Você está na página 1de 128

PEQUENO DICIONÁRIO DE VOCÁBULOS E EXPRESSÕES CANANÉIAS

Este pequeno dicionário não tem a pretensão de apresentar vocábulos


novos ou um novo dialeto; é apenas o registro do modo de falar de
nossos irmãos caiçaras, que habitam a região desde os idos de 1.500. É
o resultado de mais de 18 anos de trabalho de pesquisa junto a
publicações do gênero, e aos cidadãos mais antigos de Cananéia – SP,
fundada em
12.08.1531.

Martim Afonso de Souza, seu fundador oficial, ao aqui chegar,


encontrou já estabelecido, o Mestre Cosme Fernandes Pessoa, o Bacharel
de Cananéia, que tinha sido deixado como degredado. Com ele ficaram
também seu genro, o espanhol Francisco de Chaves e João Ramalho,
banidos de Portugal pela Inquisição, por serem crentes ou “cristãos
novos “ , profitentes de Moisés, conforme “ Leite Filho, Os Judeus no
Brasil, pag. 40 e Almanaque Israelita do Brasil, para 1935.”

CANANÉIA, na realidade, foi iniciada no ano de 1471, pelo Bacharel


português, um homem ilustre, que as autoridades portuguesas
desterraram para o Brasil em 1470. Em depoimento ao programa GLOBO
ECOLOGIA de 04.03.2000, o historiador português Hernani Amaral Xavier,
entrevistado em Lisboa, falando a respeito dos festejos dos 500
anos do Brasil, disse que farta documentação comprova que Vincent
Yannes Pinzon, navegador espanhol, que tinha estado nas costas do
Brasil em 1.501, havia encontrado em Cananéia, o Bacharel Cosme
Fernandes, que relatara estar aqui desde 1.470, portanto a
31 anos, deixado como degredado, nas imediações de Cananéia.

O leitor vai encontrar muitos vocábulos comuns em todo Brasil;


entretanto, alguns são usados aqui de forma diferente, e mesmo para
aqueles mais comuns, tudo nos leva a crer que tenham saído daqui, já
que a história mostra que Cananéia foi um dos primeiros núcleos da
colonização brasileira e o mais importante porto para a conquista do
Rio da Prata , Bolívia e Peru, em busca de seus mananciais de ouro e
prata.

fonte *: "Náufragos, traficantes e degredados",autor Eduardo Bueno

fonte **:” Ouro, Prata e Brasil “ : autor S. Suannes – Editora Saraiva

Vide Fonte de Pesquisas : página 95

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


0xx13 ) 6851-1167 Fax 6851-1345 E-Mail : ejaci@uol.com.br

A CACO -( loc. adv.) -mas a caco ! ; expressão que significa: mas que
traste ; mas que bobo; meio convencido; meio exibido;

À LHENCA -( loc. adv. ) -a garné; a rodo ; em grande quantidade; de


montão; “ A taínha lá tá a lhenca, tá boba “

A BRINQUE -( loc. adv. ) -de brincadeira; sem valer nada.


“ Vamo jogá bolinha de vidro , mas é a brinque, heim . “
A GARNé -( loc. adv.) -a granel , a rodo ; em grande quantidade ; de
montão; “ Dessa fruitinha tem a garné, tem a rodo “

A MóDE -(adv.) -como; igualmente, tal como;


“ troxe arguma coisa a mode assim de um cestinho ”

A MóDE QUE -( conj. ) -como se; talvez; de modo que; de maneira que;
“Tá juntando as tralha tudo a mode que vai simbora de veiz.”

A MUQUE -( loc. adv. ) -com a força dos braços e das mãos; à força
bruta. “ a mandioca, a tár da rama que dizem né, a gente ranca a muque
e cavoca c’a chibanca “

A PODER DE -( loc. prep.) – ( a podê de ) ; às custas de, com o


auxílio de; “ faiz vinte ano que tô criando meus filho tudo só a podê
de roça, vivendo só de roça. “

À RODA DE -( loc. prep. ) -durante; do começo ao fim; através de ;


“ pesco de dia, pesco de noite, o que sim que pesco à roda do mês tudo

A SAL PRESO -( loc. adv.) – ( a sár preso ); estado da carne ou peixe


salgada, para conservação por algum tempo, sem ser levada ao sol.
“ pexe a sár preso hái ainda munto na gamela ?

A SEJA -( interj. ) -ora seja; que pena.


“ A seja desse criança doentinha assim. “

ABANAR -(v. t.) – ( abaná ) ; refrescar movendo alguma coisa à moda de


um abano. “ abane c’a tampa da panela ou c’o chapéu quele esfria “

ABANCÁ(R) -( v.t. ) – ( abancá ) ;instalar-se com o intuito de


permanecer longamente.
“ Abancô-se lá e não tem quem tire ele do lugar. “

ABERICó -( s.m.) -mesmo que abricó; fruta.

ABóBRA -( s.f. ) -abóbora.

ABOLETÁ(R)-(v.t. ) – ( aboletá) ; alojar-se; apropriar-se.


“ Se aboletô de tudo prá ele . “

ABORRIDO -( adj. ) -triste; aborrecido; zangado; melancólico;


aperreado.
“ não vão bulí cum ele, que ele tá aburrido hoje “

ABRACÁ(R) -(v. t. d. ) – ( abracá ); mesmo que abraçar, monopolizar.


“ Ta querendo abracá o mundo c’as pernas ”

ABRIMENTO -( s.m. ) -abertura; abrimento de boca; termo também usado


na festa de São João, como “ Abrimento do Império. “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932 Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ACABÁ(R) -(v.t.) -acabar com; exterminar.


“ Eu fui pegando as galinha e fui acabando cum tudo; acabei cum tuda
raça de criação

ACACHAPADO -( adj. ) -doentio; que se adoece facilmente.


“ O menorzinho vive acachapado de chio de peito

AÇAMBARCÁ(R) -( v.t. ) -açambarcar; assenhorear-se; apropriar-se com


exclusividade.
“ Açambarcô-se de tudo e não arreda pé do lugar .

ACANHAMENTO -( s.m. ) -falta de desembaraço ; timidez.

ACARCANHADO -( adj. ) -acalcanhado; diz-se do calçado com sola gasta


de um só lado ou torto de um lado.

ACHA DE LENHA -( s.f. ) -pedaço de madeira rachada a machado,


utilizada para fazer fogo.

AÇO -( s.m.) -cachaça ; (adj.) -estar no aço ; estar bêbado.

AÇO-(s.m.) -ácido; líquido corrosivo; propriedade ácida do caldo de


massa de mandioca amanhecido ou azedo; ácido venenoso.
“ aquele é aço memo; se o porco chupá o caldo da massa dela, morre ”
.

ACOCÁ(R) -( v.t. ) -fazer mimo; proteger.


“ Acocam demais a criança. Por isso que ela é assim mimada .

ACOITÁ(R) -( v.t.) -albergar ; receber ; esconder alguém


.
“ eles tão acoitando o filho que anda fugido

ACUÁ(R) -(v.i./t.) -ação dos cães que atacam a caça, ganiçando,


seguindo pelo faro, acossando-a.
“ escuite só ganiço do cachorro; tarveis seja caça que ele acuô

AÇúCA, AÇúCRA -(s.m. ) -açúcar.

ADESPOIS -( prep. ) -depois.


“ adespois de amanhá.

ADONDE -( adv.) -onde; aonde.
“ a gente não tem adonde ponhá

ADONÁ(R)-SE -( v.p. ) -apoderar-se; assenhorear-se; aboletar-se.

ADUFO -( s.m. ) adufe; pandeiro quadrado, usado na Folia de Reis.


AFINCA -( v.t.) -fincar
.
AFOGADILHO -(s.m.) -pressa ; precipitação.

“ Feito assim de afogadilho não fica bom. “

AFORAMENTO-( s.m.) -enfiteuse;ato de aforar alguma coisa ; documento


que
comprova o aforamento.
AFORÁ(R) -( v.t.) -mesmo que enfiteuse ; transferir o direito de um
imóvel, mediante

o pagamento de um valor ( foro ) anual.


AFORÇá(R) -( v.i.) forçar.
AFRONTADO -( adj. ) -cansado; sufocado.
Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (
13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

AGARRAMENTO -( s.m.) -apego excessivo; bolinação; carícias entre


namorados.

“ más que pôca vergonha o agarramento desses dois



AGáTE -( s.m. ) – ágate: um espécie de ferro esmaltado, usado para
fazer utensílios
de cozinha.

AGATEADO -( adj. ) -azulado; da cor dos olhos do gato.

“Por quem puxô esta minina do zólho agateado assim . “


AGóRA-AGóRA -( adv. ) -mesmo que agorinha.
“Saiu daqui inda agora-agora . “

AGóRINHA -( adv. ) -agorinha mesmo; há poucos instantes; agora mesmo;


neste
instante; inda agora.
“ Tava aqui inda agorinha mesmo .

AGóRINHA MESMO -( adv. ) -mesmo que agorinha.


ÁGUA BORICADA -( s.f.) -remédio composto de água com ácido bórico.
ÁGUA DE BARRELA -( s.f.) -diz-se do café fraco.

“ fomo obrigado a tomá aquela água de barrela que a mulhér feiz prá
nós “
ÁGUA DE CHEIRO -( s.f.) -perfume ; extrato.
“ que qualhidade de água de chêro o sinhor tem pra vendê

ÁGUA-VIVA -( s.f.) -nome vulgar das medusas.
AGUAGê -( s.f.) -ondulação e barulho característico, que o peixe ou o
cardume faz na superfície da água.

“ só escuitemo a aguage do pexe



AGUTA PRA ELE -( interj. ) -dar um aguta pra ele é a mesma coisa que
dar uma vaia, dar um tirarira.

AIPí -( s.m. ) -mesmo que aipim, mandioca doce.

AíVA -( adj. ) -doente, amofinado; coisa insignificante;sem


valor;reles.
“ más que coisa aíva essa tar de carne de lata

AIVESA DE CORPO -( s.f. ) -prostração; corpo ruim, adoentado,
prostrado;

“Hum ! Hoje manheci cuma aivesa de corpo que só, ora sim sinhô “

AJUNTADO -( adj.) -amigado; amancebado.


“ Largô da mulher prá se ajuntá c’a filha de Inácio . “
AJUTóRIO -( s.m. ) -espécie de mutirão.

“dumingo andêmo aloitando no ajutório de compadre Juão Caratinga



ALá -( interj.) -olha lá.

“alá a lancha da carrêra chegando, lá “ “ alá ó, tá vendo aquele


negocinho branco aboiando
alhi perto da quebrança ?

ALáR -( v.t.) -crescer; desenvolver.

” essa gente anssim não vai alá “

ALAGá(R) -( v.t.) -naufragar; inundar; cobrir de água.


“ virô a canoa? Intão alagô-se, ora seja por caridade “
ALARIDO -( s.m. ) -gritaria; barulho.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ALAúZA -( s.f. ) -barulho; desordem; bagunça; algazarra.

“ más quem há de pregá o zólho cum essa alaúza aí no terrêro



ALHI -( adv.) -mesmo que ali.
“ pode ponhá alhi

ALIDá(R) -(v.t.) -trabalhar com; labutar com


.
“ tem gente que alida com treis, quatro tipití de cada veiz

ALINHAGEM -( s.m. ) -aniagem; tecido grosseiro de juta para


ensacamento.
ALISá(R) -(v.t.) -amansar; acalmar; aplainar.
“ O vento carmô e o mar tá alisando

ALOITá(R) -( v.t. ) -lidar com ; estar aos boléus com.


“ Juão tá lá aloitando c’a roça.

ALOITO -(s.m.) -aloite ; lida; esforço ; luta.


ALUí -( v.t. ) -mexer-se; movimentar-se; sacudir; abalar; oscilar.
“ nem se aluiu do lugá

ALUMIá(R) -( v.t.) -iluminar.


AMANCEBADO -( adj. ) -amigado; que vive amasiado.
AMANHá -(adv.) -amanhã.
AMANHá DE MANHá -( adv./s.m.) -amanhã de manhã ; pela manhã.

“ amanhá de manhá, bem cedinho



AMARRANDO -(v.t.) -diz-se do gosto ruim que o tanino da fruta
verdolenga deixa na

boca.
“Essa banana tá verde quíra ainda, tá amarrando na boca.

AMBORê -(s.m.) -espécie de peixe usado como isca , que vive em tocas e
entre

pedras.
AMêJA -( s.f. ) -amêijoa; espécie de molusco.
AMIGADO -(s.m. ) -mesmo que amasiado, amancebado.
AMOLá(R) – ( v .t . d. ) – “ amolar os instrumentos“ ; mesmo que
afinar os

instrumentos de corda.
( do que não amolam isso pelo guajeguá
)

ANCA -(s.f.) -quadris, cadeiras.


ANCONHA -( adj. ) -mesmo que enconha, incõe; tá de anconha; tá se
escondendo;fazendo alguma coisa escondida.

ANDANTE -(adj.) -mendigo errante; andarilho ; fugido.


“ durma aí senão o andante pega você

ANDêJO -( adj.) -andarilho; mendigo errante.


ANIQUIM -( s.m. ) -anequim; cação de cor cinza clara, tido como um dos
mais ferozes do grupo, atacando tudo que encontra pela frente. Mede de
6 a 7 metros.
“ O tár do aniquim é pirigoso como seja a tinturêra; eles tira um home
da canoa fáci, fáci

ANSIADO -(adj. ) -enjoado; com náuseas.


“Cumi demais agora tô ansiado.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

ASSANHADO – (adj.) – buliçoso, saído, metido.

“ O tar do Roque, adespois que a mulher pereceu, ficou assanhado pra


mulher que só vendo. “
ASSIM, ASSIM – ( Bras. ) -Mais ou menos; nem bem nem mal;
sofrivelmente;
“ Como ides ? Ansim, anssim male mar “

ASSIM DE UMA CONTA EM DIANTE – forma de resposta à pergunta: Como tem


passado? Como vai? ; Como ides? Como está vosmece? Como estais vós?
“ Tudo bem, vovó? Como está a senhora ? Anssim milha filha, de uma
conta em diante ........

ANSPEÇADA -(s.m.) -primeiro posto militar , acima de soldado.

ANTONTE -( adv.) -anteontem; antes de ontem; há dois dias atrás.


“ Antonte tive na cidade comprando fazenda prá Crotiuda minha mulhér
fazê um vistido

ANú NO FIO -( loc.v. ) -pessoa bêbada, que imita o balanço de corpo do
anu sentado

no fio da cerca.

“ Antonho passô aí que é um anú no fio



AO PIVO -( loc.v. ) -sair ao pivo ; sair sem agasalho; sair com pouca
roupa.
“ teimô e saiu ao pivo nessa friage

AONDE -( adv.) -onde.

APá-(s.f. ) -espádua.
“ essa dor de apá tá me matando

APARTá(R) -( v.i.) -separar; morrer; falecer.

“ uma fisgadinha só da mardita da bracoraia e meu primo se apartô de


veiz

APARTADO -(adj.) -separado da mulher; divorciado; desquitado.
APERCATA -( s.f. ) -alpercata ;calçado com tiras de couro ou pano,
para prender ao

pé; enxuga-póça.

APERREADO -( adj.) -aborrecido; aborrido; arriado ;adoentado;


“ da dôR de dente não sarô nada não, ando aperreado que só

APINCHá(R) -(v.t.) -pinchar ; arremessar ; jogar com força
;
APOQUENTá(R) -(v.t.) -aborrecer-se com pouca ou pequenas coisas;
APOSSEAR-SE -( v.p.) -apossar-se
;

“ essa gente aposseô-se de tudo “

APRECATá(R) -( v.t. ) -prevenir.


“ quando ele se aprecatá já é tarde

ARADO -( s.m. ) -faminto; esfomeado.

“ más que minino más arado, crendos padre todo poderoso



ARAGê -( s.f. ) – aragem; brisa do mar.
ARAíVA -( s.f. ) -mesmo que cruviana, tempo chuvoso e frio.
ARANGá-( s.m. ) -diz-se da criança, filha de mãe solteira.

“ casada não é não sinhô ; oquesim que tem um arangázinho cum ela,
esse viventinho aí “

ARANHóLA -( s.f. ) -pequeno caranguejo do mangue, que tem o hábito de


subir pelos
galhos do mangue.
ARANZé – ( s.m. ) – aranzel;conflito, confusão em que se envolve muita
gente.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

ARAPUá-( s.m. ) -espécie de abelha;


ARARUTA -( s.f.) -erva cultivada, donde se extraí a goma de guaná,
utilizada como
alimento e remédio caseiro;

ARATACA -( s.f. ) -espécie de armadilha para animais silvestres.

ARATACA -( s.f.) -componente do viamento, que consiste na prensa


rústica usada para cochá a massa verde da mandioca no tipiti. Consta
de uma virgem, de 1,50m., fincada no chão, estando encaixado nela o
varão, de cerca de 2,50 a 4 metros. Na ponta desse varão, que faz as
vezes de alavanca, é colocada a balança, constituída
por fios de arame que descem dele, segurando a tauba da balança, sobre
a qual são colocadas pedras grandes que irão envergá-lo, prensando o
queijo sobre o tipiti, contra a mesa, durante parte do dia e uma noite
inteira, até escorrer todo o cardo da massa para a gamela. O tipiti,
nessa operação, é preso, embaixo, pela mesa e, em cima, pela coroa ou
queijo, sofrendo, assim, toda a pressão do varão, envergado pelas
pedras.

ARATú -( s.m. ) -pequeno caranguejo do mato ;

ARCADO -( adj. ) -arqueado; curvado ; dobrado ;


“tá arcado, se cochando de dor nas tripa. “

ARCANÇá(R) -( v.t.) – alcançar; entender , compreender, atinar ;


“ esse minino não tem cabeça prá arcançá isso “

ARCO CANFORADO -(s.m.) -álcool preparado com cânfora e usado como


ungüento

ARDENTíA -(s.f.) -fosforescência do planctum marítimo; luminosidade


que deixa a
água do mar esverdeada à noite, quando agitada;
“ Agora, de noite, se vê lá aonde ele tá, se vê o bando de pexe .
Ah.Quando o pexe vê aquela
ardentia da canoa ele faiz tchok, tchok, tchok ... ( som bucal que
imita o barulho do peixe
saltando na água ).

ARDUME – ( s.m. ) – ardor; queimação.

AREADO -(adj.) -esfregado ou limpo com areia ou outra substância;


“ se quizé saí dexe as panela tudinho areado antes; dexe tudo bem
areadinho “

ARFAVACA -( s.f.) -alfavaca; planta odorífera, usada como condimento;

ARGUEIRO -( s.m.)-mesmo que cisco; palhinha, pó ou partícula de alguma


coisa
;

ARGURES -( adv.) -algures; noutro lugar; noutra parte;


“ deve de tá por aí argures

ARJOFRE -( s.m. ) -aljofre ou aljôfar; pérola miúda, encontrada


geralmente no
mexilhão.
ARMA DE GATO -(s.f. ) -alma de gato; espécie de pássaro.

ARMá -( v.t.) – armar; assentar na soleira os esteios e o madeirame da


casa de pau-a-pique e barro.
“ Essa casa daí fui eu que invarei .Sei armá uma casa, sei cubrí, sei
barreá tudo, né

ARPACA -(s.f) -alpaca ; um tipo de liga de metal branco, usada para


fazer utensílios de cozinha.

ARPENDRE -(s.m. ) -alpendre; mesmo que varanda.


;

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ARQUEIRE -( s.m. ) -medida de volume, equivalente a 40 litros


.
“ Manéco c’a mulhér forneia treis arquere de farinha num dia só.

ARRASTá -( v.i. ) – arrastar; passar o picaré na praia, à noite, para


pescar camarão,siris e peixes.
“ devera de sê o pessoar das Pedrinha que andô arrastando picaré aí o
que deu a noite intirinha.

ARRASTá(R) -( v.i. ) – arrastar; pescaria feita com arrastão ou rede


de fundo, ao largo da costa.“ Deve de sê o Bertioga e o Bocaina que
istão arrastando ali pertinho da costa

ARRASTA-Pé -( s.m.) -dança, baile, fandango.

ARRASTãO -( s.m. ) -rede de pesca de arrastar pelo fundo, que apanha


todas as espécies de peixe que encontra; embarcação própria para a
pesca com essa rede. “‘Ficam passando o arrastão aí perto da costa ,
caçando camarão, daí vem o pexe miúdo no arrastão, né, ali eles pega
os camarão tudo, leva pro entreposto e os pexe miúdo eles dão prá
quarqué um que quera “

ARRASTãO DE PORTA -( s.m.) -rede de pescar camarão, acondicionada aos


barcos ou às canoas a motor , e fundeada através de duas portas, que,
na operação de arrastar, esticam a panagem, em cujo centro há um
ensacador , para onde vão os camarões e os peixes.
ARRASTãO DE PRAIA -( s.m. ) -rede de arrasto para a praia.
“ essa é a de arrastá cá prá praia, o tar de arrastão de praia que
dizem “

ARRASTãO SEM PORTA -( s.m.) -grande rede de pescar camarões e peixes,


que é arrastada por dois barcos de pesca ( parelha ) em operação
conjunta.

ARRASTO -( s.m. ) -operação de pesca, que consiste no lançamento da


rede de arrasto ao mar, por uma ou duas pessoas, que em seguida levam
os dois cabos da rede para a praia, de onde o tresmalho é puxado por
várias pessoas até a areia, com os peixes eventualmente malhados nele;
o mesmo que pesca de arrastar para a praia. Esse trabalho é feito em
regime de mutirão e cada camarada de rede ou ajudante recebe seu
quinhão proporcional, que equivale a uma quantia de peixe,
separados em pequenos montes.

ARRE Lá -( interj.) -indica espanto, estupefação.


“ Arre lá ! Más que coisa más mar feita “

ARRECEBê -( v.t.) -receber.

ARRECRAMá(R) -( v.t.) -reclamar; lastimar.

ARREGANHADA -( adj. ) -estar com as pernas abertas; estar com tudo


aberto; criança muito risonha.

ARREGANHANDO -( v.t. ) -rindo; abrindo as pernas.

ARREIA -( v.t.) -arria.


“ A gente arreia a rede anssim, largando ela aqui no fundo

ARRELIá(R) -( v.t. ) -aborrecer , irritar , implicar.

ARREMANECEU -(v.i.) -remanesceu; apareceu ; surgiu ;


“ olhe só quem se arremaneceu por aqui, ora seja “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ARREMEDá(R) -( v.t.) -imitar ;

“ o linguado de arremedá Deus ficô c’a boca torta



ARREMêDO -( s.m. ) -repetição; imitação; ato de imitar o canto do
pássaro ou da ave, com o pio ou com os próprios recursos da boca, para
atraí-los e abatê-los na caça.
“ Arremedando ele vem; o surucuá vem no arremedo; pensa que é o filho
que tá falando

ARREMENDá(R)-(v.t.) -remendar.

ARREPARá(R) -(v.t.) -observar; dar atenção; reparar


;
” vive arreparando nas coisa dos otro

ARRESORVê -( v.t.) -resolver; decidir
;

” temo de arresorvê isso logo “

ARREZISTRá(R) -(v.t.) -registrar o filho no cartório;


“ esti um zinho ainda não é arrezistrado, não é assentado

ARRIá(R) -( loc.v.) -fixar a parede do cerco no lodo
;
ARRIá(R) -( v.t.) -abaixar; jogar; largar.

“ você não arriô ele aí na mesa ?



ARROIZ -( s.m.) -arroz.
ARROTO CHOCO -(s.m.) -arroto de odor forte, nas pessoas com má
digestão;

“ hum; mas essa criança tá cum arroto choco que só “

ARRUMAÇãO -( s. m. ) -consertamento
.
“ Mandei meu radinho escangalhado prá fazê arrumação .

ARURá -(s.m.) -ururau ; espécie de jacaré de papo amarelo
;
ARVEJá(R) -( v.i.) -clarear, embranquecer
;

“ quarando a ropa ela arveja “

ARVO -( adj. ) -muito branco; claro;


“ por dentro tá bem arvinha, más por fora tá só piuma.

ARVOADO -( adj.) -tresloucado; aturdido;
ÀS PAMPAS -( loc.v.) -às pamparras ; em grande quantidade ; muito ; à
beça;

“ tinha mulhér as pampa



ASA DE BARATA -( s.f. ) -tipo de verniz em pó
;
ASPA -( s.f.) -chifres do animal;
ASSENTá(R) -( v.i.) -é para assentar; é para marcar na conta; termo
usado

antigamente para anotação em caderneta, da compra efetuada a prazo ;


assentar o filho/filha; registrar a criança no cartório civil;
“ num ides assentá o piquininho no cartório ? Essa compra é pra
assentá na cardeneta

ASSENTá PRAÇA -( loc.ver.) -sentar praça; alistar-se ; fazer-se
soldado.
“ Juão foi prá fora sentá praça

ASSOALHá -( v.t.) -expor ao sol; soalhar
;
ATA -(s.f.) -pinha; fruto da ateira; fruta-conde
;

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ATAQUE DE BICHAS -( s.m.) -ataque ( crise ) de vermes ;


“ tá virando o zólho? Intão é ataque de bichas, ora seja por caridade

ATENÇA -(s.f.) -ação de ater-se; dar atenção ;


“ tem de ficá atença no cardume “

ATENDER-( v.i.) -responder pelo nome; chamar pelo nome;


“ Ele só atende por Fodórico, pelo nome ele nem liga, nem thum. “

ATENTá -( v.t.) -atacar; acometer; lançar-se contra.


“ a tinturêra atenta a canoa pá derrubá e comê o pescadô “

ATENTADO -( adj. ) -levado, endiabrado ;


“ más que minino más atentado esse “

ATERRá -(v.t. ) -enterrar; cobrir com terra.


“ Ah! Digo uma coisa pro sinhor, colhê , eu digo pro sinhor, a gente
pranta eles, despois de uns,
de grandinho anssim, passa, aterra eles tudo, aí eles vai indo, vai
indo ali, que eu vô dizê pro
sinhor

ATINá -(v.t.) -descobrir pelo tino, a explicação de alguma coisa ;


“ ainda não atinei direito com isso. “

ATIOU -(v.t.) -ateou ;


“ atiou fogo em tudo “

ATIRADO -( adj.) -petulante; ousado; atrevido

ATOCHá -(v.t. ) -atulhar; encher; fazer entrar a força ;

ATOLêDO -( s.m.) -pântano; atoleiro;


“ trancô-se naquele atoledo “

ATOPETá -( v.t.) -encher muito; abarrotar;

ATORá -(v.t.) -cortar; dividir em dois ;


“ atorô o dedo c’a faca ”
ATUSSICá -(v.t.) -dar mau conselho; instigar; atormentar ;
“não fique atussicando a minha cabeça “

ATRACá -(v.t.) -agarrar fortemente; abraçar ; agarrar-se durante a


briga; “ se atracaro os dois que foi difice desapartá “

ATULHá -( v.i.) -encher completamente;


” pois o que , o fandango táva atulhado de gente “

ATURá -(v.i.) -durar; resistir;


“ se dexá n’água não atura munto “

AÚ-( s.m. ) -animal silvestre, muito pequeno, que ataca o galinheiro e


que exala forte
mau cheiro quando atacado
;
“ o mardito do Aú chupô minhas galinha tudo

AVIãO BARQUINHA -( s.m. ) -hidroavião; avião que pousa e decola da


água;

AVISAGê -(s.f.) – assombração; fantasma; alma penada; mesmo que


avisão;
“ sexta-fera é dia de avisage ”

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

AVISãO -( s.m. ) -mesmo que avisagem; assombração; alma do outro mundo


que
vem para assustar
;
“ tem o maior cagaço de í lá por causa do avisão

AVIVENTá -(v.t.) -reanimar


;
“ assopre no rabinho dele que aviventa

AVOá -( v.i.) -voar;


“ agora eles avoa, más despois vórta tudo

AVUADEIRA -(s.f. ) -barco com motor de popa , muito veloz ;

AZINABRE -(s.m.) -azinhavre; crosta de cor verde, que se forma nos


objetos de cobre,expostos à umidade ;

B
BACIA -( s.f.) -denominação dada à chapa de metal, perfurada, que
encima,circularmente, a roda de sevá mandioca.
” pá furá a bacia é com o ponção

BACIADA -(s.f.)-grande porção ; grande quantidade


;
“ pois o que; troxe uma baciada de pexe

BAFAFá -(s.m.) -rolo;discussão; barulho; confusão


;
BAGAÇADA -(s.f.) -chute; pancada forte;
“ dô-lhe uma bagaçada nos córno , heim .

BAGO -( s.m.) -testículos.


BAIÚCA -( s.f.) -pequeno bar ou armazém.
BAXIO -(s.m.) – baixio; praia rasa ou banco de areia, onde a água do
mar ou do rio

tem pouca altura; pontal de areia vadeando o lagamar


;
“ o mar tava quebrando munto nesse baxio aí , que não dava prá saí pra
fora

BALAIO -(s.m.) -cesto de palha ou de cipó.


BALANÇA -( s.f. ) -peça da arataca; dispositivo em forma de balança,
constituído por fios de arame, pendentes da ponta livre do varão, que
seguram a base desta balança,a tauba da balança, onde se colocam
pedras, para exercer grande força de prensasobre a parte imediata à
extremidade presa do varão.

BALIERA -( s.f.) -baleeira; pequena embarcação de pesca, movida a


motor, com o formato de uma grande canoa, fabricada com tábuas
lavradas e emparelhadas. Difere dos outros barcos por ter, a grosso
modo, duas proas;

BANANA DA TERRA -( s.f. ) -qualidade de banana, só comida cozida ou


assada
;
BANANA MANÇÃ -( s.f.) -banana maçã; qualidade de banana.
BANANA PRATA -( s.f. ) -qualidade de banana, menor do que a nanica,
porém mais

grossa, com quinas na casca, tendo a polpa mais rija;


BANANA ZINCO -( s.f.) -qualidade de banana.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

BANCADA -( s.f. ) -medida que corresponde a uma gamela, colocada sobre


o banco de roda de sevá, cheia de raízes de mandioca.
“faiz uma bancada grande de mandioca...

BANCO DE RODA -( s.m.) -armação de madeira, em formato de banco com


tábuas suspensas por quatro moeIrões, na qual estão dispostos os
vários componentes da roda de sevá mandioca.

BANDEIRA DO DIVINO -( s.f. ) -estandarte usado pelas pessoas nos


festejos do Divino Espírito Santo, no mês de junho, e que consiste em
um mastro ou vara colorida, onde são presas diversas fitas de cores
variadas, encimada por uma pombinha de madeira, pintada de cor
prateada ou dourada.

BANDóLA -(s.f.) -bandolim.

BANHADO -( s.m.) -terreno com águas empoçadas;saturado de água e quase


impermeável;
“ aí nesses banhado haí raça de rã toro

BáQUE -(s.m.) -tombo ; queda ;


“ levô o fraco do baque da bicicréta “

BARDEAÇãO -( s. f. ) – ( baldeação ) ; ato de passar passageiros e


bagagens de um
veículo para outro.
“ eu vô no ônibos da São Miguér que não faiz bardeação .

BARRACA DO TURCO -(s.f.) -barraca de venda de roupas, nas festas de


São João
ou de N.S.dos Navegantes
;

BARRAQUEá -( v. t.) -visitar as barracas na festa de Nossa Senhora dos


Navegantes.

BARRê -( v.i. ) -varrer


;
“ pegue o cisquêro e barra isso daí tudinho

BARREá -( v.i.) -revestir de barro as fendas das paredes da casa;


“ barrearo tudo já ? “

BARREAMENTO -(s.m.) -operação em mutirão que consiste em, preparada a


estrutura de pau-a-pique e a coberta de sapê, proceder-se à
calafetação das fendas das paredes pauapicadas e invaradas, com o
barro batido e pisado, tirado anteriormente; mesmo que taipamento;
cobrir de barro as paredes da casa ;

BASTIDô -( s.m. ) – bastidor; espécie de caixilho de madeira, para


bordar ;

BATê -( s.m.) -armadilha para caçar pássaros, feita de ubá com


travessas de bambu, usado isoladamente como alçapão, acondicionado às
gaiolas;

BATêRA -( s.f.) – bateira; pequena embarcação sem quilha ;

BATê -( v.t. ) – acometer; contagiar; atacar.


“ devera de sê a tar da tiriça que bateu nele

BATê NO VAZIO -(loc.v.) -bater a fome;


“ quando chega estas hora me bate no vazio; me dá uma grande larica de
fome

BATê PARANGA -( loc.v.) -apanhar ostras dos galhos do mangue, com a


canoa;
“anssim que a maré baxá, nóis vamo batê paranga “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

BATE-ENXUGA -(s.m.)-roupa ou objeto de uso contínuo ;


“ não tira esse bate-enxuga nem prá durmi “

BATEDô -( s.m.) -espécie de macete em forma de espátula, feito de


madeira grossa, utilizado para bater as taquaras, fincando-as no lodo,
na construção do cerco de pesca ;

BATELADA -(s.f.) -grande quantidade ;


“ num digo; prá que essa batelada de café “

BATELãO -( s.m.) -canoa pequena e bojuda ;

BATEU A GALHA -(.loc.v. ) -morreu ; bateu as botas ;

BATIDO -(adj. )-sovado; muito usado ; ( s.m. ) -também um tipo de


dança do
fandango; espécie de sapateado;

BATISTéRIO -( s.m.) -certidão de batismo na igreja católica ;

BATITô -( s.m.) -espécie de fruto silvestre ;

BATUíRA -( s.f. )-espécie de pássaro ;


BEBERAGê -( s.f.) – beberagem; cozimento medicinal; remédio feito de
ervas ;

BEDêLHO -(s.m.) -meter o bedelho; intrometer-se em assuntos alheios ;

BEIÇO -( s.m.) -lábios ; dar um beiço , passar para trás ;

BELISCá – ( v. t. d. ) – mesmo que lambiscar; comer uma pequena


quantidade de
comida.

BERBIGãO -( s.m. ) -marisco que vive enterrado na areia a 20 cm. de


profundidade, sendo comum da região de Santos para o Sul. De concha
quase circular, com sulcos longitudinais que partem do ápice,
irradiando-se para a periferia em forma de leque, sua coloração varia
entre branca, castanho-escura, preta ou rajada. Ë usado na
alimentação, e foi o principal o principal alimento dos indígenas do
passado, constituindo-se por isso, na maior parte dos sambaquís. Sua
concha foi usada até o anos cincoenta, para cascalhar as ruas centrais
na cidade de Cananéia -SP e, pelo fato de serem retiradas dos
sambaquís da região, era comum, depois de uma forte chuvarada,
encontrar-se parte de ossos e utensílios indigenas, como pontas de
flecha, pedras de tacape, junto com as conchas lavadas pela água da
chuva. É conhecido também como: sarnambí, cernambí, cernambitinga,
maçambique, moçambique, samanguaiá, sapinhanguá, simanguaiá,
simongoiá, rala-coco, mija-mija, papa-fumo, sarro de pito, tamati
etc...

BéRDAMéRDA -(s.m.) -joão-ninguém ;

BERERéCA -(s.f.) -espécie de biju de mandioca ;

BESPA -(s.f.) -vespa ; uma espécie de marimbondo ;

BIBóCA -( s.f.) -pequena venda ou armazém ;

BICANCA -( s.f.) -chute de bico, dado com o bico da chuteira ou c/ o


dedão do pé.

BICHA -( s.f. ) -lombriga e outros vermes intestinais;


“ eu benzo de cobrêro, de impingia,eu benzo de quebranto, benzo de
bichas tudo

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

BICHêRO -(s.m.) -fisga em forma de gancho; pedaço de barra metal


recurvado em
forma de anzol, para içar o peixe.

BICHO DE CONCHA -( s.m.) -indivíduo solitário, esquivo , esquisito


;
BIJú -( s.m. ) -bolo de tapioca. Subproduto do beneficiamento da
mandioca que se
obtém mediante o seguinte processo: uma vez prensada a massa da
mandioca sevada e escorrido o caldo para uma gamela, decantada a água,
fica, em seu fundo, uma fécula alva e fina, que depois de seca,
peneirada no forno e torrada, ao ser
cortada em talhadas, resulta em bonitas, saborosas e sadias panquecas.
As migalhas que sobram fazem também a apreciada farinha de tapioca.
” O biju? Mistura aquela goma e mistura cum massa...”
.

BILHA -(s.f. ) -vaso de barro, bojudo e com gargalo estreito


;

BILú-TETéIA -( loc.v.) -mimo que se faz à criança e que consiste em


passar o dedo
em sua boca dizendo bilú, bilú , bilú laaa tetéia ( apontando para a
lua
)
BIRíVA -( s.f. ) -menina levada, sapeca ; mesmo que biriba; égua nova
;
BIRRA -(s.f.) -teimosia; amuo ; zanga ; obstinação
;
BIRUANHA -( s.f. ) -varejeira: mosca azulada que põe seus ovos em
tecidos

deteriorados;
BISCA -( s.f.) -meretriz; pessoa de péssima reputação
;
BISCATE-(s.m.) -pequenos serviços; (s.f.) -meretriz
;
BIZITá -( v.t. ) -mesmo que visitar;
BOBA -( s.f. ) -veja bouba ; doença da galinha.

“deu a bôba na minha criação tudo “

BOBERAGê -(s.f.) -bobagem; bobice; coisa sem importância;


“ largai dessa boberagê, sim

BOBIÇA -( s.f.) -bobice; bobagem; coisa em sem importância.
BOCA -( s.f. ) -largura do bojo da canoa, cujo comprimento deve
corresponder a sete

vezes e meia a medida da boca.

“ É uma canoa bunita, uma canoa com quaje quatro parmo de boca, quaje
um metro de boca

BOCA DA BARRA -( s.f. ) -lugar onde as águas do leito de barra, se
confundem com as águas da praia, acabando o percurso do rio.

BOCA DA NOITE -( s.f.) -crepúsculo; anoitecer


;

“ dancemo da boca da noite inté o dia amanhecê



BOCA DE FORNO -( s.f. ) -abertura do forno de barro por onde se
introduz a lenha
para ser queimada e aquecer o forno de forneá farinha de mandioca.

BOCA DO DIA -(s.f.) -início do dia; pequenos clarões da aurora


;
BODéGA -(s.f.) -taberna ; coisa que não presta
;
BODóQUE -( s.m.) -apetrecho de madeira para atirar pelotes de barro ou
pedra, que

consiste em um arco de guamiova envergado, de uma cabeça ( corte na


extremidade,
onde é amarrada a corda ) à outra, por duas cordas cochadas de embira,
que têm ao
meio uma malha, de quatro cordinhas trançadas, onde se coloca a pedra
a ser

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

arremessada.Nas duas extremidades do arco, abaixo de cada cabeça, há o


gogó e o pauzinho; correspondentes, que mantém a malha aberta. O arco
é flexionado apoiando-se a mão direita no pega-mão , enquanto a
esquerda estica as cordas a partir da malha, procedendo-se então ao
arremesso, tomando-se o cuidado de sincronizar o ato da mão esquerda
largar o pelote da malha com uma ligeira torção da mão direita para o
lado direito, afim de evitar atingir o próprio dedo.

BOIãO -( s.m. ) -vaso bojudo de barro ou vidro , de boca larga, usado


para guardar alimentos
;

BOLA DE CAPOTãO -( s.f. ) -antiga bola de couro costurada à mão, para


futebol.
BOLANDEIRA -( s.f. ) -peça componente do tráfico de fazer farinha;
grande roda que
move o rodete de ralar mandioca.

BOLéU -( s.m. ) -aos boléus; aos encontrões; aos trambolhões


;
“ parem c’o esse boléu que o pai de voces tá prá chegá

BOLINA -( s.f. ) -cabo que sustenta a vela na canoa.


BOLINá -( v.t. ) -manter contato voluptuoso ; tirar sarro; passar a
mão.
“ ficaro se bolinando o que deu a noite intirinha

BOLO DE OVO -( s.m. ) – uma espécie de omelete, feito com farinha de
mandioca
;
BOLOLô -(s.m.) -confusão em que se envolvem muitas pessoas;
embrulhada;
BOM-BOCADO -( s.m.) -espécie de doce caseiro;
BOMBORDO -(s.m.) -esquerda do navio, para quem olha da popa para a
proa.
BONITO-LINDO -(s.m.) -um tipo de pássaro, do porte das saíras, de
corpo amarelo
e

dorso azulado.

BóQUE -( s.m.) -tipo de jogo infantil jogado com bola de gude (


bolinha de vidro ) ou
com minguito ( sementes de abricó ) nos boques ( buracos cavados na
areia )
.
BOQUEIRA -(s.f.) -ulceração nos cantos da boca.
BOQUéCA -( s.f.) -mesmo que moqueca.
BOQUINHA DA NOITE -(s.f.) -um pouquinho antes do anoitecer ; início da
noite.
BORDãO -( s.m.) -cajado; bastão.
BORDEJADA -(s.f.) -diz-se da canoa com bordas altas, para pesca no mar
alto.
BORDOADA -(s.f.) -pancada com o bordão.
BOREAL -( s.m. ) -tolo ; ruim da cabeça ; apalermado.
BORéSTE -( s.m.) -mesmo que estibordo.
BORNá -( s.m. ) -saco de pano com provisões do farnel.
BOROCOXô -( s.m. ) -pessoa mole; fraca ; sem coragem.
BORRADô -( s.m. ) -livro onde os comerciantes anotam suas operações.
BORROLãO -( s.m.) -semente do guapiruvu.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

BOTá ABAIXO -( loc.v. ) -derrubar; demolir.

“ no cortá a a arvore, jogô por cima da casa e botô tudo abaxo, pinchô
tudo no chão “
BOTá PRá TERRA -( loc.v. ) -tirar algo do mar e puxar para a terra;
trazer algo do
mar para a praia ou para a costeira.

BOTá FORA -(loc. v. ) -jogar; despojar-se de; despreender-se


;
“ O tar do Dimirço intão qué isperto, botô fora tudo, o dinherinho que
ganhô c’a pescaria

BOTá NA SEVA -( loc.v. ) -engordar a criação, fechada no cativeiro.


BOTá REPARO -( loc.v. ) -reparar ; obsevar; ver ; notar;
“ das coisa dela não cuida, mas vive botando reparo na dos otro

BOTECO -( s.m. ) -bar; botequim.


BOTóQUE -( s.m. ) -olho muito arregalado; vide batoque.
BRAÇA -( s.f. ) -medida de cordames, madeiras e terrenos, equivalente
a 2,20

metros. Obtem-se uma braça, tomando com a mão direita, a ponta inicial
de uma corda ou cipó, estendendo-a sobre o peito e, com os braços
abertos e inclinados para trás, retomando-a , com a mão esquerda, no
ponto onde a corda ou cipó, atinge o grau maximo de abertura natural.
Trezentas braças de terra equivalem a cerca de 660
metros ou a uma quarta de alqueire.

BRAÇADO -( s.m. ) -medida correspondente àquilo que se pode abranger


com os braços; uma porção ; uma braçada.
“incomendei um cento de lenha pro Firmino, más ele só troxe um
braçado, porque não tinha
mais

BRACORAIA -( s.f.) -cobra coral; também chamada de bacoraia.

BREADO -(adj.) -emporcalhado; sujo.


“ chegaro de tardezinha tudo breado de lodo inté a cabeça

BRéBE -( s.m. ) -breve; escapulário que contêm oração ou simpatia
contra doença
BRéGUéSSE-( s.m. ) -coisa indeterminada; pessoa impertinente.
BREU -( s.m. ) -escuridão ; escuro como breu.
BROQUEADO -( adj. ) -atacado pela broca; estado da madeira perfurada
por larvas;

carunchado; esburacado
.

“ aquela zinha ali tá perfeitinhazinha , num tem broqueado nem nada



BROTOEJA -( s.f. ) -erupções cutâneas concentradas em determinadas
partes do corpo, provocando prurido, avermelhamento da pele e coceira.
“ aquela zinha minha tá c’uma brotoejada danada na cabeça; deve de sê
do calor, intão

BRUACA -( s.f.) -meretriz.


BRUNIDO -( adj.) -polido; diz -se do arroz beneficiado.
BUCHA -(s.f.) -pedaço de pão ou uma colherada de arroz engolido
rapidamente,

quando se está com pressa ou não se tem muita fome ; comida sem valor.
BUCHO -( s.m.) -ventre; barriga; estômago.
BUCHO DE BAGRE -(s.m.) -nome dado à Ankilostomina , antigo
lombrigueiro;

vermífugo.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

BUFANDO -( v.i. ) -encolerizado, enfurecido , raivoso.


BUFO -( s.m.) -som produzido pelo ataque do enxame de pernilongos.
BUíZA -(s.f.) -mesmo que boiz, armadilha ou arapuca para aves
terrestres,

confeccionada com ubá ou achas de bambú, dispostas horizontalmente, em


forma de
pirâmide achatada no cume.
BUJACA -(s.f.) -vide burjaca ; saco de couro; também meretriz.

BULADA -( s.f.) -bule cheio de alguma coisa ( bulada de café )


.
BULE -(s.m.) -recipiente com tampa, asa e bico, em que se servem chá,
café,
chocolate.

BULHA -( s.f.) -ruído no mato seco; barulho de folhas e galhos


secos,pisados;

“ esse cachorro infiliz fez bulha e espantô a caça



BULí -(v.t.) -mexer; tocar; perturbar; provocar verbalmente;
“ esse pessoar não tem diciprina; anda bulindo nas coisa dos otros

BULÍCIO -( s.m. ) -ruído; agitação leve.


BUNDA DE SANTO -(adj. ) -pessoa rabisseca; que tem a bunda pequena.
BUPéVA -(s.f.) -mesmo que boipeva, espécie de cobra.
BURRICHó -( s.m.) -burro pequeno ; burrico.
BURUCUTú -( interj. ) -indica movimento brusco; queda repentina; o
mesmo que

tibum “ pacaum
.
“ Acabô de armoçá e burucutu na água “ Não dá pra piscá o zolho que
ele burucutu, pá dentro

BURUVUNA -( s.f.) -tipo de ferida ; furúnculo.


BUSANO -( s.m. ) -mesmo que gusano, um tipo de molusco que corrói as
madeiras
das embarcações ou que ficam debaixo d’água.

BUTúCA -( s.f.) -veja mutuca.


BUZULéU -(s.m.) -a buzuléu; às pampas; aos montes; a rodo; também
significa: em
desordem; em confusão; desarrumado.

CAIXãO DA RODA-( s.m.) -o mesmo que caIxote ou gaiola.


CAXêRO -(s.m.) -balconista; empregado de estabelecimento comercial.
CAXêRO-VIAJANTE-(s.m.) -nome antigo do atual representante comercial.
CAXOTE -(s.m.) -o mesmo que gaiola ou caixão da roda.
CABADô -( s.m. ) -artesão que lavra o corte para a fabricação da
canoa; carpinteiro

rústico que trabalha com o machado, facão e o enxó, no acabamento da


canoa.O
corte de canoa é tirado no sertão e carregado pelo rio, ou rebocado
pela praia, até o
rancho do cabadô.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CABEÇA DE NEGRO -( s.f.) -um tipo de bombinha das festas juninas.

CABEÇA DE ONDA -( s.f. ) -movimento das ondas do mar agitado onde, no


contorno
dos vagalhões, delineiam-se inumeros montículos.
CABEÇA DE PREGO -( s.f.) -um tipo de furúnculo.
CABEÇO DE ONDA -( s.m.) -mesmo que cabeça de onda
.
CABELO AMERICORVO -(s.m.)-corte de cabelo americano, em que se raspava
as

laterais da cabeça, deixando só a parte de cima do cabelo, da testa


até o cacuruto;

CABO -( s.m. ) -corda de cipó, algodão ou naylon usada nas lides


maritímas
.
“ quando chegá la fora, a hora que acabá o cabo, mecê faiz a vorta e
começa a largá a rede

CABO DO FUSO -( s.m.) -alavanca roliça de madeira, que atravessa a
ponta inferior
do fuso, e acionando em espiral, enrosca-o, ou parafusa-o na concha,
imprensando
o

tipiti.
CAÇA -( s.f. ) -animal selvagem da região, que se constitua em presa
comestível
e
objetivo de caçada.
“ tivemo ai pelo sertão caçando tatêto

CAÇá COM A PENEIRA -( loc.v.) -simpatia feita com uma peneira, na


sexta-feira
,
para tirar o medo das crianças.

CACARECANDO -(v.t./i.)-cacarejando.
CACEá -( v.t.)-modalidade de pesca de vara, em que a canoa é deixada à
deriva,
levada (movida ) pela força da maré.

CACHAÇO -( s.m. ) -porco reprodutor.

CACHORRA -(loc.v.) -estar com a cachorra; estar de péssimo humor ;


furioso;
danado.
CACHORRA DA CASA -( s.f. ) -espécie de jirau, à guisa de armário,
construido no

vão da cobertura de sapê das casas de pau-a-pique; peça de madeira ou


pedra que

sustenta o forro ou beiral das casas;


CACHORRO DO MANGUE -( s.m.) -guaxinim
.
“ fica mariscando de lá e prá cá, correndo anssim, é cachorrinho do
mangue, não serve pra
comê

CACHORRO DO MATO -( s.m.) -guaxinim;


CAÇIRóVA -( s.f. ) -pombo silvestre de cor azulada, que se alimenta de
banana.
CACO -(s.m.) -traste sem valor; pessoa doente ou velha.
CAÇôA -( s.f. ) -não se trata da fêmea do cação, mas sim de uma
espécie de cação,

cujo peso atinge até cem quilos. É de índole mansa, e uma presa
apreciada pelos
pescadores, apesar de sua carne não ter quase valor. Há a crença de
que este
predador, mais a tintureira e o aniquim comem gente.

CACUIA -( interj.) -expressão que significa : pois olhe ; não é bem


assim;
CACUNDA -( s.f.) -dorso; costas.
CACURUTA -( s.f.) -mesmo que cacuruto.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CAÇUTú-( s.m. ) -pessoa muito importante; manda chuva, chefe, cabeça,


líder.

CADE-LHA -( loc.) -o que é dela ?; onde esta ela?

“ a canoa , cadê-lha ? “

CADE-LHO -( loc.) -o que é dele ? ; onde esta ele?

“ fulano, cadê-lhe ?

CADEADA -( s.f.) -pegar uma cadeada; ir preso; ser processado.
CADêLE -( loc. ) -onde está ? cadê
?

“ cadele minha familia, cadele que fim levô



CAFé AGUADO -( s.m.) -café fraco, ralo.
CAFé COM ISCA -( s.m.) -café com mistura.
CAFé COM MISTURA -(s.m.) -café acompanhado de iguarias; café-conosco;
café-

medroso; café-gordo; café-com-isca; café-mastigado.


CAFé CONOSCO -( s.m.) -café com mistura.
CAFé DE GUARAPA -( s.m. ) -café coado com a garapa para adoça-lo.

“ o sinhor vai istranhá o tar de café cum guarapa



CAFé GORDO -( s.m.) -café com mistura.
CAFé MASTIGADO -( s.m.) -café com mistura.
CAFé MEDROSO -( s.m.) -café acompanhado; café com mistura.
CAFEADA -( s.f.) -bule cheio de café ; muito café.
CAGAÇO -( s.m. ) -medo; susto.
CAGUIRA -( s.f.) -azar no jogo; estar azarado; medo; receio.
CAIÇARA -(s.m.) – habitante da bera da praia;pessoa natural de
Cananéia -SP.
CAíCO -( s.m. ) -pequeno bote usado para levar passageiros da praia
até o mar

onde espera o barco costeiro.


CAIDINHO -(adj.) -prostrado ; abatido.
CAIMENTO -(s.m.) -prostração; languidez; abatimento.
CAITê -( s.m. ) -espécie de vegetação.
CAITITé -( s.m. ) -caxinguelê.
CALAÇARIA -( s.f.) -malandragem; ociosidade.
CALADA DA NOITE -(s.f.) -horas mortas.
CALAFATE -( s.m. ) -indivíduo cujo oficio é calafetar.
CALãO -( s.m.) -pedaço de paus roliços onde estão amarradas as mangas
das redes

de pesca, tipo picaré e de arrasto. No picaré, os calões são


empunhados por dois ou

três camaradas que o arrastam pela praia e, na rede de arrasto, estão


amarrados aos

cabos que servem para puxa-lá para a prais;

CALãO DE DENTRO -( s.m. ) -calão da rede que fica em terra ,na praia,
na beira da
água.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CALãO DE FORA -( s.m. ) -calão da rede que fecha o lanço e prende o


cardume.
CARÇA DE CAGá EM Pé -( s.f. ) -diz-se da calça de perna fina, muito
apertada;
CALIÇA -( s.f.) -pó ou fragmento de cal , que sai das paredes em
demolição
CALINGA -( s.f.) – carlinga; peça de madeira, onde se assenta o mastro
da vela, na

canoa.

CAMARADA DE REDE -( s.m. ) -várias pessoas, ou alguns familiares,


proprietários
de rede de pesca, que formam uma equipe para a pesca de arrasto em
mutirão.
CAMARãO -(s.m. ) -gatilho da arma de fogo; alavanca de detonação das
espingardas

tipo pica-pau.
CAMARINHA -( s.f.) -fruto silvestre; é também: na casa do caiçara, as
dependências
diferentes de sala, cozinha e corredor, são sempre camarinhas. Por
vezes,

corresponde ao quarto, não tendo porém porta;


“ Cumpadre não s’incomóde; nóis durmimo na camarinha, que tá bom demás

CAMBá -(v.t.d.) -virar a vela da embarcação, de um lado para outro.
CAMBACICA -( s.f.) -espécie de pássaro.
CAMBADA -( s.f.) -porção de peixe ou de objetos enfiados em alguma
coisa
CAMBADO -(adj. ) -torto de um lado.
CAMBALEãO -( s.m.) -camaleão.
CAMBAU -( s.m. ) -peça de madeira, que se põe no pescoço dos animais,
para

impedi-los de atravessar cercas ; os cambau ; coisa nenhuma ; nada


disso; nem
pensar.

CAMBETEá -( v.i) -coxear; andar meio tonto.


CAMBéVA -( s.f. ) -peixe martelo; cação de menos de 10 kg, que tem na
extensão
da boca, um prolongamento do corpo, em forma de martelo.
“ o cação que dá mais aqui por terra agora, é esses machotinho anssim,
é esses cambevinha

CAMBOPé -(s.m.) -cambapé ; tombo dado com os pés.


CAMBóTA -( s.f.) -cambalhota.
CAMBóTE -(s.m.) -mesmo que cambopé.
CAMBULHADA -( s.f.) -porção de coisas ou de peixes, enfiados ou presos
por corda,

arame ou cipó ; mesmo que enfiadura de peixes.

CANA DE LEME -( s.f.) -haste de madeira ou ferro, encaixada no leme de


pequenas
embarcações, para movimentar ( o leme ) de um lado ( bordo ) para
outro.
CANDAIRó -( s.m. ) -o antigo nome do Morro de São João.
CANDIERO -( s.m. ) -mesmo que candeeiro; tipo de lampião.
CANDINHA -( s.f.) -candinha nos olhos; mesmo que ver estrelas, quando
se leva

uma pancada na cabeça.


CANGALHA -( s.f.) -espécie de biscoito de forma arqueada, feito de
farinha de trigo.
CANGATá-( s.m. ) -espécie de bagre.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CANGóTE -( s.m. ) -pescoço; parte posterior dos ombros.


“ Carrego mandioca como ? Só no cangote anssim

CANGUINHA -( adj. ) -pão duro; avaro; muquirana;
CANHÂNGA -( s.f.) -marisco assado na brasa.
CANíCULA -( s.f.) -grande calor; calor excessivo; sol forte.
CANINANA -( s.f.) -pessoa de gênio mau;

CANO DE ESPINGARDA -( s.m. ) -calça com a perna muito fina , muito


apertada.
CANOA CASCO DE TELHA -( s.f.) -canoa com casco em forma de telha
colonial,
o
que a deixa com muita estabilidade.

CANOA LôCA -( s.f.) – canoa louca; diz-se da canoa com casco muito
abaulado,
o
que a deixa sem estabilidade.

CANTADEIRA -( s.f.) -a quarta corda da viola.


CANTAREIRA -( s.f.) -prateleira de madeira, onde fica o cântaro;
armário rústico de
madeira que, via de regra, está disposto num dos cantos da parede da
casa.

CáNTARO -( s.m. ) -vaso grande, bojudo, com uma ou duas asas, de barro
ou de
folha, para líquidos.
CANTORIA -( s.f.) -cantigas; cantarola ; papo-furado; conversa mole.

CANUTILHO -(s.m. ) -a primeira corda da viola ( bordão )


.
CãO -(s.m.) -parte do detonador das armas de fogo, encimada pelo
ferrão, que serve
de apoio ao dedo no momento do engatilhar; peça da espingarda, que
percute
a
cápsula ou cartucho.

CAPADO -( s.m. ) -porco castrado, para engorda.

CAPIá -(s.m. ) -espécie de planta, que produz frutos de cor preta e


branca, utilizados
no artesanato, para confecção de colares, etc...
.
CAPITãO -( s.m.) -grãos escuros no arroz.
CAPITIú -(s.m.) -espécie de planta medicinal.
CAPôIRA -( s.f.) -mesmo que capuêira.
CAPóTE -( s.m. ) -capa ou casaco comprido; reconhecimento da vitoria
de alguém

em jogos, apostas.
CAPUAVA -( s.f.) -mesmo que capuera.
CAPUêRA -( s.f.) -mato novo nascido em lugar de outro que fora
derrubado ou
queimado.
CAQUêRO-( s.m. ) -peça onde fica o carvão em brasa.
CARá -( s.m. ) -designação comum a várias espécies de tubérculos
alimentares.
CARA DE ENTERRO -(s.f.) -diz-se da fisionomia triste , abatida.
CARA DE JOELHO -( adj.) -diz-se do recém-nascido, que ainda não tem
feição

definida, que ainda não dá dizer se parece com o pai ou com a mãe.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

“ Criança piquena é tudo iguar, parece que tem cara de joelho



CARA DE LATA -( adj.) -cara de sem vergonha.
CARA DE LéCO -(adj. ) -cara de bobo ( leco é o mesmo que criado,
lacaio etc...
)
CARA DE LUA CHEIA -( s.f.) -cara muito redonda.
CARA DE ONTEM) -(s.f.) -cara de sono, de quem está sem dormir.
CARA DE PãO AMANHECIDO -(s.f.) -cara de sono ; cara de ontem.
CARA DE TACHO -( s.f.) -cara de quem fica sem saber o que fazer;
envergonhado
;

passado.
CARA-CHUPADA -( s.f.) -pessoa de ou com o rosto muito magro.
CARA-LAMBIDA -( s.f.) -cara de sem vergonha.
CARá MENINO -( s.m. ) -espécie de cará de tamanho grande que, na roça,
se parece

com a figura de um menino, pelo seu porte.


CARá-PIPá -( s.m.) -um tipo de inhame.
CARAANHA -( s.f.) -caranha, uma espécie de peixe.
CARACAXá-( s.m. ) -espécie de ave aquática; mesmo que Martim-pescador.
CARAMINGUá -( s.m. ) -dinheiro miúdo.
CARANGUEJA -( s.f.) -peça de madeira ou ferro presa ao mastro da vela;
a verga.
CARAPAU -( adj. ) -pessoa muito magra, espécie de peixe.
CARAPéVA -( s.f.) -mesmo que carapeba, uma espécie de peixe.
CARAPINHé -( s.m. ) -espécie de pássaro e brinquedo infantil, que
consiste em

beliscar com dois dedos de uma das mãos, a pele das costas da outra
mão, puxando-
a enquanto eleva e desce repetidamente os braços, dizendo: cará...
cará... carápinhéééé.
CARATINGA -( s.f.) -espécie de peixe.

CARAVELA -( s.f. ) -água viva de grande porte, que flutua com tons
furta-cores, ao
sabor das correntes.
CARAVêLHA -( s.f.) -mesmo que cravelha
.
CARÇO -( s.m. ) -calço; mesmo que rasteira; golpe dado com o pés, na
intenção de

derrubar alguém.
CARÇUDO -( s.m. ) -calçudo; uma espécie de gavião.
CARDEá -( v.t. ) -ação de misturar farinha de mandioca já torrada, nos
dias

anteriores, à massa seca, antes de ser levada ao tacho para


torrefação. Essa
operação deve ser contínua, e é necessária para se produzir uma
farinha de boa
qualidade. “prá não murchá, bota farinha quente em cima da farinha
fria, prá
cardeá.né

CARDENETA -( s. f. ) -caderneta; caderno do freguês, onde se anotavam


as compras
a prazo efetuadas nos antigos armazéns e mercearias de Cananéia -SP. A
anotação
equivalente, era feita no livro Borrador do comerciante.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CARDERADA -( s.f.) -( caldeirada ) iguaria feita de peixe cozido.


CARDO DE PIÇA -( s.m. ) -esperma.
CARDOSO COM BARRETE NA CABEÇA -( loc. ) -sinal de chuva, quando a Ilha
do

Cardoso está encoberta por nuvens de chuva.

“Aí, aí’,aí! Qdo o Cardoso amanhece de Barrete na Cabeça pode contá


que é chuva na certa.

CARECIDO -( s.m. ) -necessitado, precisado.
“ O infiliz é mitido anssim de lacaio que é, pôis carece de tudo na
vida

CARéPA -( s.f.) -caspa miúda, em crianças.


CARêRO -( adj. ) -careiro; que vende ou cobra muito caro.
CAREZA -( s.f. ) -carestia; alta de preço.

“ as coisa anda numa careza que só



CARGA -( s.f.) -pedras, pesando de cinco a trinta quilos, que são
colocadas na tauba

de balança da arataca para com sua pressão envergar o varejão,


prensando o tipiti,
carregado de massa verde, no fabrico da farinha de mandioca pelo
processo local.
CARíJO -( s.m. ) -( do caingangue ) jirau ou armação de madeira onde
se colocam

folhas para seca -las ao calor do fogo.


CARIJó -( s.f. ) -raça de galinha, de penas rajadas de preto e branco.
CARIMá -( s.m. ) -mesmo que carimã, pasta de farinha usada para borrar
no

carnaval.
CARMARIA -( s.f.) -calmaria; cessação do vento , antes da trovoada.
CARNE -( s.f.) -polpa de alguns frutos silvestres
.
CARNE DE LATA -( s.f.) -carne enlatada; carne em conserva.
CARNE DE RES -( s.f.) -carne de vaca.
CARNE ESPONJOSA -( s.f.) -tecido ( carne porosa ) que cresce entre a
gengiva
e

os dentes doentes.
CARNE TREME -(loc.v.) -a minha carne treme de ódio, de réiva dele.
CARNêRA -( s.f.) –carneira; cerquinha de madeira que se faz em volta
da sepultura.
CARNEGãO -( s.m. ) -parte do tumor ou furúnculo; cabeça de prego.
CARPIÇãO -( v.t. ) -ato de carpir, capinagem.
CARRêRA -(s.f. ) -levar uma carreira; levar um bronca; levar um passa-
fora.
CARRêRO -( s.m.) -trilho percorrido habitualmente pela caça.

“ armêmo o mundéu bem no carrêro da paca



CARREADô -( s.m. ) -picada ou trilha no mato.
CARREGá A BALANÇA -(loc.v. ) -operação que consiste em botar
sucessivamente

pedras na balança da arataca; botar carga na balança da arataca.


CARREGAÇãO -( adj. ) -coisa de qualidade inferior; estar acometido de
doença.
CARREGAÇãO DE PEITO-( s.f. ) -bronquite.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CARUDO -( adj.) -do rosto grande, inchado; com a cara grande.


CARUNCHO -( s.m. ) -um tipo de inseto que corrói as madeiras e os
cereais.
CASA DE FARINHA -( s.f.) -o mesmo que aviamento.

” Ë iguá sapê. Ë iguá a casa, que eu fiz lá..., da farinha, minha”. É,


lá pá frente; pá trais
daquele bananá, lá é a casa de farinha ”
.
CASA DE MATERIá -( s.f. ) -casa de alvenaria; casa de cimento; telhas
e tijolos.
CASA DE TABOADO-( s.f. ) -casa de madeira; casa de tábuas.
CASá OBRIGADO -( loc. ) -casar na marra; casar com a noiva grávida.
CASCABULHO -( s.m. ) -as sobras de alguma coisa; maçaroca; monte de
cascas.
CASQUêRO -( s.m. ) -mesmo que sambaqui.
CATAVEVê -( s.m. ) -fuligem saída do fogo a lenha.
CATABULáRIO -( s.m. ) -arquivo; catálogo.
“Va lá no catabulário do Ibirapuera e veja se não tem o meu nome na
Revolução de 32.

CATERETê -( s.m. ) -espécie de dança no fandango.
CATINGA -( s.f.) -cheiro forte e desagradável.
CATINGUELê -( s.m. ) -é o mesmo que caxinguelê.
CATIRA -( s.f.) -espécie de dança do fandango; dança de sítio.
CATUêRO -( s.m. ) -tipo de lança com anzol na ponta, para içar peixe
grande.
CATURRA -( s.f.) -espécie de banana ( banana-caturra )
.

CATUTO -( s.m. ) -o ninho da vespa.


CAUCULAMENTO -( s.m.) -cálculo; avaliação; previsão
.
“ uns quatro a cinco quilo, a gente dá um cauculamento anssim pra
esses pexe

CAUDO -( s.m.) -caldo.


CAúNA -( s.f.) -um tipo de madeira boa para lenha.
CAVA DA ONDA -( s.f. ) -reentrância sem espumas, formada pela onda, ao
quebrar

na praia ou em suas imediações.


CAVACO -( s.m. ) -pedaço ou lasca de madeira; cavaquinho ( instrumento
musical )
.
CAVACO -( s.m. ) -uma iguaria feita de massa de farinha de trigo,
semelhante a um

pastel, frita, com canela em pó ou geléia, para tomar com café.


CAVERNAME -( s.m. ) -ossada do peixe ou da caça; conjunto das cavernas
da
embarcação.
CAVú-( s.m. ) -capa ; capote.
CAXêTA -( s.f.) -pau de viola; madeira semelhante ao pinho, mole e
fácil de lavrar,

muito empregada em peças do artesanato caiçara


.
CAXINGUELê -( s.m. ) -mesmo que serelepe.
CEBOLãO -( s.m. ) -mesmo que patacão ; relógio de bolso muito grande.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CEGUêRA DA GALINHA -( s.f.) -mesmo que lusco-fusco; diz-se do período


do
crepúsculo vespertino.

CENTO DE LENHA -(s.m.) -medida correspondente a cem achas de lenha.

CERCADO -(s.m.) -chiqueiro de área espaçosa, onde se confina a


criação.

CERCO -( s.m. ) -armadilha para peixes, feita de taquara, em forma de


labirinto. O “cerco
fixo”, é uma armadilha para peixe, composta de uma estrutura
arredondada ( cordiforme ) de
taquara ( a “ casa do peixe “) ligada à uma paliçada também de taquara
( “ espia “ ) de
comprimento variável e que liga a “ casa do peixe “ à margem ou
costeira vizinha, formando
assim, um obstáculo à movimentação do peixe ao longo da margem. De
cada lado a união da
espia com a “ casa do peixe “, dispõe-se duas paliçadas menores em
forma de ganchos ( as “
asas ” ou “ ganchos “ ) cujo conjunto é denominado “ varanda “ e que
se destina a confundir

o peixe, conduzindo-o à entrada da “ casa do peixe “, abertura essa


denominada “ porta “a
qual, pela sua elasticidade, permite a entrada do peixe, porém
dificulta a saída do mesmo, uma
vez tendo este penetrado no cerco propriamente dito. O conjunto de
mourões ou paus mais
reforçados que forma a estrutura básica da armadilha, é denominado “
mouroada “, sendo a
paliçada de taquara trançada com arame galvanizado, chamada de “ panos
“. Os panos são
fixados aos mourões básicos por meio de segmentos de arame, chamados
de “ botões “ e que,
freqüentemente , precisam ser fixados com o auxilio de mergulhadores .
A mouroada vertical
, fincada no lodo do fundo, com o auxilio de um “ batedor “ ( pedaço
de madeira em forma de
palmatória) é ligada entre si , por meio de varas flexíveis ,
denominadas na parte inferior de “
rodapé “ e na parte posterior , na altura da porta , de “ rodamão “. O
perímetro da “ “ casa
do peixe ““ denomina-se “ rodo “ , isto é, o comprimento linear da
estrutura cordiforme (
arredondada ). A armadilha propriamente dita é a “ casa do peixe “ ,
que com suas duas
extensões ( os “ ganchos “ ) dirigidas para a costa , é ligada a costa
pela “ espia “, que serve
para barrar o caminho habitual do peixe, ao longo da costeira,
dirigindo-os para a “ casa “,
que tem uma “ porta “ constituída de duas esteiras e taquara em forma
afunilada, que é a parte
mais importante da armadilha a qual, uma vez transposta pelos peixes,
não os deixa mais sair. O
cerco foi introduzido na região de Cananéia na década de 30 a 40 ,
supostamente por um
pescador de Santos -SP, sendo muito difundido em toda a costa
brasileira, a partir de São Paulo
para o norte , onde é encontrada até o Maranhão , sob as denominações
de “ cercadas; cacurys;
curraes e tapagens ”
CERENGA -(s.f.) -cacerenga; faca velha, sem corte e/ou sem cabo; faca
rústica,
curta; faca sem cabo, usada para raspar mandioca, no fabrico da
respectiva farinha.
” Isso é a cerenga pá raspá a raiz de mandioca. Merceda, e aquela
cerenga miúda, cadê-lha ”.

CERRADO -(adj. ) -encoberto pela cerração.

CéVA -( s.f.) -lugar onde se coloca isca para apanhar animais.

CHá DE COADA -( s.f.) -mandinga feita com café coado na calcinha da


mulher, para
deixar o namorado apaixonado.

CHACRA -( s.f.) -chácara; terreno.

CHALADO -( adj. ) -bêbado.

CHALEIRA -( s.f.) -vasilha de metal com bico e tampa , onde se aquece


a água p/ o
café ou chá.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CHAMA -( s.f. ) -mesmo que negaça; chamariz; chama; ave aprisionada na


gaiola

usada para atrair outras.


CHAMá A CANOA -( v.t ) -movimentar o remo pela popa da canoa, para
mudar
a
direção para a esquerda.

CHAMA-RITA -( s.f.) -espécie de dança de fandango.

CHAMARO -( v.t. ) -chamaram.

“ eu não fui , que eles não me chamaro “

CHANCHE -( s.f. ) -chance.

CHAPA -( s.f.) -dentadura.

CHAPá -( v.t. ) -encher demasiado.

CHAPADA -(s.f.) -soco; tapa; pancada em cheio; chapoletada.

“ A chapada de Mano Chico chega até a derrubá o sujeito “

CHAPADO -( adj. ) -cheio; repleto.

“ o Mané passô aqui cum cesto chapadinho de pexe “

CHAPEá -( v.t. ) -furar a bacia, ou a chapa da roda de sevá com um


ponção, a fim de

que ela faça a função de ralador.

”Chapeá, é como seja furá a chapa da roda de sevá com punção bem
rumbudo”.

CHARCO -( s.m. ) -pântano.

CHATA -( s.f.) -embarcação para transporte de carga pesada.


CHAVASCADA -( s.f.) -pancada; bordoada.
“ não foi com a unha, foi com chavasco

CHEIRO DE BOCA -( s.m. ) -maú-hálito.

CHEGANÇA -( s.f.) -fandango.

CHEIRO DE Aô -( s. m.) -cheiro forte de suor.

CHIAÇO -( s.m.) -mesmo que asma; bronquite; chio de peito.

CHIBá -( v.t. ) -penar ; sofrer ; executar trabalho penoso,


CHIBANCA -( s.f.) -ferramenta para destocar terrenos, com um lado para
cavar
a

terra e outro para cortar raízes.


CHICOLATEIRA -( s.f.) -bule grande, de cobre ou folha de flandes, sem
bico.
CHIMA-RITA -( s.f.) -mesmo que chama-rita;modalidade do fandango, de
origem

açoriana, onde os pares, em fileiras opostas, se cruzam e se afastam e


tornam
a
aproximar-se, como nas evoluções das danças portuguesas; limpa-banco.
CHIMANGO -( s.m. ) -carne seca; carne de sol de má qualidade.
CHINCHADA -( s.f.) -bronca; indireta grosseira e pesada; chamar na
chincha.
CHIO DE PEITO -( s.m. ) -chiaço; bronquite; asma.
CHISPA -( s.f.) -sair na chispa; sair na pisa; sair correndo ; andar
em alta velocidade
CHISPá -( v.t. ) -sair correndo em disparada.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CHISPADO -( s.m. ) -apressado ; com muita pressa; correndo.


CHOÇA -( s.f.) -cabana rústica.
CHOCO -( s.m. ) -podre ; estragado ; ovo em incubação.
CHUMBADA -( s.f.) -chumbo que se põe nas redes e varas de pesca.
CHUMBADO -( adj. ) -bêbado ; embriagado.
CHUMBEIRO -( s.m. ) -pedaço de chumbo, colocado de espaço em espaço ,
na

parte inferior da rede de pescar.


CHURIÇO -( s.m. ) -chouriço; iguaria feita de tripa e sangue de porco.
CHURIÇO -( s.m. ) -chouriço; expressão que se usa quando não se quer
responder

ou explicar alguma coisa para criança.


“ o que é isso ? ; é churiço , pra comê na hora do serviço

CHUSMA -( s.f.) -grande quantidade de pessoas.
CIá -(v.t.d. ) -ter ciúmes de; ser avarento.
CIGANO -( s.m. ) -aquele que cia ; pessoa avarenta.
CINCERRO -( s.m. ) -campainha que se pendura no pescoço do animal.
CISCá -( v.int.) -esgaravatar ( a galinha ) o solo à procura de
alimentos.
CISCO -( s.m. ) -sujeira; lixo; argueiro no olho.
CISQUêRO -( s.m. ) -tipo de pá de lixo, com cabo comprido.

CISTINHO -( s.m.) -cesto.


COBERTA -(s.f.) -cobertura de sapê ou palha nas casas de pau-a-pique e
barro.
” conforme a coberta, sendo bem grossa anssim, atura prá mais de doze
ano

COBRêRO -( s.m. ) -espécie de lagarta.

COBRêRO -( s.m.) -doença da pele que consiste em estrias avermelhadas


que
provocam forte coceira no local afetado.
CóÇA -( s.f.) -surra; levar uma coça; levar uma surra.
COCHá -( v.t.) – cochar; torcer; trançar , tecer; contorcer.

“ Maria meu tá se cochando de dor de intistino “ Cordão faiz de imbira


cochada.

COCHá-(v.t.) – cochar; espremer; prensar; imprensar. No fabrico da
farinha de
mandioca cocha-se o tipiti cheio de massa verde sevada, entre a coroa
e a mesa, na

arataca ou no fuso.
” Tem de cochá bem...

COCHADô -( s.m.) -instrumento de madeira usado para esticar e trançar
cipó na

confecção de cordas rústicas.

COCHANDO ( v.t.) – contorcendo


“ não qué tomá remédio e fica aí se cochandode dor nas tripa.

COCHO -( s.m. ) -grande recipiente retangular de madeira, com fundo
côncavo, de
2

ms. de comprimento por 0,50 m. de largura e 0,40 de altura. Quando


esse cocho está

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

debaixo da roda de sevá não tem as partes laterais, e, ficando numa


posição inclinada,
faz o caldo da massa verde escorrer para uma das duas extremidades. Há
ainda
outros, nas mesmas discriminações, tendo, porém, suas partes laterais,
e com vários
usos, entre as quais, o de receber a massa seca passada na penêra, ou
de receber
a
farinha já forneada.

COCHO DA MASSA SECA -( s.m.) -apetrecho usado no fabrico da farinha de


mandioca, que consiste numa grande vasilha, feita de um tronco grosso
da árvore,
escavado, de cerca de 2 ms. de comprimento por 0,50 de largura e 0,40
de
profundidade, tendo duas aparas de tábuas em cada uma de suas
extremidades.
Serve para receber a massa seca pela arataca ou pelo fuso, para daí ir
ao forno.

COCHO DE CANOA -(s.m.) -canoa velha; pedaço de canoa usada como cocho.
COCHO DE MASSA VERDE -( s.m. ) -vasilhame nas mesmas características
do
cocho de massa seca, recebendo, entretanto, a massa sevada que desce
da roda.

Difere do primeiro por não ter as duas aparas da borda, para que o
caldo da mandioca
ralada possa ir escorrendo, já na operação de sevá.
COCURUTO -( s.m. ) -parte mais alta da cabeça.
COIó-( s.m. ) -medroso; covarde; tolo.
COISA AíVA -( s.f. ) -coisa sem valor, insignficante, reles.

“ Sai daqui , seu coisa aiva . “

COIVáRA -( s.f.) -pilha de galhadas e tronco que não se queimaram


inteiramente na
roça e que se junta para serem incineradas.
COLERINHA -( s.f.) -espécie de pássaro.
COLHãO -( s.m. ) -testículo.
COLHERêRO -( s.m. ) -espécie de ave marítima.
COM O CRARO -( loc.adv.)-antes do anoitecer.

“ queremo vê se chegamo lá com o craro “

COM O ESCURO -( loc.adv. -na boca da noite; com o sol posto; no


crepúsculo.
“ onte chegamo c’o escuro

COMBALIDO -( adj. ) -abatido; sem forças; abalado.
COIMBRO -( s.m. ) – combro; mesmo que duna, na praia.
COME DE BóBES -(s.m.) -finta; drible; dar um come de bóbes, significa
aplicar uma

finta.
COMEDíO -( s.m.) -mesmo que cumizanha.
COMIDINHO -( s.m. ) -pequena ondulação que os cardumes fazem na
superfície do

mar.
COMIDO -( adj. ) -roído ; carcomido.
COMPRAZER -( v.t./i.) -fazer o gosto; a vontade ; só por um comprazer;
pelo gosto.
COMO SEJA -( conj. ) -que nem; assim como; igual a.

“ A bracoraia é pirigosa como seja o jaracuçú . “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CONCERTINA -( s. f. ) -sanfona; harmônica;instrumento da família do


acordeão, com
caixa hexágona e teclado de pequenos botões.
CONFIADO -( adj. ) -atrevido.
CONGO -( s.m. ) -espécie de bagre pequeno e de qualidade inferior.
CONGUINHO -( s.m. ) -congo pequeno.

CONSAGRAÇãO -( s.f. ) -uma fase do batismo na igreja católica, após a


crisma.
CONSERTá O PEIXE -(v.t. ) -limpar o peixe das vísceras.
“ primero conserta eles tudo, adespois cunzinha cum banana

CONSOANTE -(adj.) -semelhante; igual; parecido; assemellhado.


“ era um pexe grande anssim , consoante uma tinturêra

CONSTIPAÇãO-( s.f. ) -defluxo; resfriado.
CONTRA-DEUS -( s.m.) -diz-se da pessoa canhota.
CONTRAPASSO -( s.m.) -levar um contrapasso ; levar um empurrão.

COPIá -( s.m. ) -mesmo que cupiá.


CORAJUDO -( adj.) -corajoso; resoluto.
“ sujeito corajudo esti um dai

CORDA -( s.f. ) -tábua de madeira arredondada que se coloca sobre o


tipiti, a fim de
que sua tecedura de bambu resista bem e flexivelmente à pressão do
varão, no
prensá da massa verde da mandioca.
” O quêjo e a coroa é o mesmo, aquela ali, ali ”
.

CORDAS DA VIOLA -( s.f.) -de cima para baixo a seqüência é : canutilho


; toeira;

requinta; cantadeira e a prima.


CORDEá-( s.m. ) -mesmo que cordial; beberagem de ervas;
“ quem sabe se um cordeá de nhabutitana cum sete sangria não cura o
mininozinho

CORNAÇO -( s.m. ) -trompaço; empurrão;esbarro; pancada nos córnos.

CóRNOS -( s.m. ) -cara; face ; rosto.


“Voce não tem vergonha nos córnos.

COROA -( s.f.) -baixio temporário produzido pelo refluxo da maré (
vazante )
.
CORóCA -( s.f.) -velha feia, decrépita, caduca.
COROCORóCA -( s.f.) -vide crocoroca ; espécie de peixe.
CORRê COXIA -( loc.v. ) -vadiar; andar por toda parte.
CORRICá -( v.i. ) – corricar; pescar de rede de corrico.
CORRICO -(s.m.) -rede móvel ; com bóias, para pesca.
CORRIMAÇA -( s.f. ) -corrida; tropel.

“ a chuva bateu e começo a currimaça



CORRUÍRA -( s.f.) -espécie de pássaro.
CORTE -( s.m.) -vide corte de canoa.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

CORTE DE CANOA -( s.m. ) -pau cortado e cavado grosseiramente , que


será
transportado até a beira da praia, onde será lavrado e transformado em
canoa.
“ esse corte nós comprêmo de Seu Manéco ;ele mesmo que tirô o corte

CORUJA -( s.f.) -bolo de farinha de mandioca, com amendoim ou indaiá,


assado em

forno caipira.
COSTãO -( s.m.) -lado de um morro de difícil acesso; paredões de pedra
que caem
íngremes para o mar;

COVANCA -( s.f.) -terreno entre morros, com entrada natural apenas de


um só lado.
COVO -(s.m.) -armadilha para apanhar peixes,que consiste num funil
tecido de
timbopéva, tendo em sua boca uma roda que impede a saída do peixe que
tenha

entrado;
“ de primêro nóis ainda tirava aí por vórta, aí, de más o meno dois
covo de pexe

CRACA -( s.f. ) -marisco que prolifera em pedras de costeira, rochedos
e casco das

embarcações, imersos na água; diz-se também da sujeira no pescoço das


crianças,
causada pelo pó e suor.

CRARO -( s.m.) -claro; vide craro da lua.


CRARO DA LUA -( s.m.) -fase da lua que vai da lua nova até a lua
cheia; recesso da
pesca da sardinha com traineiras.

CRAVêLHA -( s.f.) -tarraxa; peça para retesar as cordas do instrumento


musical.
CREMONA -( s.f.) -ferragem para trancar janelas e portas.
CRENDOS PADRE -( loc.v. ) -expressão de expanto, de indignação.

“ más que gente más arado de fome, crendos padre todo poderoso, parece
que nunca viram

cumida !

CRIAÇãO -( s.f. ) -denominação dos animais e aves domésticas;
“ isso eu digo pá sinhora; esses bicho não e bom pá criação, morre
tudo ele

CRIAME -( s.m. ) -criadouro.


CRIANÇA DE PEITO -( s. f. ) -recém nascido; criança em idade de mamar
no peito.
CRIANÇA PIQUENA -( s. f. ) -criança de colo; criança até os sete anos
de idade.
CRIéRA, s.f. -escamas mais grossas da massa seca da mandioca, que não
passam

pela penêra no fabrico da farinha.


” A criera que fica na penêra, joga-se prás galinha. Aquilo não
presta, é criera”
.
CRISMá -( v.t.d.) -ato da igreja católica; sacramento da consagração
na fé.
CRISTALEIRA -( s.f.) -armário envidraçado, onde se guardam as garrafas
e os
copos.
CRóCA -( s.f.) -dobra no arame ou na linha de aço da vara de pesca,
que a faz partir-

se.
CROCHê -( s.m. ) -tecido rendado, feito à mão com uma agulha provida
de um
gancho na extremidade.
CRóQUE -( s.m. ) -pancada na cabeça com o nó dos dedos; cascudo.
CRUVIANA -( s.f.) -tempo chuvoso e frio.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

CUá -( v.t. ) -peneirar a massa seca da mandioca no cocho de massa


seca, de onde
será levada ao forno, para torrefação; passar no coador o pó de café e
a garapa
fervida para fazer o café de cana.
“Prá forneá a gente côa, põe dentro do forno e bota fogo embaxo. Agora
pá forneá, querendo
forneá de dois, forneia, não querendo, forneia de um, agora o outro tá
lá cuando na penêra e o
outro tá forneando ”.

CUCHICHóLO -( s.m. ) -cochicholo; casinhola ou aposento muito


apertado.
CUCúIA -( s.f.) -ir pras cucuias; morrer ; falhar ; ir pro beleléu.
CúIA -(s.f.) -recipiente feito da metade de uma cabaça, usado para
muitos fins,

inclusive os de recolher farinha e tirar água do bojo da canoa.


“ a vossa cuia ficô na minha canoa

CUITéLINHO -( s.m. ) -beija-flor.
CUJARA -( s.f. ) -mesmo que guirá, um tipo de rato silvestre.
CUMARí -( s.f. ) -espécie de pimenta.

CUMBALIDO -( s.m. ) -combalido ; abatido; abalado ; sem forças.


CUMBUCA -( s.f. ) -vasilha feita de duas metades de cabaça , unidas
por uma tira de
embira que faculta uma regulagem à abertura das duas concavidades.

CUMIDADA -( s.f. ) -grande porção de comida.


“ Mas prá que essa cumidada tudo?

CUMIêRA -( s.f.) -cumeeira; a parte mais alta do telhado.


CUMIZANHA -( s.f.) -mesmo que comezaina; refeição abundante; comida em
demasia.

CUNZINHá -(v.t.) -cozinhar.

“ cunzinha ele cum banana verdolenga



CUPIá -( s.m.) -cômodo da casa de pau-a-pique, com cerca de 3 metros
quadrados,
2
de comprimento, por 1,50 de altura, onde é construído o fogão de barro
e o jirau das
panelas. Não faz parte da estrutura principal da casa ( sala,
camarinha e cozinha)
ficando agregado à cozinha;
“ cupiá é uma casinha anssim piquinininha, adonde fica o fogão,
agarrada na cuzinha pá
cuzinhá e não pretejá de piuma dentro de casa , o sinhor sabe né

CURANCHIM -( s.m. ) -sobrecu da galinha.


CURê -( s.m. ) -imundo; indivíduo porco; sujo, fedorento.
CURUVINA -( s.f.) -corvina; peixe de fundo da agua salgada.
CUSCUZ -( s.m. ) -prato feito de arroz, e cozido no vapor.
CUSTIPADO -( adj.) -constipado; resfriado.

“ acho qué custipado, né ; tava cum frio ,tava co corpo quente “

CUSTOSO -( adj.) -difícil; penoso; complicado; raro


.
“ é munto custoso subí nesse morro “ “ é munto custoso ele aparecê por
aqui

CUVIOCO – ( s.m.) – comodo apertado; casa pequena; casebre.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

DÁ UM CHEIRINHO -( loc.verb.) -costume entre pais e filho, mulheres e


namorados
de, numa demonstração de carinho, cheirar o rosto fazendo um ruído
nasal de
aspiração.

DANDãO-( s.m. ) -modalidade de fandango.


DANISCO -( s.m. ) -danado; hábil; jeitoso.
DE A Pé -( loc.adv.) -a pé ; andando.

“ imos de a pé inté o Tapitangui “

DE CRóCAS -( loc.adv. ) -mesmo que de croque; posição comum do caiçara


,
quando conversa em roda, no terreiro ou na praia.
DE CRóQUE -( loc.adv. ) -de cócoras; agachado; sentado nos
calcanhares.
DE MANHá -( loc. Adv.) -de manhã.
DE A MEIA -( loc.prep.) -a meias; meio a meio.

“faiz de meia, é metade pra cada um “

DE PRIMêRO -( loc.adv.) -antigamente, outrora; dantes.


“ de primero tinha munto pexe

DE UM TUDO -( loc.adv.) -grande variedade; fartura; abundância;

“ Aqui nesse mato virge dá de um tudo; dá de tudo, o que prantá aí dá


“ “ Ele me prometeu de

um tudo “ “ Tinha de um tudo lá, não carecia de nada “


DE VELHO -( loc.adv. ) -há tempo; de há muito tempo.
“ Quando eles chegaro nós já tava lá de velho. “

DECASCá -( v.t. ) -descascar; tirar a casca, o couro;

“ decasca ele e bota pá cunzinhá



DECEPá -( loc.v.) -cortar pequenos pedaços do caule da mandioqueira
para
o
plantio; cortar piques de rama, de tal maneira que o corte saia rente
e oblíquo para ser
quebrado do pau de rama com um leve esforço. O cuidaddo no decepar a
rama
condiciona a boa germinação do broto da rama, e esta operação é uma
parte das
atividades do cultivo da mandioca.

DECéRTO -( adv. ) -com certeza; por certo; certamente.


DEDO -( loc. prep. ) -indica, geralmente, unidade de determinado
conjunto, como por

exemplo ; um dedo de açucar; dois dedinhos de arroz


.
“ Meu sinhor do céu, não rendeu nadinha mesmo, essa rama. Deu um
dedinho só de farinha
.
DEDO DE DAMA -( s.f.) -espécie de pimenta vermelha.
DEFESO -( s.m. ) -período em que se proíbe a pesca, para a procriação
da espécie
DEFRUÇO -( s.m. ) -( defluxo ) -catarro nasal ; resfriado.
DEGALHá O PEIXE -( loc.v. ) -tirar as galhas do peixe.
DEGOTá -( v.t. ) -mesmo que esgotar , escoar a água da canoa.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

DEISDE -( prep.) -desde.

“ to aqui deisde criança piquena , deisde que naci



DEISDE QUE -( conj.) -desde que.
“ deisde que caí doente, vô dize pro sinhô , não tenho feito nada,
nadinha, só gastando.

DEIXá DE NADA -( loc.v. ) -passar um raspe, uma descompostura.


DEJAHOJE-( adv.) -agora há pouco; há pouco tempo atrás.
DERRADêRO -( adj.) -o último entre todos; extremo; o último filho ou
filha
.

“ esti um é o primêro e este zinho daqui é o derradêro



DERREADO -( adj.) -vergado; arriado; desancado ; prostrado ;
desanimado.
DERRIÇA -( s.f.) -fazer derriça; destruir; tirar tudo.
DESAGERO -(s.m. ) -mesmo que exagero.
DESAPARTá -( v.t.d.) -fazer cessar uma briga, separando os
contendores; mesmo

que apartar;separar; desunir


.
DESAPRECATADO -( adj. ) -desprevenido; sem precaução.
DESARVORADO -( adj. ) -sem rumo; desnorteado.
DESBELANDO -( v. t. ) -regalando; deleitando; regozijando.

“ Tá se desbelando todo com aquela compota de ameixa .



DESCAÍDO -( adj. ) -inclinado; tombado;caído;abatido; prostado.
DESCAIMENTO -(s.m.) -abatimento ; prostração; inclinação.
DESCOIVARá -( v.i. ) -limpar a terra de troncos, galhos e ramagens em
coivara,

resultante da queimada anterior. Arrancam-se os tocos queimados e


colocam-se sobre
os grandes troncos e raízes irremovíveis. queimar os troncos não
incinerados ,
restantes na roça, para limpar o terreno.

DESCONJUNTá -( v.t. ) -luxar; desarticular; tirar fora das juntas.


DESCRéDITO -( s.m. ) -pessoa sem credibilidade, sem honra.
DESCURTIVADO -( adj.) -desmatado ; descoivarado.
DESEMBARCá -( v.i. ) -desempregar-se da embarcação.

“ a mulher feiz ele desambarcá “

DESENCANTá -( v.i.) -achar ; encontrar; aparecer c/ alguma coisa que


estava
perdida.
DESENCARDí -(v.t.d.) -embranquecer a roupa encardida; limpar ; lavar.
DESENCHê -( v.t.d.) -esvaziar ; despejar.

“ Temo de espera a maré desencher pra podê lanceá. “


.
DESENTRAFULHá -( v.t.) -desencantar; achar; encontrar.
DESENTRALHá -( v.t.d.) -tirar o tralho; tirar a malha da rede de
pesca.
DESENTULHá -( v.t.d.) -desobstruir.
DESFEITIá -( v.t.d. ) -fazer uma desfeita; insultar; ofender.
Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (
13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

DESGRACENTO -( adj. ) -maldito; amolante.


“ o desgracento do lodo sujô minha ropa tudo “

DESGRACIDO -( adj. ) -vivo; esperto;decidido; mesmo que desgramado


.
DESGRAMADO -( adj.) -desgraçado; miserável; danado, valente.
“ fiozinho desgramado de forte é esti um dai, esse tar de nailo

DESGRANADO -(adj. ) -mesmo que desgramado.


DESGRANIDO -(adj. )-mesmo que desgracido ; vivo; esperto ; decidido
.
DESINFETá -( v. t. ) -retirar-se; ser posto para fora.
DESINLEIá -( v.t.) -desenlear.
DESINTEIRá-( v.t.) -tirar uma parte ou uma quantia de alguma coisa
reservada para

um determinado fim.
DESISTí -(v.i.) -defecar ; evacuar ; obrar.
DESISTIVO -( s.m. ) -purgativo ; laxativo.
DESMALHá -(v.t. ) -desmaiar; tirar o peixe das malhas da rede.

“ ela bateu a cabeça, desmalhô e não recumperô mais “

DESMARISCá -(v.i.) -tirar o marisco da concha com a força das mãos, ou


com
o
auxílio de algum objeto ou ainda colocando-o para cozinhar levemente.
DESMELHORá -(v.t.d.) -piorar ; parar o melhoramento.
DESMERECIDO -( adj. ) -magro; fraco ;anemico.
DESMOLí-( v.t. ) -demolir.
DESMORRER -( v. int.) -restabelecer-se após haver estado quase à
morte.
DESNATURADO -( s.m. ) -indivíduo desumano; cruel.
DESNORTEADO -( adj. ) -desorientado; tonto.
DESPACHADO-( adj. ) -ativo; desembaraçado ; expedito.
DESPEJá -( v.t.d. ) -esvaziar; entornar o conteúdo de.
DESPéJE -( v.t. ) -entorne ; esvazie.
DESPENSA -( s.f.) -móvel onde se guardam os alimentos.
DESPESCá -( v.i ) -recolher o peixe “inleiado” na rede ou presos no
cerco.
DESPIROCADO -( adj. ) -pirado; enlouquecido; desvairado.
DESPOIS -(adv. )-depois.
DESPROPóSITO -(s.m. ) -quantidade; descomedimento; dito ou ato sem
propósito
;

grandeza ou excesso de alguma coisa.


DESTAPô -(v.t. ) -destampou ; tirou a tampa.
“Ja que destapô, despeje um poco na minha caneca

DESTRONCá -(v.t.) -desarticular; desconjuntar; deslocar; fazer sair (
um membro
)

da junta ou articulação.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

DESVARá -( v. t. ) -ato contrário ao varar a canoa; recolocar a canoa


na água.
DESVIO-( s.m.) -estar no desvio; estar desempregado.
DEVASSADO -(adj. ) -aberto ou franqueado à vista de todos.
DIABINHO -( s.m. ) -fantasia que imita o diabo, usada no carnaval,
para correr atrás

dos foliões, sujando-os com trigo ou açoitando-os com uma bola de


pano.
DIANHO -( s.m. ) -diabo.
DICIPRINA -( s.f. ) -disciplina, caráter; vergonha.

“ Esse pessoar não tem diciprina mesmo. Bastô virá as costa um


istantinho de nada, queles

pega sua canoa pra nadá cum ela , vive bulindo nas coisa dos otros

DICUMENTO -( s.m. ) -documento pessoal.
“ eu truce meus dicumento tudo

DIDARZINHO -(s.m.) -de dedal; um pequena quantidade de alguma coisa.

DIGA NEM -( loc.v.) -expressão de aprovação; concordância.


“ Tá gostoso ? Diga nem !

DIJERO -( adj. ) -ligeiro, ágil ; esperto, rápido.
DILINDá -(v.t.) -deslindar; aclarar; esclarecer; tirar a limpo.
DISGRA -( s.f.) -falta de dinheiro; penúria.
DISGRAFUTE -( adj.) -vivo, esperto,decidido; mesmo que desgranido.
DO QUE -( s.m. ) -mesmo que porquê.

“ do que não vão simbora , lote de jaguaraíva?



DOENÇA RUIM -( s.f. ) -tuberculose.
DOMINGUEIRA -( s.f.) -fandango ou baile de sitio, no domingo a tarde.
DOR DE PERê -( s.f. ) -dor no baço que , segundo a crença popular,
cura-se
colocando-se um pequeno galho de capim ou guanxuma na cintura.
DOR NO APá -( s.f. ) -dor na espádua.
DORADA -( s.f.) -dor pelo corpo todo; mesmo que doreira.
DORDóLHO -( s.m. ) -mesmo que dor-d’olhos ; doença dos olhos
.
DORêRA -( s.f.) -dor pelo corpo todo.
DOS-( num.) -número dois.

“ o sinhor me veja dos quilo dessa farinha “


DURêIRO -( s.m. ) -prisão de ventre.

EGISTIR -( v.i.) -existir.


“ mas aqui quaji num egiste “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ELEGIDO -(adj.) -eleito ; escolhido.

EM RODA -( loc.adv.) -em volta; ao redor; em torno de.

“ Agora só farta limpá o mato em roda da casa “

EMBARCá(R ) -(v.i) -morrer.

EMBARCADO -( s.m. )-empregado de/em uma embarcação.

EMBICADO -( adj. ) -diz-se da embarcação cuja proa esta mais


mergulhada que
a

popa.
EMBICAR -( v.t. ) -dirigir-se ; encaminhar-se ; aproar; rumar para;
EMBIGO -( s.m. ) -umbigo.
EMBIRA -( s.f.) -qualquer casca ou cipó usado para amarrar; é também a
taturana.
EMBIRRá -( v.t. ) -teimar com ira ; insistir muito ; antipatizar.
EMBOLE -( v..t. ) -empacote; embrulhe
.

“ O sinhor qué que embole pá presente ?



EMBUCHADO -( adj. ) -com a boca cheia de comida; com o estômago cheio.
EMPACHADO -( adj. ) -com o estômago muito cheio; que comeu demais.
EMPACOTá -(v.i.) -engalfinhar; brigar;

“ s’impacotaro os dois lá

EMPALAMADO -( adj. ) -pálido; opilado; com amarelão.
EMPANTURRADO -( adj. )-farto; empanzinado; cheio de comida.
EMPANZINADO -( adj. ) -empanturrado; que comeu em excesso.
EMPAPUÇANDO -( v. t. ) -desbelando; regalando.

“ Tá se empapuçando naquele pé de goiabêra .



EMPAVESADO -( adj. ) -vaidoso ; soberbo; pessoa muito enfeitada.
EMPERRADA -( adj. ) -a galinha que não quer chocar os ovos.
EMPICORNOU -( v.t. ) -empacou.
EMPINá DA LUA -( loc.v. ) -pôr-se a lua a pino; elevar-se a lua no seu
nascimento.
EMPOá -( v.t. ) -aplicar pó-de-arroz no rosto.
EMPOADO -( adj. ) -maquiado ; com pó-de-arroz no rosto.
EMPOLADO -( adj. ) -soberbo; metido.
EMPROADO -( adj. ) -vaidoso; orgulhoso ; pretensioso.
ENCABEÇO-( s.m. ) -começo da rede ; cabeça da rede.
ENCACHAPADO -( adj. ) -acachapado; doentio; que se adoece facilmente.
ENCAFIFADO -( adj. ) -vexado ; encabulado; desconfiado.
ENCALACRADO -( adj.) -endividado.
ENCAPOTá -( v.i.) -capotar ; virar de ponta cabeça.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ENCAPOTADO -( adj. ) -vestido com capote; com muita roupa de frio.


ENCARANGADO -( adj. ) -entrevado; raquítico; encolhido de frio.
ENCARDIDO -( s.m. ) -de cor amarelada; mal lavado.
ENCARNADO -( adj.) -vermelho-sangue; vermelho cor de carne.

“ O tié-sangue é encarnado anssim



ENCARQUILHADO -( adj.) -enrugado; ressequido.
ENCASCá A REDE -( loc.v. ) -banhar a rede de pesca na casca do
jacatirão.
ENCASTOá -( v.t. ) -enrolar com cordas; engastar o anzol na linha de
pesca.
ENCHARCANDO -( v.t. ) -bebendo/ tomando muito.

“ tá se encharcando de café, depois não dorme “

ENCHER -(v.t.) -preencher.


“ preencha esse cheque prá mim

ENCHUMBEIRá -( v.t. ) -colocar os chumbos na rede de pesca.
ENCONTRá A CANOA -( loc.v. ) -remar para trás, para parar ou mudar a
direção da

canoa para a direita.


ENCORDOá -( v.i./t. ) -zangar; amuar; aviar com as cordas alguma
coisa.
ENCORUJADO -( adj.) -jururu; tristonho; acabrunhado.
“ Deisde que acordô tá li incorujado naquele canto

ENCOSCORADO -( adj. ) -encarquilhado; encrespado.
ENFAMIAÇãO -( s.m. ) -desespero causado pela fome.

“ I sso daí já é infamiação, não é fome “

ENFAMIADO -( adj. ) -arado; esfomeado; faminto.


“ o infamiado cumeu tudo sozinho

ENFARADO -( adj. ) -enjoado; enfastiado.
ENFARO -( s.m. ) -enjôo; repugnância; fastio.
ENFERRUSCADO – ( adj. ) – enfezado; irritadiço; aborrecido, amolado,
irritado.
ENFURNADO -(adj.) -escondido; afastado do convívio social; isolado;
retraído.
ENGASGA-GATO-( s.m. ) -cachaça ou farofa de carne seca em pedaços
graúdos.
ENGOLE-ELE -(adj./ s.m. ) -roupa folgada em excesso.
ENJAMBRANDO -( v. t. ) -se enjambrando; se chegando; se insinuando.

“ Esse cara aí agora tá se enjambrando pro meu lado, assim como quem
não quer nada.

ENJOAÇãO -( s.m. ) -enjôo; náuseas.
ENJOAMENTO -(s.m. -enjôo; enjoação; náuseas.
ENLEIá -( v.t. ) -enlear , enroscar.
“ o pexe tá tudo inleado na rede

ENLEIADO – (adj.) enleado, pessoa embaraçada, confusa,complicada.

“ Do jeito que ela é inleiada pra se arrumá, tão cedo nós não saímo de
casa hoje “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ENSACADOR -( s.m.) -saco de algumas redes de pesca de arrasto, para


onde vão

os camarões e os peixes capturados.


ENTERTIDO -( adj.) -entretido; atraído; concentrado.
“ a paca fica boba, fica entertida cá luz do fraxilaite; daí é só
atirá ‘

ENTOJO -( s.m./adj. ) -nojo; repugnância; pessoa chata; nojenta.

ENTRALHá -(v.i ) -colocar as malhas da rede na tralha da cortiça ou do


chumbeiro;
trabalhar no conserto das malhas quebradas da rede.
ENTRALHAMENTO -( s.m. ) -operação que consiste em acondicionar nos
cordames

laterais e terminais das redes a tralha da cortiça e a tralha do


chumbeiro.
ENTRALHO -( s.m. ) -fio ou cabo fino, com que prende o tralho á rede
de pesca.
ENTRE PRA DENTRO -(loc.v. ) -forma de se convidar a entrar em casa.
ENTUPIMENTO -( s.m. ) -intestino preso.

“ comê goiaba verde quira da entupimento



ENXERGãO -( s.m. ) -estrado de arame, colocado nas camas tipo patente.
ENXUGá A MASSA -(loc. v. ) -prensar o tipiti cheio de massa verde,
entre a coroa e
a

mesa, na arataca ou no fuso para espremer o caldo da massa da mandioca


sevada
e
enxugá-la para o peneiramento e o forneamento, no fabrico da farinha
de mandioca.
“Arataca prá que serve ? “ Prá enxugá a massa...”
.

ENXUGA-PóÇA -( adj.) -apelido dado à alpercata.


ERMá MULHER -( s.f. ) -irmã.
ERMãO HOME -( s.m.) -irmão.
ERPE -( s.m. ) – érpe; calor ; tempo quente.
ESBANDALHADO -(adj.) -espedaçado; destruído ; estragado.
ESBODEGADO -( adj. )-cansado; exausto ; esbaforido; esbandalhado
;

escangalhado.
ESCADEIRA -( s.f.) -anca.
ESCALá -( v.t.) -cortar o peixe em fatias horizontais; operação de
limpar e cortar
o

peixe para cozê-lo ou salgá-lo; salgar o peixe para levar ao sol.


“ escalava ele, né , abria ele no meio anssim, escalava, colocava sár
e botava no sór pra secá

ESCALABRADO -( adj.) -com a pele escoriada.
ESCALER -( s.m. ) -pequeno embarcação; bote salva-vidas.
ESCAMá -( v.t.) -tirar as escamas do peixe.
ESCAMOSO -( adj.) -indivíduo metido.
ESCANGALHADO -( adj. ) -estragado; arruinado.
ESCARAFUNCHá -( v.t.) -remexer; procurar.
ESCARCéU -( s.m. ) -gritaria ; alarido; alvoroço.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ESCARDA-Pé -( s.m. ) -escalda-pés; banho nos pés com água muito quente
;

pedilúvio
.
ESCARDAMENTO -( s.m. ) -escarda-pé; tratamento da medicina caiçara que
consiste no banho dos pés com água bem quente, a propósito de curar
alguma
nevralgia, distensão muscular ou resfriado. A aplicação faz-se antes
de deitar, e exige
resguardo de friagem no dia seguinte.

ESCARRADO -( adj. ) -igual ; idêntico.


“ é a cara do pai , iscrito e escarrado

ESCARRANCHADO -( adj. ) -sentado ou deitado com as pernas abertas.
ESCONSO -( s.m. ) -inclinado; torto; meio caído; pendido para um lado.

ESCORA -( s.f.) -pau roliço e resistente que se usa para sustentar


alguma coisa
.
ESCORá -( v.t. ) -durar; aguentar; resistir.
“ Dermevau não vai escorá essa vida

ESCOTA -( s.f.) -cabo para governar a vela na embarcação.


ESCRACHO -( s.m. ) -esculacho; esculhambação.
ESCRAMENTADO -(adj. ) -o mesmo que escarmentado; experiente; provado.
ESCULHAMBá -( v.t.) -desmoralizar ; avacalhar ; esculachar.
ESCUMA -( s.f.) -mesmo que espuma.
ESCURO DA LUA -( s.m.) -fase minguante da lua, quando ela não aparece
a noite.
ESCUSADO -( s.m. ) -inútil ; desnecessário.
ESCUSOU -(v.t.) -negou; recusou.
ESFARFADO -( adj.) -esfalfado ; cansado; extenuado; estafado.
ESFOGUETEADO -( adj.) -estabanado; estouvado ; travesso ; irrequieto.
ESFREGA -( s.f.) -levar uma esfrega ; levar um surra; repreensão ; (
estar numa)
;

trabalho duro e cansativo.


ESFREGãO -( s.m. ) -pano ou vassoura de esfregar o chão.
ESGAÇá -(v.t.) -desfiar o tecido.
ESGANADO -(adj. ) -morto de fome; indivíduo faminto.
ESGAZEADO -( adj. ) -diz-se do céu límpido e claro, nos dias frios.
ESGOTá -( v.t. ) -tirar a água; escoar a água da canoa.
ESGUELHA -( s.f.) -olhar de esguelha; olhar de través; de soslaio ; de
viés
ESMOLA DO DIVINO-( s.f.) -esmola que se dá para os festejos da
Bandeira do
Divino.

ESMOLá -( v.t.) -parte do ritual das festas do Divino, em que a


Bandeira vai de casa
em casa pedindo dinheiro ou alguma prenda para os festejos
ESPARRAME -( s.m. ) -espalhafato; barulho; briga ;rolo.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ESPARRELA -(s.f.) -armadilha para caçar pássaros, através de uma


laçada de cipó
ou corda, que está ligada ao içador envergando-o e prendendo-o aos
pauzinhos, de
tal forma que, no momento que a ave tocam esse dispositivo, são
laçados pelo içador;
logro; cilada.

ESPECADO -( adj.) -diz-se do cabelo eriçado.


ESPECULA -( s.f.) -pessoa muito abelhuda.
ESPECULA DE RODINHA -( s.f.) -resposta que se dá às pessoas abelhudas
,

quando não se quer responder ou explicar alguma coisa.


“ O que é isso ? ; É especula de rodinha

ESPéQUE-( s.m. ) -peça de madeira, para escorar objetos.


ESPERá O JAJIGO -( loc.v. ) -aproveitar o balanço da onda do mar para
colocar
a
canoa em movimento.
“tamo isperando o jajigo pra sair, que é menos pirigoso

ESPIA -( s.m.) -pessoa que fica de guarda, no barranco ou no alto,


para avisar os

camaradas de rede, que estão sempre de sobreaviso; da chegada do


cardume.
ESPIá -( v.t.) -observar a caça ou a ave silvestre, quando esta se
empoleira nos
galhos para dormir, para surpreendê-la e abatê-la a tiros de
espingarda;
“ Janjão foi espiá paca lá na seva do bananá, e Lauro cabô de saí pra
espiá macuco no morro

ESPIADA -( s.f. ) -olhadela; dar uma espiada no baile; dar uma rápida
olhada.
ESPINHé(R) -( s.m. ) -aparelho de pesca, que consiste num cabo
sustentado por

bóias de cortiça, do qual, de distância em distância, pendem linhadas


com anzóis.
O
espinhél pode ser deixado na espera ou ser “ assistido ” da canoa
pelos pescadores
.
ESPINHELA CAIDA -(s.f.) -designação de varias doenças da coluna
vertebral.
ESPINHO DE JUDEU-( s.m. ) -espécie de cipó com grandes espinhos.
ESPIRITEIRA -( s.f.) -peça onde se coloca álcool para arder; pequeno
fogão.
ESPIRRO DE PICA -(s.m.) -pessoa muito magra ; coisa insignificante.
ESPOLETA -( adj. ) -diz-se da criança muito levada.
ESPRAIADO -( s.m. ) -espaço que a maré deixa ao vazar.
ESPREGUIÇADEIRA -( s.f.) -cadeira preguiça.
ESQUENTAMENTO -( s.m.) -gonorréia.
ESTADO INTERESSANTE -( loc. ) -estar em estado interessante, estar
grávida.
ESTAQUEá A REDE -( v.t.) -deixar a rede de espera presa por estacas.
ESTEIRA DE PIRI -( s.f.) -esteira feita de junco; de piri.
ESTEIRA -( s.f. ) -tecido de tabôas secas entrelaçadas, de tamanho
variado, servindo

de cama. Os gomos da tabôa oferecem um acolchoado macio e impermeável


à
umidade. Ela pode ser usada sobre um estrado de madeira ou colocada
diretamente
no chão batido do casa.

ESTEIO -( s.m. ) -escora; espeque; amparo.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

ESTICA -( s.f.) -estar na estica; estar bem vestido.


ESTICA E PARA -( s.f.) -borracha sem elasticidade.
ESTILINGUE -( s.m. ) -forquilha de madeira, munida de elástico, com
que as

crianças atiram os pelotes.


ESTIRãO -( s.m. ) -caminho longo; eito.
ESTIVA -( s.f. ) -revestimento feito com paus roliços ou varas, em
terrenos

alagadiços ou pantanosos.
“ prá nóis passá nesse pantáno, tem de estivá ele cum vara grossa

ESTOCADA -( s.f.) -levar uma estocada; levar uma bronca; ser posto
para fora.
ESTORRICADO -( adj. ) -muito seco; quase assado; roupa muito apertada.
ESTORVá -(v.t.) -incomodar; embaraçar.
ESTORVADO -( adj. ) -estouvado; estabanado; travesso; imprudente.
ESTRALO -( s.m. ) -ruído leve; estampido.
ESTRANJA -( s.f.) -estrangeiro; terras estrangeiras.

ESTRéPE -( s.m. ) -espinho ou lasca de madeira.


ETA -( interj. ) -indica admiração ou constatação.
“ Êta pedaço de mato bão prá rocá e prantá

EXPERIMENTE -( s.m.) -querer um experimente ; uma lambujem ; querer


uma

chance.
EXPRIMENTá -( v.i ) -tentar; experimentar.
“ É o popêro que vai exprimentano o lugá, intão a gente larga a rede,
despois bate, vorta
batendo e garra a colhê ela

EXTRATO -( s.m. ) -mesmo que água-de-cheiro; perfume.

FACHêRO -( s.m. ) -mesmo que facho.


FACHIá -( v.t.) -pescar ou caçar à luz do facho.
FACHO -( s.m. ) -lampião; archote; luzeiro ; peça de taquara em fogo,
utilizada para

iluminação na pesca; farolete; lanterna a pilhas.

FAÍSCA -( s.f. ) -corisco; relâmpago, raio.


“devéra de sê a faísca que lanhô esse pau no meio

FALá -( v.i.) -ação de emitir sons, produzidos pelos animais,
compreendendo as aves

e os pássaros. “
O
surucuá vem no arremedo, pensa que é o filho que tá falando

FAMILHAGE -( s.f.) -os familiares ; a parentagem.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
FAMITO -( adj.) -faminto; guloso; esfomeado.
“ o famito cumeu tuda comida “

FANDANGO -( s.m.) -O Fandango era dançado em Portugal já no século


XVII, vindo
da Espanha e no século seguinte era considerado como dança nacional,
animando os
bailes da corte e chegando até às ruas. No Brasil, St. Hilaire
presencia um Fandango
no Paraná, em 1820 e vários autores se referem à sua presença nos
festejos do Paço
de São Cristóvão, no Rio de Janeiro. O Fandango de Cananéia é, antes
de mais nada,
um baile que reúne diversas danças regionais denominadas “ marcas de
fandango “,
que tem coreografia própria e que se dividem em dois grandes grupos:
as “ bailadas “
e as “ rufadas “ . Às primeiras, pertencem danças executadas por
homens e mulheres
“arrastando os pés “ ; às segundas, danças que entrem batidas de pés e
mãos.
Somente os homens “rufam “ , calçando tamancos, sobre um tabuado de
madeira,
enquanto as mulheres realizam evoluções mais discretas. Por fim,
retiram-se,
deixando aos homens o “arremate” , verdadeira prova de virtuosismo. Ao
“Fandango
Batido “ pertencem as seguintes “ marcas “ : Autoria, Manjericão,
Sapo, Vilão,
Sinsará, Gaivota, São Gonçalo. Ao “ Rufado “ , pertencem as “ marcas “
do Anu
Paraguai, Anu Corrido, Tonta, Nhá Aninha, Serrana, Feliz, Chamarita,
Queromana
e Andorinha. O Bater do pés e mãos é sempre realizado em uníssono, sob
as ordens
do “ Mestre “ que dirige o baile. Antigamente, o Fandango era dançado
sobre um
tabuado em baixo do qual cavavam um grande buraco, que funcionava como
caixa
acústica e “ o rufar do Fandango se ouvia a léguas “.

FARINHA D’ÁGUA -( s.f.) -farinha feita de mandipuva. Coloca-se a


mandioca num
cesto dentro d ’água, espera apodrecer até soltar a casca e faz a
farinha dessa
mandioca quase podre.

FARINHA DO BARCO -(s.f.) – farinha de mandioca que vinha da região de


Santa
Catarina, trazida pelo veleiro São José, hoje afundado defronte ao
cais.

FARINHA MANEMA -( s.f.) -mesmo que a farinha d ‘água, só que coada um


pouco
mais grossa

FARINHA DA TERRA -( s.f.) -farinha de mesa do caiçara.

FARINHA DE MESA -( s.f.) -farinha comum de mandioca, branca e seca.


FARINHA DE TAPIOCA -( s.f. ) -pó granulado, constituído pelos resíduos
da goma
da massa sevada da mandioca torrada na lâmina do tacho de cobre no
fabrico do biju.

FARINHA SURUÍ -( s.f.) -farinha de mandioca mal cozida, um pouco crua,


de
qualidade inferior.

FARINHADA -( s.f. ) -grande produção artesanal de farinha de mandioca;


fabricação
de farinha de mandioca em larga escala pelo processo próprio local.
”Agora, de primêro, tinha té farinhada. O povo fazia aquela farinhada
prá rendê quatro, cinco
arquêre, quinze arquêre de farinha prá vendê”
.

FARINHEIRA -( s.f.) -vasilha onde é servida a farinha de mandioca.

FARNé -( s.m. ) -merenda para a jornada.

FASTIO -( s.m.)-falta de apetite; aversão; tédio;


“ passei dias sem comê de fastio “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

FATIOTA -( s.f.) -roupa; traje.


FATÍVEL -( s.m. ) -factível ; que pode ser feito.
FATO -( s.m. ) -intestino de qualquer animal.
FAZê PRECURAÇãO -(loc.v. ) -procurar.
FAZê PAREDE -( loc.v. ) -diz-se da aglomeração de homens na porta da
sala onde

ficam as mulheres, no fandango.

“ Não faiz parede que dificurta a dança



FAZê CAVALINHO -(loc.v. ) -brincadeira infantil que consiste em montar
a criança
nas costas de um adulto.

FAZê COMBINAÇãO -( loc.v. ) -combinar; fazer trato.

FAZê CONTINENÇA -( loc.v. ) -fazer gentileza; por cortesia;


educadamente.
“ Agora eu vô tomá um cafezinho c’o cara só pra fazê continença

FAZê EXTRAVAGANCIA -( loc.v.) -comer em demasia ; fazer alguma coisa

desregradamente.
FAZê O QUILO -( loc.v. ) -descansar após a refeição.
FAZê BANCADA -(loc.v.) -abastecer com raízes de mandioca uma gamela,
que fica

sobre o banco da roda de sevá, para o ato contínuo de sevá.

FAZê CAPóTE-( loc.v. ) -raspar a casca da raiz de mandioca, do meio


para a parte
mais grossa, apoiando-a no chão ou nas raspas já amontoadas.
FAZê CAVA -( loc.v.) -empurrar com uma nova raiz de mandioca o pequeno
pedaço

de raiz, que não pode ser introduzido diretamente no ralo, com a mão;
fazê remate.
FAZê REMATE -( loc.v ) .-parte da operação de sevá que consiste em
fazer uma

cava na raiz inteira a ser sevada e colocar o remate, que será


comprimido contra
a
roda de sevá, sem risco de ferir a mão; o mesmo que fazê cava.
FAZENDA -( s.f.) -nome genérico aos panos e tecidos em geral.
FAZê BIGODE -( loc.v. ) -bigode é o sulco que a velocidade da
embarcação faz na

água, com a proa.

FAZIMENTO -( s.m.) -feitura; fabricação;


“ por aqui, se usa fazimento de farinha de mandioca que a gente pranta
na roça

FEDIDO – (adj.) – sujeito enfarado.

“ Do jeito que ele é enfarado, não vai comê esse peixe sêco nunca”
FEDIMENTO -( s.m. ) -enfaro.
FEITO -(conj.) -como; igual; da mesma forma que; que nem.

“ aqui dá fruita feito capim “

FERRADA -( s.f. ) -fisgada; golpe com o anzól para fisgar o peixe,


quando vem comer
a isca.
FERRãO -( s.m. )-agulha do cão da espingardas cartucheiras que pica a
espoleta,

detonando-a; aguilhão de alguns peixes e das arraias.


“ O veneno do ferrão do bagre dói coisa por demás

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

FERRO -( s.m. ) -âncora; poita;


FESTA DE AGOSTO -( s.f.) -festejos em louvor a Nossa Senhora dos
Navegantes
em Cananéia -SP, iniciando-se no dia 12 de agosto, aniversário de
fundação da

cidade ( 15.08.1531 ) e culminando com a procissão marítima no dia


quinze à tarde
e
a queima de fogos à noite.
FICHO -( adj.) -fixo; afixado; pregado;

“ nóis aqui não temo anssim emprego ficho, né; só o pessoar más antigo

FIEIRA -( s.f.) -barbante usado para rodar o pião.
FIéU -( s.m. ) -fiél ; corda fina de algodão ou nylon, com a qual se
puxa a rede do

fundo do mar para a canoa.

FÍGADO -( s.m. ) -rachaduras na pele do calcanhar


.
“ Ah! Isso daí , essa rachadura no seu pé, isso daí é fígado .

FILé -(s.m.) -certo tralho de agulha, em forma de rede, na confecção
de toalhas para

guarnição.

FILHA DA PUTA -( s.f.) -tainha assada na brasa, com as escamas e


recheada com
farofa.
FILHA MULHER -(s.f. ) -filha
.
FILHO HOME -(s.m.) -filho
.
FIO DE LUZ -( s.m. ) -mesmo que fio elétrico.
FISSURA -( s.f.) -vísceras de alguns animas , como fígado, coração
etc..
.
FITICEIRA -( s.f. ) -rede de espera para pescar cação, curuvinas e
outros peixes de

fundo.

“ Foste visitá a fiticêra” “Fiticêra é prá matá pexe de fundo, que não
é aboiado

FIÚZA – (s .f. ) – confiança, segurança, fidúcia;
“ Fica só na fiúza do pai, porque ele mesmo não tem condições “

FLATO -( s.m. ) -desmaio.

FLOZô -(s.m.) -boa vida; ociosidade.


“ Tá ali só de flozô, só na boa vida

FOGUETE -( s.m. ) -espinhaço ; nhamutacanga ; ossada do peixe.
FOJO -( s.m. ) -armadilha com cova funda, lanças de madeira e abertura
tapada ou

disfarçada com folhas secas, para caçar animais.


FOLHEIRO -( s.m. ) -mesmo que funileiro; pessoa que faz peças de lata.
FORA -( adv. ) -mar adentro; alto mar; ao largo da praia.

“ Nesta quadra o cação grande só dá lá fora “

FOREZA ( adj.) – de foreza; mar adentro; distância entre a praia e o


mar adentro.
“ das veiz pescámo com mais de 8 quilometros de foreza da praia pra
pega o cação.

FORFé -( s.m. ) -confusão.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

FORNADA -( s.f. ) -quantidade de farinha de mandioca torrada, que


corresponde
a
um tacho cheio de massa seca de mandioca forneada.
” Uma fornada é uma fornada grande de farinha pá gente...é um forno
cheio”
.

FORNEá -( v.i. ) -mexer a massa sevada e enxuta da mandioca, no tacho


de cobre,
com dois rodos, para que seja torrada por igual.
“As tres hora da madrugada, a mulhér e o Manéco garra forneá”. Agora
pá forneá, querendo
forneá de dois, forneia, não querendo, forneia de um, agora o otro tá
lá, quando um tá na
penera, o otro tá forneando”
.

FORNEAMENTO -( s.m. ) -processo de torrefação da massa seca peneirada,


que
dura de seis a sete horas, e exige fogo constante no forno e meximento
contínuo da
massa seca da mandioca, no forno.

FORNO ( s.m.) -tacho raso de cobre sem alças, que encima o forno de
forneá farinha
de mandioca.
“Uma fornada é uma fornada grande de farinha pá gente..., é um forno
cheio”. O tacho é dos
que tem duas argola e o forno é simpres, num tem. Não, forno é um,
tacho é otro. O forno é
aquele, o forno grande que tem bacia de cobre de tacho que a pessoa
forneia ali dentro”.

FORNO -(s.m. ) -forno de barro, semelhante aos fogões de lenha de


barro, encimado
por um tacho de cobre de 1,50 ms. de diâmetro, tendo embaixo sua boca,
onde se
coloca a lenha para aquecê-lo.
“Aí depois que misgalha, passa na penera, e depois que cua, que sai da
penera, intão pega,
joga no forno...”. “Isso aqui é a boca do forno”
.

FORQUILHA -( s.f. ) -peça de madeira em forma de Y , onde se prende a


borracha
do estilingue.
FORRADO -( adj.) -sair forrado; sair alimentado.
FORTIDãO -(s.f.) -ver a fortidão; ver a consistência.

FORTITUDE -( s.f.) -mesmo que fortidão.


FORTUNA -( s.f.) -mancha branca que aparece na unha das mãos; diz a
crença
popular que essa mancha significa fortuna.

FóSQUINHA -( s.f.) -fazer fósquinha; fazer uma provocação.


FRADE -( s.m. ) -espécie de vestimenta para brincar o carnaval.
FRAXILAITE/ FRAXILéITE -( s.f. ) -farolete; lanterna a pilha.
FRéGE -( s.m. ) -confusão; conflito ; bate-boca, rolo.
FRIAGê -(s.f.) -tempo frio; resfriamento; frio pelo corpo;

“ a individa da minininha saiu ao pivo nessa friage



FRIêRA -( s.f.) -afecção cutânea, nos pés,.sobretudo nos entrededos.
FRITILIZADO -( adj.) -sem desculpas; em situação apertada ; acuado.
FRUITA -( s.f. ) -fruta , fruto.
FUá -( s.m. ) -desordem;confusão, rolo; mesmo que forfé.
FUÇA -( s.f.) -face; cara; rosto.
FUGIDO -( adj. ) -mesmo que errante , andante.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
FUMêRO-( s.m. ) -local em cima do fogo, onde se coloca a carne ou
peixe para

defumar.
FUNÇãO -(s.f.) -denominação do baile de roça, assim como das
festividades da Folia
de Reis e do Divino Espirito Santo.

FUNDURA -( s.f.) -distância entre a superfície e o fundo de alguma


coisa.
FUNICá -(v.t.d.) -fornicar; praticar o coito; importunar ; prejudicar
FURA-BARRANCO -( s.m. ) -apelido dado ao peixe virote.
FURADO -( adj. ) -que come muito; insaciável.
FURTA-COR -( s. m.) -tecido que muda de cor conforme bate a luz.
FURTUM -( s.m. ) -forte odor de natureza variada. Via de regra diz-se
para as

emanações desprendidas do caldo da massa de mandioca, amanhecido


(cheio de
ácido cianídrico)
.
“Uma catinga, um furtum ardido”. “Tem que virá. Sai aquele cardo, o
furtum, e torrá no forno
pá, intão, cumê”
.

FUSO -( s.m. ) -prensa rústica de madeira, de sistema espiral (rosca),


tendo duas
virgens fixas, paralelas, no chão, sendo encimadas pela concha, viga
de 1,20 m.,
tendo no meio um furo com rosca, por onde se parafusa o fuso, cilindro
espiralado,
que comprime o tipiti entre a rosca e a mesa, através do movimento do
cabo do fuso.

FUTRICA -( s.f.) -fuxico.

FUZILO -( s.m. ) -relâmpagos longínquos.


“ Tá fuzilando lá longe, não demora munto vem a tribusana “
FUZUê -( s.m. ) -barulho; confusão; conflito ;rolo.

GADANHO -( s.m. ) -ancinho, com grandes dentes de ferro, para limpar o


terreno
GAIOLA-(s.f. ) -estojo de tábuas rústicas, que envolve a roda de sevá,
dirigindo
a
mandioca ralada para o cocho de massa verde, e evitando que as suas
partículas

úmidas espalhem-se ou grudem nos rodetes.


“A gaiola segura a massa”. “ Caxote, gaiola e caxão da roda é tudo o
mesmo.
GAITADA -( s.f.) -gargalhada; risada alta.
GALADO -( adj.) -fecundado; ovo fecundado.
GALHA -( s.f.) -barbatana; nadadeira; membrana exterior do peixe, que
lhe serve

para nadar.
“ Pá escalá o pexe num percisa cortá as galha

GALHINHA -( s.f.) -mesmo que galinha.


GAMBá -( s.m.) -espécie de dança que ser faz em cima do arroz em
casca, para
separá-lo do caule.

GAMBARRA -( s.f.) -móvel para guarda de alimentos.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

GAMBITO -( s.m. ) -pernas finas; mesmo que cambito.


GAMELA -( s.f. ) -bandeja de madeira para qual se escorre o caldo da
massa que

vem da mesa, através de seu rego circular; denominação geral dessas


vasilhas.

”Isto daqui é uma gamela que tá cheia de mucungo”.

GAMELA -(s.f.) -vasilha de madeira em forma de bandeja, para lavar os


pés, limpar

peixe, guardar ou servir comida, etc..


.
GANGUELO -( s.m. ) -quati-ganguêlo; nome dado ao caxinguelê
.
GANHá CRIANÇA -( loc.v ) -ter filho; dar à luz uma criança
.
GANHO POS CóRNO -( loc. v. ) -deu-se mal; entrou bem.
GANHO PRO RABO -( loc. v. ) -deu-se mal; entrou bem.
GANIÇá -( v.i.) -esganiçar; uivar ; grito lamentoso dos cães;

“ pelo ganiço do cachorro a gente sabe que caça quele tá acuando



GANJA -( s.f.) -dar atenção; dispensar consideração a pessoa abusada,
confiada.
GANJUDO -( adj. ) -satisfeito; contente.

“ tá ganjudo que só

GARACUVA -( s.f.) -piolho de galinha.
GARAPA , GUARAPA -( s.f.) -caldo de cana.
GARATéIA -(s.f.) -conjunto formado por três ou quatro ganchos de
ferro, unidos

entre sí pelas hastes, usado para procurar e recolher, para bordo,


cordames e redes,

perdidas no fundo do mar; aparelho de pesca, formado por vários


anzóis.

GARGANTA – ( adj. ) – gabola, fanfarrão, metido.


GARRá A -( v.t.) -começar; principiar; iniciar alguma coisa.
“de manhá garrô a puá no terrêro

GARRAFADA -( s.f.) -remédio caseiro; remédio de ervas.

GATEIRA -( s.f.) -buraco nas porta, para a passagem de gatos.

GATO -( s.m. ) -designação de todas as espécies de pequenos felídeos


selvagens,

como o gato do mato, gato grande, jaguatirica , o cambuci e outros.


GATURAMO -( s.m.) -uma espécie da pássaro, da família do bonito-lindo.
GEMADA -( s.f.) -gema de ovo, batida com açúcar e café quente.
GENTE MEU -( loc.v. ) -gente minha ; meu/minha parente.
GOMA -(s.f.) -massa branca e pastosa que vai se assentando no fundo da
gamela,

na medida em que o caldo da massa verde vai se decantando, no fabrico


da farinha de
mandioca, da tapioca e do purivilho.
GOMA DE GUANá -( s.f.) -vide guaná.
GOMA-ARABICA -( s.f.) -antiga cola líquida de resina, para papéis.
GOMA-LACA -( s.f.) -espécie de verniz em pó.
GOMO DE PãO -( s.m. ) -pedaço do pão sovado, feito em cinco gomos
duplos.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

GORADO -( adj.) -malogrado; frustrado; inutilizado;é também o ovo que


não incuba.
GORGULHO-( s.m. ) -inseto que corroí os cereais.
GORPADA -( s.f.) -golpada ; gole ou golpe muito grande; golfada.
GORPINHO -( s.m. ) -golpinho ; gole pequeno.

“ Dorivar saiu só com um gorpinho de café; intão logo vórta



GOVERNá -( v.t. ) -pilotar.
GRAÚDO -( adj.) -crescido; desenvolvido.

“ é um zinho anssim, mas graúdo que esti um



GRILAÇãO -( s.f.) -grilagem.

“ a grilação é o siguinte, o sinhor compra um terreninho aqui de 50


metro né, agora, já qué
pegá más de cincoenta, intendeu ?

GRIMPAS -( s.f.) -parte mais alta de alguma coisa; galho mais alto da
árvore.
GRITALHADA -( s.f. ) -gritaria; berreiro.

“ escuite só a gritalhada dessa criançada “

GROSSO -( adj ) -agitado ; encapelado.


“ o mar tá grosso hoje

GRUDE -( s.m. ) -refeição; comida.
GUACá-( s.m. ) -um tipo de madeira muito flexível , utilizada para
fazer remos.
GUAIá -( s.m. ) -espécie de caranguejo.
GUAIACA -( s.f.) -cinto de couro , para guardar dinheiro.
GUAIACóL -( s.m. ) -antigo remédio para dor de dentes.
GUAIAMU -( s.m. ) -espécie de caranguejo do mato.
GUAIAVA -( s.f. ) -goiaba.

“ essa guaiava tá verde quira



GUAJEGUá-( s.m. ) – espécie de sapo , perereca que a noite faz barulho
nos

banhados.
( do que não amolam ( afinam ) isso (os instrumentos de corda ) pelo
guajeguá.
GUAMIóVA -(s.f.) -um tipo de madeira muito flexível, usada para fazer
os bodoques.
GUANá -( s.f.)-goma feito da araruta, usada como alimento e remédio
caseiro para

dor de barriga.
GUANXUMA -( s.f.) -um tipo de erva daninha; mesmo que guaxima.
GUAPéCA -( s.f.) -( guaipeca ) ; diz-se do que tem as pernas curtas.
GUARDA-COMIDA -( s.m. ) -armário com tela de proteção, para guardar
alimentos.
GUARDAMENTO -( s.m. ) -mesmo que velório.
GUAROÇá -(s.m.) -tipo de caranguejo encontrado na praia e usado como
isca.
GUASCADA -( s.f.) -pancada com cinto ou correia de couro cru.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

GUATÁ – (adj.) – andar ao guatá ; desocupado, vadiando, batendo


pernas.
“ este um intão anda por aír ao guata, batento perna pela costeira”

GUAXICA -( s.f.) -rato silvestre; um tipo de mamífero roedor.


GUENTá -(v.t.) -agüentar; suportar; escorar.
“ é a tar de terça pá guentá a casa

GUIãO -( s.m. ) -a pessoa ou o estandarte que vai a frente das


procissões.

GUINGUE -(s.m. ) -mentira; lorota; pregar um guingue ; pregar uma


mentira.
“ Eh ! Pregô-lhe o fraco do guingue.

GUMITANDO -( v.t.) -vomitando.
GURIATÃ -( s.m. ) -espécie de pássaro.
GUSPIR -( v.t. ) -cuspir.

HAI -( v.t.) -3ª pessoa do singular do presente do indicativo do verbo


haver.
“ quaje não hai mais pexe “

HORAS-MORTAS -( s.f. ) -altas horas da noite.

ÍR FORA -( loc. ) -defecar; sair da casa ou do quarto, para defecar.

“ Renardo deve de tá cum mar de barriga, esta noite foi fora umas par
de vezes “
ÍR PRá FORA -( loc. ) -ir de vez para São Paulo, Santos ou alguma
outra cidade.
“ Antonhinho foi prá fora sentá praça “

IGUALAMENTE -( conj. ) -da mesma forma que; da mesma maneira que.


“ Eu quiria cantá igualamente a ele

ILHARGA -( s.f.) -cada uma das partes laterais e inferiores do baixo-
ventre.
IMBé -( s.m. ) -cipó que fornece fibras para usar como barbante ou
corda

IMBIGO -( s.m. ) -mesmo que umbigo.


IMBOLOTADO -( adj. ) -encaroçado; empelotado.
“ c’a ferroada da vespa, inchô e ficô tudo imbolotado, impelotado
anssim

IMEIOU -( v.t. ) -encheu até o meio.
IMITAÇãO -( s.f.) -um tipo de pão de padaria, que imitava uma vagina.
IMO(S) -( v.) -forma verbal que substitui o vamos e iremos.

“ nóis imo festá, num imo ?



IMPESTEADO -( adj. ) -empesteado; poluído; malcheiroso; fedido.
“ Esse pitiu de pexe impesteô a casa intera.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

IMPOSTOR -( adj. ) -maldito; infeliz; desgraçado.

IMPRENSá -( v.t.) -o mesmo que cochá; prensá; espremer; apertar.


” A arataca imprensa a massa verde”
.
IMPRESTáVEL -(adj.) -doente ; doentio
IMPRICá -( v. t. ) -molestar; importunar; chamar a atenção
continuamente.

“ Eu ia pu rio, tomava banho, nadava, pintava o sete, e ele não


impricava cumigo

IMPRIDUMIDO-(adj.) -tempo impridumido; céu nublado com ameaça de
chuva.
IMPULERADO -(adj. ) -trepado; em lugar alto.
IMUNDÍCIA -( s.f.) -denominação de várias espécies de insetos voadores
, que

atacam pessoas e criações, como o mosquito porva, o pernilongo, a


mutuca, o
borrachudo.
“ Hoje intão a mundiça tá triste “

INCÕE -(adj.) inconho.


INCONVIDá -( v.t. ) -convidar
.
“ Vô inconvidá seu Tunico prá crismá e dona Juana prá consagrá meu
filho piqueno

INDEZ -( s.m. ) -ovo que se deixa no ninho , para servir de chama para
a galinha; diz-

se também do filho/filha caçula.


INDIVIDO -( adj. ) -indivíduo.
“ a individa da minina acabô saindo sozinha

INFIADURA -( s.f.) -enfiadura; mesmo que cambulhada.

INFILIZ -(adj.) desgraçado ; desgramado.


“ êta infiliz pra ter sorte ; esse infiliz só vive alegre “ A infiliz
da mutuca não me dexo sucegá

INFINCAR -(v.t.) -fincar; cravar; enterrar.
INFISTULADO -(adj.) enfistulado; miserável; pesteado
.
INFRUIDO -(adj.) -influído ; entusiasmando; excitado ; animado.
INGAÇO -( s.m. ) -mesmo que engaço; haste do cacho da banana.
INGRESIA -( s.f.) -linguagem ininteligível ; balbúrdia.
INGRUVINHADO -(adj.) cabelo revolto, engrouvinhado ; pele murcha
e

engrouvinhada.
ÍNGUA -( s.f.) -inflamação do gânglio linfático.
INGUINORá -( v.t.) -faze pouco caso; desprezar.

“ se você inguinorá, eles morre de réiva “

INJEITá -( v.t. ) -recusar; não aceitar; desfazer-se.


“ Difunto despois que morre, não pode injeitá caxão

INJURIADO -( adj. ) -inquizilhado; zangado; ofendido; insultado.
INLEIá -( v.t. ) -enlear , enroscar.
“ o pexe tá tudo inleado na rede

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

INLEIADO – (adj.) enleado, pessoa embaraçada, confusa,complicada.

“ Do jeito que ela é inleiada pra se arrumá, tão cedo nós não saímo de
casa hoje

INLUDIR -( v.t.) -iludir; convencer alguém a fazer alguma coisa.
“ inludiro eles tudo

INORá -( v.t. ) -mesmo que ignorar.

INQUIZILHADO -(adj.) -chateado; aborrecido; zangado,preocupado.


“ deixe de se inquizilhá ( se preocupar ) com isso home de deus,
largue mão disso.

INSPETOR DE QUARTEIRãO -( s.m. ) -pessoa da confiança das autoridades,
que

era responsável pela ordem pública em um bairro ou quarteirão.


INTANGUIDO -(adj.) -molhado; com frio.
INTãO -(interj.) -interjeição que denota espanto; mesmo que então ;
venha vindo.
INTé -( prep. ) -até.
INTERESSAMENTO -( s.m. ) -interesse; disposição; simpatia
.

“ É perciso tê interessamento no lugá “

INTERTê(R) -( v.t. ) -distrair ;descuidar-se.


“interta o mínimo quele logo dorme

INTIRINHO -( adj.)-inteiro; completo; inteirinho
.

“ Levô o dia intirinho prá fazê essa farinha daí



INTIRINHOZINHO -( adj. ) -inteiro ; inteirinho; completo
.
INTRAFULHá -( v.t. ) -amontoar; entrar; meter-se dentro; enfiar ou
guardar alguma

coisa de forma desordenada.

INVARá -( v.i ) -dispor horizontalmente e amarrar com casca de cipó


imbé, as ripas
de jiçára na estrutura da parede de pau a pique.
INVARO -(s.m.) -ripas de jiçáras armadas horizontalmente na construção
da estrutura

de madeira das paredes da casa de pau a pique, fazendo um xadrêz com


as ripas
pauapicadas.
INZAME -( s.m. ) -exame.
IRAPUá -( s.f. ) -espécie de abelha , também conhecida como abelha de
cachorro.
IRMá -( s.f. ) -mesmo que irmã.

ISCA DE PãO -( s.f.) -lasca de pão; pedaço pequeno ; bucha.


ISCá -(v.t.d.) -açular o cão ; enganar com engodo.
“ fica me iscando com essa bucha de pão

ISíPRA -( s.f.) -esipra; erisipela.


ISPIRUCá -( v.t. ) -escarafunchar algo; quebrar com uma cavadêra a
massa seca da
mandioca, no tipiti já prensado pela arataca; esfarelar; esmigalhar.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
J

JABACUÍ -( s.m. ) -milho torrado, socado no pilão e depois coado e


utilizado como

mistura para tomar com café ou nas refeições.


JACá -( s.m. ) -balaio; casto de taquara de vários tamanhos, sendo que
o usado no
transporte da mandioca é grande e achatado, comportando mais de 100
quilos de
raízes.

JACU -( adj. ) -tolo; bobo; palerma; idiota.


“ Esse cara é um jacu, um bobo alegre.

JAGUAPOCA -( adj. ) -cão sem raça; vira-latas.
JAGUARA -( s.m. ) -cachorro vira-latas; espécie de peixe ( pescada-
jaguara
)
JAGUARAIVA -(s.m. ) -cachorro que não serve para caça.
JAHOJE -( adv. ) -há pouco tempo ; mesmo que dejahoje.
JAJIGO -( s.m.) -espécie de calmaria do mar, com ondas fracas.

JAMANTA -( s.f.) -espécie de raia grande.


JANGADA -( s.f. ) -monte de paus podres dentro da água.
“ Ai nessa jangada deve de tê robalo

JARACUÇU – ( s. f / s. m. ) – mesmo que jararacuçu, cobra.


JERIVá -( s.m. ) -mesmo que jarivá ; espécie de palmeira silvestre.
JIÇáRA, JISSáRA -( s.f. ) -palmiteiro, palmeira que fornece palmito
doce. Esse

coqueiro tem uma polpa fibrosa de excelente uso pelos caiçaras,


especialmente em

ripas para armação de paredes e o suporte da coberta de sapê.


JIRAU -( s.m. ) -estrado de varas sobre forquilhas, cravadas no chão,
e que serve
para guardar utensílios de cozinha, alimentos etc..
.

JOJóCA -( s.f.) -mesmo que soluço.


JUá-( s.m. ) -fruto de cor avermelhada, semelhante ao tomate, de um
pequeno

arbusto de folhas espinhosas e semelhantes à parreira, cuja medida não


ultrapassa
a
50 cm de altura.
JUDEU ERRANTE -( s.m. ) –mesmo que andarilho.
JUNQUILHO -( s.m. ) -espécie de piri, de mais ou menos um metro e meio
de altura,

utilizado na confecção de esteiras.

JURURú -(adj.) encorujado; tristonho; melancólico; acabrunhado.


“ Tá jururu anssim; encorujado num canto

JURUPú – ( s.m.) – talo sêco da abóbora; individuo magro, seco,
doente.

“ O infiliz tá seco que nem um jurupú e não dexa de atentá a cabeça da


gente

JURUVA -(adj.) pessoa que anda com o corpo torto; que tem má postura;
nome de
uma espécie de pássaro.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

“ Endireita o corpo minina, tá parecendo uma juruva. “

LABRá – ( v. t d. ) – mesmo que lavrar; aplainar, preparar a madeira


.

LACAIO -( s.m./adj. ) -espécie de fantasia para carnaval; homem sem


dignidade;
desprezível.
LADINO -(adj.) -astuto ; manhoso.

LAGA-Má(R) -( s.m.) -espaço onde a onda desliza na praia depois de


estourar.
O
laga-mar modifica-se conforme a maré enche ou vaza.
LAJE -( s.f.) -o mesmo que parcel ; arrecifes.
LAMBADA -( s.f.) -mesmo que descompostura; raspe ; esbregue.
LAMBIDO -(adj.) -indivíduo afetado; metido.

LAMBISCAR -(v. t d ) – mesmo que beliscar; comer uma pequena


quantidade de:
LAMBUJA -( s.f.) -lambujem; pequena vantagem que uma parte concede a
outra no
jogo ou negócio.

LANÇá -( v.int. ) -mesmo que vomitar.


LANÇANDO -( v.int. ) -vomitando.
“ o piquininho amanheceu lançando

LANCEá -( v.t. ) -pescar com rede; dar lanço; cercar o cardume com a
rede.

“ Lanceá no mar é assim, a gente leva uma bóia, que nem isso aí, no
calão da rede, chega

aqui, arreia a rede e vórta prá praia prá puxá



LANCHA DA CARRêRA -( s.f.) -lancha de passageiros, que fazia o
percurso entre
Iguape e Paranaguá.

LANÇO -(s.m.) -cada operação de pesca, que consiste em lançar a rede


ao mar,
recolhê-la a bordo e colher os peixes nela malhados.
“ Quando tá matando beim, a gente dá até vinte lanço

LANGANHO -( adj. ) -roupa mal ajustada ou mal feita; comida mal


cozida; brejo
lodoso.

“ Choveu muito anssim e o caminho tá um langanho



LANHá -(v.t. ) -cortar em lanhos; cortar transversalmente em postas
proporcionais.
“ Esse zinho aqui da prá lanhá em trêis.

LANHO -( s.m.) -corte rente; fenda; risco profundo.


LAPA -( s.f.) -mesmo que lapo; grande; de tamanho avantajado.
LAPADA -( s.f.) -lambada ; bofetada.
LAPADO -( adj. ) -cheio até a boca; muito cheio; atopetado.
LARANJA DO VASO -( s.f. ) -espécie de laranja mexerica.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

LARANJINHA -( s.f.) -brinquedo de carnaval, feito com borra de café.


LARGá CACETE -( loc.v.) -meter a ripa; largar o sarrafo; apressar o
serviço.
LARGá -( v.t.) -baixar a rede na água com a canoa em movimento; mesmo
que arriar

a rede.
“ Essa daí de arrasto, larga prá fora e puxa prá praia “
LARGADO -(adj.) -abandonado; desprezado;separado da mulher.
“ agora tá anssim saído, que tá largado da mulher “

LARGATO -( s.m. ) -lagarto.

LARGUESA -( adj.) -sorte.


“ Isso foi larguesa, foi muita sorte dele.

LARGURA -( adj./s.f.) -sorte ; mesmo que larguesa.
LARICA -( s.f.) -fome excessiva.
LATOEIRO -( s.m. ) -indivíduo que faz peças de lata ou latão;
funileiro.
LAVADO -(adj.) -exposto ; devassado ; sem proteção.

“ Aqui quando o vento bate, lava tudo



LAVAREDA -( s.f.) -mesmo que labareda.
LAVORá-( v.i. ) -jogar longe; atirar longe; arder em labaredas.

” O fogo vai por baxo do forno e lavora por dentro e esquenta o que
tem por cima.

LAVOROU -(v.i.) -lavorou longe; jogou longe ; atirou longe.
LAZEIRA -( s.f.) -pequena vantagem ; dianteira.
LEIRA -( s.f.) -elevação entre dois sulcos de terra, para plantar
sementes; também
é

sujeira ( mistura de areia, suor e pó ) no pescoço.


“ esse curê tá cuma lera no pescoço

LEGUELHé-( adj. ) -joão-ninguém ; mesmo que lagalhé.
LENDIA -( s.f.) -lêndea; ovo do piolho.

LENGALENGA -( s.f.) -narração fastidiosa; monótona.


LENHA -( s.f.) -porção de ramos, achas ou fragmentos de arvores,
utilizados para
fazer fogo.

LENHá -( v.t. ) -apanhar lenha no mato.

LéS TRéIS -( interj. ) -záz-trás ; de afogadilho


.
“ e num lés tréis intrafulho tudo

LéS-SUESTE -( s.m.) -vento ou direção entre leste e sueste.
LESTADA -( s.f.) -vento forte e persistente da direção leste.
LEVá TáBUA -( loc.v. )-levar um fora no baile, quando pessoa que se
tira para

dançar, recusa o convite.


LHIDá -( v.t. ) -mesmo que lidar.
LHIMOSO -(adj.) -limoso.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

LHIMPO -(adj.) -limpo.


LICENÇO -( s.m. ) -furúnculo; mesmo que leicenço.
LICOREIRA -( s.f.) -utensílio de mesa, composto de garrafa, cálices ou
copinhos para

servir o licor.
LIDá COM O PEIXE-( loc.v. ) -mesmo que limpar o peixe.
LIMPA-BANCO-( s.m. ) -qualquer tipo de música em que todo mundo sai
para

dançar.

LINHADA -( s.f.) -artefato de pesca , consistente de um carretel de


linha, com anzol
e
chumbada para pesca de mão; linhada de mão ; linhada de fundo
;
LIVRá -( v.t. ) -salvar; evitar o mal.

“ Quem livrô ele de morrê foi a garrafada que comadre Narcisa preparô

LIVRANÇA -( s.m. ) -salvação; escapatória;


“ A livrança dele foi a canoa não tê virado, senão ele já tinha batido
a galha

LOMBRIGUEIRO -( s.m. ) -remédio contra vermes, quase sempre tomado c/
óleo de

rícino.
LONJURA -( s.f.) -grande distância ; longitude.

“ Depende da lonjura, se fô quenem por exempro, quisé í lá fora,


naquela ilha lá , aí voce gasta
uma hora, hora e meia , por aí

LOVINHO -( s.m. ) -lobinho; espécie de quisto subcutâneo.
LUBICACA -( s.m. ) -lobisomem.
LUZERNA DE FOGO -( s.f.) -clarão de fogo; fogo muito alto na cozinha;
luz muito

forte.
M

MACACOA -( s.f.) -achaque; doença pouco importante.


MACHETE -( s.m. ) -tipo de violinha ou cavaquinho.
MACHOTE-( s.m.) -espécie de cacão.
MACHUCADURA -( s.f. ) -machucado; contusão
.

“ tá doendo; acho que é machucadura



MACHUCHO -( s.m.) -chuchu
.
MADURECER -( v.i. ) -madurar.
MÃE DE FOGO-( s.f.) -tição grande que conserva o fogo para o dia
seguinte.
MAJURUVóCA -( s.f.) -um tipo de madeira boa para lenha.
MALACACHETA -( s.f.) -mesmo que mica.
MALE MAR -( adv. ) -mal-e-mal; pouco mais ou menos; sofrivelmente;
parcamente;

escassamente.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

MALEITA -( s.f.) -mesmo que malária.

MALHA -( s.f. ) -abertura formada pela distância entre os nós das


linhas prefiadas
das redes de pesca artesanais.
MALHEIRO -( s.m. ) -peça de madeira ou osso, usada como medida p/ as
malhas

das redes de pesca.


MAMANGAVA -( s.f.) -espécie de abelha silvestre.
MAMBU -( s.m. ) -bambu.
MAMICA -( s.f. ) -seios; mamilos.
MANA-CHICA -( s.f.) -modalidade de fandango.
MANDADO -( s.m. ) -fazer um mandado; cumprir uma tarefa.

“ Eu tô indo na venda fazê um mandado pra minha mãe.



MANDINGA -( s.f.) -fazer um feitiço, um trabalho de bruxaria ; rogar
uma praga.
MANDIOCA BRAVA -( adj. ) -qualificação das mandiocas venenosas e não

comestíveis in natura. Beneficiadas, rendem bem e se prestam, como a


mansa,
à
alimentação.
MANDIOCA MANSA -(adj. ) -qualificação das mandiocas comestíveis, mesmo
in
natura, isto é, cruas, assadas, cozidas, ou fritas, sem ser
beneficiadas em farinha.
” Mandioca mansa é mandioca de comê, mandioca doce”
.

MANDIPUVA -( s.f.) -mandioca podre para fazer biju.


MANDIQUéRA -( s.f.) -suco doce e venenoso da mandioca; mesmo que
maniquéra.
MANDUVá-( s.m. ) -mesmo que granizo; pedra de gelo caída junto com
temporal.
MANEMA -( s.f.) -farinha grossa de mandioca.
MANGA -( s.f.) -parte tecida do pano ou da panagem da rede que,
limitando com
a

tralha da cortiça, e com a tralha do chumbeiro, desliza por entre elas


até a parte onde
pode ser amarrada aos calões.
MANGONA -( s.f.) -uma qualidade de cação ( cação-mangona )
.
MANGRULHO -( s.m. ) -marco ou baliza que indica um baixio.
MANTA -( s.f.) -grande pedaço de peixe ou carne exposta ao sol.

MANTIMENTO -( s.m. ) -comida; víveres ou ração para um determinado


tempo.
MãO -( s.f. ) -medida empregada pelos sitiantes, para venda de milho (
60 espigas
em S.Paulo )
.

MãO DE PILãO -( s.f. ) -peça de madeira, para socar o pilão.

MãO-FRANCESA -( s.f.) -espécie de braço de madeira ou ferro , que


sustenta beirais
ou caixas-d’água.
MAR ( mal ) AJAMBRADO -( adj.) -pessoa mal vestida; desengonçada.
MAR ( mal ) DE SETE DIAS -( s.m. ) -tétano do recém-nascido.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

MAR ( mal) MANDADO -( s.m.) -rogado; diz-se da pessoa que não gosta de
fazer
um mandado; cumprir uma tarefa.
MAR (mal) DE BARRIGA -(s.m.) -diarréia.
MAR PICADO -( s.m. ) -mar grosso; mar agitado, encapelado.
“ É que tá tudo cheio de onda miudinha, quando dá vento anssim, é mar
picado

MARAVILHA-GALHá -( adj.) -coisa bonita ; maravilhosa; gostosa.

MARCELA, MACELA -( s.f.) -espécie de planta do campo, usada para


encher
travesseiros.
MARDICITUDE -( s.f. ) -maldição; praga; maldade.

“ Criança , larga de mardicitude “


.
MARé DE LUA -( s.f.) -maré que cresce demais vaza também muito,
deixando
o

barranco a vista na fase da lua crescente; boa para pesca de rede; é a


primeira maré
e logo em seguida vem a maré de quarto e depois a de quinto.
MARé DE QUARTO -( s.f. ) -maré que sobe e desce pouco durante sete
dias, na fase

minguante com a crescente da lua; boa para pesca de vara; vem logo
depois da maré

de lua.
MARé DE QUINTO -(s.f.) -maré que enche de madrugada e na vazante corre
pouco;
vem logo depois da maré de quarto.

MARé ARRUINADA -( s.f.) -maré imprópria para pescaria, por causa do


vento sul;

maré que não baixa.


MARé PREGUIÇA -( s.f.) -maré alta que inunda tudo; acontece uma vez
por ano,
geralmente no mês de maio.

MAREá -(v.t. ) -pescar; ir marear; ir pescar.

MARESIA -( s.f.) -mau cheiro do mar; na maré vazante; doença do peixe;


mar
agitado ; mar bravo.
MARICá -( s.m.) -vide espinheira; um tipo de arbusto com galhos
espinhosos.
MARISCá -( v.t. ) -colher, apanhar mariscos.
MAROMBá-( v.t. ) -espiar dissimuladamente.
MARULHADA -( s.f.) -movimento da água do mar, com ruído quase
imperceptível.
MASCA-CHAPA -(adj.) -diz-se daquele que vive mascando a dentadura.
MASSA -(s.f. ) -pasta resultante da mandioca sevada na roda de sevá,
no fabrico de

farinha de mandioca
.
” Essa é a tauba... pá por na massa pá num caí, pá tapá a massa porque
a roda, isso aqui, joga
a massa longe, então pondo essa tauba ali, a massa bate na tauba e cai
e cai dento do cocho”
.
“Tem de pôR a massa”
.

MASSA SECA -(s.f. ) -denominação da massa, formada pela mandioca


ralada e

caída no cocho de massa verde, ainda misturada a seu caldo peculiar.


MATá -( v.t. ) -pescar; fisgar o peixe no anzól; apanhar o peixe de
qualquer modo.
“ Ali hoje a turma tá matando bem pexe “

MATA-BICHO -( s.m. ) -uma dose de aguardente ou outra bebida


alcoólica.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

MATALOTAGEM) -(s.m. ) -montão de coisas confusas; provisão para


viagem.
MATANÇA. RETA -( s.f.) -a fase final do jogo de gude.
MATE-CUNHADO -( s.m. ) -espécie de ave noturna.
MATéRIA PRASTICA -( s.f. ) -expressão que designa todo e qualquer
material

plástico, sintético, ou que não seja produto natural.


“ O tár do náilo é feito de matéria prástica.

MATOU-SE -( loc.v. ) -caiu ; machucou-se ; quebrou-se.
MEIA -ÁGUA -( s.f.) -telhado de um só plano.
MEIA -COLHER-(adj.).-termo usado para designar o servente de pedreiro.
MEIA -LIBRA -( s.f.) -medida de peso, equivalente a 250 gramas.
MEIA -QUARTA -( s.f.) -medida de peso, equivalente a 125 gramas.
MECE -(pron. ) -vosmecê ; você.

MECE CHEGUE -( loc.v. ) -forma do caiçara convidar a entrar em casa


.
MEIO GECI -( adj. ) -meio ruim ; com aivesa ; amortecido.
“ amanheci com o braço meio geci, meio adormecido

MEIO PóCA -(adj.) -expressão que significa convencido; bobo ; exibido.


MEIO-ARROZ -( s.m. ) -mesmo que sanga.
MEIO-PAU -(adj.) -calça com a barra muito curta ; barra da calça pela
canela.
MEIZINA, MEIZINHA -( s.f.) -remédio caseiro, feito de ervas.
MEMBéCA -( s.f.) -espécie de pescada; pescada-membeca.
MERGULHãO -( s.m. ) -ave aquática , que mergulha nos cardumes para
apanhar

peixes. Ave anatídea (Mergus octosetaceous Vieil.), do Brasil


meridional, Argentina
e
Paraguai, de cabeça cinzenta, capuz negro, bico avermelhado e patas
vermelhas;
patão, mergulhador. Ver atobá.

MESA -(s.f.) -tábua retangular contornada por um rego que desemboca na


lateral.
Ë
colocada debaixo do tipiti para receber o cardo da massa espremida,
que então
escorre para a gamela.
” A mesa é um pedaço de madêra assim, apoiada por uma pedrinha assim”
.

METER A RIPA -( loc.v.) -falar mal ; criticar; apressar o serviço.

METER NO TRANCO -( loc.v. ) -colocar em uso contínuo alguma coisa nova


.
“ Pegô a brusa novinha e já meteu no tranco .

METER O SARRAFO -( loc.v.) -meter a ripa ; falar mal ; criticar;
apressar o serviço.
METER A BOCA -( loc.v. ) -esculachar ; fazer um desaforo; deixar de
nada.
MéU DE CACHORRO -( s.m.) -mel da abelha irapuá; abelha de cachorro.
MéU DE PAU -( s.m. ) -mel de abelhas silvestres, retirado do oco das
árvores.
MIASMA -(s.m)-emanação nociva, podre, fétida, que causa doença; mau-
cheiro.
MICAGEM) -( s.f. ) -careta; trejeito.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

MICUIM -( s.m. ) -espécie de carrapato.


MIDA -( v.t. ) -meça; do verbo medir.
MIJACãO -( s.m. ) -tumor ou abcesso entre a sola e os dedos dos pés,
atribuído ao

contato com urina de animais.


MINéSTRA -( s.f.) -arroz com feijão cozidos juntos, na mesma panela.
MINGASGá -( loc.v. ) -me engasgar.
MINGUITO -( s.m. ) -semente do abricó, que serve para jogos infantis.
MININA MULHER -( s.f.) -criança do sexo feminino.
MININO HOMEM) -(s.m.) -criança do sexo masculino.
MININOZINHO -( adj. ) -menininho
.
MINSERAVE -( adj.) -miserável, maldito, infeliz.
MISGALHá -( v.t. ) -esfarelar na penêra a massa seca já ispirucada;
esfarelar;

esmigalhar.
”Adespois de ispirucá a massa seca, misgalha ela e passa na penêra”
.

MOCHO -( s.m. ) -banco quadrado ou redondo e sem encosto.


MOCHA -( s.f. ) -arma de fogo sem cão, sem a parte do detonador que
percute as
cápsulas.

MOÇORONGO -( s.m. ) -muçurungo; espécie de peixe usado para isca,


encontrado

em tocas à beira dos mangues.


MOENDA -( s.f.) -instrumento geralmente de madeira, usada para moer
cana-deaçúcar e fazer garapa.

MOLEIRINHO -( s.m.) -moleira; parte do crânio das crianças.


MOQUEADA -(adj.) -carne sapecada ou seca no moquém, afim de conservá-
la,

quando a caça é farta e não se pode deixar de limpá-la , ainda no


mato.
“ Cumemo dois tatu e truxémo três moqueado

MOQUéM -( s.m. ) -grelha de varas, p/ assar ou secar carne ou peixe;
processo de

conservação da carne, onde ela é assada lentamente,um tanto longe do


fogo, e depois
colocada num jirau sobre o fogão, onde acaba de secar, recebendo a
fumaça.
MORRER ATIRADO -( loc.v. ) -morrer baleado ; suicidar-se
.
MORRINHA -( s.f.) -fedor exalado por pessoa ou animal ; tristeza ;
melancolia

MOSQUITO PóRVA -( s.m. ) -mosquito pólvora.


MOTOR DE CENTRO -( s.m. ) -motor que equipa as baleeiras e colocado
entre
o
centro e a popa.
MOURãO -( s.m. ) -estaca ou esteio de madeira, que sustenta a cerca.
MUCUNGO -( s.m.) -caldo de cana azedo, para fazer a pinga.
MUNDéU -( s.m. ) -armadilha de caça que consiste numa ou mais vigas de
madeira,

dispostas de tal maneira que caia sobre a caça que por baixo dela
passe. Antes da
feitura de tal engenho, estuda-se o carreiro dos animais e, em seguida
faz-se uma

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

pequena abertura por onde o passante obrigatóriamente terá de


transita. Fica assim,
desarmado por uns dias, até que a caça ou ave familiarize-se passar
por ali. Em
seguida, arma-se a alavanca , que uma vez acionada, desabará sobre a
caça ou ave.
Há variadas espécies de mundéus, desde os de apanhar paca e cotia, até
os de
descadeirar onças.

MUNTO -( adv.) -muito; bastante.

MUNTURO -(s.m.) monturo ; lugar pantanoso ou sujo; local onde se


deposita o lixo.

MURINGA -( s.f.) -moringa ; garrafão ou bilha de barro, para água.

MURUNDú -( s.m. ) -coisa bagunçada.

MUTIRãO -( s.m.) -auxílio gratuito que se prestam os lavradores de um


mesmo local,
reunindo-se para trabalhar em proveito de um só deles, que nesse dia
faz os gastos
com uma festa ou fandango, fornecendo ainda o rancho ( alimentação ),
com a
indispensável cachaça. Esse trabalho pode ser de colheita, queima,
roçada, plantio,
taipamento ( barreamento ) de uma casa, tiramento de canoa. O evento
transforma-se
numa festa, onde o trabalho é feito com alegria e em conjunto; e, a
comida farta ,
secundada, como já dissemos, pela cachaça, parece ser uma das maiores
motivações
para a presença das pessoas.

MUTUCA, BUTUCA -( s.f.) -mosca de grande porte, sendo a de corpo


rajado a mais
comum. Ataca insistentemente homens e criações e tem uma picada aguda
e
dolorosa, aparecendo com mais intensidade nas épocas quentes do ano, a
partir do
mês de novembro. Em sua obstinação de picar, deixa-se apanhar
facilmente.
“ Essas infiliz dessas mutuca não dexô a gente pescá sussegado; nem
fazendo aquela
simpatia de ponhá um galhinho verde de pranta amarrado em cima da
cabeça espantô as
minseravê. “

MUXIBA -( s.f.) -mesmo que mão-de-vaca; pão-duro ; seios flácidos da


mulher.

MUXITA -( s.f.) -espécie de fruto silvestre.

NADO CACHORRINHO -( s.m. ) -modalidade de nado, em que se batem os pés


e as
mãos imitando o nado dos cachorros.

NAILO -( s.m. ) -náilon; fio de náilon para tecer as malhas das redes
de pesca.

NANES NEGA -( interj.) -interjeição de recusa; significa dizer: não ;


nada disso.

NAQUELA HORA -( s.f. ) -naquela oportunidade; naquele momento; naquele


instante

NARIZ DE CACHORRO-( s.m. ) -nariz aguando; coriza.

Né QUE é -( adj. ) -significa : não é mesmo ? ; não estou com a razão


?; não estou
certo ?

NEGAÇA -( s.f. ) -tipo de isca artificial feita de pano branco que


encobre um anzól
preso a uma chumbada alongada, usada na pesca da enxova e outros
peixes de
corso.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

NEGAÇA -( s.f.) -chamariz; isca; engodo;chama; ave aprisionada na


gaiola usada
para atrair outras.
“ Minha negaça é aquele curió pardinho ali, aquele zinho dali

NEGOCIANTE -( s.m. ) -dono de venda, de armazém.


“ A fazenda deste vistidinho eu comprei num negociante de Cananéa
mesmo, e o sapatinho
comprei na barraca do turco na Festa de Agosto

NEGOCINHO -( s.m. ) -uma coisa ; um objeto qualquer; alguma coisa .


“ alá ó, tá vendo aquele negocinho azur e amarelo aboiando alhi perto
da quebrança ? “
NEM THUM -(adv.) -significa : não deu a mínima; nem ligou; não se
importou; não
disse nada.

NEM A COR -( adv. ) -expressão de negação.

“ Recebeu seu dinheiro ? Nada, nem a cor.



NEM TI LIGO -( adv. ) -dar um nem ti ligo, significa não dar a mínima
; não estar nem
aí.

NENHUM -(adj. ) -o nenhum; o tolo; o bobo; o palerma; o idiota.

“ Parece que nessa família o nenhum sou eu .



NHACA -( s.f. ) -azar; infortúnio; feitiço.
“ As coisa não tão dando certo pra mim; acho que tô c’a nhaca que
dizem

NHACATIRãO -( s.m. ) -mesmo que jacatirão.


NHAGUACINI-( s.m. ) -cachorro-do-mangue; mesmo que guaxinim.
NHAMUTACANGA -( s.f. ) -espinhaço do peixe.
NHANHá-( s.f. ) -tratamento dado às meninas e às moças.
NHAVOZINHA -( s.f. ) -espécie de pássaro.
NHONHô-( s.m. ) -tratamento dado aos meninos e aos moços.
NHOPECANGA -( s.m. ) -espécie de cipó com espinhos.
NINANGA -( s.f.) -brinquedo ( balanço ) que se faz com cordas
amarradas,

geralmente aos galhos das árvores; mesmo que balança.


NO CRARO, NO CRARO DA LUA -( loc.adv. ) -na temporada em que há o
recesso
na pesca, nas fases que a lua ilumina as águas, tornando os cardumes
ariscos
e

submersos.
“ O que é o tar do craro ? Équando a luasaí .

Nó NAS TRIPAS -( loc. ) -cólica intestinal.
NOJO -( s.m.) -luto.
NUVIADO -( adj. ) -nublado
.

“ amanheceu tudo nuviado “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
O

O FIAPO -( loc.v. ) -grande; enorme; de tamanho exagerado.

“ Eh! O fiapo do pé deste menino .



O FRACO -( loc.v.) -expressão que significa: a pois olhe ?: não me
diga; intão;
é
mesmo?

O POUCO -( loc.v. ) -em grande quantidade ; muito; bastante.

O QUAU -( pron. ) -qual.


“ O quau rede o sinhor diz ? Aquela zinha ali.

O QUE DEU A NOITE -( loc.v. ) -a noite inteira ; durante toda noite
;

“ não preguei o zólho o que deu a noite intirinha “

O QUE DEU O DIA -( loc.v. ) -o dia inteiro; durante todo o dia ;

“ não cumi nada o que deu o dia “

O QUE SIM QUE -( conj. ) -mas ; porém; entretanto; contudo.

ODÍO -( v.t. ) -odeio, detesto.

OITãO -( s.m. ) -outão ); cada uma das paredes laterais da casa,


situadas na divisa

do terreno.
OLEADO -( s.m. ) -espécie de pano ou tecido impermeável ; encerado.
OLHO DE PEIXE -( s.m. ) -calosidade dura, branca e muito dolorida nos
pés.
OLHO GATEADO -( s.m. ) -olhos azulados ou esverdeados.
OLHO SAPIRANGA -( s.m. ) -olhos avermelhados e com irritação; tipo de
doença

ocular.
OLHO SOVERá -( s.m. ) -olho arroxeado e fundo, resultado de noite mal
dormida.
ONTE -(adv. ) -ontem
.
OPILADO -(adj.) -pálido; doente com verminose.
ORA SEJA -( interj.) -que pena.
ORA SEJA POR CARIDADE -( interj.) -expressão que significa “ mas que
pena “
.
ORGANDI -( s.m. ) -espécie de tecido; tipo de musseline.
ORGANZA -( s.m. ) -espécie de tecido.
OTRA -( pron. ) -outra.
OVADA -(adj.) -tainha com ovas.
OVADO -(adj.) -diz-se do peixe que contém ovas.
OVEVA -( s.f.) -espécie de peixe.
OVO NA BOCA -( loc.v. ) -falar com ovo na boca; estar com ; falar
enrolado
;

ingresia ; fala ininteligível.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

OVURA DA LUA -( s.f.) -hora em que, dependendo da fase da Lua, a maré


enche .

PACAUM -( interg. ) -expressão que imita o som de um corpo caindo na


água; som
que as pernas e os braços fazem ao movimentarem-se dentro da água ou
no lodaçal.
“ Ele caiu da canoa e fez tibum n‘água; naquele breu que táva, só
iscuiteimo aquele pacaum,
pacaum , pacaum dele nadando prá terra “

PACHOLA -(adj.) vaidoso; elegante ou apurado no trajar.


PACHORRA -( s.f.) -paciência.
PAÇOCA DE CARNE SECA -( s.f.) -carne seca ou cozida, desfiada e socada
ao

pilão, com farinha de mandioca e banana.


PACUéRA -( s.f.) -fressura do boi ou porco.
PADIOLA -( s.f.) -espécie de tabuleiro retangular, montado em cima de
quatro varas

e utilizado para transporte ; diz-se também do carrinho de mão.

PADRE-SECO -( s.m. ) -local no sítio do Aratuú, no bairro do Carijo,


onde o solo
é
oco e, diz a lenda, tem um padre enterrado
PAGãO -( s.m. ) -tipo de roupa de recém-nascido.
PAI-AVO -( s.m. ) -espécie de pássaro.
PAINÇO -( s.m. ) -grão da planta do mesmo nome, que serve de comida
para

pássaros.

PALAMENTA -( s.f.) -equipamentos ou objetos acessórios indispensáveis


a uma
embarcação, tais como remo, vela, leme, etc..
.
PALHA -( s.f. ) -folha seca de jiçára, brejaúva, palmito, guaricana ou
outro tipo de

palmeira, que tecidas, formam a cobertura da casa de pau-a-pique e


barro.

“ Corta a palha, tece ela, né e despois larga ela em cima da casa,


pronto, já cubriu.

PALMA BENTA -( s.f.) -folha de palmeira ( Palma de Santa Rita )
benzida na igreja,
e que se queima no fogo, como simpatia contra trovoada.

PAMONHA -( s.f.) -(adj.) espécie bolo de milho verde, cozido em folha


de banana;

indivíduo moleirão.
PAMPARRA -( s.f.) -às pampas; às pamparras; à beça ; em grande
quantidade ou
intensidade.

PAMPEIRO -( s.m. ) -aguaceiro: rolo, confusão.

PANAGEM -( adj. ) -pano da rede, sem a chumbada e a bóia; rede de


pesca
amontoada dentro da canoa.
PANAPANá -(adj.) -diz-se da pessoa de cor pálida ; é tbém um tipo de
borboleta.
PANARÍCIO-( s.m. ) -mesmo que panariz; inflamação que deixa a pele
avermelhada.
PANCA -( s.f.) -dar panca ; causar admiração pela beleza ou elegância
no vestir.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

PANCãO -( s.m.) -pancão de chuva; aguaceiro; pararaca.


PANCUDO -(adj.) -indivíduo com panca.
PÂNDEGO-(adj.) ( s.m. ) -gozador ; farrista.
PANDULHO -( s.m. ) – estomago;estar de pandulho cheio; de estômago
cheio.

Pedaço de pano forte, cosido em forma de chouriço e cheio de pedras


miúdas, que se
cose na tralha inferior das redes de pescar, a fim de lastrá-las.
“ Tá repunando a comida porque tá de pandulho cheio.

PANEIRO -( s.m.) -espécie de tabuleiro de pôr peixes, usado nas


canoas; bancada
disposta horizontalmente no centro da canoa, de tal maneira que sobre
ela se possa
acondicionar carga. Assim a água, que eventualmente entra no bojo da
embarcação,
passa por baixo desta tábua, sem molhar as mercadorias.

PANO DE REDE -( s.m. ) -partes da rede de pesca, que consiste nos fios
tecidos em

malhas, sem a chumbada e a cortiça; mesmo que panagem.


PANO DE VELA -( s.m.) -vela; tecido desfraldado sobre um mastro, no
centro da
canoa, que inflado pelo vento, conduz a embarcação.

PANO-( s.m. ) -pititinga; titinga; doença caracterizada por manchas


brancas,
sobretudo no colo e nos braços, causando comichões intensos, sendo
transmitida
pelo contato.

PANTáNO -( s.m. ) -pântano.


PãO-SOVADO -( s.m. ) -pão feito de massa sovada, batida com força
sobre a mesa.
PAPA-ANJO -( s.m. ) -indivíduo que gosta de namorar pessoa mais nova.
PAPA-OVO-( s.m. ) -cachorro que rouba e come os ovos da galinha.
PAPO -( s.m. ) -bócio; ( hipertrofia da glândula tireóide )
.
PAQUINHA -( s.f.) -espécie de grilo de cor escura ; grilo-toupeira.
PARADEIRO -( s.m. ) -falta de movimento comercial; crise.
PARAMBIJU-( s.m. ) -espécie de peixe do mar.
PARARACA -( s.f.) -pancada de chuva ; chuva rápida ; aguaceirada.
PARARACA DE CAMARãO -( s,f. ) -camarão cozido com sal e limão, logo na

chegada da pescaria.
PARATI-GUAÇÚ -( s.m. ) -peixe; espécie de parati.
PARATI-PUA -( s.m. ) -peixe; espécie de parati
.
PARATIPEMA -( s.f.) -peixe; espécie de parati.
PARCé -( s.m.) -parcél; laje à flor da água ou meio submerso; recife.
PARDá -( s.m. ) -diz-se das horas do final da tarde.
PARDAVASCO -(adj.) sujeito de cor amulatada; filho de negro com
mulato.
PARDAZINHO -( s.m. ) -diz-se das horas do fim da tarde.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

PAREDE DE PAU A PIQUE -( s.f. ) -vide pau-a-pique; parede de ripas de


jiçára
armadas veticalmente na construção da estrutura de madeira das paredes
da casa de
pau-a-pique, fazendo um xadrêz com as ripas invaradas.

PAREDE FRANCESA -( s.f.) -parede de taipa; parede de barro ou cal e


areia, com

armação de pequenos pedaços de madeira, em forma de treliça.


PAREDE-MEIA -( s.f.) -parede divisória entre duas casas, pertencentes
em comum
aos proprietários dos prédios contíguos.

PARELHA -( s.f.) ) -conjunto formado por dois arrastões, ou seja,


barcos de pesca
que operam um tipo de rede denominada rede de arrasto.
PARELHO -(adj.) -semelhante; igual; parceiro; par.
PARENTADA -( s.f.) -os parentes ; a família.

PARENTAJE -(s.f.) -os parentes ; a família.


PARMITEIRO -( s.m.) -pessoa que trabalha no corte de palmito no
sertão; palmeira
silvestre ( jiçára ) que fornece o palmito no gomo terminal de seu
caule.

PARPATEAR -( v ) -andar tropego; andar arrastando os pés;


PARRUDO-(adj.) -baixo e grosso; sujeito baixo e gordo.
PARVO-(adj.) -tolo ; idiota.
PASMADO -(adj.) -apalermado; sem vivacidade.
PASSA-FORA -( interj. ) -expressão de repulsão ou desprezo usada para
enxotar

cães ou pessoas.
“ A mulher pegô eles robando as fruitas e deu o maior passa-fora neles

PASSADEIRA -( s.f.) -tapete longo e estreito em escadas ou corredores.

PASSADO -(adj. ) -encabulado; sem graça.


PASSADO TEMPO -( loc. adv. ) -de vez em quando; às vezes.
“ passado tempo ele se remanéce por aqui

PASSAMENTO -( s.m. ) -morte; falecimento.


PATA-CHOCA -( s.f.) -mulher gorda, de andar pesado e movimentos
vagarosos.
PATACA -( s.f.) -moeda antiga de prata, no valor de 320 réis.
PATACãO -( s.m. ) -relógio de bolso muito grande;rótula do joelho;
moeda de 40 réis.
PATACOADA -( s.f.) -bazófia ; mentira; disparate ; brincadeira de mau
gosto.
PATARRACHO -( s.m. ) -mesmo que patarrás; reforço feito em alguma
coisa que

está meio sanananga.


PATAVINA -(pron.indefin. ) -nada; coisa nenhuma.
PATOLA -( adj./s.f.) -indivíduo tolo; a pata dos caranguejo e siris.
;
PATRONA -( s.f.) -cartucheira; bolsa tiracolo, de couro ou tecido,
usada para guardar

munição de espingarda.
PATUSCADA -( s.f. ) -farra; comedio; pândega ; cumizanha.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

PAU A PIQUE -( s.m. ) -ripas de jiçára armadas veticalmente na


construção da
estrutura de madeira das paredes da casa de pau-a-pique, fazendo um
xadrêz com as
ripas invaradas.

PAU DE ALEGRIA -( s.m. ) -apelido do clarinete, instrumento musical.


PAU DE CRACA -( s.m. ) -apelido do clarinete ou clarineta ,
instrumento musical.
PAU DE QUEBRá MASSA -(s.m.) -pequena ripa de madeira rusticamente
lavrada,

com ponta numa das extremidades, usada para ispirucá a massa espremida
e

compacta dentro do tipiti.


PAU DE RAMA -( s.m. ) -mesmo que pique de rama; pedaço do caule de
mandioca,
de mais ou menos 15 a 20 cms, cortado para o plantio.

PAU DE VIOLA -( s.m. ) -caxeta.


PAU DE VIRá TRIPA -( s.m. ) -pessoa muito alta e magra.
PAU-D’ÁGUA -( adj. ) -ébrio ; cachaceiro.
PAUAPICá -( v.i.) -dispor as ripas de jiçára verticalmente , entre a
soleira de cerne
e

a travessa superior, e amarrá-las com casca de cipó embira, para a


montagem da
estrutura da parede de pau-a-pique.
PAUAPICAMENTO -( s.m. ) -ato de pauapicar.
PAXá -( s.m. ) -indivíduo que leva uma vida faustosa e indolente.

Pé DE BURRO -(s.m.)-um tipo de pão.


Pé DE PAU -( s.m.) -árvore; pau; árvore de médio e grande porte.
“ O mardito do tateto tava perto desse pé de pau ai.

PEIXE A SAL PRESO -( s.m. ) -peixe salgado para conservação por algum
tempo,

sem ser levado ao sol.


PEIXE ABOIADO -( s.m.) -espécies de peixes que vivem à flor d’ água,
como
a
tainha, o parati, a sardinha e outros, que são pescados com redes
apropriadas para
águas da superfície.

PEIXE CONSERTADO -( s.m. ) -peixe eviscerado.


PEIXE DE CORSO -( s.m.) -peixes que realizam migrações ao longo da
costa,

como a enxova, a tainha, a sororóca, a cavala,o bonito, o olhete, o


xaréu e outros
semelhantes.
PEIXE DE FORA -( s.m. ) -peixe de mar aberto.
PEIXE DE FUNDO -(s.m. ) -espécies de peixes que vivem no fundo da
água, como
o

cação, a corvina e outros, que são pescados com redes cujas tralhas do
chumbeiro
arrastam-se na areia.
PEIXE DE TERRA -( s.m. ) -peixes de beira de praia ou de costeira.
PEIXE ESCALADO -( s.m. ) -peixe estripado e salgado.
PEIXE ESCAMADO -( s.m. ) -peixe limpo das escamas e vísceras.
PEIXE POSTEJADO -( s.m. ) -peixe cortado em postas.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

Pé-D’AGUA -( s.m. ) -aguaceiro; chuva forte e rápida

PEADO -( s.m. ) -andar peado; andar meio coxo ou com os pés doloridos
por causa
de sapato novo.
PEÇA DE CABO -( s.m.) -pedaço de cabo, equivalente a mais ou menos 20
braças

que amarrado nos dois calões da rede, serve para puxá-la para a praia.
PEDANTE -(adj.) exibido, vaidoso , pretensioso.
PEDANTICE -( s.f. ) -pedantismo.
PEDIR LOUVADO-(loc.v.) -mesmo que pedir a benção.
PEDIR UM POUSO -( loc.v.) -pedir para pousar; pedir um lugar para
dormir.
PEDIMENTO -( s.m.) -ato de pedir esmola nas Bandeiras do Divino.
PEDRA-UME -( s.f. ) -nome popular do alume de alumínio e potássio.
PEGA MãO -( s.m.) -parte do bodoque, no meio do arco de madeira, onde
se apóia
a

mão direita para o arremesso do pelote.

PEGá A -(v.t.) -começar; iniciar; mesmo que garrar a.


“ deitô-se e pegô a roncá que só.

PEGá CORDA -( loc.v.) -encordoar ; amuar; zangar; cortar relações;
ficar de mal.
PEGA-PEGA -( s.f.) -carrapicho e modalidade de brincadeira de crianças
.
PEGATIVO -( adj. ) -contagioso.
PEGUAVA -( s.m. ) -marisco parecido com o berbigão, assemelhando-se a
uma

conchinha arredondada.
PEIDORRENTO -(adj.) -aquele que peida muito.
PEITO DE MOÇA -( s.m. ) -espécie de biju doce e redondo, feito de
mandioca.
PEITO DE POMBA -(s.m.) -pessoa muito magra, com os ossos do peito
ressaltados.
PEIXE SECO COM BANANAS -( s.m. ) -iguaria feita com peixe seco, cozido
com

bananas verdolengas
PEJEREVA -(s.f.) -prejereba; espécie de peixe.
PEJO -( s.m. ) -vergonha; acanhamento.
PELA COSTEIRA -( loc.v. ) -andar pela costeira; mesmo que correr-
coxia; bater

pernas.

PELá -( v.t. ) -sapecar ao fogo o pêlo de caças e depois raspar e


lavar o couro, antes
de consertá-los.
PéLHA, PéLEA -( s.f. ) -pele; derme; pelanca
.
PELHANCA -( s.f.) -pele flácida e pendente ; carne de má qualidade.
PELHINHA -( s.f.) -(adj.) cricri ; pessoa chata.
PELOTE -( s.m. ) -bola feita de barro seco ao sol ou ao fogo, ou a
pedra que é usada

no estilingue.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
PENADO -( s.m. ) -espécie de ferramenta cortante, em forma de arco,
para cortar
capim e vegetação miúda.
PENCA -( s.f.) -grande quantidade.
PENCA DE PEIXE -( s.f.) -porção de peixe; enfiadura de peixes,

PENDENGA -( s.f.) -pendência; questão ; questiúncula.


PENEIRA -( s.f. ) -peneira de taquara ou bambu, trançada em casa, com
orifícios
quadriculares em seu crivo. Serve para coar a massa seca, durante o
fabrico da
farinha de mandioca.

PENSO -(adj.) inclinado para um lado; de mau jeito.


PENUGEM) -( s.f. ) -pequenos pelos que ficam na galinha depois de
depenadas.
PEPé -(adj.) -mesmo que peado; coxo.
PERA -( s.f.) -pequena peça alongada, que contém um interruptor
elétrico.
PERAU -( s.m. ) -trecho mais profundo, junto a margem de um rio ou de
uma praia.
PERCISA -( v.t. ) -precisa.
PERDER O FIO -( loc.v.) -ficar com cara de tacho, ficar sem graça.
PEREBA -( s.f.) -sarna; pequeno ferimento.
PERECê – (v.int. ) – perecer; morrer.

“ A canoa virou, se alagaro na barra e perecero tudos eles, ora seja


por caridade.

PEREQUE -( s.m.) -confusão em que se envolvem muitas pessoas;
embrulhada.
PERERECO -( s.m. ) -conflito ; rolo ; discussão.
PERFEITINHOZINHO -( adj. ) -inteiramente perfeito; perfeito. Essa
forma, com

zinho, acrescentada ao diminutivo comum, é muito frequente entre os


caiçaras
e
parece indicar intensidade.
“ Este aqui não atura nada, agora aquele ali tá perfeitinhozinho de
tudo . “ “ Isso daí despois
tem de ajuntá tudinhozinho .

PERFILHá -( v.t.) -reconhecer como filho; ter um filho.


PERJUDICADO -(adj.) -prejudicado.
PERNA DE MOÇA -(adj.) espécie de peixe ; pescadinha.
PERNA DE SARACURA -(adj.) pessoa de pernas compridas e magras.
PERNEIRA -( s.f.) -espécie de bota de cano alto e cadarço, para
proteger as pernas.
PERPéTUA -( s.f.) -sepultura definitiva.
PERRENGUE -(adj.) fraco; lerdo; imprestável.
PESADO -(adj.) -sem sorte ;azarado.
PESETA -(adj.) -peceta; tratante ; velhaco; vagabunda, mulher de má
fama.
PESO -( s.m.) -falta de sorte ; azar.
PESTEADO -( adj. ) -maldito; infeliz; desgraçado.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

PETA -( s.f.) -mentira.

PETELECO -(s.m.) -pancada com as pontas dos dedos, dada geralmente nas
orelhas das crianças.
PIAÇAVA -( s.f.) -piaçaba ; vassoura fabricada da fibra dessa planta.
PIÇA -( s.f.) -designação chula de pênis ; pica.
PICA-PAÚ -( s.f.) -antiga espingarda de carregar pelo boca, que usava
espoleta.
PICADãO -( s.m. ) -picada no mato; caminho estreitos abertos a facão
pela mata,

servindo às vezes, como divisa entre vários terrenos.


PICãO -( s.m. ) -espécie de picareta; espécie de planta de uso
medicinal.
PICARé -( s.m. ) -rede de pesca de linha forte e malhas finas com
cerca de 20 a 40

braças de comprimento, por uma e meia de largura, tendo em suas bordas


dois
calões, que são empunhados pelos pescadores, que a arrastam pela
praia, de
maneira que não receba o impacto das ondas e possa ser puxada para a
praia,depois
de um certo percurso ou, quando o peixe bate nela. O picaré é
arrastado geralmente
à
noite.

PIÇARRO -( s.m. ) -terreno argiloso, altamente endurecido e


impermeável
.
PICHORRA -( s.f.) -café misturado no copo ou caneca, com farinha de
mandioca.

Pequeno cântaro de barro com bico. Mijar fora da pichorra. Não cumprir
à risca (um
dever, uma obrigação, uma determinação, etc.)
.
PICUMá -( s.m. ) -picumã ; fuligem.
PIDãO -(adj.) -pessoa pidonha; que pede tudo que vê.
PIDONHO -(adj.) -mesmo que pidão.
PIGARRA -( s.f.) -espécie de doença ( gosma ) da galinha.
PILãO -( s.m. ) -peça de madeira de forma cônica, usada para descascar
e triturar
arroz, café, milho.
PILHá -( v.t. ) -conseguir alcançar ; surpreender ; aparecer diante
de.
PINCHá -( v.t. ) -jogar; botar fora; atirar longe.

“ Pode pinchá tudo fora que tá istragado. “

PINCHADO -( s.m. ) -jogado fora ; caído ao chão, jogado no chão.


” Bebeu demás agora tá aí pinchado no terrêro.

PINDá -( s. m. ) -ouriço do mar.
PINDAÍBA -(s.f. )-estar na pindaíba; estar sem dinheiro, em situação
de penúria.
PINGUELA -( s.f.) -tronco ou prancha que serve de ponte.
PINGUELO-TRISTE -(adj./s.m. ) -sujeito mal ajambrado.
PINHA -( s.f.) -espécie de doce caseiro, de açúcar, coco ralado e um
cravo espetado

em cima.
PINHé -( s.m. ) -mesmo que carapinhé.
PINICá -( v.t.) -safar-se.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

PIO -( s.m. ) -apito ou assobio usado para imitir sons, imitando o


canto das de aves
e
pássaros, a fim de atraí-los. Os efeitos do pio podem ser conseguidos
apenas com
a
boca humana.
“ Firmino nem percisa de pio prá arremedá o surucuá .

PIPéLA -( s.f.) -mesmo que pálpebras.


PIPIVO -( s.m.) -coceira na pele, causada por um tipo de capim ou
arbusto.
PIPOCO -( s.m.) -confusão em que se envolvem muitas pessoas;
embrulhada.
PIPUNA -( s.f.) -espécie de fruto silvestre.
PIRãO -(s.m. ) -prato diário do caiçara, que consiste no feijão
misturado com farinha

de mandioca, formando uma pasta grossa; papa de farinha de mandioca


escaldada
com caldo de peixe ou caça.
” A mandioca só pô pirão mesmo”. “Aqui nóis comemo o tar do pirão do
mesmo, que é feito c’o
cardinho do pêxe insopado e farinha.

PIRãO DE JACUVA -(s.m.) -pirão de farinha de mandioca, misturada com
água fria.

PIRãO DO MESMO -( s.m. ) -pirão feito de farinha de mandioca, com o


caldo em
que foi cozido o peixe.
PIRãO ESCALDADO-( s.m. )-pirão de farinha de mandioca, feito com água
fervente.
PIRI -( s.m. ) -espécie de junco, natural de terrenos pantanosos,
utilizado para

confeccionar esteiras.
PIRIZAR -(s.m.) -pirizal ; terreno onde é abundante o piri.
PIRUá -( s.m. ) -grão de milho que não rebenta, quando se faz a pipoca
; bolha feita

na pele pela água ou gordura quente.


PISA -(s.f.) -sair na pisa; sair em velocidade excessiva.
PISãO -( s.m. ) -pisada forte ; pancada com os pés.
PITá -( v.t. ) -fumar no pito.
PITIÚ -(s.m.) -odor nauseabundo; cheiro enjoativo; cheiro forte,
característico do

peixe fresco.

“ A casa ficô impesteada de pitiu de pêxe.



PITO -( s.m. ) -espécie de cachimbo de barro ; levar um pito; passar
um pito, quer
dizer repreensão; bronca; chamada; raspe.

PIUMA -( s.f.) -fuligem que fica no fundo das panelas.


PIXAIM -(adj.) -cabelo encarapinhado; carapinha.
PIXé -(adj.) -comida simples; comida com gosto de fumaça; mau-cheiro.
PIXICA -( s.f.) -(adj.) designação chula para vagina.
POUSá -( v.t. ) -pousar; mesmo que pernoitar; dormir em.
PóCA -(adj.) -metido; exibido ; convencido ; taquara com a qual se
fazem cestos.
POÇãO -( s.f. )-remédio; remédio preparado em farmácia; medicamento
líquido.
PODãO -( s.m. ) -instrumento recurvado para podar árvores.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

POEDEIRA -(adj.) -diz-se da galinha que põe muito ovos.


POEJO -(s.m. ) -espécie de planta aromática, usada também para fins
medicinais.
POIS OLHE -( interg. ) -expressão que significa: não me diga !; ora
vejam só ! ;
é

mesmo
?

POITA -( s.f.) -espécie de âncora feita com pedra ou outro corpo


pesado, usada para
fundear a embarcação, rede etc...
.
POITEá -( v.t. )-fundear a canoa, embarcação ou a rede.
POLACA -( adj.) -raça de galinha
.
POMBEá -( v.t. ) -caçar pombas.
POMBóCA -(adj.) -a vagina da criança.
PONHá -( v.t.) -por ; colocar.
PONTADA -(s.f. ) -dor aguda e rápida.
PONTADA NO VAZIO -( s.f. ) -pontada (dor ) na região inferior do
abdome.
PONTEá -(v.t. ) -dedilhar; tocar a viola ou outro instrumento de
cordas, com as

pontas dos dedos.


PONTEADO -( s.m. ) -certo toque de viola caipira.
POPEIRO -( s.m. ) -aquele que vai na popa da canoa, pilotando-a e
jogando a rede,

na pesca.

POR -( v.i.) -ação das aves e pássaros pôr ovos.


“ Aquela polaca tá pondo.

POR DEMÁIS -( loc.v. ) -demais, em demasia.
POR TERRA -( loc.adv. ) -pela beira da praia, da costeira e dos
costões; perto das

águas marítimas contíguas à essas regiões.


“ O cação que dá mais por terra é esses machotinho assim e essas
cambévazinha.

PORRETE -( s.m. ) -remédio decisivo, eficaz; antiga poção preparada em


farmácia.
PORTA -( s.f. ) -dois suportes de madeira, com contornos de ferro
fundido, usados
para fixar o arrastão na areia do fundo do mar, abrindo as mangas da
rede
e
possibilitando a passagem do pescado para o cópio de onde vão para o
saco ou
ensacador, durante a operação de arrasto com a embarcação, sendo içada
a bordo na
recolha do produto da pesca.
PORTADA -( s.f.) -batente; caibros de madeira sob a armação das
portas.
POSTA -( s.f.) -naco ;pedaço.
POSTEJADO -(adj.) -cortado em postas.
POSTEMADO -(adj.) -mesmo que purulento; com feridas.
POTE -( s.m. ) -vasilha de barro para líquidos.
PRA MODE QUE -( interj. ) -por que causa ? ; por que ? ; para que
?
PRAÇA -( s.m. ) -soldado; militar sem graduação ou posto.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

PRACÔ -(s.m.) -no carnaval , pessoa que se vestia de diabinho ou frade


para jogar
trigo ou bater nas pessoas com uma bola feita de uma meia de mulher e
uma pelota
de panos na ponta .

PRAIA DE TOMBO -( s.f. ) -praia onde as ondas quebram rápido, de um só


tombo,

removendo areia do fundo e cavando peraus.

PRANCHãO -( s.m. ) -varão; varejão; vigota.

PRANCHEá -(v.i.) -cair de lado; deitar-se ao comprido.

PRATADA -(s.f. ) -prato cheio.

PREALO -(adj.) -grande; enorme ; mesmo que lapa ou lapo.

PRECATADO -(adj.) -que mostra precaução.


PRECATEá -( v.i. ) -precaver; desconfiar.
“ Me precateei quando essa baliera aí começô a fazê aquela aguinha
debaxo do panêro .

PRECISADO -(adj.) -necessitado ; pobre.

PRECURá -( v.t.) -procurar.

PRECURAÇãO -( s.f. ) -procuração; busca ; procura.

“ Dexaro as coisa aí e até agora não fizero precuração.



PREFIá -( v. t. ) -tecer os fios de algodão ou náilon para construir
as malhas da
panagem das redes de pesca.
“ Sei arremendá rede, sei prefiá .

PREFUME -( s.m. ) -perfume.
PREGá FOGO -( loc.v. ) -atirar com arma de fogo.
PREGá O ZóLHO -( loc.v. ) -dormir.
PREGUE-LHE – ( v.t.d. ) – Aplicar, assentar, com violência; pespegar,
impingir: Fazer

ou tentar fazer acreditar, iludindo; Contar mentiras; mentir: “


Pregue-lhe desse pela

cara “ ( quando alguém conta uma mentira )


.

PREGOU-LHE -(v.t.d.) -aplicar ou assentar com violencia.

“ Um sentô-lhe a mão nos corno , otro pregô-lhe a foice . “

PREGUICEIRA -( s.f.) -cadeira preguiça.

PRENSA -(s.f. ) -o mesmo que arataca ou prensa de arataca.

”Primeiro a gente ranca, raspa e vira, põe na prensa”. “Quando é que


põe na prensa ?; seca
ela, ela fica massa seca”. “Aí seca, adepois bota na prensa, adepois
bota no tipiti”
.
PRENSA DE ARATACA -(s.f.) -o mesmo que arataca.
PRENSá -( v.t.) -o mesmo que cochá.
PREVÁRICá -( v.t. )-cometer adultério ; faltar aos seus deveres;
equivocar-se.
PRIMA -( s.f.) -a quinta corda da viola.
PRIMEIRO CANTá DO GALO -( loc.nom. ) -hora noturna que vai da meia
noite à uma

hora da manhã.
PRIQUITA -(s.f.) -uma corda da viola, que fica no braço do
instrumento, sem função.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

PROCISSãO DAS ALMAS -( s.f. ) -vide procissão dos mortos.

PROCISSãO DOS MORTOS-(s.f. ) -crendice popular que fala de uma


procissão de
almas saindo do cemitério nas primeiras horas do dia de finados.
PROEIRO -( s.m. ) -canoeiro que se coloca na proa da canoa; aquele que
vai na
proa da canoa à procura do cardume e que lança a poita para fundear.
PROSA -(adj.) diz-se do sujeito metido, fanfarrão.
PROSEá -( v.t. ) -conversar fiado; falar muito;
PUá -( v.t./ i. ) -gritar com a mão em concha chamando alguém; mesmo
que gritar;

chamar alguém em voz alta.

“ pue pra ele , quele deve de tá ali naquele laranjá matando


passarinho, decerto

PUÇá -(s.m.) -rede cônica de malhas afuniladas, montada sobre duas
varas de
bambu que se abrem e fecham no formato de uma tesoura, usada para
pesca de
camarão vivo, arrastada por uma canoa a remo.

PUDE -( v.t. ) -eu não pude fazer ( pretérito perfeito do indicativo


do verbo puder )
.
PUÍDO -(adj.) -desgastado pelo uso.
PUJUVA -(s.f.) -espécie de mutirão feito do meio dia para a tarde.
PUNILHA -( s.f.) -espécie de cupim branco, que ataca móveis e papéis.
PURIVILHO, PURVILHO -(s.m.) -polvilho de tapioca; polvilho fornecido
pela goma da

mandioca ou pela tapioca, posta a secar ao sol, espalhada numa


vasilha, ou sobre um
saco branco de tecido de algodão.
PURUNGA -( s.f.) -cuia ou cabaça utilizada para guardar líquido;
porongo/ poronga.
PUXA-PUXA -( s.f.) -bala de consistência elástica e grudenta.
PUXADO -( s.m. ) -construção que prolonga o corpo central da casa.

QUADRA-( s.f. ) -época; período; temporada.


“Nesta quadra a tainha tá fraca ainda.

QUAJE -( adv. ) -quase.


QUALIDADE, QUALHIDADE -( s.f.) -espécie; modalidade.
“ Essa qualhidade de pêxe ainda num vimo por aqui .

QUANTIA -( s.f. ) -grande quantidade; fartura; quantidade.

“ Hái quantia de pexe que não acaba mais por lá



QUANTIDADE -( s.f. ) -fartura; abundância; muito; quantia.
“ Ih! Matêmo quantidade de pêxe . “ “ Banana aí tem quantidade madura
, até desperdiça .

QUARá -(v.i.) -expor a roupa ao sol para branquear.


QUARADOR -( s.m. ) -quaradouro; lugar onde se expõe a roupa para
quarar.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

QUARTA -( s.f. ) -medida de terra que corresponde a um quarto de


alqueire paulista.
QUARTA -( s.f.) -medida de peso, equivalente a uma quarta parte de um
alqueire

( 40 litros) e que corresponde a 10 litros ( usada para milho, farinha


, feijão etc... )
QUARTEIRãO -( s.m. ) -medida correspondente a quarta parte de uma
garrafa.
QUARTé(L) -( s.m. ) -uma quarta de terra; um quarto do alqueire
paulista.

“ O pobrema que tenho cum este camarada é da cachoêra prá lá, donde
ele comprô o terreno
divisando cumigo, adonde tinha um quarté de cana prantado . “

QUARTILHO -( s.m. ) -antiga medida de capacid. para litros, igual a


meio litro (,568
)
QUARTO -( s.m. ) -pedaço de carne de um animal, considerada a perna
até
a
metade do lombo ( altura ) e até a metade da barriga ( largura ); ex :
um quarto de

paca.
QUATIPURU -( s.m. ) -caxinguelê.
QUE NEM -( conj. ) -como; feito; igual a; da mesma forma que.

“ Fiquei com cara de tacho assim, que nem um bobo .



QUEIJO -(s.m. ) -calço de arataca ou do fuso entre a balança e o
tipiti, ou entre
o

fuso e o tipiti, de forma cilíndrica achatada, que recebe pressão do


varejão ou do fuso,
espremendo o tipiti contra a mesa.
QUEBRAÇãO -( s.f. ) -mesmo que rebentação; ruído das ondas quando
arrebentam

na prais ou na costeira.
QUEBRANÇA -( s.f.) -local onde as ondas quebram.
QUEBRANTO -( s.m. ) -suposto resultado mórbido que o mau-olhado produz
nas

pessoas.
QUEDELE -(pron. Interr.) -cadê? ; onde está
?
QUEIMADA -( s.f.) -xarope caseiro, feito de açúcar queimado com folhas
de laranja,

ou gengibre ou pinga, fervidos.

QUERER -( s.m. ) -não ter querer significa: você ainda não tem vontade
própria; não
em escolha.
QUERO-MANA -( s.f.) -um tipo de dança no fandango.
QUERO-QUERO -( s.m. ) -espécie de gaivota.
QUEROSENA -( s.f. ) -querosene.
QUESTã -( s.f. ) -questão; pendência.

“ não fizemo questã de dizê tudo



QUIBEBE -( s.m. ) -papa de abóbora; prato feito com abóbora.
QUINHãO -( s.m. ) -parte do produto da pescaria coletiva, que toca a
cada um dos

pescadores. O quinhão varia conforme a atribuição de cada


participante. Tem
o
quinhão da canoa, da rede, do popeiro, do proeiro, do camarada e do
ajudante.
QUIRELA, QUIRERA -( s.f.) -milho quebrado, para dar às aves ou
pássaros.
QUIZILA -( s.f.) -antipatia; inimizada ou desinteligência.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

RA(S)PA DE TACHO -( s.m. ) -o filho caçula; o último filho; as sobras


de alguma
coisa.
RABEá -virar de rabo.
RABECA , REBECA -( s.f.) -espécie de violino caipira.
RABEQUISTA -( s.m. ) -aquele que toca rabeca.

RABISSECO -(adj.) -que não dá fruto ; estéril ; pessoa de bunda


pequena.
RAÇA -( adv. ) -muito; demais; quantidade; quantia.
“ Chii! Desta tar de laranja do vazo hai raça

RAÇA DE -( loc.prep.) -quantia de; fartura de.


“ Na minha chacra tem quantia, tem raça de banana nanica.

RADIOLA -( s.f.) -antigo aparelho em se conjugava o rádio e a vitrola.
RALHá -( v.i./t. ) -repreender, falando alto.
RAMA -( s.f. ) -pé de mandioca; mandioqueira.
RAMENDADO -( adj.) -remendado; consertado.
RAMONA -( s.f. ) -alpercata ; sandália que se prende ao pé por tiras
de pano ou

couro.
RANCHO DE CANOA -( s.m. ) -construção rústica de madeira e sapê, para
abrigar
as canoas e as redes de pesca.

RANHETA -(adj.) -impertinente; rabugento.


RAPA-TACHOS -(adj.)-indivíduo que come muito, aproveitando o que fica
nos pratos.
RASPá -( v.t. ) -raspar com as cerengas as raízes de mandioca, que
depois de

lavadas numa gamela, serão sevadas. Toda a família faz esta prática,
desde os velhos
até crianças. Há todo um processo para essa raspagem das raízes, que
descrevemos
com detalhes no campo semântico: Beneficiamento da mandioca.
” Hoje imo raspá mandioca”. “Primero dia, a gente ranca, raspa, vira,
põe na prensa, e no otro
dia é só forneá ”
.

RASPE -( s.m. ) -repreensão.

RASQUEADO -( s.m. ) -forma de acompanhamento peculiar ao violão ou


guitarra;
dança executada ao som desse acompanhamento.
RASURA -( s.f.) -destruição.
RATATULHA -( s.f.) -a filharada ; os filhos pequenos.
REBENTAÇãO -( s.f. ) -local onde as ondas do mar rebentam; estouro das
ondas do

mar, na praia ou na costeira, com seu ruido peculiar.


REBOJO -( s.m. ) -tempo chuvoso; com vento sudoeste.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
REBOTALHO -( s.m. ) -refugo; coisa vem valor.

REBUÇADO -( s.m. ) -bala de açúcar solidificada com outras


substâncias.

RECENDER -(v.t. ) -exalar cheiro agradável.

RECO -( s.m. ) -soldado recém incorporado.

RECOLHIDA -( s.f.) -diz-se da recaída da doença ou da doença crônica.

RECOLHIMENTO -( s.m. ) -mesmo que resguardo.

RéCUA -( s.f.) -manada de animais.

RECUMPERá -( v.t. ) -recuperar.

“ Caiu, bateu a cabeça , desmalhô e num recumperô mais . “

REDE DE ARRASTO -( s.f.) -rede de pesca de 30 a 90 braças de


comprimento por
tres de largura, tecida em malha laça, tendo em suas extremidades dois
calões , aos
quais são amarrados cabos para a operação de puxamento para a praia;
tresmalho
de arrasto para a praia.
“ Essa aí chama arrasto, rede de arrasto, larga lá fora e puxa pá
praia, pricisa bastante gente, é
pesado. “

REDE DE ESPERA -( s.f.) -mesmo que corrico.

REDE DE FUNDO -( s.f.) -o mesmo que arrastão; arrastão de porta; rede


de pesca
arrastada pela parelha de arrastões.

REDE DE TAINHA -( s.f.) -rede de malha laça usada na pesca da tainha,


no cercar
para a praia.

REDE MACHO -( s.f. ) -rede de pesca, onde o entralhamento foi feito


defeituosamente, de modo que ela não permanece na posição desejada
dentro da
água; fica pensa, subindo e descento.

REFEGA -( s.f.) -mesmo que refrega.

REFREGA -( s.f.) -briga; vento tempestuoso,de pouca duração,em forma


de
redemoinho.

REIADA -( s.m. ) -A “ Reiada “, também chamada “ Folia do Santo Rei “


é um
folguedo de cunho religioso e se desenvolve entre o Natal e o Dia de
Reis ( 6 de
janeiro ) . Pretende reproduzir a viagem dos Reis Magos a Belém, por
ocasião do
nascimento de Cristo e parece ter sido introduzida no Brasil como
elemento de
catequese.Antigamente os componentes da Folia saíam a noite, de casa
em casa,
para cantar diante de oratórios e presépios. Hoje, a tradição
persiste, mas canta-se
mesmo nas casas onde não há presépio. A Reiada leva um estandarte que
a identifica
e seu portador encarrega-se , também, de receber as contribuições que
servirão para
cobrir os gastos da grande Festa do Dia de Reis. Geralmente canta-se
três vezes em
cada casa; um canto de “ Chegada “ , um de “ Adoração “eumde
“Despedida “.Ao
contrário das outras “ Folia de Reis “ , a “ Reiada “ de Cananéia não
possuí elementos
cômicos, geralmente representada pelos “ palhaços “ . Seus integrantes
executam o
canto de maneira muito compenetrada, erguendo a viola em “ posição de
respeito “
quando os versos falam de Cristo. O chefe da “Reiada “ é o “Mestre “ ,
que “ puxa “ os
versos acompanhando-se à viola , seguido do “ Tenor “ , que se
acompanha ao

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

cavaquinho e do “ Tipe “ ( corruptela de tiple, voz masculina


sobreaguda ).
Completam o instrumental da “Reiada “ , uma “ rebeca ” ( rabeca ) e um
“ triângulo”.

REINAR -( v. t. ) -bulir nas coisas dos outros; fazer troça, gozação


com outra pessoa.
REINENTO -(adj.) travesso; traquinas; gozador.
RéIVA -( s.f. ) -raiva ; ódio.

“ minha carne treme de réiva



RELá -(v.t.) -ralar; tocar de leve em ; roçar.
“ basto uma reladinha da bracoraia na perna dele , que ele embarcô

REMANESCER -(v.i.) -sobrar; restar; sobejar; aparecer de forma súbita.
REMATE -( s.m.) -sobra da raiz da mandioca que não pode ser ralada
diretamente

com a mão na roda de servar.Faz-se uma cava na mandioca inteira e se


coloca o
remate na ponta, comprimindo-o contra o ralador, sem risco de ferir a
mão, no
processo de fabrico da farinha de mandioca.

REMéDIO DO MATO -( s.m.) -remédio caseiro à base de ervas medicinais;


meizina.
“ De primêro, caía doente, sarava só com remédio do mato, tudo, não
egistia nada, a gente
andava c’o pé no chão , saía na friage tudo, anssim . “

REMELA -( s.f.) -secreção amarelada que se acumula nos olhos.


REMENDãO -(adj.) -pessoa com pouca habilidade no seu ofício.
REMIR O FORO -( loc. v. ) -tirar um terreno do aforamento, pagando o
seu valor.
REMO DE VOGA -( s.m. ) -tipo de remo duplo, preso às bordas da
embarcação.
RENCA -( s.f. ) -mesmo que corja, bando.
RENDER -( v.int. ) -adquirir hérnia.
RENDIDO -(adj.) -com hérnia.
RENGO -(adj.) -coxo; pepé.
REPINICADO -( s.m. ) -repenicado; som agudo tirado da viola.
REPUNAR -(v.t. ) -repugnar ; causar náuseas; asco ; não aceitar;
enjeitar.
REQUINTA -( s.f.) -a terceira corda da viola.
RERRé -(s.m. ) -provocação ; acinte.
RéSTIA -( s.f.) -feixe de luz do sol; corda de palha entrelaçada;
réstia de cebola/alho.
RESTOLHO -( s.m. ) -restos; resíduos.
RETINTO -(adj.) -com cores fortes; céu escuro com nuvens negras de
temporal.
RETRATO -( s.m. ) -fotografia.

“ Tenho de tirá retrato prá botá nos dicumento



RETRETA -( s.f.) -concerto de uma banda em praça pública.
REVENDO -(v.t.d. ) -vertendo água; gotejando; o sal ou açúcar revendo
nos dias

úmidos.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

REVERTéRIO -(s.m. ) -mudança de situação favorável ,boa , para ruim


,
desfavorável.
REVESSA -( s.f.) -corrente marítima que corre em direção contrária à
maré.
REVESTRéS -( s.m. ) -de revés; ao contrário; de ladinho ; mesmo que
esguelha.
REVIMENTO -( s.m. ) -líquido que sai do que está revendo ;
transudação.

REZINGá -( v.t. ) -resmungar; discutir com alguém.


RIBERANA -( s.f.) -espécie de canoa usada no rios, principalmente no
Ribeira de
Iguape.

RIPA -( s.f.) -pedaço de madeira comprido e estreito ; sarrafo; uma


peça de pão
sovado.

RIPA DE PãO -( s.f.) -peça do pão sovado, que se divide em cinco gomos
dúplos.
ROCA -( s.f.) -uma das peças do tráfico de fazer farinha, usada junto
com
a
bolandeira.

ROÇADA -( s.f. ) -roçado; roça; terra preparada para o plantio ou ja


descurtivada.

ROÇADO -( s.m. ) -roça nova; plantação recente; terreno, cujo arvorede


encontra-se
derrubado e roçado, donde se retira lenha , enquanto seca para a
coivara.
RODA -( s.f. ) -peça da roda de sevá que consiste numa roda de madeira

estruturada em quatro raios, com cerca de 0,50m. de diâmetro, encimada


por uma
chapa de latão provida de ralo, de 0,10 a 0,12 m. de largura.

RODES -( s.m. ) -rhodes; uma raça de galinha.


RODETES -(s.m. ) -engrenagens de ferro, que através de um eixo,
transmitem
movimento do veio para a roda de sevá mandioca.

RODILHA -( s.f.) -rosca de pano em que se assenta a carga na cabeça.


RODO -(s.m. ) -pequeno rodo de madeira usado para mexer a farinha no
tacho de

cobre do forno, durante o forneá.


”Rodo é uma taubinha cum pau fincado”
.
RODURA -(s.f.) -medida de circunferência;

“ um metro de rodura por três de fundura.



ROER -(v.t. ) -roer a comida ; comer aos pedacinhos; pouco a pouco.
ROGADO -(adj.) -arrogante ; pessoa de má vontade.
ROLO -( s.m. ) -cepo roliço de madeira, usado para fazer deslizar a
canoa da praia

para o mar e vice-versa. Esse rolo tem encravado em cada extremidade,


uma vara
roliça, que serve de apoio de mão para o seu deslocamento; termo
também usado
para definir confusão, negócio excuso etc..
.
ROMARIA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO -( s.f. ) -Segundo Teófilo Braga, a “
Festa
do Divino ” é de tradição germânica e foi introduzida em Portugal pela
Rainha Isabel,
mulher de D. Diniz, no século XIII. Em Cananéia, o costume reza que, a
três de maio,
duas bandeiras com a efígie do “Divino “ (uma pomba branca) partem em
canoas,

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

uma para o norte e outra para o sul. Os músicos que a acompanham são
chamado “
Tripulantes do Divino” e os portadores das bandeiras, “ Alferes da
Bandeira”. Como na
“Reiada”, os “Tripulantes” se deslocam de sítio em sítio, cantando e
recolhendo fundos
para a festa. A bandeira do “Divino” é, geralmente, de fundo vermelho:
seu mastro
encimado por uma pombinha de madeira enfeitados de fitas. A casa onde
o “ Divino
” pára é chamado “pouso” e receber a sua visita é grande honra pois
representa a
“descida do Espírito Santo”. É crença geral que, por onde passa, o “
Divino ” leva
bênçãos, afugentado doenças e pragas. Depois de percorridos todos os
sítios, as
bandeiras se reúnem na entrada da cidade, terminando a parte chamada
“Romaria”. A
“ Festa do Divino” em sua totalidade não é mais celebrada em Cananéia
há cerca de
vinte anos. Dela faziam parte, ainda, as “Novenas”, a “Alvorada”, a
“Bênção da Coroa”,

o sorteio e a coroação do novo “ Imperador do Divino ” ( responsável


pela organização
da próxima Festa ) a “Missa de 23 de junho”, a “Procissão”, a
“Quermesse”, enfim,
atividades onde folclore e religiosidade se misturam. O instrumental
usado na “
Romaria do Espírito Santo ” é formado por duas violas, com que “
Mestre ” e “ Tenor
”se acompanham, pela voz sobreaguda do “Tirpe”, por uma rabeca e uma
caixa.
RONCADOR -( s.m. ) -uma espécie de peixe do mar.

RONCOLHO -( s.m. ) -(adj.) que tem um só testículo.

RONQUEIRA -( s.f.) -artefato pirotécnico, composto de um cano de ferro


cheio de
pólvora e pedras, preso a uma tora de madeira , o qual produz grande
detonação
quando ateado fogo .

ROTA BATIDA -( s.f.) -voltar de rota batida; vir embora sem conseguir
sucesso
;
desistir.
“ Jusé de comadre Rosinha, que tinha ido prá fora mês passado, vortô
onte, já de rota batida

RUÇO -(adj.) -difícil ; complicado.

RUEIRO -(adj.) aquele que gosta de andar pelas ruas; que não para em
casa.

RUGE -( s.m. ) -cosmético em pó , de cor avermelhada , usado para


colorir as
maçãs do rosto.

RUIBARBO -( s.m. ) -erva medicinal usada como purgativo.

RUMBUDO -(adj. ) -sem ponta; de ponta grossa; com a ponta gasta pelo
uso.

RUMPÂNCIA -( s.f. ) -arrogância; ação impetuosa ou violenta.

SABE-ME LÄ -( loc.v.) -quem sabe; como vamos saber.


“ Sabe-me lá o que ele anda fazendo por aí . “

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

SABUGO -( s.m. ) -espiga de milho sem os grãos.


SACA-TRAPOS -(adj.) -astuto; manhoso.
SACAMBÚ -( s.m. ) -mesmo que diabo; coisa ruim.
SACO -( s.m.) -entrada do mar pela barra de um rio, formando uma
pequena

enseada, aberta entre dois morros com costeira, ou entre uma costeira
e a praia.
SACUDIDO -(adj.) -valente; competente ; ágil ; craque.
SAFADAGEM) -(s.f. ) -safadeza.
SAFO -(adj.) -desembaraçado; esperto; vivo.
SAIR NA PISA -( loc.v. )-sair em alta velocidade; sair correndo.
SAÍR PRá FORA -( loc.v. ) -sair para mar adentro, alto mar; para o
largo da costa.
SAIBRO -( s.m. ) -areia grossa extraída dos rios.
SAÍDO -(adj.) -intrometido; enxerido.
SAIMENTO -( s.m. ) -enxerimento.
SAIPORCARIO -( s.m. ) -um tipo de saíra.
SAIR FORRADO -(loc.v. ) -sair alimentado, de estômago cheio; comer
antes de sair.
SAL DE GLÁUBER -( s.m. ) -( glóber ) antigo remédio de sulfato de
sódio.
SAL-AMARGO -( s.m. ) -antigo remédio de sulfato de magnésio.
SALETA -( s.f.) -pequena sala.
SALITRO -( s.m.) -salitre;fenômeno que ocorre na praia e nas várzeas
marítimas,

pelo qual qualquer objeto de ferro, aço, metal ou latão, sofre uma
oxidação intensa,

destruindo as ferramentas; maresia; cheiro do mar


.
SALOBA -(adj.)-salobre; forma regional do feminino singular de
salobro; diz-se da
água com gosto levemente salgado.

SAMBAQUI -( s.m. ) -designação dada a antiquíssimos depósitos situados


ora na
costa ora em lagoas e rios do litoral, e formado de montões de conchas
e restos de
cozinha e de esqueletos amontoados por tribos selvagens que habitaram
o litoral
americano em época pré-histórica. Também é conhecido como casqueiro,
casqueira,
ostreira, berbigueira, sernambí e caeiera, este último pelo fato de
serem suas conchas
utilizadas para fazer cal para a construção.

SAMBIQUIRA -( s.f.) -sobrecu da galinha.


SAMEADA -( s.f.) -semeadura; semeada.
SAMO(S) -(v.i. ) -somos.
SANANANGA -(adj.) -coisa sem firmeza; prestes a ruir.
SANEFA -( s.f.) -larga faixa de tecido que orna a parte superior das
cortinas.
SANGA -( s.f.) -quirera do arroz.
SANGUE PISADO -( s.m. ) -sangue escuro e coagulado; sangue proveniente
de

hematoma.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

SANHAÇO-( s.m. ) -espécie de pássaro.

SãO CONÇALO -( s.f. ) -dança em louvor a São Gonçalo, com cantoria de


quadra e
acompanhamento de duas violas, rebeca e tambor. O bailado é feito
dentro de casa do
festeiro, defronte a uma mesa com a imagem do santo vestido de padre,
com chapéu
de aba e uma viola às costas, ou defronte a um vaso com flores. São
postas sobre o
altarzinho as velas que os devotos trouxeram desde a procissão. A
seguir, o violeiro
líder pede recolhimento a todos, explicando que aquela é uma dança
santa, e reza
com todos um Padre Nosso, uma Ave Maria e um Glória ao Pai. Convida,
então, doze
pares de foliões para a dança, que se perfilam diante da mesa da
imagem, uma ala de
homens e outra de mulheres. Inicia-se o canto das quadras, estando os
músicos
sentados ao lado do altarzinho. Os dois cordões evoluem-se,
saracoteando, e batendo

o salto dos calçados no chão, em direção à imagem do santo, e , ao se


aproximarem,
reverenciam-no em mesuras singelas, flexionando o corpo, incrementando
os
gingados e o bate-pé. É uma coreografia violenta e o suor escorre
pelas faces dos
dançarinos. As alas prosseguem uma maratona que chega a cento e vinte
voltas,
cujos passos são comandados pelas quadras do violeiro tenor. Descansa-
se dez
minutos e prossegue-se por mais outras jornadas dessas. O canto das
quadras é um
dueto, e o violeiro compõe alguns versos, de repente, alusivos ao
desenrolar da
função. Os participantes levam muito a sério esta festividade.
SAPATA -( s.f.) -a parte mais larga dos alicerces das casas.

SAPATEADO -( s.m. ) -bate-pé; espécie de catira ou cateretê


sofisticado; tipo de
dança no fandango, em que se faz muito ruído com a sola do calçado.

SAPE -( s.m. ) -espécie de folhagem das palmeiras, usada para


cobertura de
casebres.

SAPECá -( v.t. ) -chamuscar;colocar a carne ou alimento numa


determinada
distancia das labaredas do fogo, a fim de que, recebendo o calor e a
fumaça, se asse
de maneira rápida e superficial; queimar a pinugem ( pinujos ) das
aves, longe do fogo.

SAPECADO -( s.m.) -roçado de ramagens e troncos semi-queimados e


semidescoivarados.

SAPECADO -(adj.).-ligeiramente bêbado; chamuscado.

SAPIRANGA -( s.f.) -blefarite; inflamação das pálpebras dos olhos.

SAPOREMA -( s.f.) -doença que ataca o tecido suberoso do caule da


mandioca,
danificando sua cortiça interna e estendendo uma espécie de bolor
esverdeado, até as
raizes, fazendo-as apodrecer.

SAQUITéU -( s.m.)-saco de pano com bocal e tampa de madeira, usado


para
guardar chumbo de caça.

SARACURA -( s.f.) -espécie de ave natural da região de mangues.


SARAPILHEIRA -( s.f.) -camada de terra misturada com folhas, galhos e
frutos, que
recobre o solo das matas.

SARASSARá -( s.f. )-espécie de formiga , formiga de asa.

SARGENTO -( s.m. ) -ferramenta de carpinteiro, usada para prender as


tábuas aos
bancos.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

SARÍ-SARÍ -( s.m. ) -espécie de bagre ; bagre-sari ou sassarí.


SARICO -( s.m. ) -cesto cilíndrico de bambu ou arame, usado para
recolher peixes.
SARRO -( s.m. ) -tirar sarro ; fazer gozação ; também o mesmo que
bolinar.
SARRO DE PITO -(s.m. ) -resíduo de nicotina que fica no tubo do pito
ou cachimbo.
SARSERO -( s.m. ) -salseiro; desordem; briga; conflito; rolo.
SARTãO -( s.m. ) -saltão ; nome de um verme que ataca a carne seca (
charque )
.
SARTEIRA -( s.f.) -salteira ; espécie de peixe.
SE PIROU -( loc.v. ) -escapou de mansinho; escapuliu ; endoidou ;
enlouqueceu.
SE GAVá -( v.p.) -gabar-se.

“ ele vive se gavando dela, esse infistulado.



SEGUIDINHO -( adv. ) -com muita freqüência.
SEM GRAÇA -( adj. ) -ficar sem graça ; ficar envergonhado ; perder o
fio.
SEM-FIM -( s.m. ) -espécie de pássaro noturno.
SENTOU-LHE -( v.t.d. ) -mesmo que pregou-lhe;aplicou-lhe com
violencia.

“ Sentô-lhe a mão nos cornos do outro .



SERRACIMANO -(adj.) – romeiro ou aquele que vem da região das serras.
SESSENTA FOLHAS -( s.m. ) -vide folhoso; o terceiro estômago dos
ruminantes;

mesmo que centafolho; tantas-folhas.


SETE-CORES -( s.m. ) -espécie de pássaro.
SETE-SANGRIA -( s.f.) -nome vulgar de uma planta medicinal.
SéVA -( s.f. ) -lugar onde, costumeiramente, se coloca alimentos para
atrair a caça
e
habituá-la a comer ali, e, posteriormente surpreendê-la a abatê-la a
tiro, de cima do

trepeiro construído sobre uma árvore que domina o local.


SEVá -( v.t. ) -ralar a mandioca na roda de sevá. Esta operação
consiste em
submeter a mandioca já raspada, ao processo de ralação, que é feito
por meio de um
engenho, composto de engrenagens, que impulsionadas pelo veio,
manivela em
espiral, movimenta uma roda de madeira de 0,50m. de diâmetro,
contornada por uma
lâmina de ralo. Este dispositivo está erguido do chão cerca de 0,80m.,
e a roda
é
encaixada no banco de sevá, encimado pelo caIxote, que evita a
dispersão das
partículas de mandioca, encaminhando a massa ralada para o cocho, que
fica rente ao
chão. Uma pessoa vira e a sevadêra seva.

SEVADEIRA -(s.f. ) -pessoa, geralmente mulher, que, no fabrico da


farinha de
mandioca, coloca as raízes na chapa da roda para serem raladas. Ë a
mulher que
seva, pois no fabrico da farinha, esse é um dos serviços mais leves.

SIMBORA -(adv. ) -vamos simbora; vamos embora.


SIMPATIA -( s.f.) -ritual supersticioso usado para prevenir ou curar
certos males.
SINHIFICá -( v.t. ) -significar.
SIRGA -( s.f.) -corda com que se puxa a embarcação ao longo da margem.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

SIRIRI -( s.m. ) -lenha em gravetos; lenha ruim.

SIRGá, SISGá -( v.t. ) -sirgar; conduzir a canoa , ao longo da margem,


puxada por
uma corda.
SOBEJá -( v.i ) -sobrar; exceder.

“ Quando sobejava do gasto, eu vindia “ .

SOBRECU -( s.m. ) -apêndice sobre o qual se implantam as penas da


cauda das
aves.
SOLEIRA -( s.f.) -fundamento da casa de pau a pique, que consiste num
alicerce de
pedras ou de cerne de madeira, onde se apoiam as varas pauapicadas;
parte inferior
da porta ; que está ao nível do piso.
SOLITáRIA -( s.f.) -verme intestinal.

SONSO -(adj.) -dissimulado; disfarçado ; ruim da cabeça.


SORDA -( s.f.) -mesmo que açorda, comida típica de Portugal na região
de Além
Tejo; comida feita de miolo de pão misturado na caneca com café ou
leite quente.

SORUMBáTICO -(adj.) -triste; sombrio.


SOVA -( s.f.) -surra.
SUMBARE -( s.m. ) -planta donde se extrai excelente cola, muito
utilizada na

confecção da viola caipira.


SUMITUMA -( s.m. ) -o conjunto de buracos feitos pelo tatu ; as tocas
do tatu.
SUNDARA -( s.f.) -veja suindara; coruja; pássaro noturno.
SUNUNGA -( s.f.) -trovoada com ventos fortes, vindo do mar ; tempo
ruim.
SURECO -(adj.)-rabicó; ave sem rabo; suro.
SURFERINO -( s.m. ) -solferino; a cor escarlate ; entre o encarnado e
o roxo.
SURGIR -( v.int. ) -deixar ferver demais e derramar fora da vasilha.

“ Fique de olho no leite prá ele não surgí.



SURUCá -(v.int. ) -afundar; atolar; desaparecer; cair em um buraco.
“ Não pise nessa lama que tá surucando até o joelho.

SURUCUá -( s.m. ) -espécie de pássaro.
SURUí – ( adj.) – farinha de mandioca de má qualidade, mesmo que
manêma;

provavelmente este vocábulo venha do tupi-guarani.


SURURU -( s.m. ) -barulho; confusão; rolo.
SUSPIRO -( s.m. ) -doce feito de clara de ovo batida com açúcar.
SUSTANÇA -(s.f.) -o que ha de suculento ou nutritivo nos alimentos.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

TABIQUE -( s.m.) -parede de madeira, divisória de quartos.


TABÔA -( s.f.) -espécie de bambu ou junco.
TABOCA -( s.f.) -espécie de taquara ; bambu.
TABOCUUVA -( s.f.) -espécie de madeira.
TACANIÇA -( s.f.) -viga que é usada nos telhados de quatro águas.
TAFETá -(s.m.)-tecido de seda, lustroso e armado.
TAIá -( s.m. ) -mesmo que taioba.
TAINHOTA -( s.f.) -espécie de tainha pequena.
TAIPA -( s.f.) -parede de barro ou cal e areia, com armação de
pequenos pedaços

de madeira, em forma de treliça.


TAJARANA -( s.f.) -espécie de arbusto silvestre.
TAJOARA -( s.f.) -monte de paus velhos, dentro d'água, que vira
pesqueiro.
TAJóVA -( s.f. ) -diz-se da mandioca, do aipim quando esta
apodrecendo,

estragando, ficando já passado.


TALAGADA -( s.f.) -quantidade de bebida que ser toma de uma só vez.
TALHA -( s.f.) -vaso de barro, de grande bojo.
TAMBURUTACA -( s.f.) -espécie de lagosta.
TAMBIJUá – ( s.m. ) – inseto de coloração verde ou marron, semelhante
a uma barata

e que tem um odor fétido.


TAMéM -(adv.) -também.
TAMPUME -( s. m. ) -diz-se do dia nublado; sem sol, com ameaça de
chuva.

“ O dia hoje amanheceu que é um tampume só; não se vê a cara do sol .



TANAIS – ( s.m .) – espécie de pinça ou tesoura feita de bambu, para
apanhar carangueijos.
TANCHãO -( s.m. ) -esteio ou estaca de madeira.
TANINO -( s.m. ) -substância da casca de algumas árvores e de frutos
verdolengos,

que “ apertam “ quando em contato com a boca.


TAPERA -( s.f.) -habitação rural abandonada; lugar feio e ruim.
TAPIOCA -(s.f. ) -fécula decantada do caldo verde da massa sevada da
mandioca;

biju de tapioca temperado com erva doce ou coco ralado.

“ Pá fazê a tapioca é fáci, dêxa aquele cardo da massa secá na gamela,


aí bota no forno é

tapioca. ”

TAQUARA -( s.f.) -espécie de bambu.

TARéCO -( s.m. ) -utensílios de pouco valor; coisas velhas.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
TARIMBA -( s.f.) -estrado de varas, usado como cama ou prateleira;
cantareira.
TARRAFA -( s.f.) -espécie de rede de pesca circular, com chumbos nas
bordas
e

uma corda ao centro, pela qual o pescador a retira fechada da


água,depois de havê-la
arremessado aberta.
TARURÚ -( s.m. ) -terra podre.
TATá -( v.t. ) -estar tato; estar combinado; jogo de adolescente, que
consiste em

combinar alguma coisa ou estabelecer uma regra fixa para jogar.


TATETO -( s.m. ) -cateto; porco do mato de pequeno porte.
TATU -( s.m. ) -madeira empregada no vigamento das construções , como
a casa de

pau a pique, a casa de farinha, o rancho, etc..


.

TAUBA DA BALANÇA -(s.f. ) -lascas de madeira ligadas por fios de arame


ao varão,
recebendo as pedras que o envergam, constituindo assim uma peça da
arataca.
TEMPERá -(v.t. ) -afinar o instrumento ; afinar um pelo outro, no
mesmo tom;

temperar o café com açucar.


TEMPO-QUENTE -(s.m.) -confusão em que se envolvem muitas pessoas;
rolo.
TENAZ -(s.m. ) – mesmo que tanais; instrumento semelhante a uma
tesoura, usado

para pegar objetos.


TENCA -( s.f.) -buraco que fica numa das extremidades, no jogo de
bolinha de vidro
( de gude ) , que consiste de cinco buracos, em forma de cruz;
começando-se pelo
primeiro buraco chamado de matança, vai-se depois para o meio, lado
esquerdo,
volta-se ao meio, lado direito, volta-se ao meio, vai-se para a tenca
( último buraco,

acima ) e volta-se na mesma sequência até a matança-reta ( primeiro


buraco )
,
quando procura-se acertar a bolinha do adversário para ganha-la.
TENDáR-( s.m. ) -mesmo que estendal, local para estender e secar as
redes de
pesca. Armação onde se expõe as redes de pesca para enxugar depois de
encascadas no banho de jacatirão.

TENHO COMIGO -( loc.v. ) -tenho para mim; eu acho que; eu penso que.
TENHO PRA MIM -( loc.v. ) -eu acho que; eu penso que; eu tenho comigo.
“ Eu tenho prá mim que essa individa tá mentindo .

TERÇA -( s.f.) -denominação de cada uma das três varas roliças , na


sustentação da
coberta de sapê da casa de pau a pique; peça de madeira que segura os
caibros, para
estes não vergarem.

TERÇOL -( s.m. ) -pequeno abcesso na borda das pálpebras ; mesmo que


viúvo.
TERNEIRO -( s.m. ) -cria da vaca até um ano de idade; bezerro novo.
TERREIRO -( s.m. ) -espaço terraplenado em redor da casa ,
constituindo o quintal

de solo firme e desnudo.

TERRINA -( s.f.) -vaso de louca ou metal, e com o qual se leva a sopa


ou o caldo
à
mesa.
TESO -(adj.) -rijo; esticado; imóvel.
TESOURA -( s.f.) -peça de madeira, que sustenta a cobertura da casa.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

TETéIA -(adj.) -pessoa ou coisa muito graciosa; nome dado pelos


adultos à lua,

quando falam com crianças.


THABAUM-( interj. ) -expressão que imita o som de um corpo caindo na
água; ou
usada no sentido de alguma coisa feitas às pressas ou sem muito
capricho.
“ Comemo um franguinho feito à moda thabaum mesmo que não dava prá
esperar a fome.

TIBá -(adj./s.m. ) -valentão ; competente ; craque.


TIBÍ -( s.m. ) -cheio; apinhado; lotado.
TIBUM -( interj. ) -expressão que imita o som de um corpo caindo na
água.

“ caiu n’água e fez tibum.



TICACA -(adj.) -pessoa de cor escura; negro.
TIÇãO -( s.m. ) -pedaço de lenha acesa ou meio queimada.
TIGÜERA -( s.f.) -vegetação característica de terra, anos atrás
cultivada,

apresentando núcleos compactos de árvores novas de médio porte;


capoeira; roça
abandonada depois da colheita.

TIJUCO -( s.m. ) -lama; lodo; atoleiro; charco.


TIMBOPéVA -( s.m.) -cipó forte e flexível usado na confecção artesanal
de de balaios,
cestos, chapéus, saricos
.

TIMIRIDADE -(s.f.) -temeridade ; grande quantidade ; muita coisa.


TINA -( s.f.) -peça de madeira, em forma de vaso, para banho ou
lavagem de roupa.
TINGUILIM -( s.m. ) -peça de madeira usada como armador nas buizas.
TINHOSO -(adj.) -teimoso ; pertinaz ; diz-se também do diabo.
TINJóL-( s.m. ) -corante de roupas.
TINTUREIRA -( s.f. ) -tubarão de tamanho médio, muito temido pela sua
ferocidade.

De cor cinzento plúmbeo, atinge até 10 mts de comprimento e tem a


cabeça

arredondada.
TIPIOCA -( s.f.) -vide tapioca; fécula decantada do caldo verde da
massa sevada da
mandioca; bijú de tapioca temperado com erva-doce ou coco raldo.

TIPITI -(s.m.) -cesto de cipó timbopeva, tecido na técnica dos


samburás ou saricos
e
balaios de tecidura flexível, onde se acondiciona a massa verde da
mandioca sevada
para ser prensada e enxugada na arataca, numa determinada etapa do seu
beneficiamento, para o fabrico da respectiva farinha.

TIRá CANOA -( loc.v.) -o mesmo que tirar o corte.


TIRá FARINHA -( loc.v. ) -procurar briga; exigir satisfações; levar
vantagem.
TIRá DA PROA -( loc.v. ) -tirar da frente.
TIRá O CORTE -(loc.v.) -operação em mutirão, preliminar ao fabrico da
canoa, que

consiste em, com a presença do cabador, acamparem na mata, derrubarem


a árvore
,
limparem-na e tirarem o corte, e em seguida com cabos e alavancas
arrastarem a tora
até o curso de um rio próximo, lancarem-na na água, afim de que o rio
a transporte até

o local onde será lavrada.


Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (
13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

TIRAMENTO -( s.m. ) -operação de tirar algo.

“ esta perna é boba anssim que machuquei no tiramento de canoa



TIRANIA -tiranice; maldade; crueldade.
“ Isso daí já é tirania dela .

TIRANTE -(adj. ) -afora; excluído; fora isso; com excessão;exceto.


TIRARÍRA -(s.m. ) -levar um tiraríra é levar um fora; levar uma vaia
ou uma gozação.
TIRARO -( v.t.) -tiraram; pescaram.

“ Faiz tempo que tão arrastando ? Já tiraro quantas tainha


?
TIRIÇA -( s.f.) -icterícia
.
TIRIÚMA , TIRIÚME -( s.m. ) -só; desacompanhado; diz-se do cafezinho
simples.

Esta expressão, com este significado, é originária do Caribe, com a


grafia Tyrieume.
TIRIVA -( s.f.) -espécie de pássaro ; tipo de periquito.
TIRPE -( s.m. ) -o integrante da cantoria da Bandeira do Divino, com
voz de soprano;

mesmo que tiple.

TIRRE-( adj.) -comida sem mistura.


“ To comendo só este arroz tirre, arroz puro.

TIRRITICA -( s.f.) -pigarro;irritação da garganta; gripe forte; doença
do peito; espécie

de pássaro.
TÍSICO -( s.m. ) -tuberculoso.
TISNADO -(adj.) -tostado; enegrecido.
TITELA -( s.f. ) -região carnuda, abaixo do vértice do esterno das
aves; peito gordo

das aves.
TITICA -( s.f.) -excremento ; coco ; merda
TITICA DE GALINHA -( s.f.) -coisa sem valor; traste; excremento ; cocô
de galinha.
TITINGA , PITITINGA -( s.f.) -manchas na pele; sardas.
TIZIU -( s.m. ) -espécie de pássaro.
TO-FRACO -(adj.) -nome dados à galinha d’angola.
TOCHEIRO -( s.m. ) -lampião com tocha grande.
TOCHEIRO -( s.m.) -facheiro; grande lampião usado para pesca.
TOEIRA -( s.f.) -a segunda corda da viola.
TOLETE -( s.m.) -pequeno rolo de madeira, de fumo ou de qualquer outra
coisa.
TOMADOR DE CONTA -( s.m. ) -caseiro; tomador de conta de terreno ou
casa.
TOMARA QUE AMANHEÇA -( adj. ) -diz-se do cobertor curto.
TOMBA LAS AGUAS -( s.m. ) -lugar onde se encontram duas marés, num
canal que

tenha duas saídas para o mar.


TOPADA -( s.f.) -bater ou ir de encontro com os pés.
TORNOQUE -( s.m. ) -osso; ossada do peixe ou galinha.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br .

TORó -( s.m. ) -chuvarada; aguaceiro.


TORRADO -(adj.) -bêbado; embriagado.
TOSSE-COMPRIDA -( s.f.) -coqueluche.
TOTIÇO -( s.m. ) -parte posterior da cabeça; nuca.
TRAÇADO -( s.m. ) -bebida feita com a mistura de cachaça com vermute.
TRAFICÂNCIA -( s.f.) -mesmo que bugigangas.
TRAFICO DE FAZER FARINHA -( s.m. ) -conjunto composto da prensa,
bolandeira,

fuzo, tipiti e roca ou roda, utilizado na confecção da farinha de


mandioca.
TRAIDORIA -( s.f.) -traição.
TRAINEIRA-( s.f.) -sardinheira; embarcação para a pesca industrial da
sardinha.Tem

possante motor e procura cardumes, mesmo em mar alto, e em seu


camarote,

abrigam-se de 5 a 10 tripulantes
.
TRAJETO -( s.m. ) -a procissão ou o roteiro seguido pela mesma nos
festejos do
Divino Espírito Santo em Cananéia -SP.

TRALHA -( s.f. ) -conjunto das redes, onde estão acondicionados a


cortiça e
o
chumbeiro. São amarrios que prendem, por cima , a tralha da cortiça e,
por baixo,
a
tralha do chumbeiro.

TRALHA -( s.f.) -conjunto dos utensílios de uma pessoa.

TRALHA DA CORTIÇA -(s.f. ) -cordame da rede ou orela, onde estão


acondicionadas
as cortiças ou bóias.
TRALHA DO CHUMBEIRO -( s.f. ) -cordame da rede ou auréola onde estão

acondicionados as chumbadas.

TRAMELA -( s.f.) -peça de madeira, que gira em volta de um prego, para


fechar
portas e janelas.
TRANCOU-SE -(v. t. ) -meteu-se ; enfiou-se.
TRANQUEIRA -( s.f.) -grande quantidade; muitos; grande porção; monte
de coisas

velhas.
TRAQUE -( s.m. ) -pequeno artefato pirotécnico, usado nos festejos de
São João.
TRAQUEJO -( s.m.) -prática ; experiência ; perícia.
TRASTE -( s.m. ) -móvel ou utensílio velho; pessoa de pouco valor.
TRAZI -( v.t.) -trouxe.

“ logo hoje que eu não trazi meus dicumento cumigo.



TREISANTONTE -( adv. ) -antes de anteontem ; há três dias atrás.
TRéLA -( s.f.) – conversar fiada tagarelice ; dar
confiança;corresponder ao namoro.
TREMPE -( s.m. ) -arco de ferro com três pés, sobre o qual se assentam
as vasilhas

que vão ao fogo.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

TREPEIRO -( s.m.) -mesmo que estaleiro; estrado de varas armado sobre


uma
árvore donde se pode divisar embaixo a caça, que vem à seva, ou que
passa pelo
carreiro habitual, e onde se pode abatê-la, a tiro, sem perigo de ser
atacado

TRESANDá -( v.t. ) -desandar.


TRESMALHO, TREMALHO -( s.m. ) -rede de pesca de largo uso devido à sua
polivalencia para diversas modalidades de pescaria. É de malha laça e
tanto serve

para armar, arrastar e cercar o cardume. Essas redes eram antigamente


prefiadas
e
tecidas em fio de algodão, e , atualmente em fio de náilon.
TRESVARá -( v.i. ) -armar o madeirame da casa de pau a pique,
invarando,

pauapicando e entroncando.
TREVOSO -( s.m. ) -demônio.
TRIBUZANA -( s.f.) -tempestade ; rolo, confusão.
TRIPEÇA -( s.f.) -banco de madeira, com três pés.
TRIPULAÇãO -( s.f.) -diz-se dos componentes da cantoria na Bandeira do
Divino ou

na Folia de Reis.
TRIPULANTE -( s.m. ) -membro da tripulação da folia da Bandeira do
Divino.
TRISTE -(adj.) -tirano; mau; genioso; preguiçoso; vadio.
TROÇA -( s.f.) -zombaria , gozação ; ajuntamento de pessoas.
TROMENTA -( s.f. ) -tormenta.

“ a tromenta veio e aí derrubô o bananá tudinho ,tudinho



TROMPAÇO -(s.m.) -empurrão; esbarro; bofetada; tapa.
TRONCHADA -( s.f.) -safanão ; empurrão.
TROPELIA -( s.f.) -mesmo que estripulia.
TROXE -( v.t ) -trouxe.
TROXé -( v.t. ) -trouxer
TRUCE -( v.t. ) -mesmo que trouxe.
TRUCéSSE -( v.t. ) -mesmo que trouxesse.
TRUCIDO -( s.m.) -pavio de lamparina, feito de pano torcido ou de
algodão bruto.
TRUCIDO -(adj.) -mesmo que torcido.
TRUXE -( v.t. ) -mesmo que trouxe.
TRUXé -( v.t. ) -mesmo que trouxer.
TRUXéSSE -( v. t. ) -mesmo que trouxesse.
TUCUM -( s.m. ) -espécie coqueiro espinhoso, cujas palmas são usadas
para
a

feitura de cordas grosseiras e resistentes, que constituem os cabos


para as redes de
pesca; fruto silvestre, em forma de coquinho
.
TUCUM BUCHO DE BAGRE -( s.m. ) -tucum com a polpa mole.
TUDO -( pron./adj. ) -todo
.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
TUDO ELE -( pron. ) -tudo; todos eles.

“ Consertá o pexe nhinguém qué, mas na hora de comê tudo ele vai querê
.

TUFO -( s.m. ) -espécie de rolha para tapar o orifício por onde se
escoa a água da
canoa.

TUNGA -( s.m. ) -espécie de bateria usada nos antigos rádios.

TUPE -( s.m. ) -[Do tupi tu'pé, 'entrançado'.] ;treliça ou esteira


feita de madeira ou
bambu, usada em cima do fogo, para secar peixes, carnes e outros
alimentos.
TURQUESA -( s.f.) -torquês; ferramenta semelhante ao tenaz, ao
alicate.
TURRãO -(adj.) -teimoso; birrento.
TUTANO -( s.m. ) -ter tutano; ter inteligência; ter talento,
competência.

UBá -( s.m. ) -madeira encontradiça na vargem e no mangue,


proliferando emtouceiras, com pendões semelhantes ao da cana. É muito
usada como flecha e haste
de gaiola.

UNHA DE FOME -(adj.) -indivíduo avarento.


UNHANDO -(v.t.) -se unhando ; se estranhando; brigando; se atracando.
UPA -( s.m.)-abraço; pedir um upa ; pedir um abraço para uma criança.
URINOL -( s.m. ) -penico ; vaso para se fazer as necessidades
fisiológicas.
URRO -( s.m.) -a garné; a rodo; em grande quantidade.

“ tá um urro de tainha lá no Camboriú que só vendo



URU -( s.m. ) -ave que habita as ramagens baixas da floresta, de bico
recurvado e de

cor pedrês-escuro ( carijó, de pena salpicada de preto e branco ) . É


menor do que
a
perdiz e sua carne é muito apreciada.
URUTAGUA -( s.f.) -espécie de ave noturna.
USAR DE -( v.t.) -acostumar-se a; ter o costume de.

“ Aqui se usa de fazê pirão do mesmo, qué dizê , a gente pega o


cardinho do pexe cuzido,
,
bota em cima da farinha no prato e faiz o tar do pirão que dizem, né .

USOCAMPEãO -( s.m.) -usucapião.
USURáRIO -(adj.) -mesmo que avarento.
UVIRA -( s.f.) -espécie de cipó.

VA LA QUE VOCE GANHA -( loc. v. ) -não vá lá que você vai se dar mal .

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

VACUPARI -(s.m.) -fruto silvestre.


VAGIDO -( s.m. ) -choro do recém-nascido.
VAI FORA -( loc. ) -vai ser jogado fora.

“ Essa cumidada tudo que sobejô vai fora “

VANZEIRO-( s.m. ) -sucessão de ondas provocadas pela passagem de uma


embarcação; vide banzeiro
VARá A CANOA -( loc. v. ) -trazer a canoa deslizando-a sobre os rolos
ou pelo lodo,

até a parte seca do terreno, na beira d’agua.

VARAÇãO -( v. t. ) -transporte da canoa ou do corte da canoa, por


terra , até chegar
na beira d’água.
VARADO -(adj.) -esfomeado; faminto.
VARãO -( s.m. ) -peça da arataca; viga de madeira grossa, encaixada

horizontalmente na virgem, que, funcionando como alavanca, quando


forçado pela
balança, serve para prensá o tipiti; pranchão; varejão.
VARAPAU -(adj.) -pessoa alta e magra; magricela.
VAREJãO -( s.m. ) -o mesmo que varão; pranchão.
VARGEDO -( s.m. ) -seqüência de terrenos planos; varjão.
VARIADO -(adj.) -meio doido ; alucinado.
VARRIDO -(adj.) -louco ; doido ; sem juízo.
VASSUNCE -( pron. ) -você; vosmecê.
VAU -( s.m. ) -baixio; lugar pouco fundo , por onde empurra a canoa
com o remo.
VAZANTE -( s.f. ) -refluxo da maré.
VAZIO -( s.m. ) -diz-se da região inferior do abdome; ilharga.
VEIO -(s.m.) -manivela da roda de sevá mandioca, no fabrico da
farinha.

VENDA -( s.f.) -mesmo que armazém ; mercearia.


VENDAGEM) -(s.f. ) -uma espécie de desconto ou percentagem do preço de
venda,
em favor de quem compra.
VENDER FARINHA -( loc.v. ) -andar com a fralda da camisa à mostra.
VENHA VINDO -( loc.v ) -não venha se achegando; não me venha você com

conversa mole.
“ Venha vindo, seu lacaio, venha que você ganha pros corno.

VENTRECHA -( s.f.) -parte do peixe, logo abaixo da cabeça.
VENZIMENTO -( s.m. ) -benzimento.
VERADA -( s.f. ) -beira; beirada; margem.
VERDE-QUIRA -(adj.) -diz-se da fruta muito verde, que ainda não
amadureceu.

“ Fique comendo essa banana verde-quira que voce ganha um entupimento.



VERDOLENGO -(adj.) -que não está bem maduro.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

VERGãO-( s.m. ) -marca ou vinco na pele, produzida por pancada ou


açoite .

VERGONHOSO -( adj. ) -envergonhado; timido.


“ ele sabe inté cantá direitinho, o que sim que é munto vergonhoso
demás

VESTIMENTA -( s.f.) -a fantasia para o carnaval.
VIAMENTO, AVIAMENTO -( s.m. ) -conjunto dos elementos necessários para
o

fabrico da farinha de mandioca, consistindo na casa de farinha, no


fuso ou na arataca,

no forno, e nos demais apetrechos; casa de farinha.


VIERAM-(loc.v) -fulano vieram ? ; expressão que significa dizer:
fulano e família
vieram ? ; fulano e ( mais alguém ou outras pessoas ) vieram
?

VINGá -( v. int. ) -prosperar; crescer; ter bom êxito.


VIONEIRA -( s.f.) -cabo de oito braças, que prende o arpão ou catueiro
à canoa.
VIR NO PIO -( loc.v. ) -ação de algumas aves e pássaros e mesmo de
alguns

animais, que atendem ao pio, isto é, atendem à imitação de seus sons


peculiares ou
imitativos, emitidos por pessoas que usam o pio ou apenas a boca, com
a intenção de
atraí-los.
“ A gente atira o macuco quando ele vem no pio.

VIR PRá TERRA -( loc.v. ) -dirigir-se à praia vindo do mar aberto;
encalhar nas areias
da praia ou nas pedras da costeira; ser lançado à praia ou à costeira
pelo movimento
das marés.

VIRAÇãO -( s.f.) -cerração que ocorre freqüentemente no verão , entre


2 e 4 da

tarde; vento fresco e brando, que à tarde, costuma soprar do mar par a
terra.
VIRADA -( s.f. ) -curva do caminho; volta; contorno; nome antigo do
atual Bairro da
Rotatória em Cananéia -SP.

VIRGEM -( s.f. ) -peça da arataca, que consiste num mourão de madeira


forte, tendo
em sua parte superior uma fenda retangular, onde se encaixa o varão, e
é fincada
verticalmente no chão.

VIROTE -( s.m. ) -espécie de peixe.


VISAGEM -(s.f.) -mesmo que avisage; assombração.
VISGO , VISCO -( s.m. ) -suco vegetal colante e pegajoso , que se põe
em

varinhas para apanhar pássaros.

VISITá O CERCO -( loc.v. ) -ir até o cerco de pesca, verificar a


quantidade de peixes
já presos.
VIÚVO-( s.m. ) -mesmo que terçol ; espécie de inflamação dos olhos.
VIVENTE -( s.m. ) -qualquer ser vivo.

“ minino, largai de judiá desse passarinho; não ve que anssim machuca


o viventinho

VIVUIA -(adj.) -diz-se da comida mal cozida, pastosa ou de má
qualidade.
VOMITIVO -( s.m. ) -vomitório ; que faz vomitar ; medicamento para
provocar vômito.
VOSMECE -( pron. ) -você; vassuncê, cont. de vossa mercê.
VUADEIRA -( s.f.) -barco com motor de popa , muito veloz.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.
X

XERERé -( s.m. ) -um tipo de pássaro da família do bonito-lindo.


XERETA -( s.f.) -(adj.) bisbilhoteiro; intrometido.
XIPOCA -( s.f.) -modalidade de arma ou brinquedo infantil, feita de
bambu , para

atirar projéteis inofensivos, feitos de papel ou casca de laranja.


XIPUTE -( s.m.) -café com banana moída na caneca.
XUMBREGá -importunar ; perturbar.

ZANZá -vaguear; vagar; andar sem rumo certo.

“ Fica zanzando aí pela costêra, batendo perna a toa.



Zé PEREIRA -( s.m. ) -certo grupo carnavalesco, que tem como
característica
a
utilização de lanternas feitas de papel de seda, iluminadas com velas,
além de ritmo
e
música também característicos

ZIMBRá -(v.t.d. ) -cair; despencar.

ZINHO-( pron. ) -expressão freqüente no falar caiçara. Flexiona em


gênero e número

e, quase sempre, substitui uma palavra mencionada anteriormente. Pode


ainda
funcionar como substantivo.
“ Quantas filhas o senhor tem? ” Tenho duas zinha”
.
” Quantos moeirão farta ?” “Um zinho”
.
“ Faz muito tempo que foi construída essa casa? “Essa zinha fez doze
ano”
.
“ Na praia hai muitas canoa, aquela zinha é do meu pai”
.
“ Passei pá tomá uma zinha”
.
“ O que é aquela zinha lá ?”
.
“ Que cepo duro! Aloita o zinho”
.
“ Aquela zinha pequena é minha”
.
“ Quem num tá munto bão também que tá se quêxando um poquinho, é um
zinho

anssim, mais graúdo um bocadinho do que ela”


.
“ Eu tenho um zinho só... tenho um grande anssim que já tá c’uns, acho
que quaji

uns quinze ano, e tem um zinho piqueno anssim, um zinho piquinininho,


chama-se
Leoncio, o que sim que só atende por Mingute ”
.
“ O otro zinho que é maió do que esti um, se chama-se Juão Binidito ,
que fica arriba

dessa aqui ”
.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.

“ Tenho doze filho ”. Todos vivos? “ Tenho um zinho morto só, o


derradero; dos que
sobejaram tem argum zinho anssim doentio. ”

ZóLHO -( s.m. ) -olho.

Fonte de Pesquisa:

“ Dicionário Aurélio Eletrônico

“ Encarte do Disco “ CANANÉIA -Tradição Musical e Religiosa. “

O Léxico do Falar Caiçara de Ubatumirim ”-Tese de Doutoramento de


Olympio Corrêa
de Mendonça -Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da
U.S.P. em
1978.

“ Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa “ -Hildebrando de


Lima -Cia
Editora Nacional -Edição de 1976.

Pesquisado e recolhido por Edgar Jaci Teixeira – CANANÉIA –SP Fone (


13 ) 3851-3932
Fax 3851-1167 E-Mail : ejaci@uol.com.br
.