Você está na página 1de 22

Instituto de Geociências

Geoquímica Orgânica
2018/1

Geoquímica Orgânica
Aplicada a Exploração do Petróleo
Professora: Darlly Erika S. dos Reis
darllyreis@gmail.com
erikareisuerj@gmail.com
Geóloga pela UFPA
Mestre em Geoquímica Orgânica do Petróleo UERJ
Especialista em Sismoestratigrafia UERJ/Statoil
Doutora em Geoquímica do Petróleo UERJ
1. A Origem do Carbono
2. O Carbono a matéria prima da vida
3. Rochas Carbonáticas e Depósitos Carbonosos
4. Petróleo Origem: Teorias Inorgânicas e Orgânicas
Linhas de Pesquisa Sobre a
Origem do Petróleo

Teorias Inorgânica e Orgânica


Arca de Noé
calafetagem da arca lendária por Noé

Fogo Grego
gregos bizantinos
arma química, à base de salitre, nafta
(derivado do petróleo), petróleo, cal e
outras substâncias, antes da pólvora.

http://semema.com/as-10-armas-mais-estranhas-da-idade-media/
http://www2.fiescnet.com.br/web/pt/site_topo/energia/info/historia-do-petroleo-1
Teoria Inorgânica
Atribuem ao petróleo uma origem exclusivamente abiogênica ou abiótica

1. Origem Vulcânica (Virlet, 1834 e Brunet (1838)


2. Origem Cósmica – Boutigny (1858)
3. Sínteses Inorgânicas – Berthelot (1866)
4. Teoria de Porfir’Ev (1956)– Origem na parte superior do manto
❖Acumulações de petróleo em rochas cristalinas
❖Hidrocarbonetos em gases vulcânicos e em rochas cristalinas
❖Hidrocarbonetos em Meteoritos
❖Campos Gigantes
❖Falhas Profundas
Séculos XVII e XVIII
Virlet, 1834 “as ocorrências de petróleo estão em relação mais ou menos
direta com fenômenos vulcânicos”
Emanações vulcânicas
Brunet (1838) endossa a opinião de Virlet. “As fontes de
petróleo e de betumes são encontradas, quase sempre, nas
vizinhanças de vulcões de lama, de fontes ardentes e de
depósitos vulcânicos, logo a origem do petróleo e dos betumes
é um efeito da mesma causa que produz os fenômenos
vulcânicos”.

Vulcões de lama são exsudações de gás sob alta pressão, que


escapam das acumulações petrolíferas através de falhas ou
fraturas, trazendo consigo água, lama, areia, fragmentos de
rocha e, ocasionalmente, óleo.

https://netnature.wordpress.com/2016/07/28/a-atmosfera-primitiva-e-a-origem-da-vida/
Teoria Inorgânica
Atribuem ao petróleo uma origem exclusivamente abiogênica ou abiótica
❖Emanações Vulcânicas - Russo-Ucraniana (Profundezas)
❖Vulcões de lama.
❖:. Lavorsen (1958) - Ocorrências anômalas e raras. “A falta de associação
do petróleo com vulcanismo ou seus produtos, exceto em ocorrências
anômalas e raras é outra razão para se duvidar de qualquer relação
importante entre atividades vulcânicas e origem do petróleo”.
>400m de altura
Província de Baku
Rochas sedimentares na
subsuperfície e que não há
registro de ocorrência de
petróleo em áreas onde o
material de subsuperfícies é
inteiramente de origem
ígnea.
Origem Cósmica – Boutigny (1858)
• Atmosfera primitiva rica em HC gasosos e vapor d’água (após
resfriamento houve chuva de HC).
• atmosfera dos planetas de Júpiter, Saturno, Urano e Netuno contém
metano em quantidades astronômicas.
• Como ocorreu a preservação dos hidrocarbonetos da suposta
chuva? e a sua migração posterior para os sedimentos mais
recentes?
• Lavorsen (1958):
– o petróleo deveria ser encontrado mais uniformemente distribuído na
superfície da Terra...o que não ocorre.
– deveria ser encontrado mais abundantemente nas rochas mais antigas.
Precambriano, o Cambriano e o Triássico são notavelmente pobres.
Sínteses Inorgânicas – Berthelot (1866)

• Origem exclusivamente inorgânica para o petróleo;


• Originaria nas proximidades do núcleo terrestre;
• A partir do CO2 que se combinaria com metais alcalinos
livres e que em contato com a água provocaria reações de
polimerização e hidrogenação e formariam HC.
– aromáticos como saturados
Teorias Inorgânicas URSS
Quatro Grandes Congressos 1954, 1957, 1958 e 1968

1958
“Problemas da Origem do Petróleo e Gás Natural e Condições
para a sua Formação”
1968
“Origem dos Depósitos de Petróleo e de Gás e Condições de
Formação”.
Teoria de Porfir’ev (1974)
• Sob as altas pressões e temperaturas existentes dentro da camada de gutemberg, na parte
superior do manto, em rochas ultramáficas contendo óxido de ferro e compostos voláteis (H2O,
CO), compostos orgânicos equivalentes ao petróleo são formados e podem aí existir em
equilíbrio termodinâmico com o meio circundante.
Teoria de Porfir’ev (1974)
• O petróleo poderia migrar do manto para as bacias sedimentares;
• Constituem evidências da origem inorgânica do petróleo:
A. acumulações petrolíferas comerciais em rochas cristalinas e metamórficas do
embasamento;
B. hidrocarbonetos em gases vulcânicos e em rochas cristalinas e metamórficas;
C. hidrocarbonetos em meteoritos;
D. campos gigantes.

Isótopos diferentes entre hidrocarboneto encontrados em ígneas e o dos depósitos de petróleo


Teoria Orgânica
1. Vulcanismo
2. Óleos, gorduras e resinas
3. Carvão e Petróleo
4. Algas Microscópicas
5. Smith e a Teoria Singenética
6. Teoria Orgânica Moderna
Boccone, Itália - 1667
• Vulcanismo
– petróleo e do asfalto, afirma que ambos são resultantes da destilação
da matéria orgânica das rochas sedimentares pela ação de fenômenos
vulcânicos.
Pierre-Joseph Macquer - 1758
Óleos, Gorduras e Resinas
Hipótese de que o petróleo se originaria por reações de óleos vegetais
com ácidos minerais.

Charles Hatchett - Químico inglês, 1798


Óleos, gorduras e resinas, tanto de origem animal como vegetal,
formavam betumes quando se decompunham.
Frans von Beroldingem -1778.

• Ao estudar a transformação da matéria orgânica em carvão, o


autor teve a oportunidade de constatar a frequente associação
carvão-petróleo, daí concluindo que ambos poderiam provir do
mesmo material.
Christian G. Eheremberg, Berlim - 1839

• Algas Microscópicas Numerosos autores na segunda metade do


século passado e das primeiras décadas do presente século
atribuíram às algas microscópicas papel fundamental no processo
de geração do petróleo;
• Murchison, em 1854, advoga uma origem algal para os folhelhos
betuminosos (>25%) do Siluriano Inferior da Rússia.
Smith, 1954 e a Teoria Singenética

• Estudando amostras de sedimentos recentes coletadas no Golfo do


México, delas extraiu uma mistura líquida contendo
hidrocarbonetos parafínicos, naftenicos e aromáticos
Levorsen (1958), comentando a importância da descoberta de Smith, afirmou
que “a evidência de hidrocarbonetos do petróleo em sedimentos recentes do
Golfo do México é a prova final da origem orgânica do petróleo”.

• abandonada, devido à constatação de que a mistura de


hidrocarbonetos encontrados nos sedimentos recentes difere
significativamente da mistura encontrada nos petróleos
Teoria Orgânica Moderna - décadas de 60 a 70 Séc. XX

• “Se foi encontrado Petróleo, deve existir uma rocha geradora a ela
relacionada”
• Presença de porfirinas
• Razão C12/C13 mais semelhante a de organismos.
Evidências mais positivas da natureza química e geológica para a origem do petróleo
reduziram, drasticamente, o número de seguidores de teorias inorgânicas, mesmo
na Rússia, tradicionalmente o “quartel-general” dos “inorganistas”.
Atualmente, aceita-se que a matéria orgânica depositada com os sedimentos é
convertida por processos bacterianos e químicos, durante o soterramento, num
polímero complexo (querogênio) contendo maior quantidade de nitrogênio e
oxigênio.

Remoção de água e
Compactação de sedimentos
• Não se conhece uma única acumulação comercial em áreas onde são
encontradas apenas rochas de embasamento;
• Profir’ev (1974) conclui que:
– “tanto as porfirinas como os isoprenóides perderam qualquer significado no que diz
respeito a dar suporte a teorias orgânicas”.
– Por outro lado, os “organistas” retrucam que “a presença de porfirinas e isoprenóides
nos meteoritos é apenas aparente, causada por contaminação no sítio de queda
desses aerólitos”. e) o petróleo é oticamente ativo, isto é, desvia o plano de vibração
da luz polarizada Biot (1835) foi o primeiro a reportar essa propriedade dos petróleo,
atribuída à presença de moléculas assimétricas, características de matéria sintetizada
bioquimicamente. “Mesmo que esses compostos seja de origem orgânica, não
provam a origem orgânica do petróleo, pois podem ter sido extraídos das rochas pelo
próprio petróleo em sua migração para os reservatórios”
Fonte
Justo Camejo Ferreira. Centro de Pesquisas e Desenvolvimento –
Leopodo A. Miguez de Mello (CENPES – PETROBRÁS) – Rio de
Janeiro.

Você também pode gostar