Você está na página 1de 19

Foca na Medicina

Aula 1 Biologia

Material do Aluno

Professores: Eduardo Rabelo

Estrutura das membranas celulares

Todas as membranas da célula têm a mesma estrutura básica, consistindo em uma camada dupla de lipídios, na qual estão imersas proteínas globulares, muitas delas estendendo-se através desta camada, com a formação de protuberâncias nos lados exterior e interior. A porção dessas proteínas transmembrana imersas na camada de lipídios é hidrofóbica, enquanto as porções expostas em ambos os lados da membrana são hidrofílicas. As duas superfícies de uma membrana diferem consideravelmente em composição química. Por exemplo, há dois tipos principais de lipídios nas membranas das células vegetais os fosfolipídios (os mais abundantes) e os esteróis, particularmente o estigmasterol (mas, não o colesterol, que é o principal esterol dos tecidos animais) e as concentrações de cada um deles são diferentes na camada lipídica. Além disso, as proteínas transmembrana têm orientações definidas dentro da camada dupla de lipídios, e as protrusões em cada lado têm diferentes composições de aminoácidos e diferentes estruturas terciárias. Outras proteínas que também estão associadas às membranas, chamadas proteínas periféricas, por não terem sequências hidrofóbicas discerníveis, não penetram na camada lipídica.

Figura: Modelo mosaico-fluido da estrutura da membrana. A membrana é constituída por uma camada dupla

Figura: Modelo mosaico-fluido da estrutura da membrana.

A membrana é constituída por uma camada dupla lipídica, ou seja, duas fileiras de moléculas de lipídios – com suas “caudas” hidrofóbicas voltadas para dentroe grandes moléculas de proteínas. As proteínas que atravessam essa camada lipídica são do tipo proteínas integrais, conhecidas como proteínas transmembranas. Outras proteínas, denominadas proteínas periféricas, estão presas a algumas das proteínas transmembranas. A porção de uma molécula da proteína transmembrana imersa na camada dupla lipídica é hidrofóbica; a porção exposta em cada lado da membrana é hidrofílica. Curtas cadeias de carboidratos estão ligadas à maioria das proteínas transmembranas nas zonas de protrusão, na superfície externa da membrana plasmática. A estrutura, como um todo, é bastante fluida e, desse modo, as proteínas podem ser imaginadas como flutuando em um “mar” lipídico.

2

As proteínas transmembranas e outras proteínas ligadas a lipídios e que estão firmemente ligadas à membrana são chamadas proteínas integrais. Embora algumas das proteínas integrais pareçam estar ancoradas em um ponto (talvez ligadas ao citoesqueleto), a camada bilipídica é geralmente bem fluida. Algumas das proteínas flutuam mais ou menos livremente na camada dupla de lipídios, e, à medida que elas e os lipídios se movem lateralmente dentro desta camada, formam-se diferentes padrões ou mosaicos, que variam de tempo a tempo e de lugar a lugar daí o nome mosaico-fluido para esse modelo estrutural de membrana.

Um novo modelo para a estrutura das membranas está emergindo: uma estrutura menos fluida, de espessura variável e com maior proporção de proteínas. Nesse modelo, as proteínas estão organizadas em grandes complexos funcionais, alguns dos quais se projetam pela superfície da membrana, ocupando, assim, maior área da membrana do que suas regiões transmembrânicas. Além disso, os lipídios tendem a se agrupar, formando interações entre lipídios e entre lipídios e proteínas e conferindo à membrana uma aparência de “arranjo irregular”. Na superfície externa da membrana plasmática, carboidratos de cadeias curtas (oligossacarídios) encontram-se ligados à maioria das proteínas nas áreas de protrusão, formando glicoproteínas. Acredita-se que os carboidratos desempenhem importantes papéis no reconhecimento de moléculas (como os hormônios, as proteínas de cobertura de vírus e as moléculas das superfícies de bactérias) que interagem com a célula. A maioria dos carboidratos das membranas está presente sob a forma de glicoproteínas, mas uma pequena porção está presente como glicolipídios, que são lipídios da membrana com carboidratos de cadeias curtas a eles ligados. O arranjo dos grupos de carboidratos na superfície externa da membrana plasmática tem sido revelado em grande parte por experimentos

usando lectinas, proteínas que se ligam firmemente a grupos específicos de carboidratos. Duas configurações básicas têm sido identificadas entre as proteínas transmembranas. Uma delas é uma estrutura relativamente simples semelhante a um bastão, consistindo em uma alfa-hélice única imersa no interior hidrofóbico da membrana, com porções hidrofílicas menos regulares, estendendo-se para qualquer lado. A outra configuração é encontrada em proteínas globulares maiores, com estruturas tridimensionais complexas, que fazem repetidas “passagens” através da membrana. Em tais proteínas de membranas de “múltiplas passagens”, a cadeia polipeptídica geralmente atravessa a camada dupla lipídica como uma série de alfa-hélices.

a camada dupla lipídica como uma série de alfa-hélices. Figura. Duas configurações de proteínas transmembranas.

Figura. Duas configurações de proteínas transmembranas. Algumas proteínas transmembranas estendem-se através da camada dupla lipídica como uma alfa-hélice simples (A), enquanto outras proteínas de múltiplas passagens , como alfa-hélices múltiplas (B). As porções de uma proteína que formam uma protrusão para qualquer lado da membrana são hidrofílicas; as porções helicoidais dentro da membrana são hidrofóbicas.

Enquanto a camada lipídica provê a estrutura básica e a natureza impermeável das membranas celulares, as proteínas são responsáveis pela maioria das funções da membrana. Em geral, as membranas são constituídas por 40 a 50% de lipídios (em peso) e 50 a 60% de proteínas, sendo as

quantidades e os tipos de proteínas na membrana o reflexo de sua função. As

membranas envolvidas com a transdução de energia (a conversão de uma

forma de energia para outra), como as membranas internas das mitocôndrias e

dos cloroplastos, consistem em cerca de 75% de proteína.

Algumas proteínas de membrana são enzimas que catalisam reações

associadas a membranas, enquanto outras são carregadores envolvidos no

transporte de moléculas ou íons específicos para dentro e para fora da célula

ou da organela. Outras proteínas, ainda, são receptores para receber e

transduzir (converter) sinais químicos provenientes do ambiente interno ou

externo.

Especializações da Membrana Plasmática Uma vez que a membrana plasmática representa a superfície das

células, em muitos casos essa superfície necessita de adaptações especiais,

denominadas especializações da membrana. São elas:

Microvilosidades: trata-se de diminutas expansões digitiformes na superfície celular, projetadas para o meio extracelular, ampliando, deste modo, a área de absorção da célula. São encontradas, por exemplo, nas células epiteliais de revestimento da mucosa intestinal.

Interdigitações: propiciam uma melhor conexão das células entre si num

tecido, descrevendo saliências e reentrâncias que se encaixam nas

reentrâncias e saliências das células adjacentes.

Desmossomos: são especializações da superfície celular que assim como as

interdigitações visam uma maior fixação de uma célula às células

circunvizinhas. São dispostas irregularmente ao longo das membranas de

separação de células contíguas. Cada desmossomo é composto por duas

metades, chamadas de hemidesmossomos, sendo que cada pertence a uma

célula. Na adesão da célula com sua lâmina basal encontramos apenas um

hemidesmossomo, conforme figura a seguir.

Cílios e flagelos: também são englobados nas especializações da

membrana celular. Apresentam-se como expansões celulares delgadas e altamente móveis que contribuem para a movimentação celular ou com o surgimento de correntes líquidas ao redor da célula.

Zônulas de oclusão: Outro tipo de junção celular presente em muitos

epitélios é a zona de oclusão, uma espécie de cinturão adesivo situado junto a borda livre das células epiteliais. A zona de oclusão mantém as células vizinhas

tão encostadas que impede a passagem de moléculas entre elas. Assim, substâncias eventualmente presentes em uma cavidade revestida por tecido epitelial não podem penetrar no corpo, a não ser atravessando diretamente as células.

Zônulas de adesão: regiões que unem células vizinhas por meio de

substâncias intercelulares adesivas, causando aderência sem que haja contato entre as membranas plasmáticas.

Junções comunicantes: são pontos comunicantes entre a membrana

de uma célula e outra, através de proteínas transmembranares de ambas as células, formando poros (canais) por onde passam íons e pequenas moléculas. Esse tipo é encontrado em tecidos embrionários, células cardíacas e hepáticas. Em tecidos organizados, as células são conectadas através de junções celulares, as quais são estruturas especializadas constituídas primariamente por proteínas. Junções oclusivas ou tight selam a passagem de fluidos entre os dois lados da camada celular e definem dois domínios na membrana plasmática: as regiões apicais e basolateral. A composição das junções tight ainda não está totalmente esclarecida. Entretanto, duas proteínas descritas (claudinas e ocludinas) têm sido bastante estudadas. Existem diferentes tipos de claudinas e ocludinas. Cada epitélio apresenta um conjunto próprio dessas proteínas. As claudinas parecem ter papel fundamental para formação das junções oclusivas, podem realizar ligações heterofílicas ou homofílicas, enquanto as ocludinas só podem ligar-se com ocludinas do mesmo tipo (ligação homofílica) entre células vizinhas. Cada domínio contém

lipídios e proteínas únicas que são responsáveis pelas funções especializadas de cada superfície celular, como as interações com hormônios ou fusão com vesículas intracelulares que contêm proteínas secretórias. Os principais tipos de junções ancoradouras presentes nos tecidos de vertebrados são junções aderentes, desmossomas e hemidesmossomas. Junções aderentes são sítios de ligação para filamentos de actina, enquanto os desmossomas e hemidesmossomas são sítios de ligação para filamentos intermediários. Junções tipo fenda ou Gap são junções comunicantes formadas por conjuntos de proteínas que permitem a passagem direta de moléculas menores de 1.000 daltons de uma célula para o interior da célula adjacente. Junções Gap estão envolvidas no transporte de pequenas moléculas, bem como nas sinapses elétricas. Os plasmodesmatas são as únicas junções celulares em plantas e, apesar de possuírem estrutura completamente diferente, funcionam como as junções tipo fenda.

celulares em plantas e, apesar de possuírem estrutura completamente diferente, funcionam como as junções tipo fenda.

Parede Celular

A parede celular, também chamada de parede celulósica, é uma

estrutura que envolve a membrana celular nas células dos vegetais e dos

organismos procariontes.

É altamente resistente, diferindo em sua composição química quando

comparada entre células vegetais e células procarióticas. Nas células vegetais

é composta especialmente por acúmulo de celulose, embora ainda possam ser

encontradas outras substâncias, como pectina, ácido metapéctico, dentre

outras. Embora esta estrutura seja altamente rígida, é permeável à água, que a

atravessa livremente em ambos os sentidos.

Exercícios de Múltipla Escolha

1. A respeito da membrana plasmática, é correto afirmar que

a) as moléculas de fosfolipídios são completamente apolares.

b) a fluidez da membrana permite a movimentação das proteínas que fazem

parte dessa membrana.

c) os canais de transporte permanecem abertos o tempo todo.

d) a difusão facilitada é um processo que independe da participação de

proteínas.

e) a organização da membrana plasmática é diferente da membrana que forma

as organelas celulares.

2. Assim como o crescimento corporal, o envelhecimento tem características diferentes nos variados grupos de organismos. Um fator que contribui para a incapacidade da manutenção da integridade das células e dos tecidos é o acúmulo de danos causados pelos radicais livres de oxigênio no interior da

célula,

respectivamente, às estruturas de

alteram fosfolipídeos e nucleotídeos, causando danos,

os

RLO

a) carioteca e centríolos.

b) lâmina celular e cromátides.

c) parede celular e fuso acromático.

d) membrana celular e cromossomos.

e) membrana plasmática e citoesqueleto.

3.

Sobre o modelo mosaico fluido das membranas celulares, é correto afirmar-

se que

a) os componentes mais abundantes da membrana são fosfolipídios, proteínas

e aminoácidos livres.

b) a membrana tem constituição glicoproteica.

c) lipídios formam uma camada única e contínua, no meio da qual se encaixam

moléculas de proteína.

d) a dupla camada de fosfolipídios é fluida, possui consistência oleosa, e as

proteínas mudam de posição continuamente, como se fossem peças de um mosaico.

4. A membrana plasmática é uma estrutura que atua como limite externo da célula, permitindo que esta realize suas funções.

Com relação à membrana plasmática, considere as afirmações abaixo.

I. Sua estrutura molecular tem como componentes básicos lipídeos e proteínas. II. Os fosfolipídeos apresentam uma região hidrofílica que fica voltada para o ambiente não aquoso. III. O esteroide colesterol é um lipídeo presente na membrana plasmática de células animais e vegetais.

Quais estão corretas?

a)

Apenas I.

b)

Apenas II.

c)

Apenas I e III.

d)

Apenas II e III.

e)

I, II e III.

5.

Assinale a alternativa incorreta em relação às membranas plasmáticas.

a) As mitocôndrias, os lisossomos e o complexo golgiense são organelas

citoplasmáticas revestidas por membrana plasmática.

b) A estrutura básica de uma membrana plasmática consiste em uma bicamada

de fosfolipídeos associada a proteínas, carboidratos e esteróis.

c) A membrana plasmática é uma estrutura típica das células animais, sendo

substituída pela parede celular nas células vegetais.

d) As proteínas de membrana têm como uma de suas funções permitir o

transporte de substâncias de dentro para fora da célula e vice-versa.

e) As membranas plasmáticas exercem a importante função de

reconhecimento celular, participando da integridade de tecidos biológicos.

Gabarito:

Resposta da questão 1:

[B] A fluidez da membrana plasmática determina por interações moleculares

entre os fosfolipídios constituintes da bicamada, permite a movimentação das

proteínas que fazem parte dessa estrutura celular.

Resposta da questão 2:

[D] Os radicais livres de oxigênio (RLO) ao provocarem alterações nos

fosfolipídios e nucleotídeos causam danos, respectivamente, em estruturas celulares membranosas e nos cromossomos, constituídos por DNA.

Resposta da questão 3:

[D] O modelo mosaico fluido que propõe a arquitetura molecular das

membranas celulares afirma a existência de uma biocamada de fosfolipídios

fluida, onde se deslocam livremente diversos tipos de proteínas.

Resposta da questão 4:

[A]

II. Falso. Os fosfolipídios apresentam uma região hidrofílica na membrana plasmática que fica voltada para o ambiente aquoso. III. Falso. O colesterol é um lipídio presente apenas na membrana plasmática de células animais.

Resposta da questão 5:

[C] A membrana plasmática é uma estrutura obrigatória em todas as células de

todos os seres vivos.

Exercícios Discursivos

1. Ao longo do tempo, os cientistas têm estudado várias modificações sofridas

pela membrana plasmática, tais como microvilosidades e interdigitações que desempenham funções importantes na manutenção da saúde do ser vivo.

Conceitue microvilosidades e interdigitações, relacionando-as com a nutrição e a proteção do ser humano.

2. Produtos de limpeza, como sabão, detergente, desentupidor de pia e

alvejante, geralmente utilizados em residências, apresentam, na sua composição, compostos como hidróxido de sódio (NaOH) e hipoclorito de sódio

(NaC

O).
O).

A esse respeito, julgue o item a seguir.

Considerando-se que, para extrair DNA de uma célula, seja necessária a

destruição das membranas, é correto inferir que, para tal procedimento, as

células devam ser expostas a um detergente.

3. O atual modelo de estrutura da membrana plasmática celular é conhecido

por modelo do mosaico fluido, proposto em 1972 pelos pesquisadores Singer e Nicholson. Como todo conhecimento em ciência, esse modelo foi proposto a partir de conhecimentos prévios. Um importante marco nessa construção foi o experimento descrito a seguir. Hemácias humanas, que só possuem membrana plasmática (não há membranas internas) foram lisadas (rompidas) em solução de detergente, e os lipídios foram cuidadosamente dispersos na superfície da água. Foi então medida a área ocupada por esses lipídios na superfície da água e ficou constatado que ela correspondia ao dobro do valor da superfície das hemácias.

a) Que conclusão foi possível depreender desse experimento, com relação à

estrutura das membranas celulares?

b)

Baseado em que informação foi possível chegar a essa conclusão?

4.

“Todas as células, sejam procarióticas ou eucariotas, possuem na superfície

uma película limitante que é chamada membrana plasmática. Entre outras

funções, essa película mantém separada do ambiente externo a estrutura altamente organizada da matéria viva, controlando a entrada e saída de substâncias.”

(LINHARES, S., F. Gewandsznajder. Biologia hoje. São Paulo: Ática, 2001, v. 1, p. 105).

O atual modelo para a estrutura da membrana é conhecido como

“modelo do mosaico fluido” e foi proposto por S. J. Singer e G. L. Nicholson, em

1972. Elabore um desenho esquemático do modelo do mosaico fluido e indique

seus componentes: fosfolipídios, proteínas e glicídios.

5. A Figura 1 a seguir mostra as vilosidades do intestino de uma serpente após um longo período de jejum, enquanto a Figura 2 mostra a mesma região minutos após a ingestão de alimentos.

a mesma região minutos após a ingestão de alimentos. Essa rápida alteração nas vilosidades é causada

Essa rápida alteração nas vilosidades é causada por um intenso aumento da irrigação sanguínea na porção interna dessas estruturas. Tal mudança após a alimentação é importante para o aumento da eficiência do processo de nutrição das serpentes. Por que a alteração nas vilosidades contribui para a eficiência da nutrição das serpentes? Justifique sua resposta.

6. A célula apresenta membrana plasmática que a delimita do meio exterior.

Embora essa membrana não seja visível à microscopia ótica, sabe-se que a sua estrutura é complexa. A figura a seguir representa o padrão básico de organização dessa membrana.

que a sua estrutura é complexa. A figura a seguir representa o padrão básico de organização

a)

Cite a natureza química dos componentes indicados pelos números:

I

b)

Cite uma função fisiológica desempenhada pela membrana plasmática que

não tenha gasto de energia:

c)

O glicocálix está indicado pelo número:

7.

Sabe-se que as membranas celulares podem possuir especializações que

conferem propriedades importantes aos tecidos. Dentre essas especializações,

algumas são estruturalmente mantidas por componentes do citoesqueleto.

Ao se tratar células do epitélio intestinal com substâncias inibidoras da

polimerização de actina, verificou-se a redução da taxa de absorção de

nutrientes.

Explique por que ocorreu a diminuição da absorção intestinal de nutrientes.

8. Os esteroides são lipídios bem diferentes dos glicerídeos e das ceras,

apresentando uma estrutura composta por quatro anéis de átomos de carbono

interligados. O colesterol é um dos esteroides mais conhecidos, devido à sua

associação com as doenças cardiovasculares. No entanto, este composto é

muito importante para o homem, uma vez que desempenha uma série de

funções. Complete os quadros a seguir com informações sobre este composto.

a) Duas principais funções do colesterol:

b) Duas origens do colesterol sanguíneo:

9. No esquema a seguir são apontadas três especializações de membrana presentes nas células do epitélio intestinal. Complete o quadro com o nome ou a função correspondente:

Complete o quadro com o nome ou a função correspondente: 10 . Desmossomos e microvilosidades são

10. Desmossomos e microvilosidades são importantes adaptações de

membrana plasmática de células de determinados tecidos. A respeito dessas

estruturas, responda:

a) Quais são suas funções, respectivamente?

b) Em que tipos celulares aparecem, respectivamente?

11. Cite três propriedades da membrana plasmática, ou plasmalema, que envolve as células dos seres vivos (exceto vírus).

12. A seguir estão representados três modelos de biomembranas:

a) A que constituintes da membrana se referem as letras a, b e c?

b) Qual dos modelos é atualmente aceito para explicar a estrutura das biomembranas?

c) Qual a característica do modelo escolhido que lhe confere vantagem do

ponto de vista de transporte através da biomembrana?

a característica do modelo escolhido que lhe confere vantagem do ponto de vista de transporte através

Gabarito:

Resposta da questão 1:

As microvilosidades são evaginações da membrana plasmática das

células epiteliais que revestem o intestino delgado. Elas aumentam a superfície

de absorção alimentar.

As interdigitações são encaixes entre as membranas das células

epiteliais e funcionam como estruturas de adesão celular, evitando a saída de

fluidos corpóreos e a entrada de agentes nocivos pelos espaços entre as

células dos epitélios de revestimento.

Resposta da questão 2:

Correto.

Os detergentes conseguem dissolver a bicamada lipídica formadora das

membranas celulares, permitindo a extração do DNA celular.

Resposta da questão 3:

a) O experimento permite concluir que as membranas celulares são constituídas por uma bicamada lipídica. b) A conclusão é baseada na observação de que, a área ocupada pelos lipídeos da membrana dispersos na água, ocupa o dobro da área da superfície das hemácias.

Resposta da questão 4:

lipídeos da membrana dispersos na água, ocupa o dobro da área da superfície das hemácias. Resposta

Os fosfolipídios estão representados em azul escuro, as proteínas em

verde e os glicídios em azul claro e vermelho.

Os glicídios associados às proteínas são denominados glicoproteínas e

os glicídios associados aos lipídios, glicolipídios.

Resposta da questão 5:

Porque o aumento de tamanho das vilosidades aumenta a superfície relativa, tornando a absorção de nutrientes mais eficiente.

Resposta da questão 6:

a) I. Proteína

II. Bicamada lipídica III. Glicocálix

b) Osmose, difusão facilitada.

c) O glicocálix está indicado pelo número III.

Resposta da questão 7:

O filamento de actina é o principal componente do citoesqueleto, responsável pela manutenção da estrutura das microvilosidades. Com a utilização de um inibidor da polimerização de actina, houve uma significativa redução da formação das microvilosidades - estruturas celulares responsáveis pelo aumento da superfície de absorção intestinal.

Resposta da questão 8:

a) As duas principais funções do colesterol são: participar da composição estrutural das membranas dos animais e ser precursor de hormônios sexuais (estrógenos, andrógenos e progesterona).

b) O colesterol sanguíneo tem origem endógena ou exógena (proveniente da

dieta).

Resposta da questão 9:

1)

Glicocálix.

2)

Função: aumento da superfície de absorção.

3)

Desmossomos.

Resposta da questão 10:

Desmossomos - "botões" de adesão celular que ocorrem na membrana

plasmática das células epiteliais.

Microvilosidades - evaginações em forma de "dedo-de-luva" formadas

pela membrana plasmática que aumentam a capacidade de absorção das

células que revestem o intestino.

Resposta da questão 11:

A plasmalema se regenera, é permeável seletivamente e permite o

reconhecimento celular.

Resposta da questão 12:

a) a - fosfolipídios, b - proteínas e c - glicocálix

b) Modelo I

c) Possui canais fisiológicos e dinâmicos que explicam o transporte de

substâncias através da biomembrana.

Exercícios Discursivos de Fixação De Conceitos

1. Descreva de modo sucinto o modelo do mosaico fluido da membrana.

2. Defina e diferencie meio intracelular e meio extracelular.

3. O que você entende por compartimento celular?

4. Como se organizam os lipídeos nas membranas?

5. O que você entende por fluidez dos lipídeos da membrana?

6. Que tipos de movimento realizam os lipídeos na membrana?

7. O que é flip-flop? Quando ocorre?

8. Como atuam os seguintes fatores sobre a fluidez da membrana:

a) comprimento das cadeias de ácidos graxos dos fosfolipídeos?

b) duplas ligações nas cadeias de ácidos graxos dos fosfolipídeos?

9. Por que o colesterol diminui a fluidez da membrana?

10. Descreva a assimetria da bicamada lipídica.

11. Como podem os lipídeos formar domínios na membrana?

12. O que são as plataformas lipídicas (Balsas Lipídicas)?

Gabarito

1. A membrana é formada por uma bicamada lipídica onde se inserem mais ou

menos profundamente as proteínas. Os lipídeos da bicamada são anfipáticos e as cabeças polares ficam voltadas para o exterior, enquanto as caudas apolares ficam voltadas para o interior da bicamada.

2. Meio intracelular é tudo que fica da membrana plasmática para dentro da

célula. Meio extracelular é o que fica da membrana plasmática para fora. Os

compartimentos delimitados por retículo endoplasmático, complexo de Golgi e o interior de organelas e vacúolos também são considerados como meio extracelular, já que também ficam separados do citoplasma por uma membrana

3. É qualquer espaço limitado por uma membrana contínua e separado do meio

externo ou do citosol. A mitocôndria, por exemplo, possui duas membranas e

dois compartimentos, o intermembranas e a matriz mitocondrial, separados pela membrana mitocondrial interna.

4. Numa bicamada onde as cabeças polares ficam voltadas para o exterior, enquanto as caudas apolares ficam voltadas para o interior da bicamada.

5. Eles podem se deslocar livremente no plano da membrana.

6. As caudas hidrofóbicas dos ácidos graxos podem oscilar, os fosfolipídeos

podem realizar movimentos de rotação em torno de seu próprio eixo e de translação no plano do folheto em que estão inseridos.

7.

É quando um fosfolipídeo muda de folheto na bicamada. Esse é um evento

raro que necessita de enzimas específicas, as flipases, para ocorrer.

8.

a- Quanto mais curtas as cadeias de ácidos graxos, mais fluida a membrana.

b-

Quanto

mais

fosfolipídeos

com

cadeias

insaturadas,

mais

fluida

a

membrana.

9. O colesterol é uma molécula pequena e muito rígida por conta dos anéis

aromáticos. Pelo seu tamanho, ela se insere entre as moléculas de fosfolipídeo, diminuindo o espaço disponível para os movimentos deles.

10. A composição das membranas varia com relação à quantidade de cada tipo de fosfolipídeo. Além disso, alguns fosfolipídeos nunca são flipados só estando presentes em um dos folhetos da bicamada lipídica. Fosfatidilcolina e a esfingomielina se distribuem apenas na camada voltada para o meio externo, enquanto a fosfatidilserina e a fosfatidiletanolamina se localizam apenas na camada interna.

11. Algumas regiões são compostas por lipídeos de menor fluidez que permanecem agregados, formando domínios com funções específicas. Quando esses domínios ocorrem em invaginações da membrana, são chamados cavéolas.

12. São regiões da membrana em que se acumulam ácidos graxos de cadeias mais longas e colesterol, formando regiões menos fluidas, onde a espessura da bicamada é maior e em que apenas proteínas com determinada expansão das alfa hélices podem inserir-se.