Você está na página 1de 4

PROVAR:

Esse programa comentado é apenas para dar um norte, pois os pontos podem mudar
conforme for a prova. Indico muito que estudem pelas provas antigas, e sejam organizados
no estudo. Os assuntos repetem muito de ano para ano, mudando, muitas vezes, apenas a parte
final da questão. Assuntos como Direito Civil, Teoria do Estado e Ciência Política, e Teoria do
Direito, caem todos os anos: eu daria um enfoque maior nestes.

DIREITO CIVIL A
Indico a doutrina do Paulo Lobo e do Francisco Amaral, que são muito utilizadas
na UFPR. O Direito Civil Esquematizado ajudou nas revisões. Importante também ler a letra
“seca” da lei. Não usei, mas indico um Código Civil Comentado, que pode vir a ajudar a
entender melhor a letra da lei. Procurei ler do art. 1º ao 232 do Código Civil todos os dias, nas
duas semanas anteriores ao PROVAR.
1. Sujeito da relação jurídica e pessoa. A dignidade da pessoa humana. Personalidade:
início e fim. A ausência. A morte. Comoriência: doutrinas do Francisco Amaral e do Paulo
Lobo. Direito Civil Esquematizado para revisão e treinar, já que tem perguntas no final de cada
capítulo.
2. Sujeito da relação jurídica: pessoa jurídica. Noções introdutórias. Teorias acerca da
personificação. O modelo brasileiro para constituição de pessoas jurídicas. Classificação
das pessoas jurídicas. Desconsideração da personalidade jurídica: Amaral e Paulo Lobo.
Quanto ao “modelo brasileiro para constituição de pessoas jurídicas”, não cheguei a estudar,
pois não encontrei o tópico específico para esse assunto, mas acredito que seja a noção geral,
que tem nas doutrinas.
3. Objeto da relação jurídica. Objeto mediato e objeto imediato. Os bens e o patrimônio.
A noção de patrimônio e patrimônio mínimo: Amaral e Paulo Lobo. Para “objeto mediato e
objeto imediato”, procurei artigos no Google, pois não achei nada específico nas doutrinas. Para
“patrimônio mínimo”, li um artigo do Edson Fachin, mas hoje estudaria melhor o assunto, já
que uma das questões que errei foi sobre bens e patrimônio; a UFPR gosta do instituto do
patrimônio mínimo.
4. Negócio jurídico e ato jurídico em sentido estrito. Conceito e diferenciação: Amaral e
Lobo. Assunto que achei tranquilo. O Esquematizado tem um quadro muito bom explicando
negócio jurídico e ato jurídico.
5. Negócio jurídico: defeitos. Erro, dolo e coação. Simulação e fraude. A lesão e estado de
perigo: Amaral e Lobo; Esquematizado para revisões.
6. Negócio jurídico: inexistência, invalidade e ineficácia: Paulo Lobo. O livro do Amaral
achei um pouco fraco nesse tópico. Venosa é uma boa contribuição para aprofundar o assunto.
7. Prescrição e decadência. Regime jurídico. Prazos prescricionais e decadenciais: Amaral
e Lobo. Novamente, usei o Venosa para entender melhor o tópico.

TEORIA DO ESTADO E CIÊNCIA POLÍTICA


Para esse disciplina, usei diversos livros, dependendo do assunto.
1. Fundamentos histórico-institucionais do Estado Moderno: definitivamente use “Os
Clássicos da Política, Volume I”. Uma prova anterior do PROVAR tinha os termos idênticos
ao dessa obra. Se tiver tempo, é valido complementar com os textos próprios de Montesquieu,
Maquiavel, Hobbes e Locke. Dei maior atenção para Hobbes, pois é o mais cobrado pela UFPR.
2.. Fundamentos histórico-institucionais do Estado de Direito: usei a obra “O Estado de
Direito – História, Teoria, Crítica”, de Pietro Costa e Danilo Zolo. Li apenas a parte introdutória
(umas 20 páginas), e foi o suficiente para entender bem o assunto. Se tiver tempo disponível, é
valido ler detalhadamente cada tópico desse livro.
3. Relações de Poder: dominação, autoridade, poder e poder simbólico: várias obras para
esse tópico. Para “dominação”, “autoridade” e “poder”, li Max Weber “Economia e Sociedade”
(apenas a parte da obra que trata desses assuntos). Também estudei pelos slides de aula de um
professor da UFPR. Para “poder simbólico”, li “Poder Simbólico” de Pierre Bourdieu.
4. Democracia, Instituições Políticas e relações Estado/sociedade: li “Poliarquia” de Robert
Dahl, e “Estado, Governo, Sociedade”, de Norberto Bobbio. Estudei também a obra “Modelos
de Democracia”, de Arend Lijphart.
5. Instituições políticas e organizações políticas: utilizei as doutrinas de Paulo Bonavides e
de Dalmo de Abreu Dallari. A do Bonavides li quase por interna, assim como a do Dallari.
Indico a do Dallari, pois tem uma linguagem mais tranquila.

TEORIA DO DIREITO
Estudei usando a doutrina do Tercio Ferraz Júnior “Introdução ao Estudo do
Direito: Técnica, Decisão, Dominação”, pois a UFPR gosta do Tercio. Li, por completo “Teoria
do Ordenamento Jurídico”, de Bobbio, e “Teoria Pura do Direito”, de Hans Kelsen.
1.Direito e lei: questionamentos críticos: li a obra “Introdução Crítica ao Direito”, de Michel
Miaille. Tem que ver bem os pontos no sumário, pois a obra e grande e não tem necessidade de
ler inteira.
2. Teorias críticas do direito: assunto um pouco confuso. Foquei mais na Escola de Frankfurt,
pois eles são os pioneiros da Teoria Crítica do Direito. Procurei artigos no Google.
3. Distinção entre princípios e regras: assunto que achei em obras de Direito Constitucional,
e não de Teoria do Direito. Estudei pelo “Curso de Direito Constitucional” do Gilmar Mendes,
e li também “Teoria dos Princípios” de Humberto Ávila. Hoje, estudaria apenas pela doutrina
do Mendes, pois Áliva aprofunda o assunto e faz um crítica, o que não é de relevância para
passar no PROVAR.
4. As fontes do ordenamento (lei, costume, jurisprudência, doutrina): Tercio cobre esse
assunto.
5. Relações de poder e direito. Esfera pública e esfera privada: assunto que, sinceramente,
não entendi por onde estudar. Acabei lendo “A Condição Humana”, de Hannah Arendt, mas
não acredito que seja essa a abordagem correta. Acabou não fazendo falta.
ECONOMIA POLÍTICA
Por já ser formado em Economia, acabei apenas lendo por cima mesmo esse
assunto. Não sei nem explicar cada tópico detalhadamente. Mas foquei no assunto “Economia
e Direito”, já que foi o mais cobrado nas provas do PROVAR anteriores.
Aqui, indico a obra do Fábio Nusdeo “Curso de Economia – Introdução ao Direito
Econômico”. Essa é a obra que um dos professores da UFPR utiliza. Para assuntos específicos,
é bom pegar os manuais de Economia, como o “Uma introdução à Economia Política”, de
António José Nunes e “Curso de Introdução à Economia Política”, de Paul Singer. Li também
a obra “Chutando a Escada – a Estratégia do Desenvolvimento em Perspectiva Histórica”, do
Ha-Joon Chang, mas essa última não foi de grande ajuda.
Definitivamente, é importante saber bem a teoria de Karl Marx. A UFPR é
conhecida pelo seu viés mais “socialista/comunista”. A obra “Clássicos da Política – Volume
II” aborda a teoria de Marx. É válido ler essa obra, mas é importante procurar conhecer bem a
teoria dele. Os manuais de economia – incluindo o do Nusdeo – abordam bem a visão de Marx.

HISTÓRIA DO DIREITO
Assunto que, sem sombra de dúvidas, foi o que mais li. Foi difícil achar obras para
os tópicos, e por isso acabei lendo obras inteiras (chegando algumas delas a 1000 páginas).
Aqui, li todas as obras de Paolo Grossi, já que ele é muito querido pela UFPR. O autor
HESPANA também é muito cobrado na UFPR: vale a pena procurar as obras dele.
1. Positivismo/historicismo e história do direito: li a primeira parte da obra “Introdução
Teórica à História do Direito”, do Ricardo Marcelo Fonseca. É o suficiente para esse tópico.
2. Mentalidade jurídica medieval. Formação do direito comum europeu: Paolo Grossi, “A
Ordem Jurídica Medieval”, para a “mentalidade jurídica medieval”. Para a “formação do direito
comum europeu”, li Antonio Carlos Wolkmer “Fundamentos de História do Direito” e José
Reinaldo Lopes “Curso de História do Direito”.
3. Formação do pensamento jurídico moderno: Michel Villey, “A Formação do Pensamento
Jurídico Moderno”, principalmente a parte de Guilherme de Ockham. Coincidentemente, caiu
na minha prova do PROVAR.
4. A formação da propriedade e a tematização do sujeito de direito: estudei pela obra
“História da Propriedade e Outros Ensaios”, de Paolo Grossi. Foi o suficiente.
5. Contratualismo e política moderna. Estados nacionais e direito no Antigo Regime:
“Contratualismo e política moderna” é mais fácil achar em livros de Ciência Política. Quanto
“estados nacionais e direito no Antigo Regime”, li uma parte da obra “História do Direito em
Perspectiva”, do Ricardo Marcelo Fonseca.
6. Revoluções burguesas, codificação moderna e ‘absolutismo jurídico’: tópico que não
entendi muito bem, mas usei os básicos de História do Direito, como Antonio Carlos Wolkmer
“Fundamentos de História do Direito” e José Reinaldo Lopes “Curso de História do Direito.