Você está na página 1de 3

DISCIPLINA: BIOLOGIA MOLECULAR CURSO:FARMÁCIA E BIOMEDICINA

DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA E IMUNOLOGIA PROFESSORA: MARIANA QUEZADO

DISCIPLINA: BIOLOGIA MOLECULAR CURSO: FARMÁCIA E


BIOMEDICINA
DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA E IMUNOLOGIA PROFESSORA: MARIANA
QUEZADO

ALUNO: LUCAS ANTONIO MOITINHO

Controle da expressão gênica em procariotos e eucariotos

1. Compare a precisão de (a) replicação do DNA, (b) síntese de RNA e (c) síntese de proteínas.
Quais os mecanismos utilizados para assegurar a fidelidade de cada um desses processos?

Apesar de ser semi-conservativa, a precisão da replicação do DNA pode ser considerada alta devido a
atividade da enzima DNA polymerase. Pois, durante a extensão, caso algum nucleotídeo incompatível tenha sido
acidentalmente incorporado à fita molde, a polimerase é impedida de continuar a extensão da fita, e assim, inicia
um processo de revisão onde a excisão do nucleotídeo imcompatível será feita pela atividade exonuclease 3’ →
5’ da polimerase. Isso garante um taxa de 1 erro a cada 107 nucleotídeos adicionados à fita molde.
A síntese de RNA ocorre de maneira distinta em eucariotos e procariotos. Ainda sim podemos destacar a a
precisão desse processo como sendo média, se comparada aos itens (a) e (c). Isso ocorre por fatores intrínsecos
do processo, como p.ex. a possibilidade de existência de duas regiões promotoras para o mesmo gene. O que
acaba criando uma nova possibilidade de ligação para a RNA Polimerase.
Precisão baixa quando comparada aos demais itens em razão da complexidade envolvida no processo. Além
dos mecanismos envolvidos na síntese de RNA, podemos citar os mecanismos de splicing, que ocorrem durante o
processamento do hnRNA. Aqui, variações no local do sítio de ligação 5’ e/ou 3’ de um íntron e/ou éxon, sítios
alternativos para a formação da cauda poliadenilada, etc. Podem causar uma variação de até 500 proteínas
diferentes a partir de um mesmo gene.

2. Nos procariotos,a ausência de compartimentalização do genoma permite que os processos de


transcrição e tradução sejam acoplados. Em eucariotos, esses processos estão temporal e
espacialmente isolados. Quais as consequências dessa diferença entre procariotos e eucariotos?

A transcrição e tradução se tornam mais complexas e mais sucetíveis a interferências nos eucariotos. Prova
disso é a necessidade de associação de uma 7-metil-guanosina (5’-cap) e uma cauda poliadenilada (cauda poli(A))
ao mRNA, para facilitar a associação a um ribossomo (fora do núcleo, na síntese de proteína) e evitar uma
clivagem indesejada por exonuclease 3’-5’.
3. Explique a importância de cada uma das seguintes modificações pós-traducionais:

a) Enovelamento: ajuda a proteína a alcançar a forma necessária para exercer sua função.
b) Formação de ligações dissulfeto: confere mais estabilidade à proteína.
c) Clivagem da cadeia polipeptídica: necessária para a ativação ou inativação de enzimas.
d) Glicosilação: processo enzimático necessário para a produção de biopolímeros como polinucleotídeos (DNA
e RNA).
e) Fosforilação: necessária para a ativação ou inativação, bem como regulação de quase metade das enzimas.
f) Metilação, acetilação: necessárias para a regulação da expressão de genes, função de proteínas e
processamento de RNA.
g) Adição de âncoras lipídicas: contribuem para a função das proteínas às quais estão ancoradas, permitindo
ou inibindo a interação de proteínas com membranas celulares ou complexos proteicos.
h) Degradação: auxilia a atividade celular, permitindo que a quantidade de proteínas seja rapidamente alterada,
de acordo com o estímulo recebido.

4. Os óperons lac e triptofano são regulados de acordo com a concentração de lactose e de


triptofano.

a) De modo geral, quais as vantagens de organização de genes em óperons?

Além da expressão de um ou mais genes estruturais ser controlada por um único promotor (o que promove
maior praticidade e agilidade na transcrição), o fato dos genes só poderem ser expressos todos de uma vez,
diminui a chance de ocorrer anomalias durante a transcrição.

b) Em ambos óperons, a ligação de uma proteína repressora ao promotor é regulada por


moléculas sinalizadoras. No entanto, em um caso esta ligação é favorecida, enquanto no outro é
desfavorecida. Justifique essa diferença considerando as proteínas codificadas por cada óperon.

No caso do triptofano, a ligação é favorecida quando esse aminoácido está presente em grande quantidade
nas proximidades do óperon, pois o triptofano se liga ao repressor para que esse se ligue ao operador e iniba a
transcrição do óperon trp. Enquanto no óperon lac, a lactose se liga à proteína repressora para previní-la de
impedir a transcrição dos genes.

c) Como a concentração de glicose influi na transcrição gênica para o óperon lac (e de modo
geral, para diversos óperons relacionados ao metabolismo de carboidratos)?

A concentração de glicose atua de modo inversamente proporcional à transcrição gênica para o óperon lac.
Quando os níveis de lactose estão elevados, a produção de β-galactosidase por parte da proteína LacZ é
aumentada. Como β-galactosidase é responsável por clivar a lactose em glicose e galactose, o aumento de sua
produção irá acarretar na diminuição da concentração de lactose, permitindo que proteínas repressoras se liguem
à região operadora, inibindo a transcrição do óperon lac.

d) Quatro regiões contidas na sequência líder do óperon triptofano (sequência localizada entre o
promotor e as sequências codificadoras de proteínas} são importantes para o mecanismo de
atenuação. Explique o papel de cada uma dessas regiões para a regulação deste óperon,
descrevendo o processo que ocorre em altas e em baixas concentrações de triptofano.

A sequência líder contém quatro regiões, a região 1 pode parear com a 2, a região 2 com a 1 e 3, a região 3
pode parear com as regiões 2 e 4 e, por fim, a região 4 só parea com a região 3. Para atenuar a transcrição, a
região 3 parea com a 4 quando a concentração de triptofano está elevada. E quando essa concentração de
triptofano está baixa, a região 2 pareia com a 3, indicando que a reação pode continuar ocorrendo para a
produção ocorrer normalmente.

5. Algumas diferenças entre eucar iotos e procariotos, como presença de cromatina e de


membrana nuclear, implicam em diferenças de regulação da expressão gênica entre esses
organismos.

a) Explique o que é o código de histonas, que tipo de alterações ocorrem na cromatina e,de
modo geral, qual a sua importância para a regulação da expressão gênica.

O código das histonas é uma hipótese de que a transcrição da informação genética codificada no DNA é em
parte regulada por modificações químicas nas proteínas histonas, principalmente em suas extremidades não
estruturadas. As histonas se associam ao DNA para formar nucleossomos, esses se ligam para formar fibras de
cromatina, que por sua vez formam o cromossomo. A modificação nas histonas, tem um papel importante na
regulação da expressão gênica, pois tem a função de alterar a estrutura da cromatina ativamente ou para
promover a transcrição.

b) Diz-se que em eucariotos o estado basal de transcrição é restritivo. Explique esta afirmativa
comparando a regulação em procariotos e eucariotos. Em eucariotos não há organização em
óperons. Cite mecanismos permitem a regulação conjunta de genes relacionados (por exemplo,
de diversos genes que codificam proteínas que participam de uma mesma via metabólica).

A regulação da transcrição em eucariotos depende da ação coordenada de um aparato molecular composto


por fatores de transcrição, ativadores, RNA polimerase e mediadores de múltiplos complexos proteicos. Isso
ocorre devido à maneira com que o DNA eucarioto está compactado, pois o gene promotor está inacessível sem
a assistência dos fatores de transcrição no núcleo. Já nos organismos procariotos, na ausência de elementos
reguladores, a transcrição ainda será realizada.