Você está na página 1de 4

geografia

da Cana
texto  João Neto e Marcelo Benedicto
O CULTIVO E PROCESSAMENTO
DE UMA DAS CULTURAS MAIS
ANTIGAS DO BRASIL

fotos  Daiane de Paula Ciriáco, Licia Rubistein


e Marcelo Luiz Delizio Araújo
design  Pedro Vidal

g
Marcelo Luiz Delizio Araújo

14 retratos a revista do ibge mar 2018


Marcelo Luiz Delizio Araújo

D
o plantio à chegada do produto
ao consumidor, brasileiro ou
estrangeiro, a cadeia produtiva
da cana-de-açúcar segue um
longo caminho. Presente em
solo brasileiro desde o período
colonial, a cana é cultivada de
norte a sul do país e envolve
o estabelecimento da colônia na
época, embora tenha ajudado a
promover o tráfico de africanos.
“Os colonizadores trou-
xeram a cana para o Brasil
também pensando em movi-
mentar o mercado de escravos.
A economia gerada por ela, de
de cana de açúcar no Brasil
totalizou cerca de 9.2 milhões
de hectares, correspondente ao
tamanho de Santa Catarina. A
produção foi de 687,8 mil tone-
ladas, 10,5% a menos que em
2016. O gerente de Agricultura
do IBGE, Carlos Alfredo Guedes,
Museu da cana
Antigo engenho central
em Pontal/Sertãozinho
(SP). A modernização
da produção canavieira
se iniciou com os
engenhos centrais no
século XIX.

desde pequenos produtores até certa forma, estruturou o Brasil atribui essa diminuição ao receio
grandes usinas, dando origem de hoje. No Nordeste temos dos produtores diante da queda
principalmente ao açúcar e um exemplo: várias usinas hoje na demanda por etanol. “Nos
o etanol – embora produtos vieram de antigos engenhos”, últimos anos, o governo tem
como açúcar mascavo e cachaça explica a geógrafa do IBGE, adotado uma política de con-
artesanal venham conquistando Daiane de Paula Ciriáco. trole do preço da gasolina e
mais espaço no mercado. Com o tempo, o Brasil manteve os preços congelados
Nativa do continente asiáti- ganhou concorrentes e a cana com o objetivo de controlar a
co, a cana-de-açúcar foi trazida entrou em decadência, deixan- inflação. Isso inviabilizou na
ao Brasil pelos portugueses do de ser a principal atividade maioria dos estados a utilização
por volta de 1530. As primei- econômica no século XVII. do etanol, que perdeu concor-
ras mudas foram plantadas Mesmo assim, o Brasil conti- rência frente à gasolina”.
em planícies próximas ao mar, nuou produzindo e exportando
principalmente no Nordeste, derivados da cana. As últimas PLANTIO, CULTIVO E COLHEITA:
cultivo que nos anos seguintes décadas foram marcadas por BOIAS-FRIAS À MECANIZAÇÃO
foi se interiorizando no país. investimentos em melhoramen- Diferente de cerais como arroz,
Os livros de história relatam tos genéticos e na produção de milho e café, a cana-de-açúcar
um passado glorioso da cana- novos gêneros como o etanol. é plantada por meio de toletes
-de-açúcar, determinante para Em 2017, a área colhida (pedaços de cana). No Brasil,

mar 2018 retratos a revista do ibge 15


“A cana é do pequeno produtor da tossíntese. Assim, a cana encon- esse passado”, explica Daiane.
agricultura familiar até o grande, trou no Brasil condições ideais Após a colheita, a cana é
para seu desenvolvimento”. levada para as usinas, onde é
que produz etanol e açúcar. No entanto, a questão da processada para extração da
Há ainda a produção de energia mecanização da colheita é um sacarose, matéria-prima do
com a queima do bagaço.” desafio para o Brasil. O Censo etanol, açúcar, cachaça e outros
Agropecuário de 2006 revelou alimentos. Segundo o geógrafo
Daiane de Paula Ciriáco, geógrafa do IBGE que, dos municípios produtores do IBGE, Diogo Cabral, não
de cana, apenas 2,4% deles em- pode haver uma distância mui-
os canavicultores adotam dois pregavam colheita automatizada to grande entre a área plantada
sistemas de safras: o mais ou combinada em mais da me- e a de processamento, porque
comum dura 18 meses, outro, tade dos estabelecimentos. O após a colheita a cana precisa
vantajoso por facilitar o geren- emprego da colheita manual nos ser processada rapidamente
ciamento de grandes áreas, dura canaviais é um ponto que reabre para não se degradar, o que
12. Segundo a Pesquisa Agrícola a discussão sobre condições de explica o fato de a economia
Municipal do IBGE, em 2016, trabalhos dos boias-frias. de municípios depender quase
58% dos municípios brasileiros “Nas novas zonas de produ- que exclusivamente do cultivo
produziam cana-de-açúcar ção como o sul goiano, as usinas e do processamento da cana. O
com regularidade. São Paulo, nascem mecanizadas, mas nas bagaço também é usado para
Goiás e Minas Gerais são os regiões mais antigas como Nor- geração de energia para consu-
maiores produtores. deste e em alguns locais de São mo interno das usinas e para a
Conforme explica Carlos Paulo ainda não são totalmente. rede elétrica nacional.
Alfredo, o clima brasileiro, de Essas novas usinas contratam,
modo geral, é bastante propício assinam carteira, cedem aloja- EXPORTAÇÃO, AGRICULTURA
para se plantar cana. “A cana- mento e tendas próximas aos FAMILIAR E PRODUÇÃO
-de-açúcar pertence à família canaviais, quando é preciso. É ARTESANAL
das gramíneas, que necessitam um setor muito fiscalizado pelo Segundo a publicação do IBGE,
de muito sol para realizar a fo- Ministério do Trabalho, por “A Geografia da Cana-de-Açú-

Do plantio ao produto
Dependendo da
variedade e do Máquinas ou
local de plantação, trabalhadores
demora de 12 a manuais fazem a
18 meses para colheita da cana.
ser colhida.

Como se degrada
É plantada por
rapidamente, a cana
meio de toletes,
é transportada para
que são pedaços
fábricas próximas
de cana.
aos canaviais.

16 retratos a revista do ibge mar 2018


car”, em 2015 foram produzidos
30 bilhões de litros de etanol e
35,6 milhões de toneladas de
açúcar no país. Desse total, o
Brasil exportou 5% do etanol e
67,4% do açúcar produzido. “A
produção de cana movimenta
muitos lugares dentro do Brasil.
O etanol é basicamente para
consumo interno. Já o açúcar
conecta o Brasil com lugares
Marcelo Luiz Delizio Araújo

lá fora”, explica Adma Haman,


geógrafa do IBGE.
Outro segmento crescente
é a cachaça. Daiane atribui o
crescimento à sofisticação do
produto. “A cachaça era um
sub-produto na época da colo-
nização. Mas há uma tendên-
Usina moderna
cia recente de se produzirem dispersa pelo país e mais ligada
Indústria de processamento
cachaças mais refinadas. Hoje à agricultura familiar. O jeito de cana-de-açúcar, em
todas as classes sociais conso- de se produzir é herança do Chapadão do Céu (GO).
mem o produto”. período colonial. É o caso do
O pequeno produtor encon- açúcar mascavo, que é um
tra espaço, principalmente no produto menos industrializado.
mercado de produtos naturais O produtor que consegue se
e artesanais, explica Daiane. adequar às normas de produção
“A produção artesanal é mais e vigilância se dá bem”. Concentração
da área plantada
FONTE: IBGE
Baixa Alta PAM - Produção Agrícola Municipal 2015

O bagaço é utilizado
como adubo e
A cana é moída
ração, para gerar
para separar o
energia elétrica e
caldo do bagaço.
na alimentação de
caldeiras de usinas.

A cana não parou


no tempo
Tecnologias possibilitam
aproveitar resíduos,
O caldo é usado para produzir principalmente o
açúcar, etanol, cachaça, bagaço, para criar
rapadura e melado. novos produtos como
plástico verde, fibras
para tecido e celulose.

mar 2018 retratos a revista do ibge 17