Você está na página 1de 12

ARTICLE

ARTICLEININPRESS
PRESS

Waste Management xxx (2010) xxx–xxx

Contents lists available at ScienceDirect

Gestão de resíduos
journal homepage: www.els evier.com/locate/was man

Uso da cinza de bagaço da Cana-de-açúcar Brasileira no concreto como substituto da areia


Almir Sales *, Sofia Araújo Lima
Department of Civil Engineering, UFSCar, Via Washington Luis, km 235, Monjolinho, 13565-905 São Carlos, SP, Brazil

article info resumo

Article history: Cana-de-açúcar hoje desempenha um papel importante na economia mundial, e o Brasil é o principal produtor de açúcar e
Accepted 16 January 2010 álcool, que são importantes produtos internacionais. O processo de produção gera bagaço como um lixo, que é usado como
Available online xxxx combustível para abastecer as caldeiras que produzem vapor para a geração de eletricidade. O produto final desta queima é a
cinza residual de bagaço de cana-de-açúcar (SBA), que é normalmente utilizada como fertilizante em plantações de cana-de-
açúcar. A cinza se destaca entre os resíduos agroindustriais porque resulta de processos geradores de energia. Muitos tipos de
cinzas não têm reatividade hidráulica ou pozolânica, mas podem ser usados em construção civil como materiais inertes. O
presente estudo utilizou cinzas coletadas de quatro moinhos de açúcar na região de São Carlos, SP, Brasil, que é um dos maiores
produtores mundiais de cana-de-açúcar. As amostras de cinzas foram submetidas a caracterização química, análise de peneiras,
determinação de peso específico, difracção de raios X, microscopia eletrônica de varredura e testes de solubilização e lixiviação.
Foram produzidos argamassas e concretos com SBA como reposição de areia e foram realizados ensaios: resistência à
compressão, resistência à tração e módulo de elasticidade. Os resultados indicaram que as amostras da SBA apresentaram
propriedades físicas semelhantes às da areia natural. Vários metais pesados foram encontrados nas amostras do SBA, indicando
a necessidade de restringir seu uso como fertilizante. As argamassas produzidas com SBA em lugar de areia apresentaram
melhores resultados mecânicos do que as amostras de referência. O SBA pode ser usado como um substituto parcial da areia em
concretos feitos
com cimento Portland modificado com escória de cimento.
.
2010 Elsevier Ltd. All rights reserved.

1. Introdução queimado gera 25 kg de cinza. Esta cinza é utilizada como fertilizante nas
plantações, mas não possui nutrientes minerais adequados para este propósito.
No entanto, a cinza pode ser utilizada em lugar de cimento ou areia em
O Brasil tem tradição na produção de cana desde o século 18. No
construção civil (Cordeiro et al., 2009; Lima et al., 2009).
entanto, foi apenas no século 20 que o país descobriu que o álcool poderia ser
A produção de cana no Brasil cresceu de 120 milhões de toneladas
uma fonte de energia viável. Hoje, o Brasil produz cerca de 60% do álcool
em 1975 a 240 milhões de toneladas em 1985, permanecendo nesse nível de
etílico (etanol) consumido em todo o mundo e é o maior produtor de açúcar
1985 a 1995. Neste ponto, iniciou-se outro ciclo de expansão agrícola,
do mundo. A cana de açúcar representa uma das principais atividades
impulsionado pelas exportações de açúcar. Em 1990, as exportações de açúcar
agrícolas do Brasil, ocupando uma área plantada total de aproximadamente 3
ascenderam a 1200 toneladas, que aumentaram para 19.600 toneladas em 2006
milhões de hectares (MAPA,
(Goldemberg e outros, 2008).
2008; UNICA, 2009).
As discussões internacionais sobre a expansão dos biocombustíveis
A produção de cana vem crescendo desde 2000, com a safra
e a escassez de alimentos não devem prejudicar o crescimento da cana-de-
2008/2009 superior a 572.000.000 de toneladas, de acordo com o
açúcar. No Brasil, apenas 1% das terras aráveis (0,5% do território do país) é
Departamento de Cana-de-Açúcar e Agroenergia do Ministério da
ocupada pela produção de cana-de-açúcar, enquanto quase 49% dessa terra é
Agricultura, Criação de Gado e Abastecimento.
dedicada à pecuária, como mostra a Fig. 1 (Pesquisa Pesquisa FA-PESP ,
A demanda por etanol de cana-de-açúcar deve continuar a crescer na próxima
2009).
década, de acordo com o Ministério de Minas e Energia. A eletricidade gerada
Hoje, as plantações de cana-de-açúcar ocupam uma área plantada de cerca
pela queima de bagaço e folhas pode exceder a capacidade da maior usina
de 3 milhões de hectares distribuídos em grande parte do território do país
hidrelétrica do Brasil, Itaipu (Journal Pesquisa FAPESP, 2009).
(Fig. 2). Mais de 60% das plantações de cana-de-açúcar do Brasil estão
No entanto, a indústria da cana-de-açúcar ainda busca soluções para
localizadas no estado de São Paulo, responsável por 62% da produção de
eliminar os resíduos gerados pelos processos de produção de açúcar e álcool. etanol do país (MAPA, 2008; UNICA, 2009).
A cinza que resta após o bagaço é queimada é o último resíduo gerado pela O Brasil gera cerca de 320 bilhões de litros de vinhaça, 88 milhões de
corrente da cana-de-açúcar. Cada tonelada de bagaço toneladas de bolo de filtro de cana-de-açúcar e 92 milhões de toneladas de
bagaço em processamento de cana-de-açúcar em moinhos de açúcar. Os
* Corresponding author. Tel.: +55 16 33518262; fax: +55 16 33518259. resíduos finais produzidos pela cadeia de produção de cana-de-açúcar são
E-mail addresses: almir@ufscar.br (A. Sales), sofiaalima@yahoo.com.br (S.A. Lima). cinzas.

0956-053X/$ - see front matter 2010 Elsevier Ltd. All rights reserved.
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

2 A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx

prática cuida todos os resíduos dentro da cadeia de produção. Embora seja


tratada como uma iniciativa "ambientalmente correta", esta prática ignora o uso
de agroquímicos nas plantações e a persistência desses produtos no solo quando
a cinza é usada como fertilizante. Antes de ser usado como fertilizante, o SBA
deve ser testado quanto à toxicidade, conforme descrito pela Resolução
CONAMA 313 (CONAMA,2002), com base no padrão NBR 10004, que trata
da Classificação de Resíduos Sólidos.

2. Uso de resíduos como substituto da areia natural

Foram realizadas várias pesquisas sobre a viabilidade de substituição


de agregados de fibras naturais por resíduos de várias orígenes (Marzouk et al.,
Fig. 1. Area used for ethanol production. Source: Journal Pesquisa FAPESP (2009) (adapted). 2007; Ismail e Al-Hashmi, 2008; Limbachiya, 2009; Ferraris et al., 2009; entre
outras).
Os resíduos plásticos não biodegradáveis (80% de polietileno e 20%
de poliestireno) foram utilizados como substituto de agregados finos em
O produto final gerado no processo é coletado por meio de técnicas
conteúdo de 10%, 15% e 20% na produção de concretos (Ismail e Al-Hashmi,
de lavagem e decantação e, juntamente com a cinza das caldeiras (cinzas de
2008). Outro estudo avaliou a substituição de areia para resíduos de vidro (WG)
fundo), constitui o desperdício final do processo industrial, que não pode ser
em concretos. Os resultados indicaram que substituir até 20% de areia para WG
reduzido (Jendiroba, 2006; Souza et al., 2007).
não alterou os valores de resistência compressiva dos concretos (Limbachiya,
Atualmente, a comunidade internacional está preocupada com a
2009).
certificação do processo de produção de açúcar e álcool, a fim de garantir
Outros resíduos também foram estudados como substitutos da areia
melhores práticas agrícolas, ambientais e sociais. Embora gere grandes
natural. A cinza da queima de resíduos sólidos urbanos (MSW) foi utilizada
volumes de resíduos neste processo, a indústria da cana-de-açúcar, liderada
como substituto da areia e do cimento Portland na produção de concretos. Os
pelo Brasil, está se preparando para propor um padrão de certificação global
autores concluíram que, tanto do ponto de vista econômico como técnico, uma
em resposta a pressões da comunidade internacional (Jornal da Ciência,
substituição de 20% foi a mais indicada (Al-Rawas et al., 2005).
2009).
O uso de cinzas de fundo em substituição à areia natural mostrou um
A ação conhecida como Better Sugarcane Initiative (BSI), cujo
bom potencial para uso na produção de materiais à base de cimento Portland
desenvolvimento começou há três anos, envolve grandes produtores e
(Andrade et al., 2007). Um problema no uso de cinzas como aglutinante
consumidores de açúcar e álcool, bem como agências de financiamento e
alternativo, depuração ou adição mineral é a baixa reatividade da maioria dos
organizações não-governamentais. A iniciativa também leva em conta as
tipos de cinzas. O processo (industrial ou agroindustrial) que gera cinzas
diretrizes da União Européia para a promoção das energias renováveis
raramente tem controle operacional sobre a temperatura de combustão dos
adotadas em dezembro de 2008, que exigem uma Redução de 35% das
resíduos eo tipo de resfriamento das cinzas. Esses procedimentos tendem a
emissões de gases com efeito de estufa, a aumentar para 50% até 2017.
produzir cinzas sem condutividade hidráulica (Souza et al., 2007).
A prática de descartar cinzas como fertilizante misturado com bolo
de filtro de cana-de-açúcar e / ou vinhaça é comum nas plantações de cana-de-
açúcar do estado de São Paulo. Os produtores afirmam que isso leva

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

Fig. 2. Map of sugarcane distribution on Brazil. Fonte: UNICA, 2008.

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx 3


A temperatura da chaminé de queima de bagaço de cana-de-açúcar com 50% de chaminé. Os dois tipos de cinzas se juntam em uma tubulação simples e são
umidade pode variar de 850 C para removidos e levados por caminhão para campos de cana-de-açúcar. A Fig. 3
920 C, e pode chegar até 1000 C quando a umidade for inferior a 35%. mostra a coleta de SBA nos moinhos de açucar. Uma grande quantidade de
A cinza do bagaço de cana-de-açúcar (SBA) foi estudado como um areia foi encontrada para ser misturada com as cinzas. Esta areia vem dos
aditivo mineral em materiais cimentícios (Hernández et al., 1998; Coimbra e campos e não é completamente removida quando a cana-de-açúcar é lavada,
Morelli, 1999; Souza et al., 2007; Cordeiro et al., 2008, entre outros), fato também observado por Cordeiro et al. (2008).
principalmente devido à alta produção de etanol e açúcar nos últimos anos e ao
conseqüente aumento na geração de cinzas. Não obstante resultados
satisfatórios, algumas pesquisas apontam que altas temperaturas de queimadura 3.1. Caracterização da SBA
e combustão incompleta em caldeiras reduzem a reatividade das cinzas devido
ao alto teor de carbono e à presença de sílica cristalina (Hernández et al., 1998;
Souza et al., 2007 Cordeiro et al., 2009). Mesmo em um estado de baixa As amostras de SBA foram analisadas para determinar sua
reatividade, a SBA provou ser um subproduto viável para aplicação em composição química, análise de peneiração (NM 248, 2003), densidade
materiais de construção, com suas características intrínsecas, como o alto teor aparente (NM 45,2004), gravidade específica (NM 23, 2000) e difração de raios
de sílica em forma de quartzo, um dos principais elementos presentes em X. Os contaminantes foram analisados por meio de testes de lixiviação e
produtos naturais areia (Cordeiro et al., 2008). Esta alternativa para reciclagem solubilização (NBR 10004, 2004; NBR 10005, 2004; NBR 10006, 2004) e a
da SBA é o objetivo deste trabalho, que avaliou a reutilização dos resíduos morfologia das partículas foi examinada por microscopia eletrônica de
como um substituto de agregados finos em argamassa. varredura (SEM). Todas as amostras utilizadas na fase de caracterização foram
Este artigo discute a adequação do destino dos resíduos de cana-de- secas no forno a 100 ° C por 12 h e trituradas durante 3 minutos em um moinho
açúcar, as certi fi cações ambientais atuais e as possíveis utilizações de cinzas mecânico (argamassa / pilão) antes das análises.
de bagaço de cana-de-açúcar (SBA) em argamassas e concretos como material A espectrometria de fluorescência de raios X (Philips PW 2400
de substituição de areia. espectrometro) foi utilizada na análise química das amostras. As composições
granulométricas dos agregados naturais foram determinadas de acordo com o
padrão NM 248. As amostras de cinzas foram peneiradas durante 10 minutos
através de uma peneira automática, constituída por uma série de peneiras com
aberturas de malha quadrada de 6,3 mm; 4,8 mm; 2,4 mm;
3. Programa experimental 1,2 mm; 0,6 mm; 0,3 mm e 0,15 mm. As porções retidas nas peneiras foram
pesadas, e seu módulo de finura, tamanho máximo e porcentagens acumuladas
Esta pesquisa coletou amostras de cinzas de bagaço de cana-de- acumuladas de cada amostra foram calculados.
açúcar (SBA) em quatro usinas de açúcar no estado de São Paulo, Brasil. Foi O teste de densidade aparente do SBA foi realizado de acordo com o
feita uma análise das características físicas e químicas das cinzas e sua padrão NM 45. A única modificação aqui apresentada foi o recipiente, que nesta
aplicação preliminar em argamassas como substituto da areia. A SBA foi pesquisa foi alterado para 3 litros, diferindo dos requisitos do padrão. Essa
coletada em cidades próximas ao município de São Carlos, no raio de 150 km. alteração foi necessária devido às características da SBA, que não é um
Esta região forma o perímetro de Ribeirão Preto - Piracicaba - Barra Bonita, agregado, mas um material de força. O teste de gravidade específico do SBA foi
que abrange a maior parte da produção de cana no estado de São Paulo. A SBA realizado de acordo com as recomendações do padrão NM 23, utilizando o
foi coletada de moinhos de açúcar pertencentes ao grupo COSAN. O COSAN é carbonato como líquido e 50 g de material fresco seco ao ar.
o maior grupo individual do mundo na produção de produtos derivados da Quatro amostras de SBA bruto foram analisadas por difração de
cana-de-açúcar e detém uma participação de 10,48% no mercado brasileiro. As raios X (XRD), utilizando um difractômetro RIGAKU ROTAFLEX RU200B
amostras da SBA foram coletadas nas seguintes unidades COSAN: Usina que opera com os seguintes parâmetros: Radiação - Cu Ka; Voltagem -
Diamante na cidade de Jaú (SBA-J); Usina Támoio na cidade de Araraquara 50 Kv; corrente - 100 mA; passo de varredura de 0,02 2h; tempo de varredura -
(SBA-A); Usina da Serra na cidade de Ibaté (SBA-I); e Usina da Barra na 2 /min; intervalo de varredura - 3-100 (2h).
cidade de Barra Bonita (SBA-B).
A SBA foi coletada diretamente das caldeiras dos moinhos de açúcar
Diamante, Da Serra e Tamoio quando suas caldeiras estavam sendo limpas. O 3.2. Análises de morteiros
SBA foi removido das caldeiras em altas temperaturas e foi deixado esfriar
gradualmente ao ar livre. Na usina da barra, o método para descartar cinzas O conteúdo ótimo de SBA para manter as propriedades mecânicas da
difere daqueles dos outros engenhos de açucar. A cinza inferior é coletada matriz de cimento foi determinado. Foram preparadas seis misturas (3 amostras
automaticamente por uma correia transportadora e misturada com a cinza cada) e analisadas com idades de 7, 14 e 28 dias. A Tabela 1 lista os dados de
volante da lavagem da moldagem dessas amostras.
As argamassas foram produzidas em um misturador industrial e foram
moldadas em espécimes de teste cilíndricos (Ø 5 cm 10 cm de altura).

Fig. 3. (a) SBA collected from the boilers (left) and dried in the open air (right) at Usina Diamante; (b) and (c) SBA collected by a conveyor belt, at Usina da Barra.

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

4 A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx


Table 1
Data – compressive strength test – mortars.

Groups Blend %SBA (mass) W/C ratio

Reference BA 0 0.55 e absorção de água (NM 30, 2001) de 0,88%. A areia encontrou os
Usina Tamoio - Araraquara SBA10-A 10 0.55 requisitos do padrão brasileiro para agregados (NBR 7211, 2005) e pode ser
SBA15-A 15 classificada como areia fina (zona 2). As amostras do SBA foram trituradas por
SBA20-A 20 3 min em um moinho mecânico (argamassa / pilão) antes das análises.
SBA30-A 30 A relação w / c foi determinada com base em uma revisão da
SBA50-A 50 literatura (Al-Rawas et al., 2005; Marzouk et al., 2007; Ismail e Al-Hashmi,
SBA100-A 100 2008) sobre estudos de substituição de agregados finos para resíduos em
Usina Diamante -Jaú SBA10-J 10 0.55 matrizes de cimento, em que foi utilizada uma relação w / c constante em todas
SBA15-J 15 as misturas. Os espécimes de teste foram autorizados a envelhecer por 24 h nos
SBA20-J 20 moldes, após o que foram desmoldados e expostos a uma temperatura constante
SBA30-J 30 (24 ± 2 C) e um ambiente constante de umidade relativa (95 ± 5%) dentro de
SBA50-J 50 uma câmara úmida até a idade da prova.
SBA100-J 100

3.3. Mistura, dosagem e análise de concretos

Table 2 Para a composição dos concretos foram utilizados os seguintes


Chemical and physical properties of cements. Source: Ciminas S.A. materiais: cimento, areia, agregado grosseiro de origem basáltica, cinzas de
Elements (%) CP V ARI RS CP II E 32 CP III 40 RS bagaço de cana-de-açúcar e água. Utilizaram-se três tipos de cimento e
determinou-se a força do projeto para cada um: CP V ARI RS (resistente a
SiO2 19.65 21.41 26.06
sulfato de cimento Portland Portland), CP III 40 RS (cimento de escória de alto
Al2O3 4.99 5.88 8.46
forno) e CP II E 32 (slag-mod - eu escrevi o cimento Portland). A composição
Fe2O3 3.17 3.68 1.94
CaO 64.03 58.44 53.81
fisicoquímica dos cimentos utilizados em concretos é dada na Tabela 2. Os
MgO 2.01 2.04 3.20
diferentes tipos de concreto foram produzidos com a substituição da areia
K2O 0.69 0.73 0.50 natural nas seguintes porcentagens: 0%, 30% e 50%. As proporções de mistura
LOI 1000 C 2.30 5.92 2.37 e os resultados dos testes de queda estão indicados na Tabela 3. A concepção de
Carbon dioxide - CO2 1.24 4.95 1.25 concreto feita com SBA foi baseada no método ABCP (ABCP - Associação
Insoluble residue 0.50 1.72 0.38 Brasileira de Cimento de Portland), que foi adaptado do método ACI (ACI -
Sulphur trioxide - SO3 2.33 1.26 2.42 American Concrete Institute) . Este método é indicado para concretos plásticos
Properties ou líquidos. O consumo de cimento foi mantido constante a 425 kg / m3 e o
Initial set (min) 167 184 191 conteúdo de argamassa também foi mantido constante em 51.30%. Assim, uma
comparação entre os tipos de concretos e a sua performance mecânica foi
Fineness
possível.
Retained # 200 (%) 0.30 1.60 0.60
Para a análise das propriedades de concreto no estado endurecido,
Blaine (cm2/g) 4600 4000 4550
foram utilizados espécimes cilíndricos com um diâmetro de 100 mm e altura de
Compressive strength (Mpa) 200 mm. As amostras foram expostas a um ambiente de temperatura constante
3 days 36.60 23.00 30.00 (24 ± 2 C) e umidade constante (95 ± 5%) dentro de uma câmara úmida até a
7 days 43.80 31.00 38.00
idade da prova. Nos testes de propriedades mecânicas, a resistência à
28 days 52.00 40.00 48.00
compressão (NBR 5739,1994) e o módulo de elasticidade (NBR 8522, 1984)
foram obtidos para todas as amostras de concreto produzidas, com idades entre
3, 7 e 28 dias para a resistência à compressão e 28 dias para o módulo de
elasticidade (Eci a 0,3 fc). A resistência à tração (NBR 7222, 1994) foi obtida
Os materiais utilizados foram o cimento Portland CP V ARI RS em 28 dias com quatro amostras por idade. A análise da absorção de água
(resistentes ao sulfato de cimento Portland de alta resistência inicial), areia de A concentração por imersão, índice de vazios e densidade aparente de concretos
quartzo, amostras SBA-A e SBA-J e água, utilizando uma base constante de 1: (NBR 9778, 1987) foi feita com três amostras com idade de 28 dias. A Fig. 4
3. O cimento Portland CPV foi escolhido porque é desprovido de aditivos mostra o desenvolvimento de concretos SBA em laboratório.
(pozzolans, calcário e escória), permitindo resultados mais precisos sobre a
viabilidade da aplicação de SBA em matrizes de cimento. A Tabela 2 lista a
composição físico-química dos cimentos utilizados em argamassas e concretos.
A caracterização dos agregados finos mostrou os seguintes
resultados: peso específica (NM 52, 2004) de 2450 kg / m3; densidade (NM 45,
2004) de 2040 kg / m3;

Table 3
Mix details of sugarcane bagasse ash concrete.

Type of cement Design strength Concrete Mix proportion for 1m3 of concrete (kg) Slump Content of
(fc28) (mm) mortar (%)
Cement Sand Gravel SBA Water

CP V ARI RS (high early strength Portland cement sulfate 51.60 CV-R 425.00 777.75 1143.25 – 221.00 65.00 51.30
resisting) CV-30 544.43 1143.25 233.33 225.25 65.00
CV-50 388.88 1143.25 388.88 229.50 75.00

CP III 40 RS (blast furnace slag cement) 38.60 CIII-R 425.00 901.00 1215.50 – 225.25 70.00 51.30
CIII-30 630.70 1215.50 270.30 229.50 65.00
CIII-50 450.50 1215.50 450.50 235.88 60.00

CP II E 32 (slag-modified Portland cement) 31.60 CII-R 425.00 854.25 1215.50 – 221.00 70.00 51.30
CII-30 597.98 1215.50 256.28 225.25 80.00
CII-50 427.13 1215.50 427.13 229.50 75.00

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx 5

Fig. 4. SBA concretes development in laboratory; (a) slump test; (b) molding of the samples; (c) compressive strength test on a servohydraulic machine.

Table 4
Chemical analysis of SBA samples. Table 5
Physical analysis of SBA samples and sand.
SBA-J (%) SBA-I (%) SBA-B (%) SBA-A
Properties SBA-J SBA-I SBA-B SBA-A Natural sand
(%) SiO2 88.2 96.2 62.7 93.5
Fe2O3 5.1 1.7 8.8 2.6 Fineness modulus 1.23 1.46 0.52 1.46 2.11
Al2O3 2.3 0.2 4.5 1.2 Maximum diameter (mm) 0.60 0.60 0.60 1.20 2.40
K2O 1.3 0.3 1.8 0.8 Bulk density (g/cm3) 1.39 1.30 0.98 1.43 2.04
Na2O 0.1 – 0.1 <0.1 Specific gravity (g/cm 3) 2.65 2.58 2.23 2.63 2.65
TiO2 1.0 0.2 3.1 0.5
CaO 0.6 0.1 0.9 0.4
P2O 5 0.4 0.1 0.7 0.2
MgO 0.4 <0.1 0.6 0.3 Outra fonte de sílica em cinzas é a areia (quartzo) do campo, que não é
SO3 <0.1 0.1 0.2 <0.1 completamente removida quando a cana é lavada antes do processamento. Esta
LOI 0.35 1.04 16.28 0.34 areia permanece no bagaço e pode ser observada quando as salas de caldeira
onde ocorre a combustão estão sendo limpas (Cordeiro et al., 2008). A amostra
SBA-B diferiu das demais em termos de conteúdo de sílica e perda de ignição
(LOI). Esta característica pode ser devido ao sistema de coleta de cinzas, que
4. Resultados e discussão mistura as cinzas de fundo das caldeiras com a cinza das chaminés, que é muito
escura. A cor escura da cinza indica um alto teor de carbono, que é
Todas as amostras apresentaram altos teores de sílica (SiO2) que excediam característico da combustão incompleta do bagaço (Cordeiro et al., 2008).
75% (Tabela 4). A sílica é absorvida pelo solo através das raízes da cana-de-
açúcar. A sílica acumulada entre a cutícula da planta e as paredes celulares atua
como uma barreira física contra a penetração de fungos patogênicos e reduz a
perda de água através da transpiração (Barboza Filho and Prabhu, 2002).

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

Fig. 5. Diffractograms of SBA samples (Q = quartz).

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

6 A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx

Fig. 6. Micrographs SEM of SBA particles (1000 ).

De acordo com os resultados das análises de peneiras, o SBA pode achado reforça a hipótese de usar SBA como um substituto para o agregado
ser classificado como areia fina com um módulo de finalização de 0,6-1,2 final - um material inerte e não o cimento Portland, que tem propriedades
(Tabela 5). Esses valores são compatíveis com os da areia utilizada na cidade de vinculativas. A análise SEM forneceu micrografias de partículas SBA (Fig. 6).
São Carlos. Os valores de gravidade específica das amostras de SBA foram As amostras da SBA foram compostas por grãos
muito semelhantes aos dos agregados finos. Esta informação pode ser com formas e tamanhos variados de até 150 lm. As partículas de cinza têm
importante para definir os traços em argamassa e concreto. A cinza de resíduos um aspecto lamelar de camadas sobrepostas com partículas pequenas aderindo à
sólidos urbanos queimados (MSW) apresentou uma gravidade específica de superfície. Os fragmentos de bagaço não queimado foram visíveis nas imagens,
2730 kg / m3, que é muito próxima da das amostras SBA-J e SBA-A (Al- especialmente na amostra SBA-B, que também é a amostra que continha o
Rawas et al., 2005). conteúdo LOI mais alto, 6% acima (Tabela 4). Essa cinza se comporta como
A cristalinidade das amostras foi determinada por difractometria de uma cinza, por seu alto conteúdo LOI. A norma ASTM C 618 (ASTM, 2003)
raios X, o que revelou a ausência de um halo amorfo nos difractogramas (Fig. limita o teor de LOI em 6% para cinzas e o padrão brasileiro (NBR 12653,
5). Quartz apareceu como o principal elemento da SBA, como também foi 1992) também o limita em 6%.
observado por Cordeiro et al. (2008). Este

Table 6
Chemical elements found in the solubilized extract of CBC and standard limits of Brazilian NBR10004.

Compound Unit (mg) SBA-B SBA-A SBA-J SBA-I Limit on the extract (mg/L) Detection limit (DL)

Aluminium Al/L <DL 0.56 0.25 0.12 0.200 0.010


Cadmium Cd/L 0.032 <DL 0.028 0.008 0.005 0.0006
Plumb Pb/L 0.22 0.02 0.26 0.05 0.010 0.010
Total phenol C6H5OH 0.02 <DL <DL <DL 0.010 0.001

*Underlined values: up the accepted limit; SBA-B: ash collected at Usina da Barra; SBA-A: ash collected at Usina Tamoio; SBA-J: ash collected at Usina Diamante; SBA-I: ash collected at Usina da
Serra.

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx 7


A Tabela 6 mostra os testes de solubilização e lixiviação (NBR 10004, fisicamente as partículas de cinzas pode explicar o fato de que as argamassas
NBR 10005 e NBR 10006) realizados em amostras de SBA indicaram a contendo SBA atingiram valores até 25% maiores do que os valores de
presença de metais pesados que excedem o limite máximo permitido (Lima et referência (Cordeiro et al., 2008).
al., 2009).
Os resultados do extrato de lixiviação caíram dentro do limite permitido 50
para o grupo de compostos orgânicos, de acordo com o Apêndice F da norma
NBR 10004. O teste de solubilização revelou elementos químicos superiores ao

Compressive strength (Mpa)


nível permitido pelo padrão NBR 10006. Portanto, todas as amostras da SBA 40
aqui analisadas foram classificadas como "Resíduos não perigosos - Classe II A
- Não inerte", de acordo com a norma NBR 10004. Os resíduos com esta
classificação podem ter propriedades de biodegradabilidade, combustibilidade 30
ou solubilidade em água.
De acordo com os resultados da caracterização, foram selecionadas duas
das quatro amostras iniciais de SBA: SBA-A (coletada em Araraquara) e SBA-J 20
(coletada em Jaú). Essas amostras foram escolhidas para os seguintes aspectos:
1) ter propriedades físicas (gravidade específica) mais próximas da areia natural CV-R CV-30 CV-50
(Tabelas 5 e 2) têm maior teor de SiO2 (Tabela 4). 10
A Fig. 7 apresenta os valores de resistência à compressão dos espécimes de 0 7 14 21 28
teste de argamassa. Quase todas as amostras preparadas com SBA apresentaram 50
valores maiores do que a amostra de referência (BA), exceto para SBA100-A
amostra. As amostras SBA20-A e SBA30-J mostraram os maiores valores aos CIII-R CIII-30 CIII-50
28 dias, com 56,15 MPa e 58,70 MPa, respectivamente. O efeito de embalar

Compressive strength (Mpa)


40
64
BA SBA10A SBA15A SBA20A
Compressive strength (MPa)

SBA30A SBA50A SBA100A 30


56

20
48

40 10
0 7 14 21 28
Araraquara mortars
32 50
0 7 14 21 28
64
CII-R CII-30 CII-50
Compressive strength (Mpa)

40
Jaúmortars
Compressive strength (Mpa)

56

30
48

20
40
BA SBA10J SBA15J SBA20J
SBA30J SBA50J SBA100J 10
32
0 7 14 21 28 0 7 14 21 28
Age (days) Age (days)

Fig. 7. Compressive strength of mortars. Fig. 8. Compressive strength of concretes at 7, 14 and 28 days.

Table 7
Results of the sugarcane bagasse ash concrete tests.

Concrete Fresh density Air content – Compressive strength at Elastic Tensile Voids index – Water Specific density –
(kg/ m3) fresh state (%) 28 days (MPa) modulus strength hardened state (%) absorption hardened state (kg/m3)
(GPa) (MPa) (%)

CV-R 2348.47 3.06 44.77 42.27 3.05 12.10 5.09 2378.48


CV-30 2338.88 3.22 42.67 41.20 3.02 12.06 5.06 2382.50
CV-50 2374.06 1.54 43.05 46.50 2.99 12.55 5.29 2374.47
CIII-R 2310.06 5.04 25.61 34.90 2.52 15.93 6.85 2327.07
CIII-30 2311.60 4.76 23.47 35.90 2.65 12.51 5.33 2349.29
CIII-50 2303.65 4.88 22.47 36.40 2.96 13.87 5.96 2328.95
CII-R 2311.68 5.17 23.78 38.00 2.89 12.16 5.14 2365.55
CII-30 2321.25 4.56 27.98 39.80 2.97 11.92 5.01 2379.85
CII-50 2332.47 3.74 28.72 39.50 3.36 13.16 5.58 2356.43

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

*Underlined values: best result of each series.

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

8 A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx


O padrão brasileiro para o projeto de concreto estrutural (NBR 6118,2004)
A trabalhabilidade permaneceu muito semelhante em todas as apresenta a fórmula para calcular o módulo de elasticidade:
amostras, exceto em argamassas contendo 100% de substituição de areia por pffi ffi ffiffi ffiffi
cinzas (SBA100-A e SBA100-J). Isso pode ser devido aos tamanhos de Eci ¼ 5600 f c k ,
partículas menores de SBA (Tabela 5), que requer mais água de mistura para onde Eci = módulo de elasticidade (MPa) e fck = força de concreto comum
manter a mesma capacidade de trabalho. (MPa). Todos os valores de módulo elástico obtidos em laboratório foram
Para as análises concretas, a amostra SBA-J foi selecionada na superiores aos valores estabelecidos pela NBR 6118 (Fig. 9). Os concretos CV-
análise de argamassas com os melhores resultados em testes de resistência 50, CIII-50 e CII-30 apresentaram os melhores resultados individuais em cada
compresiva, especialmente os níveis de substituição de areia de 30% e série.
50%. A Tabela 7 mostra o resumo de testes de concreto. Os resultados do teste de resistência à tração são dados na Fig. 10. A força
Os valores de gravidade específica variam de 2303,65 kg / m3 para de tensão depende do nível de resistência à compressão e da maior resistência à
CIII-50 concreto e 2374,06 kg / m3 para concreto CV-50. O menor conteúdo de compressão, menor a relação entre essas duas propriedades (Mehta e Monteiro,
ar também foi encontrado na amostra de concreto CV-50. O melhor conteúdo 2006). Assim, a relação entre compressão e resistência à tração é de 10-11%
de ar para concretos para ambiente agressivo feito com agregado grosseiro de para betão de baixa resistência, 8-9% para betão de força média e 7% para
19 mm é de 6% (ACI, 1977). Assim, nenhum dos concretos foi superior a 6% concreto de alta resistência.
de conteúdo de ar. Os melhores resultados foram obtidos para a série CV, com Os concretos de CV tiveram os valores C / T de menor proporção e a série
os menores valores de conteúdo de ar e os maiores valores de densidade fresca. CII apresentou valores mais altos para essa relação, em concordância com
Os resultados da resistência à compressão dos concretos são Mehta e Monteiro (2006). Os concretos CIII comportaram-se como concretos
apresentados na Fig. 8. Na série CV e CIII, os valores de referência (CV-R e CII (betão de baixa resistência), mesmo sua força de projeto foi maior do que
CIII-R) foram superiores aos valores de resistência à compressão de concretos ele - 40 MPa (concreto de força média). A densidade específica em concreto
feitos com SBA, após 28 dias. A diferença entre CV-R e CV-50 foi de 3,8% e endurecido era de cerca de 2400 kg / m3 em média, o que é o valor usual para
para a série CIII, a diferença foi em 12,22% entre CIII-R e CIII-50. Na série os concretos comuns.
CII, o concreto fabricado com SBA obteve valores de resistência à compressão
superiores à referência (CII-R). As amostras de CII-50 obtiveram valores
17,20% maiores que CII-R. Os concretos CIII, feitos com o CP III 40, 5. Conclusões
obtiveram os piores resultados, menos de 30 MPa, que são apenas 75% da força
de projeto inicial. Com base nos resultados da caracterização físico-química das amostras de
cinzas de bagaço de cana-de-açúcar (SBA) e argamassas e contras feitas com
SBA como substituição de areia, pode-se concluir que:

Todas as amostras de cinzas apresentaram conteúdo de sílica superior a 75%


Values of Brazilian NBR 6118 (GPa) Elastic modulus test (GPa) (SiO2). A composição da amostra SBA-B apresentou um alto teor de perda de
50 ignição (superior a 6%) e fragmentos de bagaço de cana de açúcar não
queimado, o que restringe seu uso em matrizes cementistas devido ao alto teor
Elastic modulus (GPa)

de carbono.
40 As amostras SBA-J e SBA-A apresentaram propriedades físicas (gravidade
específica, densidade aparente e tamanho de partícula) semelhantes às da areia
natural. A SBA pode ser classificada como areia fina, de acordo com os
30 resultados das análises da peneira, com um módulo de finalização de
0,6-1,2.
Todas as amostras de SBA apresentaram uma estrutura cristalina, como
20 indicado por difractometria de raios X. Esta informação reforça a hipótese de
CV-R CV-30 CV-50 CIII-R CIII-30 CIII-50 CII-R CII-30 CII-50 que a SBA pode substituir o agregado fino, um material inerte, mas não o
SBA concretes cimento Portland, que tem propriedades vinculativas.
Fig. 9. Elastic modulus obtained in laboratory and the established values by
Brazilian NBR 6118.

3
Tensile strength (MPa)

0
CV-R CV-30 CV-50 CIII-R CIII-30 CIII-50 CII-R CII-30 CII-50
Tensile strength (MPa) 3.05 3.02 2.99 2.52 2.65 2.96 2.89 2.97 3.36
Ratio T/C (%) 6.81 7.08 6.95 9.83 11.27 11.29 11.29 12.64 14.93
Ratio T/C =Ratio between tensile and compressive strength

Fig. 10. Tensile strength and ratio between tensile and compressive strength.

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
ARTICLE
ARTICLEININPRESS
PRESS

A. Sales, S.A. Lima / Waste Management xxx (2010) xxx–xxx 9


Todas as amostras de SBA analisadas aqui foram classificadas como "Resíduos Jornal da Ciência (Science magazine). Cana agora terá certificação global (Sugarcane now have
não perigosos - Classe II A - Não inerte". Os resíduos com esta classificação global certification). Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Available at:
podem ter propriedades de biodegradabilidade, combustibilidade ou <http://www.jornaldaciencia.org.br/> (in portuguese).
solubilidade em água. Com base nesse achado, sugere-se que a SBA não seja Journal Pesquisa Fapesp. 2009. Ponto de ebulição - Ação articulada entre governo, setores de
produção e de pesquisa projeta Piracicaba no mercado mundial do etanol (Boiling point
utilizada como ajuda na fertilização de plantações de cana-de-açúcar, que é a - articulated action between government, sectors of production and research, projects
prática atual. Piracicaba city on global market of ethanol). Press edition 140 (in portuguese).
Nas análises das argamassas, as amostras produzidas com 20% e 30% de Lima, S.A., Sales, A., Santos, T.J., 2009. Caracterização físico-química da cinza do bagaço
SBA em lugar de areia apresentaram maiores valores de resistência à da cana-de-açúcar visando o seu uso em argamassas e concretos como substituto do
compressão do que as amostras de referência. agregado miúdo (Physicochemical characterization of the sugarcane bagasse ash
Os concretos da série CII (cimento CP II E) mostraram os melhores for using in mortars and concretes as a natural aggregate replacement). 51 .
Congresso Brasileiro do Concreto (Brazilian Congress Concrete). Proceedings.., São
resultados em testes.
Paulo: IBRACON
Os concretos da série CIII (cimento CP III 40) apresentaram, em média, os Limbachiya, M.C., 2009. Bulk engineering and durability properties of washed glass sand
menores resultados individuais e séries gerais. Assim, não é recomendável usar concrete. Construction and Building Materials 23 (2), 1078–1083.
este tipo de cimento para o desenvolvimento de concretos com o SBA. MAPA (Ministry of Agriculture, Cattle Raising and Supply), 2008. Evolução da
Em uma visão geral, as amostras CII-30 e CII-50 apresentam os melhores Produtividade da cana-de-açúcar no Brasil (Evolution of the sugarcane productivity
resultados em testes. O Cimento CP II E (cimento Portland modificado com in Brazil). Available at: <http://www.agricultura.gov.br> (in portuguese).
Marzouk, O.Y., Dheilly, R.M., Queneudec, M., 2007. Valorization of post-consumer waste
escória) é o mais usado e o mais barato do Brasil. Recomenda-se a fabricação
plastic in cementitious concrete composites. Waste Management 27,
de artefatos e estruturas comuns com o SBA em substituição de agregados 310–318.
finos. Mehta, P.K., Monteiro, P.J.M., 2006. Concrete – Structure, Properties and Materials, third ed.
O SBA pode ser usado como um substituto parcial de areia em concretos McGraw-Hill, p. 674
feitos com cimento Portland modificado com escória de cimento para NBR 5739, 1994. Concreto – Ensaio de compressão de corpos-de-prova cilíndricos - Método de
ensaio (Concrete – standard test method for compressive strength of cylindrical concrete
resistência ao projeto até 30 MPa. specimens), Rio de Janeiro (in Portuguese).
NBR 6118, 2004 - Projeto de estruturas de concreto – Procedimento (Design of structural
concrete). Rio de Janeiro, (in portuguese)
NBR 7211, 2005. Agregados para concretos (Aggregates for concretes). Rio de
Acknowledgments
Janeiro, (in portuguese)
NBR 7222, 1994. Argamassas e concreto - Determinação da resistência à tração por compressão
The authors acknowledge COSAN for supplying the sugarcane bagasse diametral de corpos de prova cilíndricos (Mortar and concrete - Determination of the
tensile strength of cylindrical specimens submitted to diametrical compression), Rio de
ash; FAPESP for its financial support; the Laboratory of Ci- vil Construction
Janeiro (in Portuguese).
(LCC) of the Engineering School of São Carlos (EESC/USP); and the NBR 8522, 1984. Concreto – Determinação do módulo de deformação estática e diagrama
MCT/CNPq. – Tensão de deformação – Método de ensaio (Concrete – standard test method for static
modulus of elasticity of concrete in compression), Rio de Janeiro (in Portuguese).
NBR 9778 1987. Argamassa e concreto endurecido – Determinação da absorção de água por
References imersão - Índice de vazios e massa específica (Hardened cement mortar and concrete -
Determination of water absorption by immersion - Borehole index and bulk density. Rio
Al-Rawas, A.A., Hago, A.W., Taha, R., Al-Kharousi, K., 2005. Use of incinerator ash as a de Janeiro (in Portuguese).
replacement for cement and sand in cement mortars. Building and Environment NBR 10004 2004. Resíduos sólidos – Classificação (Solid wastes – Classification), Rio de Janeiro
40, 1261–1266. (in portuguese).
American Concrete Institute. ACI 211.1 – Recommended practice for selecting proportions NBR 10005, 2004. Procedimento para obtenção de extrato lixiviado de resíduos sólidos
for normal and heavy weight concrete, USA. 23p. (Procedure for obtention leaching extract of solid wastes). Rio de Janeiro, (in
American Society for Testing and Materials, 2003. ASTM C618-03: Standard portuguese)
specification for coal fly ash and raw or calcined natural pozzolan for use as a mineral NBR 10006, 2004. Procedimento para obtenção de extrato solubilizado de resíduos sólidos
admixture in concrete. West Conshohocken: ASTM, p. 3 (Procedure for obtention of solubilized extraction of solid wastes). Rio de Janeiro, (in
Andrade, L.B., Rocha, J.C., Cheriaf, M., 2007. Evaluation of concrete incorporating bottom portuguese)
ash as natural aggregates replacement. Waste Management (Elmsford) NBR 12653, 1992. Materiais Pozolânicos – Especificação (Pozzolans – Specification).
27 (9), 1190–1199. Rio de Janeiro, (in portuguese)
Barboza Filho, M.P., Prabhu, A.S., 2002. Aplicação de silicato de cálcio na cultura do arroz NM 23, 2000. Cimento Portland e outros materiais em pó - Determinação da densidade
(Application of calcium silicate in rice culture) – Circular Técnica 51, Santo Antônio de absoluta (Portland cement and other powder materials - Standard test method for Density).
Goiás: EMBRAPA (in portuguese), p. 4. São Paulo (in portuguese).
CONAMA Resolution 313, 2002. Dispõe sobre o Inventário Nacional de Resíduos Sólidos NM 30, 2001. Agregado miúdo - Determinação da absorção de água (Fine aggregate
Industriais (Provides for the National Inventory of Industrial Wastes). Diário Oficial da - Test method for water absorption). São Paulo (in portuguese).
União. Available at <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/ res02/res31302.html>. NM 45, 2004. Agregados - Determinação da massa unitária e do volume de vazios (Aggregates –
Coimbra, M.A., Morelli, M.R., 1999. Desenvolvimento de argamassas microporosas para a Bulk density and volume of voids - Method). São Paulo (in portuguese and spanish).
construção civil (Development of microporous mortar for civil construction). NM 52, 2004. Agregado miúdo - Determinação de massa específica e massa
Revista Cerâmica 45 (296), 203–206 (in portuguese). específica aparente (Fine aggregates – Specific gravity and bulk density - Method).
Cordeiro, G.C., Toledo Filho, R.D., Tavares, L.M., Fairbairn, E.M.R., 2008. Pozzolanic São Paulo (in portuguese and spanish).
activity and filler effect of sugar cane bagasse ash in Portland cement and lime mortars. NM 248 ,2003. Agregados - Determinação da composição granulométrica
Cement and Concrete Composites 30, 410–418. (Aggregates - Sieve analysis of fine and coarse aggregates – Method). São
Cordeiro, G.C., Toledo Filho, R.D., Tavares, L.M., Fairbairn, E.M.R., 2009. Ultrafine Paulo (in portuguese and spanish).
grinding of sugar cane bagasse ash for application as pozzolanic admixture in concrete. Souza, G.N., Formagini, S., Custódio, F.O., Silveira, M.M., 2007. Desenvolvimento de
Cement and Concrete Research 39, 110–115. argamassas com substituição parcial do cimento Portland por cinzas residuais do bagaço
Ferraris, M., Salvo, M., Ventrella, A., Buzzi, L., Veglia, M., 2009. Use of vitrified MSWI de cana-de-açúcar (Development of mortar with Portland cement replacement by residual
bottom ashes for concrete production. Waste Management 29 (3), 1041–1047. Goldemberg, J., sugarcane bagasse ashes). 49o Congresso Brasileiro do Concreto (Brazilian Congress
Coelho, S.T., Guardabassi, P., 2008. The sustainability of ethanol Concrete). Proceedings..., São Paulo: IBRACON (in portugues.
production from sugarcane. Energy Policy 36, 2086–2097. UNICA - União das Indústrias de Cana-de-açúcar (Sugarcane Industry Association),
Hernández, J.F.M., Middendorf, B., Gehrke, M., Budelmann, H., 1998. Use of wastes of the sugar 2009. Setor Sucroenergético - Mapa da Produção (The sugar-energy sector – Map of
industry as pozzolana in lime-pozzolana binders: study of the reactions. Cement and production). Available at: <http://www.unica.com.br/content/ show.asp> (in
Concrete Research 28, 1525–1536. portuguese).
Ismail, Z.Z., Al-Hashmi, E.A., 2008. Use of waste plastic in concrete mixture as
aggregate replacement. Waste Management 28 (11), 2041–2047.
Jendiroba, E., 2006. Aproveitamento de resíduos da indústria sucroalcooleira (Use of sugarcane
industry wastes). In: Spadotto, C., Ribeiro, e.W. (Ed.), Gestão de resíduos na agricultura
e na agroindústria. Botucatu: FEPAF (in portuguese)

Please
Please
citecite
thisthis
article
article
in press
in press
as: Sales,
as: Sales,
A., A.,
Lima,
Lima,
S.A.S.A.
UseUse
of Brazilian
of Brazilian
sugarcane
sugarcane
bagasse
bagasse
ash ash
in concrete
in concrete
as sand
as sand
replacement.
replacement.
Waste
Waste
Management
Management
(2010),
(2010),
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026
doi:10.1016/j.wasman.2010.01.026