Você está na página 1de 2

O que é um Contrato de Prestação de Serviços e o que o Distingue de um

Contrato de Trabalho ?
O contrato de prestação de serviços: é aquele em que uma das partes se obriga a
proporcionar à outra certo resultado do seu trabalho intelectual ou manual, com ou sem
retribuição. O contrato de prestação de serviços distingue-se do contrato de trabalho
nos seguintes aspectos, entre outros:
- No contrato de trabalho, o trabalhador compromete-se a prestar uma
actividade(manual ou intelectual), enquanto no contrato de prestação de serviços o
prestador obriga-se a obter um determinado resultado, previamente determinado pelas
partes, assumindo o risco da não verificação do mesmo;
- O contrato de trabalho é sempre oneroso, isto é, em troca da sua actividade o
trabalhador tem sempre direito a uma retribuição. Já no que respeita ao contrato de
prestação de serviços, embora na maioria das situações seja estabelecida uma
retribuição, o resultado fixado pelas partes pode, em alguns casos, ser proporcionado
sem qualquer contrapartida retributiva;
- No contrato de trabalho, a actividade do trabalhador é realizada sob autoridade e
direcção do empregador (ou seja, sob as suas ordens, directivas e instruções) num
período de tempo convencionado (recebendo o trabalhador uma compensação
adicional quando o temp convencionado é ultrapassado) e em local pertencente ao
empregador ou por este indicado. No contrato de prestação de serviços, pelo contrário,
não existe subordinação jurídica. O prestador de serviços desenvolve a sua actividade
de forma autónoma (ainda que dentro de determinados parâmetros estabelecidos pelo
beneficiário da actividade) cabendo-lhe, em regra, a escolha do lugar, tempo e meios
para a realização do serviço.
Embora no plano teórico a distinção pareça clara, na pratica nem sempre é fácil
determinar se estamos perante um contrato de trabalho ou um contrato de prestação
de serviços, devendo ser feita uma ponderação dos diversos indícios (titularidade dos
instrumentos de trabalho, do local onde a actividade é desenvolvida, cumprimento ou
não de horários de trabalho, etc.). Não obstante, faz-se notar que a LGT estabelece a
presunção de existência de um contrato de trabalho entre a pessoa que presta serviço
por conta de outrem e a que recebe este serviços.

Exemplo 1 – Contrato de Trabalho:


João celebrou com o Kero Hipermercado um contrato de trabalho, nos termos do qua
tem de assegurar a existÊncia, em armazém, da quantidade necessária de produtos para
comercialização. João vai trabalhar das 07h00 às 12h00 e das 13h00 ás 16h00, de
segunda a sexta feira, tendo de assinar o livro de ponto à entrada e saída. Pelo trabalho,
João receberá 60.000,00 kz por mês.
Exemplo 2 – Contrato de prestação de serviços:
Abel contratou Bruna, arquitecta, para elaborar o projecto de remodelação da sua casa.
Abel e Bruna acordaram que o projecto teria de ficar concluído no prazo máximo de dois
meses e que, com a entrega do mesmo, Bruna receberia 600.000,00kz
Não obstante Abel, enquanto cliente, ter definido o tipo de remodelação que pretendia,
Bruna desenvolveu o projecto no seu escritório, com total autonomia e utilizando os
seus próprios meios e instrumentos de trabalho.
O objecto do contracto celebrado é o projecto de arquitectura ( o resultado do trabalho
de Bruna), sendo indiferente a Abel (beneficiário da actividade) o número de horas que
Bruna dedicou à elaboração do projecto ou em que local o fez, por exemplo.
Disposições legais aplicáveis: artigos 1152º e 1154º do Código Civil Angolano ; Artigo
15º, nº3, da Lei Geral do Trabalho, vigente em Angola.