le fe n h a v e n d id o a casa.


D u vid ei que e le t iv e s s e v e n d id o a casa.
E le com p rará um a fazenda quando t iv e r v e n d id o su as açõ es.

O s tem pos com p o stos do M o d o su bjun tivo, p erfeito (ten ha falad o), m ais-qu e-p erfeito
(tiv e sse falad o) e futuro com p o sto (teria falad o ) corresp on d em aos m esm o s tem pos
do M odo in d icativ o. E le s são introduzidos apenas porque a estrutura da frase ex ig e
o su bju n tiv o. S e não fo sse assim , o in d icativ o seria usado.

—- E le / ó f?
— D uvido q u e t e n h a id o

— E le d isse que tin h a tid o p ro blem as.


— E u sei. L am en tei que ele t iv e s s e tid o problem as
— A té lá t e r e i t e r m in a d o isto.
— Ó tim o. D arem o s uma festa quando v o cê tiv e r te r m in a d o

240 duzentos e quatenta


A. — Quem disse isto?
— Eu não disse. Talvez ele tenha dito.

1. — Q uem trou xe essas c o isa s? —

2. — Q uem escrev eu esta ca rta? —

3. — Q uem levo u m inhas ch a v e s? —

4. — Q u em pagou a co n ta? —

5 . — Q uem viu o ladrão? —

C L A S S JF tC A Ç Á O : V A LID A O E :
PER M A N EN T E 09/06/2006
NOME:
W O L F G A N G K N AP P

FIL1AÇÀO:
AMALIE KNAPP
FRfEDRICH KNAPP
N AdO N AU O AD E(PAlS) DATA 0 £ N ASCIM EN TO. S E X O :M
AUSTRIA 03f02/tâ33
Iv'ATU R A L IÜÁ DE(PA Í51 DATA DÉ ENTRADA'
a lem a n h a i •ÒÁ,ÜS/196t
OftGAO C H f S È W f V '
SE/DPMAF.'LP^. I Æ _____________
B. — Ele perdeu todos os documentos.
— Não é possível! Não acredito que ele tenha perdido todos os documentos!

1. — E le s saíram de c a sa tarde. N ão sei se ch eg aram ao aeroporto na hora.

— T o m ara q u e ......................................................................................................................................... ..........................

2. — Im a g in e! E le con v id ou todo m undo para a festa!

-— Todo m undo?!

N ão é p o ssív e l q u e ............................................................................................................. É m u ita gen te!

3. — E le tev e p ro b lem as, m as não d esistiu .

— Eu sei. E m b o ra e l e ........................ ...........................................................................................................................

4. — M ô n ic a d isse que L u cia n a desistiu da idéia.

— N ão acred ito. D u vid o que L u c i a n a ...................................................................................................................

5. — E le vendeu a fazen d a. V ocê ach a que fo i b o b ag em ?

— A ch o . R e c e io que ........................................................................................................ ............................................

duzentos e quarenta e um
C. Eles prepararam a reunião com cuidado, mas a reunião não foi boa.
E m b o ra eles tiv essem preparado a reunião com cuidado, ela não fo i boa.
Agora, transforme as frases abaixo. Comece o texto assim:
Sdloa deiaftlmaáai Acha que ela fuãa me ama. &mb&ia eu lhe UaeMe eícãilo- cantad de amo-ï,
f i a d a . ............................................................ -....................................

E u lh e e s c r e v i c a r t a s d e a m o r .
m a s n a d a m udou
E u a le v e i a o s m e l h o r e s r e s t a u r a n t e s ,
m a s n a d a m udou

E m b o ra eu

E u lh e d e i p r e s e n t e s
c a r o s , m a s n ad a m udou

E u a c o n v id e i p a r a u m c r u z e ir o
n o C a rib e , m a s n a d a m u d ou

D. Você disse aquilo. Lamentei que você tivesse d ito aquilo.

1. V ocê tev e co ra g em de protestar, m as n in gu ém acreditou. Todo m undo duvidou q u e .......................

2. V ocês só ch egaram às 7 ? P en sei que v o c ê s ............................................................... às

3. V ocê trabalhou m esm o no d om ing o ? E u não acred itei que v o c ê ................................................................

4. E le s fo ra m de ô n ib u s? P en sei que e l e s .................................................................................................. de avião.

5. E le fe z o trabalh o em três h oras, m as eu não acreditei. E u duvidei que e l e ...........................................

du zentos e quarenta e dois


E. Desenvolva a parte sublinhada da frase, usando o mais-que-perfeito do
Subjuntivo.

1. Com tempo, eu o teria co n v en cid o . .&&& Ç (H íé$ tí8 kf& i.........

2 . Falando com ele, a gen te teria resolv id o o p roblem a.

S e a Igente....................................................................................................... ..........................................................................

3. Sem autorização, não teríam os entrado.

4. Sem v i ■ não teria feito pie fiz.

5. De avião, v o c ê j á estaria lá.

6. Com sol, a gen te teria ido ao clu be.

7. Com chuva, o piqu eniqu e teria sido um fracasso.

inseguid o um d esco n to ...........................

ele u ter! . acabad o com esta tosse.

10. Dependendo de nós. tudo teria sido diferente.

F. Quando eu vou poder sair?


— S ó d epois que v o cê tiv er term inad o seu trabalho.

— Q uando eles vão se ca sa r?


S ó v o u p o d e r s a i r d e p o is q u e
(alu gar um a c a s a ) __ tiv e r te r m in a d o o tr a b a lh o .

(co m p ra r m ó v eis)

— S ó d epois q u e ....................

(ter aum ento de salário)

— S ó d epois q u e ....................

(co n seg u ir um a p ro m o ção )

— S ó depois q u e ....................

(fa z er um b om p é de m eia)

— Só d epois q u e ....................

duzentos e q u artn ta e três


G. Lida a carta, eu a responderei. Quando eu tiver lido a carta, eu a responderei,

1. L id o o livro, v o cê farão um resum o.

Q uando v o cês t iv e r e m ......................................................................................................................................... ...............

2 . E sc rita a carta, eu a m andarei.

Q u a n d o .............................................................................................................................................................. ..........................

3. F eítas as com p ras, pod erem os ir para casa.

A ssim q u e ...................................................................................................................................................................................

4 . F e ita s as c cunas, \ t cê \erú que n o sso lu cro é pequeno.

D ep o is q u e .......................................................................................................................................... ;..

5. A ca b a d a a ■ úfui. i gente irá em bora.

L o g o q u e ................................................ .....................................................................................................................................

6. C om prad as as p assag en s, p od erem os tornar o trem .

L o g o q u e .................................................... R.................................................................................................................

7. F e ito s o s cá lc u lo s, p od erem os dar n osso \ reço.

A ssim q u e ......................................... ........................................................................................................................................

8. Posta a m esa, pod erem os alm oçar.

D ep o is q u e ................................................................................................................................................... .............................

9. A id ido o ú ltim o clien te , o d en tista fech ará o co n su ltó rio .

A ssim q u e ...................................................................................................................................................................................

10. T erm in ad os os ex a m e s, terei tem po para viajar.

D ep o is q u e ........................................... .......................................................................................................... ..............................

H. Relacione e complete as frases com os verbos no tempo adequado.

— Nossa casa está pronta. Quando poderemos nos mudar?


— Logo que a lo ja pintar a c a sa

o ja rd in e iro ■ fa z er os arm ários

¿¿tj&i p s d o ad ji'unú 'uü í.


o m arcen eiro pôr a ca sa em ordem

os pintores en treg ar o fogão

a C om p an h ia de E n ergia E lé trica plantar a gram a

a fax in eira lig ar a luz

duzentos e quarenta e quatro


— N o ssa c a sa está pronta. Q uando poderem os
nos m udar?

— N o ssa c a sa está pronta. Q uando pod erem os — L o g o que


nos m udar?

— L o g o que os pintores tiv erem pintado a casa.

'L %
1
Al h ■
A-

jv
kï à *

— N o ssa c a sa está pronta. Q uando pod erem os — N o ssa casa está pronta. Q uando p od erem os

nos m udar? n os m udar?

— L o g o que — L o g o que

du zentos e qu arenta e cin co


I. Complete as frases com o perfeito, m ais-que-perfeito ou fu tu ro
com posto do su b ju n tivo (tenha, tivesse ou tiver falado).
(a ca b a r) Q uando eu tiv e r a c a b a d o m eu trabalh o, f a l a r e i co m ele.

1. (in sistir) Eu não teria vindo se v o cê não

2 . (term in ar) L o g o que e u _________________ falare i co m ele.

3. (re c e b e r) E m b o ra n ã o ___________________ fiq u ei con ten te,

4 . (co n seg u ir) E m b o r a _____________________ não vou desistir.

5. (in sistir) M esm o q u e ____________________ não teria con seg u id o nada.

6 . (ch eg a r) T o m ara que_____________________ ■ -

7 . (v er) E ra p o ssív e l q u e ___________________

8. (c o n c lu ir) V olte para c a sa assim que

9. (ser) E m bo ra n in gu ém a reco n h eceu

10. (d istribu ir) Q uando , irei em bora.

11. (re c e b e r) T e le fo n e -m e quando


Q u a n d o v o c ê tiv e r m e d a d o s e u
e n d e r e ç o , e u o le v a r e i p a r a c a s a .
12. (en ten d er) E m b o ra j á _________ ela con tin uou fazendo perguntas.

13. (perder) Sen ti q u e ____________

1 4 . (fa z er) E m b o r a ________________ __________ , n in gu ém se lem b rav a dele.

Família de palavras

Complete

1. cantar can tor

du zentos e qu arenla e seis


1. c a b e lo — ca b e leireiro

2. leite— le iteiro

3. carta

4. b a n co

5 . jo rn a l

6. fazen d a

7. pedra

8. sapato

9. co z in h a

10. costu rar

11. h otel

12. porta

1. jo rn a l — jo rn a lis ta

2. dente

3. tênis

4. piano

5. v io lin o

6. v io lã o

7. arte

8. m assag em

9. m otor

10. sam b a

Intervalo

Rsa-Branca
(L u ís Gonzaga/ H um berto T e ix eira )

Q uando olh ei a terra ardendo


Q ual fo g u eira de S ã o Jo ã o

E u perguntei a D eus do céu


A h ! P o r que tam an h a ju d ia ç ã o

duzentos e qu aren ta c sete


Q ue b ra seiro , que forn alh a H o je longe m uitas léguas
N em um pé de p lan tação N um a triste solidão
P or fa lta d ’ água, perdi m eu gado I E sp ero a ch uva cair de novo I his
M o rreu de sede m eu alazão y P ra eu v o ltar pro m eu sertão

A té m esm o a a sa -b ra n ca Q uando o verde dos teus olhos


S e esp alh ar na p lan tação

}
B a te u asas do sertão
E n tã o eu d isse: "x E u te assegu ro, n ão ch ore n ão, viu bis
— A d eu s, R o sin h a , guarda con tig o > b i s Q ue eu v o ltarei, viu , m eu co ra çã o
M eu c o ra çã o s

Asa-Branca é um c lá s sic o popular b rasileiro , co n h ecid o e cantado p elo pais afora. É m úsica
típ ica do N ord este, tanto pelo ritm o quanto p elo tem a - a se ca , dram a qu e atin ge, p eriod icam ente,
ex ten sa área d essa região.

Responda.
1. A p on te, na letra, as palavras ligad as à id éia de sol e de falta de chuva.
2 . “A té m esm o a asa b ran ca / B a te u asas do sertão ” . E ste fato é sig n ifica tiv o . P or quê?
3. A p esar de m uito triste, o serta n ejo está otim ista. E x p liq u e.

Garota de Ipanema
(V in íciu s de M o ra es - A nton io C arlo s Jo b im )

O lh a que co isa m ais linda


M a is ch eia de graça
E ela a m enina que v em e qu e p assa
N um d o ce b a la n ço a cam in h o do m ar

M o ça do corp o dourado

Foto. /iiinvuo Cartas Jobim.


D o sol de Ipanem a
O seu balan çad o
E m ais que um poem a
E a c o isa m ais linda que eu já vi passar

A h! P o r que estou tão so zin h o ?


A h! Por que tudo é tão triste?
A h! A b elez a que ex iste
A b eleza que nào é só m inha
Q ue lam b em passa sozin ha

A hí S e ela so u b esse
que quando ela passa
Fofo- fântciiis fie Momtrx.

O m undo inteirinho
S e en ch e de graça
e fica m ais lindo por cau sa do amor.

du zentos e quarenta e oito


Responda.

1. C o m o v o cê im agin a a
g arota de Ip an em a?
Ju stifiq u e.
2 . F a le so bre o poeta. O que
v o c ê sabe so bre ele?
Ju stifiq u e.
3 . Indique a passagem da

Fofos: Avenida Paulista antigamente e nos dias atuais.


ca n ç ã o que diz que -
a. o p oeta v ê a g aro ta vindo
em sua d ireção e, depois,
indo em bora.
b. a g arota anda
calm am en te em d ireção à
praia.
c. a g arota está so zin ha. O
p oeta tam bém .
d. a garota não tem id éia do
efeito que sua p assag em
p rovoca.
e. a p assag em da garota,
tão linda, tran sform a o
m undo.

Texto narrativo

Riquezas do Brasil:
o café (2)
D e p o is dos en gen h os de a çú ca r no N orte e N ord este, fo i a vez da m in eração do ouro no sécu lo X V I II
em M in a s G era is. E m m ead os do sécu lo X I X , no entanto, co m as m in as j á d ecad en tes, surgiu, na
reg ião Su d este, a cultura do ca fé. E sta seria um a fon te de riq u eza tão grande ou m aio r ainda que as
an teriores. In ician d o sua m arch a no R io de Ja n e iro , a cultura ca fe e ira fo i se estend endo em d ireção a
S ã o P au lo p elas fazen d as do V ale do P araíb a, dando o rigem , n essa reg ião , a diversas cid ad es com o
P indam onhangaba, T au baté, G u aratin gu etá, S ã o Jo s é dos C am pos. M ais tarde, d esco b riu -se, no interior
p au lista, a tema r o x a * , fe rtilíssim a para o plantio de c a fé e a m arch a tom ou esse rum o. A s fazen d as do
V ale do P a ra íb a , que j á ap resen tavam terras can sad as, entraram , en tão, em d ecad ên cia.
O in terior pau lista co b riu -se de fazen d as. A p areceram as estrad as-d e-ferro e cid ad es co m o C am pinas
e R ib e irã o P reto cresce ra m rapidam ente.
A té aq u ele tem po a m ão -d e-o b ra era escra v a, m as a a b o liç ã o ia ch eg ar e seria p reciso su bstitu ir os
escra v o s por outros trabalh ad ores. E ra n ecessária a im ig ração e ela v eio. O s italian o s, “os c o lo n o s”,

duzentos e quarenta e nove 249


in vad iram S ã o P au lo co m suas trad içõ es, costu m es e lín gua, introduzindo n ov os h ábito s na vida dos
pau listas.
O c a fé , j á anos antes, tin h a feito n a scer uma n ova “a risto cracia” — a dos “barões do c a fé ”— constitu ída
de grandes fazen d eiros b ra sileiro s, do V ale do P araíba, que acum u laram fortu nas fab u lo sas e v iv iam
co m o verd ad eiros n obres abastad os.
C om a riq u eza trazid a p elo c a fé , S ã o P au lo, cid ad e p ro v in cian a, acan had a, co m eço u a se transform ar,
abrindo n ov as m a s, av en id as e b airro s, por onde co rria m u ito dinheiro.
U m a avenida tom ou -se o sím bolo de toda esta riqueza, a Avenida Paulista, co m suas m an sões e palacetes.
H o je estas resid ên cias ced eram lugar a im ensos e d ifíc io s, m uitos deles sedes de b an co s, que continuam ,
por assim dizer, sím b o lo s de pod er e riqueza.

* T e r r a d e c o r v e r m e lh a , e m ita lia n o “te r r a r o s s a ’’.


D a í v e io a e x p r e s s ã o d e tu r p a d a e m p o r tu g u ê s , te r r a - r o x a .

Responda.
1. P o r que se fa la em “m arch a do c a fé ”?
2 . A a b o liçã o da m ã o -d e-o b ra escra v a não abalou a produção do ca fé. P o r quê?
3 . C o m o era S ã o Paulo antes do c a fé ? Q u al foi a in flu ên cia do c a fé so b re o d esen v olv im en to de S ã o
P a u lo ?
4 . O que v o cê sa b e so b re “os b a rõ es do c a fé ”?
5. Q u e efe ito teve so b re S ã o P au lo a vinda em m assa de im igran tes italian o s?
6. E m cem an os, a A venid a P au lista fo i con stru íd a duas vezes, E x p liq u e.

du zentos e cinquenLa
UNIDADC 1 8
Como? Foie mois alto!
B eatriz : — E n tão ele m e perguntou:
— V ocê quer sair co m ig o à n o ite?
C ecília: — N ão con sigo ou vi-la, B eatriz. Fale m ais alto.
B eatriz : — E n tão eíe m e perguntou se eu queria sair c o m
ele à n oite.
C ecilia: — E o que foi que v o cê respondeu?
B e a triz : — Eu lhe respondi:
— Sin to m uito, m as não dá,
C ecilia: ’— O que foi que v o cè lhe respondeu, B eatriz?
B eatriz : — O tele fo n e está um a droga. E u lhe respondi que
sen tia m uito, m a s não dava.
C ecilia: — E daí?
B ea triz : — E u lhe ex p liq u ei:
— É que fui con v id ad a para um a festa e não p o sso d eixar de ír.
C e c íiia : — C o m o ? F a le m ais alto.
B e a triz : — E u lhe d isse que tin h a sid o con v id ad a para um a festa e não p od ia d eixar de ír.
C ecilia: — E era verdade?
B e a triz : — - N ão. D ep o is fiq u ei co m pena dele e lhe disse:
— N ão m e leve a m al. T e le fo n e -m e um dia desses.
C ecilia: — C o m o ?
B eatriz : — E u lhe d isse p ara não m e levar a m al e telefo n ar-m e
um dia qualquer.
C ecilia: — E ag o ra ?
B eatriz : — A gora estou so zin ha aqui em ca sa , sentad a ao lado do
te le fo n e , à esp era de qu e ele se lem bre de m im . Sou
m esm o um a b o b a, C e c ília !

D iscurso indireto
I. Reprodução posterior.
D iscurso direto D iscurso indireto
Declarações

E le d isse que estav a can sad o porque tinha
— E u estou can sad o p orqu e trabalhei trabalhado m uito n aq u ele dia. m as qu e
m uito h oje. A m anhã trabalh arei m en o s. trabalh aria m enos 1 1 0 dia seguinte.
Perguntas E la perguntou onde c i m orava e se eu podia
O nde v o cê mora'? V o cê pode m e ajuda: aju d á-la
Ordens E le m an d ou -m e ficar quieto e não d izer nada
F iq u e q u ieto! N ão d iga nada so b re isto! sobre aquilo,
ou
E le m a idou que eu ficasse qt ieto e não
d issesse nada sobre aquilo.

duzentos e cin qüenta e um


Discurso direto Discurso indireto

Presente do indicativo ou subjuntivo Imperfeito do indicativo ou subjuntivo


Perfeito do indicativo ou subjuntivo Mais-que-perfeito do indicativo ou
subjuntivo
Futuro do presente Futuro do pretérito
Futuro do subjuntivo Impei eito do subjuntivo

Discurso direto Discurso indireto

este aquele
aqui lá
hoje naquele dia
agora naquele momento
ontem no dia anterior, na véspera
amanhã no dia seguinte

A. — Eu estou contente porque terminei este trabalho, disse ele.


— Ele disse que estava contente porque tinha term inado aquele trabalho.

1. — E u m oro num apartam ento perto do cen tro e vou para o escritó rio a pé, ex p lico u -m e ela.

— M eu tele fo n e está quebrad o, por isso não pude telefo n ar-lh e on tem , d isse-m e ele.

— A m an h a sairem os b em ced o e só v o ltarem o s no fim do dia, av iso u -m e ela.

— N ão quero que v o c ê fa le so b re isto co m n inguém , ad v ertiu -m e ela.

— Q uando eu tiv er m ais d in h eiro, com p rarei um a ch ácara. A doro a vida no cam p o, d isse ela.

B. — Você sabe o endereço dele? perguntou-me ela.


— Ela me perguntou se eu sabia o endereço dele.

1. — Q uanto custou o con serto da m áq u in a?, quis sab er o m arido.

252 duzentos e cinqüenta e dois


2. M eu filh o perguntou: — A g e n te vai a pé até lá? V ocê sab e quando a gen te vai ch eg ar lá?

— V o cês viram m eu g u ard a-ch u v a?, perguntou M ariana.

— A m o ça quis saber: — O que v o cês farão ag o ra?

— V ocê q u er qu.e eu fiq u e ?, perguntou ela.

O d e n t is t a fa io u p a r a a — T e n h a p a c iê n c ia ! N ão
m o c in h a : — F iq u e q u ie ta p erca a c a b e ç a !, a c o n se -
e n ão fe c h e a b o ca ! Ih o u - m e V irg ín ia .

C. — Espere um pouco! disse-me ela.


Ela me disse para esperar um pouco.
Ela me disse que esperasse um pouco.

1. A m ãe d isse para o m en in o: — T ire o co to v elo da m esa!

2. O d entista falou para a m o cin h a: — F iq u e quieta e não fe c h e a b o ca !

3. E s te ja aqui às 5 h o ra s!, d isse-m e C arolin a.

4. — Tenha p a c iê n c ia ! N ão p erca a c a b e ç a !, aco n selh o u -m e V irg ín ia.

5. — Jo ã o ch am ou a m ulher: — V e ja o que fiz!

du zen to s e cin qüenta e três


II. Reprodução imediata
Discurso direto Discurso indireto

A. — Não vamos sair hoje porque está chovendo.


Eles disseram que não vão sair hoje porque está chovendo.
Vncê fez errado

1. — N ão estou entendendo nada, diz o aluno.

2. — V o cê fe z tudo errad o, está reclam an d o m eu ch efe.

3. — V o cês fizeram tudo errado, está reclam an d o n osso ch efe.

4. — A m an h ã v o cês farão tudo de n o v o , d isse ele.

duzentos e cin qüenta e quatro


8. — P or fav or, ten h a p a ciê n cia . N ão fiq u e bravo co m ig o , p ed iu -m e eia.

5. — Isso v ai dar certo ?, ele perguntou.

6. — V o cê não tem u m a id éia m elh o r?, pergun tou-m e ele.

7. — V am os ter p ro b lem as am anhã, av iso u o zelador.

9. — E le está preocu p ad o porque até agora ninguém tele fo n o u , diz a secretária.

10. — N ão tiv e tem po p ara nada, por isso ain d a n ão lhe e screv i, ex p lica -m e o rapaz.

B. Leia o diálogo e depois passe-o para o discurso indireto.

O cap itão R o d rig o , tom and o seu terceiro cop o , disse:


— P ois garanto que estou gostan d o d este lugar, Q uando entrei em Santa F é , pen sei c á co m ig o : C ap itão,
pode ser que v o c ê só passe aqui uma n o ite, m as tain bém pode ser q u e passe o resto da vida ...
Um cheiro de lingüiça frita espalhava-se no ar.
R od rig o sorriu e co m eço u a b a ter co m a m ão no b a lcã o :
— C om o é, a m ig o N ico la u , essa lin g ü iça vem ou não v em ?
Do fundo da ca sa , o vend eiro respondeu:
— Tenh a p a c iê n c ia , patrão.

(L/m Ceno Capitão Rodrigo de E n c o V eríssim o ctn O Tempo e o Vento. E d ito ra G lo b o S .A .)

Ô ca eu íã o QúAaágo.. iom aiída- o- deu jencâtio- c&pô-, ãià-ie

duzentos e cinqüenta e cin co


C. Leia a história e narre-a em discurso indireto. Comece assim :
Ontem...

V ocê a ch a
A c h o q u e s im
que
m eu bem ,
p od erem o s
nos casar
e s te an o ?
E u g o s to
m u ito d e v o c ê
L eon ard o! E eu d e você.
P a t r íc ia !

,--^nviaE v ocejã^ ^
co n v erso u co m s e u ^
c h e fe ? V o c ê já lhe
d is s e q u e q u er s e
c a s a r e , por isso,
p recisa d e um
au m en to,

— N ã o f a z m a l, L e o n a r d o .
V a m o s a c h a r u m a s o lu ç ã o .
O q u e im p o r ta é
q u e nos am am os.

duzentos e cinqüenta e seis


D. Leia os quadrinhos. Depois, conte a história, usando sempre o discurso
indireto, começando assim: Ontem, ...
Fis Aventuras da Família Brasil
P re c iso de
dinheiro para o O que eu dei ontem V ocê não
D e n o v o ?! era p ara um m ês. e s p ecifico u
su per-m ercad o.
de que ano.

& £ é m m
\ m m O G ú e \ jc â ^
VAt v&mi2
Ú J (4 (JU t£ t2 £

Voz passiva
I. Voz passiva com ser: Eu fui convidada para uma festa.

Form ação
F o rm a -se a v oz p assiv a co m o v erb o au x iliar ser, con ju g ad o em todas as suas fo rm as, seguido do
p articip io do v erb o p rin cip al. E ste p articip io co n co rd a em g ên ero e núm ero co m o su jeito.

Voz ativa Voz passiva


T o d o m u n d o lê e s te jo r n a l. E s t e jo rn a l é lido p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o lia e ste jo r n a l. E s te jo r n a l era lido p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o leu e s ta n o tíc ia . E s ta n o tíc ia fo i lida p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o le rá e sta n o tíc ia . E s t a n o tíc ia será lida p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o le ria e sta n o tíc ia . E s ta n o tíc ia seria lida p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o e s tá le n d o e s te s a rtig o s. E s te s a r tig o s estão sendo lidos p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o e s ta v a le n d o e s te s a rtig o s . L Stes a r tig o s estavam sendo lidos p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o te m lid o e s te s a rtig o s . E s te s a rtig o s têm sido iidos p o r to d o m u n d o .
T o d o m u n d o tin h a litio e s ta s c a rta s. E s ta s c a rta s tinham sido lidas p o r to d o m u n d o .
Q u e ro q u e o s a lu n o s le ia m e s te liv ro . Q u e ro q u e e s te liv ro seja lido p e lo s a lu n o s.
E u q u is q u e m e u s a m ig o s le s s e m esre liv ro . E u q u is q u e e s te liv ro fosse lido p e ío s m e u s a m ig o s .
V o c ê s e n te n d e r ã o tu d o q u a n d o le re m e s ta s c a rta s . V o c ê s e n te n d e r ã o tu d o q u a n d o e s ta s c a r ta s forem lidas.

duzentos e cin qüenta e sete


O bserv a çã o : O a g e n te d a p a ssiv a p o d e ou u ão a p a re c e r.
E x .: O s h o m e n s d e m o lira m a c a s a . E x .: A c a s a fo i d e m o lid a .

Ela faz tudo. Tudo é feito por ela.

1. E le ou ve este p ro g ram a ................................................... .......................................................... ................

2 . N ós p o m o s as ch av es n a g a v eta................... .........................................................................................

3 . N ós p u sem os os papéis no arm ario .......................................................................................................

4 . O P resid en te dava en trevistas às 4 as- fe ira s .................... ....................................................

5. E screv ere m o s o relató rio am an h ã ..........................................................................................................

6 . F a rei o p o s sív e l ......................... ...................................................... ....... .............. ..............................

7. A té agora não receb em o s n enhum a n o tíc ia .......................................................................................

8. N ão co b rei as horas ex tra s............................................. ...................... ....................................................

9 . N in g u ém entend eria o p ro b lem a ...........................................................................................................

10. Q uero que v o cês entendam o p ro b le m a ............................................................................

11. A p o líc ia tem procurad o o c rim in o so ...................................................................................................

12. O s m éd ico s de plantão estão atendendo os fe r id o s .....................................................................

13. N ão quero que v o cês com en tem este assu n to .................................................................................

14. L a m e n te i que e le não en ten d esse m inhas p a la v ra s.......................................................................

15. O s d iretores ainda não tinham discutido a p ro p osta quando a reu n ião co m eço u .

Verbos abundantes — P articipios com duas form as

prender — prendido/preso entregar — entregado matar — matado/morto


aceitar — aceitado/aceito /entregue pegar— pegado/pego
acender — acendido/aceso limpar — limpado/limpo soltar — solto
A polícia já linha pi cmihio dois ladrões a larde. O participio regular dos verbos abundantes
O terceiro ladran sõ foi preso à noite. é usado na voz ativa (auxiliares ter e haver).
O irregular, na voz passiva (auxiliar ser)

— E u n â o lim p ei a to/a h o je

(aceitar) O convite foi aceito com alegria. p o rc s e e u ja lin h a lim p a d o õ n le r n .

Ela já tinha aceitado a nossa oferta quando lhe


fizeram outra.

— O d ete, por que v o cê não acen d eu as luzes das v itrin as?

(acen d er) — E u j á t in h a ____________________, m as o R en ato v eio


e apagou.

— M as v o c ê sabe que as lu zes s ã o ______________às 6 horas e não


pod em se r apagadas.

258 duzentos e cinqüenta e oito


— E u sei, m as p a rece que o R en ato n â o sabe.

— E a lo ja ? P o r que v o cê não lim pou a lo ja h o je?

(lim p ar) — E u não lim pei a lo ja h o je porque eu j á tinha ontem


— M as a lo ja tem que s e r ______________________todo dia. É nov id ad e para v o c ê ?
— B o m ...

(en treg ar) — E as en co m en d as? F o r a m ________________________ ?

— F o ra m , faz tem po. N ós j á tín h a m o s ________________ todas quando a sen h ora ch egou .
— Ó tim o.

II. Voz passiva com verbos auxiliares poder, precisar, dever, te r que, ter de.

N ão p o d e m o s c o m p r a r esta casa. — Esta casa nào node s e r c o m p r a d a p. r n ó :.


Eu d e v o p a g a r as co n ta s h o je. As con tas d e w m s e r p a g a s h oje.
Eu p r e c i s o d iz e r a verdade, — A verdade p r e c i s a s e r d ita .
E u te n h o d e r e s o l v e r o p ro blem a . — O p roblem a tem d e s e / r e s o lv id o .

V o c ê s tê m d e
re c ib e e bem .

A. Eu preciso dizer a verdade.


A verdade precisa ser dita.

1. Sin to m uito. N ada pude fazer.

2 . V ocês têm de re c e b ê -lo b em . .


3. N ão d ev em os enganar estas c ria n ç a s.....................................................................

4 . P recisa m o s fazer o trabalh o rap id am en te............................................................

5. O povo d ev e p ro teg er as á rv o res..............................................................................

6. T em o s que pintar o escritó rio am a n h ã ...........................................

7. T o m ara que ele p o ssa 1er o b ilh e te ..........................................................................

8. V ocê deve tran car a p o rta ..... ........................................................................

9. T alv ez ele pudesse e x p lica r o a c id e n te .................................................................

10. D u vid o qu e v o cê p re cise assin ar o co n tra to .....................................................

B. Complete com o tempo adequado. Use a voz passiva.

1. (con tratar) O ntem e l e s _____________________ pela com pan h ia.

2 . (fa z er) A n tig am en te o p ã o _______________________ em casa.

3. (dar) O u ça! A n o t íc ia ______________________ agora.

4 . (fa z e r) Q u e pena que d esco n to s n ã o ______________________ .

duzentos e cin qüenta e n o v e


5. (fa z er) E ste c o n tr a to _______________________ há dois anos.

6. (v er) U ltim am en te o J o r g e _________________ por aqui.

7. (v en d er) N o ano que vem todo o n osso e s to q u e _______________________.

8. (re c e b e r) E le n ã o p elo diretor se não fo sse am igo

dele.

9. (aum entar) N o sso s s a lá r io s _______________________ um a v ez por ano.

10. (sacu d ir) O ntem à n o ite a c id a d e _______________________ por um terrem oto.

11. (in fo rm ar) E sc re v a -m e logo que

12. (a v isar) E le m e d isse que já sab ia de tudo. E le _____________ _ por Eduardo um dia antes.

13. (pôr) N o m om en to em que ch eg u ei, a m e s a __ ___________________ para o jan tar.

14. (reso lv er) S e o p r o b le m a ______________________ on tem , não teríam os d o r-d e-ca b eça agora,

15. (dar) Q uando a n o t íc ia ________________________ estarem o s lo n g e daqui.

II. Voz passiva com se

Form ação
U sa -se a 3;| pessoa v erb al, sin g u lar ou plural,
con cord an d o co m o su jeito , m ais a p artícu la s e .
V en d e-se um apartam ento = (U m apartam en to é ven d id o)
V en d em -se c a sa s = (C a sa s são vendidas )

A. Uma loja é alugada na rua principal. Aluga-se uma loja na rua principal.

1. U m a c a sa é alu gad a na p raia...................

2. M o to rista s são ad m itid o s..........................

3. In fo rm ação é d ad a........................................

4 . In fo rm a çõ es são d ad as .................

5. U m a d atilo grafa é procu rad a..................

6. D u as salas são alu g ad as............................

7. U m cã o foi p erd id o................................... .

8. Todos os d ocu m en tos foram perdidos

9. S ilê n c io é ped id o...........................................

10. P ortugu ês é falad o a q u i.............................

11. C artas são m andadas pelo C o rre io ......

12. M ó v eis são co n serta d o s............................

du zentos e sessenta
13. O s c lien te s são atendidos às 7 horas.

14. P ortuguês fo i en sin a d o ............................

15. D aqui tudo fo i v isto ..................................

B. Sublinhe o verbo na frase e classifique-o no quadro ao lado, como se pede.


MODO TEM PO

1. N esta cid ad e v ê e m -s e m uitas casas an tig a s ...............

2. Tod os tin h am lid o a n o tíc ia ..........................................................................................................


/ voz
(p a s s iv a J 3. C a lcu la ra -se o cu sto da o b ra .......................................................................................................
\
4. A P refeitu ra teria desapropriado toda esta ru a ....................................................................

5. D o trem , a v ista v a m -se as árv ores da cid ad e........................................................ ..............

6. P la n to u -se c a fé em todo o E stad o de São P a u lo ................................................................


( voz , ,
a t ¡v a A ceita ra m -m e co m o rep resen tan te da c la s s e .......................................................................

8. E le se vestiu rap id am en te......................... ..............................................................................

9. N e c e ss ita -se de m uita m ão-d e-ob ra para a co lh e ita do c a fé .......................................

10. O b se rv e m -se as norm as de trân sito ..........................................................................

11. T o d os os ap arelh os tin h am sido d eslig a d o s..................................................... ...................

12. T alv ez ela não ten ha en ten d id o ..................... ...................... .....................................................

C. Tomando a palavra televisão como centro de ação, faça uma série de frases,
nas vozes ativa e passiva, empregando os seguintes verbos: com prar, ver,
vender, ligar, desligar, consertar, trocar, regular.

E x e m p lo : O n tem o té c n ic o c o n s e r t o u n ossa tele v isão .


E sta tele v isã o f o i c o m p r a d a com garan tia de um ano.

Faça outras frases com as palavras.

livro
1er

escrev e r

com prar

em prestar

ven d er

p u b lica r

guardar

duzentos e sessenta e um
perder

dar

critica r

e casa
com p rar

alu gar

vender

p intar

refo rm a r

aum entar

constru ir

d ecorar

D. Tudo foi feiro por eia.


Fia fp7 ttid o — h■ — — ----------- ■; -j

,~X A i ji^ndi^&fisnrcptjÆ ma fíg am ueritas pur uxiriif osptewwuies.

2. i oiims acolhidos earinl osam euu- poi d o s , na ¡esta................................

? O trabalho será feito p o n ' esoer^'., ! ii . . .. ........................


MPRO E ó _ Lgd i j
4 . A situ ação seria considerada pelo c
El fv KS\jr
ó , A noticia^ linhu sido publicada.por

( . bodos os candidatos poderão ser ni

7. N ão fom os vistos por ni liguen t......

8. ( > livro loi i durido por um jornalista.*, ........ *....... ,r .....................................................................

9. V occ será orientado por qualquer pessoa daqui...........................................................................................


■ ’ ■
10. M 11 ms livros tora ni •ei di dos oulein ........................ .........................................................................

11. Iniciou-se a reunião co m m uito atraso. ...........................................................................................................

12. V endem -se estas lojas................................................................................................................................................

i 3. [■.ncerraram-sc as inüciições ontem à tardi................................. ...................................................................

14. D epois da festa, recolh eu -se todo o m aterial jogad o no c h ã o ................................................

I 5 Naquele dia en trevistar-se-iam os últimos candidatos..............................................................................

duzentos e sessen ta e dois


Contexto

Segurança

O ponto de venda m ais forte do con d om in io era a


sua seg u ran ça. H avia as belas ca sa s, os ja rd in s, os
p lay -g ro u n d s, as p isc in a s, m as h avia, a cim a de
tudo, segu ran ça. Tod a a área era cerca d a por um

o ltvfèrt Jncrt Pai», entregue na Academia Patdisía de letras.


m uro alto. H avia um portão principal co m guardas
que co n tro la v a m tudo por um circu ito fech a d o de
T V . S ó en travam no con d om ín io os pro p rietários e
v isita n tes d evid am en te id en tificad o s e crach ad os.
M as os assaltos com eçaram assim m esm o . L ad rões
p u lav am m uros e assaltav am as casas.
O s c o n d ô m in o s d e c id ira m c o lo c a r to rre s co m
guardas ao long o do m uro alto. N o s quatro lados.
A s in sp eções to m aram -se m ais rig orosas no portão
d e e n tra d a . A g o r a n ã o só o s v is ita n t e s e ra m
ob rig ad os a usar crach á. O s p roprietários e seus

i -m
fa m ilia re s tam b ém . N ão p a ss a v a n in g u ém p elo

Foto: Litis Femando Verisrmõ.


portão sem se id en tificar para o guarda. N em as
b ab ás. N em os bebês.
M as os assa lto s con tin uaram .
D ecid ira m e le trific a r os m uros. H ou ve p ro testo s,
m as no fim tod os con cord aram . O m ais im portante
era a segu ran ça, Q uem to ca sse no fio de alta tensão
em cim a do m uro m orreria eletrocu tad o. S e não m o rresse, atrairia para o lo ca l um b atalh ão de guardas
co m ordens de atirar para matar.
M as os a ssaltos con tin uaram .
G rad es nas ja n e la s de todas as casas. E ra o je ito . M esm o se os ladrões u ltrap assassem os altos m uros,
e o fio de alta ten sã o , e as patru lh as, e os ca ch o rro s, e a segunda c e rca de aram e farpado, erguida dentro
do p erím etro, não co n seg u iria m entrar nas casas. Tod as as ja n e la s foram engradadas.
M a s os assa lto s continuaram .
F o i feito um apelo para qu e as p essoas sa íssem o m ín im o p o ssív el. D o is assaltan tes tin h am entrado no
co n d o m ín io no b a n co de trás do ca rro de u m p ro p rietário , c o m um
rev ó lv e r apontado para su a nuca. A ssa lta ra m a ca sa , depois saíram no
carro roubado, co m crach ás roubados. A lém do co n tro le das entradas,
passou a ser fe ito um rig o ro so co n tro le das saíd as. Para sair, só
co m um ex a m e dem orado do cra ch á e c o m au to rização exp ressa
da guarda, que não q u eria co n v ersa n em a ceita v a su borno.
M as os assa lto s continuaram .
F o i refo rçad a a guarda. C on stru íram um a terceira cerca .
A s fa m ília s de m ais p osses, co m m ais co isa s para
serem roubadas, m udaram -se para u m a cham ada área
de segu ran ça m áx im a. E foi tom ad a u m a m edida
e x tre m a . N in g u é m p o d e e n tra r no c o n d o m ín io .
N in gu ém . V isita s, só num lo ca l predeterm inado pela
g u a rd a , s o b su a s e v e r a v ig i lâ n c ia e p o r c u r to s
p eríod os.
du zentos e sessen ta e três 263
E n ingu ém pode sair.
A g o ra a se g u ra n ça é co m p leta . N ão tem h avid o m ais assalto s. N in g u ém p re cisa tem er p elo seu
p atrim ônio. O s ladrões que p assam p ela calçad a só co n seg u em esp iar atrav és do grande portão de
ferro e talvez avistar um ou outro con d ôm in o agarrado às grades da sua casa, olhand o m elan cólicam en te
para a rua.
M as surgiu outro p roblem a.
A s ten tativas de fuga. E há m otin s co n stan tes de con d ôm in os que tentam de q ualquer m an eira atin gir
a liberdade.
A guarda tem sido obrigad a a a g ir co m energia.
L u ís F e r n a n d o V eríssim o
A. Certo ou errado ?

De acordo com o texto,

[ .........] 1) no c o m e ç o , a seg u ran ça que o con d om ín io o fe re cia era, co m ercia lm en te falan d o, um a

vantagem .

[.........] 2 ) d ep ois de certo tem po, só os bebês do con d om ín io n ão foram su bm etid os às e x ig ê n cia s

das m ed id as de seg u ran ça.

[ ........ ] 3 ) todos os con d ôm in os re ce b e ra m com en tu siasm o a idéia de e le trific a r o m uro. A fin al,

segu ran ça era o o b je tiv o ...

[ ........ ] 4 ) os guardas que cuid avam da seg u ran ça eram h on estos.

[ ........ ] 5) os co n d ô m in o s, no in íc io , pod iam sair do con d om ín io. D e p o is, não.

[ .........] 6 ) os con d ôm in os m ais rico s receb eram tratam ento esp ecial.

[ .........] 7 ) no fin a l, as v isitas aos con d ôm in os foram totalm en te proibidas.

B. Responda.

1. C om o tem p o, as m ed id as de seg u ran ça foram aum entando. N o fin al, quais eram todas elas?
2. N o fim , os lad rões, de fo ra , o b serv av am o in terio r do con d om ínio. Q ue v iam eles?
3. N o fin a l, os guardas tinham de v ig iar os m orad ores. P o r quê?

C. Qual é a diferença?

o guarda a guarda o condomínio o condômino


a segurança o segurança a família os familiares
a visita o visitante

D. Passe para a voz passiva com ser. Faça as modificações necessárias.

1. É a co n selh á v el que co n tro lem tudo por um circu ito fech ad o de telev isão .

du zentos e sessen ta e quatro


1

2. S e algu ém to ca sse o fío de alta ten são , m orreria eletrocu tad o.

3. H averá so sseg o só quando o co n d o m ín io tom ar m edidas de seguran ça.

4. O s guardas d evem sem p re fa z er um ex a m e dem orado dos crach ás.

5. N o co n d o m ín io , os guardas faziam , p eriod icam en te, in sp eçõ es rig orosas.

E. Passe para a voz passiva com se.

1. C on struíram u m a terceira c e r c a ..............

2. P u lavam os m uros e a ssaltav am as c a s a s .........

3. D ecid ira m ele trifica r os m u ro s...............................

F. Passe para a voz ativa.


1. T od a a área era cerca d a por um m uro a lto ...........................................................................

2 . F o i feito um apelo e refo rça d a a gu ard a..........................................................................................

3. A lé m do co n tro le das entrad as, p assou a ser feito um rig o ro so co n tro le das saídas.

In fin itivo pessoal


1B*5
É o In fin itiv o que tem su jeito .

Formação
F o rm a -se o in fin itiv o p esso al a partir do in fin itiv o im p esso al. E le é regu lar para todos os verbos.

i
MORAR -— Infinitivo pessoal VENDER — Infinitivo pessoal
Morar eu Morarmos nós Vender eu Vendermos nos
você . vocês i você vocês
Morar ) ele Morarent y eles Vender f ele Venderem eles
ela elas ela elas

PARI IR — Infinitiv >pessoal PÔR — Infinitivo pessoal


Partir eu Partirmos nós Pôr eu Pormos nós
. você L voces i você , voces
Partir y ele Partirem ) eles Pôr ) ele Porem ) eles
ela ' elas ' ela ^ elas
du zentos e sessen ta e cin co 265
Em prego

1. O uso do infinitivo pessoal é obrigatório quando


a. os su jeito s das duas o ra çõ es são d iferen tes.
E la pediu para (n ó s) e s p e r a r m o s .

b. o su jeito do In fin itiv o está ex p resso , não im portando se é igual ou d iferen te do


su jeito da o ração principal.
P o r eíes p r e c is a r e m de d in h eiro, trabalh aram m ais.
Para nós p o d e r m o s ch eg ar na hora, p recisarem o s tom ar um táxi.

2. ü uso do infinitivo pessoal é facultativo quando o sujeito do infinitivo pessoal uão é


expresso e é o mesmo da oração principal.

P or não te r tem po, não fo m o s lá.

A. Uso obrigatório.
(ter) É n ecessá rio (n ó s) t e r m o s p a ciê n cia .

1. (d izer) E le pediu para n ó s __________________tudo.

2. (fic a r) É m elh o r v o c ê s ______________________ .

3. (ir) Para e u ________________ até lá, tom arei um

táxi.

4 . (ser) E le s n os critica ra m por ( n ó s ) ____________

exig en tes.

5. (ter) B a s ta v o c ê s p a ciên cia e

tudo se resolv erá.

6. (pôr) P ara n ó s ___________________ a ca sa em

ord em , trabalh am o s o d ia inteiro.

B. Uso facultativo.
P ara nós
o r d e m ; t r a b a l h a m o s o d ia in te ir o .

P ara fa z er o co n serto , cob raram um absurdo.


P ara f a z e r e m o co n serto , co b ra ra m um absurdo.

1. (q u erer) E le s co m p lica ra m a situ ação por n ã o ______________________dar e x p lica çõ e s.

2. (estar) P o r __________________________sem d in h eiro, ficaram em casa no dom ingo.

3. (fa z er) P a r a n osso trabalh o, nós vam os pedir sua ajuda.

duzentos e sessen ta e seis


4. (ter) S e m ____ certeza, v o cê s não poderão decid ir nada.

5. (ter) Para não p ro b lem as, d esistiram do plano.

ó. (dar) S e m ___ aju d a, não v am os re c e b e r ajuda.

C. Ela pediu para ele ficar. Elas pediram para eles ficarem . Elai^ 11paraeleficar-

E la pediu para eu ficar. E la s pediram para nós

2 . E le d isse para v o c ê tele fo n a r.....................................


3. E u pedi para ele ch eg a r lo g o ........................

4. E la sem p re pede para eu aju d ar............................ .

5. É b o m v o cê ir e m b o ra ..................................................

6. O ônibu s parou para o p assag eiro d esce r...........

7. O carro parou para eu p assar.....................................

8 . E la ch o ro u por estar triste ..........................................

9. Vi o acid en te sem p od er a ju d a r. ............................

10. A n tes de fe c h a r o n eg ó cio , co n v erse co m ig o , .

C
A o r a ç ã ^ õ r r n n T ln itlv o p e s s õ ã T p õ d ^ ê ^
transformada numa oração com conjunção
e verbo no indicativo ou subjuntivo.

Ele deu o livro para eu 1er. Ele deu o livro para que eu lesse.

1. E la ex p lico u de n ov o para ele com preender. E la ex p lico u de n ov o para que .

2. Eu ri por estar aleg re. Eu ri p o r q u e ............................................................................

3. E u tom ei um tá x i por estar atrasad o. E u tom ei um táxi p o r q u e .............................

4 . E le in siste para eu a ceita r............................................................... ............................................

5. Vou tran car as portas p or estar co m m ed o ............................................................. ............

6. E la m udou de id éia sem m e co n su lta r...................................................................................

Regência

I. Verbos seguidos de Infinitivo (sem preposição).

E u o d e i o trabalhar. E le ten to u ajudar.

duzentos e sessenta e sete


Complete o
balão.

Faça frases com os verbos seguintes.

co n seg u ir tentar

p referir dever

saber querer

decid ir p recisar

pretend er evitar

ten cio n a r odiar

d ese ja r poder

procurar

II. Verbos seguidos de preposição + Infinitivo.


E te a p r e n d e u a d irig ir em 3 dias. E le s in s is tir a m em esperar.

Faça frases com os verbos seguintes.


a ca b a r de, por, co m , em recu sar-se a
co m e ç a r a aprender a
d eixar de en sin ar a
a co n selh a r a lem b rar-se de
con co rd a r em sonhar em
g ostar de term in ar de
aco stu m a r(-se) a a rrisca r-se a
co n sen tir em d esistir de
pedir para m orrer de
esq u ecer-se de can sar-se de
ob rig ar a parar de
aju d ar a preparar-se para
con tin u ar a d iscord ar de
in sistir em m udar de

pensar em

du zentos e sessenta e oito


III. Verbos seguidos de preposição + substantivos.
E le d e s is t iu da v iag em . E le s o n h o u c o m v o cê.

Faça frases com os verbos seguintes.


acred itar em falar co m , de, sobre

agradar a fugir de

andar de g o star de

ca n sa r(-se ) de in teressar-se por

c a sa r(-se ) co m lutar co m

con co rd a r co m m orrer de

con tar com pensar em

cuid ar de responder a

depender de sonh ar c o m

d esistir de v iv er de

d iscord ar de

IV. Adjetivos seguidos de preposição + infinitivo.


E sto u co n ten te em p od er aju d ar v o cês. E le n ão é cap az de fa z er o trabalh o.

Faça frases com os adjetivos seguintes.


agrad áv el de duro de

aleg re em , p or fá c il de

an sio so por, de, para fav o ráv el a

apto a igu al a

con ten te em , por in teressad o em

con trário a sa tisfeito por, em

d ifíc il de triste por, em

V. Adjetivos seguidos de preposição + substantivo.


Faça frases com os adjetivos seguintes.
agrad ável para, a igual a

aleg re co m , por in teressad o em

an sio so por, de p arecid o co m

apto a p re ju d icial para, a

co n ten te co m , por satisfeito co m

co n trário a sem elh an te a

fav o rá v el para, a triste co m , p o r

du zentos e sessen ta e n ove


r - T o d o s c o m e ç a r a m a f a la r a o m e s m o te m p o .
A. Ele nos ajudou a fazer as malas.

1. Tod os c o m e ç a r a m fa la r ao m esm o tem po.

2 . E le a ju d o u -m e _______________ co lo c a r tudo na estante.


3. N ão gosto _______________ v ia ja r com estranhos.

4. N ão p od em os d e ix a r _______________ ir à sua festa.

5. O diretor, a fin a l, c o n s e n tiu _____________ nos receber.

6 . E sta s cria n ça s não g o s ta m _______________ trabalhar.


7. O p ú b lico m o rre u _______________ rir com as piadas deste cô m ico .

8 . T e m o s ________ en sin ar os novos fu n c io n á r io s trabalh ar co m estas m áquinas.

9. Já era tarde quando nos le m b r a m o s ________________ en v iar-lh es um telegram a.

10 . E le c a n s o u -s e _____________ a ju d a r -n o s _____________ fazer n osso trabalho.

B. Tudo depende de você.

1. E ste trabalh o d e p e n d e nós. N ão p od em os d esistir ____________ (ele)

2. E la só p e n s a __________ (e le ) porque gosta m u ito (e le ). E la s o n h a __________e le todas as

■noites.

3. L u iz se in te r e s s a ____________tudo.

4 . E u c o n t o ______________ v o cê. N ão f u ja ________________m im !

5. N ão pude re s p o n d e r______________sua carta antes.

6. O ntem s o n h e i_______________ v o cê e h o je só estou p e n sa n d o __________v o cê.

7. P reciso f a la r ____________v o c ê _____________ aq u ele problem a.

8. E spero que e le se le m b r e ____________m im .

9. Pode v ia ja r tranqüila. N ós c u id a r e m o s ____________ (a) c a sa e ___________ (o s) garotos.

10. M in h a filh a vai se c a s a r ____________ um rapaz de m uito futuro.

E !a fic o u
c o n te n tís s im a
co m s u a c a r ia .

C. Ele está apto a trabalhar.

1. E stam o s a n s io s o s __________________ co n h ecer o país.

2. N ão sei se já estam os a p to s p restar o

exam e.

3. E la fico u c o n te n tís s im a ___________________ re ce b e r sua carta,

4 . E u estou in te re s sa d a aprender ja p o n ê s.

5. F iq u e i t r is t e ___________________ ter de ir em bora.

270 duzentos c setenta


6. S e a ex p eriên cia n ão fo r bem su ced id a, ele é c a p a z ___________________ abandonar tudo.

7. E le é c o n tr á r io ___________________ v ia ja rm o s agora.

8. N ão estou in te re s sa d o ___________________ p articip ar deste p ro jeto.

9. E le está s a t is f e it o m udar p ara outro país.

10. E ste trabalh o não é d i f í c i l fazer. Q uando as in stru ções são cla ra s, qualquer

trabalh o é fá c il _______ fazer.

Nosso chefe não é


favorável a m udanças.
D. Fiquei alegre com a notícia.

E la fico u m uito con ten te sua carta,

2 . N este p on to, ele é p a r e c id o _________ a m ãe.

3. E le s estão a p to s ______________(o ) cargo.

4. E stou an sio so n o tícia s d eles

5. E sta fo to g ra fia é igual (a) outra.

6 . E sta n o tícia não fo i agrad ável ninguém .

7. N o sso c h e fe não é fa v o rá v el _ m udanças.

8 . E stam o s in teressad os livros an tigos.

9. E le s são sem p re con trários n ossas su gestões e _____________ n o sso s planos.

10 . S e rá que o p ú blico fic a rá sa tisfeito _____________ as m edidas do g ov ern o?

E. Complete com preposição, se necessário.

D e p o is que M a rta a p re n d e u falar in glês e fran cês, ach ou que estav a a p t a trabalhar.

D e c id iu _________ arran jar um em prego.

E sta v a a n s io s a ________ gan h ar seu próprio dinheiro. E la não queria n e m p e n s a r ____________

trabalh ar num escritó rio . E la n ã o _________ g o s t a v a ________ fic a r horas e horas sentada num a sala

fech a d a batend o relató rios. E la s o n h a v a _________ um trabalh o sem rotin a e m orria _ m edo de

não o encontrar.

E n tão ela c o m e ç o u __________ 1er an ú n cios de jo rn a l. C om o os an ú n cios eram m u itos, M arta pediu

M ô n ic a , sua i r m ã ,____________a ju d a r ________ se le cio n a r os an ú n cios m ais in teressan tes. A s

v ezes M ô n ica fic a v a c a n s a d a (a) tarefa e reclam av a. M arta te n ta v a com p reen d ê-la.

du zentos e setenta e um
Intervalo

Provérbios

A. Examine o desenho e escolha o provérbio que se aplica à situação.

Lim dia é da caça,


Casa de ferreiro, „ ou,r.,
espeto de pau. do caçador. Pelo dedo se
conhece
MmmmmuiMú o gigante.
k i i i i i i í í
Quem ri por
Água mole em último,
pedra dura. tanto bate ri melhor. Quem não
até qtie fura. tem cão,
caça com gato.

Pa ra bom entendedor,
meia palavra
De grão em grão, basta, . Quem uma o feio
a galinha enche i i i i i i i i l
bonito
o papo. lhe parece.

A cavalo dado,
não se olham os dentes.

B. Considere os provérbios acima, um a um. Imagine situações às quais eles


se ap icariam.

272 d azen to s e seten ta e dois


Sím iles

feio co m o o diabo escu ro co m o breu sardo co m o urna porta

rápido co m o um raio preto co m o carv ão d o ce co m o

am argo com o fel m agro co m o um palito pesado co m o ch u m bo

1
leve co m o urna plum a certo c o m o dois tremer com o vara \ erde
e dois são cin co I

d orm ir co m o um a pedra

du zentos e seten ta e très


A. Relacione.

1. lev e co m o um a plum a ( ) n oite sem lúa


2. rápido co m o um raio ( ) urna pedra grande
3. preto co m o carv ão ( ) grande can saço
4. pesad o co m o chum bo ( ) p ich e
5. escu ro co m o breu ( ) urna fle ch a
6 . feio co m o o diabo ( ) seda
7. d orm ir co m o um a pedra ( ) urubu

B. Relacione.

1. sur do co m o urna porta ( ) d epois do dia v em a noite


2 . trem er com o vara verde ( ) quindim
3. d oce com o m el ( ) O liv ia , a m u lh er do P op ey e
4 . certo com o d ois e dois são quatro ( ) c a fé sem açü car
5 . am argo co m o fel ( ) v er um fantasm a
6. m agro co m o um palito ( ) H ein ? O que fo i que v o cê d isse? H ein ?

C. Complete as frases com símiles.

1. E le esta v a tão can sad o que caiu n a cam a e .........................

2. E la fez reg im e rig oroso e a g o r a ............................................................

3. N ão co n seg u i en x erg ar nada. A rua e s t a v a .....................................

4. E u nem o vi direito. E le passou por a q u i..........................................

5. F a le m a is alto. E le não a está escutando. E le é ............................

6. O susto foi tão grande que m eia h ora depois eu a in d a .............

7. N ão co n sig o carreg ar sua m a la , Jo ã o . E l a .......................................

8. P reciso tirar outra fo to g rafia. N esta eu e s t o u ................................

9. N ão ten h o dúvidas. É isso m esm o o que v ai acon tecer. E tão

10. D ep o is do trabalh o as m ãos do m e câ n ico fic a m .........................

D. Faça frases, usando os símiles dados.

du zentos e seten ta e quatro


Texto norrotivo — A imigração e o povoomento do sul do Brasil
E n q u an to o R io de Ja n e iro , M in as G erais
e S ã o Paulo d avam o cu p ação ou trabalh o
para o im ig ran te italian o, os estad os do
S u l, San ta C a ta rin a e R io G ran d e do S u l,
d a v a m -lh e p o s s ib ilid a d e de to r n a r-s e
pequeno proprietário. N o R io G rand e do
S u l, os im ig ran tes italian o s d ed icav am -
se à cultura da uva e fundaram cid ad es

i. //rugrwucs tto {touca no RS.


com o B e n to G o n ç a lv e s , C a x ia s e
G arib a ld i, fa m o sa s p or seu vinho.
E m 1 8 2 4 , ch egaram os prim eiros alem ães
ao R io G ran d e do S u l, dando o rig em à
cid ad e de S ã o L eo p o ld o . E m 1 8 5 0 , Dr.
H erm an n B lu m en au fundou, às m argen s
do R io Ita ja í, em San ta C atarin a, um a c o lô n ia que apresentou grande d esen v olvim en to . A tu alm en te,
a cidad e de B lu m en a u é um grande cen tro co m e rc ia l e industrial. E m 1851 surgiu Jo in v ille , outra
cid ade de o rig em alem ã. D esd e sua ch eg ad a, os ale m ã es, e depois seus d escen d en tes, p articip aram
ativ am en te do d esen v olv im en to e co n ô m ico e cultural do B ra sil. O s ja p o n e se s só co m eça ra m a vir
p ara c á em 1 9 0 8 , m as j á c o n stitu e m um dos m a io res gru p os de im ig ra ç ã o . E s ta b e le c e r a m -s e ,
pred o m in an tem en te, nas áreas rurais. N o E stad o de S ã o P au lo, os ja p o n e se s co n cen traram -se ao redor
da cap ital, d ed icand o-se à cultura das hortaliças. E sta horticultura form a o “cinturão verd e” , responsável
p elo ab astecim en to da p op u lação da G rand e S ã o P aulo. N o v a le do P araíb a, na reg ião alag ad iça,
d esen v o lv eram a cultura do arroz, usando a m esm a té cn ic a apl icad a em sua terra natal. D em onstrand o
esp írito p ion eiro , os ja p o n e s e s deram im p u lso, tam bém , à cultura do ch á e da p im en ta-d o-rein o.
H á ainda outros grupos de im igran tes no B ra sil. O s eslav o s fix a ra m -se no E stad o do Paraná. O s
sírio s-lib a n e se s, desde o fím do sécu lo p assad o, j á v in h am para o B ra s il. C om o a S íria e o L íb an o
estav am sob o d om ínio da Tu rquia, eram registrad os co m o turcos. D istrib u íram -se por todo o território
b rasileiro , a ssim ila n d o -se fa cilm en te. N ão sendo agricu ltores, fix a ra m -se , p rin cip alm en te, n as cidades
e d ed ica ra m -se ao c o m é rcio .
O s im igrantes fazem parte integrante da p op ulação b rasileira. D esde os portugueses, que se confundem
com nossa h istória, até os c h in e se s, que, v ieram recen tem en te, passando p elo s esp an h óis, am erican o s,
fra n ceses, in g leses, a u stría co s, su ecos e h olan d eses, o B ra sil deve à im ig ração grande parte de seu
d esen v olv im en to .
O s im igran tes que para c á v ieram ad otaram a n o v a terra e con stru íram n ela sua nova vida.

Responda.
1. Q ue fato r atraiu o s im igran tes para as terras do su l?
2 . D e qu e n acion alid ad e eram os im igran tes que se d irigiram para o R io G rande do S u l? A que tipo
de trabalh o se d ed icaram ?
3. Q u em pov oou o v ale do R io Ita ja í? O que co n stru íram aí?
4. O que é o “ cin tu rão v erd e” ?
5. O que sabe so b re a im ig ra çã o no P aran á?
6. P o d e-se d izer que houve um a im ig ra çã o turca no B ra s il? E x p liq u e.
7. D ig a o que sabe so bre a im ig ra çã o portu guesa para o B ra sil.
8. C o n te-n o s so bre os m o v im en to s de im ig ra ção e em ig ração de seu país.

d uzentos e seten ta e cin co


APCNDICe GRAMATICAL
1. ARTIGOS 3. DEMONSTRATIVOS
1.1. Formas 3.1, Formas
Detlnidos Indefinidos Singular /Plural
Masculino este(s) aqui /esse(s) aí /aqueíe(s) ali, lá
iVl sc ilino Feminino Masculino Feminino Feminino esta(s) aqui /essa(s) aí /aquela(s) ali, lá
o a um uma Neutro isto aqiu - isso aí - aquilo ali. lá

os as uns umas
3.2. Contrações com preposições

1.2. Emprego - Artigo Definido Preposições + Demonstrativos

Nomes de países - com artigo: o Brasil, a Itália, os de deste(s) /desse(s) /daquele(s)


Estados Unidos. desta(s /dessa(s) /daquela(s)
Algumas exceções: Portugal, Angola, Israel, São disto - disso - daquilo
Salvador.
Nomes de cidades e de ilhas- sem artigos: Paris, Roma, cm neste(s) /nesse(s) /naquele(s)
Brasília, Cuba. nesta(s) /nessa(s) /naquela(s)
Algumas exceções: o Rio de Janeiro, o Cairo, o Porto, o nisto - nisso - naquilo
Havre, a Córsega.

4. PALAVRAS INTERROGATIVAS
1.3. Contrações e Combinações com
4.1, Formas
Preposições
Variáveis Invariáveis
Prepo­ Artigo definido Ai ligo Indefinido masculino/feminino
sições + o a - os - as um uns uma umas
quanto(s) quanta{ s) quem
dc do -da - dum - duma - qual qual o que?
dos - das dnns - dumas quais quais por que?
em no - cm- num - numa - quando?
nos- nas nuns - numas conto?
por pelo - pela - onde?
pelos - pelas
4.2. Emprego

2. CRASE Q uanto cu sta o liv ro?


Contração da preposição a com o artigo definido a /as Q uantos fu n cio n ário s v ieram ?
Q ual cand id ato v o c ê p refere?
2.1. Formas
Q uais liv ros devo com p rar?
Preposição + Artigo definido Q u em ch eg o u ? (= qu e p e sso a ...)
- o - a - os - as P o r que estes liv ro s estão aqui?
a
( - a o ) - à i-ao s)-ás O que ele quer?
Q uando o av ião ch eg ou ?
Q uando v o c ê ch eg ou ?
2.2. Emprego O nde está Pedro e onde está m eu ca rro ?
C om o ele v eio ?
Com nomes femininos:
Vou à farmácia (Ir a + a farmácia)

276
5. POSSESSIVOS 5.2 Emprego
5.1. Formas
Pessoa Possessivos

eu meu. minha, meus, minhas |


seu amigo /sua amiga
você seu, sua. seus. suas seus amigos /suas amigas
o amigo deie = seu amigo /o amigo dela = seu amigo
ele dele \ os amigos dele = seus amigos /os amigos deia = seus amigos
a amiga dele = sua amiga /a amiga dela = sua amiga
ela deli J seu' sua’ seus’ siias
as amigas dele = suas amigas /as amigas dela = suas amigas

nós nosso, nossa, nossos, nossas


seu amigo /sua amiga
vocês seu, sua, seus. suas seus amigos /suas amigas
o amigo deles = seu amigo /o amigo dela = seu amigo
os amigos deles = seus amigos /os amigos dela = seus amigos
eles deles 1 a amiga deles = sua amiga /a amiga delas = sua amiga
cias delas ’ seu’ sua' seus" suas as amigas deles = suas amigas /as amigas delas = sua amigas

6.1. GÊNERO - SUBSTANTIVOS


E ADJETIVOS
6.1. Formação masculino feminino masculino leminino

o médico a médica o jornalista a jornalista


famoso famosa o artista ¡1 artista
Observações:
o professor a professora 0 estudante a estudante
a) Sempre feminino
encantador encantadora inteligente inteligente
a viagem, a paisagem
inglês inglesa industrial industrial
a cidade, a idade
alemão alemã dilícil difícil
b) Sempre masculino
simples simples
o cinema, o sistema, o
comum comum
problema, o poema, o
espanhol espanhola feliz feliz
programa, o mapa, o clima,
o sofá, o dia bom boa
mau má

7. NÚMERO 8. PRONOMES PESSOAIS


7.1. Formas 8.1. Formas 8.2. Emprego

Singular Plural Sujeit" Objeto Objeto Reflexivo


-a,-ã, -e. irmã irmãs direto indireto
eu me me. mim. com igo me i
-i. - 0. -u—> -f -S tatu tatus Pcílro me conhece Pedro me telefonou Eu me visto