Você está na página 1de 6

MECÂNICA DOS FLUIDOS I

Engenharia Mecânica e Naval


2º Teste, 6/1/2006
Duração: 2h30m
Se não conseguir resolver alguma das questões passe a outras que lhe pareçam mais fáceis arbitrando, se
necessário, os valores que deveria ter obtido. Faça as hipóteses adicionais que considerar necessárias para a
resolução dos problemas. Justifique as respostas.

Problema 3  Um kit de colheita para dadores de sangue é constituído por um saco de


recolha, com a capacidade de 500 ml, inicialmente vazio e à pressão atmosférica, uma
agulha, com 1,5 mm de diâmetro interno, 50 mm de comprimento e parede interior lisa,
e um tubo de plástico, com 3 mm de diâmetro interno, 1,2 m de comprimento e parede
interior lisa, de ligação da agulha ao saco de recolha. O saco é colocado sobre o dador
por forma a produzir um desnível de 0,3 m entre a a secção de entrada da agulha e a
superfície livre do sangue no interior do saco. Em condições padrão a pressão sanguínea
média nas veias é 40 mm de mercúrio acima da pressão atmosférica e a massa
específica do sangue é 1060 kg/m3 (massa específica do mercúrio: 13600 kg/m3).
Assuma que neste escoamento o sangue se comporta como um fluido Newtoniano com
uma viscosidade cinemática de 4,8×10-3 kg/(ms). Nestas condições, estime o tempo
necessário para extrair do dador 500 ml de sangue. (4,5 val.)
MECÂNICA DOS FLUIDOS I
Engenharia Mecânica e Naval
Repescagem do 2º teste
12 de Fevereiro de 03

Identifique todas as folhas com o seu nome e numero. Se não conseguir resolver algumas das questões passe a outras
que lhe pareçam mais fáceis arbitrando, se necessário, os valores que deveria ter obtido. Faça as hipóteses adicionais
que considerar necessárias para a resolução dos problemas.

Considere uma instalação composta por um depósito aberto, dois tubos verticais (iguais) e dois
horizontais (iguais) ligados entre si por dois cotovelos regulares a 90º. Nos tubos horizontais
está montada uma válvula de globo e pode ainda ser incluída uma bomba. A tubagem é de aço
comercial (   0.5 mm ) e tem um diâmetro interior de 12 cm. Considere os seguintes valores
da massa específica e da viscosidade cinemática da água:   1000kg / m 3 e
  1.13  10 6 m 2 / s .

a) Calcule o caudal escoado, em condições estacionárias, quando a válvula está completamente


aberta ( k valv  6 ). (2 val.)

b) Pretende-se reduzir o caudal para um valor igual a 75% do da alínea a). Qual será o
coeficiente de perda de carga da válvula ( k valv ) correspondente à nova posição da válvula.
(2 val.)

c) Pretende-se duplicar o caudal escoado, relativamente ao da alínea a), montando uma


bomba no troço horizontal da tubagem. Calcule a altura de elevação da bomba e a potência
que o motor eléctrico lhe deverá fornecer, admitindo um rendimento de 80%. (2 val.)

d) Represente graficamente a evolução da pressão, na instalação sem bomba, desde a


superfície livre até à saída do tubo. Marque distintamente no eixo horizontal os pontos
referentes à superfície livre no reservatório, à entrada no tubo, saída dos cotovelos, entrada e
saída da válvula e à saída do tubo. Para este efeito, determine a pressão nos pontos
representados na figura 1. (2 val.)

e) Determine a força exercida pela água (componente vertical e horizontal) na ligação da


tubagem ao reservatório, nas condições da alínea a). (3 val.)

Considerar apenas
na alínea c)
1
15m 2 5m
10m 3 5
4
25m
50m 6

MECÂNICA DOS FLUIDOS I


Engenharia Mecânica
Exame de 1ª época
18/Janeiro/2002
Duração: 3 horas

III

Considere a instalação representada na figura, a qual é utilizada na distribuição de água


( = 1000 kg/m3;  = 10-6 m2/s) a partir de um depósito de nível constante, através de uma
bomba. A tubagem é construída em fibrocimento com uma secção circular constante
S = 20 cm2, rugosidade  = 1 mm e uma massa por unidade de comprimento m = 0,4 kg/m,
situando-se o seu eixo médio sempre no plano vertical. Imediatamente atrás dos pontos D e E
existem cotovelos regulares flangeados a 90º e atrás do ponto G existe uma entrada em aresta
viva. A descarga dá-se nas secções A e B para a pressão atmosférica patm = 105 Pa. Admita que as
perdas na bifurcação DCAB são desprezáveis, mas não despreze nem o peso próprio nem o peso
do fluido no seu interior.
Dimensões da instalação: a = 1 m; b = h = 2 m; L1 = 20 m; L2 = 10 m; L3 = 1,5 m.

Sabendo que o caudal total escoado na instalação é de 20 l/s e que o valor da pressão
estática no ponto C é apenas 62% do valor atmosférico, calcule a potência do motor que
alimenta a bomba. Admita ainda um rendimento de 80% para a bomba. (4 val.)
DC A

L1
L2
L2
patm
H
G h F F’ E

z A

a
C
D  g
Detalhe:  x

L3 L3 B
MECÂNICA DOS FLUIDOS I
Engenharia Mecânica
Exame de 2ª época
8/Feveiro/2002
Duração: 3 horas

II

Considere a instalação de uma fonte tal como esquematizada na figura, consistindo num
depósito de água de grandes dimensões que alimenta um tubo horizontal, o qual, por sua
vez, se encontra ligado a um tubo vertical por um cotovelo regular flangeado a 90º. A
tubagem é construída em fibrocimento com uma rugosidade   2 mm e um diâmetro
D1  10 cm, tendo os troços horizontal e vertical comprimentos L1  15 m e L2  2 m,

respectivamente. A admissão na tubagem processa-se através de uma entrada com aresta


viva e, na descarga, existe um injector cujo diâmetro de saída é D2  D1 / 2 , sendo o
coeficiente de velocidade respectivo cv  0,8 . Admite-se que o nível da superfície livre
no depósito se mantém constante, a uma altura L3  6 m acima do nível do troço
horizontal da tubagem.

Propriedades da água:   1000 kg/m3;   10 6 m2/s.

D2
L3 D1
L2

L1

Figura

Qual a velocidade da água à saída do injector nas condições acima descritas e qual a altura que

o repuxo atinge acima do solo? (4 val.)


Exame Final de 1ª Época de
Mecânica dos Fluidos I – 1999/2000
Licenciatura de Engenharia Naval

II

Um reservatório alimenta três ramais, (r1, r 2 e r3) através de uma conduta de


alimentação com três troços de comprimentos L1, L2 e L3, conforme se indica na figura.
Todas as condutas de alimentação dos ramais, e os próprios ramais, são cilíndricas e do
mesmo material, cuja rugosidade absoluta,  , é 0.0005 m. Os troços L2 e L3, bem como
os ramais, são horizontais.
Todos os dados relativos à geometria da instalação e necessários ao cálculo estão
indicados na figura junta.
A pressão de saída de cada ramal é a atmosférica e as pressões de alimentação dos
ramais 1, 2 e 3 são designadas respectivamente, por P1, P2 e P3.

a) Qual o valor da pressão P2 quando os caudais volúmicos, em m3/s, são de


 r1  0.0  r 2  0.001  r 3  0.0 .
Qual é o valor da pressão P3 nestas condições?

c) Verifica-se uma diferença de pressão entre as secções de entrada dos ramais 2 e


3, P23 , de 2,11 m de coluna de água nas seguintes condições de caudal volúmico
nos vários ramais:  r1  0.0 m3/s  r 2  0.001 m3/s
 r 3  0.0005 m3/s .

Qual o diâmetro da conduta de alimentação L3? Despreze as perdas de carga na


conduta de alimentação.
Comprimentos dos troços da conduta principal:
Diâmetros das condutas dos ramais:
Comprimentos equivalentes totais dos ramais
(incluem as perdas em linha e nos acessórios, com
as válvulas completamente abertas);
Rugosidade da tubagem:

L1

L2 P2 L3 P3
P1

válvula

r1 r2 r3

patm

Figura II-a Esquema da instalação com três ramais