Você está na página 1de 2

OBD

O diagnóstico de bordo, conhecido como OBD (on board diagnostics)


iniciou na década de 90. Criado pela indústria automotiva viabilizando a leitura
dos computadores aos sistemas eletrônicos dos carros. As informações são
proporcionais ao modelo/ano do veículo, quanto mais moderno mais
informações, atualmente grande parte dos carros tem como conector o OBDII,
uma tecnologia mais moderna para diagnósticos.
TIPOS DE CARROS A UTILIZAR
Em nosso país essa tecnologia passou a ser utilizada a partir de 2010,
existem algumas exceções para os carros da FORD como por exemplo o
FOCUS e o ECOSPORTE. Os carros importados para o brasil a partir de 2005
chegavam com a entrada para o diagnóstico de bordo. Para verificação de forma
fácil em qual quer localização no mundo foi aplicada a padronização da porta de
entrada facilitando a forma de verificar os poluentes dos carros.
FUNCIONAMENTO
Por meio de uma entrada de pendrive existente no carro insere-se um
dispositivo de leitura com capacidade de comunicação com o OBD que passa a
fornecer dados sobre os diagnósticos, velocidade e a rotação do motor. As
informações podem ser processadas e enviados ao aparelho eletrônico com
capacidade de leitura e interpretação (celulares androides), existem aplicativos
com capacidade de leitura como o Nexer.
APLICAÇÃO
É utilizado para identificar diagnósticos sempre que o carro apresentar
uma pane elétrica.
LOCALIZAÇÃO NO CARRO
Para cada veículo o OBD terá a sua localização, porem terá um acesso
facilitado geralmente inserido perto do volante, do freio de mão ou até mesmo
dentro do porta luvas.
VANTAGENS
A vantagem é conseguir um rápido diagnostico para o problema eletrônico
e entender o funcionamento do carro. Sendo o OBD sinônimo de um sistema
eletrônico desenvolvido, pois das principais vantagens também é a forma de
leitura podendo ser realizada por aplicativos de sistemas androides.
DIFERENÇAS
Os OBD têm qualidades e características diferentes a depender do
fabricante, sendo obvio que não existe possibilidades de danos ao sistema do
veículo por meio do OBD trazendo apenas benefícios. E necessário ter atenção
para dispositivos piratas pois esses podem lhe dar muita dor de cabeça.
TIPOS DE OBD
Existem diversos, os mais comuns no mercado são:
Scanners de oficinas – custo intermediário e comum em concessionarias e
oficinas de grande porte.
Dongle – baixo custo, indicados ao consumidor final e independentes.
Diagnosers – alto custo, capta os códigos de erro utilizados apenas em casos
especiais apresentando um código numérico.
Rastreadores – alto custo, utilizado por meio de um plano mensal é utilizado para
gerar energia a operação de rastreamento.
COMCLUSÃO
Podemos considerar para o automobilismo o OBD (on board diagnostics)
foi um dos maiores avanços das indústrias eletroeletrônicas, anterior a
disponibilidade os diagnósticos realizados não eram precisos, isso resultava em
um tempo maior para descobrir qual era o verdadeiro problema. A maior
comprovação do avanço tecnológico é a forma de comunicação entre os
dispositivos de entrada e saída, pois a utilização de meios androides nos mostra
o sinal de adequação e avanço.