Você está na página 1de 19

Manual PIM II

Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores


Sumário
1. INTRODUÇÃO............................................................................................................................. 3

2. OBJETIVO GERAL....................................................................................................................... 5

3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS......................................................................................................... 6

4. OBJETO DE ESTUDO: ESCRITÓRIO DE DESIGN DE INTERIORES................................. 6

5. ESTRUTURA DO PIM................................................................................................................ 7

6. DISCIPLINAS DO PIM II ......................................................................................................... 10

7. POSTAGEM, VALIDAÇÃO E PRAZOS.................................................................................... 12

8. DÚVIDAS .................................................................................................................................... 13
Serviço Social

1. INTRODUÇÃO

Caro aluno,
Objetivando propiciar o estreitamento da relação entre os conceitos teóricos e a prática
profissional cotidiana, concebeu-se o Projeto Integrado Multidisciplinar (PIM), por meio
do qual se propicia a reflexão da inter-relação entre as disciplinas estudadas e a práxis
organizacional. Dessa forma, chamamos a atenção para os pilares que sustentam o PIM:

ƒƒ compreensão das disciplinas oferecidas;

ƒƒ pesquisas bibliográficas; e

ƒƒ escolha de um Escritório de Design de Interiores para ser o objeto de estudo (é


permitido que seja o mesmo escritório do PIM I).

PIM

Disciplinas
curriculares

Pesquisas
bibliográficas

Objeto de pesquisa -
ESCRITÓRIO de
Design de Interiores

3
Manual de Estágio

Portanto, o ponto de partida da investigação se dá na trilogia: teoria, pesquisa e prática.


Em seu desenvolvimento, o gênero textual que deverá compor o PIM é o dissertativo. Nesse
tipo de texto, deve-se reproduzir algo, seja: objeto, pessoa, animal e ou acontecimento. A
intenção, sobretudo, é transmitir ao leitor do projeto as percepções e qualidades observadas.
Isto é, o texto dissertativo, deve representar a elaboração de um retrato, como se fosse uma
fotografia revelada por meio das palavras, além das análises e observações realizadas.
Outro aspecto importante para a elaboração do PIM é que sua composição deverá ser
parametrizada de acordo com a metodologia científica e segundo as regras estabelecidas
pela Associação Brasileira de Normas e Técnicas (ABNT). Assim, reforçamos a necessidade
de sistematizar o conhecimento científico, pois, a partir disso, a metodologia começa a
ser instituída e atrela a pesquisa ao seu pleno desenvolvimento. Nesse sentido, a pesquisa
assume três dimensões na Universidade:

ƒƒ Epistemológica: a perspectiva do conhecimento. Só se conhece construindo o saber,


ou seja, praticando a significação dos objetos;

ƒƒ Pedagógica: a perspectiva decorrente de sua relação com a aprendizagem. Ela é a


mediação necessária e eficaz para o processo de ensino/aprendizagem. Só se aprende e
só se ensina pela efetiva prática da pesquisa;

ƒƒ Social: a perspectiva da extensão dos benefícios da aprendizagem à comunidade.

Dadas as características do PIM, é preciso seguir o roteiro proposto neste manual:

ƒƒ coletar as informações do escritório (objeto de estudo), ou seja, com base no


entendimento dos conteúdos das disciplinas curriculares, deve-se analisar como um
escritório de Design de Interiores atua;

ƒƒ fundamentar as ações organizacionais por intermédio dos referenciais teóricos


estudados e pesquisados (em livros, revistas, artigos, etc.);

4
Serviço Social

ƒƒ construir o texto descritivo, pormenorizando os assuntos propostos nas disciplinas


curriculares aplicadas na organização, acrescido com os entendimentos. Exemplo:
supondo que o manual solicite que se descreva o porte do escritório, primeiro é preciso
que você tenha conhecimento de como se dá a classificação, depois você irá observar,
diante desse conhecimento, em qual classificação esse escritório se enquadra e, para
escrever o texto, você deverá embasá-lo em um autor que defina o que é porte desse
escritório, se este se constitui como empresa ou não.
Em suma, o PIM proporciona a você o desenvolvimento da capacidade de construir o
raciocínio necessário para o enlace entre teoria e prática de forma multidisciplinar, para
que, no mercado de trabalho, você tenha potencial para efetuar a gestão organizacional de
um escritório de Design de Interiores.

2. OBJETIVO GERAL

O PIM faz parte do Programa Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da


Universidade Paulista. Seu objetivo geral é contribuir para o diálogo entre os componentes
curriculares que integram os respectivos períodos letivos, para a construção da autonomia
intelectual dos alunos, por meio da construção da unidade ensino-pesquisa, assim como
desenvolver e/ou aprofundar o sentido da responsabilidade social, potencializando o
uso das tecnologias. O PIM articula-se com as disciplinas curriculares e as organizações,
proporcionando a evidenciação das práticas.
O Curso Superior de Tecnologia em Design de Interiores enfatiza os componentes
científicos, tecnológicos, informáticos, mercadológicos, culturais e de gestão que permitem
o desenvolvimento de um raciocínio lógico e a correta compreensão do mundo do
trabalho. Promove-se, assim, uma adaptação ao contexto do trabalho, respondendo aos
requerimentos e às tendências dos setores produtivos, à qualidade de vida dos usuários e
ao desenvolvimento socioeconômico. A contextualização e a atualização devem ocorrer no
próprio processo de aprendizagem, aproveitando as relações entre conteúdos e contextos,

5
Manual de Estágio

a fim de dar significado ao que é aprendido, sobretudo, por metodologias que integrem
a vivência e a prática profissional ao longo do processo formativo e que estimulem a
autonomia intelectual.

3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

São objetivos específicos do PIM:

ƒƒ desenvolver o levantamento das características e das práticas organizacionais de um


escritório, analisar suas aplicações organizacionais e elaborar um projeto que resulte da
pesquisa exploratória;

ƒƒ proporcionar condições para que o aluno desenvolva, de maneira prática, os


conhecimentos teóricos adquiridos, colaborando no processo de ensino-aprendizagem;

ƒƒ proporcionar a experiência das dificuldades e das vantagens existentes na implantação,


na execução e na prática profissional mediante a integração multidisciplinar, fortalecendo
a visão sistêmica.

4. OBJETO DE ESTUDO: ESCRITÓRIO DE DESIGN DE INTERIORES

As atividades do PIM são desenvolvidas em escritórios reais* previamente selecionados


pelos alunos. Nesses escritórios, serão realizadas pesquisas de avaliação de itens específicos
apontados para cada disciplina.
O aluno e/ou grupo (composto de até seis pessoas – matriculados no mesmo curso,
independentemente da localização do polo), deverá escolher um escritório real para
realização do trabalho.
Recomenda-se que sejam privilegiados escritórios de Design de Interiores ou de
Arquitetura que estejam “abertos” à atitude empreendedora e, ainda, que se dê preferência
aos que disponibilizem as informações necessárias para o trabalho proposto, não havendo
restrição quanto ao ramo de atuação.

6
Serviço Social

É fundamental observar que tal escolha é determinante na qualidade do trabalho a


ser realizado. Uma escolha inadequada poderá terminar em perda de tempo e resultados
negativos para o trabalho em si.
* Observação: não são aceitos escritórios fictícios para o desenvolvimento do PIM.

5. ESTRUTURA DO PIM

O aluno deverá realizar um diagnóstico técnico, buscando identificar:

ƒƒ práticas organizacionais correlacionadas à prática projetual;

ƒƒ possíveis anomalias e práticas diferenciadas de projeto.


A base do PIM é a disciplina Tópicos de Design de Interiores. Esses fundamentos
deverão ser aplicados à realidade do escritório, utilizando como ferramentas os conceitos
de Linguagem Visual e Desenvolvimento Sustentável.
Depois de realizada a pesquisa, o aluno ou grupo deverá organizar os dados, anotar as
informações relevantes e escrever o projeto com suas próprias palavras. Isso significa que
é de fundamental importância a correta apresentação dos dados, fontes de pesquisa e
resultados, de sua justificativa e conclusão pertinentes.
O objetivo do Projeto Integrado Multidisciplinar é demonstrar a sua capacidade de
análise de processos e como solucionar os grandes desafios empresariais. Para isso, é
necessário seguir certos padrões para facilitar a compreensão do leitor. A estrutura do
trabalho acadêmico – dissertação, tese, monografia, trabalho de conclusão de curso e
similares –, definida pela NBR-14724:2002 (com vigência a partir de 29/09/2002), deve
contemplar os elementos pré-textuais, os elementos textuais e os elementos pós-textuais.
A seguir, há uma tabela adaptada com as indicações do que se espera como composição
obrigatória e opcional para a realização do PIM:

7
Manual de Estágio

ESTRUTURA ELEMENTO CONDIÇÃO


Capa Obrigatório
Lombada Opcional
Folha de rosto Obrigatória
Errata Opcional
Folha de aprovação Opcional
Dedicatória Opcional
Agradecimentos Opcional
Pré-textuais Epígrafe Opcional
Resumo Obrigatório
Resumo em língua estrangeira Opcional
Sumário Obrigatório
Lista de ilustrações Opcional
Lista de tabelas Opcional
Lista de abreviaturas e siglas Opcional
Lista de símbolos Opcional

Introdução Obrigatório
Textuais Desenvolvimento Obrigatório
Considerações finais Obrigatório
Referências Obrigatório
Glossário Opcional
Pós-textuais Apêndice(s) Opcional
Anexo(s) Opcional
Índice(s) Opcional

8
Serviço Social

Veja:
1. Capa – nome da Universidade, nome do Instituto, título e subtítulo, local e ano de
depósito (ver anexo I).
2. Folha de Rosto – nome da Universidade, nome do Instituto, nome(s) do(s) autor(es),
título e subtítulo, local e ano de depósito (ver anexo II)
3. Resumo – elemento obrigatório, que consiste na apresentação concisa dos pontos
relevantes do trabalho. O resumo deve dar uma visão rápida e clara do conteúdo e das
conclusões do trabalho; constitui-se de uma sequência corrente de frases concisas e
objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, não ultrapassando 500 palavras,
seguido, logo abaixo, das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é,
palavras-chave e/ou descritores, conforme normas da ABNT.
4. Sumário – é a relação das principais seções do trabalho, na ordem em que se sucedem
no texto e com indicação da página inicial. As seções do trabalho devem ser numeradas
em algarismos arábicos. Elementos como listas de figuras, tabelas, abreviaturas, símbolos,
resumos e apêndices não devem constar do sumário, mas, sim, das listas. A apresentação
tipográfica das divisões e das subdivisões no sumário deve ser idêntica a do texto. Para
mais informações, consultar as normas da ABNT (ver anexo III).
5. Introdução – a introdução do trabalho deve conter o objetivo da pesquisa a ser
desenvolvida no Projeto Integrado Multidisciplinar, a metodologia utilizada e uma breve
apresentação do escritório selecionado para a investigação (não conte a história do
escritório). Ela é como um cartão de visita e deve permitir ao leitor um entendimento
sucinto da proposta do trabalho em pauta e seu contexto, portanto, a introdução deve ser
clara, objetiva e direcionada ao tema escolhido.
6. Desenvolvimento – descrever cada proposta apresentada, fundamentando cada uma
delas nos conhecimentos adquiridos nas disciplinas cursadas no módulo e identificando as
oportunidades de aplicá-los no escritório estudado, lembrando-se de verificar a proposta

9
Manual de Estágio

do PIM. O seu principal objetivo é comunicar ao leitor os resultados da pesquisa de forma


lógica, clara e progressivamente ordenada.
7. Conclusão – descrever sua análise final e pontos preponderantes (positivos e
negativos) que levaram a sua pesquisa ao êxito. Retome a proposta inicial (apresentada
na introdução) e reafirme de maneira concisa a ideia principal e os pontos importantes do
corpo do trabalho.
8. Referências – citar as fontes de pesquisa (bibliografia nos moldes da ABNT). Todos
esses itens devem ser contemplados (são obrigatórios). Para o melhor desenvolvimento, é
primordial a leitura cuidadosa do Manual Geral, que explica em detalhes qual conteúdo
e formato pertinente a cada assunto. As possíveis dúvidas poderão ser solucionadas pela
orientação via fórum.

6. DISCIPLINAS DO PIM II

ƒƒ Tópicos de Design de Interiores;

ƒƒ Linguagem Visual; e

ƒƒ Desenvolvimento Sustentável.

Em seguida, apresenta-se o roteiro para a investigação do escritório de Design de


Interiores escolhido. Sendo assim, deve-se coletar no escritório informações sobre cada
um destes, a partir do conhecimento construído em cada disciplina e, após a obtenção das
informações, é preciso construir o texto fundamentando-o nas teorias encontradas em
suas pesquisas bibliográficas.

10
Serviço Social

6.1 Tópicos de Design de Interiores


Esta parte do trabalho deve conter informações relevantes sobre o escritório escolhido
para a investigação. Deve relacionar os seguintes itens:

ƒƒ como se dá a representação de modelos em peças gráficas do desenho;

ƒƒ como se dá a observação dos elementos de composição;

ƒƒ como se aplica os valores acromáticos e cromáticos;

ƒƒ Formas de medição – levantamento técnico;

6.2 Linguagem Visual


Descrever o modo de linguagem visual do escritório a partir dos conceitos estudados na
disciplina. Analisar os seguintes aspectos:

ƒƒ conceitos e abordagem da linguagem visual;

ƒƒ como a linguagem visual é aplicada nos projetos desenvolvidos;

ƒƒ como a composição influencia a concepção dos projetos;

ƒƒ a utilização da perspectiva como ferramenta de projeto;

ƒƒ o traço é usado como característica do escritório;

ƒƒ apresente, no mínimo, 4 exemplos de linguagem visual utilizada pelo escritório.

6.3 Desenvolvimento Sustentável


Conceber projetos de interiores ecologicamente sustentáveis, através da compreensão
das múltiplas relações entre o ambiente natural e o ambiente construído, de acordo com
o desenvolvimento da disciplina Desenvolvimento Sustentável. Poderão ser analisados no
escritório:

11
Manual de Estágio

ƒƒ política de sustentabilidade do escritório;

ƒƒ desenvolvimento de projetos ecologicamente corretos;

ƒƒ aplicação de materiais sustentáveis nos projetos de design de interiores;

ƒƒ controle do consumo e na geração de resíduos do escritório (descarte de papel,


reuso de água, energia, etc.);

ƒƒ controle na geração de resíduos nas obras de design de interiores (descarte de


entulho, geração de pó, reuso de água, energia, etc.);

ƒƒ atuação na gestão ambiental.

O PIM é uma oportunidade para que você desenvolva habilidades de gestor. Por essa razão,
não serão aceitos textos ou trechos de textos sem citação, por isso, confie na capacidade de
pesquisa e produção textual, siga as instruções e crie o texto com originalidade – escreva
com fundamentação teórica e de forma clara e concisa. A expectativa é que o trabalho
tenha, em média, 12 páginas. O importante é observar o ineditismo, a consistência no
conteúdo e a evolução no processo de aprendizagem.

7. POSTAGEM, VALIDAÇÃO E PRAZOS

As informações sobre a postagem do PIM estão disponíveis no Ambiente Virtual de


Aprendizagem (AVA) Blackboard, bem como as datas de entrega encontram-se publicadas
no calendário acadêmico.
Não serão aceitos, em hipótese alguma, trabalhos após as datas publicadas em calendário
acadêmico, ou por outros meios que não sejam os definidos pela UNIP. Portanto, não
haverá possibilidade de entrega do Projeto PIM via e-mail, correio, compartilhamento por
Dropbox, OneDrive ou outro sistema de nuvem, fax ou qualquer outro meio que não esteja
ligado ao campo de envio destinado ao projeto.

12
Serviço Social

O PIM consta no Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia e corresponde


à integralização de 50 horas para cada PIM, totalizando 100 horas no semestre, desde que
seja avaliado com conceito igual ou maior que 6,0 (seis).
Caso o aluno obtenha o conceito final menor que 6,0 (seis) ou não envie o projeto
dentro do semestre, ficará reprovado na disciplina PIM e só poderá reenviar seu projeto
caso esteja matriculado em regime de dependência*.
* Observação: atenda aos prazos estipulados pela Secretaria Virtual para a realização das
rematrículas das disciplinas em regime de dependência.

8. DÚVIDAS

ƒƒ fale com o tutor presencial;

ƒƒ entre em contato com o tutor a distância por meio dos canais de comunicação
disponibilizados pela instituição;

ƒƒ escreva para o professor por meio do fórum de discussão;

ƒƒ consulte os materiais de apoio para a elaboração do PIM:

ƒƒ vídeoaulas instrucionais que terão como foco a preparação de um trabalho escrito


claro e persuasivo;

ƒƒ livros-textos e slides para embasamento teórico;

ƒƒ guia de normalização com normas da ABNT para elaboração de trabalhos


acadêmicos;

ƒƒ perguntas frequentes;

ƒƒ detalhamento das Orientações do PIM.

Bons estudos!
Coordenação do CST em Design de Interiores
13
9. ANEXO I – CAPA

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP


(FONTE 22)

INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA


CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE INTERIORES
(FONTE 14)

TÍTULO (NOME DO TRABALHO – ESCRITÓRIO DE DESIGN DE INTERIORES)

PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR II – PIM II


(FONTE 16)

ESTADO (FONTE 12)

ANO (FONTE 12)


10. ANEXO II – FOLHA DE ROSTO

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP


(FONTE 22)

INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA


CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE INTERIORES
(FONTE 14)

TÍTULO (NOME DO TRABALHO – ESCRITÓRIO DE DESIGN DE INTERIORES)

PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR II – PIM II


(FONTE 16)

ALUNOS: NOME COMPLETO R. A. 010101- 0


NOME COMPLETO R. A. 010101- 0
NOME COMPLETO R. A. 010101- 0
NOME COMPLETO R. A. 010101- 0
NOME COMPLETO R. A. 010101- 0
(FONTE 11)

Pr oj e to I nt e gr ad o M u lt i dis c i p l in ar II – PI M II , apr es en t ad o c om o
um dos pr é - re q u is i t os p ar a a pro v aç ã o do b im es tr e v i ge n te , n o
Cur s o S up er i or d e T ec no l o gi a em D es ig n de I nt er io res ( NO M E DO
CU RS O ) ( FO NT E 10)

O ri ent ad or( a): (FO NT E 1 0)

E S T AD O (FONTE 12)

AN O (FONTE 12)
11. ANEXO III – SUMÁRIO
SUMÁRIO
LISTA DE GRÁFICOS. (FOLHA SEPARADA)...............................................................................XX
LISTA DE TABELAS (FOLHA SEPARADA)..................................................................................XX
LISTA DE QUADROS (FOLHA SEPARADA).................................................................................XX
LISTA DE FIGURAS (FOLHA SEPARADA)...................................................................................XX
LISTA DE ABREVIATURA E SIGLAS (FOLHA SEPARADA)........................................................XX
RESUMO.........................................................................................................................................XX
INTRODUÇÃO ....................................................................................................................................XX
CAPÍTULO 1 – TÓPICOS DE DESIGN DE INTERIORES...............................................................XX
1.1 – SUBTÍTULO...............................................................................................................................XX
1.2 – SUBTÍTULO...............................................................................................................................XX
CAPÍTULO 2 – LINGUAGEM VISUAL............................................................................................XX
2.1 – SUBTÍTULO...............................................................................................................................XX
2.2 – SUBTÍTULO...............................................................................................................................XX
CAPÍTULO 3 – DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.................................................................XX
2.1 – SUBTÍTULO...............................................................................................................................XX
2.2 – SUBTÍTULO...............................................................................................................................XX
CONCLUSÃO..................................................................................................................................XX
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.......................................................................................................... XX

APÊNDICE (QUANDO HOUVER)............................................................................................................XX


ANEXOS (QUANDO HOUVER)...............................................................................................................XX

(DAQUI EM DIANTE TUDO FONTE 12, EXCETO CITAÇÕES DIRETAS)


12. ANEXO IV – ORIENTAÇÕES PARA REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
É o conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite
sua identificação individual (relação de autores consultados ou citados, em ordem alfabética da
palavra de ordem).

LIVROS
Elementos Exemplo
Autor CHIAVENATO, Idalberto
Título Introdução à Teoria da Administração
Edição 5ª ed.
Local, editor e ano de publicação São Paulo: Makron Books, 2005
Por exemplo: CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à Teoria da Administração. 5ª ed. São Paulo:
Makroon Boos, 2005.

REVISTAS
Elementos Exemplo
Autor do Artigo FONSECA, Adriana Monteiro
Título do Artigo 28 Formas de cortar seus custos
Título da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios
Local de Publicação São Paulo
Número do Volume, fascículo,
Página inicial e final n. 205, p. 44-57
Mês e ano Fev./2006
Por exemplo:. FONSECA, Adriana Monteiro. 28 Formas de cortara seus custos. Pequenas
Empresas & Grandes Negócios. São Paulo, n. 205, p. 44-57. Fev./2006.

JORNAIS
Elementos Exemplo
Autor do Artigo FORTUNA, Paulo
Título do Artigo Alto Escalão
Título do Jornal O Estado de São Paulo
Local de Publicação São Paulo
Data (dia, mês e ano) 19 Fev. 2006
Número ou título do caderno, seção,
páginas do artigo. Caderno Classificado, p. 3.
Por exemplo:. FORTUNA, Paulo. Alto Escalão. O Estado de São Paulo. São Paulo, 19 Fev. 2006,
Caderno Classificado, p. 3.
13. ANEXO V – MODELO DE REFERÊNCIA BIBLIOGRAFICA

ANSOFF, I. H. Administração estratégica. São Paulo: Atlas, 1990.

BRESSAN, F. O método do estudo de caso: Administração on-line, disponível em <


http://www.fecap.br/adm > Acesso em 01abr.2003, às 22:00h.
BROWN, J. S.; DUGUID, P. Vida social da informação. São Paulo: Makron Books, 2001.

HENDERSON, H. Indicadores e critérios para o investimento socialmente responsável,


entrevista, O Estado de São Paulo, janeiro de 2003, disponível em
<http://www.ethos.org.br/docs/empresas_entidades/agenda/evento.shtml> Acesso em
mar.03, 2003
KOTLER, P E ARMSTRONG, GARY P. Princípios de Marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall.
2003.

ROESCH de AZEVEDO, SYLVIA MARIA. Projetos de estágio e de pesquisa em administração: -


Guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de casos. São Paulo: Atlas, 1999.
SECRETARIA DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA. Internet comercial – Conceitos,
estatísticas e aspectos legais. Setor de Reprografia do Ministério da Ciência e Tecnologia.
Brasília, 2001.
TOFFLER, A. o choque do futuro. Petrópolis: Editora Record, 1986.

___________ A terceira onda. Petrópolis: Editora Record, 1986.

YIN, R. K. Estudo de caso: Planejamento e Métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001, p.28

Fundação Nacional da Qualidade. Critérios de excelência. São Paulo, 2006.


14. ANEXO VI – ORIENTAÇÕES PARA CITAÇÕES
Citação é a menção, no texto, de informação extraída de outra fonte para esclarecer, ilustrar
ou sustentar o assunto apresentado e pode aparecer no texto ou em notas de rodapé. Há alguns
modos básicos de se apresentar a referência:
a) Citação Direta, transcrição textual de parte da obra do autor consultado;
Exemplo:
“Fixação de preços por margem simples que é técnica mais aplicada para determinar preço de venda,
porém tem que obedecer certas regras”. (LERE, 1979, p. 58)
b) Citação Indireta, texto baseado na obra do autor consultado;
Exemplo:
O primeiro objetivo dos contadores ao desenvolverem um sistema de custeio é a mensuração
monetária dos estoques e do resultado e não a utilização das informações providas pelo sistema
como instrumento de apoio gerencial (MARTINS, 1998).
c) Citação de Citação, referência direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao
original.
Exemplo:
Segundo Montoro Filho (1982, p. 116-7 apud SANTOS, 1995), “existem mecanismos
autorregulatórios de mercado que atuam em situações de excesso de demanda ou de excesso de
oferta de produtos”.

ORIENTAÇÕES GERAIS:
Quando o texto da citação direta transcrito tiver até três linhas, utilizar aspas duplas. As
citações diretas com mais de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem
esquerda, com letra menor que a do texto, com espaçamento simples e sem as aspas. As aspas
simples são usadas para indicar citação no interior da citação.
Para enfatizar trechos da citação, deve-se destacá-los, indicando esta alteração com a
expressão “grifo nosso” entre parênteses, após a chamada da citação, ou “grifo do autor”, caso o
destaque já faça parte da obra consultada.
Quando o autor citado estiver dentro dos parênteses, usar caixa alta.
Ex.: (MARCOS, 2004, p. 113) e/ou (ROJAS; FERNANDEZ, 2002, p. 59).
Quando o autor estiver fora dos parênteses, usar caixa normal.
Ex.: Sá (1993, p. 21-34)

Para mais detalhes consulte o guia de normalização pelo link:


http://www.unip.br/servicos/biblioteca/download/manual_de_normalizacao_abnt.pdf