Você está na página 1de 4

HQ

Contexto

Mundo distópico, dois blocos políticos e econômicos dividindo o mundo;

Um bloco chamado de a Confraria Comum e o outro a Liberdade Conservadora;

A Confraria Comum usa o pretexto de um mundo justo e igualitário, onde todos podem ser
irmãos, sem qualquer tipo de religião; Justiça Social;

A Liberdade Conservadora usa o pretexto de um mundo livre da interferência do Estado sobre


as pessoas, e a crença em uma única religião.

Enquanto a C.C. domina a parte ocidental do mundo, a L.C. domina o oriente do mundo.

O clima de guerra é constante, mas talvez essa seja a intenção.

O Pai é uma força superior que controla os ataques e o constante clima de guerra, para que a
Alta Supremacia tenha uma vida de privilégios, à custa das guerras promovidas pela C.C. e L.C.

A Alta Supremacia é a corte real formada pelos membros mais poderosos da Terra, seja em
termos de riqueza, político ou bélico.

O Pai controla de forma totalitária todos os países, sejam da C.C., sejam da L.C., ambos são
apenas pretextos para o controle da ordem mundial.

A massa (população da C.C. e L.C.) trabalha de forma alienada para o sustento da Alta
Supremacia e do Pai.

Aos que fazem parte da C.C. odeiam aos que fazem parte da L.C., e assim visse e versa.

É o controle perfeito, pão e circo para a população, e vida de glórias aos políticos, generais, e
magnatas.

Enredo

A C.C. procurava um tipo de arma que não fosse devastadora, mas que provocasse bastante
dano sobre a liberdade.

Essa arma foi produzida em laboratórios subterrâneos, utilizando cobaias humanas, presos
políticos, assassinos, ou delinquentes.

Muito tempo se passou até que houve um avanço na produção da arma super secreta. De
forma embrionária eles conseguiram modificar geneticamente um ser humano, após tantos
fracassos eles conseguiram um embrião que sobreviveu a todos os testes.

Esse embrião tinha toda sua estrutura genética modificada, para se adaptar a toda força
gravitacional que lhe fosse imposta.

Após o embrião tomar forma, logo os cientistas o colocaram em uma máquina de aumento da
gravidade, e cada dia a gravidade ia aumento em duas em duas vezes.
Por sua modificação molecular, o embrião não estava se desenvolvendo rápido, ele era muito
mais lento em seu desenvolvimento que um humano qualquer.

Passavam-se os dias e aquele embrião suportava as altas pressões da super gravidade, e


sempre permanecia estável.

9 meses é a duração normal do nascimento de uma criança, mas este ser passou dois anos
para chegar ao seu tamanho ideal, sempre suprido pela câmara placentica de oxigênio, e
nutrientes, ele crescia a medida que o tempo passava.

Ao chegar exatamente dois anos a gravidade dentro da maquina da super gravidade estava
1500 vezes maior que a gravidade da terra.

Aquela criatura já não era mais humano, sua estrutura molecular fez dele um ser
impenetrável, com força absurda, e células regenerativas.

O ambiente hostil que ele nasceu fez dele uma maquina de combate, sua adaptação foi um
sucesso.

Ele foi criado como uma criança normal aprendeu a falar, não só uma língua, mas várias, seu
raciocínio era anormal. Com três anos ele era poliglota.

Suas habilidades iam aparecendo à medida que interagia com as pessoas, ele voava, pois a
gravidade, pois seu corpo superava a força da gravidade da terra, tinha uma força descomunal,
matou duas pessoas porque brincando bateu em seus rostos, tinha super-velocidade, super-
resistência, regeneração, ossos mais densos que o aço mais denso que existe, e um raciocínio
rápido, mas ele tinha um problema, ele demorava muito para crescer.

Sempre era feito testes com ele, para saber o limite de seus poderes, seu voo poderia
ultrapassar a velocidade do som, sua força poderia com apenas um soco destruir enormes
montanhas, sua resistência superou todos impactos, desde metais, até mesmo lasers, sua
regeneração ainda não testada, porque ele não se machuca, e os seus ossos mais fortes a cada
dia.

Demorou 30 anos para ele ter a aparência de um jovem de 15 anos, um ano pra ele
correspondia há meio ano.

Em sua juventude ele não entendia o fato de viver preso em um laboratório, e a cada dia ser
feito teste nele.

Ele aprendeu a ter ódio da L.C., e a seguir fielmente todo o lema da C.C., que era: Igualdade é
liberdade, Justiça é paz.

Mas sua dúvida era o porquê de ter um nome de número, pois todos ainda o chamavam de
cobaia 3075, e ainda o porquê de nunca o deixar sair dali, e ainda não o deixavam acessar
nenhum tipo de tecnologia, pois seu raciocínio estava superando aos hackers da C.C., e ele
começou a invadir documentos que revelam o que está além da guerra entre a L.C. e a C.C.

Sua preocupação era também o fato dos cientistas darem drogas ao garoto, para ele nunca
usar 100% todo seu poder.
Ele não suportou viver daquela maneira, sempre vivia com sono, cansado, e sem forças, as
drogas inibiam sua força de vontade.

Ele ouvia pelos cantos conversas onde era mencionado o nome dele, diziam que ele era um
problema, uma falha, pois está saindo do controle, e que vai chegar uma hora que não
poderão mais dominar o garoto.

Vendo que o garoto se adaptava as drogas que iam sendo injetadas, decidiram abortar a
missão Alfa, para começarem a missão Beta, que era a clonagem adaptada dos genes da
cobaia 3075, DNA adquirido pela saliva do garoto.

Ao verem que aquele jovem não servia mais, eles criaram um foguete com destino a Marte,
sem pouso, sem recurso, sem nada.

O jovem foi jogado enquanto dormia, no foguete. Mas enquanto o foguete ia sendo lançado,
ele despertou e percebeu que estava sendo jogado como lixo.

Naquele momento tudo que ele sentia era raiva, e num piscar de olhos tudo se transformou
em fogo.

Marte era o nome da bomba atômica que iria destruir o foguete fora do espaço aéreo.

Todos comemoraram a explosão atômica, e iniciaram a fase de clonagem do gene do garoto,


como efeito colateral da clonagem, os clones não se adaptavam além de possuía a metade da
força das habilidades do projeto Alfa.

Fazer vários clones desse tipo de gene era inviável, pois o gasto era enorme e criar vários seres
assim, poderia ser que eles se revoltassem e nos dominassem, portanto foi criado apenas um.
O projeto Beta.

Em meses ele já tinha a aparência jovem, evidentemente seu poder era menor que o Alfa, mas
mesmo assim era destruidor.

Logo de inicio foi colocado nano robôs em sua corrente sanguina, onde se tornou
praticamente um escravo da irmandade.

Em poucos meses ele era o protetor do Supremo, o governador central da irmandade.

Personagens:

Projeto Édipo: Ramsés (Apólyto)

Projeto Cadmo: Manasses (Tyrr)

Cientista:

Garota: Raabe

Senhor: José