Você está na página 1de 12
1.0 QUE E BULLYING? O bullying é um termo ainda pouco conhecido do grande publico. De origem inglesa e sem tradugao ainda no Brasil, é utilizado para qualificar comportamentos agressivos no Ambito escolar, praticados tanto por meninos quanto por meninas. Os atos de violéncia (fisica ou no) ocorrem de forma intencional e repetitiva contra um ou mais alunos que se encontram impossibilitados de fazer frente as agressGes sofridas. Tais comportamentos nao apresentam motivagdes especificas ou justificaveis. Em ultima instancia, significa dizer que, de forma “natural”, os mais fortes utilizam os mais frageis como meros objetos de diversao, prazer e poder, com o intuito de maltratar, intimidar, humilhar e amedrontar suas vitimas. 2. QUAIS SAO AS FORMAS DE BULLYING? NORMALMENTE, EXISTEM MAIS MENINOS OU MENINAS QUE COMETEM BULLYING? As formas de bullying so: © Verbal (insultar, ofender, falar mal, colocar apelidos pejorativos, “zoar”) Fisica e material (bater, empurrar, beliscar, roubar, furtar ou destruir pertences da vitima) * Psicoldgica e moral (humilhar, excluir, discriminar, chantagear, intimidar, difamar) © Sexual (abusar, violentar, assediar, insinuar) Virtual ou Cyberbullying (bullying realizado por meio de ferramentas tecnoldgicas: celulares, filmadoras, internet etc.) Estudos revelam um pequeno predominio dos meninos sobre as meninas. No entanto, por serem mais agressivos e utilizarem a forga fisica, as atitudes dos meninos so mais visiveis. Ja as meninas costumam praticar bullying mais na base de intrigas, fofocas e isolamento 3, EXISTE ALGUMA FORMA DE BULLYING QUE SEJA MAIS MALEFICA? 0 CYBERBULLYING E PIOR DO QUE 0 BULLYING TRADICIONAL? Uma das formas mais agressivas de bullying, que ganha cada vez mais espagos sem fronteiras é 0 cyberbullying ou bullying virtual. Os ataques ocorrem por meio de ferramentas tecnoldgicas como celulares, filmadoras, maquinas fotogrdficas, internet e seus recursos (e-mails, sites de relacionamentos, videos). Além de a propagagao das difamagdes ser pra- ticamente instantanea o efeito multiplicador do sofrimento das vitimas é imensuravel. 0 cyberbullying extrapola, em muito, os muros das escolas e expde a vitima ao escarnio puiblico. Os praticantes desse modo de perversidade também se valem do anonimato e, sem nenhum constrangimento, atingem a vitima da forma mais vil possivel. Traumas e consequéncias advindos do bullying virtual sao dramaticos. 4. QUAL 0 CRITERIO ADOTADO PELOS AGRESSORES PARA A ESCOLHA DA ViTIMA? Os bullies (agressores) escolhem os alunos que estao em franca desigualdade de poder, seja por situagado socioeconémica, situagdo de idade, de porte fisico ou até porque nu- mericamente estao desfavoraveis. Além disso, as vitimas, de forma geral, ja apresentam algo que destoa do grupo (sao timidas, introspectivas, nerds, muito magras; sao de credo, raga ou orientagdo sexual diferente etc.). Este fato por si sd jé as torna pessoas com baixa autoestima e, portanto, sao mais vulneraveis aos ofensores. Nao ha justificativas plausiveis para a escolha, mas certamente os alvos sao aqueles que ndo conseguem fazer frente as agressdes sofridas. 5. QUAIS AS PRINCIPAIS RAZOES QUE LEVAM OS JOVENS A SEREM 0S AGRESSORES? E muito importante que os responsdveis pelos processos educacionais identifiquem com qual tipo de agressor estao lidando, uma vez que existe motivagdes diferenciadas: 1. Muitos se comportam assim por uma nitida falta de limites em seus processos educa- cionais no contexto familiar. 6. QUAIS SAO OS PRINCIPAIS PROBLEMAS QUE UMA ViTIMA DE BULLYING PODE ENFRENTAR NA ESCOLA E AO LONGO DA VIDA? As consequéncias sao as mais variadas possiveis e dependem muito de cada individuo, da sua estrutura, de vivéncias, de predisposigao genética, da forma e da intensidade das agressdes. No entanto, todas as vitimas, sem excecao, sofrem com os ataques de bullying (em maior ou menor proporgao). Muitas levarao marcas profundas provenientes das agres- sdes para a vida adulta, e necessitarao de apoio psiquiatrico e/ou psicoldgico para a supe- racdo do problema. Os problemas mais comuns sao: desinteresse pela escola; problemas psicossomaticos; problemas comportamentais e psiquicos como transtorno do panico, depressao, anorexia e bulimia, fobia escolar, fobia social, ansiedade generalizada, entre outros. O bullying também pode agravar problemas preexistentes, devido ao tempo prolongado de estresse a que a vitima 6 submetida. Em casos mais graves, podem-se observar quadros de esquizofrenia, homicidio e suicidio. 2. Outros carecem de um modelo de educagao que seja capaz de associar a autorrea- lizagao com atitudes socialmente produtivas e solidarias. Tais agressores procuram Nas acgdes egoistas e maldosas um meio de adquirir poder e status, e reproduzem os modelos domésticos na sociedade. 3. Existem ainda aqueles que vivenciam dificuldades momentaneas, como a separagao traumatica dos pais, auséncia de recursos financeiros, doengas na familia etc. A vio- léncia praticada por esses jovens 6 um fato novo em seu modo de agir e, portanto, circunstancial. 4.E, por fim, nos deparamos com a minoria dos opressores, porém a mais perversa. Trata-se de criangas ou adolescentes que apresentam a transgressao como base es- trutural de suas personalidades. Falta-lhes 0 sentimento essencial para 0 exercicio do altruismo: a empatia. 7. COMO PERCEBER QUANDO UMA CRIANGA OU ADOLESCENTE ESTA SOFRENDO BULLYING? QUAL 0 COMPORTAMENTO TiPICO DESSES JOVENS? As informagées sobre o comportamento das vtimas devem inclir os diversos ambientes ‘ue elas frequentam. Nos casos de bullying 6 fundamental que os pals @ 0s profislonals da escola atentem especialmente para os seguintes sinais: Na Escola: No recreio enoontram-se isoladas do grupo, ou perto de alguns adultos que possam protegé-1as; na sala de aula apresentam postura retalda, falas frequentes as aulas, mos- tram-se comuments tristes, deprimidas ou afitas; nos Jogos ou atividades em grupo sempre io as tillimas a serem escolhidas ou s%o excluidas; aos poucos vo se desinteressando as atividades e taretas escolares; e em casos mals dramiéticos apresentam hematomas, arranties,cortes, roupas danificadas ou rasgades Em Casa: Frequentemente se quelxam de dores de cabega, enjoo, dor de estémago, tonturas, vomi- tos, perda de apetita, insonia. Todos esses sintomas tendem a ser mais intensos no perfodo ue antecede o horério de as viimas entrarem na escola. Mudangas frequentes @ intensas de estado de humor, com explosbes repentinas de Iritagéo ou ralva, Geralmente elas nao ‘ém amigos ou, quando tém sto bem poucos; existe uma escassez de telefonemas, e-malls, torpedos, convites para festas, passelos ou viagens com o grupo escelar, Passam a gastar mais dinheiro do que o habitual na cantina ou com a compra de objetos diversos com 0 to de presentear os outros. Apresentam diversas desculpas (incusive doengas tisicas) para faltar as aulas. ‘8.E0 CONTRARIO? 0 QUE SE PODE NOTAR NO COMPORTAMENTO DE UM ‘PRATICANTE DE BULLYING? Na escola os bulls fagressores azem bincaderas de mau gosto, gzagbes, colocam pels psoas, dara, ameagam,constrangem e menosprezam agus alos. Fut ‘tm ou oubam de, lances» pevtences de ous estates. Costumarn se pul res ng escola est sempre entutos.Dvete-e 8 custa do sotinent ae, Noamblentedomstoo, mani atu dso gress em reagdo as fani- ares. So arogantes no apicn0 far eno vest, eons superridade, Manipur Passtes para Se star das confuses am que se env. Costuma at escola ‘com objets au tere que no possum, Maitosagrssores mena, de forma conin- ‘come, e nega as reclamagts da escola, ds mss ou dos emgreogads doméstcos. $9.0 FENOMENO BULLYING COMEGAEM CASA? muas vezes 0 fentmeno comera em cas. neato, para que as fos poss ser ‘mals empdtos e posan agi com rsp ao pro, é neces preloareviso co que scare dentro ce casa. Os ps, utas vezes, ne questonam suas prépras conduits € valores, eximindo-s da responsablidade de educaores. 0 exemple dentro de casa & fundamental. ensraeto de ta, sodariedade alsa nia anc no bergn@ 2 cesonde para o ambito escolar, onde as crlangase adolescents passa rand parte co seu tango, 410.0 BULLYING EXISTE MAIS NAS ESCOLAS PUBLICAS OU NAS PARTICULARES? © sulbing este om tots a escola, o grande dren ei elas 6 a posture ue ‘cada una tore ene aes cas06 do Bung, Po nel que pare 0 ests apntam para uma postura mals feta conta o buying ene 2s escolaspobcas, que |écofam ‘com uma oreo mas patronzata perante os cass (acaramento dos Consehos Te ares, Detegacias da Crlanga e co Adlesoent et), 11.0 ALUNO VITIMA DE BULLYING NORMALMENTE CONTA AOS PAIS E ‘PROFESSORES 0 QUE ESTA ACONTECENDO? As vmas de bug se tram retin do Jago do poder nstuo ples agressres Raramente as pedem ajuda 2s autres escolar ou 2s pa. Agem asin, do rads peta faa crea de ue esa posta é capaz de ear posse retalates dos ‘gyessres¢ por acreatarem que o soem sas clas, pouparto seus pal a ecepe de eum to gl, conde endo popu na eco, 12. QUAL 0 PAPEL DA ESCOLA PARA EVITAR 0 BULLYING ESCOLAR? ‘A esznla crresponsivel nas cas de buljing, pols ¢ onde 0s compartments ‘ayes transgressors 82 evdenclam cu se apravan na mao das ves repo (a esol (como autrdade mara da insted) deve acinar os pl, os Consens Tutelares, os dos de protec ciangae ao adlesoent et. Caso nd o fara poder ser responsabzada por omisso.E stares que envotam aos tains (cos) ‘esol também tem o deter de faze aoc pola. essa forma, os fas podem Ser devidament apuradn els auloridades competeres os cued responsalzaos, Tal proodimens vam aimpurdade eine 0 cescmeet da oka @ da cena [dae anton 18. COMO E 0 BULLYING NAS ESCOLAS BRASILERAS, EM COMPARAGAO A ‘OUTRAS, DOS ESTADOS UNIDOS OU DA EUROPK? ALGUMA CARACTERISTICA ESPECIFIOA? Em inhas ger 0 buriig 6 um endmeno untersle democrto, pis eontoce em ‘as spate do mundo endeexstem reagiesnumanas © onde a sa esol a part ocotidano dos joven. Aquns pases, no entarn, presenta caratersicaspeculares a maniestago oss fenmeno: nos EUA, 0 bufhngtende a epresena-se de arma ras grave cam cass de omic colts, Isso Se deve & ie facade que 0s |ovensamercanespossuem de trem acess as armas dog. Mas aes da Europa, 0 ‘outping tende a se manitestar na forma de Segregagao socal a até da xenooba, No Brasil, bservam-se maniestabes semelnants és dos demas palses, mas oom pecuteiades Toca: 0 uso de voc com armas branes anda ¢ mor que a exerci com armas de fog, ua vez que 0 acess0 a eas ain € resto a anbientes soils dominads peo nareorfco. A vidEnla na forma de descriminaco e seqregato aparece mais em escols patcuiares de ao poder amustho, nde os descendents nrdesnes, ana que eccromicamentefavorecdes, costumam soe dlscriminaco em Tungao de Ses res, sotaques ou expresses laos tipicas, Presses aspects € neoessio sempre anal Se, de manera Indiualzad, odos os compertamentos de Glyn, pos as sues formas «ers podem snaar com mais preciso as passives apes para a recnao desas variadas expresses de vlncla ene estar, 14, QUAL A INFLUENCIA DA SOCIEDADE ATUAL NESTE TIPO DE COMPORTAMENTO? individualism, cultura dos tempos modemos, propiciou essa prétca, em que o ter é ‘multo mais valorizado que o ser, com distorgbes absurdas de valores ético, Vive-se em tempos velazas, com grandes mudancas em todas as esfras socials. Nesse content, a ‘educapto tanto no lar quanto na escola se tornou rapdamenteutrapassada,confusa, sem partimetros ou limites, Os pals passaram a ser permissvas em excesso e 0s Mos cada vez mals exigentes, egocénirons. As crancas tendom a se comportar em socedade de acorco ‘om os models domeéstions. Muitos deles nao se preacupam com as regras soca, nao refletem sobre a necessidae delas no convo cole e, nem sequer Se preocupam com as consequéncias dos seus alos transgressoes. Cate @ soctedade como um tad transmit as novas garages valores educacionais mais dlloos e rspansdvels, Nina, so estes ovens (que esto detneando o que a sociedad serd daqui em dante Autos e conduz-s na ‘construe uma socledade mals justa @ menos volta, & crigagao de todos. 16. COMO OS PAIS E PROFESSORES PODEM AJUDAR AS VITIMAS DE BULLYING A SUPERAR 0 SOFRIMENTO? ‘A identteagao precoce do buying pelos responses (pals e professores)¢ de suma Importanca. As crianas normalmente nao reltam 0 sofrimento vienclado na escola, por edo de reresdila € por vergonta. A observacHo dos pals sobre o compertamento dos {ines é fundamental, tem como o diaogo franco ene els. Os pais no devem hestar em buscar ajuda de proissionals da érea de sade mental para que seus fos possam supe rar traumas e transtanos psiquicos ‘um aspera de valor nestimvel a permanent talenin natn des ovens i ail tos devem sempre estmuld-os procurar meétodos eicazes para que essas hablidades possam resgatar sua autoestima, bem como constr sua Wentidade socal na forma de uma cidadania pena,