Você está na página 1de 3

Análise química da água e do solo

Introdução – água

A água é um recurso fundamental para a existência da vida, na forma que nós


conhecemos. Foi na água que a vida floresceu, e seria difícil imaginar a existência de qualquer
forma de vida na ausência deste recurso vital. Nosso planeta está inundado d’água; um volume
de aproximadamente 1,4 bilhão de km3 cobre cerca de 71% da superfície da Terra. [1]

A água, em sua constituição física, apresenta propriedades únicas que a difere de


qualquer outra substância e que, em grande parte, é responsável pela existência da vida na
terra.[2] Esta é um recurso natural de valor agregado, onde pode ser encontrada de formas
acessíveis e pouco disponíveis.

Nas formas acessíveis se encontram a água doce constituída em minas naturais, poços,
lagos e rios, e nas formas pouco disponíveis se encontram a água doce congeladas como neve,
geleiras, o vapor atmosférico, e águas em profundidades de acesso difícil. Sendo que a água
utilizada para estudo das propriedades químicas foi coletada de um lago.[3]

Coleta da água

Foi coletado a água do lago em 4 pontos distintos, como mostrado na imagem de


satélite, sendo esses pontos denominados “Ponta Central” “Entrada” “Saída” e “Central” onde
é mostrado as latitudes e longitudes, além de fotos do local.

Considerações da Água

Como mostrado no vídeo, o lago é utilizado para banho, dos moradores da casa, bem
como do Toddy.

Tratamento de amostras de água

Todas as amostras de água apresentaram um sólido aparente, assim foi realizado o


processo de filtração. Após serem filtradas as amostras de água, juntamente com o branco,
foram mantidas sob refrigeração.

Introdução – solo

O solo é definido como a material resultante da interação entre hidrossfera, atmosfera


e litosfera. Este possui 3 fases, a Solida liquida e gasosa, sendo que na fase solida é encontrado
matéria orgânica e minerais, na fase líquida água, eletrólitos solúveis, micronutrientes, e na
fase gasosa gases como O2 e N2.

Coleta do solo

O solo foi coletado em 5 pontos distintos, sendo a coleta superficial utilizando uma pá
de plástico e retirado a sujeira superficial. A amostragem foi realizada na forma de cruz com
uma distância de 3m de diferença de um ponto ao outro, e o material coletado foi armazenado
em um recipiente de alumínio.
Considerações do Solo

Na área onde foi coletado o solo, tem-se uma plantação de cana-de-açúcar, na qual é
utilizado esterco como adubo.

Tratamento de amostras de solo

As amostras foram mantidas no forno a 40ºC por 48h, para secar o excesso de água
contida no solo, logo após essas foram peneiradas para remoção de partículas maiores que
2mm, e por fim uma mistura única da amostra de solo, foi armazenada em um recipiente de
plástico.

Introdução – Parâmetros usados.

Os parâmetros utilizados para análise da água e do solo são, pH, Condutividade,


Turbidez, Dureza, Cloretos totais, Fosforo total e ions metálicos.

Análise X

O Potássio é importante na cana de açúcar porque sua falta causa um decréscimo de


teor de açúcar no colmo da cana devido a função de ativação enzimática que o potássio possui
agindo no transporte de carboidratos. [4]

Técnica analítica que se baseia na emissão de radiação eletromagnética das regiões


visível e ultravioleta do espectro eletromagnético por átomos neutros ou átomos ionizados
excitados [6] ????????????????????????????????

De acordo com SILVEIRA, VITUSSO, MEDINA tem-se no solo de plantio de Cana de


açúcar para solos sem adubos comercializados aproximadamente 10 g/kg de potássio. Logo,
observa-se que o valor encontrado de potássio na amostra, esta muito abaixo do que o teórico
utilizado como base. [5]

Referencias:

[1] Águas no planeta Terra. Cadernos Temáticos de Química Nova na Escola. Edição especial –
Maio 2001

[2] Água – Uma visão Integrada. Cadernos Temáticos de Química Nova na Escola. N° 8, p. 4-8,
MAIO 2014

[3] SOUSA R. A. Química das águas – Parte 1. Quimica Ambiental – 2ºS 2017. Disponível em <
http://www.ufjf.br/baccan/files/2012/11/Aula-2-Qu%C3%ADmica-das-Aguas_Parte-
1_2S2017.pdf>
[4] VITTI G. C. QUEIROZ, F. E. C., OTTO, R, QUINTINO, T. A. Nutrição e adubação da cana-de-
açúcar. Disponível em: <
https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/Nutricao+cana+GVitti_000fh3r3vzp02wyi
v80rn0etnmc6zamd.pdf>

[5] Silveira M. A. G. da, Vitusso L., Medina N. H. Distribuição de Potássio em Cana de Açúcar.
Braz. J. Rad. Sci. 2015.

[6] Espectrometria de emissão atômica. Disponível em <


http://www.ufjf.br/nupis/files/2015/10/aula-7-Emiss%C3%A3o-at%C3%B4mica-parte-1.pdf>