Você está na página 1de 35

Dora Kalff - 1904-1990

Analista Junguiana suíça


Criadora do método Sandplay – criança -
expressão dos mundos arquetípicos e
intrapessoais - liga a criança à realidade
exterior. Depois com adultos
Baseou-se na técnica psicológica criada por
Margaret Lowenfeld (“Técnicas do Mundo:
Brincadeiras na Infância” - 1935), psiquiatra
freudiana inglesa.
JOGO DE AREIA

• Terapia não verbal e não racional,


predomina a ação
• Liberdade para expressão da fantasia e
de sentimentos - tornar concreto o mundo
interno
• Areia – elemento terra
Jung
Brincou dia após dia, após o rompimento
com Freud, com terra e pedras nas
margens do lago de Zurique.
Depois pintura e escultura.
Liberação de fantasias
Posterior descoberta do processo de
individuação, da função transcendente e da
técnica da imaginação ativa.
CONCEITOS PERTINENTES AO MÉTODO:
• Desenvolvimento psicológico é arquetípico
• Interação entre consciente e inconsciente
que se autorregula teleologicamente –
"(...) há, nas profundezas do inconsciente,
uma tendência autônoma para a psique se
curar sozinha, desde que haja condições
adequadas"
(Estelle L. Weinrib, 1993)
CONCEITOS PERTINENTES AO MÉTODO:
• Símbolo - agente curativo - concilia opostos
- ato criativo a partir da regressão da libido
"A meta é fornecer um espaço materno ou
útero psicológico, uma metáfora emocional
para a unidade Urobórica mãe-filho. Neste
espaço seguro pode ocorrer a cura da ferida
psicológica interna, o Self pode ser
constelado e a criança interna redescoberta,
com toda a sua potencialidade de
criatividade e renovação."
(Weinrib, 1993)
CONCEITOS PERTINENTES AO MÉTODO:

• Mãe suficientemente Boa – Winnicott


• Perda materna precoce
• Caixa de areia - "objeto transicional -
Winnicott" - primeiro objeto "não eu", área
experimental intermediária, que depois
estimula a independência
BENEFÍCIOS DA TÉCNICA:

Relativização do ego, que se submete à


imaginação criativa
Pode haver transformação da fantasia
ilimitada em energia focalizada e criativa
Elo entre consciente e inconsciente
Ampliação da consciência
Expressão e exteriorização de
necessidades agressivas reprimidas
BENEFÍCIOS DA TÉCNICA:

Reparação da imagem materna danificada


Constelação e ativação do Self
Cura do ego ferido
Recuperação da criança interna - rito de
iniciação no sentimento, no afeto, no
mundo infantil - lembranças perdidas,
fantasias reprimidas
BENEFÍCIOS DA TÉCNICA:

Pacientes com dificuldade de lembrar dos


sonhos, imaginar ou sair do concreto
Pacientes muito racionais
Espaço livre (expressão dos conteúdos do
paciente) e protegido (não às confrontações,
intelectualizações ou interpretações)
Miniaturas - objetos simbólicos com os
quais se pode criar um mundo; revelam
arquétipos
Categorias de miniaturas: sagrado,
humanos (diferentes raças, rei, rainha,
personagens), habitações, animais,
transportes, alimentação, vegetação,
mobiliário, contos de fadas etc.
* Importante ter sucatas
As dimensões da caixa retangular são:

72 X 50 X 7,5cm e a 76cm do chão.


Lado interno azul claro.
Revestimento à prova d’água
Opção de duas caixas - areia seca e
molhada - preenchimento com areia até
a metade da profundidade da caixa
Jogo de Areia
Terapeuta:
Ouvir, observar e participar empaticamente;
Anotar tudo (nome, data, ordem de cada
figura colocada no cenário, falas e gestuais do
paciente);
Estar a uma distância que não atrapalhe o
paciente, mas consiga observar;
Atentar p/ figuras recorrentes - diferentes
cenários;
Fotografar o cenário ao final;
Cenário subsequente pode elaborar o anterior
*** Possíveis análises:
--- análise objetiva do cenário:
história do cenário;
categorias escolhidas;
peça que não consegue colocar na caixa;
ambientação;
para onde aponta o processo;
cena festiva, bélica, harmoniosa, caótica...
se tem figuras humanas
--- análise subjetiva do cenário:

expressões psicológicas do paciente


expressão psicológica do cenário
inquérito pelo terapeuta ao paciente -
possíveis associações das figuras
amplificação de símbolos - associação
do cenário a um mito, conto de fadas,
aspecto religioso, cultural
Exemplos de símbolos:
Casa - personalidade humana
Ponte- término de isolamento,
encaminhamento para solução de problema
Baiana, vaca, caverna, baleia, igreja, fada
boa, bruxa, mãe, tartaruga – materno
Água, lago - possibilidade de vida
Deuses, heróis, imagos dei - paterno
Jacaré - contradição, pois intermediário
entre terra e água
Trator - escavação, transformação
Exemplos Símbolos:
Sereia - feminino, mostro do mar, perigo
e morte
Serpente - lado obscuro
Carro ou meio de transporte -
possibilidade de movimento da energia
psíquica, força egoica
Tartaruga - plenitude, totalidade, conjuga
masculino e feminino, desapego
Sapo - transformação
Pirâmide - depósito de mortos e
transcendência destes
Interpretação Simbolismo
Ruth Ammann

Consciência
Mundo Coletiva
Interno Relação com
Espiritual pai pessoal,
Religiosidade escola,
profissão
Centro
Personalidade
EU Relação com a
terra, mais
Instintos consciente
Natureza Relação pessoal
criativa com mãe,
corporalidade
Perguntas do terapeuta ao paciente, após o
término da construção do cenário:
- Se ele deseja mudar algo
- Qual o nome dá para o cenário
- Qual a frente do cenário
- Como foi para ele construir o cenário
- Se deseja falar sobre as miniaturas que
escolheu, o que elas representam para ele
Possíveis direcionamentos:
o Lado esquerdo do cenário - aspectos ics
o Lado direito do cenário - aspectos cs
o Centro do cenário - motivo central
o Símbolo de movimento - da energia psíquica
oPrimeira peça a ser colocada no cenário -
em geral direciona as demais.
oQuando o paciente se emociona ou se sente
olhado demais, ou necessita falar sobre o
que está produzindo na caixa - atenção ao
paciente.
Outras questões importantes
Pode ser colocado algo no cenário que
diga respeito ao terapeuta - transferência
O terapeuta pode ver algo de que não
goste no cenário - contratransferência
Não se desmonta o cenário na frente do
paciente - imagem vai com ele
Num momento posterior, pode-se
mostrar fotos de diversos cenários
Avaliações, interpretações ou
amplificações - apenas hipóteses
Possíveis Resistências:

Não interpretação pode provocar ansiedade


Brincadeiras de criança são perda de tempo
Pode haver revelações que fujam ao
controle
Montagem de cenários para satisfazer as
expectativas reais ou supostas do analista

Resistência forte e consistente deve ser


respeitada
Cuidados especiais com a Técnica

Não deve ser aplicada em pacientes


limítrofes ou em estado pré-psicótico

Cuidado com os pacientes borderline


- medo do abandono - tem que se
perceber vínculo transferencial
Primeiros cenários – podem ser mais realistas,
indicando problemas e possíveis soluções
Cenários na segunda fase - níveis mais
profundos da personalidade - sombra; forma
caótica; energias brutas, intocadas
Com o avanço - vários graus de solução para
problemas e complexos - podem aparecer:
- imagens centralização ou união de opostos
- símbolos religiosos (Cristo, Buda, mandalas)
- cenários mais criativos e organizados
- mais equilíbrio entre elementos masculinos e
femininos
Benefícios para pacientes:
Introvertidos ou tensos - tendem a relaxar
Hiperativos ou histéricos - tendem a se
acalmar
Os que verbalizam, racionalizam ou
intelectualizam demais - experimentam sair
dessa racionalidade demasiada
Os que tem dificuldade de verbalizar -
sentem-se mais à vontade
Intuitivos - aspecto concreto do processo
Cenário do Grupo em 22.09.17
Cenário do Grupo em 22.09.17
Cenário do Grupo em 22.09.17
Cenário do Grupo em 22.09.17
Cenário do Grupo em 22.09.17
Cenário do Grupo em 22.09.17
Cenário do Grupo em 22.09.17

Mundo Interno Consciência


Espiritual Coletiva
Religiosidade Relação com pai
Centro pessoal,
Personalidade escola, profissão
EU
Instintos Natureza Relação com a terra,
criativa mais consciente
Relação pessoal com
mãe, corporalidade
Livros sugeridos:
"Sand Play" (Dora Kalff)
"Imagens do Self" (Estelle L. Weinrib)
"Terapia do Jogo de Areia" (Ruth Ammann)
"Dicionário de Símbolos" (Jean Chevalier)