Você está na página 1de 13

1

MBA EM ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS

CLEIDE ALVES DE OLIVEIRA


JOSÉ CLEUTON MARTINS SILVEIRA FILHO
MÁRCIA MIRANDA LIRA

A INFLUÊNCIA DA LIDERANÇA NO CLIMA ORGANIZACIONAL

Fortaleza - Ceará
2018
2

CLEIDE ALVES DE OLIVEIRA


JOSÉ CLEUTON MARTINS SILVEIRA FILHO
MÁRCIA MIRANDA LIRA

A INFLUÊNCIA DA LIDERANÇA NO CLIMA ORGANIZACIONAL

Projeto de pesquisa apresentado ao Curso


de Especialização em Administração e
Negócios da Faculdade Ateneu, como
instrumento parcial para aprovação na
disciplina Metodologia do Trabalho
Científico.

Orientador: Profª. Drª Rosângela Couras


Del Vecchio

Fortaleza - Ceará
2018
2

SUMÁRIO

1 TÍTULO 4
2 TEMA DO PROJETO 4
3 DELIMITAÇÃO DO TEMA 4
4 PROBLEMA 4
5 HIPÓTESES 4
6 OBJETIVOS X
6.1 Objetivo geral X
6.2 Objetivos específicos X
7 JUSTIFICATIVA X
8 REFERENCIAL TEÓRICO X
9 METODOLOGIA X
9.1 Tipo de pesquisa X
9.2 População e amostra X
9.3 Técnicas de coleta de dados X
9.4 Técnicas de análise de dados X
9 CRONOGRAMA X
10 REFERÊNCIAS x
4

1) TÍTULO
A influência da liderança no clima organizacional

2) TEMA DO PROJETO

 Liderança
 Clima Organizacional

3) DELIMITAÇÃO DO TEMA

Pretende-se desenvolver a pesquisa na Empresa: Ateneu, tendo como


contingente de 700 pessoas, buscando desenvolver as perguntas com os grupos:
gestores e funcionários administrativos com dados do ano de 2017.

4) PROBLEMA

Para Cervo; Bervian (1996, p.66) “Problema é uma questão que envolve
intrinsicamente uma dificuldade teórica ou prática, para a qual se deve encontrar uma
solução”.

Porém, nem todo problema pode ser usado para uma pesquisa científica. É
necessário verificar se a pergunta pode ser emoldurada em um tratamento científico.
Assim, apenas será um problema científico se considerar variáveis testáveis e sujeitas
à observação ou à manipulação. (GIL, 2007)
A problemática nesta pesquisa é centralizada com o foco na seguinte pergunta:
qual o impacto da liderança na motivação dos funcionários? Tendo como objetivo de
analisarmos o impacto do líder na motivação de sua equipe para o desempenho de bons
resultados.

5) HIPÓTESE

Tendo em vista que a liderança é o cargo de maior poder dentro da organização,


no qual acarreta impactos positivos e negativo: originando em colaboradores mais
engajados e comprometidos que “vestem a camisa”. Assim também como pode levar a
5

trabalhadores sem perspectiva e insatisfeitos por não existir uma gestão voltada para o
ser humano. Levando em consideração que no decorrer desse processo reflete
diretamente no consumidor final, seja em um atendimento de boa qualidade ou não.

O líder é o principal motivador, onde mostra a direção e estimula o colaborador


para buscar reconhecimento para a equipe, satisfação pessoal e profissional. A qualidade
de vida é um fator considerável para que haja uma interação qualificada entre a
administração e o restante da companhia.

Nesse sentido de acordo com Silva, Peixoto e Batista (2011) a motivação humana
tem sido uma das principais preocupações e desafios da gestão organizacional moderna,
e várias teorias tentam explicar o sentido desta força misteriosa que leva as pessoas a
agirem de forma a alcançar seus objetivos. O que anteriormente era apenas um
instrumento da área de Recursos Humanos, agora passa a fazer parte da estratégia das
empresas.

6) OBJETIVOS

Analisar e relatar a liderança no contexto atual ressaltando a importância da


comunicação positiva entre o líder e a equipe, dando ênfase a evolução dos profissionais
através da qualidade de vida dentro da empresa.

6.1 Objetivo Geral

 Analisar o papel do líder e identificar a influência deles sobre o clima organizacional.

6.2 Objetivos Específicos

 Destacar a importância da liderança e seus perfis nas organizações.


 Apresentar as formas adequadas de clima organizacional viabilizando crescimento
sustentável às organizações.

7) JUSTIFICATIVA

Bergamini (1994) afirma que a liderança tem sido também estudada como um
processo de interação que envolve trocas sociais. Sob esse aspecto, o líder é visto
como alguém que traz um benefício, não só ao grupo em geral, como a cada membro
6

em particular, fazendo nascer desse intercâmbio o valor que seus seguidores lhe
atribuem. Em troca, os membros do grupo devolverão ao líder seu reconhecimento e
aceitação como forma de lhe conferir a autoridade para dirigir pessoas.

Dentro das empresas podemos destacar vários objetivos da gestão de pessoas,


Chiavenato (1999) diz que a administração de recursos humanos deve contribuir para a
eficácia organizacional através sete objetivos:

 Ajudar a organização a alcançar seus objetivos;


 Proporcionar competitividade à organização;
 Proporcionar à organização empregados bem treinados e bem motivados;
 Aumentar a auto avaliação e a satisfação dos empregados no trabalho;
 Desenvolver e manter qualidade de vida no trabalho;
 Administrar a mudança; e
 Manter políticas éticas e comportamento socialmente responsável.

Para atingir esses objetivos e conquistar um desenvolvimento sustentado das


pessoas e da organização, são necessários diversos métodos e técnicas.

8) REFERENCIAL TEÓRICO

8.1 Conceito de Liderança

Liderança vem do termo em inglês Leader que significa líder. A liderança pode ser
conceituada quando o indivíduo comanda e atraí pessoas para lhe seguir, influenciando
assim a fazerem a conseguir a alcançar o objetivo que deseja. O líder é o indivíduo que
une e direciona o grupo de pessoas afim de atingir um propósito. A liderança é algo que
exige autoridade e responsabilidade, pois um grupo de indivíduos fará de acordo com o
que foi solicitado por seu líder.
De acordo com Furini (1994.p.14) “A liderança com qualquer arte é o caminho da
perfeição. O verdadeiro líder não se contenta com um êxito passageiro ele quer atingir
uma vitória real e duradoura” por esse motivo a líder precisa de algumas habilidades e
expertises pois quando se trabalha em um ambiente com liderados de todos os perfis e
que possuem histórias de vidas, sentimentos diferentes.
7

O verdadeiro líder sabe identificar perfis e trabalhar o melhor de cada um, fazendo
assim o trabalho prosperar e alcançar os objetivos. Para que a liderança consiga motivar
os seus colaboradores é necessário que eles se sintam importantes para a organização e
notem que o seu trabalho é importante para o todo.
Nos tempos modernos as empresas buscam a excelência em seus processos
buscando qualificar seus líderes para que os mesmos tenham ou adquiram habilidades
que possam engajar as equipes.
Segundo Vieira (2005) ser líder é um grande desafio, executar, planejar, ser eficaz,
comunicador, liderar grupos, delegar tarefas, ser gestor de talentos humanos, estar
constantemente atualizado é algo dificultoso. O líder tem um importante papel para o
desenvolvimento da equipe pois ele influencia a equipe a buscar a lutar pelas mesmas
causas. É importante que o líder possua uma boa relação com seus liderados, essa
relação é necessária para o acompanhamento da equipe, pois é de suma importância que
o líder conheça os seus subordinados e avalie o seu trabalho de acordo com as
habilidades e competências.
Uma das iniciativas do líder que mantém o grupo em harmonia e consegue um
diálogo franco é através do feedback que é uma conversa entre o líder e o liderado na
qual se expõe os pontos positivos e os que se pode melhorar.
Gaudênio (2009.p. 41) considera-se que o feedback é “imprescindível no
desenvolvimento do papel profissional” Quando se possui feedback se estabelece uma
relação onde se pode conhecer melhor e ouvir opiniões. Independente de nascer ou se
desenvolver um líder é necessário que esteja disposto a aprender que não é por ele ser o
líder que os seus liderados não possam ensinar algo.

8.2 Características de um bom líder

Um bom líder, antes de ser juiz é também advogado da sua equipe e quando
lideram, defende as pessoas que gerencia. Se alguém tem uma reclamação sobre um de
seus funcionários, ele procura resolver o problema, não deixando que ninguém passe por
cima de sua autoridade e responsabilidade, sendo leal a sua equipe, agindo da melhor
maneira possível, convertendo problemas em soluções imediatas.

Os bons líderes são aqueles que mostram que agirão de acordo com os
interesses do grupo sem sacrificar o direito do indivíduo. Demonstram ter senso de
justiça, sabem que nem sempre é possível ter todas as respostas e que é impossível
8

liderar por atrás de suas mesas confortáveis sem se envolver com os problemas. São
pessoas que aprendem a reconhecer potencial, superam os obstáculos e fazem com que
as pessoas deem o seu melhor. Aprendem desde cedo a terem respeito por si, respeito
pelo próximo e a respeitar a diferenças como características fundamentais de liderança.

O líder também é porta-voz de seus superiores hierárquicos, o que o torna ao


mesmo tempo gerente e “parte do grupo”. São perfeitamente capazes de criar o orgulho e
a vontade de seus funcionários em realizar uma tarefa, criando um ambiente onde as
pessoas se orgulham de si e de seu trabalho.

Para ser um bom líder, não é necessário um vocabulário rebuscado ou teorias


complexas para se fazer entender. A única coisa que é preciso ser provada é o seu poder
de comunicar-se com as pessoas de maneira clara, transparente e correta, mostrando-
lhes quais as suas expectativas e objetivos em relação à determinada tarefa e qual o seu
comprometimento com o sucesso da equipe.

Para Ervilha (2008, p.55) “O líder nato é aquele que nasce com esse dom, reúne
características de personalidade e tem atitudes que fazem dele naturalmente um líder. O
líder treinável é aquele que não nasceu com esse dom, mas tem algumas características
e desenvolve outras com muito esforço e muito empenho.”

Candeloro (2013) relata que um líder pode já nascer com característica de


liderança, mas também a pessoa pode se desenvolver, ser treinada e adquirir qualidades
e competências para se tornar um, não necessariamente se é um líder nato, com o
desenvolver de habilidades e conhecimento se pode tornar um líder pois o mundo se
encontra em mudanças constantes sempre sendo necessário aprender e desenvolver. De
acordo com Candeloro:
Ser perseverante: É ter foco na lucratividade: Toda empresa no mercado busca
lucratividade antes de sua missão, demonstrar para sua equipe que a empresa precisa se
manter e sobreviver, para isso, é necessário agregar valores.
Ser criativo: Os empresários buscam aquele líder que tem boas ideias e inovam
através da sua criatividade em virtude de um resultado positivo diante de seus interesses.
Se adaptar as mudanças rapidamente: A adaptação é um perfil que os líderes
devem possuir. Imprevistos acontecem e o líder deve estar preparado para uma nova
ação, caso seja necessário para atingir os objetivos.
Ser psicólogo: Saber escutar, saber conversar, direcionar. É fundamental o líder
9

ter essa abertura com os funcionários para que se sintam confortáveis em dizer o que
sentem, sem se sentir intimidados ou receosos.
Estar preparado: Para estar preparado busque conhecer todos os problemas
pessoais e profissionais e gerencie suas soluções. Você pode, por exemplo, ter uma
dívida e planejar seu pagamento, não pode é simplesmente esquecer a dívida. Ter
problema não é problema. Problema é não conhecê-los e não gerenciá-los.

8.3 Principais tipos de liderança

Segundo Chiavenato (200 p.314) “Liderança é a influência interpessoal exercida


em uma situação e direcionada por meio do processo de comunicação humana a
consecução de um ou mais objetivos específicos. Existem vários tipos de liderança que
se faz necessário conhecermos para adequarmos o maior rendimento da equipe, com
principal objetivo unificar a empresa em todos os aspectos. Existem diversos estilos de
liderança:
O tipo democrático consegue cooperação da equipe, confia em seus membros e é
muito comunicativo. Cria consenso por meio da participação do grupo. Esse estilo
considera que os membros da equipe têm uma certa maturidade e conhecimento para
poder participar ativamente das decisões.
O tipo autoritário comanda com firmeza, provoca mudanças na equipe, está à
frente e mobiliza as pessoas para um ideal. É do tipo que motiva as pessoas a fazerem
algo juntamente com ele.
Já o tipo liberal delega poderes para um ou mais membros da equipe e fica à
disposição para o que for necessário. O nível de maturidade e conhecimento das tarefas
pelos profissionais da equipe, nesse caso, precisa ser bem alto para que possam
desenvolver um bom trabalho. Esse tipo de liderança pode funcionar bem quando os
seguidores são pessoas instruídas e maduras.
O tipo visionário cria projetos em longo prazo, os quais são construtivos e
atraentes para a organização. Para ele, o futuro é que dá sentido à ação do presente.
Essa liderança é capaz de reconhecer talentos com facilidade.
Quando saímos da teoria e vamos par a pratica os estilos se misturam, pois, o
líder vai agir de acordo com a situação, no mundo corporativo se trabalha com pessoas
diferentes. A liderança pode ser centrada nas tarefas que é quando o líder se preocupa
apenas com os processos ou centrada nas pessoas que é quando se procura habilidades
10

de cada indivíduo para exercer determinada função.

9) METODOLOGIA

O presente estudo utilizou como metodologia a pesquisa de levantamento de


dados qualitativa de caráter exploratório. Como recurso pedagógico foi usado
questionário com perguntas e respostas.

Em relação à pesquisa qualitativa Duarte (2002) fala que de um modo geral,


pesquisas de cunho qualitativo exigem a realização de entrevistas, quase sempre longas
e semiestruturadas. Nesses casos, a definição de critérios segundo os quais serão
selecionados os sujeitos que vão compor o universo de investigação é algo primordial,
pois interfere diretamente na qualidade das informações a partir das quais será possível
construir a análise e chegar à compreensão mais ampla do problema delineado.

Os procedimentos de coleta de dados, foram realizados com base em pesquisas


bibliográficas, artigos na base de dados Scielo elaborados para a Internet e artigos de
revistas especializadas, disponíveis ao público.

9.1 Tipo de pesquisa

No que se refere a pesquisa exploratória Marconi e Lakatos (2003, p.188),


afirmam que são compreendidas como investigações de pesquisa empírica cujo objetivo é
a formulação de questões ou de um problema, com tripla finalidade: desenvolver
hipóteses, aumentar a familiaridade do pesquisador com um ambiente, fato ou fenômeno
para a realização de uma pesquisa futura mais precisa ou modificar e clarificar conceitos”.
O método da pesquisa será exploratório. Segundo Gil (1996, p. 4), “estas
pesquisas têm como objetivo proporcionar maior familiaridade com o problema, a fim de
torná-lo mais explícito ou construir hipóteses”. Pois visa obter informações a fim de
compreender o problema.

9.2 Universo, População e Amostra

Técnicas de Coleta de Dados O método de aplicação do questionário será


realizado virtualmente, onde enviaremos o questionário via e-mail para os entrevistados.
11

9.3 Técnicas de Análise de Dados

Os dados serão coletados e computados por meio do programa Google


Formulários no qual forneceu estatisticamente o resultado da pesquisa.

10) CRONOGRAMA

Segue abaixo tabela do cronograma:

Ações Ago. Set. Out. Nov. Dez.


Apresentação do projeto de pesquisa ao orientador e X
reelaboração
Reescrita do referencial teórico X
Elaboração dos instrumentos de coleta de dados X X
Coleta dos dados X
Análise e interpretação dos dados X
Escrita do artigo X X
Entrega do artigo na secretaria acadêmica X
Apresentação do artigo junto à banca X
Entrega do artigo definitivo na biblioteca X

Tabela 1: Cronograma da Pesquisa


12

11) REFERÊNCIAS

BERGAMINI, Cecília Whitaker. Liderança: A Administraçao Do Sentido. 3. ed. São


Paulo: Revista de Administração de Empresas, 1994. (Volume 13). Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/rae/v34n3/a09v34n3.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2018.

DUARTE, RosÁlia. Pesquisa Qualitativa: Reflexões Sobre O Trabalho De


Campo. 115. ed. Rio de Janeiro: Cadernos de Pesquisa, 2002. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/ /cp/n115/a05n115.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2018.

BIANCHI, A. C.M.; ALVARENGA, M.; BIANCHI, R. Manual de orientação: estágio


supervisionado. 2. Ed. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 4. Ed. São Paulo: Makron


Books, 1996.

CHIAVENATO, I; IDALBERTO. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos


humanos nas organizações. 3. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: o novo papel dos recursos humanos nas
organizações. – Rio de Janeiro: Elsevier, 1999.

FONTANA, David. Estresse faça dele um aliado e exercite a autodefesa. 1ª ed.


São Paulo: Saraiva 1991.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2011.

. Metodologia Cientifica. São Paulo: Atlas,


2008.

. Fundamentos de metodologia científica. São


Paulo: Atlas, 2007.

RODRIQUES, V. C; MARCUS, Qualidade de vida no trabalho: evolução e analise


no nível gerencial – Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.
13

SILVA, Caroline Machado Castilhos da; PEIXOTO, Roberta Ramalho; BATISTA, José
Mauro Ruiz. A Influência Da Liderança Na Motivação Da Equipe. 13. ed. Rio de
Janeiro: Revista Eletrônica Novo Enfoque,, 2011. Disponível em:
<http://castelobranco.br/sistema/novoenfoque/files/13/artigos/17_RobertaeCaroline_Prof
Ruiz_VF.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2018