Você está na página 1de 26

minha empresa sustentável

PARA ATUAIS E FUTUROS EMPRESÁRIOS

Cooperativa de
RECICLAGEM
DE RESÍDUOS

1
Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Robson Braga de Andrade
Diretor-Presidente Guilherme Afif Domingos
Diretora Técnica Heloísa Regina Guimarães de Menezes
Diretor de Administração e Finanças Vinícius Lages

UNIDADE DE ACESSO À INOVAÇÃO E TECNOLOGIA DO SEBRAE NACIONAL


Gerente Célio Cabral de Sousa Júnior
Técnico Alexandre de Oliveira Ambrosini

SEBRAE EM MATO GROSSO


Presidente do Conselho Deliberativo Hermes Martins da Cunha
Diretor-Superintendente José Guilherme Barbosa Ribeiro
Diretora Técnica Leide Garcia Novaes Katayama
Diretora Administrativo-Financeira Eneida Maria de Oliveira

Gerente Suênia Sousa


Equipe Elton Ribeiro, Isabela Rios, Jéssica Ferrari, José Santiago, Luanna Duarte, Nager Amui,
Raquel Apolônio, Renata Taques, Rogério Sousa
Revisão Luanna Duarte, Jéssica Ferrari e Renata Taques

É proibida a reprodução total ou parcial sem autorização prévia do Centro Sebrae de Sustentabilidade
Edição Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS)
Direção Técnica Luis Tadeu Assad e Paulo Sandoval Júnior
Coordenação Editorial Flávio Silva Ramos Redação Jacqueline Alves Ferreira, Karina Pires Lanza,
Luísa Cunha Cota Ferreira, Mateus Oliveira e Patrícia Reis Pereira
Revisão Técnica Carolina Milhorance Revisão textual Stela Máris Zica
Projeto Gráfico Luciano Arnold Diagramação e infografia Rodrigo Diniz Torres
Foto de capa Fotolia

Minha Empresa Sustentável: 1. Cooperativa de Reciclagem. / Cuiabá, MT: Sebrae, 2017.


25p.:Il. Color.
1.Reciclagem; 2. Sustentabilidade; 3. Gestão de empresas; 4. Pequenos negócios I. Titulo

ISBN: 978-85-7361-102-1
CDU: 502.131.1
TENDÊNCIAS Do MERCADO������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������4

PROCESSOS PARA A SUSTENTABILIDADE


Planejamento estratégico����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������6
Gestão Financeira��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������8
Gestão de Qualidade������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 10
ENCADEAMENTO PRODUTIVO���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 10
Políticas Públicas�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������12
Gestão de Pessoas������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 14
Compras Sustentáveis�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������15
Desenvolvimento Social���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������15
Gestão Ambiental
gerenciamento de resíduos��������������������������������������������������������������16
uso eficiente de água�����������������������������������������������������������������������������17
. uso eficiente de Energia���������������������������������������������������������������������� 18
Legislação, Normas e certificações�����������������������������������������������������������������������������������������������������18
Marketing e Comunicação��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������20
MERCADO E Consumo Consciente��������������������������������������������������������������������������������������������������������������21
COLOCANDO NO PAPEL�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 22

DIAGNÓSTICO������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������24
TENDÊNCIAS Do MERCADO

A destinação dos resíduos sólidos


representa um grande desafio para as
sociedades atuais, sobretudo no que se
refere à prevenção de problemas socioambientais
e de saúde pública. No Brasil, cerca de 80 mil
Os processos de reciclagem podem
contribuir para minimizar os impactos
dessa dinâmica, além de garantir
oportunidades de geração de renda para
trabalhadores que participam da coleta,
toneladas desses resíduos são descartadas todos triagem e venda dos produtos recicláveis.
os dias de forma inadequada, o que corresponde a Os “catadores” desempenham, portanto,
mais de 40% do lixo coletado sendo encaminhado um importante papel que beneficia a
para lixões ou aterros controlados (quando o solo sociedade e o meio ambiente, incluindo
não é impermeabilizado). contribuição para o sistema de saúde
pública e de saneamento, fornecimento
de material reciclável de baixo custo à
indústria, redução de gastos municipais
e diminuição de recursos naturais
utilizados.

Saiba mais
como criar uma
cooperativa.

goo.gl/DgBrPZ

A Política Nacional de Resíduos Sólidos valoriza de reciclagem: algumas ações que podem
esse papel e tem como um dos seus objetivos contribuir para um bom encadeamento
incentivar a criação e o desenvolvimento de produtivo nesse setor, dicas para montar
cooperativas de reciclagem. Estas coletam, um planejamento estratégico para o seu
recebem, separam, processam, embalam e negócio, e sugestões que lhe ajudarão a se
retornam resíduos reutilizáveis e recicláveis aprofundar nas dimensões essenciais para a
aos ciclos produtivos industriais. sustentabilidade de um empreendimento de
sucesso.
Esta publicação pretende compartilhar
com você, empreendedor, ações práticas
que possam impulsionar uma cooperativa

4
78 milhões de Nos últimos dez
anos a quantidade
toneladas de municípios
que implantaram
essa é a quantidade de resíduos que programas de reciclagem
os brasileiros produzem por ano, aumentou de 81 para mais de 900
sendo que cerca de 30% podem ser municípios – 20% das cidades
reaproveitados e somente 3% são brasileiras (CEMPRE, 2014)
encaminhados para a reciclagem

800
(ABRELPE, 2015)

mil

NÚMEROS DE catadores
em todo o país, segundo o
Movimento Nacional dos
Catadores de Materiais

630 milhões Recicláveis (MNCR, 2014)

de reais
ESSE É O VALOR QUE A

332
compra de resíduos
de latas movimenta
anualmente (ABAL, 2012)
mil
empregos

11,6
Segundo o Ministério do
Bilhões Meio Ambiente, no Brasil são
de reais
gerados cerca de 332 mil
empregos diretos pelo setor
Segundo a Associação Brasileira de reciclagem e, segundo
de Empresas de Limpeza Pública e a Abrelpe, esse mercado
Resíduos Especiais (Abrelpe), ESSE É movimenta cerca de R$ 24
O NÚMERO QUE o país precisa investir bilhões anualmente.
até 2031 no setor de reciclagem
5
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

Panorama dos resíduos sólidos urbanos coletados


no Brasil em 2012 Fonte: adaptação (ABRELPE, 2013a). Planejamento
Metais 2.9% Estratégico
Papel, papelão
13.1% O planejamento estratégico constitui
e TetraPak 16.7% uma ferramenta de gestão indispensável
Plástico em uma empresa, auxiliando na definição
13.5% de objetivos e estratégias para alcançar
Vidro esses objetivos. Lembre-se de que
Matéria 2.9% decisões sem planejamento enfraquecem
orgânica 51.4% a orientação da empresa e a definição
Outros de sua identidade; leva ao desperdício
de recursos financeiros e à tomada de
decisões sem análise do impacto para o
Percentual de produção de resíduos sólidos por negócio.
região do Brasil 1. Defina a identidade do seu negócio:
NORTE
6,4% NORDESTE a. Missão: é o propósito do negócio, a sua
22,2% razão de existir. Um bom exercício é iniciar
a frase com “Existimos para…”;
CENTRO-OESTE
8,1% b. Visão: é o objetivo de longo prazo. Como
SUDESTE queremos estar daqui a cinco anos?
52,5% c.Valores: princípios que motivam as
Fonte: adaptação tomadas de decisões e que devem ser
SUL praticados diariamente, e não aqueles que
(ABRELPE, 2014).
10,8% “eu gostaria de praticar, mas não pratico”.
São os pilares do negócio e um deles deve
ser Sustentabilidade.

Tempo médio de decomposição dos resíduos Para iniciar seu planejamento, realize uma
análise do ambiente, por meio da Matriz
Papel De 3 a 6 meses SWOT, também conhecida como FOFA
Tecido De 6 meses a 1 ano
(em português). Essa matriz contribui
de uma forma prática para a análise dos
Filtro de cigarro 5 anos ambientes – interno (forças e fraquezas)
Goma de mascar 5 anos e externo (oportunidades e ameaças) – do
negócio. Nós temos controle sobre os
Madeira pintada 13 anos fatores internos, porém, não controlamos
Nylon Mais de 30 anos os externos e, com isso, devemos nos
Plástico Mais de 100 anos
adaptar a eles.
Metal Mais de 100 anos
Vidro 1 milhão de anos
Borracha Tempo indeterminado

6
Veja abaixo um exemplo de análise SWOT para uma Cooperativa de reciclagem:

FORÇAS FRAQUEZAS
Alta eficiência de substituição dos recursos utilizados; C ustos envolvidos na implementação de
Potencial de produção de compostos orgânicos; infraestrutura e equipamentos que permitam
coletar, processar e armazenar grandes
Grande capacidade de geração de emprego e renda quantidades de resíduos a fim de viabilizar a
para trabalhadores mais vulneráveis; venda para as indústrias;
Contribuição para a redução da pobreza, da fome e da Baixo poder de negociação com agentes
desigualdade social; intermediários quando estes são envolvidos;
Promoção de objetivos socioambientais e de saúde Risco de contaminação no manuseio dos
pública; resíduos;
Melhoria da gestão de resíduos sólidos e redução da Baixo acesso dos trabalhadores a uma
extração de recursos naturais; formação ampliada e à qualificação formal;
Fortalecimento do poder de barganha dos Dificuldades na gestão dos recursos
cooperados na venda e no atendimento a indústrias. humanos, incluindo indivíduos apresentando
fragilidades psicológicas, decorrentes da
desigualdade social.

OPORTUNIDADES AMEAÇAS
A atividade profissional dos catadores é reconhecida Concorrência com usinas privadas e
pelo Ministério do Trabalho desde 2002; catadores autônomos (dependendo da região);
A Política Nacional de Resíduos Sólidos atribui Participação por vezes assimétrica dos
destaque à importância dos catadores na gestão agentes intermediários na cadeia;
integrada dos resíduos e incentiva a criação e o Oscilações nos preços de compra e venda dos
desenvolvimento de cooperativas; materiais;
Aumento da participação dos estados e municípios Dificuldade de manutenção da viabilidade da
com recursos para apoiar as cooperativas; cadeia de reciclagem eliminando a precarização
Aumento gradual da conscientização da população do trabalho.
pela temática socioambiental e avanço da legislação,
que abrange o ciclo de vida dos produtos;
Aumento gradual da participação do setor empresarial
nos processos de reciclagem e reutilização,
demandando parcerias com cooperativas.

Baixe o infográfico sobre


planejamento estratégico
para pequenos negócios
goo.gl/h8j4jK

7
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

Gestão Financeira Exemplo de DRE de uma cooperativa


hipotética
Para construir um negócio
Descrição R$ %
sustentável é muito importante desenvolver
uma Gestão Financeira eficiente que indicará 1. Receita Total com Vendas 66.032,68 100%

se o negócio é economicamente viável. O 2. Custos e Despesas Variáveis Totais 44.735,16 68%

controle financeiro garante informações que 2.1 (-) Insumos operacionais 28.279,81 42,8%

% com relação à receita


contribuem para a tomada de decisão e para a 2.2 (-) Impostos sobre vendas 4.061,01 6,2%
minimização dos riscos do negócio. 2.3 (-) Despesas com vendas 12.394,33 18,8%
3. (=) Margem de contribuição (1-2) 21.297,52 32,3%

Algumas Definições 4. (-) Custos e Despesas Fixos Totais 6.731,00 10,2%


5. (=) Resultado Financeiro (3-4) 14.566,52 22,1%
De maneira geral, possuímos dois tipos de 5.1 Taxa de Administração 4.622,29 7,0%
custos: 5.2 Renda dos Cooperados 9.944,23 15,1%
 Fixos: gastos que são inversamente Margem de Contribuição: É quanto da sua
proporcionais à produção ou às vendas receita é destinado para pagar os Custos e
(instalações físicas, remuneração dos Despesas Fixas e gerar Resultado Financeiro.
funcionários, máquinas e equipamentos). Conhecer a Margem de Contribuição que as vendas
proporcionam é fundamental para o planejamento
 Variáveis: gastos diretamente proporcionais de seu negócio e essencial para tomar decisões.
à coleta ou às vendas (insumos operacionais, relacionadas a investimentos e expansão. Para
manutenção, etc.). calcular é simples: MC=recebimentos-custos e
despesas variáveis
Preço de Venda: Para a formação do preço
de venda dos produtos e serviços, sugere- Ponto de Equilíbrio: Representa as vendas que
se definir o lucro de acordo com a meta da precisam ser realizadas mensalmente para gerar
receitas suficientes para pagar o custo variável,
empresa: preço de venda-custos-despesas = as despesas comerciais e as despesas fixas que
. Não adianta estabelecer um preço de venda a empresa tiver no mês. Um volume de vendas
que o mercado não compre. inferior ao ponto de equilíbrio levará a cooperativa
a ter prejuízo, e um volume superior ao ponto de
Demonstrativo de Resultados do equilíbrio permitirá acumular lucro.
Exercício: Este demonstrativo informa os
resultados financeiros e pode ser apurado Retorno do investimento: Para iniciar a
conforme o período que se quer analisar (Ex.: cooperativa será necessário um investimento
que poderá ser recuperado após um período
mensal, trimestral, semestral, anual). Além determinado. O investimento total inicial deve
disso, ele pode ser apurado para um tipo de ser destinado para adquirir o necessário para a
produto (Ex.: vidro, papel, metal, plástico). cooperativa operar:
 Fixos: equipamentos , móveis, utensílios,
ferramentas, imóvel, veículos, etc.
 Pré-Operacionais: reforma, uniforme, cartões de
visita, site, regularização da cooperativa, gastos
8 com cartório, etc.
Capital de Giro: Corresponde aos recursos de
rápida renovação, que sustentam as operações Baixe o infográfico sobre
correntes, ou seja, o valor em dinheiro que a gestão financeira para
cooperativa precisa ter disponível na conta- pequenos negócios
corrente para cobrir os custos e despesas até goo.gl/fUW1pO
que obtenha receita suficiente para operar
sozinha.
Algumas dicas para manter a sustentabilidade financeira:

 Faça uma estimativa da quantidade de  Crie um canal de comunicação do cooperado


resíduos recebida por mês, considerando para que as suas opiniões cheguem ao
as oscilações de volume de cada material. Conselho para serem analisadas;
Estime quanto é de fato comercializado
(enviado para a reciclagem ou outras fontes)
e o quanto é rejeito (enviado para outras
fontes, como aterros);

 Priorize investimentos que irão melhorar os


resultados da cooperativa;

 Contate outras cooperativas para encontrar


um preço médio de venda e formar parcerias;

 Reúna com certa frequência (ex.


trimestralmente) o Conselho e os
cooperados;
 Forme um Conselho Administrativo,  Negocie com os cooperados qual será a Taxa
composto por alguns cooperados, eleitos de Administração da cooperativa a fim de
pela maioria da cooperativa, cujo objetivo permitir a gestão e o reinvestimento para o
é garantir a transparência financeira e crescimento do negócio.
decisões;

Saiba mais sobre


Gestão Financeira
acessando a Cartilha
do Sebrae.
 Faça uma gestão à vista: publique a DRE em
quadros visíveis a todos os cooperados, bem goo.gl/LMnikW
como as decisões tomadas pelo Conselho;
9
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

I dentificar os equipamentos com as


Gestão informações: nome, função, capacidade de
DA QUALIDADE trabalho, quem está habilitado para operar, e
evitar a sobrecarga dos equipamentos;
Para uma Cooperativa de Reciclagem ser G arantir a manutenção periódica e
sustentável ela precisa executar toda a preventiva dos equipamentos;
sequência de atividades com qualidade:
produção (coleta, triagem, prensagem, F ormar uma equipe e estabelecer rotinas
armazenagem, entrega ou expedição), compras periódicas para limpeza e organização do
(suprimentos e contratações de serviços ambiente;
terceirizados), gestão financeira, comercial e D estinar os rejeitos da cooperativa para
gestão de pessoas. soluções autorizadas pelas legislações;
Executando com qualidade, os resultados N
 ão assumir compromissos além da
serão: capacidade de atendimento e de respeito
Maior velocidade na produção; dos prazos pela cooperativa.

Maior aproveitamento dos resíduos


coletados; Baixe o infográfico
sobre gestão da
Maior volume de venda e, qualidade para
consequentemente, maior renda para os pequenos negócios
cooperados; goo.gl/FVoFYx

Menor consumo de insumos operacionais

ENCADEAMENTO
(fitas para prensa, cordões, sacos, pallets,
materiais de escritório, combustível, óleo,
etc.);
PRODUTIVO
Maior capacidade para atender indústrias e O encadeamento produtivo é uma estratégia
usinas que adquirem produtos recicláveis. que busca aproximar as grandes e as
Algumas estratégias para atuar com qualidade: pequenas empresas de uma mesma cadeia
produtiva, visando aumentar a competitividade,
Organizar os setores da cooperativa a fim de a competência tecnológica e a gestão.
aumentar a eficiência dos serviços prestados Quando as empresas passam a adotar essa
(por exemplo, área de recebimento dos estratégia, crescem os negócios, com ganhos
resíduos, área de triagens, área de produtos financeiros e, principalmente, a qualidade e
acabados e de comercialização); produtividade de todas elas. Cooperativas e
Treinar todos os cooperados para que catadores independentes têm movimentado
o padrão de qualidade da triagem dos volumes crescentes de resíduos de volta para
materiais seja o mais homogêneo possível; o processo produtivo industrial.

10
De maneira geral, a cadeia de reciclagem pode, no entanto, limitar a integração das
pós-consumo inclui catadores autônomos cooperativas com as grandes indústrias
que vendem o material coletado para as recicladoras, que estabelecem geralmente
organizações intermediárias que, por sua as regras desse processo. Apesar de a
vez, realizam atividades de prensagem, concretização dessas parcerias depender
armazenagem e transporte. As cooperativas de de arranjos interorganizacionais por
catadores vendem os resíduos recicláveis para vezes complexos, considerando-se as
níveis intermediários ou diretamente para uma particularidades de cada setor e as diferentes
empresa recicladora, que atua na transformação realidades das empresas e das cooperativas,
do material e vende para a indústria. tal integração tem o potencial de gerar ganhos
Algumas cooperativas vendem diretamente sociais e ambientais consideráveis.
para a indústria, o que garante uma melhor
remuneração dos seus membros.
Baixe o infográfico
A multiplicação de agentes intermediários pode sobre encadeamento
gerar problemas de distribuição desigual do produtivo para
valor gerado na atividade. Por exemplo, quando pequenos negócios
as cooperativas conseguem vender vidro goo.gl/DHTM4a
diretamente para as empresas recicladoras o
preço recebido pode ser 40% a 60% maior do
que quando estas vendem para intermediários. A
venda direta contribui para aumentar os ganhos
de escala, incentivar a regularização do negócio
e estimular atividades que agreguem valor, como
o pré-processamento. Integração entre empresas e
Os acordos diretos entre empresas e cooperativas no fluxo reverso
cooperativas podem, portanto, gerar um de resíduos já é uma realidade
aumento significativo da receita dessas últimas A empresa Belgo Mineira estabeleceu um
organizações e uma melhor remuneração de acordo com a Associação de Catadores de
seus membros. O Encadeamento Produtivo é Papel, Papelão e Material Reaproveitável
uma solução viável para suprir essa lacuna e de Belo Horizonte. Ela instalou em sua
planta uma área para triagem, prensagem
contribuir para ambos os lados: da cooperativa e e enfardamento de seus recicláveis pelos
da grande empresa. cooperados vinculados à associação,
que é responsável pela retirada e pela
Esse tipo de parceria pode contemplar não comercialização dos recicláveis. Os
apenas acordo de compra, mas cessão de cooperados são remunerados por meio de
espaço físico para triagem, formação, etc. A acordo comercial. Além da disponibilização
questão da escala, da regularidade da entrega do espaço e da doação de recicláveis, a Belgo
e da qualidade dos produtos comercializados Mineira oferece treinamento em segurança
(materiais limpos, prensados e enfardados) do trabalho.

11
Fonte: Instituto Ethos, 2007
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

POLÍTICAS PÚBLICAS Saiba mais


No Brasil, uma série de avanços nas políticas
sobre a Política
públicas voltadas para a gestão dos resíduos Nacional de
sólidos e a valorização das Cooperativas de Resíduos Sólidos
Reciclagem foi recentemente consolidada. goo.gl/tpFo
Esses instrumentos podem favorecer o negócio
das cooperativas de maneiras diversas:
ao apoio e ao fomento à organização
A Política Nacional de Resíduos Sólidos – produtiva dos catadores de materiais
PNRS (Lei 12.305/2010) determina que todos reutilizáveis e recicláveis, à melhoria
os municípios brasileiros ofereçam coleta das condições de trabalho, à ampliação
seletiva à sua população. Esta reconhece o das oportunidades de inclusão social e
resíduo sólido reutilizável e reciclável como econômica e à expansão da coleta seletiva
um bem econômico e de valor social, gerador de resíduos sólidos, da reutilização e da
de trabalho e renda e promotor de cidadania; reciclagem por meio da atuação desse
A PNRS também visa incentivar a criação segmento;
e o desenvolvimento de cooperativas e A Ementa do Decreto Federal n. 5.940/06
associações de catadores de materiais institui a separação dos resíduos
reutilizáveis e recicláveis, bem como recicláveis descartados pelos órgãos
a implantação de seus galpões e a e entidades da Administração Pública
aquisição de seus equipamentos. Além Federal e a sua destinação às associações
disso, o poder público poderá conceder e cooperativas dos Catadores de Materiais
incentivos fiscais, financeiros ou créditos a Recicláveis;
projetos, prioritariamente, em parceria com
cooperativas e associações de catadores; Além dessas políticas públicas de
abrangência nacional, cada estado ou
O Artigo 24, inciso XXVII, da Lei Federal n. município possui seu conjunto de leis
8.666/93, que institui normas para licitações que ordenam as atividades podendo ser
e contratos da Administração Pública, afirma beneficiadas. Procure os órgãos públicos
que é dispensável a licitação na contratação do seu município e descubra os benefícios
da coleta, processamento e comercialização que as Cooperativas de Reciclagem de
de resíduos sólidos urbanos recicláveis ou resíduos sólidos recebem na sua região.
reutilizáveis efetuadas por associações ou Por exemplo, no município do Rio de Janeiro
cooperativas formadas exclusivamente por os cooperados estão dispensados dos
pessoas físicas de baixa renda; encargos com a Junta Comercial na hora de
O Programa Pró-Catador (Decreto Federal registrar a cooperativa, conforme disposto
n° 7.405/2010) tem a finalidade de integrar e na legislação estadual (Lei n. 3.755, de 07
articular as ações do governo federal voltadas de janeiro de 2002 – Lei Laprovita);

12
Municípios que implantarem a coleta manutenção dos equipamentos, além de
seletiva com participação de cooperativas e priorizar a participação de cooperativas ou de
associações de catadores serão priorizados outras formas de associações de catadores
a receber recursos do governo federal de materiais recicláveis no município;
para ações de limpeza urbana e manejo de
Destaca-se a expansão de recursos
resíduos sólidos. No estado do Rio de Janeiro,
disponibilizados por instituições públicas
os municípios que implantam a coleta seletiva
como Banco Nacional de Desenvolvimento
têm benefícios no cálculo do ICMS ecológico.
Econômico e Social (BNDES), Petrobras e
No estado do Paraná, o governo disponibilizou
Fundação Banco do Brasil para investimentos
R$ 8 milhões para a compra de caminhões
em infraestrutura e capacitação das
para a coleta seletiva e, em contrapartida, os
cooperativas de catadores e associações.
municípios deverão disponibilizar barracão
para triagem dos recicláveis, motorista
para o veículo da coleta, combustível e a

Iniciativas de Sucesso
O Movimento Nacional dos Catadores de
Materiais Recicláveis surgiu em 1999 e
conseguiu muitos avanços desde então, como
congressos latino-americanos e nacional para o
reconhecimento da profissão. A Expocatadores
é a maior feira direcionada ao setor, e sua
proposta é unir cooperativas, poder público,
terceiro setor e fabricantes de máquinas e
equipamentos.

Baixe o infográfico Saiba mais assistindo


sobre políticas ao vídeo sobre
públicas para políticas públicas em
pequenos negócios pequenos negócios
goo.gl/H47F0d goo.gl/4cLghq

13
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

capacidade de trabalho em equipe constitui

Gestão de Pessoas
outra característica importante para realizar
tais funções.
A cooperativa é formada por pessoas e elas
precisam estar satisfeitas, felizes e motivadas com Responsável logístico
o trabalho. Quando isso acontece, benefícios e
bons resultados serão alcançados. A quantidade de Além das funções de transporte dos
colaboradores vai depender do volume de produção produtos gerados, o apoio aos processos de
e das características das máquinas utilizadas. É carga e descarga deve ser considerado no
importante colocar as pessoas certas no lugar planejamento das atividades da cooperativa.
certo: para algumas atividades é necessário um Todos os colaboradores deverão ser
conjunto de habilidades para exercer cada função. orientados quanto ao uso de Equipamentos
De maneira geral, as seguintes funções são de Proteção Individual e uniformes (calças,
importantes: jalecos, capas de chuva, calçados fechados,
luvas, máscara, etc.), de forma a prevenir
acidentes e contaminações.
Administrador e representante comercial
Os colaboradores devem ser remunerados
Deve ter conhecimentos em gestão empresarial e de maneira justa. Recomenda-se a adoção
de cooperativas, possuir habilidade para negociar e de uma política de retenção de pessoal,
buscar transparência e participação nos processos. oferecendo incentivos e benefícios. Com
isso, a cooperativa poderá diminuir os níveis
Grupo de catadores de rotatividade. Podem-se estabelecer
programas que promovam a qualidade
A constituição deste grupo pode levar em
de vida dos cooperados: trabalhos de
consideração todos os catadores interessados
conscientização, cidadania, saúde,
e capacitá-los para participar da cooperativa.
treinamento e entretenimento; processos
Esse procedimento contribui para um maior
educativos nos espaços das cooperativas;
conhecimento das habilidades dos cooperados e
instalação de refeitórios e locais de
permite a incorporação de cooperados treinados
descanso.
sempre que for ampliado o volume de recursos
gerados. Caso haja processo de seleção, o Além disso, é importante buscar uma
procedimento de escolha deve ser transparente. comunicação ágil e clara com cooperados
e incentivar processos participativos de
planejamento e de gestão de conflitos.
Operador de máquina e auxiliar de
produção Baixe o infográfico
sobre gestão de
Devem adquirir conhecimentos técnicos para pessoas para
pequenos negócios
a operação das máquinas e instrumentos de
goo.gl/QG5LG5
reciclagem, respeitando as normas de segurança. A
14
COMPRAS 1. Identifique os itens a comprar ou serviços a
contratar e priorize-os com base na urgência e
SUSTENTÁVEIS importância;
A atividade de compras consiste na obtenção 2. Envie as solicitações de orçamento aos
pela cooperativa dos materiais, produtos e fornecedores e dê preferência àqueles que
atendam às exigências para a sustentabilidade;
serviços necessários para o seu funcionamento,
nas quantidades e prazos estabelecidos, 3. Aprove a compra através do envio de uma
respeitando os níveis de qualidade predefinidos Autorização de Fornecimento assinada pelo
e ao menor preço que seja possível no mercado. responsável da área;

O processo de compras deve ser simples: 4.Solicite avaliação do produto ou serviço


adquirido pela equipe.
Itens de consumo recorrentes podem Baixe o infográfico
ser negociados por meio de contratos de sobre compras
fornecimento mensal ou estocados para sustentáveis para
pequenos negócios
Dica aumentar o poder de barganha com os
fornecedores e conseguir custos menores; goo.gl/QG5LG5
Estabeleça um estoque mínimo e máximo para
cada insumo operacional de forma que o mínimo
seja o suficiente para suprir a operação até a Baixe o infográfico sobre
conclusão de todo o processo de compra. desenvolvimento social
para pequenos negócios

DESENVOLVIMENTO
goo.gl/c8XHfv

SOCIAL
ações que promovam o bem-estar da população
local. Uma cooperativa que adota uma política
A coleta seletiva e a reciclagem têm o potencial de desenvolvimento social e sustentável agrega
de integrar com sucesso os interesses mais valor ao seu negócio. Algumas iniciativas
econômicos, sociais e ambientais das cidades. incluem:
São geradas economias nos gastos com limpeza  Promover ações integradas com escolas,
pública e ganhos em termos de saúde. Outro universidades, associação de moradores e
ganho para a sociedade acontece quando os pequenos comerciantes locais;
materiais recicláveis são reincorporados aos
processos produtivos. As Cooperativas de Facilitar a semana do descarte consciente
nas escolas e faculdades, e instituições;
Reciclagem demonstram ainda capacidade
de inclusão social, assegurando a grupos Organizar visitas guiadas da população local
vulneráveis a estabilidade na atividade e na à cooperativa com objetivos educativos;
renda, além da integração à vida da cidade por Incentivar processos educativos dos
meio de um trabalho socialmente relevante. colaboradores nos espaços da cooperativa;
O desenvolvimento social deve partir de forma Estimular o diálogo com membros da
espontânea da cooperativa e pode gerar população local e buscar nas prefeituras a
empregos e reduzir as desigualdades sociais ampliação de postos de coleta seletiva.
no entorno do empreendimento por meio de
15
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

Gestão AMBIENTAL
dos efluentes deve ser considerado no
planejamento do processo produtivo, a fim de
evitar a contaminação do meio ambiente e o
Para a instalação e a operação desperdício, além de diminuir os custos com
de uma cooperativa é fundamental buscar captação de água.
padrões de qualidade, mecanismos de maior
eficiência ambiental e uso racional dos Além disso, é importante organizar o arranjo
recursos naturais, bem como verificar se o seu interno da cooperativa, buscando padrões de
local de instalação está em conformidade com segurança e de produtividade do trabalho.
o Plano Diretor Municipal. É importante que Os recipientes para entrega de materiais
as cooperativas, ao definirem as instalações são normalmente instalados em postos de
necessárias, levem em consideração o uso entrega e identificados segundo a resolução
racional e eficiente de água e de energia, além do Conselho Nacional do Meio Ambiente. O
de um sistema apropriado de esgotamento armazenamento na cooperativa deve ser
sanitário. Também se deve considerar o mínimo, levando-se em conta a natureza do
gerenciamento adequado da destinação final recurso.
dos rejeitos.

Gerenciamento de Resíduos
A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei
12.305/2010) dispõe sobre a gestão integrada A cooperativa deve ainda definir o tipo de
e o gerenciamento dos resíduos, determinando produto recebido, a fim de reduzir o volume
as responsabilidades compartilhadas do de rejeitos. Muitas vezes as Cooperativas
poder público e do setor privado pelo ciclo de de Reciclagem são especializadas em
vida dos produtos e a logística reversa. Esta determinado tipo de resíduo (papel/papelão,
busca viabilizar a coleta e a restituição de vidros, pneus, garrafas PET, latas de alumínio).
resíduos sólidos ao setor empresarial, para
A população deve ser informada sobre a
reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros
separação adequada dos resíduos e sobre os
ciclos produtivos, ou outra destinação final
produtos que não são recicláveis. Baterias e
ambientalmente adequada.
resíduos de serviços da saúde, por exemplo,
Todos os resíduos sólidos provenientes devem seguir procedimentos específicos de
das atividades da cooperativa de materiais acordo com a legislação vigente e só podem
recicláveis devem ser incorporados ao seu ser recuperados pelas empresas geradoras ou
próprio processo produtivo e os rejeitos especializadas. Outros exemplos de resíduos
deverão ser armazenados em uma área não recicláveis são: plastificação ou película
específica com planejamento de coleta para plástica; papel higiênico; papéis vegetais,
descarte nos locais apropriados. O tratamento papel e papelão encerados com substâncias
impermeáveis, revestidos com camada metálica
ou com colas à base de resina sintética; papéis
parafinados, papel-carbono, fitas adesivas.
Deve-se atentar ao excesso de umidade nos
locais da cooperativa, tendo em vista que Identificar todas as necessidades de uso de
altera as condições do papel, o que dificulta água da cooperativa e buscar soluções para
e até mesmo inviabiliza sua reciclagem. Os racionalização e redução do consumo;
vidros devem passar por processos de limpeza
e captação de impurezas. Podem-se utilizar
simultaneamente diferentes tipos de resíduos
plásticos sem que haja incompatibilidade entre
os materiais, reduzindo a perda de resistência e
de qualidade do produto reciclado. Implantar um sistema de captação de água
de chuva para utilização pela cooperativa.
uso eficiente De água Essa ação proporciona economia, reduzindo
a demanda da concessionária de água;
Em uma Cooperativa de Reciclagem a água é
utilizada, principalmente, nos processos de Realizar a manutenção preventiva das
reciclagem, na manutenção e limpeza do espaço instalações hidráulicas, pelo menos uma vez
e para uso pessoal dos cooperados. Assim, para ao ano;
o uso racional desse recurso, seguem algumas
dicas:

Treinar os cooperados para que todos


contribuam para o uso racional de água;
Contratar um profissional habilitado para
fazer as instalações do sistema hidráulico de
acordo com as normas técnicas;

A água usada deve ser posteriormente


tratada e recuperada para evitar desperdício
e contaminação dos recursos hídricos.
Identificar e consertar vazamentos; Baixe o infográfico
sobre gestão
ambiental para
pequenos negócios
goo.gl/BHLSsz

17
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

Uso Eficiente de Energia LEGISLAÇÃO, NORMAS


A busca da eficiência energética de uma
cooperativa contribui para uma gestão adequada E CERTIFICAÇÕES
dos recursos e para a minimização dos custos.
Nesse contexto, alguns pontos podem ser A formação de cooperativas é uma estratégia de
considerados: fortalecimento dos catadores individuais, sendo
C ontratar um profissional habilitado para fazer possível viabilizar a produção de um maior
as instalações elétricas dos equipamentos volume de recicláveis para a comercialização.
e dos galpões de acordo com as normas Para isso devem-se realizar os seguintes
técnicas estabelecidas; procedimentos:

A nalisar como a energia é consumida E laborar o estatuto da cooperativa – Modelos


no processo produtivo para identificar de estatutos podem ser encontrados na
oportunidades de economia; página do Movimento Nacional de Catadores
de Materiais Recicláveis ;
O rganizar a produção de forma a concentrar
o uso de maquinários em determinados Aprovar o estatuto em Assembleia Geral;
horários, evitando ligar e desligar o mesmo Registrar o estatuto em Cartório;
equipamento várias vezes ao dia;
Registrar a cooperativa na Junta Comercial;
 tilizar lâmpadas que possuem um consumo
U
O bter CNPJ no Ministério da Fazenda /
menor e uma durabilidade maior, como as de
Receita Federal;
LED e, ao término da vida útil desse produto,
dar-lhe a destinação correta; O bter do Corpo de Bombeiros, laudo de
exigências da localidade em que vai se
O ptar por equipamentos que possuam o selo
estabelecer (nos estados onde tal exigência
Procel de eficiência no consumo de energia;
existir);
F avorecer a ventilação natural e a entrada
O bter a aquisição ou dispensa de registro
de luz diurna no galpão de triagem e demais
estadual na Secretaria do Estado da Fazenda;
instalações;
R ealizar a inscrição no Instituto Nacional do
R ealizar, pelo menos uma vez por ano,
Seguro Social – INSS;
manutenção preventiva das instalações
elétricas; O bter na Prefeitura a inscrição municipal
e concessão de alvará de licença de
P intar o telhado de branco reflete os raios
funcionamento;
solares e diminui o calor do ambiente interno;
P rocurar a Organização das Cooperativas do
T reinar os cooperados para que todos
Estado (OCE), a fim de atender ao disposto no
contribuam para o uso eficiente de energia.
Art. 107 da Lei n. 5.764/71, integrando-se ao
Cooperativismo Estadual e Nacional;

18
municípios ou particulares, com vistas à gestão
Conheça a mais integrada e ao gerenciamento ambientalmente
sobre a Política adequado dos resíduos sólidos, considerando e
Nacional de
Cooperativismo incentivando a participação dos catadores de
goo.gl/QqOadQ materiais recicláveis nesse processo.

É importante a aquisição e autenticação dos Será ainda necessário verificar o que determina a
livros da cooperativa, como o de matrícula, legislação local sobre o licenciamento ambiental
de atas das assembleias gerais, de atas das cooperativas. Determinados estados
dos órgãos de administração, de atas do dispensam as cooperativas de licença:
Conselho Fiscal, assim como seguir os R esolução do Conselho Estadual de
procedimentos da localidade para a emissão Meio Ambiente do Rio de Janeiro n. 56 de
de notas fiscais. 13/12/2013: Estabelece critérios para a
No Brasil, muitos avanços têm sido observados inexigibilidade de licenciamento ambiental
na legislação em prol dos catadores de para associações e cooperativas de catadores
materiais recicláveis e da destinação dos para atividade de recebimento, prensagem,
resíduos sólidos. A Classificação Brasileira enfardamento e armazenamento temporário
de Ocupações reconheceu a profissão dos de resíduos sólidos recicláveis não perigosos,
Catadores pela Portaria n. 397, de 9 de inertes, oriundos de coleta seletiva.
outubro de 2002, do Ministério do Trabalho, Conheça a
sob o Código n. 5.192-05. Como contribuinte Associação
individual, é segurado obrigatório da Brasileira de
Normas Técnicas
Previdência Social o cooperado de cooperativa (ABNT)
de produção que, nessa condição, presta goo.gl/GKWWg
serviço à sociedade cooperativa mediante
remuneração ajustada ao trabalho executado D ecreto n. 7.404 de 23/12/2010: Regulamenta
(Decreto n. 3.048/1999 e Decreto n. a Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010, que
4.032/2001). Além disso, o artigo 8º da Lei n. institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos,
12.690/2012 destaca que as Cooperativas de cria o Comitê Interministerial da Política
Trabalho devem observar as normas de saúde e Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê
segurança do trabalho previstas na legislação Orientador para a Implantação dos Sistemas de
em vigor e em atos normativos expedidos pelas Logística Reversa, e dá outras providências.
autoridades competentes.
A Lei n. 12.305/2010, que trata da Política Baixe o infográfico
Nacional de Resíduos Sólidos, reúne o sobre legislação,
normas e
conjunto de princípios, objetivos, instrumentos, certificações para
diretrizes, metas e ações adotados pelo pequenos negócios
governo federal, isoladamente ou em regime goo.gl/JlyvXn
de cooperação com estados, Distrito Federal,
19
P R O C E S S O S P A R A A S U S T E N TA B I L I D A D E

L ei Federal n. 12.690, de 19 de julho de suas atividades no meio ambiente. A Cooperativa


2012 – Dispõe sobre a organização e o de Reciclagem que conseguir se certificar com a
funcionamento das Cooperativas de Trabalho; ISO 14001, além de melhorar a sua imagem perante
institui o Programa Nacional de Fomento o mercado, as autoridades fiscalizadoras e a
às Cooperativas de Trabalho – Pronacoop; sociedade em geral, também estará economizando
e revoga o parágrafo único do art. 442 da em custos de distribuição e gerenciamento de
Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, resíduos, na compra de materiais e no consumo de
aprovada pelo Decreto-Lei n. 5.452, de 1º de energia.
maio de 1943.

MARKETING E
Seguem abaixo algumas normas de referência
para as Cooperativas de Reciclagem:
ABNT NBR ISO IEC 8995-1:2013 – Iluminação
de ambientes de trabalho – Parte 1: Interior;
COMUNICAÇÃO
ABNT NBR 12693:2010 – Sistemas de O Marketing contribui para o fortalecimento
proteção por extintores de incêndio; e a promoção do negócio. A divulgação dos
valores das Cooperativas de Reciclagem para a
ABNT NBR 15483:2009 – Aparas de papel e
papelão ondulado – Classificação; sustentabilidade pode ajudar a atrair parceiros e
clientes. Além disso, uma comunicação eficiente
ABNT NBR 15769:2009 – Aparas de papel e com o público pode contribuir para que os resíduos
papelão ondulado – Comercialização de aparas;
recebidos sigam padrões mínimos de separação e
ABNT NBR 13230:2008 – Embalagens e conservação.
acondicionamentos plásticos recicláveis –
Identificação e simbologia; No caso das cooperativas, alguns mecanismos
ABNT NBR 10.004:2004 – Resíduos Sólidos – podem ser adotados:
Classificação;
Participar de campanhas de conscientização
ABNT NBR NM 225:2000 – Critérios mínimos e mobilização sobre coleta seletiva nas escolas
de seleção de pneus para reforma e reparação – do entorno da cooperativa, tanto para a coleta
Inspeção e identificação. do lixo gerado na escola como para a realização
de gincanas em que os alunos possam trazer o
material de suas casas;
Utilizar o Selo Amigo do Catador, oferecido pelo
Veja mais sobre a MNCR;
ABNT - ISO 14001
Participar de campanhas e mutirões de coleta
goo.gl/1n7FxM seletiva, recolhendo o material previamente
acondicionado pela população;
O principal certificado de responsabilidade
ambiental é a ABNT NBR ISO 14001. Para obter Criar canais de comunicação visando estreitar
essa certificação, a cooperativa precisa seguir o relacionamento entre parceiros que pretendem
destinar o resíduo reciclável e a cooperativa;
uma série de diretrizes de gestão ambiental
que irão identificar e controlar o impacto das
Buscar a fidelização de parceiros e clientes
e promover ações de conscientização sobre a
separação correta e padrões de conservação
dos resíduos descartados;
Promover iniciativas educativas integradas
às escolas e instituições locais, como visitas e
palestras; Coleta seletiva em grandes eventos
Utilizar as redes sociais para divulgação do A Feira Internacional de Calçados, Acessórios de
trabalho da cooperativa, divulgando as boas Moda, Máquinas e Componentes, a Francal Feiras,
estabeleceu desde 2006 uma parceria com a Rede
práticas adotadas; Cata Sampa de catadores. Durante o evento, que
contou com a participação de cerca de 60 mil
Se possível, obter certificações. pessoas, a coleta, triagem e beneficiamento primário
foram realizados por 75 catadores. O próprio evento
destinou um espaço para a atividade e divulgou a
iniciativa em sua estratégia de marketing. Foram
Baixe o infográfico coletadas 40 toneladas de materiais e as atividades
sobre marketing e contribuíram para divulgar a iniciativa.
comunicação para
pequenos negócios Fonte: Instituto Ethos, 2007.
goo.gl/hvwudL
Saiba mais baixando o
infográfico sobre mercado

 ERCADO E
M
e consumo consciente para
pequenos negócios

CONSUMO
goo.gl/MKLfAw

CONSCIENTE resíduos cresce com o aumento do consumo –


e as embalagens são o maior indicador desse
crescimento.
A adoção de padrões de consumo sustentável
visa poupar os recursos naturais e conter o Além disso, o consumidor participa da separação
desperdício. A coleta seletiva já é uma realidade do lixo, que terá influência sobre todo o processo
em muitas cidades. As grandes e pequenas de reciclagem. O material reciclável em contato
empresas são cobradas pela sociedade sobre com contaminantes (óleos, graxas, colantes,
suas atitudes no processos produtivos e na solventes, etc.) deixa de ser reciclável, devido à
cadeia de valor. Grande parte dos consumidores dificuldade de limpeza do material para remoção
valoriza empresas mais sustentáveis, levando desses contaminantes.
em consideração questões como a qualidade
Diante da tendência mundial de conscientização
socioambiental do produto.
socioambiental, o empreendedor deverá se
A redução do lixo produzido e a opção por inserir nesse mercado, transformando o processo
materiais reciclados e recicláveis constituem de reciclagem em uma atividade rentável.
comportamentos cada vez mais frequentes O seu negócio poderá se beneficiar dessa

21
por parte dos consumidores. A geração de oportunidade.
COLOCANDO NO PAPEL

CAMINHANDO Principais Parcerias ATIVIDADES PRINCIPAIS


para um negócio Busque parceiros estratégicos que São suas atividades principais aquelas
sustentÁvel possam alavancar ainda mais o seu
negócio:
que atendem os clientes e que fazem
parte do dia a dia do seu negócio.
A criação de um modelo de Catadores de recicláveis; Coletar, separar (triagem), prensar,
negócio sustentável impõe Empresas e indústrias geradoras armazenar adequadamente os resíduos
de resíduos; recebidos, evitando contaminações;
alguns desafios para o
Descartar os rejeitos seguindo a
empreendedor gerenciar seu Empresas de transporte; legislação vigente e evitando impactos
negócio, por meio de novas Empresas consumidoras da ambientais e à saúde humana;
diretrizes. O Business Model matéria-prima reciclável; Comercializar os produtos finais.
Generation – o Canvas – é Organizadores de Eventos;
uma ferramenta fácil e rápida Prefeituras Municipais;
para modelar e visualizar Parques Municipais, Estaduais e RECURSOS PRINCIPAIS
negócios de forma dinâmica Federais; São todos os elementos que compõem
e interativa, possibilitando Gráficas; a estrutura do seu negócio, sem
uma visão sistêmica Shopping Centers; a qual ele não funciona. Em um
do empreendimento. É Repartições públicas em geral; empreendimento tradicional, o foco
composto por nove blocos Universidades e escolas; da gestão dos recursos são custo e
que descrevem as principais qualidade.
Organizações não governamentais;
partes de um negócio. Galpão;
Entidades de classe (sindicatos, Silo para armazenamento;
Procure conhecer essa associações, institutos, entre
ferramenta, você mesmo outros); Equipamentos: carrinhos de coleta;
pode criar um modelo com esteira; prensa; empilhadeira;
Instituições públicas capazes de balança; moinho; lavadora; tanque de
base no seu negócio e nas informar sobre o estabelecimento decantação; secadora e ventoinha.
dicas fornecidas neste da cooperativa ou apoiar o
material. desenvolvimento do negócio.
Abaixo montamos um Painel
de Modelo de Negócios que ESTRUTURA DE CUSTOS
pode ser utilizado se você São todos os custos envolvidos  anutenção dos equipamentos
M
já tem uma cooperativa na operação do seu modelo de (carrinhos, prensas, empilhadeira,
negócio. É a lista dos gastos telefonia, computador);
instalada e quer melhorar sua
necessários para desenvolver as Insumos operacionais (fitas para
atuação, ou se você ainda não prensa, pallets, outros);
abriu sua cooperativa, mas atividades principais, obter os
recursos e estabelecer parcerias Fixos: aluguel, energia, água,
deseja fazê-lo com base em telefonia, Internet e renda dos
para criar e manter soluções em
um planejamento. cooperados;
sinergia com a proposta de valor.
Variáveis: impostos, insumos
R enda dos cooperados; operacionais e manutenção.
Taxa da Administração; .

22
RELACIONAMENTO COM CANAIS
PROPOSTA CLIENTES São os formatos de entrega e
DE VALOR Visa descrever o tipo de
comunicação da proposta de
valor do seu negócio, além das
É fundamental que você relacionamento que seu negócio irá estratégias de marketing que
saiba explicitar os benefícios estabelecer com cada segmento de definem como e onde o serviço
que seus produtos ou clientes para entregar sua proposta chega até o cliente.
serviços entregam para seus de valor. É essencial diversificar os
Mídias digitais (Facebook, Twitter,
clientes: canais de comunicação para estreitar WhatsApp, e-mail marketing…);
Fornecer, a baixo custo, a relação dos clientes com o negócio.
Marketing boca a boca;
matéria-prima reciclável já E ntrega no prazo, quantidade e custo
negociados; Estratégias de marketing que
selecionada e pronta para valorizem o apelo sustentável
produção; Entregas programadas (“contrato”); e promovam a conscientização
Entregas emergenciais. ambiental;
Atender com prontidão
os clientes que destinam
os seus resíduos às C lientes que se identifiquem com a
cooperativas; SEGMENTO DE CLIENTES proposta sustentável;
Dar destino correto a Visa agrupar os clientes em Indústrias, usinas de reciclagem,
todos os resíduos coletados segmentos com necessidades, associações e entidades de classe,
(inclusive rejeitos). costumes e outros atributos escolas e academias, hospitais,
comuns. Cada segmento terá construção civil, etc.
uma proposta de valor, canal e
relacionamento diferente.

RECEITAS
Descreve as formas pelas quais sua
empresa gera receita de cada segmento de Canvas para Ipad
clientes e seus valores. O relacionamento O Sebrae desenvolveu um aplicativo gratuito
com o cliente deve possibilitar que se Canvas para a construção e modelagem de
identifique o valor que ele está disposto a negócios. O aplicativo está disponível inicialmente
pagar pela qualidade do serviço prestado. para iPad, na App Store. Será desenvolvido também para outras
Venda de insumos recicláveis; plataformas. Essa ferramenta visa promover a construção
rápida de novas ideias de negócios, novos produtos ou novos
Terceirização de operação para coleta, serviços. E com o aplicativo, fica mais fácil o empreendedor
triagem, prensa e armazenagem de materiais remodelar o painel quantas vezes forem necessárias além de
recicláveis para empresas, indústrias e não compartilhar por e-mail ou facebook com seus sócios, amigos,
cooperados; investidores... Visite o site: https://www.sebraecanvas.com/#/
Contratos de fornecimento a indústrias e
usinas de reciclados.

23
DIAGNÓSTICO

O mercado atual é competitivo e tanto


os clientes quanto a sociedade exigem
um padrão de qualidade dos produtos e
regularidade do seu fornecimento de maneira
a satisfazer as necessidades legais, sociais,
5. A cooperativa adota soluções sustentáveis
para o manejo de água, implantando tecnologias
de captação de água da chuva, minimização de
consumo e reaproveitamento?
econômicas e ambientais. SIM NÃO
É importante a autoavaliação para identificar 6. A cooperativa adota soluções para redução do
pontos carentes e aqueles com excesso de consumo de energia?
atenção para que a cooperativa possa focar a
sua gestão naquilo que é relevante e importante SIM NÃO
para o seu crescimento. 7. A cooperativa segue todos os parâmetros da
Marque +1 (ponto positivo) para cada sim ao legislação ambiental vigente?
responder ao questionário. Depois faça a soma SIM NÃO
e confira sua pontuação ao final:
8. A cooperativa inclui pessoas da população

MARQUE +1 [PONTO POSITIVO]


local entre os seus colaboradores?
SIM NÃO

PARA CADA SIM


9. A cooperativa dá preferência aos
fornecedores que possuem práticas de
sustentabilidade em seus negócios (produtos
AO RESPONDER O QUESTIONÁRIO. biodegradáveis e feitos com material reciclável)?

DEPOIS FAÇA A SOMA E CONFIRA SIM NÃO

SUA PONTUAÇÃO AO FINAL 10. A cooperativa incentiva sua equipe e


funcionários a se capacitarem?

1. Sua empresa possui um Planejamento SIM NÃO


Estratégico? 11. A cooperativa garante o bem-estar e a
motivação de funcionários e equipe?
SIM NÃO
2. Sua empresa possui um modelo de gestão? SIM NÃO
12. A cooperativa tem condições apropriadas
SIM NÃO
de infraestrutura (áreas, equipamentos
3. A cooperativa sabe estabelecer preço de e instalações), iluminação, ventilação e
venda? temperatura?
SIM NÃO SIM NÃO
4. A cooperativa realiza controle de estoque?
SIM NÃO
13. A cooperativa realiza inovações (seja em 17. A cooperativa possui algum canal de
produtos, serviços, processos, marketing, comunicação com seus colaboradores, clientes
organizacional)? e sociedade?
SIM NÃO SIM NÃO
14. A cooperativa possui estratégias 18. A cooperativa possui canais de diálogo com
de comunicação com a população para cooperados, clientes e sociedade?
conscientização sobre a separação correta do
SIM NÃO
lixo?
19. A cooperativa garante salários justos
SIM NÃO e condições adequadas de trabalho aos
15. A cooperativa participa de ações e mutirões cooperados?
com a população local para aumentar a coleta
SIM NÃO
seletiva?
20. A cooperativa fornece Equipamentos
SIM NÃO de Proteção Individual (EPI), como luvas de
16. A cooperativa executa e/ou participa de borracha, aventais impermeáveis, máscaras e
ações de responsabilidade social, como projetos óculos, para os seus funcionários?
com foco em educação, inclusão, respeito às leis
SIM NÃO
trabalhistas e de direitos humanos?
SIM NÃO

RESULTADO
até5 pontos 5a9 10 a 14 Acima de
Faça um planejamento do pontos pontos 14 pontos
zero e comece a incorporar Reveja seus A sustentabilidade já é A gestão do seu
o máximo de boas práticas processos internos uma preocupação central negócio é um exemplo
sustentáveis que conseguir. e intensifique a do seu empreendimento. de sustentabilidade.
Será necessário investir capacitação de Releia a publicação e Certifique-se de que o
tempo e dinheiro na criação seus funcionários anote quais práticas e discurso sustentável seja
de uma gestão voltada para para que seu conceitos ainda não foram sempre observado na
a sustentabilidade. negócio seja ainda incorporados à rotina do prática e se atualize em
mais sustentável. estabelecimento. Sempre relação às últimas inovações
há espaço para melhorias. tecnológicas na área.

25
O Centro Sebrae de Sustentabilidade atua com a geração e disseminação de conhecimentos
de sustentabilidade empresarial. Desde 2010, vem construindo um banco de conteúdo
especializado e acessível aos diversos setores da economia nacional. Seu objetivo é levar
informação aos pequenos negócios, ressaltando as vantagens de ser sustentável.
Por meio de vídeos, cartilhas, infográficos e outros materiais, apresenta técnicas inovadoras e
práticas sustentáveis para os pequenos negócios serem mais rentáveis, minimizando os danos
ao meio ambiente e fortalecendo o desenvolvimento social.

Todas as publicações são


gratuitas e estão disponíveis
para download

sustentabilidade.sebrae.com.br